Issuu on Google+

Plano de Ação

Um LEMA para todos + Porto + Ação + Região + Caminho

No último triénio, o CNE na Região do Porto cresceu em número de Agrupamentos, com mais e melhor Escutismo para mais crianças e jovens. Abriu-se espaço para novas ideias e maior participação de todos e para todos. A dispersão geográfica foi sendo quebrada pela rotatividade das Atividades Regionais pelos sete Núcleos, criando-se assim oportunidades de conhecermos a diversidade de uma Região e reconhecermo-nos na unidade do Movimento. Neste processo, em que sabemos o que correu bem e o que correu menos bem, consciencializamos melhor que é este um rumo bom para a Região. É neste caminho que achamos fundamental mantermo-nos, daí que nos disponibilizamos para apresentar uma renovada Proposta à Região. Desta forma, as grandes linhas orientadoras da nova Equipa que apresenta agora candidatura à Junta Regional para o triénio 2013-2016 assentam nos seguintes pilares fundamentais: + Cooperação; + Sentido de Serviço; + Diálogo com todos na solução dos problemas; + Fraternidade; + Ação pedagógica; + Comunhão eclesial


Num triénio que será marcado pela celebração dos 90 anos do CNE na Região do Porto, sentimos ser fundamental assinala-los com significado e distinção, para que seja uma efeméride vivida por todos. O presente e o futuro poderão ser muito enriquecidos pela história das vivências e partilhas do Escutismo destes 90 anos do CNE na Região. Deste modo, estaremos a contribuir para que a Região seja mais Porto, mais Ação, mais Região, mais Caminho. A principal prioridade da Região deve ser promover a prática do Escutismo por mais crianças e jovens e com melhor aplicação do Método Escutista. Daí que, assumamos a Ação Local como essencial. Vamos continuar a opção de responder aos pedidos de fundação de novos Agrupamentos porque cada vez mais Paróquias e Comunidades reconhecem no Escutismo uma excelente proposta pedagógica, pelo que a expansão do Escutismo na Região é um imperativo e um serviço à Comunidade e à Igreja. A nova vertente do Escutismo Marítimo, cujo primeiro Agrupamento na Região dá os primeiros passos e servirá de exemplo, poderá ser ampliada, propondo-a nas comunidades piscatórias da nossa Região. Daremos particular atenção no apoio aos Agrupamentos na gestão de conflitos, no recrutamento e qualificação de adultos que possam servir como Dirigentes e na definição de estratégias de captação de crianças e jovens. Assim, afigura-se relevante a Formação de Adultos. Neste triénio, a Formação de Adultos estará marcada pela introdução do novo sistema de formação do CNE que, apesar das dificuldades, apresenta virtualidades que contribuirão para ajudar os adultos que pretendem servir o Escutismo a fazer o seu percurso individual de formação. Os agrupamentos, sobre a responsabilidade do chefe de agrupamento serão chamados a ter papel ativo neste processo formativo. A Região disponibilizará a todos os candidatos a Dirigentes oportunidade de, em tempo útil, fazerem o seu percurso formativo inicial, em ordem à sua Investidura, assim como diligenciará a oferta de formação pedagógica avançada, de acordo com a procura.


Nesta área, manteremos oferta de formação técnica através de cursos monográficos, que já vêm sendo oferecidos, alargando-a a novas áreas. Pretende-se que todos os Dirigentes possam obter competência técnica para permitir aos jovens desenvolverem-se como pessoas através do aprender fazendo. É assim, desde a sua origem e no pensamento do Fundador, que o Escutismo promove a Educação. O Centro de Formação de Alfena, com que a Região passou a contar como espaço de formação no triénio passado, disponibilizará os meios necessários para, com custo reduzido, se poder aumentar a oferta de oportunidades formativas. Cada formando, sendo ele Dirigente, noviço ou aspirante a Dirigente, terá apoio numa Equipa com experiencia Escutista e profissional, jovem mas madura na forma de estar e agir, para traçar as linhas orientadoras da sua própria formação. Todos os formadores serão chamados a dar o seu contributo, de forma coordenada, coesa e fraterna, para tornar a nossa Região mais e melhor. Serão implementados workshops temáticos de Técnica Escutista, dos quais farão parte os temas já desenvolvidos pela atual Equipa Regional de Formação de Atividades ao Ar-Livre (ERFAAL), e muitos outros irão surgir para colmatar as dificuldades detetadas em cada ano Escutista pelos Dirigentes, Agrupamentos e Núcleos. A Região, anualmente, promoverá um EPI para qualificação dos Dirigentes responsáveis pelas atividades internacionais dos Agrupamentos. Vamos propor momentos específicos de formação dos Dirigentes, como serão a Abertura Regional do Ano Escutista, o Seminário Anual, e o Encontro Regional de Dirigentes, que se pretende que sejam um fóruns de formação, discussão e partilha informal. O Programa Educativo é o centro da atividade do CNE. É através dele que as crianças e jovens “crescem”. Todas as ações que proporemos serão orientadas para ajudar a uma boa e melhor aplicação do Programa Educativo.


Porque o Escutismo é, na sua essência e origem, para as crianças e jovens, a “festa” do S. Jorge e os Encontros Regionais de Guias das quatro secções, continuarão a merecer a nossa atenção e a serem uma prioridade. Pretende-se que o S. Jorge continue a ser a referência que tem sido ao longo dos 90 anos do CNE na Região: o encontro anual dos Escuteiros da Região, para nele viverem, partilharem e se sentirem efetivamente como fazendo parte de uma grande Fraternidade que é o Movimento Escutista. Todas as outras grandes atividades pedagógicas, que tradicionalmente se realizam em cada ano, deverão ser promovidas pelos Núcleos, com o apoio da Região, nomeadamente: - Dia do Pensamento/ Dia de B.P - Encontros de Unidades / Festas dos Patronos - Jota/Joti

Naturalmente, este trabalho só poderá ser feito tendo como parceiros todos os Núcleos, em especial as suas Equipas Pedagógicas, com principal relevo no Secretário Pedagógico que terá sempre um papel fundamental neste processo de ser útil aos Agrupamentos e, através deles, a todos os Escuteiros. As Equipas Regionais produzirão as ferramentas pedagógicas que se mostrem necessárias, sendo facilitadoras da aplicação do Programa Educativo. Queremos que todas as grandes Atividades Regionais sejam precedidas de Conselhos de Ombú onde os Chefes de Unidade de todos os Agrupamentos serão chamados a participar e partilhar os desafios. A Comunicação é hoje uma ferramenta essencial na promoção das ideias e oportunidades. A Região continuará a desenvolver o Sitio da Região na internet, recentemente ativado, a página do Facebook e a publicação do Gota d’Água.


Promoveremos mais divulgação destes recursos junto dos Escuteiros da Região. Será lançada uma Newsletter semanal que faça a compilação de toda a informação Regional. Por ocasião das celebrações dos 90 anos do CNE na Região, a comemorar em 2015, será editado um livro sobre História da Região. No sector Administrativo, impõe-se continuar a simplificação dos processos burocráticos (eliminando atos inúteis, desnecessários ou redundantes), a desmaterialização dos procedimentos e iniciar a digitalização do arquivo documental. Na Gestão e Planeamento, propomos-mos continuar uma gestão criteriosa dos recursos financeiros e patrimoniais, fazendo mais com afectação de menos recursos. Dada as implicações oriundas da alteração do regime de arrendamento, vamos propor que seja constituído um fundo de reserva para aquisição de instalações próprias do DMF que, como sabemos todos, está em espaço arrendado e no qual existem vários problemas estruturais. Na área específica do Planeamento, que compete especificamente a uma Junta Regional estar atenta, propomo-nos dar início à realização de um estudo de caracterização da Região a vários níveis e parâmetros, que permita obter informação para estabelecer, com rigor, objectivos e estratégias de longo prazo. Em coordenação com a Assistência Regional, promoveremos um Retiro Anual para Dirigentes e continuaremos o trabalho já realizado de divulgação do Escutismo nas Paróquias. Daremos especial atenção à promoção de boas práticas Escutistas nas Comunidades, que reflictam a nossa natureza de associação de fiéis, de modo a que o Escutismo aconteça na melhor coordenação Pastoral. Vamos propor um Curso de Formação para Assistentes, devidamente adaptado.


O mais importante num Projeto Regional, como o que agora nos move, será sempre manter o espirito de abertura, a disponibilidade para o serviço, a tolerância pela diferença e a capacidade de ouvir e dialogar. Assim, tudo faremos em cada momento, para que se possa adotar as atitudes certas que, sendo motivadoras da mudança, permitam a evolução da Região para ser mais Porto, mais Ação, mais Região e mais Caminho. Estaremos inspirados e animados pelo pensar do Fundador, que a todos e a cada um de nós desafiou em 1939, ao olhar o Monte Quénia: “Vê com vistas mais largas; vê mais alto; vê mais além, e um caminho será visto” BP - 1939.


Plano de ação mais porto