Page 1

qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwert yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa sdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghj O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares klçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc Metodologias de Operacionalização – parte I vbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmq wertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty Miguel Silva e Teresa Coelho uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas dfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl çzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvb nmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqw ertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyui opasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdf ghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçz Novembro 2010

But the more focused you are about what you want to examine by the evaluation, the more efficient you can be in your evaluation

qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwert yuiopasdfghjklçzxcvbnmrtyuiopasdfg hjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnm qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwert


O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de operacionalização – parte I

Sessão 4 Objectivos: 

Compreender como é que a auto-avaliação pode ser concretizada para demonstrar a contribuição da BE para o ensino e aprendizagem e a missão e objectivos da escola.

Ganhar familiaridade com o processo de auto-avaliação adoptado pelo Modelo de Autoavaliação RBE e capacitar para a sua aplicação.

Conhecer as técnicas e instrumentos propostos, o modo como se organizam e podem ser usados.

Actividade Proposta: a) Escolha de um Domínio/Subdomínios; b) Escolha e análise, no Domínio/Subdomínio seleccionado, de dois indicadores, um de Processo e outro de Impacto/Outcome; c) Elaboração de um Plano de Avaliação dos Indicadores escolhidos.


´´É cada vez mais importante que as bibliotecas escolares demonstrem o seu contributo para a aprendizagem e o sucesso educativo das crianças e jovens que servem…o modelo de autoavaliação das bibliotecas escolares deve estar, deste modo, perfeitamente contextualizado e ancorado na escola e no diálogo que a Biblioteca tem de estabelecer com ela e com a comunidade…” texto da sessão

Desenvolvimento da Actividade A implementação da auto-avaliação implica algumas etapas que se apresentam: 1 - Motivação e comprometimento dos órgãos de gestão pedagógica e executiva da escola, devendo para tal o professor bibliotecário proceder a reuniões de sensibilização e simultaneamente formalizar procedimentos para uma co-responsabilização de todos os intervenientes. “…the organization should be staffed and organized to conduct activities to work toward the mission of the organization…”

2 - Constituição de uma equipa responsável sob a responsabilidade do professor bibliotecário, pela condução de todo o processo. 3 - Elaboração de um Plano de Avaliação: - Problema/Diagnóstico;

- Identificação do domínio objecto de avaliação; - Tipo de avaliação a empreender; - Métodos e instrumentos a utilizar; - Intervenientes; - Calendarização; - Planificação da recolha e tratamento de dados; - Análise e comunicação da informação; - Limitações, levantamento de necessidades. 4 - Desenvolvimento do processo de avaliação:

- Recolha e tratamento de informação; - Análise dos dados; - Descrição da situação; - Identificação dos pontos fortes e fracos; - Definição da priorização de acções de melhoria; - Redacção e divulgação do relatório final de avaliação. In Texto da Sessão Dentro do domínio, foram seleccionados os indicadores: B1 e B3. B1 – Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura - considerado de processo, por se enquadrar nas actividades e serviços prestados pela BE;


B3 – Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e das literacias - considerado de impacto/outcome, onde serão reconhecidos os benefícios da BE para os utilizadores. Este indicador pretender avaliar o impacto que a BE tem nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia, no desenvolvimento de competências associadas à leitura e no crescimento do gosto pela mesma.

PLANO DE AVALIAÇÃO Enquadramento “A avaliação deve ser encarada como uma componente natural da actividade de gestão da biblioteca, usando os seus resultados para a melhoria contínua, de acordo com um processo cíclico de planeamento, execução e avaliação” – texto da sessão

Diagnóstico “O ponto de partida pode derivar de uma primeira avaliação diagnóstica breve, da indicação de uma área de interesse já identificada em processos de avaliação anteriores, da selecção de uma área de interesse ou considerada prioritária face às metas da própria escola e que se pretende reforçar, do conhecimento geral dos pontos fracos e fortes da biblioteca ou de uma recomendação externa (da RBE, da Inspecção, do Grupo de Trabalho Concelhio/SABE, etc.).” – texto da sessão

O presente plano de avaliação surge da necessidade em aumentar os níveis de literacia e competências de leitura nos alunos do agrupamento. Após os dados recolhidos e analisados das Provas de Aferição, constatou-se que os alunos revelaram resultados abaixo da média nacional na disciplina de Língua Portuguesa.

Identificação do problema e objecto de avaliação - Constatação por parte da equipa da BE que um significativo número de alunos ainda se distanciam da prática da leitura e frequência da biblioteca; - Avaliar o impacto na escola de projectos já desenvolvidos no âmbito deste domínio.

Identificação dos factores críticos aplicáveis Serão avaliados aqueles que melhor se enquadram na problemática identificada.

Selecção dos métodos e técnicas a utilizar “O envolvimento e mobilização dos utilizadores (docentes, alunos, …), a quem é pedida uma participação muito activa, é fundamental e tem a sua maior razão de ser


no facto da avaliação se centrar não apenas na própria biblioteca mas, sobretudo, nos seus utilizadores” – texto da sessão

Ao longo do ano, a BE deve proceder ao trabalho de recolha e arquivo de evidências que comprovem as actividades/acções que foram realizadas nesse espaço da escola: - A recolha documental de registos de planeamento e das actividades da BE; - A observação de actividades de aprendizagem demonstrativas da aquisição ou desenvolvimento de conhecimentos, competências e atitudes (Grelhas de Observação); - A auto-avaliação e inquérito aos utilizadores (Checklists; Questionários); - O levantamento de dados estatísticos de utilização da BE; - A análise de trabalhos de alunos; - O levantamento de dados relativos à gestão de recursos (financeiros, materiais, humanos e de informação) da BE. (ver Texto da Sessão, “Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte I) ”)

Definição da amostra a inquirir Na linha do que é referido no Modelo de Auto-avaliação, pág. 56, a amostragem será realizada nas seguintes percentagens: a) b) c) d)

Docentes: 20% Alunos: 20% Pais/Encarregados de Educação: 10% Outros inquiridos (opcional), que podem funcionar como “Critical FrIend” ou “Devil’s Advocat”, por exemplo, a BM/SABE, os Grupos de Trabalho Concelhios ou os Coordenadores Inter-Concelhios da RBE… (retirado também do texto da sessão)

Recolha e tratamento dos dados “Program evaluation is carefully collecting information about a program or some aspect of a program in order to make necessary decisions about the program”

PLANIFICAÇÃO .


B1 – Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura: Factores críticos de sucesso

Intervenientes

A BE disponibiliza uma colecção variada e adequada aos gostos, interesses e necessidades dos utilizadores

Alunos Professor Bibliotecário;

Métodos e instrumentos

Evidências

- Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2) – Entrevista - Estatísticas de requisição. - Estatísticas de utilização informal da BE. - Estatísticas de utilização da BE para actividade de leitura programada/ articulada com outros docentes. - Estatísticas de requisição domiciliária. - Observação da utilização da BE: -participação em actividades de leitura GO3; - Motivação para a leitura-GO4 - Fundo Documental da BE

- % dos alunos encontram sempre o livro que pretendem e % quase sempre - % de respostas dos alunos: a biblioteca não tem os livros que gosto - Taxa de utilização informal da BE pelos alunos: % de alunos que se deslocam à BE para ler e estudar - % dos alunos que frequenta 1 ou 2x por semana/ todos os dias a biblioteca - % dos docentes que consideram bom/muito bom o nível de recursos documentais - % dos docentes considera que os recursos da BE contribuem para o desenvolvimento das competências de leitura e melhoria dos resultados escolares

Equipa da BE; Professores Executivo

A BE promove acções formativas que ajudem a desenvolver as competências na área da leitura

- Visita de escritores e ilustradores à BE - Horas do conto - Distribuição de livros: “atalho para leitura” - Distribuição de marcadores para livros - Comemoração Dia Mundial do Livro - Concursos de Leitura - Leituras Partilhadas - Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2) - PAA da BE e do Agrupamento - Projecto Educativo

- % do interesse para os alunos sobre a divulgação do escritor do mês - % dos alunos que considera interessante/muito interessante os Guiões de leitura sobre autores ou obras; - % dos alunos que considera interessante/muito interessante as Exposições temáticas relacionadas com o autor ou obras: - % dos alunos que considera interessante/muito interessante a Participação em projectos de leitura com o docente e a turma; - % dos alunos que considera interessante/muito interessante a

Calendarização


Factores críticos de sucesso

Intervenientes

A BE incentiva o empréstimo domiciliário.

Alunos

Métodos e instrumentos

- Registo de Observação da utilização da BE: -participação em actividades de leitura - GO3; Estatísticas de requisição domiciliária. - Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2). - Questionário/Entrevista aos Enc. Educação – QEE1 - Fundo Documental da BE

Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores A BE está informada relativamente às linhas de orientação e actividades propostas pelo PNL e desenvolve as acções implicadas na sua implementação

A BE incentiva a leitura informativa, articulando com os departamentos curriculares no desenvolvimento de actividades de ensino e aprendizagem ou em projectos e acções que incentivem a leitura.

Executivo E. Educação

- A BE incentiva os alunos/turmas/escolas a participar nas actividades propostas pelo Plano Nacional de Leitura: -Semana da Leitura 2010 -Concurso Nacional de Leitura 2010 -Concurso Faça lá um Poema (PNL/CCB) -Projecto a LeR+ -Leitura em Vai e Vem -Já Sei Ler -Celebração do Dia Mundial do Livro -Celebração do Dia Internacional do Livro Infantil -Celebração do Dia Mundial da Poesia -Divulgação do site: Livros Digitais e concursos - Lançamento no Pré-escolar do projecto: ”Letras em Família”. - Participação no Concurso Nacional promovido pela DGIDC: Concurso de “Podcast na Educação: Conta-nos uma história”, - Participação no concurso Postais de Natal

Evidências realização de sessões de leitura, de apresentação/debate sobre livros ou temáticas relacionadas com os livros: - % dos docentes que concorda/concorda plenamente que a BE promove a leitura literária e a discussão sobre temas, autores e livros - % dos alunos que requisitaram livros durante período lectivo - % dos alunos que requisitaram os livros diariamente/ 1 a 2x p semana - % das requisições realizadas durante o período de aulas - % dos Docentes que se desloca à biblioteca para requisitar livros, - Quantidade de livros não escolares requisitados para leitura domiciliária - % dos Encarregados de Educação que se desloca à BE para regularmente/ocasionalmente realizar consulta ou requisição domiciliária

- % dos docentes que concorda/concorda plenamente que a BE mobiliza para o desenvolvimento do PNL e apoia as actividades relacionadas; - n.º de alunos envolvidos nos concursos - Grau de envolvimento dos docentes nas actividades propostas pela BE

- % dos docentes que concorda/concorda plenamente que a BE desenvolve actividades diversificadas que motivam para a leitura e promovem a discussão e o trabalho escolar, desenvolvendo

Calendarização


Factores críticos de sucesso

Intervenientes

Métodos e instrumentos - Participação no Concurso Seguranet - promoção e consciencialização pública da utilização segura da Internet. - Participação de 2 turmas do 1.º ciclo no projecto: “Clube do Senhor B” lançado pela DGLB.

Evidências diferentes literacias;

- Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2).

Alunos Professor A BE desenvolve, de forma sistemática, actividades no âmbito da promoção da leitura: sessões e clubes de leitura, fóruns, blogs ou outras actividades que associem formas de leitura, de escrita ou de comunicação em diferentes ambientes e suporte

Bibliotecário; Equipa da BE; Professores Executivo

- Observação da utilização da BE: - Participação em actividades de leitura GO3; - Motivação para a leitura-O4. - Trabalhos realizados pelos alunos. - Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2). - Questionário/Entrevista aos Enc. Educação -Divulgação no blogue das bibliotecas de “Leituras recomendadas” -Afixação nos espaços da biblioteca de trabalhos alusivos ao “Autor do Mês” -Decoração da Biblioteca com temas alusivos às obras trabalhadas pelos alunos no âmbito do PNL; -Comemoração de datas significativas ( Dia Mundial da Poesia e celebração do dia de S. Valentim; -Manutenção/dinamização da itinerância: distribuição de livros do PNL, e do projecto: “Um Atalho para a Leitura” a todas as escolas e jardins do Agrupamento -Realização da Feira do Livro na EB2,3 visitada por todos os alunos do Agrupamento com actividades paralelas, para além da visita à BE. -Realização do Café-concerto, em horário pós-laboral, inserido na Feira do Livro, convidando toda a comunidade educativa a assistir à performance vocal dos alunos; -Dinamização do projecto: “Seguindo o Atalho”destinado a todas as escolas do pré-

- 53%; A divulgação do escritor do mês é considerada interessante/ muito interessante para os alunos; - % dos alunos que considera interessante/muito interessante os Guiões de leitura sobre autores ou obras; - %dos alunos considera interessante/muito interessante as Exposições temáticas relacionadas com o autor ou obras: - % dos alunos que considera interessante/ muito interessante a Celebração de datas significativas: - % dos alunos que considera interessante/ muito interessante a Participação em projectos de leitura com o docente e a turma; - % dos alunos que considera interessante/muito a Realização de sessões de leitura, de apresentação/debate sobre livros ou temáticas relacionadas com os livros: - % dos docentes que concorda/ concorda totalmente que a BE desenvolve um trabalho sistemático no âmbito da leitura; - % dos docentes que concorda/concorda plenamente que a BE promove a leitura literária e a discussão sobre temas, autores e livros; - Participação dos alunos nas actividades propostas pela BE

Calendarização


Factores críticos de sucesso

Intervenientes

Métodos e instrumentos

Evidências

escolar e 1.º Ciclo; -Dinamização do projecto: “Letras em Família” ((JI) -Comemoração da Semana da leitura em todas as escolas do Agrupamento -Realização da actividade: ”Fado & Poesia”, em horário pós-laboral, no qual, para além dos fados interpretados pelos alunos, foi possível assistir à declamação de poemas por parte de intervenientes diferenciados: professores, alunos, funcionários e encarregados de educação;

A BE promove encontros com escritores ou outros eventos culturais que aproximem os alunos dos livros ou de outros materiais/ambientes e incentivem o gosto pela leitura

A BE incentiva a leitura em ambientes digitais explorando as possibilidades facultadas pela WEB, como o hipertexto, o e-mail, blogs, wikis, slideshare, youtube…

A BE organiza e difunde recursos documentais que, associando-se a diferentes temáticas ou projectos, suportam a acção educativa e garantem a transversalidade e o desenvolvimento de competências associadas à leitura.

Alunos Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores Executivo

Alunos Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores

Alunos Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores

- Em parceria com a Biblioteca Municipal: encontro com escritores/ilustradores nos vários níveis de ensino - Apresentação do Espectáculo de Dança: “Personagens de Água” - Teatro na Biblioteca com o Monólogo: “Os Malefícios do Tabaco”, pelo actor e encenador Armindo Cerqueira

- Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2).

- Criação do blogue das bibliotecas do Agrupamento: http://bibliotecasdemanhente.blogs.sapo.pt/ - Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2).

- Utilização do blogue para apresentação de sugestões de leitura online e aquisições realizadas pela BE; - Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2).

-% dos alunos que reconhece que a BE ajuda a conhecer escritores e pessoas ligadas aos livros; - % dos docentes que concorda/ concorda plenamente que a BE promove actividades diversificadas de leitura, associando diferentes formas de comunicação e expressão

- Taxa de Visitas ao blogue - Divulgação no blogue de oportunidades de leitura, actividades realizadas pelos alunos/escolas, datas comemorativas, etc. - % dos docentes que concorda/concorda plenamente que a BE trabalha com recursos digitais e ferramentas Web 2.0; - % dos docentes que considera que a BE e os recursos que disponibiliza contribuem muito para o desenvolvimento das competências de leitura e para os resultados escolares dos alunos; - % dos alunos que considera

Calendarização


Factores críticos de sucesso

Intervenientes

Métodos e instrumentos

Evidências interessante/muito a Realização de sessões de leitura, de apresentação/debate sobre livros ou temáticas relacionadas com os livros:

A BE apoia os alunos nas suas escolhas e conhece as novidades literárias e de divulgação que melhor se adequam aos seus gostos.

Alunos Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores

De forma a conhecer e acompanhar novidades editoriais a equipa da BE visitou a BM de Vila Real, Viana do Castelo, Barcelos e Braga, além de visitar as Feiras do Livro de Braga, Viana do Castelo e Barcelos, assim como livrarias do distrito para acompanhar os lançamentos e novidades editoriais - Participação no evento Correntes d’Escrita, na Póvoa de Varzim - Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2).

% dos alunos que reconhece que a BE informa sobre livros e outras publicações ou acerca de outras novidades ou actividades relacionadas com os livros; - % dos alunos que considera que a BE os motiva para ler mais - % dos alunos afirma que a BE dá sempre sugestões para requisições de livros - % dos alunos é incentivado para a leitura sempre -% dos docentes considera que a BE contribuiu para a melhoria das competências de leitura -% dos alunos que lê mais livros comparando com o início do ano lectivo -% dos docentes que concorda/concorda plenamente que a BE acompanha os alunos durante o acesso e apoia-os na selecção de documentação e no uso e produção da informação

Calendarização


B3 – Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia Factores críticos de sucesso

Intervenientes

Os alunos usam o livro e a BE para ler de forma recreativa, para se informar ou para realizar trabalhos escolares.

Alunos Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores

Os alunos, de acordo com o seu ano/ciclo de escolaridade, manifestam progressos nas competências de leitura, lendo mais e com maior profundidade.

Alunos Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores

Métodos e instrumentos

- Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2) - Grelhas de Observação (GO4) - Fundo Documental da BE

- Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2) - Grelhas de Observação (GO3 e4) - Grelhas de avaliação externa da escola - Avaliação interna das turmas

Evidências - % de Alunos em utilização informal da BE: para ler e estudar - Média de requisitados para leitura domiciliária - % Respostas: “A biblioteca não tem os livros que gosto” - GO4 – % de alunos que recorrem a diferentes tipos de leitura, recreativa ou informativa, de acordo com as suas motivações: - GO4 – % de alunos que frequentam a biblioteca autonomamente para actividades de leitura - % dos alunos que classifica de Excelente/boa a sua competência de leitura; - % dos alunos que considera que tem melhores resultados escolares porque tem mais à vontade na leitura; - % dos alunos que lê qualquer tipo de texto e compreende melhor o que lê; - % dos alunos que lê livros com mais texto e textos mais longos; - % dos alunos que considera que a BE contribuiu muito para a melhoria das competências de leitura e resultados escolares; - GO3 - % dos alunos que sabem situar os acontecimentos relatados no contexto em relação à situação de leitura, se interpelado. - GO3 – % de alunos que compreendem textos escritos com complexidade e extensão adequadas ao nível de escolaridade - GO3 –, % de alunos que revelam

Calendarização


Os alunos desenvolvem trabalhos onde interagem com equipamentos e ambientes informacionais variados, manifestando progressos nas suas competências no âmbito da leitura e da literacia.

Alunos Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores

Os alunos participam activamente em diferentes actividades associadas à promoção da leitura: clubes de leitura, fóruns de discussão, jornais, blogs, outros.

Alunos Professor Bibliotecário; Equipa da BE; Professores

- Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2) - Grelhas de Observação (GO3 e4)

- Questionário aos docentes (QD2). - Questionário aos alunos (QA2) - Grelhas de Observação (GO3 e4) - Contributos para o blogue do Agrupamento - Participação dos alunos em clubes

capacidade de escrita associada às competências de leituras evidenciadas - % dos alunos que reconhece que se perdem menos quando procuram informação na Internet; -% dos alunos que agora gosta mais de falar e escrever sobre livros ou outros assuntos; - % dos alunos que está mais à vontade para discutir/dialogar sobre preferências de leitura ou outros assuntos; - GO4 – % de alunos que sabem seleccionar o que lê de acordo com os seus interesses ou necessidades de informação, revelando-se leitores críticos e independentes: - GO4 – % de alunos que ampliam os seus interesses de leitura, pesquisando, seguindo sugestões, outros… - % dos alunos que considera que a BE tem actividades que o fazem gostar mais de ler; - % de Participação dos alunos em sessões de leitura: - % de Participação dos alunos em projectos de leitura: - % de Participação dos alunos em Concursos de leitura: - % de Participação dos alunos em Clubes de leitura - GO3 - % de alunos que demonstram interesse e motivação pela actividade: - GO3 – % de alunos que participam de forma activa nos vários aspectos envolvidos na actividade - GO4- % de alunos que Lêem e usam informação em diferentes suportes (digital, livro, jornal, outros) - GO4 – % de alunos que partilham leituras e pontos de vista sobre livros (p. ex., em clubes de leitura,


fóruns, outros) - % de alunos que produzem conteúdos para publicação no blogue das bibliotecas do Agrupamento.


Análise e interpretação da informação obtida “…a avaliação a realizar no final do ano deve necessariamente integrar a biblioteca enquanto parte da política e estratégia global conduzida pela escola ao longo do ano e tomar em conta os seus resultados no processo de planeamento do ano seguinte…” “Avaliar a biblioteca significa avaliar a sua acção em determinados aspectos e os resultados obtidos com esse trabalho, de acordo com os objectivos previamente definidos, tendo porventura em consideração o referencial (Indicadores e Factores críticos de sucesso) à luz dos quais esses objectivos poderão já ter sido estabelecidos, partindo do princípio que os orientam uma ideia geral de melhoria e desenvolvimento de boas práticas.” – texto da sessão

A análise da informação obtida permite-nos aferir a qualidade dos serviços prestados pela biblioteca. Da sua análise resulta a avaliação dos pontos fortes que ela desenvolve, assim como a verificação das áreas que necessitam melhorias ou desenvolvimento. Será então estabelecido um plano de acção que contemple a avaliação efectuada com recomendações de melhoria, o qual, apresentado e aprovado junto dos órgãos competentes, servirá para uma melhoria das práticas e obtenção do sucesso educativo.

Síntese e comunicação dos resultados O Relatório Final de Avaliação da BE é o instrumento de descrição e análise dos resultados da auto-avaliação, de identificação do conjunto de acções a ter em conta no planeamento futuro e de difusão desses resultados e acções junto dos órgãos de gestão e de decisão pedagógica. – texto da sessão.

Este relatório final será apresentado aos órgãos de gestão para que possa incorporar esta no processo de avaliação da escola e servir de suporte para futura avaliação por entidades externas à escola.

Bibliografia Gabinete da Rede das Bibliotecas Escolares. Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares (2010). Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt Texto da Sessão: O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte I), disponibilizado na plataforma Texto de leitura complementar: Carter McNamara: Basic Guide To Program Evaluation, acedido através da plataforma.

sessão 4  
sessão 4  

sessao 4, maabe

Advertisement