Page 1

Maranduba, Outubro 2017

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 8 - Edição 101 Foto: “Titio” /PROMATA

Beija-flor-rajado Ramphodon naevius – esta ave é considerada de grande porte para a espécie de beija-flores. Tem até 16 centímetros de comprimento e pesa cerca de dez gramas, tanto que é conhecido como beija-flor-grande-do-mato.

1ª AVIFEST na Folha Seca valoriza cultura caiçara


Página 2

Jornal MARANDUBA News

Outubro 2017

CONVOCAÇÃO PARA REUNIÃO ORDINÁRIA – APASU

A APASU - Associação Protetora dos Animais da Região Sul de Ubatuba CONVOCA a todos os interessados para reunião ordinária que acontecerá no dia 13 de OUTUBRO de 2017 com 1ª chamada as 09:00 horas e 2ª chamada as 09:30 horas com café da manhã no endereço Rodovia SP-55, nº 287, bairro Maranduba - Ubatuba/SP. Pauta: 1º Assunto: ELEIÇÃO DA NOVA DIRETORIA- BIENIO 2017-2019 2º Assunto: ALTERAÇÃO DE ENDEREÇO SEDE De: Rua Sargento Luiz Ribeiro Pires, 79, apto 01-Maranduba Para: Rua Doutora Dante de Paiva Carvalho, 40 - Maranduba Maria Aparecida Dias da Costa Presidente

TODO MUNDO LÊ. ANUNCIE: (12) 3849.5784 - (12) 99714.5678

Editado por: Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3849.5784 (12) 99714.5678 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Editor: Emilio Campi Jornalista Responsável: Ezequiel dos Santos - MTB 76477/SP Editora de Variedades: Adelina Fernandes Rodrigues Consultor Ambiental - Fernando Novais - Engº Florestal CREA/SP 5062880961 Consultor de Marketing - Luiz Henrique dos Santos - Publicitario Consultor Jurídico - Dr. Michel Amauri OAB/SP 324961 Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo


Outubro 2017

Jornal MARANDUBA News

Página 3

Celebração e festa em honra a Padroeira da Paróquia atende os objetivos Como parte das festividades que agora ultrapassam o primeiro centenário, a tradicional festa em honra a Mãe das divinas Graças no Sertão da Quina cumpre mais uma vez seus objetivos. Esta edição contou com datas separadas, primeiro final de semana com o religioso e o seguinte com a festa social. Celebração A celebração do dia 8 teve inicio com a melodia direcionada o acontecimento no lugar em 1915, letra e melodia composta por morador descendente de uma das meninas videntes. O bispo diocesano Dom José Carlos Chacorowski falou de sua experiência, um retiro espiritual, em Roma junto ao

Papa Francisco. Houve ainda uma bela canção interpretada pelas crianças deixando vários adultos emocionados. A capela estava lotada e as representações da comunidade remetiam sempre homenagem a mão de Deus e as experiências de fé vividas pelas meninas no século passado aqui na região. O bispo falou da visita que realizou a vários pontos importantes a história e ao cristianismo como as escavações abaixo da Basílica onde foram encontrados os ossos de São Pedro, falou da inteligência humana um dom extraordinário, porém sem a presença de Deus é o que se vê por aí. Foi apresentada a comunidade as 17 pastorais

e seus serviços a paróquia. O prefeito Decio Sato e o vereador Osmar de Souza foram saudados pelos celebrantes. O bispo recebeu ainda uma foto com o Papa Francisco tirada na Itália, também agradeceu a prefeitura que instalou no Morro do Emaús as luminárias para a festa. Festa social Foram muitos os parceiros, colaboradores, paroquianos que colaboraram com a festa social. Os dois dias de festa superam as expectativas e desta vez fora do feriado muitos moradores puderam desfrutar deste grande evento. Não faltaram quitutes, dentre os mais concorridos es-

tavam o churrasco, panqueca, caldinhos, sanduíche de pernil, batata frita, pizzas, doces, refrigerantes, água, sucos, caldo de cana, pula-pula, placo e um show de prêmios.

Todos saíram satisfeitos e os organizadores agradecem imensamente a todos que ajudaram direta e indiretamente para que mais uma edição desta festa centenária alcançasse o sucesso almejado.

Ubatuba programa evento que celebra “Solstício de Verão” Objetivo é estabelecer comemoração definitiva no calendário do município

COMUNICAÇÃO PMU Para comemorar a chegada da próxima estação em Ubatuba, a secretaria de Turismo promoveu uma reunião para planejar o evento denominado “Solstício de Verão” na última segunda-feira, 02. Na ocasião, estiveram presentes Fernanda Ramiro e Camila Marujo, da Fundação de Arte e Cultura (Fundart), Allanderson Fonseca, da Companhia Municipal de Turismo (Comtur) e representantes do Instituto Casa Comum (ICC) - a presidente da instituição, Silvana Bragatto, acompanhada do coordenador geral, Celio Turino, e da parceira local, Fabiana Padula. O evento visa marcar o fenômeno no hemisfério sul, data em que é oficialmente iniciada a estação verão, entre os dias 21 e 22 de dezembro na cidade de Ubatuba. Segundo o secretário de Tu-

Jornal Maranduba News

ANUNCIE AQUI

99714-5678 3849.5784

rismo de Ubatuba, Luiz Bischof, o verão começa no instante em que o sol, às 12h59 (horário de verão) de 22 de dezembro, cruza sob a linha imaginária do Trópico de Capricórnio e passa sobre a cidade. Acontece neste momento o zênite Solar, o momento em que o sol fica a pino e é o dia mais longo do ano. Esse é um projeto antigo do secretário e a ideia inicial é que viaturas de todas as forças policiais toquem suas sirenes, anunciando a chegada da estação, seguida pela celebração de um ritual indígena, realizando a dança do sol. Entretanto, o Instituto trouxe uma proposta bem elaborada com uma programação extensa, porém, que será possível apenas em 2018 para que haja tempo suficiente para a captação de recursos pela Lei Rouanet. Dessa forma, ficou acertado

que este ano será feito o lançamento de um evento que vai se consolidar no calendário. A proposta do ICC e trabalhar a partir do conceito de ‘bem viver’, que desenvolve uma outra concepção do indivíduo se perceber no planeta e se relacionar com ele mesmo e o Universo. “O objetivo é criar essa marca de estabelecer Ubatuba como a cidade do bem viver, realizando um conjunto de atividades, trazendo também fórum de discussões sobre a politica e a cultura do bem viver, oficinas, rituais e apresentações – associando o estilo de vida com as tradições”, explicou Turino. “Ubatuba tem tudo a ver com isso, tem 80% de mata atlântica, mais de 100 km de extensão de praias, condições para trabalhar todos esses conceitos e essa referência, presentes em toda a América Latina”, acrescentou

Em 2017, a parceria deve integrar a programação com oficinas cujo resultado seja exposto durante evento, bem como a realização de palestra e apresentação cultural. “Esse é um evento de extrema importância. O verão começa aqui. Nessa Administração, meu desejo foi trazer isso e agora vocês, apresentando esse projeto e casando com o que estamos idealizando temos que aproveitar”, reforçou Bischof.

Mais sobre o ICC O Instituto Casa Comum (ICC) é uma organização não governamental, sem fins lucrativos. O ICC é constituído por indivíduos dedicados ao desenvolvimento e fortalecimento de uma sociedade mundial harmoniosa, através do desenvolvimento e da promoção de projetos, cursos e programas nas áreas de cultura, meio ambiente, esporte, desenvolvimento social, educação, saúde, comunicação e tecnologia, com ênfase na juventude e na cultura de paz.


Página 4

Jornal MARANDUBA News

Outubro 2017

Particulares entram com processo de reintegração de posse contra aldeia Renascer no Corcovado - MPF recorre ao Supremo Tribunal

No último dia 27, a Aldeia indígena renascer realizou uma reunião extraordinária para tratar da pressão que o território vem sofrendo por conta de uma decisão de reintegração de posse na área da aldeia. A reivindicação foi pleiteada por familiares de Yoshio Tozaki junto a Justiça Federal, que concedeu a ordem de reintegração de posse. Outros territórios também sofrem pressão do estado como aponta o artigo da professora Silvia Beatriz Adoue em Desenvolvimento Territorial de América Latina e Caribe (TerritoriAL) do programa de pós- graduação territorial da UNESP. Lideranças, autoridades, cientistas e apoiadores das Terras Indígenas (TI) articularam uma reunião com o governador Geraldo Alckmin para o último dia 18. Antes mesmo do encontro chegou ao grupo de trabalho em defesa das terras indígenas a notícia da ordem de reintegração de posse por particulares contra a aldeia Renascer Ywyty Guaçu no bairro do Corcovado. Um recurso foi impetrado pelo Ministério Público Federal - MPF e a Fundação Nacional do Índio – FUNAI ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região, porém a sentença de reintegração de posse foi mantida. A Procuradoria Regional da República recorreu ao Supremo Tribunal Federal - STF contra a manutenção da decisão. O artigo da UNESP mostra como a ciência enxerga esta questão e os porquês das terras serem mantidas pelas comunidades tradicionais, especificamente a do

Corcovado. No local moram 106 integrantes totalizando 18 famílias. Para o jornal O Vale a procuradora federal Walquíria Piccoli disse que “os índios são comunidades tradicionais. Eles têm histórico centenário de ocupação litorânea”, comenta a procuradora. Todo o problema é pela falta da assinatura da demarcação do território, já que todo o processo

de reconhecimento foi realizado, explica um dos integrantes por telefone ao JMN. Na quinta feira, 29, lideranças indígenas ocuparam a FUNAI em Itanhaém - litoral sul/ SP - na tentativa de pressionar as autoridades a efetivarem a assinatura de demarcação de seus territórios. O cacique Antonio Awá, 63, da aldeia Renascer é o responsável pela Coordenação

Regional de Litoral Sudeste e participou ativamente do movimento reivindicatório no litoral sul com outros integrantes. Em entrevista a outros meios de comunicação cacique Awá afirma que as palavras de ordem neste momento são “queremos a demarcação!”. Por telefone, lideranças indígenas informam que houve avanços com a FUNAI. Pre-

visto para 2018, um Grupo de Trabalho poderá ser criado e publicado em diário oficial para realizar futuramente os andamentos que faltam sobre a questão de delimitação da área do Corcovado. Informam ainda que a reintegração só aconteceu porque não houve, neste caso específico, defesa da área indígena no processo por parte dos órgãos de tutela e defesa destes territórios.


Outubro 2017

Fórum de Comunidades Tradicionais realizado na Aldeia Boa Vista redigem a “Carta de Ubatuba” No último dia 27/09, o Fórum de Comunidades Tradicionais (FCT) Indígenas, Quilombolas e Caiçaras de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba reunidos na Aldeia Boa Vista manifestaram seu repúdio ao intenso processo de privatização do patrimônio comum – terras, floresta e águas em curso no país. Este bem é considerado por estes povos como essência a vida dos povos e comunidades tradicionais. O FCT chama atenção ao acirramento dos conflitos fundiários e disputas por recursos naturais que vem derramando sangue de indígenas, quilombolas, caiçaras, trabalhadores rurais, defensores da floresta e de direitos humanos. Paz de Iperoig No dia do feriado municipal que celebra a Paz de Iperoig – 14 de setembro último - os indígenas das Aldeias Boa Vista, Renascer e Rio Bonito marcharam até a Praça da Paz de Iperoig no Centro de Ubatuba. O ato marca a memória à resistência indígena ao primeiro grande extermínio decorrente do acordo intermediado pelos padres jesuítas, José de Anchieta e Manoel da Nóbrega, e traído pelos portugueses. Extermínio perpetuado por anos a fio até hoje, em nível estadual e federal. Os indígenas de Ubatuba afirmam seus direitos originários aos territórios tradicionais, e dizem não à tese do marco temporal. Quilombolas Sob a bandeira da campanha “Nenhum Quilombo a Menos, o Brasil é Quilombola”, os quilombos de Ubatuba: Camburi, Fazenda, Itamambuca e Caçandoca defenderam a constitucionalidade do Decre-

Página 5

Jornal MARANDUBA News

to Federal 4.887/2003 e também se soma ao sonoro “não” a tese do marco temporal. Fórum de Comunidades Tradicionais O FCT é um espaço de articulação das comunidades tradicionais desta região constituído em 2007 e abrangem povos tradicionais de parte do estado do Rio de Janeiro e São Paulo. Estas comunidades lutam pela caracterização, reconhecimento e fortalecimento de seus territórios tradicionais no Litoral Paulista, seja em terra como as reservas pesqueiras no mar se manifestaram sobre o seguinte na Carta de Ubatuba: Pelo reconhecimento, regularização fundiária e titulação coletiva dos territórios tradicionais quilombolas e caiçaras do Litoral Norte pela SPU, INCRA, ITESP, com apoio do MPF e DPE/SP; Contra a privatização dos Parques Estaduais por meio de parcerias público-privada, política em curso pela Fundação Florestal, em detrimento das experiências de turismo de base comunitária; Contra a paralisação das atividades dos Conselhos Gestores de Unidades de Conservação do Litoral Norte pela SMA/Fundação Florestal e pela retomada imediata de

suas atividades; Contra a criminalização ambiental das comunidades tradicionais pela Polícia Militar Ambiental; Contra a implantação de grandes empreendimentos terrestres e marítimos sem a consulta prévia, livre e informada às comunidades diretamente afetadas e sem sua devida caracterização nos estudos de impacto ambiental pelos grandes empreendimentos públicos e privados. A carta foi assinada por 26 instituições em defesa, proteção, articulação, reconhecimento, parceria, representação, comissões e coordenações em defesa dos povos e comunidades tradicionais. * * *

Atletas da região sul sobem ao pódio no Desafio 28 Praias No último dia 30, atletas da região sul de Ubatuba participaram da 7ª edição do Desafio 28 Praias. Muitos destes se destacaram no evento e outros subiram ao pódio. Desta vez a maratona – 42 Kms – partiu da Praia do Estaleiro na região norte de Ubatuba com destino ao Centro da Cidade. As categorias foram: 42 kms solo, 21 kms solo, revezamento de duplas, trio, quarteto e quinteto. Os únicos participantes de Ubatuba a receber troféu por equipe foram as do Estúdio IBS da Maranduba conquistando a 5ª colocação geral na prova. Considerada uma prova de montanha o percurso apresentou uma série de subidas e descidas e para dificultar um pouco mais o caminho as trilhas estavam mais escorregadias por conta da chuva no dia anterior. Também encontraram lama, escaladas por corda, trechos de rodovia e rios, mangue. Quem não sabia nadar podia transpor o obstáculo com bote, porém dez minutos eram acrescidos a seu tempo final. A classificação da equipe da região sul ficou assim: 5ª colocada por equipe, no Solo 21 kms Alcione alcançou 3º lugar feminino, Márcia 2º lugar geral feminino. No quarteto feminino as atletas Cristina, Mariana, Andréia e Claudia em 2º lugar, no quarteto misto estavam a Priscila, Marcelo, Donizete e Sandro com o 2º lugar no pódio, trio masculino com Ivan, Wagner e Wagner Sertão da Quina com o também 2º lugar. Segundo organizadores foram reunidos para esta etapa 1800 atletas. Ação Social e Fair Play Foram arrecadados 1500

Alcione, 3ª colocada no 21 Kms Solo

quilos de alimentos, que serão entregues às aldeias indígenas Bela Vista e Rio Bonito. As doações foram recebidas pelo secretário adjunto de Cidadania e Desenvolvimento Social, Vanderlei Amorim, e pelo secretário de Turismo, Luis Bischof após o encerramento da competição. Além disso, ainda será realizado um “pós prova”- procedimento que visa avaliar a limpeza dos trechos percorridos e possíveis danos ambientais. A Runnersp recolhe todo lixo e faz um monitoramento do impacto ambiental e análise técnica ao longo de todo o percurso, a fim de que eles sejam minimizados e/ou compensados. Atletas informam que foram realizadas solturas de tartarugas marinhas pelas crianças e que havia muito do espírito “fair play” e solidariedade entre os competidores. Porém algumas reclamações foram apresentadas como a falta de cordas para agilizar o tempo dos atletas, falta de líquidos para matar a sede em alguns trechos fora dos postos de controles, entre outros.


Página 6

Outubro 2017

Jornal MARANDUBA News

Incêndio assusta moradores do Bonete Fogo pode ser visto da Maranduba

Na tarde do último dia 25/09, domingo, um incêndio de grande porte chamou atenção de moradores da região sul de Ubatuba. Varias autoridades foram contatadas, porém só algumas chegaram ao destino para cumprir seus objetivos. Enquanto isso moradores, turistas e voluntários do Bonete, da Prainha e Fortaleza que se encontravam na localidade tentavam a todo custo contem o avanço das chamas. Nas mídias sociais as imagens e as mensagens de apoio de solidariedade viralizaram em favor da comunidade praiana. Moradores contam que o fogo começou pelas 16 horas e avançou rapidamente por conta da mata mais seca neste período. O estrago pode ser visto da Praia da Maranduba e

causou preocupação regional por conta da possibilidade das chamas atingirem as residências do Bonete. A Defesa Civil chegou ao local e imediatamente começou o combate ao incêndio junto com os voluntários e moradores que já se encontravam no local. Nas redes sociais moradores passavam as informações a todo instante sobre o andamento do combate ao incêndio. Muitos relatam que o calor impedia de fazer um trabalho mais efetivo e que mesmo assim conseguiam evitar o avanço em alguns pontos. Outros contam dos animais fugindo das chamas ou tentando salvar os filhotes, como foi no caso de um casal de gaviões que parecia tentar salvar o ninho. O trabalho encerrou no

final da noite tendo a floresta o maior prejuízo. Maranduba Ainda na Maranduba, no trecho que acessa a Caçandoca um foco de incêndio foi comunicado por moradores nas redes sociais. Há uma movimentação de pessoas para organizar uma coleta de mudas nativas para recompor a vegetação que foi queimada no ultimo final de semana. A Secretaria Municipal de Meio de Ambiente-SEMA e a regional sul colocaram-se a disposição para receber as mudas, porém a SEMA, em reunião na escola Nativa no último dia 26, informa que será realizado um estudo na área, sem data ainda definida, para atendimento da legislação sobre o replantio naquela área especifica.

Vem ai o 1º Festival de Voleibol de Ubatuba

Está previsto para o próximo dia18 de novembro o 1º Festival de Voleibol de Ubatuba que organizado por professores, amigos e colaboradores do esporte no município. A categoria a ser trabalhada neste evento será o pré-mirim masculino e feminino (dos nascidos em 2005, 2006 e 2007). Serão no máximo seis equipes por categoria e será um confronto de todos contra

todos. Neste campeonato os “sets” serão de 25 pontos cada no sistema 6X0 e saque por baixo. As disputas acontecerão no ginásio de esportes Tubão e na quadra anexa a piscina no Centro da cidade. Para mais informações basta contatar os professores Marcos Jardim (997225832) e Monica Alix (992307909) da Secretaria Municipal de esporte e Lazer. Participe, monte sua equipe e bons jogos!

Homenagem aos 300 de Nossa Senhora Aparecida no Ingá A segunda semana de outubro próximo será de homenagens e festividade no Sertão do Ingá. Paroquianos da capela Nossa Senhora Aparecida prestarão homenagens a Padroeira do Brasil e do lugar. As atividades começarão com a novena no dia 02 e termina no dia 10/10 sempre as 19:30hs. No dia 11 acontecerá o terço das rosas, a missa e a vigília. No dia 12 a procissão e as 17:30hs a celebração da missa, em seguida uma queima de fogos e para não perder o costume, ao final de tudo, um bolo

será servido aos presentes. Às 21 horas será apresentado um show acústico Mariano. A capela local está na Rua José de Paula Cardozo.


Outubro 2017

Viveiro do Instituto da Árvore inaugura espaço para Educação Ambiental No último sábado, 23/09, com uma alegre confraternização, parceiros e voluntários do Instituto da Árvore inauguraram o Espaço Embaúba, na sede do IA, na Rua da Usina Velha, 593, no bairro do Perequê-Açu, em Ubatuba. A construção feita com material de baixo impacto ambiental será um espaço destinado a funcionar como centro de formação, documentação e informação. A celebração marcou também o encerramento do projeto Viveiro IA, iniciado em março de 2015, que superou todas as suas metas e produziu mais de 25 mil mudas de qualidade de 52 espécies nativas da Mata Atlântica. Ao fazer uso da palavra, a engenheira florestal Yara Defavari, coordenadora técnica do projeto, relembrou os passos percorridos pelos mais de 700 participantes que se engajaram no projeto desde março de 2015. O ambicioso projeto financiado pela Petrobras deixa como legado não apenas o espaço de formação e produtivo viveiro de 500 metros quadrados para suprir a demanda de mudas para compensação ambiental e recuperação de áreas degradadas, mas também a sensibilização e o aprendizado adquirido pelas mais de 2068 pessoas que, de uma forma ou de outra, participaram de oficinas e outros eventos, como plantios de mudas em escolas e outros espaços públicos. Jovens do grupo de capoeira do IA demonstraram isso na prática. Eles fizeram uma bonita e amistosa apresentação, mostrando um pouco do que aprenderam com seus professores capoeiristas Emanuel Ramos e Ivete Lanzilotti. Em outro momento, ao res-

Página 7

Jornal MARANDUBA News

ponder perguntas feitas pela fundadora do Instituto da Árvore, Nalva Barbosa, os garotos mostraram que além do gingado da dança/arte marcial de origem banto, também aprenderam sobre as plantas da Mata Atlântica. Defavari destacou a importância dos diversos parceiros dos setores privado e público, de modo especial a Secretaria Municipal de Educação de Ubatuba, que nesses dois anos e meio colaborou com o projeto de diversas formas, principalmente por meio da presença da pedagoga Luciana Bento Vidal, que foi muito importante para o sucesso das ações educativas do projeto. Nesse período, as atividades de capacitação prepararam pessoas para identificação de matrizes, coleta de sementes, preparo de mudas e plantio. Algumas dessas pessoas colocaram a mão na massa, colaborando eventualmente com o dedicado viveirista do Instituto, senhor Luis Claro. Houve também atividades como oficinas de culinária. “Duas vezes por mês, vinha uma chefe de cozinha que dava as receitas e ensinava o valor dos alimentos”, relembra Nalva, que atualmente é coordenadora pedagógica do IA. A diversidade de sabores e

valores nutricionais da Mata Atlântica esteve farta e deliciosamente representada na mesa da confraternização, que incluía quitutes que usam ingredientes como o cambuci e a polpa do fruto da palmeira juçara. “O valor desse projeto não está só vinculado às metas que foram todas atingidas e até mesmo superadas, mas também na afirmação de valores éticos, ambientais de exercício da cidadania; é esse olhar mais crítico dos jovens, crianças e todos os que foram envolvidos pelas oficinas”, declarou Carla Ricci, atual presidente do IA. “Um dia as futuras gerações irão se perguntar o que a nossa geração fez para mudar essa situação de degradação da natureza. E o Instituto da Árvore provavelmente vai ser lembrado de uma forma positiva. E eu espero que mais pessoas possam ter esse reconhecimento das gerações futuras. Daí a necessidade de dar continuidade a esse trabalho de conscientização da preservação da Mata Atlântica em nossa cidade ”, completa. Serviço O Instituto da Árvore comercializa mudas de diversas espécies nativas. A sede e o viveiro ficam na Rua da Usina Velha, 593, Perequê-Açú. O telefone é 12-3832-5788.

Serviços de motoclubes se fazem relevantes na sociedade

Atualmente cresce a corrente colaborativa entre os motoclubes no mundo, além da liberdade a grande maioria trabalha também com a solidariedade, educação no transito, atendimento a acidentados, idosos e crianças, apoiadores de eventos culturais, musicais, educacionais e em romarias. A arrecadação de alimentos hoje é o carro chefe de vários destes MCs. O evento do último final de semana foi um exemplo, alimentos foram arrecadados como forma de colaboração e participação no evento. O que foi arrecadado será, segundo organizadores, revertido em cestas básicas e encaminhadas a pessoas vulneráveis na comunidade.

O grupo também propôs auxiliar direta e indiretamente na festa do dia das crianças que acontecerá na comunidade. No evento da festa do dia da padroeira da paróquia membros do MC foram responsáveis pela guarda, zelo e organização do transito e veículos dos paroquianos, visitantes e turistas na festa. Fazem a motorromaria em honra a Nossa Senhora Aparecida em seu dia na comemoração aos eventos históricos, culturais e religiosos que costumam acontecer na região todos os anos, além de serviços pontuais onde não é do conhecimento da comunidade apenas os agraciados ficam sabendo.


Página 8

Nos últimos dias 30 de setembro e 1º de outubro o bairro da Folha seca, região sul de Ubatuba, esteve em festa. Centenas de pessoas aproveitaram a farta programação oferecidas pelos parceiros do evento. A idéia e organização ficou por conta da Associação de Moradores e Amigos da Folha Seca - AMAFS. Foram ao menos 40 dias de execução sem contar os dias de planejamento. A idéia foi bem recebida pelos parceiros, convidados e principalmente o público que esteve no evento. O carro chefe da programação foi a cultura caiçara que esbanjou destaque em verso, prosa, canto, fala, meio ambiente, arte e gastronomia. O evento coincide com a celebração do Dia da Ave. Muitas atividades no evento foram gratuitas. O local estava todo enfeitado, preenchido com gente engajada na causa e que transformaram o local em um ambiente familiar. Logo na entrada uma grande faixa desejava a todos uma boa chegada.

Jornal MARANDUBA News

1º AVIFEST: Sejam Bem Vindos!

Outubro 2017


Outubro 2017

Com uma extensa programação, os visitantes ficavam por vezes sem saber o que escolher, algumas atrações se fundiam as outras oferecendo mais brilho a festa. Os organizadores do evento agradecem aos colaboradores, foram atrações das mais variadas e gostos a todos os tipos de públicos, atrações oferecidas com muito carinho, atenção e respeito aos objetivos da festa e as pessoas que freqüentaram o espaço nestes dias. Até mesmo a troca de experiências entre os parceiros foi positiva e recompensadora. Unânime mesmo foi atribuir sucesso ao evento que começou tímido e ganhou tais proporções. Muita coisa ainda tem que ser adequada ou adaptada, porém o saldo positivo foi superior. Não faltou publicidade do evento nos mais variados meios de comunicação. Nem a chuva do dia 29 desanimou os parceiros. Quem lá esteve participou de uma grande festa em família e já aguarda a próxima edição do evento.

Jornal MARANDUBA News

1º AVIFEST: Muito Obrigado!

Página 9


Página 10

Outubro 2017

Jornal MARANDUBA News

Membros do Conselho de Comunidades Quilombolas de Ubatuba tomam posse Evento aconteceu no Sobradão do Porto

Os integrantes do Conselho Municipal de Desenvolvimento e Participação da Comunidade Quilombola de Ubatuba tomaram posse em cerimônia realizada na sexta-feira, 29 de setembro, no Sobradão do Porto. Jurandir Veloso (Pelé), vice-prefeito e secretário de Cidadania e Desenvolvimento Social de Ubatuba, participou da cerimônia representando o prefeito Délcio Sato (PSD). “É uma imensa satisfação para nós dar as boas vindas a vocês no processo de discussão e definição das políticas públicas no município de Ubatuba”, afirmou o vice-prefeito. “Os quilombos representaram a mais importante organização de resistência ao regime escravagista vigente no Brasil Imperial. O título de posse das terras ocupadas pelos descendentes e a sua preservação como patrimônio cultural são questões que desafiam este conselho”, completou. Atribuições O Conselho foi instituído pela

Lei n. 3763, de 16 de junho de 2014, e tem por objetivo promover a participação organizada da comunidade quilombola no processo de discussão e definição das políticas públicas antidiscriminatórias e voltadas à afirmação dos direitos dessas comunidades no município de Ubatuba. O Conselho tem caráter deliberativo no âmbito de sua competência e consultivo nos demais casos, conforme as atribuições definidas na lei que o institutiu. REPRESENTANTES DAS ASSOCIAÇÕES DE REMANESCENTES DE QUILOMBO Associação dos Remanescentes de Quilombo do Camburi Titulares: Rosemary do Nascimento Basílio Maria Angélica da Silva Gomes Suplentes: Leila Soares Maria Alice dos Santos

Associação dos Remanescentes de Quilombo da Caçandoca Titulares: Antonio dos Santos Mario Gabriel do Prado Suplentes: Gabriela Lourenço dos Santos Carla Gois Pereira Associação dos Remanescentes de Quilombo da Comunidade do Sertão do Itamambuca Titulares: Gabriel dos Santos Wagner Teixeira de Oliveira Suplentes: Adriana Vieira Leite Maria Madalena Vaz da Silva Oliveira Associação dos Remanescentes de Quilombo da Fazenda Picinguaba Titulares: Vera Lucia J. Braga Laura de Jesus Braga Suplentes: Angela Moraes Vinicius Tafarel Braga Comunicação Prefeitura Municipal de Ubatuba PMU

Quilombolas da Caçandoca participam IV Conferência Regional de Igualdade Racial em Taubaté/SP

No último dia 30, a região sul de Ubatuba, através de quilombolas da Caçandoca, se fez representar na IV Conferência Regional da Igualdade Racial - RM Vale do Paraíba e Litoral do Norte que aconteceu em Taubaté/ SP. O evento foi promovido pela prefeitura da cidade e aconteceu no centro Cultural Afrobrasileiro Biblioteca Zumbi dos Palmares. O tema da vez foi “O Brasil na Década dos Afrodescentes” onde tratou sobre os direitos de igualdade e oportunidades e também a não discriminação em todas as esferas, partindo do pressuposto que o direito humano ultrapassa toda e qualquer ação política pela universalidade. São importantes conquistas de políticas participativas, e políticas de Ação Afirmativas. Os sub-temas na área de saúde, educação e desenvolvimento social, cultura, justiça e relação no trabalho, foram trabalhadas com foco nas cidades, para fazer com que essa política chegue ao cidadão.

Para a região de Ubatuba foram escolhidos como delegados os quilombolas Nailto Antonio dos Santos para a pasta Quilombola e Neide Antunes de Sá com a do Poder Público. A conferencia atende a Resolução Federal de 1º de agosto de 2017 que trata do Regimento Interno da IV Conferência Nacional da Promoção da Igualdade Racial. No Brasil, as atividades referentes ao período serão desenvolvidas sob a coordenação da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE) e que vem de encontro com a Década Afro – Declarada pela Organização das Nações Unidas (ONU), a Década Internacional de Afrodescendentes celebrada desde 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2024, com a participação dos 196 países-membros da Organização onde o Brasil é signatário.


Outubro 2017

Praia da Maranduba recebe Oficina Desafio Paraíso Limpo

Nos últimos dias 8 e 9 de setembro a Praia da Maranduba recebeu a tenda da Oficina Desafio Paraíso Limpo cujo objetivo foi o de criar, reciclar e reaproveitar objetos descartados na praia como lixo. A idéia partiu da Equipe Tango Vertical, escola Agostinho Alves da Silva da Lagoinha e outros vários parceiros. O espaço mostrou ao público os objetos mais comuns que são deixados na praia ou no mar e acabam poluindo o mar e as áreas de uso das pessoas, dos peixes e das aves. Com o tema “Mar Vivo é Mar Limpo” os voluntários se revezaram nesta temática com abordagens em educação ambiental e reaproveitamento de materiais, principalmente na confecção de brinquedos. As crianças aprenderam a fazer manualmente seus próprios brinquedos e ainda levar para casa. O espaço agradou os visitantes. Os visitantes também foram orientados quanto ao dano que o lixo deixado proporciona ao lazer, a pesca e ao meio ambiente marinho como um todo. Limpeza das praias No último dia 2, foi realizado mais uma limpeza de praias da região. Esta ação também contou com a Equipe Tango Vertical com a colaboração

Página 11

Jornal MARANDUBA News

do Grupo Ubatuba Sim e vários voluntários que ajudaram com o transporte e as embarcações para acessar as praias mais distantes e a ida e vinda do material recolhido. Os organizadores informam que das ações já realizadas somadas a do dia foram dois mil e oitocentos litros a menos de lixo nas praias. Vale lembrar que o ser humano, nas últimas décadas, vem desrespeitando as praias brasileiras e o meio ambiente em geral. Com isso existe uma crescente preocupação com perdas de biodiversidade, altos níveis de poluição e transformação ambiental. O Brasil, em particular, tem uma vasta área costeira, com cerca de 8.700 quilômetros de

extensão alcançando mais de 400 municípios – grande parte recebe um considerável número de turistas. O principal problema ambiental das praias brasileiras são os resíduos sólidos na areia e na água. A população das cidades litorâneas e turistas é a principal causa desse problema, principalmente na época de verão. O lixo também pode vir dos rios que desaguam na região costeira. Portanto muito cuidado com o que leva para a praia e o importante também é trazer o que levou, só assim as pessoas terão um espaço natural para nadar, relaxar, praticar esportes e contemplar a beleza natural, além de respeitar a natureza e seus seres vivos.

Caminhos, destino ou livre-arbítrio?

Erroneamente julgamos que tudo o que nos acontece ser obra do destino, mas é a consequência do caminho que escolhemos. Como o agricultor é preciso jogar as sementes na terra e aguardar que germinem e produza bons frutos, se semearmos espinhos não colheremos lírios ou rosas, então tudo é uma consequência de ação/reação. Cada pensamento é como o fertilizante ou o veneno para as sementes germinadas, por exemplo se levamos uma vida erroneamente e temos pensamentos condizentes estamos alimentando este círculo vicioso e vai ficando cada vez mais difícil de mudar o rumo, não é impossível, mas difícil, deverá possuir muita força de vontade. Como aquele que é bom sofre diversas influências externas que tentam a todo custo desviar do caminho correto, incutindo pensamentos tendenciosos e obscuros, mas

tudo pode ser combatido com uma oração sincera e o desejo de permanecer no caminho. Tudo como consequência do grande presente dado por Deus, o livre-arbítrio, não achemos que poderemos fazer qualquer coisa e permanecer impunes, além da justiça dos homens estamos presos à justiça de Deus. Não será uma prisão com grades, mas uma condição que não tem o objetivo de punir, mas ensinar a não cometer mais o mesmo erro. Tristemente no mundo atual se tendermos a ser bom com todos, muitos se aproveitarão nos fazendo de tolos, difícil de conseguir confiar novamente em uma intenção sincera. Cidadãos que colocam o dinheiro no altar e derrubam os valores morais por terra, esquecendo de que o hoje é passageiro e o que é daqui aqui permanecerá. Um forte abraço fraterno.

Jornal Maranduba News

ANUNCIE

(12) 99714-5678 / 3849.5784


Página 12

Morador disponibiliza registro dos “tombos” acima da Água Branca

Fotos: Afonso Rosário Após a caminhada para chegar ao sopé do maciço que guarda uma das mais belas cachoeiras do país a Santa Maria da Água Branca, existem outros atrativos que poucos moradores conhecem. Em meio a árvores gigantes, florestas de orquídeas e bromélias, lugares de contos e lendas, outros caminhos do processo civilizatório nacional, espaço do imaginário e das crenças populares que fundaram este trecho nacional, outras quedas d’águas são possíveis de serem visitados. Conhecidas popularmente por tombos as quedas d’águas se fazem importantes no referencial geográfico como localização ou indicador de localização. Junto a isto se soma os nomes específicos de

Afonso se aventura em outro tombo dágua. As emoções da juventude são as mesmas diz morador.

Outubro 2017

Jornal MARANDUBA News

cada ponto geográfico para que o morador tradicional possa traçar sua rota entre o litoral e o planalto. Porém existe o alerta quanto ao grau de dificuldades, resistência (física e psicológica), paciência e convivência com a floresta para acessar estes atrativos. Mesmo depois de enfrentar os obstáculos vale a pena à aventura. Sons, cheiros, sabores, cores, formatos objetivando uma só paisagem mais do que bela por sinal. Era uma paisagem comum aos moradores antigos antes da criação das Unidades de Conservação e sua categorização como bandidos do meio ambiente. Os caminhos antigos eram passados na pratica e que agora resta algumas recordações e lembranças dos que se aventuram no passado a transpor estas belezas naturais. Afonso Rosário, 60, morador local cedeu algumas imagens recentes de sua aventura com sabor de adolescência. Segundo ele “a distancia não foi o problema, mas o caminho em si porque está muito diferente de quando éramos jovens. A subida íngreme, pelo paredão, considero o trecho mais perigoso atualmente”, explica o morador. Acima da Santa Maria da Água Branca existem outras quedas, mas pelos menos três delas merecem destaque: uma entre 4 a 5 metros, logo após uma de 20 a 30 metros e mais uma entre 4 a 5 metros. O local guarda nomes interessantes e será tema de mais uma matéria sobre lugares e suas denominações.

Umas das várias cachoeiras acima da principal - passamos varias vezes por aqui sempre foi bonito aqui - recorda o morador

Afonso Rosário, assim como muitos outros moradores locais podem ser considerados bibliotecas ambulantes tamanho conhecimento sobre a Mata Atlântica e que na maioria das vezes esta misturado as pessoas comuns nesta região. Em outros países pessoas como ele ganhariam prestigio e até fortuna quando aliado a ciência e educação e também ao desenvolvimento do país. Jornal Maranduba News

ANUNCIE AQUI

(12) 99714-5678 (12) 3849.5784

Projeto de Lei institui o cadastro de animais silvestres e marinhos resgatados em Ubatuba

Na sessão de Camara do último dia 12 foi aprovado o Projeto de Lei nº 44/17 que Institui no município de Ubatuba o cadastro de animais silvestres e marinhos resgatados ou acolhidos em território municipal. A proposta foi apresentada pelo vereador Reginaldo Fabio de Matos (vereador Bibi) – PMDB e obriga as instituições públicas ou privadas a enviar relatório de suas atividades de resgate e atendimento dos animais a secretaria municipal de meio ambiente. O texto diz ainda que o relatório a ser enviado deverá conter o nome da espécie resgatada, o local em ocorreu o fato, bem como a destinação do animal após o devido atendimento.

Na justificativa o vereador destaca que o objetivo é oferecer ferramentas de controle e proteção aos animais marinhos ou silvestres resgatados no território municipal. Já o cadastro servirá para propiciar importantes dados estatísticos para melhor atendimento e conseqüente recuperação das espécies resgatadas. “É necessário unir forças nessa valorosa causa, para que o município seja um modelo de proteção e defesa dos animais, em especial aqueles que sofrem agressões diretas ou indiretas do ser humano, que também possa coibir o uso dos animais resgatados como fonte de renda em detrimento de sua saúde e liberdade”, explica o vereador.

Programação de Nossa Senhora Aparecida Padroeira da Caçandoca

12 de outubro de 2017 (Quinta-feira) 9:30 hs – Motorromaria e Procissão Marítima 10:00 hs – Missa Inculturada 12:00 hs – Maracatu Itaomi e almoço Azul Marinho 13 de outubro 2017 (sexta-feira) 9:00 hs – Oficina do tradicional Pau a Pique 16:00 hs – Oficina de Dança com Vanessa Soares 14 de outubro 2017 (sábado) 11:00 hs – Atrações diversas FUNDART 16:00 hs – Espetáculo Banzo com Will Vieira e Vanessa Soares


Outubro 2017

Página 13

Jornal MARANDUBA News

“AVIFEST” da nossa Mata Atlântica – Beija-flor-rajado Foto: “Titio” /PROMATA

Com o registro realizado no bairro da Folha Seca, na região sul de Ubatuba, esta ave se mostrou ainda abundante na localidade, podendo ser admirada e avistada por quase todos que participaram do 1º AVIFEST promovido pela associação local junto aos vários parceiros da comunidade. Conhecido por Beija-flor-rajado - Ramphodon naevius – esta ave é considerada de grande porte para a espécie de beija-flores. Tem até 16 centímetros de comprimento e pesa cerca de dez gramas, tanto que é conhecido como beija-flor-grande-do-mato. O que chama atenção desta ave é sua elegância, aliás, da maio-

ria dos beija-flores. Sua plumagem é um conjunto de tons marrom-alaranjados com o peito estriado de preto e a garganta com a tonalidade laranja-escuro e cauda larga e curta. A fêmea apresenta o bico com uma leve curvatura para baixo enquanto o macho possui o bico retilíneo, o que pode ser explicado por diferença de hábitos alimentares, além disso, o macho possui a faixa superciliar esbranquiçada. Sua Principal alimentação é o néctar - nectarívoro, também gosta de flores miúdas de bromélias, porém inclui em sua dieta artrópodes como aranhas e mosquitos. Este belo espéci-

me habita interior e bordas de florestas, pode freqüentar jardins, principalmente os que forem próximos a vegetação nativa, como é no caso do bairro da Folha Seca entre outros. Espécie encontrada exclusivamente no Brasil, não territorialista e a maior da Mata Atlântica. Costuma participar de bandos mistos de aves. O macho canta e se exibe para chamar atenção da fêmea, executando danças nupciais. O ninho desta espécie tem formato alongado, terminando em apêndice e geralmente fica suspenso em folha de palmeira ou heliconia. É construído com raízes, fibras finas e envolto em liquens

e detritos vegetais. A fêmea põe dois ovos brancos e em geral é ela quem alimenta os filhotes. O conjunto língua/ bico é extremamente eficiente, funcionando como uma bomba de sucção de água, que permite puxar o néctar da flor rapidamente. Segundo a BirdLife International, a espécie está classificada como próxima a entrar em perigo de extinção, devido à perda de hábitat. O mais interessante é estar bem perto e ver ao vivo e a cores como aconteceu com os visitantes do 1º AVIFEST. Fonte: Promata, Ubatubabirds, WikiAves, g1, passarinhando.com.br, avescatarinenses. com.br, coave.org.br,

Dez curiosidades sobre as aves

1. Em todo o mundo existem mais de 8.500 espécies de aves. 2. O passarinho consegue quebrar a casca do ovo quando nasce porque ele vem com um dente especial próprio para quebrar a casca. O filhote leva dois dias para quebrar a casca, depois disso ele perde este dente. 3. O Condor é a maior ave de rapina do mundo. Suas asas podem medir três metros de uma ponta a outra. 4. Um avestruz tem o mesmo tamanho de um camelo – 1,80 a 2,50 metros de altura. 5. O Avestruz pode viver até 50 anos enquanto a Arara pode até os 60 anos. 6. Entre as curiosidades sobre aves, você sabia, por exemplo, que o vocabulário dos papagaios não passa de 20 palavras. 7. As Corujas e os Mochos podem enxergar no escuro quase como se fosse de dia. Seus olhos grandes são adaptados à escuridão da noite. 8. Algumas espécies de Beija-Flores podem voar até 150km/h. 9. Os ovos da galinha são os mais consumidos porque é uma das espécies mais produtivas. Uma galinha é capaz de produzir 300 ovos por ano. 10. Podemos elencar como a última curiosidade sobre as aves que os ossos das aves são ocos e extremamente leves, possibilitando que seus vôos sejam feitos livremente. Gostou de conhecer essas curiosidades? Afinal de contas, a natureza é perfeita, o importante é podermos aproveitar cada detalhe e preservar as espécies.


Página 14

Motoclubes Viagens, festas, organização, respeito, disciplina, filantropia e apoio a comunidade

Grande parcela da sociedade engana se ao verem nós motociclistas como desordeiros , desocupados que rodam por ai sem outra preocupação a não ser participar de festas , encontros , churrascos ,etc . Na verdade a realidade e bem diferente , apesar do visual radical . Objetivando a se reunir e viajar de motocicleta e organização encontros de motociclista e simpatizante foram fundados milhares de motoclubes e motogrupos pelo Brasil , Principalmente cerca de 20 anos para hoje , inclusive pelo aumento dos cidadãos que optaram por se locomoverem sobre duas rodas tendência ainda em ascendência ,considerando o alto preço de combustíveis e o transito caótico nas grandes cidades .os motociclistas foram se organizando em motoclubes , que na maioria dos casos são equipe bem estruturada , com normas , regras , estatutos sociais ,regulamentos internos ,muita disciplina , visando o afastamento dos ¨maloqueiros ¨rotulados em alguns setores conservadores da sociedade .Tendo como fato essa exploração demográfica de motoclubes e motociclista e amigos , os eventos e encontros desses segmento começaram a explodir pelo pais ,resultando em grandes festas com públicos enormes , os dirigentes dessas escuderias vislumbraram a possibilidade de praticar filantropia , verificando as necessidades da comunidade e extraindo a colaboração de cada um com pedido de doações como ingresso simbólico com gêneros que serviriam para a ajuda do próximo em festas onde acorrem shows

Outubro 2017

Jornal MARANDUBA News

com bandas de rock , além de outras atrações .a grande maioria arrecadam alimentos que são doados para as entidades assistenciais tais como asilos , orfanatos ,hospitais . O Falcões MC Raça Liberta , tem como sede em Guarulhos já chegou a conseguir 150 toneladas de alimentos em 1 só evento que foram doadas a dezenas de instituições , e no natal também distribuem brinquedos .outros exemplos como doações os Lobos Guará MC de SP a cada três meses fazem doação de sangue voluntaria , os Iluminados MG em uma tarde de confrartenização arrecadaram 1500 livros , e não poderia deixar de fora os Motos clubes que trabalham em Ubatuba , Dose letal , Barbados , Kardume , Dorme Sujus e o mais antigo Cruz de Ferro que fazem Campanha do Agasalho , arrecadações de alimentos e fraldas geriátricas etc... Mais uma das varias atividades dos moto clubes foi cuidar da segurança na grandiosa festa de Nossa Senhora das Graças padroeira do bairro

Sertão da Quina , na festa que aconteceu nos dias 15 ao 16 de setembro que envolveram os MotoClubes : Barbados do Asfalto MC , Dose Letal MC, Falcões Raça Liberta MC, e Aguias de Caragua MC , a Festa foi muito bonita e transbordou de paz e harmonia em ordem e organização entre a comunidade que teve como premio principal em seu bingo uma Moto Zero Km . Cidadania é o objetivo desses grupos e organizadores que muito tem feito para ajudar necessitados e esquecidos que padecem pela omissão do poder publico do nosso pais . Gente que faz, alias que fazem o bem sem olhar a quem ....Exemplos a serem seguidos , imitados , divulgados para que assim a sociedade tenha a oportunidade de conhecer um pouco melhor e enxergar a nós motociclistas de moto clubes com outros olhos . * * * José Alberto Segantini ( Pipou) - 51 anos administrador de empresas ,integrante há 22 anos do Falcões MC Raça Liberta.

A responsabilidade dos estabelecimentos comerciais com os veículos deixados em seu estacionamento

Com o elevado números de veículos e o aumento dos grandes centros urbanos, quem já não escolheu um estabelecimento comercial pelo simples fato dele disponibilizar aos seus clientes estacionamentos. Desde as grandes redes, shopping, teatros e até os menores estabelecimentos todos estão disponibilizando aos clientes o serviço de estacionamento para atrair um público maior de consumidor. Porém uma questão vertente no mundo jurídico é quem terá a responsabilidade de reparação e o dever de indenizar se houver um dano ou furto do veículo no estacionamento do estabelecimento? O Código de Defesa e Proteção ao Consumidor no artigo 14 relata que os prestadores de serviço responderão objetivamente pelos prejuízos causados a terceiros, o que

quer dizer que não precisa a prova de culpa da empresa ou prestador do serviço, devendo apenas ser comprovado o dano interno ou externo ou furto. Vale destacar que o fato do estabelecimento não cobrar pelo estacionamento do veículo não o exonera sua responsabilidade de indenizar. E ainda, a simples alegação com placas ou faixas de que não é responsável pelos veículos também não descaracteriza sua obrigação. Recentemente depois de inúmeros casos e decisões o Superior Tribunal de Justiça editou a Súmula 130 que estabelece que os estabelecimentos respondem perante o cliente pela reparação de danos ou furto de veículos ocorridos em seu estabelecimento. * * * Michel Amauri OAB/SP n.º 324.961


Outubro 2017

Coluna da Adelina Fernandes

A linda folhinha de outono

Era uma vez uma folhinha que nasceu num dia ensolarado de Primavera, era a folhinha mais verdinha e bonita de um velho diospireiro, vivia presa num ramo da árvore com as suas irmãzinhas. Todos os dias a folhinha brincava com as suas irmãzinhas presas no ramo do velho diospireiro, bailavam ao sabor da brisa do vento e gargalhavam pela vida feliz que tinham. O tempo foi passando, a Primavera passou, o Verão entrou e com o seu sol forte aquecia a folhinha que toda vaidosa por ser a mais bonita se espreguiçava ao sentir o seu calor. Certo dia as suas irmãs repararam que linda folhinha já não era a mais verdinha, agora estava a ficar cheia de manchas amarelas e castanhas e comentaram isso com a bonita folhinha… Sim, tinha chegado

Página 15

Jornal MARANDUBA News

o Outono. O sol e a brisa do Verão tinham partido, e tinha chegado o vento frio do Outono, que a pouco e pouco iria arrancar uma a uma as folhas do velho diospireiro. A partir daquele dia a folhinha ficou triste e já não tinha vontade de brincar, pois sabia que um dia iria ser arrancada da árvore, atirada para o chão pelo vento e provavelmente iria ser apanhada pelo varredor das ruas e ser colocada dentro do caixote do lixo. Os dias foram passando e a folhinha ia perdendo as forças vendo as suas irmãs sendo arrancadas da velha árvore pelo vento do Outono. A folhinha quase que não conseguia ter forças para lutar contra o Outono, até que um dia, o vento forte de Outono soprou, soprou, soprou… e arrancou a folhinha do ramo da árvore e atirou-a para o chão.

A folhinha ficou caída no chão desesperada a chorar porque pensou que a vida dela tinha terminado ali. Só que, nesse preciso momento ia a passar uma menina chamada Maria que procurava uma folhinha para oferecer à sua avozinha que fazia anos. De repente a menina olhou para o chão e viu uma linda folhinha castanha e amarela, era a folha de Outono mais bonita que alguma vez tinha visto. A Maria pegou na folha limpou-a e levou-a para casa. A menina quando chegou a casa deu a linda folhinha de Outono à sua avozinha que ficou radiante com o presente da neta. E a linda folhinha de Outono voltou a ser feliz para sempre aconchegada dentro do livro preferido de receitas da avozinha da Maria.

Comitiva da comemoração do Dia do Imigrante Japonês recebe cestas da produção Gengibre de Ubatuba Solenidade homenageia último imigrante sobrevivente e relembra os 171 japoneses que estiveram presos na Ilha Anchieta décadas atrás

No último dia 23, na Ilha Anchieta um evento relembrou o martírio de 171 japoneses que foram aprisionados como criminosos na década de 1940. Nesta homenagem compareceu Takeushi Hidaka, 94, último sobrevivente daquele “inferno” na época. Como parte do evento aconteceu também à cerimônia da recuperação do gerador da ilha que remete a um histórico de simbologia “onipresente para a importante tarefa de iluminar as longas noites de solidão nesta ilha”. A história dos 171 japoneses remete o país a fazer parte da história mundial e a data agora faz parte do calendário oficial com o Projeto de Lei 53/17, do vereador Osmar Dias de Souza (PSD). Um almoço foi oferecido a 40 familiares dos presos da época e ao único sobrevivente pelo Ubatuba Iate Clube. A solenidade foi marcada por depoimentos emocionantes dos familiares e também de Takeushi Hidaka, que contou com ajuda de intérprete. Ele foi um dos 171 imigrantes japoneses detidos no presídio, de 1946 a 1948. O prefeito de Ubatuba, Délcio Sato (PSD), que participou das comemorações, afirmou que o evento foi um momento de resgate histórico e pediu um minuto de silêncio pelos imigrantes. Ao final todos seguiram pela antiga usina,

passaram pela bica Shindo Renmei e foram à praia das Palmas, onde foi relembrada a tradição dos antigos moradores que promoviam cultos voltados em direção ao sol nascente. Shidaka foi membro da associação Shindo Renmei, cuja história foi relatada no livro de Fernando Morais e no filme “Corações Sujos”, de 2012, dirigido por Vicente Amorim. Filme e livro contam a prisão e confinamento de 171 imigrantes japoneses no presídio de Ilha Anchieta, de 1946 a 1948, que pertenciam a uma associação secreta chamada Shindo Renmei, que significava “Liga do Caminho dos Súditos”. O evento contou com vários parceiros e apoiadores e marcou história em Ubatuba. Anne Kamiyana, Dona Annie como é conhecida, ofereceu a comitiva kits com os produtos Gengibre de Ubatuba.


Jornal Maranduba News #101  
Jornal Maranduba News #101  

Notícias da Região Sul de Ubatuba

Advertisement