Page 1

[CPOVO: CORREIO_DO_POVO-MAIS_PREZA-MATERIAS <MAISPREZA> [EDITORIAL] ... 01/02/13]

Author:PVELOSO

Date:01/02/13

Moda e experimentação

Hitchcock nas férias

■ Na semana que vem, vai rolar o curso “Têxteis Experimentais” do

■ Cinema, suspense, Hitchcock! Se você curte esse mix, se liga nesse

Nia Projektua. Perfeito para quem gosta de moda, ele vai trabalhar a estamparia a partir da imaginação dos alunos. As inscrições já estão encerradas, mas, no dia 7, quinta-feira, vai ter a palestra de encerramento do curso com a estilista Fernanda Rech, que será aberta ao público. Te interessou? Então manda um e-mail para cursos@niaprojektua. com.br. A palestra rola no lounge Pandorga (Miguel Tostes, 897).

curso de férias que vai rolar em Porto Alegre: “A Obra de Alfred Hitchcock — Módulo I” vai falar sobre a vida e obra do diretor inglês, conhecido como o mestre do suspense. O conteúdo vai analisar seus filmes, técnica cinematográfica e linguagem narrativa. As aulas vão rolar de 18 a 21 de fevereiro no Museu da Comunicação Hipólito José da Costa. Mais informações lá no blog: maispreza.com.br.

Time:14:26

CAROL BRANCO / DIVULGAÇÃO / CP

As filas quilométricas, comuns na frente de algumas casas noturnas de Porto Alegre, muitas vezes são propositais para evitar a superlotação dos clubes. Tem que ter paciência ou chegar cedo

E a saída de

O que dizem as casas Filas ■ O Laika, clube que fica na Cidade Baixa, em

emergência? ■ SUSI BORGES

A tragédia em Santa Maria suscitou uma discussão sobre a segurança em casas noturnas. Em Porto Alegre, o debate se fortaleceu. No início da semana, alguns clubes já estavam se manifestando no Facebook, em resposta aos frequentadores que até criaram eventos na rede social sugerindo boicote a algumas casas da Capital consideradas, pelos manifestantes, inseguras. Tão inevitável quanto esse sentimento de revolta com o acontecimento trágico, é a pergunta que certamente em algum momento você deve ter feito a si mesmo nos últimos dias: “E se fosse comigo, eu saberia sair da casa X?”. Ou se conformou com a própria displicência: “Eu não conheço a saída de emergência de nenhum local que frequento há anos”. Mesmo com a responsabilidade em dia da fiscalização, somada às obrigações da casa noturna, saber agir e ter voz para reclamar ao se sentir ameaçado é um dos deveres tanto de quem frequenta a noite esporadicamente quanto dos que são arroz de festa. Para você sacar bem o que deve avaliar quando chegar na balada, conversamos com o oficial da seção de Prevenção de Incêndio de Porto Alegre, tenente Miguel Augusto Ribeiro, que deu dicas de proteção para todo mundo ficar mais atento: ■ Primeiro lugar: ter critério na escolha do local. Existem bairros (mais distantes) onde a localização das casas são menos confiáveis. ■ Chegou na festa? Faça reconhecimento do cenário: onde estão as saídas, se o local permite circulação, se está sinalizado, quantos pavimentos tem. Dê uma volta, faça o “reconhecimento de campo”. Isso faz parte do nosso instinto de defesa. ■ Não queremos que você fique como um neurótico na festa abrindo os braços e medin-

do o local que está a cada passo, mas faça o cálculo mentalmente: de braços abertos, calcule 1 metro para frente e meio metro para o lado. Esse é o espaço que duas pessoas podem ocupar de forma segura. Em locais muito lotados, ficam quatro pessoas amontoadas por metro quadrado, o dobro. Faça a conta... ■ Em caso de situação de emergência, tente manter a calma. Se você já fez o mapeamento mental indicado, provavelmente irá lembrar das sinalizações.

Te programa

Porto Alegre, focado no público rock, é alvo de reclamações e até ameaças de processo pelas filas gigantes que se formam em frente à casa em algumas noites. “Acho que agora todo mundo pensará o contrário quando perceber que a fila para de andar enquanto verificamos como está o andamento da festa”, diz Tito, assessor da casa. Um dos argumentos utilizados pelos frequentadores é que o clube, visando mais lucro, “coloca pra dentro” mais pessoas do que a capacidade suporta. Acusação que Tito esclarece: “Ao contrário do que muita gente imagina, existe um ponto em que a lotação da casa para de ser lucrativa. Numa festa muito cheia, as pessoas não consomem como gostariam e isso não é saudável para o nosso próprio sistema financeiro”, afirma.

Mudanças ■ A Farm’s é focada no público sertanejo. A casa

da Capital anunciou que aboliu a utilização de qualquer pirotecnia em shows e no seu serviço. Além de terem todos os requisitos exigidos para funcionar, a partir de agora, serão adotadas novas medidas para a segurança do local: fixação em locais visíveis de mapas de fuga; exibição de vídeo antes dos shows e criação do “código vermelho”, em que, em caso de pânico, será tocada uma sirene e luzes de serviço serão acionadas, além das de emergência. E o sócio-proprietário do estabelecimento, Tiago Escher, também lembra que os frequentadores, além de fiscalizar, têm o dever de observar as rotas de fuga, as sinalizações e a localização das saídas de emergência.

THIEGO MONTIEL / DIVULGAÇÃO / CP

■ Celebrando os 30 anos de carreira, o cantor Nando Reis está de volta a Porto Alegre. Tocando o repertório do último disco “Sei” e, claro, grandes hits, daqueles que todo mundo sabe cantar de cor, o show rola dia 21 de março, lá no Opinião (José do Patrocínio, 834), que também comemora 30 anos de vida nesse ano (e terá uma programação toda especial). ■ Em respeito às vítimas da tragédia em Santa Maria, todos os eventos de Carnaval de rua que ocorrem tradicionalmente na Cidade Baixa, em Porto Alegre, foram cancelados. Os blocos Galo de Porto, Maria do Bairro e Bloco da Laje, que estavam programados para este fim de semana, foram suspensos. Dois já marcaram uma nova data: o Maria do Bairro, bloco tradicionalíssimo da rua Sofia Veloso, acontece no dia 23, a partir das 17h, e o Bloco da Laje, dia 3 de março. :)

#drops ■ Neste domingo, a Redenção, em Porto Alegre, vai virar palco para homenagear, mais uma vez, as vítimas de Santa Maria, seus amigos e familiares. A concentração para a ação de solidariedade será nos Arcos do parque, às 16h. Foi no Facebook que a ideia se originou, e mais de 6 mil pessoas já confirmaram presença. A organização pede que todos vis-

Varredura Desde terça-feira, a Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) está fazendo uma “varredura” nas casas noturnas de Porto Alegre. Na madrugada desta quinta, o Cabaret, localizado na avenida Independência, foi interditado. De acordo com o secretário Humberto Goulart, o clube tinha risco de acidente com fogo, com problemas nos materiais utilizados na vedação acústica. A falta de higiene do local também foi criticada. O sócio-proprietário do clube Carlos Beust alega que a casa tem alvará concedido pelos Bombeiros e que o material do forro não é inflamável. A casa tem 30 dias para se regularizar, mas, segundo Beust, as medidas estão sendo tomadas para a adaptação às exigências o mais rápido possível. O Opinião, na Cidade Baixa, também foi visitado pelos fiscais e não recebeu notificação. “A casa tem uma excelente performance contra incêndio”, avaliou o secretário, que ainda destacou positivamente as seis saídas de emergência do local. O Beco 203, também localizado na Independência, teve o andar de baixo interditado por dificuldades em acender as luzes de emergência. A casa tem 48 horas para efetuar a regularização. Ainda foram visitados o Café Moinhos e o Stuttgart, mas estavam fechados e em luto às vítimas de SM. A varredura continua neste sábado.

lçklç

PAULO NUNES

tam camisa branca e que levem balões coloridos, além de boas energias, claro.

■ Chamada

dá uma confer

MAIS PREZA - 01-02-13  

Mais Preza do Correio do dia 01/02/2013