Page 1

SAULO BENEVIDES 100

dias

os primeiros

pg 1.indd 1

16/04/2013 21:50:45


Pg 2.indd 1

16/04/2013 21:52:47


4. Artigo Prof. Nelson Camargo

5. Curtas Notícias do Brasil e do Mundo

6. Direito Dr. Cezar de Carvalho

7. Prefeito Responde Saulo Benevides

9. Mulher Leonice Mouta

Apresentação do Grupo Shinsei, de São Paulo, na festa em comemoração aos 20 anos do Grupo Minbu Saraodori

10. Castelo dos Lagos Conheça ainda mais o castelo

12. Matéria de Capa Saulo Benevides: 100 dias de governo

17. Empresa Estacionamento Coqueirão

20. Perfil Vereador José Nelson da Paixão

22. Cidade O novo relógio de Ribeirão Pires

24. Cidade Bombeiros voluntários

26. Trânsito Dr. Mauro Poderoso

29. Saúde Dr. Reginaldo Amaral Batista

30. Destaques 20 anos do Grupo Minbu Saraodori

31. Cultura Hiroshi e Toshie Kawazoe

32. Ala Voloshyn A vida não se faz de improviso

34. Crônica Paulo Franco

Pg 3.indd 1

Cem dias e muitos outros além Mudar para melhor. O slogan da vitoriosa campanha eleitoral de Saulo Benevides virou um mote para nortear o trabalho que vem sendo realizado por sua gestão. Só que, para de fato promover a mudança, é necessário muito trabalho para que ela seja construída sobre bases sólidas. Nestes primeiros 100 dias, o foco foi resolver problemas herdados e engatilhar novos projetos, especialmente em turismo e desenvolvimento para que a cidade possa evoluir, possa ser melhor para todos os habitantes. Enfim, qualidade de vida aliada a geração de emprego e renda, bem como mais Educação, Saúde, Segurança e todas as outras demandas da população. Nesta edição, o prefeito faz uma análise dos cem primeiros dias de governo e também adianta alguns projetos, alguns que podem mudar consideravelmente a paisagem que conhecemos. Além dele, a viceprefeita e secretária de Educação Leonice Moura também faz uma análise do começo de sua gestão na pasta. Além das questões administrativas, também falaremos sobre os Bombeiros Voluntários, um órgão que muitos não conhecem na cidade, sobre o novo relógio que, em breve, será instalado no Paço Municipal, uma nova opção turística para a cidade e também sobre o grupo Minbu Saraodori, que completou 20 anos de atividades recentemente. Enfim, muitas novidades e muito mais conteúdo para você, caro leitor. Aproveite! Danilo Meira Jornalista Responsável

16/04/2013 21:55:54


Edição 14 - Abril / 2013 Publicação Mensal de Mais Notícias Empresa Jornalística Ltda. CNPJ: 05.531.420/0001-18 email: maisconteudo@maisnoticias.inf.br Editor: Antonio Carlos Carvalho Jornalista Responsável: Danilo Meira - Mtb: 43.013 Redação: Thiago Quirino - Mtb: 61.451 Izabel Ferré Editoração: Gustavo Santinelli Departamento Comercial: Sidnei Matozo Claudio Sant’anna Departamento Jurídico: Dr. Gilmar Andrade de Oliveira Dr. Eric Marques Regadas Colaboraram: Nelson Camargo / Ala Voloshyn Dr. Cezar de Carvalho / Paulo Franco Dr. Reginaldo A. Batista / Gazeta Raul Carlos / Dr. Mauro Poderoso Administração: Elisete Helena Pimenta Distribuição Gratuita em: Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Região da Represa Billings Rua Olímpia Catta Preta, 194 1° Andar, Sala 2 • CEP 09424-100 Centro • Ribeirão Pires • SP Fone: 4828-7570 • Fax: 4828-1599 Impressão: Gráfica Bandeirantes (11) 2436-3010

Pg 4.indd 1

Critérios de avaliação de redação Há alguns anos um indivíduo analfabeto foi fazer uma prova numa universidade particular e foi aprovado. Acontece que neste vestibular não havia prova de redação. A prova era de assinalar a única opção correta de uma série de cinco alternativas. É como participar de um jogo de loteria na qual se ganha por sorte e não por competência. Como a prova não era eliminatória, isto é, não exigia um número mínimo de acertos de questões para o candidato ser aprovado, mas classificatória, quer dizer, desde que houvesse vagas qualquer nota obtida era suficiente para classificar o concorrente, foi possível que esse fato ocorresse. O governo então, para impedir que coisas desse tipo acontecessem, resolveu tornar obrigatório o uso da redação em exames vestibulares. Assim, um indivíduo analfabeto não conseguirá escrever, e será reprovado. A proposta do governo foi justa e coerente, mas o que não é justo e coerente é supervalorizar a prova de redação, atribuindo-se, por exemplo, uma escala que varia de 0 a 10, na redação e o mesmo valor (0 a 10) na prova de conhecimentos específicos, geralmente em forma de testes. Depois se somam as duas notas e divide-se por dois. Se isso for feito, teoricamente, um indivíduo que tirar zero na prova de conhecimentos gerais e 10 na redação ficaria com média final 5. Com a mesma nota ficaria um indivíduo que tirasse 7 na prova de conhecimentos específicos e apenas 3 na redação... Pela argumentação exposta, quero demonstrar que uma prova de redação não pode ter um peso tão alto, pois o seu valor é subjetivo e depende de quem avalia. Na última prova do ENEM (Exame Nacional de Ensino Médio) houve alunos

que cometeram inadequações grosseiras quanto ao uso da norma padrão e mesmo assim tiraram a nota máxima na prova de redação. As pessoas que corrigiram tais redações foram incoerentes, com pelo menos o item número 1 dos critérios de correção, que foi “domínio da norma padrão da língua escrita.” Para os leigos, esclareço que “transgredir a norma padrão” é o mesmo que vulgarmente se chama “cometer erros de português”. Uma “especialista” do MEC argumentou que Guimarães Rosa cometia “erros ortográficos” e foi considerado um gênio. Tal argumentação é descabida por razões que não posso detalhar aqui por falta de espaço. Uma delas é a seguinte: num exame vestibular não está em jogo o conceito de genialidade, mas o de competência para ingressar numa determinada carreira que exige ensino superior.

Nelson Luiz de Carvalho Camargo é pesquisador, professor de Ciências Humanas, Língua Portuguesa, Literatura e de Língua Latina. Nasceu na Vila de Tarumã, estado de São Paulo, em 1947. Veio para Ribeirão Pires, com sua família em 1952, aos cinco anos de idade.

16/04/2013 22:01:26


Por Izabel Ferré

FIFA liga sinal de alerta após atraso em estádio de Brasília O Estádio Nacional Mané Garrincha, palco da abertura da Copa das Confederações, no dia 15 de junho em Brasília, terá sua entrega atrasada em 27 dias, de 21 de abril para 18 de maio, segundo o governo do Distrito Federal. Temerosos, COL (Comitê Organizador Local) da Copa de 2014 e Fifa (Federação Internacional de Futebol) perderam a paciência e anunciaram um “acompanhamento diário” da evolução das obras e preparação das estruturas temporárias nas seis arenas que receberão a competição em junho. Vale ressaltar que, segundo o contrato, todos os estádios devem ter sido entregues até o dia 30 de abril. Com isso, a tolerância zero também chegará aos outros seis estádios que serão usados na Copa do Mundo: “Para a Copa do Mundo não serão feitas exceções e todos os estádios deverão ser entregues até o fim de dezembro deste ano, sem concessões”, disse a FIFA em nota.

TAM cobra 400% a mais em passagens para brasileiros Internautas, via Facebook, acusaram a TAM de colocar à venda passagens aéreas para cidadãos estrangeiros até 400% mais baratas em relação às tarifas cobradas para brasileiros. Em consulta ao site da empresa aérea, a ponte aérea entre Congonhas e Santos Dumont, uma das rotas mais caras e movimentadas do Brasil, custava R$ 232 para quem comprasse o bilhete no site norte-americano da empresa e quisesse embarcar no mesmo dia da busca. Na versão brasileira, a mesma viagem custava estrondosos R$ 1.263, com taxas. Diferenças similares também foram encontradas em outras rotas. A empresa afirmou que “ocorreu um erro no sistema de disponibilização de tarifas” e que “o valor das passagens é calculado de acordo com a demanda de cada perfil de passageiro e a oferta disponível, o que pode variar de acordo com cada mercado”. Vale lembrar que a lei brasileira diz que, quando há divergência de preços, o consumidor deve ser cobrado sempre pelo valor mais baixo.

Santander, BB e Banrisul são campeões em reclamações Segundo o Banco Central, o Banco Santander foi o campeão brasileiro em reclamações de clientes no mês de março segundo o ranking de reclamações registradas, que é calculado com base no número de clientes. Em segundo lugar, aparece o Banco do Brasil, seguido pelo Banrisul que, apesar de ter poucos clientes e poucas reclamações, teve uma média alta. Mais do que a posição dos bancos, vale ressaltar que houve aumento de 57% nas reclamações no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2012 e que são apenas de reclamações consideradas procedentes por descumprimento de normas do próprio BC ou do Conselho Monetário Nacional (CMN). Todas as instituições afirmaram estar investindo na melhora da qualidade de seus serviços.

Pg 5.indd 1

16/04/2013 22:05:58


Crimes na internet Pg 6.indd 1

Desde o dia 02/04/2013 vigora no Brasil uma legislação específica sobre crimes cometidos pela Internet, a Lei nº 12.737/2012, que altera o Código Penal para identificar uma série de crimes cometidos em ambiente digital, principalmente em relação à invasão de computadores por pessoas não autorizadas, também conhecidas como “Hackers”. Popularmente, esta nova lei já recebeu até o apelido da bela atriz CAROLINA DIECKMANN, tendo em visto a invasão que sua página digital sofreu no ano passado, quando lhe foi exigida uma quantia em dinheiro para que o invasor não publicasse fotos íntimas suas em redes sociais e outros websites. A nova lei veio exatamente controlar as invasões cometidas pelas pessoas que, de uma forma criminosa, vinham usando das suas habilidades voltadas para o mal, praticavam crimes de violação, porém, no Código Penal, não encontravam muitas das vezes definição legal como CRIME. Desde a edição da Lei 12.737/02, aquele que: “invadir dispositivo alheio, conectado ou não a rede de computadores, mediante violação de segurança com o fim de obter informações sem autorização”, poderá sofrer uma pena de três meses a um ano de detenção e multa. Outro crime previsto na nova lei também é a “falsificação de cartão de crédito/débito”, que ficou equiparado à falsificação de documentos. A função social da lei penal como norma reguladora do comportamento social, é disciplinar o novo comportamento da sociedade, daí a real necessidade de mudanças, pois o código penal vigente é de 1940, portanto não havia, nesta época, as redes sociais daí a real necessidade da sua regulamentação. Enquanto não existia esta nova norma, aplicava os dispositivos com capacidades de absorção dentro do Código Penal, com a interpretação dos membros do poder judiciário. A nova lei (Carolina Dieckmann – Lei nº 12.737/12), veio justamente para suprir esta lacuna legal. Além dos crimes previstos nesta nova lei, há outros que podem ocorrer dentro das redes sociais e computadores, tais como, os de CALÚNIA, DIFAMAÇÃO e INJÚRIA que estão tutelados pelo código penal que, embora ultrapassado pelo tempo, contém legitimidade para processar àqueles que tentam difamar, caluniar ou injuriar

alguém dentro das redes sociais, podendo ainda pleitearem indenizações na área do Direito Civil. Portanto, os utilizadores das redes sociais através dos computadores, celulares, tablets, etc., devem fazê-lo com responsabilidade e respeito à quem está do outro lado da máquina, sob pena de que atos criminosos serão punidos com legislação penal e possível reparação de dano material ou moral.

José Cezar de Carvalho Advogado, Pós-Graduado em Direito Constitucional, Direito Civil e Processo Civil

16/04/2013 22:11:15


Por Danilo Meira

1 - Até que ponto é vantagem Ribeirão Pires continuar sendo Estância Turística? De Thiago Neves Resposta: Ribeirão Pires é uma cidade com grande potencial para o desenvolvimento do turismo. A riqueza natural, a história, as características geográficas são pontos fortes do município, que já possui atrativos turísticos, com a Igreja de Nossa Senhora do Pilar, patrimônio tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo. Por essas características, temos motivos para continuar investindo na vocação do turismo de um dia, ou final de semana, que é o tipo de atividade que se enquadra no perfil de Ribeirão Pires. Para isso, entreguei pessoalmente ao vice-presidente da República, Michel Temer, projetos ousados que poderão alavancar o setor e atrair visitantes a nossa cidade: a construção de Teleférico e chafariz. Por intermédio do vice-presidente, estamos pleiteando 100% dos recursos junto ao Governo Federal para viabilizar a execução dos projetos. Além desses, há outras ações já sendo executadas e novos projetos sendo desenvolvidos. A captação de recursos também está sendo feita junto ao governo estadual. Nesse sentido, o título de Estância Turística garante à cidade parte de verba destinada a todas as estâncias do Estado de São Paulo. Para este ano, estão previstos repasses de R$ 4,4 milhões a serem investidos em projetos para estimular o turismo. Tudo aquilo que contribua para que o setor turístico seja desenvolvido e, com isso, traga frutos ao município, como a geração de novos postos de trabalho e a movimentação econômica, será sempre bem vindo. 2 - O que Sr Prefeito irá fazer com os pontos turísticos que estão deteriorados como: Morro São José, Igreja do Pilar, Parque Municipal, Chácara Pérola da Serra, Pedra do Elefante. Reformar ou desativar? De Leandro Luiz Colodro Resposta: Todos os pontos de Ribeirão Pires, como os mirantes Santo Antônio e São José, Igreja do Pilar, entre outros, são importantes não apenas para desenvolvimento do turismo, já que fazem parte da história da nossa cidade. A revitalização e manutenção desses locais fazem parte de cronograma de melhorias programadas e executadas pela Secretaria de Juventude, Esporte, Lazer, Cultura e Turismo da cidade. Além de cuidar do patrimônio cultural e turístico da cidade, a Prefeitura trabalha também, como mencionado anteriormente, em novos projetos para atrair visitantes. 3 - Qual a solução para o término da construção do Hospital Municipal? E a precariedade na saúde em geral na UPA nas UBS e no Centro de Especialidades?

Pg 7.indd 1

Saulo Benevides, Prefeito de Ribeirão Pires

De Rodrigo Galego Resposta: A saúde pública é um desafio a ser superado diariamente. Iniciamos os trabalhos para melhorar a estrutura física das unidades de saúde e para a modernização do atendimento. Estamos destinando R$ 2 milhões para a aquisição de mobiliário, equipamentos e materiais. Além de reformas e da modernização da rede, normalizamos o transporte de pacientes realizado pela Central de Ambulâncias do município. Estamos humanizando o atendimento em toda a rede e aproximando a população da Prefeitura. Demonstração disso foi a implantação de Balcão de Informação na UPA. No local, pacientes podem tirar dúvidas, fazer sugestões e até mesmo reclamações, que são encaminhadas à Ouvidoria da Saúde para providências. Desde pequenas até as grandes ações, a Prefeitura não está poupando esforços para melhorar a saúde pública na cidade. As equipes médicas foram remanejadas para que todas as unidades estejam cobertas. Também estamos trabalhando em projetos para a construção de duas novas unidades de saúde na Quarta Divisão e no Jardim Valentina. Nestes dois bairros, há unidades, porém em prédios locados. Além de melhorar o atendimento, teremos a redução de despesas. Com isso, novos investimentos serão possibilitados. Em relação ao Complexo Hospitalar, recebemos informação do governo estadual de envio de R$ 4,1 milhões para ajudar na construção. Com isso, será possível retomar as obras e, assim que concluídas, entregar mais de 120 novos leitos à população. Também estamos conversando com o governo estadual para definir qual será o modelo de gestão adotado para o Complexo, de forma que o custeio do novo equipamento não sobrecarregue o orçamento da Secretaria de Saúde e Higiene, que tem outros projetos e investimentos previstos para este e os próximos anos.

16/04/2013 22:23:39


especialistas na Perfeição

Empresa parceira e associada

Envidraçamento de Sacada

Por Izabel Ferré

Em toda casa, o acabamento é uma das etapas mais importantes, já que é ele que vai dar o clima de aconchego e conforto que todos nós sentimos quando estamos em nosso lar. Versátil e inigualável, o vidro sempre é bem-visto, já que, com suas características únicas é capaz de proteger, iluminar e também embelezar o ambiente, dando todo o requinte que seu ambiente precisar, seja ele qual for. Em Ribeirão Pires, a Vitrine Glass é uma empresa especializada em envidraçamento que mostra uma série de diferenciais importantes para uma boa compra e que está completando um ano de bons serviços prestados. A empresa conta com uma equipe qualificada de profissionais prontos a oferecer a mais completa e eficaz solução para sua casa. Com isso, pode oferecer prazos de instalação diferenciados, com assistência técnica rápida dentro ou fora da garantia que, aliás, é de cinco anos. A empresa trabalha com diversos tipos de produtos, desde o envidraçamento de sacadas (seu carrochefe) até a instalação de boxes, divisórias, espelhos e telhados, entre outros. “O vidro é primordial em uma construção, pois consegue melhorar o ambiente e valorizar o imóvel”, ressaltam os proprietários da empresa Leonardo e Murilo Camillo. A Vitrine Glass, que trabalha com cartões de crédito e oferece parcelamento em até seis vezes, fica na Rua José Laurito, 02, Vla Eliza, Ribeirão Pires (SP). Solicite um orçamento sem compromisso pelo telefone (11) 4828-2546 ou pelo site www.vitrineglass.com.br.

Box Elegance

Equipe treinada

Espelho Bisotê

Pg 8.indd 1

Envidraçamento de ambiente

16/04/2013 22:13:40


Por Danilo Meira

Leonice Moura:

trabalho duro em prol da Educação

“Nós viemos para fazer a diferença, porque o povo acredita que possamos fazer diferente”. É esta frase que norteia o trabalho de Leonice Moura, vice-prefeita de Ribeirão Pires e secretária de Educação, uma das pastas mais importantes de qualquer governo. Ela, assim como o prefeito Saulo Benevides (leia mais na página 12), também está completando 100 dias à frente da pasta, um dos setores mais delicados de qualquer gestão e que passa por um período de transformações. Destaque no Ideb (Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico) nos últimos anos, o setor busca a excelência com novos projetos. Um deles, que veio a público recentemente é o Parque-Escola, uma nova forma de ensino, mais adequada aos tempos atuais e a cidade, Estância Turística que conta com natureza ímpar. Antes disso, foi necessário um grande trabalho de bastidores para organizar a casa, sem esquecer dos cuidados necessários com o início do ano letivo. “Nesse período fizemos isso. Com a casa organizada, fizemos um projeto de trabalho, com gestão mais profissionalizada, equacionando o orçamento aos projetos e programas a serem desenvolvidos”, explica Leonice. O trabalho, por sinal, foi duro. De cara, foi necessário levantar dados dos funcionários que trabalhavam na Secretaria, já que a maioria estava de férias. A seguir, recontratar merenda, uniformes e os Kits Escolares cuja compra foi feita com maior economia apesar do número de alunos ter aumentado de 7287

para 8300. Em 2012, o custo foi de R$ 161,18 por criança. Agora, o valor diminuiu para R$ 153,67, uma redução de quase 5%. “Nossa meta é fazer um uso mais racional dos recursos. Com isso, poderemos implantar melhorias, como os novos livros de inglês”, explica a secretária. Metas e novidades – Para Leonice Moura, o grande feito dos 100 dias foi conseguir promover uma reestruração administrativa. “Se você não estruturar, o serviço não anda. Ainda faltam algumas coisas, mas acredito que com mais três meses de trabalho, estaremos com a casa em um nível aceitável e iniciaremos um processo de evolução”, conta. A evolução está chegando na forma de novidades, começando pela parceria com o SESI, que irá erguer uma nova unidade, com mais 500 vagas para as crianças, totalizando 1000 alunos atendidos e também deve ter seu elogiado sistema de ensino implantado na cidade, além de uma nova creche central, com berçário nas imediações da estação de trens. A Biblioteca Municipal também receberá investimentos. O objetivo é melhorar a qualidade da educação na cidade e fazer dela um modelo: “Em 100 dias, não há tempo de se fazer uma avaliação do trabalho que estamos propondo, é um tempo que, na verdade, usamos para organizar a casa, conhecer o trabalho e estabelecer um projeto. Mas manteremos o trabalho firme, pois queremos fazer melhorias, mudar para melhor”, concluiu.

09

Pg 9.indd 1

16/04/2013 22:17:15


Faça seu conto de fada

Por Izabel Ferré

Torne realidade seu conto de fadas no Castelo dos Lagos. Toda a infra-estrutura e qualidade em atendimento a favor do cliente. Vista privilegiada da Mata Atlântica e capacidade para atender 350 a 380 convidados. O local oferece acesso para deficientes físicos, palco para DJ ou banda, espaço para realização de cerimônias ao ar livre, dois lagos para pesca esportiva e ainda estacionamento para 150 carros. Serviços - A opção de pernoite para noivos e convidados é um diferencial que será disponibilizado em breve, com seis quartos equipados que comportam a estadia de doze pessoas. Os noivos interessados em passar a noite de núpcias no Castelo dos Lagos desfrutam da suíte decorada com TV LCD, bancada para maquiagem, hidromassagem, ar condicionado split e frigobar. Tudo para garantir um dia especial. O Castelo dos Lagos atende a eventos sociais e corporativos e conta com localização privilegada, em ambiente único, junto à natureza e aa Mata Atlântica, próximo de São Paulo, ABC e Baixada Santista, com acesso pela Rodovia Índio Tibiriçá – SP-31, saída 42. Para maiores informações, entre em contato pelos telefones (11) 4823-4411, (11) 95300-9830 e (11) 953009675 ou ainda pelo e-mail: contato@castelodoslagos.com.br. Visite o site www.castelodoslagos.com.br.

Pg 10 e 11.indd 2

16/04/2013 22:19:53


adas virar Realidade Entrada do Salão

Salão de Festas

Área externa para cêrimonia ecumênica

C L

Guardião do Castelo

Pg 10 e 11.indd 3

Suíte dos Noivos

16/04/2013 22:21:29


Cem dias de trabalho em busca do desenvolvimento Por Danilo Meira

O dia 10 de abril marcou os primeiros 100 dias de gestão do prefeito Saulo Benevides em Ribeirão Pires, um período marcado pelo trabalho, especialmente nos bastidores, com intensas reuniões e, especialmente, renegociação de débitos, contas a pagar e planejamento. Os primeiros resultados foram sentidos internamente, na forma de racionalização dos gastos para aumentar o caixa e assim gerar poder de investimento para mudanças importantes que já estão sendo sentidas pelos munícipes, na forma de ações como a capinação da cidade e a manutenção das ruas, com o recapeamento e instalação de lombadas, por exemplo, além de projetos que, com a reserva financeira sendo organizada, podem sair do papel, como o Parque-Escola, uma espécie de “CEU Ambiental”. “Foram 100 dias de muitas dificuldades. Quando chegamos, havia fornecedores ameaçando parar, em especial na Saúde. Conversamos com todos e, de janeiro para cá, está tudo em dia. Porém, do passado, pagamos os convênios e repasses que são obrigatórios. O principal foi recuperar o equilíbrio financeiro da Prefeitura”, explica o Prefeito. Nas próximas páginas, veremos os resultados deste trabalho e a palavra do Prefeito que, satisfeito com os primeiros meses, prepara novidades importantes para a população. 12

Pg 12 e 13.indd 2

16/04/2013 22:27:18


Finanças Tão logo assumiu o comando de Ribeirão Pires, Saulo Benevides viu que, mais do que trabalho, teria alguns desafios. O primeiro deles, considerado nevrálgico: resolver a questão dos débitos herdados da gestão anterior, que, após levantamento, foram calculados em R$ 41 milhões, incluindo dívidas trabalhistas e com fornecedores. A primeira medida foi rever o orçamento 2013, inicialmente de R$ 241 milhões e providenciar o contingenciamento (reserva) de aproximadamente 25% do montante, ou R$ 60 milhões para poder ter condições de negociar os débitos e contratos, ao mesmo tempo em que quitou pagamentos atrasados do funcionalismo, de fornecedores que prestam serviços essenciais e, principalmente, iniciou um programa intenso de corte de gastos, deixando de pagar algumas despesas consideradas supérfluas. Um exemplo foram os contratos de locação de imóveis. Como a estrutura da Prefeitura de Ribeirão Pires é horizontalizada, ocupou diversos prédios em especial na região central da cidade, fazendo uso de contratos de locação que custavam cerca de R$ 1,4 milhão por ano ou cerca de R$ 115 mil mensais. Um exemplo estava em algumas salas utilizadas no antigo Shopping Garden, como o Procon e o PAT, que agora estão alocados no Atende Fácil e tiveram seus contratos rescindidos sem pagamento de multa aos proprietários. A ideia da Administração é reduzir estes gastos em até 30% até junho e, gradualmente mover outras estruturas que estão em imóveis locados para outros que são de propriedade do município. Outra medida bem-sucedida foi a renegociação dos contratos de fornecimento de combustível, com a quitação de atrasados e a obtenção de descontos nos valores praticados na Gasolina e no Diesel, que terão custo menor para os cofres públicos, uma mostra de confiança também por parte do fornecedor. “Aos poucos, estamos recuperando o equilíbrio financeiro da Prefeitura. Não tivemos transição, o que foi muito ruim para a cidade, pois tivemos que tentar descobrir contratos, tirar do fundo do baú e fizemos isso nesses cem dias”, explicou o Prefeito. Agora, passada a turbulência, já começam a aparecer os primeiros resultados do trabalho: “praticamente acabamos com o desperdício em todos os sentidos, seja com funcionários que não apareciam para trabalhar, seja com controle nos almoxarifados entre outras coisas. Assim, começou a sobrar recursos nos cofres públicos”, explica Saulo.

Saúde ganha destaque Um setor fundamental é a Saúde pública que, pouco a pouco, vai ganhando corpo e atingindo um nível considerado aceitável, ou seja, está em evolução na avaliação do prefeito. “Tenho percebido que a nossa Saúde melhorou, tanto que estamos sendo procurados por cidades vizinhas, aumentou a demanda. Se isso acontece, é porque está superior a outras cidades”. A Secretaria de Saúde, aliás, também foi alvo da contenção de despesas e, com os resultados sendo atingidos, também terá sua capacidade de investimento ampliada. Nestes 100 dias, segundo dados da pasta, já foram investidos cerca de R$ 2 milhões para modernizar e melhorar o atendimento, com a compra de novos equipamentos e investimento na estrutura da rede, que irá crescer. Quarta Divisão e Jardim Valentina ganharão novas unidades de Saúde, hoje funcionando em imóveis locados, com estrutura modernizada, o que, segundo a Administração, trará ainda mais economia de despesas, possibilitando melhorar a rede existente e a futura, como a UBS do Centro Alto. A prioridade é humanizar o atendimento e abrir um canal de discussão com os pacientes, para identificar problemas e achar soluções de uma maneira mais eficaz. Seguindo essa premissa, foi instalado um Balcão de Informações na UPA, uma forma de orientar e se aproximar do usuário. “Estou presente, acompanhando de perto o que está acontecendo, então é uma alegria ver que a Saúde está evoluindo. Lógico que não está como sonhei ainda, mas vejo que estamos no caminho certo”, explica Benevides.

Pg 12 e 13.indd 3

16/04/2013 22:28:03


Educação, a base para o futuro A Prefeitura também tem investido em projetos educacionais. Recentemente, o setor ganhou uma novidade por meio de parceria entre as secretarias de Educação e de Meio Ambiente: o Parque-Escola, uma espécie de “CEU Ambiental”, um centro de excelência em educação ambiental que será instalado na cidade, com duas unidades a princípio. Além disso, a cidade deve receber, em breve, novidades por meio do SESI que, além de construir uma nova unidade no Parque Aliança, também deve ter seu sistema de ensino implantado na educação da cidade. Creches e novas escolas também estão na mira dos investimentos para os próximos anos. Hoje, Ribeirão Pires conta com 8,3 mil alunos matriculados entre o ensino fundamental e o 9º ano.

Cidade mais bonita e agradável Para organizar uma casa é preciso arrumá-la. E Saulo Benevides não se esqueceu deste detalhe. Nestes 100 primeiros dias, as maiores reclamações foram a respeito de buracos e mato alto nas ruas e praças, algo que se agrava com o calor e as chuvas típicas do Verão. Agora, com gastos equacionados e capacidade para iniciar alguns investimentos, a situação já está começando a se organizar. Segundo dados fornecidos pela Prefeitura, “já foram reparados cerca de 3.000 metros quadrados de buracos nas vias, além de outros 360 mil metros quadrados de mato cortados e 1.000 toneladas de entulho recolhidas pela Operação Cata Bagulho”, o que por si só já mostra uma cidade mais bonita e organizada. Nisso se inclui também outras obras de melhoria que já estavam em curso e serão entregues em breve, como a pavimentação de vias em Ouro Fino, o muro de contenção do Morro São José, além do Hotel Escola e do Centro de Exposições e História. “Começamos a limpar a cidade, que estava cheia de mato, a tampar os buracos e cuidar da cidade com recursos municipais”, explicou Saulo. Uma cidade mais bonita também será mais atraente aos turistas. Como estância, Ribeirão Pires conta com a im-

Pg 14.indd 1

portante parceria do DADE, o Departamento para Auxílio ao Desenvolvimento das Estâncias, órgão do Governo do Estado. Desta maneira, é possível contar com investimentos no turismo, de forma a deixar a cidade atraente para os visitantes e atrair, consequentemente, emprego e renda. Não é surpresa portanto que a cidade tenha como prioridade os projetos no setor. “Temos alguns projetos importantes, nos quais já demos o pontapé inicial, como o teleférico que já apresentamos e o chafariz da Rotary, cujos projetos já foram apresentados em busca de recursos”, explica Saulo. “Penso que também conseguiremos concluir o projeto da Cidade Encantada e dar a Ribeirão Pires a cara de uma Estância Turística”, completou. A ideia da Prefeitura é mudar o foco dos recursos advindos do Dade, para atrair os turistas. “A cidade precisa usar o recurso para atrair turismo, não continuar a fazer como no passado, o utilizando para infra-estrutura. Não é que é errado, mas não é recomendado”, explica Saulo. Desta forma, a ideia é que a cidade fique mais bela e atraente nos próximos anos. “Você deve criar um projeto turístico, construir um atrativo com esse recurso. Por isso procuramos apresentar o teleférico, o Chafariz. Assim poderemos atrair visitas, principalmente da região do Grande ABC, que é o que queremos”.

16/04/2013 22:34:56


Saulo Benevides negocia chegada de mais empresas à cidade

Desenvolvimento Uma das grandes preocupações da população é como a cidade estará nos próximos anos e qual será o papel de Ribeirão Pires para o futuro. Para isso, entre os pontos principais da Gestão Saulo estão justamente a aproximação com o empresariado e também a adoção de iniciativas legais e de infraestrutura que potencializem o crescimento da cidade. “Este será um ano de planejamento, em que estamos plantando para colher o ano que vem, colocar a casa em ordem para o futuro”, explicou o Prefeito. Dentre estas medidas, estão a aceleração para emissão de documentos como a Certidão de Uso de Solo, que hoje sai em até 24 horas, a autorização de projetos residenciais ou industriais, hoje emitidas em até 90 dias úteis e também a emissão de parecer ambiental, que saem em até 7 dias úteis, tudo para acelerar o crescimento. Este tema, diga-se de passagem, é prioridade máxima: “Pregamos desenvolvimento para a cidade. Hoje, a maior parte dos habitantes da cidade trabalha fora e por isso precisamos gerar empregos em Ribeirão Pires. Foi uma grande alegria ter conversado com o Governo do Estado, ter articulado e deixado quase certa a construção de uma alça do Rodoanel, fato que trará rápido desenvolvimento a cidade, facilitando a vida dos empresários, que são quem gera renda e emprego”, explica o prefeito. Na sua visão, o Rodoanel será fundamental para deixar Ribeirão Pires em pé de igualdade com a concorrência: “poderemos concorrer com municípios do interior que levaram nossas empresas. Estamos trabalhando bastante para acelerar o desenvolvimento da cidade e essa possível alça do Rodoanel vai facilitar”. Outra coisa que deixa a Prefeitura empolgada é a chegada de novos investidores. Segundo o prefeito, “cerca de 12 empresas estão com expectativa de começar as obras

Pg 15.indd 1

de seus galpões este ano”, além de “uma lista com mais de 30 empresas” que podem se instalar na cidade, “todas não poluentes”, ressaltou. Além disso, há um esforço para que algumas empresas que tiveram propostas de outras cidades se mantenham por aqui. “Inclusive, uma vou citar: a Marcolar, que precisa ampliar seu galpão. Os prefeitos de Suzano e de uma cidade do interior os procuraram, mas estou me esforçando para mantê-la na cidade”, disse Saulo. Em Infraestrutura, a intenção é fazer um forte investimento para que um velho pleito seja enfim executado: a ligação entre o Centro Alto e o Centro Baixo, cujas negociações para um financiamento federal já foram iniciadas. “Nós apresentamos o projeto ao Ministério das Cidades para tentar recursos federais, sem utilizar o tesouro municipal. Se vai sair, não sei, mas fizemos a nossa parte, temos que fazer isso. Existe a possibilidade de ser viabilizado um túnel ou um viaduto”, explicou o prefeito, que também ressaltou a Avenida Brasil, cuja extensão até a região da UPA pode ser viabilizada em breve. No comércio, a ideia é mais ousada: “estamos conversando com a iniciativa privada visando a possibilidade de construção de um shopping padrão médio-alto, o que penso ser uma medida vital para aquecer o comércio. É difícil manter a população aqui, porque as pessoas compram fora. Ribeirão merece um empreendimento assim, até porque as pessoas das divisas também irão comprar aqui, estamos falando de 200.000 pessoas. Não é com dinheiro do município, mas temos vontade política, temos interesse nisso”. Enfim, tivemos 100 dias de muito trabalho nos bastidores que, certamente, irão pavimentar um futuro promissor para Ribeirão Pires nos próximos anos. Ciente disso, o prefeito mostra otimismo em ser bem-sucedida: “se a gente conseguir concluir 70% desses projetos, melhorar a Saúde e manter a cidade limpa, será um mandato bastante positivo”.

16/04/2013 22:35:42


Pg 16.indd 1

16/04/2013 22:37:57


Estacionamento Coqueirão: inovação em busca da qualidade

Por Danilo Meira

Pg 17.indd 1

Segurança é um dos principais requisitos para saber onde e como estacionar os veículos, ainda mais em uma cidade carente de vagas de estacionamento como Ribeirão Pires. Pensando nisso, o estacionamento Coqueirão, um dos mais tradicionais da cidade, com 22 anos de funcionamento ininterrupto e bons serviços prestados está inovando em seus serviços. Agora, os clientes podem contar com diversas novidades, como 10 câmeras de vigilância com visão noturna e um piso inteiramente reformado, tudo visando maior qualidade. “O novo piso, cimentado, além de facilitar a movimentação dos veículos, dá mais conforto em dias de chuva, já que evita transtornos”, explica o comandante do negócio, Martinho Figueira Gonçalves, que comanda o empreendimento com a ajuda de seus dois filhos, Hugo Renato e Caio Giovanni e também do simpático Manoel, que com seus 18 anos de casa, já virou parte da família Coqueirão. “Além disso, estamos com sistema de iluminação completamente reformulado e as câmeras, o que dá mais segurança especialmente à noite”, algo fundamental em um estabelecimento que funciona 24 horas por dia. Conveniado com grandes estabelecimentos da cidade, como a Pastelaria Monte Castelo, o Laboratório IPAC e o Restaurante Eiras, a equipe do Coqueirão está sempre pronta a ajudar os motoristas da cidade, seja em seus momentos de lazer quanto para guardar seus carros, já que boa parte das moradias da região não dispõem de vagas. Exatamente por isso, o estacionamento conta com planos mensais e avulsos. Um dos clientes é Nelson Moreira, mensalista há sete anos, que guarda inclusive seu caminhão no estacionamento. “É um lugar de confiança e com bom atendimento”, conta. Alissar Rimaik, por sua vez, deixa seu carro no Coqueirão há 15 anos. “O ambiente é muito bom e me sinto muito segura em estacionar aqui”. Sha-

Nelson Moreira, mensalista há 7 anos

Alissar Rimaik, mensalista desde 1998

Martinho Figueira Gonçalves, administrador do Coqueirão

nasis Emanuelle, outra cliente de longa data, também contou o porquê da preferência pelo estabelecimento: “o ambiente é familiar, tem seguro, é bem localizado e ainda temos a simpatia de todos que atendem”. O Estacionamento Coqueirão funciona 24h por dia, 7 dias por semana e dispõe de planos mensais, avulsos, além dos convênios. Ele fica na Rua João Domingues de Oliveira, 186, telefone 4827-5734.

Shanasis Emanuelle, mensalista de longa data

Manoel Garrido Tomás, funcionário há 18 anos

17

16/04/2013 22:39:45


Pg 18 e 19.indd 2

16/04/2013 22:41:28


Pg 18 e 19.indd 3

16/04/2013 22:41:56


Paixão Por Thiago Quirino

o comerciante que virou vereador

Aquele que antes era apenas um assessor, que por dois anos ajudou um vereador a legislar, hoje comanda um gabinete com uma gestão eficiente. O vereador Paixão, como é conhecido, é uma figura carismática, centrada no trabalho, em especial aquele que desenvolve em prol da população, mas acima de tudo é um personagem empolgante. Com um jeito de ‘carioca malandro’ (mesmo sendo ribeirãopirense de berço), José Nelson da Paixão está se reinventando e para que o leitor perceba isso é necessário conhecer um pouco mais do passado de mais uma figura exclusiva de Ribeirão Pires. Antes de ser vereador e comerciante, Paixão, assim como muitos outros profissionais da cidade, passou por alguma experiência trabalhando na Solvay do Brasil. “Fui ajudante de embalagem até 1988, quando decidi abrir meu próprio comércio”, recorda. Em 1989, Paixão abriu um bar no Jardim Bertoldo, passando o comércio para o Centro Alto pouco tempo depois e se firmando de vez no Centro Novo, onde está até os dias de hoje. “Como comerciante fiz contato com muita gente, conheci muitas pessoas e fiz muitos amigos. Além disso, pude aprender muita coisa que influenciaram minha vida”, expõe o vereador. Apesar de ser formado em Matemática e Educação Física, Paixão não tem um diploma universitário e o motivo foi apenas falta de tempo para cumprir as horas de estágio obrigatórias. “Isso não muda meu conhecimento nas áreas”. Após anos a frente do Bar do Paixão, o nobre edil aprendeu a observar o comportamento das pessoas. “Uma cena que diz muito para mim é a daquelas profissionais dedicadas que diariamente passavam pelas ruas do centro varrendo cada metro quadrado, religiosamente. O pessoal da balada deixava muita sujeira, mas elas davam conta de deixar a cidade limpa para quem circulava pelo Centro logo de manhã”. Por outro lado,

Pg 20.indd 1

Paixão também foi testemunha de cenas decepcionantes: “Vi muitas brigas covardes e violência. Vi um rapaz sendo baleado e outras tragédias acontecendo no centro da cidade”. Foi pensando em promover alguma diversão alternativa para as pessoas que Paixão se tornou um dos organizadores do bloco carnavalesco mais conhecido da região, o Bloco das Mocréias, que teve seu fim decretado depois que confusões se tornaram frequentes. “Agora estamos estudando alternativas para trazer o bloco novamente às ruas, mas em um novo formato, mais seguro e saudável”, explica. O PPS foi o partido que abriu as portas da política para que Paixão ingressasse na Casa de Leis. Ano passado foi eleito vereador com 466 votos. “Claro que devo muito ao meu partido”, reconhece. Com o recente anúncio da fusão entre seu partido e o PMN para formar uma nova legenda, Paixão se mostra indiferente: “Ainda não sei o que vou fazer. Por enquanto vou aguardar orientações do PPS, afinal nunca se sabe o que pode acontecer”. Agora, atuando na Câmara, Paixão se vê entregue à uma luta contra a violência, o mal atendimento na Saúde e a precariedade da Educação. “Não sei o que está acontecendo, os comerciantes em geral estão inseguros, alguns estão sendo assaltados com muita frequência. Na Saúde só há reclamação. Esses são alguns dos motivos pelos quais me candidatei, agora espero poder fazer alguma coisa pela população. Quando eu deixar a vereança quero ser reconhecido como o vereador que ajudou a deixar essa cidade mais segura”. Assim o vereador Paixão tem mudado sua forma de ver a sociedade. Na outra ponta, o munícipe tem se aproximado dele a fim de cobrar as devidas melhorias para a cidade e já que seu gabinete fica no térreo do prédio da Câmara, sua sala está sempre cheia de pessoas aguardando providências.

16/04/2013 22:46:15


Pg 21.indd 1

16/04/2013 22:47:46


Por Thiago Quirino

É relógio, é história, é turismo Curiosidades sobre o novo marco de Ribeirão Pires No exato momento em que essa matéria é publicada (abril de 2013), Ribeirão Pires entra no processo de conclusão de uma importante obra pública, que desde o anúncio realizado em março de 2011, tem gerado polêmica por parte de críticos e ansiedade por parte de curiosos. Trata-se da entrega do Centro de Exposições e História, construído no Paço Municipal, com direito a uma torre com relógio. Retomada pela Secretaria de Obras da Prefeitura no primeiro mês da atual gestão, a construção do Centro de Exposições e História deve ser concluída nas próximas semanas. Por meio de convênio com o Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (DADE) da Secretaria de Turismo do Governo do Estado de São Paulo, a obra conta com investimento de R$ 2.183.674,66. O projeto é simples: além do destaque para a torre e o relógio, o espaço comportará um salão de exposições no térreo e mezanino, duas salas para oficinas, um elevador, sanitário feminino, sanitário masculino, sanitário adaptado para portadores de necessidades especiais, fraldário e cozinha. O novo marco turístico servirá para visitação do acervo histórico do Município, administrado pelo Museu Municipal “Família Pires”. São objetos, fotos, documentos, pinturas, obras de arte, que ficarão a disposição dos munícipes para visitação e pesquisas. Além disso, abrigará exposições itinerantes de artistas convidados ou sob agendamento. Claro que o destaque fica por conta do ‘relógio suíço’. “Faremos um mosteiro lindo, um prédio de 20 metros com um relógio de quatro faces importado da Suíça”, disse o ex-prefeito Clóvis Volpi à época de lançamento do projeto. Brincando, ele justificou a obra: “Quando as pessoas vão a Paris, o que elas vão ver? E à Paranapiacaba? Assim teremos a nossa própria torre”. Apesar de não ser suíço e sim saltense (o relógio foi construído por um empresa de Salto, cidade do interior do estado localizada à 100 km de São Paulo), a alta qualidade é motivo de orgulho destacado pela empresa Relógios Wahl. O engenheiro Arnaldo Adan Wahl, proprietário da empresa, trabalha com engrenagens de quartzo há mais de 30 anos e tem a honra de ter seus relógios espalhados por todo o país, de Ribeirão Pires à Belém (PA). “O mais importante é que não existe um relógio igual ao outro”, ressalta o mestre relojoeiro. Polêmica Uma grande questão que ainda paira no ar é o gasto com manutenção que o ‘brinquedo’ daria aos cofres públicos. Em dezembro de 2011, representes do Partido dos Trabalhadores, protocolaram no Fórum de Ribeirão Pires um documento com mais de 1.000 assinaturas de pessoas contra a construção do marco. “Após a construção gastaremos com manutenção, que não é barata e vai exigir mão-de-obra especializada”, atacou um representante do PT. O criador do relógio discorda. “Meus relógios são feitos para durar e em princípio não exigem manutenção. Trabalho com engrenagem de bronze e quartzo, que permite precisão da hora e qualidade dos mecanismos. O relógio não atrasa mais que dois minutos durante todo o ano”. Arnaldo Wahl também destaca que seus produtos não foram criados para passar com manutenção, mas não descarta que relâmpagos possam afetar o relógio, gerando cuidados especiais. “Mesmo assim, cuidar desse tipo de reparo é barato”. Agora que a obra está quase concluída, a população pode aguardar a inauguração de um verdadeiro marco que tem tudo para ser uma das peças públicas mais queridas da cidade. Espera-se apenas que esse relógio e conjunto como um todo, de fato, não atrase mais.

Pg 22 e 23.indd 2

Curiosidades Os ponteiros e os números d ao tempo; Para durar mais e evitar man Não existe outro relógio idên Depois de pronto, o relógio As peças do museu, atualm Arnaldo Wahl, além de cons

16/04/2013 22:51:58


e os números do relógio foram feitos em Ribeirão Pires, em uma serralheria no Jardim Alvorada. São revestidos com tinta especial que não estraga

ais e evitar manutenção, o relógio é construído com engrenagens de bronze e parafusos de aço inox; utro relógio idêntico ao de Ribeirão Pires; onto, o relógio terá alta precisão, atrasando menos de dois minutos durante o período de um ano sem precisar de corda ou troca de baterias; museu, atualmente, estão estocadas em uma sala localizada no Teatro Euclides Menato; l, além de construir o relógio de Ribeirão Pires, foi o criador do primeiro projeto de fibra ótica do país.

Pg 22 e 23.indd 3

16/04/2013 22:52:36


Bombeiro Voluntário, um trabalho de heróis Por Izabel Ferré

Equipe de Bombeiros participa de grandes eventos na cidade

Ao pensar nos super-heróis, cada um terá na cabeça uma imagem diferente. Julgaremos aquele mais corajoso, destemido, forte e imortal. Mas quando deixamos a infância de lado, passamos a ter uma visão mais crítica e realista. Heróis de carne e osso, quem são eles? Que muitas vezes passam despercebidos. Pensando no assunto, a revista Mais Conteúdo deste mês faz homenagem aos bombeiros voluntários. Para aqueles que desconhecem a história, esse trabalho é realizado no Brasil desde 1892. Sua existência legal está assegurada no artigo 5º, incisos XVII e XVIII, da Constituição da República Federativa do Brasil e na Lei Federal nº 9.608 de 18/02/1998. Na cidade de Ribeirão Pires, há a Lei Municipal Nº 4391, DE 29/02/2000 que, em seu artigo 1º, estabelece a fundação do grupo: “Fica criado o Grupo de Bombeiros Voluntários no âmbito do Município de Ribeirão Pires, com a finalidade de dar apoio ao Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo”. Alguns munícipes podem desconhecer mas, desde 2008, os bombeiros voluntários contribuem com a sua força de trabalho. “Hoje nos temos ao total, vinte voluntários entre enfermeiros e bombeiros civis”, comenta Antônio Donizete Guimarães chefe de divisão e relações públicas da Defesa Civil. Unidos pela mesma causa e somando forças, “o objetivo é sempre a união. Realizamos junto à sociedade o papel de cidadania, sempre alertando e conscientizando as pessoas, explica Antônio Donizete Guimarães. Para um dia de trabalho é preciso empenho, segundo o chefe de divisão. “Não ter medo de por a mão na massa, e estar prontos para tudo. A equipe desempenha o auxilio em eventos, shows e campanhas do agasalho”. Outro serviço que também é prestado, pelos voluntários são as palestras educativas nas escolas da cidade. No ano passado quatrocentas escolas foram atendidas. Mas não se engane ao pensar que a responsabilidade é menor por conta do voluntariado. Pelo contrário, são cobrados

Pg 24.indd 1

da mesma maneira: “há exigências, por isso, são feitos vários cursos como primeiros socorros, prevenção contra incêndios, entre outros. Muitos deles são realizados graças aos parceiros, como por exemplo, a CBC e a Ultragás, unidade Capuava”, explica Donizete. A força tarefa é a alma do voluntariado: “sem dúvida o projeto não daria certo sem esses homens e mulheres, que trabalham sem pretensão de ganhar nada em troca, por isso é importante que mais pessoas participem”, ressalta Guimarães. A ajuda é sempre bem vinda, e pode resultar em novas descobertas foi assim com o bombeiro voluntário César Santos. “Trabalho há sete meses, e estou realizado e me sentindo cada vez mais capaz. Afirmo isso, pois, sou portador de deficiência e nunca imaginei que pudesse ganhar essa oportunidade, hoje sirvo de inspiração para outras pessoas. Agradeço ao Donizete se não fosse ele não estaria aqui, o considero meu pai do coração”. Nos bastidores César Santos comenta sobre seu trabalho. “Faço parte das orientações dadas nas palestras, e como sou músico escrevi uma canção que fala sobre o voluntariado, pois, acredito ser a melhor forma de ser compreendido. Também vou aos eventos e shows ajudando as pessoas portadoras de necessidades especiais assim como eu”. Amor maior que tudo, uma boa definição segundo Patrick França também voluntário. “Sou apaixonado pelo o que faço. É uma história antiga de amor, comecei como Guarda Mirim e decidi que não iria mais parar. Em 2011, conheci a Defesa Civil, grande oportunidade para seguir meu sonho e, como técnico de segurança de trabalho e gestor ambiental, consegui unir o útil ao agradável”. De fato, são heróis do dia-a-dia, pessoas fundamentais para a sociedade motivadas pelo simples ato de ajudar ao próximo, sacrificando o pouco tempo livre em prol de uma paixão movida apenas pelo poder de fazer a diferença. Para participar do grupo, entre em contato pelo telefone 4825-1830, com Donizete, o chefe da divisão.

16/04/2013 22:54:09


Pg 25.indd 1

16/04/2013 22:55:07


Tragédia Anunciada

Por Dr. Mauro Poderoso - Filiado a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego ABRAMET

Pg 26.indd 1

Dr. Mauro Poderoso

Atualmente, há muitas discussões com assuntos relacionados ao trânsito, como a “Lei Seca”, em que verificamos a vitória contra o “ato de beber e dirigir”. Mas outra discussão tem marcado os noticiários e preocupado a todos por envolver toda a sociedade, que é a questão do ciclista. Quando lutamos pela liberdade de expressão e pela condição de ir e vir de cada cidadão, nos deparamos com o tema deste momento, que são as ciclofaixas. As ciclofaixas, antes de uma proposta devem ser uma realidade melhor avaliada pelas autoridades, ciclistas e motoristas em geral. Lembramos que a bicicleta em seu percurso pertence ao sistema viário e assim deve respeitar as normas como seguir na faixa da direita o fluxo dos veículos, procurando por vias que possuam menor rotatividade, respeitando a sinalização. Recentemente, dados estatísticos constataram a morte de um ciclista a cada dois dias, determinando preocupação com a coexistência entre a bicicleta e os demais veículos. Vejo como medida preventiva a instalação das ciclofaixas afastadas do percurso dos automóveis, pois a proximidade poderá aumentar os índices de acidentes envolvendo bicicletas, uma vez que muitos condutores de veículos de pequeno ou grande porte não apresentam adaptação a esta nova situação, colocando vidas em risco. Enfim, é importante ressaltar que a posição da ciclofaixa, afastada dos demais veículos, e mais próxima ao pedestre, como ocorre em muitas cidades e outros países, preserva o direito dos ciclistas e a segurança do sistema.

16/04/2013 23:14:32


Motorista Atento para na Faixa e

Respeita o Pedestre

Pedestre educado e consciente

só atravessa na faixa Atenção: Quando houver semáforo, certifique se está verde para você Quando não houver semáforo, acene para o motorista parar Cuidado com o veículo que trafega na outra faixa, ele pode não parar e atropelá-lo Tenha paciência, nossos motoristas ainda estão se adaptando à campanha do Mais Notícias

Pg 27.indd 1

16/04/2013 23:16:53


Pg 28.indd 1

16/04/2013 23:17:40


Asma exige acompanhamento constante

Dr. Reginaldo Amaral Batista Pneumologista

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), há 150 milhões de asmáticos no mundo, dos quais 60% são crianças. O Brasil é o 8º país com maior número de asmáticos, chegando perto de 20 milhões de pacientes. A doença, que mata sete brasileiros por dia, é também a terceira maior causa de internações no Sistema Único de Saúde. Mas afinal: O que é essa doença que atinge tanta gente? O Dr. Reginaldo Amaral Batista, Pneumologista do Hospital Ribeirão Pires, explica que a Asma é uma doença inflamatória crônica que limita a entrada e saída de ar pelos brônquios, provocando falta de ar, tosse, chiado e sibilo no peito. A Asma tem um componente genético - pai ou mãe com asma tem grande possibilidade de gerar filhos com o mesmo problema - e se manifesta normalmente na infância, a partir dos três anos. “Mas pode surgir em qualquer fase da vida”, alerta o Dr.Reginaldo. Uma vez instalada, a asma vai exigir cuidados durante toda a vida. O primeiro passo, segundo o Pneumologista, é descobrir a causa. “A asma pode ser provocada por processos alérgicos, refluxo gastroesofágico e como decorrência de sinusites e infecções das vias aéreas”,explica o médico. Além de ouvir as queixas do paciente, o médico pede exames como provas de função pulmonar e endoscopia do estômago para comprovar o diagnóstico. Dr. Reginaldo conta que o tratamento é feito usando-se broncodilatadores, corticoides inalatórios e em alguns casos, antialérgicos específicos para Asma.“Antigamente, os corticoides usados no tratamento eram orais e provocavam efeitos colaterais como obesidade, hirsutismo (pelos) e baixo crescimento. Hoje o tratamento evoluiu, mas nenhum medicamento deve ser tomado sem orientação médica porque na dosagem inadequada podem causar danos. Os broncodilatadores, por exemplo, podem induzir a uma arritmia cardíaca”, adverte o pneumologista. Além

de tomar medicamentos, o paciente com asma precisa cuidar do ambiente em que vive, eliminando tudo o que possa funcionar como gatilho para as crises, como poeira, perfumes, produtos químicos com odor forte, pelos de animais, baixas temperaturas, cigarro, exercícios físicos. “Na maioria dos casos, a asma é causada pelo ácaro,um bicho microscópico que vive na poeira. Por isso, é fundamental tirar de casa tudo o que junta poeira, como tapetes, cortinas de tecido, bichinhos de pelúcia, cobertores de lã. Quem tem asma não deve de forma alguma fumar e nem permanecer próximo a quem fumaporque a fumaça do cigarro é outro desencadeante de crises”, alerta Dr. Reginaldo. O médico lembra que, como ocorre em outros processos alérgicos, a asma também é sensível a oscilações emocionais, por isso tratamentos que equilibram o paciente, como a acupuntura, podem contribuir para melhorar a sua qualidade de vida.

29

Pg 29.indd 1

16/04/2013 23:21:55


Por Gazeta

Kaikan celebra 20 anos do grupo Minbu Saraodori No último dia 07 de abril, foi realizada uma sessão solene em celebração aos 20 anos de fundação do grupo Minbu Saraodori, um dos destaques da Associação Nipo-Brasileira, o Kaikan.

1

2

3

4

5

6

Foto 1: Autoridades e convidados acompanham a execução dos Hinos Nacionais do Brasil e do Japão. Foto 2: Vice Prefeita Leonice Moura recebe presente das mãos de Antônio Muraki, presidente da Associação Nipo Brasileira. Foto 3: Bolo celebra 20 anos do Grupo Minbu Saraodori. Foto 4: Apresentação de Taiko. Foto 5: Grupo Minbu faz apresentação elogiada. Foto 6: Público presente participa do Kenko Taisso.

Pg 30.indd 1

16/04/2013 23:29:35


Hiroshi e Toshie Kawazoe: a alma do Grupo Minbu Saraodori

Por Danilo Meira

Pg 31.indd 1

O casal Hiroshi e Toshie Kawazoe

O mês de abril marcou a celebração dos 20 anos de fundação do grupo Minbu Saraodori, “dança com pires” em português, um dos destaques da Associação Nipo-Brasileira de Ribeirão Pires, o Kaikan. Mais do que a festa, que contou com a presença de diversas autoridades, como os deputados estaduais Helio Nishimoto e Jooji Hato e a vice-prefeita de Ribeirão Pires, Leonice Moura, a data marca também a história de dois imigrantes japoneses que foram parte fundamental do grupo, o casal Hiroshi e Toshie Kawazoe, ícones vivos da preservação da cultura e tradições japonesas no Brasil. Esta história, na verdade, começa em 1973, quando o engenheiro mecânico Hiroshi trocou a cidade de Nagasaki pelo Brasil, mais especificamente Ribeirão Pires, para onde veio para trabalhar na antiga Constanta. Três anos mais tarde, casou-se com a professora Toshie, de Shizuoka, que então emigrou de Shizuoka para a cidade junto com o marido. A dança chegou alguns anos mais tarde. “Eu vi na comemoração dos 30 anos de Nagasaki e me interessei em aprender essa dança junto com minha esposa”, explicou Hiroshi. Vale ressaltar que Toshie, no Japão, já lecionava: “eu era professora de primário e ginásio, além de ministrar educação física”, conta. No Kaikan, ela passou a ensinar o Saraodori há 20 anos.

O objetivo dos ensinamentos é também contribuir para a evolução pessoal dos alunos. “A dança traz a ideia de esperança e a comunidade japonesa quer um Brasil melhor. Para isso, o jovem precisa ter disciplina, o que também transmitimos através da dança. Agora, temos milhares de jovens por todo o país a praticando, bem como o Taikô, o Kenko Taisso (Ginástica para a Saúde) e outras atividades”, explica o Sensei Kawazoe que também é presidente da Associação Nagasaki Kenjin do Brasil e representante da Associação Kenko Hiyogen Taisso do Brasil. Com isso, o grupo Minbu Saraodori já viajou por todo o país, tendo passado por cidades como Ribeirão Preto, São Paulo, Maringá (PR), Recife (PE), entre outras, tendo seu trabalho reconhecido até mesmo no Japão, com destaque no jornal da província de Nagasaki. Outro fato marcante foi a participação no desfile da escola de samba Vai-Vai, de São Paulo, em celebração aos 100 anos de imigração no Brasil. Todo o reconhecimento é fruto de muito trabalho, que tem como motivação o carinho do público. “É pelos aplausos das pessoas que nos assistem que continuamos dançando até hoje”, disse a professora Toshie Kawazoe. O Grupo Minbu Saraodori ensaia no Kaikan, a Associação Nipo-Brasileira de Ribeirão Pires. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4825-2645.

31

16/04/2013 23:31:59


A

VIDA NÃO SE FAZ DE IMPROVISO

Costumo deixar pra amanhã o que posso fazer hoje, na esperança de que a preguiça passe, que o dia esteja mais propício e assim consigo encontrar todos os motivos que me sossegam a vontade de encarar questões que não tenho lá muita vontade de encarar. Assim, meio arrastando o chinelo, deixo pra depois, com a ideia de que o amanhã chegará. E no dia seguinte quando acordo e percebo que o amanhã chegou vou tocando meu dia. Realizo o que esperam que eu faça e isso eu faço bem! Mais um pouco adio o que me dá trabalho. Às vezes empurro pro outro, que menos avisado até assume pra si o que é meu, mas tudo bem, isso não fará mal, é só um pouquinho! E assim esqueço todas as vezes que deleguei a ele minhas responsabilidades e o culpei pelas minhas frustrações. Quando não dá pra empurrar pra frente e o destino me pega na curva, dou de ombros, olho pros lados e sem que alguém veja dou mais uma improvisada e faço de conta que me aprofundei, dou uma enrolada, mas não resolvo de verdade aquele probleminha que se arrasta há anos, mas acredito que amanhã, quando estiver mais disposto e menos ocupado eu resolvo! Até que um dia percebo que andei adiando demais e que aquelas improvisações se desenvolveram e se transformaram em problemas complicados. Triste destino! Quis fugir de mim mesmo e me enrolei em mim mesmo e tudo o que adiei volta-se contra mim e me cobra tim tim por tim tim. Forçosamente entendo que não adianta fazer de conta que se resolve, pois tudo pede por realização e cada dia que deixei passar transformei num dia perdido e assim de improvisos em improvisos vivo uma vida improvisada.

Ala Voloshyn, nascida em agosto de 1956, em São Paulo, filha de imigrantes ucranianos, estudou Psicologia na atual Universidade Metodista de São Paulo. Formou-se em 1980 e desde então atua como psicóloga. Já trabalhou com a educação de surdo-cegos e deficientes auditivos. Apresentou programa de entrevistas em Web TV. Ministra palestras e contação de histórias. Mantém blogs pela internet sobre literatura infantil e textos de sua autoria. Tem editado um livro de literatura infanto-juvenil intitulado Pimenta do Reino. É membro da Academia Popular de Letras da Biblioteca Paul Harris de São Caetano do Sul e colaboradora do jornal Enfim, de São Caetano do Sul, e Mais Notícias, de Ribeirão Pires. Textos: http://alavoloshyn.blogspot.com Literatura infantil: http://livrosvivos.blogspot.com Email: alavoloshyn22@yahoo.com.br Cel.: (11) 96036-3139 Fone: 3565-6609

pg 32.indd 1

16/04/2013 23:32:32


Pg 33.indd 1

16/04/2013 23:34:08


Por: Paulo Franco Formado em Letras e em Pedagogia e Pós-graduado em Docência para o Ensino Superior. Poeta e escritor, tem 8 livros publicados e dezenas de premiações em nível nacional.

O fim do professor na terra da impunidade

O conceito de que a disciplina pode garantir a liberdade vem caindo em desuso, pelo menos no Brasil. A impunidade está virando uma doença epidêmica e vem determinando o esvaziamento dos conceitos de moral, de compaixão, de bons costumes e de cidadania. Houve um tempo no qual a criança começava a ser educada ainda no berço. Hoje, em inúmeras famílias, os filhos começam a determinar suas vontades sobre pais omissos ainda antes da fala. Logo em seguida acabam depositados em creches mal preparadas e esvaziadas do carinho e da disciplina dos lares para que os seus progenitores vendam suas parcas forças de trabalho. Depois vão para as escolas e continuam determinando suas mazelas emocionais sobre os professores que deveriam formá-los, mas que acabam gastando o tempo precioso das aulas tentando suprir a ausência de educação que deveria ter sido construída no convívio com os pais. E são eles, os professores, as primeiras grandes vítimas da sociedade da impunidade, além é claro, das próprias crianças que já chegam na escola deterioradas pela ausência de padrão moral e aliciadas pela avalanche de imoralidades que assimilam nas músicas de baixo calão, nos programas televisivos popularescos, nas baladas que embalam sexualidades esdrúxulas e na brutal porta para a solidão que representam as telas e os teclados dos computadores. E como se fossem frutos de um desmanche social amplo, dentro das escolas, essas crianças e jovens descobrem rapidamente que lá também não precisam seguir regras, leis, normas, costumes. Percebem que estudando ou não, são sempre promovidas. Tendo caderno ou não, são sempre promovidas. Tendo frequência ou não, são sempre promovidas. Tendo respeito com os colegas e professores ou não, são sempre promovidas. Enquanto isso, a sociedade não se pergunta quais serão os efeitos futuros (e o futuro já chegou) dessa

pg 34.indd 1

promoção automática que cria aberrações sociais desqualificadas de formação sistematizada e inviabilizadas para um convívio social pleno que os façam, de fato, cidadãos. A aula macabra (imposta pelos governos) que as nossas instituições constroem em nossos jovens é a da impunidade atrelada a um tipo escroto de irresponsabilidade e esvaziamento de alma. Pois bem. Os antigos diziam que quem não escuta os pais e os professores, acabará tendo que escutar o delegado. Porém, a impunidade é tamanha, que nem mesmo os delegados, acredito, estão sendo escutados. As nossas leis inócuas impedem não apenas as ações das escolas (que são impedidas de avaliar as crianças e jovens) e dos pais (que são impedidos de colocá-los em um trabalho ainda que como aprendizes), mas também impedem as ações da polícia e do poder judiciário. O resultado é um analfabetismo intelectual e funcional crônico e uma sociedade com um medo incondicional, dentro ou fora das casas. O cidadão de bem cumpre a pena de não poder ir, vir ou ficar em paz em lugar algum. Enquanto isso, a criminalidade passeia impune gargalhando sobre os nossos medos. Agora, além das agressões verbais, os professores, diretores e demais funcionários das escolas, também estão sendo agredidos fisicamente e está virando moda. Em contrapartida, vários estados da nossa pátria mãe gentil já não possuem professores em quantidade suficiente para suprir as salas de aula em decorrência do fato de que quase ninguém mais quer exercer essa função que no passado brasileiro já foi reverenciada e em alguns países mais evoluídos ainda é. Possivelmente, o que mais nos aterroriza é sabemos as consequências para qualquer pátria que não valoriza o professor e talvez também saibamos quem são os culpados. Somos um país com 513 deputados federais e 81 senadores, todos com salários exorbitantes, mas que entretanto alimentam uma morosidade intensa, uma incapacidade extrema de análise dos problemas emergenciais que afetam a nação a curto, médio e a longo prazo e acima de tudo há a falta de coragem política ou de interesse para viabilizar as várias reformas profundas que a nossa República tanto necessita. E enquanto a sociedade espera, vai contando os mortos e passando a mão na cabeça de crianças mal educadas e mal formadas que recebem diplomas falsos apenas para mascarar os índices vexatórios que somos obrigados a apresentar para o primeiro mundo fazer de conta que o imperialismo neoliberal nos vigia para que tenhamos uma juventude pensante.

16/04/2013 23:34:56


Pg 35.indd 1

16/04/2013 23:35:32


Pg 36.indd 1

16/04/2013 23:36:14


Revista Mais Conteúdo - Edição 14  

Destaque: 100 dias de governo Saulo Benevides

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you