Issuu on Google+

Maranduba, Junho 2015

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 6 - Edição 73 Foto: Robson Virgilio

Festa do Remo, Stand Up Paddle e Canoa Caiçara 2015 na Maranduba


Página 2

Junho 2015

Jornal MARANDUBA News

Ubatuba fica com sexta colocação geral nos Jogos Regionais do Idoso COMUNICAÇÃO PMU Cerca de 80 atletas da melhor idade representaram a cidade em 13 modalidades Ubatuba conquistou a sexta colocação geral entre os 25 municípios participantes do XIX Jogos Regionais do Idoso, que aconteceram no último final de semana em Caraguatatuba. O desempenho da equipe garantiu um total de 63 pontos na classificação geral masculino e feminino, apenas três a menos do quinto colocado. Atletas da cidade subiram mais de dez vezes no pódio, com destaque para competidores do tênis, natação, atletismo e dança de salão, que conquistaram vagas para representar o município nos Jogos Abertos do Idoso. “Tivemos uma boa colocação, principalmente se levar em conta a estrutura das demais cidades participantes, como Jacareí, Caraguatatuba

e Cruzeiro, que tiveram menos pontos que Ubatuba”, avalia Wladimir Rojo Vega, conhecido como Chileno. “Esse resultado comprova o esforço e trabalho dos atletas e professores envolvidos na competição, que, mesmo com as nossas limitações e dificuldades, colocaram Ubatuba entre as melhores equipes da região”, completa. Ainda segundo o coordenador, o trabalho do projeto da Melhor Idade evolui a cada dia, não só na parte de com-

petição, mas principalmente no atendimento social. “Neste ano, praticamente dobramos o número de pessoas atendidas por nossas atividades de caminhada, alongamento e ginástica nos bairros da cidade. O objetivo é que o trabalho continue aumentando, inclusive, com um projeto mais planejado para o Jori do ano que vem”, completa Chileno, ressaltando que o projeto é custeado totalmente pela Prefeitura Municipal, com apoio do Fundo de Solidariedade.

AGRADECIMENTO Agradecemos ao público e a todos os colaboradores da organização, em especial os patrocinadores do Bazar Beneficente realizado pelo Centro de Integração Rural e Sítio do Gengibre, no dia 24 de maio pp. Asteka Hinomoto (Maria

Editado por: Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3832.6688 (12) 99714.5678 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Editor Chefe: Emilio Campi Jornalista Responsável: Ezequiel dos Santos - MTB 76477/SP Colaborador: Pedro dos Santos Raymundo - MTB 0063810/SP Consultor Jurídico - Dr. Robson Ennes Virgílio - OAB/SP 169.801 Consultor Ambiental - Fernando Novais - Engº Florestal CREA/SP 5062880961 Colaboradora: Adelina Fernandes Rodrigues Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo

Paixão e Sr José). Loja Flórida Decorações, Gengibre de Ubatuba e Famílias Kamiyama e Giraud. A renda total foi diviida entre a Igreja Divina Fé em Cristo, Igreja do Pastor Jonatas Souza, Casa de Recuperação do

Pastor Luiz e bolsas-escola da Escola do Araribá. Todos os produtos remanecescentes foram doados a grupo sociais assistenciais. Agradeço pela atenção e muito obrigada. Anne Kamiyama


Junho 2015

Página 3

Jornal MARANDUBA News

Weslley Dantas comanda a festa na etapa de abertura do Ubatuba Pro Surf 2015 Atleta de 17 anos conquistou o título das categorias Profissional e Junior e saiu da praia Grande como principal destaque da primeira etapa do Circuito Municipal de Surf COMUNICAÇÃO PMU Local de Itamambuca, Weslley Dantas derrotou o experiente Hizunome Bettero na bateria decisiva e sagrou-se campeão da categoria Masculino Profissional da etapa de abertura do Ubatuba Pro Surf 2015, encerrada no meio da praia Grande no fim da tarde deste domingo. De quebra, o garoto de apenas 17 anos levou para casa também o troféu de campeão da categoria Junior. Irmão do top do circuito mundial Guigui Dantas e da bicampeã brasileira, Suelen Naraisa, Weslley exibiu um surf de alta performance durante todo o evento. Mesclando manobras de linha e aéreos muito bem executados, apresentou seu potencial e desponta a cada dia como candidato para uma das vagas no WSL dos próximos anos. “Vencer duas categorias no Ubatuba Pro Surf não é nada fácil. O evento é de auto nível e os atletas mandam muito bem. Fico muito feliz em conquistar as duas categorias, troféus que coroam meus treinamentos e meu esforço nos últimos meses. Quero em breve representar Ubatuba e nosso país ao lado do Filipinho, do Guigui e dos outros atletas brasileiros”, disse Dantas. Na Feminino Profissional, Jéssica Bianca sagrou-se campeã com uma performance impecável e deixou suas duas adversárias, Suelen Naraisa e Açucena Vaz, em combinação durante boa parte da bateria. Atleta da nova geração, Bianca saiu da água com um grande sorriso no rosto. “Quando comecei a competir, a Suelen era minha principal referência. Sempre quis fazer uma final com ela e vencer. Hoje aconteceu e estou muito feliz”, comemora. Suelen finalizou a primeiro etapa como vice-campeã. Açucena Vaz

terminou na terceira colocação. Petit - Na primeira final do dia, Ryan Miranda, Leonardo Costa, Davi Santos e Gabriel de Souza duelaram pelo caneco. Em seu segundo ano no circuito, Gabriel, 10 anos, exibiu um surf de gente grande, com boas batidas, e ficou com o título. Ryan Miranda terminou na segunda colocação. “A bateria foi difícil, mas deu tudo certo”, comenta o garoto, que saiu do mar nos ombros do pai, Fabio Nunes. “Ano passado eu ainda empurrava ele nas ondas. Treinamos e ele evoluiu muito. Ver o Gabriel vencer é muito melhor do que eu ganhar qualquer coisa”, disse Nunes, orgulhoso. Iniciantes - Na segunda final, os amigos e rivais Diego Aguiar e Daniel Adisaka mandaram ver. Mateus Pires e Kauan Terra correram por fora. Na segunda metade da bateria, Adisaka achou uma boa, cravou uma nota na casa dos 9 pontos e garantiu o título com o high score. “Demorei para achar aquela onda. Vi o Didi vindo na da frente, esperei a de trás e ela encaixou certinho na bancada”, conta o campeão. Diego finalizou na segunda posição. Feminino Iniciantes - Na decisão da Feminino Iniciantes, Luana Soares, 10 anos, atleta da escolinha do Camburi não deu chance para as adversárias e sagrou-se campeã. “Muito legal competir. Mais legal ainda é ganhar”, comentou Soares. Maria Luiza Pereira finalizou o evento na segunda colocação. Estreantes - a final da Estreantes, Diego Aguiar voltou para a água e de cara já saiu quebrando uma esquerda (8.50 pontos). Artur Barone, Lucas Pereira e Lucio Rosário tiveram que correr atrás do prejuízo, mas Didi achou outra boa vala e colocou a rapaziadinha em combinação durante boa parte do confronto.

Com ampla vantagem, garantiu mais um caneco para sua prateleira. “Achei aquela onda ali, consegui uma boa sequência de manobras e fiz a nota. Venho treinando bastante para aprimorar as manobras e está dando resultado”, afirmou o campeão. Lucio Rosário bem que tentou, saiu da combinação, só não encontrou uma segunda onda boa e terminou como vice-campeão. Long Kahuna - Na categoria dos Legends, Carlinhos Roberto, Rogério Alemão, Alfredinho Correa e Arthur Marquezi duelaram onda a onda pelo título. Alemão surfou melhor e acabou com a vitória. Mirim - A disputa decisiva da categoria Mirim reuniu a nata do surf competitivo para atletas de até 16 anos: Daniel Adisaka, Guilherme Villas Boas, Mateus Gomes e Kalani Joan. Sem favoritos, o duelo arrancou aplausos do público. No fim, Mateus se deu melhor. “Ando treinando bastante e estou muito feliz com essa conquista. Vou correr atrás do caneco do ano”, promete o campeão. Sup Wave - Fabio Tavares, Alexandre Miranda, Rodrigo Tremembé e o jovem Kauan Terra fizeram a final da categoria que estreia no circuito em 2015. Tremembé achou as melhores ondas e grudado na prancha faturou o título. “Foi uma bateria de alto nível, com o Kauan dando trabalho pra gente. Agradeço primeiro a Deus pela vitória”, vibrou Tremembé. Grand Karruna - presidente da Aus, Carlinhos Roberto, voltou para a água para sua segunda final do dia e dessa vez ficou com o título. Mauricio Eras, Carlos Pereira e Augusto Motta completaram a bateria. Depois de não ter achado as boas na Long Kahuna, Carlinhos novamente apostou na vala à

direita do palanque. “Apostei no meu back side, na vala mais aqui na frente e dessa vez as ondas apareceram”, explicou o presidente. Mauricio Eras é o vice-campeão da etapa. Open 18 UP - Joelson Lima, Maicol Santos, Cristiano Rosário e Daniel Araújo fizeram a final da categoria Open 18 UP, outra novidade do circuito. Maicol, Joelson e Daniel duelaram do primeiro ao último minuto e fizeram a bateria mais acirrada desta primeira etapa. Maicol garantiu a virada na última onda, nos últimos segundos, e saiu da água eufórico, direto para os braços dos familiares. “Fui campeão no ano passado nessa categoria. Esse eu não ia correr esse ano, mas recebi incentivo do pessoal da AUS e me inscrevi. O resultado está aí. Semana vem cumpro a burocracia e na próxima vou cair como Profissional”, promete Maicol. Long Open - Fabio Alves, Rodrigo Tremembé, Alef Araújo e Augusto Olinto caíram na água para a decisão da Long Open. Mesclando um surf clássico com manobras progressivas, Olinto arrancou aplausos do público e terminou como campeão. “O Long quase perdeu sua essência, que eram as manobras clássicas, de bico. Agora essa essência está de volta e para quem gosta é uma carta na manga. Estou muito feliz com a vitória”, vibra Olinto. Gran Master - Alexandre Moliterno, Alexandre Miranda, Isaias Silva e Cristiano Herbert fizeram a final da Gran Master. Local da praia Grande, Isaias, que surfa quase todo dia no pico, não deu mole. Logo no começo do confronto encontrou duas ondas boas e colocou seus adversários em combinação, imprimindo um ritmo forte. Durante a disputa, administrou bem a vantagem, contou com a

falta de sorte dos adversários e levantou o caneco. “Achei aquelas duas boas e fiz uma boa vantagem. Sei bem como essa onda funciona e isso ajuda bastante”, analisou Silva. Junior - estaque desta primeira etapa, Wesley Dantas correu a final da Junior contra Gustavo Ramos, Felipe do Carmo e Maruan Farah, três expoentes da nova geração local. Irmão mais novo do top Guigui Dantas e da bicampeã brasileira Suelen Naraisa, o garoto de 17 anos impressionou o público. Com aéreos irretocáveis e variados, cravou a maior nota do evento depois de destruir uma esquerda e finalizar com uma decolagem. Não satisfeito, fez outro highscore e garantiu o título com ampla vantagem. Gustavo Santos terminou como vice-campeão. “Meu surf encaixa nessa vala da praia Grande e com esse tamanho de mar consigo mostrar todo meu potencial. Estou amarradão com a vitória e agora vou com tudo em busca do título da Profissional”, disse Dantas. A segunda etapa do evento está marcada para acontecer entre os dias 24 e 26 de julho na lendária praia de Itamambuca, costa norte da cidade.


Página 4

“A história do seu bairro” no evento Escola da Família

PEF – Colégio Aurea No último dia 23, manhã de sábado e dentro da programação da Escola da Família do colégio Áurea Moreira Rachou, Sertão da Quina, foi apresentado à comunidade, professores, alunos e convidados o projeto que trata do evento sobre “A história do seu bairro”. O evento contou com exposições e vídeo de fotos antigas dos bairros do Sertão da Quina e Maranduba mostrando a história do povo e da região desde quando por aqui chegaram as primeiras câmeras fotográficas. Lúcia Helena, professora do colégio e moradora do bairro se mostrou orgulhosa ao reconhecer pessoas, lugares, festas e atividades mostrando os costumes da época, suas roupas e os tipos de moradias, por exemplo. A diversão, o trabalho, as famílias, os benfeitores do bairro e as antigas construções serviram de recordações para professores e funcionários da escola. O professor Yeve aproveitou a oportunidade para falar

Junho 2015

Jornal MARANDUBA News

da importância da história na vida das pessoas. Também dentro das atividades uma oficina de teatro com o tema Shakespeare para adolescentes, ministrada pelo professor Décio, aconteceu. Os alunos presentes tiveram a oportunidade de conhecer algumas das obras mais famo-

sas do dramaturgo inglês, sua vida e as características do seu trabalho. A partir dessa aula será montado um grupo de teatro para a escola com o apoio da profª Néia, cujas oficinas acontecerão aos sábados das 10h às 13h. Compareçam a prestigiem o Programa Escola da Familia.

Comunidade de Nossa Senhora das Graças nas redes sociais

No ano do centenário da Aparição da Santa na região, foi criado a fiéis, paroquianos, colaboradores e entusiastas da história da comunidade de Nossa Senhora das Divinas Graças o face book NSG da paróquia nas redes sociais. Implantado no dia 3 de abril deste ano, o face já conta com 2058 amigos. A rede social é exclusiva para tratar de assuntos religiosos da comunidade, mas interage com todo tipo de pessoas. Ainda em fase de construção o paroquiano poderá curtir fotos, verificar o cronograma de atividades, ver algumas imagens de época, palestras e deixar seu comentário. Está em andamento um projeto ao qual contará a história regressa da formação religiosa e cultural da comunidade ligado ao centenário da aparição. Idealizado pelo paroquiano Rogério Manoel dos Santos, 48 e autorizado pelo pároco padre Daniel Inácio, o face já recebeu inserções de pessoas que admitem falar muitas besteiras e que por isso, inicialmente, resistiram em adicionar-se ao grupo.

Pe. Daniel confere o face semanalmente, todos os domingos após a missa ele senta em frente ao computador e junto com o administrador confere os trabalhos. Embora a grande maioria de visitantes seja do Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, o face NSG recebeu recentemente gente do mundo inteiro. Uma das solicitações foi de um internauta do Peru para integrar-se a comunidade. A idéia, segundo o idealizador, é atingir um público de qualidade, portanto não há preocupação com o numero de pessoas já que se trata de um serviço de utilidade pública religiosa muito especifico. O visitante também pode interagir enviando fotos e dados para engrossar a rede. Conheça a sua matriz da história religiosa regional, faça parte dela, acesse visite, compartilhe e solicite adicionamento ao NSG no face, tem muita coisa interessante lá. Link: https://www.facebook.com/profile. php?id=100009419168863


Junho 2015

Página 5

Jornal MARANDUBA News

Livro produzido por jovens caiçaras esgotam no lançamento No último dia 9, a escritora Grazielle Maria, 22, autora da obra e moradora do Araribá em parceria com a educadora artística Ana Luiza, 23, moradora do Sertão da Quina, realizaram a tarde de lançamento do livro “Desenhos escritos e poesias pintadas” da Editora Multifoco na renomada livraria Nobel no Itaguá em Ubatuba. O evento contou com a presença de amigos, familiares, ex-professores e amantes da boa literatura. As primeiras edições foram esgotadas já no dia de lançamento. De um jeito descontraído e festivo o evento de lançamento em Ubatuba foi muito rápido para quem levou muito tempo para produzir e desenhar a obra. As duas artistas não esconderam a satisfação, alegria e prazer em estar autografando os livros neste primeiro dia. Ana Luiza foi quem deu, em forma de arte e desenho, o acabamento das palavras aveludadas da jovem escritora. O trabalho conta ainda com participação, em uma página do livro, de Leandro Steinhoff, músico e esposo de Grazielle. Ana Luiza conta que “assim como escrevi na dedicatória que está no livro, ilustrar todo o segundo livro de poesias da Grazielle foi uma experiência muito boa e gratificante. Conheço a autora e seu talento desde a infância e para mim foi uma honra ser convidada a criar os desenhos, além se ser, também, a realização de um sonho, o de ilustrar um livro”, comenta a ilustradora. Ana conta ainda que a autora possibilitou a ela total liberdade para criar as ilustrações, para dar vida e cor aos sentimentos que aquelas palavras pudessem provocar. Para

isto Ana optou trabalhar com aquarela, aquela técnica que dá a arte a impressão de que os desenhos – seus pigmentos - encontram-se suspensos ou dissolvidos em água, que criam uma suavidade angelical e que por conta da suavidade dos tons combinam com a leveza das poesias de Grazielle. O livro poderá ser adquirido acessando o link http://editoramultifoco.com.br/loja/product/desenhos-escritos-em-poesias-pintadas que será entregue pela editora em sua casa via correios. A caminhada A autora conta que seu primeiro contato com a editora foi através de uma matéria na internet. Ela descobriu que a empresa incentivava autores inéditos, mas com trabalho de qualidade. Após pesquisas, contato e envio de poesias para analise recebeu um email após 30 dias. Com uma resposta positiva - a de que eles pretendiam publicar seu material - começa a correria: elaborar um projeto, indicar público alvo, montar uma sinopse de uma idéia de juntar poesia e imagens. Após primeiros contatos com a amiga Ana Luiza - ilustradora da capa do primeiro livro “Braziluz”- a resposta não foi diferente, foi positiva por parte da artista. “Expliquei a editora que buscava complementar uma arte em outra, e que, ambas dariam significado a cada poesia, sendo que uma sem a outra seria uma obra incompleta para a proposta do trabalho”, reitera a poetisa. Por ser o primeiro trabalho ilustrado da autora e a primeira a ser publicado pela editora foram várias as negociações até a provação final. A escritora orgulha-se do resultado,

porque segundo ela, a junção de duas sensibilidades distintas criou algo novo, enriqueceu as duas vertentes artísticas, dando uma identidade única ao trabalho. Agradecimentos “Só tenho a agradecer a Deus pela oportunidade que recebi em poder me expressar através da literatura. Também a minha amiga Ana Luiza que tão gentilmente transbordou seu talento neste livro, dando mais vida às poesias e completando o trabalho, a Editora Multifoco que incentiva autores iniciantes de forma profissional e prestativa, e aos amigos, família, leitores que dão todo apoio e fazem tudo valer a pena, numa troca carinhosa que nos dá ainda mais vontade de seguir em frente. Agradeço também ao Espaço e ao carinho dispensado por todos os funcionários da livra-

ria Nobel, do Itaguá, foi bom demais!”, finaliza a autora. Comentário Uma das fãs do trabalho da escritora e da artista comentou a leitura do livro. Segundo a professora Karina Guedes o encantamento pela sintonia entre a autora e a ilustradora foi o que mais chamou sua atenção. “É como se uma traduzisse a voz da outra, usando duas das mais libertadoras linguagens que o ser humano já criou, a palavra e a imagem”, diz a professora. Para ela, entre os pigmentos e rimas, a suavidade e leveza dos poemas e ilustrações são como suspiros que o pulmão evoca nesse tempo confuso e turvo em que se vive. Diz ainda que a sensação que envolve o ser humano é a de estar no meio do caos e de repente, ao ver bater de asas de uma borboleta, instantane-

amente se recupera o fôlego e o sentido da vida. Reitera que a naturalidade dos versos denuncia o quanto o ser humano torna a vida complexa demais, se distanciando de algo essencial e possível: o amor. Karina não economiza elogios e ao final manifesta-se encantada com a parceria que produziu a ela um “colorido todo especial a minha tarde de sábado e fortaleceu uma fé que carrego comigo no fundo da alma”. No decorrer da tarde de lançamento foram vários os elogios ao trabalho e alguns se mostraram surpresos com a pouca idade e grande capacidade artística das duas personagens que, num mundo vivido a clicks de realidade virtual, o trabalho real e físico foi o diferencial pra quem procura sentido à vida terrena. * * *


Página 6

Jornal MARANDUBA News

Junho 2015

Infância Missionária surpreende com encenação em homenagem ao dia das mães No último dia 10 de maio, em celebração festiva ao dias das mães, as crianças do grupo Infância Missionária preparam uma celebração especial à importante data daquele mês. O padre Daniel Inácio foi o celebrante e endossou a importância de Deus e das mães na vida das pessoas e seu papel no mundo. As crianças conseguiram emocionar os adultos varias vezes, a alegria era contagiante, conseguiram também transmitir o recado tão bem estudado durante os dias que antecederem a celebração. Mesmo o padre, acostumado a encenações dentro das missas, se surpreendeu com a bela e espontânea atuação das crianças. No momento da leitura as mães acompanhavam seus filhos a todo o momento e quem podia registrar os momentos não perdia a oportunidade. Perdão as mães Em momento de reflexão o padre pede perdão por várias situações em que a humanidade submete suas mães: drogas, bebidas, constrangimento, separação, brigas, abortos, abandono, entre outras. Também lembrou do sofrimento destas guerreiras em áreas de conflitos e que sofrem com privações, estupro, fome e tortura principalmente. Organizados e atentos as encenações das crianças foram o ponto alto da celebração. As palavras de Deus nas vozes doces e aveludadas destes pequenos paroquianos se faziam ouvir até no interior dos ouvidos dos mais céticos dos viventes naquela hora. “Mãe é Deus que dá e não nós que escolhemos”

Vestidos de brancos as crianças mostraram maturidade para ler e falar das escrituras divinas e enviar seu recado as famílias, principalmente às mães e aos filhos. Com ar de felicidade e junto com o padre elas desempenharam papel fundamental na transmissão da mensagem. Em certo momento parecia de fato que os fiéis viam nas crianças da Infância Missionária o padre envolto de pequenos anjos que lá estavam para ajudá-lo neste trabalho dominical. Para a comunidade Padre Daniel reforça e diz que mãe é a expressão do amor de Deus e como tal deve ser respeitada, segundo o religioso “em 289 vezes a palavra mãe aparece na bíblia de tão importante. Filho nenhum tem o direito de desprezar sua mãe, não importa em quais condições esteja. Ao invés de maltratar porque não rezar por ela, seja o que for ela ainda é sua mãe”, reitera Pe. Daniel. Ele aproveitou a oportunidade para solicitar às grávidas que ficassem a frente no altar ao seu lado, também agradeceu a uma paroquiana que o abriga como mãe neste lugar. Exemplos para o dia do Juízo Final O padre fala também da mãe que nunca ofereceu o amor verdadeiro e direto na educação dos filhos, porém por vezes, estes são os melhores exemplos de filhos – os que não receberam este amor. Fala dos vários tipos de mães que existem na bíblia, umas consideradas maus exemplos e outras não. Porém, segundo o religioso, as mães que abandonaram, jogaram seus filhos no lixo, trocaram por drogas, submeterem-nos a castigos

extremos, abortaram terão a chance de, no dia do juízo final, responder a indagação de Deus a seguinte pergunta: “Mãe onde está o seu filho?”. A grande maioria, diz o padre, responderão com alegria. Da bíblia Pe. Daniel mostrou os vários exemplos sobre o ser mãe, que mesmo no céu – aquelas que partiram – não perderam a capacidade de consolar seus filhos na terra, comenta. Um puxão de orelhas também foi dado aos maridos que não reconhecem o papel da companheira na educação e na vida dos filhos. Ao final todos assistiram uma encenação baseada em fatos cotidianos colocando em cheque o papel de mãe e filhos na vida com Deus. Em seguida as crianças, enquanto cantavam sua homenagem as mães, distribuíram rosas em agradecimento e lembrança por esta bela manhã.

Jornal Maranduba News

ANUNCIE AQUI

(12) 99714-5678 (12) 3832-6688


Junho 2015

Página 7

Jornal MARANDUBA News

Folia do Divino na Caçandoca rememora tempos áureos da cultura regional EZEQUIEL DOS SANTOS No último dia 30, sábado o Quilombo Caçandoca estava em festa. A comunidade em parceria com a FUNDART realizou a tradicional visita da Folia do Divino na casa dos moradores do território. O evento, que foi considerado o mais importante e respeitado pelas comunidades regionais, hoje é uma pequena fração dos tempos áureos da cultura histórica religiosa. Para moradores tradicionais somente os que respeitam a história, a vida e a luta destes povos é que sabe da importância da manutenção das tradições. Quem participa geralmente se emociona, pois sabe do valor agregado que isso representa, tanto para moradores

quanto para turistas que buscam os últimos redutos culturais da formação do país. A FUNDART mantém um respeitável grupo de folia que atende a mais de 100 quilômetros de costa para atender a necessidade cultural, histórica e religiosa da população do município. Moradores ouvidos pelo JMN contam que era comum as pessoas pararem suas atividades para seguir a folia. Era possível ouvir, nas várzeas do Sertão da Quina, Ingá e Maranduba, o “tropé” do pessoal e o tambor da folia descendo o morro da Caçandoca pela antiga trilha em direção as comunidades, contam os mais antigos. Quem relembra estes tempos costuma se emocionar.

Histórico da Folia do Divino Trazida pela Rainha Isabel de Portugal no séc. XVII, a Festa do Divino Espírito Santo é uma das mais antigas manifestações religiosas do Brasil. Em Ubatuba, essa manifestação ocorre de Norte a Sul há mais de dois séculos, segundo antigos caiçaras. No passado, até a década de 50, a Festa do Divino Espírito Santo era a mais respeitada e valorizada. As comunidades das praias e sertões se preparavam com antecedência para receber a Folia do Divino, que com seus foliões, visitava a casa dos devotos com suas violas, rabecas e caixa seguindo a bandeira sagrada. Nesses últimos 50 anos a Folia do Divino de Ubatuba vem sofrendo muitas alterações devido à atuação de vários fatores adversos, mas nunca perdeu a essência da fé e coletividade

de nossa cultura. Atualmente a Folia é composta por pessoas de várias extremidades do município, como Almada, Ubatumirim, Promirim, Praia Vermelha e Itaguá. Filhos e netos de antigos foliões, essas pessoas levam consigo a arte e a cultura de

um povo que resiste a tantas mudanças, a Cultura Caiçara. A peregrinação, que tem o apoio da FundArt, tem início no mês de março e vai até junho. Em Ubatuba, a Festa da Folia do Divino, acontece sempre no mês de julho. Fonte: FUNDART


Página 8

Jornal MARANDUBA News

Junho 2015

Festa do Remo - Stand Up Paddle e Canoa Caiçara 2015 na Maranduba Texto e fotos: Robson E. Virgilio Em um belíssimo Sábado de Outono (09/05/15), atletas, patrocinadores, torcedores, amigos e familiares de todo o Brasil estiveram na Praia do Sapé, Maranduba, na costa sul de Ubatuba, para prestigiarem a 1ª Etapa do Circuito Festa do Remo de Stand Up e Canoa Caiçara 2015. Considerada uma competição pioneira em águas brasileiras, o evento integra as tradições das canoas caiçaras com a atualidade do SUP (Stand Up Paddle) celebrando a importância do oceano e da manutenção das tradições caiçaras. Estabelece ainda, definitivamente, uma data certa no Calendário Oficial de Eventos de Ubatuba e no coração de todos. O prestígio alcançado devido ao pioneirismo e à qualidade desta festa, fez com que atletas de Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião, Ilhabela, Paraty, Santos, São Vicente, Trindade, Florianópolis, e de outras cidades elevassem o nível técnico da prova para superarem os desafios de 6 km e 10 km nas categorias do Stand Up Paddle e 1, 2 e 3 Remos da Canoa Caiçara Masculino e 2 Remos da Canoa Caiçara Feminino. Para conferir um plus na já intensa competição, as condições do mar se apresentaram como um desafio a mais, já que as ondas de até 03 pés se fizeram presentes durante todo o dia, contou ainda com um insistente Vento Leste soprando na parte da tarde. Segundo o atleta ubatubense Juba de Oliveira “ as condições adversas do mar são favoráveis aos competidores de Ubatuba, graças ao nosso enfrentamento habitual dessas

ondas, além de deixar tudo mais bonito”, comenta Juba. Enquanto os remadores lutavam na pista líquida, o numeroso público literalmente fazia a festa nas limpas areias do Sapé se confraternizando com as belezas naturais e usufruindo da bela estrutura do evento que contou com a arquibancada natural da praia e com as dependências do Hotel Porto do Eixo, um dos patrocinadores. Foram servidos frutas e água para todos o dia todo, além das deliciosas tainhas assada, ao final da competição e depois da premiação. Nos dias 19 de Julho, no Ubatumirim e 06 de Dezembro, na Praia do Cruzeiro, ocorrerão a segunda e a terceira etapas do circuito. O Circuito Festa do Remo 2015 é apresentado pela Prefeitura Municipal de Ubatuba, realizado pela Comtur, organizado pela Secretaria de Esportes e Lazer,promovido pela Secretaria de Turismo,patrocinado por Hotel Porto do Eixo,co-patrocinado por Federal Art e apoiado por Ubatuba Sup.


Junho 2015

Página 9

Jornal MARANDUBA News

1ª Etapa do Circuito Festa do Remo de Stand Up e Canoa Caiçara 2015

Race Masculino 14 Pés –10 km 1° Itamar do Carmo – Trindade – Equipe Sup Trindade – 1h.03.48seg 2°Juba de Oliveira – Ubatuba – UbatubaSup – 1h.06.47seg 3° Ricardo Freitas – Ubatuba – UbatubaSup – 1h.21.02seg 4° Rodrigo Cesar – São José dos Campos – 1h.29.04seg 5° Maick Walace – Ubatuba – SJC Paddle – 1h.35.07seg Fun Race Masculino 12,2 Pés – 6Km 1° André Paiva Magalhães – Santos – Sup Six – 44.30seg 2° Samuel dos Santos – Ilha Bela – DK Sup – 46.15seg 3° Ubiratan Mourão – São Sebastião – 49.19seg Fun Race Feminino 12,2 Pés – 6Km 1°Iasmin M.N. da Silva – Ilha Bela– Sup Treiner – 50.58seg 2°Ana Carolina Lemos – Ubatuba – Sapé Tur – 58.33seg 3° Ariany da Silva Nascimento – São Vicente – 59.40seg

Race Masculino 12,6 Pés – 10km 1°Paulo dos Reis – Ilha Bela – 1h2’08seg 2° Guilherme dos Reis – Ilha Bela – 1h3’09seg 3° Arill Alves dos Santos – Ilha Bela – Paddle Club – 1h4’58seg

Canoa Caiçara – 1 Remo Masculino 1° Nélio Higino – Barra Seca 2° Edson dos Santos – Ubatumirim 3° Jailson dos Santos – Praia da Justa

Race Feminino 12,6 Pés – 10km 1° Stefani Moraes – Ilha Bela – 1h11’10seg 2° Moah Jéssica Matos – São Vicente– 1h14’13seg 3° Aline Abad Mota – São Sebastião – Paddle Club – 1h15’30seg

Canoa Caiçara – 2 Remos Masculino 1° Nélio Higino/Helbert – Barra Seca 2° Edson/Joanilson – Praia da Justa e Ubatumirim 3° Donizete/Renato – Fortaleza e Sete Fontes

Kids Feminino 2 Km 1° Isabely M.N. da Silva – Ilha Bela – DK Sup – 09’27seg 2° Iasmin Moraes – Ilha Bela – Dk Sup – 10’57seg 3° Amanda Flores – Ilha Bela – Dk Sup – 12’43seg

Canoa Caiçara – 3 Remos Masculino 1° Nélio Higino/Helbert/Nelson 2° Edson/Joanilson/Sergio 3° Renato/Lucas/Lu

Kids Masculino 2km 1° Flávio Souza – Ilha Bela – Dk Sup – 6’51seg 2° Guilherme – Ilha Bela – 7’64seg

Canoa Caiçara – 2 Remos Feminino 1° Marta e Bruna 2° Luciana e Helena


Página 10

Junho 2015

Jornal MARANDUBA News

PROMATA participa do “Grande Dia Global de Observação de Aves” e conquista pontuação respeitável dentro da atividade mundial No último dia 9, dentro do Global Big Day, a PROMATA conseguiu atingir o 33º lugar dentre os 14 mil participantes do evento em todo o mundo. Para este evento a associação do Sertão da Quina conseguiu em dois dias registrar 209 espécies, o que, dentro do estado de São Paulo, representa 44,01% das espécies registradas em todo território paulista, colocando-a em 1º colocado no estado, tanto por lista quanto por espécie. Os registros da associação contaram com a participação de Carlos Rizzo, renomado entusiasta da observação de aves no município, estado e país. Numa espécie de ranking on line, fora do Big Day, o “Top 100 ebird” indica a PROMATA, até o fechamento desta edição, entre os dez mais visitados do mundo. No quesito espécies de aves figura em 7º colocado e no quesito listas de aves em 10º. Já no ranking Hotspot - áreas que apresentam uma grande biodiversidade, mas que se encontra em alto risco de degradação ambiental onde na América do Sul encontra-se cinco pontos, uma delas a Mata Atlântica - a PROMATA ficou na 6ª colocação. As listas contem um registro que é iniciado por uma letra e uma série de oito núme-

ros, por exemplo, a lista de aves no bairro do Araribá no ebird observadas pela associação esta registrada como S23509568. Uma das imagens mais visitadas foi o registro do Apuim-de-costas-pretas (Touit melanonotus-Brown-backed Parrotlet). O evento não é uma competição, trata-se de um trabalho de registro voluntário, serve para indicar pontos de observação de aves no mundo, lugares ainda desconhecidos a serem visitado por turistas internacionais e a situação das aves no planeta. Visão global A real-time, um programa de lista de verificação on-line, que administra o ebird revolucionou a maneira em que os relatórios comunitários de observação de aves são realizados e disponibilizados ao público. Lançado em 2002 pelo renomado Laboratório Cornell de Ornitologia e National Audubon Society, o ebird fornece ricas fontes de dados para informações básicas sobre a abundância e distribuição das aves em uma variedade de escalas espaciais e temporais. Seu objetivo é maximizar a utilidade e acessibilidade do grande número de observações de aves realizadas anualmente por observadores recreativos e profissionais da

Apuim de Costas Pretas - Touit melanonotus - Brown-backed Parrotlet

observação de aves. Ele apresenta uma rede de dados em franco crescimento dos recursos de informações da biodiversidade ainda existentes. Um exemplo disso foi o levantamento realizado em março de 2012 onde os participantes relataram mais de 3,1 milhões de observações

de aves em todo continente norte americano. A América do sul e o resto do globo pode agora contar com os dados levantados pela associação de base comunitária PROMATA sobre o Litoral Norte e principalmente Ubatuba. Para os integrantes foi um

Gráficos e tabelas mostram as conquistas da PROMATA no Dia Global de Observação de Aves no eBird

resultado agradável indicando que o esforço em destacar nossa região vale a pena. Agradecimentos aos apoiadores e aos moradores tradicionais que colaboram com as informações específicas que fazem toda diferença no trabalho de base comunitário dentro do planeta.


Junho 2015

Página 11

Jornal MARANDUBA News

Felipe Toledo no Circuito Mundial de Surf - Oi Rio Pro

Texto e foto: Robson E. Virgilio O carismático e revolucionário surfista ubatubense Filipe Toledo não perdeu uma bateria sequer em seu caminho para a épica vitória no Oi Rio Pro. Todos os elementos de seu jogo pareciam afinados durante todo o evento - o principal deles, as pranchas sob seus pés. Até mesmo a quebra de seu equipamento foi impressionante. Após aterrissar de um aéreo de 10 pontos na final, Toledo vibrou (trincou) a prancha modelo Santo Toledo e a substituiu pelo modelo OK, sem comprometer a performance. Apesar da nota máxima logo no início da bateria, ele man-

teve a estratégia e obteve uma nota 9,87. Isso não foi casual: ao longo dos últimos anos, Marcio Zouvi das afiadas SharpEye Surfboards, tem trabalhado em estreita colaboração com Toledo, desenvolvendo suas pranchas que levaram o brasileiro à três vitórias nesta temporada. O empenho do pai de Filipe Toledo, o bicampeão brasileiro Ricardo Toledo, tem participação decisiva nas conquistas de seu filho, ajudando com a preparação e acompanhando o garoto em todos os eventos. Atualmente, Filipe Toledo ocupa a 2ª posição no Ranking Mundial da WSL – World Surf League (Liga Mundial de Surf) e segue bem de perto o líder

Adriano de Souza, com pouca diferença de pontos. Entrevista World Surf League: Parece que Toledo usou sua prancha mágica na Gold Coast, Austrália? Marcio Zouvi: O modelo OK que ele usou na final da Oi Rio Pro foi um duplicado daquela da Gold Coast, um “x 18.25” x 2.25 “ round tail 5’9, 24 litros de volume. Ele pintou exatamente o mesmo desenho como o da prancha de Snapper Rocks, Gold Coast. Acho que foi uma coisa mental. World Surf League: Filipe quebrou duas pranchas em uma bateria. Quantas pranchas ele normalmente usa em um ano? Zouvi: No ano passado nós

fizemos um pouco mais de 60 pranchas. World Surf League: Parece que tentou recuperar suas pranchas quebradas no meio da multidão da praia. Você sabe onde as pranchas acabaram? Zouvi: O modelo OK foi roubado na praia e o modelo Santo Toledo foi doado por engano. Ouvi dizer que foi vendida no mesmo dia por R$10. World Surf League: Filipe realiza muitas variações quando executa aéreos. O segredo do projeto seriao design da rabeta que lhe permite obter esse impulso fora da água? Zouvi: Filipe gera muita velocidade nos bottons turns e carves. Acho que é por isso que ele se lança tão facilmen-

te. Nós temos alguns segredos que eu acho que pode fazer a diferença, mas eu não posso te dizer. Ha, ha. World Surf League: Como será a mudança de quiver para a próxima etapa do circuito, em Fiji? Que tipos de pranchas ele vai levar? Zouvi: Ele vai levar o modelo OK 5’10 “a 6’0”, todas as rabetas round e modelos semi-gun de 6’1 “a 6’8”, todas com rabetasround pin. Todas em fiberglass um pouco mais pesadas. Não percam as altíssimas performances de Filipe Toledo e dos demais brasileiros Top 34 no Samsung Pro Fiji, ao vivo na página da World Surf League, na Internet a partir de 01 de Junho.


Página 12

Junho 2015

Jornal MARANDUBA News

“Chacina na Ilha Anchieta - Tiroteio na invasão e retomada da Ilha” Parte 14 Jornais da época enviaram seus melhores repórteres para descrever a maior rebelião do planeta que aconteceu em nossa região, sobreviventes ajudam a contar a história.

EZEQUIEL DOS SANTOS “Revista O Cruzeiro - Edição 39, Rio de Janeiro, sábado, 5 de julho de 1952, ano XXVI”. A alimentação foi um ponto comum das queixas, diziam os repórteres da época. No presídio eram servidos arroz, feijão e carne seca a todos sem distinção. Pela manhã uma “guiza” quente de café e um pão. Contam que depois de ingerirem estes alimentos sem sustância saiam para lida, para um regime duro, árduo, espinhoso e rude sem um reforço alimentar no meio da manhã para que os corpos moribundos dos presos tivessem maior resistência para as atividades que a eles era exigida. Cortar, picar e transportar as lenhas das árvores da ilha era o único trabalho que poderia se realizado por um grande número de prisioneiros. O local geralmente era íngreme, tortuoso que por vezes se fazia instransponível como o Morro do Papagaio de onde os prisioneiros vinham com os lombos cheios de suas toras a serem utilizados nas fornalhas do presídio, esse movimento, segundo os detentos, era empregado mais de oitos horas por dia de suor e lágrimas para atingir o objetivo. Descrevem para as autoridades que não era verdadeira a fala de que os presos se dedicavam a produção de hortaliças, criação de suínos, bovinos e galináceas publicadas várias vezes em jornais e revistas.

Os sobreviventes, os que moraram lá discordam, havia sim algumas produções e havia um mangueirão de criação de cabras e bovinos. Ainda, segundo os sobreviventes, existem as marcas da leiras de hortaliças distribuídas pela ilha, hoje coberta pela floresta. Os presos afirmaram que havia uma pequena horta, modesta para deleite da administração, porcos apenas algumas cabeças ao chefe de disciplina, as galinhas, as poucas que os presos descrevem são utilizados para alimentação da diretoria. Enquanto isso a barbárie era

publicada e imagens que causaram indignação a alguns eram distribuídas aos quatro cantos. Dentro de uma destas imagens a descrição fala da recaptura de Geraldo de Oliveira que afirmava a todo o momento de que a fome por ali era tenebrosa. Os repórteres exibiam fotos que mais pareciam serem vistos e navios negreiros, uma delas mostrava um amontoado de presos juntos a cadáveres dos próprios colegas levados apenas para uma contagem, a notícia diz que os presos pagaram caro o sonho de tentativa de uma liberdade

forçada. Do outro lado da imagem uma ponta de metralhadora, que estava sob o comando da policia marítima, era exibida dando a entender quem é que mandava ali e como eram tratados os evadidos. Noutra página mostra um soldado com varias algemas na mão sorrindo com ar sarcástico. As imagens de um par de mãos decepadas foi a que mais causou revolta entre os civis. Num dado momento, o delegado de Ubatuba na época, Sr. D.T. Guimarães, enviou ao médico legista, Dr. Ary Marques, dentro de um saco de pano, um par de mãos amputadas e a faca utilizada para a barbárie. A atitude foi considerada um gesto bárbaro, já que a autoridade policial havia realizado a amputação apenas para confirmar a identidade do fugitivo recapturado em Parati/ RJ. A identificação pelo legista foi realizada sob protesto. Os presos eram amarrados nos pés e nas mãos e tratados como feras selvagens, colocados em cubículos a serem entregues novamente as mãos da polícia, isso causava pânico entre os foragidos, porque a grande maioria não voltava com vida. Quanto a criação de animais em depoimento dos sobreviventes, o presos dizem que o único animal grande lá existente, de quatro patas era o cavalo do diretor – Capitão Fausto Sadi – recebido no dia seguinte a rebelião cujo nome era Hidalgo em homenagem ao comandante do 5º batalhão ao qual Sadi pertencia Coronel Benedito E. Hidalgo.

Os presos reclamam que o atendimento médico-hospitalar nem sequer poderia receber o titulo de precário. O hospital era um xadrez sem qualquer proteção, as doenças, bem...fica para a próxima edição.


Junho 2015

Jornal MARANDUBA News

Promata participa do AVISTAR 2015 Entre os dias 15 a 17 de maio o Instituto Butantã-SP foi palco do maior evento de observadores de aves da América Latina - 10º Encontro Brasileiro de Observação de Aves – Avistar Brasil 2015 e contou com uma vasta programação incluindo exposições, shows, palestras, oficinas, lançamentos de livros, stands de cidades voltadas a este público, saídas de campos, atividades ao público infantil, homenagens, concursos, entrega de prêmios entre outras atividades. Também com instalações de auditórios e espaços ao ar livre por todo o parque, a feira promoveu quatro mostras, shows, mais de 70 palestras e sessões de autógrafos. A associação PROMATA do Sertão da Quina participou do evento no dia 16 trocando experiências, fazendo novos amigos, distribuindo convites, realizando novos contatos e de canja cedeu uma entrevista sobre a atividade no litoral norte nos moldes do estilo base comunitária. A Prefeitura de Ubatuba participou do evento em parceria com a Prefeitura Municipal de Ilha Bela. Ao canal “clicandoeandando” Antonio de Oliveira – tio – fala do porque surgiu a PROMATA, do inicio da observação de aves na região do litoral, suas potencialidades,

seus benefícios – tanto ambientais quanto comunitários, agradece principalmente os moradores tradicionais que socializam com a associação as informações e convida os amantes da atividade a visitarem a região. A preocupação com a fauna e flora também foram temas discutidos dentro das atividades. O evento ganhou destaque nacional e internacional e figuraram em várias mídias especializadas e regionais sobre a importância da atividade e seus trabalhos periféricos. Para Carlos Rizzo, “a mudança para o instituto Butantã faz com que o Avistar inicie um ciclo mais focado no observador de aves. Ficou muito claro que a partir deste ano a observação estará voltada aos iniciantes. Vários secretários de turismo e meio ambiente além de representantes dos países vizinhos como Chile, Argentina e Uruguai participam efetivamente destes projetos. Ubatuba destaca-se por estar desde 1998 fazendo parte da observação de aves e é referencia como destino e qualidade da atividade”, comenta Rizzo. Segundo a prefeitura a participação de Ubatuba no evento permitiu a divulgação de Ubatuba para um público especifico e criterioso, que está

Acima: Entrevista Tio A direita: Integrantes da PROMATA divulgando a observação de aves de base comunitária sempre em busca de novos roteiros para observar novas espécies e ampliar seus registros fotográficos. “Por meio da Secretaria de Turismo a Prefeitura de Ubatuba está investindo na divulgação do município, nacionalmente e internacionalmente, desta forma consegue-se mostrar que Ubatuba é muito mais do que Sol e Praia”, coloca João Mauro Carrilo, Secretário Adjunto de Turismo.

Página 13


Página 14

O tamanho da “digeresa” CLAUDIONOR COSTA Ainda me “alembro” que era de costume as grandes andanças pelas várzeas, montanhas e praias para se chegar a um vilarejo, a alguma outra “préia” (praia), a cidade ou a casa de um compadre ou comadre para as mais variadas prosas, versos e assunto. “Bão”, mas chegou uma hora em que os barulhos da cidade grande vinham derrubando as arvores, os ranchos de canoas, as casas a beira da roça, comendo as terras pra tampar nossos riachos, matando nossos bichos, deixando as terras quadradas e retas e abrindo uma “minhocona” (minhoca grande) pra se andar em cima. Era a “tar estrada de rodage”. Tudo era novidade, aquele monte de aço em cima daquelas rodas carregando de tudo, principalmente o nosso sossego, nossa dignidade, nossa paz, nossa fé, nosso conhecimento, porque as nossas terras “tavam” indo de pouco e pouco parar na mão de quem não carecia (precisava) e outros que ganhavam dinheiro as nossas custas. Mas havia coisas que muito tempo não se podia contar, eram assuntos que causavam

Junho 2015

Jornal MARANDUBA News

“imbeja” (inveja) ou “bergonha” (vergonha) a algumas pessoas. Acontecimentos que eram trágicos e engraçados. Me “arrecordo” (recordo) agora sim gastei os “estudo”!) de um acontecimento aonde, na época dos caminhões igual a do Pacheco, os pau-de-arara (ônibus), os moradores iam amontoados em meio as galinhas, os porcos, os tipitis, os balaios, cumbús, covos, peixe

seco, as fazendas de panos, baús, panelas e todo tipo de quinquilharia. Havia, feito de pau lavrado do mato, raramente de tabuas, um banco para as moçoilas, as senhoras sentarem e não ficarem em posição, digamos, “arreganhada”, “desengonçada”, “descabelada”, “funhanhada” porque naquela época só existia a saia e nada mais pra segurar a “coisa” por baixo, tanto é que algumas mulheres poderiam

fazer xixi em pé, digamos que elas ficavam com as “partes” tomando vento. Enquanto o tempo estava bom a “rodage” também tava boa, bastava chover e os buracos apareciam, eram só solavancos e trancos e nessa era gente pra todo quanto é lado, gente de perna “pra riba” (pra cima), os “pexes” se misturando aos porcos, era galinha que saia voando pela caçamba, um balaio de gato. Mas as donas saiam com compostura, mas nem sempre. “Me alembro” de uma comadre, numa viagem destas, que num solavanco destes pra não cair de uma vez ela deu uma ninja, ou tentou pelo menos. O caminhão passou por um buraco e jogou todo mundo pra cima e antes dela cair virou um “cambóte” (dar uma volta sobre seu eixo) de pernas abertas e rapidamente segurou a barra da saia e se sentou de “cróqui” (cócoras) no canto do caminhão dizendo: “compadre você viu o tamaaanho da minha digeresa (rapidez)?”. O matuto que viu aquilo direitinho respondeu: “O comadre, “bóis me descurpe” mais isso na minha terra tem outro nome!”.

Nadadora ubatubense conquista três medalhas de ouro no Campeonato Sulamericano Juvenil de Natação

COMUNICAÇÃO PMU A nadadora ubatubense Sabrina Jacob Todão, 17 anos, disputou recentemente o Campeonato Brasileiro, o Campeonato Sulamericano Juvenil de Natação e voltou para casa com nada menos que oito medalhas, sendo quatro de ouro. Filha do vereador Eraldo Todão Xibiu, a atleta deu suas primeiras braçadas nas aulas da Piscina Municipal, conta com apoio do SESI e atualmente faz parte da equipe brasileira juvenil de natação. Sua especialidade são as provas de velocidade, como os 50 e 100 metros livres. E foi exatamente nessas provas que a jovem competidora se deu bem. “Conquistei uma medalha de ouro no Brasileiro no 4 por 100 livre e outras três medalhas de ouro no Sulamericano: 50 livre, 4 por 100 livre, 4 por 50 livre-misto”, conta orgulhosa. “Também fui bem nos 100 livre, nos 4 por 50 livre e nos

4 por 100 medley do Brasileiro e acabei com a medalha de prata nessas categorias. Isso sem esquecer os 50 livre do Brasileiro, onde conquistei o bronze”, completa Sabrina. De acordo com a atleta, apesar de existir a possibilidade, a expectativa para participar das Olimpíadas do Brasil em 2016 é pequena. “Disputar as Olimpíadas aqui no Brasil é um sonho, mas está difícil. Agora, para 2020 estou bem animada. Estarei no auge da minha forma como atleta”, explica Jacob. “Ver atletas ubatubenses representando a cidade dessa forma me enche de orgulho. Não só eu ou o Xibiu ficamos orgulhosos. A cidade toda fica”, diz o prefeito Mauricio. “Estamos na torcida para ver uma ubatubense nas Olimpíadas”, completa o prefeito. Agora, Sabrina segue sua rotina de treinos. “Esse ano ainda tenho o campeonato paulista e o Troféu José Finkel para disputar”, finaliza a atleta.


Junho 2015

Jornal MARANDUBA News

Coluna da

Página 15

Guia da Maranduba Adelina Fernandes

Crônica do Amor Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta. O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera. Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco. Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então? Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar

com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome. Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos em-

pregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo. Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível. Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor? Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados. Não funciona assim. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó! Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa. Martha Medeiros

e Região Sul de Ubatuba 2015

O mais completo guia da região agora em sua versão atualizada 2015.

- Praias - Cachoeiras - Trilhas - Passeios - Hospedagem - Alimentação - Compras - Mapas - e muito mais... Adquira o seu na Revistaria e Conveniência SAPÊ Praça do Sapê 30 Maranduba



Jornal Maranduba News #73