Issuu on Google+

mais

COOPERATIVA DE SOLIDARIEDADE SOCIAL

mais BOLETIM INFORMATIVO Nยบ 2 OUTUBRO 2013

Bem Vindos!


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

02

ÍNDICE

03 Editorial -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------04

Atividades ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

05 Adaptação à creche --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------06

Atividades ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

07 Regresso às aulas ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------08 Festa Final de Ano-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------09 Ser idoso na Mais Plural é-------------------------------------------------------------------------------------------------------10 Praia------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Férias de Verão -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

12 Serviços ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

11

13 Serviços -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------14 Testemunhos-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------15 Projeto Prio Norte ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------16 Mais idoso ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ficha Técnica Propriedade: Mais Plural Cooperativa de Solidariedade Social Morada: Rua do Azevinheiro, nº70 4760-009 Vila Nova de Famalicão Telef: 252 315 609 Fax: 252 315 611 Email: geral@maisplural.pt Responsáveis pela redação: Drª Manuela Pinto, Drª Liliana Moreira, Drª Carolina Pinto, Drª Claúdia Correia, Drª Cristina Rocha, Drª Carina Silva, Enfª Elisabete Macedo, Enfª Ana Gomes, Educadoras de Creche, Educadoras de Jardim de Infância, Professoras de 1º Ciclo Periodicidade: Quadrimestral (Outubro, Fevereiro e Junho) Tiragem: 500 exemplares Distribuição gratuita


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

EDITORIAL

03 Ser idoso na Mais Plural é conseguir contar a sua própria história. Ser idoso na Mais Plural é ser respeitado. Ser idoso na Mais Plural é saber viver o presente. Ser idoso na Mais Plural é respeitar o seu passado. Ser idoso na Mais Plural é aproveitar cada momento. Ser idoso na Mais Plural é trocar saberes e experiências. Ser idoso na Mais Plural é viver momentos felizes. Ser idoso na Mais Plural é amar e ser amado. Mas… Uma Instituição como a nossa é sempre uma segunda casa. Apenas uma segunda casa, que nunca substitui a primeira.

No que diz respeito às crianças vejamos: - não há escola, não há creche, não há jardim infantil que substitua o lar a que cada uma pertence; - não há professores, não há educadores de infância que substituam os pais e, mal andariam estes, se quisessem ver-se substituídos. Colaboração recíproca, sim, já que os agentes de educação dificilmente conseguiriam sucesso de costas voltadas. Quando chegam a uma Instituição como a nossa, as crianças trazem de casa um capital de saberes, de experiências, de hábitos, de sentimentos que os agentes de educação não podem desprezar. Eis porque uma Instituição como a nossa é para as crianças, e como acima dizíamos, uma segunda casa.

No que diz respeito aos idosos vejamos agora: - por maior que seja a excelência das instalações, por melhor que seja a qualidade de vida nelas proporcionada, nenhum Lar de Idosos substitui a casa da família; - por mais carinhosos que sejam os responsáveis de um Lar , por mais competentes, atentos, afetuosos e dedicados, nenhum desses responsáveis substitui filhos, netos, irmãos ou outros familiares. Por isso é que se torna necessário e saudável, corresponder às expectativas dos idosos que sempre desejam manter o convívio com os seus familiares diretos. Não há idoso algum que queira ser esquecido! Mais ainda…… Não há idoso algum, no pleno uso das suas capacidades, que não recorde com saudade a sua casa, e não sinta alegria em revisitá-la, ainda que esporadicamente. As visitas dos familiares, os passeios, por breves que sejam, com filhos ou netos, ou as pequenas férias que possam passar em casa----a sua primeira casa ----- proporcionam aos idosos momentos da maior felicidade possível, na sua última etapa da vida. Eis porque… Uma Instituição como a nossa é sempre uma segunda casa. Apenas uma segunda casa, que nunca substitui a primeira!

Manuela Pinto


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

04

ATIVIDADES

Ballet

A Dance Box Studios é uma escola de Dança que tem por objectivo principal o desenvolvimento da vertente técnica e artística dos seus bailarinos. Entendemos a Dança como uma ferramenta pedagógica extremamente valiosa na descoberta das várias formas de expressão, na exploração dos traços da personalidade, no desenvolvimento da sensibilidade e no desenvolvimento da capacidade de análise.

Nas aulas de Ballet Clássico, teremos como princípios básicos o desenvolvimento postural correto, disciplina, leveza, harmonia, lateralidade e musicalidade. Paralelamente iremos trabalhar as capacidades motoras específicas, tais como a coordenação, o equilíbrio, o ritmo, flexibilidade, agilidade, precisão e força. Aos critérios referidos anteriormente, serão associados os conteúdos programáticos, pedagógicos e

técnicos veiculados pela organização internacional Royal Academy of Dance. Tendo sempre em conta as diferenças de cada bailarino neste processo tão complexo que é a formação através da arte!

A atividade de Expressão Musical lecionada por profissionais competentes, fortalece os processos de linguagem. Assim, “musicalizar" a criança, para a tornar sensível e recetiva ao fenómeno sonoro proporciona momentos de vivências várias e globais, pois de uma forma espontânea, as crianças desenvolvem competências musicais múltiplas. A criança descobre, explora e desenvolve o seu aparelho fonador, melhora a dicção, desenvolve competências no domínio cognitivo (concentração e memória) e de ex-

pressão. A prática de variados tipos de produção sonora, induz o desenvolvimento da motricidade fina e das noções de lateralidade. No campo social e afetivo, através das atividades musicais de grupo desenvolve comportamentos cooperativos. Muito importante também é a alegria e o prazer que grande parte das atividades musicais provoca, proporcionando momentos divertidos, mágicos e muitas vezes inesquecíveis.

Expressão Musical O desenvolvimento da atividade de Expressão Musical ocorre principalmente em entidades de referência que desenvolvem o seu trabalho em contexto de Berçário, Creche e Jardim de Infância. A Expressão Musical pode ser aplicada desde a vida intrauterina, pois pesquisas provaram que o feto reage ao som e, por ser estimulado desde cedo, nasce com maior capacidade de desenvolver o seu potencial. A influência fisiológica e psicológica do som no cérebro traz inúmeros benefícios à criança.

Ginástica O movimento é de grande importância biológica, psicológica, social e cultural. Através da exploração motora a criança desenvolve a consciência do mundo que a rodeia e de si própria. O estímulo de experiências motoras desde a infância é de fundamental importância para o desenvolvimento cognitivo, meio pelo qual a criança explora, relaciona e controla o

seu meio ambiente. Essas experiências motoras devem funcionar como embriões de hábitos saudáveis que possam perdurar ao longo da vida, contrariando a tendência atual para a realização de atividades que mantêm as crianças intelectualmente ativas mas fisicamente passivas. As atividades físicas propostas às crianças visam não apenas a me-

Esta atividade utiliza metodologias baseadas na participação ativa das crianças em aprendizagens significativas nas ciências experimentais, de modo divertido e único. Visa incentivar e levar à descoberta do que é a ciência e, de como, desde muito cedo, se pode experimentá-la. Potenciar a curiosidade natural das crianças fomentando oportunidades que visem o conhecimento através da descoberta.

A atividade estimula a curiosidade científica e o raciocínio lógico-matemático, desenvolve a curiosidade natural e o desejo

Sofia Reis QIEDUKA www.qieduka.com

lhoria das suas capacidades físico-motoras mas essencialmente a promoção de hábitos de saúde, de bem-estar e de uma maior socialização. O movimento é utilizado como um “material pedagógico” que permite trabalhar as áreas do comportamento motor, psíquico e social da criança. O objetivo é o seu desenvolvimento harmonioso e integral. Gabriela Gomes

Ciências Divertidas e Experimentais de saber, sensibiliza as crianças para os domínios científicos no âmbito da natureza, desenvolve o sentido e pensamento crítico em relação ao mundo que os rodeia, promove o contacto com o conhecimento do mundo através da realização de experiências e do contacto direto com algumas situações, promove a aprendizagem das crianças, recorrendo à experimentação de situações do quotidiano, desen-

volve a curiosidade, o interesse e o entusiasmo pela Ciência e colocar as crianças e no centro da aprendizagem. Esta atividade dá oportunidade à criança para questionar, investigar, solucionar e aumentar o seu conhecimento, em relação a fenómenos ou acontecimentos, que para si, são relevantes e significativos.

Sofia Reis QIEDUKA


Edição nº 2 OUTUBRO 2013

Boletim

05

Adaptação à creche Apesar de reconhecerem fatores positivos com a entrada dos filhos na creche, outros sentimentos paternais se elevam, apertando os seus corações. O mês de setembro coincide com o início da rotina escolar e, como tal, para muitas famílias, representa um período difícil, de dúvidas, angústias, incertezas, e ainda de alguma contrariedade. Apesar de reconhecerem fatores positivos com a entrada dos filhos na creche, outros sentimentos paternais se elevam, apertando os seus corações. Tudo se complica quando falamos de crianças muito pequeninas ou seja, quando falamos de creche. Num período em que se pretende que a adaptação seja o mais suave e tranquila possível para todos, importa considerar aspetos importantes, tais como: - Transmitir calma e segurança à criança, demonstrando-lhe confiança nas pessoas que diariamente cuidam dela e interagem com ela; - Possibilitar à criança uma adaptação gradual, ou seja, ir aumentando o tempo de permanência na creche, de acordo com o estabelecido pela equipa, tempo esse que poderá ser de uma ou duas semanas, até à familiarização da criança com o espaço, as pessoas e a nova rotina diária; - Permitir à criança que traga consigo um objeto /brinquedo de casa, sendo este o elemento de transição/ ligação à família, fator de proximidade e conforto durante o tempo em que está longe dela. Assim, os pais devem evitar prolongar o tempo no momento da separação, uma vez que este prolongamento só aumentará a angústia e sofrimento da criança, devendo ainda evitar grandes explicações. Fugirem da criança ou esconderem-se sem que esta tenha a oportunidade de se despedir também não representa uma boa escolha. Devem ser claros e sobretudo verdadeiros. Ao longo do tempo, a criança vai perceber que os pais voltam ao final do dia e gradualmente vai-se sentindo cada vez mais segura e tranquila. A adaptação à creche por vezes não é fácil, mas, com táctica, atitude adequada e serenidade, pais e educadores podem fazer a criança perceber que a creche também representa um espaço e um tempo de ser feliz.


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

06

ATIVIDADES

Ensino do Xadrez na Mais Plural

O xadrez é um jogo que contribui para a ocupação lúdica dos tempos livres. Quando as crianças praticam este jogo, estão também a contribuir para a sua formação em vários aspectos, nomeadamente, o desenvolvimento da sua capacidade intelectual. A prática do xadrez estimula o raciocínio lógico-matemático, mas

também desenvolve a capacidade de atenção e o poder de concentração, a criatividade e a imaginação. A prática do xadrez contribui ainda para a formação do caráter das crianças, pelo desenvolvimento da capacidade de se superarem, em cada jogo, em cada jogada, em que põem à prova a sua tenacidade, o

seu espírito de sacrifício, a autoestima e a autoconfiança. Enquanto modalidade desportiva, desenvolve a sua capacidade competitiva e contribui para uma mais completa socialização das crianças. O Xadrez, além de atividade de enriquecimento curricular é uma modalidade de desporto federado

desenvolvida, em primeiro lugar, na Didáxis – S. Cosme, com excelentes resultados, depois, em Riba de Ave, e agora na Mais Plural. É assim que num trabalho cooperativo, vamos conseguindo potenciar talentos e alargar o leque dos praticantes. Mariana Faria

Teatro – Expressão Dramática A Mais Plural proporciona aos seus utentes seniores e às crianças dos 5 anos e da Escola de 1º Ciclo a actividade de teatro/Expressão Dramática. O pretendido com as sessões de Teatro/ Expressão Dramática não é formar atores, mas antes levá-los a explorar a sua própria criatividade, levando-os a terem uma

A Música representa um papel muito importante no desenvolvimento intelectual, auditivo, senso-

maior autoestima e confiança em si mesmos. Paralelamente, as crianças ao trabalharem um pequeno texto dramático/poético aprendem e apreendem conceitos, posturas, de uma forma lúdica, tais como: -Voz- Dicção, articulação e projecção; - Expressividade Corporal- Noção

rial, da fala e motor das crianças e é fundamental nesta etapa do sistema educativo. Nesse sentido a ArtEduca – Conservatório de Música de Vila Nova de Famalicão, em parceria com a Escola Mais Plural, estão a desenvolver um trabalho artístico especializado onde se sensibiliza semanalmente as crianças para todas as mais-valias da música com aulas de formação musical, classe de

conjunto (coro) e com instrumento (Orff, Piano, Violino, Violoncelo, Flauta transversal). Fazer e escutar música é uma das actividades mais estimulantes para o intelecto das crianças que proporciona de uma forma agradável e divertida a melhoria de diversas áreas como por exemplo a da coordenação motora, o estimulo da sensibilidade e da criatividade, o ajudar a criança a comunicar-se melhor, o

do corpo em relação ao espaço. - Presença em palco e à vontade perante um público; - Contacto com peças literárias Todos estes aspectos, estamos certos que proporcionarão a estas crianças, quando adultos, serem ainda mais completos e capazes de encarar o mundo de outra forma. Carlos Silva

Música

desenvolver do trabalho em grupo, o proporcionar o aumento da auto-estima e a aprendizagem do alfabeto, de ritmos, línguas, etc. A música ajuda a construir pessoas melhores!

Inglês-Welcome back to school! Ao longo deste ano letivo, a atividade de inglês deverá proporcionar ao aluno meios que o levem , através de jogos, diálogos encenados, imagens e músicas, a aprendizagem de uma segunda língua de uma forma natural e indutiva, ou seja, o mais parecido possível com a aquisição da língua materna. Os temas explorados nas aulas de inglês são baseados em conteúdos de aprendizagem significativos do mundo que o rodeia como a família, a casa, os animais, os brinquedos e

temas que estejam a ser trabalhados pela educadora na sala A mesma metodologia terá continuidade na aprendizagem do inglês no 1º ciclo. Nesta fase, a compreensão oral e produção oral terá sido amplamente trabalhada no pré-escolar e a introdução à escrita e leitura estará muito mais facilitada. Através deste método - “Fun” - que procura de uma forma lúdica ajudar o aluno a tornar-se mais competente em línguas, o aluno vai apropriar-se de um conjunto de conhecimentos

da língua e, igualmente, entender a cultura do povo que a utiliza enquanto expressão da sua identidade e, consequentemente, será capaz de usar estratégica e eficazmente os recursos linguísticos disponíveis em situações de comunicação. Assim sendo, de acordo com cada etapa de aprendizagem, levamos os alunos a participar de forma consciente na construção de uma competência plurilingue e pluricultural. Teacher Sofia Carvalhal


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

07

Regresso às aulas

Os seus primeiros e quase únicos desejos é saber ler e escrever, ser crescido e, como dizem, “gente que não lê e não escreve é ainda bebé” e isso eles já não querem ser!

Começaram as aulas! É tempo de regresso para uns, de novidade para outros…mas, sobretudo, é tempo de partilha. E temos tanto para partilhar! Tempo de abraços, de “olás” prolongados, de risadas e longas conversas. Os que vêm de novo trazem o medo, as expectativas, a curiosidade, a ânsia por descobrir o que é a Escola, o que se aprende na Escola. Os seus primeiros e quase únicos desejos é saber ler e escrever, ser crescido e, como dizem, “gente que não lê

e não escreve é ainda bebé” e isso eles já não querem ser! Outra novidade para os que chegam são os trabalhos de casa que, para os que já cá andam, é algo já enraizado. Não são torturas para crianças, não é algo desfasado, mas sim algo que relembra o que aprendem na sala de aula. Neste sentido, uma mais valia para todos. Para os alunos que têm a oportunidade de continuar a treinar os conteúdos e para os pais que podem acompanhar os seus filhos nesta arte de crescer, de crescer

a aprender! A Escola Mais Plural é caracterizada pela exigência, ora outra coisa não se esperaria de uma Instituição que acolhe crianças, filhas de pais curiosos, rigorosos, que esperam sempre mais e melhor! Pois cá estamos nós para continuar a responder às vossas expectativas, a abraçar os nossos e os vossos projetos, com carinho e amor. O amor comanda tudo na nossa vida. Quem não coloca nem que seja um pouco de amor naquilo

que faz, as coisas crescem vazias. Por isso, mais um ano começa cheio de amor, para que dele nasçam coisas muito boas e cheias de sentido! À semelhança do que temos vindo a construir, continuaremos a ser uma família, a família Mais Plural. Assim, bem-vindos aos que regressam e aos que chegam de novo…Que o amor permaneça em nós, aquele amor que já foi referido, que nos caracteriza, que nos une e nos leva a fazer sempre melhor!


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

08

Atividades

Festa Final de Ano

Como já é tradição na Mais Plural, no mês de junho realiza-se a festa final de ano, um momento repleto de emoção e arte, preparado com as crianças para os seus familiares. De modo a tornar estes momentos mais significativos e próximos de cada um dos intervenientes, crianças, pais e comunidade educativa, a festa final de ano realiza-se ao sábado, privilegiando cada etapa de desenvolvimento: a creche, o jardim-de-infância e a escola de 1º ciclo. As apresentações inspiram-se no trabalho desenvolvido ao longo do ano, em contexto de sala, sendo estruturadas segun-

do os interesses e vivências de cada grupo. Nas semanas que antecedem a festa, as crianças ensaiam as apresentações com colaboração de toda a equipa, desde coordenadores, educadores, auxiliares de ação educativa, professores de ginástica, inglês, música e ballet, cada um dá o seu toque para tornar o espetáculo ainda mais rico. Os ensaios para o grande dia decorrem no espaço onde se realiza a festa, permitindo às crianças ambientar-se com o mesmo e percecionar o que vai acontecer no dia, desde a presença do público, a música e muitos, muitos aplausos. Este

pormenor proporciona às crianças uma maior segurança e estabilidade uma vez que estão no seu “espaço de conforto”. O momento das apresentações é sempre muito esperado por todos os familiares e também pelas nossas crianças. Desde teatros, canções e danças muitas foram as supressas que os diferentes grupos brindaram todos os presentes. No final as famílias puderam usufruir de um lanche convívio, partilhar ideias, reforçar laços afetivos e recordar alguns dos momentos /experiencias vividas ao longo do ano. É um momento muito especial

para todos, se por um lado a expectativa e ansiedade dos pais para apreciar habilidades e talentos dos filhos, temos por outro lado, o entusiamo e nervoso miudinho dos nossos pequenos artistas em demonstrar as suas habilidades e capacidades artísticas, sem deixar passar a alegria de toda a equipa por presenciar um momento repleto de emoções. Sem dúvida que o talento, a partilha e a alegria são a essência da Festa de Final de Ano da Mais Plural.


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

09

Ser idoso na Mais Plural é...

Os nossos idosos vivenciaram ao longo destes meses momentos felizes de entretenimento, de contacto com a comunidade e de contacto com os mais novos que ficarão na memória de todos eles e de todos os colaboradores que os acompanharam. De todos os momentos inerentes ao plano de atividades destacamos o dia da mãe, a procissão da Nossa Senhora da Auxiliadora, a festa da família, a visita à quinta da Malafaia, a praia, a desfolhada, a ida à Fátima, bem como atividades manuais e visitas ao exterior. O mês de Maio foi presenteado

com três momentos mágicos e repletos de muita emoção. O dia da Mãe, o dia da família, a procissão de velas em honra da nossa senhora de Fátima e a festa em honra da nossa senhora Auxiliadora Protetora do nosso lar. No mês de Junho os nossos maiores tiveram ainda a possibilidade de vivenciar um momento tradicional de arraial na quinta da Malafaia. Este foi um momento capaz de traduzir a felicidade visível nas expressões faciais dos nossos seniores. De realçar a participação na festa da cidade, o Stº António,

com a ida ao centro comer todos os doces alusivos à festa, bem como a visualização das marchas populares infantis. Em Julho não podemos deixar de salientar a colónia de férias, no Centro João Paulo II, que sempre se repercute em sentimentos de bem-estar. Ainda neste mês os nossos seniores tiveram a possibilidade de participar na comemoração do dia dos avós, que contou com a presença dos seus netos. Em Agosto é de salientar a visita ao São Bento das Peras, que para todos os nossos seniores tem um significado religioso e

de convívio. No mês das colheitas, como não poderia deixar ser, os nossos seniores participaram na desfolhada do milho. Este é dos momentos que mais recordações trás para os nossos seniores. Ainda no mês de Setembro, como acontece todos os anos, tivemos a visita ao Santuário de Fátima. Este momento de cariz religioso transmite sentimentos de felicidade e tranquilidade. Ser idoso na Mais Plural é assim, ter a possibilidade de através da dinâmica institucional, ter acesso a um envelhecimento saudável, participativo e ativo.


Boletim

Edição nº 2 OUTUBRO 2013

10

Praia

Entre saltos, arrepios, palmas e muitas gargalhadas, as delicias das crianças faziam-se com os restos de ondas que molhavam até ao joelho. A Mais Plural proporcionou a todas as crianças do Jardim de Infância, dos 2 anos e do 1º ciclo, uns dias de férias na praia da Apúlia. Ao longo destes dias, as crianças vivenciaram momentos repletos de aventuras e brincadeiras. Por sua vez, professoras, educadoras e auxiliares aproveitaram para dar continuidade a competências que foram trabalhadas ao longo de todo o ano, tais como o sentido de responsabilidade, a autonomia, a capacidade de partilha e a organização, entre outras. Paralelamente a estas competências, as diversas brincadeiras em que se envolveram permitiu-lhes improvisar, imaginar e criar, assim como, reforçar laços afetivos com os adultos e os pares. A verdadeira aventura iniciava-se logo à chegada, em que as crianças lanchavam e eram incentivadas a organizar todos os seus pertences, seguindo-se as construções e brincadeiras na areia e pequenos torneios de raquetes e futebol! Todos estes momentos não atenuavam o anseio pelo tão desejado mergulho no mar e entre saltos, arrepios, palmas e muitas gargalhadas, a delícia das crianças fazia-se com os restos das ondas que os molhavam até ao joelho. O dia continuava com o almoço na colónia, e, enquanto os mais pequenos dormiam a sesta, os “mais velhos” aproveitavam as horas de maior calor para usufruir de brincadeiras no pinhal e desfrutar do ar puro que a natureza proporciona. A sala dos 5 anos e do 1º ciclo, com o seu espírito de aventura, aproveitaram para conhecer um dos pontos de referência da Apúlia, a tradicional “lota”. Lá, observaram as diferentes espécies de peixe, desde o carapau, às sardinhas, ao peixe congro, à raia, ao polvo, etc. Foram dias repletos de aventuras, experiências e muitas histórias para mais tarde contar, animadas pelo sol que sempre apareceu para nos animar e bronzear!


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

11

1º Ciclo

Férias de verão na Mais Plural Durante as férias de verão foram muitos os motivos para os alunos da Mais Plural se divertirem. Enumeras e diversas atividades foram organizadas no sentido de proporcionar aos nossos

alunos uma rentabilização do tempo passado em férias. Assim, desde passeios culturais, com visitas a museus, momentos de leitura, praia, atividades ao ar livre, culinária, atividades experimentais, piscina e jogos

de água…foram enriquecendo os seus dias, aprendendo e instruindo-se de uma forma divertida. Em todas as atividades os alunos mostraram-se muito atentos e interessados. Nas visitas fa-

Atelier de cozinha

Horta Mais Plural

Artes Plásticas

Jogos de Água

Visita à Polícia

Visita ao Museu da Indústria Têxtil

Visita à Quinta Pedagógica

Visita ao Museu Ferroviário

ziam muitas perguntas, revelando curiosidade, e nas atividades direcionadas para a brincadeira, participavam com grande entusiasmo e afinco.

Atelier de Informática

Leituras no Jardim

Ciência Viva

Visita ao Museu Soledade Malvar


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

12

Serviços

Para as nossas crianças dispomos ainda de...

Psicologia

Quando devo procurar um psicólogo para o meu filho? Essencialmente existem dois motivos para os pais procurarem um psicólogo: - o primeiro prende-se com a revelação por parte da criança de que algo não está a correr bem, evidenciando esta alguns sinais dessa necessidade; - o segundo motivo, e na maioria dos casos intrinsecamente ligado ao anterior, quando os pais têm dúvidas sobre como proceder e intervir com as crianças, tendo em conta as características desenvolvimentais dos seus filhos. Tal como os adultos, também as crianças po-

dem apresentar problemas emocionais e a ajuda de um psicólogo tenderá a tornar a solução do conflito bem mais tranquila. No entanto, quando falamos de intervenção na criança, falamos também do quanto é importante o envolvimento dos pais/ família no processo terapêutico. Será crucial perceber há quanto tempo persiste o problema e até que ponto interfere com o funcionamento da criança, quer na sua vida familiar quer na sua vida escolar. Se o problema que apresenta é esperado para a idade deverá perguntar a si próprio se já esgotou todas as estratégias para lidar com o mesmo e

se a resposta for positiva, é então aconselhável procurar ajuda de um psicólogo. Eis alguns sinais de alerta que a criança pode apresentar e que devem ser considerados importantes para uma intervenção terapêutica:  Medos  Problemas de sono  Irritabilidade  Agressividade e comportamento desafiante  Falta de atenção frequente  Queixas constantes de cores (de barriga, de cabeça, ou outros) Relutância em brincar, em ir para a escola, em cumprir as responsabilidades escolares. Processo de divórcio  Nascimento de um irmão  Isolamento  Falta de controlo esfincteriano  Atrasos desenvolvimentais A prioridade dos pais deverá ser sempre o Bem-estar dos filhos, e o bem-estar dos filhos dependerá sempre de uma “OLHAR ATENTO” dos pais!

Terapia da Fala O campo de atuação de um Terapeuta da Fala abrange todas as alterações de linguagem, de comunicação e de interação de utentes de todas as idades e ainda alterações na deglutição ou associadas. Atualmente, o Terapeuta da Fala integra equipas ligadas à área educativa para dar resposta às necessidades das crianças com problemas de comunicação, de linguagem, fala e deglutição. Neste âmbito, pretende-se identificar e intervir nas situações em que se

encontram alterados os seguintes aspetos: - Produção dos sons - qualquer alteração a este nível vai interferir com a inteligibilidade do discurso, isto é, com a capacidade dos outros perceberem a criança; - Linguagem - alterações a nível da aquisição de conceitos e capacidade de construção de frases interferem com as competências de comunicação e com as aprendizagens; - Fluência - a capacidade de encadear

sons, sílabas ou palavras pode estar alterado (por exemplo, em situações de gaguez); - Voz - as alterações a este nível podem manifestar-se na forma de rouquidão persistente; - Deglutição - algumas crianças apresentam dificuldades na sua realização do ato de engolir, as quais podem estar relacionadas com alterações da oclusão dentária ou da postura da língua, por exemplo.


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

13

Gabinete de Saúde A Instituição Mais Plural preconiza uma prestação de cuidados de qualidade aos clientes, de modo integral numa perspetiva holística da socie-

dade e do ser humano, desempenhando atividades de promoção da saúde e prevenção da doença. Tem como objetivo principal a satisfação

dos seus clientes a todos os níveis, principalmente ao nível da saúde. Na nossa instituição existe um departamento responsável pela melhoria e apoio na saúde, o Gabinete de Saúde que incorpora o gabinete Médico e de Enfermagem. É um espaço articulado para dar apoio a todos os clientes da instituição, nomeadamente Crianças, Idosos e Funcionários. São prestados serviços de primeiros-socorros, preparação e administração de terapêutica, tratamento de feridas, vacinação, assim como, medição dos parâmetros bioquímicos de glicemia e colesterol; avaliação dos parâmetros fisiológicos como: tensão arterial, temperatura corporal, entre outros. Para um acompanhamento mais eficaz, este gabinete dispõe de todos os materiais necessários para

uma intervenção imediata junto dos clientes. A equipa de enfermagem, em conjunto, tornam possível responder eficiente e prontamente às necessidades dos clientes da Instituição, uma vez que, o horário deste serviço é das 8h00 às 20h00. Uma vez por semana à quarta-feira pelo período da manhã, a Mais Plural realiza atendimento médico com um médico de Clínica Geral. Na excelência do nosso exercício profissional, temos como objetivos: aumentar os hábitos de vida saudáveis, diminuir e compensar as limitações inerentes à idade, a realização de cuidados fundamentais à qualidade de vida, aumentar a longevidade e melhoria da saúde promovendo um envelhecimento ativo no seu meio de vida habitual.

Podologia A Podologia é uma especialidade da área da saúde que previne, diagnostica e trata todas as patologias que afetam o membro inferior, especialmente o pé. Desde muito cedo os pés estão sujeitos a diversos tipos de

patologias, por essa razão e a pensar nas mais diversas idades a Mais plural tem ao seu dispor consultas de Podologia, disponíveis sob marcação na secretaria da instituição. Verrugas, excesso de sudação e anomalias posturais são algumas das patologias mais comuns nas crianças, sendo necessário um tratamento atempado de forma a evitar alterações futuras.

Devido a diversos problemas existentes ao nível da saúde igualmente os idosos necessitam de cuidados especiais no tratamento dos pés, sendo disso exemplo as alterações das unhas que impossibilitam o seu corte, as dores nos pés e os ‘’calos’’. Se necessita de parar para tirar uma pedra do seu sapato porque aguenta dias seguidos as dores nos seus pés??

Fisioterapia Respiratória Fisioterapia Respiratória em Pediatria A cada ano, no mundo,15 milhões de crianças com idade inferior a 5 anos morrem de doença respiratória, principalmente de pneumonia, no sentido mais amplo, e de bronquiolite. A bronquiolite aguda é a infecção viral respiratória mais frequente em crianças com idades inferiores a 2 anos. Afeta as pequenas vias respiratórias duran-

te um período de rápido crescimento pulmonar. Os principais sinais clínicos são a febre e/ou obstrução nasal, as sibilâncias audíveis à distância (frequentemente denominados de “gatinhos”), diminuição dos ruídos respiratórios normais e tosse (seca ou produtiva). A dispneia (falta de ar) pode estar presente bem como a perda de apetite e alterações no sono. A Fisioterapia Respiratória em

Pediatria é recomendada quando há obstrução das vias respiratórias superiores (nariz, faringe e laringe), da traqueia e brônquios por secreções espessas, no sentido de facilitar a sua eliminação.


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

14

Testemunhos

O que é trabalhar na Mais Plural...

Presenciar e contribuir para o desenvolvimento das crianças na primeira etapaz das suas vidas, é sem dúvida, um orgulho. Diversos são os momentos que partilhamos com elas, momen-

tos esses, de carinho, aprendizagem, dedicação e ternura. As crianças contagiam-nos com a sua alegria, o que torna o trabalho tranquilo, confiante e acima de tudo reconhecido.

As suas constantes alegrias e sorrisos são o espelho do bom funcionamento, empenho e dedicação da Mais Plural, contribuindo assim de forma positiva, para a nossa motivação e reali-

zação profissional. Somos mais confiantes, somos mais alegria… Juntos sempre “Mais no Plural”

Trabalhar na Mais Plural é para mim uma realização pessoal. Contactar com pessoas tão doces como são os idosos, faz de cada tarefa que tenho de efetuar, um prazer como nunca antes tinha experimentado. Ajudar as famílias a cuidar dos “seus velhinhos” desperta em mim qualidades humanas que só na Mais Plural pude colocar em prática, pelo menos de for-

ma mais profissional. Através das formações, pude adquirir técnicas mais eficazes e posso agora colocar tudo ao serviço de quem necessita de cuidados mais específicos. Sinceramente, trabalhar nesta instituição é um prazer e tem sido uma verdadeira aprendizagem. Foi aqui que aprendi que se queremos algo que não temos, temos de fazer algo que

ainda não fizemos. No fundo, se quero ver idosos mais felizes, sinto que tenho o dever de dar o meu pequeno contributo e desde que estou na Mais Plural passei a dar diariamente. A nossa postura neste mundo deve ter sentido e poder trabalhar aqui dá mais sentido à minha vida. Com carinho, Graça Coutinho.

Vera Araújo, Sara Sampaio e Liliana Cardoso


Edição nº 2

Boletim

OUTUBRO 2013

15

Projeto

Projeto PRIO Norte – Projeto Promover Redes, Inovação e Oportunidades O Projeto PRIO está enquadrado no projecto PRIO Norte, sendo a Mais Plural uma das 17 instituições seleccionadas para o usufruirem. Este projecto é co-financiado pelo Fundo Social Europeu do Eixo 3 – Gestão e Aperfeiçoamento Profissional, Tipologia de Intervenção 3.1.2 – Programa de formação-ação para Entidades da Economia Social, do Programa Operacional do Potencial Humano (POPH) do Quadro de Referência Estratégico Nacional. Este projecto tem como objectivo geral promover uma maior sustentabilidade nas organiza-

2º a 6º feira: 9h às 21h Sábados e feriados :9h às 20h Domingos e dias santos: 9h às 13h email: flousado@hotmail.com telemovel: 915676829

ções sem fins lucrativos de luta contra a pobreza, incentivando o trabalho em rede, a inovação social e a procura ativa de novas oportunidades, através de acções de formação padronizada e individualizada e de acções de consultoria. Teve início em abril de 2013 com formação padronizada destinada aos directores técnicos das instituições e, no momento está a decorrer a consultoria dentro das instituições, com vista a um melhoramento contínuo e tentativa em dar resposta às necessidades e expectativas dos nossos utentes/clientes.

Atualmente, as nossas crianças e idosos estão já a colaborar neste projecto, partilhando através de desenhos, trabalhos manuais, registos fotográficos, os seus sentimentos e relatos sobre a Mais Plural. Posteriormente serão convidados os demais intervenientes da comunidade educativa, estando previsto encontro com os pais das crianças no dia 11 de novembro, e com os idosos e familiares no dia 30 de outubro. O convite será depois formalmente entregue pela Mais Plural.


Boletim

16

mais

Edição nº 2 OUTUBRO 2013


Ser mais nº2