Page 1

comportamento

música

cultura

internet

carreira

cinema

moda

agito

PORTO ALEGRE, SEXTA-FEIRA, 6 de julho de 2012

#

NO BAZAAR

exposição e bar de tapas

PÁG.4

de mochileiros experientes

PÁG.3

#DICAS

7 PECADOS

das blogueiras de moda

$ Viajando com pouco $

As férias de inverno chegaram e alguns dos seus amigos resolveram viajar para o exterior. Você, caro estagiário do Brasil, deve ter ficado pensando que nunca vai conseguir sair para conhecer esse mundão. Calma, esse é um sonho possível! Viajar pode não ser tão caro quanto se imagina. Juntando uma graninha e pesquisando, dá para fazer um baita roteiro. Claro que daquele jeito roots, sem luxos. Partindo dessa ideia, o estudante de Jornalismo Douglas Freitas, 22 anos, começou a pensar em viajar para fora do país. Ele guardava as economias e imaginava que sairia mais barato ir dar uma banda em algum lugar próximo, tipo Cuba. Mas quando alguns amigos foram morar em Dublin, ele começou a colocar no papel os gastos que poderia ter com o roteiro na Irlanda. Após pesquisar os valores das passagens (que custaram em torno de R$ 2 mil, já com as taxas de embarque inclusas), em menos de duas semanas, ele já estava pegando um avião rumo a Dublin, onde passou 15 dias. Durante esse período, Douglas gastou R$ 1 mil, deixando claro que quase a metade disso foi em presentes e em discos. Mas nem todo mundo faz como ele e prefere decidir assim na hora, pá, pum. A Gabriela Sanseverino, 20 anos, por exemplo, mesmo com pouca grana, preferiu planejar com certa antecedência a viagem que fez com duas primas para a Itália. A estudante de Jornalismo saiu de casa com as passagens de avião e de trem em mãos. Em duas semanas ela e as primas fizeram uma excursão por Roma, Florença, Veneza e Milão. Isso com R$ 1.600 contadinhos para pagar os hostels e outras despesas, como alimentação. “A gente aproveitava para comer muito no café da manhã gratuito dos albergues e depois dividíamos as outras refeições”, dá a dica. Para a balada, elas se utilizavam de um benefício que funciona em todo o planeta: serem mulheres: “Os homens pagavam tudo!”, lembra Gabi.

Arquivo Pessoal

PÁG.2

51

Rodrigo ficou um tempo só em Dublin trabalhando em pubs para juntar grana para viajar por toda a Europa. Para isso, ele dormiu três dias seguidos em rodoviárias e estações de trem. Mas também conseguiu o que queria: conhecer mais três países da ex-Iugoslávia

1 2 3 4

Mochilão preza Desapegue: viajar sem dinheiro tem seus prós e contras. Às vezes não dá para ir a todas as cidades (e dá para usar isso como desculpa para fazer outra viagem depois). Todo mundo quer conhecer os países mais bombados, mas se o negócio é economizar, vale a pena focar no lado B. No Leste europeu, se encontra praias, castelos e todo o resto tão legal quanto na Itália ou na França, só que pela metade do preço. Dá para ficar em hostel de boa. No site hostelworld.com. br tem como ver o que as pessoas falam e decidir qual é o mais legal. Sem contar que muitos oferecem café da manhã grátis, que dá para encher a pança, e ainda pacotes com guias para as baladas locais mais legais. E se tudo der (muitooo) errado, corra para a embaixada brasileira mais próxima!

Especialistas em viajar sem grana Um dos amigos que Douglas foi visitar na Irlanda era o Rodrigo Ferreira, de 23 anos, que teve um plano mais ambicioso: viajar por toda a Europa. Para isso, ele ficou um tempo em Dublin, trabalhando em pubs, até que juntou uma grana só para viajar. Entre um show do Black Keys em Londres e um Natal em Paris, combinou passeios com o amigo Bruno Mattos, de 21 anos, e os dois viraram dois especialistas em viajar sem grana. Bruno, que estava estudando na universidade de Madrid através de um programa da Ufrgs, se dividia entre as aulas durante a semana e viagens para outros

países na sexta-feira.“Eu não tinha noção de como era barato até ir para lá. Viajei de Roma a Budapeste de avião por R$ 15 e fui e voltei de Portugal com R$ 20”, conta Bruno. Claro que nem tudo é um paraíso, mas tem que manter o espírito jovem desapegado. “Tem que lidar com horários bizarros, dormir no aeroporto porque o metrô não abriu, mas paciência. Fui para Berlim quando estava -20ºC. Mas só paguei R$ 25 a passagem, porque era baixa temporada”, revela o experiente mochileiro. Viu como é possível? Nós aqui do Mais Preza já estamos pilhadíssimos arrumando as malas para viajar também. Quem sabe a gente não se encontra por aí, em algum hostel honesto!?!


2

Sexta-feira, 6 de julho de 2012

Guia de viagens

sincero

Medo de virar adulta

A gente pediu para um pessoal que esteve visitando algum dos lugares mais legais do mundo para compartilhar algumas diquinhas honestas de coisas bacanas para se fazer por lá, mas sem arruinar o cartão de crédito. Olha só! Felipe Mendina

Natasha Heinz

Luíza Pimenta Fotos Arquivo pessoal/CP

Gabriela Sanseverino

Roma

Nova York

A cidade é uma aula de história a céu aberto: é obrigatório conhecer o Coliseu (R$ 60). Tem uns lugares ótimos para visitar gratuitos, como o Vaticano ou a Fontana di Trevi, famosa fonte que já apareceu em vários filmes. Próximo à fonte tem uma gelateria com o “melhor sorvete do mundo”, por R$ 7, a San Crispino Gelato. É o mesmo sorvete que a Julia Roberts toma no filme “Comer, Rezar e Amar”. Para andar pela cidade, vale a pena usar o metrô e comprar o passe único. Ele sai por R$ 10 e dá para andar quantas vezes quiser por dia (o de trajeto único é R$ 6).

Ficar na ilha de Manhattan não é barato. Tente achar algo no Brooklyn ou, melhor ainda, em Williamsburg, que é o bairro mais hipster. Muitas baladas não cobram ingresso na entrada, mas cuidado com a hostess: geralmente nesses clubs só entra quem estiver estiloso. Dá para comer na rua, em barraquinhas, com tudo o que se imagina: comida árabe, por exemplo, sai por R$ 6. Os mercadinhos dos indianos/ japas/coreanos, também fazem sanduíches superbaratos e ficam abertos de madrugada.

Londres Londres é uma das cidades mais caras, mas em compensação todos os museus são gratuitos! E ainda dá para andar pelo belíssimo Hyde Park e interagir com os esquilos que ficam por lá. Na feira de Camdem Town rolam barraquinhas com comidinhas típicas do mundo inteiro, e tudo por volta de R$ 9. Mais tarde, o preço baixa até R$ 3. Por lá também rolam feirinhas de roupas, discos... Já que Camdem era o bairro da Amy Winehouse, nada melhor que emendar a noite por lá mesmo, né? São dezenas de pubs e podese encontrar cerveja por R$ 3.

Barcelona A igreja La Sagrada Família é monumental! E o mais legal é que dá para subir até o topo e tirar uma foto com uma das melhores vistas da cidade. Por R$ 28 para estudantes. O La Rambla é um bom lugar para muambeiras, é tipo a “Andradas” de Barcelona. Tem lojinhas para todo o lado, bancas vendendo flores e restaurantes para comer paella e beber sucos. Ao invés de curtir as baladas de música eletrônica – que são cheias de turistas – dá para ir atrás das festinhas do bairro gótico ou do Raval, onde as cervejas podem sair por R$ 2,50.

O que eu

curti Eu curti do novo DVD do Dead Fish, ao vivo no Circo Voador, no Rio de Janeiro. Quem dirigiu foi o Daniel Ferro, que, pra mim, é um dos melhores videomakers brasileiros. Isso tudo sem falar no próprio Dead Fish, que é uma das melhores bandas do hardcore do país. Música crua e letras ácidas! Aliás, eles estiveram recentemente em Porto Alegre e fizeram dois shows inacreditáveis que nunca mais vou esquecer. Recomendo principalmente as músicas ‘Mulheres Negras’ e ‘Sonho Médio’. Bruno Cisco, 21 anos, estudante de Jornalismo Arquivo Pessoal/CP

Arquivo Pessoal/CP

Essa dica é um pouco velha, mas eu curti tanto que vale muito a pena indicar. Eu to falando do livro ‘O Caçador de Pipas’ que entrou pra lista dos meus romances favoritos. O enredo conta uma história de amizade muito linda entre dois meninos que vivem de forma superdiferente no Afeganistão dos anos 70. O livro prende muito a atenção, e quando termina um capítulo a gente não consegue deixar de começar a ler o próximo. A escrita é muito simples, mas o conteúdo bem inteligente. Cristina Moreira, 24 anos, estudante de Psicologia

Olha aí a ideia da semana. Se você curtiu, passa lá no plantetuaideia.com.br e dá um like! “Academia ao ar livre também para os cadeirantes e deficientes visuais, com 15 aparelhos elaborados para atender a necessidade dos deficientes, com adesivos explicativos também em braile. Ao se exercitar, o usuário pode melhorar sua mobilidade articular, cardiorespiratória, flexibilidade e resistência muscular localizada. Não podemos esquecer que o Brasil tem um dos maiores índices de população com deficiências físicas (24,5 milhões de brasileiros).” Karen Lague Soares

Guilherme Alf

galf@correiodopovo.com.br

Porto Alegre sofre com a síndrome do Peter Pan. Nossa cidade tem medo de virar adulta. Desconheço o porquê de a nossa Capital “não acontecer” (desconfio que tenham interesses ocultos aí). Entra governo, sai governo e a gente segue como uma eterna cidade-promessa. Acho que temos muitas coisas legais, diversos exemplos, mas, de uma maneira geral, ainda somos muito provincianos. E serei justo, nós, habitantes da cidade, também somos culpados. Proporcionalmente, todos somos responsáveis pelo lugar que habitamos. Os exemplos são os mesmos de sempre, o assunto talvez esteja até batido, chato, repetitivo, mas acredito que é meu papel como comunicador bater na tecla do que eu acredito que esteja errado. Me convençam de que não é uma vergonha até hoje a nossa orla do Guaíba ser o que é. Desculpem-me, mas não dá para encher a boca de orgulho do nosso pôr do sol com a estrutura que temos. Temos um potencial enorme entravado por batalhas judiciais e discussões sobre meio ambiente, o que, me permitam dizer: com todos os avanços tecnológicos e compensatórios existentes, ninguém vai me convencer que o impacto ecológico não tem jeito. Tem sim uma solução, tem que ter. Assim que as coisas acontecem em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, no Brasil. Experimente pedir informações em inglês por aí. Tente almoçar depois das 15h pela cidade. Ouse ir a um bar às 2 da manhã na Padre Chagas ou na Cidade Baixa. Complicado. Aliás, a vida noturna de uma cidade tem forte influência no sucesso dela como um ponto turístico. Fechar os bares 1 da manhã não é a solução. Tirar as mesas da calçada também não. Vamos nos adaptar, vamos remodelar a cidade, vamos crescer. Entendo o lado dos moradores, mas, amigos, o progresso está aí. Não seria mais fácil essa turma de moradores que querem paz se mudar para os cem outros bairros da cidade que não têm vida noturna? Podemos falar sobre o aeroporto que (sim estamos em 2012) fecha com meia dúzia de nuvens e neblina. Tente pegar um ônibus à noite, sorte é o que você mais vai precisar. Se aventure a ir de um canto a outro da cidade olhando apenas (quais?) as placas. Converse com os grandes produtores sobre por que estão deixando de trazer shows internacionais para a nossa cidade. É um caminho de problemas, mas, sinceramente, todos são solucionáveis. Me parece que falta vontade mesmo, estamos presos na síndrome da cidade média/pequena. A Copa é uma esperança, poderíamos usar ela como a nossa grande virada, não? O mundo devia conhecer o quão maravilhosos, lindos, gentis e agradáveis somos nós, gaúchos e porto-alegrenses. O Brasil devia se curvar a nossa inteligência, nosso churrasco, nossas belezas naturais. E nós deveríamos estar preparados para isso, porque, definitivamente, não estamos. Falamos! Esse texto foi originalmente publicado no blog de Guilherme Alf (guilhermealf.com.br) e o seu conteúdo é de responsabilidade do autor.


3 por Susi Borges @susiborges

também com um pouco da história do jeito de vestir e do comportamento de outras décadas. Betta Abrantes, Lú Retrô e Ruth Contreras, juntas pela primeira vez, assinam a curadoria da exposição, que tem entrada franca. Já na próxima semana, nos dias 13 (das 14h às 18h) e 14 (das 10h às 18h), a designer de joias Alice Floriano faz sua primeira exposição individual no espaço. O público vai conferir em ‘Primera’ as criações da artista que une simbologia e joalheria contemporânea, explorando matérias-primas pouco convencionais como conchas e pedras. Exposição também aberta ao público. Passa lá! ;)

Sotaque espanhol Os porto-alegrenses ganham, neste mês de julho, mais uma opção delícia de happy hour na Capital. O Lola, localizado na Castro Alves, 422, é o bar de tapas que abre as portas a partir do dia 11, especialmente para aqueles que gostam de degustar os bons aperitivos típicos espanhóis. Da Espanha, além da culinária, o Lola também incorporou a descontração dos deliciosos bares catalães, para que todo mundo se sinta em casa. Tão em casa que você não precisa deixar seu pet amado sozinho, já que no bar tem um lugarzinho especial para quem quiser levar o seu cãozinho. Fofo, né? O horário de funcionamento é das 12h às 15h e à noite, das 18h às 23h30min.

Divulgação/CP

Fábio Alt/Divulgação/CP

Tem um cantinho cheio de novidades no Moinhos de Vento. Inaugurado recentemente, o Love Loft (Florêncio Ygartua, 188) da jornalista e publicitária Mauren Motta é, como o próprio nome diz, um amor. Cheio de vontade de compartilhar conhecimentos, ideias e experiências. Pra dar início à intensa programação do espaço multifuncional, hoje (das 14h às 18h) e amanhã (das 10h às 18h) acontece por lá a exposição ‘Retrô + Conteúdo’, que vai reunir três dos maiores acervos de figurinos de época de Porto Alegre. Os visitantes terão contato não apenas com os figurinos expostos, mas

Letras traduzidas

(mas com sentimentos) Nem todo mundo é fluente em cinco línguas, então, nada melhor que ir atrás das letras dos grandes hits da vida, para que a nossa interpretação na boate no próximo final de semana soe mais convincente o possível. Mas o #verdades de hoje foi além, e traduziu não as letras, mas sim a real mensagem por trás delas. Quem disse que música pop não pode ser profunda, hein?

Katy Perry – ‘Last Friday Night’ Tradução: Melô da Pirigótica

Fotos Reprodução/CP

Um amor de loft

Esse é o hino da pirigótica: na letra, Katy descreve uma noite de sexta digna de filme para adultos dos anos 70 em que todo o mundo se acaba. Ainda encerra com “e na próxima sexta-feira faremos tudo de novo”. “Porque né, pirigótica de verdade, termina uma sexta já com as próximas cinco agendadas, que é pra manter a continuidade”. Ass. Laurinha.

Strokes – ‘Last Nite’ Tradução: Que ano é hoje?

2001 foi um ano maravilhoso: apesar das profecias, o mundo não acabou em 2000, então, vivíamos um começo de década muito próspero. Aí surgiram os Strokes, que permitiram que os meninos usassem calças mais justas que o Xororó e o cabelo ensebado. Foi um ano tão legal, que as pessoas ainda não aceitaram que já se foi, tocando essa música sempre na balada. Eu e meus amigos só nos perguntamos “que ano é hoje?”, e depois rimos malignamente.

Britney Spears – ‘Criminal’

Divulgação/CP

Tradução: Boy lixo

Semana rock no La Estación Tá ansioso pra comemorar o Dia Mundial do Rock? Então fica tranquilo porque o La Estación Pub (Miguel Tostes, 941) preparou uma programação especial que começa já nesta segunda, quando um documentário sobre a história do rock será exibido. Na terça, o Marmota Jazz abre os trabalhos ao vivo. A galera da Chaise Brothers toca na quarta, Locomotores na quinta e a banda Pata de Elefante fecha a programação na sexta-feira em grande estilo, quando é celebrado o dia do rock. Saiba mais pelo telefone (51) 3377-0333.

Ídolos em Porto Alegre Fama e um prêmio de R$ 500 mil! É tudo isso que o reality show Ídolos 2012 pode te proporcionar. E a vez dos gaúchos de entrar nessa será amanhã quando Marcos Mion e os jurados Fafá de Belém, Supla e Marco Camargo estarão aqui em Porto Alegre pra fazer a audição. A função acontece no Gigantinho (Padre Cacique, 891) a partir das 8h. Você pode se inscrever antecipadamente pelo endereço rederecord.r7.com ou lá na hora mesmo. Só não esqueça de levar um documento original com foto!

Badalo no Club Hoje é dia de badalo no Club 688 (Siqueira Campos, 688). A festa traz Phil, do trio Killer on the Dance Floor e DJ Gorky, do Bonde do Rolê, além dos DJs residentes Juli Baldi e Pedro Bertoletti, que irão bombar a pista que promete estar toda linda. Isso porque a festa será a continuação do coquetel de inauguração da mais nova loja da Cavalera em Porto Alegre, que agora também tem ponto fixo no Iguatemi. Antecipados à venda na loja Convexo do shopping Moinhos a R$ 30 (1 lote) e R$ 40 (2 lote) feminino e R$ 40 (1 lote) e R$ 50 (2 lote) masculino.

Nessa belíssima balada romântica, Britney se utiliza de metáfora de violência urbana para descrever um boy lixo: aquele que te trova, te manda música de amor no YouTube, depois ignora teus SMS, e aparece em relacionamento sério no Face com outra. E o pior: fica te devendo para sempre os R$ 5 que você emprestou para o táxi. Isso tudo no tempo médio de 90 minutos. O amor é lindo, né?

Gotye - ‘Somebody That I Used to Know’ Tradução: Por que você me deu unfollow?

Em tempos que unfollow no Twitter é o novo tapa na cara, essa, que é a música mais broxante do ano, explora a dinâmica das relações nas redes sociais. Em “Mas você não precisava ter me cortado de vez”, o desabafo na verdade é: “por que você removeu as marcações das nossas fotos juntinhos na Redenção, Claudinha?”

Beatles - ‘All You Need is Love’ Tradução: Vamos fazer pegação!

Essa música não fala de apenas paz, mas, sim, sobre fazer pegação, sem preconceitos – principalmente se já tiver passado das 4 da madruga e tu ainda estiver no zero a zero. É a mesma vibe daquela música do Renato Russo “é preciso amaaaar, as pessoas como se não houvesse amanhã”. Aliás, quem não conhece Renato Russo pode procurar, pois foi um grande homem. O Falando Umas Verdades é a reunião de um pouco de tudo que a galera da redação do Mais Preza pensa, abordado de um jeito divertido e bem humorado. Até porque a gente acredita que bom humor não faz mal a ninguém. Aproveita e passa lá no blog que todo dia tem um post novinho pra você se divertir e ficar bem informado, de um jeito preza! (maispreza.com.br)


4

Sexta-feira, 6 de julho de 2012

“Vergonha de você,

Reprodução

blogueira” Os 7 pecados das blogueiras de moda, por Titia Shame 3 4 5 6 7

Não saber escrever. Blog é um veículo de comunicação, saber sua língua nativa é imprescindível. Não saber nada de história da moda. Se você escreve sobre um assunto, você deve ter conhecimento antes de mais nada. Não ter personalidade. São um bando de clones fabricados em série. Subestimar a inteligência dos leitores, tentando enfiar jabá goela abaixo como se fosse dica de amiga para amiga. Achar ser expert em alguma coisa. Tipo: “minhas amigas acham que me maquio bem, então vou abrir um canal no YouTube para ensinar as pessoas”. Aí paga aquele micão. Não saber o que é monocromático. Achar que está arrasando quando, na verdade, está no ‘Loka do Dia’ da Titia Shame.

Otávio Senna, vocalista da banda Os Bacanas Vo l t Pr o j e c t / D i v u l g a ç ã o / C P

Vo l t Pr o j e c t / D i v u l g a ç ã o / C P

P

ublicitários, jornalistas, RPs, criativos, curiosos, viciados em redes sociais em geral: todos entraram no clima da Flash Party, festa que encerrou a nona edição do Social Media Day, em Porto Alegre, no último sábado. A função rolou no Nós Coworking com a gurizada das bandas Os Bacanas e Foot Fighters. Depois, quem assumiu as pick ups foram os DJs Bruno Ritzel, Duba, Leo Zuera, Nat Cirio e Uruguaio. Confere aí quem passou por lá!

Do que você mais sente vergonha nos blogs? Dos looks do dia*. As coitadas acham que estão arrasando e que vão servir de inspiração para alguém e, no fim, elas acabam pagando mico no meu ‘Loka do Dia’. Como você vê o destino dos formatos que não se renovam? Vão existir até o fim da humanidade, porque o desejo de exposição e ‘fama’ é inerente ao ser humano. Mas a bolha está estourando, e apenas poucos e bons se

Vo l t Pr o j e c t / D i v u l g a ç ã o / C P

1 2

Vo l t Pr o j e c t / D i v u l g a ç ã o / C P

*Blogueiras postam fotos com roupa/ sapato/ acessório que estão usando no dia, dando os créditos das marcas

Não precisa ser muito on-line para saber que blogs de moda e beleza estão pipocando na Internet. O que antes funcionava num formato em que gurias compartilhavam suas dicas de moda e maquiagem, agora, deu asas à imaginação, ou melhor, ao mercado. Blogs se tornaram rentáveis, e muitas blogueiras já conseguem ganhar um bom dinheirinho apenas com seus posts. Até aqui, problema algum, se não tivesse aparecido a personalidade mais odiada pelas ‘donas’ desses blogs, a Titia Shame. Esse é o pseudônimo da criadora do shameonyoublogueira.com. br (Vergonha de você, blogueira), um blog que denuncia todos os deslizes encontrados pela Titia. Segundo a personagem, a ideia veio à tona quando ela se deu conta que muitos blogs estavam enganando as leitoras. Além de algumas blogueiras falarem sobre algo que não dominam, tem a parte mais crítica, segundo a Titia, que é quando elas disfarçam posts pagos, como se estivessem dando sua própria opinião, o famoso jabá. Para ela, essa prática se tornou tão revoltante porque as leitoras não têm como identificar quando a blogueira está dando sua opinião ou está sendo paga para falar muito bem daquele produto. “Se uma blogueira, na qual a menina confia, disser que ‘ela não pode viver sem tal batom’, ela compra no mesmo dia. As leitoras são totalmente manipuláveis”, diz. Essas revelações vêm acontecendo desde setembro de 2011, quando o Shame on You foi para o ar. Hoje, o blog rende à Titia, além de muitos desaforos e bonequinhos de vodu, 150 mil visitantes diários e alguns publiposts, que ela faz questão de dizer que é publicidade e está sendo paga por isso.

Júlia Sondermann

Um dos DJs da noite, Gustavo Uruguaio

Melissa Assis

salvarão. A real é que já está todo mundo de saco cheio de blogs e blogueiras, e as marcas estão sentindo isso. Tem algum blog que você indica? Blog com Look do Dia, que se preze aqui no Brasil, desconheço. Tem até umas blogueiras que postam looks legais, mas, quando você vai ver, é tudo propaganda, ou seja, ela não saiu daquele jeito, e aquilo não é o Look do Dia, então perdeu o propósito, ficou artificial.

MAIS PREZA 06 -07  

Edição Mais Preza #51