Page 1

Maranduba, Março 2018

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 9 - Edição 106 Fotomontagem: Emilio Campi

Região Sul agora tem internet via fibra óptica


Página 2

Jornal MARANDUBA News

Março 2018

O preço por não se dobrar aos poderosos

Emilio Campi Talvez faça parte da natureza de algumas pessoas poderosas a necessidade de obter controle sobre o mundo, sobre as pessoas, querendo que você aja, pense e fale exatamente o que eles querem. E se você não se dobra aos poderosos, haverá consequências. Há um preço a ser pago pela autenticidade. Dizer a verdade de acordo com suas convicções custa caro. Os poderosos ditam padrões de comportamento e querem ser obedecidos cegamente, ou virão as perseguições e retaliações. Dizer o que se pensa também custa caro. Em tempos de comunidades e redes sociais, estamos todos sendo vitrines

Editado por: Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3849.5784 (12) 99714.5678 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Editor: Emilio Campi Jornalista Responsável: Ezequiel dos Santos - MTB 76477/SP Editora de Variedades: Adelina Fernandes Rodrigues Consultor Ambiental - Fernando Novais - Engº Florestal CREA/SP 5062880961 Consultor de Marketing - Luiz Henrique dos Santos - Publicitario Consultor Jurídico - Dr. Michel Amauri OAB/SP 324961 Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo

de milhares de pessoas, ou seja, postar algum comentário não mais lembra a quando comentávamos algo numa roda de amigos. Porque, por mais que o mundo evolua, muitas pessoas ainda não aprenderam a ouvir o que não lhes agrada, nem toleram conviver com quem pensa diferente. Também alto é o preço por sermos realistas. E, quanto mais coragem tivermos em buscar a verdade e a justiça, quanto mais fortes formos e mais certos de nossas convicções, de nossas atitudes, mais seres desgostosos encontraremos pelo caminho, prontos para nos atirar pedras. Sempre haverá quem não aceite a realidade defendendo o

indefensável. Sempre haverá aqueles que vivem das migalhas dos poderosos. Sim, seremos colocados de lado, perseguidos, retaliados, criticados, perderemos oportunidades, perderemos pessoas que se diziam amigas enquanto estivermos caminhando com o propósito de buscar a verdade e a justiça, No entanto, é assim – somente assim – que poderemos ter condições de nos manter em pé diante de cada puxada de tapete, porque então teremos conosco aqueles verdadeiros amigos que, como a gente, estão em busca da verdade e da justiça e também não se dobram do poder dos poderosos em troca de migalhas.


Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Página 3

Região Sul tem acesso a internet através de fibra óptica

A AJA.DIGITAL chegou com uma solução inovadora em fibra óptica que promete democratizar o uso da internet no Brasil e América Latina Com tecnologia de ponta, consumidores da Região Sul de Ubatuba terão acesso a um novo serviço de internet de qualidade que permite transmissão de dados e voz a longas distâncias com altíssima velocidade e sem perda de sinal. A AJA.DIGITAL está presente no estado de São Paulo com planos de expansão em larga escala e em breve estará entre uma das maiores operadoras do país. E empresa conta com um grupo de investidores nacionais e internacionais que visa torná-la em uma operadora moderna e ágil. “Queremos um mundo melhor. E para isto, entendemos que o primeiro passo é levar acesso a informação de qualidade para todas as pessoas

sem restrição de classe ou localização. Vamos conectá-las com uma tecnologia de qualidade”, afirma o CEO da empresa, Jefferson Evangelista. Os diferenciais da AJA.DIGITAL chamam a atenção do público principalmente por não ter limites de franquia na utilização de dados e pela tecnologia de qualidade que permite o serviço chegar aos mais difíceis pontos de acesso das cidades. Na região sul ela tem uma cobertura que já atende os bairros da Lagoinha, Sapé, Maranduba, Sertão da Quina, Pedra Preta, em breve no Araribá e região da Massaguaçú. “Quem imaginaria que teríamos acesso a internet de qualidade via fibra óptica lá no Sertão da Pedra Preta?” comenta Emilio Campi, editor deste informativo e pioneiro na internet desde o tempo do acesso discado via interurbano através de conexão a 9600 kbps. “Encontramos esse nicho e percebemos que ele não era trabalhado pelas outras operadoras, então vimos a oportunidade de por em prática um novo modelo de negócio que visa a satisfação dos clientes e a democratização da internet e informação”. Comenta o CEO da empresa. Com serviços disponíveis para empresas e residências, a AJA.DIGITAL traz planos de 10, 15 e 20MB com o melhor da tecnologia de fibra óptica. SOBRE A AJA.DIGITAL Inovação faz parte do DNA da empresa que traz como slogan a frase #conectamospessoas aliado à filosofia do negócio.

A AJA.DIGITAL está localizada na Avenida Tenente Manoel Barbosa da Silva, nº 50 - LOJA 7 e 8 (Shopping do Auto Posto Canto da Sereia), na Maranduba. Informações e contato através dos fones 0800-772 8088 ou (12) 3849.8198

ÁREA DE COBERTURA Lagoinha Sape Maranduba Sertão da Quina Pedra Preta Vila Santana Em breve no Araribá e Massaguaçú


Página 4

Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Ubatuba participa da Operação Rochedo COMUNICAÇÃO PMU Ubatuba é um dos 39 municípios do Comando de Policiamento do Interior Um (CPI-1) da Polícia Militar que realizaram a “Operação Rochedo” simultaneamente no último dia 28. Trata-se de operação conjunta entre todas as Unidades de Policiamento de área da região da RM Vale e Litoral Norte visando a prevenção apor meio de ações policiais de presença ostensiva, incrementando a sensação de segurança dos munícipes. De acordo com informações da Comunicação do 20º Batalhão de Policiamento do Interior (20ºBPM/I), a ação conta

com o emprego de mais de 930 homens, 259 viaturas, 100 motocicletas, duas aeronaves Águia, bem como oito cães e 30 cavalos, recursos devidamente destinados em áreas de interesse de segurança pública tecnicamente definidas por análise criminal. Somam forças aos seis Batalhões da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, o Policiamento Rodoviário, o Policiamento Ambiental, o Policiamento de Choque, o 3º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP) e Base Radiopatrulha Aérea de São José dos Campos (BRPAe-SJC). “A demonstração de força e

união denota à criminalidade que a Policia Militar está atenta a quaisquer movimentações entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro que venham a ser identificadas como crimi-

Aplicação do veneno BTI em Ubatuba continua

COMUNICAÇÃO PMU Equipes da Vigilância em Saúde de Ubatuba continuam a realizar a aplicação do veneno BTI, que elimina larvas de borrachudos. Os trabalhos acontecem no interior da mata, junto às nascentes dos rios. As equipes começaram a aplicação do larvicida pela região sul de Ubatuba, desde o Sertão da Quina, passando por Corcovado, Lagoinha e região da praia do Bonete, Grande

do Bonete e Fortaleza, Lázaro, Domingas Dias, Pedra Verde e Perequê-Mirim. Já na região central e Oeste, os pontos de aplicação são Horto e Taquaral. No extremo Norte, a aplicação é feita desde a divisa com o Rio de Janeiro, começando pelo Camburi, Picinguaba e Estaleiro. Porém, o BTI não tem efeito imediato. “O tratamento não afeta borrachudos que já estão voando e que terão sua

vida alada normalmente”, explica Patricia Machado Sanches, supervisora da Vigilância em Saúde. “Após a aplicação do veneno, são entre 30 e 40 dias para começar a sentir os efeitos e observar a diminuição da infestação desses mosquitos”, completa. As chuvas também têm atrapalhado os serviços. “O larvicida não tem efeito residual. Ele mata a larva posta ali no local. Mas, com as chuvas da última semana, o larvicida desce rio abaixo, sem ter o tempo de ação para matar a larva”, acrescenta Sanches. A reaplicação é feita a cada 15 dias. “A larva que não morreu porque a chuva levou o larvicida se tornará mosquito, que viverá o ciclo todo na fase alada normalmente”, finaliza. Como prevenção às picadas, a principal recomendação é o uso de repelentes, além da instalação de telas para evitar a entrada de mosquito em casa.

nosas. Desta forma, os cidadãos ubatubenses e de todo o Litoral Norte paulista podem ficar tranquilos”, garantiu o comandante da 3ª Companhia da Polícia Militar de Ubatuba, Ca-

pitão Robert Scott Neill. Ele ainda tranquilizou a população, lembrando que “a operação possui caráter preventivo, uma vez que não há evidencias ou mesmo indícios de movimentação de criminosos oriundos de outras localidades em nosso município.” A Polícia Militar pede que a população esteja vigilante a qualquer situação suspeita, denunciando anonimamente através do telefone 181 ou 190, quando emergência. Haverá um Posto de Comando no 5º BPM/I, Batalhão de Taubaté “General Salgado”, local centralizado para gerenciamento de toda Operação.

Base da PM é furtada

Na madrugada do último dia 23 a base da Polícia Militar 190 da Maranduba foi arrombada por um indivíduo que levou um aparelho de rádio transmissor da frequência da polícia. Uma testemunha entrou em contato com o 190 informando o ocorrido e as características do indivíduo. O COPOM difundiu o alerta e uma viatura que acabava de atender uma ocorrência na Cassandoca se dirigiu a Maranduba e após diligências encontrou o suspeito

N.P.S. de 25 anos, residente na praia da Enseada, que confessou o furto porém já havia dispensado o rádio, que não foi recuperado. Isso ressalta a fragilidade e a insegurança que a população da Região Sul vem sofrendo diante da audácia dos criminosos já que a Base da Polícia Militar na Maranduba se encontra fechada durante o período noturno. Somente no período da temporada essa base funciona 24 horas.


Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Página 5

Defesa Civil pede que população fique atenta às chuvas COMUNICAÇÃO PMU Apesar do dia ensolarado no último dia 28, a Defesa Civil solicita à população que continue atenta à previsão de chuvas no final da tarde. Diante do recebimento de alerta 585 do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) , em que consta a informação de “risco moderado de movimento de massa”, ou seja, desliza-

mento de encosta, as equipes da Defesa Civil saíram a campo desde manhã para conscientizar os moradores dessa possibilidade. “Como o solo ainda está encharcado, qualquer chuva mais intensa pode gerar deslizamento, pois a terra não consegue absorver o volume de água. Estamos orientando a população para que fique atenta e, caso haja qualquer sinal de chuva forte,

Secretaria de Meio Ambiente de Ubatuba realiza plantio de mudas na Maranduba

COMUNICAÇÃO PMU A secretaria de Meio Ambiente de Ubatuba realizou na manhã desta sexta-feira, 2, o plantio de 260 mudas na margem do rio Maranduba, na avenida Sargento Neraldino Rosa dos Santos. A ação foi feita junto com os alunos da escola municipal Virgínia Melle da Silva Lefèvre, com o objetivo de trabalhar a educação ambiental. As 260 mudas plantadas foram contrapartidas dadas pelas pessoas que entram com processo de supressão de ár-

vores junto à prefeitura. Elas incluem espécies de acerola, amora, aroeira, cabeludinha, goiaba, guacuruvu, pitanga, sibiperuna e urucum. Além do plantio de mudas, foi feita a demolição de lixeiras irregulares que estavam em área pública na beira do rio e vazavam chorume que acaba indo para o rio. A iniciativa contou com o apoio da Administração Regional Sul da secretaria de Serviços de Infraestrutura Pública, do vereador Osmar e da Guarda Civil Municipal.

procure um abrigo seguro, seja em casa de parentes e amigos ou mesmo no Centro de Convenções”, explicou o coordenador da Defesa Civil, Guaraçay dos Santos. As áreas do município que estão em uma situação mais delicada são os bairros Sesmaria, Itaguá, Praia Grande, Tenório, Toninhas, Enseada, Estufa I e II, Parque Guarani, Maranduba e Perequê-Mirim.


Página 6

Jornal MARANDUBA News

Blocos carnavalescos locais distribuem alegria mesmo com chuva Mau tempo não interferiu na festa do feriado Ezequiel dos Santos Os blocos de carnaval da região realizaram brilhante apresentação nos dias 11 e 12 últimos. Foram centenas de foliões buscando alegria nesta data. Mesmo com o tempo apertado por parte da maioria dos moradores por conta do

A festa do bloco aconteceu na noite do dia 11 e varou a madrugada, o evento trouxe mais foliões por conta dos eventos anteriores. Como sempre a música e a alegria trouxeram famílias inteiras atrás da diversão, da segurança e da tranquilidade esperada. Também foi o momento das pessoas que trabalham a temporada se divertirem um pouco mais. As marchinhas lembravam os antigos eventos que se vê na mídia e que são buscados até hoje por entusiastas destas festividades. Foi mais um evento que valeu a pena.

trabalho de temporada o esforço valeu a pena. Sem nenhum incidente e transtornos tudo correu com a maior tranquilidade. Difícil é medir a alegria distribuída pelos blocos locais para que os leitores tenham idéia do que perderam, ao menos

os que não puderam participar. Os meses de preparação, suor e muita dedicação valeram a pena. Os blocos agradecem aos apoiadores, voluntários, amigos e anônimos que fizeram desta idéia uma grande festa. Ano que vem tem mais.

KAI&ÇARA

CARNASERTÃO Misto de festa e show ao vivo, o evento que ocorreu no dia 12 também não desanimou por conta da chuva. O bloco literalmente balançou os foliões que dançavam e sambavam na chuva. No caminhão de som uma jovem banda destacava os grandes sucessos do país no samba. De início uma oração e palavras de bênçãos a todos. A chuva, ao invés de desanimar, levou mais frescor e alegria a esta grande festa popular familiar Com aparatos tecnológicos, telão e muita luz a estrada municipal ficou pequena para tanta alegria. Só quem teve lá é que pode falar como foi bom.

Março 2018


Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Página 7

Grupo quer a liberação do nudismo na praia Mansa em Ubatuba

MIX VALE Um grupo de naturistas da região quer que a praia Mansa, em Ubatuba (SP), permita a prática de nudismo. Para isso, eles discutem com vereadores a criação de um projeto de lei que permita a atividade. Caso a proposta avançe, a praia poderá ser a primeira do Estado de São Paulo e permitir a prática do chamado nudismo social. Integrantes do grupo Naturistas do Vale do Paraíba e Litoral Norte (NatVale) estiveram na cidade durante dois fins de semana de janeiro para mapear possíveis áreas apropriadas. A escolha, segundo o grupo, leva em conta, por exemplo, privacidade e a beleza do ambiente. “O estado congrega o maior número de naturistas no Brasil e não tem nenhuma praia para este fim. Quando o paulista quer frequentar uma praia assim, deve se deslocar para outros estados, como a Paraíba. Imagine o percurso e os gastos que a pessoa tem”, explicou Ademar Amorim da Silva Júnior, membro da comissão de ética e disciplina do NatVale. Ele aponta que a atividade pode colaborar com o turismo em Ubatuba. “O turismo ganharia com isso. A prática naturista acontece durante todo o ano, não somente na época de alta temporada. Hospedagens poderiam ser apropriadas para naturistas, restaurantes criados, é uma forma de movimentar a indústria de turismo”, disse. Lei Os naturistas seguem as

regras estipuladas pelo conselho de ética da Federação Nacional do Naturismo. Entre as restrições estão a prática de atos sexuais em áreas públicas, fotografar ou gravar naturistas sem permissão e realizar necessidades fisiológicas em áreas impróprias. “Todo e qualquer comportamento que foge da essência naturista que é a familiar e de respeito com o meio ambiente é banido. Essas pessoas poderão ser expulsas e ficarão impedidas de participar de qualquer atividade naturista”, afirmou Amorim. Para que a praia possa receber a atividade, é necessário que haja uma lei municipal permitindo a prática. Ela precisa ser aprovada pela Câmara e sancionada pela prefeitura. No caso de

Ubatuba, o grupo articula com vereadores a elaboração de um projeto, dando início ao processo. Ainda não está definido se algum parlamentar vai apresentar a proposta. Vereadores ouvidos pela reportagem afirmaram que estão avaliando o pedido dos naturistas. Em nota ao G1, a Prefeitura de Ubatuba informou que haverá uma análise da lei, caso ela seja elaborada. Segundo a secretaria de Assuntos Jurídicos, caso venha a ser apresentada a proposta, ela deve prever restrições de acesso ao local, respeito às normas para utilização da praia para esse tipo de proposta, respeito à dignidade das pessoas e ao pudor público. Outro lado Embora Santa Catarina

abrigue três das oito praias onde a prática do nudismo é liberada no Brasil, sendo as outras no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Paraíba, por aqui nas redes sociais e nas conversas de esquina houve polêmicas sobre o assunto. Grande parte dos moradores da região se sentiu traída por conta de haver mais um encaminhamento sem que a população pudesse ser ouvida e se manifestar. A maioria se posicionou contrário a implantação de nudismo em alguma praia da região. Os motivos foram os mais variados, o principal foi a de não ouvir a população como manda o devido processo legal. Outros questionaram o número de ilhas existentes na costa de Ubatuba onde a pratica seria muito mais

“naturalista”. O fato de haver regras, isto é cercear o direito das pessoas não adeptas a esta filosofia, a frequentar as praias também indignou alguns moradores. Outros fatores foram os questionamentos sobre se de fato esta pratica é importante para o turismo na região, se não há outras praticas onde todos sem excessão possam participar. Representantes da associação quilombola foram procurados para tratar do assunto. Lá as praias estão designadas pela comunidade ao turismo pedagógico – por conta dos sítios arqueológicos, turismo rural, ecoturismo, turismo histórico e cientifico, por exemplo. Questionamento também sobre a estrutura para o tal fim, sobre a fé e espiritualidade e sobre as questões históricas, culturais e antropológicas que ajudaram transformaram o local em um valor de grande destaque identitário nacional. Com o advento do turismo de massa, da especulação imobiliária e da construção de acessos algumas famílias buscam locais mais isolados que remetem as suas origens, bem ao natural e a praia Mansa foi citada como uma das procuradas. Mesmo dentro do Conselho Municipal de Turismo há duvidas sobre sua implantação ou real necessidade para o turismo regional, tendo em vista alternativas que já vinham sendo discutidas para Ubatuba. Pouca gente falou do fator nu na praia. Agora é aguardar o desenrolar da proposta.


Página 8

Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Reunião discute Saneamento Básico na Região Sul

Atual proposta da SABESP prevê inicio das obras a partir de 2021. Prefeito não assina novo contrato sem rediscutir cronogramas. Emilio Campi Após a praia da Maranduba ser classificada com bandeira vermelha pela CETESB, o vereador Osmar de Souza marcou uma reunião no dia 26/02 no Restaurante Sinha na Maranduba onde estiveram presentes o prefeito Décio Sato, o Superintendente de Desenvolvimento Sustentável Pedro Tuzino e o Gerente da Unidade da Sabesp de Ubatuba Fabio Okamoto para tratar do assunto Saneamento Básico. Okamoto ressaltou sobre o abastecimento de água proporcionado pela nova estação que não deixou faltar água durante os períodos de maior consumo nos feriados, principalmente durante o réveillon. Informou ainda que a nova estação trabalha bem abaixo da sua capacidade e oferece uma ótima oferta de água para a região. Quanto ao esgoto, o gerente da Sabesp informou que diante da nova Lei de Saneamento Básico, todas as cidades devem aderir a essa lei. No contrato antigo firmado entre a Prefeitura de Ubatuba e

a SABESP, o projeto executivo será finalizado neste primeiro semestre de 2018, e prevê o início das obras de saneamento da Região Sul para o ano de 2021. Essa obra depende da negociação em andamento com a atual administração. O Superintendente Pedro Tuzino informou que a atual administração, mesmo diante do desgaste que possam ter junto ao governo do estado, está cobrando um melhor posicionamento junto a SABESP quanto a agilização do atual cronograma. “Nós não assinamos o contrato

até agora porque nós queremos um cronograma mais curto, ou outra alternativa”, disse Tuzino. O prefeito Sato reconhece que Ubatuba é a cidade mais prejudicada pela falta de saneamento básico na região. Enquanto as outras cidades avançaram nesse sentido, Ubatuba está com um atraso de 30 anos devido a falta de cobrança das administrações anteriores. Entre as várias negociações, proposta de criação de uma agência reguladora de água e esgoto para as cidades do litoral norte, o prefeito Sato está aguardando a

Fernando Pedreira Em 1997 o Prefeito Zizinho sinaliza que irá trabalhar com as comunidades através das associações de Bairro. Prontamente formatamos a SAB SANTA CRUZ e procuramos associações outras para unirmo-nos em defesa de nossa REGIÃO SUL. Na época a ex-vereadora Mia Mafalda representava várias associações da Lagoinha, pois seus líderes moram ou moravam em outras Cidades. A saudosa Mia astuta e com muita experiência soube do então projeto de saneamento de Ubatuba, inclusive de nossa região, e convocou uma reunião entre a Prefeitura, Sabesp e Associações da Região Sul. Na sua assertiva previsão se não ficássemos “expertos” essa obra acabaria não sendo feita e as verbas destinadas a elas acabariam por desaparecer. Dentro desta premissa a proposta feita por Ela na qual to-

das as associações concordaram era que o Prefeito Zizinho lançasse um PLANO DE CONTRIBUIÇÕES DE MELHORIAS que seria cobrado na conta de água e com esta ação priorizar as obras de Saneamento da nossa Região Sul. Naquela reunião feita no Gabinete do então Prefeito Zizinho Vigneron estavam presentes: Prefeito Zizinho, Superintendente da Sabesp no Litoral Paulista – João Carlos, Gerente da Sabesp Ubatuba – Pedro Tuzino. Lideres de Associações: Mia Mafalda - Marlene Graf - Fernando Pedreira – Maria Pia A proposta foi rejeitada pelo Prefeito sob a alegação que o governo estadual estava fazendo de graça, como ele Prefeito iria cobrar. A posição do João Carlos Superintende da Sabesp foi que se o Prefeito aceitasse a proposta as obras seriam sim priorizadas na Região Sul, e que os valores arrecadados

seria revertidos no prolongamento da rede coletora. Nos tranquilizou dizendo que as licitações das obras já estavam em curso e que as obras começariam ainda em 1997 com término em 180 dias, ou seja, em 1998. Lamentavelmente repito, a previsão da Mia se confirmou e nada foi feito. Depois disso continuou nossa luta através de cartas pedindo o paradeiro das nossas obras no que fomos informados que não havia nenhum projeto sobre o saneamento da nossa região. Desencontro total de informações, umas dizendo que havia o projeto outras negando resultado da MENTIRA que nunca prevalece. Continuamos e fomos até a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo onde ocuparam as tribunas o Vereador Jairo dos Santos, a Vereadora Luciana Machado e Eu Fernando Pedreira nos posicionando a respeito de nosso

conclusão por parte da SABESP de obras de abastecimento de água e captação de esgoto para alguns bairros da região central do município, o que ele já considera que diminuiria esse atraso de 30 anos de Ubatuba em relação as outras cidades do Litoral Norte. Diante disso, o prefeito disse que aguardaria a licitação de obras para atender cerca de 9 mil ligações de esgoto na região central, e somente depois disso iria rever e negociar novo contrato com a SABESP. A previsão seria entre os meses de março e abril. Até lá não assinaria nenhum contrato com a SABESP. “Eu não vou assinar um contrato de 30 anos para ficar mais 30 anos sem realizar. Eu fui claro com a SABESP sobre isso. Por isso vou aguardar os acontecimentos que me prometeram para que eu possa sentar e rediscutir o que vamos fazer. Se é mesmo a SABESP que continua ou se é outra empresa que vai vir. Eu preciso de benefício para minha cidade”, concluiu Sato.

Os expectadores da reunião não ficaram contentes com a previsão de que, se correr tudo bem, as obras de saneamento básico na região sul começaria somente em 2021. O empresário Fernando Pedreira protestou relembrando o prefeito que em 1996, no gabinete do então prefeito Zizinho Vigneron havia sido informado que as obras estavam em fase de licitação e era para ser concluídas em 2000. A ex- vereadora e moradora da região Luciana Resende disse estar decepcionada com essa previsão. Informa que quando vereadora esteve cobrando durante seu mandato junto a Assembléia Legislativa e que essas obras já deveriam estar concluídas. Entre outros assuntos foram discutidos a segurança no local de captação da SABESP no Sertão da Quina, a regularização fundiária, o congelamento de áreas, os buracos, o Teatro, a Santa Casa, as Leis de cobrança ambiental e hospedagem cama e café, enfim, problemas e soluções que afetam a população de Ubatuba.

SABESP: trinta anos explorando nossa cidade

Reunião na Secretaria de Recursos Hidricos em 2012 saneamento e de outras obras para a nossa região. Deixamos na ocasião uma Carta Aberta endereçada ao Governador Geraldo Alckimin nas mãos de seu assessor, carta esta que jamais fora publicada em jornais de expressão porque fomos boicotados. Voltamos então em 2012 já na SECRETARIA DE RECURSOS HIDRICOS que nos deram um prazo desanimador que era para 2017 e agora voltam novamente com esta

conversa para 2021. Esta empresa ¨SABESP¨ se interessa é pelo lucro, não está preocupada com a preservação de nosso patrimônio. Capta água de nossas cachoeiras deixando pontos vulneráveis e provocando acidentes fatais, estragam nosso patrimônio turístico, tratam a água por decantação e entregam por gravidade, quando entregam, pois somente este ano não tivemos problemas de abastecimento.


Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Página 9

Saneamento: 30 anos de atraso O Estado de São Paulo possui aproximadamente 500 quilometros de costa litorânea. Cerca de 20% dessa área pertence ao município de Ubatuba. São mais de 100 quilômetros de costa, 1/5 do litoral paulista. Durante a alta temporada Ubatuba adormece com 100 mil habitantes e desperta no dia seguinte com mais de 1 milhão de pessoas.

Isso de deve as belezas naturais, as praias, rios e cachoeiras. Ubatuba não possui uma infraestrutura adequada para receber essa quantidade de pessoas, principalmente no que tange a saneamento básico. O município sofre com um atraso de 30 anos em relação a outras cidades da região. Desde 1998 há tratativas junto

CARTA ABERTA AO GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO SR.GERALDO ALCKMIN Ubatuba 19 de outubro de 2005 Em correspondência enviada a Vossa Excelência em abril de 2004 quando nos reportávamos ao ano de 1998, que no gabinete do então Prefeito Zizinho Vigneron, com a presença dos Srs. João Carlos então Superintendente da SABESP no Litoral Norte, Pedro Tuzino Gerente da SABESP em Ubatuba e diversas associações de bairro da região sul da Cidade, nos fora garantido que para as obras que contemplavam a nossa região com 20 kilometros de rede de esgoto, estação de tratamento, captação de 1 Bilhão de litros de Água com o devido tratamento já haviam recursos destinados e que a licitação seria realizada por volta de julho/1998 com previsão de conclusão das obras em 180 dias, não havia sido realizada, Vossa Excelência respondeu em sua carta datada de julho de 2004 a qual transcrevo: “Em atenção à solicitação a SABESP informou que já elaborou os projetos executivos para as regiões de Maranduba, Lagoinha, Sapê e Sertões como segue”: Sistema de abastecimento de água composto de captação do Rio Água Branca, adutora água bruta, estação de tratamento de água, adutora de água tratada, reservatório e rede de distribuição. Valor do empreendimento é de R$ 9.000.000,00. Sistema de esgoto sanitário composto por coleta, transporte, estação de tratamento de esgoto e disposição final. Valor do empreendimento R$25.000.000,00. As áreas necessárias estão sendo desapropriadas para possibilitar a execução dos empreendimentos bem como está sendo elaborada a documentação para licenciamento ambiental. Considerando os custos para execução das obras, a SABESP estão consultando os órgãos BID, CEF e BNDES para obtenção de financiamento, visando antecipar as implantações”. Na RN 140/04 da SABESP endereçada para o Sr. Markus Zerza, analista ambiental do IBAMA de 15 de julho de 2004, não consta o projeto de saneamento, bem como, informações obtidas que em reunião com o presidente da Câmara de Ubatuba Sr. Jairo dos Santos, o Eng. Ricardo Amadei declara não haver projetos neste sentido, nos causa tanta indignação que nos leva a questionar o seguinte: a) Onde foi parar a verba que havia sido destinada em 1998? b) Que tipo de organização é a SABESP que se contradiz nos documentos acima citados? c) Onde ficam os estudos, projetos e realizações de obras prevendo o impacto ambiental que efetivamente teremos com as realizações dos MEGA-INVESTIMENTOS da região? { Petrobrás ( plataforma gás natural) Porto de São Sebastião, CDP, Retroporto, Duplicação da Rod. Dos Tamoios} Vossa Excelência nos visitou recentemente para efetuar o assentamento do núcleo Quilombola da Caçandoca e pôde constatar a proximidade da nossa região do “epicentro” dos mega-investimentos acima citados, bem como a incompatibilidade de nossa estrada, principalmente na passagem por Caraguatatuba, onde não existe uma ligação direta da Tamoios para a Manoel Hipólito do Rego em nossa direção, o que exige ação também neste sentido, porém com uma discussão com nossas comunidades, pois não queremos que aconteça o que vem acontecendo nas cidades de Caraguá e S.Sebastião, em virtude dos vários núcleos populacionais pela qual esta estrada passa. Destinou também verbas para execução de projetos de urbanização, que nosso Prefeito Eduardo Cezar agradece, mas que ao nosso entender são verbas infinitamente insuficientes para uma Cidade tão abandonada como a nossa, principalmente se formos aqui fazer comparações. Solicitamos, portanto, Senhor Governador, uma posição elaborada de próprio punho para podermos confiar nas ações que temos certeza que Vossa Excelência estará contemplando nossa região. Ubatuba 19 de outubro de 2005. Abaixo Assinado: Associação da Baia do Mar Virado Sociedade Amigos do Balneário Santa Cruz AMCA-FS - AMAFS - AMAC - SUSQ AMMA - SABARÁ - FORTALEZA ACA-RIO DA PRATA - AMAI COMISSÃO DA TABATINGA AMOAVISAN

ao Governo do Estado, Secretaria de Recursos Hídricos e SABESP visando a implantação do saneamento básico em nossa região. Segue cópia de Carta Aberta enviada ao Governador Geraldo Alckmin em outubro de 2005 e também a Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de S.Paulo em julho de 2012. À SECRETARIA DE SANEAMENTO E RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO Ubatuba, 30 de julho de 2012 A/C – Sr. Secretário Edson Giriboni São Paulo – SP. Prezados Senhores: Estamos anexando cópia de várias correspondências trocadas com os mais diversos órgãos tanto na esfera Estadual como na Federal que poderiam nos ajudar na empreitada de conquistarmos nosso Saneamento Básico incluindo o Governador Geraldo Alckmin e na época o Presidente Lula, bem como ata de reunião de nossas comunidades. Nossa história remonta de mais de 20 anos, mas documentadas a partir do ano de 1997 quando em reunião no gabinete do então Prefeito Zizinho Vigneron, na presença de várias lideranças comunitárias nos fora garantido pelos também então Superintende da Sabesp na baixada do Litoral Paulista o Sr. João Carlos e o Sr. Pedro Tuzino gerente da Sabesp na Cidade de Ubatuba, que as licitações das obras de Saneamento de nossa região seriam realizadas em julho e com obras estimadas para conclusão em 180 dias, ou seja, na temporada 1997/1998 contaríamos com coleta em 20.000 m. de extensão e tratamento de esgoto, além da capitação de 1 bilhão de litros d’água com a devida distribuição, pois já existiam recursos alocados para tal. Nossa proposta naquele dia, por não acreditarmos nessa possibilidade, era de que o Prefeito Zizinho lançasse um carne de contribuição de melhorias para que este compromisso fosse mais efetivo e priorizado em relação às outras obras, no que o Prefeito Zizinho não acatou por achar medida antipopular uma vez que o Governo do Estado garantira a execução dessas obras gratuitamente. Mais uma vez o Sr. João Carlos deixou claro que se fizéssemos essa contribuição as obras seriam sim priorizadas e o produto arrecadado reverteria no aumento de melhorias na nossa região, porém que não nos preocupássemos, pois essas obras aconteceriam. Lamentavelmente ficamos sabendo de forma oficiosa que a licitação fora impugnada por uma das partes e que teria que ser resolvida de forma judicial. Para nossa surpresa, já em 2004, em palestra na Câmara de Ubatuba o Eng. Ricardo Amadei Superintendente da Unidade de Negócios do Litoral Norte diz que na verdade, não existem projetos de saneamento para a nossa região, e documenta em resposta à nossas indagações na RN 140/04 em anexo que relaciona as obras previstas, todas apenas para capitação e distribuição de água. Indignados protocolamos então uma carta aberta ao Governador Alckmin, bem como uma dezena de outras incluindo a Sabesp, questionando esta por ser uma empresa que perdia toda a credibilidade, pois se contradizia em seus documentos, uns declarando que as obras a serem contempladas eram aquelas acima citadas e dando como valores R$ 9.000.000,00 para a Água e R$ 25.000.000,00 para o saneamento e outra a RN 140 citada, que negava estas afirmações. Na época dezembro de 2005, além da entrega da carta ao Governador que desta também faz parte, nos pronunciamos na Tribuna da Assembléia Legislativa e na ocasião o presidente da mesa era o Deputado Jilmar Tato expondo toda a nossa preocupação, chegamos a implorar, pois, os projetos de desenvolvimento nas Cidades vizinhas de Caraguatatuba e São Sebastião apontavam, como apontam para um crescimento astronômico o que com certeza nos causaria um impacto de vizinhança muito grande o que já ocorre nesse momento, gerando uma carta ao Consema, protocolada em Audiência Pública do Contorno Norte da Cidade de Caraguá, e pela internet que ganhou o protocolo de nº 1248/12 que também anexamos. A resposta veio apenas em fevereiro de 2007 com um descritivo da Sabesp de obras efetuadas e obras a efetuar na Cidade de Ubatuba anexada ao oficio GS 066/07 emitido por essa Secretaria e assinada por Dilma Seli Pena. Nesta também estão projetos de Saneamento que compreende 28.000 m de rede coletora com 5300 ligações prediais e 11 estações elevatórias de esgotos, 1 Estação de Tratamento de esgotos para 190 L/s, linhas de racalque e emissários orçados em R$ 36.953.882,00 para uma população de 36.000 habitantes que se encontra em fase de desapropriação e licenciamento aguardando equacionamento financeiro. Lembramos que em todas as correspondências estão citadas as necessidades de capitação financeira junto a Caixa, BNDES entre outros e como são constantemente divulgadas notícias de verbas para esse segmento, dizer que não se consegue dinheiro para um projeto de salvação de uma das regiões mais ricas do planeta em preservação ambiental e recursos turísticos é zombar de nossa capacidade de entendimento, pois além de tudo estamos no Estado mais rico da União e os investimentos que estão sendo feitos nas Cidades Vizinhas tornam o nosso, moeda de troca, como se diz no popular “dinheiro de pinga”. Gostaríamos imensamente de receber como resposta dessa missiva o início imediato das obras, pois notícias veiculadas na imprensa projetam investimentos em nossa região apenas em 2016/2018 e por mais que nos esforcemos fica difícil acreditar em mais uma promessa que com certeza em 2016 serão transferidas para 2020. Por outro lado, entendemos que, por absoluta falta de infra-estrutura nossa região estará sem o progresso que desejamos e com a necessidade de se aumentar os investimentos para despoluirmos nossas praias e rios, uma vez que com a duplicação da rodovia dos Tamoios teremos uma demanda ainda maior e com certeza a natureza não resistirá. Outro fato que nos deixa ainda mais indignados é a diferença de tratamento entre Nós e a Cidade vizinha de Caraguatatuba, que o Governo Alckmin dá. Além de inaugurar diversas estações de tratamento nos últimos anos, planeja investir a partir de AGORA, mais de 170 milhões em Obras para o Esgotamento Sanitário. Esforçamo-nos ao máximo para manter a credibilidade na Cia. de Saneamento do Estado de São Paulo SABESP, pois os documentos anexos comprovam o que dissemos e esperamos que o Governador Geraldo Alckmin tenha a sensibilidade de, desta vez, privilegiar nossa região, pois, foi em sua gestão de 1998 a 2002 é que desapareceram os projetos já com a devida dotação orçamentária. ASSOCIAÇÃO DA ENSEADA DO MAR VIRADO Estrada Sertão da Quina 57 Maranduba - Ubatuba – SP - CEP 11.680.000 E-mail – associacaodaenseadadomarvirado@gmail.com - Fone – 12 -38498576 - Cecília Pres. Kazue Murakami Vice – Fernando Pedreira C/C Governador Geraldo Alckmin Deputado Luiz Marcolino


Página 10

Março 2018

Jornal MARANDUBA News

A   parábola da Cruz (autor desconhecido)

Éric F. Scarabelin Uma mulher orava sempre à Deus reclamando dos seus problemas e pedindo para que fossem amenizados, um belo dia apareceu um anjo e disse-lhe que o seu pedido havia sido atendido. À partir daquele momento a sua vida passou a ser calma, tranquila e sem dificuldades até o dia em que faleceu. Chegando no outro lado ela carregava um pequeno crucifixo e passava sorridente perto das outras pessoas arrastando

Jornal MARANDUBA News

TODO MUNDO LÊ. ANUNCIE: (12) 99714.5678

suas pesadas cruzes, todos pararam diante de um desfiladeiro, do outro lado estava Jesus. Um deles perguntou como chegar até o mestre e a resposta foi para que cada um deitasse a sua cruz e usassem como ponte, chegando na vez daquela mulher indagou como faria, a resposta foi de que a cruz dela era igual a de todos e que agora nada poderia fazer. Um forte abraço fraterno à todos.


Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Uma apresentação que impressiona Recebemos uma carta de apresentação de uma pessoa oferecendo seus serviços relacionado com obras, eletrica e afins. O que nos surpreendeu foi a clareza e objetividade aplicados no texto, a forma de apresentação e a linguagem que é digna de uma peça publicitária de alta qualidade. Entramos em contato com o autor, Alexandre Carvalho, que afirmou que sua carta de apresentação causa surpresa às pessoas por ser escrita por uma pessoa que trabalha com obras. Alexandre revela que executa todos os trabalhos com dedicação e amor, e esses ingredientes também foram utilizados na sua carta de apresentação. Reproduzimos a carta de de Alexandre Carvalho na íntegra para mostrar que a dedicação e o trabalho feito com amor gera frutos em todos os segmentos da sociedade: * * * A.C. Serviços A quem interessar possa; Olá, Seu lar, o bem maior e mais sonhado por você e sua família, desgasta-se como qualquer outro, adquirido com muito trabalho e esforço, ele necessita de manutenção para continuar sendo o paraíso do descanso e de interatividade da família. Você lava seu carro, troca óleo, pneus, pinta, e todo o mais para sempre deixar ele bem visto, o seu lar precisa dos mesmos cuidados, uma troca aqui outra acolá, e ele vai cada dia ficando mais aconchegante e com a cara da família, ficando dentro as recordações de toda uma vida. Então para deixa-lo sempre assim, venho apresentar-me,

a solucionar pequenos problemas para você que não tem tempo ou o conhecimento necessário, ou até mesmo quer alguém para lhe ajudar a resolver os problemas juntos. Me chame caso você: - Tenha prateleiras, cortinas, quadros ou o suporte de tv para instalar; - Tenha um móvel para desmontar ou mudar de lugar; - Consertar aquela luz que está piscando; - Mudar o ponto de iluminação; - Refazer a distribuição da iluminação de algum ambiente; - Iluminar sancas; - A tomada que parou de funcionar; - Trocar tomadas velhas por novas ou aumentar o número delas em casa; - Revitalizar o rejunte da cozinha ou do banheiro; - Efetuar a troca da torneira, instalar os acessórios novos do banheiro, da resistência do chuveiro ou instalar o chuveiro novo;

- Instalar a máquina de lavar roupas ou louças; - A montagem do novo painel de tv, ou um desenho, para um com suas exigências; - Trocar aquela cerâmica trincada que tanto incomoda; - Revitalizar as cores da fachada ou de um cômodo; - Impermeabilizar a área da piscina, envernizar o deck; - Decorar aquela parede de destaque com uma pintura especial ou outro detalhe como madeira, pedra ou gesso especial; - Tratar infiltrações ou fissuras das paredes; - Limpeza das câmeras de segurança (lentes e vidros embaçados, troca de balun ou cabo com defeito); - Consultoria de sua reforma. Através desta carta espero poder ajuda-lo (a), em breve. Posso dar referências. Atenciosamente Alexandre Carvalho Fone e Whats: (12) 99637.7516 * * *

Página 11


Página 12

Jornal MARANDUBA News

Março 2018

A verdade cruel de nossa “Santa Casa”. “MISERICÓRDIA”! Vicente Malta Pagliuso A Santa Casa, boa e especial herança da coroa portuguesa, primeira ONG na história, foi fundada em 1498, a partir da remodelação da Confraria de Caridade Nossa Senhora da Piedade, com o pertinente nome: “Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”, pelo Frei Miguel Contreiras, com o apoio da rainha D. Leonor de quem era confessor. Atualmente, em Portugal a instituição está presente em todo o país, sendo a de maior porte a de Lisboa, que se encontra no Largo Trindade Coelho, entre o Chiado e o Bairro Alto. As Santas Casas entenderam-se para as Colônias, incluindo o Brasil. No Brasil, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia surgiu ainda no período colonial, instalando-se em Santos desde 1542, propagando-se por todo o Brasil. Em Ubatuba, têm-se notícias de que a Santa Casa de Caridade da Irmandade do Senhor dos Passos de Ubatuba, conhecida também, como “Santa Casa de Ubatuba”, foi fundada por volta de 1854, portanto com mais de 160 anos. É um dos mais antigos estabelecimentos hospitalares do Estado. A Santa Casa de Ubatuba iniciou suas atividades em um prédio assobradado de arquitetura colonial, que abrangia todo o quarteirão, compreendido pelas ruas Salvador Corrêa, D. João III, Jordão Homem da Costa e Rua da Liberdade. Ao anoitecer do dia 28 de agosto de 1912, um pavoroso incêndio destruiu totalmente o edifício. Por conta deste infortúnio, a entidade passou a funcionar em um prédio situado no Largo da Matriz até o ano de 1920, quando se transferiu para

o prédio da Rua da Conceição onde funciona até a presente data, fazendo fundos com a Rua Thomaz Galhardo. Não resta dúvida que a Santa Casa de Ubatuba, além de sua função social, é um patrimônio histórico a ser preservado; pois foi fruto de lutas e esforços da comunidade. Portanto há que se ter respeito à história e aos esforços da comunidade. A Santa Casa sempre viveu em dificuldades; mas a comunidade esteve presente lutando e preservando-a. Esta, no transcorrer da história de nossa comuna sempre preencheu as deficiências do Estado, no atendimento hospitalar, cumprindo a sua missão de amor no seio da comunidade. Com o passar do tempo, o município, além de não cumprir as suas obrigações com a saúde, passou a onerar a Santa Casa, chegando-se à execrável e criminosa requisição, medida esta

abominável ao espírito e à história das Santas Casas de Misericórdia; demonstrando, assim, a ignorância, a falta de escopo social e a maldade da gestão interventora. As subseqüentes e duvidosas provedorias, atreladas às forças políticas do município, na mesma direção da intervenção levaram a entidade a esta situação atual de quase falência e ferindo os sentimentos da comunidade, que a tem como a sua menina dos olhos. O objetivo da requisição deveria ser, exclusivamente, o saneamento da dívida daquela instituição (decreto 4.481/05), que não ultrapassava a cinco milhões, proporcional ao seu patrimônio; bem como um melhor atendimento. Seis anos depois (decreto n. 5577/11) fora revogado o decreto requisitório, com a justificativa de que os motivos da requisição haviam sidos satisfeitos, já não mais existindo “o estado de calami-

dade” (dívida). MENTIRA! MENTIRA! Duas mentiras: a dívida tornou-se intransponível; e, a devolução da Santa Casa à comunidade foi fictícia, mentirosa, pois continuou a ser gerenciada pelo gestor municipal através de pessoas sobre o seu controle até as duas últimas gestões, que se rebelou ao comando político do executivo, mas tornara-se vítima de rivais forças políticas, comprometidas com a intervenção. O motivo desta astuciosa revogação (intervenção) certamente foi: “fugir de responsabilidades pelos danos causados à Santa Casa” Hoje, fruto da requisição ninguém sabe ao certo o tamanho da dívida da Santa Casa. Alguns dizem 50 milhões, outros 100 milhões. Somente uma rigorosa e idônea auditoria, nos informará a exata situação financeira da entidade e os prejuízos desta

farra perversa praticadas pelos responsáveis do palácio municipal em desfavor da entidade e de nosso povo humilde. As duas últimas gestões foram eleitas mediante articulações temerárias, regidas por interesses, politiqueiros, particulares e mesquinhos. Prova disto: processo 300170108.2013.8.26.0642 e pelo IP 819/13 inclusive com laudo do Instituto de Criminalística comprovando fraudes; processos: 1001045-80.2016.8.26.0642; 1000834-44.2016.8.26.0642. É fato que a gestão recentemente afastada judicialmente era ilegítima, imoral e danosa; sem nenhuma relação com os nobres objetivos desta histórica entidade. Uma vergonha, que somente pode ser entendida pela ignorância e selvagem ganância. Existe uma ação indenizatória da Santa Casa em face do município, exigindo os prejuízos suportados pela entidade por conseqüência da desditosa intervenção. Quem vai pagar a conta???? HOJE Fruto de muitos questionamentos judiciais, a entidade acabou resultando, hoje, em uma determinação judicial, que obriga o Secretário Municipal de Saúde a gerenciar a entidade por 90 dias: administrá-la e promover novas eleições. Vamos ver o que acontece! Particularmente, acredito que o prazo desta mini intervenção é exíguo, para medidas efetivamente saneadoras. Ainda, não tenho certeza se não colocaram o vampiro para tomar conta da Banca de Sangue!!!!! Mas vamos aguardar o que farão com esta “Casa Santa”, nascida em espírito de “Misericórdia”, sob a proteção do “Senhor dos Passos”.


Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Página 13

Região perde duas personalidades que representaram o amor à localidade Ezequiel dos Santos O último mês de fevereiro foi de tristeza e de muitas saudades. Nos últimos dias 15 e 17 faleceram duas importantes personalidades de nossa região. De um lado “Ela”, a senhora, mãe, esposa, amiga, companheira e empreendedora Iaeko Shigekawa Obara, 73 anos. De outro lado “Ele”, o amigo, pai, companheiro, solidário, sorridente, piadista, artesão e pescador Aristides Félix dos Santos, 77 anos. Ambos representam o histórico de lutas dos pioneiros que de fato gostavam da localidade. De Iaeko para Isaura Ela, mais conhecida como Dona Isaura era cativante na sua simplicidade, por detrás daqueles olhos nipônicos uma sabedoria silenciosa de dar inveja. Não há registros em suas décadas vividas de alguém que tenha qualquer reclamação de Dona Isaura, aliás, descobriu-se ao fazer esta matéria o porquê de Dona Isaura já que ela se chama Iaeko. Um dos filhos conta que por ter o nome muito complicado, muita gente a chamava de vários nomes: “Oi Dona Maria!”, “Bom dia dona Ismênia”, então certo dia um tio bateu o martelo e disse a família (ou algo assim): “Pronto vamos chamá-la de Isaura, fica mais fácil!”, pelo jeito deu certo! Melhor assim já que por aqui muitas pessoas são chamadas pelos apelidos e muita gente desconhece os nomes verdadeiros. A quitanda que começou tímida e simples no Sertão da Quina virou marca registrada de uma mulher guerreira na Maranduba há pelo menos 3 décadas. Junto com seu esposo Norio Obara, 72,

Dona Isaura e esposo Norio Obara em 1972 já falecido, criou e repassou seus ensinamentos aos filhos Dalva Fumiko Obara, Noriko Obara, Hideo Obara e Edson Yassufumi Obara. Embora tivesse muito que dizer dela, as pessoas ouvidas pelo JMN em comum queriam apenas dizer a ela, por tudo que ela fez e representou na comunidade apenas “Arigatou gozaimasu!” (Obrigado!) Caneco – Inconfundível! Tendo como marca registrada o sorriso alegre, festivo e verdadeiro, Aristides Félix dos Santos nasceu lá pelas bandas da “préia da Caçandoca”. Pelo histórico de brincadeiras com as pessoas foi um daqueles meninos “arteiros” que a mãe vivia “ralhando” para sossegar o “facho”, senão tomava uma “sóva’ de “timopéva” nas “escadeiras” até ficar quieto.

Aristides Félix dos Santos - “Caneco”

Para a época enfrentou muitos obstáculos tendo em vista que era um tempo que não possuía um histórico de facilidades como hoje. Das responsabilidades familiares fez seu nome, das lutas e conquistas fez muitos amigos, dos parentes e amigos uma comunidade e dentro desta comunidade uma grande família. Ainda novo ganhou o apelido de “Canéco”, “comedô” de “pirajica” não perdeu tempo casando-se com dona Marli, união que gerou os filhos Aristides, Alcemir, Arlete e Anita. Também em seus últimos momentos recebeu fãs. “Pescadô” de peixe e alegria, não havia quem não se sentisse alegre ao seu lado. Deixou muitas saudades e um grande legado. Aqueles olhos da cor do mar, infelizmente, não mais serão vistos. Foi ele quem lembrou e guardou informações preciosas para publicação sobre os primeiros anos escolares na região. Caiçara nato, tanto na forma como na essência, possuía um repertório de maravilhosas histórias reais, claro que também pitadas de alegria e sátira, grande parte as viveu com os amigos e familiares. Companhia agradável e como a vida toda foi pau pra toda obra não faltaram elogios sobre sua pessoa. Com certeza deve estar num lugar divino pescando no calão de fora rindo como era de costume. Os amigos e familiares tem apenas um sentimento sobre os outros: “Arrelá! (espanto, admiração) Lhéi (olhe) só! “Bigie! Bigie (veja) só gente! Quanta “sodade” (saudade) do Canéco!”. * * *


Página 14

Ponte da Caçandoquinha é reconstruída através de mutirão

No último dia 20 de fevereiro, o acesso à Caçandoquinha dentro do quilombo da região sul recebeu uma melhoria significativa. Um mutirão envolvendo Regional Sul, vereador Osmar de Souza e principalmente moradores do quilombo deu fim a uma antiga angustia dos comunitários. A reclamação anterior deu resultado e prefeitura providenciou material num primeiro momento e no segundo

Março 2018

Jornal MARANDUBA News

momento literalmente a mão a massa. Os moradores reclamavam que o local estava em condições deficitárias de uso, conservação e tráfego, tornando arriscado e perigoso seu uso. Já no último dia 2 de março a regional sul foi ao local realizar melhorias no leito carroçável do acesso as residências quilombolas no caminho a Caçandoquinha. Por não possuir uma rede de extensão elétrica até as

residências dos quilombolas a preocupação se manteve com os canos soterrados com fios elétricos, a beira da estrada, que abastecem as casas. No dia anterior a maquina patrol realizou melhorias também no acesso a barra dos pescadores na Maranduba. A comunidade agradece a parceria e os homens e mulheres dos mutirões. Aguarda ainda que o acesso principal também receba melhorias mais duradouras.

O direito do cidadão ao saneamento básico

Dr. Michel Amauri O Brasil é um país continental com milhares de cidades, porém de norte a sul e de leste a oeste os problemas são os mesmo: a falta de saneamento básico. Bilhões são arrecadados em imposto que não voltam em benefício para a população. Em alguns lugares não há água potável e o esgoto corre a céu aberto. Aqui em nossa paradisíaca cidades não é diferente. Entra administração e sai administração e os problemas continuam o mesmo. Bairros tradicionais e pioneiros em Ubatuba sofrem com o esgoto a céu aberto e a maioria desembocam nos rios. Bairros como Maranduba e Sertão da Quinta há muito tempo estão abandonados. Não há o investimento ade-

quado pela administração pública na área de saneamento básico o esgoto, contaminando o Rio Maranduba. Recentemente foi criado por moradores sem fim político o slogan “Ubatuba é linda! Pena que fede...”, houve muitas críticas porém teve o apoio maciço da população e comerciantes. Vale destacar que até a administração pública ficou sensibilizada marcou audiência pública com Sabesp e populares a fim de buscar soluções para o problema. Lembramos que a Constituição Federal garante ao cidadão o direito de ter água potável e o saneamento básico adequado, porém temos que cobrar na falta a administração pública. Consulte sempre um advogado (a).


Março 2018

Jornal MARANDUBA News

Página 15

Coluna da Adelina Fernandes

Como lidar com pessoas negativas

Existem pessoas que nunca parecem estar bem, uma vez que jamais passam um dia sem enxergar problemas pela frente. Se estão em férias, sentem-se entediadas; se estão trabalhando, vivem cansadas; se estão viajando, reclamam do hotel; se estão bem de saúde, alguma preocupação perturba. Por mais que saibamos que a felicidade praticamente depende de nós mesmos, de como encaramos a vida, os fatos, os dias e suas atribulações, tem gente que parece ter o dom de impedir a paz de quem estiver ao seu lado. Se já é difícil mantermos certa serenidade nesse mundo violento de hoje, em que crises econômicas pipocam aos quatro cantos e o trabalho nos toma muito tempo e energia, torna-se quase impossível sorrirmos perto de pessoas que só reclama e criticam, e pior, em voz alta. Existem pessoas que nunca parecem estar bem, como se nada pudesse satisfazê-las, uma vez que jamais passam

um dia sem enxergar problemas pela frente. Se estão em férias, sentem-se entediadas; se estão trabalhando, vivem cansadas; se estão viajando, reclamam do hotel; se estão bem de saúde, alguma preocupação perturba. Sempre se sentem incomodadas com alguém que dizem lhes tratar mal, com o chefe que dizem ser deseducado, com o amigo que dizem ser ausente. Da mesma forma, nada do que dissermos ou fizermos por elas surtirá algum efeito positivo, nada terá o poder de retirar-lhes do círculo vicioso das lamúrias e da infelicidade constantes. Por mais que tentemos, por mais que mostremos o lado bom das coisas e/ ou das pessoas, nada as convencerá de que muitas causas de suas queixas infinitas encontram-se nelas mesmas. Estão por demais acostumadas a olhar somente para fora de si, com olhos negativistas, portanto, voltar o olhar para si será uma tarefa impossível. Isso não quer dizer que não devamos tentar ajudar quem

esteja perdendo o que a vida tem de bom, de tanto que carregam olhares ruins, tampouco nos impede de tentar compreender que aquele comportamento certamente possui um histórico pessoal difícil. Não podemos julgar as pessoas somente pelo que vemos hoje, pois elas já passaram por muita coisa até então, ou seja, conforme o grau de nossa proximidade com elas, cabe-nos orientá-las nesse sentido. Mesmo assim, caso não consigamos promover mudança alguma no comportamento do outro, caso ele mantenha uma postura pessimista, reclamando e se lamuriando além da conta, isso acabará por interferir na nossa vida, pois é praticamente impossível conseguirmos sorrir ao lado de alguém negativo demais. Daí a importância de mantermos ao nosso lado gente do bem, gente positiva, gente que luta, para que não desistamos de buscar a felicidade, para que nossos sonhos não sejam neutralizados pela negatividade de ninguém.

Maria Celeste Aguilera Fabiane da Costa trabalha a quatro anos na área da massoterapia. Tem sua sala a três anos na Maranduba e diz: “fui tentando mostrar para as pessoas que massagem não é só a parte estética e sim para saúde, melhorando o estresse e o equilíbrio do corpo e da mente; sendo assim um dos maiores aliados para combater a depressão”. Com isso se desperta a consciência de que, apesar de ser antiga, a massagem só passou a ser desenvolvida como método terapêutico de cura e prevenção em 1.800 a.C. pelos chineses. A massagem é capaz de proporcionar benefícios físicos e emocionais. Ela é capaz de promover efeitos fisiológicos. Percebeu-se que a função aplicada diretamente sobre o tecido mole do corpo atuava diretamente sobre a circulação sanguínea a função metabólica e gânglios linfáticos melhorando assim a saúde e aliviando a dor muscular e o estresse. Também gera melhorias na pele, pois a mesma favorece a circulação sanguínea, eleva a quantidade de nutrientes distribuídas para as células e fazem com que se torne hidratada e elástica. A massoterapia é uma carreira com um futuro provisório? “Sim vejo uma profissão que tem a crescer cada dia mais.

Principalmente por que esta ligada a estética e ao ramo da beleza e saúde. Isso é o que mais cresce no mercado atualmente”, comenta Fabiane. “A massagem é totalmente indicada aos dias atuais, pois quando nos sentimos estressados nosso organismo libera um hormônio chamado cortisol e durante uma sessão de massagem o cortisol sofre uma redução considerável, portanto para uma vida mais feliz e saudável receba massagem pelo menos uma vez por semana”, recomendou Fabiane. “A massagem traz benefícios que atinge não só a vitalidade do seu organismo como também nutre o seu sistema límbico de boas energias e harmonia. A natureza nos dá de tudo e é muito simples de senti-la basta se permitir”, finalizou da Costa.


Jornal Maranduba News #106  

Notícias da Região Sul de Ubatuba

Jornal Maranduba News #106  

Notícias da Região Sul de Ubatuba

Advertisement