Page 1

Do liceu à faculdade… Do liceu à faculdade Vai o passo d’um anão 1

Mais vale seguir direito Do que andar em contramão…

Dos pátios e zonas verdes Levo lembranças felizes Nesta Escola onde cresci 2

Decerto criei raízes…

Uma escola aristocrata Pelo nome da patrona 3

Uma escola democrata Que o sucesso ambiciona!

Quantos anos? Quantos foram? 2,3,4, 6…12… 4

Passaram num turbilhão, De tudo, o que ficou? Muito estudo ou emoção?


Professores graves e sérios, 5

Meigos, doces e quiméricos, Duros, frios, de olhar cirúrgico, Vibrantes de sonho e alegres!

Colegas- a melhor partePorque só tem bons amigos 6

Quem é leal e tem arte Pr’a dizer, mesmo doendo, A verdade mesmo que mate!

Letras, desenhos e nºs Equações e trampolins 7

E no Bar, cachorros quentes, Quando as notas são ruins!

Sandes de atum- tão gostosas, Queijos frescos apaladados, 8

Já nem falo das bifanas, Com molhos variegados…


Se queria manter a linha 9

Tinha a sopa bem quentinha, E as senhoras da cantina Sempre a empurrar a frutinha!

E a D. Emília – que calmaTranquila até mais não, 10

Aguentava valente As bichas que se formavam!

E as rotinas do bom estudante? 11 Livros novos a estrear! Um ar um pouco pedante Quando o 20 estralejar!

Mochilas companheironas Pelas alças a quebrar 12

Porque andar a aprender Não é mole, faz vergar !


No 7º, aprofundar as ciências naturais, Não chamar bicho à baleia, 13 Nem às bactérias… vegetais, Ter de tudo uma noção… e discutir com os pais!

No 8º, olho-me ao espelho, Ai meu Deus, que vou fazer ? 14

E aquela borbulha doida que não pára de crescer?

Será que há espaço para mim No grupo a que não pertenço? 15 Eu só quero é afirmar-me, Ter uma voz e gritar !

Como a letra da canção, 16 Mas sempre a desafiar: “ Já não há estrelas no céu a dourar o meu caminho,

(Todos os profs.)


por mais amigos que tenha, sinto-me sempre sozinho. De que vale ter a chave de casa para entrar ter uma nota no bolso para cigarros e bilhar? A Primavera da vida É bonita de viver, Tão depressa o sol brilha Como a seguir, tá a chover Para mim hoje é Janeiro e está um frio de rachar Parece que o mundo inteiro se uniu para me tramar!

No 8º …são os átomos, 17 São os átomos e os sais Estudo muito acompanhado História em doses que tais…


Ai o 9º, o ano nove,

18 Tantas fadigas e brigas Tanto Camões para amar, E lá no topo de tudo, Os exames para passar!

Ufa! Que trabalheira! Sujeitar-me ao veredicto De uma pauta traiçoeira

19 E aos castigos dos pais…

Ir para férias! Pensar… Mas antes de pôr-me ao sol Olhar com olhos de ver

20 o plano curricular!

Tantos cursos, tantas horas E qual escolher afinal?

21

Ainda me sinto confuso Sei lá eu o que vou querer

Pr’a vida profissional!


E os pais que não se calam: “Vai para isto, vai pr’aquilo!” 22 Quem diz aos senhores adultos Que a pressão faz rebentar?

Será que escolhi por mim Ou me deixei pressionar? 23 Que o curso que a gente escolhe Deve poder acabar !

Agora que conto 10 Já não quero andar para trás! 24 Quero é passar a tudo Com + do que satisfaz!

Que maçada e que desgosto…

25 A média a estragar os planos… JÁ não posso namorar, Conviver com os amigos Ir a jantares, festas de anos…


Que raio de sociedade

26 Esta onde a gente vive Competir já nesta idade Até traz a psoríase!

E agora que aqui cheguei Estão-me sempre a repetir:

27

“ Força, coragem, alento! E de tantas vezes isto ouvir Eu até sei que aguento!

E pr’acabar esta festa

28 Quero jurar pelo alto Que mesmo que eu desanime E mesmo que o negro venha…

Ó Escola Marquesa de Alorna, O bom filho à casa torna!


Ana Salema

Set_09_Dia do Diploma  
Set_09_Dia do Diploma  

Texto dito pelos professores presentes na cerimónia da entrega do Diploma no dia 11 de Setembro de 2009

Advertisement