Page 13

27 Dezembro 2011

Página 13

Jornal MARANDUBA News

Dicionário de vocábulos e expressões caiçaras - Parte 4

BOMBORDO - (s.m.) -esquerda do navio, para quem olha da popa para a proa. BONITO-LINDO - (s.m.) - um tipo de pássaro, do porte das saíras, de corpo amarelo e dorso azulado. BóQUE - ( s.m.) - tipo de jogo infantil jogado com bola de gude ( bolinha de vidro ) ou com minguito ( sementes de abricó ) nos boques ( buracos cavados na areia ). BOQUêRA - (s.f.) – boqueira, ulceração nos cantos da boca. BOQUéCA - ( s.f.) - mesmo que moqueca. BOQUINHA DA NOITE - (s.f.) um pouquinho antes do anoitecer ; início da noite. BORDãO - ( s.m.) - cajado; bastão. BORDEJADA - (s.f.) - diz-se da canoa com bordas altas, para pesca no mar alto. BORDOADA - (s.f.) - pancada com o bordão. BOREAL - ( s.m. ) - tolo ; ruim da cabeça ; apalermado. BORéSTE - ( s.m.) -mesmo que estibordo. BORNá - ( s.m. ) – embornal; saco de pano com provisões do farnel. Sacola com alça, que se leva pendida do ombro. BOROCOXô - ( s.m. ) - pessoa mole; fraca ; sem coragem. BORRADO(R) - ( s.m. ) - livro onde os comerciantes anotam suas operações.

BORRADô(R) DE COSTEIRA - (adj.) aquele pescador que não é chegado no serviço pesado, que enquanto os outros trabalham, pescam ele fica apenas dormindo. BORROLãO -( s.m.) - semente do guapiruvu. BOTá(R) ABAIXO - ( loc.v. ) derrubar; demolir. “ no cortá a a arvore, jogô por cima da casa e botô tudo abaxo, pinchô tudo no chão “ BOTá PRá TERRA - ( loc.v. ) tirar algo do mar e puxar para a terra; trazer algo do mar para a praia ou para a costeira. BOTá FORA - (loc. v. ) - jogar; despojar-se de; despreender-se ; “ O tar do Dimirço intão qué isperto, botô fora tudo, o dinherinho que ganhô c’a pescaria “ BOTá NA SEVA - ( loc.v. ) - engordar a criação, fechada no cativeiro. BOTá REPARO - ( loc.v. ) - reparar ; obsevar; ver ; notar; “ das coisa dela não cuida, mas vive botando reparo na dos otro “ BOTECO - ( s.m. ) - bar; botequim. BRAÇA - ( s.f. ) - medida de cordames, madeiras e terrenos, equivalente a 2,20 metros. Obtem-se uma braça, tomando com a mão direita, a ponta inicial de uma corda ou cipó, estendendo-a sobre o peito e, com os braços abertos e inclinados para trás, retomando-a , com a mão esquerda, no ponto onde a corda ou cipó, atinge o grau maximo de abertura natural. Trezentas braças de terra equivalem a cerca de 660 metros ou a uma quarta de alqueire. BRAÇADO - ( s.m. ) - medida

correspondente àquilo que se pode abranger com os braços; uma porção ; uma braçada. “incomendei um cento de lenha pro Firmino, más ele só troxe um braçado, porque não tinha mais “ BRéGUéSSE- ( s.m. ) - coisa indeterminada; pessoa impertinente. BREU - ( s.m. ) - escuridão ; escuro como breu. BROQUEADO - ( adj. ) - atacado pela broca; estado da madeira perfurada por larvas; carunchado; esburacado . “ aquela zinha ali tá perfeitinhazinha , num tem broqueado nem nada “ BROTOEJA - ( s.f. ) - erupções cutâneas concentradas em determinadas partes do corpo, provocando prurido, avermelhamento da pele e coceira. “ aquela zinha minha tá c’uma brotoejada danada na cabeça; deve de sê do calor, intão “ BRUACA - ( s.f.) - meretriz. BRUNIDO - ( adj.) - polido; diz -se do arroz beneficiado. BUCHA - (s.f.) - pedaço de pão ou uma colherada de arroz engolido rapidamente, quando se está com pressa ou não se tem muita fome ; comida sem valor. BUCHO - ( s.m.) - ventre; barriga; estômago. BUCHO DE BAGRE - (s.m.) nome dado à Ankilostomina , antigo lombrigueiro; vermífugo. BUFANDO - ( v.i. ) - encolerizado, enfurecido , raivoso. BULADA - ( s.f.) - bule cheio de alguma coisa ( bulada de café ). BULE - (s.m.) - recipiente com tampa, asa e bico, em que se servem chá, café, chocolate. BULí(R) - (v.t.) - Pôr as mãos;

tocar mexer; tocar; perturbar; provocar verbalmente; “ esse pessoar não tem diciprina; anda bulindo nas coisa dos otros “ BUNDA DE SANTO - (adj. ) pessoa rabisseca; que tem a bunda pequena. BURUCUTú - ( interj. ) - indica movimento brusco; queda repentina; o mesmo que tibum “ pacaum . “ Acabô de armoçá e burucutu na água “ Não dá pra piscá o zolho que ele burucutu, pá dentro “. CABADô - ( s.m. ) - artesão que lavra o corte para a fabricação da canoa; carpinteiro rústico que trabalha com o machado, facão e o enxó, no acabamento da canoa.O corte de canoa é tirado no sertão e carregado pelo rio, ou rebocado pela praia, até o rancho do cabadô. CABEÇA DE NEGRO -( s.f.) um tipo de bombinha das festas juninas. CABEÇA DE ONDA - ( s.f. ) movimento das ondas do mar agitado onde, no contorno dos vagalhões, delineiam-se inumeros montículos. CABEÇA DE PREGO - ( s.f.) um tipo de furúnculo. CABEÇO DE ONDA - ( s.m.) mesmo que cabeça de onda . CABEU ( v.t.i.) – coube; poder ser contido; poder estar dentro, caber,entrar,passar. ” Eu não medi, mas cabeu direitinho dentro” CABO - ( s.m. ) - corda de cipó, algodão ou naylon usada nas lides maritímas . “ quando chegá la fora, a hora que acabá o cabo, mecê faiz a vorta e começa a largá a rede” Fonte: PEQUENO DICIONÁRIO DE VOCÁBULOS E EXPRESSÕES CAIÇARAS DE CANANÉIA. Obra registrada sob nº 377.947Liv.701. Fls. 107 na Fundação Biblioteca Nacional do Ministério da Cultura para Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP .

Jornal Maranduba News #32  

Noticias da Regiao Sul de Ubatuba

Jornal Maranduba News #32  

Noticias da Regiao Sul de Ubatuba

Advertisement