Issuu on Google+

Escola secundรกria Gabriel Pereira Histรณria da cultura e das artes

Manuel Diogo nยบ23 Turma I 10ยบano

2011-2012


Índice Introdução ........................................................................................................................................................................ 1 Lourenço de Médicis......................................................................................................................................................... 2 Biografia ............................................................................................................................................................................ 3 Características .................................................................................................................................................................. 4 Conclusão.......................................................................................................................................................................... 4 Bibliografia ........................................................................................................................................................................ 5 Webgrafia ......................................................................................................................................................................... 5

Introdução No âmbito da disciplina de história da cultura e das artes desenvolvi este trabalho sobre Lourenço de Médicis, II Magnifico. Este mecena despertou-me algum interesse pelo facto de ser considerado o “ II Magnifico”. Qual terá sido as suas importantes funções?

1


Lourenço de Médicis Lourenço de Médicis foi um estadista italiano, soberano de factoda República Florentina durante o Renascimento italiano. Conhecido como Lourenço, o Magnífico) por seus contemporâneos florentinos, foi um diplomata, político e patrono de acadêmicos, artistas e poetas e também mecenas1. Sua vida coincidiu com alguns dos pontos altos do início do Renascimento na Itália, e sua morte marcou o fim da chamada Idade de Ouro de Florença. A paz frágil que ele ajudou a manter entre os diversos Estados italianos entrou em colapso depois de sua morte. Está enterrado na Capela Medicea, em sua cidade natal. Governou Florença com grande sabedoria e tato políticos, impondo respeito aos demais governantes italianos e europeus e aos seus concidadãos pela prosperidade, fama e bem-estar que trouxe à cidade. Na governação, soube reunir o apoio dos mais pobres e instituir um poder quase absoluto. Amantes das letras e das artes, desenvolveu uma política cultural notável: atraiu à sua corte poetas, pensadores e artistas; fundou tipografias, criou escola e bibliotecas; colecionou livros, obras de arte e objetos raros; estimulou os estudos clássicos; renovou arquitetonicamente a cidade e promoveu numerosas festas privadas e públicas para as quais pediu o concurso de muitos artistas, criando na cidade um ambiente de permanente animação. Nasceu no seio da família Médicis, privilegiada, uma das mais poderosas da Itália nos séculos XIV a XVI. Burgueses por nascimento, os Médicis deviam a sua fortuna à boa gestão dos negócios a que se dedicavam de longa data: atividades artesanais, comércio e transporte de mercadorias a longas distância, atividades cambistas, bancos e outras operações financeiras, um pouco por toda a Europa. A riqueza permitira-lhes um lugar de destaque na chefia política da sua cidade, que governaram durante todo o século xv.

1

Mecenas. Na atualidade o seu nome é o símbolo do patronato rico, generoso das artes. Assim o nome Mecenas passou de nome próprio a nome comum. Assim hoje em dia um mecenas é uma pessoa que patrocina as artes, a ciência ou o ensino, muitas vezes com benefícios fiscais. http://pt.wikipedia.org/wiki/Mecenas disponível a 15-052012

2


Biografia Neto de Cosme de Médici (o Velho), era filho de Pedro de Cosme de Médici e de Lucrécia Tornabuoni. Casou-se em 4 de junho de 1469 com Clarice Orsini, chamada Leo, nascida em 1450 e morta em 20 de julho de 1488. Era filha de Giacomo Orsini di Monterotondo. Teve sete filhos, dos quais João de Lourenço de Médici (futuro Papa Leão X). Com a morte de seu pai, em 1469, Lourenço e seu irmão Juliano foram designados "príncipes do Estado" (em italiano principi dello Stato). O futuro parecia tranquilo até que em 1478 aconteceu a conspiração dos Pazzi, assim chamada em alusão à família envolvida no movimento, na verdade instigado pelos Salviati, banqueiros do Papa Sisto IV, inimigo dos Médicis. Foi feito um plano para matar os dois irmãos Médici no Duomo de Florença, durante a missa, em 26 de abril, um domingo de Páscoa. Juliano morreu, Lourenço escapou, embora ferido, salvo pelo poeta Poliziano, que o trancou na sacristia. Sem ajuda de seus tradicionais aliados de Bolonha e Milão, Lourenço partiu sozinho para Nápoles, em 1480, colocando-se nas mãos de Don Ferrante. Este manteve Lourenço cativo durante três meses, antes de libertá-lo com muitos presentes. Graças a sua coragem e talento diplomático, Lourenço convenceu Don Ferrante de que o Papa poderia também voltar-se contra ele, caso obtivesse muito sucesso no norte. Assim, firma-se a paz ainda em 1480. Com isso, Lourenço forçava o papa a também aceitar a paz. A paz de Lodi (1454), que havia colocado um fim às disputas entre Veneza e Milão, havia trazido o equilíbrio entre os estados italianos. Em grande parte, tal equilíbrio foi mantido graças às habilidades diplomáticas de Lourenço, considerado "o fiel da balança". De fato, procurava proteger o eixo formado por Florença, Milão e Nápoles das ambições venezianas e da ambiguidade papal. O clima de relativa paz também favoreceu o Renascimento. Após sua morte, seu filho e sucessor Pedro II (Piero) (1471-1503) é expulso de Florença por uma revolta instigada por Savonarola, em 1494. O equilíbrio político é rompido e as rivalidades entre os estados italianos acabaram por dar espaço ao envolvimento de potências estrangeiras nas disputas. Em geral, Lourenço manteve a política de seu avô, embora tenha sido menos prudente e mais disposto à tirania. Dotado de grande inteligência, governou em um clima de prosperidade pública, aumentando a influência de sua família por toda a Itália, e manteve as instituições republicanas em Florença, ainda que só na aparência: na verdade, Lourenço foi virtualmente 3


um tirano. Utilizava-se de espiões, interferia na vida privada dos cidadãos mas conseguiu levar o comércio e a indústria de Florença a um nível superior ao de qualquer outra cidade da Europa. Protetor de escritores, sábios e artistas, foi o impulsor das primeiras imprensas italianas. Lorenzo iniciou o movimento renascentista, que rejeita a ciência escolástica e teológica, para valorizar a pesquisa e a busca do sentido da vida, colocando o homem no centro do Universo. Seu palácio tornou-se o centro de uma cultura que, partindo da redescoberta da Antiguidade grega e latina na Europa (uma vez que os impérios islâmicos haviam sido, até então, guardiões e desenvolvedores desta sabedoria), levou a um extraordinário florescimento das artes e das letras naquela parte da Europa. Os maiores artistas e literatos frequentavam a sua corte, mas o que distinguia Lourenço de outros mecenas da época era a sua ativa participação intelectual nas atividades que promovia. Foi um elegante escritor em prosa e um poeta original. Os filósofos Marsílio Ficino e Pico della Mirandola, os poetas Pulci e Poliziano e grandes artistas como Botticelli e Ghirlandaio, eram seus hóspedes habituais. Michelangelo iniciou seus estudos em um ateliê patrocinado por Lourenço.

Características Lourenço não tinha falta de oportunidades para cultivar o seu espírito, já de si curioso e vivo, animado por uma inteligência acima da média e por grande sensibilidade artística. Tornou-se, desse modo, um homem culto, eclético2, sensível e sofisticado. Foi um grande escritor em prosa e um poeta original. O que distinguiu o Lourenço de outros mecenas da época foi a sua ativa participação intelectual nas atividades que promovia.

Conclusão Com este trabalho fiquei a conhecer um pouco mais sobre o que é o mecenato e sobre a função dos mecenas. Fiquei a conhecer que o Lourenço de Médicis governou florença com grande sabedoria e tato políticos.

2

Eclético adj. do eclectismo. Ecletismo ou Ecleticismo é um método científico ou filosófico que busca a conciliação de teorias distintas. Na política e nas artes, ecletismo pode ser simplesmente a liberdade de escolha sobre aquilo que se julga melhor, sem a apegação a uma determinada marca, estilo ou preconceito. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecl%C3%A9tico disponível a 16-5-2012

4


Bibliografia

PINTO.A.L; MEIRELES.F; CAMBOTAS. M. C., 2011, História da Cultura e das Artes, 1ºedição, 10ºano Porto Editora

Webgrafia http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecl%C3%A9tico disponível a 16-5-2012 http://pt.wikipedia.org/wiki/Mecenas disponível a 15-05-2012

http://pt.wikipedia.org/wiki/Louren%C3%A7o_de_M%C3%A9dici disponível a 16-5-2012

5


Lourenço de Médicis, II Magnifico