Issuu on Google+

Horizontes

Diversificação

Correios 2020: os caminhos de uma nova era

Parcerias inéditas ampliam serviços e diminuem riscos

Edição n°1 mar/abr 2014

Caminhos da negociação Mesa reforça diálogo permanente

Que peça você é? A importância de reconhecer seu papel na empresa e como melhorar o que entregamos ao cliente

Publicação produzida por

mar/abr 2014 - Revista Correios 1


Identidade Corporativa

Índice 08 Correios 2020

Em um ciclo de grandes mudanças, Correios avança para se tornar uma empresa de classe mundial

NEGÓCIO

11 Entregas do Nando

Soluções que aproximam.

MISSÃO

Fornecer soluções acessíveis e confiáveis para conectar pessoas, instituições e negócios, no Brasil e no mundo.

VISÃO

Ser uma empresa de classe mundial.

VALORES

Ética Meritocracia Respeito às pessoas Compromisso com o cliente Sustentabilidade

Cantor surpreende fãs e homenageia os maiores representantes dos Correios

18 O quebra-cabeça da excelência

18

Entenda como a gestão por processos ajuda a gerar melhores resultados

26 Gente que faz

Os multitalentos de Nena, a analista de sistemas dos Correios

28

28 A vez de Bruno Soares

A trajetória do mineiro que se tornou o melhor tenista de duplas da ATP

32

32 O sertão das águas Desvende os encantos do Jalapão, uma das mais inusitadas paisagens do País

Seções 02 03 04 07 12

Fale com os Correios correios.com.br/ouvidoria • correios.com.br/acessoainformacao 3003 0100 (capitais e regiões metropolitanas) • 0800 725 7282 (demais localidades) • Sugestões: 0800 725 0100 2 Revista Correios - mar/abr 2014

Temas por cores

Editorial Panorama Entre aspas Eu, Correios Nosso negócio

16 24 30 36

Sustentabilidade Correios por você Viver bem Almanaque

Capa e Entrevista

Empregado

Patrocínio

Negócio

Institucional mar/abr 2014 - Revista Correios 3


Editorial

Panorama Divulgação - Correios

Feita para você É

com grande satisfação que entregamos a primeira edição da Revista Correios. O objetivo desta publicação é aproximar cada vez mais os Correios daqueles que os fazem existir: seus mais de 124 mil trabalhadores. Por meio de artigos e reportagens especiais, reforçaremos nossa missão e valores, sem esquecer a ótica de interesse do leitor - não só na condição de empregado, mas também como indivíduo e cidadão. Assim, serão publicados tanto assuntos corporativos como também de cultura, saúde e comportamento. Com a ajuda do Tangram, quebra-cabeça chinês que ilustra a capa desta revista, procuramos demonstrar a importância de cada empregado se enxergar como uma peça-chave para a empresa e, ao mesmo tempo, ter uma visão ampla de todos os processos. Em Horizontes, apresentamos um balanço dos resultados de 2013, as novas parcerias realizadas e como e onde queremos chegar nos próximos

anos. Na seção Nosso negócio, falamos mais sobre movimentos importantes para o fortalecimento dos Correios: as novas parcerias firmadas com o Banco do Brasil e com a empresa Valid, líder no ramo de serviços de identificação e segurança em meios de pagamento. Temos ainda uma reportagem sobre o carteiro Jorge que, por meio de suas cartas, leva amor e carinho a idosos de um asilo em Ituiutaba (MG). Na editoria Gente que faz, a analista de sistemas Nena mostra como tem encantado muita gente com seus contos e poesias. Como já foi dito, esta revista é feita por e para você. Portanto, esperamos receber suas sugestões, elogios, críticas e comentários. Boa leitura,

Correios vai implantar terminais para entrega de encomendas Os Correios irão implantar oito terminais automatizados para postagem e entrega de encomendas no Rio de Janeiro até o final de abril. A empresa é a primeira a oferecer este novo canal no Brasil, que já são usados por operadores postais nos Estados Unidos, Chile, Europa e Ásia. A iniciativa é um piloto que contará com 21 máquinas, no RJ SP, PR, MG e DF. O objetivo é oferecer mais comodidade ao cliente, que poderá escolher horário e local para postar e receber encomendas.

Fale com a gente Quer enviar sugestões de matérias, críticas ou elogios para a Revista Correios? É só escrever um e-mail para

Revista Correios - Ano I - nº 1 - mar/abr 2014

Diretoria Executiva

Presidente: Wagner Pinheiro de Oliveira • Vice-presidente de Administração: Célia Corrêa • Vice-presidente de Negócios: Morgana Cristina Santos • Vice-presidente de Clientes e Operações: Glória Guimarães • Vice-presidente de Tecnologia e Infraestrutura: Antônio Luiz Fuschino • Vice-presidente Econômico Financeiro: Luís Mário Lepka • Vicepresidente de Gestão de Pessoas: Nelson Luiz Oliveira de Freitas • Vice-presidente de Logística e Encomendas: José Furian Filho • Vice-presidente Jurídico: Cleucio Santos Nunes • Chefe de gabinete da Presidência: Adeílson Telles Coordenação geral: Alexandre Case • Edição: Waldenice Preusse Reis • Textos: Alessandro Pignata, Amanda Madureira, Caio Nantes, Fernanda Lobo, Flávia Drummond, Marcos Nunes e Natasha Flor • Revisão: Moisés Selva • Projeto Gráfico: Manoela Marcuzzo • Diagramação: Hisla Sena e Manoela Marcuzzo • Ilustrações: César Bulcão e Manoela Marcuzzo • Capa: Hisla Sena, Manoela Marcuzzo e Marcos Nunes • Tiragem: 150.000 exemplares 4 Revista Correios - mar/abr 2014

Divulgação - Postal Saúde

Endereço para correspondência: Edifício-sede dos Correios, SBN Quadra 1, Bloco A, DERIN – 10º andar Ala Norte, Brasília/DF, CEP: 70.002-900

Expediente

Expediente Revista

Postal Saúde: atendimento com novo cartão tem início em todo País

revista@correios.com.br

Wagner Pinheiro

Os terminais funcionam 24 horas, e serão instalados em estações de metrô, shopping centers e supermercados. Como são abastecidos regularmente pelos carteiros, não irão substituir mão de obra dos Correios.

O atendimento médico da rede credenciada com o novo cartão de atendimento já foi iniciado em todos os estados. No primeiro mês de operação do Postal Saúde, foram contabilizadas 45 mil autorizações. Considerando toda a rede de beneficiários, cerca de 10% já começou a utilizar o plano, que passou a funcionar com sistema totalmente informatizado, confirmando assim a credibilidade e solidez da Caixa de Assistência. Para atendimento nas redes credenciadas que ainda não estiverem

utilizando o cartão, o beneficiário deverá solicitar a emissão das guias nos ambulatórios dos Correios. Por isso, no momento da marcação de consulta/exame, o beneficiário deve perguntar se o credenciado já está ou não utilizando o novo sistema, evitando assim transtornos.

Não recebeu seu cartão de atendimento ou de seu dependente? Solicite-o pelo e-mail atendimento.saude@correios.com.br

Telefonia móvel virtual: início das operações em outubro Os Correios irão iniciar a atuação no segmento de telefonia móvel virtual (MVNO), em parceria com o Grupo Poste Italiane, ainda este ano. A primeira etapa, prevista para ser implantada em outubro, terá a comercialização de chips e recarga de créditos. A segunda etapa incluirá venda de aparelhos e está prevista para o primeiro semestre de 2015. A previsão é levar o novo serviço a 8 milhões de pessoas em cinco anos — tanto nos grandes centros, como em localidades menores e mais remotas.

Que é uma MVNO? A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) regulamentou em 2011 esse novo modelo de negócios das chamadas Operadoras de Redes Móveis Virtuais ou MVNOs (sigla em inglês de Mobile Virtual Network Operators). Pela regulamentação há dois tipos de operadoras virtuais. Um deles são as credenciadas, que revendem serviços como representantes de outras empresas de celular. Outro tipo são as autorizadas que podem operar redes de terceiros ou de outras empresas de celular. mar/abr 2014 - Revista Correios 5


Entre aspas

Caio Nantes - Correios

Correios de Futuro Empresa se moderniza e está preparada para os novos desafios

A Lei 12.490 de 2011 abriu várias possibilidades de crescimento do campo de atuação dos Correios. O presidenteWagner Pinheiro de Oliveira fala das principais ações que estão em andamento para trazer novos negócios para a empresa

6 Revista Correios - mar/abr 2014

Como foi o ano de 2013 para a empresa?

Durante todo o ano passado demos passos concretos na construção dos Correios do futuro. Ao mesmo tempo em que comemoramos os 350 anos dos serviços postais no Brasil, avançamos no processo de modernização da empresa e diversificação das nossas atividades, iniciado em 2011 com a sanção da Lei 12.490.

E como estão os novos negócios da empresa?

Várias parcerias foram firmadas, para expandir ainda mais o nosso campo de atuação. Uma delas é com a empresa VALID, para oferecer serviços de comunicação multicanal e certificação digital. Possibilitaremos às empresas e aos cidadãos brasileiros optar, dentre uma gama mais variada de serviços de comunicação, por aqueles que melhor os atenderem. Para isso, contaremos com a confiança e a credibilidade da nossa marca, além da nossa capilaridade, e a VALID contribuirá com sua tecnologia e experiência nesse segmento de mercado. Também firmamos parcerias importantes com a Telebrás, no Programa Nacional de

“Todos os trabalhadores dos Correios se esforçaram com afinco para melhorar os indicadores de qualidade da empresa” Banda Larga (PNBL); com a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), para atuarmos conjuntamente na modernização da logística no País; e com a Apex-Brasil, a fim de realizar a internacionalização dos Correios, com a abertura de nossa primeira unidade no exterior: um escritório

de prospecção de negócios que irá funcionar em Miami (EUA). E quanto à parceria com o Banco do Brasil?

Nós aumentamos nossa sinergia e levamos o Banco Postal para 5.236 municípios. Ressaltamos que hoje o Banco Postal é a única opção de atendimento bancário em mais de 1,6 mil cidades, o que reforça sua importância social. No ano passado firmamos um novo acordo com o Banco do Brasil, para ampliar esta parceria de sucesso e oferecer uma carta de serviços mais variada, com linhas de crédito, seguros, capitaliza-

“Várias parcerias foram firmadas, para expandir ainda mais o nosso campo de atuação” ção, cartões pré-pagos, consórcios, entre outros. O objetivo é chegarmos a uma parcela significativa da população brasileira que hoje não tem acesso ao sistema financeiro e é estimada em 55 milhões de pessoas, responsáveis por movimentar mais de R$ 600 bilhões por ano. Também há previsão de atuarmos no mercado de telefonia. Como funciona essa parceria?

Nós assinamos um acordo com o Grupo Poste Italiane para o lançamento de operador de telefonia móvel por meio de rede virtual (MVNO) no Brasil. Este acordo é o resultado de uma análise sobre o tema e a Poste Italiane foi escolhida pela experiência que possui na área. Sua subsidiária, a Poste Móbile, atualmente é líder do segmento na Itália, com três milhões de clientes. Queremos repetir e ampliar esse sucesso aqui. Com a nossa rede de atendimento, presente em 100% do território brasileiro, e o conhecimento do grupo italiano, teremos uma base sólida para disponibilizar mar/abr 2014 - Revista Correios 7


Entre aspas

Eu, Correios Márcia Zoet - Illumina

aos nossos clientes uma gama de serviços de comunicações móveis completa e acessível. A previsão é de que comecemos a operar já no segundo semestre de 2014. Como anda nossa qualidade operacional?

Registramos significativo avanço em nosso indicador de qualidade operacional, que ultrapassou o patamar dos 93% — o que significa um aumento de 5% desde 2011. Em uma ação para a modernização dos nossos processos, realizamos a implantação do uso de smartphones pelos carteiros para a entrega de encomendas, o que permite a atualização em tempo real das informações. A primeira fase deste trabalho contemplou 2,5 mil carteiros em 13 Estados e no DF. A próxima etapa, que se inicia neste ano, estende o uso dos smartphones aos mais de 60 mil carteiros do Brasil, para todos os serviços de entrega sob registro. Todos os trabalhadores dos Correios se esforçaram com afinco para melhorar os indicadores de qualidade da empresa, de forma que a empresa se mantenha à altura da confiança que a população brasileira sempre depositou nos serviços postais.

A empresa sempre ganhou muitos prêmios. Quais foram os principais?

Os Correios sempre tiveram muita credibilidade com a população brasileira. No ano passado fomos premiados várias vezes, dentre os quais destacamos: uma das 10 melhores empresas de serviço postal do mundo pela consultoria mundial Accenture; foi o serviço público mais bem avaliado pela população brasileira, de acordo com pesquisa CNI/Ibope; obteve o reconhecimento como uma das 30 marcas mais valiosas do Brasil, segundo estudo da Brand Finance – líder mundial de consultoria de marcas, além de ser a empresa de logística mais admirada do País, conforme o Prêmio DCI.

E as perspectivas futuras?

Neste ano, continuaremos focando no desenvolvimento do quadro de empregados e no aprimoramento de

8 Revista Correios - mar/abr 2014

nossos produtos e serviços, visando atingir uma gestão de classe mundial. Teremos o início da implantação de 12 novos centros logísticos no

“Continuaremos focando no desenvolvimento do quadro de empregados e no aprimoramento de nossos produtos e serviços”

Trinta e nove provas de amor ao próximo De carteiro a remetente, o ituiutabano Jorge leva solidariedade para idosos do interior de Minas Gerais O carteiro que manda cartas para idosos em Ituiutaba

Brasil, além do investimento de R$ 800 milhões em condições de trabalho e infraestrutura e da realização de mais um concurso público. Todas essas ações vão beneficiar o principal capital dos Correios, que são os seus trabalhadores.

S

e o personagem itabirano de Drummond é “triste, orgulhoso e de ferro”, o carteiro Jorge Silva Araújo, de Ituiutaba (MG), representa bem a conhecida simpatia de Minas Gerais. Enquanto a maior parte das pessoas reclama da falta de tempo, o mineiro encontrou uma forma curiosa de realizar um trabalho social, mesmo com toda a correria do dia a dia. A ideia de escrever cartas aos idosos do Asilo Bezerra de Menezes surgiu quando, durante uma folga, resolveu fazer uma visita à instituição. “Imaginei que quase ninguém falava com eles e, até mesmo eu, só levava contas. Como eu não podia estar sempre com eles, achei uma maneira de dar atenção sem a minha presença”, recorda Jorge. No começo eram 33 cartas. Hoje, o número de pessoas no asilo aumentou e, como ninguém pode ficar de fora, o carteiro escreve e entrega 39 cartas por mês, uma para cada idoso. “Entrego aos poucos. Do primeiro ao quarto dia do mês eu vou lá, deixo cinco, deixo dez cartas, e assim por diante”. Nos textos, o tom é de uma conversa acolhedora entre amigos. Assinando apenas como Jorge Silva, ele conta as dores e delícias do seu dia a dia: a gravidez de sua esposa os planos para o carnaval, a recuperação da filha que estava doente. O rosto do autor das doces palavras só foi revelado aos idosos quando a história virou notícia no programa da Fátima Bernardes. Foi aí que puderam, então, retribuir o carinho ao carteiro. “Todos fizeram desenhos pra mim, foi legal demais.“ O sucesso foi tanto que logo outras instituições da cidade se interessaram pelo apoio do carteiro.

“Tem outro lar com mais de 50 idosos que quer que eu escreva pra eles. Teve um senhor de Portugal, da Ilha da Madeira, que viu o programa e escreveu uma carta pra mim dizendo: ‘você escreve pra tanta gente, que eu resolvi escrever pra você, gostei muito do seu trabalho, pena que aqui não é assim’. Já estou estudando um jeito de começar a escrever pro pessoal de lá”. Agora o mineiro, reconhecido no asilo, é incentivado a dar continuidade ao seu trabalho. “Um dia fui lá e uma senhora me abraçou, disse para mim que a vida tinha sorrido pra ela de novo e que eu não me esquecesse de escrever pra ela. Respondi que só pararia de escrever no dia em que eu não conseguisse segurar uma caneta”, diz Jorge. A rotina do asilo também mudou. Os idosos passaram a receber mais visitas e instituições de ensino a indicar que os seus alunos façam estágio no local. “As doações agora  não são só materiais, mas afetivas também”, conta. Segundo Jorge, o impulso para o trabalho social nasce da vontade genuína de ajudar o próximo e dar o exemplo para que outros façam o mesmo. “Se o mundo está ruim eu vou fazer alguma coisa pra melhorar, eu queria representar as pessoas, chamar a população pra fazer coisas boas. Nós mesmos temos o poder de ir lá e fazer, pra que ficar esperando?”. Conhece ou tem uma boa história sobre o dia a dia de trabalho? Conte para a gente no e-mail revista@correios.com.br mar/abr 2014 - Revista Correios 9


Horizontes

Correios 2020: os caminhos de uma nova era

Critérios de excelência do MEG rm Info

ações e conhecimento Clientes

Pessoas

Em um ciclo de grandes transformações, a ECT avança para se tornar uma empresa de classe mundial. Confira os principais resultados e destaques do ano de 2013

Liderança

Estratégia e Planos

Resultados

Processos

Sociedade

Diante de um mercado postal cada vez mais competitivo e dinâmico, apenas empresas com uma visão de futuro estabelecida poderão garantir sua sustentabilidade. Com o objetivo de criar novos caminhos estratégicos, viabilizados pela lei 12.490 de 2011, e elevar os Correios a uma posição de liderança no mercado, foi aprovado o Plano Estratégico Correios 2020, que contou com a participação de empregados de todo o Brasil

E

m vias de encerrar o prazo estipulado para o primeiro ciclo de mudanças (2011-2014), a empresa já colhe os frutos dos esforços empreendidos para se transformar em um conglomerado empresarial moderno, flexível e estar entre os melhores correios do mundo, aumentando sua participação na geração de riqueza do País. Para isso, os Correios vêm trabalhando para diversificar os negócios, implementar uma nova cultura de gestão e aumentar os investimentos em infraestrutura, pessoal e tecnologia. Nos últimos três anos, a

10 Revista Correios - mar/abr 2014

“Temos cada vez mais entendido porque não alcançamos alguns resultados e agido rápido para corrigir as falhas” Presidente Wagner Pinheiro

ECT criou 16,5 mil novos postos de trabalho, adquiriu 14 mil veículos, construiu e reformou cerca de 700 unidades, além de renovar o parque de informática da empresa. Todas essas ações, somadas à credibilidade conferida aos Correios pela população brasileira, garantiram à empresa várias premiações em 2013, entre as quais destacam-se: uma das 10 melhores empresas de serviço postal do mundo pela consultoria mundial Accenture; foi

o serviço público mais bem avaliado pela população brasileira, de acordo com pesquisa CNI/Ibope; além de ser a empresa de logística mais admirada do País, conforme o Prêmio DCI.

Fazendo mais com menos Um dos principais resultados do ano de 2013 foi o avanço no patamar do nível de execução orçamentária dos investimentos: neste ano, a empresa executou R$ 574,9 milhões, em 2012, a realização orçamentária foi de R$ 404,5 milhões. Ao mesmo tempo em que investiu em novas tecnologias, na contratação e capacitação de funcionários, os Correios alcançaram melhoria dos indicadores de qualidade da empresa em 2013. Foi registrado um significativo avanço no indicador de qualidade operacional, que ultrapassou o patamar dos 93% — o que significa um aumento de 5% desde 2011. Outros destaques foram a retomada do crescimento da receita de vendas que, conforme estimativas, avançou 7,7% em relação a 2012 (retirado efeito do reajuste de

Mensagem) e a redução de R$ 194,5 milhões nas despesas, considerando-se os oito pacotes da frente de despesas acompanhados pelo Grupo de Melhoria da Gestão: transportes, serviço médico, terceiros e aluguéis, horas extras e adicionais, tecnologia e infraestrutura, deslocamento, matérias de consumo e indenizações e multas. A estimativa da receita total acumulada em 2013 foi de R$ 16,6 bilhões, ante uma despesa acumulada de R$ 16,5 bilhões. Segundo o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, esses avanços só foram possíveis pelo empenho de cada empregado motivado por uma nova cultura de gestão focada em resultados e pelas ações de revitalização da empresa, a partir da lei 12.490. “Temos nos esforçado e colocado metas desafiadoras. Em um período em que a economia do País cresceu pouco, não foi possível alcançar todos os resultados que esperávamos. Mas temos cada vez mais entendido porque não alcançamos e agido rápido para corrigir as falhas

no percurso. Tenho convicção de que temos condição de ir mais longe”, declarou o presidente durante a apresentação do balanço dos resultados do Plano Estratégico Correios 2020, em 5 de dezembro de 2013.

Valorização do empregado Valorizar o quadro funcional e melhorar as condições de trabalho também são prioridades para os Correios. Por isso, foi instituída em 27 de novembro de 2013, a Mesa Nacional de Negociação Permanente. Desde então, a empresa e as representações dos trabalhadores realizam encontros quinzenais para tratar dos assuntos pertinentes às relações do trabalho nos Correios, e também ocorrerão reuniões nas DRs para discutir as questões regionais. Outra iniciativa importante foi o acordo de cooperação técnica firmado com a Polícia Federal para implantar ações integradas de prevenção e repressão de roubos a carteiros e assaltos a agências em todo Brasil. “A segurança é uma questão institucional que

temos que cuidar muito, pois envolve vidas. Estamos trabalhando com muita dedicação e, a partir dessa parceria com a PF, vamos avançar ainda mais”, frisou o presidente Wagner Pinheiro. As iniciativas já resultaram na redução de 36% no número de roubos a carteiros e na prisão de diversas quadrilhas especializadas. No biênio 2013/2014, os Correios estão investindo cerca de R$ 240 milhões, em recursos de segurança como contratações de serviço de escolta armada e vigilantes, uso de rastreadores para veículos e para encomendas e aquisição de sistemas de alarme para agências.

Participações acionárias Um dos objetivos estratégicos do ciclo 2011/2014 é transformar os Correios em uma empresa multisserviços para inclusão social, digital e bancária. Nesse sentido, a empresa iniciou duas parcerias importantes com o Banco do Brasil e com a empresa Valid, que atua no ramo de serviços de segurança em meios de pagamento e identificação em quase todo o País. Por meio de participações acionárias, serão aliadas sinergias e expertises de empresas líderes em seus segmentos para reduzir riscos e ganhar agilidade. Isto só é possível com a promulgação da Lei 12.490/2011, que ampliou o campo de atuação da empresa. “São movimentos como esse que nos preparam para enfrentar o mercado concorrencial, que é dificílimo e é o que vai garantir a existência da nossa empresa no longo prazo”, reforça Pinheiro.

Uma gestão de excelência Para alcançar o nível de maturidade de uma empresa de classe mundial, os Correios institucionalizaram, em 2012, o Modelo de Excelência da Gestão (MEG). A partir de uma avaliação da gestão mar/abr 2014 - Revista Correios 11


Horizontes

Cultura e sociedade

Pontuação dos Correios no MEG

Crescimento de investimentos na empresa R$ 574,9*

meta para 2020

R$ 404,5*

651

pontos mínimo de para ser uma empresa de classe mundial

Entregas do Nando Fotos: Bruno Trindade

R$ 194,7*

meta para 2014

2012 2010 2011 2012 * Resultado em R$ milhões

organizacional, realizada com o apoio da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), instituição de referência no assunto no Brasil, a empresa vem implementando uma série de ações para o aperfeiçoamento permanente da gestão organizacional, em âmbito corporativo. Desde então, a empresa desenvolve ações de educação, em parceria com a UniCorreios, voltadas a transmitir aos empregados os principais conceitos, fundamentos e critérios de excelência. Atualmente, mais de 10 mil empregados da AC e Regionais foram treinados nos conteúdos temáticos do modelo. Para o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, “a lógica de aprimoramento de processos é fundamental para os Correios alcançarem a visão do Plano Estratégico de ser uma empresa de classe mundial”. De acordo com os critérios de pontuação do MEG, os Correios precisam atingir, pelo menos, 651 pontos até 2020 para ser considerada uma empresa de classe mundial. Na última avaliação, em 2012, os Correios atingiram 374 pontos. 12 Revista Correios - mar/abr 2014

Alinhado ao Plano Estratégico Correios 2020, que coloca a sustentabilidade como um dos valores empresariais para ser uma organização de classe mundial, foi lançado em 4 de dezembro de 2013 o Sistema de Gestão Ambiental dos Correios (SGAC). O objetivo é controlar e reduzir os impactos ambientais significativos causados pela empresa por meio de três frentes de atuação: gestão de resíduos sólidos, proteção de recursos naturais e redução da emissão de gás carbônico.Leia mais na página 16.

445 pontos 374 pontos 113 pontos

2014 e o futuro O ano que encerra o primeiro ciclo estratégico será de grandes desafios para os Correios. Entre os focos estratégicos de 2014, estão os segmentos de encomendas e logística integrada - com a seleção dos Correios como operador logístico dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 - a infraestrutura,  a internacionalização, a mobilidade, serviços postais eletrônicos, sustentabilidade ambiental e melhorias das condições de

trabalho. Para isso, serão investidos mais de R$ 800 milhões. Também serão  implantados 12 novos complexos operacionais logísticos — entre os quais o de Cajamar, em São Paulo, que deverá entrar em operação no primeiro semestre de 2014. Outros grandes projetos são o novo modelo de licitação para agências franqueadas e a revisão do portfólio de produtos e serviços, focada cada vez mais no que os clientes precisam. O modelo de importação de encomendas também será aperfeiçoado para oferecer maior rapidez e confiabilidade a essas operações, além da ampliação das operações do comércio eletrônico, onde os Correios são um dos maiores operadores. “Tudo isso faz parte do que será o futuro da nossa empresa. Uma empresa revitalizada, que entende as necessidades da sociedade e que contribui com o desenvolvimento social e econômico do Brasil, ajudando a diminuir desigualdades de toda a natureza. Essa foi e continuará sendo a vocação dos Correios”, conclui o presidente Wagner Pinheiro.

O

ano de 2013 foi marcado por grandes ações em comemoração aos 350 anos de serviços postais no Brasil. Uma das mais originais, promovida pelo Departamento de Comunicação Estratégica dos Correios (DECOE), foi a “Entregas do Nando”, em que o cantor Nando Reis presta uma bela homenagem para um dos maiores representantes da empresa: os carteiros. Para surpreender os fãs que compraram o último álbum do cantor pela internet, Nando se vestiu com o uniforme de carteiro e fez questão de realizar as entregas das encomendas pessoalmente. Imbuído dessa missão, o cantor já passou por onze cidades: São Paulo, Volta Redonda, Santo André, Barueri, Mandaqui, Tucuruvi, Jundiaí, Araçatuba, Higienópolis, Rio de Janeiro e Recife. Por meio dos vídeos da ação, publicados na página “Vá mais longe” no Youtube e no Facebook e replicados na página oficial do cantor, a ação teve excelente resultado de alcance. A aba do Facebook teve quase 30 mil participações e o filme que mostra a primeira entrega realizada conta com mais de 347 mil acessos. Bem humorado, em um dos vídeos o cantor declara que também se emocionou durante a ação. “Até eu fiquei surpreso. Gostei da vestimenta e da função”. Segundo a gerente de patrocínio do DECOE, Luciana Ramos, um dos objetivos é fortalecer a imagem dos Correios como uma empresa que aproxima a população da cultura, associando a imagem da empresa à de um artista consagrado no cenário musical nacional e internacional. “É por meio de ações como essa, que os Correios fortalecem ainda mais a missão da empresa e demonstram a importância da cultura, do rejuvenescimento da marca, da sustentabilidade e a importância da relação cliente e empresa”, analisa a gerente.

2013

Foco na sustentabilidade

Cantor homenageia carteiros e surpreende os fãs ao entregar, pessoalmente, encomendas do seu novo CD

Elizabeth, de Jundiaí (SP), foi uma das fãs surpreendidas por Nando Reis

Quer pagar quanto? “Entregas do Nando” é uma ação do patrocínio da turnê de lançamento do álbum “Sei” que já realizou mais de 100 shows do cantor em todo País. Para a divulgação do novo trabalho, Nando Reis liberou as 15 músicas em seu site oficial. Após a audição, os fãs, através do crowdpricing (determinação do preço feita por consumidores) dizem quanto acham que o CD vale. A cada semana é possível saber qual a “cotação” do disco. mar/abr 2014 - Revista Correios 13


Nosso negócio

Quando 1+1=3 Entenda a importância das novas parcerias para a expansão dos negócios e fortalecimento dos Correios

N

o último bimestre de 2013, os Correios anunciaram o início de parcerias inéditas com o Banco do Brasil e a Valid para participação societária da ECT nas empresas que serão criadas por essas empresas parceiras. O intuito é aliar sinergias da ECT como a marca, os funcionários e a extensão e capilaridade da rede de agências dos Correios com a expertise de empresas líderes em seus segmentos de negócio. Segundo o presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, a estratégia alinha a atuação da ECT aos grandes correios do mundo, por meio da diversificação e ampliação de negócios com menor risco, garantindo a sustentabilidade da empresa. “São movimentos em que todos irão ganhar: os Correios, que poderão suprir a demanda crescente por recursos necessários à universalização dos serviços postais, e o mercado, com impactos positivos para acionistas, clientes, funcionários e a sociedade em geral”, ressalta.

Novo Banco Postal

César Bulcão - Correios

Em um mundo com cada vez menos correspondências em papel, em que o uso da internet se propaga, reinventar-se é uma questão de sustentabilidade para empresas de serviços postais. Por isso, a exemplo do que tem sido feito em outros correios pelo mundo, a ECT pretende utilizar as participações acionárias para expandir os seus negócios

14 Revista Correios - mar/abr 2014

De um lado, o serviço público de maior credibilidade e capilaridade do país com 350 anos de história. Do outro lado, a maior instituição financeira da América Latina, líder em diversos segmentos do mercado. A parceria com o Banco do Brasil, cujo memorando de entendimentos foi assinado em 25 de novembro, pretende unir as forças dessas grandes empresas para implantar um novo modelo de negócios para o Banco Postal. O BB venceu o leilão pelo Banco Postal em 2011 e começou a operálo em janeiro de 2012. Atualmente, a gestão de produtos e serviços é realizada pelo Banco do Brasil e a gestão da rede (pontos físicos) pela

“São movimentos em que todos irão ganhar: os Correios, que poderão suprir a demanda crescente por recursos e o mercado, com impactos positivos para clientes e funcionários .” Inclusão social Uma pesquisa do Banco Mundial mostrou, em outubro de 2013, a importância dos bancos postais no aumento da autonomia financeira de pessoas de baixa renda. O Banco Postal está presente em mais de 5 mil municípios em todo o País e já abriu 13 milhões de contas, a maior parte das pessoas com rendimento até 1 salário mínimo. Em mais de 1,5 mil cidades brasileiras, é a única opção para a realização de serviços financeiros. ECT. Além disso, o atual contrato é de apenas 5 anos. A nova parceria tem visão de longo prazo, oportunizando o potencial dos negócios advindos com a promulgação da Lei 12.490/2011, que ampliou o campo de atuação dos Correios.

Com a nova parceria, além de continuarem a atuar como correspondentes bancários, os Correios terão 50% de participação na empresa criada. “Vamos ganhar duas vezes, como correspondentes bancários da nova instituição e como acionistas, já que receberemos parte dos dividendos da nova empresa”, destaca o vice-presidente financeiro, Luiz Mário Lepka. O propósito da parceria é criar uma instituição financeira, com administração realizada pela ECT e Banco do Brasil de forma conjunta, ampliando a oferta de produtos e serviços aos clientes, como cartão de crédito, seguros, linhas de crédito, investimentos, capitalização, cartões pré-pagos, consórcios e outros. O público-alvo são os clientes que ainda têm conta em banco, que hoje são cerca de 55 milhões de pessoas, que movimentam mais de R$ 600 bilhões. Serão também alvo da oferta do novo Banco, clientes atuais dos segmentos do varejo bancário massificado, que encontrem na proposta de valor do novo Banco que contemplará simplicidade, confiança, custo e capilaridade. A intenção é que a nova instituição seja uma empresa de economia mista em que os Correios e BB tenham participações societárias iguais. Os estudos de viabilidade estão em andamento e só serão concluídos após autorizações internas das partes e aprovações regulatórias. A conclusão dos estudos deverá ocorrer no segundo semestre de 2014.

Comunicação digital Outro segmento em que a ECT pretende crescer neste ano é o de serviços postais eletrônicos. Em parceria com a Valid, empresa que atua no ramo de serviços de segurança mar/abr 2014 - Revista Correios 15


Nosso negócio

em meios de pagamento e identificação em quase todo o País, os Correios pretendem participar, ainda em 2014, de uma nova empresa para atuar nesse mercado, com indicativo de 49% de participação acionária. De acordo com a vice-presidente de Negócios dos Correios, Morgana Santos, observa-se a estagnação do volume de comunicação impressa no Brasil e uma queda mundial em torno de 4%, de acordo com estudos da União Postal Universal (UPU). “Esse é um indicador bastante importante para definição de estratégias para manutenção dos negócios. O objetivo é estarmos prontos para acompanhar esse movimento mundial, com oferta de plataformas de comunicação – físicas e digitais – para os clientes, que sempre terão a opção de escolha sobre a solução que mais lhes atenda. E tudo isso com a credibilidade da marca Correios para as pessoas e empresas que já atuam no ambiente digital, assim como já fazem os grandes players postais do mundo”, sinaliza. A estratégia da parceria é aproveitar a experiência da Valid e sua tecnologia para desenvolver serviços como e-mail certificado com a marca Correios, além de e-FAC; eMarketing Direto e outras formas de certificação digital e multicanal. O objetivo é aumentar o nível de segurança e gerar um alto valor agregado às comunicações eletrônicas para os clientes que as utilizam. O memorando de entendimento com a Valid, escolhida em processo de seleção, foi firmado em novembro de 2013. O acordo encontra-se em fase de avaliações e depende da finalização das negociações entre as partes e de providências administrativas, entre elas a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O processo está sendo supervisionado pelo Ministério das Comunicações. 16 Revista Correios - mar/abr 2014

3 perguntas sobre o novo Banco Postal 1 Existe alguma estimativa de resultado para o novo banco?

Sim, existe. Os estudos preliminares realizados apontam viabilidade, atratividade econômica e aderência estratégica para o BB e Correios. Contudo, considerando o sigilo comercial envolvido e os novos estudos aprofundados que serão realizados durante o ano, é prematuro divulgar as estimativas de resultado.

2 A criação de uma sociedade não elevaria os custos do negócio para as partes?

O propósito da parceria é desenvolver negócios com públicos que, hoje, não são plenamente atingidos. Trata-se, portanto, de novos clientes e novos negócios sendo realizados. Tendo isso em consideração, os custos inerentes à constituição de uma nova sociedade se justificam à medida que proporcionam retornos condizentes para os acionistas.

3 O BB precisará realizar a cada 5 anos desembolso para a utilização da rede dos Correios?

Não. A nova instituição financeira a ser constituída por BB e Correios é quem contrataria os pontos de atendimentos dos Correios.

3 perguntas sobre a parceria com a Valid 1 Como surgiu a ideia de estabelecer esta parceria?

Com a edição da Lei 12.490/11, os Correios passaram a ter em seu objeto a exploração dos serviços postais eletrônicos e foram autorizados a adquirir participações em outras empresas. A busca de uma empresa sólida que pude se associar aos Correios no desenvolvimento desses negócios veio como uma alternativa para a materialização do que foi estabelecido em lei.

2 Houve licitação para selecionar a Valid?

Não. Como se trata de um processo de formação de parceria estratégica, em que a capacitação do parceiro é particularmente importante, e não de uma contratação administrativa, houve um processo interno de escolha. A Valid foi selecionada entre mais de 350 empresas em que foram avaliadas as competências técnicas, comerciais e financeiras. O processo foi feito com a participação da assessoria do Banco do Brasil Banco de Investimentos BB BI, banco especializado em fusões e aquisições.

3 A nova empresa concorrerá com os Correios ou com a Valid? Não, pois a ideia é concentrar na nova empresa o desenvolvimento de novos serviços de comunicação multicanal a serem oferecidos no mercado. A nova empresa atuará, portanto, nesses novos serviços ou na oferta de serviços complementares aos já oferecidos pela Valid e pelos Correios.

mar/abr 2014 - Revista Correios 17


Sustentabilidade

Sinal Verde para a Sustentabilidade

Aspectos priorizados pelo SGAC

1. Consumo de

8. Descarte de óleos

2. Consumo de água 3. Consumo

9. Descarte de

energia elétrica

Sistema de Gestão Ambiental dos Correios pretende conciliar desenvolvimento e preservação do meio ambiente

de papel branco

4. Emissão de CO 5. Descarte de resíduos 2

sólidos recicláveis

6. Descarte de

O SGAC surge em um contexto em que as mudanças climáticas e os hábitos de consumo da sociedade exigem que as organizações deem o exemplo e assumam o compromisso com o meio ambiente, por meio de produtos que agridam menos a natureza, veículos com menos poluentes e construções que sejam sustentáveis

D

iz o provérbio indígena que “Somente quando for cortada a última árvore, pescado o último peixe, poluído o último rio, as pessoas vão perceber que não podem comer dinheiro”. Conscientes da urgência dessa questão, os Correios reafirmaram o compromisso com a sustentabilidade e lançaram, em dezembro de 2013, o Sistema de Gestão Ambiental dos Correios (SGAC). O sistema pretende reduzir e/ ou mitigar os impactos ambientais mais significativos causados pelas atividades da empresa, buscando atingir um desempenho ambiental correto e a contínua melhoria de seus processos, serviços e produtos. Além disso, empresas que se preocupam com a sustentabilidade ganham diferencial competitivo. Atitudes sustentáveis fortalecem a imagem corporativa da empresa e impactam positivamente nas receitas. Análise do instituto MDA Pesquisa, de 2010, constatou que 70% dos clientes dos Correios pagariam mais por serviços “ecoeficientes”, ou seja, serviços qualificados a preços 18 Revista Correios - mar/abr 2014

Nos últimos três anos... A reciclagem de papel e papelão nos Correios economizou:

77 milhões de litros de água = ao volume de 31 piscinas olímpicas

e evitou a derrubada de

155 mil árvores = o equivalente a 124 campos de futebol

Ilustrações: Manoela Marcuzzo - Correios

lâmpadas fluorescentes

7. Descarte de

pneus da frota própria

lubrificantes da frota própria baterias da frota própria

10. Descarte de

resíduos ambulatoriais

11. Descarte de uniformes,

malotes e malas postais

12. Descarte de equipamentos

de tecnologia da informação

13. Desmonte de postos de combustível internos desativados

Ilustrações: Manoela Marcuzzo - Correios

competitivos que utilizem menos recursos e produzam menos resíduo. “Com o SGAC, estaremos mais sintonizados com a demanda crescente da sociedade, dos nossos clientes atuais e potenciais, de consumir produtos ecologicamente corretos”, destacou o presidente Wagner Pinheiro de Oliveira, no evento de lançamento do sistema. Na ocasião, Wagner também lembrou que o SGAC está alinhado ao Plano Estratégico Correios 2020, que coloca a sustentabilidade como um dos valores empresariais para os Correios serem uma organização de classe mundial. No setor postal, os Correios são pioneiros em relação à responsabilidade ambiental. Na América Latina, foi a primeira empresa a aderir ao Programa Global de Redução de Emissão de Carbono no Setor Postal, coordenado pela International Post Corporation (IPC). Com essa atitude, a empresa se comprometeu, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, Rio + 20, a contribuir com a meta de redução de 20% das

emissões globais de carbono do setor postal até 2020. “Sustentabilidade e negócio não são uma contradição”, disse o presidente do IPC, Herbert-Michael Zapf, que lembrou que atitudes sustentáveis aumentam a credibilidade da organização, incrementam as receitas e diminuem os custos.

“Atitudes sustentáveis fortalecem a imagem corporativa e impactam positivamente nas receitas.” Compromisso de todos Segundo a gerente Corporativa de Responsabilidade Social dos Correios (GRES/DERIN), Fátima Pinheiro, é preciso o envolvimento de cada empregado para que o SGAC alcance suas metas. “É necessário

inserirmos sistematicamente a pauta ambiental na cultura da organização para que os empregados consigam perceber a importância da sustentabilidade como diferencial competitivo e entender como a empresa trata os impactos ambientais advindos de suas atividades postais, de modo a contribuir para um planeta melhor”, afirma . Integram o SGAC 13 aspectos ambientais definidos como significativos pela empresa. Esses pontos, que devem ser observados por toda a organização, são os impactos que os Correios pretendem controlar ou reduzir e ajudam a nortear as ações para minimizar os danos de suas atividades ao meio ambiente.

Plano de Ações Ambientais Para compensar os aspectos ambientais, os Correios lançaram junto com o SGAC, o Plano de Ações Ambientais Corporativas. Conhecido pela sigla PAAC, o conjunto de 33 ações estabelece metas e mecanismos de acompanhamento e gestão propostos pela presidência

e vice-presidências. O Plano prioriza os objetivos e metas ambientais a serem implantados na empresa durante o 1º ciclo. São os compromissos ambientais firmados pela Diretoria Executiva. As ações estão organizadas em três frentes - gestão de resíduos sólidos, proteção de recursos naturais renováveis e não renováveis e redução de emissão de gás carbônico – e são planejadas em ciclos de dois anos, com metas, orçamento e formas de monitoramento. O 1º Ciclo compreende o período de 2014 a 2015. A gestão de resíduos sólidos é uma exigência da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) e nos Correios é feita por meio da coleta seletiva de resíduos sólidos recicláveis, do descarte adequado de resíduos especiais (pneus, resíduos de serviço de saúde, descarte de lâmpadas fluorescentes, de óleo lubrificante e de baterias de veículos) e dos programas EcoPostal e Coleta Seletiva Solidária. O incentivo ao consumo consciente de recursos naturais renováveis, especialmente de água, energia elétrica e papel, é outra preocupação da empresa. Para isso, os Correios promovem ações de educação ambiental por meio, por exemplo, de selos filatélicos temáticos e inclusão de critérios ambientais para aquisição de produtos e oferta de serviços ecoeficientes. Já para reduzir a emissão de gás carbônico, a empresa adota o plantio de mudas, uso de etanol, o uso de veículos elétricos e de videoconferências corporativas O PAAC tem como base diretrizes nacionais e internacionais de sustentabilidade, como os “Objetivos do Milênio”, da Organização das Nações Unidas (ONU), o Guia Operacional da União Postal Universal (UPU), a Norma Brasileira ABNT ISO 14001:2004 e a Política Ambiental dos Correios. mar/abr 2014 - Revista Correios 19


Capa

O quebra-cabeça da excelência A importância de entender o que se faz, por que se faz e para quem se faz

Até pouco tempo, a maior parte da comunicação escrita trocada entre os brasileiros foi realizada por meio das cartas. Quase tudo o que precisava ser contado para alguém que não estava perto chegava com a ajuda de papel e selos. Em 2002, 7,6 bilhões de mensagens – cartas, telegramas, não incluídos boletos de cobrança, faturas ou propaganda – ainda eram enviadas por esse meio

D

esde então, esse volume caiu. Em 2013, foram 6,9 bilhões de mensagens, que no fim foram somadas a boletos, faturas e propagandas e influenciam na receita da empresa. Ao mesmo tempo, a empresa cresceu em outros nichos. No mercado de livre concorrência, os Correios entregam 40% de tudo que é vendido pela internet no Brasil – e o volume de encomendas do e-commerce cresce a taxas entre 25% e 30% por ano. Devido às mudanças ocorridas na última década, os Correios vêm trabalhando por uma gestão com qualidade máxima. Por trás disto está uma meta: ser uma empresa de classe mundial. Esse termo, comum no universo empresarial, classifica empresas que estão prontas para competir em qualquer ambiente de negócios. Objetivo traduzido pela necessidade incessante de aperfeiçoamento. Seja para atender melhor a sociedade, quer pela necessidade de encontrar novos negócios ou para enfrentar os desafios da concorrência. Para os mais de 124 mil trabalhadores da empresa, é essencial ver-se como uma parte das ações que transformam as necessidades dos clientes nos resultados que estes esperam. Mas também é uma forma de fazer cada empregado enxergar o seu trabalho com um olhar diferente. Para isso, os Correios têm tratado a melhoria da gestão – incluída no Plano Estratégico 2020 – como crucial e entre suas finalidades principais está aumentar a receita, dar uso mais eficaz à despesa e melhorar a qualidade das suas operações. Como estratégia a empresa adotou o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) recomendado pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), instituição de referência sobre o tema no Brasil, criada por um grupo de

Montagem fotográfica: Hisla, Manoela e Marcos - Correios

20 Revista Correios - mar/abr 2014

mar/abr 2014 - Revista Correios 21


Capa Marcos Nunes - Correios

grandes empresas, preocupadas com a competitividade do País. Paulo Belém, chefe do Departamento de Planejamento Estratégico dos Correios (DPLAN), explica que o plano estratégico da empresa tem como lógica permitir chegar a 2020 melhor do que nunca. E, para esse fim, a implantação do Modelo de Excelência da Gestão é entendida como fundamental. “O MEG ajuda a nos prepararmos para as mudanças”. Baseado nos fundamentos e critérios desse modelo foi criado o Plano de Excelência de Gestão dos Correios (PEG) para incorporar e consolidar por toda a empresa as ações para melhorias propostas pelos órgãos dos Correios e apresentado pela FNQ no segundo semestre de 2012. Encontrar o que precisa ser melhorado é a outra ponta desse desafio. É buscar um olhar mais amplo e sistêmico da empresa, capaz de identificar os processos mais relevantes e desconstruir a tradicional divisão por áreas. Para isso, um conceito chamado cadeia de valor está sendo implantado na empresa. 22 Revista Correios - mar/abr 2014

“A cadeia de valor nos ajuda a estabelecer quais são os processos prioritários e onde podem ser melhorados” Em geral o dia a dia das pessoas é cheio de tarefas. Cada sequência de tarefas transforma e melhora o que se faz para um objetivo maior que define um processo. O carteiro, no momento em que separa as cartas nos Centros de Distribuição Domiciliar (CDDs) ou quando faz as entregas na rua, por exemplo, também segue um processo. O encadeamento desses e dos outros processos que fazem parte da rotina da empresa formam um “quebra-cabeça” que ajuda a definir

Para o chefe do Departamento de Planejamento Estratégico dos Correios (DPLAN), Paulo Belém, o plano estratégico permitirá aos Correios chegar a 2020 melhor do que nunca. “O MEG ajuda a nos prepararmos para as mudanças”

uma cadeia de valor. Ela demonstra como estas partes se ligam no conjunto desses processos e recaem sobre o produto. Mas que se iniciam antes mesmo da venda e vão até depois da entrega ao consumidor (pós-venda), explica José Osvaldo Sobrinho, chefe do Departamento de Inovação Empresarial, Gestão de Projetos e Processos (DINPP). Por meio dela, além de ver a empresa como um todo, é possível direcionar esse progresso. “A cadeia de valor nos ajuda a estabelecer quais são os processos prioritários e onde podem ser melhorados”, completa Paulo Belém. Segundo Maurício Chaves, consultor líder da frente de processos da Falconi Consultores de Resultado, contratada para trazer uma visão externa a esse projeto e propor outras ideias à tarefa de aperfeiçoamento da gestão dos Correios, o desafio é, em cima da necessidade do cliente, entender como valorizar os produtos ou serviços da empresa por meio das ações realizadas em cada etapa. Dessa forma, ela ganha vantagem competitiva quando desenvolve suas

Marcos Nunes - Correios

atividades com melhor desempenho que seus competidores. Envolvida nessa tarefa, Mônica Luzia Alves Venancio, gerente de processos do DINPP, acrescenta que com a cadeia de valor e o planejamento estratégico, os macroprocessos são desdobrados e descritos até a menor tarefa executada por cada um. Também permite ao empregado entender os motivos pelos quais as realiza, bem como permite a visão de onde ele próprio se encaixa nos processos da empresa. “As atividades, processos e ações que não possuem vínculos com a cadeia de valor, nem com o planejamento estratégico, precisam ser reavaliados”, diz. Com isso é possível aumentar a atenção e o cuidado com cada processo do início ao fim. Das áreas

“As atividades, processos e ações que não possuem vínculos com a cadeia de valor, nem com o planejamento estratégico, precisam ser reavaliados” ligadas diretamente ao negócio – o relacionamento com o cliente, o tratamento das correspondências e das encomendas, os prazos de entrega, por exemplo – às atividades de apoio – como financeiras e administrativas.

Conectando ideias No entanto, essa visão do conjunto é o que costuma faltar dentro das empresas. A maioria das pessoas restringe seu campo de visão à sua área de atuação. Mas com a cadeia de valor, as áreas tendem a

Segundo Mônica Alves, por meio da cadeia de valor, macroprocessos são desdobrados até as menores tarefas, o que permite ao empregado entender onde se encaixa nos processos

se perceber menos como departamentos e mais como partes de um processo, tendo em mente as atividades que agregarão valor para a organização, sem se restringir a quem as executa. Fica mais simples entender que a área administrativa não atua isoladamente, ou que quando o atendente no balcão da agência recebe uma correspondência, vários processos se encadeiam para que a entrega dela aconteça. Ao mesmo tempo, um dos objetivos da cadeia de valor é fazer cada um se enxergar nesse contexto. “É preciso que todos sejam capazes de ver as peças encaixadas e entendam o que precisam entregar às outras áreas para garantir o

foco no cliente e o resultado como um todo”, diz Maurício Chaves. Nessa tarefa de desconstrução dessa visão departamentalizada, os Correios e a consultoria Falconi vêm trabalhando desde o início de 2013, na remodelagem de 25 dos processos de maior impacto dentro dos resultados da empresa. A nova modelagem foi concluída e está em fase de implantação.

Um emprego, vários papéis Os processos seguem fluxos. E a cadeia de valor ajuda a entender que esses fluxos às vezes são redundantes, passam por gargalos ou contêm ineficiências. Dessa forma, é possível introduzir ou suprimir mar/abr 2014 - Revista Correios 23


Capa Marcos Nunes - Correios

Maurício diz que muitas das soluções das quais os Correios precisam já estão dentro da empresa, mas falta execução um negócio ou um procedimento operacional, caso se perceba que um determinado processo não representa mais ganho competitivo para a empresa. Nesse contexto, cada empregado, seja ele atendente ou analista, executa diversos papéis dentro da empresa. Se uma atividade hoje não faz mais sentido, é possível treinar o empregado para atuar dentro de novas atividades que surgirem. “Pode ser que com a melhoria dos processos, alguns papéis mudem. Mas se a empresa tem eles modelados, torna-se bem mais fácil gerenciar as competências de quem trabalha nela e encontrar novos papéis para eles”, diz Mônica Alves. 24 Revista Correios - mar/abr 2014

“Para gerar resultados é preciso liderança. Líderes definindo metas ousadas e puxando o grupo” Minutos que valem horas Um exemplo concreto de um dos 25 processos críticos cuja cadeia de valor foi mapeada trata da distribuição de objetos pelos CDDs e CEEs. Após levantamento dos pontos possíveis

de melhora, foi desenvolvido um projeto que automatiza a geração da Lista de Objetos Entregues ao Carteiro (LOEC), um procedimento interno que integra a rotina dos carteiros. O novo sistema diminuiu o tempo gasto com o tratamento dos objetos registrados nas agências e sua prestação de contas. Em resumo, a alteração dispensa dos carteiros a tarefa de escrever o endereço completo de entrega na lista de objetos, além de permitir a impressão dessa lista antes do processo de ordenamento físico da carga. Como no sistema estão cadastrados os endereços que compõem cada local de entrega e a ordem percorrida pelo carteiro, a emissão da lista não depende mais do processo físico de triagem dos objetos, eliminando o gargalo que existe no processo atual. A estimativa é que a LOEC Automática permita que cada carteiro saia de 10 a 20 minutos antes para o serviço de entrega, um impacto significativo quando se amplia estes ganhos a todo o País. O projeto piloto está em teste na metade dos CEEs e em oito dos CDDs mais críticos, com previsão de implantação nos demais até agosto de 2015.

O valor da inovação Nos últimos anos, a capacidade de inserir criatividade nos processos se tornou um elemento central da estratégia de negócio de qualquer empresa e o grande desafio dos Correios. Segundo uma pesquisa internacional apresentada em agosto, pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), 95% dos executivos brasileiros entrevistados estãoconvencidos de que inovar é o mais importante para garantir o crescimento das empresas. Para 85% deles, é preciso avançar em produtos ou serviços e 71% apostam em criar produtos ou serviços mais sustentáveis. No entanto, hoje, esse desafio não está restrito aos departamentos de pesquisas. O que se percebe

com facilidade é que quanto maior o número de pessoas pensando criativamente em uma empresa, maior a chance de se colher ideias realmente inovadoras. É como se nesse quebra-cabeça que interliga a cadeia de valor, o formato tradicional, com apenas uma solução, fosse trocado por um tangram. O quebra-cabeça chinês de sete peças geométricas que pode ter diversas soluções. Mas não é só isso. Maurício acrescenta que para fazer pensar “fora da caixa” é fundamental ter metas desafiadoras. “São elas que nos levam a mudar o que se faz no dia a dia e que leva sempre ao mesmo resultado”. Maurício ainda reforça a necessidade de conhecimento técnico – pessoas que dominem o trabalho – e metodológico – formas estruturadas de conduzir o raciocínio em direção à solução. E ressalva que nem sempre as melhores ideias ocorrem em um momento mágico de inspiração e podem ser preteridas pelas mais fáceis e rápidas de implementação. “Ideias valiosas também nascem da reorganização de um serviço que simplifica e acelera o atendimento ou da combinação de objetos e conceitos já existentes”.

Efeitos X Causas Quando uma pessoa está com febre, toma antitérmico. O antitérmico, todos sugerem. Mas a causa da febre muitas vezes é uma inflamação que requer outro remédio. Por meio do método se pretende o mesmo efeito no ambiente corporativo: partir para cima da causa para impedir a reincidência do problema e evitar aquela repetição de reuniões para discutir, de novo, o mesmo problema. Entendidas as causas fundamentais do problema, o trabalho da equipe deve ser discutir como atacá-lo como um todo por meio dos processos. As soluções podem vir dando sugestões, mas também de dinâmicas de grupo, reuniões de

Relacionamento com o cliente

Negócio

Transporte

Cadeia de valor * Distribuição

Tratamento

Logística integrada

* Funções finalísticas da empresa sensibilização ou ao tentar entender a motivação de cada ação até a causa do problema. Para isso ser possível, o conhecimento é fundamental.

Dito e...? A compreensão de Maurício, da Consultoria Falconi, é de que muitas das soluções que podem atender à empresa, já estão na própria empresa. O problema é que, muitas vezes, elas não estão implantadas, pois falta execução. “Para gerar resultados é preciso liderança. Líderes definindo metas ousadas e puxando o grupo”, diz. É ela que verifica quem são os que têm perfil mais adequado, os que querem contribuir, sugerir ações mais criativas e executar as ações definidas. Eles são os candidatos a participar dos grupos de trabalho. Devem ser valorizados e reconhecidos. “As pessoas só não podem ter medo de dar uma ideia. O papel da liderança é criar o ambiente favorável às mudanças”, diz. E essa concorrência no mercado de encomendas já impõe novos parâmetros. A Fedex Express, por exemplo, conhecida por seus aviões, também vem incorporando veículos elétricos que servirão para coleta e

A cadeia de valor identifica as atividades da empresa, desde funções de apoio até finalísticas, considerando os elos entre processos

entrega urbana nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Essa diferença entre os resultados que se têm hoje, nos Correios, e aqueles que se precisa ter diante do acirramento da concorrência e de uma sociedade que cobra mais resultados, cria a tensão necessária para tirar todos da empresa da zona de conforto.

“As pessoas só não podem ter medo de dar uma ideia. O papel da liderança é criar o ambiente favorável às mudanças” Maurício lembra que o líder não bate meta sozinho. Ele faz isso por meio da equipe. Mas é ele quem vai direcionar, alinhar, inspirar e estimular as pessoas para canalizar esse conhecimento em ações. “O papel do líder é também de execução. É onde se ganha o jogo”. mar/abr 2014 - Revista Correios 25


Correios por você Francisco de Assis - Correios

Nas reuniões, as pautas são discutidas em conjunto, formando um panorama dos assuntos que atingem o empregado

O caminho da negociação Mesa Nacional de Negociação Permanente representa grande avanço nas relações sindicais da empresa e aponta um novo rumo nas negociações entre empregados e empresa

Reuniões têm como objetivo conhecer as reivindicações pertinentes às relações de trabalho e instituir metodologias de tratamento de conflitos, buscando alcançar soluções para os empregados e para a empresa

26 Revista Correios - mar/abr 2014

A

s negociações entre uma instituição e as representações sindicais dos empregados não se fazem apenas na data-base da categoria. Elas ocorrem o tempo todo, e representam o bom andamento nas relações entre empregado e empregador. Com este intuito, os Correios implantaram a Mesa Nacional de

Negociação Permanente dos Correios. Os estudos da empresa culminaram em um modelo de protocolo para a instituição do processo. A proposta para instituição da Mesa Nacional de Negociação foi apresentada pelo vice-presidente de Gestão de Pessoas, Nelson Luiz Oliveira de Freitas, no dia 12 de novembro, em reunião em Brasília.

Todos os sindicatos e a federação foram convidados a participar para conhecer o modelo. No segundo encontro, realizado no dia 27 de novembro, todas as cláusulas do documento foram discutidas e o protocolo de criação da Mesa Nacional de Negociação Permanente foi assinado, na ocasião, por 17 sindicatos e a Fentect. Foi definida a realização de encontros nacionais, a cada 15 dias, entre a empresa e as representações dos trabalhadores. Nestas reuniões são tratados os assuntos nacionais pertinentes às relações do trabalho nos Correios. Também são realizadas, por videoconferência, reuniões para tratar dos assuntos regionais, sempre com a presença dos técnicos da Administração Central. Esta é uma reivindicação antiga dos sindicatos. Essa iniciativa possibilita uma maior proximidade entre a empresa e as representações sindicais, melhorando o diálogo e proporcionando mais transparência. As entidades sindicais também são mais reconhecidas, o que fortalece o Estado Brasileiro e proporciona a melhoria nos serviços prestados pelos Correios.

Debate democrático Nas reuniões são tratados os temas de interesse dos trabalhadores, e a pauta é discutida em conjunto, possibilitando a ambas as partes tererem um panorama dos assuntos que atingem diretamente o dia a dia do empregado. Dessa forma, além das contribuições do movimento sindical, podem participar das reuniões representantes das diversas áreas técnicas da empresa e convidados de órgãos externos. Já foram discutidos temas como a saúde do trabalhador, compensação de dias parados pelos empregados na campanha salarial, entre outros. Através da assinatura

Acordos assinados Data

Acordo

27.11.2013

•  Protocolo de Instituição da Mesa Nacional de Negociação Permanente dos Correios •  Acordo para compensação de horas não trabalhadas, em razão de greves ocorridas na ECT durante as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2013/2014

11.12.2013

•  Termo Aditivo ao Acordo de compensação de horas não trabalhadas, em razão de greves ocorridas na ECT durante as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2013/2014 •  Acordo para compensação de horas não trabalhadas, no ano de 2013 •  Acordo para manutenção da Assistência Médica para Dirigentes Sindicais liberados sem ônus para ECT •  Acordo sobre responsabilidade civil em acidentes de trânsito

12.12.2013

•  Acordo referente à Anistia com base nas Leis 8.632/93, 8.878/94 e 11.282/2006

15.01.2014

•  Acordo sobre a concessão do Vale Cesta Extra para os empregados afastados sem ônus para a ECT, como Dirigente Sindical integrante da Diretoria do Sindicato

28.01.2014

•  Acordo para o fornecimento de manuais aos sindicatos signatários e à federação legalmente constituída que assinaram o protocolo da Mesa Nacional de Negociação Permanente dos Correios

29.01.2014

•  Acordo para a manutenção do AADC para a empregada gestante na atividade de Carteiro

de acordos, vários avanços foram conquistados como: compensação de dias de greve, anistia e acidente de trânsito Para se ter ideia, nas reuniões realizadas até o fechamento desta edição, 10 acordos foram assinados, incluindo o protocolo de instituição. Os sindicatos que ainda não assinaram o protocolo podem fazê-lo a qualquer momento, garantindo que os acordos assinados sejam estendidos aos empregados de suas bases sindicais. As novidades sobre a negociação permanente e os acordos assinados estão disponíveis no Blog dos Correios, seção Negociação Permanente.

Dissídio Coletivo Dissídio coletivo é o processo no qual o poder judiciário recebe a missão de solucionar um conflito coletivo de trabalho. No caso dos Correios e seus trabalhadores, a ação é ajuizada no Tribunal Superior do Trabalho, e compete aos ministros do tribunal decidir as questões que não foram solucionadas por meio de Acordo Coletivo de Trabalho. A empresa e as representações dos trabalhadores não fecham um Acordo Coletivo desde 2011. A expectativa é de que a Mesa, entre outros avanços, facilite o fechamento do acordo. mar/abr 2014 - Revista Correios 27


Marcos Nunes - Correios

Gente que faz

Todas juntas em um só ser

“Todos nós somos escritores, porque temos necessidade de contar algo. A diferença é que faço isso no papel”

Escritora premiada, atleta e protetora dos animais, conheça Nena, analista de sistemas dos Correios

Vinte e quatro horas parecem poucas para as várias mulheres que encarna. Não por acaso, seu nome é sinônimo de luz. Ana Lúcia de Medeiros, analista de sistemas dos Correios há 15 anos, é mesmo uma iluminada e em diferentes áreas

F

ormada em Tecnologia da Informação, a fluminense de Marechal Hermes, que veio para Brasília aos três anos, encontrou na literatura uma de suas paixões. O encanto pelas letras, mais precisamente pela prosa, surgiu na adolescência, e, provavelmente, vem do seu DNA. O pai, que também escrevia poesias, estimulava brincadeiras com o dicionário.”Meu pai gostava muito de ler. Em 2012, quando fui empossada na Academia de Letras do Brasil,ele foi meu patrono”. Mais conhecida como Nena, a analista de sistemas também atribui o apelido que ganhou na infância ao pai. “Ele sempre teve essa alma de artista e sentia que eu também iria seguir esse caminho”, lembra. A intuição do pai estava certa. Nena já publicou três obras desde 2008. A última, “Ô, Coisa Boa!”,

28 Revista Correios - mar/abr 2014

lançada em junho deste ano, reúne contos inspirados no cotidiano. O texto que dá origem ao título da obra surgiu a partir de um episódio compartilhado pelas amigas. A escritora já arrebata prêmios literários. Em 2010, conquistou o 1º Lugar na Categoria Humor do 6º Desafio Literário da Câmara dos Deputados. No ano seguinte, ficou em 1º Lugar nas Categorias Contos e Conto Infantil e 2º lugar nas categorias Cartas e Poesia. O sucesso, no entanto, não surpreende a analista. “Todos nós somos escritores, porque temos necessidade de contar algo. A diferença é que faço isso no papel”, diz com modéstia. Além de crônicas, contos e poesias, Ana também é compositora de músicas e ainda escreve para o jornal Alô, Brasília há quase dois anos. No periódico, a escritora assina crônicas onde costuma refletir

A analista de sistemas, Nena Medeiros, e suas obras

sobre política, mulheres e animais. Os bichos, aliás, são outra devoção. “Comecei a adotar há quatro anos. Hoje já são dezoito cachorros lá em casa”, diz a escritora que tem um grupo chamado “Ação Animal DF”, cujo objetivo é arrecadar fundo para ajudar outros protetores de animais. Para quem cansou só de imaginar a rotina da analista de sistemas escritora e protetora de animais, ela não para por aí. “Comecei a jogar tênis por influência do meu marido há quinze anos”. Nena foi campeã do Campeonato de Tênis dos Correios, na fase regional, da Administração Central em 2005, 2010, 2011 e 2012, e vice-campeã na fase nacional do campeonato em 2010. Na empresa, Ana também batalha pelo reconhecimento da literatura. Em 2013, ela e o colega Elias Daher, também analista de sistemas dos Correios e presidente do Sindicato dos Escritores do DF (Sindescritores) sugeriram a criação do Concurso Literário dos Correios 350 anos. A ação foi implantada e premiou os três primeiros lugares de cada categoria – causo ou poesia –, que receberam além de dinheiro, um troféu e publicação da obra. E, como se não bastassem tantas atividades, os planos não terminam. “Mais um livro de contos está pronto e há material para um livro de poesias, um infantil, um de crônicas e outro de contos. Também tenho vontade de fazer uma coletânea sobre animais”. A julgar pelo talento e disposição da analista, os projetos têm tudo para ser um sucesso. Quer saber mais? www.nenamedeiros.com

mar/abr 2014 - Revista Correios 29


Raul Raichtaler

Esportes

A vez de Bruno Soares

Canadá. Também foi finalista em mais cinco competições, entre eles o Aberto dos Estados Unidos. Com essa campanha, o brasileiro alcançou, então, o segundo lugar na lista de duplistas da ATP. “Bruno é muito técnico, talentoso e versátil. Joga bem em todos os setores da quadra e tem a devolução do saque como diferencial. Também é corajoso e, quando a partida aperta, faz as melhores jogadas. É querido dentro e fora dos circuitos. O sucesso não mudou seu jeito de ser”, diz o atual treinador, Roberto Moraes, que também é amigo do campeão desde a infância.

Patrocinado pelos Correios, o atleta se tornou o melhor tenista em duplas da história do Brasil

No país do futebol, ele escolheu ser tenista. A bola até chegou a fazer parte da sua infância, mas a vida reservava outra paixão: as raquetes. Hoje, a escolha faz todo o sentido. Aos 31 anos, Bruno Soares tornou-se o melhor tenista de duplas no ranking mundial da Associação de Tenistas Profissionais (ATP)

O

ano de 2013 foi mesmo o de Bruno. O mineiro alcançou uma marca nunca antes registrada na história de duplas do tênis brasileiro: tornou-se o melhor duplista de todos os tempos com a terceira colocação no ranking individual da ATP. Com essa posição, superou a marca que era de Cássio Motta, número 4 do mundo há 30 anos. Atualmente, a dupla de Bruno Soares é o austríaco Alexander Peya. A paixão pelo tênis começou cedo. Brasileiro, filho do mundo, Bruno teve que aprender a lidar com mudanças desde criança. Por conta da profissão do pai, sua família costumava mudar-se de país com frequência. Mas em todos os lugares onde residiam, procuravam manter o hábito de frequentar clubes de tênis. Foi em uma dessas ocasiões, que o duplista teve sua primeira experiência com a modalidade. Aos cinco anos, pediu ao pai para matriculá-lo na escola de tênis e não largou mais o esporte. 30 Revista Correios - mar/abr 2014

Claro, que nessa época o intuito era brincar e se divertir. Mas, desde o cedo, o garoto demonstrou que tinha talento. Aos oito anos, voltou a morar em Belo Horizonte, cidade onde nasceu, e começou a competir em campeonatos mineiros. Já no início da adolescência, o tênis foi tornando-se coisa séria. “Com uns 14 anos, eu comecei a ver o tênis com outros olhos. Procurei entender melhor esse mundo e pensava:

Prêmios Melhor atleta de 2013 modalidade tênis na 15ª edição do Prêmio Brasil Olímpico. Melhor tenista de 2013 Revista Prêmio Sport Life e Prêmio Tênis 2013. Melhor duplista masculino pelo segundo ano consecutivo - Prêmio Tênis 2013.

Bruno Soares: desde 1983, um brasileiro não alcançava destaque tão expressivo no ranking da ATP

quem sabe um dia eu não me torne um jogador profissional!”, lembra o tenista. Com ares de nostalgia, o duplista recorda o que, para ele, fora o torneio mais inesquecível dessa época. Aos 15 anos, perdeu vários jogos em um circuito sulamericano. Aborrecido, Bruno chegou em casa convicto de que deveria tentar o torneio mais um vez. Por meses, ficou treinando, focado na chance de fazer diferente. E fez. “Voltei no ano seguinte e conquistei duas etapas. Mas, a primeira, no Equador, foi quando provei a mim mesmo que valeu a pena toda a ralação”, conta orgulhoso. Quando terminou o ensino médio, recebeu vários convites para jogar como universitário nos Estados Unidos, contudo a meta era se tornar profissional em seu país. Em Novo Hamburgo (RS), começou uma parceria com Fernando Roese, considerado um dos melhores treinadores do Brasil. “Não ir para

Pé no chão

os Estados Unidos, foi uma decisão muito difícil, mas minha família sempre me ajudou nessas horas e torceu muito por mim desde o início”, completa o tenista. Bruno é profissional desde 2001, porém disputa pela ATP desde 1999. A afinidade com a dinâmica do jogo em dupla logo se mostrou mais forte. “Mesmo fazendo a minha programação baseada no simples, não deixei de jogar em dupla porque sempre gostei muito. Percebi que meus melhores resultados foram nessa categoria e passei a priorizá-la”, recorda.

Superação Ainda em 2005, a vida impôs um desafio a Bruno. Uma lesão no joelho esquerdo o afastou das quadras por dois anos. Pela primeira vez, o atleta se preocupou com o futuro de sua carreira. “Confesso que houve incertezas. Chegou um período do meu tratamento que eu já não sabia se teria condições de

voltar, mas nunca pensei em parar”, lembra. Quando soube pelo médico que existia uma possibilidade de voltar às quadras, ele decidiu lutar. “Essa foi a hora da superação. Quando percebi que existia uma pequena centelha de esperança de voltar, trabalhei com foco”, revela. Para Bruno, o acontecimento teve seu lado positivo, pois foi também, nesse momento, que ele decidiu dar novo rumo à carreira e se tornar um duplista. De volta às quadras em 2007, o mineiro subiu degraus a passos largos. Venceu diversos campeonatos como o Aberto de São Paulo de Tênis, chegou à semifinal de Roland Garros e às quartas-de-final do US Open. Além disso, conquistou seu primeiro ATP de duplas em Nottingham, torneio de grama preparatório para Wimbledon. Em 2013, o melhor da carreira do tenista, venceu seis torneios, com destaque para o Masters 1000 do

Bruno reconhece a dificuldade e a responsabilidade de estar entre os melhores. Por isso, um dos objetivos de 2014 é manter o ritmo. “O ano de 2013 foi excelente, então, a ideia é trabahar para continuar entre os melhores”, afirma. O brasileiro tem o sonho de ganhar um título de Grand Slam e alcançar o primeiro lugar do ranking da ATP. “Antes de tudo, precisamos manter o trabalho, não relaxar. Por enquanto, está dando tudo certo. Pretendo jogar por muitos anos, até as Olimpíadas de 2020. Esse é meu grande objetivo”, conta o duplista. De olho no futuro, o atleta está cursando faculdade. Quando não está em viagem para torneios, o atleta concilia 6 a 7 horas de treinamento com provas, apostilas e leituras. “Depois que me aposentar das quadras, quero tentar uma carreira na área de Marketing voltada ao universo do tênis”. Mas Bruno faz questão de reforçar que tem muita lenha para queimar nas quadras. “Ainda tenho muitos títulos e sonhos para conquistar”. mar/abr 2014 - Revista Correios 31


Viver bem

A caminhada nossa de cada dia Ela controla a pressão, diabetes, afasta a depressão e ainda emagrece Um exercício barato, que pode ser feito a qualquer horário e não exige habilidade. Essas são algumas das vantagens da caminhada, a atividade física democrática, indicada para crianças, idosos, obesos e gestantes pelo baixo nível de impacto nas articulações e baixa ocorrência de acidentes Thiago Santos - Correios

P

ara os mais de 60 mil carteiros dos Correios, caminhar faz parte da rotina de trabalho. Durante a percorrida, cada empregado anda cerca de sete quilômetros diariamente. Segundo o médico do trabalho dos Correios, Florencio Sinzato, o exercício é um bom remédio para a saúde do corpo e da mente. “O exercício melhora o sistema circulatório, auxilia no controle da obesidade e pode atuar como uma válvula de escape para as tensões e estresses do dia a dia”. Contudo, o médico ressalta que, especialmente no caso dos carteiros, o exercício exige cuidados para evitar prejuízos à saúde. Por isso, os Correios se preocupam com a melhoria constante dos

Curiosidade

22ª Caminhada Para Uma Vida Saudável em Brasília: incentivar os empregados a praticarem atividade física é uma preocupação dos Correios 32 Revista Correios - mar/abr 2014

Para entregar diariamente cerca de 35 milhões cartas e encomendas em todo o País, os mais de 60 mil carteiros dos Correios andam, por dia, em torno de 300 mil quilômetros, mais de sete voltas no planeta Terra.

itens de proteção e conforto dos carteiros. Além de fornecer protetor solar e uniforme acompanhado de boné e tênis apropriados, a empresa atende as recomendações relacionadas ao peso e à ergonomia da bolsa e ao limite de carga para as mulheres. Dados da área de medicina do Trabalho, na Administração Central, apontam que a incidência de desgastes físicos, de natureza osteomuscular, é frequente entre os carteiros. Por outro lado, a incidência de doenças mentais é muito baixa, comparado com as demais profissões.

“A caminhada melhora o sistema circulatório, auxilia no controle da obesidade, além de aliviar tensões e estresses do dia a dia.” “Isso pode estar relacionado ao reconhecimento desses profissionais nas comunidades em que atuam. Embora seja um trabalho desgastante, durante a caminhada eles costumam receber em troca muitos carinhos, sorrisos e palavras acolhedoras”, ressalta Sinzato. Para os que, ao contrário dos carteiros, trabalham a maior parte do tempo sentado, vale a pena incluir a caminhada na rotina. Quanto mais regular a prática maiores os resultados. “Os benefícios são muitos e saber aproveitar uns minutos do dia para buscar qualidade de vida é importante para a saúde de todos. Qualquer tempo é melhor que zero”, orienta o doutor Sinzato. Se ainda faltam motivos para começar a caminhar, a Revista Correios reuniu 7 benefícios que esse hábito pode fazer por você. Confira no quadro ao lado e movimente-se.

7

benefícios da caminhada para o corpo e a mente

1. Controla a pressão arterial Um estudo feito pela USP, de Ribeirão Preto, provou que caminhar durante aproximadamente 40 minutos é capaz de reduzir a pressão arterial durante 24 horas após o término do exercício.

2. Combate a osteoporose O impacto dos pés com o chão facilita a absorção de cálcio, deixando os ossos mais resistentes.

3. Afasta a depressão Quando uma pessoa começa a praticar exercícios, o corpo libera uma quantidade maior de endorfina, hormônio produzido pela hipófise, responsável pela sensação de alegria e relaxamento.

4. Aumenta a sensação de bem-estar Pesquisas mostram que aqueles que se envolvem em caminhadas ao ar livre apresentam efeitos positivos em relação ao humor e à autoestima.

5. Deixa o cérebro mais saudável Um novo estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostra que o efeito antienvelhecimento do exercício pode ser possível também em relação ao cérebro, ao aumentar seus circuitos e reduzir os riscos de problemas de memória e atenção.

6. Aumenta a disposição A caminhada durante o dia faz com que o nosso corpo tenha um pico na produção de substâncias estimulantes, que deixa o corpo mais disposto. Somado a isso, a caminhada melhora a qualidade do sono de noite.

7. Previne a diabetes A insulina, substância que é responsável pela absorção de glicose no corpo, é produzida em maior quantidade durante a caminhada, já que a atividade do pâncreas e do fígado são estimuladas devido à maior circulação de sangue. mar/abr 2014 - Revista Correios 33


Camila Pena - Correios

No coração do Brasil, pulsa um paraíso

Fotos: Camila Pena - Correios

Destinos

Dunas, piscinas de água cristalina, capim que nasce dourado. O Jalapão, no Tocantins, é uma das mais inusitadas paisagens do País

2

1

3

4 O Éden de Tocantins: 1- Cachoeira da Velha; 2- dunas do Parque do Jalapão; 3- Cachoeira da Formiga; 4- Fervedouro

Em uma das cenas do filme Deus é brasileiro, comédia dirigida por Cacá Diegues, o personagem Taoca (Wagner Moura) pergunta: “E onde fica esse...Jalapão?”. Ainda pouco conhecida, a região localizada ao leste de Tocantins, ganhou visibilidade ao servir de cenário para a gravação do reality show norte-americano Survivor, em que competidores são levados para um lugar inóspito e desafiados a sobreviver. Suas dunas alaranjadas também fazem parte da rota do Rally Internacional dos Sertões, a maior corrida off-road da América Latina 34 Revista Correios - mar/abr 2014

C

onhecido como o deserto brasileiro ou deserto das águas, o Parque Estadual do Jalapão se transformou em um destino turístico procurado por quem busca aventura e contato com a natureza. Os 34 mil km² de paisagem árida, envolvendo oito municípios, são cortados por uma imensa teia de rios, riachos que formam piscinas naturais de água transparente e potável. A região é uma das poucas paisagens nacionais que se mantém quase imune ao avanço da civilização, com menos de um habitante por quilômetro quadrado.

Quem se aventura por lá encontra ambientes antagônicos: dunas de areia vermelha, rios, lagos e cachoeiras; vegetação rasteira similar às savanas, árvores retorcidas e rochas do cerrado. A maior e mais imponente cascata da região é a Cachoeira da Velha, alimentada pelo Rio Novo, também chamada de “mini-cataratas do Iguaçu” pela população local. Apesar de sua exuberância, não é possível tomar banho nela, pois a força de suas águas é tamanha que chega a criar uma fumaça de garoa em sua volta. Mais 150 metros de caminhada e o visitante se depara com outro cenário encantador: águas calmas, cercadas por areia fina e matas de galeria. É a Prainha da Cachoeira da Velha. O lugar é propício para

o camping e, claro, para nadar nas águas mansas, principalmente sob os 30ºC - temperatura constante durante o ano. Em outra margem do Rio Novo, é comum a prática de atividades como o rafting (equipes que descem em corredeiras utilizando botes infláveis e equipamentos de segurança) e o rapel. Mas também há espaço para outros esportes radicais, como a canoagem, o boia-cross (descida pelas corredeiras do rio em boia individual), e o acquaride (no qual o esportista desce o rio de bruços em cima da boia). Quem pensa que isso é coisa de aventureiro experiente e que sabe nadar, se engana. Para praticar a maioria dos esportes basta estar munido dos acessórios de segurança

disponibilizados pelas agências de turismo. Um pouco mais adiante, está o ponto turístico que mais causa espanto: o Fervedouro do Alecrim, a 40 km do município de Mateiros. Ele fica escondido como um oásis. Em meio à vegetação fechada, entre brejos e riachos e cercado por bananeiras, surge um lugar de rara beleza e caraterística intrigante. Ao centro, um poço azul transparente com águas que brotam das areias claras. Ali o banhista, por mais que se esforce, não consegue afundar. O corpo fica leve e boiando sobre a água. Esse fenômeno é chamado de ressurgência hídrica. Cartão postal da região, a Serra do Espírito Santo pode ser vista de muito longe, na vastidão de mar/abr 2014 - Revista Correios 35


Destinos

cerrado. Com 800 metros de altura e 22 quilômetros de comprimento, a superfície da chapada é plana, semelhante a uma mesa gigante. No mirante da serra, é possível se ter uma visão privilegiada de toda a região. Ali é parada quase obrigatória para apreciar as paisagens e horizontes do Jalapão. Aos pés da serra, ficam as dunas, uma das locações escolhidas para o filme Deus é Brasileiro. Com mais de 30 metros de altura, é o lugar perfeito para apreciar o pôr-dosol. Resultado da erosão, por milhares de anos, das rochas da Serra do Espírito Santo, a areia das dunas é de cor laranja-avermelhada devido à presença de óxido de ferro.

Almanaque

O mar virou sertão Com tanta areia e água doce, ninguém imagina que o Jalapão foi mar. As evidências são os fósseis encontrados na região há mais de 25 anos. Aproximadamente 300 milhões de anos atrás, a Terra começou a sofrer mudanças climáticas e atmosféricas, o mar passou a se afastar e acabou formando um rastro de riqueza biológica. Hoje, tudo que se vê é um imenso espaço moldado pelo tempo, águas e ventos. É o Jalapão pulsando vida e encantamento. Qual destino você quer ver na próxima Revista Correios? Envie para revista@correios.com.br

O ouro de Jalapão Fotos: Wikimedia Commons

Quando ir

É possível visitar o Jalapão em qualquer época do ano. Todavia, entre maio e setembro quase não chove e o céu estará mais limpo, proporcionando paisagens incríveis. Nesta época, os dias são quentes e as noites, frescas.

Como chegar

A não ser que se tenha um carro com tração 4x4, a melhor opção são os pacotes que empresas de turismo da região oferecem. Da cidade de Palmas, segue-se 64 quilômetros pela rodovia até Porto Nacional, e depois 116 quilômetros até Ponte Alta, considerada a entrada do Jalapão, onde começam as estradas de terra.

Onde dormir

Além de pousadas, existem agências de viagens que oferecem tendas para até duas pessoas com cama e banheiro individual. A ideia é manter a integração máxima com a natureza. É tudo muito simples, mas agradável.

O que levar

Peças feitas em capim dourado: arte de trançar é herança dos índios Xerentes Nem tudo que reluz é ouro. Pode ser capim dourado. Abundante na região, a matéria-prima é fonte de renda da comunidade de Mumbuca, próxima a um dos municípios de Jalapão – Mateiros. A comunidade utiliza a planta para criar peças de artesanato como pulseiras, brincos, chaveiros, bolsas, cintos, vasos, peças de decoração entre outros. O capim dourado floresce no decorrer do ano, mas, por determinação de lei, os artesãos podem colhê-lo somente entre 20 de setembro e 20 de novembro. No estado do Tocantins, há regulamentos que proíbem a saída do material in natura da região, ou seja, somente saem da região as peças já produzidas pela comunidade local, preservando assim a sustentabilidade 36 Revista Correios - mar/abr 2014

ambiental, social e econômica do local. A arte de trançar o capim dourado é herança dos índios Xerentes. Feita a colheita, as mãos das artesãs jalapoeiras torcem e costuram as hastes com fibra ou seda do olho do buriti. Descendente de escravos, a comunidade não chega a 200 pessoas. Lá, homens e mulheres têm funções bem definidas. Os homens plantam para o consumo da família, enquanto as mulheres colhem a produção e preparam farinha, além, de atuarem como artesãs. Por sua importância e beleza, os Correios farão uma homenagem ao capim dourado com o lançamento de um bloco com três selos previsto para o mês de maio deste ano.

•  Lanterna média com pilhas extra •  Tênis ou bota para caminhada •  Camiseta de manga comprida (para proteção solar) •  Agasalho, pois a temperatura cai à noite (período de maio a setembro) •  Protetor solar e chapéu •  Repelente Informação útil: celulares não funcionam e não há orelhões. Há telefonia por satélite, disponível em alguns poucos estabelecimentos.

Como enviar seus postais

Em Jalapão, há três agências dos Correios localizadas em: •  Ponte Alta - Rua 6 S/Nº Setor Central •  Mateiros - Av. Maranhão, quadra 23, lote 12 – Setor Central •  São Félix do Tocantins - Av. Teotônio Segurado, qd 36 lote 03, S/Nº - Setor Central mar/abr 2014 - Revista Correios 37


Almanaque

Agora é com você!

A Copa em selos

Recorte o Tangram desenhado nesta página, embaralhe as peças e remonte o quadrado, sem as sobrepor. Mas não se limite apenas a esse formato. Um dos seus desafios é distribuir e juntar as peças em posições diferentes para criar uma infinidade de figuras: há mais de 1,5 mil formas possíveis! Desse modo, o desafio se renova e não há respostas erradas, mas maneiras criativas de pensar as soluções.

Os Correios lançaram uma série de selos comemorativos das cidadessedes da Copa do Mundo de 2014. A arte dos selos foi desenvolvida a partir dos cartazes oficiais de divulgação de cada uma das 12 cidades. A técnica utilizada foi computação gráfica, com arte-finalização de Daniel Effi. Com tiragem de 600 mil selos, as peças podem ser adquiridas nas agências dos Correios, na loja virtual e na Central de Vendas por R$ 1,20 cada. 

5 de março DIA DO FILATELISTA Há mais de um século e meio, o hábito de colecionar selos e materiais relacionados, como carimbos e blocos, atrai grande número de aficionados. No Brasil, o dia desse colecionador, denominado filatelista, celebra-se no dia 5 de Março desde 1969. Neste dia e mês de 1829, D. Pedro, decretou a organização dos Correios do Brasil, definindo tarifas e outras questões organizativas. Mas a decisão de tornar essa data comemorativa ocorreu somente em 1969, em São Paulo, durante congresso organizado pela Comissão Estadual de Filatelia.

Etimologia Filatelia – A palavra é formada pelo prefixo grego philos, que significa “amante, aquele aprecia”, e pelo sufixo atelia cujo sentido é o de “marca”, “selo”.

38 Revista Correios - mar/abr 2014

Correios em números

1.000.000 Esse é o número de peças no acervo do Museu dos Correios, em Brasília, sobre a centenária história postal do Brasil.

Recorte as peças acima seguindo a linha pontilhada

mar/abr 2014 - Revista Correios 39


40 Revista Correios - mar/abr 2014


Revista Correios - 1ª edição