Issuu on Google+

Maranduba, Novembro 2015

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 6 - Edição 78 Foto: Ezequiel dos Santos

Outubro com praia lotada mesmo com chuvas e recessão


Página 2

Novembro 2015

Jornal MARANDUBA News

Evento Preparatório para Cop 21: “Clima, Água e Paz sem Fronteiras” Pedro dos Santos Raymundo

No último dia 27, no auditório da Procuradoria Regional da Republica da 3ª Região, na capital paulista, pesquisadores de diversas áreas e disciplinas, com o compromisso de gerar uma carta para ser apresentada na COP 21, se reuniram na Conferência do Clima da ONU, que acontece entre 30 de novembro e 11 de dezembro em Paris. Foram abordados diferentes temas como, na apresentação do Ministro de Relações Exterioresdo Brasil, Mauro Vieira, que demostrou a preocupação diante da vulnerabilidade do Brasil frente às mudanças climáticas, também foi abordado no evento pelo Professor e jurista Paulo Affonso Leme Machado o tema: Encíclica “Laudato Si” e uma nova concepção do direito ambiental. Uns dos momentos emocionantes do evento foi o depoimento de Cama TuiomaEmbaixador de FIJI, que em palavras simples e muito emocionado descreveu como vive seu povo, sob os efeitos das mudanças climáticas, já que as regiões costeiras já sofrem os efeitos do avanço dos oceanos por conta do degelo nas regiões polares. Segundo Dra. Sandra Akemi, Procuradora Regional da Republica-3ª Região gerente

Editado por: Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3832.6688 (12) 99714.5678 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Editor Chefe: Emilio Campi Jornalista Responsável: Ezequiel dos Santos - MTB 76477/SP Colaborador: Pedro dos Santos Raymundo - MTB 0063810/SP Consultor Jurídico - Dr. Robson Ennes Virgílio - OAB/SP 169.801 Consultor Ambiental - Fernando Novais - Engº Florestal CREA/SP 5062880961 Colaboradora: Adelina Fernandes Rodrigues Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo

Professor Pedro Raymundo com a Procuradora da Republica Sanda Akem

do projeto qualidade da água do Ministério Publico Federal, esta muito empenhada em fomentar eventos como o de hoje. “Temos que ver o meio ambiente ou seja o planeta como nossa casa”, resumiu Sandra! O Papa Francisco inicia a Carta Encíclica “Laudato Si” convidando toda a família humana a buscar um desenvolvimento sustentável e integral e a colaborar na construção da nossa casa comum. Fiji é um país e arquipélago ao sul do Oceano Pacífico. Possui cerca de 300 ilhas e

540 ilhotas e atóis de origem vulcânica, espalhados numa área de 3 milhões km². Apenas cerca de 110 ilhas são habitadas pelos 944 mil residentes. A capital é Suva, na Ilha de VitiLevu. A 21ª Conferência do Clima (COP 21) será realizada no final deste ano de 2015, em Paris, e terá como principal objetivo costurar um novo acordo entre os países para diminuir a emissão de gases de efeito estufa, diminuindo o aquecimento global e em consequência limitar o aumento da temperatura global em 2ºC até 2100.


Novembro 2015

Página 3

Jornal MARANDUBA News

Ilha de Ubatuba vai a leilão com lance mínimo de R$ 25 milhões Com praia exclusiva, casa de 1,1 mil m2, mobiliada, fonte de água, proposta não recebeu nenhum lance nas primeiras semanas Com a crise anunciada, o litoral norte/SP transformou-se em um grande cabide de anúncios de vendas. Desde um “puxadinho” entre duas casas até mansões e áreas de luxo. Uma delas esta a venda em um leilão on line. Os anúncios andam causando especulações e cobiças entre interessados e curiosos. Trata-se da venda, ou concessão, de uma ilha paradisíaca inserida no Parque Estadual da Serra do Mar, região norte de Ubatuba. O local e uma velha conhecida dos usuários da rodovia que corta o município, dos pescadores e usuários do turismo náutico. O anuncio diz que o valor mínimo pedido – R$ 25 milhões - está 62% abaixo do valor de avaliação (R$ 65 milhões) e a aquisição será em lance único. A negociação e os valores passam longe da crise atual do país e a expectativa dos interessados só aumenta. Local No site da internet que anuncia o leilão, o bem é descrito como Lote 1 (Ilha no Estado de São Paulo), sendo a negociação de maior lance ou oferta, para alienação dos direitos de ocupação sobre imóvel de marinha e de imóveis de propriedade plenal, contendo casa sede de alto padrão com 9 suítes e demais dependências, piscina com área gourmet completa, 03 casas de funcionários, fonte de água potável, gerador de energia, heliponto e píer para embarcações, com área total construída de 757m², na ilha do Almada, também denominada ILHA DOS PORCOS PEQUENA, localizada no arquipélago da Picinguaba, com área total de 188.000,00 m²,

distante 800m do continente e 2.300m da orla da Praia do Engenho. O edital informa que os lances terão de serem realizados de forma on line e o encerramento será no dia 30/11/15 a partir das 13 h. Espaço A mansão, que é parte da ilha, possui 1,1 mil metros quadrados, toda mobiliada, com nove suítes, ampla sala com seis ambientes, mirante, piscina e diversas faixas de areia que servem como praias particulares. A cozinha já está montada com fogão, geladeira, mesas e micro-ondas. Vale lembrar que mesmo que seja pago o valor proposto, que arrematar não será necessariamente o “dono” da ilha, terá apenas o direito de usar a área, por meio de cessão onerosa. Os gastos com impostos chegam a R$ 80 mil por ano. Em caso de inadimplência ou em caso de guerra a ilha poderá retornar a União. Ilha das Cabras Caso semelhante ocorre na Ilha das Cabras, em Ilhabela, também no litoral norte de São Pau, em Ilhabela, encontra-se na mesma situação, atualmente ocupada pelo ex-senador Gilberto Miranda, afastado da política desde 2005. No local também há uma mansão de frente para o Canal de São Sebastião e uma pista de pouso de helicóptero. TCC Um grupo de alunos do Centro Paulo Souza, Campus Ubatuba, realizou este ano um Trabalho de Conclusão de Curso na área de transações imobiliárias que trata de estratégias de vendas e analise de documentos para negociação de ilhas. As escolhidas foram

às ilhas de Ubatuba. A equipe é composta pelos formandos Flávia Arrieiro Lidney Rolim dos Santos, Margaret das Chagas, Maria Fernanda de Oliveira e Jaqueline da Silva Martins- moradora do Sertão da Quina. O trabalho deixou claro o compromisso da equipe com o conhecimento “de como podemos levantar documentos e

legalizar a venda de ilhas, assunto que interessa a futuros corretores, mostrar técnicas, estratégias, processos de vendas e a legislação que compete aos profissionais de vendas executar a transação do produto-ilha”, comenta o grupo. A pesquisa foi bem detalhada com abordagem e um organograma de amostras bibliográficas e documentais diferencia-

dos quanto aos detalhes sobre o objeto proposto. O trabalho surpreendeu os professores. Na região sul oficialmente a Ilha da Maranduba – Tamerão também se encontra a venda. As apostas estão na mesa, quem se habilita? Fonte: O Estado de S. Paulohttp://www.zukerman.com. br/ - Vanguarda - Etec Ubatuba TCC Ilhas de Ubatuba.


Página 4

Jornal MARANDUBA News

Novembro 2015

Outubro com praia lotada mesmo com chuvas e recessão Ao contrario que anuncia os noticiários sobre a crise e as possibilidades de chuvas no litoral, neste mês de outubro a praia da Maranduba recebeu um grande números de visitantes, principalmente no feriado do dia 12. A lotação poderá servir de indicativo do que acontecerá nesta temporada. A reclamação ficou por conta do pouco gasto dos visitantes no comercio local. Vista de cima sobrou pouco espaço das areias para se ver. As filas de veículos para vir a praia e retornar também foram grandes e agitadas. O que se espera desta temporada é uma versão estendida e de luxo do que se viu em outubro, basta planejar e realizar o investimento certo. O que nunca entra em crise é a quantidade de lixos gerados pelo movimento, a sujeira nas ruas jogadas por pessoas, canos descarregando material poluidor nos rios - que levam ao mar, desperdício de água limpa e de reuso, poluição sonora e alguns descasos comuns. Com a praia cheia é saber o que sobrará depois do expediente, só sujeira ou algo a ser aproveitado para nossa sociedade sem desperdício? Será que a pergunta ao invés de ser “será que gastarão?” seria “estamos preparados para outra temporada?” Pergunte-se.

Festa na creche

A creche Nativa Fernandes de Faria, Sertão da Quina, realizou no último dia 10 uma festa antecipando as comemorações do dia das crianças. Foram vários brinquedos, comes e bebes a disposição dos participantes e visitantes. Não faltou alegria. As crianças realizaram apresentações, cantos e recitaram temas que alegraram os adultos. Como a grande maioria era de pais de alunos não faltou elogio dos “corujas”. Ao final o tão esperado sorteio.


Novembro 2015

Jornal MARANDUBA News

Página 5

Inpe investiga formação de cratera aberta por meteoro em Ubatuba Cratera mede cerca de 1,3 quilômetro e 300 metros de profundidade. Bordas do buraco gigante tem 5,3 milhões de anos.

G1 Vale do Paraíba e Região (*)

Uma cratera, possivelmente aberta por um meteoro, é investigada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) há cerca de um ano. A cratera tem formato quadrado, cerca de 1,3 quilômetro em cada lado e 300 metros de profundidade. O buraco gigante fica na Serra do Mar, em Ubatuba (SP), e o que intriga os pesquisadores e é alvo do estudo é a idade da formação. Isso porque as bordas da cratera existem há cerca de 5,3 milhões de anos - idade da formação da serra - mas o interior dela tem sedimentos que remontam entre 30 mil e 40 mil anos atrás. Para avaliar o espaço, os geólogos estão juntando imagens de satélites, em alta e média resolução. “O que foi possível de ser observado é que a estrutura é totalmente diferente com relação à geomorfologia da região da Serra do Mar”, disse Paulo Roberto Martini, geólogo e pesquisador do Inpe. Ele disse que fez uma visita de campo na cratera. “Fizemos uma visita ao campo buscando acesso por terra, mas o local estava muito encharcado e não conseguimos entrar nos limites das estruturas”, explicou. Segundo Paulo, como a cratera está em uma reserva estadual, também não é possível entrar na área sem licença. “Pretendemos, então, abordar a cratera via Rio Poruba, que margeia o sítio e talvez podemos encontrar algum córrego que adentre o local. Nossa tentativa será encontrar amostras com deformações ou mineralogias típicas de impacto nos aluviões [areia, cascalho e/ our lama] das margens e mes-

mo do fundo do Rio”, explicou. Segundo Martini, outros pesquisadores mapearam a área da formação e não conseguiram identificar uma origem tectônica da formação geológica, o que aumenta a chance de se comprovar o impacto de um asteroide. “O impacto aconteceu depois que a morfologia da Serra do Mar foi estabelecida há cerca de 5,3 milhões de anos. A cratera tem 300 metros de profundidade, considerando-se uma boa aproximação de deposição de 1 metro de sedimentos a cada 100 anos ,chegariamos à idade 30 mil ou 40 mil anos atrás. Sabe-se que a cratera do Arizona (EUA), com formato muito semelhante a de Ubatumirim foi datada com 50 mil anos”, disse. A cratera está recheada de sedimentos originados das montanhas ao redor, mas também pode existir sedimentos marinhos.”Se for este o caso, o impacto aconteceu depois do último grande levantamento do nível do mar que ocorreu há 7 mil anos. São hipóteses que estão sendo estudadas”, completou. Investigação Os geólogos ainda estão analisando as imagens e estudando os tipos de abordagem adequados ao local para posteriormente começar uma expedição no local. “Uma boa ideia seria percorrer a estrutura com um avião pequeno de asa alta e tomar imagens aéreas de baixa altitude. Alguns perfis do local tomados com filmadoras e máquinas digitais dariam bons produtos para se trabalhar”. Ainda não há previsão para que as expedições sejam feitas. (*) Colaborou Camilla Motta

Imagem de satélite mostra que cratera tem formato quadrado e está localizada na serra do mar em Ubatuba (Foto: Divulgação/Inpe)

Cratera tem formato quadrado e cerca de 1,3 quilômetro em cada lado e 300 metros de profundidade. (Foto: Divulgação/Inpe)


Página 6

Novembro 2015

Jornal MARANDUBA News

Prefeitura realiza primeiro casamento comunitário em Ubatuba

Mais de 100 casais oficializaram sua união gratuitamente em uma solenidade que reuniu milhares de pessoas no Centro de Convenções COMUNICAÇÃO PMU O Casar em Ubatuba, primeiro casamento comunitário da história da cidade, oficializou na última quinta-feira (29) a união de mais de 100 casais no Centro de Convenções. Organizado pela Prefeitura, com apoio da Comtur, da FundArt, do Supermercado Paulista e da Associação Comercial e Industrial de Ubatuba, o evento reuniu quase duas mil pessoas e terminou em uma grande confraternização entre famílias e convidados. Voltado à população de baixa renda, o casamento comunitário foi completamente gratuito e exclusivo para casais residentes no município. A equipe da FundArt deu suporte de produção, colaboradores trabalharam de forma voluntária e os apoiadores doaram os itens da festa: salgados, refrigerantes e etc. Morador da Estufa II, Sr. Argemiro de Oliveira mora junto com Dna. Benedita há mais de 30 anos. Eles têm sete filhos e dois deles também participaram do casamento comunitário. A família era só alegria. “Estou muito emocionada. Eu, meu pai e meu irmão casando ao mesmo tempo é muito legal. Agradeço ao prefeito por essa oportunidade. A união civil fortalece o vínculo que Deus já havia criado”, disse Silvana Coutinho Oliveira. “Não tenho palavras para descrever o que sinto neste momento. É a realização de um grande sonho”, completou sr. Argemiro. Sr. Antonio Tarcisio Redondo Neto tem 65 anos. Sua esposa, dna. Maria Marti-

no, 66 anos. Eles moram no Perequê-Mirim. Ela há muito tempo. Ele chegou há dez anos. Veio viver ao lado do amor da sua vida. Com um sorriso no rosto, os dois bateram um papo com a equipe de comunicação da Prefeitura. “Estamos juntos há cerca de dez anos. Queríamos oficializar essa união há um tempo já”, contou Maria. “Quando soubemos do casamento comunitário, não perdemos tempo e fizemos a inscrição”, completou Antonio. Quem também casou foi Valter André, famoso Repórter do Povo, celebridade das redes sociais na cidade. Ao lado de sua esposa, Bernadete Maria, ele estava nitidamente emocionado. “É uma

sensação indescritível, um momento único, muito especial mesmo”, comentou Valter. Na varanda do Centro de Convenções, minutos antes da solenidade começar, um ansioso Edson Silva avaliava a chegada dos convidados enquanto sua noiva fazia os últimos preparativos. “Quanta gente, hem?”, analisou. “Também, não está fácil para casar. Custa caro e é um dinheiro que não teria para gastar”, confessou. O prefeito Mauricio abriu a solenidade. “Esse é um dos momentos mais humanos da nossa gestão. Estou muito feliz e emocionado em ver o sorriso no rosto de cada um dos noivos, de cada um dos convidados. Espero que esse vínculo fortaleça a união e os

valores da família entre a população de Ubatuba”, discursou o prefeito. *A equipe da Prefeitura de Ubatuba agradece todos os apoiadores do Casar em Ubatuba: Supermercado Paulista, Com Carinho Pre-

Parece que está faltando alguma coisa nessa página... E está! Falta o seu anúncio. Anuncie: (12) 3832.6688 - (12) 99714.5678

sentes, Top Mix, Cine Porto, Hotel São Charbel, Cacau Show, Sweet Angels, Liquido, Manga Spirit, Alitza Store, Os pasteleitos, Lua Nova, Virou Moda, Lua Nua, ACIU, Fundart, Comtur, Fundo Social de Solidariedade e Inatep.


Novembro 2015

Página 7

Jornal MARANDUBA News

Agricultura familiar agora com banca na região CooperFamília trabalha economia solidaria com preços acessíveis e produtos de primeira linha de produtores familiares No último mês de outubro integrantes da CooperFamília cooperativa de produtores na agricultura familiar – puseram em pratica anos de trabalho duro e investimentos na agricultura familiar. Em todo o município já é possível ver bancas que oferecem o fruto de seus esforços, também conhecido como agricultura familiar, são produtos de primeira linha que compõem um cardápio de alimentação saudável as mesas dos moradores litorâneos e visitantes. São produtores que também fornecem pra merenda escolar aos filhos de milhares de pessoas nas escolas municipais do litoral norte. Na Maranduba a banca estará próximo ao posto de combustível e funcionará a partir do próximo novembro das 7 as 20 da noite. O responsável pelo empreendimento solidário é o produtor Xerses Lopes Lima que anuncia o horário diferenciado até as festividades do dia das mães, em maio. Possibilidades A agricultura familiar oferece ainda a possibilidade de roteiros de Turismo Rural e artesanatos da região, fruto de uma parceria entre o sindicato da categoria - STTR, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural-Senar, a prefeitura e a federação dos agricultores na agricultura familiar - Fetaesp e moradores interessados em usar conscientemente o espaço regional. Aos poucos a banca oferecerá não só os produtos de melhor qualidade, mas também itens que relembram e remetem seus usuários aos fundamentos gastronômicos e culturais da formação do processo civiliza-

tório dos primeiros povos da região, como ovos de galinha caipira, mel oriundo da florada do Cambará branco, cará e maracujá roxo, por exemplo. O processo visa enaltecer e valorizar a mão de obra local e regional que alimenta o país, também reorganizar o uso e a ocupação do solo com produções locais e especificas desta parte do país, além de fornecer produtos saudáveis sem atravessadores. “Aumentou em 40% a procura por interessados que possuem pequenas propriedades a participarem do processo e a retomar áreas a uma utilização

nobre”, dizem os organizadores da cooperativa. Muitos trabalham em regime de “meieiro” ou parcerias diretas para atender esta crescente demanda a fim de eliminar atravessadores. Alguns produtos só por encomenda, como galinha caipira e frutas especificas. Cidade pelo campo e o dobro de renda “Brasileiros conseguem dobrar a renda ao trocar a cidade pelo campo”, esta foi a noticia do Jornal Nacional – Globo, no último dia 26 – segunda feira - que tratou da migração das pessoas da cidade para o campo na busca de uma melhor

qualidade de vida, trabalhar a defesa do meio ambiente, dobrar a renda familiar e consumir alimentos saudáveis. “Enquanto os números da economia brasileira vão acumulando notícias ruins, também existem histórias de gente ganhando dinheiro por ter mudado de vida. Gente que trocou a cidade pela roça.”, diz o repórter. O exemplo foi com pequenos e médios produtores que deram a volta na crise e hoje não só restabeleceram sua renda num teto melhor como alteraram, para melhor é claro, toda rotina de vida. Ubatuba tem

um grande potencial e as áreas não precisam ser grandes para produzir, diz Tadeu Astolfi do STTR, para ele “o maior exemplo vem dos japoneses que plantam até em vasos e tem uma colheita de qualidade, basta ter força de vontade e perseverar porque não é fácil, mas é gratificante fazer o que gosta e ser dono do próprio nariz”, finaliza. O STTR esta a disposição em horário comercial através do e-mail: tadeudosindicato@ gmail.com e pelo fone (12) 99727.3793. Você também pode mudar de vida. Seja cooperado.


Página 8

Jornal MARANDUBA News

Novembro 2015

Noite da pizza em prol dos animais/APASU Há tempos atrás foi publicado nosso pedido de socorro, porém não obtivemos sucesso. Para não fecharmos nossas portas, o jeito é contarmos com algum evento, onde poderemos levantar valores e assim continuarmos nossa missão: CASTRAÇÃO É A SOLUÇÃO. FAÇA A SUA PARTE - SEJA VOLUNTÁRIO, NÃO É SOMENTE DE $$$ E SIM MÃO DE OBRA (feira de adoção, levar cães para passear, limpeza das baias do canil, venda de convites, ação social!!!). Contamos com a ajuda de todos.


Novembro 2015

Jornal MARANDUBA News

Página 9

Associação Protetora dos Animais da Região Sul de Ubatuba


Página 10

Novembro 2015

Jornal MARANDUBA News

AÇÃO SOCIAL APASU ASSOCIAÇÃO PROTETORA DOS ANIMAIS DA REGIÃO SUL DE UBATUBA DIA 05/12/2015 – 19HS

LOCAL: Nova Sede Adega D’Menor R.Roberto Antonio Prado, 2.260 (ao lado da ponte/Com.Blessa) SERTÃO QUINA

1º PREMIO: R$ 500,00 2º PRÊMIO: 1 Bicicleta 26 marchas aro alumínio 3º PRÊMIO: R$ 300,00 4º PRÊMIO: 1 micro-ondas 5° PRÊMIO: R$ 200,00 Cartela: R$ 10,00 ADQUIRA CARTELAS E AGENDE UMA CASTRAÇÃO Gato ou gata = 5 cartelas Cachorro, fêmea ou macho ate 15 kilos = 07 cartelas Cachorro, fêmea ou macho acima de 15 kilos = a combinar PARTICIPE E COLABORE “SEM PARTICIPAÇÃO NÃO CABE RECLAMAÇÃO”

Desde 2004 já foram realizadas 4.408 castrações. Até 15/10/15 - 408 castrações neste ano, sempre sem a ajuda de qualquer poder público. Estamos aceitando prendas, alimentos não perecíveis, assim como brindes, edredrons, cama, mesa, banho eletrodomésticos, cesta básica, etc...


Novembro 2015

Página 11

Jornal MARANDUBA News

À espera dos aviões

Entenda como o governo quer multiplicar por sete o número de passageiros que utilizam os aeroportos regionais ISTO É/DINHEIRO Os 120 mil habitantes de Uruguaiana, no extremo oeste do Rio Grande do Sul, receberam, na terça-feira 27, a notícia mais aguardada dos últimos sete anos. O aeroporto do município, que faz fronteira com o Uruguai e a Argentina, voltou a receber voos comerciais. Para quem faz negócios na região, a 650 quilômetros da capital Porto Alegre, o transporte aéreo de uma hora e meia é uma excelente alternativa à cansativa viagem de oito horas de ônibus. Com um orçamento de R$ 110 mil, custeado parte pela prefeitura e parte pela Associação Comercial da cidade, o projeto levou um ano e meio para ser concluído e incluiu ajustes nas pistas e nos terminais. Por enquanto, apenas a Azul Linhas Aéreas opera no local, com dois voos diários. Porém, segundo a Prefeitura, a meta é atrair outras companhias para a região, já que o aeroporto pode ser um hub para destinos internacionais, como Buenos Aires e Montevidéu. O terminal de Uruguaiana faz parte da lista de 270 aeroportos que a Secretaria de Aviação Civil (SAC) incluiu no programa de aviação regional, iniciado em 2012 e orçado em R$ 11 bilhões. Atualmente, apenas 80 estão aptos para operar, sendo que alguns ainda se encontram em situação precária. Se a SAC cumprir a meta de liberar todos os estudos até 2016, o movimento nos aeroportos poderá subir de 16,5 milhões para 113 milhões em 20 anos.

O programa, no entanto, divide opiniões. Para o diretor executivo da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), Ricardo Nogueira, o projeto é ousado e extremamente relevante para o setor aéreo brasileiro. “Não consigo enxergar desvantagens, é uma baita oportunidade”, diz Nogueira. Já segundo o coordenador do Grupo de Trabalho Transporte Aéreo e professor da UFRJ, Respício Antônio do Espírito Santo, o plano falha ao contemplar apenas melhorias na infraestrutura. “O programa deveria incentivar a criação de novas empresas regionais e estudar a real demanda dos locais”, afirma o especialista. Única companhia a atuar em alguns pequenos aeroportos como o de Marília, interior de São Paulo, a Azul se mostra otimista com o programa. Além de Uruguaiana, a companhia passou a operar neste ano em cidades como Feira de Santana (BA), Divinópolis (MG) e Teixeira de Freitas (MG). O presidente da empresa, Antonoaldo Neves, destaca que o desenvolvimento da aviação regional é fundamental não apenas para o crescimento do setor, mas do próprio País, por facilitar o acesso a cidades interioranas e trazer mais oportunidades de negócios. Porém, o executivo alerta que sua expansão depende, também, da regulamentação da lei de incentivo que reduz a alíquota de ICMS para o combustível utilizado na aviação. “O preço do querosene fora da capital fica três

Investimento: Programa de aviação regional viabilizará a operação de 270 aeroportos. Entre eles, o de Ubatuba (foto), no litoral de São Paulo vezes maior”, diz Neves. “Isso encarece e tira atratividade de algumas regiões, já que 35% dos nossos custos vem desse insumo.” Atualmente, a Azul tem 55% de sua malha voltada para voos regionais. Conforme a SAC concede o aval para concessão, Estados e municípios se prepararam para publicar os editais, como no caso dos aeroportos dos Amarais, em Campinas, de Ubatuba e de Jundiaí, controlados pelo Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp). De acordo com o secretário de Logística e Transportes do Estado de São Paulo, Duarte Nogueira, as

concessões possibilitarão a ampliação do transporte aéreo paulista. “Será uma boa alternativa para nós, pois os recursos que virão das concessões serão destinados para investimento em outros aeroportos”, diz Nogueira. “Isso melhorará o ambiente de operação.” Dentre as melhorias previstas, estão a ampliação das pistas para comportar aeronaves de médio porte, a adoção de sistemas de combate a incêndios e a adequação dos terminais à legislação ambiental. Assim como a Daesp, o governo de Minas Gerais aderiu ao modelo de parceria com empresas privadas e, no ano

passado, assinou o acordo de concessão do Aeroporto Zona da Mata. Já em operação, o terminal passou a contar com voos não apenas da Azul, mas, também, da Gol Linhas Aéreas. Para o diretor de relações institucionais da companhia, Alberto Farjman, a intenção da Gol é estar cada vez mais presente nas ligações das cidades interioranas com as capitais. Atualmente, a empresa tem 30% dos seus destinos na chamada aviação regional. “Estamos prontos para começar a voar em 13 novos aeroportos”, afirma Farjman. “Isso, é claro, se pequenos ajustes de infraestrutura forem realizados.”


Página 12

Jornal MARANDUBA News

Novembro 2015

“Chacina na Ilha Anchieta - Tiroteio na invasão e retomada da Ilha” Parte 19

Jornais da época enviaram seus melhores repórteres para descrever a maior rebelião do planeta que aconteceu em nossa região, sobreviventes ajudam a contar a história.

Ezequiel dos Santos “Revista Ultima Hora – Edição Extra nº 90, Rio de Janeiro, quarta-feira, 2 de julho de 1952, na pagina 2, o destaca são as primeiras declarações de Pereira Lima, que na edição anterior descrevemos sua captura e entrega a Penitenciaria do Estado. “ Desde a fuga até agora não atirei em ninguém”, diz Pereira Lima como destaque do jornal. Nas demais linhas sem disparar um único tiro ele havia se entregado é o destaque. Num outro box do jornal é descrito a exclusividade do repórter a ser o primeiro a falar com o mentor da fuga “Não maltratamos nem matamos, queríamos apenas fugir”, complementa o capturado. Os demais destaques são: Outro ficou com o dinheiro do presídio – O único abandonado era o “Gaguinho” – Havia banquetes políticos na ilha enquanto os presos passavam fome – Imperturbável serenidade antes e depois da captura. As cenas se passam na cidade de Cunha – Vale do Paraíba e divisa com Ubatuba na região norte de Ubatuba. Lá o repórter Norberto Esteves esteve cara a cara com o mais temido e inteligente personagem da maior rebelião conhecida na época. O repórter conseguiu o que muitos buscavam – ouvir Pereira Lima. Este declarou ao repórter que - “apesar de conseguir a liberdade, sinto-me confortável por me encontrar ainda com vida depois desta aventura. Assim por favor avisem minha família”. O repórter ainda descreve o capturado como um homem ainda forte e robusto e quem

em seu corpo não existe uma marca de “arranhadura”. O descreve ainda como um indivíduo gentil, risonho, quase satisfeito e que atende a todos – autoridades e repórteres - que o rodeiam, quase uma celebridade do crime. O que espanta é o nível de sinceridade, franqueza e educação de Pereira Lima, co mo se nada de anormal tivesse acontecido. Confessa que estava na região há quatro dias e que sentia a inutilidade da resistência. “ Vi quando os soldados se aproximaram e sabendo-me cercado por todos os lados achei que era tolice resistir”, declara ao repórter e as autoridades. Na entrevista ele insiste em declarar que se houve crueldade não foram as dos presos – “Os que fugiram da ilha comigo não mataram ninguém, se mortes houve ou crueldade, a culpa não me cabe ou a qualquer dos que me acompanharam. Uma prova de que não nos animava qualquer violência esta em garantirmos a vida do diretor, quando esteve em nossas mãos”, declara o chefe dos rebeldes perfeitamente calmo e seguro de si. Sobre a morte do soldado Hilário Rosa, Pereira Lima nega que houve assassinato. “ Na hora da luta, os soldados entrincheiram-se na casa do diretor. Houve tiroteio e eu garanti a vida do Capitão Sady, não esperava a morte de ninguém nesta revolta”, diz. Ainda acrescentou que “ pela nossa superioridade numérica e de armas esperava que todos se rendessem pacificamente”, fala o presidiário medindo as palavras. Disse ainda que não se pode responsabili-

zá-lo pelo que houve na ilha, a não ser os que ficaram na ilha e que acabaram fazendo tolices, reitera ao repórter que o objetivo era só fugir, ganhar a liberdade. Nega ainda participação da retirada do dinheiro dos cofres o presídio – “Eu pessoalmente não tirei nada. O único do nosso grupo que dispunha de dinheiro era o Gaguinho”, diz ao repórter. Os que o rodeavam ficavam impressionados com a calma de Pereira Lima, ele escolhe muito bem o que vai dizer, fala com correção, como se fosse um relatório sem importância. Do trucidamento do chefe de disciplina diz que na hora da confusão não chegou a ver o “Portugal”. Disse ainda que não houve planos de revolta, que tudo havia acontecido de improviso, de um momento para o outro. Comenta que sua fuga até Cunha havia sido “maios ou menos” fácil, que havia subido pelo picadão do telegrafo quando não havia tropas, de lá via a coisa “preta”, as coisas acontecendo. Na próxima edição o desenrolar da conversa e a carta da familia.


Novembro 2015

Jornal MARANDUBA News

Doação de sangue em Ubatuba dia 11/11 Informo a todos que em parceria com o Hemonúcleo Taubaté Unicamp e o Rotary Club Ubatuba, realizaremos no dia 11 de novembro, a partir das 09:30h, no Campus UNITAU UBATUBA, a campanha de doação de sangue 2015. Contamos com vossa preciosa ajuda na divulgação, pois precisaremos atingir a meta de 60 doações neste dia, para

colaborarmos com a manutenção dos estoques de sangue, que se encontram em situação crítica em todo o país. Aproveito o ensejo para lembrar que o mês de novembro é o mês do doador de sangue, e dia 25 de novembro é o dia mundial do doador de sangue. Anexo a este, o cartaz da nossa campanha. Agradeço imensamente a ajuda de todos!

Guia da Maranduba e Região Sul de Ubatuba 2016

Reserve seu espaço! - Praias - Cachoeiras - Trilhas - Passeios - Hospedagem - Alimentação - Compras - Mapas - e muito mais...

Informações: (12) 3832.6688 (12) 99714.5678

Página 13


Página 14

A pesca de linha sem anzol de Fidencio

Também conhecido como “tecnologia da escassez”, os moradores antigos, formadores deste povo, sabia muito bem o que era algo sustentável, quer dizer, respeitar um ciclo pra sempre e sempre ter. Num bate papo com o caiçara Benedito “Ferreira”, 66, nos conta que se recorda de um tipo de pesca que só o Fidencio sabia fazer com grande maestria. Fidencio, ainda vivo, já com mais de um século de vida merece todo nosso respeito e admiração, não só pela idade, mas por seu etnoconhecimento e vivencia e por ser uma das últimas bibliotecas ambulantes vivas de nossa região, município, talvez estado e sabe lá da nação. Mas este personagem tem um lado cômico das proezas que viveu ou que criou. Uma delas é de um tipo de pesca, da qual se recorda Ferreira. A palavra caiçara vem de um tipo de armadilha de pesca criada pelos primeiros moradores daqui – a nação Tupi.

Novembro 2015

Jornal MARANDUBA News

Fidencio não passava apertado, bom “caçado”, homem “trabalhado”, valente, desembaraçado, que por vezes criava suas próprias formas e jeitos para resolver as coisas. Uma delas foi a brilhante idéia de pescar sem anzol, até porque isto ainda não existia por aqui. Pensou ele – Fidencio - se as pessoas podiam domesticar “as criação” – galinhas, porcos, cães e até lagartos, porque não algo que vive debaixo d’água. Então desceu o riozinho abaixo de sua casa e começou a pensar até que, num estalo de idéias, viu que tinha a sua frente um ser aquático com a ferramenta perfeita pra apanhar peixes, se este “ser” crescer então poderia pescar os grandes peixes que subiam o rio Maranduba. Então Fidencio pensou em como controlar o bicho debaixo d’água. Pensou! pensou! pensou! logo descobriu como. Na época de tainha e robalos - peixe em maior abundancia

e apreciação na época – ao subir o rio, ou na sua tentativa caiam na armadilha de Fidencio. Muita gente queria saber como ele fazia aquilo. Os peixes apanhados por este pescador não possuía marcas, cortes, furos ou qualquer coisa que deixasse alguma cicatriz. Mas como ele fazia aquilo? Era simples. Fidencio fazia as linhas de “Tucum” – folha de uma palmeira – depois amarrava nas lagostas de rio que ficavam em tocaia nas pedras, quando o peixe passava a lagosta dava o bote e pegava o peixe com suas garras potentes, daí balançava a cauda e avisava Fidencio que havia pegado alguma coisa, ele puxava a linha de tucum e trazia a lagosta com o robalo preso pela boca, segurado pelas fortes garras da lagosta que Fidencio treinava com todo carinho rio acima. Fidencio depois dividia meio a meio o quinhão com as lagostas. Diz Ferreira que o autor desta proeza jurou de pé junto que é a mais pura verdade “lhéi só”.

Ubatuba 378 Anos

Aniversário da cidade reúne milhares de famílias na Praça de Eventos COMUNICAÇÃO PMU A Prefeitura de Ubatuba promoveu um dia 28 de outubro especial na Praça de Eventos para celebrar o aniversário da cidade, que completou 378 anos na última quarta-feira. O evento foi um sucesso, contou com a presença de milhares de pessoas e de famílias inteiras. Os ônibus rodaram com catracas liberadas o dia todo e não houve cobrança de tarifa em nenhuma das atrações ou atividades. Na solenidade de abertura, a Sra. Santa Rosa da Silva, índia Guarani e esposa do Cacique Altino, e o Sr. Josino Francisco de Souza, referência para os esportistas da região, foram homenageados pelo prefeito Mauricio, que discursou para a população. Logo após, a banda Lira Padre Anchieta executou o hino nacional brasileiro, seguido de uma apresentação da Guarda-Mirim. Enquanto isso, começava um amplo mutirão de exames, a criançada se divertia gratuitamente no Parquinho e se deliciava com muita pipoca e algodão doce. Às 9 horas, um Aulão da Melhor Idade promoveu a saúde com atividades, alongamentos, muita música e diversão. E às 10 horas começou mais uma edição da Corrida Maria Comprida de Canoas, valorizando as tradições do povo caiçara. “Estamos muito felizes em participar da corrida de canoas e ajudar a manter vivas nossas tradições. Para nossa família, ela representa muita coisa”, afirmou Paulinho, da família Paru da Enseada,

uma das mais tradicionais da cidade. Às 11 horas, uma apresentação do Coral dos Estudantes dos alunos da rede municipal emocionou o público no palco central, mesmo sob chuva fina. Na hora do almoço, por volta de 12 horas, os estudantes do contra-turno, integrantes dos projetos do Mais Educação (Projeto Gibi e Aprendiz de Samurai), exibiram tudo que aprenderam para a população. O período vespertino foi marcado por diferentes atrações esportivas e culturais. Teve a tradicional Puxada de Rede, feita por alunos da rede municipal, basquete de rua na Praça Capricórnio, roda de capoeira e apresentação do grupo Ô de Casa, proveniente do Quilombo da Fazenda. As Oficinas Culturais da FundArt foram outro destaque da programação, seguidas da Aula de Zumba no palco principal e de uma lindíssima marcha de Maracatu. Outra exibição marcante foi a do grupo Fandango Caiçara. Durante a noite, dois grandes shows colocaram a galera para dançar. Primeiro a excelente banda local Psycos Jam mandou ver. Thiago Brava fechou a festa para milhares de fãs. Para o prefeito Mauricio, o evento refletiu a política de sua administração, que busca avançar nas diferentes áreas da gestão pública, trabalha para valorizar as tradições do povo caiçara e prioriza a parcela da população que mais precisa de atenção.


Novembro 2015

Página 15

Jornal MARANDUBA News

Etapa Decisiva do Ubatuba Pro Surf 2015

Coluna da Adelina Fernandes

A Impontualidade do Amor

Você está sozinho. Você e a torcida do Flamengo. Em frente a tevê, devora dois pacotes de Doritos enquanto espera o telefone tocar. Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha. Trimmm! É sua mãe, quem mais poderia ser? Amor nenhum faz chamadas por telepatia. Amor não atende com hora marcada. Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase galinha, sem disposição para relacionamentos sérios. Ele passa batido e você nem aí. Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, desconfiado, cheio de olheiras. O amor dá meia-volta, volver. Por que o amor nunca chega na hora certa? Agora, por exemplo, que você está de banho tomado e camisa jeans. Agora que você está empregado, lavou o carro e está com grana para um cinema. Agora que você pintou o apartamento, ganhou

um porta-retrato e começou a gostar de jazz. Agora que você está com o coração às moscas e morrendo de frio. O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina. Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém que nem lhe enxerga, e mal repara em outro alguém que só tem olhos pra você. Ou então fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana. Toda a sua turma está lá, azarando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo, na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida. O amor é que nem tesourinha de unhas, nunca está onde a gente pensa. O jeito é direcionar o radar para norte, sul, leste e oeste. Seu amor pode estar no corredor de um supermercado, pode estar impaciente na

fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro. Pode estar aqui mesmo, no computador, dando o maior mole. O amor está em todos os lugares, você que não procura direito. A primeira lição está dada: o amor é onipresente. Agora a segunda: mas é imprevisível. Jamais espere ouvir “eu te amo” num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir “eu te amo” numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza. Idealizar é sofrer. Amar é surpreender. Martha Medeiros http://www.mensagenscomamor.com/diversas/cronicas_amor.htm#ixzz3qLImed1j

Comunicação PMU Apresentada pela Prefeitura de Ubatuba e organizada pela Associação Ubatuba de Surf, a última etapa do Circuito Municipal Ubatuba Pro Surf 2015 acontece entre os dias 20 e 22 de novembro na praia Vermelha do Centro. Cerca de 200 atletas participam das disputas e serão definidos os campeões das 14 categorias do circuito, que também serve como via de acesso para os campeonatos amadores estaduais organizados pela Federação Paulista de Surf. Na primeira etapa na praia Grande, os destaques foram Weslley Dantas e Jéssica Bianca, campeões da Profissional Masculino e Feminino. Na segunda etapa, Geovane Ferreira, atual campeão do circuito, e Luana Coutinho se deram bem e colocaram fogo na corrida pelos canecos das duas principais categorias. Maior Circuito Municipal do Brasil e um dos mais tradicionais do mundo, o Ubatuba Pro Surf chega à sua 38ª edição neste ano e as disputas decisivas prometem ser emocionantes. Fora da água, a programação inclui uma série de atividades e vai rolar um som ao vivo no fim da tarde para a galera curtir e relaxar. O evento será transmitido ao vivo pelo site da AUS.

Inscrições As inscrições para surfistas ranqueados estão abertas e devem ser feitas até o próximo dia 13 de novembro. Os não ranqueados devem fazer sua inscrição no dia 16 de novembro. A diretoria da AUS informa que em função das disputas do Circuito Estudantil de Surf no Perequê-Açu, as inscrições ficam suspensas nos dias 4, 5, 6 e 7 de novembro. Para fazer a inscrição, compareça à sede da AUS, de segunda a sexta-feira, das 15 horas às 19 horas. Atletas amadores pagam taxa de R$ 40, atletas profissionais de R$ 60 e recebem uma camiseta do evento. Já a filiação anual tem uma taxa de R$ 30 com camiseta da AUS ou R$15 sem camiseta. A Prefeitura Municipal de Ubatuba apresenta o Circuito Municipal Ubatuba Pro Surf 2015. Patrocínio: Atmosfera Incorporadora. Copatrocínio: Orgânico Juno Brasil e Ubatuba Praia Grande Hotel. Apoio: Aciu, Itamambuca Eco Resort, Perfect Waves, Brother Açaí, Updrop, Litoral Filtros, Rikwill, Casa Mais (Perequê-Mirim), Federal Art, Hotel São Charbel e Wizard Idiomas. Colaboração: Empório Cerealista, The Flake, Boteco Sardinha, Fibra Surf, Portal SurfCam e Convention Bureau. Supervisão: Federação Paulista de Surf. Arte: Uirá Martins.



Jornal Maranduba News #78