Page 8

Página 8

25 Outubro 2010

Jornal MARANDUBA News

Canto da Maranduba: belezas e encantos de um passado glorioso Foto: Ezequiel dos Santos

EZEQUIEL DOS SANTOS Sabe aquela peça que fica jogado no canto da casa que qualquer dia deste você pega e começa a descobrir que é interessante que realmente você não sabia nada sobre esta peça. Pois é o canto da Maranduba é assim como uma peça jogada no canto da casa, que só quando desperta a curiosidade é que descobrimos seu valor. O local é ideal para quem gosta de aventuras e de sossego ao mesmo tempo, principalmente quem está com crianças ou é inexperiente no quesito mergulho, pesca de vara ou até mesmo caminhar sobre as pedras. O canto da Maranduba pode ser alcançado por dois lados. Um pode ser caminhando na praia até o rio Maranduba, tem de atravessar a barra do rio. O outro é pela rodovia SP-55, depois entrando pela estrada que dá acesso ao Quilombo da Caçandoca entrando a segunda à esquerda. As duas opções são interessantes, de um lado a tranqüilidade da caminhada, o sossego das ondas, de outro lado o movimento, o barulho dos barcos das garagens náuticas, movimento de pessoas pescando nas pedras das laterais do rio, tratores das garagens náuticas, pescadores e profissionais que prestam ser-

viço ao setor náutico. Parece que o visitante tem a opção de atravessar duas paredes: uma urbana, que é barulhenta e outra rural que é a da contemplação e sossego. Do lado silencioso impera o som das ondas batendo nas pedras. Quando a maré esta baixa e vazia é possível apreciar duas pequenas praias, que parece ser particular. O clima de aventura é natural, já que a mata nativa, porém não primária alcança a areia. O ar de desbravador fica ainda mais claro nas crianças. É fácil descobrir porque, a frente o mar as ilhas e toda a baía. Do lado esquerdo o rio que desemboca no mar, a continuação da praia que vai até a Lagoinha e as pessoas se deliciando do outro lado. Ao fundo a continuação do rio, as marinas, os barcos de pesca cheia de histórias. Do lado direito a mata, as areias que se misturam as pedras, a ponta do continente que quase alcança a ilha, tudo isso num só lugar onde os olhos alcançar em todo o redor. Neste último lado é possível encontrar troncos de árvores e restos de matas que ficaram a deriva e resolveram parar por ali. Os mais atentos podem fazer das pedras um pequeno aquário, é que muitos seres vivos moram por ali, tantos os de

Dois momentos: o canto da Maranduba atual (acima) e na década de 50 (abaixo) Foto: Arquivo pessoal Fabio Hanna

água quanto os que sobrevoam a baía. Muitos destes seres são inofensivos, mas todo

o cuidado é pouco. Por vezes é possível avistar pegadas na areia de algum animal terres-

tre que resolveu descer da mata e se arriscar em algumas braçadas na praia.

Jornal Maranduba News #17  

Noticias da Regiao sul de Ubatuba

Jornal Maranduba News #17  

Noticias da Regiao sul de Ubatuba

Advertisement