Page 10

Página 10 Gente apaixonada por Ubatuba:

A saga Patural (parte IV)

JOSÉ RONALDO DOS SANTOS

Os detalhes dentro de uma narrativa, a partir do meu ponto de vista, são as coisas que mais atraem. Exemplo disso é a forma tão emocionante que a narradora nos apresentou na parte III o seu segundo parto, quando nasceu o filho, cujo nome é o mesmo do pai. Aquela criança hoje é empresário do setor pesqueiro. Jean-Pierre tem barcos, atende a demanda por pescados no mercado de peixes e até mesmo em outras cidades. Neste momento reforço uma característica do município: a pesca. É preciso que os pescadores repensem suas técnicas, assumam novas posições políticas, ecológicas, econômicas, religiosas, etc. para reerguer esta atividade tão tradicional. Por exemplo: já houve tempo em que a festa de São Pedro, mais especificamente a procissão marítima, atraía muitos turistas, mais consumidores para a ocasião. Hoje, grande parte dos pescadores, donos de embarcações, não reflete sobre isso. Existe até o fanatismo religioso que leva alguns desses coitados a deixarem de participar de um evento assim por considerarem pecado. Quem, da geração dos jovens pescadores, já ouviu falar da Festa da Cruz que acontecia na praia do Camburi e atraía multidões até da capital fluminense? Por que, para alguns, até é proibido aventar tais possibilidades de envolvimentos? Assim vão perdendo espaços na mídia, não enxergam oportunidades culturais, deixam de faturar. Infelizmente ainda não refletiram sobre a linguagem que criou o mundo e as culturas. O nosso dever principal é recriá-lo (o mundo) para sobreviver com ele. O certo, por enquanto, é que estamos poluindo muito, destruindo jundus e manguezais, não respeitando os ciclos

25 Outubro 2010

Jornal MARANDUBA News

dos seres marinhos, desrespeitando leis básicas (mesmo que precisem ser aprimoradas). Uma reviravolta nisso tudo está longe de acontecer. Parafraseando um agricultor jordaniano, “é como o desejo do diabo de ir para o paraíso”. Voltemos à entrevista. Atentemos à fala da dona Silvia. Neste trecho eles apresentaram uma outra novidade nas práticas agrícolas da época: o trator. Naquele tempo só existia tal máquina na Estação Experimental do Horto Florestal. Desconfio que, na década de 1950, era grande novidade para todo o município. Coisa maior só a alegria da criançada trepada na máquina e vencendo os caminhos enlameados entre o sertão e a praia do Ubatumirim! Naquele tempo tudo era difícil, mas poderia ser pior se não houvesse pessoas como a Carmem. Carmem era uma adolescente com quinze anos quando o Jean Pierre nasceu. Desde cedo ela adotou o menino; foi a babá desde o primeiro instante. Nós a levamos para Taubaté e, ela só deixou a nossa casa para

se casar. Foi como uma filha. Era gente do Apolinário. Atualmente mora no Jardim Luamar (Estufa II) e está muito bem. É certo que passou por certas dificuldades, mas soube usar a cabeça. Estamos felizes por ela. Só tem uma coisa que me marcou bastante: a volta com o bebê para Taubaté. Ainda estava toda dolorida e tive que vir de canoa para a cidade, depois embarcar no ônibus para Taubaté e enfrentar tantas horas de sacolejo numa estrada medonha. Após seis anos plantando, com vários funcionários (Dito Rolim, Melentino...), a plantação estava em franca produção, começando a dar lucro. Surgiu a necessidade de aprimorar o transporte dos produtos. Era o ano de 1958 quando compramos, na Casa Granadeiro, em Taubaté, um trator. Questão: Como trazer o trator para Ubatuba, depois levá-lo até o Ubatumirim? Solução: Desmontá-lo todinho, transportar pela rodovia e pelo mar e, remontá-lo na roça, onde ficou definitivamente.

Clareamento Dentário Os nossos dentes vão escurecendo com o passar dos anos ficando com um sorriso amarelado, hoje um problema que tem solução. Com o clareamento dental o paciente pode perder o sorriso amarelo recuperando a cor natural dos dentes. Fatores que alteram a cor dos dentes: uso prolongado de antibióticos, fumo, tratamento de canal, fluorose, consumo de café, vinho tinto, coca-cola e chocolate. Tipos de Clareamento: Clareamento no consultório e caseiro supervisionado pelo profissional. Qualquer pessoa pode clarear seus dentes? Sim, desde que os dentes estejam saudáveis, ou seja, sem cáries e problemas periodontais. Posso fazer clareamento dental em casa sem a ajuda de um profissional? Não se recomenda clarear os dentes sem orientação profissional. O dente clareado pode escurecer de novo? Sim, mas nunca ficará tão escuro quanto antes. Depois de 1 ou 2 anos pode ser necessário uma manutenção. Os dentes ficam sensíveis? Sim, dependendo de como o paciente usa mesmo orientado pelo profissional, ou seja, a sensibilidade ocorre na maioria das vezes no clareamento

caseiro pois as pessoas querendo resultado mais rápidos deixam de lado a orientação do dentista. As restaurações de resina clareiam? Não. O paciente talvez tenha de trocar ou retocar as restaurações antigas uma vez que parecerão mais escuras frente aos dentes clareados. O clareamento pode enfraquecer os dentes ? Não, a estrutura dentária é preservada. O clareamento pode ser realizado em qualquer idade? A partir dos 15 anos. Durante o clareamento dental, o que devo fazer ? • Não ingerir alimentos e/ ou bebidas com corantes: beterraba, coca-cola, café, chá, vinho tinto, chocolate entre outros; • Não se deve fumar; • Observar os dentes diariamente no espelho, monitorando o progresso do clareamento. Qual é a importância de ter dentes brancos? Em nossa sociedade, dentes brancos são um dos símbolos da beleza estética. Muitas vezes pessoas com dentes escurecidos perdem a auto-estima e até podem ficar com vergonha de sorrir. Por isso não deixem de visitar regularmente seu dentista. Um Forte Abraço Dr. Thiago Massami Sokabe

Jornal Maranduba News #17  

Noticias da Regiao sul de Ubatuba

Jornal Maranduba News #17  

Noticias da Regiao sul de Ubatuba

Advertisement