Page 1

aimednap an

latigid are

a tal da sobrevivendo

zine mefazemser #16


Este zine tá sendo lançado em 2021, mas já vem sendo produtor de reflexões e anseios desde 2017. Sempre guardei com carinho os e-mails trocados que aqui serão compartilhados, por se tratarem de narrativas sobre histórias, sentimentos, impressões e emoções em comum entre e com pessoas. São construções narrativas e dialógicas daquilo que ora faz sentido, ora é importante e ora é lixo. Dos sentimentos, das emoções e linhas reflexivas que perduram e delineiam aquilo que passamos/vivemos de tempos em tempos. A tal da era digital faz viver e morrer. Este zine foi um desafio em tempos de crises tantas.

1


Às vezes nos entregamos ao estranho. E isso pode ser essencial. O caos que me habita saúda o caos que te habita.

2


17 de setembro de 2017, 10:45 Assunto: demônio <

oi Mallu! tô em dívida com vc e com tanta gente. na verdade poucas delas me importam, e vc, demônio, é uma que me importo e muito. já tem algum tempo da minha mudança e como em alguns dos momentos no meu trajeto de metrô/busão em que eu refletia, cheguei a me questionar “e quando eu não tiver mais que fazer isso?”. tá foda viver, Mallu. me isolei de tudo e todos. aos poucos fui fazendo isso e acho que tô conseguindo ao me afastar, afastar as pessoas. e no fundo sei que isso não é bom. uma coisa que eu tentei “tratar” na análise, é a dificuldade que eu tinha (tenho) de responder às pessoas. seja email, telefonema, msg. não sei se nas inúmeras (e importantíssimas) conversas com vc cheguei a te falar isso. na maioria das vezes eu não abro as msgs/emails e se são ligações, não as retorno. meu analista me contou sobre Erik Satie que qdo morreu acharam várias cartas que ele recebia simplesmente fechadas. enfim, reflexões. você talvez tenha sido a pessoa mais importante na “fase final” da minha mudança. sem nossas conversas diárias e ao longo do dia, tenho certeza que teria sido bem mais difícil. acho até que fui egoísta com vc, mais falei do que ouvi. infinitamente mais aprendi do que sequer ensinei. tomei uns bons tapas na cara pra acordar e que me ajudaram demais. mas quando não tinha mais minha rotina da mudança e as coisas foram mudando, abriu espaço e tempo pra eu pensar. e comecei a achar que poderia te incomodar. que talvez fosse egoísmo demais da minha parte ficar dividindo (ironia usar egoísmo/dividir) tudo (na vdd quase tudo) com vc. e vai abrindo espaço pra pensar mais coisas, como questionar o pq alguém que nunca vi me dá atenção e quem me conhece há séculos parece não se importar. é tanta coisa na cabeça, Mallu, ela dá tantas voltas. nas últimas semanas andei bebendo do jeito mais triste que posso imaginar que seja, que é sozinho. pq um dos prazeres que a bebida sempre me deu foi o de sentar com alguém e conversar, por horas, sobre tudo, e o que tenho feito é beber sozinho enquanto ando por aí. venho ensaiando te escrever há tempos, mas que receio da sua reação! :/ é irônico pq sempre falei com vc sem qualquer receio de julgamento, mas agora talvez por saber que me afastei ache que vc vai deixar de me responder ou achar que tô te procurando pq tô mal. ou sei lá o que pensar :/ tô te “procurando” pq vc foi o mais próximo de amizade que tive nos últimos tempos e isso dá margem a pensar tanta coisa. pensar desde “boa, cara, vc pensa isso e simplesmente some, parabéns” ou “que tipo de pessoa vc é que não consegue sequer ter amigos”, cheguei a me questionar se vc não me dava apoio somente pq vc poderia praticar sua profissão ou sei lá “me estudar”. ai Mallu, é um infinito de pensamentos e vc, inteligente que é, deve imaginar. eu precisava me desculpar com vc. mas não só pra tirar um peso de mim, mas pq tinha que te dizer que vc não é capaz de medir o quanto me ajudou. e o quanto de carinho tenho por vc. e o quanto te admiro. e o quanto preciso te agradecer. sem vc eu teria surtado. disso eu não tenho dúvidas. espero que as coisas estejam bem com você, com seus mil trampos, com seus mil estudos, com sua mãe, seu irmão, enfim. me desculpe e obrigado. beijo demônio.

3


18 de setembro de 2017, 23:58 Assunto: Re: demônio >

Que feliz fiquei em receber esse e-mail! Serião! Por mais disgraça que tu tenha sido em sumir do nada, me deixar um pouco confusa, eu sabia que tu precisa/precisava se afastar (senti que tava premeditado dado o turbilhão que tava tua vida). Nem precisamos entender o porquê de ter rolado esse lance de se falar todos os dias e o dia inteiro, mas foi espontâneo, de momento, necessário. Eu gostava de saber sobre o teu dia, o que tava sentindo, e de falar também das minha questões. Foi uma troca. Te procurei algumas vezes na intenção de mostrar que, hey, eu continuo aqui me importando contigo seu demonho. Mas, sabia que tu não responderia (mesmo não sabendo direito quais questões tavam rolando naquele/nesse[?] momento). Te digo que nem nos conhecemos, nem conheço tua voz, tua cara de ironia desdenhosa, mas sinto uma coisa boa quando penso/lembro de nossos papos. Aliás, tenho várias coisinhas espalhadas pelo quarto e coladas por aí que lembram de ti, seu tinhoso. Acho que tem gente que aparece pra deixar alguma coisinha em nós, e tu foi uma pessoa assim pra mim, tá? Tb acho que essa tua vontade de me escrever foi p deixar menos peso nessa cabecinha que gira o mundo do que por uma suposta vontade de realmente falar comigo. E nem se preocupe com isso, tu não tava em dívida comigo não. No início senti falta de ti, hoje não te quero mais. Parando com as brincs, espero que hoje tu te sinta melhor, espero que algumas coisas tenham acontecido na tua vidinha (mudanças, das boas né). Vi que tu voltou a escrever lá no brógui e fiquei feliz com isso. Torço muito pra que tu canalize os teus sentimentos e vontades em algo que curta fazer, que tenha sentido pra ti, que te inspire. Pode já ter rolado, pode tá por rolar, sei lá. Eu fui pra SP mês passado e voltei hoje daí também. Peguei metrô no CR e lembrei de ti. Adoraria ter recebido esse e-mail umas semanas antes pra que trocássemos ideia tomando um chá/café. Mas enfim, a vida faz dessas com a gente.

4

Abração pra ti, fica bem. Quando quiser, tô aqui.


21 de setembro de 2017, 18:26 Assunto: Re: demônio <

Mallucifer! sua resposta foi quase do jeitinho que imaginei que seria. vc é foda! gosto demais de vc e vc errou demais em dizer que acha que minha vontade de te escrever foi mais pra deixar menos peso na minha cabeça do que por sentir vontade de falar com vc. errou MUITO feio, talvez nem seja tão inteligente quanto eu acho que seja. risos ;) falando sério, errou mesmo. enfim, ainda q eu tenha “me recolhido” (literalmente isolado) nesse tempo senti muito sua falta, diferente de vc que sentiu só no começo, tsc tsc tá uma confusão horrível na minha vida, só não tá pior pq diferente de mim, a Pepê se adaptou bem na casa dos meus pais. aqui tá me fazendo muito mal, inclusive. me dá angústia, eu tô quase que o tempo todo irritado de um jeito que nem sabia que era possível. outro dia cheguei a uma conclusão e uma frase fica ecoando na minha cabeça: eu evito sair porque sei que tenho que voltar pra cá. hj tive que fazer umas coisas e tive que pegar ônibus/metrô na Paulista e vc não tem ideia de como isso foi difícil pra mim. torcendo pra não encontrar ninguém. tem uma boa meia dúzia de pessoas me detestando por aí por eu não responder elas e nem sei te dizer pq eu TRAVO e não consigo sequer atender um telefonema. ih demonho, do blog vc errou tb, é, acho q vc nem é tão inteligente assim! eu tentei voltar a escrever, canalizar a energia pra lá, até fui cobrir o festival da Laja em Vila Velha e fiz uma matéria que ficou legal (até eu achei), teve uma puta resposta boa, maaaaaaaaaaaas, tudo no blog tem um toque de humor, e digamos que foi ficando cada vez mais difícil manter aquele humor que foi morrendo aos poucos dentro de mim, até que um dia mexi lá e consegui tirar T-O-D-O-S os posts do ar. eu tinha uns rascunhos de uns textos, mas desisti. não sei o que vou fazer com o blog, que faria 10 anos no ano que vem, mas acho que vou suicidar ele. Mallu, eu sei que vc não se aproximou de mim por motivos qsqr, foi só uma coisa horrível que passou pela minha cabeça num dos momentos de nóia e que eu precisava te falar, como sempre senti que precisava/podia/poderia te falar tudo, livre de julgamento e qqr nóia, maaas justamente uma das nóias me fez pensar isso. ah e não q vc tivesse se aproximado por isso, mas mantido o contato por isso. mas eu tenho a mais certeza das certezas de que não. tb sinto uma coisa boa qdo penso em nossos papos o dia inteiro literalmente e sem eles teria sido tudo infinitamente mais difícil. às vezes parece que tenho que me afastar de quem eu gosto pra não contaminar as poucas pessoas de quem realmente gosto com minha doença eu consegui escrever pra vc e parece uma bobeira mas foi muito importante pra mim e sua resposta tanto qto. eu primeiro tinha pensado em te mandar uma carta, mas ia ter que escrever pra porra e vc nem ia entender minha letra horrível e depois ia me responder por carta com sua letra ainda mais horrível, risos. fico feliz de saber das “minhas” coisinhas espalhadas por aí seu envelope tá aqui do lado da minha cama, fica embaixo da caminha da PP, então vc imagina o qto de carinho que sinto pelas suas coisinhas. nossa, vc teve muito perto de mim, o que veio fazer neste fim de mundo? muitas vezes fujo praquele parque que tem ali, exatamente onde era a cadeia e ando por horas pra tentar não pensar em nada e penso em mil coisas eu tb tô aqui, Mallu e continuo te agradecendo, pq, mais uma vez, sem vc, teria sido tudo MUITO mais difícil um beijo!

5


21 de setembro de 2017, 21:30 Assunto: Re: demônio >

Poxa, não sei que jeitinho imaginou que seria a minha resposta, acho que a minha escrita continua a mesma.. mas ok. Florzinha, sei que a gente se gosta e que isso significa bastante pra ambos, e quando me referi que a tua vontade de me procurar foi pra te aliviar, é uma verdade. Independentemente do que ativou essa vontade, que a minha interpretação foi sobre uma questão narcísica tua e que precisa saciar lá vez e outra, msm assim eu sei que temos uma troca true kkk Já falamos que a rotina com teus pais, a personalidade e modos de pensar deles te irritaria mesmo. São ciclos e fluxos diferentes, a tua ideia de vida pode não coincidir com as questões deles, por mais amor e afeto que pode haver em alguns momentos mais positivos na vida de vocês juntos. É o lance de tu estar construindo algo, vivendo de uma forma, e de repente perder tudo isso. Foi isso, uma perda de coisas/rotina/hábitos/pessoas que tu passou e que ainda tá sob essa neblina, esse peso por algo que não deu certo ainda tá aí. Também já falamos que a solução prática diante desse embate da tua vida/tuas questões x vida/questões do papi e mami é o viver à distância, cada um no seu espaço e com as suas próprias regras. Já tentou colocar na ponta do lápis o custo/benefício de morar sozinho de novo? Ou, de dividir um lugar com alguém/alguéns? Sério, pensa bem, quaisquer pilas faturados com o que tu sabe fazer e guardadinhos já te põe numa situação diferente pra tua autonomia. É difícil de eu te falar isso porque sei o quanto a inspiração é necessária pra acordar um dia e mudar. E quando o assunto é grana então, uma bosta, quase que uma frieza só focar nisso, mas o que vem com isso/a partir disso é muito bom. Penso que por mais que tu esteja sentindo que se afastou de tod@s, que estão tod@s de cara contigo, pensa no que pode ser feito em parceria (sendo pra trampos ou pra dividir um lugar). Da mesma forma que eu respeitei o teu isolamento, compreendo e me preocupo com as tuas questões. Lembra de não perder a escada no buraco q às vzs caímos. A vida aqui tá a mesma, continuo com os mil trampos, estudos, projetos, zines, produções, enfim. Me sinto feliz. Estive em SP mês passado durante uma semana, dei alguns rolês e deu pra voltar mais animadinha. Nessa ida, estive em uma feira vegana. Foi mtmtmtmt legal, em Sorocaba, com um amigão. Nas duas vezes que subi fiquei em lugares diferentes. Aliás, to voltando com o veganismo, me sinto tão bem com isso. Agora o foco é Bogotá, que tô indo em janeiro e volto sei lá quando, nem comprei passagem de volta. Enfim, capeta, comecei escrevendo aqui escutando Beyoncé e agora já tá no Blink, nostalgia total. Saudades da Pepê, tenho ela guardadinha no cel. E desculpe sobre o brógui, li sim uma escrita tua sei lá de quando, vi que tinha mais de um texto e deduzi "que beleza, voltou a escrever!". Sobre isso, são momentos. Tu já encheu o saco de escrever ali e ainda nesse estilo. Agora pode mudar, começar algo novo, diferente. Com sofrência, sensibilidade, pesado. Sei lá, o que tu quiser. Eu tô escrevendo uns zines doidos, quero te enviar. Posso? (Não tenho mais teu endereço). E o nosso zine? PS.: Quando eu quero, faço uma letra maravilinda, vai te catar. Abraço pertado.

6


25 de setembro de 2017, 22:26 Assunto: Re: demônio <

Mallucifer! quase do jeitinho pq disse isso de eu ter te escrito mais pra sentir menos peso. que engraçado vc ter me chamado de florzinha, eu tenho chamado a PP de florzinha direto. uso “flor” ironicamente bastante e como tô sempre em atrito com minha mãe, chamo ela de flor o tempo todo, já a PP chamo de florzinha por carinho mesmo. esse lado narcisista se é que tenho, tá muito bem escondido e/ou resolvido. mas vc deve ter seus motivos pra ver assim. e vc tem razão, talvez minha irritação venha por esse lado. e ficar irritado me irrita. me percebo irritado, é horrível. isso ajuda no meu afastamento de tudo e todos. e tem mais razão ainda sobre viver à distância/cada um no seu espaço/próprias regras. eu tava feliz que ia sozinho amanhã ver o Guns e um amigo me escreveu pra ir com ele :/ eu já não tava ansioso como no ano passado, claro que é pq no ano passado tinha o peso de achar q nunca mais ia ver Axl, Duff e Slash juntos, o que resultou em eu chorando em até mais da metade do show, mas esse ano tô indo meio apático :/ lembro q no ano passado falei bastante de Guns com meu analista e de como achava genial que o Axl colocou o nome da tour de reunião de Not in this lifetime. é o que ele respondia quando perguntavam pra ele quando ele ia tocar com o Slash de novo. eu lembro de como eu era praticamente criança qdo meu irmão colocou o vinil do Guns pra tocar e como aquilo mudou minha forma de ver/ouvir música e que mesmo anos depois e mergulhado de cabeça no punk/hardcore eu jamais deixei de ouvir a banda, enfim, falei demais deles, mais pra contextualizar o q significa pra mim. qdo eu fazia zine sempre tinha o “este zine foi feito ao som de:” e sempre tinha Guns e os xovens hc detestavam. esse cara que falou pra eu ir com ele no show mora aqui no prédio, conheço ele desde os 10 anos, ele tem minha idade e foi vocalista da minha banda. por anos foi meu melhor amigo (adolescência) e o tempo foi nos afastando. ele casou, teve uma filha (que vai fazer 16 anos em dezembro), depois se separou e veio morar aqui com os pais. em 1992, a primeira vez que vi Guns ao vivo fui com meu irmão e com ele. enfim, contextualizando. já pensei em colocar no lápis morar sozinho sim, principalmente morar sozinho. dividir com alguém não consigo imaginar acho que nunca mais. eu sou chato, Mallu, muito mas muito chato, e preciso dos meus momentos quieto e sozinho, com minhas coisas, com meu tempo. eu precisava ter algum trampo fixo, uma renda legal pra poder sair daqui. principalmente antes que eu surte. vc tem razão, é muito difícil ter este estalo de “é hj que vou fazer algo pra mudar isso”. eu intensifiquei minhas “vendas online” aqui. vasculhei armários e gavetas e coloquei mais um milhão de coisas pra vender. e praticamente todos os dias vou ao correio. pesquisando no Enjoei vi que algumas pessoas vendiam “posters”, principalmente de divas pop e usei meus dotes de aspas designer e comecei a fazer uns. a princípio mais voltados a punk/hc, tipo Bikini Kill e Against Me, mas fui fazendo de ~roque~ e aos poucos tenho vendido. eu pego imagens e ~customizo~ (aspas crio) ou em alguns casos só vou na gráfica e imprimo, viva a pirataria! enfim, tentando ganhar um $ e eu sei disso que vc disse de se afastar das pessoas x parceria x trampo é algo q o analista já tinha me feito enxergar mas é bem difícil passar pros outros o quanto eu travo pra atender um telefonema por exemplo e eu super entendo as pessoas ~desistindo~ de mim gostei da frase “pra não perder a escada no buraco” imaginei que vc tava com os mil trampos e estudos e fazendo mil e uma coisas, que bom! e como foi esse rolê vegano? que demais! conte-me! :) aaaaaah, vc teve na Aclimação? era onde eu morava :/ eu amava aquele maldito bairro. que demais que tá no veganismo! tem sido fácil?

7


CONTINUAÇÃO... eu sempre que dá faço uma refeição vegana e é legal q muitas vezes a gente faz e nem se dá conta. uau, nem tem passagem de volta de Bogotá? loucura! por falar nisso, minha miga que mora lá foi uma que me mandou email por causa do meu sumiço :/ começava com “t, te fiz alguma coisa?” :/ credo, Blink, nunca gostei uma vez num ~debate~ com pessoas elas disseram q eu nunca gostei de Blink pq eu já era velho quando eles apareceram. ah, que fofa q tem a PP guardada no celular! ela é muito companheirinha, nesse exato momento tá deitada no meu colo. do blog, ñ se desculpe, eu realmente tive um momento bem ativo. de manhã eu tô “bem”, então produzo mais, tô “felizinho”, deve ser a cafeína e conforme vai entardecendo, vou murchando, e é qdo começo a achar uma bosta tudo aquilo que de manhã parecia genial. e é onde desisto. e me irrito com o “felizinho” de de manhã. meus textos sofrência/pesado/pessoais, estão pessoais/pesados/sofrência demais pra dividir com as pessoas. fiquei feliz que tá com os zines! não, não pode me mandar! pq qdo vim aqui procurar seu email pra te escrever, tinha um email seu escrito algo do tipo "ULTIMA VEZ Q TE MANDO MEU ENDEREÇO NUNCA MAIS VOU DAR DE NOVO" BLABLABLÁ chata! nosso zine? não sei, morreu acho acho que conforme fui me “estabelecendo” aqui, fui morrendo aos poucos fui morrendo várias coisas vou pensar se te mando meu endereço. o seu eu tenho, demônio beijo, chatona

8


26 de setembro de 2017, 12:58 Assunto: Re: demônio >

Olha só que engraçado, eu tb uso flor na maior parte do tempo, mas com intenções diferentes. Vi que quando chamo homem de flor tem aquele momento de olho arregalado ou testa franzida do homem que não quer ser chamado de algo delicado/frágil assim. Chamo migos e migas de flor pq @s adoro e @s acho fof@s. Florzinha é quando tô realmente num momento de carinho com a pessoa. Enfim, encontrei vários sentidos e usos pra uma mesma palavra, fica mais prático. Quando me refiro ao teu narcisismo é pensando num nível padrão que tod@s têm e que faz parte da gnt mesmo. A palavra narcisismo é carregada do estigma de que "quem é narcisista só pensa em si, só quer pra si". Mas, na real é um aparato que possibilita uma caralhada de mecanismos de autoproteção, autocuidado, autoanálise, em diferentes níveis... Claro que, lá no início da psiquiatria e super desconstruídos autores (ironia), o termo foi pensado na extrema libido, da auto veneração, das mulheres histéricas... Hoje em dia tem muit@ autor@ abrindo esse pensamento e mostrando que, conscientemente ou não, tod@s criam formas de conseguir se proteger/cuidar/analisar, é naturalmente necessário. Na tua situação T, no teu modo de descrever as tuas questões/sentimentos/incertezas (muitas incertezas), vejo um narcisismo que remete a essas questões e constantes pensamentos, ou seja, é na tua imensidão-vida conforme o que tu já viveu até então, das várias experiências positivas e negativas que te fazem ter muitas certezas e incertezas, que tu tira algumas conclusões sobre o que é importante ou não pra ti/relevante e irrelevante. Penso que tu não está na situação que está por causa de fraqueza, e sim, porque viveu algumas coisas e tomou algumas decisões que te levaram pra uma fase "X", mesmo querendo estar numa fase "Y". E isso é assim, tu sabe que é assim. Tu poderia estar no melhor momento da vida e ainda estaria pensando sobre coisas diferentes que poderiam ser ainda melhores, porque ainda não seria suficiente. Tenho muita vontade de tá perto de ti, por mais capeta chato que sei que é, mas só através da convivência por mais antisocial que tu esteja nos últimos tempos - é que algumas coisas podem ser notadas. Tipo a PP, sei que ela é uma ótima companhia pra ti e tu sabe o porquê. Talvez tendo um ser falante seja mais difícil pra compartilhar das tuas questões. Enfim, tem coisas que só eu sei sobre mim mesma, de experiências que já tive, de pensamentos que me ocorrem, e tenho a plena certeza que é assim que tem que ser, que só eu deva saber mesmo. Assim como, em algumas situações em que eu verbalizei uma coisa dessas que até então era "secreta", eu não me arrependi, porque foi com a pessoa e no momento certo, sabe? Sobre o Guns num entendi se tu aceitou ir com o vizinho ou foi sozinho. Se ficou triste porque não ia mais sozinho, espero que tenha ido sozinho. Fui sozinha no Racionais sexta passada aqui, e foi o melhor show que já fui. Tipo, adoraria ter ido com mig@s, mas ninguém queria/podia, então fui sozinha e fiquei feliz por isso. Aproveitei feito doida, cantei todas e dancei mucho, não me senti sozinha. Aliás, tô tendo vários momentos sozinha, mas não de solidão. Assim como tenho vários momentos com pessoas ao meu redor e me sinto extremamente sozinha, perdida. Acho que pra não cair numa melancolia diante de várias situações confusas assim no meu dia a dia, a minha lucidez ajuda muito. Eu odeio muitas coisas ao meu redor, vejo que tá tudo errado, tá tudo uma merda lá fora, mas aqui dentro tá ok, sabe? Já te falei que tu tem uma aparente facilidade em se comunicar, talvez pq é tua profissão tsc tsc. Mas, realmente kpta, essa tua escrita clara e objetiva ajuda bastante. Como também já falei, não nos conhecemos fisicamente, mas te conheço virtualmente e a partir das tuas autodescrições que espero (acredito mesmo) sejam reais e verdadeiras. Menos mal temos vári@s mig@s em comum q me confirmam que tu não é um migo fake kkkk lembra das ilusões fakes na era flogão, Orkut, msn...? Eu sim!!! Que maravilha que tá te virando com as vendas e essa ideia de pôster. Meu quarto é virado em lamblamb (deve ser prim@ de pôster). Não sei o que tu faz pra passar teus dias, além das vendas e customização dos pôsteres que deve levar tempo também pra fazer, teus corres. Adoraria te ver produzindo igual lhoco, sendo com escrita, desenho, montagem, sei lá, o que manja/quer fazer. Tu manja muito chibety, do que eu sei que já fez, do que tu é, do que sabe fazer, do que sabe falar, tu manja muito e eu acho lindo. É claro que meu incentivo e o de todo mundo é pra sempre tá fazendo algo, se movimentar e tal. E isso me irrita em vários momentos. Espero que tu não sinta esse tipo de pressão partindo de mim, porque não é isso. Só digo que é canalizando o turbilhão que ocorre na gnt é que não piramos de vez, e esse pirar é realmente perder a consciência do que estamos fazendo nesse mundo, nessa vida.

9


CONTINUAÇÃO... Tô achando curioso o fato de tu não conseguir atender chamadas, pq eu tb tô assim. 50% de mim entende que ninguém de interessante vai me ligar, porque é tudo por whats/messenger/e-mail. Além de que, quando atendo, é sempre umas ligações desnecessárias. Por isso parei de atender, deixo chamar. Claro que a tua situação é diferente, mas por mais receio que sinta, tenta atender. Se tu tá disposto em -talvez- passar por uma situação chata de ter que falar sobre tuas coisas com alguém que quer saber e te pergunta sobre, corra o risco. Talvez fique mais leve depois. Mas, se já tem uma certa certeza de que a ligação vai ser invasiva, vai te agregar em nada, continua não atendendo e encontre outras formas de comunicação, qnd quiser. Tanto pra ligação quanto pra qualquer outro tipo de comunicação. Migo, só penso que assim como tu me deu o ar da graça, tenta fazer com as outras pessoas com quem tu te importa. Talvez a gente esteja se falando por aqui porque tu prefere assim, porque tu não gosta da instantaneidade das redes, das sensações que dá em saber que a pessoa tá ali em tempo real trocando infos contigo, que tá esperando tua resposta, que se não responder agora vai ser estranho, enfim, dessa merda toda. E é uma fuga necessária, tu está mega certo. Lá na feira vegana em Sorocaba fiz uma banca de trocas de zines/lamblamb/adesivos, foi afuder!!! Geral gostou muito, mig@s dizendo que é isso que falta no rolê underground, a troca aberta e acessibilidade a esse tipo de conteúdo e produções. Afinal, DIY né. Senti que foi porque tava tendo essa troca grátis de materiais que são sempre vendidos nos rolês e algumas pessoas realmente chegaram lá na ideia de vender o seu material. Mas, tentei fazer de graça e deu mt certo. O meu amigo Felipe é quem organiza todo ano esse evento e nessa edição compartilhamos os corres, super positivo. Rolou rangos/produtos vegans, Good intentions, Shit heroes, Make it stop e Futuro. Esse find foi demais aí em SP, vi também o Kamau e Thaíde num show no Nola bar (eu amo o trampo do Kamau, me inspira mt). E ainda, qnd fui em agosto vi outro show dos Racionais no pico "Nos trilhos". Conhece? Que lugar demais! No meio do nada, só com vagões de trilhos abandonados ao redor, credo, foi demais. Nos dois shows, Kamau+Thaíde e Racionais fui com esse meu amigo de Sorocaba que é doido por eles, tava nós dois pirando nos shows. O lance do veganismo tá sendo a melhor decisão que já tomei, sério. Tava pondo em prática aos poucos há tempos, mas até realmente aplicar em tudo e cortar nas mínimas composições, levou uns meses. Agora sim, produzo maior parte do que consumo e me sinto verdadeira com o lance todo, sabe? Tenho amig@s que praticam um veganismo que tá só na alimentação, mas o consumo e estilo de vida em si num muda, sabe? Menos mal tá dando certo aqui, sinto que é algo true da minha parte, sem espelhos. Sobre Bogotá, só sei que vou em janeiro. Aliás, continuo querendo o contato da tua miga de lá, e fica tranquilo que não falo de ti pra ela (se tu me passar o contatinho dela, talvez seja necessário enquanto eu estiver sozinha). Tudo bem se nosso zine morreu. Tudo bem se tu tá com essa sensação de que as coisas estão morrendo. Mas, poderia interpretar essa perda de um jeito diferente, morte é definitivo, sem volta. Enfim, tendo noção do que tá te acontecendo, deixa acontecer T. O comando é teu. Me escreve sempre que quiser, gosto de falar contigo. Notou como teu último e-mail tá cheio de "?" Gostei. Bjok PS.: Fui catar o e-mail com o teu endereço, mas não existe mais ou nunca existiu. Só encontrei umas z0e1r4s em que eu enviei o meu endereço p última encomenda haha

10


26 de setembro de 2017, 13:48 Assunto: Re: demônio <

Mallucifer. te admiro de um tanto que vc nem tem ideia. vc é inspiradora gosto dessa sensação de ter vc perto, ainda q seja um perto virtual, é um perto muito de verdade, muito sincero me parece e eu gosto disso é tudo tão fake hj que legal que usa flor! eu uso ironicamente, mas gosto muito de usar “florzinha” é fofo, é mega carinhoso. flor usado pra homem é sempre assim mesmo, por mais pagando de desconstruído que ele seja, ele sempre vai tomar um choque homem é ridículo já chamei alguns de querida ou algo assim e é isso que vc disse de olho arregalado e testa franzida ou qdo me perguntam algo como “e aí como vc tá?” e respondo “tô ótima” ou algo assim (às vezes mando um “tô linda, né”) é essa reação. que aula tudo isso que vc disse do narcisismo, nunca tinha pensado por esse lado e se não fosse vc jamais iria pensar, a não ser que caísse em algum texto sem querer como fui parar numa colunista da Uol que qdo caí no blog dela devorei vários textos, mas esqueci o nome, prometo que vou buscar e te mando em outro email. confesso que ando com dificuldade de leitura, não consigo prestar atenção :/ comprei um livro de contos do Edgar Allan Poe e nada. nunca li nada dele, só sobre ele. e essa edição tem tradução e adaptação da Clarice Lispector, foi tão atrativo, usadinho, baratinho com um gato preto na capa, mas tá ali juntando pó. enfim, narcisismo carrega um pá negativo mesmo. e vc tem mais do que razão quando diz que eu mesmo se tivesse no melhor momento da vida, ainda estaria pensando em coisas diferentes e que poderiam ser melhores. nossa, isso realmente é muito eu. nunca tá suficiente bem/bom sei que sou capeta chato e é bom ser assim, é um bom repelente de gente chata. mas não um chata tipo eu, chata chata mesmo. risos. tô bem antisocial mesmo, mais que só anti redes sociais, antisocial mesmo. esses tempos tava lendo sobre misantropia e fui parar num texto sobre DSBM, que nem sabia que existia, que é o Depressive Suicidal Black Metal e tem umas bandas BEM pesadas em todos os sentidos. e eu tava ouvindo bastante essas coisas horríveis qdo me dei conta de que a gente faz isso, né, se tá triste vai ouvir coisa triste, quando deveria fazer o contrário, ouvir algo que pudesse melhorar o nosso humor, aí me forcei a sair da escuridão sonora e fui ouvir Sublime ensolarado pq eu sei q não gosto de ficar assim pra baixo, eu realmente não gosto e lendo sobre misantropia, ia linkando a textos relacionados, depressão, enfim, vira uma espiral né, quando vi tava expert em DSBM e com uns cortes no braço, não foi legal meu ipobre, eu não tenho ipod, tenho um ipobre, ele é tão velho e tosco que é praticamente um walkman não passa as músicas, não aumenta o volume, às vezes dá uns bzzzz nele que a música fica lenta como quando a pilha tava fraca no walkman fiz um texto pro chiveta sobre o Sublime q falava disso, mas não publiquei, e fim. às vezes é melhor não ter um ser falante por perto, a gente verbaliza pra gente mesmo eu faço isso desde sempre, seja lavando louça, limpando a casa ou tomando banho e ultimamente caminhando mas entendi o que vc quis dizer o show do Guns é hoje. eu queria ir sozinho, mas o vizinho me procurou. ele procurou meu irmão antes pq as pessoas normais usam o facebook pra se comunicar né eu fiquei triste pq acho que ia ser uma experiência melhor eu indo sozinho, como foi vc no Racionais! eu tenho pensado muito que se a gente não conseguir ser a nossa melhor companhia, ninguém vai ser e que se seria ruim a gente lidar com estar sozinho (q é diferente de solidão acho, e foi meio que isso q entendi qdo vc colocou qdo falou de solidão) é pq tem algo muito errado com a gente. eu divago muito caminhando sozinho com meu ipobre

11

mil vezes estar sozinho do q cercado de pessoas e se sentir só, deslocado, ou como vc disse, perdida. e me parece q as pessoas têm essa carência né, elas PRECISAM estar acompanhadas, quem tá quietinho no canto não é bem visto


CONTINUAÇÃO... que demais que foi ver Racionais. eu adoro Racionais desde xovem. fui em poucos shows deles, mas sempre muito intensos. eu adoro o último disco, parece uma mixtape, mas é brutal tenho escutado bastante Emicida. tenho facilidade de me comunicar mas sou péssimo com comunicação pode acreditar nas minhas auto descrições, demonho, por algum motivo q ainda não entendi eu sou brutalmente eu com vc sem julgamentos, sem receios e acredito que daí pra cá é a mesma coisa e acredito q nem tudo precise de explicação tb né vc me disse isso acho, acho. minha memória anda ridícula e eu nem tô fumando maconha. os posters eu faço numa gráfica legal aqui do bairro, faço no photoshop, levo no pendrive, imprimo em papel couchê A4 ou A3 e é o que fico mais feliz qdo vendo. depois te mando umas fotos durante o dia / os dias me ocupo com diferentes coisas, desde limpar a casa a fazer pacote/ir ao correio, cuidar da minha sobrinha (acontece pouco, mas qdo acontece amo!), ajudar meus pais (meu pai tem um mini mini mini minúsculo mercadinho) e ajudo indo fazer as compras das coisas (sempre de sexta), limpando lá (ontem mesmo fiz isso) ou criando “plaquinha” com preços e afins. faço umas “artes” pego foto dos produtos na internet e imprimo, alguns ele gosta, outros acha uma merda, enfim. e às vezes crio “artes” pro meu irmão colocar no facebook do mercadinho. e continuo caminhando, muito. eu acho que deveria me empenhar mais em escrever e de maneira alguma sinto que vc me pressione qdo fala algo disso, Mallu, pelo contrário poucas pessoas eu enxergo interesse sincero em me ver produzindo. um tempo atrás eu comecei um “livro”, não falei pra ninguém, é meio ficção mas muito mais autobiográfico, mas lendo e relendo acho pesado demais. não teria coragem de mostrar pra alguém. mas e tem uma ideia que andou me rondando a cabeça, de fazer vÍdeo, mas eu dependeria de outras pessoas zzzzz e eu sou crítico demais, ia querer um negócio bem feito. tb não falei pra ninguém, seria tipo um mockumentary, enfim. nem consigo imaginar vc não atendendo chamadas!!! choquei agora. isso é tão eu e me parece tão não vc. mas eu não “atendo” chamadas, mas tb emails, whatsapp, inbox, redes sociais. eu travo e/ou penso isso que vc disse de ser desnecessário. e (ironia) é curioso como eu nem fico curioso pra saber o q me escreveram ou o q queriam/querem :/ talvez eu já sentia isso que vc descreveu mas não tinha pensado. qto a instantaneidade e saber q a pessoa tá ali em tempo real. mas vc não atende pessoas que sabe quem é ou não atende ligações de números desconhecidos? pq eu não atendo nada. que demais da feira vegana! Sorocaba é onde a Flavia faz o acampamento de meninas, não é? a Flavia da Biggs. ah e vc tem super razão, sem dúvida alguma em tempos de feira plana (e similares) onde zine virou um produto gourmetizado (e caro) a troca gratuita (como era antigamente né) cai muito melhor! gosto do Kamau tb. ele manda muito bem. e é um cara muito gente boa. eu adoro aquela música que ele canta com o Instituto, sabe? sei desse Nos Trilhos, mas nunca fui, já ouvi falar, deve ser brutal! e o lance do veganismo é bem isso, colocar em prática aos poucos e se tá te fazendo bem, que demais! fico feliz de saber que tá te fazendo bem! eu vou gostar de colocar vc e minha amiga da Colômbia em contato. e tenho certeza que vai ser legal pra vcs duas! a Lu só tem um defeito gravíssimo: cobriu uma tatuagem riot grrrl que ela tinha no braço, era bem tosquinha uma boneca com um microfone, resquício dos anos 90 e a B-O-B-A cobriu, tsc tsc não sei se nosso zine morreu, Mallu, modo de dizer, ainda mais vc me dizendo que morte é definitivo, porra. risos. apagou o email com meu endereço e deixou os de z031r4$, tsc tsc, Mallu Mallu querida! bjobjo

12


26 de setembro de 2017, 17:38 Assunto: Re: demônio >

Sabe que esse lance de leitura acho bem doido. A faculdade me obriga a ler todo dia o dia todo, se fosse possível. Sério. Leituras que gosto e que não gosto. A maioria gosto muito, mas né, haja cabeça e foco no que os olhos tão passando num corpo/mente exaustos. Tenho conseguido muitos livros que tenho ganas pra começar, mas nunca começo. Eu posso tá em casa no dia mais relax e de bobeira, mas nunca pego um livro na mão. A vontade tá ali em olhar pro livro na estante, mas fico olhando pra parede e perdendo altos tempos na net e não faço uma leitura acadêmica. Ou ainda, se preciso ler, mas tô numa inquietação/ansiedade, aí sim a coisa não anda.. impossível me concentrar e cair de cabeça mesmo no texto. Comecei o "Este libro es gay" em fevereiro, voltando de Bogotá, achei o máximo e devorei o primeiro capítulo, mas botei o pé em casa e esqueci na prateleira. Adoro esse lance de microdesconstrução de gênero, tão necessário, tão difícil, tão bom. Difícil de geral entender que é necessário, bom pra quem consegue encontrar sentidos. É complicado de corrigir algumas formas de falar/entender o que já tá tão impregnado nas comunicações/relações, né? De todas as palavras estarem no masculino mesmo quando é feminino ou que realmente não precisaria de distinção de gênero. Ontem mesmo tava cara a cara falando com uma miga e falei duas vezes "mano". Que karai. Enfim.. autocorreções incansáveis, diárias e necessárias. Não só em relação a isso, mas de vários outros detalhes que acho menos tolerável ou intolerável quando começamos a realmente questionar o que nos rodeia e o que estamos reproduzindo. Aliás, fiz uma tattoo esses tempos sobre isso.. tolerar ou não aquilo que é ou não tolerável - (in)tolerance to the (in)tolerance. Migo, lembra que já falamos que somos parecidos na chateza com as pessoas alheias? O teu repelente natural contra gente chata eu uso tb hahah sério, escuto muito "nossa, achei que tu fosse assado", "é que pela tua cara pensei aquilo".. que ódio que dá essa ideia de tu só tá feliz se tá sorrindo, se tá saudável, se tá cu alguém, se tá bonit@... prefiro desconstruir isso a partir do meu azedume então. Mas cansa, convenhamos. E ainda, o lance de nunca tá suficiente bem/bom eu acho tão importante pra não cair num comodismo, numa configuração cristalizada de enxergar/ viver o mundo, sabe? Claro que esse sentimento engatilha alguns outros sofrimentos, bons e ruins. Ruins quando vira sofrimento, quando não dá pra enxergar para além daquilo. E muito bom quando te movimenta, te inspira. Talvez até os dois juntos, intrínsecos, mas em que tu sabe/entende onde pode/quer chegar pra ir p outro lugar de novo.. looping emocional? Pode ser. Acho bem bom que tu leia sobre essas disfunções emocionais pra ter ideia do que é possível de rolar nas relações. Com olhar crítico sobre a leitura, não na intenção de comparação, tá? Se cair muito na vontade de autodiagnóstico, dá um tempo. A identificação com algumas questões é imprevisível, mas só isso não. Adorei a descrição do ipobre! Escuto tudo no cel, e atualmente to enputecida que tava dividindo Spotify e a miga não pagou dois meses. Agora cortaram e perdi td que tava baixado. Migo tô e sempre fui por fora de Rock in Rio, sorry. Achei que fosse ontem o Guns, escutei por aí. Pois hj vá sozinho, caralha. Inventa qualquer coisa, te perde do migo lá na hora. Se quer mesmo, faça o que convém. Achei maravilhosamente bom que tu sabe sobre a nossa própria companhia ser importante. Poxa, é isso! Se não gosto de estar comigo mesma prevalece os momentos q gosto...? Difícil, impossível. É um amor próprio, amor que não precisa ser sobre tudo que sou, eu posso me desaprovar em vários aspectos, mas que eu consiga ficar c/ a minha própria companhia. Acho que é uma autosuficiência importante/necessária. Sobre Racionais e Kamau, 100palavras, porran. Letras fodidas, arranjos fodidos, e o cores e valores eu amei. Muita coisa que escrevi do ano passado pra cá foi super em cima desse disco, tá sempre rodando aqui. Além de todos os discos do Kamau q me tranquilizam. Já os Racionais, me deixa com sangue nuzoi. Equilíbrio necessário. Achei muito simpático de tu ajudar no merquéti do pai, que amô. O que aparecer pra se envolver tá super valendo. Quero ver um pôster, manda link. A tua lojinha no enjoei tá em dia? Quero bisu.

13


CONTINUAÇÃO... Migo a questão de ligação não sei, não analisei o que tá rolando, mas por impulso eu nunca atendo. Toca pouco, mas geral sabe que não vou atender. A desculpa inicial era porque não posso atender no trampo, mas posso sim. sei lá, não gostar de falar ao telefone é normalzin.. assim como gostar mt de falar tb.. o que dá pra avaliar melhor é não querer falar por qualquer meio, daí é isolamento. Pensa melhor no por quê de fazer pra tentar entender.. entendendo pelo menos te tranquiliza em continuar fazendo por tais prós e contras, sabe? Pirei na ideia do livro pesado e do mockumentary, amaria ver acontecer! Eu daria meus pulo pra rolar sem receio de ter que me envolver com gnt e tal, é tipo "tamo aqui pra produzir porran não te mete nas minhas impessoalidades". PS.: Gosto de sublime, mas me dá sono. Fiquei xatiada com a tt da miga, poxa. Espero conseguir falar pra ela minina que ideia é essa de tapar riot grrrrrl sua lhok.

14


28 de setembro de 2017, 10:01 Assunto: brogue < satanazinho!

depois te respondo com calma, lembrei de te mandar o blog que falei e olha o nome da demonha: https://luizasahd.blogosfera.uol.com.br/ se não me engano o primeiro texto que li/gostei dela foi esse: https://luizasahd.blogosfera.uol.com.br/2017/07/20/voce-tem-uma-laura-do-carrossel-camuflada-nocoracao/ nele ela até cita o filósofo Alain de Botton, que eu já tinha ouvido falar mas nunca tinha lido nada e fui atrás e é um cara que tá se dando bem num esquema autoajuda/motivacional (posso tá errado, mas me pareceu isso, não q tenha algo errado nisso, enfim c entendeu pohan), por outro lado é legal pq é uma pegada "sou ateu e não mordo, ó" enfim, marketing ou não, tá fazendo as pessoas criarem o hábito de ler que cá entre nós, tamo zoado eu e vc, nem imaginava vc não lendo, satan bejo no corassaum

28 de setembro de 2017, 12:49 Assunto: Re: brogue >

Óia só! Adorei a escrita clara, curta e grossa dela. Não conhecia e nem tô ligada nesse conteúdo migo, bróguis da vida, mas fico feliz em saber que nessa, por exemplo, tu encontra coisas boas, uma empatia necessária pra enxergar n@ outr@ aquilo que tu sabe que acontece. Enfim. Vi que colou no show, yayyyyyyyyyy! Gostou? Bjsuco.

15


29 de setembro de 2017, 19:03 Assunto: Re: brogue <

ah, dorei o jeito que vc definiu a “escrita clara, curta e grossa”, e é bem isso, sem ser engraçadinha q é o q me incomoda hj em dia que TUDO tem meio q a necessidade de ser engraçadinho não manjo de broguis tb, fui parar nesse um tempo atrás pesquisando algum tema, que óbvio não lembro, e parei em algum post, gostei e naquele dia li vááááários na sequência. a Nina Lemos que era do 02 Neurônio fez um post interessante: https://ninalemos.blogosfera.uol.com.br/2017/09/27/caso-axl-rose-viramos-sommeliers-de-envelhecimentoalheio/ o show foi bom, o do ano passado foi melhor, até por ser a volta deles e tal, mas foi bom tocou duas músicas que gosto muito e não tocaram no ano passado assim como no ano passado, esse ano dei uma abusadinha na cerveja. eu acho tão deprimente o público roqueiro, na essência mesmo sabe. é um público bem idiota, conservador e tal. o rock e o metal têm um público muito babaca e eu fico deprimido com aquela gente com mais de 30, 40 anos fazendo cosplay de roqueiro, sabe? de bandana, pulseiras, jaquetas, enfim, só uma observação mesmo. sabe uma coisa q foi legal? antes do show do Alice Cooper eu vi o Casagrande, que era um jogador de futebol qdo eu eu era criança e eu adorava. conforme fiquei mais velho fui vendo como ele foi foda na época dele, eles fizeram a Democracia Corinthiana em plena ditadura, onde o “voto” de todo jogador do time tinha o mesmo “peso” e tal. eles foram perseguidos pelo Dops, ele e o Sócrates, eles eram muito subversivos pra época. fui com o vizinho e na saída do show encontramos o cara que tinha sido o primeiro baterista da nossa banda, ele nunca gostou de Guns mas tava acompanhando a namorada que curte foi meio surreal ainda nao consegui parar pra te responder com calma o outro email :/ bjobjo

16


30 de setembro de 2017, 16:54 Assunto: Re: brogue >

Hahha gostei da Nina também. Começou meio arrastada nesse senso comum do "tem que envelhecer bem", mas a provocação central dela de que quem aponta o dedo é pq quer esconder as próprias inseguranças ainda é - necessário enfatizar que continuam fazendo, e é péssimo. Ainda mais quando é pra falar de gnt famosa neam. Fico feliz que foi nuxou, que viu o ex coleguinha de banda e o que mais que rolou de legal e tal. Tô morta aqui no trampo da madrug E migo, gente que precisa se auto afirmar seguindo tendências e viver do passado pra não cair na depre na realidade atual, usa desse estereótipo visual e de outros tantos, né! O que te incomodou vendo velhotes exacerbados no show do guns é o que vejo todo find aqui no trampo da noite... Kussia

17


02 de outubro de 2017, 22:35 Assunto: Re: brogue <

a Nina era do 02 Neurônio, zine dos anos 90, que depois virou coluna, livro, elas viraram roteiristas se não me engano. era a Nina, a Jô e a Raq esse ponto de esconder as inseguranças é tão atual, é tão humano, né? acho q as redes sociais potencializaram isso… potencializaram tudo se for ver… ah, sim, a galera se esconde atrás de fantasias, literalmente, faz cosplay de roqueiro em um final de semana, de cowboy no outro, enfim… vixi, vc lida com isso todo final de semana, deve dar uns ruim nazideia, não dá? tempinho atrás eu tava ouvindo bastante superguidis e tem uma frase foda numa música: “com tanto artifício assim é difícil ser vc mesmo” penso q sou observador demais e isso às vezes é ruim pq se eu fosse mais alheio a tudo não repararia tanto e me incomodaria menos ainda to falando isso pq ontem fui dar uma volta no parque, e vi como observo tudo e todos e reparei q as pessoas sozinhas são as mais “esquisitas” aspas aspas aspas! e pensei naquilo que falamos de que nossa própria companhia é importante e, sim, podemos nos odiar de várias formas e por vários motivos, né, mas prefiro lidar com minhas autocríticas e defeitos do que dar sorrisos amarelo (já te falei que não sei sorrir, né? eu realmente não sei) e tapinhas nas costas. até pouco tempo atrás eu tinha dificuldade em retribuir o “vamo marcá de se encontrar”, ou frases prontas sociais do tipo, acho que falar isso na análise me destravou e meio q hj “jogo o jogo”. a pessoa diz “vamo se falar” e me dá um nó nas tripa, mas respondo “vamo sim, claro” blé inquietação e ansiedade não combinam com leitura, definitivamente não consigo imaginar como vc se organiza com tantos afazeres, como lida com o tempo e o cansaço físico e mental e pq vc acha q acontece isso, vc devorou o primeiro capítulo do livro, curtindo, e depois ficou de lado? eu faço muito isso :/ e de onde vem essa frase da sua tattoo nova? gostei adoro parênteses e esses jogos de palavras eu tenho uma tattoo nova tb, q nem é nova mais eu sinto falta da dor da tatuagem, do momento mesmo esta última eu fiz no cotovelo e o cara ficou chocado que não reclamei em momento algum, ele dizia “tibiu, eu tô entrando no seu osso” e eu ria e dizia “pois é” ah, sim, as pessoas enxergam sorriso/simpatia como algo bom/natural, quando é muito mais natural a gente não sorrir ou agir com ~fofura~ o meu azedume é tão natural que quem me conhece até estranha se eu não estiver azedo/chato vc por ser mulher deve ser muito mais cobrada, literalmente, pra sorrir pra estar “bonita”, né, maquiada, “arrumada” eu uso roupa furada e é “estilo”, uma vez uma dentista falou que meus cabelos brancos eram charmosos e eu perguntei pq o os delas não poderiam ser e ela “pq eu sou mulher” pohan é difícil não cair no auto diagnóstico com essas leituras que acabo caindo nas minhas pesquisas doidas, foi numa dessas que me diagnostiquei (palavras do meu analista) com distimia eu posso não ser a pessoa mais brilhante do planeta, muito menos a mais inteligente, mas, pohan, lendo sobre distimia, tudo que leio bate

18


CONTINUAÇÃO... putz, perdeu o Spotify :/ eu uso de uma miga que paga, mas esses tempo chegou um email falando pra confirmar sei lá o que e eu não confirmei eu ainda me pego colocando CD pra ouvir. dia desses ouvi um K7. vc gosta de Black Alien tb? o último dele é bem bom. tem um som que tem o Kamau e um outro que tem o Edi Rock, que é maravilhoso o Cores e Valores é brutal mesmo, eles se superam o Kamau faz um tempo que não acompanho, mas lembro que esse ano mesmo ouvi algo novo dele no Spotify Racionais deixa sangue nuzoi mesmo, uma fase da mudança eu ouvi bastante. ouvia eles, Nine Inch Nails e Deftones. e Against Me ah, eu tinha/tenho em algum lugar, o CD demo do Consequência, que era o grupo do Kamau, manja? achei engraçado que vc disse que Sublime te dá sono, deve ser maconha demais, deles no caso. e sim, minha miga cagou cobrindo a tattoo riot dela, era toscamente linda :/ pra mim tb toca pouco, pouca gente liga e a gente sempre tem uma desculpa, que não cola, até pq não é real. tipo vc dizer q não pode atender no trampo mas vamo responder o q? “ah, não atendi pq na real não queria falar com vc”. eu respondi duas pessoas esses tempos falando q não as respondia mas q não era pessoal. uma desapareceu, a outra mandou msg dia desses mas meio q por educação não sei se o livro ou o mocumentary vão sair do papel, o mais provável é que não. o livro por ser pesado demais, tava lendo umas coisas dele ontem e consegui não apagar como já fiz outras vezes e me arrependi, mas não consigo visualizar ele “indo a público”. amanhã vou passar umas horinhas com minha sobrinha, às vezes sou “convocado” pra cuidar dela e tá aí um baguio loco q não tem explicação, mas aquela coisinha me faz sorrir a Luisa tá com um ano e quatro meses e é tão louco acompanhar o crescimento dela dia desses que fiquei com ela, ela pirou no meu ipobre é sempre uma “aventura” ficar com ela pq sempre logo de cara ela fica meio tímida, meio me odiando, depois vai ~acostumando~ e logo estamos dançando e rindo, mas no meio do caminho ela dá umas surtadas e grita e chora é tipo uma montanha russa no aniversário da irmã dela, enteada do meu irmão, qdo cheguei ela tava toda acanhada, depois brincamos e conforme chegavam as pessoas ela vinha se “esconder” em mim, esticava os bracinhos, tipo “me protege” e eu sentia um baguio loco acontecendo na minha cara horrível e era a porra de um sorriso enfim, nóis, flor! muah! :*

19


15 de outubro de 2017, 16:03 Assunto: Re: brogue >

E aí migo, demorei pra responder o último e-mail.. senti que tu escreveu correndo/ou, falou um pouco sobre muita coisa, e não quis responder do mesmo jeito. Sabe aqueles papos que um ou os dois falam correndo e atropelando @ outr@? hahaha, mas tudo bem, pela net cada um interpreta da forma que quer, e aí as coisas já ficam um pouco mais complicadas. Anyway, hoje tô por casa relax e pensei em te escrever. Quer dizer, perdi a paciência tentando instalar minha impressora que num tem mais cd de instalação e me perdi na internet catando o driver, que inferno. Depois de umas duas horas larguei fora e continuo sem impressora, já deve ser a terceira tentativa em alguns meses :B Falando em Nina, vou atrás dos trampos dela. Ando me dedicando em catar trampos de minas, música/escrita/fotografia/filmes.. e fico xonada. Sabe que ser observador é muito bom, estar atento às entrelinhas, ao que tem além do que está "dado", ouvir o que não é dito, etc... mas, tem que saber lidar com esse conteúdo até então não manifesto, e esse "saber lidar" até que é bem simples: não se apegar, ver e desver, ouvir e "desouvir" hahah por mais que isso seja algo extremamente necessário pela prática psi, eu sempre vi que isso é importante pra não cair em alguma acomodação/comodismo/ilusão. O uso da palavra nos mostra quase tudo, as verdades e mentiras que querem nos socar guela abaixo, mas no micro, no ser/agir quando ninguém tá vendo, nesses detalhes que pegamos quando observamos é que notamos um quase quase quase tudo, menos enganações/manipulações. Migo sobre minhas leituras que pararam no meio do caminho não sei.. sigo alguns impulsos e me sinto bem em seguir isso. Se eu não quero algo, simplesmente não faço/não aceito/descarto. Assim como quando quero algo, eu não sei bem o porquê (não sei usar os pqs), mas sei que é necessário. Tenho até medo se um dia eu estar num sofrimento psíquico que se transforme numa patologia em que eu continue seguindo essas vontades inconscientes, porque hoje sei que tenho pensamentos OK, que não causam sofrimento pra outras pessoas (até onde sei), e a minha racionalidade tá bem OK também. Mas, entre ter certeza que uma prateleira cheia de livros com leituras inacabadas não vai fazer mal a alguém, ou que dormir mais umas horinhas de manhã não vai fazer com que a empresa pare pra que eu tenha um dia menos chato/pesado, é diferente de começar a seguir algumas vontades que podem causar sofrimento pra quem tá ao redor. E penso no sofrimento d@ outr@ enquanto algo bem ruim mesmo, porque se queremos sofrer, foder com nossa vida, é péssimo, mas quando isso vira uma vontade e não vemos outra forma pra lidar com isso a não ser cair no sofrimento mesmo, OK, a vida é nossa e temos a escolha de cagar com ela sim. Assim como temos a escolha de entender que sofrimento é esse e o que posso fazer pra enterrar ele. (espero não te confundir com esse parágrafo.. mas é algo que venho pensando bastante). Sobre tattoo.. acho que fiz umas cinco esse ano com um migo que começou e já tá manjando muito, além de ser barato. Marquei mais duas pra novembro, vai rolar Tigers Jaw e já aproveito pra fazer numa amiga. Adoro tatuar com amigas, dá um orgulho do trampo. Fiz um girassol gigante no cotovelo com esse migo, demorou hooooras, doeu pra uma caralha, mas quando tatuei os dois pés kkkkkk pior E já tamo aí, marcando mais O lance de (in)tolerance to the (in)tolerant é jogo de palavras, mas simboliza demais a minha falta de tolerância pra muita bosta que rola no dia a dia.. me dei conta que não engulo mais várias questões que ainda estão enraizadas em mts práticas e q não vemos/escutamos direito, sabe? Quando tu escuta e passa batido, mas depois pensa "putz, que merda". É o lance das microintervenções que podemos fazer pra mostrar pras pessoas e pra nós mesm@s que pode ser diferente. Com a frase fiz uma mão/pata com garras segurando um olho (vai por foto). No pé direito fiz HATING, LOVING, KNOWING MYSELF, e no direito dois peixes num formato de olho

Olha que irado esse pico, fica pertinho do Padoca Vegan aí em SP (como eu comi nesse dia), e essas artes do Discórdia tem em peso aí, já reparou?

Qual tattoo tu fez? num falou.

20


CONTINUAÇÃO... Não manjo muito de black alien.. Ah, dia 21/12 saiu o boato de que vai rolar kamau aí e eu tô super colada, vamos? Mas nada divulgado ainda, só o kamau botando pilha em geral via facebook. Tenta encontrar esse cd do consequência e minvende! O girls rock camp vai rolar de novo pra cá, mas já vou tá em bogotá ;/ Sabe que to numa melancolia ultimamente, e é uma soma de razões que tenho bem claro pra mim, mas que sensação chata, putz. tipo, lido o tempo todo com questões de amig@s, mas quando surgem as minhas e que são bem pontuais, entendo bem o que tá rolando, o que devo fazer, o que devo pensar, etc, mesmo assim, embaralha bastante a todo momento. Nosso cérebro é foda. É bem o lance de que quando tá tudo bem, tudo fluindo, o caos nos sussurra e nos abraça. Em função desses sentimentos ando escrevendo bastante, e me sinto melhor quando vejo o resultado no papel. Passa teu endereço demonho, tenho envelopes pra enviar e quero te enviar tb. Bjux no s2

21


18 de outubro de 2017, 19:33 Assunto: Re: brogue < oi flor!

hmm não escrevi correndo o último email, acho que ando meio monossilábico mesmo meio melancólico, quieto no meu canto acho que fez parte do período que antecede aniversário, enfim, fiz 40 anos nesse domingo, e andei muito reflexivo com tanta coisa. deve ter sido isso, maaaas sempre é interpretação tb da sua impressora, eu sempre digo a mesma coisa: impressora tem vida própria! quando elas não querem, elas simplesmente não funcionam! deu certo? eu tô usando uma super velha, tem até fax nela! e ela meio que funciona até, mas daquele jeito gostou da Nina? eu acho que gosto mais da Luiza, que te mandei antes da Nina, acho ela mais “grossa”, me identifico ;) hmmmm de ser observador, entendi o que disse, mas a gente acaba caindo na interpretação tb, né? pq as verdades/mentiras podem não ser verdades/mentiras e ser coisa da nossa enorme cabeça loca no caso falo por mim e da minha ;) mas sem dúvida que as palavras “entregam” muito que pode estar escondido. lembro que às vezes falava algo na análise e ele repetia uma palavra que eu dizia mas me questionando e isso me fez ver às vezes eu não era muito bom em escolher as palavras pq o que eu tinha dito na verdade não era o que eu queria dizer no fundo sinto falta de fazer análise, mas hj seria impossível financeiramente falando mas, contraditoriamente ao começo do email onde disse que tô monossilábico, tenho sentido falta de falar. de ser ouvido. e me pego falando sozinho o tempo todo :/ poxa, no seu caso dormir um pouco mais, relaxar, dormir, desligar do mundão a continuar uma leitura ou insistir em uma, deve valer muito mais. nem me fale no xx nos últimos tempos. acho assustador e de certa forma reflexo dos nossos tempos efêmeros. tudo “precisa” ser imediato. “nossa, mas nas redes sociais parecia tão feliz”, sim, pq todo mundo se obrigada a parecer feliz nas redes sociais, né, flor. filtros, hashtags, likes. as pessoas tão pirando e eu sentir que as pessoas tão pirando me faz achar que as pessoas tão PIRANDO PRA PORRA, sabe? lembrei daquele som do Excomungados que diz “louco é vc que tá tentando me internar” dorei suas fotas/tattoos! cortou aquilo que vc chama de cabelo? ;) lindsay o girassol!! quais são as próximas que vai mandar? esse Tigers Jaw tinha uma época que as pessoas amavam dizer que amavam, nem tava sabendo desse show. tô por fora completamente desse rolê shows roque panque agácê. as pessoinhas envolvidas foram me cansando com tanta coisa, atitudes… gente de banda, selo, zine. o que, pensando bem, se encaixa na sua (in)tolerar o (in)tolerante principalmente no que vc disse de a gente escutar mas não escutar direito, passa batido e depois vc pensa “que meeeerda”. o hating loving knowing myself veio diondi? caceta a do cotovelo! mas super valeu a pena! o que acaba doendo mais é a posição, não acha? mim cansa sempre. a dor gosto ah e nem sei dessa padoca vegan, tô por fora, tô afastado das pessoas, excluído de tudo e todos mas já vi esse “discordia” em algum lugar, mas lá pro centro, paulista, rolês assim, aqui na ZN não rola essas coisas, só pixo mesmo então, fiz uma aranha na cotovela. lembra q tenho aracnofobia? pois é, fiz uma aranha e dei um jeito de encaixar um coração nela. tô mandando fota!

22


CONTINUAÇÃO... depois tenta ouvir o Black Alien, tem umas coisas bem legais, talvez goste eu adorava facção central, sempre dizia que era o death metal do rap esses tempos vendi um monte de Cds de rap que eu tinha, até um duplo do KL Jay que era rarinho vou ver se acho esse do Consequência, vc manja Consequência? era bem legal fico feliz por vc que consegue escrever e te aliviar a melancolia. em mim não tem feito efeito vc consegue “detectar” suas questões, entender, e lidar (ao menos escrevendo)… eu tenho dificuldade de enxergar e qdo vejo não sei bem o q fazer pra resolver, o que acaba me deixando irritado e com sentimento de impotência, acho frustrante o seu escrever acaba sendo o meu caminhar, mas acho que andei exagerando pq minha coluna tá zoada tá aí meu endereço, monstro, não perde nunca mais ÚLTIMA VEZ QUE MANDO POHAN CHATA chamo a PP de monstro desde bebê, adoro a palavra monstro, tão sonora uma vez uma veterinária ficou ofendida quando ouviu eu chamando a PP assim, tive que explicar que era com carinho aconteceu algo esses dias que lembrei de vc, mas esqueci o que foi :/ beijo diaba, nóis!

23


19 de outubro de 2017, 12:58 Assunto: lembrei <

lembrei o q disse no email q ia te contar algo q tinha acontecido e me lembrado de vc sábado fui no shopping comprar um tênis, rodei todas as lojas pra ver qual gostava mais e cabia no bolso achei um com uns detalhes em rosa, bem lindo peguei ele na mão e vi que tava marcado q ia só até o 39, ou sejE, era “feminino” (mulher não pode calçar mais que isso, certeza) pedi pro vendedor e ele ficou meio sem entender se era pra mim demorou um século pra trazer, apareceu do nada com uma cara de “vc quer mesmo?” e falou “já trago, campeão” sumiu e voltou depois trouxe, me deu um pé e saiu de perto, numa distância “segura”, os outros vendedores com seus respectivos compradores estavam bem ao lado deles ou até ajoelhados próximos pra ver de perto e tal calcei e pedi pra calçar o outro, “tenho um pé maior do que o outro, sempre dá diferença, preciso experimentar os dois” ele me deu e voltou pro seu “campo de segurança” e falou “minha esposa tb” levantei pra caminhar, experimentar, e falei pra ele que meus tênis geralmente furam na ponta, que é do jeito que piso, e ele “minha esposa tb, eu falo pra ela cortar a unha” eu falei que corto a unha tão curta que sangra, não é da unha, é do jeito de caminhar, e ele disse “minha esposa tb fala que não é da unha” “beleza, vou levar”, indo pro caixa pagar ele “a gente tem um cartão, se vc fizer agora ganha 5% de desconto, mas se não quiser nem faz”, e eu “é, não vou fazer não, valeu” enfim, o tênis era “de mulher” (na caixa diz) e na cabeça do cara eu era gay e isso causou muito desconforto nele, imagina se eu ataco ele e pego no pau dele a força?????? ele teve que falar que tinha uma esposa 3 vezes pra (se) certificar q ele era hétero o engraçado é que enquanto voltava a pé pra casa, fiquei pensando de onde eu lembrava do cara, até que caiu a ficha, ele estudou comigo no pré/primeira série, a gente era muuuuuito pequeno, e ele era o mais alto da sala, nunca foi meu coleguinha (não lembro pq), mas me marcou muito pq ele chorava MUITO quando a mãe dele deixava ele na escola, resumindo, ele continua muito inseguro era isso, em anexo fotas pra vc ver como é lindsay o tênis ;)

24


19 de outubro de 2017, 13:15 Assunto: Re: achei que poderia curtir >

Adorei ter sido lembrada nesse episódio migo Assim como eu que calço 40/41 pra tênis e 42/43 pra chinela passo por algumas situações tb de tá de olho no papati que não tem meu número, de já chegar na loja querendo um papati """"""""""masculino""""""""""" e demorar pra pessoa ir no tal estoque catar pq poxa vida tu tá na sessão errada (assim como foi ctg) ou de querer mtmtmtmt algo que never terá meu número, de me empurrarem papati 39 pq talvez cabe na patinha, ticétera né Esse lance de sair catando coisa em loja é sempre um inferno, sou uma inferno de cliente que fica despistando vendedor(a) e aglomerando num canto o que eu quero pra depois pedir numa vez só a numeração (quando tem) do que gostei. Além da patinha ser gigante eu uso (sempre que encontro) camiseta/casaco/essas coisas de usar em cima, número XXG ou 46 pra cima. Gosto de usar tudo largo e sem sutiã, o que tb me leva a episódios "tem ctz que é esse o teu número? me parece que tu usa 38/40". É esse o número sim moça, tá te parecendo errado. Enfim........testes de paciência no cotidiano. E vamos de testa franzida... Eu achei o teu tênis fabuloso! Me lembrou um all star botinha que eu usava anos atrás preto com rosa pink tb, e por dentro era listrado e podia usar virado pra fora, amava, usei até sumir. Ultimamente uso preto's papatis only pra conseguir abusar nas estampas de meias, amo/adoro/sou meia cororida.

19 de outubro de 2017, 14:14 Assunto: Re: achei que poderia curtir < sabia que vc ia gostar, miga

e me toquei que vc deve calçar 40 e todos pq tem 3 metros de altura! risos querer te impor tênis menor é um absurdo, e no caso igual ao meu já não ia ter pra você ah, sim, a gente tá SEMPRE procurando no lugar aspas errado aspas, sempre eu uso desodorante sem perfume rollon e algumas vezes nas farmácias quando tô olhando na parte feminina de desodorante pq SEM PERFUME É DE MULHER. e as moças algumas vezes me alertam “moço, aí só tem desodorante feminino”, e eu sempre pergunto pq o sem perfume fica lá e elas sempre ficam sem saber o que responder pior foi quando me deram a lista de descontos do dia e tinha desodorante masculino na lista e eu perguntei se o sem perfume entrava na promo tb e me disseram que não e quando perguntei pq não souberam responder vc deve passar muito disso indo atrás de roupa, ainda mais se gosta de tudo XXG, pq sem dúvida que a pessoa q tá vendendo sabe MUITO mais do seu gosto do que você. eu gostava de meias coloridas, tinha várias, mas de uns anos pra cá passei a usar 90% preta e o resto alguma variação de preto ou escuras aveis se perdem na máquina e acaba misturando pés/cores olha essas em anexo que locas!

25


19 de outubro de 2017, 17:11 Assunto: Re: achei que poderia curtir >

Aiiiii, chorei no cantinho e quero elas Agr fiz um rancho daquelas meias peludinhas de tudo que é cor pq em Bogotá é mt frio e uso de pantufa não encontro mtas opções dessas lhoca de algodão tipo essas q tu mostrou :l Continue desconstruindo binaridade de gênero migo, necessário e fico bem bem bem feliz quando vejo acontecer. É mt 2004 continuar falando dessa necessidade, buuuut E a pp? Limda

19 de outubro de 2017, 14:14 Assunto: achei que poderia curtir <

"rancho", fazia tempo que não ouvia! minha ex-mulher era gaúcha e falava direto! acho que sei quais são essas peludinhas, mas sabia que ia pirar nas que mandei tem umas no enjoei, mas a galera cobra muito caro :/ ó: https://www.enjoei.com.br/p/clube-das-cinco-24168280?product_id=24168280&qid=mt8xtt4q9svx.ngi&ref=1&sref=search https://www.enjoei.com.br/p/meia-monalisa-versao-verde-19138232?product_id=19138232&qid=mt8xtt4q9svx.ngi&ref=3&sref=search https://www.enjoei.com.br/p/meias-conceituais-olhe-a-lista-de-disponibilidade-21857126? product_id=21857126&qid=mt8xtt4q9svx.ng-i&ref=5&sref=search https://www.enjoei.com.br/p/meias-monalisa-de-da-vinci-23618805?product_id=23618805&qid=mt8xtt4q9svx.ngi&ref=6&sref=search cabei de vender duas camisetas no enjoei, uma do Mukeka (da tour do Japão) e uma do Boom Boom Kid raglan lindas mas que tinha duas e eu sou um só né e no mercado livre vendi dois Cds de uma banda russa fastcore pra um mano aí do Sul, ó o print em anexo, de repente vc sabe quem é eu peguei os Cds direto com a banda russa fastcore uns sei lá qtos anos atrás pq era barato comprar 10 cds do que um, então peguei numas de distro mesmo a sociedade parou em 2004, 2005 e só ~evoluiu~ no ódio graças às redes sociais pp tá derretida com o calor infernal, mas, segue diva, linda ;)

26


19 de outubro de 2017, 20:14 Assunto: Re: achei que poderia curtir >

Ah sim, to ligada nessas do enjoei, mas com o frete não vale a pena ://// sem frete tá maomeno o preço.. até que minhas meias duram e acabo investindo uns pilas nas que eu amo de paixon Que coisa boa que tá vendendo, eu juntei tudo que tava sobrando aqui e levei em brechó, acaba sendo mais rápido já que tô vazando daqui uns meses Esse Alan puxei no feices e nem aparece perfil, numcunhes Aqui tá friozinha de 15°C, bem bom! Mas aguardando pelo calorão de novembro em diante.. pizzão nas camisetas, meia suada, cabelo em coque coqueiro, etc Olha só! Recebi um vídeo de um migo que foi num show esses tempos e rolou uma fala de um mano dazantiga fazedor de Zine, não sei o nome dele. Olha aí e me diga, tu deve saber

19 de outubro de 2017, 21:01 Assunto: Re: achei que poderia curtir <

tem umas que nem são caras, mas o frete, ainda mais praí, complica :/ se vc tem bastante meia deve durar mesmo, eu qdo escolho uma "favorita" ela sofre até furar, rasgar, desgastar no calcanhar que bom que levou no brechó as roupas! a gente tem muito mais do que usa/é capaz de usar, né? sempre brinco que tenho umas 100 camisetas e uso as mesmas 10, e nem é exagero aos poucos tô desapegando eu até iria em um brechó nesse esquema que vc fez, mas na real eu gosto de vender pela internet é algo que aprendi a gostar e acho que faço bem. dois milagres em um é terapêutico fazer a embalagem, ir até lá, enfim. voltei do correio agora pouco, fui a toa, tarra sem energia elétrica lá :/ o mano que vc não achou no site faces vai esperar um pouquim mais. sei quem é esse mano dos zines sim, é o Renato Donizete, do Aviso Final. não conheço ele, de trocar ideia, mas ele é dazantiga, se não me engano deve ter uns 20 anos o zine e acho até que ele tem um livro sobre zines!

20 de outubro de 2017, 09:20 Assunto: Re: achei que poderia curtir >

Sabe que dps que comecei a trampar e ter a minha grana (de 2010 em diante, sou 9inha) tive aquele impulso consumista em comprar tudo que eu queria comprar, pq a mãe não podia me dar e tal. Daí foi diminuindo né, lógico, mas foi diminuir realmente qnd doei meu armário e coloquei só uma arara no lugar. Doei e vendi tanta coisa que agr cabe só o necessário. Curioso pensar que só dei esse passo qnd terminei com o relacionamento de 6 anos.. fase de reciclagens. Me sinto mt melhor dps desses desapegos e agr virou rotina a noção do que preciso/não preciso ter.

27


20 de outubro de 2017, 17:15 Assunto: Re: lembrei < olar 9inha!

é comum esse impulso consumista qdo se conquista seu dinheirinho, né, mas eu nunca tive assim uma vontade loca de sair comprani tudo. sempre fui “comedido”, mas ao mesmo tempo se eu sentia vontade de comprar comprarra sem culpa mas é legal isso q vc disse, de substituir um armário por uma arara! e doar o armário, desapego total, e vir no momento do fim do relacionamento. é tudo muito “encaixado”, né? o melhor é que vc se sente melhor! uau, do rolê cos boy! maaaaas vc parece estar lidando bem com a situação toda, né? parece tudo muito leve, ao menos enxerguei assim. pelo que lembro do que vc falava do colomboy talvez ele fosse o mais “indicado” a sofrer com isso, não? mas se tá todo mundo curtindo o momento e entendendo, hey ho let’s go! ;) só que se vc tá rindo nervosa (eu ri de vc rir nervosa, isso é muito eu) é pq tem algo aí no meio disso tudo que pode estar te confundindo azideia, torço para que não! vc compartilhou comigo, vou compartilhar algo co c tb! minha ex-mulher me mandou msg no meu aniversário, disse que sente falta da nossa cumplicidade e convívio e que espera que possamos reviver isso quando eu me sentir pronto eu sinceramente nem entendi o q ela quis dizer, mas não quis ficar pensando tb e dias depois uma mina que saí algumas vezes uns meses atrás me procurou, depois te falo mais dela, nao quero mandar email gigante procê, flor ;) te falei que tenho bebido de vez em qdo né? tá virando um de vez em sempre e eu não me orgulho disso. inclusive bebo nas minhas longas caminhadas, o que é bizarro, mas enfim, o alcool me dá uma “anestesia” que sinto que preciso, e ele me faz pensar quase que em câmera lenta, ao menos quando “bebo comigo mesmo”. e anteontem bebendo alone me dei conta de que pouquíssimas ou raríssimas vezes na minha vida eu estive sozinho de tudo sem estar envolvido de alguma forma com alguém. e parece que tô me “forçando” a isso, pra viver essa experiência. não sei dizer, tô meio perdido, mas focando naquilo que conversamos de lidar com nossa própria companhia enfim, beijas!

28


20 de outubro de 2017, 18:18 Assunto: conhece, flor? < http://zinegranada.com.br/

20 de outubro de 2017, 21:51 Assunto: Re: conhece, flor? >

Caralha que coisa mais linda quero imprimir todas as edições e espalhar pra todas as migas e se sobrar pra migos especiais Gratidão <3 Vou ter que ler com calma, não cabe leitura dinâmica nessas lindezas Me conta quem organiza isso, sabe?

20 de outubro 2017, 22:14 Assunto: Re: conhece, flor? <

pohan, achava que vc conhecia por isso nunca tinha te passado! conheci no twitter por uma mina que escreve pra Vice, Camila é o nome dela: https://www.camillafeltrin.com/ não sei se ela é uma das organizadoras, mas acho que sim fazia tempo que não via nada e hj entrei no twitter e elas tinham retuitado a Camila num post/link recente poxa, fiquei feliz de te mostrar algo que curtiu bastante! :)

29


22 de outubro de 2017, 12:54 Assunto: Re: conhece, flor? >

PARA BEMS PELOS 40!!! tava pensando agora que tenho algumas/ns mig@s na casa dos 40 lind@s e acho sensacional, pq? ñ sei, só acho.. impressora tem vida própria mesmo ou bipolariade extrema, na empresa trabalho com 4 e dá sempre uns negócio inexplicável. a daqui de casa acho que ficou ok o driver, mas cartuchos vazios (achei que eram novos ¬¬), vou recarregar e testar again pq só consigo imprimir minhas coisas de graça e na melhor qualidade até dezembro (onde eu trampo). os kg de impressões e demais recursos que utilizei sem o consentimento da empresa onde trampo é o que mais vai me deixar saudade ? totalmente eu gostei da Luiza e da Nina, mas me causou mais curiosidade em ler a Luiza migo tava pensando também que pelas descrições que tu me passava sobre o teu analista ele mais te abriu campo de fala, pra tu te expressar, do que intervenções analíticas. ou, tu me passou mais essa impressão do que a real.. o lance de ele cochilar, te provocar com questões mas poucos esclarecimentos possíveis pra tua própria autoanálise.. vai também da tua vontade atual de voltar a fazer análise. sobre grana, já tentou procurar alguns/algumas e propor o quanto tu consegue pagar? isso rola bastante dependendo d@ analista, é um interesse mútuo sabe? da tua procura e da pessoa que identifica questões p análise conforme uma primeira conversa contigo, é muito rico pr@ profissional que se dispõe em analisar e deixa o $$ em segundo plano. pensei que isso rolasse mais com recém-formad@s, mas tenho três conhecidas que aceitam o quanto o cliente consegue pagar e não interfere na análise - até porque nós sabemos que cobrar 400,00 pilas por consulta é uó, mas "os anos de caminhada d@ analista é que vão dizer sobre a qualidade e valorização do trabalho ofertado", fala de uma profe que cobra caro e justifica. também sinto que tu gosta de falar sobre tuas questões, de trocar com pessoas (não sei se com tod@s, quando sente segurança pra fazer, com quem fazer), e de tu mesmo ter dito que tá falando sozinho e de ter se afastado de tod@s, essa vontade de voltar pra análise tá bem atrelada a esse espaço de fala/escuta que tu quer voltar a ter, que tu esteja externalizando pra alguém que vai saber o que fazer com algumas questões. ou seja, se não tá sendo possível voltar pra um profissional agr, tenta pensar outras formas que podem te causar interesse/curiosidade. grupo de apoio físico/virtual (ansiedade, depressão, AA? qualquer tema, desde que tenha gente), voltar a falar com algumas pessoas?, escrever? por mais estranho que pareça, tentar alguma coisa diferente. Eu tenho uma amigona que tá passando por um fim de relacionamento bem duro, ela tem vários pensamentos extremos e impulsivos que causam bastante sofrimento pra ela, e quando ela veio me procurar indiquei psicos que conheço, mas que ela tem preconceito em ir em psicólog@. então, todos os dias ela me manda alguns áudios pelo whats sobre esses pensamentos diários que ela não consegue dividir com outr@. é menos formal e "sério", então ela se sente a vontade e melhor em não processar tudo sozinha. sobre o meu cabelo maravilhosamente natural e livre de sofrimento eu stol muito satisfeita com o comprimento dele ok, corto sempre mas cresce mt rápido tá, invejosa as tatús com a miga te mostro quando fazer ué, até lá pode mudar a tua da cotovela ficou deiz! quem fez? dorei dorei, ainda mais sobre a aracnofobia, ficou lindassa o meu hating loving knowing myself é desse processo constante em que passo corriqueiramente né, sinto que essas são três emoções que tão sempre abraçadas em mim, e quando ver, rola com td mundo através do ID/EGO/SUPEREGO, só interpretei com outro nome. migo tava lembrando que o como eu te quero é do black allien, e é um som que eu escutei demais quando novinha (2007). daí fui catar mais algumas antigas dele e nossa, que nostalgia fui saber do consequência há uns 2anos, mas só pq o kamau fala mt sobre, e acho daora. falando nisso, o que tu tiver aí de rap nacional, vamo pro brique né! tu realmente guardou meu envelope, que querida! agora guardei teu endereço sim, não sei pq sou assim, excluo tudo do cel/note e dps fico correndo atrás de novo ¬¬

30


25 de outubro de 2017, 18:07 Assunto: vai flor vai <

https://www.instagram.com/gofloresgo/

25 de outubro de 2017, 11:44 Assunto: Re: vai flor vai >

Que coisa mais amada! Esse si no hay amor no hay nada super me identifiquei, até meu status no whats é uma letra do Kamau "se não for de coração não adianta".

25 de outubro de 2017, 14:50 Assunto: Re: vai flor vai <

conheci um tempo atrás e logo me identifiquei, até pq tem gatíneas pretas nos desenhos <3 hmmm super sintonia ca letra do Kamau hein q demais q gostou :) cabô de sair um número novo!

25 de outubro de 2017, 23:45 Assunto: conhece, flor? >

Migo q Zine mais kirido esse granada, as escritas são muito legais pra descontrair o dia, leveza

Lembrei do teu e-mail falando sobre as ex-companheiras migo, como tu te sentiu sobre elas falarem contigo? fiquei feliz que falaram, independente do que as incentivou em te procurar.. sinal que estão de boas contigo, não? me sentiria bem se o meu ex me mandasse um aloha daqui uns anos, tipo e aí, como tão as coisas? Até pq esse meu último (e único) namoro não terminou tão legal né.. não ficamos amigos. E o lance do álcool na tua vida eu entendo.. sei lá, fases e questões que vão se (res)significando, tomando outros sentidos. Tu é um cara inteligente. Hj tô meio nas bad, mas a minha bad nem é bad haha quero um sorvete

31


27 de outubro de 2017, 08:49 Assunto: Re: lembrei < oi miga!!

ontem eu tava muito nessa tal de bad tb, mas nao tinha sorvete q ia resolver, aliás nem cerveja. e vc, arrumou um genérico do sorvete e teve resultado? :) das ex-companheiras, não tinha pensado por esse lado q vc disse q se me procuraram é pq estão de boas comigo. é algo positivo mesmo, maaaaas no caso com minha ex-mulher eu realmente não soube (e não sei) o q responder pq nem sei se entendi o q ela disse/quer da mouça (não sei pq mas adoro falar mouça ao invés de moça) saímos algumas poucas vezes, ajudei ela com a mudança de apto dela e, enfim, ela disse q sentiu minha falta lembra da 9inha? quem me escreveu um tempo atrás foi a mãe dela perguntando como eu tava e dizendo q eu estou nas orações dela, por um acaso segunda-feira agora ela me mandou msg de novo mas nem abri. li q era um "oi, tudo bem?". o q pode significar a mãe dela me escrevendo? não sei, mas pode ser algo bom como vc disse. uma outra mina tem me procurado bastante, ela não é daqui de SP, no ano passado a gente flertava mas fui vendo q ela era digamos bem dodói, pouco antes de eu me mudar ela voltou a me escrever e tinha dito que havia tentado suicídio (não por minha causa deuzaolivri). nem preciso dizer que fiquei super mal, né? e ela tem uma filha de uns 7 anos como posso dar atenção a alguém sem q a pessoa entenda q quero algo com ela? não dá né, interpretação beijas, miga, dia cinza aqui!

08 de novembro de 2017, 09:46 Assunto: Re: lembrei >

E aí demonho loro, te enviei uns treco pelo correio, deve tá chegando essa semana. Nem sabe, tô numa enchente de ansiedade (ansiedade mesmo, mas de leve), o boymagia da C tá namorando e veio todo preocupado trocar ideia cmg. Achei palha algumas coisas q ele falou e ele caiu um pouco no meu conceito (não por estar namorando, mas pelas bobagi q falou do tipo "mas né, sei q tu logo tá aqui e a gnt vê o q acontece....", Oi??? Já começando uma relação na incerteza se vai continuar ou não, escroto. Como tá? Li tudo os granada, chorei e ri várias vzs. Tô na pira de continuar meus zines virtualmente.. vai perder a graça de ter o papel na mão, a escrita trasheira e mal feita q curto, mas acho q vou arriscar.

32


09 de novembro de 2017, 07:34 Assunto: Re: lembrei < Mallu!

chegou seu pacotaço, poxa, quanta coisa! e quanta coisa linda! zines de receitas e até um livro pra me ajudar a (me) "orientar" a Luisa, adorei! que treta cos boy, hein?! pelo visto Colomboy te decepcionou, pelo que disse mais nas coisas que ele disse mesmo é frustrante, até pq logo mais vc tá lá né, mas é até bom pq nada melhor q trocar ideia cara a cara, melhor jeito de "ler" a outra pessoa! sua cabeça deve tá a mil em meio as mil e uma coisas que faz todos os dias. vida loka! é, virtualmente zine não tem o "peso" de impresso, mas quem sabe enquanto tá longe não seja um jeito de continuar suas escritas. te fazem bem, pohan pode fazer na pegada do Granada, q tanto curtiu. tem uma plataforma que chama issuu que rola subir "publicações", dá pra virar página e tudo vc pode subir o q já tem e qdo fizer coisa nova tb, diagramar e tal e subir muah :*

09 de novembro de 2017, 07:59 Assunto: Re: lembrei >

Que bom que gostou Coloquei um "Chevette" ou sei lá o q no pacote imaginando o carteiro "entrega pro t Chevette", mas num rolô né? Ah, é viaggg o q tá rolando cuesses boy hahah nem tô, tanta coisa pra resolver até janeiro.. só vai Valeu pelas ideias do Zine, vi a plataforma issuu e curti justamente pela possibilidade de virar página.. veremos o q sai Bjux de lux, pax

09 de novembro de 2017, 08:42 Assunto: Re: lembrei <

ahahha não rolou, o porteiro me entregou e nem disse nada, uma pena! ;) conforme for consumindo tudo, vou te falando, valeu mesmo!! q bom q tá chei de coisa pra resolver, assim os lance dos boy ficam de lado essa plataforma issuu é bem legal, acho que tem que subir em pdf rola fazer pesquisa por tema, ó: https://issuu.com/search?q=punk

10 de novembro de 2017, 13:20 Assunto: Re: lembrei >

Esse livro da Chimamanda é um amorzi, curtinho e didático, ganhei ele e fiz várias cópias pra amig@s

33


16 de novembro de 2017, 10:19 Assunto: Re: lembrei >

Migo, tô montando um zine com textos de mig@s sobre relações de poder e nossos modos de subjetivação. Nem preciso enfatizar que amaria te ter no lance, né? Falei com o Marcelo Fonseca, da banda O cúmplice, sabe? Tem uma escrita dele que eu pirei e que ele pilhou em tá no Zine tb, vou te mandar ela. Te inspira em rabiscar algo, please? Independente do recorte que fizer, quero mucho. Vai ser o último Zine impresso que vou fazer mimi Bjux, te espero

17 de novembro de 2017, 18:59 Assunto: Re: lembrei < http://jolieruin-art.tumblr.com/

17 de novembro de 2017, 21:01 Assunto: Re: lembrei > Se eu achei demaix?

22 de março de 2020, 02:18 Assunto: Re: lembrei > Meu querido, como tu tá? O que anda fazendo? Saudades de ti. Abração.

34


24 de março de 2020, 18:00 Assunto: Re: lembrei < mallucifer querida,

tô surtando por diversos motivos. imagina. bom, eu já tava em isolamento antes de virar tendência né... eu praticamente tenho saído de casa para o essencial há uns seis meses, o mais louco é que quando eu tava "pronto pra voltar a viver em sociedade", pandemia. vc tá no brasil? tá bem? e sua mãe que trampa com saúde, como tá? logo pensei nela. fiquei feliz que escreveu, valeu. vc é uma pessoinha muito especial pra mim, tá sempre nos meus pensamentos. beijão querida! pas.

24 de março de 2020, 23:07 Assunto: Re: lembrei >

Oi coração, que bom que tu me respondeu. Eu sei que tu some vez e outra, mas nesse panorama doido que tá sendo eu tava preocupada contigo. Tentei lembrar quando foi a última vez que trocamos ideia e já faz anos! Mas me conta como tão as coisas.. pré isolamento tu tava conseguindo fazer algo que tu curte? E agora tá se ocupando com o que? Pergunto por sincero interesse tibiriliru, gosto de ti e sei que é difícil. Eu tô em casa, com minha mãe e meu mano, em Santa Cruz. Voltei de Bogotá... Tive que voltar mesmo não querendo, questões burocráticas do meu financiamento estudantil aqui. Se eu não voltasse ia me foder financeiramente. Voltando eu me fodi emocionalmente, apenas. Enfim, a minha mãe tá bem, mas trampando no SAMU e unidade de emergência sem parar. Eu e João não saímos de casa há uma semana. Nos mantendo ocupados p não enlouquecer mesmo. Saudades migo, sempre lembro de ti. Fica bem e tô aqui p quando tu quiser ou precisar.

23 de janeiro de 2021, 22:20 >

Saudades de ti! Como tão as coisas por aí?

35


04 de abril de 2021, 21:45 Assunto: Re: ó só >

Cabeça de pinha, ando lembrando de ti na vida. Quero notícias de ti Na merda tá todo mundo, nem vou perguntar "td bom?" pq ñ tá fazendo sentido, mas seguimos... Bjs e saudade de tc

36


a tal da era digital sucumbe mas não há de fazer morrer o desejo pela subversão resiste enquanto as linhas continuam sendo escritas por mãos e corações que fazem explodir em todo e qualquer manifesto daquilo que é real

xescritas livresx mallu adoryan (brasil >fogo nos fascistas< ago. 2021)

zine mefazemser #16

Profile for Mallu Adoryan

Zine MeFazemSer #16  

a tal da era digital; sobrevivendo na pandemia

Zine MeFazemSer #16  

a tal da era digital; sobrevivendo na pandemia

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded