Issuu on Google+

Relat贸rio programa

1


2


3


4


SUMÁRIO Pág. 06 Pág. 12 Pág. 44 Pág. 58 Pág. 66 Pág. 80 Pág. 92 Pág. 98

Os programas Programa Vivo arte.mov Cronograma 2012 - Eventos Parceria Governo do Estado de Minas Gerais Cronograma 2012 - Processos Comunicação Parcerias Clipping

5


OS PROGRAMAS Os programas culturais da Vivo são a parte visível e concreta de sua Política Cultural. É por meio deles que produtores culturais, artistas e público entram em contato e se tornam parceiros da Vivo. Cada um dos Programas reúne, em torno de si, alguns perfis de projetos e ações diferenciando-se também pela metodologia, tipo de atividade e resultado gerado.

6


7


8


No ano de 2009 foram iniciadas as atividades do programa Vivo arte.mov como parte da política cultural vivo. O programa surgiu como forma de fomentar na sociedade em rede atividades de formação, pesquisa e experimentação artística - a partir da promoção de iniciativas e projetos nas áreas das tecnologias digitais e do audiovisual - que venham a contribuir com o reconhecimento da política cultural da Vivo, do programa, de suas atividades e dos artistas e produtores culturais associados.

9


Festival arte.mov mostra e debate o que está acontecendo na interseção entre os novos dispositivos móveis e a arte. Diário de Pernambuco 15 de dezembro de 2010

10


11


O QUE É Ao priorizar a utilização consciente das mídias móveis, afim de construir formas de compartilhar o saber e o conhecimento, o programa possibilita o acesso à informação e a novas práticas artísticas. Através de uma programação cultural que explora as possibilidades criativas no campo das mídias móveis e locativas, o Festival Vivo arte.mov se estabeleceu como uma iniciativa inédita, inovadora, sem similar no Brasil e como um dos primeiros eventos dedicados exclusivamente à cultura da mobilidade no mundo. Ao estabelecer parcerias em várias regiões do Brasil, o programa multiplica as possibilidades de reflexão e discussão de questões que envolvem o universo das tecnologias móveis, atuando assim, de forma efetiva, tanto na formação de público quanto na de novos realizadores, bem como, no estímulo à pesquisa eà reflexão teórica sobre o tema. Entre seus objetivos específicos, está ainda a inserção do programa nos circuitos acadêmicos e artísticos nacionais e internacionais voltados para pesquisas sobre tecnologia e cultura digital. No decorrer de sua trajetória, o Vivo arte.mov vem se afirmando como iniciativa relevante, consistente e contínua no cenário nacional através de uma abordagem múltipla das mídias móveis.

12


O QUE É Ao priorizar a utilização consciente das mídias móveis, a fim de construir formas de compartilhar o saber e o conhecimento, o programa possibilita o acesso à informação e a novas práticas artísticas. Através de uma programação cultural que explora as possibilidades criativas no campo das mídias móveis e locativas, o Festival Vivo arte.mov se estabeleceu como uma iniciativa inédita, inovadora, sem similar no pais e como um dos primeiros eventos dedicados exclusivamente à cultura da mobilidade no mundo. Ao estabelecer parcerias em várias regiões do Brasil, o programa multiplica as possibilidades de reflexão e discussão de questões que envolvem o universo das tecnologias móveis, atuando assim, de forma efetiva, tanto na formação de público quanto na de novos realizadores, bem como, no estímulo à pesquisa e à reflexão teórica sobre o tema. Além disso, o Vivo arte.mov tem como meta o fomento de um pensamento crítico e o estímulo a pesquisas e criações que reflitam as transformações na sociedade contemporânea, ocorridas a partir

13


O QUE REALIZA Atividades: mostras, festivais e exposições sempre ligados à temática das mídias móveis como experiências de compartilhamento de conhecimento, acesso, informação, criatividade e arte. Ao longo de seus anos de atuação foram realizados mais de 50 projetos em diversas cidades brasileiras, além de presença em diversos festivais e eventos internacionais. Público: abrangente, todas as faixas etárias e camadas sociais por possuir grande difusão pela internet. O público prioritário são estudantes universitários, artistas audiovisuais, pesquisadores interessados e atuantes no universo das mídias móveis. Conteúdos: Obras que aliam arte e tecnologia, publicações de catálogos e livros, vídeos em formatos variados, sites, s para celulares, tablets, entre outros.

14


15


51 Projetos realizados Público Total 120.000 pessoas aprox. 30 Prêmios cerca de R$170.000 distribuídos 16


17


Festival exibe arte feita com celulares e outros dispositivos móveis; Folha.com – Multimídia 30/11/2010

18


Vivo arte.mov

MAPA GERAL DE ATUAÇÃO NACIONAL Presença geográfica: 15 Estados

19


Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012

MINAS GERAIS

Vivo arte.mov Eletronika Imagens do Futuro MIP - Manifestação Internacional de Performance Marginalia+Lab Marzagão EnCena MVMOB Rede Criativa Inhotim Repia Webvisão;

20

Festival Vivo arte.mov Eletronika Geografias Imaginárias Gambiologos Interactivos?’10BH Webvisão Repia Marginalia + Lab Marzagão EnCena MVMOB Educação Midiática


Eletronika/Vivo arte.mov Revista Eletronika IND Rede Lab Minas Fábrica Animada Caravana Digital Networked Hack Lab

2009 2010 2011 2012

Facta Mapa das Tradições Natureza, arte e Ciência Mapa Cultural Nós Mídia ParalaxeLab Simbio Noites Brancas Webvisão Marginália+Lab MVMOB

21


Vivo arte.mov BAHIA 6ª Mostra Internacional de Cinema de Arte de Salvador Festival Vivo arte.mov Zona Mundi 1° Festival de Cinema Universitário da Bahia Minha Vida Mobile Festival de Mini Curtas Sala de Arte - Cine Vivo Visio Networked Hack Lab Capitães de Areia Laboratorium Mapa D2

22

2° Festival de Cinema Universitário Visio Geração Bits

2009 2010 2011 2012


Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012

Sテグ PAULO

Minha Vida Mobile Festival Vivo arte.mov Glonet Circuito Vivo arte.mov 23


Vivo arte.mov PARÁ

Festival Vivo arte.mov Água

Geografias Imaginárias Greenbox Prêmio de Mídias Locativas

Networked Hack Lab Curta em Circuito Fórum Eletronika Prêmio de Mídias Locativas Geografias Imaginárias

24

2009 2010 2011 2012


2009 2010 2011 2012

Vivo arte.mov

SANTA CATARINA

Circuito Vivo arte.mov Minha Vida Mobile

25


2009 2010 2011 2012

Vivo arte.mov AMAZONAS

Curta em Circuito

26


Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012

RIO GRANDE DO SUL

Festival Vivo arte.mov Gramado Cine VĂ­deo

27


Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012

RIO DE JANEIRO

Circuito Vivo arte.mov Eletronika Circuito Vivo arte.mov Nuvem - Hack Lab Rural Networked Hack Lab Marco Universal 28


Vivo arte.mov

2009 2010 2011 2012

MATO GROSSO

Minha Vida Mobile

29


2009 2010 2011 2012

Vivo arte.mov PERNAMBUCO

Circuito Vivo arte.mov Continuum Circuito Vivo arte.mov

30


2009 2010 2011 2012

Vivo arte.mov CEARĂ

Circuito Vivo arte.mov

31


2009 2010 2011 2012

Vivo arte.mov

DISTRITO FEDERAL

Minha Vida Mobile

32


2009 2010 2011 2012

Vivo arte.mov TOCANTINS

Circuito Vivo arte.mov 33


2009 2010 2011 2012

Vivo arte.mov GOIÁS

9° Goiânia Mostra Curtas Circuito Câmera Cotidiana Circuito Vivo arte.mov

34


2009 2010 2011 2012

Vivo arte.mov PARANĂ

Circuito Vivo arte.mov

35


Vivo arte.mov

PRESENÇA INTERNACIONAL

36


Vivo Lab: a produção cultural via celular Tribuna da Bahia 09 de novembro de 2009

37


ATIVIDADES ARTÍSTICAS 141 mostras 170 shows e performances 37 exposições

38


ATIVIDADES DE FORMAÇÃO 63 sessões de palestras e debates 79 oficinas 14850 catálogos e publicações (impressões) 2 livros publicados: “Audiovisual Comunitário e Educação: histórias, processos e produtos” e “Mediações, tecnologia e espaço público”

39


DESENVOLVIMENTO DIGITAL 3 Aplicativos (smartphones e tablets) 25 Sites e Portais 3 Revistas eletr么nicas (tablet, web e smartphones) 3 games urbanos + 5 jogos casuais

40


41


Não no sentido de aniquilação. Nossa civilização está se reconfigurando , a partir da esfera sócio-comunicacional. Assim como a imprensa moldou a democracia, há uma nova base sócio-técnica hoje”, declara André Lemos sociólogo e pesquisador da Universidade Federal da Bahia. Folha.com – 01/10/2010

42


43


CRONOGRAMA 2012 EVENTOS

44


PROJETO

UF

JAN

FEV

MAR

ABR

29 a 31 Recife

12 a 14 Goiânia

Bahia

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

EVENTOS 9 a 12 Curitiba 23 a27 São Paulo

Circuito Vivo arte.mov

BR

29 a 3/3 RJ

VISIO – Edições 2011

BA

Bahia

2º Festival de Cinema Universitário

BA

Vivo arte.mov - Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis

MG

SimBio

MG

Marco Universal "Nosso Futuro Comum“

RJ

RJ

Networked Hack Lab

MG

BH

Eletronika - Festival de Novas Tendências

BA

Bahia

Cidade Eletronika

MG

Natureza: Arte e Ciência

MG

Noites Brancas

MG

15 a 18

24 a 29 BH 25 abr a 13 mai BH

25 abr a 13 mai BH Rio +20

RJ

BH

BH

BH

BH

BH

BH

45


Festival Vivo arte.mov - MG O Vivo arte.mov – Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis explora o conceito inovador de Microcinema, ou cinema para dispositivos móveis de comunicação, através de um ciclo de palestras, workshops, debates, instalações e mostra competitiva, que promovem a difusão de obras audiovisuais brasileiras e internacionais.

46


47


48


Circuito Vivo arte.mov - BR Uma mostra do festival Vivo arte.mov em diferentes cidades: Rio de Janeiro, Recife, Goiânia, Curitiba e São Paulo. Palestras, workshops, exposição e mostra de vídeos.

49


Eletronika - Festival de Novas Tendências – BA Realização de uma edição do Festival Eletronika na cidade de Salvador. Apresentações musicais, performances, palestras.

50


Cidade Eletronika – MG Debate e prática da ocupação cultural dos espaços públicos. Workshops, palestras, apresentações artísticas, Picnic urbano.

51


Networked Hack Lab – MG Espaço de pesquisa, produção e circulação em arte e tecnologia. Mostras, palestras, workshops e grupos de trabalho.

52


Marco Universal “Nosso Futuro Comum“ / RIO +20 – RJ Exposição que explora olhares autorais de temas universais, como a questão ambiental, a partir de uma linguagem também universal, a audiovisual.

53


Noites Brancas - MG Fundação Clóvis Salgado

Uma noite inteira de atividades artísticas constituídas por mostras, exposições e performances diversas, no eixo da Avenida Afonso Pena, incluindo os espaços do Palácio das Artes e do Centro de Arte Contemporânea e Fotografia da Fundação Clóvis Salgado.

Natureza: Arte e Ciência – MG Propõe a realização de 3 wokshops e 3 palestras acerca dos temas: “Energia, Tecnologia e arte”, “Urbanisno/Habitação/Sociedade e Cultura” e “Cultura, Conhecimento e Sabedoria”. 54


55


Simbio - MG Exposição Coletiva, SimBio Remix (festa) e Seminário de Arte Colaborativa. Produção artística colaborativa, exposições, intervenções

Apresenta

Binho Barreto Carlos Teixeira Clarissa Campolina Felipe Turcheti Julia Panadés Raquel Schembri

Idealização

56

Produção

Patrocínio

Incentivo


2º Festival de Cinema Universitário – BA Durante cinco dias, Salvador irá se tornar um pólo de discussão, produção e difusão do cinema universitário brasileiro. Festival democrático aberto a todos os tipos de formato e experimentações audiovisuais.

57


CRONOGRAMA 2012 Manutenção Palácio das Artes

58


PROJETO

UF

JAN

FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

MANUTENÇÃO FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO

Fundação Clóvis Salgado Equipamentos e Reformas 2011

MG

LABORATÓRIO DE IDÉIAS Fundação Clóvis Salgado

MG

Artistas Mineiros em Coleções Mineiras - Fundação Clóvis Salgado

MG

Com o aporte de patrocínios em projetos da Fundação Clóvis Salgado o Programa Vivo arte.mov garantiu que a marca Vivo figure entre os mantenedores do Palácio das Artes durante o ano de 2012. Como contrapartida a logomarca Vivo está presente na sinalização física do Palácio das Artes, peças gráficas de todos os eventos realizados, além de inserção de VT institucional antes de todos os espetáculos realizados no Grande Teatro. 59


60


LABORATÓRIO DE IDÉIAS Fundação Clóvis Salgado

Projeto de formação artística com ações educativas como mediação em exposições e desenvolvimento de ateliês para atividades de formação artística em Belo Horizonte.

Artistas Mineiros em Coleções Mineiras Fundação Clóvis Salgado Exposição com obras de artistas mineiros

61


Fundação Clóvis Salgado Palácio das Artes Equipamentos e Reformas 2011 Modernização dos equipamentos FCS

62


63


Festival levou para Belo Horizonte música e reflexão sobre a cultura eletrônica. O Festival Eletronika conseguiu cumprir seu papel com êxito, de fazer o público entender a cultura eletrônica muito além do som que a marca; Diário do Pará – 24/12/2011

64


65


CRONOGRAMA 2012 PROCESSOS

66


PROJETO

UF

JAN

FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

PROCESSOS

Revista Eletronika

BR

Mapa das Tradições

MG

Mapa Cultural Nós Mídia Workshops de Mídias Participativas

MG

Rede Geração digitalizada de Webvisão

MG

30

Paralaxe Lab - deslocamentos

MG

Facta - Revista Eletrônica de Bolso

MG

Marginalia+Lab 2011

MG

MvMob - Minha vida Mobile Protagonistas

MG

Circuito Câmera Cotidiana

GO

Networked Hack Lab - Nuvem

RJ

fôrum Cataguazes

67


Networked Hack Lab - Nuvem - RJ Estação rural voltada para experimentação, pesquisa e criação vinculada à tecnologia e sustentabilidade. Espaço para encontros e debates visando difusão do conhecimento livre e da cultura da autonomia. Centro de residências e autoresidências para artistas e projetistas.

68


Revista Eletronika - MG Produção de conteúdo e publicação digital que tem como temáticas a cultura digital e o impacto da tecnologia sobre as mais variadas manifestações culturais, o urbanismo e o meio ambiente.

69


Mapa das Tradições - MG Produção de conteúdo georreferenciado para mídias móveis que reunirá pesquisa sistematizada e experimentações em arte e tecnologia. Produção de um aplicativo georreferenciado para celulares e pda’s.

70


Marginalia+Lab 2011 - MG Laboratório de arte e tecnologia, produção de conteúdo e circulação

71


MvMob - Minha vida Mobile Protagonistas - MG Oficinas (formação de agentes multiplicadores protagonistas ) em escolas públicas, concurso cultural, mostra itinerante por instituições de ensino e espaços culturais e rede de aprendizagem interativa.

72


Rede Geração digitalizada de Webvisão - MG Atividades de formação em audiovisual que contribuirão com a pesquisa, experimentação, formação e estímulo de novos núcleos de criação, produção e difusão audiovisual em Minas Gerais.

Paralaxe Lab – deslocamentos - MG Projeto audiovisual pautado por atividades formativas, ações colaborativas em rede e produção de conteúdo audiovisual.

Facta - Revista Eletrônica de Bolso - MG Publicação digital quem tem como temas principais a criação artística utilizando circuitos eletrônicos de baixo custo e a cultura do “faça você mesmo”. 73


Mapa Cultural Nós Mídia - Workshops de Mídias Participativas - MG Mapa georreferenciado com conteúdos multimídia produzidos por jovens de comunidades periféricas de Belo Horizonte.

74


Circuito Câmera Cotidiana - GO Articulação e manutenção de uma rede de experimentação, pesquisa e interação voltada para profissionais de audiovisual, educadores, pontos de cultura e estudantes, estimulando a produção audiovisual no contexto das mídias portáteis e das novas tecnologias de comunicação.

75


VISIO – Edições 2011 – BA Ateliê aberto para o desenvolvimento de trabalhos artísticos para mídias digitais.

76


77


Na maré de experimentalismo digital que invadiu Belém, por quatro dias, via Festival Internacional de Arte em Mídias Móveis, encerrado ontem, sob o tema “Novas Cartografias Urbanas”, só o lugar comum não foi localizado. O Globo 27 de setembro de 2010

78


79


COMUNICAÇÃO Diversos conteúdos são produzidos com o intuito de consolidar a atuação dos programas culturais como parte da Política Cultural Vivo, entre eles podemos destacar: serviço de assessoria de imprensa, portais eletrônicos que agregam projetos, vinhetas, documentários entre outros.

80


81


PORTAIS

82


83


REDES SOCIAIS As páginas e perfis dos programas no Facebook e Twitter contribuem para a circulação de conteúdo em âmbito nacional e regional, além de serem utilizadas para divulgar ações dos programa e dos projetos e notícias do universo da Produção Cultural. Ao todo agregam cerca de 3500 seguidores diretos.

84


85


REDES SOCIAIS Os gráficos apontam um crescente interesse de usuários pelas páginas dos programas, além da adesão em diversas cidades do Brasil e do mundo;

86


87


Cobertura Colaborativa Cobertura Colaborativa um dos focos da ativação dos Programas é a promoção de coberturas colaborativas das ações dos projetos da rede e geração de conteúdos institucionais: vídeos, vinhetas, entre outros. AUDIOVISUAL

88


AO VIVO

FOTOS

89


90


Festival de arte digital começa na Bahia Folha.com – 29/09/2010

91


PARCERIAS

Instituições de ensino: UFMG – Universidade Federal do Estado de Minas Gerais, UFBA – Universidade Federal da Bahia, UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Unijorge, UFRB - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, UFSJ – Universidade Federal de São João del-Rei, UFPB - Universidade Federal da Paraíba, UFC - Universidade Federal do Ceará e PUC RJ – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

92


Governo: Fundação Clóvis Salgado, Secretaria de Cultura do Estado de Minas Gerais, Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, Secretaria de Cultura do Estado do Pará, Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul.

Parcerias Institucionais: Instituto Sérgio Motta, Fundação Rodrigo Melo Franco de Andrade

93


Parcerias Internacionais Holanda :: Impakt Festival Japão :: Festival DOTMOV ECAS :: European Cities of Advanced Sound Holanda :: Nimk – Netherlands Media Art Institute

94


China :: Hong Kong International Mobile Film Festival ICAS :: Internacional Cities of Advanced Sound França :: Pocket Films Reino Unido :: Festival AND – Abandon Normal Devices Colômbia :: Festival Internacional de Cine - Cali 2011 Alemanha :: Trampoline – Platform for new media art Holanda :: Festival Sonic Acts

95


Experimentalismo tecnológico marca Festival de Mídias Móveis no Pará O globo – 27/09/2010

96


97


Clipping

98


99


100


101


BELÉM, QUARTA-FEIRA, 31 DE AGOSTO DE 2011

„ SHOW

Festival de Cinema de Veneza

Keira Knightley está no filme de David Cronenberg “A Dangerous Method”, favorito em Veneza. Página 7.

magazine@oliberal.com.br „ Tel.: 3216-1126

„ CULTURA „ GENTE

Show no Schivasappa

No palco, amanhã, o paraense Dan Campos e o amapaense Gilberto Pantoja. Página 3.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

OLIBERAL

A banda Bonde do Rolê, do Estado do Paraná, vai se apresentar no Gold Mar na sexta-feira, dia 3

Mídias e música em debate Evento que começa amanhã quer mostrar que é possível fazer arte usando as “mídias móveis”, como o celular e o tablet YÁSKARA CAVALCANTE Da Redação

O

102

celular, os tablets, além da internet, claro, quem diria, vão além do que se simplesmente fazer uma ligação, mandar um e-mail ou abrir e fechar sites. Considerados “mídias móveis”, esse tipo de meio de comunicação com o mundo é capaz de ultrapassar as raízes culturais e estacionar nas cifras musicais, audiovisuais e fazer com que artistas ou simples apaixonados por todos os tipos de produção encontrem o que precisem para estabelecer uma nova forma de compor, cantar ou simplesmente reproduzir. Final da história: é possível fazer arte usando as “mídias móveis”. E é exatamente sobre isso que vai falar o Fórum Eleronika, que acontece em Belém nesta sexta-feira e sábado (2 e 3), reunindo cerca de duas mil pessoas para workshops e, claro, shows com artistas nacionais e locais. Realizado pela Barba, Cabelo & Bigode Produções, de Belém, em parceria com a Malab Produções, de Minas Gerais, e co-produção da Meachuta, o Fórum Eletronika vai apresentar dez atrações musicais de outros Estados. Eles subirão ao palco do Gold Mar Hotel e prometem qualidade musical e boas reflexões sobre como as produções podem ser feitas a partir das mídias móveis. Além do Gold Mar, único local onde os ingressos são pagos, a programação do Fórum acontece, também, na Praça do Carmo e no Fórum Landi. No Carmo, o público assistirá aos shows da Gang do Eletro, Felipe Cordeiro e Estrobo. Já no Fórum Landi vão acontecer as instalações, mesas redondas e workshops, com programação totalmente gratuita. Para Caco Ishak, que integra a organização do Fórum Eletronika, o evento pretende

estimular a produção local. “Queremos incentivar e estimular a produção e aumentar a visibilidade de muitos artistas. E ainda promover um grande intercâmbio”, diz Caco, que também vai mediar duas mesas. Uma delas vai falar sobre as experiências multimídias e mercado atual, e a outra sobre música e autoria na cultura de mash-ups, conjunto de aplicativos interativos para as mídias móveis. Caco reforça que o objetivo principal do evento é difundir esse tipo de cultura diigital e mostrar que as mídias móveis, incluindo celulares e tablets, podem ser boas maneiras de se chegar à grandes produções musicais. “Você pode mostrar música através de programas para iPad, celular e muitas outras mídias. Só precisamos difundir essa cultura”, observa.

dia 14, das 10h às 20h, é possível visitar a exposição multimídia, aberta ao público gratuitamente no Fórum Landi. No local será possível ver as instalações de Dirceu Maués (PA), Patrícia Gondim (PA), 1mpar (BH), Garapa (SP) e projeto 5X Cultura Digital (SP).

SERVIÇO: Fórum Eletronika Pontos de Venda: Lojas Chilli Beans (Shopping Boulevard e Shopping Pátio Belém) Inteira: R$ 80 Meia-entrada ou clientes Vivo: R$ 40 *Valores correspondentes ao passaporte, que dá direito à entrada aos dois dias. www.forumeletronika.com.br As inscrições para os workshops podem ser feitos pelo e-mail contato@ forumeletronika.com.br A exposição multimídia vai até o dia 14 de setembro, no Fórum Landi.

O DJ Dago Donato marca presença em Belém

PROGRAMAÇÃO Às 19h30 de amanhã (1º), no Fórum Landi, o Fórum Eletronika será aberto oficialmente. Na abertura será anunciado o Prêmio de Mídias Locativas, assim como será lançado o livro “Mediações, Tecnologia e Espaço Público”, de Lucas Bambozzi, Marcus Bastos e Rodrigo Minelli, que fazem um panorama crítico sobre as mídias móveis, por meio de textos que mostram a relação entre as estruturas em rede e os lugares que elas passam a atingir conforme a conectividade se torna possível em aparelhos portáteis (por meio de acesso a redes sem fio ou 3G). Ainda na noite de lançamento do evento, Estrobo se apresenta no Live, na Praça do Carmo, com acesso livre ao público. Na sexta-feira (2), tem início as mesas. Às 19h30, no Fórum Landi, o urbanista paraense Paulo Cal vai debater sobre “Urbanidade e o Tecnobrega”, com mediação do jornalista Vladimir Cunha e participa-

De São Paulo vem a banda Holger, para animar a noite de sábado

ção de Rubens Silva, ex-vice presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Mercado Informal. Depois da mesa, o Live traz show de Felipe Cordeiro, que se apresenta a partir das 21h30. Ainda na sexta-feira, no Gold Mar, André Paste (ES), DJ Valeo (FR), Alexandre Matias (SP) e as bandas Uó (GO) e Rolê (PR) prometem uma grande reunião artística, a partir das onze da noite. A mesa “Música e Autoria na Cultura de Mash-up” vai abrir os trabalhos do sábado (3), que começa no Fórum Lan-

di, às 19h30, sob o comando do DJ André Paste, do Espírito Santo, e do produtor musical Dudu Marote, de São Paulo. A mediação será de Caco Ishak e do jornalista Alexandre Matias, de Brasília. Depois da mesa, no Live da Praça do Carmo, a Gang do Eletro fará grande show às 21h30, aberto ao público. E às 23h, no Gold Mar, o show de inovação midiática fica por conta de Dago Donato (SP), Holger (SP), Drunk Disco (PR), VCO Rox (SP) e The Twelves (RJ). O último dia do Fórum Eletronika trará, às 18h30, o jornalista João Wainer, dire-

tor da TV Folha, de São Paulo, para falar sobre “Experiências Multimídia e Mercado”. O encontro acontece no Fórum Landi, com participação do Coletivo Garapa, de São Paulo, de Rodrigo Savazoni, do projeto 5X Cultura Digital, também de São Paulo. A mediação é novamente de Caco Ishak. Além das mesas, o evento realiza os workshops gratuitos “Musica e Autoria na Cultura de Mash-up” e “Linguagem Cinematográfica”. São ofertadas 30 vagas para cada workshop. De amanhã até o


103


104


105


106


107


108


109


110


111


112


Relatório Programas Vivo 2011