Page 1

nº 08 ano 3 - 2017

PLANO INSTITUÍDO PROTEÇÃO PARA O FUTURO DA SUA FAMÍLIA

INVISTA EM VOCÊ Curso e serviço de Coach fortalecem o programa de educação financeira e previdenciária da Fundação Copel

CÂNCER PODE TER ATÉ 100% DE CURA

SAÚDE SEM DÚVIDA

Diagnóstico precoce e hábitos saudáveis garantem longevidade

Conheça mais seu plano de saúde com o novo serviço do portal da Fundação


Editorial

VIVER MAIS É VIVER MELHOR E se pudermos mudar os rumos do adoecimento com pequenas mudanças de estilo de vida? Ou melhor, e se descobrirmos como evitar e tratar doenças graves que vitimam milhares de pessoas no mundo? A resposta pode parecer óbvia e esperançosa: alimentação saudável, exercícios físicos e confiar na evolução da medicina. Mas será que estamos preparados para mudar práticas de consumo e estilo de vida? Devemos confiar apenas na evolução da medicina para ter uma velhice saudável? Em meio a tantas perguntas destacamos os bons hábitos, que começam na prateleira do mercado, passam pela escolha entre sofá e esteira, além de visitas periódicas ao médico. Pesquisas apontam que boas atitudes interferem na longevidade com saúde, além de prevenir a morte precoce decorrente de problemas com a saúde. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 50 milhões de pessoas morrem anualmente vítimas de doenças. A falta de atividade física, a ingestão de alimentos gordurosos e a ausência de produtos “naturais” no cardápio intensificam o adoecimento da população, especialmente por doenças crônicas. Estudos apontam que 30% das pessoas com mais 60 anos as desenvolveram e irão conviver com elas para o resto da vida. E aos 85 anos, praticamente todas as pessoas terão alguma. Ao considerar que a estimativa de vida da população tem aumentado, os nascimentos atuais passarão dos 75 anos, é válido repensar os hábitos para definir como queremos viver futuramente. Para viver com qualidade e segurança é preciso pensar também na saúde do bolso. Os serviços e produtos consumidos pelos idosos têm processo inflacionário diferente dos itens básicos, como medicamentos, por exemplo, ou seja, gastamos mais na fase que produzimos menos. Portanto, preocupar-se com a saúde financeira também deve se tornar um bom hábito durante a fase laboral. A falta de planejamento do brasileiro o coloca em uma posição abaixo de países emergentes asiáticos e desenvolvidos, pois poupamos menos. Então, fique atento! A saúde financeira também precisa estar em dia. Por isso, faz-se necessário destacar o dever da Fundação Copel que, além de gerir os recursos financeiros, prioriza a prevenção de doenças com programas e atividades distribuídas ao longo do ano. Apoiamos as milhares de vidas e valorizamos o papel que cada indivíduo tem na sociedade, no trabalho, mas especialmente no ambiente familiar. Então, aproveite a leitura dedicada aos cuidados com quem mais importa para nós: você.

ÍNDICE

EXPEDIENTE Lindolfo Zimmer Presidente

INVESTIMENTOS 10

Consultoria financeira é a nova estratégia de educação financeira e previdenciária da Fundação Copel

Claudia Cristina Cardoso de Lima Diretora de Administração e Seguridade

13

Campanha Conheça seus Investimentos

Priscila Grein Orreda Gerente do Departamento de Comunicação e Relacionamento

14

RAI 2016: transparência e compromisso

José Carlos Lakoski Diretor Financeiro

plano instituído 04

Novo projeto de plano de previdência da Fundação Copel atenderá os empregados ativos e assistidos. Familiares e pessoas com vínculo afetivo aos participantes também poderão aderir ao modelo fechado

Saúde 16

Diabetes: autoconhecimento e prevenção

17

Câncer: diagnóstico precoce ajuda em até 100% as chances de cura

26

Próteses médicas: segurança, qualidade e confiança médica

Romiana Oyama Coordenação Editorial Contenido Projeto Gráfico e Editoração Bárbara Cavalher Rui Lourenço Diagramação Leila de Paula Reportagens

NOVIDADES 32

Você na Fundação Copel

34

Conheça seu Plano de Saúde

35

Revista Toda Vida: O mundo agora é digital Mascote da Fundação Copel visita cidades no Paraná

BEM-ESTAR 36

Estilo de vida: correr atrás dos sonhos

38

Histórias de Incentivo


Plano Instituído

PLANO INSTITUÍDO: PROTEÇÃO PARA O FUTURO DA SUA FAMÍLIA PALAVRA DO PRESIDENTE

4

Lindolfo Zimmer, Presidente da Fundação Copel, explica que o Plano Instituído, no qual a adesão também poderá ser feita por pessoas com vínculo afetivo aos participantes, não afetará a gestão dos planos ativos. “É importante que todos entendam que a solidez do sistema fechado da Fundação Copel será mantido. Não há risco algum para os participantes e assistidos, tampouco para a entidade. Cada reserva previdenciária é administrada individualmente e os planos terão a Independência Patrimonial garantida.” Para o presidente, a iniciativa é importante para proteger e integrar os familiares nos cuidados com a poupança previdenciária. “Nós esperamos que os participantes sintam-se mais protegidos, pois com o novo plano podemos assegurar o futuro de todas as pessoas que fazem parte desse vínculo tão importante que é a família”. Entre as vantagens do Plano Instituído, Zimmer destaca três pontos que vão fortalecer os conceitos da entidade: a perenidade, pois com a projeção de crescimento da Fundação o serviço em benefício do participante poderá ser mantido por mais tempo; ser saudável, pela otimização dos custos da gestão e cuidar das milhares de vidas, tanto as que já fazem parte, como as novas que devem entrar por meio do Plano Instituído.

O novo projeto de plano previdenciário da Fundação Copel atenderá os empregados ativos e assistidos de todas as patrocinadoras. A grande novidade é que a adesão também poderá ser feita por familiares e pessoas com vínculo afetivo aos participantes, com a mesma qualidade e compromisso na gestão dos investimentos. E o melhor, sem riscos

Q

uase 100% dos empregados optam pelo Plano de Previdência da Fundação Copel com apenas um objetivo: garantir um futuro tranquilo e rentável na fase de aposentadoria. Mas e a sua família, tem a mesma oportunidade? Neste ano, a Diretoria Executiva está trabalhando para implantar um plano previdenciário que beneficiará toda a família Fundação Copel. O Plano Instituído será disponibilizado aos participantes e assistidos e inclui uma novidade: pessoas que fazem parte do círculo familiar dos participantes também poderão aderir ao modelo fechado. Os diretores da entidade estão em fase de avaliação prévia de adesão, ou seja, em visita às cidades e às patrocinadoras, após a apresentação do projeto, aplicam um questionário para saber se os participantes contratariam o serviço para si e para a família. “Após a liberação do Conselho Deliberativo, apresentamos o projeto do novo produto em muitas palestras para os participantes ativos e assistidos. Concluímos, em todos os eventos, elevados índices de aceitação do Plano Instituído. Até o momento, 95% afirmaram ter interesse na contratação”, conta a Diretora de Administração e Seguridade, Claudia Cristina C. de Lima.

5


Plano Instituído

A Diretora explica que o modelo Instituído já é realizado por outras entidades no país. “Essa iniciativa não é uma invenção da Fundação Copel, a OABPrev (Fundo de Pensão dos Advogados), por exemplo, conquistou um espaço respeitado no segmento. Como nós temos respaldo legal para oferecer um plano nesse molde, queremos oportunizá-lo à todos”. O novo serviço previdenciário será mais uma opção para que os participantes, assistidos e familiares invistam no futuro. Com uma administração sólida, a Fundação Copel ocupa o 14º lugar na lista dos maiores planos fechados do país, segundo ranking da Abrapp (Associação Brasileira de Entidades Fechadas de previdência Complementar), e é a maior da região sul do país, oferecendo há mais de 46 anos um benefício rentável e seguro. O Diretor Financeiro da Fundação, José Carlos Lakoski ressalta alguns pontos positivos sobre o projeto.

“O Plano Instituído trará mais força à nossa instituição. Porém, o ponto mais importante é assegurar que os participantes e seu grupo familiar tenham acesso a um plano, que supera, em diversos pontos, os disponibilizados pelos bancos, especialmente a rentabilidade dos investimentos”.

Glewerson Caron, Assessor da Diretoria Executiva considera que disponibilizar esse modelo é uma forma de beneficiar todo grupo familiar, que atualmente não conta com as vantagens características dos planos fechados. “Muitas pessoas acabam contratando nos bancos por falta de opção. Por isso, nossa preocupação ultrapassa o participante, nós queremos que as pessoas do círculo familiar e afetivo deles tenham as mesmas garantias de rentabilidade. E em uma entidade que trabalha, exclusivamente, em benefício dos participantes, o que não é uma prática do mercado aberto, que visa apenas o próprio lucro”.

6

menos trabalhadores ativos para pagar as aposentadorias. Agora, vamos pensar nas próximas gerações. Esta Reforma será a última que o país atravessará? Será que os nossos filhos terão acesso a um benefício público justo no futuro? Para as pessoas que ainda não contrataram, ou até mesmo aquelas que já fazem parte de planos abertos, conhecer a fundo a dinâmica de cada modelo pode ajudar na escolha de planos que tenham um rendimento mais significativo na hora de receber o benefício. Ao longo dos anos, a Fundação Copel tem intensificado o cuidado com o futuro dos participantes e agora quer estender a mesma qualidade de gestão ao seu grupo familiar.

MAIS OTIMIZAÇÃO E MENOS CUSTO

95%

DAS PESSOAS AFIRMAM TER INTERESSE NA CONTRATAÇAO

37% TEM OUTRO PLANO DE PREVIDÊNCIA

Com a futura implementação do Plano Instituído pela Fundação Copel, as despesas administrativas, hoje rateadas apenas pelos participantes das patrocinadoras, provavelmente diminuirá, uma vez que a mesma estrutura atenderá todos os planos.

SISTEMAS DE PREVIDÊNCIA

63% NÃO TEM OUTRO PLANO

O mercado de previdência complementar no Brasil oferece algumas alternativas para os trabalhadores que querem complementar o benefício da previdência pública (INSS). Entre as opções está o modelo aberto, administrado pelos bancos e com fim lucrativo; e o fechado, como a Fundação Copel, sem fins lucrativos e com prioridade no rendimento dos participantes. Em linhas gerais as diferenças entre elas são: o valor das taxas de administração e carregamento, as estratégias de investimentos, a organização e a estrutura da gestão. Lakoski alerta que a rentabilidade dos participantes de fundo de pensão supera, em quase o dobro, o valor aplicado nos planos abertos, como nos bancos, por exemplo.

A reforma do INSS despertou a população sobre a necessidade de poupar para o futuro. O interesse das famílias brasileiras em garantir uma boa poupança previdenciária contribuiu para um aumento significativo na contratação de planos de previdência complementar. Ainda que as mudanças sejam aprovadas pelo Governo Federal, a aposentadoria não trará de forma satisfatória recursos para que a população idosa aproveite com qualidade essa nova fase da vida. A inversão da pirâmide, influenciada pela longevidade e pela queda na taxa de fecundidade, afeta a receita e os pagamentos dos benefícios públicos. No futuro não será diferente. Segundo dados do IBGE, em 2060, os idosos representarão um terço da população. Ou seja, haverá

1. REGIME GERAL

2. REGIME PRÓPRIO

INSS

Funcionários Públicos

3. REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Sua funçao é complementar os dois anteriores (1 e 2)

EM MÉDIA

02 PESSOAS POR FAMÍLIA SERIAM BENEFICIADAS PELO PLANO INSTITUÍDO

ABERTA

FECHADA

Bancos com fins lucrativos

Fundações sem fins lucrativos

7 *O resultado da pesquisa é parcial. Os participantes e assistidos que responderam o questionário são de Curitiba, Cascavel, Maringá, Londrina e Ponta Grossa.

PATROCINADO Atende apenas os empregados

INSTITUÍDO Atende apenas os associados


Plano Instituído

CONHEÇA AS VANTAGENS

FIQUE FORA DAS ESTATÍSTICAS 33% dos brasileiros não querem ouvir a verdade sobre saúde e finanças pós aposentadoria;

19% não tem interesse algum em aderir a um plano de previdência privada; Apenas 3% da população planeja a aposentadoria com planos de previdência fechada. Com a aberta esse número sobe para 6%.

ENTENDA COMO VAI FUNCIONAR A ADESÃO AO PLANO INSTITUÍDO

8

De acordo com as regras do Plano Instituído, a administração do serviço cabe a uma entidade com expertise em gestão de planos fechados. Assim como o vínculo entre o empregador e o empregado pode originar uma relação previdenciária, como acontece com as patrocinadoras que demandam o serviço de gestão à Fundação Copel, o mesmo ocorre com uma entidade associativa e o associado. Portanto, o laço que permitirá a adesão ao plano da Fundação será por meio da AFC - Associação dos Empregados e Participantes da Fundação Copel. E para que esse laço seja construído, todos os interessados na contratação do serviço deverão se associar à AFC. A escolha da instituição para ser a porta de entrada ao plano foi avaliada com muito cuidado pela Diretoria Executiva. Segurança e praticidade para os participantes foi a estratégia dos diretores: a associação deveria ter uma representação robusta, mas que também facilitasse o vínculo dos participantes e familiares na adesão do novo plano de previdencia. Essa filiação à AFC não terá custo algum e

toda a manutenção do serviço será concentrada na sede da Fundação Copel. Embora a gestão dos recursos previdenciários do novo plano seja realizada pela Fundação, está assegurada a Independência Patrimonial. Isso significa que cada plano previdenciário oferecido pela entidade é autônomo nos aspectos sistêmicos (sistema de gestão exclusivo), regulamentares, cadastrais, atuariais, contábeis e de investimentos. Em resumo, a administração do plano de previdência dos empregados das patrocinadoras será independente do Plano Instituído, mesmo que empregados e assistidos o contratem também. Por obrigação legal, o modelo Instituído deve seguir a modelagem CD (Contribuição Definida), tanto na fase de realização de benefícios quanto na fase de recebimento de benefícios, não gerando obrigação mutualista. Portanto, não há risco atuarial, pois em nenhum momento há compartilhamento de riscos. Nesta modalidade o fundo é individual por participante, ou seja, toda contribuição e rentabilidade pertencem àquele que a constituiu.

1

Segurança na administração do plano;

2

Taxas mais competitivas que as previdências abertas (como nos bancos), já que o sistema não tem fim lucrativo;

3

Em média, o dobro da rentabilidade dos planos abertos;

4

O valor da contribuição fica a critério do participante;

5

O participante recebe 100% do que poupou acrescido dos rendimentos;

6

Não há custos com contribuições mensais compulsórias (aportes);

7

A família recebe o saldo remanescente;

8

Possibilidade de resgate parcial ou total (conforme regulamento);

9

O tempo mínimo de contribuição será de 5 anos;

10

O resgate do valor pode ser realizado a partir de 36 meses, por uma exigência legal;

11

Os recursos são isolados do patrimônio do instituidor (Fundação Copel);

12

Os planos são independentes juridicamente, ou seja, não geram riscos aos participantes.

VOCÊ SABE QUANTO PRECISA INVESTIR PARA GARANTIR SEU FUTURO? Conforme a idade de adesão, o valor de investimento muda. Por isso, contratar a previdência complementar ainda na juventude é o melhor negócio: o dinheiro rende por mais tempo e você separa menos do seu bolso todos os meses.

MÉDIA DE INVESTIMENTO DE SALÁRIO

9 ADESÃO AOS


Investimentos

CONSULTORIA FINANCEIRA É A NOVA ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA DA FUNDAÇÃO COPEL No segundo semestre, a Fundação Copel lança um serviço de consultoria. A ação tem como objetivo mostrar aos participantes como organizar a vida financeira sem deixar de realizar sonhos

V

ocê já ouviu ou disse essa frase: “O meu sonho de vida não cabe no meu bolso”? Infelizmente muitas pessoas deixam de realizar grandes projetos de vida com a justificativa de nunca sobrar dinheiro. Ou a situação é pior, estão pagando dívidas com altas taxas de juros, o que acaba atrapalhando qualquer planejamento financeiro. Esse cenário é mais comum do que parece, pouco mais de 55% das famílias estão endividadas hoje no Brasil, mas existe um fator que pode agravar esse problema: a falta de diálogo sobre dinheiro. Falar sobre finanças pessoais normalmente causa preocupação e desconforto, mas para Altemir Farinhas, especialista em finanças comportamentais é preciso ultrapassar essa barreira para ter uma vida financeira saudável.

O consultor, que atua há mais de 25 anos no mercado, faz parte de uma iniciativa da Fundação Copel: oferecer aos participantes o Coach Financeiro. Esse tipo de serviço - consultoria financeira - tem crescido muito, mas o grande diferencial de Farinhas é avaliar as particularidades de cada indivíduo. “Daremos as diretrizes de acordo com cada caso e isso facilitará o entendimento da pessoa sobre a sua vida financeira”. O consultor explica que essa é a oportunidade de falar sobre finanças e aprender a organizá-las. “Não se faz economia por economia, existe um fator mais importante que quitar dívidas: realizar sonhos. Esse é o grande motivador quando precisamos fazer uma reeducação financeira”. Ele orienta ainda que o desejo não deve sobrepor-se ao que é necessário. “É preciso haver equilíbrio. Todo mundo tem um sonho e nós trabalhamos juntos para realizá-los”.

10 Para o consultor financeiro Altemir Farinhas, o programa de educação financeira e previdenciária da Fundação é o modelo mais completo oferecido aos participantes.

O atendimento faz parte do Programa Viva Tranquilo e abriu suas inscrições no segundo semestre deste ano. Em seguida, serão sorteados dez participantes para receber a consultoria na fase inicial do projeto. Farinhas ressalta que esse modelo de serviço oferecido pela Fundação Copel é completo e que não é uma prática comum no mercado,

nem mesmo em grandes corporações, por um fator principal: pouco interesse em aprofundar o tema com os empregados. “Um programa nesta envergadura poucas empresas têm no Brasil. Isso mostra o compromisso da Fundação com todos os participantes”, comenta.

COMO VAI FUNCIONAR A CONSULTORIA

Os selecionados receberão um e-mail com perguntas sobre a situação financeira e principais dúvidas. Será solicitado envio de documentação para análise do caso: extrato, holerite, contas fixas e variáveis etc.

Os inscritos deverão comprometer-se a participar dos encontros agendados. No dia da consultoria o participante deve apresentar os documentos enviados por e-mail.

Somente o consultor financeiro terá acesso às informações, mantendo total sigilo no serviço.

Não acaba por aqui. O consultor vai além. Ele quer saber como está o planejamento familiar, o seguro de vida, herança (é um dogma, mas precisa ser discutido em vida), aposentadoria etc. Caso o tempo não seja suficiente para finalizar o atendimento presencialmente, a sequência será por e-mail. “Isso servirá para que o consultado perceba exatamente as medidas que ele e a família precisam tomar desse ponto em diante”.

EXPECTATIVAS O advogado Marcelo Silveira Rossetin é empregado da patrocinadora UEGA e foi um dos sorteados para o serviço de Coach Financeiro. “Estou bem animado com a perspectiva de fazer essa consultoria financeira. Vivemos uma época complicada, na qual alguns direitos que acreditávamos serem intocáveis são cada vez mais questionados. A aposentadoria até pouco tempo atrás era considerada o resultado natural de uma vida dedicada ao trabalho, hoje percebe-se que ela não tem a ver com a dedicação ao trabalho, mas sim com os investimentos realizados durante a vida economicamente ativa. Por isso, acho que essa consultoria veio em ótima hora, quando apenas começo no mercado de trabalho.”

11


Investimentos

A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA

CAMPANHA: CONHEÇA SEUS INVESTIMENTOS

Há dois anos a Fundação Copel realiza diferentes ações voltadas à educação financeira e previdenciária, através do Programa Viva Tranquilo, e agora passa para uma nova etapa. Como parte da evolução desse processo e priorizando cada vez mais o sucesso financeiro dos participantes, a entidade passa a oferecer, além do Coach, um curso de equilíbrio financeiro. Os dois serviços foram pensados como forma de complemento às palestras já realizadas em todo o Paraná. “Nós vamos tirar alguns mitos e dogmas e explicar melhor como é a vida real no dia a dia”, explica o consultor. As duas ferramentas servem, primariamente, para apoiar as milhares de vidas que a entidade cuida. O curso tem carga de 4 horas e já tem a agenda definida. Os participantes que se inscreveram devem ficar atentos às datas.

21 DE AGOSTO

26 DE SETEMBRO

24 DE OUTUBRO

21 DE NOVEMBRO

Acompanhe os vídeos do mascote Prevenildo e Benê. Conheça melhor seus investimentos e entenda como a Fundação Copel administra esses recursos

8H ÀS 12H

SAÚDE FINANCEIRA Conheça algumas dicas do que deve e do que não deve ser feito quando o assunto é finanças

O QUE FAZER 1. Saber na ponta do lápis os seus números (caderninho, planilha, aplicativo); 2. Enfrente os seus números – receita e despesas. A conta não fecha? É preciso reduzir os gastos; 3. Sobrou dinheiro? É hora de conversar com a família para investir; 4. Coloque no papel os sonhos da família; 5. Quer investir no mercado financeiro mesmo assim? Existem outras formas: papéis, tesouro direto etc; 6. Bons investimentos precisam de bons conselhos. Para cada objetivo há um investimento diferente. “O recurso que a pessoa pode arriscar tem um caminho, o dinheiro que a pessoa não pode correr risco de perder, deve ter outro. Por exemplo, por que aplicar em previdência lá fora se na Fundação Copel eu tenho mais segurança e rentabilidade?”; 7. Não fatie seus investimentos demais. “Perde-se tempo estudando cada sistema e em termos de rentabilidade não compensa”.

O QUE NÃO FAZER

12

1. Resgatar o dinheiro da previdência quando sai da empresa; “Antes de resgatar, converse com um empregado que retirou o dinheiro aplicado para saber como ele vive”; 2. Investir todos os recursos em uma empresa sem preparo profissional; 3. Ao ganhar PDV (Programa de desligamento voluntário) ou PLR (Participação nos lucros e resultados) não arrisque. “Estude antes de abrir um negócio ou investir. Ter dinheiro não te torna um empresário e sim um investidor”.

Q

ue tal conhecer melhor a estrutura e a equipe que cuida dos seus recursos financeiros? Essa é a proposta do novo vídeo da campanha Conheça seus Investimentos. Prevenildo e Benê contam de forma simples e objetiva como funcionam as normas e a administração dos valores investidos no seu futuro. A iniciativa tem como principal objetivo aproximar empregados e participantes das etapas que envolvem a gestão do fundo de pensão. Os vídeos são divididos em módulos e ao todo serão quatro temas abordados até o fim deste ano. Sistema Financeiro, estrutura e os processos da Fundação Copel já estão disponíveis no Espaço Transparência e explicam como é a dinâmica do mercado financeiro e de que forma a entidade se organiza para obter os melhores rendimentos. No segundo semestre, os temas serão Alocação dos Investimentos e Resultado dos Investimentos. Com esses conteúdos será possível entender como a Fundação aplica os recursos dos planos em segmentos distintos e como essas escolhas e o cenário econômico interferem nos resultados. Acompanhe o lançamento dos próximos vídeos no portal da Fundação.

Saiba mais: http://www.fcopel.org.br/espaco-transparencia/conheca-seus-investimentos

13


Investimentos

PATRIMÔNIO PREVIDENCIÁRIO ADMINISTRADO CONSOLIDADO

RAI 2016:

TRANSPARÊNCIA E COMPROMISSO Relatório Anual de Informação 2016 é lançado e consolida, nos números positivos, o trabalho e a dedicação da equipe da Fundação Copel

PATRIMÔNIO SOCIAL (R$ MIL) 2015

2016

7.978.486

8.911.990

MAIS DE

10% DE AUMENTO

BENEFÍCIOS E CONTRIBUIÇÕES BENEFÍCIOS CONSOLIDADO (R$ MIL) 2016

14

Todos os meses a Fundação Copel disponibiliza os números contábeis da gestão e um balanço anual das contas da entidade. O relatório é uma obrigação contábil apresentada à Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), órgão regulador dos fundos de pensão, e conta com uma equipe de auditoria para validar as informações colhidas ao longo do ano. Desde 2006, o Relatório é publicado aos participantes contendo os resultados dos planos previdenciários, atuarial e patrimonial. Para sua formulação conta com a participação dos departamentos de controladoria, gestão dos investimentos, administração dos investimentos e de benefícios previdenciários. O Departamento de Controladoria contribui com as informações sobre o patrimônio. Mas para esse conteúdo tão técnico atingir seu objetivo, que é a troca de informações entre a Fundação e os participantes, é necessário adaptá-lo para uma linguagem mais clara. “A nos-

sa missão é transformar todas essas informações econômicas da entidade em algo mais acessível para os participantes”, explica o gestor do Departamento de Controladoria, João Maria de Lima. Hoje a Fundação soma um patrimônio maior que R$ 9 bilhões, graças aos investimentos que os empregados fazem pensando no futuro. Mas, mais importante ainda é compreender os números e o cenário econômico para avaliar esses dados. Os desafios políticos e econômicos do país refletem, e muito, nos rendimentos dos investimentos. Apesar de 2016 ter sido um ano instável e ter afetado o equilíbrio de outros planos de previdência complementar, a Fundação Copel teve ótimos resultados, garantindo o excelente desempenho conquistado ao longo dos últimos anos. Conheça os principais números da entidade. Acesse o relatório completo no Espaço Transparência.

498.787 CONTRIBUIÇÕES CONSOLIDADO (R$ MIL) 2016

205.460

QUADRO DE PARTICIPANTES CONSOLIDADO TOTAL DE PARTICIPANTES 2015

2016

17.897

17.878

QUADRO DE PARTICIPANTES EM 2016 ATIVOS

9.341

AUTOPATROCINADOS

430

BENEFÍCIO PROPORCIONAL DIFERIDO

146

APOSENTADOS

6.550

PENSIONISTAS

1.411

15


DIABETES: AUTOCONHECIMENTO E PREVENÇÃO

O novo Programa Cuidar visa incentivar os beneficiários no controle do Diabetes. A iniciativa prevê encontros para promover a troca de experiências entre os beneficiários

A

Organização Mundial da Saúde estima que até 2040 o número de portadores do Diabetes ultrapasse 640 milhões no mundo todo, hoje esse número é de aproximadamente 420 milhões. Essa realidade pode parecer distante, mas ao considerar que se trata da quarta maior causa de morte por doença no mundo, é preciso ficar atento. No Brasil, 500 novos casos são descobertos por dia de acordo com o Ministério da Saúde, no entanto apenas 50% dos 14 milhões de portadores sabem que têm a doença. Isso ocorre porque a patologia é extremamente silenciosa, mas causa danos irreversíveis para a saúde caso o paciente não tome os devidos cuidados, incluindo a cegueira, amputação de membros, problemas renais entre outras alterações no organismo.

16

Para promover a prevenção e o autoconhecimento dessa disfunção, a Fundação Copel lança o Programa Cuidar. O objetivo é realizar encontros presenciais entre os beneficiários diabéticos, oportunizando a troca de experi-

ências através do grupo de apoio, além de ser uma ferramenta de ajuda mútua no controle da doença. A abertura oficial foi realizada em Cascavel, no dia 29 de junho, e o presidente da Fundação Copel, Lindolfo Zimmer compartilhou informações, vídeos de conscientização e falou sobre sua experiência pessoal, já que convive com o Diabetes há 27 anos. Diretora de Administração e Seguridade, Claudia Lima também esteve presente trazendo seu relato: “Eu convivi com um familiar que tinha Diabetes e viver esta experiência de perto me trouxe uma responsabilidade muito maior em cuidar de minha saúde e dos meus entes queridos”.

Saúde à Fundação Copel incentivar esse grupo a zelar pela saúde, fornecendo elementos para isso. “Será um espaço para compartilhar histórias e problemas, e com isso fortalecer o grupo e a vida de cada beneficiário”. Nesta primeira etapa, quatro profissionais da área da saúde foram contratados para apoiar os portadores da doença na manutenção diária dos cuidados, considerando, principalmente, as particularidades de cada um para controlar a dieta, os exercícios e o aspecto emocional. Nutricionista, enfermeira, psicólogo e educador físico são os especialistas que

irão contribuir para que os beneficiários vivam com mais qualidade, mesmo com a doença. No mês de setembro, a entidade expandirá o programa para Maringá. “Se ao longo deste trabalho nós conseguirmos melhorar a qualidade de vida de uma pessoa, o esforço valeu a pena, porque isso tudo faz parte do nosso objetivo como Fundação, para que se Viva Melhor e Viva Mais”, reforça o presidente.

Lindolfo Zimmer, Presidente da Fundação Copel é diabético há 27 anos e enfatiza que é possível viver bem mesmo sendo portador da doença.

CONTROLE & NOVOS HÁBITOS

“Queremos viabilizar esses

encontros com os diabéticos que buscam qualidade de vida e mostrar que é possível viver bem mesmo com a doença”.

Esses grupos de apoio crescem em diferentes partes do mundo e são muito utilizados para diferentes situações e enfermidades. Além de contribuir no monitoramento do problema, os novos hábitos aprendidos nos encontros melhoram outros cuidados com a saúde como colesterol baixo, pressão controlada, prevenção de AVC (acidente vascular cerebral) entre outros. “Cada um é responsável pela sua saúde, mas o diabético precisa entender que isso depende mais das suas atitudes do que apenas do médico e dos remédios. Primeiro é preciso conscientização de que tem a doença e em segundo lugar vem o comprometimento em cuidar-se”, sinaliza Zimmer. O presidente esclarece ainda que cabe

P

ara cada pessoa que sabe que tem Diabetes, existe alguém que não sabe”, sinaliza o endocrinologista Dr. André Daher Vianna, membro da The Endocrine Society, nos EUA, e da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). O alerta é para mostrar que embora seja uma doença silenciosa, requer cuidados e novos hábitos de vida dos portadores. Para Vianna,

o ponto de atenção deve estar no controle do peso. “A epidemia do Diabetes está ligada diretamente à obesidade e ao sedentarismo. Além disso, os fatores hereditários precisam ser investigados”. Pessoas com pressão arterial alta também devem ficar atentas, pois correm grande risco de desenvolver a doença. Em entrevista à Toda Vida, o médico explica a importância do tratamento e como hábitos saudáveis ajudam no tratamento e na qualidade de vida.

17


“Uma pessoa com o Diabetes controlado pode passar a vida toda sem nenhum tipo de complicação”

Saúde

Dr. André Daher Vianna, Endocrinologista.

QUAIS EXAMES PODEM IDENTIFICAR SE UM INDIVÍDUO TEM DIABETES? O QUE É O DIABETES? É uma falha na produção de insulina produzida pelo pâncreas, principalmente quando há excesso de gordura corporal. Mesmo que a pessoa produza a insulina, a gordura acaba atrapalhando o bom funcionamento do órgão. Em resumo, é caracterizada pela elevação da glicose no sangue e ocorre quando as células do corpo não absorvem o açúcar, gerando excesso na corrente sanguínea.

O QUE ATRAPALHA O TRATAMENTO? Três fatores podem agravar a doença: a recusa do diagnóstico, a falta de cuidados médicos e negligenciar hábitos saudáveis. Por ser uma doença crônica, muitos pacientes se acomodam e acham que com a receita médica estarão bem tratados, quando na verdade é o estilo de vida que mais influencia. Em ordem vem a dieta, o exercício físico diário e aí sim o uso correto dos medicamentos.

QUAIS SÃO OS RISCOS PARA A SAÚDE? O diabético pode lidar com diferentes problemas caso não trate a doença. Retinopatia (excesso de sangue danifica os vasos sanguíneos dentro retina, causando perda visual); Nefropatia (problemas nos vasos sanguíneos do rim, ocasionando falha no funcionamento do órgão que é tratado por hemodiálise ou transplante); Neuropatia (acometimento dos nervos, principalmente nos pés favorecendo a perda da sensibilidade, dificuldade de cicatrização motivando até mesmo a amputação); Disfunção erétil nos homens e problemas cardiovasculares (AVC, infarto e insuficiência dos vasos periféricos das pernas).

POR SER SILENCIOSA, QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS PONTOS DE ATENÇÃO PARA DIAGNOSTICAR PRECOCEMENTE A DOENÇA? 18

É uma doença que não há sintomas prévios para cuidado, quando esses sinais surgem é porque a doença está em um nível avançado e com poucas chances de evitar sequelas. Por isso, é muito importante realizar exames de sangue periodicamente e ter acompanhamento médico.

Os exames de sangue de rotina já servem para identificar se há algum ponto de observação na taxa glicêmica. Caso seja necessário, posteriormente, o médico irá solicitar novos exames para investigação.

O DIAGNÓSTICO PRECOCE CONTRIBUI PARA A QUALIDADE DE VIDA? O diagnóstico precoce torna o tratamento mais simples, quanto mais cedo os cuidados com a doença são tomados, há menos riscos de complicações.

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS TABUS SOBRE A ALIMENTAÇÃO DO DIABÉTICO? As pessoas acham que a única coisa que faz mal ao diabético é o açúcar, mas na verdade são os carboidratos, do qual o açúcar faz parte. Por isso, controlar o peso corporal, evitar o consumo desses alimentos e realizar atividades físicas diariamente devem fazer parte da rotina.

DICA MÉDICA PREVINA-SE, FAÇA EXAME DE SANGUE ANUALMENTE

Todos os anos a Fundação Copel envia aos aposentados, cônjuges e pensionistas guias para realização do checkup. Não deixe de acompanhar os resultados levando-os ao seu médico.

19


CASCAVEL CONFIRMA 39 INSCRITOS

Saúde

“Um encontro motivador” Foi assim que o coordenador dos aposentados de Cascavel, Alcides Andretta avaliou a inauguração do Programa Cuidar. “Minha adesão ao projeto foi como forma de prevenção. Eu não tenho a doença ainda, mas estou no limite”. Há sete meses, o aposentado descobriu que caso não começasse a se cuidar, poderia desenvolver o Diabetes. Então, assim que soube da iniciativa da Fundação Copel não teve dúvidas em participar. “Imagina quantas pessoas podem evitar o Diabetes e como esses encontros podem ajudar quem já tem”. O programa visa apoiar todas as pessoas, portadoras ou em fase de risco para o diagnóstico da doença. Apenas na fase inicial, o número de inscritos chegou a 39 pessoas. “Nós seguiremos com as reuniões em Cascavel com a ajuda dos profissionais da saúde contratados pela Fundação”. Caso tenha interesse ou conheça alguém que possa se beneficiar com o programa, em Cascavel, entre em contato com a entidade.

20

CÂNCER A

expectativa de vida do brasileiro mudou, enquanto nos anos 1960 não passava dos 55 anos, hoje está na casa dos 75. Atreladas a essas mudanças estatísticas estão as novas práticas da população em benefício da própria saúde. Por isso, a longevidade com qualidade de vida tem sido uma das preocupações constantes da Fundação Copel, através do Programa Viva com Saúde, que atua com dicas e ações de hábitos saudáveis. No entanto, viver de forma saudável ao longo dos anos não se restringe às atividades físicas e boa alimentação, uma sequência de práticas, como exames periódicos, precisa fazer parte dessa rotina. Nessa perspectiva que nasceu o Programa Anual de Prevenção da entidade, registrado e auditado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a fim de monitorar três tipos de câncer. A iniciativa visa promover a conscientização em relação ao diagnóstico prematuro com base no perfil etário de pessoas que correm riscos de desenvolver as doenças. Denise Lorencini, analista e responsável pela manutenção do programa explica que o objetivo da ação é mostrar aos participantes a importância de antecipar-se a esse tipo de enfermidade.

“Descobrir a doença não é um processo fácil, mas se constatado em fase inicial, os três tipos são passíveis de tratamento e cura”.

DIAGNÓSTICO PRECOCE PODE GARANTIR ATÉ

100% DE CURA

Anualmente, o Departamento de Gestão e Regulação à Saúde envia todos os dados da população monitorada para a ANS. Para a definição da faixa etária do público atendido pela iniciativa, os dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) foram consultados previamente para realizar a linha de corte, que serve como balizamento para evitar exames desnecessários. Apesar da cura do câncer não ter sido encontrada ainda, a medicina progrediu muito e os estudos mostram que o conjunto de boas práticas fazem a diferença na qualidade de vida dos participantes e, consequentemente, dos familiares. Pela regra, o plano da Fundação permite que os exames sejam realizados com coparticipação, mas para os elegíveis do programa (titular e dependentes do plano de saúde) não há coparticipação, ou seja, os exames são GRATUITOS. Após um filtro das guias faturadas, a Fundação registra os participantes que realizaram o exame e com esses dados alimentam a planilha da ANS. O programa é fiscalizado anualmente para avaliar se todos os recursos propostos pela Fundação estão sendo destinados efetivamente. Denise ressalta que a qualidade da saúde emocional também depende da saúde física. “Hoje o diagnóstico de câncer não está relacionado ao fim da vida. Com o avanço da medicina a cura se tornou uma realidade, chegando a 95% em casos iniciais. Por isso a importância desse programa na vida dos participantes”, finaliza.

21


As chances de cura do câncer de mama podem chegar até 100%, desde que seja detectado na fase inicial. Quanto mais cedo o paciente for diagnosticado, isso serve para os três tipos de câncer, melhores serão os resultados do tratamento.

CHANCES DE CURA FATORES DE RISCO

CAUSAS HEREDITÁRIAS

Saúde

O TRATAMENTO Terapia Sistêmica: Uso de medicamentos que podem ser administrados via oral, ou diretamente na corrente sanguínea. Por exemplo, quimioterapia, terapia hormonal e terapia-alvo.

CÂNCER DE MAMA

COLO DE ÚTERO

22

COLORRETAL

Terapia Local: Visa tratar um tumor no local, sem afetar o resto do corpo. Cirurgia e radioterapia são exemplos desse tipo de tratamento.

Não existe uma causa única, mas podemos elencar os fatores que contribuem para o desenvolvimento da doença: idade, fatores endócrinos/história reprodutiva, comportamentais/ambientais e genéticos/hereditários.

Mulheres com histórico de casos na família, sobretudo em idade jovem; câncer de ovário ou de mama em homem, podem ter predisposição genética e são consideradas de risco elevado para contrair a doença.

Causado pela infecção persistente de alguns tipos de HPV (Papilomavírus Humano), que é muito comum, embora não cause a doença na maioria das vezes. Porém, em alguns casos, alterações celulares podem fazer essa infecção evoluir para o câncer. Por isso é tão importante realizar o exame preventivo (Papanicolau), pois ele é facilmente detectável nessa análise.

Existe pelo menos 13 tipos de HPV que são considerados oncogênicos, ou seja, contribuem para o surgimento de tumor canceroso. Isso representa um risco maior de provocar infecções que podem estar associadas a lesões precursoras (que antecedem o aparecimento da doença).

Os mais comuns são a quimioterapia e cirurgia. Fatores como o estadiamento da doença, tamanho do tumor, idade e desejo de ter filhos, por exemplo, determinam qual deles será executado pelo médico.

Inúmeras pesquisas já confirmaram a existência de doenças hereditárias relacionadas ao câncer de colorretal. Para determinar a presença de uma doença hereditária, são necessárias avaliações de médicos especializados e testes genéticos específicos.

A cirurgia é a fase inicial. Em seguida, a radioterapia, associada ou não à quimioterapia. O tratamento depende principalmente do tamanho do tumor, localização e extensão. Quando a doença já atingiu outros órgãos, as chances de cura ficam reduzidas.

Tumores que, na maioria das vezes, inicia a partir de pólipos (pequeno grupo de células que se forma na mucosa do cólon ou do reto) ocasionando lesões benignas na parede do intestino grosso. Ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos, é tratável e na maioria dos casos curável.

Terapia Adjuvante e Terapia Neoadjuvante: Adjuvante ocorre quando o paciente, mesmo após a cirurgia, precisa ser submetido a outros tratamentos (quimioterapia, hormonioterapia e terapia-alvo) para impedir o reaparecimento da doença. Caso o tratamento precise acontecer antes da cirurgia, com o objetivo de reduzir o tumor, aplica-se a neoadjuvante.

23


Saúde

PALAVRA DO ESPECIALISTA

COMO FUNCIONA O PROGRAMA

O

24

Oncologista da Fundação Copel, Dr. Elio Tanaka explica alguns dados sobre cada diagnóstico e orienta acerca dos cuidados com a prevenção, fator que tem papel decisivo na cura da doença. Mas alerta: “o papel do médico é fundamental nesse processo, pois se houver alguma falha de diagnóstico do estágio em que o paciente está, as chances de cura tendem a diminuir”. Isso não tira a responsabilidade individual na prevenção. Tanaka conta que a cada 100 pessoas com câncer, 33 casos poderiam ser prevenidos se hábitos saudáveis fizessem parte do dia a dia da população. “Evidências científicas comprovam que a atividade física pode, sim, prevenir o aparecimento de vários tipos de câncer. Desde 2010, pesquisadores ao redor do mundo encontraram relação entre a atividade física e a redução do risco de câncer de endométrio, próstata, rim, pâncreas e bexiga”. A má alimentação foi classificada como a segunda causa de câncer que pode ser prevenida. Os dois fatores, alimentação e atividades físicas, são responsáveis por números impressionantes. “Eles causam até 20% dos casos de câncer nos países em desenvolvimento, como o Brasil, e por aproximadamente 35% das mortes”, explica. Embora a medicina tenha evoluído nos tratamentos da doença, o tema ainda é um grande tabu que precisa ser discutido em todos os ambientes. Tanaka avalia que ainda vale a pena prevenir e ter um diagnóstico precoce do que remediar. “Quando uma pessoa da família é acometida por um câncer, isso acaba com a vida cotidiana da maioria dos integrantes daquele grupo”. Nesse sentido, o médico orienta que os beneficiários, que compõem o quadro do Programa de Prevenção, realizem os exames preventivos. O reflexo dessa ação é positivo não só para o indivíduo, mas para todos os familiares.

As guias são enviadas apenas para os participantes que não realizaram os exames nos dois últimos anos e que estão na faixa etária estipulada

Quando houver dependentes do plano de saúde, apenas uma carta é direcionada para a casa do titular com as demais guias nominais. A partir da data de emissão da guia, o exame pode ser feito em até 90 dias sem coparticipação. Caso o exame apresente alguma alteração, deve-se procurar o médico da família. Faixa etária para realizar os exames: Colo de útero – de 18 a 65 anos (mulheres) Mamografia – de 50 a 74 anos (mulheres) Sangue oculto – de 50 a 75 anos (homens e mulheres)

DADOS 2016 MAMOGRAFIA

262 enviados 57 realizados 205 não realizados

COLO DE ÚTERO

3791 enviados 588 realizados 3203 não realizados

SANGUE OCULTO

707 enviados 576 realizados 131 não realizados

25


PRÓTESES MÉDICAS SEGURANÇA, QUALIDADE E CONFIANÇA Núcleo de OPME (Órteses, próteses e materiais especiais) da Fundação Copel passa por melhorias para garantir mais segurança nos processos. A liberação desses materiais segue um rigoroso critério de aprovação para prevenir fraudes e oferecer qualidade aos beneficiários do plano de saúde

26

J

á imaginou descobrir que aquela cirurgia de prótese indicada pelo seu médico não precisava ser realizada? Infelizmente esse cenário é mais comum do que parece e nos últimos anos tem afetado muitos brasileiros. Há dois anos, a denúncia do programa Fantástico, conhecida como “máfia das próteses”, mostrou uma prática que acontece não só no Brasil, mas também em outras partes do mundo: médicos ganham comissões por quantidade de cirurgias indicadas, que muitas vezes são desnecessárias. O esquema revelou que muitos médicos são patrocinados por marcas, negligenciando o tratamento adequado aos pacientes apenas para obter lucro. O mercado de próteses movimenta anualmente R$ 12 bilhões no país e o motivo que leva esses profissionais a praticarem tal ação é colocar benefícios financeiros a frente da integridade dos pacientes. Mas cabe aos planos de saúde a boa gestão do serviço de liberação desses procedimentos para evitar fraude. Além disso, o paciente precisa estar atento a pequenos sinais para prevenir-se a desse tipo de golpe. Após as denúncias (2015), as operadoras passaram a ter uma preocupação ainda maior em relação ao controle dos pacientes que usam

próteses. Na Fundação Copel esse cuidado já é realizado há 20 anos. Com o mesmo zelo e preocupação com os beneficiários, profissionais que já atuaram na da área da saúde fazem parte do quadro do Núcleo de OPME (Órtese, Prótese e Materiais Especiais) para atender as solicitações cirúrgicas desses materiais. Toda a estrutura é amparada nas diretrizes da Agência Nacional de Saúde e segue todos procedimentos legais. Técnicos, médicos e enfermeiros são responsáveis por analisar a indicação médica do implante e avaliar se o paciente corre algum risco com aquele procedimento. Vale destacar que esses profissionais são definidos e contratados de acordo com cada especialidade. Maria José Takasaki, analista de saúde e responsável pelo núcleo de OPME explica a importância do acompanhamento das solicitações cirúrgicas. “É necessário que haja um controle para proteção das pessoas para que esse tipo de fraude não atinja os nossos pacientes”.

Saúde

PROTEJA SUA SAÚDE

a

medicina evoluiu muito ao longo dos anos e a prática médica é fortemente respeitada pela sociedade. Apesar do alto nível dos profissionais da área atrelada às novas tecnologias, pequenas ações podem proteger a população de fraudes em procedimentos desnecessários. Por isso, toda solicitação passa por uma avaliação técnica, até mesmo para implantes temporários, como o cateter, por exemplo. Todo paciente deve e tem o direito de saber qual prótese será colocada, isso serve inclusive para que nos casos de dano da prótese seja possível avaliar se a causa é do fabricante ou erro médico durante o procedimento. Outra grande preocupação da Fundação é saber se todos os materiais indicados pelos médicos estão devidamente registrados pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Mas há ressalvas, pois o Brasil acabou se tornando campo para experimentação de materiais que estão na fase de testes. Por isso, toda atenção para saber a procedência do produto a ser implantado é importante. Muitos materiais comercializados ainda não foram testados em humanos. (Veja tabela) NÍVEL DE TESTE

FASE I:

FASE II:

TESTES VIRTUAIS

IN VITRO

FASE III: TESTES EM ANIMAIS

FASE IV: TESTES EM HUMANOS 27


Saúde

POR QUE A FUNDAÇÃO PODE NEGAR A MINHA SOLICITAÇÃO?

NÃO FIQUE COM DÚVIDAS. FALE COM O SEU MÉDICO. Alguns passos podem agilizar a avaliação da solicitação junto à Fundação Copel. E mais importante, serve como proteção à sua saúde.

A Fundação Copel negocia com os prestadores os materiais que podem ser utilizados nos beneficiários, pensando sempre na qualidade desses produtos. São avaliadas as características, o custo e se esse item já está normatizado, tornando o processo de liberação mais eficiente. Porém, Maria José ressalta que com as novas tecnologias e a falta de registros, baseados em evidências médicas (fase IV), a demanda aumentou muito nos últimos anos dificultando o trabalho do Ministério da Saúde quanto aos registros. “Na fábrica, eles avaliam somente as normas de fabricação, mas não levam em conta a fase de testes em que o material está”, explica. A consultora de OPME Débora Soares de Oliveira, da empresa Qualirede, atua no segmento há mais de 20 anos e revela que o Brasil acabou se tornando um terreno para testes de produtos fabricados em diferentes partes do mundo, principalmente coreanos e chineses. “O sistema de saúde brasileiro, por ser híbrido (público e privado), acaba favorecendo que materiais entrem no país sem que os devidos testes sejam realizados. Por isso, o cuidado da Fundação na avaliação das solicitações de implantes”.

Existe algum caminho alternativo para o meu caso?

Preciso da indicação de três fornecedores diferentes para avaliação do meu plano de saúde. Na sua opinião, qual deles é o mais confiável?

O produto é registrado pela ANVISA?

Peça um detalhamento do que o médico quer utilizar no procedimento (justificativa técnica/ laudo completo).

Todas os materiais têm um número de identificação, isso serve para saber exatamente o que o médico está indicando, solicite essa informação.

BUSQUE MAIS DE UMA OPINIÃO Colocar uma prótese é uma decisão muito importante, por isso não fique com dúvidas, tanto do procedimento como do tipo de material que será introduzido no seu corpo. Confirme se a decisão do seu médico é a mais recomendável: realize ao menos uma avaliação com outro profissional para confirmar o diagnóstico e o procedimento mais adequado. Ao entrar em um consenso do laudo médico, vários aspectos favorecem não só o procedimento a ser realizado, mas também a manutenção cirúrgica. É assim que a Fundação trabalha, quando surge uma dúvida em relação a uma solicitação, médicos técnicos são acionados pelo núcleo de OPME para fazer uma avaliação de cada caso conforme a especialidade. Por exemplo, em casos de procedimento neurológico, um médico neurologista é acionado para emitir um parecer técnico, favorável ou não, baseado na sua experiência médica. Essa medida é realizada com novos processos tecnológicos ou nos casos mais complexos, garantindo segurança e assertividade no processo.

OS PRAZOS De acordo com a ANS o prazo para análise é de 21 dias, mas, normalmente, a Fundação avalia em 5 dias úteis. Apenas para casos especiais esse prazo pode mudar. 28

CONHEÇA SEUS DIREITOS As diretrizes que regem a gestão do Núcleo de OPME da Fundação Copel estão amparadas na Lei 1.956/2010. Fique atento para os seus direitos e deveres.

1.

É vedado ao médico obter qualquer forma de lucro ou vantagem pela comercialização de medicamentos, órteses, próteses, materiais especiais ou artigos implantáveis de qualquer natureza, cuja compra decorra de influência direta em virtude de sua atividade profissional;

2.

Deve ser respeitado o direito do paciente em receber informações quanto ao seu diagnóstico, prognóstico, riscos e objetivos do tratamento, salvo quando a comunicação direta possa lhe provocar dano, devendo, neste caso, ser feita a comunicação a seu representante legal;

3.

É vedado ao médico assistente requisitante exigir fornecedor ou marca comercial exclusivos;

4.

O médico assistente requisitante pode, oferecer à operadora ou instituição pública pelo menos três marcas de produtos de fabricantes diferentes, quando disponíveis, regularizados juntos à Anvisa e que atendam às características previamente especificadas. Saiba mais: http://www.portalmedico.org.br/resolucoes/CFM/2010/1956_2010.htm

29


2017: INVESTIMENTO EM NOVOS PROCESSOS Com o objetivo de aprimorar o processo interno do Núcleo de OPME, a Fundação Copel investe ao longo deste ano em um serviço de consultoria para avaliar e, posteriormente, criar um plano de ação para aperfeiçoar os métodos de análise e controle das solicitações. Isso envolve a qualificação de fornecedores e dos empregados para prestar o melhor atendimento aos beneficiários, reestruturação da tabela de produtos, evidência de eficácia científica e tecnológica e, principalmente, o monitoramento das pessoas que já realizaram procedimentos e utilizaram próteses. Os beneficiários terão apoio em todos os processos, prazos de troca e outros fatores que envolvem a manutenção do procedimento médico. Assim, caso seja encontrada alguma divergência, a Fundação poderá identificar onde está o problema e atuar para repará-lo. A consultora Débora Soares de Oliveira, da empresa Qualirede, atua há 20 anos no segmento de OPME e informa que com a implantação de novos processos o beneficiário ganhará mais confiança ao realizar esse tipo de procedimento. “O objetivo é profissionalizar cada vez mais a atividade e o setor de OPME da Fundação Copel”.

NÃO FIQUE NA DÚVIDA, LIGUE PARA A FUNDAÇÃO COPEL 30

O seu médico indicou um procedimento que irá utilizar próteses, mas você está com receio ou quer tirar dúvidas? Ligue para a central de atendimento e solicite mais informações sobre o procedimento e o protocolo de liberação.

31


Novidades

VOCÊ NA Confira os principais eventos realizados pela Fundação Copel no primeiro semestre deste ano. Caso tenha participado de algum encontro, procure sua foto no mural e relembre como é bom cuidar da saúde e das finanças. 7 e 8 de abril BLITZ PATO BRANCO

32

10 de abril 1ª CAMINHADA

4 de junho CAMINHA VIVA COM SAÚDE

33


CONHEÇA SEU PLANO DE SAÚDE Saúde sem Dúvida é o novo serviço do portal da Fundação Copel. Agora todos os beneficiários terão acesso às repostas dos principais questionamentos do plano de saúde de forma rápida e clara

P

ensando cada vez mais em oferecer o melhor atendimento aos beneficiários e dependentes dos planos de saúde, a Fundação Copel lança um canal exclusivo para tirar dúvidas sobre o serviço. As principais perguntas ligadas ao regulamento e ao dia a dia dos beneficiários serão respondidas previamente e ficarão disponíveis no portal, facilitando a consulta e otimizando o tempo de busca. Além disso, periodicamente, as questões que mais geram demanda serão divulgadas através da Newsletter e da página oficial do Facebook. Para situações específicas como exame de mamografia, por exemplo, o envio será segmentado para esse público, por E-mail Marketing e postagem na rede social. A Fundação Copel não quer que você tenha perguntas sem respostas, ou até mesmo que isso dificulte algum procedimento importante que você ou algum familiar precise realizar. Por isso, é extremamente importante consultá-lo assim que surgir alguma dúvida. Para aqueles que não têm acesso à internet, um guia com o mesmo conteúdo poderá ser solicitado na sede da entidade.

34

Novidades

REVISTA TODA VIDA: O MUNDO AGORA É DIGITAL A internet mudou a forma como consumimos notícias, entretenimento e serviços. Pensando nisso, a Fundação Copel está preparando uma novidade para todos os participantes e beneficiários. A edição impressa da revista Toda Vida dará espaço para um conteúdo totalmente digital, permitindo que as notícias cheguem mais rápido. A nova estratégia de comunicação garantirá mais dinâmica e melhor alcance, já que as novidades serão disponibilizadas em diferentes canais. Em breve, todos os conteúdos que você tinha acesso pela revista impressa serão transmitidos por e-mail, redes sociais e outras plataformas digitais. Então, aproveite a leitura desta última versão impressa e aguarde novas informações.

MASCOTE DA FUNDAÇÃO COPEL VISITA CIDADES NO PARANÁ Já conhece o Prevenildo? Ele é o mascote da Fundação Copel e está participando de vários eventos no Estado. Não perca a chance de conhecer quem mais entende de previdência e saúde, tirando os nossos especialistas, claro. Fique atento, ele pode visitar sua cidade!

35


Bem-estar

ESTILO DE VIDA: CORRER ATRÁS DOS SONHOS

C

riar hábitos saudáveis nem sempre é uma tarefa fácil e desculpas não faltam: a falta de tempo é uma das que estão na ponta da língua. Pensando na saúde dos beneficiários, todos os anos a Fundação Copel cria uma agenda de incentivos para realização de atividades físicas e cuidados com o bem-estar. Entre elas está a caminhada, que acontece em diferentes cidades do Paraná e reúne centenas de participantes. Além de encorajar os aposentados e empregados ativos a se exercitar, os encontros são um ótimo combustível para fortalecer amizades e melhorar a qualidade de vida. É com esse mesmo espírito que a patrocinadora Compagas encoraja os mais de 160 empregados. O incentivo vem por meio de patrocínio de corridas, com o programa SportGás, e pelo projeto Saúde a todo Gás, que trata-se de um auxílio financeiro para realização de qualquer atividade física. Gerente da Assessoria de Saúde, Meio Ambiente e Segurança da Compagas, Marco Aurélio Biesemeyer conta que em 2016 mais de 90 pessoas passaram pelo programa Saúde a todo Gás, marca batida apenas no primeiro semestre deste ano. O auxílio é em forma de reembolso que ajuda o empregado a custear integralmente ou parcialmente a atividade física que mais se enquadra no

36

Mais do que manter a saúde física em dia, programas que incentivam a prática de exercícios influenciam a saúde emocional e a vida laboral de quem pratica regularmente

seu perfil como pilates, natação, musculação e artes marciais, por exemplo. O valor, que é de R$ 100 mensais, contribuiu para que mais de 70% dos empregados pratiquem exercícios regulares. As corridas não ficam para trás nos números. Na fase inicial do programa SportGás, criado em 2003, eram apenas quatro integrantes e hoje 19 corredores assíduos recebem o apoio da empresa. Além de patrocinar as inscrições e algumas viagens, a ajuda vem por meio da compra de materiais de apoio à prática esportiva como, tênis, uniformes e acessórios. Mas para isso, o corredor precisa atingir as metas estipuladas: correr no mínimo 120 km por ano. Para os novatos, no primeiro ano são 60 km, com exceção de alguns materiais esportivos, mas conforme o calouro avance, o kit passa a ser completo.

37


HISTÓRIAS DE INCENTIVO Conheça duas grandes histórias de empregados da Compagas que não mudaram apenas seus hábitos, mas encontraram na prática esportiva, especificamente na corrida de rua, coragem para enfrentar seus próprios desafios

CORRER SEM LIMITES Apesar de jogar futebol regularmente, foi por um acidente nos gramados que Marco Aurélio Biesemeyer, Gerente da Assessoria de Saúde, Meio Ambiente e Segurança da Compagas descobriu a corrida. Após se acidentar enquanto disputava uma partida entre amigos, precisou sair de campo rumo à mesa cirúrgica para reconstituir o joelho fraturado. Em 2001, após o procedimento médico, era hora de começar a fortalecer a articulação com musculação e caminhada. “Aos poucos comecei a migrar da caminhada para a corrida, com pequenos trotes (nome dado para corrida mais leve)”. Um tempo depois, Marco soube da corrida do trabalhador, realizada em 1º de maio de 2003, e convidou uma colega de trabalho para participar. Essa foi a primeira experiência e apesar de o resultado não ser tão positivo, afinal era a primeira vez que ele participava de disputas de rua, tinha apenas uma certeza: estava longe de ser a última. “Apesar de o resultado em relação ao tempo de execução não

ter sido bom, apreciamos muito o processo que envolve esse tipo de evento”, comenta. Assim surgiu a ideia de apresentar à Diretoria um programa que incentivasse a atividade física e, em contrapartida, os corredores levariam a marca da empresa estampadas em suas camisetas. “Nisso, nós desenhamos o programa. Para ter o patrocínio, os empregados deveriam atingir uma meta, que inicialmente era de 120 km por ano”. Ao longo desses mais de 10 anos de SportGás, os corredores já participaram de disputas em diferentes estados do Brasil, inclusive na América do Sul. Para o gerente, essa prática é uma forma de integração com outras pessoas, além de ajudar o indivíduo a perceber sua evolução esportiva e ser uma forma de estímulo para enfrentar novos desafios. “Apesar da dor física você sente prazer por vencer a etapa e passa a treinar cada vez mais”. Ele menciona ainda que o apoio da empresa nesse processo funciona como encorajamento, bom para a vida pessoal e profissional.

“Apesar da dor física você sente prazer por vencer a etapa e passa a treinar cada vez mais”.

HISTÓRIAS DE INCENTIVO

DOM E DEDICAÇÃO CORREM LADO A LADO Marcelo Maia, do setor de Governança Corporativa da Compagas mal sabia, mas o dom da corrida já estava nos seus pés e no seu fôlego. Isso não significa que para o corredor alcançar a linha de chegada é fácil e indolor. Desde que começou a correr, em 2007, o treino diário, que acontece faça chuva ou faça sol, tem garantido boas colocações em grandes corridas, incluindo o primeiro lugar do Night Run 2017, o maior circuito de corrida noturna do mundo. Apesar de ter um dos melhores resultados, conquistado arduamente, ele comenta que sem o incentivo do programa SportGás sua participação em competições não seria possível. “Eu não poderia competir e ficaria limitado ao treino”. Devido ao alto número de corridas de rua que acontecem em Curitiba, Maia consegue participar pelo menos uma vez por semana de competições oficiais. “Eu me co-

loco desafios e as corridas têm um reflexo muito maior que ganhar medalhas: motivação para realizar outras coisas na minha vida”. O atleta, que já no primeiro semestre deste ano correu mais de 1.800 km, comenta sobre os novos planos. Com o apoio de um treinador, a meta agora é competir na categoria de elite masculina do Iron Man, maior evento do mundo, que envolve corrida, natação e bicicleta. Com a projeção de três anos para disputar a modalidade, o esportista avalia de forma positiva o incentivo da empresa, que foi de fato um combustível para atingir a performance que tem hoje. “Durante as competições ficamos sabendo das formas de patrocínio de outras empresas, que na maioria das vezes são bem limitadas. Isso mostra um dos valores da Compagas: o cuidado com as pessoas”.

“Eu me coloco desafios e as corridas têm um reflexo muito maior que ganhar medalhas: elas me motivam a realizar outras coisas na minha vida”.

O atleta Marcelo Maia conquistou alta performance nas corridas e treina pesado para participar da categoria de elite do esporte: o Iron Man.

38

Marco Aurélio superou uma lesão e voltou com gás total a praticar atividades físicas.

39


Revista toda vida 4ª ed  
Advertisement