Issuu on Google+

Maranduba, Março 2016

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 7 - Edição 82 Foto: Comunicação PMU

SUNUNGA SKIM FESTIVAL

Mundial de Skimboard desembarca em Ubatuba


Página 2

Março 2016

Jornal MARANDUBA News

Praia da Lagoa e Ponta Aguda por quem presenciou a vida rica e simples desta época de ouro em nosso litoral EZEQUIEL DOS SANTOS Como sugestão de matéria, a leitora Rita de Cássia Oliveira, 57, oradora de Caraguatatuba, contribui com dados de um lugar paradisíaco e com detalhes da época de ouro da cultura litorânea nestas paragens. Ela faz uma retificação à matéria já exibida neste jornal sobre a Praia da Lagoa e Ponta Aguda. Na realidade ela apresenta dados muito específicos, de quem, ao contá-lo só se estivesse de fato vivenciado esta “belle époque” (expressão francesa que significa bela época). Na matéria anterior foram citados, pelo Ubatubano Ilustre Sebastião Pedro, moradores como Horácio, João da Lagoa e Ernesto, que na realidade, conta Rita, são seus primos em primeiro grau. Ela lembra ainda de seu tio Manuel Eduardo Barbosa e principalmente de seu pai Hypólito Barbosa de Oliveira todos filhos daquela terra na época. Além do saudosismo histórico, ao que parece, o tio Manuel é personagem importante no livro Santo Antonio de Caraguatá, já que este ilustre

morador mandou abrir a estrada da Tabatinga até a Praia da Lagoa, onde o trecho leva seu nome. “Vivi minha infância e adolescência neste local onde meu tio era herdeiro e cultivador de café e cana, além de ser entalhador de canoas retiradas da mata virgem que muitas vezes foi presenciada por mim”, comenta a colaboradora. Acrescenta ainda que viu os rituais da retirada da canoa da mata para o batismo, que realmente procede à informação anterior sobre a festividade da vizinhança com farinha, bolo ou o que tivesse a oferecer aos homens que passavam ao puxar a canoa até o mar e seu batismo. Descreve ainda que, ”além disso, presenciei a aparição de um fantasma, não só eu como minha prima Lurdes na casa

antiga depois da cachoeira , parecia-nos um escravo que desapareceu do nada , depois meu tio contou-nos que a casa havia sido construída em cima de um dos cemitério dos escravos”, reitera Rita. Acrescenta que o fato também aconteceu na Praia Mansa, onde segundo nos relata, era local dos ranchos de pescadores já que a praia era favorável a saída para o mar e a da Lagoa era uma praia de tombo. Conta-nos que lá também foi um cemitério de escravos. Rita fala que junto com uma prima está buscando suas origens genealógicas. Na busca da pesquisa achou a matéria publicada anteriormente. “Hoje não temos muitos parentes vivos , eu estou com 57 anos e o que sei, vi e vivi estará guardado para sempre em minha memória”. Ao final ela agradece e coloca-se a disposição para mais informações, sendo que, as que enviou em poucas linhas foram muito importantes para muita gente e para o enriquecimento da história da formação do processo civilizatório nacional a partir das comunidades tradicionais locais.

Envie seu evento, edital, convocação ou aviso para esta seção atraves do e-mail jornal@maranduba.com.br

Editado por: Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3832.6688 (12) 99714.5678 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Editor: Emilio Campi Jornalista Responsável: Ezequiel dos Santos - MTB 76477/SP Colaborador: Pedro dos Santos Raymundo - MTB 0063810/SP Consultor Jurídico - Dr. Robson Ennes Virgílio - OAB/SP 169.801 Consultor Ambiental - Fernando Novais - Engº Florestal CREA/SP 5062880961 Colaboradora: Adelina Fernandes Rodrigues Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo


Março 2016

COMUNICAÇÃO PMU Praia da Sununga recebe entre os dias 21 e 27 de março a etapa brasileira do campeonato Com apoio da Prefeitura de Ubatuba, a praia da Sununga recebe entre os dias 21 e 27 de março uma etapa do Circuito Mundial de Skimboard. Pelo quarto ano consecutivo, os melhores skimboarders do planeta desembarcam na costa sul da cidade para protagonizar um verdadeiro show nas perigosas ondas do point. Atletas brasileiros e es-

Página 3

Jornal MARANDUBA News

Mundial de Skimboard desembarca em Ubatuba trangeiros já confirmaram presença no evento, um dos mais esperados do ano pelos praticantes da modalidade. Ano passado, o norte-americano Blair Conklin derrotou o local Leandro Azevedo na bateria decisiva e faturou o título da etapa brasileira. O prefeito Mauricio Moromizato destaca o tradição da Sununga dentro do Skimboard, fato que a torna famosa em muitos lugares do mundo onde há praticantes da modalidade. “A primeira edição do

mundial em Ubatuba foi em 2013, primeiro ano da nossa gestão. Desde então, vejo o evento crescer e se fortalecer. Todo esse público, todo envolvimento da comunidade na torcida, toda essa mídia gerada e com transmissão ao vivo pela internet, apresentam Ubatuba para o Brasil e para o mundo de uma forma extremamente positiva”, comentou o prefeito. “Pelo jeito, o mundial de skimboard vai acontecer por muitos e muitos anos por aqui e fico feliz em saber disso”, disse Moromizato.

Sununga Skim Festival de 21 a 21 de março na praia da Sununga

Defeso do Camarão tem início no dia 1º de março e se estende até 31 de maio

O objetivo do defeso é proteger o período de reprodução e crescimento das espécies, garantindo assim, a integridade dos estoques pesqueiros e evitando a sua extinção COMUNICAÇÃO PMU Teve início no dia 1° de março, o Defeso do Camarão, instituído pela instrução normativa IBAMA nº 189, de 23 desetembro de 2008. Por esta razão, a Fundação Florestal, por meio de suas Áreas de Proteção Ambiental Marinhas (APAM), informa aos pescadores, comerciantes e consumidores que até o dia 31 de maio, fica proibida a pesca de arrasto motorizado dos camarões branco, rosa, santana ou vermelho, sete-barbas e barba-ruça, nas regiões Sul e Sudeste do país. O objetivo do defeso é proteger o período de reprodução e crescimento das espécies, garantindo assim, a integridade dos estoques pesqueiros e evitando a sua extinção. Os consumidores podem colaborar, comprando somente camarão congelado capturado antes do período de defeso ou priorizando o consumo de outras espécies de frutos do mar durante esse período.

Quem for flagrado desrespeitando o período de defeso poderá ser autuado por crime ambiental e estará sujeito a multa cujo valor varia de acordo com a quantidade de camarão, além da apreensão dos equipamentos de pesca, penalidades estas previstas na Lei n° 9.605, de 12/02/1998, e no Decreto n° 6.514, de 22/07/2008. Segundo a Instrução Normativa IBAMA nº189/2008, o desembarque das espécies mencionadas será tolerado somente até o segundo dia corrido após o início do defeso. A cadeia produtiva, que inclui pessoas físicas ou jurídicas responsáveis pela captura, conservação, beneficiamento, industrialização, comercialização e transporte de camarões deverá declarar à Superintendência Estadual do IBAMA, até o 7° dia corrido a contar do início do defeso, uma relação detalhada do estoque das espécies capturadas, indicando os locais de armazenamen-

to, bem como comprovação de sua origem. As APAs Marinhas A categoria Área de Proteção Ambiental Marinha (APAM) é um tipo de Unidade de Conservação de Uso Sustentável que tem por objetivos: compatibilizar a conservação da natureza com a utilização dos recursos naturais; valorizar as funções sociais, econômicas, culturais e ambientais das comunidades tradicionais da zona costeira, por meio de estímulos a alternativas de uso sustentável; assegurar a preservação da diversidade da vida marinha e dos habitats críticos; garantir a manutenção do estoque pesqueiro em águas paulistas; e o uso ecologicamente correto e responsável do espaço marinho. A conexão entre as áreas protegidas da Mata Atlântica e as do ambiente marinho formam um mosaico de proteção aos ecossistemas que cobrem quase metade da costa paulista. As APA Marinhas

complementam a proteção ao entorno de Unidades de Conservação de Proteção Integral estaduais, como os Parques Estaduais Serra do Mar, Ilha Anchieta, Ilhabela, Marinho Laje de Santos, Ilha do Cardoso, e federais, como as Estações Ecológicas Tupinambás e Tupiniquins. Além da proteção marinha, algumas das mais

importantes ilhas e áreas de manguezais ao longo da linha de costa também são protegidas pelas APAs Marinhas. Serviço APA Marinha Litoral Norte Rua Esteves da Silva, 510 – Centro, Ubatuba. Tel. (12) 3832-1397 / (12) 3832-4725 apamarinhaln@gmail.com


Página 4

Março 2016

Jornal MARANDUBA News

Projeto Tamar Ubatuba recebe Sebastião Biano Secretaria de Esportes de Ubatuba promove evento comemorativo ao e seu terno esquenta muié No próximo dia 05 de março, às 20:00, o Projeto Tamar de Ubatuba recebe um grande representante da música nordestina: Sebastião Biano e seu terno esquenta muié (nome dado ao projeto que dialoga de forma contemporânea com a sonoridade da Banda de Pífanos de Caruaru). PROJETO TAMAR A música de Sebastião Biano é parte fundamental da construção da identidade e do imaginário brasileiro. Fundador da lendária Banda de Pífanos de Caruaru, detentor da Ordem do mérito Cultural, de um Grammy Latino e do Prêmio TIM de Música, autor de clássicos da música brasileira como Pipoca Moderna e A Briga do Cachorro com a Onça, Sebastião Biano se apresentou e gravou com Caetano Veloso, Gilberto Gil, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Geraldo Azevedo, Marinês e muitos outros, representando o Brasil em diversos países da América e Europa. Aprendeu a tocar pífano aos 5 anos de idade e, prestes a completar 97 anos, esbanjando vitalidade e paixão pela música, se tornou um dos maiores representantes da cultura popular brasileira. A apresentação de Sebastião Biano no projeto Tamar marca o lançamento do seu CD “Chego já”, com entrada franca (a partir das 19:30). É uma realização da produtora Maracá, com recursos do Programa de Apoio à Cultura (PROAc) do Ministério da Cultura do Estado de São Paulo, e conta com a produção local de Tita nas Nuvens Produtora. Criado há 35 anos, o Projeto TAMAR é uma soma de esforços entre a Fundação Pró-TAMAR e o Centro Tamar/ ICMBio. Trabalha na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção: tartaruga-cabeçuda (Caretta

caretta), tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), tartaruga-verde (Chelonia mydas), tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) e tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea). Protege cerca de 1.100 quilômetros de praias e está presente em 25 localidades, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas marinhas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. Reconhecido internacionalmente como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha do mundo, seu trabalho socioambiental, desenvolvido com as comunidades costeiras, serve de modelo para outros

países. O Projeto TAMAR tem o patrocínio oficial da PETROBRAS, através do programa PETROBRAS Socioambiental, e nos nove estados brasileiros onde atua recebe diversos apoios locais. Em Ubatuba, recebe o apoio da Arcor do Brasil e da Prefeitura Municipal de Ubatuba. Todos os recursos captados são revertidos integralmente para as atividades de conservação das tartarugas marinhas. SERVIÇO: Apresentação Musical de Sebastião Biano e seu Terno Esquenta Muié Dia 05/03/2016 às 20:00 Entrada gratuita a partir das 19:30 Projeto Tamar Base de Ubatuba - SP - Rua Antonio Athanásio, nº 273 – Itaguá (12) 3832-6202.

Dia Internacional da Mulher

COMUNICAÇÃO PMU A Secretaria de Esportes de Ubatuba promove no domingo, 6 de março, o evento “Só com elas” como parte da Semana Internacional da Mulher. A iniciativa consiste em atividades esportivas, apresentações de dança, sorteios e brincadeiras para o público feminino. As atividades acontecerão das 8h às 12h, na praia do Perequê-Açu (em frente ao Terminal Turístico). As mulheres que desejarem participar do evento têm até esta quinta-feira, 3, às 17 horas, para fazer as inscrições antecipadas, que podem ser efetuadas junto à Secretaria Municipal de Esportes (no Ginásio do Tubão – rua Thomaz Galhardo). A participação é livre nas atividades como passeio de bike, caminhada e Stand Up. Já para as competições de due-

to e corrida solo é preciso ter mais de 18 anos. Confira a programação 8h às 8h30 – Entrega de camisetas, aferição de pressão, glicemia e inscrições (se ainda houver vagas) 8h30 – Aula de jazz 8h40 às 9h – alongamento e aquecimento 9h – Largadas: passeio de bike, caminhada, corrida, dueto (uma pedala/ uma corre) 10h às 11h- apresentação de dança, sorteios e brincadeiras; 11h às 12 – Premiação e encerramento Percursos: Passeio – 6 km Caminhada – 5 km pela praia em direção ao centro; retorno 2,5 Km Corrida solo – Mesmo percurso da caminhada Dueto – Percurso Pedal (20 km); Percurso Corrida: mesmo da caminhada e da corrida solo


Março 2016

Página 5

Jornal MARANDUBA News

Aves da nossa rica Mata Atlântica –Savacu Foto: Roberto “Pitui” - PROMATA

Esta ave parece que sempre está de roupas novas, ao menos bem passada, com vinco e cortes como manda os figurinos da última moda. Por outro lado parece que pratica a tradicional paciência oriental. Quando esta em busca de alimentos parece uma estatua que testa a paciência do ser pescado ou a nossa quando queremos ver um pouco de ação em seu meio ambiente. Aos que não conhecem, ao longe pensarão ter visto um pingüim a beira de um lago ou riacho. Imaginem! Um cara parecido com um garçom bem arrumado, roupas impecáveis, corpo compacto, olhos vermelhos, penugem lisa, costas negras e penas brancas e acinzentadas no decorrer do corpo. De fato quem não conhece e se não fossem as pernas longas passaria fácil fácil por um pingüim. Estamos falando do Savacu (também conhecido como Socó-dorminhoco e outros tantos nomes regionais), possui nome cientifico (Nycticorax nycticorax) que até parece nome de remédio ou veneno sabe lá pra que. Trata-se de uma bela ave, sua postura é de invejar a qualquer ortopedista. Possui hábitos noturnos e crepusculares. Vive em bordas de lagos, lagoas e rios ou o que sobrou deles. Alimenta-se de peixes, anfíbios, crustáceos, insetos e pequenos répteis. Pesca às vezes sobrevoando águas profundas. Seu modo de caça principal é “senta e espera”, quer dizer aguardar pela presa haja paciência! Olha, entra

na água, brinca de estátua, voa de uma margem para outra e demora para pegar um peixe. Seus ancestrais devem ser praticantes do zen-budismo. Percebe-se que adoram um sashimi. Mas também pode usar seus longos dedos para cotucar o lodo e as pedras de rios e lagos espantando assim pequenos peixes que são capturados com precisão. A época reprodutiva é entre setembro e janeiro. Ambos os sexos participam da construção do ninho, da incubação de até cinco ovos de cor esverdeados ou verde-azulados, entre 21 a 24 dias, com os filhotes permanecendo entre 30 a 50 dias no ninho. Reproduz-se em colônias, em ninhos construídos entre 1 e 7 m de altura. Os filhotes começam a nascer em novembro, culminando o abandono da colônia em meados de janeiro. O principal predador da colônia é o urubu, que preda os ovos no início da temporada e os filhotes no final. Pode-se dizer que também que se trata de uma espécie cosmopolita, que se adapta facilmente em ambientes aquáticos urbanos e tem hábito de colocar o bico sobre o peito verticalmente para dormir. Em resumo é mais uma bela ave de nossa rica mata atlântica parte integrante da cultura regional, ou o que sobrou dela. Fonte: Wikiaves, Wikipédia, Embrapa, Ubatubabirds, Promata, belezasdaamazonia.comunidades. net,projetofauna.wordpress. com Referências: SICK, H. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997. 863p.


Página 6

Março 2016

Jornal MARANDUBA News

Biblioteca de Ubatuba ganha centro de inclusão digital Iniciativa alia educação, tecnologia e cultura e estimula o vínculo dos munícipes ao local

COMUNICAÇÃO PMU Para contribuir com a inclusão digital em Ubatuba e aumentar o acesso à informação, a Prefeitura de Ubatuba inaugurou, na última terça-feira, 1º de março, o centro de inclusão digital da Biblioteca Municipal Ateneu Ubatubense, na Praça Treze de Maio – Centro. O local conta agora com 10 computadores com acesso livre à internet que podem ser utilizados pela população durante o horário de expediente da biblioteca, de segunda à sexta-feira, das 8h15 às 17h45. Em todas as máquinas foram instalados programas para contribuir com a disseminação do conhecimento como jogos educacionais, cursos online, ferramentas de capacitação, softwares de edição gráfica entre outros. Segundo Pedro Seno, secretário municipal de Tecnologia da Informação, o centro digital une o que a biblioteca tem de bom com o advento da informática. “Um dos objetivos da iniciativa é tentar criar um vínculo maior do cidadão com o local através da tecnologia. Queremos abrir cada vez mais espaços de inclusão onde as pessoas tenham ferramentas para participarem da construção da cidade e se desenvolverem”, afirma. A bibliotecária Keila Redondo acrescenta que, além dos programas instalados, os computadores contêm uma série de links de pesquisa, como os de bibliotecas virtuais, além de livros gratuitos que podem ser lidos online. Eles contam ainda com web cam, que são um recurso adicional que contribui em atividades dos usuários, como a participação em cursos online e oficinas sobre

encenações e animação de história em quadrinhos. Ela destaca que o laboratório será mais um atrativo e que o fluxo de pessoas na biblioteca vai aumentar. “Em 2015, foram cerca de 10 mil visitantes e seis mil consultas ao acervo. Vemos essa iniciativa como uma forma de mostrar que é possível ler o livro e também realizar a leitura online, de forma que a leitura digital complemente o livro e vice-versa”. Como parte dessa estratégia, serão promovidas ainda ações de incentivo nas escolas para que as crianças façam a carteirinha da Biblioteca e frequentem o espaço. O prefeito Maurício ressalta que “muito mais do que um telecentro - um centro de inclusão digital - queremos estabelecer uma ponte entre a

modernidade - a internet e a informática – e a tradição da biblioteca”. Investimento A instalação do laboratório foi possível graças ao apoio do Projeto CDI Bibliotecas, uma iniciativa do Comitê para a Democratização da Informática (CDI), com o patrocínio da The Bill & Melinda Gates Foundation. A Prefeitura de Ubatuba inscreveu o projeto e foi um das 50 bibliotecas no Brasil contempladas com os computadores. Essa é mais uma iniciativa que proporciona o acesso do cidadão à tecnologia, informação e conhecimento. “Uma das grandes marcas de nosso governo é a da tecnologia, da inovação e do investimento na modernização em várias esferas do governo. Somos uma

das poucas cidades que possui uma Secretaria Municipal de Tecnologia da Informação e esse é um esforço contínuo”, enfatizou o Prefeito Mauricio. Com recurso específico da pasta, foi feita uma grande compra de equipamentos de informática para a administração pública. Para a Secretaria de Educação, está prevista

a instalação de 14 laboratórios de informática com internet para os alunos da Rede Municipal, o primeiro deles inaugurado na Escola Municipal Tancredo Neves. Além disso, o município já conta com unidades como a do Acessa SP na Fundart e o recém-inaugurado Acessa SP do Ipiranguinha.


Março 2016

Escolas Municipais de Ubatuba recebem novas mesas e cadeiras Secretaria de Educação adquiriu itens a partir de um levantamento de necessidades junto às unidades

COMUNICAÇÃO PMU A Secretaria de Educação da Prefeitura de Ubatuba já começou a distribuir em 20 escolas da rede municipal de ensino milhares de novos itens de mobiliários adquiridos no final de 2015. Os móveis foram comprados com recursos próprios, através da Ata de registro de Preços do Pregão Eletrônico nº 15/2015/FNDE/MEC, e incluem 58 mesas acessíveis para cadeirantes, 3.200 conjuntos de mesa e cadeira para alunos do primeiro ao quinto ano e 560 conjuntos para alunos do sexto ao nono ano do

Página 7

Jornal MARANDUBA News

Ensino Fundamental. Também foram adquiridos 150 novos conjuntos de mesa e cadeira para os professores. “Nossa gestão tem compromisso com a Educação e a melhora do serviço público. Por isso, fizemos um concurso e organizamos capacitações regulares. O novo mobiliário se soma ao esforço de melhorar as condições de estudo e de trabalho da população de Ubatuba”. A Secretaria de Educação informa que a compra foi feita a partir de levantamento de necessidades feito junto a cada unidade escolar.

Grupo de Estudo de Línguas Terá inicio em março as atividades de Grupos de Estudos, inicialmente com a LÍNGUA ALEMÃ - Sábado, 5 de março - as 10:00 horas na Gaitinha em Sol - Rua das Bananas 250 - (rua ao lado da fábrica de concreto) - Araribá. (Região Sul de Ubatuba). Atividade dentro do conceito de Economia Solidária. Inscrições: “Lilian”<lifla1@outlook.com> Tel.: (12) 99770-7090 Já estamos relacionando interessados em Espanhol, Francês e Inglês. Saudações Culturais. Luiz Carlos Lima

Sociedade demanda Conselho de Proteção dos Animais em Ubatuba Renata Takahashi InforMar Ubatuba Ubatuba pode ganhar um Conselho de Proteção dos Animais, espaço de encontro permanente entre Estado e sociedade civil para tratar de políticas públicas em favor dos bichos. Cobrar do Executivo que envie o projeto de lei criando o conselho foi um dos encaminhamentos da audiência pública realizada na última quinta-feira (25) na Câmara Municipal. Convocada com objetivo principal de pedir a volta das castrações em cães e gatos realizadas pela Prefeitura, diversas outras demandas da “causa animal” foram manifestadas durante a audiência. Na mesa, estavam Johnnie Baruffaldi, do bazar dos animais, Carlos Rocha, protetor independente, Eulália Salete Pisa, presidente da Associação Protetora dos Animais da Região Sul (Apasu Ubatuba), Jorge Ribeiro, coordenador da Vigilância em Saúde representando a Secretaria de Saúde, Potiguara do Lago, representando a Secretaria de Turismo e os vereadores Reginaldo Fábio de Matos (PT) e Flavia Comitte do Nascimento (PDT). Castrações O coordenador de Vigilância em Saúde Jorge Ribeiro disse que em uma semana a Prefeitura estará retomando as castrações. “A gente vai fazer um novo cronograma e vai estabelecer critério socioeconômico”, informou. Carlos Rocha espera que sejam oferecidas mais do que as 20 castrações semanais que a Prefeitura vinha

fazendo por meio do convênio com a Biosaúde, cuja quebra por força judicial foi o que levou à paralisação do serviço. “Tinha que ser no mínimo de 30 a 40 castrações por dia”, defendeu o protetor. Segundo Salete, a Apasu realiza 20 castrações semanais apenas na região sul de Ubatuba, com ajuda da comunidade e realização de eventos. “Não faço mais porque não temos verba”, afirmou, apontando que o custo de cada cirurgia varia de 70 a 100 reais, dependendo do porte do animal. Ribeiro não soube dizer ainda quantas castrações mensais o município vai passar a oferecer, e chamou atenção para a necessidade de conscientização sobre tutela responsável. O representante da Secretaria de Turismo, Potiguara do Lago, se comprometeu a estudar a criação de uma campanha em pontos turísticos de Ubatuba. Fogos de artifício O protetor independente

Carlos Rocha levantou a questão dos fogos de artifício e seus impactos aos animais, entre cães, gatos, aves e outros. O assunto foi recentemente abordado por Guilherme Fluckiger na coluna “Fauna Tamoia”. No texto, além do barulho o colunista aborda os componentes químicos presentes nos fogos de artifício: “Entre os compostos estão a pólvora negra que também é utilizadíssima na indústria bélica, percloratos e outros compostos contendo Bário, Lítio, Estrôncio, Cobre, Titânio, Magnésio, entre outros, dependendo da cor e tipo de efeito produzido pelos fogos. Esses compostos fatalmente acabam indo para o mar, de um jeito ou de outro, e o lixo do resto das queimas aparece na praia nos dias seguintes da virada de ano.” O vereador Reginaldo Fábio de Matos (PT) disse que já protocolou na Câmara o projeto de lei dos fogos silenciosos, que deve ser colocado para votação no legislativo em breve.


Página 8

Jornal MARANDUBA News

Blocos de carnaval local esquentam a avenida e famílias inteiras se alegram ao ritmo das marchinhas Neste último carnaval, os blocos locais do feriado nacional atraíram um número maior de foliões. Muita gente se espantou com a organização e segurança do espetáculo oferecido a população gratuitamente. Cerca de 500 pessoas, de cada bloco, iniciaram a festividade, ao final já haviam perdido a conta de quantas pessoas pulavam ao som de marchinhas e enredos carnavalescos. O que espantou os organizadores foi o crescente número de participantes. Por outro lado preocupa os grupos para a próxima edição já que ainda tem pouca colaboração para uma grandiosa festividade. O comentário positivo nas redes sociais aliviou em muito os meses de esforço para fechar o evento, comentam os organizadores dos blocos.

Família organizadora do evento - o sorriso no rosto refletia a felicidade pelo sucesso do evento

Parte da alegria foi promovida pelo animado Grupo de Samba Simetria - já ta fazendo falta.

Março 2016

Terceiro CARNASERTÃO e a dengue

Esta edição o CarnaSertão veio com uma apresentação diferente, além do trio elétrico de dois andares, batizado de trio CarnaSertão pilotado pelo Robinho, abordou tema preocupante e atual como a atenção a dengue e ao Zica Virus, tanto falado quanto estampado nos cartazes do evento. Da capital para o Litoral, o trio veio acompanhado com o renomado Grupo de Samba Simetria, tendo como integrantes o mestre de samba Ronaldo Monteiro e seu irmão Rogério (Gina), Macaré, Welligton (Lafon), Mineiro, Aroldo, Ygor Santos e como apresentador e locutor Nilsão. O bloco contou com carro de apoio e batedor, também um jipe conduzido pelo folião Ari, sua esposa Adria e seu filho Julio. O evento contou com o apoio do Jornal Maranduba News, Srª Roberta da Adega D’Menor, Nilson e sua esposa, sem contar com a ajuda dos filhos Kaio e Ygor.

Uma selfie pra marcar a festa


Março 2016

Jornal MARANDUBA News

5 º KAI&ÇARA, mas com responsabilidade O Bloco KAI & ÇARA também se espantou com o crescente número de foliões e se alegra em chegar a sua 5ª edição. Como nos anos anteriores nada fora do comum aconteceu. Tudo que foi planejado aconteceu menos o grande numero de participantes. A concentração partiu de próximo ao Campo de futebol do Sertão da Quina tocando as tradicionais marchinhas de carnaval até a praia, no caminho apoio e gente que a cada metro aderia ao evento. O bloco tratou da responsabilidade em se divertir respeitando o espaço de cada um, para que todos possam brincar livremente sem maiores transtornos e nem preocupações, principalmente com a segurança. Esforço reconhecido Depois da festa a calmaria, mesmo assim muita coisa ainda ficou para os organizadores dos blocos. O pós festa – hora de limpar, organizar e guardar os pertences – foi trabalhoso tendo em vista a grandiosidade que evento alcançou e a pouca colaboração de patrocinadores e comerciantes locais. Encontra-se em estudos o reconhecimento pela Câmara Municipal de Ubatuba ao evento e aos organizadores que vem lutando para fazer sobreviver a alegria sadia de moradores, visitantes e turistas tudo de forma gratuita. O próximo ano promete e você poderá ajudar, procure os organizadores dos blocos e participe. Quem pulou este ano disse que vai ano que vem e vai levar os amigos!

Horas antes da saída o pessoal se aquecia pra lubrificar as juntas

Atras do bloco a multidão em festa, cada quilometro dobrava o numero de foliões

Página 9


Página 10

Gírias do Surf pra galera que está começando a pegar onda Tendo o litoral norte paulista e Ubatuba um potencial real a pratica do surf e tendo entre os melhores do mundo um ubatubano, nada melhor que começar a entender como é a conversa entre os caras que gostam, até em frio extremo, ficar dentro d’água, às vezes um dia inteiro pra pegar uma onda. Aqui na Maranduba muitos se sentirão saudosistas desta gírias, outros lembrarão dos grandes eventos que por aqui existiam e atraiam milhares de pessoas. Por outro lado é comum cada atividade ter sua própria linguagem, o surfe não é diferente. Leva um tempo pra entender, mas vale à pena conhecer um pouco mais...A velha guarda do surfe local é que o diga, dos caras que faziam “vaquinha” pra comprar uma revista de surfe e depois revezavam na leitura... Parte I Aussie - surfista australiano. ABRASP - Associação Brasileira de Surf Profissional Aéreo 360º - Variação dificílima da manobra citada acima, onde o surfista executa a mesma durante um vôo com a prancha. Aloha - Saudação havaiana de boas vindas pra pegar uma onda perfeita. Amador - Atleta que não recebe salário. Amarradão - Quando uma pessoa está muito feliz! Arrebentar - Se sair muito bem em uma determinada situação. ASP - Association of Surfing Professional AUS – Associação Ubatuba de Surf Deck - material feito com borracha especial, aplicado sobre a prancha, servindo assim como anti-derrapante. Back door - Parte da onda que quebra da direita para a esquer-

Março 2016

Jornal MARANDUBA News

Temporada aquece gastronomia de Ubatuba e setor prevê continuidade do movimento Parte dos funcionários contratados para temporada deve continuar trabalhando mesmo após o verão

da - para quem está olhando da praia. Back side - É quando o surfista pega onda posicionando-se de costas para ela. Back Wash - Pororoca, ou seja, onda que vem ao contrário, da direção da areia. Batida - Manobra em que o surfista acerta a crista da onda com a parte de baixo da prancha. Beach Break - Praia com fundo de areia. Big rider - Surfista que é bom e gosta de pegar ondas grandes. Bolha - área da prancha que se encontra danificada, podendo estar ou não com água. A princípio a área fica fofa. Brother - Expressão usada no cumprimento de surfistas ou amigos próximos. (Fala, Brother!) Cabrerão - Medroso, froucho, bundão. Cabuloso - Doideira, esquisito, estranho. Caldo - Quando o surfista cai da prancha. Camisinha - Capa de prancha de tecido elástico que ao ser colocada na prancha se assemelha a um preservativo. Casca grossa - Surfista muito

bom em determinadas características / situação difícil. Cavada - Manobra onde o surfista faz uma curva na base da onda em direção do lip (crista da onda). CBS - Confederação Brasileira de Surf Amador. Botar Pilha - Incentivar fazendo pressão / Aborrecer. Copinho - local da prancha onde se coloca a cordinha, leash ou strep. Crowd - Muita gente surfando numa mesma área. Cut back - Manobra em que o surfista volta na direção contrária da onda e depois retorna na direção normal, formando um ’s’. Drop - Significa descer a onda da crista até a base. Lembrar que tem muita gente que se lembra de fatos inusitados do surfe na região. O JMN, através de seu email poderá contar a sua história, a dos seus amigos e de uma galera sobre este esporte, basta nos enviar a história. Também outras gírias ou palavras que porventura não figurará nesta pequena amostra local e regional. ALOHA!

COMUNICAÇÃO PMU Não só os hotéis e pousadas lucraram na temporada, os restaurantes e quiosques da região também. Embora o período tenha sido curto e o mês de janeiro chuvoso, os comerciantes ficaram felizes com o resultado. O quiosque Maré Verde ilustra como foi grande o movimento em Ubatuba. O estabelecimento localizado na Praia Grande, uma das praias mais badaladas da cidade, precisou chamar mais funcionários para dar conta de todo o trabalho. “Nós temos 26 funcionários com carteira assinada e ainda vamos prorrogar o contrato dos que trabalharam temporariamente para mais 45 dias”, disse Murad França Brihi Badur, proprietário do Maré Verde. O quiosque também costuma lotar no meio da semana e permanece lotado até

o domingo. O restaurante Alentejano, no Itaguá, conta que os primeiros 15 dias de janeiro não foram dos melhores, mas logo depois conseguiram recuperar. No Carnaval, o local teve um bom movimento e a expectativa é de que nos finais semana continue lotando. Diferente dos restaurantes do segmento que costumam ter como foco o cliente turista, a Casa do Marmitex, que fica no Centro, também viu a clientela aumentar durante a temporada. Mesmo com os serviços mais voltados ao trabalhador local, estima-se que o movimento cresceu em 35% em comparação ao ano passado. Além disso, o proprietário espera que a curva de crescimento se mantenha também nos próximos sábados, quando o local costuma ter bastante clientes.


Março 2016

Jornal MARANDUBA News

Fundart Ubatuba abre inscrições para oficinas culturais

Página 11

Ajude a APASU!

Violão, cerâmica, pintura em tela, grafite e teatro são algumas das opções disponíveis

COMUNICAÇÃO PMU A Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba abriu nesta quinta-feira, 25, as inscrições para o primeiro semestre das oficinas do programa “Arte Para Todos”. O cadastro prévio de intenção pode ser realizado online por meio do link http:// cursos.ubatuba.sp.gov.br/ ou presencialmente na Fundart e o participante pode optar por até duas modalidades de cursos. Veja a lista dos cursos já confirmados para este ano: • Audiovisual - Fotografia

• Bordado macramê • Canto lírico • Cerâmica e argila • Confecção de adereços e alegorias • Cultura digital/Midialivrismo • Dança do ventre • Desenho • Grafite/Hip hop • Literatura: leitura e produção escrita de narrativas dramáticas • Piano para iniciantes • Pintura em tela • Teatro para iniciantes • Tecelagem

• Turismo cultural 15 a 18 anos • Violão para iniciantes Inscreva-se o quanto antes. As vagas são limitadas e a prioridade é para pessoas de baixa-renda. O restante das vagas será sorteado entre os demais interessados. Os documentos necessários são RG ou carteira de habilitação e comprovante de residência. Mais informações: (12) 38337000 ou na sede da Fundart: Praça Nóbrega, 54, no Centro de Ubatuba.

Prefeitura abre inscrições para mais uma edição do “Casar em Ubatuba” Iniciativa pretende repetir sucesso do ano passado, que oficializou a união de mais de 100 casais Iniciou no último dia 15 de fevereiro, o prazo de inscrições para os casais interessados em participar da segunda edição do Casamento Comunitário de Ubatuba. Sucesso de público e crítica no ano passado, a iniciativa uniu centenas de pessoas durante uma bela cerimônia no Centro de Convenções. Para 2016, o “Casar em Ubatuba” vai contemplar ainda mais casais da cidade, porém, as vagas são limitadas.

A inscrição deve ser feita na sede da Secretaria de Cidadania e Desenvolvimento Social, localizada na Rua Paraná, n. 375, no Centro. É preciso comparecer com os seguintes documentos: - Solteiros: certidão de nascimento (original), RG e CPF (cópia e original) - Divorciados: certidão de casamento com averbação do divórcio (original), RG e CPF (cópia e original) - Viúvos: certidão de casa-

mento (original), certidão de óbito do cônjuge falecido (cópia e original), RG e CPF (cópia e original) O atendimento será realizado às segundas, quartas e sextas, das 14 às 17 horas, e e terças e quintas, das 9 às 12 horas e das 14 às 16 horas. Para mais informações, sobre os documentos necessários e prazos de cadastramento ligue para: (12) 3834-3502 ou escreva para: casaremubatuba@ubatuba.sp.gov.br

Latinhas descartáveis ajudarão no bem estar dos animais da Região Sul. Local para entrega: Boêmio Bar


Página 12

Jornal MARANDUBA News

Março 2016

“Chacina na Ilha Anchieta - Tiroteio na invasão e retomada da Ilha” Parte 23

Jornais da época enviaram seus melhores repórteres para descrever a maior rebelião do planeta que aconteceu em nossa região, sobreviventes ajudam a contar a história.

EZEQUIEL DOS SANTOS “Revista Igarati – Ano 1 – nº 10 – Ubatuba, outubro de 1993”, décadas depois da rebelião, esta revista rememora os tempos de inferno na Ilha, na pagina 12, rememora passos do dia do início da rebelião. Fala da turma de Pereira Lima que aguardou no mato até que a fila da lenha chagasse ao presídio. Quase ao mesmo tempo aproximaram-se do quartel, mataram o armeiro (só um homem tomava conta de cinco metralhadoras, granadas, 35 winchewsters e 30 revolveres) e se apossaram dos armamentos. Andrelino Miguel, ex-funcionário da ilha, que na época fazia o transporte de pessoal, contou a revista que Pereira Lima pegou o estoque de álcool da enfermaria, misturou com açúcar num tambor e obrigou seus companheiros a beber. “Os homens saíram feitos doidos, dando tiros em quem encontrassem pela frente, olhos saltados. Naquele dia ia ter batizado de preso, na ilha. Eu tinha uma canoa a motor e levava um filho de um funcionário civil para a festa. No continente a Folia de Reis tocava na prainha do Dionísio (perto do Saco da Ribeira) e a gente ia ouvindo, do barco. Logo depois do boqueirão via alguém na praia acenando. Era o cabo Sudário, que me deu ordens de voltar ao continente, falando da revolta dos presos”. A mesma cena é relatada por Sudário a revista: “Do destacamento vinham tiros de metralhadora. Saí em direção ao boqueirão, correndo em zigue-zague. Joguei-me na água, e já tinha nadado quase cem metros, quando vinha se aproximar um pequeno barco a motor. Gritei-lhes e fui apanhado. Mais sobre o tema na próxima edição...


Março 2016

Jornal MARANDUBA News

Página 13

Oficina do Ponto MIS “Exercícios Visuais a partir da Pintura e da Fotografia” está com inscrições abertas em Caraguá FUNDACC O Ponto MIS, programa do Museu da Imagem e do Som de São Paulo, em parceria com a Fundacc – Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba, promove no dia 23 de março (quarta-feira), das 18h às 22h, na Videoteca Lúcio Braun, a oficina “Exercícios Visuais a partir da Pintura e da Fotografia” com o oficineiro Gustavo Falqueiro. A atividade é gratuita. Partindo de possíveis relações entre pintores e fotógrafos e discursos e imagens, a oficina propõe exercícios visuais onde o participante poderá vivenciar uma poética fotográfica, onde a luz, que é meio, também pode se tornar fim. O Sol e as suas diferentes luzes, a noite e a luz artificial, o olho e teorias da visão e pintores e fotógrafos que exploram a luz como tema são alguns dos aspectos que irão permear a prática fotográfica dos participantes. Os interessados em participar devem ter acima de 16 anos e realizar a inscrição das 9h às 17h, na sede da Fundacc, na Rua Santa Cruz, nº 396, no Centro. A Videoteca Lúcio Braun está localizada no Polo Cultural Profª Adaly Coelho Passos, na Praça Dr. Cândido Motta, nº 72, no Centro de Caraguá. Mais informações: (12) 3897.5661. Sobre o Oficineiro Gustavo Falqueiro é graduado em Fotografia com habilitação em Arte e Cultura pelo Centro Universitário SENAC de São Paulo e graduado e licenciado em Filosofia pela Universidade de São Paulo – USP. Há 12 anos trabalha com fotografia e filosofia. Atua como docente em cursos de formação artística para jovens no Insti-

tuo Tomie Ohtake, pela Secretaria de Cultura de São Caetano do Sul, e é professor efetivo da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Pontos MIS Pontos MIS é um programa do Museu da Imagem e do Som de São Paulo, em parceira com a Secretaria de Estado da Cultura do Estado de São Paulo, de circulação e difusão audiovisual que visa promover a formação de público e a circulação de obras do cinema e oficinas, estabelecendo parcerias com os municípios participantes para criar pontos de difusão audiovisual espalhados pelo Estado. Serviço Oficina “Exercícios Visuais a partir da Pintura e da Fotografia” com Gustavo Falqueiro Dia 23/3 – quarta-feira – das 18h às 22h Videoteca Lúcio Braun. Classificação: 16 anos

Contação de histórias neste sábado no sebo Bambu O Núcleo Criativo l Projetos & Eventos apresenta “Histórias que eu sei...” com Claudia Oliveira no Sebo Bambu neste sábado. A atividade promete entreter a criançada enquanto ensina um pouco da história local. Conhecedora da gente caiçara, Claudia Oliveira contribui ativamente com o registro da história oral de Ubatuba, tendo já publicado pequenos livros onde conta histórias da sabedoria popular para crianças e adultos. Claudia Oliveira tem participações em mostras e eventos realizados no município ubatubense pela Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba e Secretaria Municipal de Educação, além de intervenções

e produções independentes. Seu currículo conta ainda com atividades realizadas junto a Associação de Economia Criativa e Solidária de Campos do Jordão-SP na tradicional Festa do Pinhão do município, intervenções na FLIP (Feira Literária Internacional de Paraty), OFF FLIP, SESC Unidade Paraty e Secretaria Municipal de Angra dos Reis no estado do Rio de Janeiro. O projeto “Histórias que eu sei...” irá percorrer diversos espaços culturais do município a fim de contar um pouco mais do universo caiçara. As intervenções contarão sempre com a colaboração espontânea do público presente. Confira a agenda em https://www.facebook.com/NucleoCriativo

SERVIÇO “Histórias que eu sei...” com Claudia Oliveira Data: 05 de março (sábado) Horário: 16h Local: Sebo Bambu Rua Dr. Esteves da Silva, 268, Centro, Ubatuba. Valor (R$): Colaboração espontânea.


Página 14

Prefeitura de Ubatuba realiza consulta e audiência pública

COMUNICAÇÃO PMU Serviços de saneamento e distribuição de água e esgoto da cidade são objeto da audiência que acontece no dia 17 de março, na Câmara Municipal A Prefeitura de Ubatuba convida toda a população a participar da audiência pública que vai discutir a contratação de empresa para o fornecimento de serviços públicos de abastecimento de água potável e esgotamento sanitário para o município. A audiência acontecerá no dia 17 de março, das 15 às 17h30, no Auditório da Câmara Municipal (rua Thomaz Galhardo, 64 – Centro). Atualmente, esses serviços são prestados principalmente pela Sabesp, cujo contrato já está vencido. “A consulta e a audiência pública são oportunidades para que a população participe e contribua ativamente nesse processo, discutindo os termos da contratação, esclarecendo dúvidas e enviando sugestões para o aperfeiçoamento do procedimento”, explica Juan Blanco Prada, secretário municipal do Meio Ambiente. A prestação de serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário compreende desde a construção, a operação

Março 2016

Jornal MARANDUBA News

e a manutenção das unidades integrantes dos sistemas físicos, operacionais e gerenciais de produção e distribuição de água, até a coleta, afastamento, tratamento e disposição de esgotos sanitários. Isso inclui também a gestão dos sistemas organizacionais, a comercialização dos produtos e serviços envolvidos e o atendimento aos usuários. A Audiência Pública será também um momento para que a população compreenda a situação atual desse serviço no município e defina temas variados como, por exemplo, os bairros a serem priorizados no atendimento. Isso em diálogo com metas que já haviam sido estabelecidas para Ubatuba no Plano Municipal de Saneamento Básico, aprovado em 2014. Todos os documentos referentes ao processo de contratação estão disponíveis no sítio web da Prefeitura http://minutas. ubatuba.sp.gov.br/blog/minutas/saneamento-basico/ Comentários e envio de sugestões também devem ser feitos pelo mesmo endereço web. Maiores informações podem ser obtidas junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente: (12) 3833-2439 ou 3833-2655.

As cores da morte

Nelson de Souza Esta história ou causo, não se sabe bem onde começa o conto e até onde é verdade... Aconteceu nos arredores Caçandoca há muitos anos atrás, naquela época o misticismo e as crenças eram as grandes verdades. Naquele pequeno vilarejo caiçara existia uma bela morena, toda formosa, seu olhar e simpatia encantavam a todos os rapazes e despertava inveja das colegas e até de visitantes que por ali passavam. Seu nome era Cidinha – Aparecida - linda e desejável morena, nascida no vilarejo e querida por todos. Devido sua grande beleza todos diziam que a bela moça deveria tentar a vida na cidade grande, lá seria facilmente contratada como modelo. Cidinha desconversava e dizia que seu lugar era ali, junto de seu povo, cuidando da roça e pescando com seus amigos e festejando, principalmente as Folias de Reis, que tanto gostava. Dança da fita, congada e de costurar seus próprios vestidos fazia parte de sua atividade. Ela tinha um carinho especial e admiração por um animal um tanto diferente, uma grande lagarta “Mandarová” muito indesejável e uma terrível praga principalmente nas roças de mandioca. Por diversas vezes ela falava encantada das belezas desse animal – “Olha mamãe como são lindas suas cores, como são belos quando estão todos apinhados em uma rama... Suas cores: vermelho vivo, preto e pequenos pontos amarelos, são as combinações de cores mais lindas que já vi”. Sua mãe, que detestava a lagarta, sempre brigava com a filha para que parasse com aquilo. Aquelas pragas, dizia a mãe, deveriam ser exterminadas e que nada tinham de belas:

Amorpha juglandis “Eles acabam com a plantação e não param de comer, comem tudo que encontram e destroem plantações inteiras em poucos dias. Sem contar que são nojentas e nada tem de belas minha filha”. Eis que disse Cidinha, ainda encantada com suas lagartas preferidas: “Quando eu morrer, desejo muito que eu seja enterrada com um vestido da cor do Mandarová, ficarei linda com um belo vestido preto e encarnado”. A mãe horrorizada com o pedido mórbido de sua filha benzeu-se e retornou a fazer suas tarefas na roça. Passado um tempo a bela Cidinha foi ficando amuada e em pouco tempo caiu de cama. Seus pais, pessoas simples, pouco tinham a fazer. Eles tentaram a todo custo fazer com que a filha voltasse a sorrir. Cidinha sofria de febre e também tinha muitas dores no corpo e oscilava entre períodos de lucidez e delírios. Fizeram garrafadas e ungüentos para que a pobre menina melhorasse e até uma benzedeira foi chamada. Mas infelizmente o sofrimento da bela Cidinha chegou ao fim. Ela morreu logo após a “Somana” Santa. Eis que a tristeza abateu todos, muitos ficaram abalados com a morte prematura e tão inusitada da pobre e bela Cidinha. Antigamente, quando uma pessoa morria no vilarejo era velada em casa, as pessoas fizeram um breve cortejo da igre-

ja até a casa de Cidinha e ela fora velada na sala da simples casa de taipa. Amigos e familiares ficaram na sala velando pela jovem, e o papo e cachaça se seguia madrugada adentro. Após a meia noite, os que estavam na sala velando o corpo da jovem ouviram um estranho ruído que parecia estar vindo do pequeno casebre. Um “crack”... “crack” baixinho era ouvido, não se sabia ao certo de onde vinha o ruído, estranho ainda, ele vinha aumentando de maneira sinistra. Era noite de lua cheia e sua claridade passava por entre as árvores dando leve visão da mata. Dois matutos, dos mais valentes que os demais, pegaram o candeeiro e saíram para ver o que era, já que todos estavam assustados. Ao saírem não conseguiram sequer passar pela frente da casa, pois uma correição tingida de preto e vermelho vinha em direção da porta. Centenas, milhares de lagartas Mandarovás marchavam, seguindo rumo a casa. Algumas pessoas tentaram sem sucesso parar a marcha dos animais com vassouras ou até com querosene, nada deu resultado. O destino era certo até o caixão onde jazia o corpo de Cidinha. Aos olhos assustados de todos a tropa de Mandarovás foi subindo e cobrindo todo o corpo de Cidinha, uma cena bizarra e incrível. Após alguns instantes, todo seu corpo estava coberto de preto e escarlate. Eis que seu desejo mórbido e estranho havia se cumprido. Estava vestida das cores do Mandarová. Relato a história como me fora contada, nas rodas de contos de minha infância e posso dizer que “é tudo verdade! como está luz que me alumeia.”


Março 2016

Página 15

Jornal MARANDUBA News

Para você, mulher...

Coluna da Adelina Fernandes

Por que 8 de março é o Dia Internacional da Mulher? As histórias que remetem à criação do Dia Internacional da Mulher alimentam o imaginário de que a data teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram carbonizadas. Sem dúvida, o incidente ocorrido em 25 de março daquele ano marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20, mas os eventos que levaram à criação da data são bem anteriores a este acontecimento. Desde o final do século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período. O primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908 nos Estados Unidos,

quando cerca de 1500 mulheres aderiram a uma manifestação em prol da igualdade econômica e política no país. No ano seguinte, o Partido Socialista dos EUA oficializou a data como sendo 28 de fevereiro, com um protesto que reuniu mais de 3 mil pessoas no centro de Nova York e culminou, em novembro de 1909, em uma longa greve têxtil que fechou quase 500 fábricas americanas. Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, uma resolução para a criação de uma data anual para a celebração dos direitos da mulher foi aprovada por mais de cem representantes de 17 países. O objetivo era honrar as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o sufrágio universal em diversas nações. Com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) eclodiram ainda mais protestos em todo o mundo. Mas foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então), quando aproximadamente 90

mil operárias manifestaram-se contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra - em um protesto conhecido como “Pão e Paz” - que a data consagrou-se, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921. Somente mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo, em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o “8 de março” foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas. “O 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países”, explica a profes-

sora Maria Célia Orlato Selem, mestre em Estudos Feministas pela Universidade de Brasília e doutoranda em História Cultural pela Universidade de Campinas (Unicamp). No Brasil, as movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A luta feminina ganhou força com o movimento das sufragistas, nas décadas de 1920 e 30, que conseguiram o direito ao voto em 1932, na Constituição promulgada por Getúlio Vargas. A partir dos anos 1970 emergiram no país organizações que passaram a incluir na pauta das discussões a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher. Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.

Bem aventurada a mulher que cuida do próprio perfil interior e exterior, porque a harmonia da pessoa faz mais bela a convivência humana. Bem aventurada a mulher que, ao lado do homem, exercita a própria insubstituível responsabilidade na família, na sociedade, na história e no universo inteiro. Bem aventurada a mulher chamada a transmitir e a guardar a vida de maneira humilde e grande. Bem aventurada quando nela e ao redor dela acolhe faz crescer e protege a vida. Bem aventurada a mulher que põe a inteligência, a sensibilidade e a cultura a serviço dela, onde ela venha a ser diminuída ou deturpada. Bem aventurada a mulher que se empenha em promover um mundo mais justo e mais humano. Bem aventurada a mulher que, em seu caminho, encontra Cristo: escuta-O, acolhe-O, segue-O, como tantas mulheres do evangelho, e se deixa iluminar por Ele na opção de vida. Bem aventurada a mulher que, dia após dia, com pequenos gestos, com palavras e atenções que nascem do coração, traça sendas de esperança para a humanidade.

Feliz Uma homenagem do Jornal Maranduba News à todas as mulheres!



Jornal Maranduba News #82