3 minute read

Sobre o Natal....

SOBRE O NATAL

10

•UM NATAL DIFERENTE•

O Natal é uma época mágica. Ou pelo menos devia ser…

Na confusão das decorações, compras, prendas e jantares, cada vez mais nos esquecemos de pura e simplesmente estar presentes e perdemo-nos cada vez mais em coisas que realmente não importam.

Quantos de nós já não passamos pelo stress das compras de última hora? / Quantos de nós já não nos enfiamos num qualquer centro comercial, apinhado de gente, na tentativa de encontrar o presente ideal? Ou, se não o ideal, o presente necessário para assinalar esta quadra? / Quantos desses presentes, dados ou recebidos, acabaram esquecidos numa gaveta ou prateleira lá de casa? / Quantos foram trocados ou devolvidos? / Quantos foram realmente sentidos e vividos como verdadeiros presentes de Natal?

Como um gesto que serve para mostrar a alguém que nos lembramos dele, que estamos presentes na sua vida e que queremos continuar sempre que este olhar/usar a nossa oferta…

A magia de Natal perde-se um pouco quando este acaba. Nos contentores de lixo e reciclagem perecem os vestígios dessa magia, de uma forma triste, caótica e desencantada. Fazem-se as contas aos euros gastos, ao lixo gerado, aos recursos consumidos… O Natal acabou, a ilusão também. Vira-se a página e começa o buliço do fim de ano.

A pergunta que fica no ar é: O QUE PODEMOS FAZER PARA VIVER UM NATAL COM MAIS SIGNIFICADO?

Na minha concepção, um Natal com mais significado é aquele que está alinhado com os valores da quadra: paz, partilha, solidariedade…

E, nos dias que correm e face aos problemas que o nosso planeta atravessa, tem também de ser um natal consciente, amigo do ambiente.

No qual o desperdício não é um sinónimo de abundância. No qual o amor não se mede pelos euros que gastamos, mas pela dedicação que colocamos em cada coisa que fazemos.

Um dia que celebra a união e a presença das pessoas e não a data em si.

Por isso, quero partilhar aqui pequenas inspirações para um Natal mais sustentável, que no fundo, não é mais do que: UM NATAL MAIS ECONÓMICO - em que o importante não é quanto despendemos com cada presente, mas a afeição que colocamos em cada um. Presentes feitos com as nossas próprias mãos (ou pelas nossas crianças) poderão ser infinitamente mais deliciosos do que qualquer coisa que possamos comprar. O nosso tempo - oferecido sob a forma de uma massagem, uma refeição especial ou uma viagem, por exemplo - poderá ser o melhor dos presentes. Sobretudo quando levamos uma vida demasiado ausente.

UM NATAL MAIS ECOLÓGICO - em que se pensa duas vezes nas escolhas que se faz, evitando o descartável, o supérfluo e o desperdício. Com criatividade e bom senso é possível viver esta quadra de uma forma mais amiga do meio ambiente.

Menos embrulhos, menos consumo e talvez um pouco menos de brilho na árvore de Natal. Mas certamente com muito mais brilho interior, pois respeito pela natureza é essencialmente respeito por nós próprios e por todos aqueles que ainda estão por vir.

UM NATAL MAIS CONSCIENTE - em que lembramos e praticamos os valores desta quadra tão especial. Temos presente o próximo e as suas necessidades e fazemos o que está ao nosso alcance para as minimizar. Oferecemos presentes solidários, fazemos donativos, compramos a projectos sociais e dessa forma ajudamos a concretizar as suas missões. E somos gentis. Porque a gentileza é uma forma de valorizarmos o Outro, de nos darmos enquanto seres humanos, de termos uma presença positiva neste mundo.

TEAM 4 HEALTH

Será certamente um Natal mais presente, no qual os pormenores contam e nada é deixado ao acaso. As tarefas e momentos são partilhados com aqueles que nos são mais próximos e, por isso, ganham significado. Porque os pequenos gestos, muitas vezes, são aqueles que mais reflectem a nossa presença. São também aqueles que mais poder têm para operar a mudança. E estão exclusivamente nas nossas mãos.

Texto: Susana Machado

- Licenciada em Geografia, mestre em Riscos, Cidades e Ordenamento do Território

- Especialista em Desenvolvimento Sustentável Escritora

11