Issuu on Google+

Por que minha montanha não se move? “Ao que Jesus lhes disse: Tende fé em Deus; porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele.” Mc. 11:22-23 Frequentemente encontro irmãos passando por uma grande aflição. Em tempos assim as pessoas se enchem de questionamentos sobre sua fé. E uma pergunta que sempre fazem é essa: “porque minha montanha não está se movendo?” A resposta a essa questão é extremamente importante. Eu sempre lhes respondo que algumas montanhas em sua vida você as comandará e elas serão lançadas no mar. Outras montanhas deverão ser escaladas e conquistadas pela força do combate espiritual. A essas montanhas você simplesmente não poderá ordenar que sejam lançadas fora, mas você terá de lutar para conquistá-las. Finalmente existem montanhas que você não poderá escalar, nem contornar ou mesmo comandar, mas elas deverão simplesmente ser evitadas porque o seu acesso a elas lhe foi negado por Deus. Se você não pode comandar, conquistar, ou escalar uma montanha é porque ela lhe foi negada. Deus colocou na frente dela um sinal de acesso negado. Saber que tipo de Montanha você está enfrentando é fundamental para determinar a sua atitude diante dela. É certo que nesses dias há uma montanha diante de você. Que o Senhor lhe dê sabedoria para enfrentar corretamente ao monte que se colocou na sua vida. As montanhas nas escrituras falam de desafios, obstáculos e também de lugares de uma comunhão íntima e especial com Deus. Deus dá as planícies férteis para aqueles cuja força e constituição são pequenas. Mas Ele reserva montanhas para aqueles que são mais resistentes na natureza e mais ousados na sua disposição. Montanhas embora difíceis de conquistar são


uma bênção privilegiada que Ele dá àqueles que especialmente encontraram o seu favor. Montanhas também nos falam de dificuldades, obstruções e barreiras. Essas barreiras tentam nos separar daquilo que desejamos. Outras vezes nós mesmos desejamos conquistar montanhas. Calebe, por exemplo, pediu a Josué uma montanha. Quando você pede uma montanha, você está pedindo por guerra, mas uma guerra que tem grande recompensa porque montanhas falam do nosso destino projetado por Deus. “Agora, pois, dá-me este monte de que o SENHOR falou naquele dia” (Js. 14:12). Esse foi o pedido de Calebe. Aquela herança já lhe havia sido dada, mas ainda assim ele pediu. Dessa forma ele reconheceu que mesmo Deus tendo nos dado algo isso não retira a necessidade de orar e se apropriar pela fé da bênção. As montanhas são bonitas de se ver e são traiçoeiras de se atravessar. Mas graças a Deus, que Ele prometeu fazer os nossas pés como os da corça e nos fazer caminhar nas nossas maiores alturas (Sl. 18:33). 1. Algumas montanhas devem ser escaladas O primeiro aspecto que quero compartilhar é que existem montanhas na vida que não são para serem comandadas, mas devem ser escaladas um passo de cada vez. Sinai ou Horebe, como também é chamado nas Escrituras é o lugar onde Deus deu a Moisés os Dez mandamentos. Foi para lá também que Elias fugiu quando fugia de Jezabel. O consenso comum é que o Sinai corresponde a um monte que hoje é conhecido como Gebel Musa (Montanha de Moisés). Já estive ali por três vezes. É um percurso de quase 4.000 metros a partir da base até o cume, que é um pico de quase 3 mil metros de altura. Peregrinos no local são avisados de que eles devem tomar bastante água durante a caminhada que dura cerca de três horas e é sempre feita a noite. Agora pense por um momento o que deve ter sido para Moisés escalar o


Monte Sinai. Lembre-se que ele tinha 80 anos, e não existia uma escada esculpida na rocha para que ele pudesse escalar. A viagem provavelmente envolveu em muitos momentos suas mãos e joelhos. Deus poderia ter falado com Moisés onde ele estava, mas o Senhor em vez disso disse a ele: “sobe para cá!” (Ex. 24:12). Isso nos mostra o princípio espiritual de que todas as coisas de Deus nos são dadas pela graça, mas todas elas envolvem um trabalho com Deus em perseverança. A oração é comparada ao trabalho de escalar uma montanha. Para ouvir e receber de Deus Moisés precisou escalar a montanha. A subida de Moisés ao monte é um símbolo da oração. Para a sua subida não havia escadas, nem corrimão, nem elevador, nem atalhos e nenhuma maneira fácil de chegar até em cima. Isso nos ilustra pelo menos três princípios sobre a oração: a. Não há nenhum substituto para a oração Nós somos a geração dos substitutos. Temos um substituto para o sal, açúcar, manteiga, leite e também temos um substituto para os dentes, cabelo, para a visão ruim e audição ruim. Mas não há absolutamente nenhum substituto no mundo para a oração! Jesus disse em Mateus 17:21 que certas castas de demônios somente saem pela oração e o jejum. Deus não aceita oferta de dinheiro como um substituto para a oração. Deus não aceita participar do culto da igreja como um substituto para a oração. Deus não aceita a empatia para com as pessoas como um substituto para orar por elas. O fato é que se Moisés não tivesse escalado o Monte Sinai, ele não teria recebido tudo o que Deus tinha para ele. Não havia outro caminho para Moisés receber de Deus as suas promessas. Ele tinha de obedecer e subir o monte. Da mesma forma simplesmente não há outra forma de obter nosso milagre a não ser por meio de oração. Há algumas coisas na vida que simplesmente não vão mudar até que você suba ao monte para ter comunhão com o Senhor. Ore e ore até que algo aconteça.


b. Não há nenhum atalho para a oração A oração é uma montanha na vida para a qual não existe atalhos. Eu desejaria poder dizer que nunca tive dificuldade para orar, mas a luta é real. Parece que nunca tenho o momento apropriado para orar, minha mente vagueia, sinto-me indisposto e às vezes a oração me parece um verdadeiro fardo. Algumas vezes a oração flui facilmente, mas quase sempre a oração exige disciplina e perseverança semelhante a uma subida à montanha. A oração é um trabalho com Deus que grande parte das vezes será exaustivo e extenuante. Para mim, os primeiros cinco minutos de oração são os mais difíceis. É como se eu tivesse que romper para um nível mais elevado antes que eu sinta maior liberdade na oração. Moisés, porém, deve ter achado a sua escalada mais difícil quanto mais perto do cume ele chegava. De qualquer maneira esta é a analogia: Deus não falou a Moisés até que ele tivesse terminado a sua escalada. Às vezes, temos de insistir diante de Deus, antes de percebermos o testificar da sua resposta. De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam. (Hebreus 11:6) Tiago 5:16 diz: “Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.” A palavra grega traduzida por “eficaz” nesse versículo é “energeo” de onde provem a palavra energia. A oração simplesmente libera a energia celestial do trono de Deus. Muitos sonham que existisse na vida um botão para se apertar e facilmente se ligar e desligar as coisas. Mas com relação a oração não existe tal botão fácil. A bênção porém é que quanto mais você ora, mais fácil e agradável a oração vai se tornando. Quanto mais vezes subimos a montanha, mais fácil se torna a escalada. c. Não há recompensa fácil, mas os que oram recebem A montanha pode ser difícil de escalar, mas o topo da montanha é um lugar de recompensa. Somos recompensados com as respostas às nossas orações, mas melhor ainda somos recompensados com a comunhão com o


Pai. 2. Algumas montanhas devem ser conquistadas Nós gostamos quando as montanhas são lançadas no mar. Também gostamos quando, pela graça de Deus, estamos autorizados a subir o monte e desfrutar de comunhão em Sua presença, mas existem montanhas que você deve conquistar. São montanhas que lhe foram dadas por Deus, mas ainda assim você precisa conquistá-las. Não adianta tentar evitar essas montanhas. Se foi Deus quem a colocou para ser conquistada e nos desviamos dela, lá na frente o Senhor a colocará novamente em nosso caminho. Calebe disse a Josué: “dá-me a minha montanha”. Se você tentar falar a uma montanha que deve ser conquistada, nada irá acontecer. “Agora, pois, dá-me este monte de que o SENHOR falou naquele dia, pois, naquele dia, ouviste que lá estavam os anaquins e grandes e fortes cidades; o SENHOR, porventura, será comigo, para os desapossar, como prometeu.” (Js 14:12) Os anaquins eram gigantes que viviam em cidades fortificadas na montanha. Quando os espias viram aqueles homens o coração deles derreteu de medo. Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos. (Nm 13:33) Calebe, porém, era um homem cheio da visão celestial. Ele viu o impossível e creu que o Senhor poderia lhe dar a montanha. Ele não considerou nem por um instante a possibilidade de seguir o caminho mais fácil. Algumas coisas na vida simplesmente nunca serão nossas se não pagarmos o preço. Mesmo que sejam coisas que o Senhor já nos deu, existe uma conquista a ser feita. A terra de Canaã foi dada ao povo de Deus, mas eles deveriam se apropriar dela enfrentando cada inimigo e derrotando-os. Eu sempre gosto de dizer que a parte de Deus é dar, mas a nossa parte é


apropriar. Muitos têm recebido bênçãos tremendas de Deus, mas não tiveram fé e ousadia para se apropriarem delas ou simplesmente esperavam que elas não envolvessem esforço algum. A Palavra de Deus diz que o Senhor enviou vespas para expulsar alguns dos inimigos que habitavam Canaã, mas muitos outros foram deixados para que Israel exercitasse fé para se apropriar da herança (Ex. 23:28). A triste verdade, porém, pode ser vista no livro de Juízes. Os filhos de Israel não expulsaram os inimigos como o Senhor já lhes havia advertido que deveriam fazê-lo. “Porém, se não desapossardes de diante de vós os moradores da terra, então, os que deixardes ficar ser-vos-ão como espinhos nos vossos olhos e como aguilhões nas vossas ilhargas e vos perturbarão na terra em que habitardes.” (Nm 33:55) Muitos cristãos guardam lugares no seu coração de onde eles nunca expulsaram o inimigo, e o resultado são problemas constantes. Normalmente permitimos áreas não conquistadas em nossas vidas por causa de desculpas incrédulas que damos a nós mesmos. Quando entraram em Canaã a tribo de Efraim procurou a Josué dizendo que precisavam de mais espaço, pois eram numerosos. Josué mandou que eles conquistassem mais território, mas a postura deles era de tomar algo que já tivesse sido conquistado. Então, o povo dos filhos de José disse a Josué: Por que me deste por herança uma sorte apenas e um quinhão, sendo eu tão grande povo, visto que o SENHOR até aqui me tem abençoado? Disse-lhe Josué: Se és grande povo, sobe ao bosque e abre ali clareira na terra dos ferezeus e dos refains, visto que a região montanhosa de Efraim te é estreita demais. Então, disseram os filhos de José: A região montanhosa não nos basta; e todos os cananeus que habitam na terra do vale têm carros de ferro, tanto os que estão em Bete-Seã e suas vilas como os que estão no vale de Jezreel. Falou Josué à casa de José, a Efraim e a Manassés, dizendo: Tu és povo numeroso e forte; não terás uma sorte apenas; porém a região montanhosa será tua. Ainda que é bosque, cortá-lo-ás, e até às suas extremidades será todo teu;


porque expulsarás os cananeus, ainda que possuem carros de ferro e são fortes. Js. 17:14-18 A tribo de Efraim reclamou que eles não tinham espaço suficiente. Josué lhes responde, dizendo para conquistarem a montanha. Eles, porém, tinham uma desculpa: “mas eles têm carros de ferro!” Todos nós temos em nossa estante uma coleção de desculpas que usamos quando queremos explicar o nosso fracasso em conquistar nossa montanha pessoal. O problema é que essas desculpas só funcionam com outros que também gostam de usá-las. Com Josué as coisas foram diferentes. Josué em um momento de inspiração pastoral lhes diz: “vocês são um grande povo, com grande poder. Vocês podem estender as suas fronteiras e vão expulsá-los, mesmo que eles sejam fortes e tenham carros de ferro.” Não sei se aquela tribo queria um território mais fácil ou se queria que Josué fosse lutar por eles. Mas Josué não tirou deles a responsabilidade nem por um instante. Nós também não podemos nos eximir, pois temos promessas superiores: “Maior é aquele que está em nós do que aquele que está no mundo” (I Jo. 4:4). Enquanto você se concentra nos carros de ferro, você vai caminhar em derrota. Mas quando você se volta para Cristo que está em nós, você experimentará a vitória. Há momentos em que Deus sobrenaturalmente lida com os nossos problemas, outras vezes ele é o nosso líder de torcida nos dizendo para sermos ousados e fortes no Senhor. Ele nos observa para ver o que faremos. O Senhor quer nos ensinar a pelejar, por isso ele permite que haja diante de nós montanhas dominadas pelo inimigo. As montanhas são nossas, mas precisamos tomá-la das mãos do adversário. Isso certamente é um teste para todos nós. São estas as nações que o SENHOR deixou para, por elas, provar a Israel, isto é, provar quantos em Israel não sabiam de todas as guerras de Canaã. Isso tão-somente para que as gerações dos filhos de Israel delas soubessem


(para lhes ensinar a guerra), pelo menos as gerações que, dantes, não sabiam disso. Jz 3:1-2 É um fato de que quando nascemos de novo fomos feitos nova criatura, mas também é um fato que estamos sendo transformados pela renovação da mente. Há uma medida que é realizada unicamente pelo Senhor, mas há uma grande parte que exige a nossa cooperação. O Senhor já nos deu a montanha, mas precisamos subir e conquistá-la. Deus permite que alguns problemas e lutas continuem em sua vida para testá-lo. Não perca tempo esperando que o Senhor os livre deles, mas posicione-se agora mesmo e os expulse para fora da sua montanha. Da próxima vez que você sentir vontade de dizer: “Deus se tu me amas expulse esse inimigo daqui!” Lembre-se que Ele pode estar dizendo: “Se você me ama, lute e conquiste esta montanha!” Quero que você receba as palavras de Josué para si: “você é um grande povo. Você pode despojar os seus inimigos. Você pode perdoar quando é difícil. Você pode ofertar e ser fiel nas finanças. Você pode perder peso. Você pode parar de fumar. Você pode ter um casamento melhor. Você pode vencer as opressões do inferno!” A montanha já lhe foi dada! Conquiste-a! 3. Algumas montanhas devem ser comandadas “Jesus, porém, lhes respondeu: Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não somente fareis o que foi feito à figueira, mas até mesmo, se a este monte disserdes: Ergue-te e lança-te no mar, tal sucederá.” Mt 21:21 A verdade que o Senhor nos ensina claramente nesse texto é que podemos ordenar que montanhas sejam lançadas no mar. Evidentemente este versículo não é um cheque em branco para cumprir todos os nossos desejos carnais, mas é uma visão da maneira de como Deus quer que as coisas sejam feitas. Muitos ensinam que há poder em nossas palavras, mas eu não creio que nossas palavras tenham algum poder, eu creio que a Palavra de Deus tem


poder. E quando a Palavra de Deus está em nossos lábios, montanhas podem ser lançadas ao mar. Os sete filhos de Ceva descobriram que o poder não está em nossas palavras, mas em nosso relacionamento com Deus. “Mas o espírito maligno lhes respondeu: Conheço a Jesus e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois? E o possesso do espírito maligno saltou sobre eles, subjugando a todos, e, de tal modo prevaleceu contra eles, que, desnudos e feridos, fugiram daquela casa.” (At. 19:15-16) Existem montanhas que devem ser escaladas e outras conquistadas, mas há outras montanhas que devem ser ordenadas para que saiam de sua frente. O pastor Eddy Leo da Indonésia certa vez me contou algo interessante que aconteceu em sua Igreja. Havia uma célula que ficava na casa de um irmão que tinha uma mangueira plantada bem na entrada da casa. Aquela mangueira já tinha muitos anos e nunca tinha produzido nenhuma manga sequer. As pessoas da vizinhança se referiam a ela como uma árvore estéril e inútil. Eles viviam mandando o dono da casa cortar aquela árvore. O fato é que depois que a célula se mudou para aquela casa os irmãos começaram a ordenar que a mangueira frutificasse. Para a surpresa da vizinhança a árvore floriu e meses depois estava carregada de mangas. Todos queriam saber o que havia acontecido e aquilo foi uma grande oportunidade de testemunhar do poder de Deus. John Robb da Visão Mundial conta que as pessoas que viviam às margens do rio Awash na Etiópia, duas horas ao norte de Adis-Abeba, estavam sofrendo com fome por causa de uma grande seca. Ele conta que o povo adorava uma árvore gigante pedindo por ajuda. Eles adoravam a árvore gigante, acreditando que um espírito tinha lhe dado poderes divinos. As pessoas beijavam o seu grande tronco e ficavam diante da árvore em tom de reverência. Certa manhã, a equipe da Visão Mundial orou baseados na promessas de Jesus em Mateus 21:21-22, que se cressem poderiam ordenar que a árvore secasse. Logo toda a comunidade ficou sabendo que os cristãos estavam orando sobre a árvore. Seis meses depois, a árvore


começou a secar. Sua folhagem desapareceu e, finalmente, entrou em colapso como um gigante caído no rio. O povo ficou atônito: "Seu Deus fez isso!", disseram. Dentro de poucas semanas, centenas de moradores receberam a Jesus Cristo porque eles tinham visto Seu poder demonstrado na resposta espetacular à oração dos cristãos. Precisamos ordenar ao monte. Em Marcos 11 o Senhor disse: “Tende fé em Deus, porque se alguém disse a esse monte: ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele”. Essas palavras não são uma oração comum. Não diz a Deus: “ó Deus, por favor, tira esta montanha e lança-a no mar.” Mas o que diz ele, realmente? Diz: “Se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te ao mar”. Aqui o Senhor Jesus não nos manda falar com Deus; mas nos instrui a dar ordens ao monte. Não um falar com Deus, mas um ordenar ao monte: “Ergue-te e lança-te no mar”. Falar ao monte ordenando-lhe que se lance no mar é um tipo de oração que chamamos de oração de fé ou oração de autoridade. Oração de autoridade não é pedir algo a Deus, mas usar a autoridade de Deus a fim de lidar diretamente com os problemas. Tal oração precisa ser aprendida por cada vencedor. Todos os vencedores precisam aprender a falar ao monte. Qual é o significado de um “monte”? Monte pode representar a dificuldade que se põe em nosso caminho; é tudo o que bloqueia a nossa vida de modo que não podemos prosseguir. Quando você e eu encontramos um monte, que fazemos com ele? Muitos, quando o encontram em suas vidas ou trabalhos, começam a orar, pedindo que Deus o remova. Contudo, Deus mesmo nos ensina que nós devemos falar ao monte. É preciso ordenarmos ao monte: “Ergue-te e lança-te no mar”. Pedir a Deus que remova o monte e ordenar ao próprio monte que se mova são duas coisas inteiramente diferentes. Vir a Deus e pedir-lhe que aja, é uma coisa; comandar diretamente o monte, para que se retire, é completamente outra. Você não deve ignorar essa palavra de ordem. Use a autoridade de Deus e fale diretamente à dificuldade, dizendo: “Em nome do Senhor Jesus, eu lhe ordeno que me deixe” ou “Não permitirei que


continue na minha vida”. Você pode usar a oração de autoridade contra tudo o que o atrapalhe dizendo: “Sai da minha vida!” Você pode, por exemplo, falar ao seu mau humor assim: “Sai da minha vida agora”; ou ordenar à sua doença: “Sai de mim, pois pela vida do Senhor eu me levantarei”. Não é falar a Deus, mas ao monte que o atrapalha, declarando: “Ergue-te e lança-te no mar”. Isto é oração de fé e autoridade. O que capacita você a fazer a oração de autoridade é a completa fé sem duvidar de que o que faz está de acordo com a vontade de Deus. Sempre que não sabemos a vontade de Deus, somos incapazes de ter fé. Assim a oração de autoridade está baseada no conhecimento claro da perfeita vontade de Deus que enche o nosso coração de fé. Tenho visto carros quebrados funcionarem, dinheiro aparecer, pessoas serem curadas e milagres acontecerem. Às vezes preferimos orar sobre os problemas, mas há problemas a respeito dos quais precisamos ordenar que saiam. A menos que você faça as coisas do jeito de Deus, você não vai obter resultados de Deus. Existe uma estratégia diferente para lidar com cada tipo de montanha. “ Disse o SENHOR a Moisés: Toma o bordão, ajunta o povo, tu e Arão, teu irmão, e, diante dele, falai à rocha, e dará a sua água; assim lhe tirareis água da rocha e dareis a beber à congregação e aos seus animais. Então, Moisés tomou o bordão de diante do SENHOR, como lhe tinha ordenado. Moisés e Arão reuniram o povo diante da rocha, e Moisés lhe disse: Ouvi, agora, rebeldes: porventura, faremos sair água desta rocha para vós outros? Moisés levantou a mão e feriu a rocha duas vezes com o seu bordão, e saíram muitas águas; e bebeu a congregação e os seus animais. Mas o SENHOR disse a Moisés e a Arão: Visto que não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso, não fareis entrar este povo na terra que lhe dei.” (Nm 20:7-12) Deus instruiu a Moisés que falasse à rocha e ela daria as suas águas. Moisés, porém, em vez de falar à rocha, ele a fere duas vezes. Por causa disso não lhe foi permitido entrar na terra de Canaã. Alguns acham muito pouco ordenar a montanha, eles simplesmente sentem que precisam fazer mais alguma coisa. Uma pessoa desempregada


deve fazer todo o possível para encontrar trabalho, mas ela precisa também ordenar a montanha para que uma porta de emprego seja aberta. Deus muitas vezes leva as pessoas a lugares onde elas ficam completamente impotentes para que somente Ele possa receber a glória e ser santificado diante de seus olhos. As pessoas doentes devem aproveitar todas as oportunidades disponíveis para ficarem melhores, mas há um momento em que Deus espera que elas falem à montanha. Para a maioria de nós o pensamento de não fazer nada sobre uma situação importante da vida, mas apenas comandar a montanha para que caia no mar, é uma coisa muito difícil. Preferimos bater na rocha, consultar o médico, procurar entrevistas de emprego, reter os dízimos para pagar a conta de energia elétrica. Às vezes a coisa mais difícil na vida cristã é “ficar parado, e ver a salvação de Deus.” Falar à montanha exige fé e dependência de Deus. Spurgeon diz que a escritura pode ser um grande estimulante ou um poderoso narcótico. Pode movê-lo à ação, ou alguns podem usá-la como desculpa para a preguiça. Eles não vão procurar emprego porque “Deus proverá”. Algumas pessoas dizem ser espirituais, quando na verdade nada mais tem que preguiça e medo. Há outros, porém, que nunca permitem que Deus mostre o seu grande poder provedor, porque eles sempre lidam com as coisas com as próprias mãos. Sabedoria é a correta aplicação do conhecimento. A sua montanha pode ser escalada, conquistada, comandada ou isolada. Que Deus lhe dê a graça de conhecer e agir apropriadamente. Se todos os seus esforços falharam, talvez é porque você não entendeu que precisa dar uma ordem para que a montanha saia. 4. Algumas montanhas nos foram proibidas “Descendo o SENHOR para o cimo do monte Sinai, chamou o SENHOR a Moisés para o cimo do monte. Moisés subiu, e o SENHOR disse a Moisés:


Desce, adverte ao povo que não traspasse o limite até ao SENHOR para vêlo, a fim de muitos deles não perecerem. Também os sacerdotes, que se chegam ao SENHOR, se hão de consagrar, para que o SENHOR não os fira. Então, disse Moisés ao SENHOR: O povo não poderá subir ao monte Sinai, porque tu nos advertiste, dizendo: Marca limites ao redor do monte e consagra-o.” (Ex 19:20-23) Nesta passagem, vemos Moisés e Arão sendo chamados para o topo do Monte Sinai para se encontrar com Deus, mas o resto da nação não foi autorizado a subir e somente podiam ver o que estava acontecendo à distância. Moisés, na verdade foi instruído a isolar a montanha, para que ninguém, nem mesmo acidentalmente tocasse nela. Eu me pergunto quantas pessoas naquele dia desejaram subir a montanha com Moisés? Mas a verdade é que eles estavam absolutamente proibidos de fazê-lo. Alguma vez você já desejou ter algo que alguém possuía? Você já lutou por algo que outros receberam e você não? Existem certas coisas que simplesmente não podemos mudar. Você certamente já deve ter ouvido falar na oração de Niehbuhr que diz: “Deus, conceda-me serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar, Coragem para modificar aquelas que posso, E sabedoria para saber a diferença.” Quase todas as coisas podem ser mudadas pela oração, mas há algumas que não podem ser mudadas. Não podemos mudar, por exemplo, nosso parentesco, nossa cor ou nossa história passada, ainda que essas coisas nos tragam problemas. E há aquelas que o Senhor simplesmente nos negou o acesso. Por mais apaixonado que esteja por uma pessoa, se ela não for convertida o Senhor me negou o casamento. É uma montanha proibida. Se pensarmos em montanhas como oportunidades e sonhos que gostaríamos de ter vivido é fácil ver como as circunstâncias às vezes nos são negadas.


Mas não somente as circunstâncias podem impedir-nos de algumas coisas que queremos, mas o próprio Deus pode e muitas vezes o faz. Por outro lado Ele pode dar-nos as coisas que pelas circunstâncias nunca seríamos capazes de alcançar. “Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: Estas coisas diz o santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, que abre, e ninguém fechará, e que fecha, e ninguém abrirá.” Ap. 3:7 Quando o Senhor nos abre uma porta ninguém pode fechá-la, mas quando ele nos fecha uma porta nós fazemos bem em nos aquietar, pois ela certamente não poderá ser aberta de forma alguma. Se insistirmos podemos sofrer duras consequências. Eu quero compartilhar dois princípios breves sobre montanhas que nos foram negadas. a. Se Deus não quer você lá, não deseje ir para lá É um fato da vida que aquilo que você alimenta cresce, mas aquilo que não é alimentado, morre. Se Deus fecha uma porta para nós, ou nos diz não a algo ou alguém, temos de perceber que Seu caminho é o melhor e simplesmente nos render e submeter. Se pararmos de alimentar o desejo ele eventualmente desaparecerá. Em outras palavras, se existe um relacionamento que você sente que Deus não autorizou você perseguir ou entrar nele, você precisa parar e reconhecer o Seu senhorio e o Seu amor por você. O Pai sempre escolhe o melhor caminho para você. Uma coisa é fazer a sua vontade, outra coisa é amar a sua vontade. Se chegarmos ao ponto de amar a sua vontade não vamos desejar aquilo que Ele não tem para nós. Quando o povo de Israel vinha caminhando no deserto o Senhor ordenou que eles contornassem a montanha de Esaú. Aquela montanha havia sido dada a outro e a eles não seria permitido nem mesmo pisar nela. “Depois, viramo-nos, e seguimos para o deserto, caminho do mar Vermelho como o SENHOR me dissera, e muitos dias rodeamos a montanha de Seir. Então, o SENHOR me falou, dizendo: Tendes já rodeado bastante esta


montanha; virai-vos para o norte. Ordena ao povo, dizendo: Passareis pelos limites de vossos irmãos, os filhos de Esaú, que habitam em Seir; e eles terão medo de vós; portanto, guardai-vos bem. Não vos entremetais com eles, porque vos não darei da sua terra nem ainda a pisada da planta de um pé; pois a Esaú dei por possessão a montanha de Seir.” Dt. 2:1-5 Deus isola montanhas não porque Ele quer que sejamos infelizes. Muito pelo contrário, Ele está tentando nos impedir de dar à luz a um Ismael. Ismael foi o filho nascido a Abraão e a escrava de sua esposa que se chamava Hagar. Dele descendem muitos dos povos árabes que hoje são problemas para a nação judaica. Se Abraão tivesse sido paciente e esperado em Deus, em vez de agir por conta própria, ele e sua descendência teriam sido poupados de muitos dos seus problemas. b. Se Deus não lhe deu essa montanha, procure outra Davi queria construir uma casa para Deus. O Senhor, porém, disse que ele não poderia fazê-lo. O porquê Deus não permitiu não importa, o que importa é o que Deus disse sobre o assunto e o que Davi fez sobre isso. “Porém o SENHOR disse a Davi, meu pai: Já que desejaste edificar uma casa ao meu nome, bem fizeste em o resolver em teu coração. Todavia, tu não edificarás a casa, porém teu filho, que descenderá de ti, ele a edificará ao meu nome.” 1Rs 8:18-19 Primeiro Deus disse a Davi que era bom o que estava em seu coração, o desejo de edificar-lhe uma casa, porém o Senhor não o permitiu fazê-lo. O ponto é que, por vezes, Deus não quer que façamos coisas que, em si mesmas, não são erradas. O fato de termos bons desejos certamente honra a Deus, mas a maior honra é obedecer a sua vontade. “Pois dizia Davi: Salomão, meu filho, ainda é moço e tenro, e a casa que se há de edificar para o SENHOR deve ser sobremodo magnificente, para nome e glória em todas as terras; providenciarei, pois, para ela o necessário; assim, o preparou Davi em abundância, antes de sua morte.” 1Cr 22:5 Davi não poderia fazê-lo, mas ele poderia tornar mais fácil a obra para Salomão! Talvez você não possa ir ao campo missionário, mas você pode


torná-lo mais fácil para alguém ir. Talvez você não seja um músico bom o suficiente para estar na equipe de louvor, mas você pode orar por aqueles que são. Talvez seu livro nunca seja publicado, mas continuar escrevendo pode ajudá-lo a crescer no Senhor. Enfocar o que você não pode fazer pode levá-lo à frustração e depressão, em vez disso peça a Deus para lhe abençoar naquilo que Ele o liberou para fazer.

Pr. Aluizio A. Silva


Por que minha montanha não se move?