Page 1

[CPOVO: CORREIO_DO_POVO-MAIS_PREZA-MATERIAS <MAISPREZA> [EDITORIAL] ... 31/08/12]

Author:PSALVADORI

Date:31/08/12

Time:16:47

Noite Dance Hits na Pink

Novidade na Cidade Baixa: Woodoo

■ A festa na Pink Elephant (Silva Jardim, 331) na noite de hoje terá

■ Um lounge bar com uma proposta bem legal abriu as portas na últi-

um motivo especial pra ser ainda melhor. É que por lá vai rolar o lançamento da sandalinha da coleção Dance Hits da Melissa, especial pra quem quer deixar de lado o saltão e se jogar na pista sem medo de ser feliz. E pra animar ainda mais a festa, o line up conta com o som dos DJs Johnnie Pinton e Dutra Vila. Os ingressos custam R$ 40 (feminino) e R$ 60 (masculino), podendo sofrer alterações no local.

ma quarta na Cidade Baixa. O Woodoo (João Alfredo, 577) quer receber os frequentadores no clima de quem recepciona alguém em sua casa: ambiente descontraído, várias opções no cardápio (incluindo chá e café), videogames dos mais novos aos clássicos, mesa de sinuca, flaflu, enfim, já deu pra sentir o clima, né? O bar abre de domingo a quinta, das 13h30min a 1h, e nas sextas e nos sábados funciona até as 2h.

De glamouroso a antissocial DIVULGAÇÃO / CP

V

ocê consegue acreditar que a venda de cigarros nem sempre foi proibida para crianças e que, eventualmente, Tom — do clássico desenho Tom & Jerry — fumava para conquistar as gatinhas? Pois é, só que há pelo menos 30 anos a sociedade resolveu tomar um novo rumo em relação à tolerância ao cigarro. Foi na década de 80 que se estabeleceu o Dia Nacional de Combate ao Fumo, data comemorada na última quarta-feira. De lá pra cá, nesse meio tempo, muito do que se pensava sobre cigarro seguiu caminhos até então impensáveis no século passado, quando o produto começou a ser produzido industrialmente. De artifício para impressionar à vilão. Esse foi o caminho lento que a cultura do tabaco percorreu. Na sua “era de ouro”, mulheres fumantes ganhavam doses extras de poder de sedução, já os homens, de segurança e coragem. Até os anos 60, a propaganda foi criando cada vez mais perspicácia e investimento. Foi o período dourado do tabaco. Papai Noel, médicos e até bebês (!!!) eram estampados em publicidades que afirmavam o quanto o cigarro era saudável e “bacana”. Por que não fumar? Na verdade, ninguém nem se perguntava. Era de Cinzas — A partir da década de 60, pesquisas de saúde mostraram a realidade escura da nicotina e vieram as proibições e leis. Foi o fim da publicidade acompanhado da conscientização sobre os danos do vício que começaram o processo contra o tabaco. Mas, para grande parte dos jovens de hoje, foram as barreiras sociais que determinaram a decisão: vou parar de fumar. A verdade é que fumar, atualmente, não é nada glamouroso, como também é trabalhoso. O jornalista Vinicius Colling, 34 anos, que o diga! Apesar de tentar se livrar do cigarro há mais de sete anos devido aos males à saúde, a imagem antissocial que o cigarro passou a ter na última década é que lhe deu a coragem que faltava. “Depois da lei que proibiu fumar em locais fechados, cada cigarro que eu acendia era um trabalhão. Nenhum dos meus amigos era viciado e, quando íamos em festas, eu tinha que ir até a rua e ficar sozinho — muitas vezes no frio e na chuva”, conta Vinicius. Os obstáculos sociais que ele começou a ter que passar para poder saciar sua vontade foram o ponto crucial que fez dele um ex-fumante livre da nicotina há dois anos. Veja no quadro ao lado as mudanças que deixaram cada vez mais claro o papel de vilão do tabaco.

Balada mais cedo O glamour de ontem dá espaço ao antissocial de hoje: cigarro longe de qualquer ambiente sociável é a característica desta década

A coisa foi ficando preta 1950 — O cirurgião Evarts Graham e o estudante de Medicina Ernst L. Wynder concluíram que fumar cigarro por um longo período era um fator importante no aumento notável de câncer de pulmão. 1980 — Cientistas estabeleceram o conceito de que a nicotina é extremamente viciante. 2000 — Tchau cowboy! Propagandas de cigarro são proibidas em qualquer mídia no Brasil. 2001 — Aquelas fotos bizarras e advertências sanitárias foram exigidas pelo governo a estamparem as embalagens de cigarro. 2003 — Lei proíbe a venda de quaisquer produtos de tabaco a menores de 18 anos. 2011 — Acabou a bagunça. Ninguém precisa mais voltar da balada como se fosse um cigarro ambulante. Foi sancionada a lei que proíbe o fumo em locais fechados em todo o país. 2012 — Bye canela e menta. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária decidiu a proibição do uso de aditivos de sabor como o mentol e o cravo nos cigarros comercializados no país. ■ Sabe aquelas roupas e acessórios que os guris usam e as gurias

#drops Quem disse que celular é só pra fazer ligações? Existem diversos aplicativos (programinhas que você baixa exclusivamente no seu smartphone) em que dá para se divertir fazendo montagens com as suas fotos. Nós catamos alguns bem legais, olha só: Cat lovers câmera Quem aqui é fã de gatinhos? Nesse app dá para colar vários bichanos na imagem que você quiser, como se eles estivessem na foto original mesmo. Além de simples de usar, existem infinitas opções de gatinhos para escolher, adeus tédio! Free para PEDRO VELOSO / DIVULGAÇÃO / CP Android e iPhone. Shakin Camera Esse é para quem curte ficar desenhando bigodinhos na galera! Nele você ajusta um modelo ao rosto da pessoa e pronto. Daí é só ir balançando o aparelho até que role uma combinação legal. Tipo essa aí do lado — óculos de aviador com bigodinho setentista. Grátis para Android e iPhone LoonaPix Lembra quando a sua tia fazia aquelas montagens das fotos do Réveillon como se fosse uma revista de fofocas? Esse app faz exatamente a mesma coisa, mas com muito mais opções: além de ser capa de revista, dá para se colocar em um outdoor na Times Square, na estampa de uma t-shirt ou até em uma cena do seriado Lost. Sua tia nunca vai se sentir tão humilhada. Grátis para Android.

odeiam e sempre reclamam? Tipo pochete? A gente foi saber o que mais do guarda-roupa masculino espanta a mulherada. Gurizes, não marquem bobeira e se agilizem. Só no blog: maispreza.com.br @maispreza /maispreza

Pode ser a idade. Sou um jovem recém-chegado na casa dos 30. Mas tenho um pedido a fazer ao mundo: vamos para a balada mais cedo? Pensem comigo: não tem motivo para uma festa começar a ficar boa às 2 horas da manhã. Nada pode ser pior do que chegar em casa às 5, 6 horas da matina. Se for dia de semana, então, acaba com o seu expediente no dia seguinte. Se for no final de semana, faz você perder os dias de folga dormindo. Não faz sentido. Uma festa pode começar às 22 horas. Meia-noite seria o horário do auge, o ápice, o ponto alto. Ali pelas 2 horas você já se divertiu à beça, já dançou, tomou alguns drinks e pode ir para casa. Se for dia de semana, você pode dormir até as 8 horas (um horário de acordar digno) e, se for no final de semana, às 10. Justo. Nos Estados Unidos, a maioria das festas respeita esses horários. Teria isso ligação com o rendimento da Geração Y nos estudos e no trabalho? Um país onde as pessoas dormem mais cedo, baseado no fato da festa terminar mais cedo, é um país mais desenvolvido? Essa “teoria” foi levantada por um amigo enquanto falávamos sobre os horários de festas. Fiquei pensando nisso... Festa é ótimo, importante e muito boa na vida de qualquer jovem, mas temos que otimizar mais o tempo. Falamos!

GUSTAVO VARA / DIVULGAÇÃO / CP

Te programa ■ Um dos festivais que mais incentiva a música e a cultura latino-americana, o El Mapa de Todos, já está com data marcada para a sua terceira edição em Porto Alegre. Será nos dias 6, 7 e 8 de novembro, no Opinião (José do Patrocínio, 834). Serão 15 atrações, incluindo artistas de Venezuela, Uruguai, Argentina, Chile, Peru e México e aqui do Brasil, claro. Dentre os brazucas, quem apresenta seu novo trabalho solo é Esteban (foto). As bandas Apanhador Só, Autoramas e Nenhum de Nós também estão com agenda marcada no festival. Os valores dos ingressos ainda não foram divulgados.

DIVULGAÇÃO / CP

■ O cantor e ex-Titã Arnaldo Antunes se apresenta em Porto Alegre no dia 13/9. Ele traz para o Opinião a turnê do Acústico MTV. O show inicia-se às 21h e os ingressos já estão sendo vendidos nas lojas Trópico, A Place, Zeppelin e Complexo Cultural Urânio no valor de R$ 60 antecipados e R$ 80 na hora.

MAIS PREZA - 31-08  

Mais Preza de 31/08