Page 1

ano 1 | número 3 | outubro-novembro-dezembro 2008 | distribuição gratuita

otg

negócios

Área de TI sofre com a falta de profissionais

ESPORTE

RICARDO MAURÍCIO É CAMPEÃO DA STOCK CAR 2008 TURISMO

Conheça as dicas de turismo para o final do ano OTG

Portfólio OTG evolui para facilitar o atendimento ao cliente

CRISE MUNDIAL Joelmir Beting aponta as perspectivas para 2009


editorial

A

Magazine OTG deste mês é uma edição especial para nós, pois marca o encerramento de um ano de muitos desafios e conquistas. A ousada iniciativa de formar um Grupo de Tecnologia da Informação, composto pelas empresas UX Open, IS Open e IT Open, foi o principal deles. Em 2008, a formação do Grupo se concretizou e com isso passamos a oferecer a mais ampla linha de serviços. Para nós, a possibilidade de agregar mais valor ao negócio e para os clientes, a possibilidade de contar com o maior número de serviços prestados em uma única empresa. Outro marco deste ano é o lançamento da Magazine OTG, que além de agregar muito valor à nossa marca, criou um canal de comunicação com nossos clientes e parceiros. Com a revista formamos um elo com o mercado e passamos a ser responsáveis pela divulgação das novidades deste segmento. Assumimos a responsabilidade de manter um canal de comunicação de forma séria, ética e transparente. Para 2009 nossa meta é dar continuidade nessa ferramenta de comunicação e assim consolidar a marca OTG. No mercado nosso objetivo é melhor atuar como parceiro, com transparência e comprometimento, na redução de custos em TI, no mercado nacional, oferecendo soluções customizadas aos clientes, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da empresa e dos colaboradores. Boa Leitura!

Sede Alphaville - 11 4134.2200 Alameda Itaperucu, 625 Ed. Metrópole Office | 6º andar | Salas 621 a 626 Alphaville Industrial | São Paulo | SP | 06454-080

EXPEDIENTE

Sede Sorocaba - 15 2102.2600 Rua Hermelino Matarazzo, 1355 Além Linha |­­ Sorocaba | SP | 18080-001 Magazine OTG Revista bimestral da OTG

ÍNDICE

Andre Machado – diretor

4 6

Contato marketing@otg.com.br

12

Jornalista Responsável Juliana Casagrande - MTB 47.811/SP juliana.casagrande@arisa.com.br

Projeto Gráfico e Diagramação Caio Tezoto - 15 9714.2765 caio.tezoto@gmail.com

Impressão Gráfica Paratodos Tiragem desta edição 2 mil exemplares

Novidade

14

Visita Diretor HP

Abrace

16

Capa Caio Tezoto Fotografia Elson Yabiku

Portfólio

13

Textos Jacqueline França e Juliana Casagrande Revisão Renato Monteiro

Carreira

7

Diretor executivo Andre Machado Produção Arisa Comunicação www.arisa.com.br

Entrevista com Joelmir Beting

17

Stock Car

Virada

18

Sono


editorial

A

Magazine OTG deste mês é uma edição especial para nós, pois marca o encerramento de um ano de muitos desafios e conquistas. A ousada iniciativa de formar um Grupo de Tecnologia da Informação, composto pelas empresas UX Open, IS Open e IT Open, foi o principal deles. Em 2008, a formação do Grupo se concretizou e com isso passamos a oferecer a mais ampla linha de serviços. Para nós, a possibilidade de agregar mais valor ao negócio e para os clientes, a possibilidade de contar com o maior número de serviços prestados em uma única empresa. Outro marco deste ano é o lançamento da Magazine OTG, que além de agregar muito valor à nossa marca, criou um canal de comunicação com nossos clientes e parceiros. Com a revista formamos um elo com o mercado e passamos a ser responsáveis pela divulgação das novidades deste segmento. Assumimos a responsabilidade de manter um canal de comunicação de forma séria, ética e transparente. Para 2009 nossa meta é dar continuidade nessa ferramenta de comunicação e assim consolidar a marca OTG. No mercado nosso objetivo é melhor atuar como parceiro, com transparência e comprometimento, na redução de custos em TI, no mercado nacional, oferecendo soluções customizadas aos clientes, contribuindo para o desenvolvimento sustentável da empresa e dos colaboradores. Boa Leitura!

Sede Alphaville - 11 4134.2200 Alameda Itaperucu, 625 Ed. Metrópole Office | 6º andar | Salas 621 a 626 Alphaville Industrial | São Paulo | SP | 06454-080

EXPEDIENTE

Sede Sorocaba - 15 2102.2600 Rua Hermelino Matarazzo, 1355 Além Linha |­­ Sorocaba | SP | 18080-001 Magazine OTG Revista bimestral da OTG

ÍNDICE

Andre Machado – diretor

4 6

Contato marketing@otg.com.br

12

Jornalista Responsável Juliana Casagrande - MTB 47.811/SP juliana.casagrande@arisa.com.br

Projeto Gráfico e Diagramação Caio Tezoto - 15 9714.2765 caio.tezoto@gmail.com

Impressão Gráfica Paratodos Tiragem desta edição 2 mil exemplares

Novidade

14

Visita Diretor HP

Abrace

16

Capa Caio Tezoto Fotografia Elson Yabiku

Portfólio

13

Textos Jacqueline França e Juliana Casagrande Revisão Renato Monteiro

Carreira

7

Diretor executivo Andre Machado Produção Arisa Comunicação www.arisa.com.br

Entrevista com Joelmir Beting

17

Stock Car

Virada

18

Sono


CAPA

J o e l mir B e t i n g

e vamos emendar mais uns quatro ou cinco anos em um outro ciclo de prosperidade global e o Brasil é um dos mais favorecidos por isso.

A crise financeira global e consequentemente a valorização do dólar assombram todos os segmentos do mercado. Para saber quais são as perspectivas para 2009, a Magazine OTG entrevistou o jornalista e conferencista no Brasil e exterior Joelmir Beting. Magazine OTG No mercado de Tecnologia da Informação, até que o dólar se estabilize, como se adequar à atual situação financeira do mundo? Joemir Beting - Essa situação não se sustenta. Ela é uma bolha e toda bolha cambial explode. O ideal é, em dezembro, refazer todos os contatos, todos os planos, até porque é época de planejamento. É ligar os faróis de milha para 2009 e tocar o bonde na estrada, principalmente porque não se pode projetar essa bolha cambial para a economia brasileira do ano que vem. Essa crise de crédito é uma fase da crise, e ela não pode perdurar por mais 90 dias. Quando o crédito estiver retomado volta tudo como era antes: a economia volta a crescer 4% no mundo, 36% nos EUA e 5 ou 6% no Brasil. 4 | MAGAZINE OTG

Magazine OTG Como fica o mercado de TI nessa crise? J.B. O mercado de TI tem luz própria. O mundo está se informatizando, está se digitalizando e esse mercado tende a continuar crescendo, no mundo, ao redor de 14% e, no Brasil, uma média de 24% ao ano. Quer dizer, é um mercado que no Brasil dobra a cada três anos, uma coisa espetacular. Magazine OTG É possível fazer uma projeção para 2009? J.B. Neste ano temos um PIB (Produto Interno Bruto) de 5,5% com esse “soluço cambial” e essa questão de crédito pode baixar para 5,2% ou repetir o ano passado, que foi 5,4%. Ou seja, ficaremos 5%, sobre 5%, sobre 5%. Está maravilhoso, a gente dobra

o PIB somente a cada doze anos. Magazine OTG Haverá a necessidade de uma intervenção do Governo Federal até a estabilidade da economia? J.B. O governo vai intervir sobre o mercado que já está sobre intervenção há 25 anos. O mercado financeiro está congelado, tanto que o crédito no Brasil é um terço do PIB e fora é o PIB inteiro. Essa crise foi produzida por farra de crédito. A economia mundial está em um ciclo de prosperidade como nunca antes, teve agora um contrapé produzido pelo sucesso e não pelo fracasso. Esse sucesso chama-se farra de crédito. Quando você tem excedente econômico quer dizer que a riqueza já foi formada. Nesse caso teremos o renascimento desse processo todo

Magazine OTG Essa crise pode ter propiciado um amadurecimento na economia, principalmente na liberação de crédito? J.B. No caso do Brasil não. Nós estamos fazendo uma liberação a conta-gotas e, com essa crise, está se forçando um pouco mais, então nós vamos fechar o ano com 40% do PIB, não mais 35% e a caminho de 45% para 2009. Essa é a lógica certa, até pelas condições do Brasil, de ter a solidez do sistema financeiro e pela gestão de risco do sistema financeiro dá para fazer crédito de 60% do PIB até 2010 ou 2012. Se colocarmos metade do PIB para financiar o PIB, a economia vai aumentar consideravelmente, é essa a condição. Ninguém tem a reserva de potência bancária que o Brasil tem. É um elástico que só falta ser puxado. Magazine OTG Diante de tudo isso, o que o brasileiro pode esperar do nosso país? J.B. Você fica assustado com o potencial que está à nossa disposição. No agreste nordestino, por exemplo, vamos implantar, daqui quinze ou vinte anos, vários projetos que estão sendo encomendados, um deles é um pomar de 20 milhões de dólares para sucos engarrafados e importados. O mundo agora descobriu a fruta, o suco. As frutas gostam do semiárido, muita água e pouca chuva.

Magazine OTG Quando colheremos os resultados desses projetos? J.B. Em 2020 ou 2030, mas atenção, a China vem para cá fazer compras nas grandes cooperativas. Ela paga um pouco menos e a gente ganha mais, pois a intermediação é retirada, incluindo a intermediação da bolsa de Chicago. Além disso, do seu fundo de dois trilhões de dólares de reservas, a China reserva 10% para uso no Brasil, mas só quando o Brasil criar juízo e montar as marchas reguladoras adequadas com garantia de segurança jurídica de contrato. Magazine OTG É possível a formação de uma aliança? J.B. Sim, é disso que estão falando. Um processo que já está sendo desencadeado: o Brasil e China 2030. Essa condição já está pesando nos gabinetes lá fora. Onde o Brasil entra está arrebentando, porque vamos continuar fazendo, com um terço do custo deles, coisa melhor que eles fazem para alimentação humana, alimentação industrial e energia. Magazine OTG Dá para encarar o Brasil 2030? J.B. Não dá. Então é melhor não abrir a porta. Eles estão preocupados com 2030 e não com 2008. Brasil e China é modo de dizer, porque está todo mundo vindo para cá. O mundo vem fazer o Brasil aqui, por isso que estou dizendo, chegou a nossa vez. Magazine OTG O que é preciso para não perder essa chance? J.B. É necessário fazer uma reforma tributária adequada, uma reforma

“O mercado financeiro está congelado, tanto que o crédito no Brasil é um terço do PIB e fora é o PIB inteiro”

previdenciária e uma reforma política. Até mesmo um acerto nas agências reguladoras, porque vivemos praticamente um “apagão” institucional e temos que resolver. Magazine OTG A educação também deve ser reformada? J.B. Esse é outro ponto fundamental. É um grande desafio que a Ásia encarou e já ganhou: fazer a transformação pela educação. Antes disso, temos que fazer a revolução na educação. O nosso sistema educacional é anacrônico e degradável, ele está de costas para o Brasil, para o futuro e para o mundo. Estamos montando mais uma geração que não conta com uma escola de boa qualidade. Magazine OTG A educação reflete na formação de mão-de-obra? J.B. Sim. Hoje no Brasil temos uma geração que não consegue ler. O profissional deverá estar no seguinte perfil para ter sucesso: ter 30% de talento, 30% de esforço e 40% de caráter. O caráter passou a ser ponto de venda da empresa, do produto e do serviço. É uma grande revolução cultural que está acontecendo, de alcance até político. Magazine OTG Nessa transformação há outros desafios? J.B. Sim. Na década de 80, nós tivemos uma explosão da tecnologia da informação, que acompanhou a explosão da ciência da computação. Na seqüência, ocorreu a globalização da informação em tempo real. Agora máquinas passaram a conversar com máquinas ao redor do mundo e deu-se a primeira linguagem global. Num mundo com mais de 12 mil idiomas apenas um é universal, o código de barras, que é a linguagem das máquinas.

MAGAZINE OTG

|5


CAPA

J o e l mir B e t i n g

e vamos emendar mais uns quatro ou cinco anos em um outro ciclo de prosperidade global e o Brasil é um dos mais favorecidos por isso.

A crise financeira global e consequentemente a valorização do dólar assombram todos os segmentos do mercado. Para saber quais são as perspectivas para 2009, a Magazine OTG entrevistou o jornalista e conferencista no Brasil e exterior Joelmir Beting. Magazine OTG No mercado de Tecnologia da Informação, até que o dólar se estabilize, como se adequar à atual situação financeira do mundo? Joemir Beting - Essa situação não se sustenta. Ela é uma bolha e toda bolha cambial explode. O ideal é, em dezembro, refazer todos os contatos, todos os planos, até porque é época de planejamento. É ligar os faróis de milha para 2009 e tocar o bonde na estrada, principalmente porque não se pode projetar essa bolha cambial para a economia brasileira do ano que vem. Essa crise de crédito é uma fase da crise, e ela não pode perdurar por mais 90 dias. Quando o crédito estiver retomado volta tudo como era antes: a economia volta a crescer 4% no mundo, 36% nos EUA e 5 ou 6% no Brasil. 4 | MAGAZINE OTG

Magazine OTG Como fica o mercado de TI nessa crise? J.B. O mercado de TI tem luz própria. O mundo está se informatizando, está se digitalizando e esse mercado tende a continuar crescendo, no mundo, ao redor de 14% e, no Brasil, uma média de 24% ao ano. Quer dizer, é um mercado que no Brasil dobra a cada três anos, uma coisa espetacular. Magazine OTG É possível fazer uma projeção para 2009? J.B. Neste ano temos um PIB (Produto Interno Bruto) de 5,5% com esse “soluço cambial” e essa questão de crédito pode baixar para 5,2% ou repetir o ano passado, que foi 5,4%. Ou seja, ficaremos 5%, sobre 5%, sobre 5%. Está maravilhoso, a gente dobra

o PIB somente a cada doze anos. Magazine OTG Haverá a necessidade de uma intervenção do Governo Federal até a estabilidade da economia? J.B. O governo vai intervir sobre o mercado que já está sobre intervenção há 25 anos. O mercado financeiro está congelado, tanto que o crédito no Brasil é um terço do PIB e fora é o PIB inteiro. Essa crise foi produzida por farra de crédito. A economia mundial está em um ciclo de prosperidade como nunca antes, teve agora um contrapé produzido pelo sucesso e não pelo fracasso. Esse sucesso chama-se farra de crédito. Quando você tem excedente econômico quer dizer que a riqueza já foi formada. Nesse caso teremos o renascimento desse processo todo

Magazine OTG Essa crise pode ter propiciado um amadurecimento na economia, principalmente na liberação de crédito? J.B. No caso do Brasil não. Nós estamos fazendo uma liberação a conta-gotas e, com essa crise, está se forçando um pouco mais, então nós vamos fechar o ano com 40% do PIB, não mais 35% e a caminho de 45% para 2009. Essa é a lógica certa, até pelas condições do Brasil, de ter a solidez do sistema financeiro e pela gestão de risco do sistema financeiro dá para fazer crédito de 60% do PIB até 2010 ou 2012. Se colocarmos metade do PIB para financiar o PIB, a economia vai aumentar consideravelmente, é essa a condição. Ninguém tem a reserva de potência bancária que o Brasil tem. É um elástico que só falta ser puxado. Magazine OTG Diante de tudo isso, o que o brasileiro pode esperar do nosso país? J.B. Você fica assustado com o potencial que está à nossa disposição. No agreste nordestino, por exemplo, vamos implantar, daqui quinze ou vinte anos, vários projetos que estão sendo encomendados, um deles é um pomar de 20 milhões de dólares para sucos engarrafados e importados. O mundo agora descobriu a fruta, o suco. As frutas gostam do semiárido, muita água e pouca chuva.

Magazine OTG Quando colheremos os resultados desses projetos? J.B. Em 2020 ou 2030, mas atenção, a China vem para cá fazer compras nas grandes cooperativas. Ela paga um pouco menos e a gente ganha mais, pois a intermediação é retirada, incluindo a intermediação da bolsa de Chicago. Além disso, do seu fundo de dois trilhões de dólares de reservas, a China reserva 10% para uso no Brasil, mas só quando o Brasil criar juízo e montar as marchas reguladoras adequadas com garantia de segurança jurídica de contrato. Magazine OTG É possível a formação de uma aliança? J.B. Sim, é disso que estão falando. Um processo que já está sendo desencadeado: o Brasil e China 2030. Essa condição já está pesando nos gabinetes lá fora. Onde o Brasil entra está arrebentando, porque vamos continuar fazendo, com um terço do custo deles, coisa melhor que eles fazem para alimentação humana, alimentação industrial e energia. Magazine OTG Dá para encarar o Brasil 2030? J.B. Não dá. Então é melhor não abrir a porta. Eles estão preocupados com 2030 e não com 2008. Brasil e China é modo de dizer, porque está todo mundo vindo para cá. O mundo vem fazer o Brasil aqui, por isso que estou dizendo, chegou a nossa vez. Magazine OTG O que é preciso para não perder essa chance? J.B. É necessário fazer uma reforma tributária adequada, uma reforma

“O mercado financeiro está congelado, tanto que o crédito no Brasil é um terço do PIB e fora é o PIB inteiro”

previdenciária e uma reforma política. Até mesmo um acerto nas agências reguladoras, porque vivemos praticamente um “apagão” institucional e temos que resolver. Magazine OTG A educação também deve ser reformada? J.B. Esse é outro ponto fundamental. É um grande desafio que a Ásia encarou e já ganhou: fazer a transformação pela educação. Antes disso, temos que fazer a revolução na educação. O nosso sistema educacional é anacrônico e degradável, ele está de costas para o Brasil, para o futuro e para o mundo. Estamos montando mais uma geração que não conta com uma escola de boa qualidade. Magazine OTG A educação reflete na formação de mão-de-obra? J.B. Sim. Hoje no Brasil temos uma geração que não consegue ler. O profissional deverá estar no seguinte perfil para ter sucesso: ter 30% de talento, 30% de esforço e 40% de caráter. O caráter passou a ser ponto de venda da empresa, do produto e do serviço. É uma grande revolução cultural que está acontecendo, de alcance até político. Magazine OTG Nessa transformação há outros desafios? J.B. Sim. Na década de 80, nós tivemos uma explosão da tecnologia da informação, que acompanhou a explosão da ciência da computação. Na seqüência, ocorreu a globalização da informação em tempo real. Agora máquinas passaram a conversar com máquinas ao redor do mundo e deu-se a primeira linguagem global. Num mundo com mais de 12 mil idiomas apenas um é universal, o código de barras, que é a linguagem das máquinas.

MAGAZINE OTG

|5


A região de Sorocaba é um dos exemplos, oferece 377 vagas para apenas 95 interessados

U

m setor do mercado de trabalho com muito espaço a ser explorado. Assim pode ser considerada a tecnologia da informação, área que sofre com a falta de profissionais qualificados para atuar nas vagas oferecidas pelas empresas. Em um dos principais sites do país de ofertas de emprego, o Catho, a região de Sorocaba possui 377 vagas no setor do mercado, mas somente 95 pessoas deixaram seus currículos para análise. “Ainda sofremos a necessidade de encontrar profissionais, pessoas bem preparadas e qualificadas”, explica o diretor executivo do site em Sorocaba, Maurício Micheletti. A tecnologia da informação abrange os setores de informática e telecomunicações. Trata-se de uma área em ascensão que, conforme Maurício comentou, prevê um crescimento de 15% este ano. O diretor lembra que não basta gostar de informática para conseguir um emprego. É necessário se preparar, fazer cursos e faculdade. Num primeiro momento, de acordo com Micheletti, o profissional pode fazer um curso técnico e ingressar no mercado de trabalho, mas precisará, a seguir, ter uma formação superior. “Além disso, a especialização acaba sendo importante para atender setores específicos das empresas”, comenta. Além disso, Micheletti destaca a necessidade de ter o domínio de um segundo idioma, neste caso o inglês. “A maior parte dos manuais técnicos dessa profissão é em inglês”, explica. “Não há como estar bem preparado sem ter acesso a essas informações”, completa. O diretor de canais da HP, Ricardo Brognoli, comenta, por outro lado, que a decisão pela área de TI deve ser tomada logo, se possível no período escolar. “O jovem pode optar pelos cursos técnicos que dão uma bagagem interessante para a tecnologia e depois seguir para uma carreira profissional”, revela. Brognoli dá algumas dicas de cursos superiores que podem ser freqüentados na área. Se a pessoa quiser 6 | MAGAZINE OTG

OTG altera portfólio para torná-lo mais compacto

atuar na área de desenvolvimento de projetos, softwares e hardwares, ela deverá buscar uma carreira mais técnica. Os cursos ideais são ciência da computação ou engenharia da computação. Ele diz ainda que se o interesse for para a área de marketing, vendas ou prévendas sua formação pode ser tanto na área técnica como administrativa. As empresas procuram principalmente pessoas que saibam trabalhar com segurança da informação, sistema de gestão integrada e que tenham conhecimento de software e rede. Já a busca por manutenção de equipamentos é bem menor. Micheletti lamenta que poucas pessoas se preocupem com a qualificação profissional. “Esse problema não é exclusivo da tecnologia da informação, outros setores apresentam dificuldade em encontrar pessoas com o devido preparo”, diz. O diretor da HP comenta também que é importante estar sempre em processo de atualização. Além dos cursos, é preciso ler bastante. “Hoje em dia existe uma infinidade de coisas na internet que permitem estar informado sobre todas as novidades”, encerra. Região é promissora Quem atua na informática não precisa se preocupar em ir muito longe para estar nas melhores cidades para trabalhar. O diretor do Catho comenta que o estado de São Paulo é o mais promissor do setor e que as regiões de Sorocaba e Campinas apresentam muitas vagas. “Basta ter disposição para trabalhar, porque existe urgência para encontrar pessoas.” Além disso, homens e mulheres têm igualdade nessa disputa de vagas. Os empresários não buscam sexo determinado para atuação, basta que a pessoa saiba trabalhar no setor. “O que acontece é que os homens se interessam mais por informática e análise de sistemas”, destaca.

C

omunicar-se com o cliente de forma fácil e rápida, essa é a proposta da OTG. Para isso, a empresa acaba de reformular o seu portfólio, tornando-o mais compacto, mais simples e mais objetivo para o mercado. Segundo o diretor da empresa, André Machado, essa mudança ocorreu por causa do extenso portfólio da OTG, que praticamente abrange todas as áreas do segmento de Tecnologia da Informação.

PORTFÓLIO

CARREIRA

Área da tecnologia da informação sofre com a falta de profissionais

OTG Image agrega renovação tecnológica e redução de custo

A “Dividimos o portfólio em três linhas: a OTG Enterprise, a OTG Image e a OTG Continuity”, explica.

linha OTG Image oferece soluções tecnológicas de imagem e impressão para empresas de todos os portes, focadas na conversão de papel em digital e digital em papel, o que possibilita a renovação tecnológica e consequentemente a redução de custo. A maior produtividade e menor custo resultam da reorganização da infra-estrutura de impressão, atrelando renovação tecnológica, que proporciona mais velocidade e maior disponibilidade de equipamentos, já que essa passa a ser uma das responsabilidades da OTG. Além da redução no custo operacional, a linha OTG Image conta com outro aliado para acabar com o desperdício na impressão, o software de Accounting, que controla o volume de impressões por equipamentos. Com o controle há uma redução de 20% a 25% no volume de impressão.

Além da impressão, a linha OTG Image oferece uma solução exclusiva de digitalização de arquivo seguindo a regulamentação brasileira. Ela possibilita uma mudança completa no processo de armazenamento e controle de documentos. Por meio das soluções GED (Gerenciamento Eletrônico de Documentos) é possível fazer a indexação rápida, segura e eficiente com consulta e pesquisa através da rede, Intranet ou Internet. A redução de custo com essa solução pode ser percebida imediatamente, como redução no volume de papel e no espaço físico, aumento na produção, redução no custo de equipamentos e mão-de-obra. Além disso, ao longo do projeto, outros resultados podem ser percebidos, como segurança na informação e melhoria no processo de tomada de decisão.

MAGAZINE OTG

|7


A região de Sorocaba é um dos exemplos, oferece 377 vagas para apenas 95 interessados

U

m setor do mercado de trabalho com muito espaço a ser explorado. Assim pode ser considerada a tecnologia da informação, área que sofre com a falta de profissionais qualificados para atuar nas vagas oferecidas pelas empresas. Em um dos principais sites do país de ofertas de emprego, o Catho, a região de Sorocaba possui 377 vagas no setor do mercado, mas somente 95 pessoas deixaram seus currículos para análise. “Ainda sofremos a necessidade de encontrar profissionais, pessoas bem preparadas e qualificadas”, explica o diretor executivo do site em Sorocaba, Maurício Micheletti. A tecnologia da informação abrange os setores de informática e telecomunicações. Trata-se de uma área em ascensão que, conforme Maurício comentou, prevê um crescimento de 15% este ano. O diretor lembra que não basta gostar de informática para conseguir um emprego. É necessário se preparar, fazer cursos e faculdade. Num primeiro momento, de acordo com Micheletti, o profissional pode fazer um curso técnico e ingressar no mercado de trabalho, mas precisará, a seguir, ter uma formação superior. “Além disso, a especialização acaba sendo importante para atender setores específicos das empresas”, comenta. Além disso, Micheletti destaca a necessidade de ter o domínio de um segundo idioma, neste caso o inglês. “A maior parte dos manuais técnicos dessa profissão é em inglês”, explica. “Não há como estar bem preparado sem ter acesso a essas informações”, completa. O diretor de canais da HP, Ricardo Brognoli, comenta, por outro lado, que a decisão pela área de TI deve ser tomada logo, se possível no período escolar. “O jovem pode optar pelos cursos técnicos que dão uma bagagem interessante para a tecnologia e depois seguir para uma carreira profissional”, revela. Brognoli dá algumas dicas de cursos superiores que podem ser freqüentados na área. Se a pessoa quiser 6 | MAGAZINE OTG

OTG altera portfólio para torná-lo mais compacto

atuar na área de desenvolvimento de projetos, softwares e hardwares, ela deverá buscar uma carreira mais técnica. Os cursos ideais são ciência da computação ou engenharia da computação. Ele diz ainda que se o interesse for para a área de marketing, vendas ou prévendas sua formação pode ser tanto na área técnica como administrativa. As empresas procuram principalmente pessoas que saibam trabalhar com segurança da informação, sistema de gestão integrada e que tenham conhecimento de software e rede. Já a busca por manutenção de equipamentos é bem menor. Micheletti lamenta que poucas pessoas se preocupem com a qualificação profissional. “Esse problema não é exclusivo da tecnologia da informação, outros setores apresentam dificuldade em encontrar pessoas com o devido preparo”, diz. O diretor da HP comenta também que é importante estar sempre em processo de atualização. Além dos cursos, é preciso ler bastante. “Hoje em dia existe uma infinidade de coisas na internet que permitem estar informado sobre todas as novidades”, encerra. Região é promissora Quem atua na informática não precisa se preocupar em ir muito longe para estar nas melhores cidades para trabalhar. O diretor do Catho comenta que o estado de São Paulo é o mais promissor do setor e que as regiões de Sorocaba e Campinas apresentam muitas vagas. “Basta ter disposição para trabalhar, porque existe urgência para encontrar pessoas.” Além disso, homens e mulheres têm igualdade nessa disputa de vagas. Os empresários não buscam sexo determinado para atuação, basta que a pessoa saiba trabalhar no setor. “O que acontece é que os homens se interessam mais por informática e análise de sistemas”, destaca.

C

omunicar-se com o cliente de forma fácil e rápida, essa é a proposta da OTG. Para isso, a empresa acaba de reformular o seu portfólio, tornando-o mais compacto, mais simples e mais objetivo para o mercado. Segundo o diretor da empresa, André Machado, essa mudança ocorreu por causa do extenso portfólio da OTG, que praticamente abrange todas as áreas do segmento de Tecnologia da Informação.

PORTFÓLIO

CARREIRA

Área da tecnologia da informação sofre com a falta de profissionais

OTG Image agrega renovação tecnológica e redução de custo

A “Dividimos o portfólio em três linhas: a OTG Enterprise, a OTG Image e a OTG Continuity”, explica.

linha OTG Image oferece soluções tecnológicas de imagem e impressão para empresas de todos os portes, focadas na conversão de papel em digital e digital em papel, o que possibilita a renovação tecnológica e consequentemente a redução de custo. A maior produtividade e menor custo resultam da reorganização da infra-estrutura de impressão, atrelando renovação tecnológica, que proporciona mais velocidade e maior disponibilidade de equipamentos, já que essa passa a ser uma das responsabilidades da OTG. Além da redução no custo operacional, a linha OTG Image conta com outro aliado para acabar com o desperdício na impressão, o software de Accounting, que controla o volume de impressões por equipamentos. Com o controle há uma redução de 20% a 25% no volume de impressão.

Além da impressão, a linha OTG Image oferece uma solução exclusiva de digitalização de arquivo seguindo a regulamentação brasileira. Ela possibilita uma mudança completa no processo de armazenamento e controle de documentos. Por meio das soluções GED (Gerenciamento Eletrônico de Documentos) é possível fazer a indexação rápida, segura e eficiente com consulta e pesquisa através da rede, Intranet ou Internet. A redução de custo com essa solução pode ser percebida imediatamente, como redução no volume de papel e no espaço físico, aumento na produção, redução no custo de equipamentos e mão-de-obra. Além disso, ao longo do projeto, outros resultados podem ser percebidos, como segurança na informação e melhoria no processo de tomada de decisão.

MAGAZINE OTG

|7


A

linha OTG Continuty oferece um exclusivo serviço de suporte e manutenção preventiva e corretiva para ambientes de tecnologia da informação, o que possibilita redução de custo e aumento de produtividade. Segundo o especialista da linha OTG Continuity, Eunapio Neto, isso é possível graças à realização de um trabalho constante dentro das corporações. “O acompanhamento freqüente junto ao cliente possibilita a continuidade nas atividades executadas. Isso nos proporciona detectar possíveis falhas antes mesmo delas acontecerem”, explica. O diagnóstico precoce na área de TI é fundamental para empresas de todos os portes. “Com acompanhamento constante, o risco de algum equipamento ficar parado é praticamente nulo, o que, consequentemente, evita redução no faturamento”, acrescenta Neto. A linha OTG Continuity oferece ainda locação e remarketing de equipamentos, com inúmeras vantagens. A locação elimina a necessidade de investimento na aquisição de um equipamento novo, tirando do cliente o ônus da desvalorização ou obsolescência. Já o remarketing facilita negociações em empresas que precisam proteger o investimento feito em hardware e, ao mesmo tempo, necessitam de novas tecnologias para a expansão dos negócios. Com toda essa estrutura, a linha OTG Continuity tem condições de proporcionar soluções customizadas para todos os perfis de clientes com flexibilidade, agilidade e baixo custo, itens que asseguram a entrega de projetos, do mais simples ao mais complexo. Esses diferenciais possibilitam também a arquitetura de novas soluções que se adequam à necessidade do cliente.

8 | MAGAZINE OTG

PORTFÓLIO

PORTFÓLIO

OTG Continuity possibilita redução de custo e aumento na produtividade

Hewitt e OTG mais do que uma relação cliente/fornecedor

C

liente da OTG desde 2004, a Hewitt Associates - multinacional em serviços Outsourcing de Recursos Humanos conta com o suporte técnico na infra-estrutura, soluções de back up, storage de servidores Intel e Risc, além de hardwares, sistemas operacionais e aplicações. A Hewitt é uma empresa totalmente informatizada, com sistemas operacionais bastante críticos, por isso possui um contrato de suporte de sete dias por semana com assistência 24 horas. Com o crescimento da empresa no Brasil houve também a expansão da área de Tecnologia da Informação e esse processo foi todo desenvolvido pela OTG. Segundo Paulo Figueira, da equipe de suporte técnico e infraestrutura da Hewitt, a OTG teve papel significativo em todas as etapas de crescimento da empresa. “Sempre recebemos idéias e sugestões para reduzir o nosso custo e otimizar o nosso ambiente”. Figueira destaca ainda a disposição da OTG em todas as ocasiões que a Hewitt precisou. “Fomos atendidos prontamente em situações que não eram uma obrigação contratual, isso é um grande diferencial”, reconhece. O diretor da empresa, Carlos Raposo, classifica a relação Hewitt e OTG como muito boa e esclarece que a qualidade técnica dos profissionais é fundamental para essa sinergia. “O alto nível dos profissionais nos deixa tranqüilos. Confiamos na equipe do Grupo”. Essa confiança é fundamental para que a Hewitt busque auxílio na OTG em situações emergenciais, visando a recuperação rápida de ambientes. “Incidentes acontecem e, nessas circunstâncias, precisamos de profissionais que resolvam a situação com o menor impacto”, afirma Raposo.

Sobre a Hewitt Associates Com mais de 65 anos de experiência, a Hewitt Associates é pioneira e se destaca mundialmente em serviços de Consultoria e de Outsourcing de Recursos Humanos. A empresa presta serviços de administração de Recursos Humanos para mais de 340 empresas, com milhões de funcionários e aposentados no mundo todo. Localizada em 35 países, a Hewitt emprega aproximadamente 24 mil colaboradores, dos quais 16 mil estão totalmente dedicados ao negócio de Outsourcing.

MAGAZINE OTG

|9


A

linha OTG Continuty oferece um exclusivo serviço de suporte e manutenção preventiva e corretiva para ambientes de tecnologia da informação, o que possibilita redução de custo e aumento de produtividade. Segundo o especialista da linha OTG Continuity, Eunapio Neto, isso é possível graças à realização de um trabalho constante dentro das corporações. “O acompanhamento freqüente junto ao cliente possibilita a continuidade nas atividades executadas. Isso nos proporciona detectar possíveis falhas antes mesmo delas acontecerem”, explica. O diagnóstico precoce na área de TI é fundamental para empresas de todos os portes. “Com acompanhamento constante, o risco de algum equipamento ficar parado é praticamente nulo, o que, consequentemente, evita redução no faturamento”, acrescenta Neto. A linha OTG Continuity oferece ainda locação e remarketing de equipamentos, com inúmeras vantagens. A locação elimina a necessidade de investimento na aquisição de um equipamento novo, tirando do cliente o ônus da desvalorização ou obsolescência. Já o remarketing facilita negociações em empresas que precisam proteger o investimento feito em hardware e, ao mesmo tempo, necessitam de novas tecnologias para a expansão dos negócios. Com toda essa estrutura, a linha OTG Continuity tem condições de proporcionar soluções customizadas para todos os perfis de clientes com flexibilidade, agilidade e baixo custo, itens que asseguram a entrega de projetos, do mais simples ao mais complexo. Esses diferenciais possibilitam também a arquitetura de novas soluções que se adequam à necessidade do cliente.

8 | MAGAZINE OTG

PORTFÓLIO

PORTFÓLIO

OTG Continuity possibilita redução de custo e aumento na produtividade

Hewitt e OTG mais do que uma relação cliente/fornecedor

C

liente da OTG desde 2004, a Hewitt Associates - multinacional em serviços Outsourcing de Recursos Humanos conta com o suporte técnico na infra-estrutura, soluções de back up, storage de servidores Intel e Risc, além de hardwares, sistemas operacionais e aplicações. A Hewitt é uma empresa totalmente informatizada, com sistemas operacionais bastante críticos, por isso possui um contrato de suporte de sete dias por semana com assistência 24 horas. Com o crescimento da empresa no Brasil houve também a expansão da área de Tecnologia da Informação e esse processo foi todo desenvolvido pela OTG. Segundo Paulo Figueira, da equipe de suporte técnico e infraestrutura da Hewitt, a OTG teve papel significativo em todas as etapas de crescimento da empresa. “Sempre recebemos idéias e sugestões para reduzir o nosso custo e otimizar o nosso ambiente”. Figueira destaca ainda a disposição da OTG em todas as ocasiões que a Hewitt precisou. “Fomos atendidos prontamente em situações que não eram uma obrigação contratual, isso é um grande diferencial”, reconhece. O diretor da empresa, Carlos Raposo, classifica a relação Hewitt e OTG como muito boa e esclarece que a qualidade técnica dos profissionais é fundamental para essa sinergia. “O alto nível dos profissionais nos deixa tranqüilos. Confiamos na equipe do Grupo”. Essa confiança é fundamental para que a Hewitt busque auxílio na OTG em situações emergenciais, visando a recuperação rápida de ambientes. “Incidentes acontecem e, nessas circunstâncias, precisamos de profissionais que resolvam a situação com o menor impacto”, afirma Raposo.

Sobre a Hewitt Associates Com mais de 65 anos de experiência, a Hewitt Associates é pioneira e se destaca mundialmente em serviços de Consultoria e de Outsourcing de Recursos Humanos. A empresa presta serviços de administração de Recursos Humanos para mais de 340 empresas, com milhões de funcionários e aposentados no mundo todo. Localizada em 35 países, a Hewitt emprega aproximadamente 24 mil colaboradores, dos quais 16 mil estão totalmente dedicados ao negócio de Outsourcing.

MAGAZINE OTG

|9


A

divisão Enterprise tem como principal objetivo fornecer soluções tecnológicas que dêem suporte não apenas à operação das empresas, como também flexibilidade e agilidade para adaptar as áreas de negócios às mudanças de mercado, assim como apoiar o desenvolvimento de novos serviços e produtos. A necessidade de transmitir a informação de forma ágil e segura vem se tornando cada dia mais essencial. A agilidade de acesso às informações e a maneira como elas são tratadas, possibilitam uma análise e um planejamento mais preciso e rápido às necessidades do momento. A OTG Enterprise conta com um time constantemente treinado e certificado em produtos e soluções HP, Microsoft, Red Hat, VMware e outros grandes players do setor de tecnologia. Essa linha oferece soluções personalizadas, baseadas nas mais recentes tecnologias e conceitos, visando sempre a agilidade, confiabilidade e segurança da corporação, usando a tecnologia a serviço do crescimento dos negócios.

10 | MAGAZINE OTG

PORTFÓLIO

PORTFÓLIO

OTG Enterprise - Tecnologia a favor de seus negócios

Mais do que um contrato, uma parceria de sucesso!

P

restando serviços na área de suporte técnico desde a formação do Carrefour Soluções Financeiras, a OTG é responsável por todo o ambiente de Tecnologia da Informação, o que inclui novas configurações, suporte de hardware e aplicativos de sistemas operacionais. A escolha da OTG deu-se por meio de uma cotação de operações no mercado, vencida pelo Grupo que apresentou a melhor proposta técnica comercial. A forma de trabalho escolhida foi por meio de um contrato de suporte 24 horas por dia e sete dias na semana, com soluções de problemas em até seis horas. Segundo Marcelo Prauchner Duarte, gerente de Infra-Estrutura da empresa, a estrutura funcional, responsável pelas operações de negócios do banco, está sob o suporte da OTG. “O Grupo é um parceiro que está sempre ao lado do cliente e se coloca à disposição para resolver as situações que aparecem, independente do dia e horário.” Para Duarte atuar por meio de contrato com empresas de tecnologia possibilita a atuação com os melhores profissionais, melhor qualidade de serviços prestados e redução de custos. Desde o início das operações, há aproximadamente um ano, o Carrefour Soluções Financeiras já duplicou o tamanho de suas operações de tecnologia e a OTG acompanhou todo o crescimento. Para 2009, está previsto o crescimento de 50% na infra-estrutura da área de Tecnologia da Informação.

Sobre o Carrefour Soluções Financeiras Em maio de 2007, o Grupo Carrefour consolidou sua instituição financeira e passou a proporcionar aos mais de 7 milhões de clientes do Cartão Carrefour, novos produtos e serviços. Surgia a marca Carrefour Soluções Financeiras. Entre as principais vantagens para os clientes estão - além da facilidade de acesso e flexibilidade no horário de funcionamento das lojas Carrefour - a comodidade de diversas soluções financeiras como o próprio Cartão Carrefour, cartões de crédito, diferentes modalidades de seguros, empréstimos pessoais, ofertas exclusivas e condições especiais de parcelamento em toda a rede. Presente em todo o território nacional, o Carrefour Soluções Financeiras* tem como missão ser a melhor opção na oferta e distribuição de produtos e serviços financeiros para o público alvo do Grupo Carrefour. Sobre o Carrefour Há 33 anos no Brasil, o Grupo Carrefour é reconhecido como empresa pioneira no mercado varejista do país. Hoje a rede conta com 770 unidades em 17 estados, atuando com diversos formatos de lojas e uma oferta de serviços que inclui postos de combustíveis, drogarias, serviços financeiros, entre outros. O grupo é líder de mercado no setor supermercadista, com 58 mil funcionários, sendo um dos maiores empregadores do país. No mundo, o Grupo é o segundo maior varejista do mercado, presente em 30 países.

MAGAZINE OTG

| 11


A

divisão Enterprise tem como principal objetivo fornecer soluções tecnológicas que dêem suporte não apenas à operação das empresas, como também flexibilidade e agilidade para adaptar as áreas de negócios às mudanças de mercado, assim como apoiar o desenvolvimento de novos serviços e produtos. A necessidade de transmitir a informação de forma ágil e segura vem se tornando cada dia mais essencial. A agilidade de acesso às informações e a maneira como elas são tratadas, possibilitam uma análise e um planejamento mais preciso e rápido às necessidades do momento. A OTG Enterprise conta com um time constantemente treinado e certificado em produtos e soluções HP, Microsoft, Red Hat, VMware e outros grandes players do setor de tecnologia. Essa linha oferece soluções personalizadas, baseadas nas mais recentes tecnologias e conceitos, visando sempre a agilidade, confiabilidade e segurança da corporação, usando a tecnologia a serviço do crescimento dos negócios.

10 | MAGAZINE OTG

PORTFÓLIO

PORTFÓLIO

OTG Enterprise - Tecnologia a favor de seus negócios

Mais do que um contrato, uma parceria de sucesso!

P

restando serviços na área de suporte técnico desde a formação do Carrefour Soluções Financeiras, a OTG é responsável por todo o ambiente de Tecnologia da Informação, o que inclui novas configurações, suporte de hardware e aplicativos de sistemas operacionais. A escolha da OTG deu-se por meio de uma cotação de operações no mercado, vencida pelo Grupo que apresentou a melhor proposta técnica comercial. A forma de trabalho escolhida foi por meio de um contrato de suporte 24 horas por dia e sete dias na semana, com soluções de problemas em até seis horas. Segundo Marcelo Prauchner Duarte, gerente de Infra-Estrutura da empresa, a estrutura funcional, responsável pelas operações de negócios do banco, está sob o suporte da OTG. “O Grupo é um parceiro que está sempre ao lado do cliente e se coloca à disposição para resolver as situações que aparecem, independente do dia e horário.” Para Duarte atuar por meio de contrato com empresas de tecnologia possibilita a atuação com os melhores profissionais, melhor qualidade de serviços prestados e redução de custos. Desde o início das operações, há aproximadamente um ano, o Carrefour Soluções Financeiras já duplicou o tamanho de suas operações de tecnologia e a OTG acompanhou todo o crescimento. Para 2009, está previsto o crescimento de 50% na infra-estrutura da área de Tecnologia da Informação.

Sobre o Carrefour Soluções Financeiras Em maio de 2007, o Grupo Carrefour consolidou sua instituição financeira e passou a proporcionar aos mais de 7 milhões de clientes do Cartão Carrefour, novos produtos e serviços. Surgia a marca Carrefour Soluções Financeiras. Entre as principais vantagens para os clientes estão - além da facilidade de acesso e flexibilidade no horário de funcionamento das lojas Carrefour - a comodidade de diversas soluções financeiras como o próprio Cartão Carrefour, cartões de crédito, diferentes modalidades de seguros, empréstimos pessoais, ofertas exclusivas e condições especiais de parcelamento em toda a rede. Presente em todo o território nacional, o Carrefour Soluções Financeiras* tem como missão ser a melhor opção na oferta e distribuição de produtos e serviços financeiros para o público alvo do Grupo Carrefour. Sobre o Carrefour Há 33 anos no Brasil, o Grupo Carrefour é reconhecido como empresa pioneira no mercado varejista do país. Hoje a rede conta com 770 unidades em 17 estados, atuando com diversos formatos de lojas e uma oferta de serviços que inclui postos de combustíveis, drogarias, serviços financeiros, entre outros. O grupo é líder de mercado no setor supermercadista, com 58 mil funcionários, sendo um dos maiores empregadores do país. No mundo, o Grupo é o segundo maior varejista do mercado, presente em 30 países.

MAGAZINE OTG

| 11


Diretor de vendas da HP DA América Latina faz reunião de negócio na OTG

VISITA

novidade

HP anuncia fim das vendas de sua linha de servidores RISC em 2008 e evolução para a família HP Integrity Nova linha já está no mercado desde 2003 e proporciona redução de custo, maior confiabilidade e melhor performance

A

HP anunciou este ano a conclusão de sua estratégia de convergência da tecnologia dos processadores em seus sistemas para arquiteturas padrão de indústria, com o fim das vendas dos servidores da linha HP9000, baseados nos seus processadores PA-RISC. Novos servidores ainda podem ser adquiridos até 31 de dezembro deste ano e componentes acessórios e opcionais até 31 de dezembro de 2009. A empresa garante o suporte técnico e serviços de manutenção desta família, no mínimo, até 2013. A notícia é defendida pela líder mundial em TI como um grande passo de evolução na computação de missão crítica que trará inúmeros benefícios aos clientes, pois os servidores HP Integrity, que assumem no portfólio da empresa o lugar dos HP9000, têm grandes melhorias em flexibilidade, desempenho e relação custo/performance, ajudando-os a fazer mais com menos. Na versão atual, estes servidores têm a característica única no mercado de poder executar simultaneamente, de forma nativa (sem máquinas virtuais), até quatro sistemas operacionais: UNIX (HP-UX 11i), Windows, Linux (SUSE ou Red Hat) e OpenVMS. A linha HP Integrity utiliza os processadores Intel Itanium2, com a arquitetura EPIC (Explicit Parallel Instruction Computing), atualmente em sua versão de duplo núcleo on board e previsão breve de lançamento do modelo com quatro núcleos. Segundo Luis Sena, gerente de Marketing dos servidores de missão crítica da HP, graças a esta nova arquitetura e melhorias no chipset, componentes internos e no sistema operacional, os servidores Integrity têm apresentado performances equivalentes às de servidores RISC de velocidade de clock e preços muito mais altos. “O servidor Integrity necessita de apenas cerca de um terço da velocidade de clock, graças aos avanços que introduzimos na sua arquitetura e o melhor aproveitamento do ciclo de máquina na execução de instruções.” diz Sena. “Esta redução da velocidade de clock significa menor consumo de energia e maior dissipação de calor, além de reduzir risco de erros e

12 | MAGAZINE OTG

ociosidade do processador”, completa. Os servidores HP Integrity foram desenvolvidos para mudar o cenário de computação em missão crítica e ser a opção natural para substituição dos equipamentos da família HP 9000 que, por cerca de 20 anos, atendeu a este mercado da HP. Desde o seu lançamento, os servidores Integrity têm oferecido facilidades para os clientes de convivência das duas gerações da tecnologia com suas aplicações. O sistema operacional HP-UX tem compatibilidade binária com ambas as plataformas e os sistemas de porte médio e top de linha suportam em suas células de processamento tanto processadores PA-RISC como Itanium. “O objetivo destes cuidados da HP foi dar aos nossos clientes condições de postergar e planejar com calma o momento de migrar suas aplicações, e garantir o impacto mais próximo do zero possível”, afirma Sena. “Além disso, a migração pode ser uma oportunidade de consolidar a base e reduzir custos operacionais com os servidores mais antigos. O Integrity proporciona uma infra-estrutura confiável para consolidação por ter uma combinação única de escalabilidade, disponibilidade, performance e virtualização a custo extremamente competitivo”, completa o executivo. Os clientes HP que optarem pela migração já contarão com diversas opções de serviços para ajudá-los no processo. HP e Intel mantêm ainda o Programa OMNI, uma iniciativa mundial para fomento à adoção da plataforma Integrity. Os fundos deste programa podem ser solicitados para cobrir total ou parcialmente despesas da migração e “porting” de aplicativos, da implantação e acompanhamento de provas de conceito, da implantação da nova infra-estrutura Integrity e de treinamentos. Mais informações sobre o servidor HP Integrity e o programa HP9000 Evolution podem ser encontradas nos sites relacionados da empresa: www.hp.com/la/hp9000 ou www.hp.com/la/integrity.

N

o dia 14 de outubro, a sede Alphaville da OTG recebeu a visita do Diretor de Vendas Commercial Latin America e Caribe da HP – TSG, Carlos de La Vega e do Gerente de Canais, responsável pelo atendimento da OTG, Alexandre Hogata. Os visitantes foram recebidos pelo diretor comercial da OTG, Silvan Alves, para uma reunião de negócios. Segundo Silvan Alves, oportunidades como essa, possibilitam a construção de um elo entre o canal e a HP de todo o mundo. “A reunião foi excelente. Serviu para posicionar a nossa estratégia de crescimento com a HP e também para falarmos de questões do dia-a-dia. Foi bom também ouvir do representante da HP o atual momento da empresa com seus canais lá fora, e as estratégias de geração de oportunidades bem sucedidas. É uma referência de como podemos fazer melhor por aqui. Foi uma excelente oportunidade para a OTG”, destaca.

MAGAZINE OTG

| 13


Diretor de vendas da HP DA América Latina faz reunião de negócio na OTG

VISITA

novidade

HP anuncia fim das vendas de sua linha de servidores RISC em 2008 e evolução para a família HP Integrity Nova linha já está no mercado desde 2003 e proporciona redução de custo, maior confiabilidade e melhor performance

A

HP anunciou este ano a conclusão de sua estratégia de convergência da tecnologia dos processadores em seus sistemas para arquiteturas padrão de indústria, com o fim das vendas dos servidores da linha HP9000, baseados nos seus processadores PA-RISC. Novos servidores ainda podem ser adquiridos até 31 de dezembro deste ano e componentes acessórios e opcionais até 31 de dezembro de 2009. A empresa garante o suporte técnico e serviços de manutenção desta família, no mínimo, até 2013. A notícia é defendida pela líder mundial em TI como um grande passo de evolução na computação de missão crítica que trará inúmeros benefícios aos clientes, pois os servidores HP Integrity, que assumem no portfólio da empresa o lugar dos HP9000, têm grandes melhorias em flexibilidade, desempenho e relação custo/performance, ajudando-os a fazer mais com menos. Na versão atual, estes servidores têm a característica única no mercado de poder executar simultaneamente, de forma nativa (sem máquinas virtuais), até quatro sistemas operacionais: UNIX (HP-UX 11i), Windows, Linux (SUSE ou Red Hat) e OpenVMS. A linha HP Integrity utiliza os processadores Intel Itanium2, com a arquitetura EPIC (Explicit Parallel Instruction Computing), atualmente em sua versão de duplo núcleo on board e previsão breve de lançamento do modelo com quatro núcleos. Segundo Luis Sena, gerente de Marketing dos servidores de missão crítica da HP, graças a esta nova arquitetura e melhorias no chipset, componentes internos e no sistema operacional, os servidores Integrity têm apresentado performances equivalentes às de servidores RISC de velocidade de clock e preços muito mais altos. “O servidor Integrity necessita de apenas cerca de um terço da velocidade de clock, graças aos avanços que introduzimos na sua arquitetura e o melhor aproveitamento do ciclo de máquina na execução de instruções.” diz Sena. “Esta redução da velocidade de clock significa menor consumo de energia e maior dissipação de calor, além de reduzir risco de erros e

12 | MAGAZINE OTG

ociosidade do processador”, completa. Os servidores HP Integrity foram desenvolvidos para mudar o cenário de computação em missão crítica e ser a opção natural para substituição dos equipamentos da família HP 9000 que, por cerca de 20 anos, atendeu a este mercado da HP. Desde o seu lançamento, os servidores Integrity têm oferecido facilidades para os clientes de convivência das duas gerações da tecnologia com suas aplicações. O sistema operacional HP-UX tem compatibilidade binária com ambas as plataformas e os sistemas de porte médio e top de linha suportam em suas células de processamento tanto processadores PA-RISC como Itanium. “O objetivo destes cuidados da HP foi dar aos nossos clientes condições de postergar e planejar com calma o momento de migrar suas aplicações, e garantir o impacto mais próximo do zero possível”, afirma Sena. “Além disso, a migração pode ser uma oportunidade de consolidar a base e reduzir custos operacionais com os servidores mais antigos. O Integrity proporciona uma infra-estrutura confiável para consolidação por ter uma combinação única de escalabilidade, disponibilidade, performance e virtualização a custo extremamente competitivo”, completa o executivo. Os clientes HP que optarem pela migração já contarão com diversas opções de serviços para ajudá-los no processo. HP e Intel mantêm ainda o Programa OMNI, uma iniciativa mundial para fomento à adoção da plataforma Integrity. Os fundos deste programa podem ser solicitados para cobrir total ou parcialmente despesas da migração e “porting” de aplicativos, da implantação e acompanhamento de provas de conceito, da implantação da nova infra-estrutura Integrity e de treinamentos. Mais informações sobre o servidor HP Integrity e o programa HP9000 Evolution podem ser encontradas nos sites relacionados da empresa: www.hp.com/la/hp9000 ou www.hp.com/la/integrity.

N

o dia 14 de outubro, a sede Alphaville da OTG recebeu a visita do Diretor de Vendas Commercial Latin America e Caribe da HP – TSG, Carlos de La Vega e do Gerente de Canais, responsável pelo atendimento da OTG, Alexandre Hogata. Os visitantes foram recebidos pelo diretor comercial da OTG, Silvan Alves, para uma reunião de negócios. Segundo Silvan Alves, oportunidades como essa, possibilitam a construção de um elo entre o canal e a HP de todo o mundo. “A reunião foi excelente. Serviu para posicionar a nossa estratégia de crescimento com a HP e também para falarmos de questões do dia-a-dia. Foi bom também ouvir do representante da HP o atual momento da empresa com seus canais lá fora, e as estratégias de geração de oportunidades bem sucedidas. É uma referência de como podemos fazer melhor por aqui. Foi uma excelente oportunidade para a OTG”, destaca.

MAGAZINE OTG

| 13


ABRACE

Abrace tem proposta educacional diferenciada para jovens e adultos com deficiência intelectual

A

Abrace - Associação Brasileira para o Adolescente e a Criança Especial – desenvolve um trabalho diferenciado para 40 jovens e adultos portadores de deficiência intelectual, com idade entre 14 e 42 anos, na cidade de São Paulo. Todas as atividades da instituição privilegiam o potencial de cada aluno. Eneida Jungman, coordenadora da Associação, afirma que na Abrace não se fala em limitação e sim em desenvolvimento. Além de trabalhar o potencial de cada um, a Abrace faz questão de acompanhar a dinâmica da sociedade para promover a inclusão social dos deficientes. Essa foi a forma encontrada pela entidade para quebrar os preconceitos e mostrar que essa pessoa com características diferentes é, principalmente, um sujeito a ser escutado, respeitado e capaz de exercer seus direitos como cidadão e participar e usufruir como tal de inúmeras atividades. “Nós fazemos caminhada pelo bairro e passeios ciclísticos nos parques da cidade. Vamos ao cinema, teatro e exposições para também promover a socialização dos deficientes e das pessoas que estão ao nosso redor”, destaca Eneida. Para Rosa Antunes, diretora técnica da entidade, o grande diferencial da Abrace está na qualidade dos seus profissionais. “Todos são contratados, trabalham de forma integrada e desenvolvem um excelente trabalho”, destaca. Albino Nadaes Campos, diretor-executivo, também aponta a autonomia que a coordenadora geral e toda equipe pedagógica têm para trabalhar com os alunos. “Confiamos no trabalho desenvolvido por eles e não interferimos na forma como é executado. Temos ciência que não possuímos o conhecimento técnico para isso.” As oficinas desenvolvidas com os alunos trabalham conceitos pedagógicos por meio da música, teatro, educação física, capoeira, informática, orientação para o trabalho e inclusão no mercado formal, entre outros. Eneida destaca que são estratégias diferentes que condu-

14 | MAGAZINE OTG

“Todo mundo tem condição de se desenvolver, basta um trabalho sério.”

zem ao aprendizado. “A oficina de papel reciclado é desenvolvida por praticamente 100% dos alunos. Cada um trabalha em um processo diferente; a produção é vendida e, além dos jovens vivenciarem situações de comercialização, a renda dos produtos é revertida em novos projetos dentro da instituição”. As empresas interessadas em adquirir produtos reciclados personalizados podem fazer suas encomendas. No final do ano a produção de cartões de natal auxilia no pagamento de despesas pontuais. Conheça a história da Abrace A Abrace é uma instituição sem fins lucrativos fundada em 1989 na cidade de São Paulo. A Associação é fruto da união de um grupo de pais de crianças com deficiência intelectual, que hoje mantém o projeto com a missão de atender de forma integral, jovens e adultos com deficiência intelectual, desenvolvendo programa educacional voltado para a profissionalização, qualidade de vida, inclusão social e exercício da cidadania. Além disso, a Abrace atendeu muitas outras crianças com essas características que, na época, não contavam com a lei de inclusão do aluno com deficiência na escola regular. Hoje, em consonância com esta lei, prioriza o atendimento a jovens e adultos. A entidade ainda não recebe ajuda dos órgãos municipais, estaduais ou federais. Ela arrecada recursos financeiros contando com a colaboração dos alunos, que têm o valor definido de acordo com a renda familiar, doações mensais de associados e as doações pontuais feitas por empresas. Para ampliar o atendimento, a Associação está buscando os registros necessários para que possa contar com subvenções do governo. ABRACE - Associação Brasileira para o Adolescente e a Criança Especial Rua Princesa Isabel, 548 - Brooklin - São Paulo Informações: Tel.: (11) 5093-2311 Fax: (11) 5096-3894 www.associacaoabrace.org.br

Colaboradores da OTG são presenteados com cadernos produzidos na Abrace Com intuito de valorizar as ações sociais e ainda conscientizar toda a equipe sobre a necessidade de construir um novo olhar para a pessoa com deficiência, a OTG entrega neste ano um presente diferente aos seus colaboradores: cadernos artesanais feitos por alunos da Abrace. Segundo o responsável pelo marketing da empresa, Eric Stock, a idéia de presentear os colaboradores com os cadernos tem como principal objetivo estimular a solidariedade em toda a equipe. “É uma forma de multiplicar a cidadania e, ainda, colaborar com uma instituição que desenvolve um trabalho sério”, explica. MAGAZINE OTG

| 15


ABRACE

Abrace tem proposta educacional diferenciada para jovens e adultos com deficiência intelectual

A

Abrace - Associação Brasileira para o Adolescente e a Criança Especial – desenvolve um trabalho diferenciado para 40 jovens e adultos portadores de deficiência intelectual, com idade entre 14 e 42 anos, na cidade de São Paulo. Todas as atividades da instituição privilegiam o potencial de cada aluno. Eneida Jungman, coordenadora da Associação, afirma que na Abrace não se fala em limitação e sim em desenvolvimento. Além de trabalhar o potencial de cada um, a Abrace faz questão de acompanhar a dinâmica da sociedade para promover a inclusão social dos deficientes. Essa foi a forma encontrada pela entidade para quebrar os preconceitos e mostrar que essa pessoa com características diferentes é, principalmente, um sujeito a ser escutado, respeitado e capaz de exercer seus direitos como cidadão e participar e usufruir como tal de inúmeras atividades. “Nós fazemos caminhada pelo bairro e passeios ciclísticos nos parques da cidade. Vamos ao cinema, teatro e exposições para também promover a socialização dos deficientes e das pessoas que estão ao nosso redor”, destaca Eneida. Para Rosa Antunes, diretora técnica da entidade, o grande diferencial da Abrace está na qualidade dos seus profissionais. “Todos são contratados, trabalham de forma integrada e desenvolvem um excelente trabalho”, destaca. Albino Nadaes Campos, diretor-executivo, também aponta a autonomia que a coordenadora geral e toda equipe pedagógica têm para trabalhar com os alunos. “Confiamos no trabalho desenvolvido por eles e não interferimos na forma como é executado. Temos ciência que não possuímos o conhecimento técnico para isso.” As oficinas desenvolvidas com os alunos trabalham conceitos pedagógicos por meio da música, teatro, educação física, capoeira, informática, orientação para o trabalho e inclusão no mercado formal, entre outros. Eneida destaca que são estratégias diferentes que condu-

14 | MAGAZINE OTG

“Todo mundo tem condição de se desenvolver, basta um trabalho sério.”

zem ao aprendizado. “A oficina de papel reciclado é desenvolvida por praticamente 100% dos alunos. Cada um trabalha em um processo diferente; a produção é vendida e, além dos jovens vivenciarem situações de comercialização, a renda dos produtos é revertida em novos projetos dentro da instituição”. As empresas interessadas em adquirir produtos reciclados personalizados podem fazer suas encomendas. No final do ano a produção de cartões de natal auxilia no pagamento de despesas pontuais. Conheça a história da Abrace A Abrace é uma instituição sem fins lucrativos fundada em 1989 na cidade de São Paulo. A Associação é fruto da união de um grupo de pais de crianças com deficiência intelectual, que hoje mantém o projeto com a missão de atender de forma integral, jovens e adultos com deficiência intelectual, desenvolvendo programa educacional voltado para a profissionalização, qualidade de vida, inclusão social e exercício da cidadania. Além disso, a Abrace atendeu muitas outras crianças com essas características que, na época, não contavam com a lei de inclusão do aluno com deficiência na escola regular. Hoje, em consonância com esta lei, prioriza o atendimento a jovens e adultos. A entidade ainda não recebe ajuda dos órgãos municipais, estaduais ou federais. Ela arrecada recursos financeiros contando com a colaboração dos alunos, que têm o valor definido de acordo com a renda familiar, doações mensais de associados e as doações pontuais feitas por empresas. Para ampliar o atendimento, a Associação está buscando os registros necessários para que possa contar com subvenções do governo. ABRACE - Associação Brasileira para o Adolescente e a Criança Especial Rua Princesa Isabel, 548 - Brooklin - São Paulo Informações: Tel.: (11) 5093-2311 Fax: (11) 5096-3894 www.associacaoabrace.org.br

Colaboradores da OTG são presenteados com cadernos produzidos na Abrace Com intuito de valorizar as ações sociais e ainda conscientizar toda a equipe sobre a necessidade de construir um novo olhar para a pessoa com deficiência, a OTG entrega neste ano um presente diferente aos seus colaboradores: cadernos artesanais feitos por alunos da Abrace. Segundo o responsável pelo marketing da empresa, Eric Stock, a idéia de presentear os colaboradores com os cadernos tem como principal objetivo estimular a solidariedade em toda a equipe. “É uma forma de multiplicar a cidadania e, ainda, colaborar com uma instituição que desenvolve um trabalho sério”, explica. MAGAZINE OTG

| 15


TURISMO

ESPORTE

RICARDO MAURÍCIO É o CAMPEÃO DA STOCK CAR 2008

R

Disputa acirrada por conta do playoff marca temporada deste ano

N

uma disputa acirrada, Ricardo Maurício, da confiar no meu trabalho e agradeço a oportunidade que Medley/WA Mattheis (Peugeot), venceu a Stock a empresa me proporcionou. A ajuda e apoio deles duCar 2008 em Interlagos no dia 07 de dezembro, rante o ano foram fundamentais.” Para comentarista Celso Miranda, a Stock Car caiu quando foi disputada a última prova da temporada. A competição deste ano passou por seis estados no no gosto dos brasileiros, que passaram a prestigiar uma competição bem organizada e Brasil, oito cidades diferentes disputada, principalmente de– São Paulo, Brasília, Curiti“A transmissão pela TV Globo é a pois da implantação playoff. ba, Santa Cruz do Sul, Campo comprovação de que a categoria já “Hoje nós temos duas compeGrande, Rio de Janeiro, Londrina e Viamão. estava consolidada, mas isso trouxe tições dentro de uma. Na primeira parte, o piloto tem que Para o jornalista especialiresultados ainda maiores, como o trabalhar muito para chegar ao zado em automobilismo, Celso aumento do público nas etapas” playoff e, depois, para ganhar o Miranda, a Stock Car se concampeonato.” solida a cada ano e com isso A criação do playoff estimula o torcedor, pois não há atrai cada vez mais pilotos de alto nível. “Muitos pilotos deixam de correr nas competições internacionais para vantagem entre as equipes. Todas correm o risco de ficar de fora da final e as pequenas podem mostrar o seu participar da Stock Car”, explica. Miranda associa todo esse crescimento à organização trabalho. Os horários da competição também são elogiados da competição, que deixou de ser um evento regional e se consolidou em nível nacional, conquistando assim a pelo jornalista. “As corridas aos sábados permitem que a confiança de empresas renomadas que passaram a pa- pessoa faça outras programações nos fins de semana.” Outro ponto destacado pelo comentarista foi a criatrocinar o evento. A OTG foi uma das empresas que acreditou no even- ção do acesso da equipe vencedora da Stock Car Light to. Este ano o Grupo patrocinou o piloto Átila Abreu que, e o rebaixamento da pior colocada. Para ele, isso cria pela primeira vez, participou da competição. Segundo o mais expectativa nos participantes e torcedores. responsável pelo marketing da OTG, Eric Stock, o patrocínio trouxe ótimos resultados para a marca e ainda possibilitou melhor relacionamento com os clientes. “O Celso Miranda é jornalista e comentarista esporótimo ambiente da competição nos proporcionou esse tivo há 23 anos, com trabalhos nas principais resultado”, destaca. redes de televisão, no rádio e uma temporada Átila Abreu afirma que a temporada 2008 foi bastannos Estados Unidos. Além de ser apaixonado por te produtiva e trouxe ótimos resultados para a sua carautomobilismo e motovelocidade. reira. Além disso, o piloto destaca que a parceria com a OTG foi essencial para isso. “Fico muito feliz pela OTG 16 | MAGAZINE OTG

Viagens de Natal e Réveillon reservam roteiros para todos os gostos É possível escolher entre passeios exóticos, tradicionais, religiosos, elegantes ou temáticos

oteiros exóticos, tradicionais, religiosos, elegantes, temáticos. Em terra firme ou em alto mar, são inúmeras as opções para realizar qualquer sonho de quem pretende viajar no fim do ano. Entre as opções nacionais, com saídas de São Paulo, o destaque fica para a Serra Gaúcha, que promove uma grande festa entre os dias 13 de novembro e 11 de janeiro. O Natal Luz acontece anualmente em Gramado é já se tornou referência na região. O evento atrai milhares de turistas com shows temáticos, grande desfile de Natal, a famosa árvore cantante - uma pirâmide humana formada por um coral da cidade – entre outras atrações. Três shows são obrigatórios para quem pretende fazer esse roteiro: Fantástica Fábrica de Natal, Grande Desfile de Natal e Nativitaten. Para quem gosta de praia e muito calor, Fortaleza, palco da maior comemoração da virada do ano no Nordeste, é outro destino que merece destaque na programação do Natal ou Réveillon. A dica em Fortaleza é a festa de Réveillon do Hotel Marina Park, conhecida como uma das melhores comemorações de fim de ano do Brasil. A festa acontece ao ar livre e bem em frente ao mar, com decoração temática e as atrações musicais mais badaladas do Brasil como: Chiclete com Banana, Ivete Sangalo, Asa de Águia, Babado Novo, Ricardo Chaves, Banda Eva, Zezé de Camargo e Luciano, Timbalada e Mastruz com Leite. Os cruzeiros também estão entre as opções da temporada de festas. Os navios proporcionam um espetáculo à parte, principalmente no Réveillon. Duas opções são os transatlânticos Mistral e Zenith, que ficam estrategicamente posicionados em alto mar durante a queima de fogos na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Outra característica dos navios é o sistema “all inclusive”, com bebidas alcoólicas e não alcoólicas incluídas no valor do pacote. Para os interessados em passar as festas de final de ano no exterior, há opções para diversas regiões. Na Europa, a clássica e elegante Paris é sempre uma ótima pedida para a época. Para os mais religiosos, uma excelente sugestão é passar as festas na Europa, num passeio que contempla as cidades de Fátima, Porto, Santiago de Compostela e Leiria. Entre os roteiros exóticos está o Réveillon na África do Sul (foto), passando por Cape Town, Pilanerberg, Sun City e Johannesburg. Há ainda a sugestão de Réveillon no The Palace, em Sun City, um dos maiores hotéis de luxo do mundo, também na África do Sul.

MAGAZINE OTG

| 17


TURISMO

ESPORTE

RICARDO MAURÍCIO É o CAMPEÃO DA STOCK CAR 2008

R

Disputa acirrada por conta do playoff marca temporada deste ano

N

uma disputa acirrada, Ricardo Maurício, da confiar no meu trabalho e agradeço a oportunidade que Medley/WA Mattheis (Peugeot), venceu a Stock a empresa me proporcionou. A ajuda e apoio deles duCar 2008 em Interlagos no dia 07 de dezembro, rante o ano foram fundamentais.” Para comentarista Celso Miranda, a Stock Car caiu quando foi disputada a última prova da temporada. A competição deste ano passou por seis estados no no gosto dos brasileiros, que passaram a prestigiar uma competição bem organizada e Brasil, oito cidades diferentes disputada, principalmente de– São Paulo, Brasília, Curiti“A transmissão pela TV Globo é a pois da implantação playoff. ba, Santa Cruz do Sul, Campo comprovação de que a categoria já “Hoje nós temos duas compeGrande, Rio de Janeiro, Londrina e Viamão. estava consolidada, mas isso trouxe tições dentro de uma. Na primeira parte, o piloto tem que Para o jornalista especialiresultados ainda maiores, como o trabalhar muito para chegar ao zado em automobilismo, Celso aumento do público nas etapas” playoff e, depois, para ganhar o Miranda, a Stock Car se concampeonato.” solida a cada ano e com isso A criação do playoff estimula o torcedor, pois não há atrai cada vez mais pilotos de alto nível. “Muitos pilotos deixam de correr nas competições internacionais para vantagem entre as equipes. Todas correm o risco de ficar de fora da final e as pequenas podem mostrar o seu participar da Stock Car”, explica. Miranda associa todo esse crescimento à organização trabalho. Os horários da competição também são elogiados da competição, que deixou de ser um evento regional e se consolidou em nível nacional, conquistando assim a pelo jornalista. “As corridas aos sábados permitem que a confiança de empresas renomadas que passaram a pa- pessoa faça outras programações nos fins de semana.” Outro ponto destacado pelo comentarista foi a criatrocinar o evento. A OTG foi uma das empresas que acreditou no even- ção do acesso da equipe vencedora da Stock Car Light to. Este ano o Grupo patrocinou o piloto Átila Abreu que, e o rebaixamento da pior colocada. Para ele, isso cria pela primeira vez, participou da competição. Segundo o mais expectativa nos participantes e torcedores. responsável pelo marketing da OTG, Eric Stock, o patrocínio trouxe ótimos resultados para a marca e ainda possibilitou melhor relacionamento com os clientes. “O Celso Miranda é jornalista e comentarista esporótimo ambiente da competição nos proporcionou esse tivo há 23 anos, com trabalhos nas principais resultado”, destaca. redes de televisão, no rádio e uma temporada Átila Abreu afirma que a temporada 2008 foi bastannos Estados Unidos. Além de ser apaixonado por te produtiva e trouxe ótimos resultados para a sua carautomobilismo e motovelocidade. reira. Além disso, o piloto destaca que a parceria com a OTG foi essencial para isso. “Fico muito feliz pela OTG 16 | MAGAZINE OTG

Viagens de Natal e Réveillon reservam roteiros para todos os gostos É possível escolher entre passeios exóticos, tradicionais, religiosos, elegantes ou temáticos

oteiros exóticos, tradicionais, religiosos, elegantes, temáticos. Em terra firme ou em alto mar, são inúmeras as opções para realizar qualquer sonho de quem pretende viajar no fim do ano. Entre as opções nacionais, com saídas de São Paulo, o destaque fica para a Serra Gaúcha, que promove uma grande festa entre os dias 13 de novembro e 11 de janeiro. O Natal Luz acontece anualmente em Gramado é já se tornou referência na região. O evento atrai milhares de turistas com shows temáticos, grande desfile de Natal, a famosa árvore cantante - uma pirâmide humana formada por um coral da cidade – entre outras atrações. Três shows são obrigatórios para quem pretende fazer esse roteiro: Fantástica Fábrica de Natal, Grande Desfile de Natal e Nativitaten. Para quem gosta de praia e muito calor, Fortaleza, palco da maior comemoração da virada do ano no Nordeste, é outro destino que merece destaque na programação do Natal ou Réveillon. A dica em Fortaleza é a festa de Réveillon do Hotel Marina Park, conhecida como uma das melhores comemorações de fim de ano do Brasil. A festa acontece ao ar livre e bem em frente ao mar, com decoração temática e as atrações musicais mais badaladas do Brasil como: Chiclete com Banana, Ivete Sangalo, Asa de Águia, Babado Novo, Ricardo Chaves, Banda Eva, Zezé de Camargo e Luciano, Timbalada e Mastruz com Leite. Os cruzeiros também estão entre as opções da temporada de festas. Os navios proporcionam um espetáculo à parte, principalmente no Réveillon. Duas opções são os transatlânticos Mistral e Zenith, que ficam estrategicamente posicionados em alto mar durante a queima de fogos na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Outra característica dos navios é o sistema “all inclusive”, com bebidas alcoólicas e não alcoólicas incluídas no valor do pacote. Para os interessados em passar as festas de final de ano no exterior, há opções para diversas regiões. Na Europa, a clássica e elegante Paris é sempre uma ótima pedida para a época. Para os mais religiosos, uma excelente sugestão é passar as festas na Europa, num passeio que contempla as cidades de Fátima, Porto, Santiago de Compostela e Leiria. Entre os roteiros exóticos está o Réveillon na África do Sul (foto), passando por Cape Town, Pilanerberg, Sun City e Johannesburg. Há ainda a sugestão de Réveillon no The Palace, em Sun City, um dos maiores hotéis de luxo do mundo, também na África do Sul.

MAGAZINE OTG

| 17


SAÚDE

Dormir bem é fundamental para a renovação das energias e para a saúde

U

ma boa noite de sono é o desejo de todos aqueles que tiveram um difícil dia de trabalho, a sensação é de que isso proporcionará a renovação das energias. Mas engana-se quem acredita que isso seja apenas uma sensação. Dormir bem possibilita a restauração do organismo para que, no dia seguinte, a pessoa esteja bem preparada para recomeçar. Hélio Brasileiro, otorrinolaringologista – especialista em medicina do sono, explica que sono tem funções cruciais na nossa vida.

“Todas as informações e atividades da nossa rotina consomem energia, a única forma de restaurá-la é dormindo.” A restauração feita durante a noite é responsável ainda pela consolidação da memória e aprendizado. Por isso a pessoa que não dorme tem dificuldade em armazenar informações. No trabalho, por exemplo, isso provoca os apagões e esquecimentos. Além disso, o nível de atenção e coordenação também é prejudicado em pessoas privadas do sono, por isso quem não dorme corre o risco de se acidentar mais ou acidentar outras pessoas. Para melhorar a qualidade do sono, o primeiro passo é descobrir qual o número de horas necessário para que a pessoa acorde bem disposta. O especialista afirma que no ocidente o sono representa, em média, de sete a oito horas das 24 horas diárias. Apesar disso, há algumas pessoas que precisam de mais e outras de menos horas de sono. Dessa forma, é possível concluir que 1/3 da vida passamos dormindo. “Isso não é à toa. A ausência de sono é incompatível com a vida, a pessoa privada de sono em alguns dias morre, o sono é fundamental para viver.” Em alguns casos o sono não é de qualidade, por causa de algum distúrbio. O mais comum é a apnéia, que é a parada da respiração durante o sono. Hélio esclarece que a pessoa com apnéia pára de respirar enquanto dorme 18 | MAGAZINE OTG

e, por isso, precisa acordar para voltar a respirar, mas ela não se lembra. “É comum ter até 10 acordares breves, que são os inferiores a 15 segundos, por hora.” As pessoas com sonolência excessiva, ronco, apnéia do sono, sonambulismo, pesadelos ou que não tenham um sono reparador devem procurar um médico com formação em sono para receber orientação. Atualmente existem exames capazes de diagnosticar distúrbios no sono, um deles é a polisonografia, que é capaz de registrar uma noite de sono inteira. Dicas para melhorar a qualidade do sono: 1. 2. 3. 4. 5.

6. 7. 8.

9.

Tenha um horário regular para dormir e acordar, inclusive aos finais de semana. Para dormir bem é necessário um ambiente ideal. Ele precisa ser escuro, não muito quente, nem muito frio, não deve ter barulho e não deve ter televisão. Não se deve fazer leituras pesadas, ouvir música alta ou fazer exercícios físicos próximo da hora de dormir. No caso dos exercícios, eles devem ser feitos três horas antes. Evitar qualquer atividade no quarto, como se alimentar, estudar, assistir televisão e ficar no computador, o quarto deve estar associado ao local de dormir e de descansar. Fumar e consumir bebida alcoólica? O ideal é que a pessoa não beba e não fume nunca, mas, se houve o desejo, o correto é que a consumo da bebida e do fumo sejam feitos quatros horas antes de dormir. Alimentação – A última refeição, que deve ser a mais leve, precisa ser feita pelo menos quatro horas antes da hora de dormir. Consumir chá somente sem cafeína, como chá de camomila, cidreira ou de frutas, chá preto, mate ou até mesmo o café prejudicam a qualidade do sono. Para quem trabalha no período noturno a dica é sempre trabalhar no mesmo horário, nunca em turnos alternados. Dessa forma é possível regular o relógio biológico e adaptar a vida para isso. Havendo necessidade de trabalhar em turnos alternados, o ideal é que o trabalhador tenha pelo menos uma hora e meia de cochilo, isso irá proporcionar um rendimento muito maior.


SAÚDE

Dormir bem é fundamental para a renovação das energias e para a saúde

U

ma boa noite de sono é o desejo de todos aqueles que tiveram um difícil dia de trabalho, a sensação é de que isso proporcionará a renovação das energias. Mas engana-se quem acredita que isso seja apenas uma sensação. Dormir bem possibilita a restauração do organismo para que, no dia seguinte, a pessoa esteja bem preparada para recomeçar. Hélio Brasileiro, otorrinolaringologista – especialista em medicina do sono, explica que sono tem funções cruciais na nossa vida.

“Todas as informações e atividades da nossa rotina consomem energia, a única forma de restaurá-la é dormindo.” A restauração feita durante a noite é responsável ainda pela consolidação da memória e aprendizado. Por isso a pessoa que não dorme tem dificuldade em armazenar informações. No trabalho, por exemplo, isso provoca os apagões e esquecimentos. Além disso, o nível de atenção e coordenação também é prejudicado em pessoas privadas do sono, por isso quem não dorme corre o risco de se acidentar mais ou acidentar outras pessoas. Para melhorar a qualidade do sono, o primeiro passo é descobrir qual o número de horas necessário para que a pessoa acorde bem disposta. O especialista afirma que no ocidente o sono representa, em média, de sete a oito horas das 24 horas diárias. Apesar disso, há algumas pessoas que precisam de mais e outras de menos horas de sono. Dessa forma, é possível concluir que 1/3 da vida passamos dormindo. “Isso não é à toa. A ausência de sono é incompatível com a vida, a pessoa privada de sono em alguns dias morre, o sono é fundamental para viver.” Em alguns casos o sono não é de qualidade, por causa de algum distúrbio. O mais comum é a apnéia, que é a parada da respiração durante o sono. Hélio esclarece que a pessoa com apnéia pára de respirar enquanto dorme 18 | MAGAZINE OTG

e, por isso, precisa acordar para voltar a respirar, mas ela não se lembra. “É comum ter até 10 acordares breves, que são os inferiores a 15 segundos, por hora.” As pessoas com sonolência excessiva, ronco, apnéia do sono, sonambulismo, pesadelos ou que não tenham um sono reparador devem procurar um médico com formação em sono para receber orientação. Atualmente existem exames capazes de diagnosticar distúrbios no sono, um deles é a polisonografia, que é capaz de registrar uma noite de sono inteira. Dicas para melhorar a qualidade do sono: 1. 2. 3. 4. 5.

6. 7. 8.

9.

Tenha um horário regular para dormir e acordar, inclusive aos finais de semana. Para dormir bem é necessário um ambiente ideal. Ele precisa ser escuro, não muito quente, nem muito frio, não deve ter barulho e não deve ter televisão. Não se deve fazer leituras pesadas, ouvir música alta ou fazer exercícios físicos próximo da hora de dormir. No caso dos exercícios, eles devem ser feitos três horas antes. Evitar qualquer atividade no quarto, como se alimentar, estudar, assistir televisão e ficar no computador, o quarto deve estar associado ao local de dormir e de descansar. Fumar e consumir bebida alcoólica? O ideal é que a pessoa não beba e não fume nunca, mas, se houve o desejo, o correto é que a consumo da bebida e do fumo sejam feitos quatros horas antes de dormir. Alimentação – A última refeição, que deve ser a mais leve, precisa ser feita pelo menos quatro horas antes da hora de dormir. Consumir chá somente sem cafeína, como chá de camomila, cidreira ou de frutas, chá preto, mate ou até mesmo o café prejudicam a qualidade do sono. Para quem trabalha no período noturno a dica é sempre trabalhar no mesmo horário, nunca em turnos alternados. Dessa forma é possível regular o relógio biológico e adaptar a vida para isso. Havendo necessidade de trabalhar em turnos alternados, o ideal é que o trabalhador tenha pelo menos uma hora e meia de cochilo, isso irá proporcionar um rendimento muito maior.


Magazine OTG 3ª Edição  

Magazine OTG 3ª Edição

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you