Page 1

DOIS

Revista Malaparadois Edição Nº 25 Abril 2016 Ano III The Malaparadois Group - Tourism, Travel & Gastronomy

Sul de Portugal Tourism, Travel & Gastronomy

Por que ir?

As Nova Caledónia: centenas de quilômetros de caminhos, trilhas, mais de 42 parques e reservas e rios cristalinos com cachoeiras.

Daqui pra lá... De lá pra cá

Europa ou Estados Unidos? Como escolher?

Pelo mundo

Tuníz a mais bem conservada cidade árabe antiga

Dicas de Viagens & Lifestyle em um único site! www.malaparadois.com


Quem

Somos?

Edi Marques, Administrador especializado em Gestão Pública e Flávia Ghelli, Advogada especializada em Direito Tributário. Somos aventureiros, desbravadores, curiosos, apaixonados pela emoção de viajar! Adoramos cultura, histórias e conhecer locais e povos diferentes. Casados desde 2006, mas amigos desde 1996, somos dois brasileiros que amam viajar. Sempre que conseguimos escapar do trabalho arrumamos um jeito de fazer as malas e embarcar em uma nova aventura pelo mundo.

Administradores dos canais malaparadois, que envolvem várias redes sociais e mídias digitais resolvemos em 2013 lançar o website malaparadois, onde começamos a contar nossas histórias de viagens e dar dicas com um único propósito: Divulgar a emoção de viajar! Hoje o malaparadois.com possui mais de 8000 fotos, dicas de mais de 60 cidades, especiais, várias revistas sobre o tema, um blog e conta ainda com apoio e colaboração de vários blogueiros e do Chef Celso Rossi na Seção Gastronomia. Todas as informações no malaparadois são gratuitas, pois acreditamos que a emoção de viajar deve ser compartilhada sempre. Pois... "Às vezes o que falta para alguém viajar é uma boa dica e uma boa história"

Staff: Editor Chefe Edi Marques Redatora Flávia Ghelli Colunistas Celso Rossi Amanda Fontenele Ana Patrícia Expediente: Diagramação - ESM Produções Arte Final - MG www.malaparadois.com

Para anunciar: +351 91 440 93 96 - malaparadois@gmail.com Tiragem: Livre para download


DOIS


Nesta Edição O sul de Portugal é Belíssimo! Não importa por onde comece a sua viagem... Seja por Aljezur, Monchique, São Bartolomeu de Messines ou Vila Real de Santo António é sinônimo de belas paisagens, arquitetura, ora, fauna, praias e uma gastronomia farta que tem sua base nos enchidos e frutos do mar. Para quem deseja férias entre o mar e a montanha recomendamos o sul de Portugal.

14

06

08

12

28

Tour

Programe-se

Travel Tips

Lifestyle

Paris: A cidade da luz, do glamour e... da gastronomia

Valência uma cidade cool

Petra, o principal cartãopostal da Jordânia

A maravilhosa Riviera Maya

Colunistas 30 A Grécia do seu jeito Amanda Fontenele Chania um dos novos roteiros de cruzeiro pelo Mediterrâneo

34 De carro pela Itália Ana Patricia Itinerário de carro em sete dias na Emilia Romagna

34 Gastronomia Chef Celso Rossi Cataplana de Raia


Ao Leitor Sul de Portugal, onde as belezas naturais e um povo acolhedor atrai cada dia mais visitantes do mundo inteiro. Nesta Edição de estreia do novo formato das Revistas Malaparadois, onde vamos além de dicas de viagens & lifestyle das mais belas cidades do mundo, agora com a gastronomia dos locais e seus principais pratos. Iniciaremos neste mês o modelo “Tourism, Travel & Gastronomy”. Nossa Revista agora com sede em Albufeira, não foi por acaso que escolhemos nossa capa deste mês, passará pelo Sul de Portugal, onde apresentaremos dicas das cidades, o que fazer, onde ir e o que saborear da deliciosa gastronomia algarvia. Já abordamos em edições passadas a região do Algarve e a cidade de Albufeira (nossa edição de aniversário), mas desta vez iremos detalhar muito mais. Neste novo formato ainda apresentaremos restaurantes, bares e muitas outras dicas. Falaremos um pouco da ora e fauna da região, além é claro das maravilhosas praias que ligam o sul de Portugal de leste a oeste. Esperamos que todos os nossos leitores possam sentir a emoção de viajar como nós sentimos. Esperamos que cada um de vocês sonhem em um dia conhecer uma das regiões mais linda deste país que encanta quem o visita. A todos uma bela leitura e boa viagem! Edi Marques – CEO Malaparadois Group

DOIS


Tour

Paris:

A cidade da luz, do glamour e... da gastronomia.

GASTRONOMIA DE PARIS Paris é reconhecida mundialmente pela sua excelente gastronomia. Combina talento, experiência e os produtos franceses de alta qualidade. Existe uma grande variedade de restaurantes onde pode experimentar a cozinha tradicional francesa, cada um com o seu estilo próprio. Algumas das especialidades mais famosas que poderá provar em Paris são o Blanquette de veau (ensopado de vitela), o Coq au Vin (galo cozido em vinho tinto) e os queijos variados. Há algumas iguarias mais exóticas que também poderá saborear, tais como o Foie gras (pasta a base de fígado de ganso ou pato), as Cuisses de grenouilles (coxas de rã), o Escargot (caracóis) e o Caviar (ovas de esturjão não fertilizadas, salgadas, de preferência não-pasteurizadas (frescas) e sem qualquer outro tipo de aditivo, corante ou preservante). Também existe os famosos Cassoulets que são pratos elaborados a base de carnes, feijão branco, embutidos e outros ingredientes de dar água na boca. Este prato apesar de não ser típico de Paris é muito procurado na Cidade Luz. O Infante Restaurante tem como uma de suas especialidades o Cassoulet (http://malaparadois.wix.com/infanterestaurante). No campo das sobremesas, algumas tradicionais são o Crème brûlée (leite-creme), os Crêpes (panquecas finas), a Mousse de chocolate, a Pâtisserie (confeitaria tradicional, que inclui, por exemplo, os Macarons) e os Mille-feuilles (mil folhas). Além da cozinha burguesa, que inclui todos os pratos clássicos, e a cozinha regional (cuisine do terroir), a França é o berço da cuisine nouvelle, caracterizada por ser elaborada em pouco tempo, com molhos leves e em menores porções, apresentadas de forma refinada e decorativa. Poderá descobrir alguns dos paladares deste tipo de cozinha durante a sua visita a Paris.


Blanquette de Veau

DOIS

Ingredientes 200 ml de vinho branco seco 60 gramas de cenouras 60 gramas de cebolas 40 gramas de manteiga 40 gramas de farinha 2 dentes de alho 1 gema de ovo suco de 1 limão 1 quilo de vitela Amarrado de cheiros: 1 raminho de tomilho ou manjerona 1 folha de louro talos de salsa Modo de Preparo Cortar a vitela em pedaços regulares. Colocar numa panela e cobrir com água fria. Juntar o vinho branco, as cenouras e cebolas cortadas em rodelas, o amarrado de cheiros, sal e pimenta. Levantar a fervura e tirar com a escumadeira a espuma que se forma. Deixar cozinhar em fogo brando durante 2 horas ou até a carne ficar tenra. Retirar a carne e reservar. Coar o caldo e utilizá-la para molhar o roux loiro feito com manteiga e farinha: numa panela derreter a manteiga e juntar a farinha. Mexer bem, deixando cozinhar uns minutos até que a farinha adquira uma tonalidade loira. Isto é um roux loiro. Depois, molhar aos poucos com o caldo quente sem deixar embolotar, mexendo sempre com colher de pau. O molho pronto, colocar dentro os pedaços de carne e deixar cozinhar de novo por 10 minutos em fogo brando. No momento de servir, fazer uma ligação (liaison) com a gema de ovo e o suco de 1 limão: numa tigela misturar a gema de ovo e o suco de limão. Juntar fora do fogo ao molho. Podese juntar ao molho, 10 minutos antes de servir, uns champignons cortados em lâminas ou umas cebolas pequenas cozidas durante 25 minutos na manteiga. Servir a blanquette acompanhada de arroz, com o vinho branco seco que serviu para a confecção do prato. Não esquecer de verificar o tempero, pois a vitela é muito insossa. Agora é só saborear esta gostosa, simples e fácil Receita de Blanquette de Veau. Dificuldade: Fácil Rendimento: 4 pessoas

A poucos passos dos Jardins de Luxemburgo, um bistrô, com paredes de pedra e vigas, serve um dos melhores Blanquette de Veau de Paris. Os viajantes e turistas que por lá passam adoram o restaurante e sua vasta gastronomia. Como típico restaurante francês os preços não são nada em conta, mas vale a pena saborear não só o Blanquette de Veau como as outras iguarias que por lá são servidas. La Ferrandaise: 8, rue de Vaugirard - Tel.: 01 43 26 36 36 Menu a partir de: 16 € ( Almoço), € 35 € o jantar).


Programe-se

Valência

Situada na costa mediterrânica espanhola, com 300 dias de sol e uma temperatura média de 19º, Valência é um destino perfeito para se poder visitar durante todo o ano. Tem mil maneiras de a descobrir: pela sua gastronomia deliciosa, com a sua mundialmente conhecida paelha; praias extensas; um rio transformado num imenso jardim ou como cidade sede de grandes eventos internacionais, como o Grande Prémio da Europa de F1 ou o Valencia Open Tenis 500. O que visitar: Cidade das Artes e Ciências, Bairro del Carmen e seus Palácios, Praça da Virgem e conjunto catedralício, Praça do mercado e Lonja de la Seda, Museus (34 ao todo), Praça da Câmara Municipal, Marina Real e praias de Valência, Parque Natural de la Albufera, Jardins do Turia, Bioparc Valencia e o Oceanogràfic.

O que fazer: A noite mais cool, o entardecer mais romântico,

a paelha mais saborosa ou a festividade mais arrebatadora esperam pelos visitantes na Valência mais tradicional, transgressora e sempre mediterrânica.

Desfrute uma paelha com vista para o mar - Os árabes introduziram o arroz na cidade e isto deu lugar ao prato estrela de Valência e símbolo da cozinha espanhola em todo o mundo: a paelha. Pode prová-la num dos restaurantes situados na Praia de Las Arenas, com panorâmicas vistas para o mar ou deslocar-se a um dos estabelecimentos situados em pleno Parque Natural de la Albufera. É uma festa para os sentidos. Bom proveito! Se estiver por Albufeira em Portugal, prove a Paella do Infante Restaurante! Sob o comando do Chef Celso Rossi a paella valenciana do Infante Restaurante (http://malaparadois.wix.com/infanterestaurante) fará você se sentir em Valência! Viver as Fallas - Viver a festa mais internacional, as Fallas, é vibrar com uma mascletá, emocionar-se com a “Oferenda” e desfrutar com a sátira e o humor dos mais de 400 monumentos falleros que coroam ruas e praças de toda a cidade de 15 a 19 de Março. 24 horas de festa esperam por vocês com queima de fogos-de-artifício, concertos de rock e arraiais em cada canto da cidade. A noite mais cool - Degustar os melhores petiscos num restaurante suspenso sobre o mar, beber um copo numa praça tranquila do Bairro del Carmen ou num palacete do século XVI e dançar junto de vorazes tubarões até amanhecer, são algumas das opções que esperam pelos visitantres à luz da lua de Valência. Lojas - Tradição e artesanato unidos a novos ares de renovação e vanguarda, tornam Valência numa cidade cosmopolita com uma vida comercial intensa. Se o que gosta é


DOIS de urban shopping, perca-se por zonas como o centro histórico ou bairros como o de Ruzafa ou o Eixample, onde moda e design se unem. O drink mais fresco: a Horchata - Não perca este popular refresco feito com um fruto que só se cultiva na horta valenciana: a chufa. Será o seu lanche mais doce se a acompanhar dos tradicionais “fartons”, uma delícia. Procure uma esplanada para a tomar em pleno centro da cidade, irá gostar ainda mais! De travessia em bicicleta pelos Jardins do Turia - Um passeio de bicicleta pelos Jardins do Turia fará os visitantes se sentirem em plena natureza estando no centro da cidade. Os nove quilômetros de trajeto começam no Parque de Cabecera. A partir daí, museus, monumentos e pontes desde a época medieval até aos nossos dias, acompanham-nos no passeio. O colofão, a chegada à Cidade das Artes e Ciências. O melhor pôr-do-sol na Albufeira Uma das melhores formas de conhecer um dos espaços naturais de maior valor meio ambiental e ecológico da Europa, o Parque Natural de la Albufera, com um passeio de barco e se for ao anoitecer, ainda melhor. As cores douradas e alaranjadas fundem-se para oferecer este belo espetáculo todas as tardes. Tapas - Chocos grelhados, mexilhões ao vapor, presunto, conquilhas, “esgarraet”, puntillas ou batatas bravas farão as delícias dos comensais nas bancas da Praça do Mercado, continuando pelos degraus de la Lonja, a Praça do Collado, a Praça do Negrito e pelos bares da Rua Caballeros, até terminar na Praça da Virgem. Acompanhá-los com uma cervejinha fresca ou um copo de sangria são as opções mais típicas. Viva Valencia intensamente! Dica: Separe pelo menos uma semana no seu planejamento de viagem para conhecer Valência.


Paella Valenciana

7 colheres, das de sopa, de azeite 2 cebolas picadas 2 dentes de alho socados 1 pimentão em tiras 250 gramas de polpa de tomate 6 cubos de caldo de galinha dissolvidos em 3 litros de água fervente 8 pedaços de frango picado 200 gramas de lombo de porco em fatias finas 6 linguiças grossas 12 camarões grandes 400 gramas de mexilhões 500 gramas de arroz 1 lata de ervilhas 1 colher, das de chá, de açafrão Sal a gosto

preparação:

Frite em 2 colheres de azeite os 4 primeiros ingredientes.

Junte 2 copos de caldo de galinha e cozinhe até obter um molho denso. Frite o frango, o lombo e a linguiça, um de cada vez em 3 colheres de azeite e coloque-os numa panela. Em seguida, regue com 1 litro de caldo de galinha, tampe e cozinhe em fogo brando por meia hora. A parte, cozinhe os camarões durante 15 minutos em água e sal. Raspe os mexilhões, lave-os e leve-os ao fogo forte para abrirem, numa panela tampada, sem água. Retire das conchas e conserve. Em outra panela, refogue o arroz no azeite restante, junte as ervilhas, os mexilhões, as outras carnes já fritas (linguiça, frango e lombo de porco) e banhe com o restante o caldo de galinha e o açafrão diluido num pouco deste caldo. Tampe a panela e leve ao fogo regular, préaquecido, sem misturar mais, por cerca de 30 minutos. Sirva bem quente, no próprio recipiente.


DOIS

A marca de ValĂŞncia pelo mundo:

Paella Valenciana


Travel Tips Post Card

Petra, Jordânia

Petra, o principal cartão-postal da Jordânia está localizado a cerca de 3 horas e meia da capital, Amã. Chamada de “cidade rosa”, Petra (pedra, em grego) foi fundada por volta de 312 a.C. pelo povo dos Nabateus, uma tribo nômade árabe. A cidade, então, se transformou em um ponto estratégico das rotas de caravanas, que transportavam incenso, mirra e especiarias pelo Oriente Médio. Foi esquecida pelo tempo e somente os beduínos locais sabiam sua localização, até ser redescoberta em 1812, pelo explorador suíço Johan Ludwig Burckhardt. Para conhecê-la a fundo, serão necessários de dois a três dias, já que suas atrações estão espalhadas por 5,2 quilômetros quadrados, repletos de túmulos, templos, cisternas, teatros etc.


DOIS


DOIS

Sul de Portugal Tourism, Travel & Gastronomy


Situado no Sul de Portugal a região do Algarve possui um clima agradável durante praticamente todo o ano, o Algarve constitui um dos destinos preferidos dos turistas, tanto portugueses quanto europeus, que procuram mudar de cenário sem ir muito longe. O Algarve é limitado pelo Alentejo, a Norte, pelo Oceano Atlântico, a Sul, e pelo rio Guadiana, a leste. A origem do nome "Algarve" vem do árabe alGharb al-Ändalus, termo que denia as atuais zonas do Algarve e baixo Alentejo durante a época de domínio muçulmano e que signicava "Andaluz Ocidental", já que esta era a “zona” ocidental da Andaluzia muçulmana. A presença muçulmana, que se prolongou do século VIII ao século XIII, encontra-se ainda hoje bem patente um pouco por todo o Algarve, quer seja nos nomes das povoações, na agricultura, na arquitetura dos monumentos, nos rendilhados dos terraços e chaminés ou no branco da cal que cobre o casario de muitas localidades da região. Existem muitas razões que atraem milhares de visitantes a esta região de Portugal todos os anos. O clima temperado mediterrânico do Algarve é caracterizado por Invernos amenos e curtos (as temperaturas mínimas não costumam car a baixo dos 12ºC) e Verões longos, quentes e secos. Além disso, a região conta com uma diversicada rede hoteleira (mais de 140 hotéis), que torna qualquer momento do ano ótimo para a visitar. Os concelhos do Algarve (16 ao todo) que constituem o Algarve possuem características que os tornam em verdadeiros tesouros nacionais. Por exemplo, Albufeira, a localidade mais visitada da região durante os meses de Verão (mais de 2 milhões de visitantes em 2014-2015), tem maravilhosas praias de águas tépidas e calmas e falésias naturais, e uma ampla oferta de diversão noturna. Albufeira ainda possui uma gama enorme de restaurantes para todos os gostos, inclusive o Infante Restaurante (http://malaparadois.wix.com/infanterestaurante) especializado em gastronomia portuguesa e internacional. Já Faro (a capital do Algarve) e Lagos destacam-se pela grande quantidade de monumentos romanos e árabes que ainda se conservam. Já as vilas pacatas do interior oferecem paz e tranquilidade a aqueles que desejam fugir do stress e das preocupações do dia-a-dia. Cada um dos 16 concelhos Existem inúmeros locais a descobrir no Algarve.


Desde as reservas naturais ricas em biodiversidade e ecossistemas, às aldeias típicas ou os famosos campos de golfe, encontrará no Algarve mil e uma atividades para preencher os seus tempos de lazer, de dia ou de noite. Os algarvios contam com muitos séculos de convivência com outras culturas, estando por isso habituados a acolher os seus visitantes. Seja qual for o destino que escolher para as suas férias no SUL DE PORTUGAL, quer seja com os amigos ou a família, pode contar com trazer grandes lembranças de momentos inesquecíveis. Das praias de areia na e águas calmas, onde é possível praticar todo tipo de esportes náuticos, aos parques e reservas naturais, para os amantes das caminhadas poderem respirar o ar puro da natureza, passando pelos museus e vilas típicas, onde encontrará lembranças para levar para casa ou experimentará o melhor da gastronomia da região, o SUL DE PORTUGAL tem tudo para proporcionar a aqueles que o visitam umas férias de sonho. O meio de transporte mais utilizado para chegar ao Algarve é o automóvel. No entanto, há também os “autocarros e comboios” (ônibus e trens) que fazem a ligação entre a região e o resto do país. O aeroporto de Faro, a capital da região, também é uma alternativa, com voos que ligam o Algarve às principais capitais europeias.

DOIS


Vamos conhecer o sul? No coração da Costa Vicentina, Aljezur destaca-se entre os melhores destinos europeus para o Turismo de Natureza. Com paisagens deslumbrantes, entre a serra e o mar, que abrigam diferentes habitats naturais e uma elevada biodiversidade, uma costa com algumas das melhores praias de Portugal e um patrimônio geológico, faunístico e orístico de elevado valor cientíco, Aljezur desperta emoções.

A par de um patrimônio natural arrebatador, o acervo cultural de Aljezur é extraordinariamente rico e diverso. Desde a arquitetura tradicional, às igrejas dignas de uma visita atenta, aos museus e núcleos museológicos que retratam elmente a vida de outrora destas gentes, aos mais marcantes vestígios arqueológicos que atestam a importância deste território desde tempos pré-históricos, passando pelas preciosidades gastronômicas e os excelentes produtos locais. Terra de peixe e de carne abundante, assim como de ricos produtos hortícolas, é impossível resistir à batata-doce de Aljezur (IGP), que merece honras num dos melhores festivais gastronômicos da região algarvia, o Festival da Batata-doce de Aljezur. Maravilhosos sargos, douradas e robalos cozidos ou grelhados no carvão, “papas” mouras com “piques”, a couvada ou o feijão com batata-doce, o polvo de molho ou em saladas, os excelentes percebes e mexilhão da Costa Vicentina, a moreia frita e os enchidos, constituem pratos e petiscos bastante procurados. Não esquecendo a famosa doçaria, à base do principal produto local: bolo, torta, pudim ou pastéis de batata-doce e os fritos de Aljezur, entre outras iguarias, combinadas com uma aromática aguardente de medronho, produzida há séculos nesta região de Portugal, fazem as delícias de muitos que aqui se deslocam para as apreciarem. Saberes e sabores divinos, de fato!

Aljezur

Vila do Bispo A natureza por lá ainda preserva grandes áreas de paisagens totalmente virgens, ou seja, intocadas pela a ação do homem. O Patrimônio Cultural é riquíssimo, onde a história se alia com as paisagens de tirar o fôlego. No extremo ocidental da região, condições únicas de belezas convidam os visitantes a carem mais tempo por lá. A costa ocidental é pouco recortada e rios desaguam nas suas baías. Já a costa sul é mais recortada devido a erosão e oferece vistas deslumbrantes das suas enseadas e baías, principalmente em Torre D’Aspa e Sagres. A gastronomia local é um atrativo à parte. Como quase em todo Algarve a gastronomia é a base de frutos do mar, mas carnes de caça são bem abundantes na região. Os esportes radicais são constantes, principalmente os que se desenvolvem no mar. Castelejo é um “point” do surf e conhecido em toda Europa. A arqueologia também é muito presente na região devido ao seu passado histórico. Os Menires de Vila do Bispo intrigam os arqueólogos até os dias de hoje.

Vila do Bispo


Lagos é considerada como uma das melhores e mais populares estâncias turísticas do Algarve. Lagos está situado numa deslumbrante costa de amplas praias douradas, falésias recortadas e águas cristalinas. A cidade histórica é encantadora. Descubra monumentos históricos, a gastronomia local, e a animada vida noturna da cidade. Lagos é a mais ocidental das grandes cidades turísticas do Algarve com apenas a pequena vila de Sagres mais a oeste. A cidade enfrenta uma direção leste e está situado em torno de um porto abrigado com a Ponta da Piedade (considerada por muitos como a mais bela praia do mundo) fornecendo abrigo para a Meia Praia a 7 km, a maior praia no lado ocidental do Algarve. As encostas e falésias expostas da Ponta da Piedade são considerados como a melhor característica natural do sul de Portugal, com grutas, arcos e cavernas marítimas que são melhores exploradas usando um pequeno barco de pesca fretado. O promontório esconde pitorescas praias de enseada, enquanto existem excelentes trilhas para caminhadas ao longo da costa. De volta a cidade de Lagos Há todas as comodidades esperadas de um destino turístico, com uma grande variedade de opções de hospedagem que vão desde quartos simples até resorts de 5 estrelas. Os restaurantes da cidade servem-se o peixe fresco do dia e muitos frutos do mar, há clubes que estão abertos até o nascer do sol e um patrimônio cultural magníco. Gastronomia O mar é uma fonte de riqueza da gastronomia algarvia, com os mais variados pratos de peixe, moluscos e mariscos. Pratinhos de perceves, amêijoas à Bulhão Pato, lulinhas fritas, arroz de polvo ou de lingueirão, carapaus alimados, sardinha assada, são apenas alguns dos inúmeros petiscos e pratos incluídos no menu de qualquer restaurante. Nas carnes, o cozido de grão; o cozido de milhos; a carne de porco com amêijoas e as favas à algarvia são alguns exemplos. A amêndoa e o go (e até a alfarroba) são protagonistas na doçaria algarvia. Os bolinhos feitos de massa de amêndoa com recheio de ovos-moles ou os de ovos são a base para as mais variadas fantasias. Os Dom Rodrigos são igualmente feitos de amêndoa e ovos, protegidos por um invólucro de prata colorida. Também o famoso Morgado não dispensa a amêndoa. O go, depois de seco, inteiro ou esmagado, permite uma grande variedade de utilizações. Assinale-se uma vez mais a Feira Concurso Arte Doce, que decorre em Lagos no último m de semana de Julho e onde tem destaque a doçaria tradicional algarvia. Visitar Monchique, é visitar uma área serrana com uma grande diversidade de ora e clima suave, carinhosamente apelidado de "Jardim do Algarve". Patrimônio natural que induz à contemplação. “Ribeiros” cristalinos que desenham meandros no fundo de vales escarpados. Dotada de elevada qualidade ambiental, a frescura da serra apresenta-se como um contraponto ao caloroso litoral algarvio e Baixo Alentejo. No centro da vila pode desfrutar de uma magníca vista a partir do miradouro do parque são Sebastião, visitar a igreja Matriz de Monchique datada do início do século XVI, o Convento de Nossa Senhora do Desterro e aproveitar para percorrer as estreitas ruas da vila, contemplando o vasto casario branco com as típicas chaminés de saia e parar para visitar as casas de artesanato. Vale ainda a pena subir a Serra até a Picota ou até ao ponto mais alto do Algarve, a Fóia, de onde se avista uma grande extensão de paisagem

DOIS

Lagos

Monchique

desde o Cabo de são Vicente até à Serra da Arrábida. Merecedor de visita é ainda o Moinho do Poucochinho, no Barranco dos Pisões, onde pode se pode fazer um agradável picnic nas suas mesas de pedra e à sombra de uma das muitas árvores classicadas existentes na serra de Monchique.


Portimão é uma cidade balnearia com muito para ver e fazer. Os amantes da praia estarão próximos da Praia da Rocha, onde encontrarão muitas comodidades, como bares, cafés, restaurantes e lojas, além de muitos esportes aquáticos à escolha. Para quem aprecia a paisagem, o passeio marítimo à beira-mar é particularmente agradável para caminhar e ver os barcos ao largo. Pode aproveitar para provar as tradicionais sardinhas da região com pão caseiro num dos famosos restaurantes de peixe fresco. A região é especialmente movimentada em Agosto, quando as multidões se juntam para celebrar o popular Festival da Sardinha. Os barcos que oferecem passeios pelo rio Arade também partem desta área, dando aos visitantes uma oportunidade para admirar a paisagem do interior. A animada vida noturna de Portimão é bem distinta da tranquilidade e pacatez sentida noutros tempos. A marina é o símbolo máximo da modernidade da cidade e tornou-se um local disputadíssimo por ingleses e holandeses no Verão, com uma ampla oferta de bares, restaurantes e discotecas com ambientes selecionados. A Praia da Rocha é a área mais animada para entretenimento noturno com seus inúmeros bares e clubes oferecem festas até de madrugada e o seu casino atrai visitantes de todos os pontos da Europa. No Verão, quando muitas discotecas acolhem DJs internacionais, a Praia da Rocha torna-se um dos locais de animação noturna mais exclusivos do Algarve. Os praticantes do golfe dispõem de vários campos nas redondezas, incluindo os campos dos Álamos, Morgado, Alto Golf, Penina e Silves Golf.

Portimão

Silves

É uma das mais antigas cidades do Algarve, do qual chegou a ser a capital. É certamente uma das mais belas cidades ao sul de Portugal. Silves é cortada pelo Rio Arade que nasce na Serra do Caldeirão, corre pelos lindos vales do Barrocal algarvio onde alimenta as Barragens do Funcho e do Arade e por m desagua em Portimão. Em Silves, o Rio Arade sofre o efeito da maré fazendo com que o nível da água suba e desça diariamente criando, a certas horas um espelho de água em frente à cidade. A principal atração da cidade é seu castelo. Considerado monumento nacional português é o maior, mais importante e tenha sido resultado do domínio árabe, havendo indícios do mesmo tipo de confecção noutras mais visitado castelo algarvio. regiões que tiveram inuência desses povos. De fato, a cozedura hermética a vapor, de forma lenta e a temperaturas baixas, própria da catalana, é encontrada num outro recipiente, a A GASTRONOMIA ALGARVIA tajine de barro, usada tradicionalmente por alguns povos do Norte da África. O termo cataplana não só denomina o mais afamado prato típico da região, diverso em aromas, paladares e matizes, como identica também o recipiente característico utilizado na Existem ainda dezenas de tipos de cataplanas algarvias, dentre elas se destacam-se: Cataplana de Litão e Feijão Branco; Cataplana de Polvo e Batata Doce; Cataplana de Camarão e sua confecção. Lingueirão; Cataplana de Bivalves; Cataplana de Peixes e Mariscos; Cataplana de Ventrecas Esta espécie de panela metálica, originalmente em cobre ou (Barriga de Atum); Cataplana de Sardinha; Cataplana de Raia, Mexilhões e beldroegas; latão, é formada por duas partes côncavas ligadas por uma Cataplana Mista; Cataplana de Cavala, Batata-Doce e Tomilho-Cabeçudo e muitas outras. dobradiça que, com a ajuda de dois fechos laterais, permite que as mesmas se fechem sobre si de forma estanque. Das origens da cataplana pouco se conhece, dada a carência de registos históricos sobre a sua criação. As semelhanças permitem conjeturar que possa ter sido inspirada nos bivalves da Ria Formosa, até porque os bivalves e as amêijoas, em particular, constituem um dos ingredientes mais utilizados na cataplana. De uma forma mais fundamentada, mas não documentada, supõe-se que a sua proveniência e difusão no sul de Portugal


Albufeira a mais cosmopolita das cidades do sul de Portugal e também a capital do concelho. Albufeira encanta milhares de turistas e viajantes do mundo inteiro todos os anos. Uma cidade para parâmetros mundiais pequena, mas que alberga mais de 100 hotéis prontos para atender todos os gostos. Com a maior quantidade de bandeiras azuis de Portugal, Albufeira possui praias lindíssimas e um clima ameno no inverno e quente no verão. Toda a cidade gira em torno do turismo, principal fonte de recursos da cidade. centenas de bares e restaurantes estão espalhados por todas as “zonas” para atender aos turistas e visitantes. Nossa indicação de um excelente restaura é o Infante Restaurante (http://malaparadois.wix.com/infanterestaurante) juntamente com seu anexo Infante Bar transforma os dias e noites de Albufeira em um verdadeiro deleite. As Praias de Albufeira Mas foram as praias que deram a Albufeira renome internacional. E todas são diferentes, cada uma com o seu encanto próprio. A variedade é grande e tem início a oeste na Praia dos Salgados com as suas dunas de areias douradas. Sucedem-se areais emoldurados por rochedos esculpidos pela erosão como a Galé, Castelo, São Rafael ou Arrifes. A cidade Velha também tem praias – Pescadores, Túnel, Alemães e Inatel - acessíveis num curto passeio a pé. E a oferta continua na direção leste rivalizando em beleza e animação nas Praias da Oura, Santa Eulália, Maria Luísa e Olhos de Água que tem nascentes de água doce em pleno areal. O limite do concelho é marcado pelo longo areal da Praia da Falésia - quilômetros de praia limitados pela falésia que lhe deu nome que se declina em matizes dourados, acobreados e avermelhados. Uma imagem que ganha mais intensidade à luz do m da tarde ou Sunset como preferem os maisjovens e, que permanece na nossa memória para sempre. Visite Albufeira e descubra todo encanto que fez o Grupo Malaparadois trocar sua sede do Rio de Janeiro para esta cidade.

DOIS

Albufeira


Culinรกria Portuguesa & Internacional

Portuguese Cuisine and International


"Nossos pratos e bebidas passam por sabores de Portugal, Espanha, França, Itália, Reino Unido, Alemanha, Argentina, Brasil, Holanda e Países Escandinavos»

DOIS

“Our dishes and drinks undergo flavors of Portugal, Spain, France, Italy, United Kingdom, Germany, Argentina, Brazil, Holland and the Scandinavian countries”

A gastronomia do Infante Restaurante abrange todas as técnicas, práticas e conhecimentos que ajudam a construir uma alimentação com qualidade. Estudamos não apenas os vários modos de preparação dos alimentos, mas também as bebidas indicadas para cada refeição e os materiais utilizados na confecção dos pratos. Nosso Chef renomado e com vasto conhecimento gastronômico, tem como objetivo unir de maneira harmoniosa diferentes sabores, provocando uma sensação de plena satisfação por todos os sentidos: olfato, paladar, visão e tato.

Infante Restaurante

Sensação de plena satisfação por todos os sentidos The Malaparadois Group

MORADA | ADDRESS Rua do Estádio Urb. Quinta Belavista Lote E4 Lojas G I J L - Albufeira - 8200-127, Portugal Email: novoinfanterestaurante@gmail.com +351 91 440 93 36 | 289 592 177


Loulé é sede do maior município algarvio com 765,12 km² de área e mais de 60 mil habitantes, subdividido em 11 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Almodôvar, a leste por Alcoutim, Tavira e São Brás de Alportel, a sudeste por Faro, a sudoeste por Albufeira, a oeste por Silves e a sul tem litoral no Oceano Atlântico. O município de Loulé engloba duas cidades: Loulé e Quarteira. No concelho de Loulé situam se complexos turísticos de grande importância. Turismo: No concelho de Loulé encontram-se alguns dos locais mais cobiçados do país. Destaca-se Vilamoura, que é o maior complexo turístico da Europa. Dispõe de marina, uma academia de golfe e cinco campos de golfe, um casino, várias discotecas, clube de tênis, clube de mergulho, outras instalações de lazer, uma extensa praia, e dezenas de hotéis de 5 e 4 estrelas. Iniciada na década de 1960, Vilamoura tem uma área de 1600 hectares. O projeto arquitetônico desenvolve-se em torno da marina, e inclui centenas de casas distribuídas pela zona residencial, e outros empreendimentos dedicados quase exclusivamente ao turismo.

Loulé

DOIS

Albufeira

Outro fator que atrai centenas de visitantes para Loulé é seu mercado central e o carnaval, um dos maiores do país. São Brás de Alportel localiza-se em pleno coração do Sotavento Algarvio, tornando-se assim uma porta que se abre à Serra e uma janela sobre o Oceano, que espreita curioso entre colinas… Terra prazerosa, que recebe seus visitantes com um sorriso, tem o encanto das tardes serenas, do ar saudável da serra e do perfume das ores silvestres que despontam pelos vales.

São Brás O concelho de Faro tem cerca de 65.000 habitantes distribuídos por 210 km2 de área, dos quais 30% estão integrados na Reserva Natural da Ria Formosa. A sul, o território é delimitado por um cordão de areia com 19 quilômetros de comprimento, o qual é interrompido por ligações entre o mar e a Ria Formosa, formando 3 ilhas principais. Faro é uma cidade milenar a descobrir. De origem pré-romana, conhecida como Ossónoba, era um dos mais importantes centros urbanos do sul da península. O dinamismo cultural e esportivo do concelho, são forte aliados da cidade. As ilhas, visitáveis de barco, embora uma tenha acesso viário, são lugares de excelência para desfrutar de dias muito agradáveis em contato com a natureza e com a Ria Formosa, usufruindo de passeios de barco, de bicicleta ou a pé para observação das aves na Ria ou simplesmente para relaxar. A gastronomia local, dependente dos alimentos colhidos na Ria

Formosa e as praias de areia dourada e águas amenas, com bandeira azul, sendo algumas habitadas apenas por aves migratórias, são entre outros, aspectos as maravilhas das ilhas da Ria Formosa. Com enorme patrimônio arquitetônico e cultural, o Concelho de Faro possui uma lista variadas de locais a visitar: Cidade Velha, Paços do Concelho, Torres Bizantinas, Museu Regional do Algarve, Igreja Matriz de Stª. Bárbara de Nexe, Igreja e Hospital da Misericórdia, Celeiro da Horta de S. Francisco, Igreja da Ordem Terceira do Carmo, Arco da Vila (No seu interior localiza-se a Porta Árabe), Sé Catedral, Paço Episcopal, Seminário Episcopal de S. José, Convento da Nossa Senhora da Assunção - Museu Municipal de Faro, Ruinas de Milreu, Igreja Matriz de São Pedro e Igreja do Convento de Santo António dos Capuchos.

Faro


O principal porto pesqueiro do Algarve... Olhão De início pode parecer um lugar desinteressante. Mas torna-se muito mais interessante quando entramos e chegamos à beira-mar.

Olhão

DOIS

Siga a sinalização em direção ao porto se quiser ver os barcos coloridos em plena faina algarvia e deslumbre-se com as cores da cidade. Durante todo o ano, o mercado municipal tem uma variedade excepcional de peixe e marisco à venda. Fica localizado num conjunto de edifícios vermelhos na avenida marginal, onde pode conhecer a vida olhanense. Embarcações de turismo fazem a ligação para às ilhas da Armona e da Culatra. Ambas as ilhas são maravilhosas em termos de natureza, sem carros, sem bares e sem aglomerações. Tavira: Tranqüilidade é o ponto forte desta cidade Um dos destinos preferidos no Algarve para quem busca tranqüilidade. É uma antiga cidade costeira construída em ambas as margens do rio Gilão que tem prosperado com o turismo e com a sua indústria pesqueira. Possui uma ponte moderna e outra da época romana, e uma ilha (a Ilha de Tavira), próximo da costa. Perto existem boas praias como por exemplo a praia do Barril e diversos resorts dedicados ao turismo como as Pedras d’el Rei. Tavira é um bom lugar para saborear um belo peixe, os restaurantes locais são muito bons ou então pode deslocar-se à pequena localidade de pescadores de Santa Luzia, onde lhe será servido um excelente peixe fresco. Se partirmos do centro, a Praça da República, podemos ir pela margem do rio pela Rua da Galeria e iremos ver uma bela igreja, a Igreja da Misericórdia. No seu interior existem representações de cenas bíblicas em azulejos artísticos e elementos que vão do barroco ao neoclássico. Próximo ca o castelo de Tavira, onde repousam os restos mortais de D. Paio Peres Correia, que conquistou o Algarve na reconquista aos mouros, que expulsou de Tavira em 1242. Um bom passeio por Tavira é seguindo o curso do rio para explorar as ruas na periferia do rio, os restaurantes, bares e lojas. Há um centro comercial e cultural, o antigo Mercado da Ribeira junto ao rio, com cafés, lojas e exposições de artesanato local. A seguir ao mercado está a “lota” e os barcos de pesca. Nesta área há muitos restaurantes que oferecem na peixe fresco. Junto à ponte ca o mercado da cidade. Alcoutim, com os seus 576,57 km2 de área, é o concelho que mais a nordeste se situa no Algarve. A ribeira do Vascão separa-o dos concelhos de Mértola e Almodôvar a norte. A oeste faz fronteira com Loulé e a sul com Tavira e Castro Marim. Longe das multidões e da agitação dos centros turísticos do litoral algarvio, Alcoutim é um paraíso de tranqüilidade entre a serra do Caldeirão e o rio Guadiana, fronteira natural com a vizinha Espanha. A caça, a carne de porco e de borrego e o peixe do rio constituem a base de uma rica e diversicada gastronomia, onde se destaca também uma apetitosa doçaria, reexo da abundância de mel, gos e amêndoas do Algarve.

Tavira

Alcoutim


O Concelho de Castro Marim é um incontornável marco histórico. O seu majestoso castelo e a sua posição estratégica que permitia excelentes acessos, por terra ou mar ainda é imponente. Umas das visitas que não pode deixar de fazer é à Reserva Natural do Sapal, onde se pode apreciar toda a beleza singular da sua fauna e ora. A grande maioria das casas mantém-se intactas face ao fenômeno urbanístico, o que permite usufruir toda a história do Concelho. As suas características, que nos levam ao Rio Guadiana, convidam-nos a um passeio de barco, único e imperdível. Castro Marim é uma cidade completa, que oferece as praias, a serra e o rio. Uma grande área demarcada (cerca de 2000 hectares) entre Castro Marim, Monte Gordo e Vila Real de Santo António é o "Reserva Natural do Sapal”, que é o habitat de cerca 153 espécies de aves, incluindo cegonhas, alfaiates, maçaricos e bandos de amingos. Há também mais de 400 espécies de plantase vários répteis, anfíbios e mamíferos. No centro de visitantes em Cerro da Rocha, guias de itinerários são fornecidos gratuitamente.

Castro Marim

DOIS

Ainda está presente em Castro Marim. Artigos de rendas e cestaria são freqüentes nesta área do Algarve. Nas vilas de Altura e Furnazinhas artesanatos de esparto e palma são encontrados em cada esquina (tapetes coloridos). Os homens de Odeleite concentram o seu tempo extra nas cestas de juncos que crescem nas margens do rio e que são vendidas por lá. O visitante em Castro Marim tem um Algarve um pouco diferente, com uma paisagem maravilhosa para explorar e relaxar diferentemente da vida agitada de Faro, Albufeira, Lagoa, Lagos e Portimão. Vila Real de Santo António, com cerca de 12000 habitantes, subdividida em 3 freguesias: Vila Nova de Cacela, Monte Gordo e Vila Real de Santo António. O rio Guadiana dene a fronteira entre Portugal e Espanha, sendo sua foz a beleza maior de Vila Real de Santo António. Um pouco de história: Ao longo da sua História, Portugal teve sempre problemas políticos com a vizinha Espanha, e por isso sempre houve um especial cuidado com as fronteiras. A foz do rio Guadiana divide o extremo sudeste português do extremo sudoeste espanhol, e durante muitos anos a única cidade portuguesa que protegia o território nacional nessa zona era Castro Marim. Nessa medida, e porque esse período foi uma era de grandes mudanças no país, foi assinada a 30 de Dezembro de 1773 uma Carta Régia que dava conta da criação de uma cidade no extremo algarvio – nascia assim Vila Real de Santo António. A principal praia balneária é Monte Gordo. A praia é o paraíso para os turistas, principalmente os espanhóis por estar muito próxima a fronteira com a Espanha. Nos verões os espanhóis vão em "massa" e o idioma que se houve por lá deixa de ser o português e passa-se a ser o espanhol.

Vila Real

Os Dom Rodrigo são doces tradicionais do Algarve de origem conventual, que terão tido origem em Lagos, num agradecimento das Freiras Carmelitas de Clausura a Don Rodrigo, dalgo com papel importante no socorro aos sinistrados do terramoto de 1775. São muito conhecidos e bastante divulgados. Os Dom Rodrigo são normalmente embrulhados em quadrados de papel metalizado e colorido, que depois de enroladas as pontas, ganham a forma de uma pequena pirâmide. Receita para 6 – 250 Gr. de os de ovos – 50 Gr. de miolo de amêndoa ralada – 250 Gr. de açúcar – 1/2 dl de água – 4 gemas de ovo – canela q.b. Leve ao lume um tacho com 200 gr de açúcar, cobertos de água. Deixe até obter o chamado ponto pérola, depois de ter fervido durante dois minutos. Retire do fogo e misture a amêndoa. Deixe arrefecer. De seguida junte as gemas de ovo e volte a levar o tacho ao lume, mexendo até engrossar. Polvilhe com canela. À parte, misture o açúcar restante com água, até produzir uma calda em “ponto no”. Numa frigideira, adicione a calda e leve ao fogo. Quando atingir a fervura, adicione-lhe os os de ovos e de seguida, a mistura feita anteriormente com o açúcar, as amêndoas e as gemas. Utilizando duas espátulas, enrole os os de ovos à volta do recheio, envolvendo-o completamente. Deixe alourar e retire da frigideira. Corte seis quadrados de papel de estanho, prateado, dourado ou em outras cores.

De seguida divida a preparação que fez em seis partes iguais, distribua-os pelos seis quadrados de papel que preparou, una as quatro pontas de cada um e enrole-as. Aproveite um momento com alguns amigos para lhes fazer uma pequena surpresa e deliciá-los com um doce tradicional, que ajuda a construir bons momentos.


Sul de Portugal Uma terra encantadora, com paisagens de tirar nosso fôlego e um povo caloroso e acolhedor. Para mais informações sobre este e outros destinos visite nosso website www.malaparadois.com ou entre em contato através dos canais Malaparadois!

DOIS


Lifestyle Riviera Maya é uma região banhada pelo Mar do Caribe, localizada no estado de Quintana Roo no México. Geograficamente, estende-se ao longo do litoral por 130 km, desde a localidade de Puerto Morelos a norte, até à localidade de Punta Allen no sul. A Riviera Maya como destino turístico foi criada em 1999 com o impulso das autoridades municipais, lideradas pelo presidente de câmara Miguel Ramón Martín Azueta. Desde então, a Riviera Maya converteu-se, juntamente com Cancún, no destino turístico mais importante do México e num dos mais importantes à escala mundial.

O que visitar? Puerto Morelos é a localidade mais setentrional da Riviera Maya. Localiza-se 16 km a sul do Aeroporto Internacional de Cancún e 32 km a sul de Cancún. Esta povoação costeira conta com uma variada oferte de hotéis e restaurantes com preços económicos e de baixa densidade. Playa del Carmen é a maior e mais cosmopolita cidade da Riviera Maya. Encontra-se em constante crescimento populacional e oferece ao visitante hotéis de diversas categorias, lojas, restaurantes, bares e discotecas ao longo da sua Quinta Avenida, reservada exclusivamente para peões. Conta ainda com a zona hoteleira denominada Playacar, onde se encontram os hotéis de categoria mais elevada, zonas comerciais, zonas residenciais e campo de golfe.

Riviera Maya


Xcaret é um parque eco-arqueológico onde se pode aprender sobre a cultura do México, a flora e fauna da região e realizar diversas actividades como o mergulho, o snorkeling, natação com golfinhos. Xcaret é o precursor da conservação do meio ambiente local e situa-se a 5 minutos de Playa del Carmen. Foi inaugurado em 1995 e é um dos parques mais visitados do estado de Quintana Roo. Puerto Aventuras é um empreendimento turístico e residencial com elevado nível de privacidade e uma atmosfera náutica hospitaleira. Para além de ser a marina mais completa da península do Iucatão, conta também com praias e um campo de golfe de 9 buracos. Possui ainda uma grande variedade de infra-estruturas turísticas. Akumal é um destino turístico de baixa densidade hoteleira e residencial. A lagoa de Yalkú situa-se a norte da povoação e é uma opção para a prática do snorkeling, tal como o são os recifes perto da praia. A noroeste existem várias cenotes para a prática do mergulho e natação. Xel-Há é uma baía cujas condições naturais são semelhantes a um aquário natural. O parque de diversões associado promove a conservação do meio ambiente e é ideal para a prática de snorkeling, sendo possível observar uma grande variedade de fauna marítima. Tulum é uma zona arqueológica de beleza imponente, elevando-se sobre as águas em tons de azul-turquesa do mar das Caraíbas. Foi uma antiga cidade maia amuralhada bem como porto comercial. A povoação moderna conta com uma variada oferta a nível hoteleiro.

DOIS


A Grécia do seu jeito Chania Um dos novos destinos de cruzeiros pelo Mediterrâneo Creta tem inúmeros atrativos e dentre eles o que não pode faltar no seu roteiro é Chania, nem que seja apenas para uma visita rápida, um bate-volta. Esta que já foi a cidade mais influente da ilha, é um dos destinos gregos mais pitorescos e que proporciona passeios adoráveis, seja explorando o centro histórico ou percorrendo as adjacências, que concentram montanhas e praias de destaque a nível nacional. Chania, fica acessível através do Aeroporto Internacional Ioannis Daskalogiannis, aproximadamente 40 minutos de voo a partir do Aeroporto Internacional de Atenas. Por meio do porto de Souda, que inclusive, está na rota dos cruzeiros, ou pela rodovia, cerca de 140 Km de Heraklion. Indicada em todas as estações do ano, pois nem nos dias chuvosos e nublados ela perde o charme, é no verão que o fluxo turístico fica intenso. Com becos labirínticos que esbanjam charme e rusticidade, convites irrecusáveis para os visitantes que adoram admirar e fotografar varandas floridas e casarões antigos bem conservados, é possível denotar as características cretenses integradas à influência arquitetônica de quando Creta foi colônia de Veneza ou da época em que ficou ocupada por turcos. Uma excelente oportunidade para imaginar como era morar naqueles casarões em décadas ou até séculos antes, é hospedar-se em algum deles, já que muitos foram restaurados


DOIS e transformados em hotéis. Apenas atente que essa sugestão é válida no caso de você não se incomodar em ficar em meio ao barulho e movimento, pois cedo pela manhã, inicia a agitação de moradores e turistas. O que pode ser positivo, vivenciar o cotidiano de um lugar tão popular. Para aproveitar melhor, o ideal é uma estada de no mínimo duas noites, principalmente se pretende incluir passeios pelos arredores, e dentre algumas opções estão: · Parque Nacional de Samariá ou Garganta de Samariá, considerada Reserva Mundial da Biosfera. O tour tem nível de dificuldade, com cerca de 4 até 6 horas de caminhada, contudo a recompensa acontece ao chegar na linda praia de Agia Rouméli. · Cabo Gramvoúsa, área protegida no final do noroeste de Creta, e Balos (um dos cartões postais da ilha). Excursão feita com barco. Há aventura, porém sem muitas dificuldades. ·

Praia de Elafonisi, reserva natural protegida e eleita uma das 20 praias mais lindas do mundo.

· Praia de Falasarna, a maior praia do oeste de Creta. Com areia fina e água rasa, é perfeita para quem está com crianças. E então, já está idealizando a riqueza de informações e as belezas naturais que encontrará em Chania? Νão tenha dúvidas de que terá dias excepcionais.

Amanda Fontenele, Administradora do site "A Grécia do seu jeito..." Colunista do malaparadois www.agreciadoseujeito.com


Infante Restaurante

Sensação de plena satisfação por todos os sentidos

ABERTO TODOS OS DIAS OPEN EVERY DAY

Almoço, jantar e Happy Hour! Culinária Portuguesa & Internacional

Portuguese Cuisine and International

Lunch, dinner and Happy Hour! A célebre tradição gastronômica se faz presente no Infante Restaurante.

The famous gastronomic tradition is present in Infante Restaurant.

Rua do Estádio Urb. Quinta Belavista Lote E4 - Loja GIJL - Albufeira - 8200-127, Portugal + 351 91 440 93 36 | 289 592 177 Malaparadois Taste & Drinks Lda


DOIS


Blogs Viajando de carro na Itália Itinerário de carro em sete dias na Emilia O que fazer na Emilia Romagna em uma semana? A Emilia Romagna oferece aos visitante paisagens maravilhosas, encantos para os olhos e para o espírito em um misto de cores e perfumes da terra, de alegria, de musica, de cinema e de arte. Situada entre o curso do Po ao norte e os relevos Apeninos no sul, essa região é considerada entre as mais férteis e produtivas da Itália, graças também à influência do Mar Adriático que suaviza o clima na zona costeira. A Emilia Romagna está entre as regiões com maior fluxo turístico seja nacional que internacional. Isso graças as numerosas aldeias históricas, às esplêndidas cidade de arte e à costa romagnola que atrai todo ano, principalmente no período estivo, centenas de milhares de turistas. Notável é a qualidade e quantidade de serviços turísticos e das estruturas receptivas ao longo da costa que permite satisfazer as exigências de cada turista, do grupo de jovens até as famílias com crianças. Magníficas são as cidades de arte com um grandíssimo patrimônio artístico e arquitetônico como Bolonha, Ravenna e Ferrara em primeiro lugar, mas sem esquecer outras cidades importantes da província como Parma, Modena e Piacenza.

Parma

Aterrissando o avião, alugaremos um carro em Bolonha e começamos a nossa viagem para as colinas romagnolas, ficando nos hotéis-fazenda ao redor da zona de Bolonha, até chegar a Rimini. Será uma semana dedicada à Romagna, apreciando o verde, a zona de colinas dessa região além da sua costa. A esse ponto começamos! O nosso itinerário inicia pela esplêndida cidade de Bolonha. 1)

Primeiro dia

Chegamos ao aeroporto de Bolonha, alugamos um carro e vamos conhecer Bologna la Dotta. Depois prosseguimos até Dozza e Castel San Pietro Terme. O tour na cidade emiliana se inicia na Piazza Maggiore, ponto de encontro da cidade e dos acontecimentos civis, religiosos e lúdicos. Ao lado, podemos admirar a imponente Basilica di San Petronio, ali perto tem o Duomo di Bologna que é a Catedral de San Pietro. Em volta da Basilica di San Petronio existem edifícios históricos belíssimos como, o Palazzo Del Podestà, Palazzo dei Notai e Palazzo dei Banchi. Continuamos o passeio no centro de Bolonha, à procura dos aspectos típicos gastronômicos. Paramos perto de uma das mais antigas lojas de ótima gastronomia bolonhesa para experimentar alguns dos produtos locais que fizeram a história de Bolonha, onde degustaremos mortadela EGP, torresmos, linguiças. Almoçamos em uma típica taberna no centro. À tarde vamos para Dozza, uma das aldeias medievais mais belas da Itália, onde depois de um agradável passeio pelas suas ruas, entraremos na Rocca Sforzesca, os subterrâneos desse edifício hospedam a

Bologna


Enoteca Regional da Emilia-Romagna, com 800 etiquetas e produtos típicos regionais. Prosseguimos para o Castel San Pietro Terme, onde nos arrumaremos para o jantar e a reserva em um dos hotéis fazenda da zona. 2)

DOIS

Segundo dia

Depois do café da manhã, partiremos para uma volta pela culta cidade de Ferrara. Paramos em Minerbio para visitar Rocca Isolani e na cidade de Soverzano, para visitar o esplêndido Castelo de San Martino ou dos Manzoli. Chegando a Ferrara, utilizaremos o meio de transporte mais difuso, a bicicleta, que é ótimo nessa cidade maravilhosa. Existem tantas ciclovias, algumas das quais com um itinerário turístico, seja no centro da cidade que nos partes ao redor. Não pode perder o Castello Estense, que pode ser visitado também no seu interior, a mesma coisa vale para as torres e as prisões subterrâneas. De notável interesse é também a Cattedrale di San Giorgio, iniciada em estilo românico, e até hoje prevalece na fachada anterior. Em seguinda, nos dirigimos em direção à planície de Ferrara, com uma parada no Quartesana em uma fazenda, para saborear salames e frios de produção própria, incluindo a típica Salama da Sugo de Ferrara. O dia terminará em Ostellato, onde poderemos saborear os produtos típicos da zona acompanhados por um bom vinho, e claro, passar a noite aqui. 3)

Terceiro dia

Depois de um bom café da manhã no hotel fazenda, partimos para Pomposa, onde faremos uma parada para visitar Abbazia. Prosseguimos depois para os vales de Comacchio para dedicar o dia às visitas com excursões ao Parque Regional do Dolta Del Po, considerado pela UNESCO Patrimônio da Humanidade. Em particular, vamos nos concentrar nos Vales de Comacchio, um dos mais importantes complexos de gagoas presentes na Itália e na Europa. Comacchio é uma cidade italiana na província de Ferrara. As suas praias são definidas como sete estrelas que brilham na Costa Adriática, são sete luminosos centros para o turismo de praia, esportivo e natural. Não faltam os momentos culturais com o pitoresco centro histórico e os museus. Além da visita do centro histórico, é possível fazer também passeios de barco ao interno dos vales, onde podemos ver os Casoni, típicas construções para as equipes de pecas que ali viviam durante as estações de pesca.

Rimini

Quem visita Comacchio não pode perder os produtos típicos locais, de modo que seu paladar pode saborear um bom peixe, o primeiro entre todos é a enguia, a rainha dos vales. Outro clássico imperdível da enogastronomia de Comacchio é o Vino delle Sabbie (Vinho das Areias). Para o almoço existem muitíssimas possibilidades graças aos vários restaurantes e degustar pratos a base de peixe, preparados de acordo com a tradição de Comacchio. 4)

Quarto dia

Depois de um bom café da manhã vamos para a cidade de Ravenna. Ravenna é conhecida como a cidade dos mosaicos bizantinos, presentes na Igreja de Sant'Eufemia e no Palazzo Teodorico. Os monumentos cristãos foram declarados como Patromônio da Humanidade da UNESCO. Cidade culturalmente realmente rica e fascinante, a notoriedade de Ravenna é, muitas vezes, obscurecida pela ressonância de outras renomadas cidades de arte italiana. São poucos, na verdade, que sabem que é aqui que estão os restos mortais de Dante, assim como poucos sabem que Ravenna detêm oitos monumentos que hoje são Patrimônio Mundial da UNESCO. Ravenna tem um passado glorioso, foi por três vezes capital de três diferentes impérios (do Império Romano do Ocidente depois de Teodorico, o Grande, enfim, do Império bizantino na Europa), como testemunha temos as fascinante basílicas e os batistérios da cidade, local onde

Bologna


se conserva o mais rico patrimônio de mosaicos dos séculos V e VI. As obras primas da cidade são exemplo da magnificência adquirida durante a sua longa história. Entre os monumentos imperdíveis, incluem a Basílica de S. Apollinare Nuovo, o Mausoléu de Teodorico e a Basílica de S. Apollinare in Classe. 5)

Quinto dia

Depois do café da manhã, deixamos Ravenna para chegar a Maranello e depois Modena. Uma das paradas que eu aconselho para quem ama os sabores, as belezas italianas e os automóveis é a zona de Maranello, depois vamos para Modena. Na zona de Maranello, os amantes de automóveis podem visitar o Museu Ferrari, apresentado à poucos anos, e degustar plenamente a história dessa terra e da sua família. Maranello é a pátria dos motores e por isso é chamada também de Motor Valley. Imperdível é a visita à casa das Ferrari. Depois de deixar Maranello, chegamos a Modena, uma cidade com um importante passado, ao longo da histórica via Emilia, primeiro foi um assentamento etrusco, depois gálico, então em 183 a.C., uma colônia romana. A cidade que foi capital do ducado por um longo período, construiu pequenos tesouros de arte, como a Catedral Românica, no coração de Modena, na Piazza Grande, e listada pela UNESCO, junto mesma praça e a Ghirlandina no elenco da lista do Patrimônio da Humanidade. Modena é considerada a cidade do gosto e a pátria do tortellini, impossível parar de apreciar esse típico. Depois de desfrutar dessas delícias, merecemos uma boa noite de sono. 6)

Sexto dia

Depois do café da manhã, deixamos a cidade de Modena para chegar a Parma e Piacenza. Uma parada imperdível para os turistas é Parma, em particular o Teatro Regio que não tem nada para invejar na mais célebre Scala di Milano, em outubro acontece o Festival Verdi com concertos durante o mês todo. Em Parma será possível conhecer os diversos tons que a historia, a arte, a cultura e a tradição deixaram nessa cidade, começando pela época medieval, da rica hereditariedade da arte do Renascimento, dos esplendores da época dos Farnese, a reconstrução borbonica do estado, o feliz período do governo da duquesa Maria Luigia d'Austria. O itinerário é todo no coração da cidade e permite um passeio pelas ruas do centro histórico entre suas praças e as fachadas de outros monumentos como o Teatro Regio, a Prefeitura e o Palácio do Governador na Piazza Garibaldi, a Catedral e o Batistério. Entre Parma e Piacenza existem mais de vinte e dois castelos e fortalezas que formavam um Ducado e que são até hoje liberados para visita.

Ravenna

São todos muito belos, mas se tem mesmo que escolher, então o nosso preferido é o Castello di Rivalta que se localiza ao interno de uma pequena aldeia, bem no coração de Piacenza. O Castello di Rivalta é uma parada desejada por personagens ilustres para passar as férias no mais complexo relax, circundado por historia e beleza. Depois de fazer uma pequena parada para ver o castelo, prosseguimos para visitar a cidade de Piacenza, onde dormiremos. Símbolo do esplendor do antigo Ducado de Parma e Piacenza é o majestoso Palácio Comunal ou Gótico (séc. XIII) e Piazza del Duomo, dominada pela Catedral no estilo românico. Entre os numerosos e prestigiosos monumentos se destaca a Igreja de San Sisto, a Igreja de Santo Antonio e o neoclássico Teatro. Depois de rodar por toda a cidade, paramos para um jantar em uma taberna local e logo em seguida: cama. 7)

Sétimo e último dia

Depois de tomar um ótimo café da manhã, deixamos Piacenza e vamos para a costa, mais precisamente para Rimini, com essa cidade terminamos nosso itinerário.

Certosa di Pavia


Rimini e a zona costeira da Romagna oferecem muito, muito mais, mas a diversão e a piadina (um pão típico) são duas coisas que são frequentemente lembradas e mencionadas. Obviamente não podemos esquecer o belíssimo centro histórico da cidade de Rimini, onde de organizam atividades culturais durante todo o ano. Não pode perder o Templo malatestiano. Inicialmente era convento franciscano, depois transformado no mausoléu pessoal de Sigismondo Malatesta. Nunca uma terra foi tão atenta ao turismo como a província de Rimini, a hospitalidade por esses lados é um orgulho que deveria ser exportado para todo o mundo. Tradição, cultura, festas e espetáculos são partes integrantes de Rimini, com um calendário que abrange o ano inteiro. Apesar de ser essencialmente um resort, não tem como ficar entediado em nenhum período do ano.

DOIS

O nosso itinerário termina em Rimini, deixamos o carro alugado no aeroporto e retonarmos a casa. Mas foi só um gostinho de quanto a região, e cada província, podem oferecer em qualquer estação do ano, mesmo sendo espetacular no verão. Como Chegar A Emilia Romagna é facilmente acessível por vários meios de comunicação, que vão do percurso pela autoestrada, até um cômodo passeio de trem com Italo e Trenitalia, e enfim, por via aérea. De avião Os aeroportos de Parma, Bolonha e Rimini colegam a região com as importantes cidades italianas e europeias mediante serviços de linha de voos particulares. De carro A autoestrada A1 Milão-Nápoles liga a região com importantes cruzamentos de autoestradas, a Parma com a A15 proveniente de La Spezia, a Modena com a A22 proveniente de Brennero, a Bolonha com a A13 proveniente de Pádua –Veneza e a A14 Bolonha-Bari. De trem O trem de alta velocidade é certamente o principal da rede ferroviária da Emilia-Romagna. A rede ferroviária consente rápidas ligações com o Norte, o Centro, e o Sul da Itália. O serviço de Alta Velocidade – AV conecta Bolonha e Reggio Emilia em brevíssimo tempo com Milão- Ancona- Florença- Roma- Nápoles. Da Europa é possível chega até a Emilia-Romagna através dos cruzamentos de Tarvisio, de Brennero, de S. Gottardo e de Sempione. Outros serviços são garantidos por Italo para as localidades de Reggio Emilia, Bolonha e Rimini, e da rede das Ferrovias Emilia Romagna.

Ana Patricia, ítalobrasileira, vive há 12 anos na Itália, formada em Scienze del turismo pela Universidade da Calábria, com mestrado em Turismo Cultural, única guia de turismo em língua portuguesa da Calábria, administradora dos site Touristico.It e Viajando para a Calabria.


Gastronomia Com o Chef Celso Rossi Cataplana de Raia

Ingredientes para 2 pessoas: 2 asas de raia 1 cebola 1 pimentão verde 1 tomate maduro (ou 1 lata pequena de tomate pelado) 1 raminho de coentros sal 1 malagueta 100ml de vinho branco azeite q.b. 8 batatinhas novas Preparação:

Receba dicas gastronômicas diretamente no seu celular, tablet ou desktop. Acesse o WhatsApp do malaparadois e fale diretamente com o Chef Celso Rossi. www.malaparadois.com

No fundo cacataplana (na falta desta num tacho que feche bem) coloque a cebola cortada em rodelas. Coloque depois as asas de raia, o pimento em tiras e o tomate cortado em pedaços. Tempere com sal, a malagueta em pedacinhos, o ramo de coentros e regue com o vinho branco e o azeite. Feche a cataplana e deixe cozinhar cerca de 20 minutos em lume brando. Entretanto coza as batatinhas em água temperada de sal. Junte as batatinhas já cozidas à cataplana e sirva de imediato.


DOIS

O BACALHAU DO REI tem cardápio variado com 18 tipos de prato de bacalhau em porções executivas (individuais) ou para duas pessoas, além de diversas opções em peixes, carnes e petiscos, sobremesas e bebidas. Os dois ambientes disponíveis na casa também permitem sua escolha entre o conforto do ar condicionado no salão principal e a informalidade da varanda. Rua Marquês de São Vicente, 11 - Gávea - Rio de Janeiro - (21) 2239-8945 / 3489-8646


Organize a sua viagem para Itália conosco! Garantimos total assistência durante toda a sua viagem em língua portuguesa. Transfers e city tours em língua portuguesa em toda Itália. Com touristico você nunca vai se sentir sozinho! www.touristico.it

Touristico - Consultoria Turística Itália Brasil - (Partita IVA: 03187610781) Horário: 09:00 - 19:00 (horário italiano) Tel/whatsapp: (+39) 3286417928 Skype: anapatriciaconsultant MSN: anapatriciaconsultant@hotmail.it www.touristico.it Visite nosso blog e siga nossos conselhos turísticos sobre a Itália: www.touristico.it/blog Perfil público linkedin: http://it.linkedin.com/pub/ana-patricia-da-silva/42/a44/b1a


DOIS

Para a realização dos itinerários/city tour contamos com o apoio técnico de Bonjour Italie Tour Operator Importante: - Passageiros com destino ao exterior devem portar passaporte com validade mínima de 6 meses, contabilizados a partir da data de seu embarque. - Visto válido - consultar necessidade de visto para o seu destino. - Sobre reservas - reservas aéreas/hotel/carro são sujeitas a reajustes sem prévio aviso. Pedir sempre a cotação antes de fechar um contrato. - Sobre reservas - pacotes de turismo são sujeitos a reajustes sem prévio aviso. Pedir sempre a cotação antes de fechar um grupo. - Seguro de Viagem – obrigatório para viagens à Europa (cobertura mínima €30.000) e demais destinos aconselhável. Não nos responsabilizamos por clientes que viajam sem seguro. - Vacina de febre amarela (10 dias antes do embarque) - consultar necessidade para o seu destino (www.anvisa.gov.br); - Verificar documentação necessária para viagens de menores desacompanhados. CONDIÇÕES DE PAGAMENTO: 30% de entrada e saldo final até 30 dias antes da chegada do cliente na Itália. Com transferência bancária para Itália ou com cartão de crédito (adicionando 2% de fee) NOTA IMPORTANTE: os vouchers serão entregues entre duas semanas do início do serviço ou após a confirmação oficial de todos os fornecedores. CONDIÇÕES DE CANCELAMENTO: Entre 30 dias: 10% de penalidade do total geral Entre 29 dias e 20 dias: 30% de penalidade do total geral Entre 19 dias e 10 dias: 50% de penalidade do total geral


DOIS

Burguês Hamburgueria Bar e Restaurante Americano Rua Aricuri, 1357 Loja, Campo Grande, Rio de Janeiro Horário de funcionamento: Ter-Sab 18h-00h | Dom 16h-00h


Por que ir?

Nova Caledónia é um arquipélago pertencente a França localizado no sudoeste do Oceano Pacífico, a leste da Austrália e a 16136 quilômetros a leste da França. O arquipélago inclui a ilha principal de Grande Terre, as ilhas Lealdade, o arquipélago Belep, as Isle of Pines e algumas ilhas remotas. As Ilhas Chesterfield do mar Coral também fazem parte da Nova Caledónia. A capital do território é Nouméa. Embora a língua oficial seja o francês, a cultura é uma mistura Melanésia, Europeia, Polinésia, Vietnamita, Chinesa, Indonésia e muito mais. As ilhas são notavelmente despovoadas e existem vastas áreas de deserto.

Então Por que ir?

Pois há centenas de quilômetros de caminhos, trilhas, mais de 42 parques e reservas e rios cristalinos com cachoeiras. Grande Terre é rodeada pela segunda maior barreira de corais do mundo e pela lagoa protegida criada por essa barreira de corais. Listada como Patrimônio Mundial em 2008, a lagoa tem quase 24000 quilômetros quadrados e suporta uma diversa e exuberante fauna com peixes tropicais, tartarugas, serpentes do mar, tubarões e locais perto onde se podem avistar golfinhos e baleias. As cores vibrantes, claras e ricas são uma


das primeiras coisas que os visitantes percebem quando chegam. Nouméa tem uma gama completa de hotéis, resorts, restaurantes e atividades para receber os visitantes, quase um terço da população situa-se na capital. A sudeste da Grande Terre encontra-se a Isle of Pines com pinheiros delgados, praias de areia branca e uma lagoa esmeralda. Nova Caledónia é o paraíso dos amantes de esportes de aventura. Quase um quarto da população está envolvida em algum tipo de atividade esportiva. Tanto para iniciantes como profissionais, surf, windsurf, kite surf são alguns dos esportes aquáticos que irão encontrar por lá. Para o norte de Nouméa, ao longo da costa oeste são vastas as planícies para criação de gado. Lá encontrarão os Broussards: “cowboys” do Pacífico. Nova Caledónia é também o destino para os amantes da natureza. Existem cerca de 3500 variedades de plantas, das quais três quartos são endêmicas, 4300 espécies de animais terrestres e 1000 espécies de peixes. Caminhadas, passeios a cavalo, canoagem ou BTT são outras atividades presentes. Nova Caledónia tem um clima semitropical, modificado por ventos de sudeste. Muitas vezes é quente e húmido em janeiro e fevereiro. As ilhas estão sujeitas a ciclones tropicais, mais frequentes de novembro a março. Durante o inverno (abril a agosto) a temperatura durante o dia anda por volta dos 22 graus. Não deixe de visitar a Nova Caledónia, um verdadeiro sonho tornado realidade.

DOIS


Daqui pra lá... De lá pra cá

Europa ou Estados Unidos? Como escolher?

Mais uma vez respondemos: É relativo! Isso depende do que você quer. São destinos completamente diferentes. Nós brasileiros temos uma ideia devido a TV do que o “lifestyle” europeu e o “american dreams” são, mas posso armar que vamos nos surpreender a cada viagem e que nunca conseguiremos ver o que as séries de TV nos mostram. Tanto norte americanos como europeus possuem problemas que a TV não nos contam na integra e pensamos que a vida é sempre uma festa nestes dois “locais”, mas a verdade é bem diferente. O norte americano tem um ritmo totalmente diferente do europeu na sua maioria e mesmo os europeus são diferentes entre si, varia de cidade para cidade. Então como escolher entre um e outro numa viagem? Podemos ajudar, mas isso não é regra, é nossa opinião. 1º - Se você busca história – Escolha a Europa! Não que a América não tenha história para nos mostrar, mas na Europa você “pisará” nela literalmente, sem a necessidade de entrar em museus e bibliotecas, por exemplo. 2º - Se você busca agitação e badalação – Escolha os Estados Unidos! Cidades como New York e Los Angeles, por exemplo, nunca dormem e tem vida agitadíssima todos os dias. 3º - Se você busca fazer comprinhas – Escolha o “american dreams”. Cidades como Miami são verdadeiros “oásis” das compras. 4º - Se você busca romance e estilo – Escolha o “velho mundo”! nada mais romântico do que um jantar em Paris ou Veneza certo? 5º - Se você busca praias paradisíacas sem ter que viajar 24 horas – Escolha a Europa! Praias como as do Algarve (Portugal), Grécia, Croácia, Sicília, Sardenha, Malta e Montenegro estão entre as mais lindas do mundo.


Pelo Mundo

DOIS

Tunis

Tunis está localizada no Noroeste da Tunísia, junto ao lago com o mesmo nome. É a capital do país e considerada como a mais bem conservada cidade árabe antiga, mas, ao mesmo tempo, é também uma moderna metrópole em expansão. Do Séc. XII ao XVI, foi uma das maiores e mais prósperas cidades do mundo islâmico e isso reflete-se na sua arquitetura. A cidade possui muitas atrações interessantes, a merecerem uma visita prolongada, como o seu jardim zoológico, o Grande Templo e o Museu Bardo, que possui uma coleção de mosaicos impressionante, datada da época romana. Bab el Bahr (Porte de France) merece uma visita, uma vez que se tornou um símbolo da capital, ou seja, é um portão que divide a parte oriental e a parte europeia de Túnis.

Os visitantes são atraídos a Tunis em busca de um ambiente cultural euro-arábico. Apesar de se localizar no Norte do continente africano, mas praticamente à vista da Europa, a Tunísia tem uma mistura de culturas muito peculiar, o que a torna tão atrativa. Limpa e relativamente segura, os atuais habitantes vestem-se ocidentalmente, com roupas modernas, embora a maioria das mulheres ainda envergue uma echarpe ou um hijab quando se apresenta em público. O emaranhado de ruas da Medina, repletas de pessoas a vender e a comprar ou a trocar os mais variados produtos, envolve-se em aromas de especiarias e essências. O caos é contagiante e pode acabar a regatear até ao último dinar com um qualquer lojista, antes de se sentar num café de rua, a saborear a sua compra. Todo este ambiente contrasta com as ruas traçadas a esquadro da Ville Nouvelle, centrada na Avenida Habib Bourguiba, uma artéria larga, repleta de trânsito, cafés e esplanadas laterais, que os habitantes locais adoram frequentar ao fim do dia. As melhores atrações de Tunis estão localizadas fora da cidade – o maravilhoso Museu Bardo e as misteriosas ruínas da antiga Cartago são os locais arqueológicos e artísticos mais fascinantes da Tunísia. As ruínas de Cartago ficam perto da cidade e do souq de Tunis, sendo um dos pontos mais agradáveis para visitar. Na Antiguidade foi considerada uma potência, disputando com Roma o controle do mar Mediterrâneo. Dessa disputa originaram-se três Guerras Púnicas, das quais acabaram por destruir Cartago. Hoje é uma estação arqueológica e turística importante.


DOIS

Revistas malaparadois

Dicas de Viagens & Lifestyle em um Ăşnico site!

Anuncie nos canais malaparadois

www.malaparadois.com

Estamos presente nas principais redes sociais:

Contato comercial: malaparadois@gmail.com Skype: edimarques74 Fone: +55 21 998271647 +351 91 440 93 36 www.malaparadois.com

Profile for malaparadois

Revista Malaparadois Edição Nº 25 - Abril 2016 - Sul de Portugal  

"O sul de Portugal é Belíssimo! Não importa por onde comece a sua viagem... Seja por Aljezur, Monchique, São Bartolomeu de Messines ou Vila...

Revista Malaparadois Edição Nº 25 - Abril 2016 - Sul de Portugal  

"O sul de Portugal é Belíssimo! Não importa por onde comece a sua viagem... Seja por Aljezur, Monchique, São Bartolomeu de Messines ou Vila...

Advertisement