Page 1

28 Novembro

417

TERRAS DE BOURO

GERÊS ENTRE OS MELHORES DESTINOS PARA 2014 (pág.17)

APROVADO

Oposição deixa passar orçamento (pág.6)

“UMA VERGONHA!”

Amares Primeiro repudia criação de Gabinete de Apoio à Presidência

(pág.3)

VILA VERDE

Presidente da CM de Amares em entrevista ao Praça Local

(pág4,5)

Inaugurada terceira Loja Social “QUERO EQUILIBRAR AS FINANÇAS” (pág.11)

28 Novembro 2013 //

1


ORÇAMENTO APROVADO O orçamento Municipal para 2014, o Plano Plurianual de Investimentos e o Mapa de Pessoal foram aprovados com a abstenção dos vereadores da oposição. O valor total do orçamento é de 12 milhões 726 mil e 294 euros. (Pág.6)

AMIANTO Está em fase de adjudicação a obra que vai permitir a substituição das coberturas de fibrocimento da Escola Secundária de Amares. A intervenção deverá arrancar na paragem lectiva do Natal. (Pág.10)

GERÊS O Parque Nacional da Peneda-Geres foi classificado pela Trivago como sendo o nono melhor destino, dentre os 100 melhores, para 2014 na vertente qualidade preço. (Pág. 17)

Maria Helena Lima Interna do Ano Comum - Unidade de Saúde Pública ACeS Cávado II – Gerês/Cabreira

417 28.11.2013

RECICLAGEM Este artigo visa sensibilizar a população sobre a problemática dos resíduos, promovendo a sua redução sustentável ao encorajar mudanças de comportamento no quotidiano, indo de encontro aos objetivos do projeto “Semana Europeia da Prevenção de Resíduos” (SEPR) que decorreu de 16 a 24 de Novembro. Antes de iniciar a exposição vejo a necessidade da introdução de alguns conceitos chave para melhor compreender o tema por inteiro. Assim sendo, resíduo define-se como qualquer substância ou objeto de que o ser humano pretende desfazer-se por não lhe reconhecer utilidade. Já a reciclagem consiste em reaproveitar e reutilizar os resíduos de materiais inúteis através da sua recolha e reprocessamento, transformando-os em matéria-prima para um novo produto. Segundo dados da SEPR, em 2008 foram gerados 524 kg de resíduos municipais por pessoa na União Europeia, perfazendo um total de 2.63 biliões de toneladas nesse ano. Em 2010 este valor passou para 502 Kg por pessoa devido a diversos fatores, em particular através da influência da crise económica mundial no consumo doméstico. Mesmo assim, a quantidade de resíduos municipais tem duplicado ao longo dos últimos 40 anos. Os grandes objetivos da reciclagem consistem em reduzir a utilização de recursos naturais, muitas vezes não renováveis, poupar energia e diminuir a quantidade de resíduos que necessita de tratamento final como o aterro sanitário (destino mais comum dos resíduos sólidos urbanos onde o material, após recolha, é enterrado em fardos em solos impermeabilizados de modo a que não fiquem contaminados) e a compostagem (processo de transformação de resíduos orgânicos - restos de comida ou agrícolas em adubos ricos em nutrientes, sendo a sua utilização uma alternativa ao uso de fertilizantes químicos). Muitas substâncias podem ser recicladas e os exemplos mais comuns são o papel, o vidro, o metal e o plástico. Em Portugal a divisão de resíduos é feita em quatro grandes contentores onde se pode reciclar: Ecoponto AMARELO: Plástico e Metal – sacos, frascos de champô e detergentes, garrafas de água, sumos e óleos alimentares, esferovite, embalagens de iogurte, embalagens de leite, sumo e vinhos, latas de bebidas e conservas, tabuleiros de alumínio, aerossóis. Ecoponto AZUL: Papel e Cartão – caixas de cartão, sacos de papel, papel de escrita e envelopes, revistas e jornais, caixas de ovos. Ecoponto VERDE: Vidro – garrafas de bebidas e azeite, boiões de conservas e doces, frascos de perfume e cosmética. Pilhão: Pilhas comuns. Importa salientar que ao separar os resíduos em casa deve-se: escorrer todo o conteúdo das embalagens; espalmar as embalagens para ocupar menos espaço e facilitar o transporte; passar as embalagens por água para evitar maus odores; retirar tampas e rolhas, porque são feitas de materiais diferentes da embalagem. Concluindo, face à escassez de recursos naturais e à quantidade de resíduos existente no nosso planeta, a reciclagem apresenta-se como uma das ações mais inteligentes e eficazes para ajudar a concretizar um futuro mais limpo e sustentável. É imperativo a disponibilidade de maiores recursos financeiros para a formação de um conjunto de instalações, equipamentos, serviços de recolha e tratamento de resíduos. PARA MAIS INFORMAÇÕES CONSULTAR: - Agência portuguesa do ambiente - http://www.apambiente.pt/ - Semana Europeia da Prevenção de Resíduos: www.ewwr.eu/

2 // 28 Novembro 2013


Amares primeiro repudia criação de gap A posição foi assumida por Sara Leite, vereadora da oposição, em reunião de câmara do executivo amarense, e é agora reforçada em comunicado enviado à imprensa. “O Movimento Independente Amares Primeiro vem, por este meio, repudiar veementemente a criação de um gabinete de apoio ao Sr. Presidente da Câmara de Amares que inclui quatro novos elementos: um Chefe de Gabinete, um Adjunto e dois secretários, representando uma despesa mensal extraordinária para a Câmara Municipal superior a 10 mil euros”, lê-se na nota enviada às redacções. Sara Leite comenta a decisão de Manuel Moreira, depois deste, em duas entrevistas a jornais da região, ter declarado que a Câmara Municipal “está sem dinheiro e sem disponibilidade financeira até para mudar fechaduras”. Neste contexto, a constituição do gabinete “configura uma total irresponsabilidade por parte do novo executivo e assumese como uma vergonha no que à contenção da despesa pública diz respeito”.

DECISÃO “ESCANDALOSA E VERGONHOSA” “Num cenário de dificuldades económicas, o novo executivo não teve qualquer pudor em engrossar os quadros e a despesa Municipal em valores que equivalem aos salários dos políticos eleitos, ou seja, dobrando a despesa que o anterior executivo representava para a Câmara”. Por isso, a exvereadora da educação, acção social e cultura considera esta uma decisão política “escandalosa e vergonhosa”, “que não serve senão para compensar favores eleitorais”. O Movimento independente Amares Primeiro condena o que classifica de “acções despesistas praticadas em tão pouco tempo” e que, assim, “já conseguiu comprometer seriamente

os investimentos a realizar com o orçamento municipal”. Sara Leite aconselha, por isso, “o executivo em funções a repensar as suas prioridades” na governação do concelho, exigindo seriedade.

DESORGANIZAÇÃO PÓS-ELEIÇÕES “O Sr. Presidente da Câmara tem dito que a Câmara Municipal de Amares é uma instituição desorganizada. Só temos de concordar, mas a desorganização aconteceu após as eleições”, lêse, ainda, no comunicado. Diz Sara Leite que “o novo executivo, em vez de aproveitar o funcionamento existente e aguardar para conhecer todos os processos e hierarquias, optou por introduzir os seus “BOYS” sem conhecimento do funcionamento do Município”; concluindo que “quando se mexe, sem conhecimento, nas organizações, normalmente o resultado é a desorganização”.

OPOSIÇÃO EM SINTONIA As reacções à criação do Gabinete de Apoio à Presidência já se haviam feito sentir na reunião do executivo. Sandro Peixoto, vereador da oposição lembrou que “não pode haver dois pesos e duas medidas”, numa alusão às declarações de Manuel Moreira sobre a falta de dinheiro para mudar fechaduras e comprar pilhas, tendo depois formado o gabinete. Pela Coligação “Juntos por Amares”, Filomena Araújo referiu que se habituou a “trabalhar a pão e água”, na presidência da junta de freguesia de Prozelo. “Faz lembrar a questão dos secretários e assessores”, referiu a agora vereadora da oposição a propósito da criação do gabinete “numa fase de endividamento”. “Mas estamos aqui para acompanhar”, concluiu.

“JÁ ESPERAVA AS CRÍTICAS” Manuel Moreira garante que “já esperava as críticas”. Na reunião do executivo começou por afirmar que sabia que “ia ser acusado de despesismo”. Ainda assim, o presidente da câmara de Amares acredita que o gabinete será “uma mais-valia” para o concelho. “É para dar resposta aos desafios que temos pela frente”, referiu. Depois de ouvidas as críticas da oposição, Manuel Moreira disse aceitar as opiniões dos vereadores, mas manteve os seus argumentos. E acrescentou: “Amares era a única câmara do país que não tinha um gabinete destes, e o resultado está à vista”. Na mesma linha, o vice-presidente da autarquia referiu-se ao gabinete de apoio à presidência como “um investimento, porque se trata de uma equipa competente”, acusando a oposição de “falar antes do tempo”.

O GABINETE O Gabinete de Apoio à Presidência é constituído por Armando Leite (Chefe do Gabinete); Nuno Cerdeira (Adjunto do Gabinete); Raquel Sousa (Secretária da Vereação) e Francisco Fernandes (Secretário da Vereação). Manuel Moreira é peremptório: “Fui buscar gente para áreas que me são necessárias: um chefe de gabinete, um economista com experiência, que já esteve em Braga com o Mesquita Machado e que vem de Barcelos. O Bruno Cerdeira, que é um jurista da minha confiança. Não está em causa a competência da Dra Isabel Pereira, mas esta esteve 12 anos umbilicalmente ligada ao José Barbosa… A Raquel Arão vem suprir a saída da Dra. Cidália Abreu da acção social”, conclui.

28 Novembro 2013 //

3


“Trabalhámos para ter um Manuel Moreira corta em todos os sectores

O orçamento municipal para 2014 aprovado na última reunião de câmara, com a abstenção da oposição, é o mote para a entrevista com o Presidente da Câmara de Amares. Ao Praça Local, Manuel Moreira fala de um orçamento de rigor, com vista ao equilíbrio das contas municipais. E anuncia: há cortes em vários sectores. concluído. Trabalhámos para ter um orçamento realista e não empolado, como antigamente se fazia, em que orçamentos de 23 milhões, depois na discussão, ficavam nos 13 ou 14 milhõe s. É realista e muito pensado; um documento em que definimos perfeitamente o caminho a seguir. Por isso, estou perfeitamente convencido que vamos executá-lo totalmente. Vou fazer uma gestão em que o povo perceba que estou do lado deles, porque foi o povo que votou em mim. Praça Local: O orçamento para 2014 foi aprovado com a abstenção da oposição. Como decorreram os encontros preparatórios com a oposição?

MM: Gostei da atitude da oposição. Mas era o que eu esperava, porque conheço bem o Professor Isidro e também a Sara Leite. É gente responsável.

Manuel Moreira: Correram bem, num clima de cordialidade, quer com o PSD, quer com o Amares Primeiro. Apresentei as linhas orientadoras e ouvi as sugestões e opiniões da oposição.

PL: E que viabilizou o seu trabalho.

PL: E foi tida em conta alguma das sugestões apresentadas pela oposição nessa reunião? MM: Foram, nomeadamente do PSD que fez algumas propostas que foram consideradas. O Amares Primeiro não fez propostas; limitouse a tecer comentários, que foram repetidos na reunião de câmara em que o orçamento foi votado. Apesar de não ter maioria e de ter optado por não fazer acordos, disse-o e reafirmo, estou disponível para ouvir a oposição nas grandes questões, como o orçamento, um documento fundamental. PL: E como encarou a abstenção da oposição?

4 // 28 Novembro 2013

MM: Percebi isso, perfeitamente. Sou eu que tenho que governar, e eles perceberam isso. Foi um orçamento discutido com dignidade. Dirijo-lhes, por isso, uma palavra de agradecimento. Mostraram que são pessoas responsáveis, e que, como eu, querem o melhor para Amares.

“ORÇAMENTO DE RIGOR” PL: O valor total do orçamento é de 12 milhões 726 mil e 294 euros. Como o caracteriza? MM: É um orçamento que tem apenas um mês de trabalho e assenta muito no trabalho feito anteriormente. É, também, condicionado pelo fecho do quadro comunitário, que está praticamente

PL: O rigor financeiro foi, também, um ponto vincado por si na apresentação do documento.

Este fim de ano centrei a compra só numa gasolineira, por entender que é mais barata, mas para o ano vou criar a frota Galp que vai reduzir substancialmente a despesa nesta rúbrica. Vou, também, criar uma reprografia, porque não imagina o papel que se gasta nesta casa. Vou dar um plafond de papel a cada serviço. Quem gastar mais, ou me justifica porquê ou não vai ter papel. É uma gestão personalizada, virada para as pessoas, e sobretudo muito pensada. Eu quero, nestes quatro anos, equilibrar as finanças. PL: Em relação ao orçamento, em concreto, quais as principais apostas e preocupações?

MM: Está aí um novo QREN, por isso irei trabalhar fortemente no sentido de conseguir captar verbas para investir, sobretudo no turismo. É essa a minha grande aposta. Disse-o em campanha, e digo-o aqui: para dar um passo em frente temos que apostar fortemente no turismo. Temos água, as montanhas, o turismo religioso, as termas. Que queremos mais? Temos que utilizar esses recursos de forma integrada e em rede para se conseguir criar PL: Que cortes são esses? pacotes que dêem resposta às MM: Nos combustíveis, nos necessidades dos turistas. telemóveis, nas piscinas, Já enviei as opções estratégicas infelizmente nas juntas de para a CIM, que assentam na freguesia… Não consigo perceber, valorização das margens do rio por exemplo, que os combustíveis Cávado e Homem, criando praias não sejam controlados. Há, também, fluviais, dando vida ao monte S. telemóveis nesta casa a gastar Pedro, aos quatro caminhos da 280 e 300 euros por mês. Com um Abadia, à Abadia, às termas e ao pacote integrado de comunicações, turismo rural, à restauração. Pensar vou reduzir 50% os custos das o turismo no concelho em parcerias telecomunicações. É um trabalho é fundamental. que tem que ser feito. Nos combustíveis estou a controlar PL: A educação e a acção social todas as viaturas, que só devem foram também pontos referidos sair para rua se for necessário sair. por si. MM: Sem dúvida. Tenho consciência de que um presidente da câmara, mais do que um político, tem que ser um gestor. O mundo, o país, o concelho vive em dificuldades tremendas e estou perfeitamente convencido que a sustentabilidade é fundamental. Por isso, este tem que ser um orçamento de rigor. Vou cortar em todos os sectores.


orçamento realista” MM: Destaco o investimento na EB 2,3, e faço-o convictamente. Fui director, fui professor e conheço aquela casa. Chove nas sala de aula, sendo preciso abrir guardachuvas e por baldes. É evidente que se eu conseguir que o Ministério da Educação faça as obras, óptimo - poupo 400 mil euros. Mas se não conseguir, avanço com o meu orçamento. Porque se quero apostar no ensino tenho que lhe dar soluções e respostas. PL: E que prazo dá para avançar com essas obras? MM: Já estamos a diligenciar no sentido de falar com a DREN para perceber se há ou não verba para esta intervenção. Eu próprio vou falar com os responsáveis da DREN. Se não houver possibilidade para fazerem eles a intervenção, nas férias da Páscoa começo a trabalhar na escola EB 2,3. PL: E em relação à acção social? MM: Estamos a trabalhar fortemente nessa área, porque é um assunto que me preocupa muito. Foi a minha grande bandeira de campanha e vou utilizá-la. A oposição apontou o dedo ao facto de termos cortado 20 mil euros, mas os 80 mil euros foi a verba apontada pelos técnicos como sendo suficiente para dar resposta às necessidades que estão em questão. Ainda assim, se for preciso reforçá-la, farei uma alteração ao orçamento. Não será por aí que as pessoas serão prejudicadas. Eu não quero que nenhum pai tenha problemas em dar leite e pão aos seus filhos. A câmara tem que estar presente. Só não o fará se eu não souber. PL: Do valor total do orçamento, qual a fatia destinada ao investimento? E qual o peso do QREN?

MM: Quatro milhões são destinados ao investimento. Em relação ao QREN, eu quero que seja importante. Já estamos a trabalhar, por exemplo, para a possibilidade de intervir na zona urbana de Ferreiros e Amares. Irei tentar captar o máximo possível de verba dos fundos comunitários que estão muito voltados para a requalificação urbana e para o turismo.

MM: São, assim como abrir as cantinas para o ano. Não vou entregar a nenhuma empresa por três razões: pela qualidade, porque crio emprego e porque vou utilizar produtos da terra.

PL: Um dos pontos polémicos na discussão do orçamento foi a redução das verbas transferidas para as juntas de freguesia. Como se pode explicar essa redução?

MM: Ainda estamos numa fase de exploração. É claro que senti dificuldades…

MM: São cortes de cerca de mil euros a cada junta para tentar o equilíbrio financeiro. O Estado cortou cerca de 2.9% às autarquias e nós temos que ajustar. Quem me dera a mim aumentar a verba das juntas, mas não é possível. É um corte consciente, que cria algum incómodo aos senhores presidentes de junta. Mas eles perceberam, numa reunião que tivemos, que esses cortes eram fundamentais. Lamento é que a oposição esteja tão preocupada, quando o Amares Primeiro sempre cortou. PL: E essa verba já tem destino? MM: Estes 30 mil euros dão para pagar os transportes ao ensino secundário, os 50% que cabia aos pais. Porque se o Governo entende que o ensino é obrigatório, os pais não têm que pagar. Vai, também, para o sector da saúde, para ajudar no pagamento dos medicamentos dos mais necessitados. Vamos criar um regulamento para pagar 50% dos medicamentos a quem tiver maiores dificuldades económicas. PL: Essas são duas rubricas inovadoras do orçamento?

PL: Em jeito de balanço, Como tem sido este primeiro mês e meio de presidência, que, como referiu, não teve direito a passagem de testemunho?

Entrei aqui na 2ª feira, e ninguém me recebeu. Entrei como quem entra numa casa que não conhece ninguém. Se não fosse a minha experiência… Mas devagar, vou percebendo e conhecendo os cantos à casa.

AS CRÍTICAS DA OPOSIÇÃO PL: Sobre o orçamento, a oposição disse tratar-se de um documento sem nenhuma inovação, puramente técnico, e omisso em quase todas as temáticas. Como responde a estas afirmações? MM: Se, enquanto professor, tivesse que avaliar os senhores vereadores, nomeadamente o senhor vereador Sandro Peixoto, que foi o mais crítico a dizer que não percebia, eu dava-lhe negativa, porque não soube interpretar o texto. Entendo que o documento reflecte o nosso pensamento de rigor, de apoio à educação, à cultura, à acção social, e de aposta no turismo. Mas eu percebo e aceito as críticas. PL: Outro ponto incontornável é a criação do Gabinete de Apoio à Presidência, anunciado por si como uma mais-valia. É dessa forma que deve ser encarado no orçamento? MM: Estou perfeitamente convicto e convencido disso, se não não o faria. Não tenho aqui nenhum lobbie político.

A lei permite a criação dos gabinetes, e tenho a certeza que, quer a Dra. Sara Leite, quer o meu amigo Professor Isidro, se ganhassem as eleições criariam o gabinete com a sua gente de confiança, a trabalhar e a produzir. O outro executivo gastou muito mais dinheiro ao colocar 5 ou 6 pessoas no quadro. Estes, se eu cair, caem comigo, não ficam no quadro da câmara. Para mim são uma mais-valia.

28 Novembro 2013 //

5


Oposição deixa passar orçamento

Documento aprovado com abstenção da oposição

O orçamento Municipal para 2014, o Plano Plurianual de Investimentos e o Mapa de Pessoal foram aprovados com a abstenção dos vereadores da oposição. O valor total do orçamento é de 12 milhões 726 mil e 294 euros. A discussão e aprovação do documento aconteceu na última reunião de câmara, que não contou com a presença do vereador Isidro Araújo, presente em Lisboa para votação do Orçamento de Estado, na Assembleia da República. Na apresentação do documento, o Presidente da Câmara referiu que este “está fortemente condicionado pelas opções políticas anteriores”.

Como principal objectivo, Manuel Moreira definiu a contenção da despesa corrente, assente no rigor financeiro. A educação e a acção social foram apontadas como as principais preocupações, e o turismo como a principal aposta. O autarca referiu, também, a necessidade de “aproveitar ao máximo” as verbas do quadro comunitário.

“ORÇAMENTO PURAMENTE TÉCNICO” “Este é um orçamento de gestão de receita e despesa corrente; é puramente técnico”. Foi desta

forma de Sara Leite classificou o documento. A vereadora da oposição defendeu que este orçamento “não tem intervenção política nenhuma”. “Não há inovação, sendo reprovável a diminuição das receitas para as juntas de freguesia. Trata-se de um corte que vai além do imposto pelo Governo nas transferências para os municípios”, alertou. A mesma ideia foi defendida por Sandro Peixoto, que lembrou a importância do trabalho desenvolvido pelas juntas. “É um sinal que não considero positivo”, referiu. Ainda no capítulo do corte às juntas de freguesia, Filomena Araújo, pelo PSD, lembrou que “os presidentes de junta não têm que ser mendigos”. “E actualmente pedem para trabalhar”, lamentou. Para Sara Leite, “são as despesas que têm impacto neste orçamento”. Uma referência aos 400 mil euros destinados à intervenção na EB 2,3, uma intervenção que a vereadora lembrou ser “uma responsabilidade do poder central e não do município”; E ao Gabinete

CDS-PP num “ciclo de crescimento e consolidação” “Iniciou-se um ciclo de crescimento e consolidação do partido no concelho”. Esta é a convicção do CDS-PP de Amares que, em comunicado, dá conta das principais conclusões do plenário de militantes entretanto realizado. O encontro serviu para analisar internamente os resultados eleitorais obtidos pelo partido nas últimas autárquicas. No

6 // 28 Novembro 2013

comunicado pode ler-se que “o CDS-PP cresceu em número de membros eleitos nas assembleias de freguesia e passou de um deputado municipal para dois”. No referido encontro, o CDS-PP de Amares abordou ainda a eleição do presidente da assembleia municipal. “Relativamente à escolha do presidente à assembleia municipal recair sobre o número

dois da lista deve-se ao facto de o cabeça-de-lista indicado pelo partido estar ausente do País por razões profissionais naquele fim-de-semana. Tratou-se apenas de uma ausência do candidato em virtude data escolhida para a tomada de posse ser nesse fim-desemana e não da indisponibilidade ou da demarcação do candidato à assembleia municipal”, conclui-se.

de Apoio à Presidência, que “duplica a despesa com os órgãos de gestão”. O GAP mereceu, também, uma palavra de Filomena Araújo que lembrou que “10mil euros por mês poderiam ser aplicados pela câmara nas juntas de freguesia, gerando mão-de-obra e fazendo mexer a economia”. “Não me satisfaz que vá avante”, rematou a vereadora da oposição.

“O BENEFÍCIO DA DÚVIDA” “Por ser o vosso primeiro ano, vou dar o benefício da dúvida”, disse Sara Leite. Esta foi, de resto, uma posição comum a toda a oposição, tendo a expressão sido usada, também, por Filomena Araújo. Ainda assim, o novo executivo não se escusou de ouvir as críticas da oposição, que viu no orçamento um documento “vago”, “que não apresenta um projecto para Amares”.


Executivo ao encontro das associações do concelho

O executivo municipal reuniu, no passado dia 16, no Salão Nobre dos Paços do Concelho com as associações locais. O objetivo deste encontro foi tomar contacto e aprofundar o conhecimento da realidade associativa de Amares. O presidente da Câmara Municipal, Manuel Moreira, manifestou intenção de trabalhar com todas as associações de forma estreita, no sentido da promoção e desenvolvimento sociocultural do concelho. Consciente da importância da aposta nas diferentes áreas de cariz sociocultural, Manuel Moreira pretende que a autarquia assuma para com estas associações um papel de parceiro ativo, colaborante e não dirigista. Contudo, fez questão de deixar claro que o espírito de cooperação tem de ser mútuo. “Caros amigos, vamos todos pensar que estamos a utilizar dinheiros públicos e vamos participar, trabalhar e criar dinâmica. Podem contar comigo mas têm de dar contrapartidas, têm de criar vida nas vossas freguesias e projetos que envolvam toda a gente”, disse.

“GESTÃO RIGOROSA DOS DINHEIROS PÚBLICOS” O autarca aproveitou a oportunidade para explicar que, durante o seu mandato, fará uma gestão muito rigorosa dos dinheiros públicos. “O dinheiro que distribuir tem de ser

rentabilizado, não darei subsídios se não houver retorno para o concelho, temos de dar respostas à população a todos os níveis”, salientou. O vice-presidente do Município, Jorge Tinoco, também reconheceu a importância do associativismo e apelou aos presentes para que trabalhem “numa perspetiva de melhoria para que possam levar Amares mais longe” e recordou que deve haver rigor nos compromissos. “Estamos aqui para atuar numa articulação clara e transparente precisamente para ir de encontro ao rigor e às exigências que os tempos exigem, perdoem-me a redundância, mas também para definirmos critérios justos e ajustados a cada realidade”.

40 ASSOCIAÇÕES MARCARAM PRESENÇA Na reunião estiveram representadas cerca de 40 associações, num total de aproximadamente 70 pessoas, que também não quiserem perder oportunidade de se fazerem ouvir. João Ferreira, presidente da direção da AECA- Associação Educação Cultura e Arte, foi o primeiro a fazerse valer da palavra e elogiou a atitude do executivo municipal “por procurar reunir no mesmo espaço todas as associações do concelho e, particularmente, por ouvir as suas expectativas, preocupações e anseios”. A mesma opinião foi partilhada pelo

presidente da associação Valoriza, Pedro Costa, que acrescentou não ter dúvidas de que “quem dá o dinheiro tem que escrutinar o que as associações fazem com ele”. O presidente da Valoriza aproveitou, ainda, para sensibilizar os presentes para a importância de trabalharem em conjunto. “Que me lembre, nunca vi tantas associações do concelho reunidas e estas não devem andar de costas voltadas. Temos muitas mais coisas que nos unem do que as que nos separam”, lembrou. Já

Alberto Paz, chefe do agrupamento dos escuteiros 560 de Lago, referiu a pertinência de criar uma rede de associativismo, de interajuda, que crie oportunidades de trabalho e desenvolvimento entre as diversas associações. Depois de ouvir as preocupações e anseios dos vários intervenientes, Manuel Moreira deixou “no ar” a proposta da criação de um gabinete de associativismo que possa dar resposta às necessidades das associações do concelho.

Pela manutenção das juntas de freguesias CDU quer mobilizar populações “As sedes da Junta são sedes do povo para servir o povo. Não podem ser encerradas ou abandonadas”. A posição é defendida pela CDU de Amares, que quer envolver as populações na luta pelo não enceramento de sedes de junta. Em Amares foram criadas 5 uniões de freguesia que substituíram as 11 Freguesias anteriormente existentes. Passaram portanto a ser apenas 5 Juntas para servir a população de Amares e Figueiredo, Ferreiros, Prozelo e Besteiros, Caldelas, Sequeiros e Paranhos, Torre, Portela e Vilela, Seramil e Paredes Secas. No mesmo comunicado, a CDU lembra “que inscreveu no seu Programa Eleitoral o compromisso de mobilizar e lutar com as populações para a restauração das freguesias extintas” e reafirma agora que “continuará a defender o direito das populações a ter a sua Junta própria e dará total apoio aos seus

protestos e luta pela manutenção dos serviços que até agora eram prestados para a resolução de problemas do seu dia a dia”. “Brevemente terão que ser convocadas as Assembleias das Uniões de freguesia para decidir onde vai ficar a nova sede da Junta. O que se passar nestas Assembleias é de grande importância. As populações não devem aceitar que a sede da sua Junta seja encerrada”, defendem os comunistas. A CDU de Amares apela, por isso, às populações para que “compareçam na Assembleia no dia marcado e aí manifestem o seu desacordo e protesto contra o desaparecimento da sua Junta de Freguesia”. A CDU entende, ainda, e propõe que os actuais presidentes eleitos devem assumir o compromisso de realizar sessões periódicas com a população local para lhe transmitir informações e ouvi-la sobre os seus problemas.

28 Novembro 2013 //

7


Vereadora da Educação avalia qualidade das refeições Cidália Abreu visitou Centro Escolar de Bouro

A vereadora da Educação do município de Amares visitou no passado dia 18, à hora do almoço, o centro escolar de Bouro para

avaliar a qualidade dos serviços do refeitório. Cidália Abreu promoveu esta visita depois de algumas queixas de encarregados

de educação das crianças, que colocavam em dúvida a qualidade e quantidade das refeições servidas. “Aparentemente, a quantidade parece-me adequada, tendo em conta que se tratam de crianças, quer do jardim-de-infância quer do primeiro ciclo. Recebemos queixas, por exemplo, de alguns pais que diziam que a fruta era dividida em duas partes, uma para cada criança, e, neste momento, isso já não acontece”, referiu numa primeira avaliação. Posteriormente será feita uma avaliação criteriosa por uma nutricionista que irá avaliar se as refeições são ou não adequadas em termos nutritivos. Para além disso, tem havido e continuará a haver reuniões periódicas com a empresa responsável pelas refeições

para que sejam feitos os ajustes necessários, “sempre em prol da boa alimentação das crianças do concelho de Amares”, salientou a vereadora da Educação. Presentes no centro escolar estiveram também Carlos Portela, presidente da Junta de Freguesia de Bouro Santa Marta, Elisabete Cunhada, da Junta de Santa Maria de Bouro, Rui Tomada, da União de Freguesias de Vilela, Seramil e Paredes Secas, e Sérgio Silva, da direção do Agrupamento de Escolas de Amares. Esta foi a terceira visita promovida por Cidália Abreu que já se descolou, anteriormente, aos centros escolares de Ferreiros e Rendufe.

“Conhecer de perto” realidade empresarial do concelho

Manuel Moreira inicia ciclo de visitas Contactar com a realidade empresarial do concelho foi o objetivo de uma visita feita, no passado dia 15, pelo presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, às instalações das empresas Alumínios Ibérica S.A. e a Painel 2000 Sociedade Industrial de Painéis, S.A., sedeadas em Lago. Esta foi a primeira de outras visitas já previstas pelo autarca que

8 // 28 Novembro 2013

pretende deslocar-se juntos das empresas no sentido de inteirarse das necessidades e anseios dos empresários. “Quero conhecer de perto a dinâmica e a importância das empresas no concelho e as pessoas que lá trabalham”, adiantou o autarca que fez questão de demonstrar “total disponibilidade” para colaborar junto do tecido empresarial.

“É UM ESTÍMULO” Durante a visita, o autarca foi recebido por Mário Reis e Armindo Martins, administradores das duas empresas pertencentes ao mesmo grupo, e mostrou-se muito agradado com a qualidade deste grupo empresarial. “É um estímulo ver que há empresas

com aquela dimensão a trabalhar de uma forma tão organizada”, salientou. A empresa Alumínios Ibérica S.A., fundada em 1989, emprega cerca de centena e meia de trabalhadores e tem como principal atividade a anodização e termolacagem de perfis chapas e acessórios de alumínio.


UCC promove tertúlia sobre o amor Encarregados de Educação do Concelho de Amares, no contexto deste programa. A UCC está, por isso, a promover e a agendar os referidos encontros a partir de janeiro de 2014.

PROMOÇÃO DA SAÚDE ORAL

“O amor é… que respostas?” é o mote da iniciativa promovida pela Unidade de Cuidados na Comunidade de Amares. A tertúlia acontece no próximo dia 10 de Dezembro, a partir das 17h30, no Centro D. Gualdim Pais. No âmbito do Programa Regional de Educação Sexual em Saúde Escolar (PRESSE) a Equipa PRESSE Local (UCC Amares e Agrupamento de Escolas de Amares) promove um encontro informativo e formativo. Este encontro tem como destinatários os Pais/Encarregados de Educação, de todo o Agrupamento de Escolas de Amares.

PROGRAMA REGIONAL DE EDUCAÇÃO SEXUAL EM SAÚDE ESCOLAR O PRESSE dispõe de uma Equipa Local no Concelho de Amares – denominada de Equipa PRESSE Local (EPL), composta por profissionais de

Enfermagem da UCC Amares e Docentes do Agrupamento de Escolas de Amares. Compete a esta EPL o acompanhamento do processo, nomeadamente a logística, a informação, a formação aos destinatários da aplicação do PRESSE – os Docentes e, igualmente, o tratamento de dados resultantes da avaliação do programa, em articulação com a Unidade de Saúde Pública do ACES Gerês/Cabreira. Assim, dando continuidade a este programa a EPL iniciou a formação no passado dia 26, no Agrupamento de Escolas de Amares. Este programa considera, igualmente, momentos formativos para Assistentes Operacionais e Pais/Encarregados de Educação que vão decorrer ao longo deste ano letivo.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NAS ESCOLAS A UCC Amares tem desenvolvimento com

em o

Agrupamento de Escolas de Amares o programa PASSE. Tratase de um programa que promove um dos determinantes de saúde – a alimentação – incentivando a adesão a comportamentos alimentares saudáveis. Dispõe de uma Equipa PASSE Local no Concelho de Amares, concretamente na Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) Amares que procede à sua difusão, divulgação, informação, formação e consultadoria. A operacionalização efetua-se em contexto escolar (PréEscolar e 1º Ciclo do EB) através dos Docentes que formalizam a adesão ao programa específico de cada nível de ensino. Foi estruturado pela Unidade de Saúde Pública da ARS Norte e teve como base orientadora o curriculum escolar dos níveis de ensino, promovendo desta forma sinergias entre o curriculum escolar e os objetivos PASSE. Dado tratar-se de um programa articulado entre a saúde e a educação, revela-se importante e necessária uma efetiva articulação/encontros com os Pais/

As patologias/doenças orais, pela sua elevada prevalência, constituem um dos principais problemas de saúde da população infantil e juvenil. A OMS aponta para 2020 metas de saúde oral que exigem um reforço de ações de promoção da saúde e prevenção das doenças orais. A intervenção de promoção da saúde oral, que se inicia durante a gravidez e se desenvolve ao longo da infância, em Saúde Infantil e Juvenil, consolida-se no Jardimde-infância e na Escola, através da Saúde Escolar. “É um desafio aliciante para todos os envolvidos e implica a assertividade no desenvolvimento de práticas preventivas de doenças orais”, referem os responsáveis da UCC em informação enviada às redacções. Neste contexto, a Unidade de Cuidados na Comunidade Amares realça e enfatiza igualmente o envolvimento dos Pais/Encarregados de Educação, como referência na obtenção de ganhos em saúde. O programa “Saúde, Educação e Família”, dirigido a Pais/ Encarregados de Educação, iniciado no último ano letivo, nos seis Centros Escolares do Concelho de Amares, vai ter continuidade neste ano letivo 20132014 e considera-se uma maisvalia na promoção da Higiene Oral, dos Lanches Escolares Saudáveis e na promoção do Regime de Fruta Escolar (RFE).

28 Novembro 2013 //

9


Rede de saneamento preocupa Manuel Moreira Executivo municipal visitou freguesia de Caires O executivo municipal de Amares deslocou-se, no passado dia 18, à freguesia de Caires para avaliar no terreno as necessidades e preocupações sentidas pela população. Depois de terem passado por diversos pontos da freguesia, o presidente da Câmara, Manuel Moreira, juntamente com o vice-presidente Jorge Tinoco, constatou carências sobretudo no que diz respeito às questões de saneamento, o que preocupou o autarca. “Esta é de facto uma das minhas grandes preocupações em todas as freguesias do concelho. Poder melhorar a rede de saneamento para que as pessoas possam ter uma melhor qualidade de vida é

uma das minhas prioridades”, disse o autarca durante a visita. Esta necessidade de melhorar a rede de saneamento já tinha sido avançada pelo presidente da junta de freguesia, Pedro Silva, que acompanhou o executivo municipal durante a visita, no sentido de perceber quais as possibilidades de intervenção por parte da autarquia. Consciente de que a melhoria da rede de saneamento requer um grande investimento financeiro, o presidente da Câmara adiantou: “terei de avaliar a situação calmamente, mas dentro das minhas possibilidades tudo farei para criar melhores condições a este nível”.

Remoção do amianto nas férias do Natal APAEA satisfeita com resolução do problema

Está em fase de adjudicação a obra que vai permitir a substituição das coberturas de fibrocimento do ginásio e das galerias de ligação entre blocos da Escola Secundária de Amares. A Direção da Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de Amares mostra-se satisfeita com a “resolução de um problema, que há muito afectava toda a população escolar da Escola Secundária de Amares”. A intervenção deverá arrancar na paragem lectiva do Natal. Em comunicado enviado pela APAEA à redacção do Praça Local pode ler-se que “a APAEA, através do presidente Cristóvão Gomes, após vários contactos com a Direcção Geral dos Estabelecimentos Escolares do Norte (DGESTE), que se mostrou

10 // 28 Novembro 2013

sempre interessada em encontrar uma solução para este problema, em comunhão de esforços com o deputado na Assembleia da República, Isidro Araújo, figura desbloqueadora neste processo, e a direcção do Agrupamento de Escolas de Amares, regozija-se pelas obras em fase de concurso público, que vão beneficiar o pavilhão gimnodesportivo, os passadiços quer na ESA quer na EB 2,3”. Para a direcção da associação de pais, “esta era uma das prioridades imediatas”, de entre “vários problemas, que afetam os nossos filhos, nos vários centros escolares do concelho de Amares, e que a APAEA está a tentar resolver”. O comunicado termina com um “sincero agradecimento a todas

as entidades envolvidas neste processo”: ao gabinete da DGESTE, no Porto, ao Agrupamento de Escolas de Amares e ao deputado Isidro Araújo, que traduziram a velha máxima “juntos seremos

mais fortes”. As obras de remoção e substituição do amianto vão ter lugar na paragem lectiva do Natal.


Inaugurada terceira loja social do concelho

Pico de Regalados junta-se a Prado e Godinhaços Está inaugurada a terceira Loja Social do concelho de Vila Verde. A funcionar na Casa do Povo do Pico de Regalados, esta estrutura vem reforçar a rede social do concelho,e está aberta dois dias por semana com preços meramente simbólicos. “Temos que criar almofadas sociais para ajudar a atenuar os problemas com que nos deparamos todos os dias; e esta é uma forma de minorarmos o impacto da crise na degradação da qualidade de vida das pessoas”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, no decurso da cerimónia de inauguração. Na ocasião, marcaram também presença a equipa de vereação e os responsáveis pela instituição de

acolhimento da Loja Social, Porfírio Barbosa, e da ATAHCA, Professor Mota Alves. A Loja Social agora inaugurada “terá um papel importante de apoio directo a casos de carência social ao nível do vestuário e calçado e outras necessidades básicas da população mais desprotegida”. De acordo com o autarca vilaverdense, “estamos a dar um passo, apenas mais um pequeno passo, mas que representa muito para muitas famílias desta zona”. Esta passa a ser a terceira loja social de Vila Verde, a par das da Vila de Prado e de Godinhaços. A cerimónia ficou, ainda, marcada pela inauguração da Horta Comunitária desenvolvida nos últimos meses por um grupo de formandos da ATAHCA.

Rede Social prepara natal das famílias carenciadas Fernandes, e teve também como objectivo alertar para não haver uma duplicação de cabazes e desta forma tentar chegar ao maior número possível de famílias que necessitam de apoio, proporcionando-lhes um natal mais condigno.

APOIO SOCIAL CONTÍNUO A Rede Social de Vila Verde reuniu no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Vila Verde, com as várias instituições locais, no sentido de promover uma articulação para a eficiente distribuição do Cabaz de Natal às famílias carenciadas do Concelho. O processo inicia-

se agora e concluiu-se com a entrega, em período natalício, às famílias carenciadas do concelho e instituições particulares de solidariedade social (IPSS´s) que prestam apoio social. A reunião foi presidida pela Vereadora da tutela, Júlia

O apoio social municipal tem-se consumado através de diferentes acções ao longo do ano, do apoio à autoconstrução, passando pela reparação de electrodomésticos e outros equipamentos essenciais a uma vida condigna, à distribuição de vestuário e calçado, à criação de lojas de apoio social, à (re)

alojamento a baixo custo, e mesmo ao apoio local através da distribuição de alimentos, cobertores e outros produtos. “A Rede Social do Concelho de Vila Verde tem estado atenta e agido em conformidade, dentro das suas possibilidades e limitações, embora com muita eficácia e com saldo muito positivo”, salienta o Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, para quem “as pessoas estão em primeiro”. “Temos que agir cada vez mais no sentido do respeito e valorização do ser humano, pois as pessoas são o centro da nossa acção”, conclui.

28 Novembro 2013 //

11


Bombeiros Voluntários recebem Medalha de Mérito O executivo municipal de Amares deslocou-se, no passado dia 18, à freguesia de Caires para avaliar no terreno as necessidades e preocupações sentidas pela população. Depois de terem passado por diversos pontos da freguesia, o presidente da Câmara, Manuel Moreira, juntamente com o vice-presidente Jorge Tinoco, constatou carências sobretudo no que diz respeito às questões de saneamento, o que preocupou o autarca.

“Esta é de facto uma das minhas grandes preocupações em todas as freguesias do concelho. Poder melhorar a rede de saneamento para que as pessoas possam ter uma melhor qualidade de vida é uma das minhas prioridades”, disse o autarca durante a visita. Esta necessidade de melhorar a rede de saneamento já tinha sido avançada pelo presidente da junta de freguesia, Pedro Silva, que acompanhou o executivo municipal durante a visita, no sentido de perceber quais as

possibilidades de intervenção por parte da autarquia. Consciente de que a melhoria da rede de saneamento requer um grande investimento financeiro, o presidente da Câmara adiantou: “terei de avaliar a situação calmamente, mas dentro das minhas possibilidades tudo farei para criar melhores condições a este nível”.

Casa e Torre de Gomariz transformadas em empreendimento turístico de topo Mais de quatro milhões de euros vão permitir o restauro / adaptação da Casa e Torre de Gomariz e a sua transformação em Solar de Gomariz, empreendimento turístico de topo. A empreitada decore na freguesia de Cervães, a noroeste do concelho de Vila Verde, sobranceira a Braga e a “piscar o olho” ao litoral Norte, às grandes áreas urbanas de Portugal, à Galiza e Norte da Europa. A estrutura quinhentista está a ser recuperada e adaptada numa ampla quinta rural com raízes históricas que remontam ao ano de 1296, época de D. Dinis. O investimento privado, que conta com o apoio do Município de Vila Verde, está já em desenvolvimento acelerado e promete tornar-se “uma referência em território nacional e um destino de excelência para a realização de grandes eventos /congressos e para o acolhimento de turistas de diferentes pontos do globo que procuram turismo de sensações”, como fez questão de referir o

12 // 28 Novembro 2013

Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, numa visita à obra.

“O ARROJO DO INVESTIMENTO” Em causa está um empreendimento de elevada qualidade, com avultado valor de investimento, resultante do restauro de uma casa e torre quinhentista, designação primitiva “Torre de Gomariz”, em vias de classificação pelo IGESPAR (Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico). O projecto, que está implantado numa vasta área inserida em zona rural de elevado valor natural, enquadra um centro de convenções/ congressos, com capacidade para 300 pessoas, um restaurante, assim como zona de relaxamento, spa, piscina interior e exterior, bar e um museu do vinho para pequenas provas. Acompanhado da vereadora da tutela do turismo, Júlia Fernandes,

o Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde recordou “o apoio incondicional do município desde a primeira hora que nos foi solicitado o acompanhamento técnico, pareceres e licenciamentos, entre outros”. O autarca sublinha “o arrojo do investimento, a visão de recuperar e valorizar um importante património histórico e transformá-lo em espaço turístico de topo e a determinação em concretizar um projecto diferenciador e com capacidade para conquistar um espaço importante na oferta turística da região e do País”. Refira-se que o empreendimento está a ser promovido por um médico natural da Freguesia de Cervães, José Silva Couto, Chefe do Serviço de Ginecologia do IPO de Coimbra, e pelo seu irmão, proprietários do espaço, “com veia para a vertente empresarial”, que apostam na requalificação e valorização de um património pertencente à família.


“Namorar Portugal” ultrapassa a fronteira Concurso Criadores de Moda 2014 apresentado em Santiago de Compostela O desafio foi lançado pela Vereadora da Educação, Cultura e Acção Social do Município de Vila Verde aos jovens criadores/estilistas de moda espanhóis. Júlia Fernandes convidou-os a apresentarem peças de vestuário que aliem os tradicionais Lenços de Namorados às novas tendências da moda e a marcarem presença no Concurso Internacional de Criadores de Moda 2014. O repto foi lançado em Santiago de Compostela, na Galiza - Espanha, no âmbito da consolidação da estratégia de internacionalização da iniciativa “Namorar Portugal”. Na sessão de apresentação do Concurso Internacional de Criadores de Moda participaram ainda Santiago Riande, diretor da EASD Mestre Mateo, Elisa González, diretora do departamento de Desenho de Moda. Na presença da Coordenadora da Cooperativa Aliança Artesanal, Paula Isaías, e dos responsáveis pela na Escola de Arte e Superior de Desenho Mestre Mateo, a

Vereadora destacou o trabalho desenvolvido por algumas instituições vilaverdenses na recuperação e valorização da tradição dos Lenços de Namorados e, nos últimos anos, a utilização dos motivos dos lenços a diversos produtos de alta costura, faiança, jóias, decoração do lar, entre outros. Liderada pela vereadora da cultura Júlia Fernandes, a representação do município de Vila Verde teve a oportunidade de evidenciar o sucesso da aposta do concelho na promoção dos Lenços de Namorados como produto diferenciador da identidade local e grande fator de dinamização económica, social e cultural.

ESTRATÉGIA DE INTERNACIONALIZAÇÃO Esta presença em Espanha, com um atelier ao vivo, incorpora a estratégia do município de Vila Verde de estender aos estilistas e desenhadores de moda espanhóis

o desafio de conceber peças de vestuário que aliem os tradicionais Lenços de Namorados às novas tendências da moda. “É um projeto que tem sido desenvolvido no âmbito do programa “Namorar Portugal” e que tem envolvido a adesão de grandes nomes da moda nacional”, destacou. O concurso, tal como foi concebido, culmina com o desfile de moda que ocorre anualmente na noite de S. Valentim, a 14 de fevereiro, em Vila Verde. “Numa estratégia de internacionalização do Namorar Portugal, o município de Vila Verde pretende lançar bases junto dos diferentes agentes ligados à produção de moda em Espanha sobre as caraterísticas e especificidades dos seculares Lenços de Namorados, como elementos de tradição e arte com potencial único de inspiração de obras contemporâneas”. Juntamente com a vereadora Júlia Fernandes, a representação vilaverdense integrou a diretora da Cooperativa Aliança Artesanal, Paula Isaías, e duas bordadeiras, que demonstraram o trabalho de preservação da tradição e produção dos Lenços de Namorados, com as escritas de amor bordadas a linha nos panos de linho conforme as mulheres dos séculos XVII, XVIII e XIX exprimiam os seus sentimentos. Para além das bordadeiras, foi dinamizada uma montra de produtos “Namorar Portugal”, como resultado das parcerias existentes com o Município de Vila Verde e sustentadas na marca Namorar Portugal e nos Lenços de Namorados, destacando-se a linha de chocolates “Namorar

Portugal”, o serviço de chávenas da Vista Alegre, a linha têxtil-lar da Lameirinho, as carteiras da Footnote, os sapatos da RSTIVALI, a linha de produtos Bicho Bravo, o mobiliário e a linha de joias da casa Flamingo. Esta ação promocional visou promover o Namorar Portugal além fronteiras, contribuindo para a notoriedade do Concurso Internacional de Criadores de Moda, integra o projeto “Centro de Dinamização Artesanal-Aliança Artesanal”, promovido pelo Município de Vila Verde e aprovado no âmbito da EEC PROVERE MINHO-IN, do Programa Operacional Regional do Norte/ ON2.

28 Novembro 2013 //

13


/ TERRAS DE BOURO

Bienal na Escola “Pedaço do 2013 está no Gerês” promove terreno gastronomia do “Vila Verde – Município concelho Educador” é o lema

Está no terreno a edição de 2013 do projecto “Bienal na Escola”, sob o lema genérico “Vila Verde – Município Educador” enquadrado na adesão ao projecto de âmbito nacional das “Cidades (vilas) Educadoras”. A apresentação aconteceu na Biblioteca da Escola Secundária. “Estamos a criar oportunidades para o aparecimento de jovens criadores/ artistas”, sustentou o Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, no decurso da apresentação. “Os edifícios são importantes para uma boa educação, uma aposta que ganhamos nos últimos anos, mas é importante saber usá-los em favor de uma educação mais larga, mais ampla e diversificada, a favor do saber e do conhecimento em toda a sua latitude”, assinalou o autarca de Vila Verde, que fez questão de sublinhar que “o município tem gente que tem ajudado a criar esta perspectiva e a lançar novos desafios, sempre acolhidos com grande receptividade por parte dos agrupamentos”.

16 // 28 Novembro 2013

Tal como em anos anteriores, em todas as escolas de Vila Verde serão realizados diversos ateliers sob supervisão do director artístico, Luís Coquenão, do presidente da D`Arte, Maciel Cardeira, e do artista convidado Albuquerque Mendes. Estas acções vão decorrer nas escolas e nos espaços de trabalho dos artistas. No quadro do projecto para 2013, a Vereadora da Educação, Júlia Fernandes, lança o repto no sentido de que, no final da acção, “possa haver um logótipo que identifique Vila Verde como cidade educadora”. E deixou algumas directrizes: “o projecto abarca três vértices: tradição, inovação e criatividade, tendo como base a educação”. O presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, não tem dúvidas de que “este é mais um projecto diferenciador e, mais uma vez, que queremos ser uma referência para outros municípios, como tem acontecido noutras áreas”.

`“Uma excelente forma de atrair visitantes e desenvolver a economia local através da marca que marca o concelho, o Gerês”. As palavras são de Joaquim Cracel, presidente da Câmara de Terras de Bouro, que presidiu à apresentação do novo prato-ícone da gastronomia terrabourense: “Pedaço do Gerês”. No âmbito do programa “PROVE” e numa iniciativa organizada pela APHORT e pela Autarquia local, foi apresentado à comunicação social, aos empresários do ramo e outras entidades, a nova aposta. Na cerimónia, Joaquim Cracel, enalteceu o trabalho desenvolvido pela APHORT – Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo, e agradeceu o empenho de todos os que se dedicaram na conceção do novo símbolo da gastronomia terrabourense. O presidente executivo da APHORT, António Condé Pinto, agradeceu a forma acolhedora como o Município de Terras de Bouro recebeu a proposta de criação deste nova oferta gastronómica, sendo certo que “a gastronomia cria riqueza e desenvolve a economia através de um trabalho muito importante que foi realizado ao criar um equilíbrio perfeito entre a tradição e a modernidade gastronómica”. A apresentação do prato foi conduzida pelo conceituado chefe José Vinagre, que participou na fase final da conceção da receita oficial. O novo prato é composto por carne de vitela, acompanhado de vários produtos da região - cebolinhas da serra caramelizadas com mel

silvestre, tomatinhos confitados, migas de broa de milho com couve e toucinho fumado. O prato permite que seja adaptado de acordo com o gosto dos clientes, mantendo-se de acordo com o objectivo. Na apresentação, os responsáveis fizeram questão de referir que o novo prato não vai fazer concorrência ao já conhecido Cozido à Terras de Bouro. A iguaria agora apresentada é menos sazonal, permitindo ser confeccionada durante todo o ano. “O Pedaço do Gerês vai conviver com o Cozido à Terras de Bouro”, garantiu Joaquim Cracel.

“PEDAÇO DO GERÊS” “Este prato significa um equilíbrio entre a tradição, através da utilização de produtos regionais, e o compromisso com a modernidade”, defendeu Condé Pinto, presidente da APHORT.


Gerês entre os melhores destinos para 2014 O município de Arcos de Valdevez, bem como todos os restantes municípios que integram o Parque Nacional da Peneda Gerês e ainda os municípios que integram o Parque Natural Baixa Límia Serra do Xurés, do lado Galego, foram recentemente classificados pela UNESCO como Reserva Natural da Biosfera o que, só por si, é indicativo da riqueza ambiental, paisagista e de biodiversidade do território e da importância que tal assume no contexto nacional e internacional, ao nível de espaço classificados e de espécies protegidas. O Parque Nacional da PenedaGeres foi classificado pela Trivago como sendo o nono melhor destino, dentre os 100 melhores, para 2014 na vertente qualidade preço. Esta classificação “é motivo de orgulho” já que Arcos de Valdevez integra no seu território uma parte significativa desta área protegida,

única no contexto português e único com esta classificação em Portugal - no concelho de Arcos de Valdevez, o PNPG, ocupa uma área aproximada de 13 mil hectares, ocupando cerca de 30% do território municipal e representa cerca de 19 % do total da área do PNPG.

PORTUGAL NO TOP MUNDIAL Portugal é o quinto país do mundo com mais entradas na lista dos 100 melhores destinos para 2014 da trivago, na vertente qualidadepreço, segundo o mesmo “ranking”.

Depois do Gerês seguem-se Peniche (59º), Braga (69º), Figueira da Foz (73º), Vila Nova de Milfontes (86º) e Ericeira (95º). No topo da tabela está Aït-Ben-Haddou, cidade fortificada no interior de Marrocos, tendo sido considerado o destino em que o valor acrescentado por cada euro gasto é maior. O Trivago explica que na globalidade, Portugal apresenta um desempenho “invejável no ranking dos destinos mais valioso para 2014, sobretudo se se tiver em conta as suas dimensões”. Numa mistura de história e cultura, juntamente com a envolvência natural única na Europa, a “hospitalidade local e o custo de vida reduzido conduzem Portugal a uma posição de destaque no turismo mundial de 2014”.

Centro Municipal de Valências assinalou Dia Nacional da Prevenção do Cancro da Mama Outubro é o mês internacional de Prevenção de Cancro da Mama, sendo 30 de outubro o Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama. Para assinalar a data, o Município de Terras de Bouro, através do Centro Municipal de Valências desenvolveu um conjunto de atividades com o objectivo de sensibilizar para esta problemática. Foram distribuídos folhetos informativos da doença, para alertar para a importância da prática do auto-exame, realização

de exames de diagnóstico e realização de consultas médicas. Foram, também, realizadas sessões de enfermagem, sessões de quiromassagem e de manicura. Esta iniciativa ficou marcada pelo elevado número de participantes que mobilizou para esta causa, já que passaram pelo Centro Municipal de Valências várias dezenas de senhoras e meninas do concelho.

28 Novembro 2013 //

17


Vila acolheu Feira de São Martinho 2013

No fim de semana de 8 a 10 de novembro, o Município de Terras de Bouro organizou na sede do concelho, a “Feira-Mostra de São Martinho”. À semelhança de anos anteriores, o evento pretendeu divulgar e valorizar as potencialidades económicas, turísticas e culturais de Terras de Bouro e do Gerês. Além de expositores com atividades variadas que se concentraram no centro da sede do concelho, na Avenida Dr. Paulo Marcelino e no Largo Padre Martins Capela, o acontecimento teve, na temática da animação, a música tradicional e popular e jogos quinhentistas, sem esquecer as desfolhadas, o tradicional magusto, uma palestra sobre o mel das serras do Gerês e uma caminhada, além da já usual e

18 // 28 Novembro 2013

sempre muito concorrida corrida de cavalos. De destacar também, paralelamente ao evento, a apresentação oficial e promocional, no âmbito do Programa PROVE, do prato gastronómico “Pedaço do Gerês”, atividade organizada pela Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT) e pela Câmara Municipal de Terras de Bouro. No âmbito das demonstrações oficiais, destaque também para o Plano de Valorização Turística de Terras de Bouro, documento fundamental para o desenvolvimento da região terrabourense, elaborado no âmbito do Projeto ÁQUA Cávado pela empresa NML. Proj. e Des. Turísticos.

VALDOSENDE

Crianças celebraram Halloween O Centro de Solidariedade Social de Valdosende, concelho de Terras de Bouro, celebrou o dia de Halloween. A iniciativa foi promovida pelo centro de solidariedade no âmbito da actividade extra curricular de Inglês. Os mais novos foram, assim, incentivados a assinalar uma efeméride que tem grande tradição em Inglaterra. Para comemorar este dia, as crianças de todas as salas que frequentam o Centro de Solidariedade Social de Valdosende foram vestidas a “rigor”: bruxas, fantasmas, vampiros, abóboras, entre outros, num ambiente

de euforia e entusiasmo percorreram as diferentes valências da instituição, em busca de algo doce e em troca - para quem não lho desse pregava-lhe um susto. Ainda no âmbito desta actividade de animação extra-curricular, os pais foram convidados a ornamentar abóboras que decoraram a recepção da instituição criando um ambiente verdadeiramente “assustador”.

Magusto no Centro de Solidariedade Social Foi num ambiente de grande entusiasmo e animação que no passado dia 11 de Novembro, crianças e idosos assinalaram o dia de magusto no Centro de Solidariedade Social de Valdozende. O já esperado “Verão de S. Martinho” veio ajudar à festa realizando-se a tradicional

fogueira no exterior das instalações, para se assar as castanhas na fagulha. À volta da fogueira crianças e idosos cantaram e dançaram e alguns familiares também se juntaram à festa.


Amares

Prozelo homenageou anterior executivo Foi em clima de festa que mais de cem pessoas homenagearam e se despediram do anterior executivo da junta de freguesia de Prozelo, liderado Filomena Araújo. A iniciativa aconteceu no passado dia 2 de Novembro e deixou os elementos da junta emocionados com o carinho demonstrado pelas pessoas. A mentora da homenagem foi Cacilda Lírio que, na ocasião, lembrou que “este grupo trabalhou muito pela freguesia, sempre se interessou por Prozelo”. A homenageada da noite, Filomena Araújo, estava naturalmente emocionada com a iniciativa. Sensibilizada, lembrou os “dezasseis anos de trabalho contínuo”, assumindo ser “gratificante ver este grupo de pessoas reunido”. “Foi uma vida dedicada à freguesia, sempre concentrada nas pessoas e nos problemas da localidade”, afirmou. No final, todos desejaram que o actual executivo faça um bom trabalho na freguesia. Filomena Araújo teve ao seu lado Cristóvão Gomes como secretário da junta, Domingos Pinheiro como tesoureiro e João Martins como presidente da Assembleia de Freguesia.

Vila Verde

“Museu do Linho em Marrancos” recebe visitas

Um grupo de vinte utentes da “Em Diálogo – Associação para o Desenvolvimento Social da Póvoa de Lanhoso ” visitou o Museu do Linho de Vila Verde, equipamento instalado na antiga escola primária de Marrancos e inaugurado em Setembro. Em breve, o espaço vai avançar com uma programação de visitas de estudo de escolas do concelho e externas de diferentes graus de ensino. A visita do grupo da Póvoa de Lanhoso abriu com uma breve apresentação sobre o concelho de Vila Verde, realçando os mais variados aspetos do seu património cultural, entre eles, as origens do linho no Concelho e na Região. Abarcando, também, as origens do linho no país e no mundo. Seguidamente, os visitantes foram convidados a passar para a sala multimédia, onde foi visionado um filme sobre as diversas fases de trabalho do linho, desde a sementeira, até ao tear. Após esta visualização, a visita decorreu pelo diverso espólio exposto, com explicação da função de cada peça. No final, proporcionou-se uma troca de experiências entre todos os presentes, que recorreram às memórias do passado. A visita ao Museu do Linho terminou em alegre convívio com todos os participantes a entoarem cantigas sobre o linho, no caso dos visitantes que vivenciaram aquelas práticas. Uma forma de recordar, com alguma nostalgia, mas, também, com muita alegria, muitos anos de trabalho.

Amares

Biblioteca Municipal celebrou 1º aniversário A Biblioteca Municipal de Amares celebrou o seu primeiro aniversário. A data foi assinalada no passado dia 10 de Novembro, em ambiente de festa. Para comemorar, a biblioteca esteve aberta ao público, entre as 10h e as 17h, e apresentou, durante a tarde, o conto infantil “Os músicos de Bremen”, dos irmãos Grimm, que encantou os mais novos. Recorde-se que a Biblioteca Municipal foi inaugurada no dia 10 de novembro de 2012, após a reconstrução e adaptação do edifício dos antigos Paços do Concelho.

28 Novembro 2013 //

19


BRAGA

Investigadora da UMinho distinguida pela NASA e ESA A investigadora Ângela Abreu, do Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho, foi premiada pela Agência Aeroespacial NorteAmericana (NASA) e pela Agência Espacial Europeia (ESA), por um processo inovador e muito eficiente de produção biológica de hidrogénio. A cientista portuguesa teve a Melhor Apresentação Oral do “Workshop Internacional sobre Ambiente e Energias Alternativas”, que decorreu num dos polos da ESA, em Frascati, Itália. Ângela Abreu ganhou ainda uma bolsa “travel grant” da Fundação LusoAmericana para o Desenvolvimento. O trabalho distinguido, “Biohydrogen production using bionanocoatings for immobilizing highly efficient hydrogen-producing bacteria”, tem a colaboração da Universidade da Carolina do Norte (EUA) e o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia. A equipa de investigação utiliza bactérias altamente eficientes, que conseguem decompor os resíduos orgânicos e, desta forma, produzir bio-hidrogénio. Esta reação decorre em laboratório num reator anaeróbio (com ausência de oxigénio), adaptado ao ecossistema destas bactérias. Uma grande mais-valia do projeto é a imobilização das bactérias nos reatores através de um revestimento de latex com nanoporos que permite a troca da matéria orgânica e do hidrogénio.

BARCELOS

CAMINHA

Autarquia aprova descida do IMI e do IRS O executivo vai baixar os impostos aos caminhenses. O Município vai assumir as despesas e abdicar de cerca de 200 mil euros da receita do IMI e de cerca de 300 mil euros da receita proveniente do IRS. No total, o Município vai deixar de arrecadar para os cofres da autarquia um valor estimado em 500 mil euros, em benefício dos orçamentos das famílias do concelho e do comércio local. Segundo Miguel Alves, as propostas apresentadas para a descida da taxa do IMI basearam-se em vários fatores, nomeadamente nas dificuldades que o Município e o país estão a atravessar. Sobre esta matéria, o autarca realçou que o executivo olhou para esta situação com preocupação e apostou numa proposta equilibrada, mas ao mesmo tempo arrojada, “não podemos aumentar o orçamento das famílias, podemos diminuir a carga fiscal das famílias caminhenses e racionalizar as despesas autárquicas”. Assim, em Caminha a fixação da taxa do IMI desceu de 0,4% para 0,36% para os prédios urbanos avaliados nos termos do C.I.M.I. Também foi criada uma nova modalidade, que consiste na redução até 50% da taxa do IMI nos prédios classificados como de interesse público, de valor municipal ou património cultural. Para além da descida da taxa do IMI, o executivo vai igualmente descer a participação variável do IRS para 2%, o que significa que o Município vai abdicar de cerca de 300 mil euros em prol das famílias caminhenses.

Município fornece pequenos-almoços aos alunos e apoia famílias carenciadas A Câmara Municipal de Barcelos volta a fornecer pequenos-almoços às crianças e jovens que frequentam as escolas do 1.º ciclo, uma medida de apoio social relevante que vai já no seu segundo ano e que pretende apoiar as famílias carenciadas. A promoção do reforço alimentar visa assegurar uma alimentação equilibrada e adequada às necessidades da população escolar e começou a ser desenvolvida pelo Município de Barcelos no ano letivo 2012-2013, através do estabelecimento de protocolos com instituições sociais e juntas de freguesia que executam o programa de fornecimento de pequenos almoços. No âmbito das suas funções sócio-educativas, o Município reforça, assim, o apoio social às famílias mais carenciadas, promove o combate à exclusão e abandono escolar e assegura condições de igualdade de oportunidades às crianças e jovens do concelho.

20 // 28 Novembro 2013


FUTEBOL

João Salgueiro é o novo treinador do Terras de Bouro João Salgueiro é o novo treinador da AD Terras de Bouro. O selecionador da Associação de Futebol de Braga foi o eleito para substituir Francisco Nascimento, que não resistiu aos sucessivos maus resultados averbados pela sua equipa. De acordo com fonte do clube, terá sido Francisco Nascimento a pedir a demissão do comando técnico do Terras de Bouro, no final da derrota com o FC Amares. A decisão foi aceite pela direção do clube, liderada por Miguel Rodrigues que caracteriza o treinador como um “homem com H grande”. “Sabemos que não era

uma questão de falta de empenho ou de qualidade, mas sim o reflexo de muito azar, castigos e lesões”, afirmou o dirigente. “Abandonou o cargo para dar a vez a alguém com mais sorte que possa devolver as vitórias ao clube”, acrescentou. A ligação de Francisco Nascimento ao clube terrabourense chega ao fim dois anos e meio depois. . O presidente do clube, Miguel Rodrigues, garante que o Terras de Bouro tinha “vários nomes em cima da mesa”, mas nem hesitou por não estar em “posição para fazer experiências”. “A experiência

de João Salgueiro e o seu currículo dizem tudo. Era o homem certo. Temos que ir atrás dos resultados e dos pontos. Só lhe pedimos trabalho sério. Agora, é preciso que a sorte nos ajude um pouco também”, defendeu o dirigente. Miguel Rodrigues lembra que “o novo treinador subiu todas as equipas por onde passou”. “No nosso caso, neste momento, não se vislumbra um objetivo fácil, mas jogo a jogo, tentaremos alcançar os pontos necessários”, apontou.

TAEKWONDO

ARMANDO CONTRATADO Atletas pradenses PELO DUMIENSE de taekwondo convocados para a Seleção Nacional Armando, avançado vilaverdense de 42 anos, é reforço do Dumiense até ao final da temporada. O experiente jogador aceitou um novo desafio na sua já longa carreira, depois de, na época passada, ter vestido as cores do FC Amares. O avançado veste, assim, mais uma camisola numa carreira que já conta mais de vinte anos. Armando Santos encontravase, de momento, livre de clube e mantinha-se em forma com treinos realizados com o plantel do Lanhas. Armando conta que aceitou o desafio “porque se trata de uma equipa que está a competir na Pró-Nacional”. “Como tal, era um ótimo aliciante para mim”, acrescentou. Armando acredita poder ser útil à formação bracarense. “No atual momento da minha carreira, competir esta época era extremamente importante. Ainda tenho muito para dar ao futebol e vou mostrar isso mesmo.

Quero ajudar a equipa a subir na tabela classificativa e a atingir o objetivo da manutenção. Nos últimos quatro anos, arranquei sempre já com o campeonato em andamento e acabei por ser dos melhores marcadores de cada um desses campeonatos e das próprias equipas que representei. Aqui, irei tentar repetir os bons indices”, lembrou. Ao longo da sua carreira, Armando foi várias vezes o melhor marcador do clube onde jogou e, não raras vezes, também dos campeonatos que disputou. Notas de destaque para as performances obtidas ao serviço do Moreirense, onde se sagrou melhor marcador da II Liga nacional, e do Vilanovense onde se afirmou como melhor marcador da II Divisão B. Ao serviço do Sintrense e do Merelinense afirmou-se, também, várias vezes como o melhor marcador da III Divisão nacional.

Os atletas da equipa de Taekwondo do Grupo Desportivo de Prado, Rui Tiago Silva, na categoria -80 kg, e Ricardo Gomes, na categoria -87 kg, foram convocados pela Seleção Nacional para o Campeonato Europeu Universitário, a disputar em Moscovo, na Rússia, de 21 a 25 de novembro. Rui Tiago Silva é atleta de competição de combates do escalão sénior. Já deteve o título de Campeão Nacional de combates e junta ao seu currículo diversos pódios de 2º e 3º lugar na maior competição do panorama nacional. Além disso, acumula presenças no pódio de diversas competições internacionais. Junta, ainda, diversos títulos em

provas prestigiadas do taekwondo português. Já Ricardo Gomes é também ele atleta de competição de combates escalão sénior. Junta ao seu currículo os títulos de vice-campeão nacional de combates Sub-21, e diversos 3º lugares alcançados na maior prova do panorama nacional. Sagrou-se já vencedor de torneios nacionais como Open da Nazaré e Open da cidade da Guarda. Para os responsáveis da direção do GD Prado, esta convocatória mais não é do que “o reconhecimento do excelente trabalho realizado por estes atletas e pelo seu técnico”. “É um grande orgulho ver atletas do nosso clube neste patamar”, adiantam os dirigentes pradenses

28 Novembro 2013 //

21


ANDEBOL

“devolver o ABC à

cARLOS RESENDE LUTA PELA PROMOÇÃO DA MODALIDADE Carlos Resende. Dois nomes que dizem muito do andebol português. Considerado por muitos o melhor português de sempre, o atual treinador do ABC/Uminho recusa o estatuto e diz-se feliz pelo que conquistou. Em entrevista ao Praça Local lançou um olhar sobre a carreira, sobre o clube bracarense e sobre a modalidade. Confessa que o andebol português está a perder força, mas acredita na reviravolta. Praça Local: Porquê o andebol? Carlos Resende: O andebol surgiu por um acaso. Um dos amigos do meu pai era um indivíduo que dava muito de si a um clube e convidoume para ir fazer uns treinos. Como ainda era muito novo passei por todas as etapas. A primeira foi a da curiosidade, depois a da amizade e, por último, a da paixão. PL: Quando estava na fase da formação alguma vez pensou chegar a um nível tão exigente? CR: Não! Na fase dos dezasseis anos deu-me um clique e vi que, de facto, podia fazer do andebol a minha profissão e, a partir daí, trabalhei muito para tentar ser um dos melhores. PL: Até ao momento conquistou 23 títulos contabilizando os da formação, como jogador e treinador! É possível destacar um? CR: É muito complicado. Todos eles tiveram um sabor especial, ora porque foram conquistados pela primeira vez ou pela sua dificuldade. O que convém não esquecer é que todos eles são efémeros e não podemos viver agarrados ao que conquistamos, mas ao que ainda queremos conquistar. PL: Tendo como base tudo aquilo que ganhou considera-se um monstro do andebol? CR: Considero-me, sim, alguém que gosta muito do andebol e que prevê estar ligado à modalidade durante muitos anos. O gosto pelo andebol já passou, inclusive, para as minhas filhas que adoram ver e jogar.

22 // 28 Novembro 2013

PL: De acordo com aquilo que foi o seu percurso enquanto jogador nunca saiu para clubes europeus! Foi fácil resistir? CR: Eu resisti num contexto completamente diferente. Na altura não se falava em crise e apostavase no desporto em geral. Hoje em dia pelo que se paga aqui, aí sim, já compensa ir lá para fora. Por outro lado, jogando em Portugal tive o prazer de defrontar as melhores equipas europeias e a algumas delas vencê-las. Fui, inclusive, por duas vezes o melhor marcador da Liga dos Campeões. Ou seja eu tinha este contexto comigo, embora jogasse em Portugal tinha ao meu lado alguns dos melhores da altura. PL: Se fosse possível que análise é que o Carlos Resende treinador

faria do Carlos Resende seu jogador?

de equipa”! Suponho que seja um motivo de orgulho para si…

CR: Sem qualquer falsa humildade eu hoje tenho a noção que era muito fácil ter um jogador como eu no plantel!

CR: Não! Nós quando agimos da forma que é a nossa postura não estamos à espera que digam isso porque trata-se da nossa personalidade. Nunca tomo uma atitude a pensar que as pessoas vão ou não gostar. Tomo-a porque me faz sentir bem.

PL: Porquê? CR: Por aquilo que jogava, mas mais por aquilo que representava no balneário. Felizmente existem muitos outros jogadores assim e eu tenho alguns desses. Eu era um jogador que gostava do treino, que raramente me queixava, daqueles a que o treinador pedia para abrandar um bocadinho. PL: Recolhi várias declarações de outros jogadores que o caracterizavam como um “jogador

PL: Representou o ABC e o FC Porto durante muitos anos! Afinal, qual é o seu clube? CR: O clube do coração é o FC Porto. O ABC é mais do que um clube profissional e gosto muito deste emblema por dois motivos: primeiro porque joguei e treinei cá e depois porque é um clube só de andebol.


ANDEBOL

Europa do andebol” ORÇAMENTO FAZ A DIFERENÇA PL: E é fácil defrontar o FC Porto? CR: Jogar contra o FC Porto é difícil não porque eu gosto do clube, mas pela sua qualidade. PL: Visto por que conhece bem os dois clubes quais são as principais diferenças entre um e outro? CR: O orçamento e o pavilhão! PL: Considera que o ABC está a perder ritmo para os três grandes? CR: O ABC está a perder dinheiro para os três grandes… e o orçamento é mais reduzido. PL: Jogou no clube bracarense entre 1994 e 2000 e voltou agora como treinador. O clube está muito diferente? CR: A diferença é o orçamento! Há coisas positivas como o facto de hoje em dia ter um espaço disponível para a formação, mas, ao mesmo tempo, há uns anos atrás o ABC tinha três estrangeiros e um deles foi um dos melhores jogadores que tive oportunidade de ver jogar, que foi o Tchikoulaev. Há uns anos contratou um treinador altamente credenciado e hoje tem um treinador que durante o dia dá aulas e à noite vem treinar. Não há orçamento para que as coisas sejam diferentes. PL: O último Campeonato Nacional conquistado foi em 2007! O próximo poderá ser em 2014? CR: O nosso objetivo não passa por aí. Há clubes que dispõe de outras condições e que são candidatos a esse título. Nós somos um outsider.

Não tendo como definido esse objetivo não abdicaremos caso seja exequível. Convém, no entanto, esclarecer que o grande objetivo desta época é devolver o ABC à Europa do andebol.

PERFIL

FUTSAL ESTÁ A ROUBAR TERRENO AO ANDEBOL PL: Portugal continua a ser uma boa escola de andebol? CR: Portugal continua a lutar com imensas dificuldades, nomeadamente na formação, e por força da diminuição de orçamentos das suas principais equipas tem perdido a sua capacidade de estar presente nas grandes competições que lhe daria uma outra visibilidade e um outro nível competitivo. Só para ter uma ideia desde 2006 que Portugal não vai a nenhuma participação europeia. Para ter outra ideia já há 12 anos que nenhuma equipa portuguesa estava presente na Liga dos Campeões e este ano está lá o FC Porto. São dados que nos permitem chegar a uma conclusão. PL: Como está o andebol face às outras modalidades? CR: Diria que nós perdemos espaço que o futsal foi ganhando. Na minha opinião isto é fruto de um problema que nós – pessoas do andebol - criamos com a divisão entre a Federação e a Liga. A par disto é o problema económico que ainda não conseguimos resolver. Somando isto tudo perdemos algum espaço para o futsal que vem ganhando protagonismo. Quanto às outras modalidades estão no mesmo barco retirando de lá, naturalmente, o futebol.

Carlos Alberto da Rocha Resende nasceu a 29 de Maio de 1971, em Marvila, Lisboa. É, para muitos, considerado um dos melhores andebolistas de sempre, tendo representado apenas dois clubes a nível sénior: o FC Porto e o ABC de Braga. Licenciado em Gestão do Desporto (ISMAI), Carlos Resende é docente universitário e treinador com o grau Master Coach (FAP). Está, atualmente no comando do ABC de Braga. Como atleta conquistou 7 Campeonatos Nacionais, 5 Taças de Portugal, 1 Supertaça e 3 Taças da Liga. Ao serviço da selecção nacional obteve 250 internacionalizações e participou por quatro vezes em grandes competições internacionais. Em 2000 foi eleito o melhor lateral esquerdo do Europeu da Croácia e foi-lhe atribuída a medalha de mérito desportivo. Começou a sua carreira como treinador em 2006, no FC do Porto, logo depois de ter terminado a sua carreira como jogador. A aventura nos azuis e brancos começou com a conquista da Taça de Portugal, ganha por 19-18, numa final frente ao grande rival, o Benfica. Em 2011, dois anos depois de ter deixado o FC Porto, aceitou um convite do ABC de Braga para treinar os minhotos e assinou por 2 épocas. Nos dois anos em que esteve parado, Carlos Resende decidiu apostar na sua carreira académica, tendo-se tornado professor de andebol na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto e de gestão de desporto no Instituto Superior da Maia.11 É desde 2011 o treinador do ABC de Braga.

28 Novembro 2013 //

23


HÓQUEI EM PATINS

O PUTO MARAVILHA QUE JÁ É CAMPEÃO EUROPEU

Nasceu a 12 de Janeiro de 1997. Tal como Carlos Loureiro muitos outros bebés nasceram no mesmo dia. As outras histórias não conhecemos, mas asseguramos que a de Carlos é especial. Por ser especial começa agora mesmo a ser contada. Desde muito novo, Carlos Loureiro deixou claro que queria fazer desporto. Estava-lhe no sangue. Nos primeiros tempos de atleta viu na natação algo que o completava. No entanto, a ligação não foi longa. A natação perdeu um atleta dedicado e hóquei

24 // 28 Novembro 2013

em patins ganhou um campeão europeu sub-17. A natação tem que culpar a tia que o arrastou das piscinas para o pavilhão das Goladas. Carlos Loureiro confessa que o contacto com os patins não foi amor à primeira vista. Foi mais uma ‘paixoneta’ que hoje em dia se transformou num “amor eterno”. Não restam dúvidas que a escolha entre a natação e o hóquei em patins não tirou o sono ao atleta do Hóquei Clube de Braga. Já veste a camisola do clube bracarense vai para onze anos,

mas afiança que desde a chegada dos treinadores André Torres e Vítor Silva tudo mudou para melhor. “Com a chegada destes dois treinadores a mentalidade do clube mudou. Há uns tempos competíamos por diversão, hoje em dia queremos ganhar. Há uma mentalidade mais profissional e vencedora”, diz. Época após época, o internacional português tem dado nas vistas. Normalmente, até treina com a equipa do escalão acima. Tanto é que a sua dedicação e qualidade levaram-no a Madrid para

representar a Seleção Nacional no Campeonato da Europa de Hóquei em Patins em sub-17. Até fazer parte do grupo final teve que ser sujeito a duas provas onde passou com boa nota. A boa performance no torneio inter-associações colocou-o no cinco ideal que lhe deu um passaporte para um estágio com a equipa Nacional.


CICLISMO

Fermentões consagrou Campeões do Minho de Ciclocrosse

O galego Mauro González e a campeã portuguesa Isabel Caetano venceram o Ciclocrosse de Fermentões, primeira etapa da Taça de Portugal de Ciclocrosse disputada na Quinta do Loureiro Velho, Fermentões. Na prova que também atribuiu os títulos de Campeões do Minho de Ciclocrosse - Reclamos Vitória sagraram-se campeões minhotos Vítor Santos e Isabel Caetano em elites, André Moreira (juniores), João Rocha (cadetes), Rogério Matos (master A), António Sousa (master B), Joaquim Sá (master C) e Liliana Lopes (master femininas). Organizada conjuntamente pela Associação de Ciclismo do Minho e pela Federação Portuguesa de Ciclismo, o Ciclocrosse de Fermentões foi disputado na Quinta Loureiro Velho que integra o Centro Equestre Loureiro Velho e em cuja área e em terrenos contíguos foi delineado o circuito que consagrou os Campeões do Minho e os vencedores da primeira de cinco etapas da Taça de Portugal. As condições proporcionadas pela Quinta Loureiro Velho – que em janeiro de 2012 acolheu o Campeonato Nacional de Ciclocrosse - permitiram delinear uma pista de ciclocrosse bastante elogiada, apesar de dura, que permitiu aos muitos espetadores acompanharem de perto o desenrolar da prova.

Publicado no Praça Local, Ed. 417, de 28 de Novembro de 2013

Mauro González (TB Transportes/ Salvaterra de Miño) dominou completamente a corrida de elites, destacando-se da concorrência logo na primeira volta, conquistando, em solitário, um triunfo que não teve contestação. O campeão português e vencedor da Taça de Portugal na época passada, Vítor Santos (Candibyke/Interdesign/ Xarão), não foi capaz de alcançar o galego, mas sobressaiu entre os demais, terminando a prova destacado na segunda posição. O campeão nacional de cross country olímpico, Mário Costa (ASC/Bike Zone), fechou o pódio. A corrida de elite feminina foi mais renhida, com uma disputa acesa entre Isabel Caetano (CSM Epinay) e Ana Rita Vigário (LA AlumíniosAntarte). A campeã portuguesa conseguiu isolar-se na entrada para a última volta, conquistando uma vantagem que conseguiu controlar até cortar a meta, deixando Ana Rita Vigário no segundo posto. A galega Chus Barros (CC Spol) bateu a portuguesa Joana Monteiro (ASC/ Bike Zone) na luta pelo terceiro lugar.  O melhor júnior foi André Moreira (Candibyke/Interdesign/Xarão), enquanto João Rocha (Rodabike/ ACRG/Gondomar) suplantou os cadetes masculinos. A galega Zaida González (CC O Rosal) é a primeira líder em cadetes femininas.

28 Novembro 2013 //

25


VIEIRA DO MINHO “Picasso em Ferro” na casa museu Adelino Ângelo A Câmara Municipal de Vieira do Minho inaugurou, na Casa Museu Adelino Ângelo, uma exposição itinerante constituída por 19 esculturas, réplicas de obras do famoso e emblemático artista Pablo Picasso. A mostra vai estar patente ao público até ao próximo dia 30 de Dezembro. Com esta exposição, o Município de Vieira do Minho associa-se à divulgação da obra deste ousado artista autodidata que faz do ferro a alma da sua criação, e que neste momento está a percorrer os municípios da zona norte de Portugal. Na exposição de esculturas em ferro do escultor Plácido Souto são exibidas diversas peças realizadas em ferro e em vários materiais reciclados.

FAMALICÃO

Exposição de fotografia Pepe Brix até Dezembro “Nepal, a verticalidade do silêncio” é o título da exposição que está patente na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. Trata-se de um ensaio sobre o comprimento do silencio, de Pepe Brix. “O teor resplandecente do silêncio que corre os veios da ilha, contempla uma importante vontade de viajar. A ilha consente todos os espaços que evocam a dúvida e dá-nos tempo para polir a lucidez. O âmago de quem a olha tranquilamente de dentro para fora guarda as sementes nela colhidas. Os montes verdes, as planícies amarelas, o silêncio do mar fossilizado nas entranhas da orla costeira e a imensidão da gente que habita esse pedaço de terra, mantém vivo o pulsar da vereda expansiva”. Patente até 21 de Dezembro; a entrada é livre.

26 // 28 Novembro 2013

Guimarães “LIÇÕES DE ESCURIDÃO” NO CCVF “Lições da Escuridão” é o título da exposição que marca o segundo ciclo expositivo do Centro Internacional das Artes José de Guimarães. Mais do que uma exposição, “Lições da Escuridão” é o mote para a nova e alargada montagem do Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG). Prosseguindo e atualizando o enquadramento programático do CIAJG, explanado com a exposição inaugural “Para além da História”, a nova montagem permite não só rever os ex-libris da coleção de José de Guimarães, obras oriundas de instituições emblemáticas da cidade de Guimarães, renovando parcerias tão frutuosas, como também descobrir novas peças de outros artistas contemporâneos, portugueses e estrangeiros. Uma exposição patente até 31 de Dezembro.

JAPÃO 1997 NO CCVF Esta exposição de António Júlio Duarte é composta por uma série de impressões fotográficas selecionadas a partir de um vasto corpo de trabalho fotográfico que data de 1997 e que nos é também apresentado sob a forma de provas de contacto. Ao incluir as provas de contacto no contexto expositivo, António Júlio Duarte faz, pela primeira vez, um tratamento pormenorizado e abrangente de uma parte essencial da sua obra, estruturando o seu visionamento e avaliação a partir não apenas dos seus resultados finais, mas também do seu trabalho preparatório de pesquisa, montagem e decisão com intencionalidade artística. As fotografias de António Júlio Duarte não nos impõem um único regime de observação, nem um só método de interpretação; são vestígios de uma reestruturação individual, ao serviço do imaginário de cada observador. As imagens são transfigurações devoradas pelo seu próprio sentido, uma construção frágil, íntima e misteriosa, como se, por cima de cada uma, pairasse um corpo estranho e fantasmático que a envolve e a redefine. Até 22 de Dezembro, no Palácio Vila Flor, em Guimarães.

BARCELOS

Exposição de azulejos de Ana Campos no Museu de Olaria Está patente até 8 de dezembro, na sala de entrada do Museu de Olaria, uma exposição de azulejos intitulada “Olhar +”, da artista Ana Campos. São cerca de três dezenas de trabalhos, definidos assim pela autora: “A sedução pelos jogos de cor, pela intensidade dos vidrados, pelo reflexo e a luz. Assim se cria uma relação. Multiplicase o olhar!”. A exposição foi inaugurada no dia 9 de novembro e contou com a presença da vereadora do Pelouro da Cultura, Elisa Braga, e da autora. Os trabalhos podem ser vistos de terça a sexta-feira, das 10h00 às 18h00 e aos sábados e domingos das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00. A entrada é livre.


BRAGA Carlos do Carmo no Theatro Circo A comemoração de 50 anos de carreira de Carlos do Carmo é um momento especial para a cultura portuguesa. São 50 anos de êxitos em Portugal e no mundo inteiro. Não terá sido por acaso que Carlos do Carmo foi nomeado Embaixador da candidatura que elevou o Fado a Património da Humanidade. Uma vida dedicada à música que se iniciou em 1963 e que construiu um dos percursos mais sólidos e consistentes do panorama artístico português. O concerto no Theatro Circo é uma oportunidade única para partilhar com o público muitos dos seus temas marcantes que fazem parte do imaginário de todos os portugueses. Para assistir, no dia 14 de Dezembro, a partir das 21h30.

Feira do Livro reforça vertente cultural

A edição 2013 da Feira do Livro de Braga está à porta e promete várias novidades culturais para miúdos e graúdos. Este ano, a Feira do Livro de Braga reforçará o seu programa com um Festival Cultural que reunirá várias associações culturais, escolas de música e grupos de teatro de Braga. A 22.ª edição da Feira do Livro, atualmente a única feira do livro do Norte do País, decorre de 29 de novembro a 8 de dezembro, no Parque de Exposições de Braga (PEB), e prevê chegar aos 80 mil visitantes. Peças de teatro, momentos musicais e de poesia, tertúlias, exposições de pintura e saraus farão parte da agenda cultural da Feira do Livro, que contará ainda com a parceria de várias entidades associativas de Braga, entre as quais Braga+, Casa do Professor, INATEL, JovemCoop, Rusgas de S. Vicente, Sinos da Sé, Synergia, Tin.Bra e Velha-a-Branca. Em 2012, a Feira do Livro de Braga contou com a presença de 70.000 visitantes, entre os quais 6.000 crianças. Em 78 horas de exposição, realizaram-se 47 eventos e 33 espetáculos, entre tertúlias, horas do conto, apresentação de novos livros e autores, peças de teatro e momentos musicais.

28 Novembro 2013 //

27


Praça Local 417  

Jornal Regional de Amares Vila Verde e Terras de Bouro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you