__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

I CATÁLOGO Diretórios de grupos de estudos e pesquisas Catálogo de diretórios de grupos de estudos e pesquisas no Brasil com recorte sobre a temática étnico-racial certificados pelo CNPq

Brasília/2010


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. © Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) Presidente Eliane Cavalleiro Vice-Presidente Carlos Benedito Rodrigues da Silva 2ª Vice-Presidente Maria Nilza da Silva Secretária Executiva Rosane da Silva Borges Tesoureiro(a) Denise Maria Botelho Amauri Mendes Pereira

Coordenação Editorial Eliane Cavalleiro Elaboração e Diagramação Luciana Lopes Maciel Andréia Lisboa de Sousa Apoio técnico Hayanna Carvalho-Silva Iraneide Soares Natália Maria Alves Machado Apoio CCN/UNB OXFAM FORD Foundation NAPEC Contato ABPN – Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) Campus Universitário Darcy Ribeiro ICC Norte, BSS 665 CAIXA POSTAL 4438 AC/UNB

Asa Norte – Brasília – Brasil. abnp@abpn.org.br www.abpn.org.br

2


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. SUMÁRIO APRESENTAÇÃO ................................................................................................................................... 5 REGIÃO CENTRO-OESTE ....................................................................................................................... 6 DISTRITO FEDERAL........................................................................................................ 7 GOIÁS.......................................................................................................................... 15 MATO GROSSO ........................................................................................................... 19 MATO GROSSO DO SUL .............................................................................................. 22 REGIÃO NORTE ................................................................................................................................... 29 AMAZONAS................................................................................................................. 30 PARÁ ........................................................................................................................... 31 TOCANTINS ................................................................................................................. 42 REGIÃO NORDESTE ............................................................................................................................ 50 ALAGOAS .................................................................................................................... 51 BAHIA .......................................................................................................................... 52 CEARÁ ......................................................................................................................... 81 MARANHÃO ................................................................................................................ 90 PARAÍBA...................................................................................................................... 92 PIAUÍ ......................................................................................................................... 101 PERNAMBUCO .......................................................................................................... 104 RIO GRANDE DO NORTE ........................................................................................... 107 SERGIPE .................................................................................................................... 108 REGIÃO SUDESTE ............................................................................................................................. 112 ESPIRITO SANTO ....................................................................................................... 113 MINAS GERAIS .......................................................................................................... 114 RIO DE JANEIRO ........................................................................................................ 127

3


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. SÃO PAULO ............................................................................................................... 160 REGIÃO SUL ...................................................................................................................................... 195 RIO GRANDE DO SUL ................................................................................................ 196 SANTA CATARINA ..................................................................................................... 204 PARANÁ .................................................................................................................... 212

4


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. APRESENTAÇÃO Neste ano de 2010, a Associação Brasileira de Pesquisadoras(es) Negras(os) completa 10 anos de existência e resistência, com diversos avanços em sua trajetória histórica. A ABPN ao longo de sua trajetória tem envidado esforços para a consecução dos objetivos firmados em seu estatuto, sobretudo no que diz respeito à: congregar os Pesquisadores Negros Brasileiros, congregar os Pesquisadores que trabalham com temas de interesse direto das populações negras no Brasil; e a promover conferências, reuniões, cursos e debates no interesse da pesquisa sobre temas de interesse direto das populações negras no Brasil e na diáspora africana. Com a Edição do I Catálogo de Diretórios de Grupos de estudos e Pesquisas sobre a Temática étnicoracial no Brasil, por meio de publicação eletrônica, disponível para socialização na rede mundial da internet, a ABPN amplia a sua linha Editorial, a fim de ampliar e divulgar informações sobre pesquisadoras(es) associadas(os) para todas/os que se interessam pela pesquisa na área. A ABPN confirma, assim, seu compromisso para com a disseminação, valorização e fortalecimento como da temática, bem das(os) profissionais atuantes nesse campo de investigação. Cada registro deste Catálogo apresenta os seguintes elementos: nome do grupo, instituição de pertencimento, link no CNPQ e os objetivos do grupo. No que se refere à distribuição em nível nacional, os 210 grupos aqui registrados estão dispostos de acordo com cada região e estado do pais:

REGIÃO CENTRO OESTE

REGIÃO NORDESTE

REGIÃO NORTE

REGIÃO SUDESTE

REGIÃO SUL

DF

8

AC

0

AL

1

ES

1

RS

8

GO

4

AP

0

BA

29

MG

13

SC

8

MT

3

AM

1

CE

10

RJ

33

PR

8

MS

7

PA

11

MA

2

SP

35

RO

0

PA

9

RR

0

PI

3

TO

8

PE

3

RN

1

SE

4

TOTAL POR REGIÃO 22

20

62

82

24

TOTAL DE DIRETÓRIOS CADASTRADOS 210

5


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

REGIÃO CENTRO-OESTE

6


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. DISTRITO FEDERAL

Direito e Ações Afirmativas DIREITOS HUMANOS NA DIVERSIDADE

____________________________________________________________________ Instituição Universidade de Brasília – UNB Faculdade de Direito Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0240601X6ENZ9G

As atividades do Grupo visam dar contribuição, tanto na academia como em diversos setores sociais e institucionais, para o necessário debate, discussão, pesquisa, divulgação, análise e divulgação sobre vários aspectos da problemática envolvida na temática das Ações Afirmativas em sua relação com o Direito. O Grupo se orientará à produção de trabalhos bibliográficos vinculados a suas linhas de pesquisa, à organização de atividades acadêmicas de educação continuada, como cursos de mestrado, de especialização e atividades de extensão. Tenciona, por sua vez, subsidiar movimentos sociais e outros organismos na elaboração e execução de políticas públicas e privadas de ação afirmativa. Sua atuação pretende conjugar a necessária integralização entre a teoria e a prática, com uma perspectiva transdisciplinar, interligando a Universidade com a sociedade e o Estado.

7


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação Popular e Estudos Filosóficos e Histórico-Culturais. GRUPO DE ENSINO-PESQUISA-EXTENSÃO ________________________________________________________________________________________

Instituição Universidade de Brasília – UNB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0240708V5HQY7J O Grupo é um desdobramento histórico da ação conjunta UnB - Organização Populares da Cidade Satélite do Paranoá, desde a década de 80, através da Faculdade de Educação e outras unidades da UnB (Lingüística, Comunicação, Engenharia, Arquitetura, Direito, Psicologia, Serviço Social, Artes, Medicina, Nutrição, Enfermagem e etc.). Está ação conjunta, entre outras coisas, permitiu a fixação dos moradores do Paranoá, bem como, o desencadear do projeto de Alfabetização de Jovens e Adultos do Paranoá, indicado recentemente ao prêmio Darcy Ribeiro, Que já gerou 05 teses de mestrado, 02 teses de doutorado, 01 pósdoutorado e 02 teses de doutorado em andamento, além de vários artigos publicados em revistas nacionais e internacionais. Além disso, mantém intercâmbio com a Lancaster Universites na Inglaterra, Universidade de Campinas-UNICAMP, Universidade Federal de Uberlândia, Universidade Federal De Goiás, Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho-UNESP; Universidade de São Paulo- USP e universidade Federal do Espírito Santo. O projeto de Alfabetização de Jovens e Adultos agora se amplia numa elaboração-exercitaação de uma proposta de educação de crianças, jovens e adultos de camadas. Proposição desafio que articula as dimensões de ensino-pesquisa-extençãoda UnB e os interesses e necessidades da população em que sua aprendizagem e desenvolvimento dá a medida que se estuda, pesquisa, analisa e se encaminha individual e coletivamente, a superação dos problemas vividos/enfrentados pelos moradores do Paranoá. Com isso, a Universidade contribui à transformação do Paranoá e este oportuniza ainda uma maior qualidade de ensino e pesquisa na UnB. As pesquisas do grupo têm implicações teóricas e práticas nas dimensões do ensino-pesquisa-extensão na Universidade de Brasília e na Comunidade Local da Cidade do Paranoá e do Distrito Federal, conforme se pode verificar na produção bibliográfica do grupo e particularmente, nas teses e dissertações.

8


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEOTERRA GRUPO DE PESQUISA

______________________________________________________________ Instituição Universidade de Brasília – UNB Departamento de Geografia Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0240706U3BKW6D Site do grupo www.unb.br/ih/ciga

O Grupo de Pesquisa GEOTERRA foi constituído para servir de um suporte complementar para consolidar a equipe de pesquisa e extensão do Centro de Cartografia Aplicada e Informação Geográfica (CIGA) da UnB. Os dois projetos principais são: o Geografia Afro-Brasileira e o Dinâmica Territorial, Instrumentação Geográfica e Educação Espacial. Este último, investiga o processo histórico de formação, crescimento e monitoramento do conjunto urbano do DF e da RIDE, assim como, implementação de recursos cartográficos educativos para a ampliação da "cultura de espaço"nos diferentes níveis de ensino. O outro trata da investigação e representação gráfica das matrizes africanas registradas no território brasileiro. A Geografia da África, a cartografia da diáspora, a representação dos espaços dos quilombos, o mapeamento da etnografia africana no Brasil e a distribuição da população de matriz africana no país, são algumas das linhas de trabalho. Os trabalhos já contribuíram em algumas instâncias governamentais, como por exemplo: 1. Suporte na Revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial do DF (1997 e 2005)e participação em obras comemorativas dos 50 anos de implemanetação de Brasília; 2. Realização de cinco cadastros dos registros municipais dos territórios quilombolas do país (1997- 2000 - 2005 2006 - 2009); 3. Realização da Exposição Cartográfica Itinerante: A África, o Brasil e os Quilombos nas cidades de Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Maceió (2005) e no exterior, em Paris (2005), em Bruxelas (2007)e na sua nove versão "O Brasil Africano: Diáspora - Quilombos - Território População) em Luanda (Angola)em 2009; 4. A Oficina Temática: Matrizes Africanas do Território Brasileiro já foi ministrada junto a várias Secretarias de Educação estaduais em 2005 (BA, AL, RJ, SP, MG e RS), em uma parceria MEC - Secad. Em 2010 este programa de capacitação será realizado nem territórios quilombolas nos Estados da BA, MA, PA e AL.

9


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GERAJU GRUPO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS: GÊNERO, RAÇA/ETNIA E JUVENTUDE ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade de Brasília Link CNPq http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0240708ZMRQGUM Site do grupo http://www.fe.unb.br/geraju

O GERAJU - grupo de pesquisa em Educação e Políticas Públicas: Gênero, Raça/Etnia e Juventude - está vinculado à linha de pesquisa "Políticas Públicas em Educação: gênero, raça/etnia e juventude" do Programa de PósGraduação em Educação (área de concentração: Políticas Públicas e Gestão da Educação). As/os integrantes do grupo são professoras/res, estudantes de iniciação científica e de pós-graduação que desenvolvem pesquisas empíricas e estudos comparativos sobre a relação entre juventude e escola, juventude e educação não-formal, juventude e políticas públicas, culturas juvenis, gênero, sexualidade e juventude, entre outros. Outro eixo está representado pelos estudos sobre relações de gênero e étnico-raciais nos espaços de educação formal e não-formal, assim como pesquisas sobre gestão e avaliação de políticas públicas (ações afirmativas). As/os pesquisadoras/es desenvolvem pesquisas com financiamento do CNPq e da UnB e atuam nos programas de doutorado, mestrado, especialização e graduação da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. O GERAJU também oferece cursos de formação continuada para professores da Educação Básica, entre outros, o curso Gênero e Diversidade na Escola (convênio: MEC/Secad/UAB/UnB).

10


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Grupo de Estudos do Caribe ___________________________________________________________________________

Instituição Universidade de Brasília – UNB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0240705Q0CLT2E Site do grupo http://www.fchf.ufg.br/caribebrasil

A repercussão do grupo tem estado vinculada à projeção do Centro de Estudos de Caribe no Brasil (CECAB) fundado no mês de Março de 1999: É o único no Brasil que tem como foco o estudo de culturas afro-americanas na sua relação com outras culturas e com suas matrizes africanas. A equipe firmou-se na compreensão do elo que une o Brasil ao Caribe e vêm se articulando em torno de duas grandes tarefas: A Revista Brasileira do Caribe e os Simpósios Internacionais bianuais. O Caribe fornece um debate intelectual aos estudos afro-americanos, cujo espaço de reflexão é transnacional, bem como aporta uma filosofia alternativa que permite pensar as culturas negras na atualidade e sua importância nos processos de formação social, cultural e também nacional. O Caribe é a dimensão de encontro de culturas onde o diferente, fragmentado , invisível , pode ser levado à superfície , mediante uma ação conseqüente contra os estereótipos e as distorções dos discursos , metáforas e configurações construídas na dominação e na racialização das identidades. O Caribe também é aqui em Goiás tal como revelam as comunidades remanescentes quilombolas e o acréscimo demográfico derivado das imigrações negras do Norte e do Nordeste do Brasil. As atividades da equipe têm sido favorecidas pelos seus vínculos de trabalho com instituições do próprio Estado, de outros estados e do estrangeiro. Dois projetos inter-institucionais nasceram a partir do CECAB, um com a UnB (PROCAD), e outro com a UEG. Há vários projetos internacionais que contam com a participação do CECAB: os congressos da Associação Mexicana do Caribe, a rede internacional entre canários, franceses, venezuelanos, mexicanos, cubanos, haitianos, etc, e a publicação de obras conjuntas com instituições estrangeiras. A elaboração do projeto de doutorado foi iniciado pelo núcleo do Caribe com o apoio de professores da UnB. Na atualidade a equipe participa do Projeto Capes/UT e têm convênios com RUDEColombia.

11


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

PADÊ ESTUDOS EM RAÇA, GÊNERO E DIREITOS HUMANOS. _______________________________________________________________________________

Instituição Centro Universitário de Brasília - UniCEUB Link CNPq http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=3034601T3AKV5C

Face as inúmeras especificidades que marcam a realidade da sociedade brasileira contemporânea e suas repercussões obliteradoras do pleno desenvolvimento da cidadania e de uma democracia mais inclusiva e participativa é fundamental que possamos surpreender a formação dos elementos de sustentação de tais obstáculos e a partir deles, pensar e propor alternativas para políticas públicas direcionadas para a defesa,implementação e plenitude de direitos fundamentais das pessoas humanas na sociedade brasileira. A apreensão da alteridade enquanto categoria central no pensamento político ocidental desde uma perspectiva social, histórica e antropológica permitirá alcançar os seguintes objetivos: * Analisar a categoria Alteridade no pensamento ocidental. * Verificar os usos, práticas e dimensões políticas desta categoria. * Reconhecer as representações sociais hegemônicas do Outro no mundo ocidental e suas conseqüências em termos da construção das assimetrias de poder nas sociedades democráticas do ocidente. * Identificar os desdobramentos políticos e sociais destas ancoragens no ocidente.

12


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Transformações do Mundo do Trabalho ___________________________________________________________________ Instituição Universidade de Brasília – UNB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0240702JDEM0B8 Site do grupo http://www.unb.br/ics/sol Realizamos pesquisas sobre duração, intensidade e distribuição do tempo de trabalho; sindicalismo; integração e regionalização das práticas sindicais; comparação das estratégias sindicais em países da América; sindicalismo do esporte; cidadania e direitos; trabalho e subjetividade; educação e trabalho; trabalho formal e informal; economia solidária. Trabalho e Gênero, Trabalho/idade/políticas sociais. Trabalho e organização nas empresas. - Formação de pessoal - participamos da formação de pesquisadores nos programas de doutorado, mestrado e graduação dos departamentos de sociologia, psicologia, serviço social, política e educação, Administração, da UnB; - Aplicação de competências específicas. Ex. 1: atuação em conjunto com DIEESE e sindicatos do DF na oferta de cursos e na recuperação da memória sindical. Ex. 2: participamos da UNITRABALHO (Rede Univ. de Estudos e Pesquisas sobre o Trabalho). Ex. 3. Organizamos livro sobre "A Regulação Social do Trabalho", Editora Paralelo 15 , DF, com a contribuição dos participantes do grupo. Ex. 4: Ex. 5: Professor do grupo mantém projeto de pesquisa conjunto sobre movimentos sociais, via aliança social continental face à ALCA Ex. 6: Professora do grupo participa de avaliação das políticas públicas com IPEA e SENAES. Ex. 7. Participação em Congressos, Seminários, eventos de caráter científico, de política governamental e de política sindical. Ex. 8. Participação regular em eventos científicos nacionais e internacionais. Membros do grupo participam do Grupo de Trabalho sobre sindicalismo da ANPOCS; da Associação Brasileira de Estudos do Trabalho (ABET); do Research Committee 30 da International Sociological Association; da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) e da Associação Latino-Americana de Sociologia do Trabalho. Ex. 9: Professor do grupo coordena e anima Grupo de Estudos e Pesquisa sobre o Trabalho na UnB, Professora participa do acompanhamento da incubadora social e solidária da UNB.

13


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Urbanidade e estilos de vida GRUPO DE PESQUISA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade de Brasília – UNB Departamento de Antropologia Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0240703EQ07HS2

O grupo tem como objetivo mapear diferentes formas de sociabilidade e suas relações com a produção, ocupação e significação de espacialidades no Distrito Federal e em outros contextos urbanos, desde "lugares" fixos, simbolicamente consolidados, até "circuitos", "points", "trajetos" e outras unidades de análise, que se configuram de maneira mais fluída. O objetivo é pensar vínculos humanos e suas relações com expressividades e significações materializadas nos espaços da cidade, desde grupos jovens que fazem usos esporádicos de determinados territórios até a apropriação "permanente" de territórios por famílias de camadas médias, como ocorre no caso dos condomínios irregulares.

14


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. GOIÁS

Espacialidades e identidades raciais, étnicas e de gênero GRUPO DE PESQUISA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Goiás – UFG Instituto de Estudos Sócio-Ambientais Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0106706CLX6ENH

15


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Grupo de Estudos da Linguagem: análise, descrição e ensino ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Goiás – UFG Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=01068013DKU5FM

Extensão, pesquisa e ensino na área dos Estudos de Língüística e Língua Portuguesa. O grupo, formado em 2002, tem o objetivo de estudar fenômenos da língua portuguesa, considerando-se as constituições discursivas em suas múltiplas manifestações. Para o triênio 2009 a 2011, o grupo desenvolve o projeto "Fala goiana", voltado para a descrição e a análise de fenômenos gramaticais na variedade goiana do Português brasileiro, em que estão envolvidos pesquisadores vinculados à Universidade Federal de Goiás. Para o período de 2009 a 2012, o Grupo desenvolve trabalhos na área de ensino de LP, sediando o projeto temático "O Ensino brasileiro da Língua Portuguesa em nível médio: bases epistemológicas, objetivos e conteúdos", por sua vez, vinculado ao Projeto "Ensino de Língua Portuguesa no mundo". A ramificação brasileira congrega pesquisadores das seguintes instituições de ensino público: UFG, USP, IF (Instituto Federal de Educação), UFMt/Cuiabá; UFMt / Rondonópolis e tem com interlocutores pesquisadores de Portugal, representados pela Prof. Dra. Madalena Teixeira, da Universidade de Santarém.

16


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

História da educação em Goiás no século XIX GRUPO DE PESQUISA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Goiás – UFG Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0106708RY7JT0A

O grupo trabalha em torno de acervos da história da educação goiana disponíveis no Arquivo Histórico Estadual de Goiás (AHE-GO), Instituto de Pesquisas e Estudos Históricos do Brasil Central (IPEHBC) e no Gabinete Literário Goiano (Cidade de Goiás). Tais acervos constituem um corpus documental de manuscritos e impressos que incluem atas, relatórios, mapas de freqüência escolar, leis, regulamentos, jornais, fotografias, entre outros. Tais documentos são selecionados, lidos, transcritos, classificados, descritos segundo a NOBRADE. O projeto de pesquisa do grupo foi contemplado com recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG)no ano de 2008, o que tem garantido suporte para a construção de um banco de dados sobre temas da História da Educação em Goiás (a partir de 1830). Este instrumento de pesquisa e estudos estará disponibilizado no Museu Virtual da Educação de Goiás a partir de agosto de 2010. Resultados parciais da pesquisa foram apresentados nos seguintes eventos científicos: 30 a. Reunião anual da ANPED (2007), IV Simpósio da ANPUH (anos 2007 e 2008), IX Congresso Ibero americano de História da Educação (2009), entre outros.

17


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NESEC NÚCLEO DE ESTUDOS SOCIEDADE, EDUCAÇÃO E CULTURA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Goiás – UFG Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=01067085Z8FP1A

NESEC - Núcleo de Estudos Sociedade, Educação e Cultura tem como objetivo principal agrupar um conjunto de indivíduos de maneira organizada e que estejam envolvidos profissional e permanentemente com pesquisa cujo trabalho se organiza em torno de linhas de pesquisa.Tem ainda como objetivos despertar a vocação científica na comunidade acadêmica do Campus Jataí da UFG; incentivar novos pesquisadores entre estudantes de graduação; propiciar à instituição um instrumento de formulação de políticas de iniciação à pesquisa; contribuir para formação de recursos humanos para a pesquisa; estimular pesquisadores envolverem alunos de graduação nas atividades cientificas; proporcionar aos pesquisadores a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa, bem como estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente, decorrentes das condições criadas pelo confronto com os problemas da pesquisa; estimular maior articulação entre a graduação e a pós-graduação; contribuir para implantação de programas de pós-graduação no CAJ/UFG. O grupo pretende subsidiar um conjunto de atividades desenvolvidas pelos líderes, pesquisadores e alunos no sentido de contribuir com a pesquisa e a produção de conhecimentos.

18


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. MATO GROSSO

Educação e Gestão Ambiental ____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT Faculdade de Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=8415708COX5EQ7

Nosso trabalho tem como eixo a Educação Ambiental (formal, não formal e informal) que subsidiará as investigações e proposições voltadas para a Gestão Ambiental e de Recursos Hídricos, a partir da identificação das problemáticas existentes (antrópicas e/ou naturais), desenvolveremos ações que busquem sensibilizar os agentes sociais envolvidos, numa perspectiva que exige a construção contínua da transversalidade das áreas de conhecimento. Nesta perspectiva o grupo estará somando com os pesquisadores de formação em diferentes áreas do conhecimento. Para que seja implementado programas de Gestão Ambiental, voltados para Recursos Hídricos, Formação de Professores; Ações que envolva saúde e ambiente; Estruturação de espaços que viabilizem ações educativas; Ações de monitoramento e biomonitoramento; Contribuir com as discuções e ações do Plano Diretor Municipal relacionados as linhas de pesquisa abordadas.

19


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPENI GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ETNOMATEMÁTICAS NEGRAS E INDÍGENAS

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT Link. CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=03327086FR08HT

Atuando em conformidade com três Linhas de Pesquisa - (1) Etnomatemática Indígena, (2) Etnomatemática Negra e (3) Formação de Professores - o grupo tem como interesse estudar os processos de geração, institucionalização, transmissão e difusão de conhecimentos relacionados às diferentes formas de contar, classificar, ordenar, localizar-se, explicar e inferir produzidos pelas comunidades indígenas e pelos povos africanos e afro-brasileiros. A partir daí, estuda também formas de se implementar ações de divulgação desses conhecimentos nos processos de formação de professores. Para tanto, procura desenvolver perspectivas teóricas e metodológicas que embasam suas pesquisas e atividades de extensão. O alcance e repercussão dos trabalhos do grupo manifestam-se por meio das ações a serem realizadas na formação inicial e continuada de professores de Matemática, assim como na prática dos pesquisadores - cujas investigações já concluídas ou em desenvolvimento têm produzido conhecimentos e inovações teórico-metodológicas na Etnomatemática, e cuja ação acadêmica vem contribuindo para o avanço dos debates relativos às relações étnicoraciais e para a valorização das diferentes etnomatemáticas.

20


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

PRETA POLÍTICAS PÚBLICAS, RELAÇÕES RACIAIS, EDUCAÇÃO E ALTERIDADE _______________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado do Mato Grosso - UNEMAT Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=84157085HQY7J0 Site do grupo http://www.unemat.br

Estimular o debate e a aplicação da Educação das Relações Étnico-Raciais em conformidade com as Diretrizes Curriculares Nacionais, bem como discutir acerca da validade dos Programas de Ação Afirmativa adotados por universidades públicas.

21


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. MATO GROSSO DO SUL

Educação e interculturalidade PROGRAMA DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO __________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Católica Dom Bosco - UCDB Link CNPq http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=2882708I7EOZNM Site do grupo www.ucdb.br/mestrados/educacao O grupo reúne pesquisadores ligados à Linha 03 - Diversidade Cultural e Educação Indígena - do Programa de Mestrado em Educação, em torno da temática cujo eixo central é a relação entre sociedade(s) e cultura(s), tendo como núcleo de investigação a educação e a diferença cultural. Contempla um repertório de interesses (objetos e referenciais teóricos) que propõem a reflexão, a avaliação e a reinvenção de/dapráticas(s) pedagógicas(s) cada vez mais polissêmicas e matizadas por diversas fontes de conhecimentos. PROPÓSITOS: Intercambiar saberes científicos e praticas sócio-culturais;analisar/interpretar modos de produção da cultura no contexto da sociedade contemporânea (globalizada, tecnológica, consumista, multicultural)e os novos modos de ser de todos os povos; refletir os mecanismos de formação e de práticas pedagógicas (escolas/professores/educadores)perante sociedades multiculturais? Mecanismos históricos de produção/transformação da diferença em problema e quais os seus significados e suas conseqüências; compreender os processos que geram as diferenças: relações de poder e suas assimetrias. ATIVIDADES COMPLEMENTARES À PESQUISA: 1)levantamento e exploração bibliográfica pertinente à temática com ênfase para o aprofundamento teórico das categorias que norteiam a pesquisa, aproximando a antropologia com a temática; 2)leituras de projetos e relatórios como fontes de experiência e informação sobre os temas envolvidos; 3)exposição e discussão dos projetos de pesquisa em andamento; 4)colóquio do grupo de pesquisa com pesquisadores convidados, dando ênfase para as questões do método e procedimentos, do referencial teórico para a abordagem do objeto; 5)atividades de extensão/intervenção; 6)participação em eventos para divulgação da pesquisa/produção acadêmica; 7)elaboração do Relatório das atividades do grupo e de Atas; 8)organização do Seminário interno; 9)organização de um evento aberto e 10)orientação de PIBIC, Dissertações de Mestrado e Trabalhos de Conclusão de Curso.

22


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação, Cultura e Diversidade ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0803708V5Y7FO0

O grupo congrega pesquisadores dos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), articulando-se a outros Centros de referência em pesquisa e documentação no país e no exterior. Sua principal preocupação é difundir as informações coletadas e publicar as pesquisas desenvolvidas por seus membros em livros e revistas especializadas, bem como fomentar o debate teórico metodológico, trazendo a público, em seminários, reuniões científicas e congressos nacionais e internacionais, os resultados parciais e finais de suas pesquisas. A produção acadêmica do grupo centra-se nos resultados das investigações realizadas no Estado de Mato Grosso do Sul, com as seguintes temáticas de estudo: cultura e escolarização das populações indígenas e quilombolas; cultura e escolarização afro-descendente; escolarização e educação do campo; educação especial e cultura e construções identitárias do homem pantaneiro. A pesquisa sobre a diversidade tem sua relevância na necessidade de promover a visibilidade que esses grupos requerem no processo de escolarização e de inclusão social, bem como, em razão do objetivo principal das políticas públicas nacionais. Considerando que a UEMS é precursora das ações afirmativas, no Estado e desenvolve um trabalho de Pós-Graduação "lato sensu" de destaque nos diversos municípios em que atua, o grupo de pesquisa tem como objetivo ampliar as discussões sobre a diversidade com vista à formação de professores preparados para atuarem no ensino fundamental e médio com a inclusão social.

23


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPPES GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO SUPERIOR _______________________________________________________________________________

Instituição Universidade Católica Dom Bosco - UCDB Link CNPq http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=2882708I7EOZNM Site do grupo http://www5.ucdb.br/mestrados/geppes Em 2009 o Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas de Educação Superior (GEPPES), completou 10 anos. As primeiras iniciativas para a sua organização ocorreram em meados da década de 1990, quando os primeiros projetos de pesquisa no campo das políticas de educação superior começaram a ser desenvolvidos. Os primeiros foram: A universidade e o estudante-trabalhador (1994 e 1995); A universidade e a formação para a cidadania (1995 a 1997); O processo de construção das Universidades Comunitárias (1999 a 2001). Em 1999 o Grupo foi cadastrado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq. Em 2002 a FUNDECT/MS aprovou o projeto: Processo de Expansão e Interiorização da Educação Superior na Região Centro-Oeste - as marcas da mercantilização do ensino. Em 2005 foram aprovados, pelo CNPq e pela FUNDECT, os projetos: Avaliação institucional e os desafios para a construção de uma educação superior democrática, e, Política de cotas para negros na educação superior: estratégia de acesso e permanência? Entre 2006 e 2008 desenvolveu-se a pesquisa: Ensino Noturno- acesso e democratização da educação superior, com apoio do CNPq e FUNDECT. Entre a produção científica do GEPPES destacam-se: dissertações e teses de doutorado; trabalhos completos apresentados em eventos científicos nacionais e internacionais; artigos publicados em periódicos indexados (QUALIS/CAPES, entre outros. O GEPPES contribui para: descentralização da pesquisa no Brasil e criação/consolidação de novos grupos de pesquisa e dos Programas de Pós-Graduação na Região Centro-Oeste, sobretudo nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul; formação de novos pesquisadores, tendo em vista que vários estudantes iniciaram suas pesquisas na Iniciação Científica e, atualmente, estão em fase de doutoramento; implementação e consolidação de pesquisas sobre política de educação superior, especialmente na Região CentroOeste, preenchendo uma lacuna significativa nessa área.

24


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação GÊNERO, RAÇA E ETNIA.

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0803708T2EOV5G Linhas de pesquisa    

Acesso e permanência de negros e indígenas na Educação Superior, Construção e re-construção da identidade, Formação de professores para a educação das relações étnico-raciais, Participação social, política e cultural da mulher.

25


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Literatura, história e Sociedade ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul – UEMS Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0803802A684I8U

O Grupo de pesquisa "literatura, história e sociedade", formado na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, reúne pesquisadores e estudantes como o objetivo de investigar a produção literária com ênfase na relação entre literatura e sociedade, abordada em suas diversas dimensões e através de uma perspectiva histórica. Há reuniões periódicas (entre alunos e professores) para estudos teóricos, acompanhamento e desenvolvimento de trabalhos acadêmicos, bem como para troca de informações de pesquisa entre os pesquisadores do grupo. Ao Grupo estão vinculados projetos de pesquisa, orientações de Iniciação Científica e demais trabalhos acadêmicos. Em 2010 o Grupo organizou o I Seminário de Letras da UEMS, que comportou o "I Encontro de Estudos Literários: Literatura, História e Sociedade". O evento, que contou com apresentações de membros do Grupo e pesquisadores de âmbito nacional, teve seu foco nas reflexões que emanam dos trabalhos das linhas de pesquisa do Grupo, como nas seguintes mesas redondas: "Manutenção e renovação do cânone", "A violência na literatura em Mato Grosso do Sul" e "literatura e sociedade".

26


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo de Pesquisa e Estudos Canadenses ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS Pró Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0803801Z9KU1BM

A missão do NEC-UEMS será, através do intercâmbio, ensino e da pesquisa interdisciplinar e interinstitucional, contribuir para o conhecimento da sociedade e culturas do Canadá e das relações bilaterais Brasil-Canadá. Ligado com outros Núcleos Canadenses no Brasil, com a ABECAN (Associação Brasileira de Estudos Canadenses) e diversas instituições, organizações e grupos de pesquisa do Canadá, entre estes o GIRA (Groupe Interdisciplinaire de Recherche sur les Amériques), o NEC da UEMS será um centro de estudos e pesquisa cujos professores e pesquisadores trabalharão em conjunto para aprofundar o conhecimento mútuo dos dois países através de discussões e reflexões teóricas multidisciplinares.

27


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Políticas Públicas e Gestão Educacional ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0803708DVMCHQH

O grupo tem como finalidade investigar as ações dos dirigentes educacionais, bem como as políticas públicas que vem sendo implementadas nas escolas de educação básica. Os membros do grupo neste momento desenvolvem o projeto de pesquisa, sob a coordenação da Prof.ª Dr.ª Alaíde Pereira Japecanga Aredes,intitulado "Escuta na Comunidade Escolar: uma Etnografia nas escolas públicas de Nova Andradina - MS." A proposta em questão almeja realizar uma radiografia das escolas públicas (Estaduais e Municipais) dos Município de Nova Andradina - MS. Acredita-se que tal radiografia poderá mostrar as reais situações em que as escolas se encontram, bem como os reais problemas que enfrentam. Sendo assim, são objetos dessa pesquisa os discursos do cotidiano, as estruturas físicas e a organização escolar. Este objeto é de suma importância porque ele pode nos indicar como as escolas estão organizadas, se são para atender o aspecto pedagógico ou se são para atender o aspecto administrativo, ou se as duas questões estão contempladas. Analisar a discursividade sobre e da comunidade escolar em dois aspectos: a) físicos, didáticos, pedagógicas: estruturas físicas, cor, dimensão dos espaços, iluminação, localidade, prática de ensino; b) Organização escolar: função, hierarquia, relações de trabalho, a prática individual na função, a resistência nas relações de trabalho. Ressalta-se tal projeto está sendo financiado pela FUNDECT (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul) - a criação da Revista Online intitulada de WEBE Revista TEGE (Trabalho, educação e Gestão Educacional)é outro objetivo do grupo, onde teremos a oportunidade de divulgar os trabalhos do grupo e outros que possam se identificar com o objeto estudado. E ainda, dentro do Grupo de Pesquisa, funciona o grupo de estudos "Estudos sobre o cotidiano escolar" semanalmente acadêmicos, bolsistas e pesquisadores se reúnem.

28


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

REGIÃO NORTE

29


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. AMAZONAS

História Indígena e da Escravidão Africana na Amazônia ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Amazonas – UFAM Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/diretorioc/fontes/detalhegrupo.jsp?grupo=0082705LWDYF0E

De acordo com J. Monteiro (1995), a história indígena no Brasil lançou-se a um duplo desafio: a recuperação do papel histórico dos índios na formação das sociedades e culturas do continente e o repensar do próprio significado da história a partir da experiência e da memória dessas populações, redimindo-se assim a historiografia de sua conivência com as tentativas fracassadas - de se erradicarem os índios. O grupo de pesquisa História Indígena da Amazônia propôs-se a assumir esses desafios e, já na sua criação, buscava dar consistência a diversas pesquisas individuais que tinham algumas das preocupações temáticas indicadas por J. Monteiro. A partir de então, o esforço dos pesquisadores direcionou-se para a atuação em nível de graduação e pós-graduação, na tentativa de ampliar seus interlocutores nesse campo temático dentro do Departamento de História da Universidade do Amazonas. Além de investir na sua própria titulação, os professores buscaram inserir-se com mais intensidade na produção acadêmica dentro do tema valendo-se de diversos formatos: artigos, entrevistas, conferências, palestras, comunicações, exposições temáticas, sem esquecer a publicação de textos didáticos voltados para o Ensino Fundamental. Além disso, é possível acrescentar uma maior aproximação e interlocução com organizações indígenas e outros organismos oficiais que lidam diretamente com populações indígenas na condição de assessores ou pesquisadores. Os resultados desses esforços aparecem hoje na produção bibliográfica, na incorporação efetiva de novos parceiros científicos no GP e na ampliação do número de estudantes interessados na questão. Atualmente, as dimensões da pesquisa sobre etnicidade conduziram vários dos pesquisadores a ampliar seu leque de preocupações incluindo uma leitura mais fina sobre a presença africana e suas articulações com o mundo indígena.

30


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. PARÁ

Antropologia, Religião e Saúde __________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Pará – UFPA Departamento de Antropologia Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0044703BWEGL2E

O Grupo "Antropologia, Religião e Saúde" visa desenvolver estudos antropológicos e/ou sociológicos nos campos da religião e da saúde. Lida, pois, com o que se costuma denominar de Antropologia ou Sociologia da Religião, Antropologia da Saúde ou da Medicina, Sociologia da Medicina e áreas afins. A predominância da abordagem científica situa-se no âmbito da Antropologia Social ou Cultural. Os estudos voltados para a religião deverão inicialmente abranger o cristianismo, incluindo-se aí o catolicismo (especialmente o catolicismo popular e a Renovação Carismática Católica) e o pentecostalismo, exatamente por serem aquelas manifestações religiosas cristãs que estão mais ligadas à cura de doenças. Em relação com o catolicismo popular, não se distinguindo totalmente dele, mas apresentando especificidades próprias, está a pajelança cabocla amazônica, que também interage com religiões mediúnicas (espiritismo kardecista) e afro brasileiras; trata-se, no caso, de manifestação mágico-religiosa fundamentalmente voltada para a cura de doenças. Tudo isso leva ao estudo de diferentes formas de medicinas populares e "alternativas". Mas o grupo não está fechado ao estudo de medicinas ligadas à formação de caráter universitário, quer seja a medicina alopática quer a homeopática. Ao lado disso, há também a preocupação com "body notions" ou com a antropologia do corpo, incluindo o conceito mais recente de "embodiment", bem como com o estudo de hábitos e ideologias alimentares. Tudo isso tem relevância não só para o estudo da cultura (entendida num sentido mais lato, antropológico), mas também para o conhecimento das práticas, dos rituais, das representações - religiosas, de cura, de diferentes formas de medicina, de saúde e de doença -, como também para o conhecimento das sociedades paraense, amazônica e brasileira. Resultados desses estudos poderão ser úteis para a implantação de políticas públicas nos campos da educação, da cultura e da saúde, entre outros.

31


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Culturas e memórias amazónicas ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado do Pará – UEPA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1929708Y80DHJL

Centro de Ciências Sociais e Educação Culturas e Memórias Amazônicas é um grupo de estudos e pesquisas, vinculado à Pro-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Pará. Tem como objetivo central promover estudos, debates e pesquisas acerca de temas relacionados às memórias amazônicas. O grupo, que congrega professores e alunos de diferentes cursos de graduação e pós-graduação da UEPA, ligados, especialmente, ao Centro de Ciências Sociais e Educação, está organizado visando construir redes entre diversos saberes amazônicos. Cultura, eixo temático, é entendida como amálgama de elementos materiais ou imaginários construídos ou modificados por homens e mulheres que dão forma às sociedades. Essa pluralidade cultural da região nos instiga a pensar o lugar das mesclas, os processos de mestiçagens, de hibridação, a crioulidade e a herança indígena das gentes, com suas manifestações artísticas, religiosas e lingüísticas, entre outras.

32


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPEM GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS ENEIDA DE MORAES SOBRE MULHER E RELAÇÕES DE GÊNERO ______________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Pará - UFPA Instituto de Filosofia e Ciências Humanas Link CNPq http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0044709CJCGR5K Site do grupo http://www.ufpa.br/projetogepem Em meados dos anos sessenta, o feminismo estimulou o interesse pelos estudos de gênero, dando um novo olhar à Ciência, numa base interdisciplinar, favorecendo a criação de programas de estudos nas universidades e demais instituições, com estímulo à criação de grupos e núcleos de pesquisas sobre a mulher e as demais questões de gênero. No âmbito da Universidade Federal do Pará, esta nova área de conhecimento suscitou a criação do GEPEM - Grupo de Estudos e Pesquisas Eneida de Moraes, em 1994, cujas associadas têm procurado refletir sobre os temas que sinalizam para a valorização dos Direitos Humanos. O GEPEM é constituído por docentes, discentes, técnico-administrativos, pesquisadores e profissionais da UFPA e de outras instituições públicas e privadas, interessados na temática gênero. Tem realizado Encontros na região amazônica sobre o tema, com a produção de três livros com resultados de pesquisas e estudos na área. Contribuí com discussões e assessoria entre os movimentos de mulheres do Pará. A capacitação de docentes, discentes da UFPA e de outras instituições na temática gênero, esboça-se como uma das preocupações do corpo permanente do GEPEM, incluindo-se as novas questões e problemas levantados pelas Ciências Sociais que passaram pela ruptura de paradigmas e criaram novas tecnologias metodológicas. Esta preocupação se junta às propostas das agências institucionais como a Secretaria Especial de Políticas para Mulheres que têm estimulado a implementação de Políticas Públicas para o gênero reconhecendo que a luta por uma cidadania de qualidade esboça-se na razão lógica de que os direitos das mulheres também são direitos humanos. O GEPEM articula-se com os Programas de Pós-Graduação: Ciências Sociais (PPGCS) e o de Psicologia, da UFPA. Tem feito parcerias com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH), com a Secretaria de Educação (SEDUC) e com ONGs internacionais (ICSF/WIF). É associado à REDEFEM e à REDOR.

33


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GERA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISA SOBRE FORMAÇÃO DE PROFESSORES E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS __________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Pará - UFPA Instituto de Ciências da Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0044708Z8GP1AI

Repercussões do grupo: participação no Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros (COPENE); No Consórcio dos Núcleos de Estudos AfroBrasileiros (NEABS); A uma pesquisa nacional com MEC e UNESCO;

34


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEPAEL NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA AMAZÔNICOS EM ESPORTE E LAZER ___________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado do Pará – UEPA Departamento de Arte Corpora Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1929409AI0DXJV

No ano de 2008, o grupo buscou através da linha de pesquisa Educação Física Escolar mediar e integrar ensino, pesquisa e extensão na construção do ensino-aprendizagem do homem ao meio educacional. Elaborou atividades, como eventos científicos, oficinas, rodas de conversa, orientação na produção de artigos, tendo como foco de pesquisa o planejamento, o projeto político pedagógico, o plano de aula e os projetos do governo inseridos na escola para sua adequação e funcionamento, utilizando-se dos PCN’s e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação para sua efetivação. Através da linha de pesquisa lazer, práticas corporais e cultura étnica desenvolveu, em 2008, projetos voltados às questões indígenas e quilombolas. Dentre os projetos estão o Projeto de Iniciação Científica “O processo de aprendizagem das danças indígenas: relações interculturais e de identidade étnica" e o projetos "Corpos em Movimento na Amazônia: Um Estudo Comparativo de Concepção de corpo do movimento de Universitárias de Altamira".

35


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEPEC NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CURRÍCULO

______________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Pará - UFPA Instituto de Ciências da Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0044708MT286CO

O NEPEC: Núcleo de Estudos e Pesquisa em Currículo surgiu da necessidade de congregar docentes pesquisadores do Centro de Educação interessados em desenvolver estudos e investigações envolvendo o campo do currículo como núcleo das suas reflexões teórico-epistemológicas. Nesse sentido, os objetivos propostos pelo Núcleo são: OBJETIVOS · Congregar Pesquisadores com o propósito de desenvolver investigações visando a produção e socialização do conhecimento no campo do currículo; · Estabelecer parcerias com outros Grupos de Pesquisa locais, regionais e nacionais no intuito de consolidar intercâmbios acadêmico-científico-institucionais entre os pesquisadores envolvidos; · Analisar o processo de formulação e implementação de políticas e experiências curriculares no sistema de ensino; · Subsidiar a elaboração de políticas de currículo por meio das atividades de assessoria junto às equipes curriculares do sistema de ensino; · Desenvolver trabalhos de consultoria no campo da Elaboração, Planejamento, Avaliação e acompanhamento de Currículo junto a equipes do sistema educacional. METAS · Fortalecer a Linha de Pesquisa Currículo e Formação de Professores configuradora do Programa de Pós-Graduação em Educação; · Ofertar Curso de Pós-Graduação latu sensu tendo o currículo como área de concentração; · Promover a articulação entre o ensino de graduação e a pós-graduação por meio da oferta de atividades curriculares no Núcleo Eletivo do curso de Pedagogia; · Realizar assessorias no âmbito das reformas curriculares junto ao sistema de ensino; · Coordenar Projetos de Pesquisa no campo do currículo submetendo-os às agências de fomento de modo a ampliar a participação dos discentes de graduação e pós-graduação na iniciação científica; · Realizar publicações periódicas visando socializar os conhecimentos produzidos no Núcleo de Estudos; · Promover eventos que estimulem o debate e a reflexão acerca das políticas curriculares em abrangência nacional, regional e local;

36


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NOSMULHERES ORGANIZAÇÃO NOSMULHERES ______________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Pará - UFPA Instituto de Filosofia e Ciências Humanas Link CNPq http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=004470308HT2AJ Site do grupo www.organizacaonosmulheres.com.br

A articulação entre as questões derivadas das temáticas de gênero, das demandas originárias das diferentes faixas etárias, do reconhecimento aos direitos sexuais, dos diferentes grupos étnico-raciais, e das diferentes classes e frações de classe constitui uma perspectiva rica para a pesquisa nas ciências sociais e a ação estratégica sobre a vida social. Nos locais periféricos aos centros dinâmicos do capitalismo se fazem sentir as conseqüências mais cruéis dessa forma de organização social. A região Norte do Brasil possui os piores indicadores sociais deste vasto país. O Estado do Pará é um exemplo da triste designação de possuir os piores indicadores econômicos do país; além das enormes desigualdades sociais e crescimento desordenado também ostenta altos índices de violência contra quaisquer grupos locais que se organizem para defender seus direitos. Ainda o Pará no que se refere ao tráfico de pessoas, a exploração do trabalho infantil e juvenil doméstico e ao trabalho escravo possui os índices mais elevados do país. A nossa meta é dar visibilidade social e política com resultados de pesquisa com densidade teórica às questões étnico-raciais e de gênero através de projetos sob novas percepções, novos olhares e, portanto, novas abordagens por incorporarem temáticas de gênero, raça/etnia, de orientação sexual e classe como de cunho fundamental para a análise de fenômenos sociais. O nosso objetivo é o incentivo à disseminação de debates acadêmicos, conjugados a produção de pesquisa de fôlego sobre as diversidades no âmbito da Universidade Federal do Pará, e com franco diálogo com os movimentos sociais da região amazônica.

37


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo de Estudos Afro-brasileiros __________________________________________________________________________________

Instituição Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará – IFPA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=16617083DKU5FM

Este projeto visa atender os propósitos expressos na Indicação CNE/CP 06/2002, bem como regulamentar a alteração trazida à LDB 9394/96, pela Lei 10.639/2003 que estabelece a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana na Educação Básica. Desta forma, busca cumprir o estabelecido na Constituição Federal nos seus Art. 5º, I, Art. 210, Art. 206, I, § 1° do Art. 242, Art. 215 e Art. 216, bem como nos Art. 26, 26 A e 79 B na LDB 9.394/96, que asseguram o direito à igualdade de condições de vida e de cidadania, assim como garantem igual direito às histórias e culturas que compõem a nação brasileira, além do direito de acesso às diferentes fontes da cultura nacional a todos brasileiros. O CEFET/PA, sendo uma instituição de ensino com compromisso social insere-se na Política de Educação Inclusiva do Governo Federal em prol da democratização do acesso e permanência de afrodescendentes e indígenas nas Universidades brasileiras. Este projeto visa atender os propósitos que asseguram o direito de igualdade de condições de vida e cidadania aos afrodescendentes e indígenas e sirva de estimulador de dispositivos que apontem para a necessidade de diretrizes que orientem para a criação de espaços que formem sujeitos éticos, solidários e justos para combater a desvalorização de negros e índios na sociedade. Espera-se a construção de novos conhecimentos de Formação Cultural e étnico; Produzir conhecimentos de reflexão crítica, do diálogo, da liberdade de expressão, do pensamento, sobretudo, da produção do conhecimento novo; Aquisição de novos valores que contribuem para a auto-estima do aluno e publicizar os resultados da pesquisa de campo através do Jornal da Conscientização como forma de estimular a criação dispositivos de combates raciais.

38


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Políticas públicas, educação e inclusão social ____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Estado do Pará – UEPA Centro de Ciências Sociais e Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1929708P2CC1UU

O Grupo de Pesquisas Políticas Públicas, Educação e Inclusão Social, constituído por um grupo interdisciplinar de professores e alunos de várias universidades, cadastrado junto ao CNPQ, surgiu do interesse de seus participantes em pesquisar, discutir e refletir criticamente a respeito de questões relativas às políticas públicas, à educação e à inclusão social no contexto das transformações sociais, econômicas, políticas e culturais presentes na sociedade contemporânea e suas implicações na realidade social e educacional brasileira. Os partícipes deste grupo se propõem a desenvolver estudos, a pesquisar e analisar as políticas públicas, implementadas nas diferentes esferas sociais e áreas de conhecimento, seja no âmbito federal, estadual ou municipal, considerando a necessidade que tem a nossa sociedade de saldar sua dívida histórica com os diversos tipos de exclusão que tem sido gerado pela sociedade capitalista. Neste intento, tem como objetivos divulgar os conhecimentos produzidos em suas pesquisas, como forma de subsidiar a elaboração de planos, programas e projetos educativos que visem à inclusão de sujeitos excluídos socialmente, buscando estimular alunos e demais pesquisadores a desenvolverem pesquisas sobre as temáticas em questão, assim como abrir caminhos para troca de experiências com profissionais de outras Universidades, por meio do intercâmbio de estudos e pesquisas, seminários, atividades de extensão, cursos e outras ações acadêmicas em parceria. Face à diversidade e a interdisciplinaridade de seus integrantes, integram o grupo seis linhas de pesquisa, nomeadas por: Políticas Públicas de Educação para Inclusão Social; Educação Infantil e Inclusão Social; Filosofia, Cultura e Inclusão Social; Educação, Diversidade e Inclusão Social; Movimentos Sociais, Políticas Públicas de Educação e Exclusão Social; Antropologia, Educação Escolar Indígena e Inclusão Social.

39


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Relações Raciais e Educação __________________________________________________________________________________

Instituição Universidade da Amazônia - UNAMA Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=41167084EPZ6GS O Grupo de Pesquisa trabalha no sentido de ampliar as possibilidades de reflexão sobre a questão étnico-racial, em parceria com outras instituições da região Norte.

40


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Violência e não-violência ______________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Pará – UFPA Instituto de Filosofia e Ciências Humanas Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0044702O5T2R2E Site do grupo http://www.ufpa.br/ppgcs

Estuda temas voltados às questões da violência e não-violência e interfaces com o sistema jurídico, direitos humanos, ética, cidadania, impunidade, criminalidade, sistema prisional, organização da polícia, segurança pública e distintos contornos de conflitos sociais, inclusive agrários.

41


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. TOCANTINS

Educação: sujeitos, linguagens e formação GRUPO DE PESQUISA ___________________________________________________________________________________

Instituição Fundação Universidade Federal do Tocantins – UFT Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4609708DPZ6GAJ

Os estudos dos temas educacionais como prática pedagógica, prática social e formação de professores têm-se apoiado na história do pensamento pedagógico, nos estudos culturais e nos estudos do cotidiano (etnografia). Desenvolve pesquisas na região Norte, tais como : A Linguagem nos processos de ensino e de aprendizagem, limites e possibilidades,pesquisa também as várias linguagens e suas inter-relações com o campo das artes, pesquisando as possíveis contribuições destas áreas no cultivo e na dinamização das transmissões culturais,tanto regionais como nacionais, buscando fomentar o desenvolvimento sócio-cultural e Educacional da região norte, contribuindo com a valorização cultural brasileira. Em 2006 o grupo conseguiu aprovação do Ministério da Cultura para implantação de um Ponto de Cultura no campus da UFT-Tocantinópolis. Através do Programa Cultura Viva, os Pontos de Cultura buscam desenvolver políticas culturais para o desenvolvimento regional. O nosso Ponto de Cultura denominado "No Bico da Cultura" busca desenvolver atividades de formação e capacitação junto a adolescentes das escolas e da comunidade regional. Busca também desenvolver pesquisas e registro sobre as manifestações culturais características da região do Bico do Papagaio. O projeto tem financiamento do Ministério da Cultura para a compra de equipamentos e o desenvolvimento das atividades, e terá duração de dois anos. A criação do CEDOC-TIMBIRA, em 2006, é outro importante passo do grupo. O Centro de Documentação vêm reunindo importantes materiais dos povos Timbira, e pretende ser um espaço privilegiado para pesquisa e divulgação da cultura indígena brasileira, junto aos indígenas e aos não indígenas.

42


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

ELITEDERR EDUCAÇÃO, LINGUAGENS, TERRITORIALIDADES, DIVERSIDADES SOCIOCULTURAIS E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS

____________________________________________________________________ Instituição Fundação Universidade Federal do Tocantins – UFT Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4609708W52CJS4 Linhas de pesquisa         

Educação e Relações Étnico-Raciais; Ambiente, Território e Identidades; Dinâmicas Identitárias e arte-educação; Diversidades Socioculturais; Educação do Campo e Ruralidades; Educação Inclusiva; Etnomatemática; Literatura Infanto-Juvenil, Memória e Cultura Negra; Movimentos Sociais, Educação e Cidadania.

43


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

ETNOLAB LABORATÓRIO DE ARQUEOLOGIA, ETNOLOGIA E ETNO-HISTÓRIA __________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Grande Dourados – UFGD Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=I3CJ705RY8T 0AM O grupo de pesquisa está vinculado ao ETNOLAB - Laboratório de Arqueologia, Etnologia e Etno-história e ao PPGH - Programa de PósGraduação em História, linha de pesquisa História Indígena, da FCH Faculdade de Ciências Humanas, da UFGD - Universidade Federal da Grande Dourados. Fazem parte do grupo especialistas nas áreas de arqueologia, etnologia indígena, etno-história e educação escolar indígena, os quais têm se dedicado ao estudo de populações e povos tradicionais na região platina, sobretudo em Mato Grosso do Sul (Brasil), Paraguai e Bolívia. Diversos trabalhos têm sido concluídos e seus resultados divulgados sob forma de artigos, livros, dissertações de mestrado, teses de doutorado e relatórios científicos. O grupo tem se mantido aberto às parcerias interinstitucionais com vistas à execução de projetos de pesquisas, consultorias científicas e socialização de conhecimentos. Dentre os principais trabalhos realizados nos últimos anos constam os seguintes: perícias antropológicas para a Justiça Federal, com vistas à identificação de terras de ocupação tradicional indígena; estudos voltados para o licenciamento ambiental (meio antrópico e diagnóstico arqueológico); relatórios sócio-histórico-antropológicos sobre territórios quilombolas; projetos de pesquisa com financiamento do CNPq, FINEP e FUNDECT; consultoria científica para instituições como UNICEF, FUNAI e FUNASA; e atuação no curso de Licenciatura Indígena oferecido pela UFGD. O grupo também tem articulado parcerias interinstitucionais de mútua cooperação entre a UFGD e instituições como a Universidad Católica Nuestra Señora de Asunción, Paraguai, a FUNAI e o INCRA.

44


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E MEMÓRIA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT Instituto de Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0332708CJEQFB8 Site do grupo www.cgi.ufmt.br/gphist.html

O Grupo de Pesquisa História da Educação e Memória - GEM tem como objetivo o desenvolvimento de pesquisas na área de história da educação, em períodos históricos diferenciados, com centralidade para temáticas nacionais (Brasil Colônia, Império e República) e regionais, contemplando também interfaces com a história da educação na América Latina e África. Dentre as produções do GEM destacam-se a organização de um amplo banco de dados relativo à área educacional em Mato Grosso, no qual são socializados os dados documentais coligidos pelo GEM ao longo dos anos, disponibilizando-os virtualmente e em publicações impressas. O Grupo de Pesquisa também oferece as dissertações e teses defendidas pelos seus integrantes. Os membros do grupo têm participado de eventos regionais, nacionais e internacionais, com apresentação de trabalhos, assim como publicam artigos em periódicos e livros. Sua contribuição é relevante na área dos ensinos de graduação, pós-graduação e extensão, com destaque à formação de pesquisadores e à organização de acervos educacionais.

45


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GIEPEES GRUPO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE ESTADO, EDUCAÇÃO E SOCIEDADE

______________________________________________________________ Instituição Fundação Universidade Federal do Tocantins – UFT Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4609708Y6FR08H

O Grupo se propõe desenvolver estudos e pesquisas sobre o Estado, a Educação e a Sociedade, estabelecendo um processo de observação e avaliação constante das políticas públicas nacionais, regionais e locais. Os principais eixos de atuação deverão estar relacionados a: 1) formas e funções do Estado diante das novas perspectivas e contradições geradas no processo de reestruturação produtiva e pelas lutas sociais; 2) trabalho, emprego e renda e sua interface com a educação, saúde e segurança; 3) o Estado em ação no contexto nacional, regional e local, com destaque para a criação, o desenvolvimento a avaliação das políticas públicas de educação, saúde e segurança; 4) o processo de constituição de referencial normativo e prático que regula a participação popular na formulação de políticas públicas; 5) a relação entre a participação popular na gestão pública e o desenvolvimento socioeconómico local.

46


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo Tocantinense Arqueologia ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Tocantins – UNITINS Núcleo Tocantinense de Arqueologia Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=8251704BGGE8CS

Este grupo desenvolve projetos de pesquisas voltados para Patrimonio Histórico Cultural Paisagistíco e Arqueologico, seus trabalhos, basicamente, são de Levantamentos, Monitoramentos e Resgates do PHCPA voltados para UHE, Linhas de Transmissão, Ferrovias e Gasodutos e qualquer empreendimento de grande ou pequeno impacto natural e cultural, nossas pesquisas tem repercussão Nacional e Internacional (Convênios com Instituto de Arqueologia Brasileira - IAB, no Rio de Janeiro - Brasil e Smithsonian Institution, Washington-USA). Nossos trabalhos são divulgados normalmente através de Artigos, Publicações, Congressos, Seminários e etc. Atendemos constantemente alunos da rede pública e acadêmicos de várias universidades, além da participação em cursos de Pós-graduação (como Professores/Pesquisadores). Este grupo também tem uma equipe multidisciplinar com cada pesquisador atuando em sua área, contribuindo com a pesquisa arqueológica e divulgando seus trabalhos para comunidade acadêmica e leiga.

47


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

O negro e suas participações societárias NA EDUCAÇÃO, CULTURA, POLÍTICA, ECONOMIA, RELIGIÃO, HISTÓRIA, IDENTIDADE, SAÚDE, MÍDIA E NA SEGURIDADE ALIMENTAR.

___________________________________________________________________ Instituição Fundação Universidade Federal do Tocantins - UFT Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4609703ALV2C6G 01) Organização da III Semana da Consciência Negra em Tocantinópolis. 02) Convênio com o Cineclube da UFT em Tocantinópolis. 03) Duas Bolsas Permanência, para o Cineclube da UFT em Tocantinópolis. 04) Uma Bolsa Permanência, para a Pesquisa sobre o Censo Discente do UFT. 05) Formação de um Grupo de Estudos sobre as Relações entre Negros e Brancos no Brasil.

48


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Religiosidades e Festas ____________________________________________________________________ Instituição Fundação Universidade Federal do Tocantins - UFT Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4609705CMY7FO0

Grupo de pesquisa que tem como objetivo contribuir para dar visibilidade às diferentes religiosidades e suas relações com as festas. A experiência histórica das populações de origem africana e indígenas e suas influências religiosas nas diversas formas que a cultura popular se manifesta também serão tema dos estudos do grupo. Nos últimos anos, temos assistido em nosso país a um aumento considerável de debates em torno da preservação, valorização e proteção cultural. O estado do Tocantins carece, sobremaneira, de estudos, pesquisas e levantamentos que revelem a diversidade de seu patrimônio cultural, principalmente no que concerne ao reconhecimento, identificação, catalogação e disseminação dos saberes e práticas dos grupos tradicionais, além de mapear a diversidade religiosa e a discriminação. Nos últimos anos, os pesquisadores têm orientado pesquisas, graduação e especialização em História e Cultura africana e afro-brasileira, na área de religiosidade, festas e de História da África. No ensino, graduação e especialização, o grupo contribui para a presença de História da África, Cultura Afro-brasileira, Sincretismo Religioso e Patrimônio Cultural. Assim, a proposta do Grupo de Pesquisas consiste, também, em congregar trabalhos de pesquisas e resultados de projetos acadêmicos voltados ao estudo de temáticas sobre a História e Cultura dos povos africanos, e a contribuição histórico-cultural destes povos para a formação da identidade nacional e regional. Mírian Tesserolli é doutoranda pela UFPA, em Antropologia da Religião, pesquisando tema relativo ao candomblé. Noeci Carvalho Messias é doutoranda pela UFG, em História, pesquisando Festas e Religiosidade Popular.

49


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

REGIÃO NORDESTE

50


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. ALAGOAS

Educação e Relações Étnico-Raciais ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Alagoas – UFAL Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=033170819IU3BK

O Grupo de Pesquisa Educação e Relações Étnico-Raciais, da Universidade Federal de Alagoas, Centro de Educação CEDU) faz parte da linha de Pesquisa História e Política da Educação. O grupo visa desenvolver pesquisas com professores e estudantes em torno da temática de Relações ÉtnicoRaciais na Educação, a partir das discussões sobre a importância do componente racial na estruturação da sociedade brasileira, Memória, Ancestralidade e Identidade, os Movimentos Negros e o Processo Educativo Brasileiro, bem como a questão racial na formação do educador. Diante disso, espera-se que as pesquisas realizadas no grupo possam contribuir com a reconstrução histórica da população negra no Brasil, especialmente em Maceió, a partir do conhecimento do que ocorre no âmbito da Educação em Alagoas no que diz respeito ao trato da questão racial.

51


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. BAHIA

África: história e identidades GRUPO DE PESQUISA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Bahia – UFBA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291705OPNB8UO

A construção de uma identidade passa pelo conhecimento da própria História, não no sentido de resgatá-la idealisticamente, mas de fazê-la presente como referência cultural. O Brasil é o segundo maior país de negros ou de descendentes de negros do mundo, realidade que na Bahia e, mais particularmente, em Salvador torna-se evidente. Apesar disto, a extemporânea sobrevivência de uma mentalidade de cariz escravocrata e a propalação hegemônica da cultura de origem européia parecem querer apagar a África, cuja História, culturas e povos são reduzidos a uma falsa entidade única que aparece e desaparece como tema de estudo não como possuidora de sua própria historicidade, mas como apêndice da História da expansão européia e, por extensão, do tráfico a ela associada; passado este capítulo, desaparece misteriosamente. Fica-nos a impressão de que deixou de ter História, de existir. O presente Grupo de Pesquisa visa fortalecer um espaço acadêmico dedicado ao estudo da História da África numa perspectiva interdisciplinar agregando tanto pesquisadores sênior, mestrandos e doutorandos, além de alunos de iniciação científica criando assim uma sinergia na formação de quadros cujo objetivo a médio e longo prazo é ajudar a dotar o Brasil de massa crítica acadêmica com sólida informação e instrumentos teóricos que permitam inserir-se nas discussões internacionais contemporâneas sobre África e, ao mesmo tempo, contribuir para a superação de mitos reinantes na sociedade brasileira.

52


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Cultura, Memória e Desenvolvimento Regional ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=58427053KC1GHW

As pesquisas realizadas por este grupo impactarão sobre a qualidade do ensino na região onde está localizado o DCH-Campus V da Universidade do Estado da Bahia, uma vez que majoritariamente os seus pesquisadores atuam no ensino de graduação, bem como nos cursos de Pós-graduação Lato Sensu oferecidos. Além desses cursos, o grupo de pesquisa dará suporte ao Mestrado Multidisciplinar na área de Ciências Humanas que está sendo implantado neste mesmo Departamento. A área de influência direta onde está localizado o Campus V, situada entre o Recôncavo Sul da Bahia, o Recôncavo Clássico (canavieiro e fumageiro) e a Costa do Dendê (Baixo Sul), abriga mais de 100 municípios. Dados levantados por intermédio dos projetos de pesquisa dos professores e das monografias dos cursos de pósgraduação lato sensu desenvolvidas no Campus V sobre a região, além de estudos de órgãos de planejamento do governo, indicam uma certa estagnação econômica, com reflexos substantivos em outros setores, associada à ausência de políticas e programas de desenvolvimento regional. Em contrapartida, a região configura-se como um rico manancial de experiências, práticas, técnicas, modos de vida e valores que permanecem como prova da sua exuberância cultural e civilizatória. Traços distintos de civilizações com composições étnicas próprias amalgamaram-se, constituindo no recôncavo baiano, uma cultura própria que singulariza a região em comparação com outras regiões da Bahia e do Brasil. Diante disso o objetivo fundamental deste Grupo de Pesquisa é dar sistematicidade a um processo de reflexão e produção de conhecimentos que conjugue, através de uma articulação multidisciplinar, o oferecimento de alternativas de desenvolvimento regional nas suas múltiplas dimensões e implicações, tomando o estudo e a pesquisa das especificidades histórico-culturais das localidades que compõem a região, como principal fundamento a partir do qual o desenvolvimento deve ser compreendido e praticado

53


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Descolonização e educação ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842708W1D6BQW

O Grupo “Descolonização e Educação” desenvolve produções acadêmicocientíficas no contexto da diversidade cultural nas Américas. Essas produções vêm fomentando pesquisas, estudos e atividades de ensino e extensão, baseados numa ética que permita a garantia da coexistência e expressão territorial dos contínuos civilizatórios que caracterizam esse continente. Agrega estudiosos e pesquisadores que produzem participações criativas, com vistas a superar os paradigmas neocoloniais e etnocêntricos que estruturam a política de educação no Brasil, além de elaborar e difundir conhecimentos sobre educação referidos às alteridades civilizatórias que constituem a formação social brasileira. Os resultados dessas iniciativas visam: a constituição de uma perspectiva de educação que tenha uma orientação teórico-metodológica e estruturação jurídico-política ancorada à diversidade cultural da nação,a exemplo das disciplinas ministradas no curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade; estabelecer canais editoriais que se desdobrem da episteme africana e aborígine, a exemplo do periódico SEMENTES Caderno de Pesquisa indexado nas principais bases de dados no Brasil e América Latina.O grupo vem realizando e participando de eventos científicos locais e internacionais.A partir de 2006 elaborou material didático-pedagógico para professores e público infanto-juvenil sobre a presença africana na Bahia.Temos realizado com sucesso cursos de atualização de professores em escolas públicas e particulares de ensino e institucionalizamos atividades de consultoria às comunidades tradicionais do entorno da UNEB a exemplo do projeto educacional "Odemodé Egbé Asipá"(1999-2003) e o "Dayó:afirmando a alegria socioexistencial das comunalidades africanobrasileiras" com jovens oriundos de comunidades tradicionais da Bahia.Dessa atividade de Extensão desdobra-se a assessoria a Associação Cultural Crianças Raízes do Abaeté.

54


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

DIADORIM NÚCLEO DE ESTUDOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia - UNEB Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade. Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842703NV4GPX6 Site do grupo www.diadorim.uneb.br

O Núcleo de Estudos de Gênero e Sexualidade (NUGSEX) DIADORIM é um espaço acadêmico cujos objetivos são o estudo, a pesquisa, o ensino e a extensão no campo de gênero e sexualidade na Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Esse grupo de pesquisadores atua no campo de estudos sobre “Corpo, Gênero e Sexualidade”, com especial atenção para os estudos sobre homossexualidade e teoria quer. Esse grupo foi criado por professores, de ambos os sexos, oriundos de diferentes áreas do conhecimento e campi da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), principalmente das áreas de Antropologia, Letras e Pedagogia entre outros. A partir destes estudos, pretende contribuir para o desenvolvimento de uma agenda social que promova no país a igualdade de gênero, raça/ etnia, classe social e o combate a todas as formas de discriminação e violência.

55


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação de Pessoas Hospitalizadas e/ou Doentes Crônicas ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Bahia - UFBA Programa de Pós-Graduação em Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291708PZT3AKV Site do grupo http://www.cerelepe.faced.ufba.br O Grupo tem instrumentalizado, com evidências empíricas, uma modalidade de atenção educativa filiada à Educação Especial que se faz atuar entre os espaços e rotinas heterodoxos de hospitais. Objetiva a produção de conhecimento sobre a aprendizagem da criança, do adolescente, ou do adulto hospitalizados e/ou doentes crônicos, bem como, sobre a aprendizagem de seus acompanhantes. Para isto as pesquisas se valem não somente dos referenciais da Psicologia, da Pedagogia, da Medicina e da Enfermagem, como se beneficiam igualmente de contribuições da Antropologia Médica, da Saúde Pública, da Terapia Ocupacional, do Serviço Social, da Educação Física, da Sociologia da Saúde, da Hotelaria Hospitalar, dentre outras áreas de saber. Este grupo atende pelo nome fantasia de Centro de Estudos sobre Recreação, Escolarização e Lazer em Enfermarias Pediátricas. É um centro de documentação para o estudo da escolarização em ambiente hospitalar, para o estudo da contação de histórias, da expressão artística em hospitais e para o estudo das atividades de recreadores em brinquedotecas. Reúne materiais diversos- impressos e digitalizadose mantêm um acervo de livros, periódicos, separatas, filmes, documentários, revistas e matérias de jornal. No curto período de dois anos de atividades do grupo destacam-se as seguintes repercussões: trabalhos em eventos ( 3 no Brasil, 3 na Finlândia, 2 no Chile, 1 na Venezuela); orientações concluídas (2 de PIBIC, 4 de monografias); orientações em andamento (3 de mestrado, 4 de iniciação científica), pesquisas financiadas (1 executada CNPq, 1 em andamento FAPESB); 3 artigos publicados em periódicos (1 Qualis A), cursos de extensão (2 turmas para comunidade externa); abertura de campo de estágio no Hospital Universitário (2 bolsistas); 3 turmas da disciplina Pedagogia Hospitalar, na graduação; 1 de Educação em Saúde, na Pós Graduação;parceria com entidade Européia (TIMSIS) na tradução para o português de seu web site.

56


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação, Desigualdade e Diversidade ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842708W3GFS89

O grupo trabalha com a relação entre acesso à escola, fracasso escolar e grau de escolarização e as desigualdades sociais marcadas pelas diversidades raciais e étnicas na população. Discute formas de combate à discriminação étnico/racial e ao racismo pela via da escola, analisando também tanto os materiais didáticos e as práticas escolares quanto os reflexos do fracasso escolar no emprego e renda da população baiana. O Grupo está associado ao programa A Cor da Bahia/UFBA e ao Centro de Estudos Afro-Orientais CEAO/UFBA. Participou também de projetos de pesquisa premiados pela Fundação Ford, através do Concurso sobre Negro e Educação da ANPED. Participou do projeto Observatório da Cor, em articulação entre as universidades UERJ, USP, UNB e UFBA. Acompanha as políticas afirmativas para o ensino superior, implantadas nas universidades brasileiras. A pesquisa produzida no âmbito do Grupo tem subsidiado o debate sobre ações afirmativas para negros na educação superior, bem como as propostas de implantação de sistema de cotas raciais nas universidades federais brasileiras. O trabalho produzido no Grupo subsidiou a Fundação Cultural Palmares na realização de uma série de seminários em diversas regiões do País, para debater o tema do acesso dos estudantes negros ao ensino superior. Em resenha sobre publicação do Grupo, SANTOS (2006) destacou a contribuição da pesquisa desenvolvida pelo Grupo, "Destaco a importância desse estudo para a Universidade Federal da Bahia, posto que ele muito nos auxiliou na elaboração da proposta de ações afirmativas... Os dados demonstrados com acuidade no trabalho original indicam que não se trata somente de um trabalho original, mas de uma pesquisa que foi traduzida em política pública" (Santos, Jocélio Teles dos. Ações Afirmativas, Ensino superior e Políticas Públicas. Revista FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, Salvador, v.15, n. 25. p. 268-269, jan.jun. 2006).

57


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação e Relações Étnicas SABERES E PRATICAS DO LEGADO AFRICANO E INDIGENAS _______________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=7490703BMW3DPY

Os membros deste grupo são em sua maioria docentes de diversas áreas do conhecimento, o que faz com que este grupo busque em seus estudos entender o processo ensino/aprendizagem fundamentado nas dimensões Técnica, Política e Humana. Vale ressaltar que este grupo de pesquisa articula-se para promover ensino e extensão contribuindo para implantação da lei 10639/2003 atual 11645/2008 nos níveis de ensino superior, infantil, fundamental e médio. No que tange a extensão os nossos estudos nos apontaram a necessidade de estruturar os conteúdos trabalhados em um curso de aperfeiçoamento oferecido por este grupo desde 2005 através da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. O mesmo denomina-se por "Educação e Culturas Afro-brasileiras". Também oferecemos outro curso de pós Graduação Lato Sensu em "Antropologia com Ênfase em Culturas Afrobrasileiras" com o objetivo de levantarmos o legado Africano no Estado da Bahia, em especial, da região do Sudoeste da Bahia. Para discutir pesquisas realizadas propomos anualmente dois encontros um deles em 21 de março "Encontro de Combate à Discriminação Étnica" e o outro de 16 a 20 de Novembro "Semana de Educação da Pertença Afro-Brasileira". Neste ano os dois encontros entram na sua IV edição, o segundo evoluiu para o "I Encontro Estadual de Educação e Relações Étnicas e IV Semana de Educação da Pertença Afro-brasileira" que foi realizado no período acima enunciado com a participação de 600 participantes. O Encontro foi financiado pela FAPESB- Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado da Bahia e também pelo MEC/SESU/UNIAFRO,em parceria com a APLB - Associação de Professores do Estado da Bahia; DIREC 13 e Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Jequié.

58


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação Inclusiva e Necessidades Educacionais Especiais ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Bahia – UFBA Programa de Pós-Graduação em Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291708NU4GPX6

O grupo vem analisando e discutindo a implementação das práticas inclusivas no contexto escolar e social, visando compreender a realidade, desvelar perspectivas, impasses e propor novas práticas para a consecução de uma sociedade e de uma escola que atenda às especificidades das pessoas com necessidades especiais, tendo em vista o seu desenvolvimento e inclusão social. O grupo tem um caráter interdisciplinar, integrando diferentes áreas e docentes da FACED/UFBa - Faculdade de Educação da UFBA e da UEFS - Universidade Estadual de Feira de Santana e discentes de Pós-Graduação em Educação e Graduação em Pedagogia e Fonoaudiologia da UFBA. Tem contribuído com estudos e pesquisas realizadas ou em fase de desenvolvimento que analisam e discutem a educação especial, em relação à implementação da política pública, à cultura escolar e diversidade, a práxis pedagógica, a arte e corporeidade e as questões relativas ao trabalho e profissionalização da pessoa com deficiência. Os profissionais, estudantes e técnicos têm tido uma participação ativa na divulgação dos resultados de suas pesquisas, através de participação em eventos, Nacionais e Internacionais, além de publicação de artigos em periódicos científicos. Suas atividades envolvem também a formação de recursos humanos, através de bolsistas de iniciação científica, alunos de Mestrado e de Doutorado, cujas pesquisas situam-se na área de identidade do grupo. Os membros do grupo ainda têm tido uma atuação expressiva nos cursos de graduação junto ao curso de Pedagogia, colaborando para a produção do conhecimento na área de sua atuação. No âmbito externo, têm atuando em diversas instâncias: coordenação de eventos, participação na ABPEE- Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial, membro do conselho consultivo da Revista Brasileira de Educação Especial, articulação de ações com a comunidade e com as demandas dos municípios da região, dentre outras.

59


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Escritas à deriva REDES LITERÁRIAS NAS MALHAS DA FICÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA _______________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842802X7EOZ9G

Promoção de Palestras abertas à Comunidade: profª Drª Lívia Natália Souza (UESC), cujo tema foi "Literatura feminina afro-brasileira" e profª Ms Suzane Costa (F2J), cujo tema foi "literatura de ficção científica". Promoção da I Mostra de Cinema de Xique-Xique "Meu sertão, meu mundo" e da II Mostra de Cinema cujo tema foi "Em cartaz, a Diversidade sexual". Em ambas mostras os professores coordenadores do Projeto de pesquisa conduziram os debates ao lado de outros docentes. Os dois eventos abertos à comunidade local. Apresentação de trabalhos de docente e de discentes no I CBPN (Congresso Baiano de Pesquisadores negros). Publicação de artigo do prof. João Neto na Revista Independência da F2J - nº 2(ISSN: 1981-1098). Promoção do Curso de Extensão (total de 115 horas) “Redes Literárias: contatos e ressonâncias nas literaturas africanas". Curso modular com professores do projeto de pesquisa e de outras instituições - Evento aberto à Comunidade acadêmica e laica. Realização do I Colóquio de língua, literatura e cultura afro-brasileira de 20 a 23 de maio/2009 com a presença de docentes que pesquisam tal temática em diversas atividades, como palestras, mesas-redondas e comunicações por discentes que pesquisam essa área. Coordenação editorial do livro "Escritas à Deriva: Estudos de Literaturas e Culturas Africanas e Afro-brasileiras" que será lançado em 2009, com artigos de professores que ministraram módulos do curso de extensão supra-citado e professores convidados.

60


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

FIRMINA POS-COLONIALIDADE: EDUCAÇÃO, HISTÓRIA, CULTURA E AÇÕES AFIRMATIVAS ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia - UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842708Z92CJT4

O Grupo FIRMINA - POS-COLONIALIDADE nasce a partir de ações de pesquisa, estudos e atividades de formação de professores desenvolvidas por um Grupo de Estudos vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia-UNEB. Essas ações relacionam-se aos conteúdos determinados pela Lei Federal 10639-03, qual seja, a obrigatoriedade de inclusão de História da África e Cultura Afro-Brasileira nas escolas da Educação Básica.Consolidada essas atividades iniciais, o Grupo passou a desenvolver atividades de pesquisas mais sistemáticas se especializando no tema das Ações Afirmativas, sobretudo no que diz respeito ao acesso, desempenho e permanência de estudantes negros no ensino superior. Em complemento o Grupo tem se empenhado em pesquisas e reflexões que garantem o aprofundamento sobre o conhecimento das experiências históricas das populações negras brasileiras, em especial, nos aspectos específicos negligenciados pela historiografia oficial. Do ponto de vista teórico-metodológico o Grupo toma como referência fundamental as concepções nomeadas como Estudos PósColoniais. Nesse sentido defendem uma postura revisionista, de modo a incluir os subalternos, mais especificamente, as populações negras, no cenário da história, não como objetos de estudos, mas como sujeitos, concebendo a negritude como retomada da dignidade negada pelo colonialismo, de modo a propor a descolonização do pensamento no sentido de uma perspectiva própria de vida, conhecimento e experiência. Espera-se, com as atividades e produções deste Grupo de Pesquisa, contribuir para a ampliação do conhecimento sobre a dinâmica das relações e hierarquias étnico-raciais brasileiras. Busca-se ainda, com a produção desses novos conhecimentos, desenvolver metodologias pedagógicas inovadoras e subsídios para a produção de material didático, voltados para a formação de professores que atuam na educação básica.

61


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEAALC GRUPO DE ESTUDOS AFRICANOS E AFRO-BRASILEIROS EM LÍNGUAS E CULTURAS ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=58427038PJT09L

O GEAALC participou, em agosto de 2008, da organização do evento II Seminário Internacional Acolhendo as Línguas Africanas, realizado na Universidade do Estado da Bahia /UNEB. Alguns de seus pesquisadores apresentaram trabalhos com resultados de suas pesquisas em torno a temáticas de cultura africanas e afro-brasileiras e de línguas africanas. Suas líderes participaram diretamente da Organização do evento e da composição do seu Comitê Científico. Em abril e maio de 2009, o GEAALC organizou as seguintes palestras que se realizaram no Departamento de Ciências Humanas I: . Os afro-brasileiros retornados para o Golfo do Benim ao final do século XIX. Conferencista: Sra. Alcione Meira Amos Bibliotecária- chefe do Arquivo da Biblioteca do Banco Mundial. Washington. USA. O Povo Yorubá: Tradição e Língua Conferencista: Prof.Dr. Olasope Oyelaran. . Os Caminhos de Ifá Conferencista: Prof.Dr. Victor Manfredi. Curso de extensão: História, Cultura e Arte Yorubá. Prof. Dr.Babatundè Lawal Curso de extensão: Literatura afrocaribenha e o papiamento. Profa. Dra. INEKE PHAF (Universidade de HUMBOLDT - Alemanha)

62


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GELING EDUCAÇÃO E LINGUAGEM ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Bahia – UFBA Faculdade de Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291708FOHPYAK Site do grupo www.faced.ufba.br

O grupo vem contribuindo na formação continuada de professores que atuam na rede pública e/ou privada no campo do ensino da língua materna, através de participação em seminários, mesas redondas, publicações e outros eventos. Destaca-se a atuação dos pesquisadores na formação inicial de licenciados dos cursos de letras e pedagogia, mais diretamente, e dos graduandos dos demais cursos de licenciatura que são atendidos pelo Departamento de Educação II da Faculdade de Educação da UFBA.

63


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPADEad GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM ATIVIDADE. DESENVOLVIMENTO CULTURAL, EDUCAÇÃO CONTINUADA E À DISTÂNCIA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842708M3W6DMY Site do grupo http://br.groups.yahoo.com/group/gepade/

O grupo se propõe a reunir professores-pesquisadores, alunos de iniciação científica, funcionários e pessoas da comunidade acadêmica da UNEB XV que efetivamente busquem conhecer melhor, discutir mais e pensar sistematicamente a dimensão pedagógica da atividade tipicamente humana na perspectiva do desenvolvimento cultural. A partir de encontros regulares, presenciais e não-presenciais, nas dependências do NUPEX/Campus XV e na internet, pretende-se (co)laborar um programa de estudos e investigações tendo em vista a geração de novos conhecimentos sobre as múltiplas e diferentes interconexões entre ATIVIDADE, DESENVOLVIMENTO CULTURAL, EDUCAÇÃO CONTINUADA e EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA. O grupo desenvolve no momento alguns projetos entre os quais (1) Teatro Pau-Brasil - Ensino de Arte, Pedagogia Teatral e Interculturalidade que investiga a dimensão pedagógica da atividade cênica em suas múltiplas expressões cotidianas e extra-cotidianas; (2) Laboratório de Educomunicação-EDUCOMLab que volta-se para a discussão dos limites e possibilidades pedagógicas do uso das novas tecnologias da informação e comunicação na escolarização e em processos educativos não formais e (3) PROA - Programa Repositório de Objetos de Aprendizado para o ensino de Artes/Teatro. Contou com 3 (TRÊS) bolsista de IC financiados pela FAPESB/PPG/UNEB/CNPq e PICIN-UNEB e congrega um número expressivo de pesquisadores-docentes de diferentes IES, organizações educativas, e pesquisadores independentes.

64


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GPAfro GRUPO DE PESQUISA EM CULTURAS AFRICANAS E AFRO-BRASILEIRAS E EDUCAÇÃO ___________________________________________________________________________________

Instituição Instituto Anísio Teixeira - IAT/SEC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=IYAK708U3FOW5H

Linhas de pesquisa   

Ações Afirmativas e Educação, Africanidades e Currículo, Ancestralidade Africana e Educação.

65


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Grupo em Educação e Desenvolvimento sócio-ambiental ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=58427082BAKR1C

O grupo multidisciplinar destina-se ao desenvolvimento de trabalhos de pesquisa e extensão sobre diversas questões envolvendo o meio ambiente: qualidade da água de recursos hídricos e biodiversidade, estudos farmacológicos de plantas medicinais sobre a contratilidade do miocárdio de cobaia; além de abordagens em educação, sociologia - ética e cidadania. Ressalta-se que estes trabalhos são desenvolvidos em uma região carente em pesquisa e extensão nas áreas de educação e meio ambiente - região semi-árida e caatingueira do sudoeste baiano.

66


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Grupo interdisciplinar de pesquisa e extensão em Saúde Coletiva ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=I22A4069JQZBLS

Este grupo se dedica a desenvolver estudos em duas grandes áreas da Saúde Coletiva: Planejamento e gestão de serviços de saúde e Ciências sociais aplicadas à saúde. Reconhecendo o papel fundamental da interdisciplinaridade na produção do conhecimento e ações em saúde, participam deste grupo pesquisadores de diferentes áreas deste campo como psicologia, nutrição e enfermagem. Tem como missão desenvolver pesquisas e ações de extensão no campo da saúde coletiva, objetivando contribuir para o aprimoramento dos serviços e ações em saúde no âmbito do Recôncavo Baiano.

67


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

História da Cultura Corporal EDUCAÇÃO, ESPORTE, LAZER E SOCIEDADE _______________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Bahia – UFBA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291708ZBKS1DN Site do grupo www.hcel.ufba.br

A produção histórica da área da Educação, Educação Física, Esporte e Lazer, nas questões concernentes a produção do conhecimento, prática pedagógica, currículo, políticas públicas e formação de professores vem ganhando ênfase na Pós-graduação. Objetiva-se a produção histórica/memórias deste conhecimento no Brasil, sua ampliação, sistematização e análise para a consolidação da base teórica na formação e produção do conhecimento nas Ciências Humanas, Sociais Aplicadas e Saúde. A Educação, Educação Física, Artes e demais áreas afins no desenvolvimento das pesquisas, desdobramentos históricos e sociais, considerando a História como matriz científica. A produção do conhecimento em educação liga-se ao social, historicamente construído; no Nordeste, a pesquisa repercute num levantamento histórico sobre o acervo das culturas corporais, esportivas e de lazer, sistematização em forma de arquivo histórico, centro de memória, levantamento de história de vida de pessoas ligadas às práticas corporais/ esportivas/ lazer da região. A história situada, memórias e contextualização social da riqueza das expressões da cultura corporal, entendidas como linguagem regional e traço de identidade do povo, assim como a práxis pedagógica de preservação/alteração da mesma. A pluralidade de olhares permite instigar inúmeras reflexões sobre a realidade histórica concreta, oferecendo informações para consolidar o grupo e aprofundar o debate relacionado aos referenciais de ordem científica, ética, política e prática auxiliando a construção de um projeto histórico superador da atual forma social - de exclusão da vida e da humanidade para a maioria da população - para outra forma societal, mais justa e economicamente igualitária.

68


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

História Regional e Local ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842705KR1DMT3~ Site do grupo www.ppghis.uneb.br

O grupo de pesquisa intitulado História Regional e Local resulta do aprimoramento de debates estabelecidos entre docentes do Programa de Pós Graduação da Universidade do Estado da Bahia/UNEB, Departamento de Ciências Humanas - Campus V/Santo Antônio de Jesus. As preocupações desse grupo giram em torno de estudos que abordam, sobretudo, as múltiplas dimensões das experiências históricas, da cultura material e imaterial, das formas de manifestações religiosas e das maneiras de resistir de diferentes sujeitos históricos, em demarcações temporais e espaçais regionalizadas, mas articuladas às perspectivas mais amplas em nossa contemporaneidade. Objetivos: Fortalecer e dinamizar as linhas de pesquisa pertencentes ao Programa de Pós Graduação stricto-sensu, além de fomentar possíveis campos de abordagem no curso do debate acadêmico; contribuir para a consolidação de novos recortes temáticos, que valorizem prioritariamente os estudos da cultura material e imaterial, das relações de trabalho, do imaginário, do religioso numa perspectiva local e regional; criar condições adequadas para a construção de centros de memória e núcleo de preservação documental acerca da região do Recôncavo Baiano e dos sertões da Bahia; propiciar um ambiente favorável ao desenvolvimento da pesquisa histórica, que envolva professores pesquisadores e corpo discente, com a finalidade de buscar respaldo institucional e políticas de financiamento para amparar e divulgar as pesquisas realizadas pelo grupo de pesquisadores; ampliar o diálogo Interinstitucional com a finalidade de permitir a contínua política de aperfeiçoamento e atualização intelectual de professores e do corpo discente.

69


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Laboratório de Estudos e Pesquisas para a Educação das Relações Étnico Raciais ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=36317081AIRLV2 Investigar as condições da população negra baiana matriculadas nas escolas de educação infantil, ensino Fundamenal, Médio e Superior. Desenvolver projetos de pesquisa e formação de professores para o combate a todas as formas de discriminação. Pesquisar e publicar informações sobre sítios históricos localizados no sul da Bahia. Pesquisar as condições das Comunidades Remanescentes de Quilombos do entorno da UESC

70


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Memória da educação na Bahia ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842708RER1SNC Site do grupo http://www.promeba.uneb.br

O Grupo Integrado Memória da Educação na Bahia resulta dos estudos de professores pesquisadores da UNEB sobre processos civilizatórios, educação, memória e pluralidade cultural.Funciona desde 1997 e busca conhecer, nas diversas regiões do Estado, as formas de expansão e institucionalização da educação, as relações entre essas e as iniciativas dos educadores, as propostas de inovação no seu curso, as demandas por educar-se dos diversos segmentos sociais e as instituições que utilizam para aprender. Tem como fio condutor a preocupação com a democratização da educação no Estado da Bahia, estuda as políticas públicas e as instituições escolares, formas alternativas e movimentos sociais por educação. Recebeu apoio do Programa Nordeste de Pesquisa e Pós Graduação - CNPQ e participa de uma das linhas do programa de pós-graduação em Educação e Contemporaneidade - UNEB. Realizou X Colóquios História da Educação para apresentação e troca de resultados de pesquisa, com a participação de pesquisadores de outros Centros de Memória do país. Organiza uma Coleção Memória da Educação na Bahia. EStpa em fase de conclusão Programa de Qualificação Institucional com a UFRN, a USP e a UFRGS. O grupo organiza uma rede de pesquisa, a REDEMEMO, incluindo os centros de Juazeiro, Sr. do Bonfim, Itaberaba, Jacobina, Valença, Teixeira de Freitas, Serrinha e Alagoinhas.Em 2008 e 2009 publicou mais dois livros da Coleção Memória da Educação na Bahia, A Legislação sobre Educação na Bahia, vol I e o Guia de Fontes Bibliográficas sobre Educação na Bahia. Aprovou, em 2008, a participação no PROCAD com a UNICAMP e a UESB, para estudar Educação e Desenvolvimento nas décadas de 1940, 1950 e 1960 na Bahia. Novo site www.promeba.uneb.br traz novas publicações da Coleção.

71


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Museu Pedagógico NÚCLEO DE ESTUDOS SOBRE A DIVERSIDADE HUMANA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB Departamento de Filosofia e Ciências Humanas Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=7490702X7EOIRZ Site do grupo www.museupedagogico.com

O grupo pretende discutir a questão da alteridade e educação destacando a relação entre nós e os outros, com vistas a investigar o tema da diversidade humana, a exclusão, o devir minoritário, o racismo e a multiplicidade, através das análises dos discursos e práticas. Trata-se de um debate crítico sobre a diferença numa perspectiva etnológica que busca entender as diversas tramas de resistência no plano do poder enquanto uma relação de força e inteligibilidade que produz saberes e dizeres, inclusive do ponto de vista linguístico.

72


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEIM NÚCLEO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE A MULHER _______________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Bahia – UFBA Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291709G1JZ3H8 Site do grupo http://www.neim.ufba.br

Criado em maio de 1983 como núcleo vinculado ao Mestrado em Ciências Sociais da FFCH, o NEIM tornou-se (em 1995) um órgão suplementar da UFBA. Destaca-se como um dos núcleos de estudos sobre a mulher e relações de gênero mais antigos do país -foi o segundo a ser criado - e por sua atuação marcante e continuada na promoção de atividades nas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão, tendo sempre em vista à formação de uma consciência crítica acerca das relações de gênero assimétricas, predominantes em nossa sociedade, e da especificidade da condição feminina. No âmbito da UFBA, os membros do NEIM respondem por disciplinas nos cursos de graduação e pós-graduação (Ciências Sociais, Letras, Educação, Historia e Enfermagem), orientando monografias de conclusão de cursos, dissertações de mestrado e teses de doutoramento que versam sobre a temática da mulher e relações de gênero. No Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, o NEIM coordena a linha de pesquisa "Relações de Gênero, Família e Reprodução Social". Desde 1995, promove, anualmente, o 'Simpósio Baiano de Pesquisadoras(es) sobre Mulher e Relações de Gênero', visando incentivar os estudos feministas na Bahia e promover a articulação de pesquisadoras/es e estudiosos interessados nessa temática a nível estadual. Além disso, o NEIM tem assumido um papel preponderante na articulação e coordenação da Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos sobre Mulher e Relações de Gênero-REDOR (criada em 1992), participando também da criação e coordenação da Rede Brasileira de Estudos Feministas-REDEFEM, de âmbito nacional. Em 2006, o NEIM implantou o Programa de Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado)em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo, PPG-NEIM.

73


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NIEAP NÚCLEO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS EM ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=2044602J09LU2B Site do grupo http://www.uefs.br/nieap/

O NIEAP - Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Economia e Administração Pública tem como propósito reunir professores e pesquisadores do Departamento de Ciências Sociais Aplicadas, de outros Departamentos da UEFS, além de pesquisadores de outras universidades interessados em realizar estudos e pesquisa de natureza interdisciplinar sobre desenvolvimento e políticas públicas. O NIEAP realiza estudos e pesquisas sobre desenvolvimento e políticas públicas cujos resultados subsidiem a elaboração de propostas de soluções inovadoras que contribuam efetivamente para o desenvolvimento nacional, regional e local em suas múltiplas dimensões. As principais temáticas de interesse do Núcleo são as mudanças tecnológicas e o progresso técnico, a organização industrial, as relações do comércio com a política comercial e a integração econômica, o turismo, a economia dos recursos naturais e a economia do trabalho. Outras temáticas correlatas objeto de estudo do Núcleo são a economia monetária e fiscal, a teoria monetária e financeira, o crescimento as flutuações e o planejamento econômico, assim como políticas públicas, finanças públicas, direito tributário, gestão pública e descentralização e desenvolvimento local.

74


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo de Estudo Pesquisa e Extensão Educacional Paulo Freire ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5842708CJT5ELV

O Grupo de Estudo, Pesquisa e Extensão Paulo Freire, reúne professores, estudantes e técnicos administrativo constituindo-se como um espaço de diálogo, ação e interrelação entre os diversos atores educacionais com vistas a conhecer, refletir e elaborar através da pesquisa, propostas que contribuam para o desenvolvimento da prática educativa. O NEPE pretende ser uma ferramenta de produção e sistematização de saberes formais e nãoformais, fortalecendo dessa maneira um dos papéis da Universidade, que é o de reconhecimento e enriquecimento dos saberes produzidos socialmente. Os saberes locais e tema de interesse do grupo, são vistos enquanto patrimônio cultural que deve ser reconhecido e articulados aos saberes universais objetivando a construção de outros saberes capazes de produzir avanços no campo da formação e da prática educativa em nosso contexto. Os diversos temas e problemas que perpassam a formação do educador e sua prática constituem o centro de interesse do NEPE, buscando interação e diálogo com outros campos e áreas do conhecimento almejando instituir-se enquanto um componente de formação extracurricular numa perspectiva transversal do conhecimento. Considerando a educação como um campo de conhecimento mestiço, tendo como pressuposto conhecer e compreender o sujeito da educação nos seus aspectos humano, social e cognitivo, nossos interesses e ações compreendem: (1) a Educação Escolar na dimensão político-institucional, sociológica e filosófica; (2) os sujeitos da educação em seu aspecto humano, cognitivo e sua diversidade sócio-cultural; (3) a Educação não-escolar em suas diferentes configurações: instituições sociais, políticas, governamentais e não-governamentais, artísticas e culturais, os atores sociais e suas práticas sócio-cultural.

75


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre Violência ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=20444060QI4WBK

O fenômeno da violência acomete, indistintamente, os diferentes grupos sociais e etários da população, guardando nuanças específicas. O seu estudo propiciará o mapeamento de sua distribuição, bem como, o desvelamento de fatores predisponentes e precipitantes, favorecendo o enfrentamento por parte do governo e da comunidade em geral através do estabelecimento de políticas públicas eficazes. O caráter de interdisciplinaridade do grupo de estudo sinaliza para a complexidade da questão e a necessidade de medidas multisetoriais.

76


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NUTOPIA NÚCLEO DAS TRADIÇÕES ORAIS E PATRIMÔNIO IMATERIAL ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado da Bahia – UNEB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/diretorioc/fontes/detalhegrupo.jsp?grupo=5842708AMV3COY

A Universidade do Estado da Bahia é a maior universidade pública multicampi do Brasil, num Estado que abriga um manancial quase inesgotável de tradições cênico-poético-musicais. Embora esta diversidade cênico-poético-musical esteja registrada em inúmeras gravações em áudio e vídeo realizadas por órgãos públicos, por produtores independentes, assim como é atestada pelo grande número de artistas reconhecidos que encontraram inspiração em várias destas manifestações tradicionais, ainda há grande carência de sistematização de estudos, registro e acervo destas tradições em âmbito acadêmico- universitário. O NUTOPIA surgiu da necessidade de criar um vínculo permanente entre projetos de pesquisa e extensão voltados para a temática das tradições orais e patrimônio imaterial, desenvolvidos por pesquisadores e estudantes - particularmente no âmbito da UNEB, mas também de pesquisadores e estudantes de outras instituições. Neste sentido, pretende-se pouco a pouco intensificar o estudo, o registro e a construção de um acervo na UNEB sobre as tradições orais. Pretende-se também desenvolver atividades acadêmicas destinadas à reflexão sobre o significado das tradições orais e patrimônio imaterial na contemporaneidade, sobre a política de patrimonialização, assim como sobre as possibilidades de aproveitamento dos saberes tradicionais na formação de futuros docentes de ensino fundamental e médio que poderão trabalhar com estes conteúdos em sala de aula.

77


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Reconfigurações identitárias ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Bahia – UFBA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291802CJHLMKU

O Grupo reúne linhas e projetos de pesquisa desenvolvidos na Universidade Federal da Bahia, majoritariamente originários da área de Letras (Literatura Comparada), que têm em comum o interesse pela crítica cultural e o foco nas questões identitárias emergentes das vivências contemporâneas, no contexto da globalização econômica e cultural. O grupo teve origem em projeto interinstitucional (Projeto PRONEX/FINEP - Identidades: reconfigurações de cultura e política, sediado no Centro de Estudos de Migrações Internacionais-CEMI/IFCH/UNICAMP, que integrou pesquisadores brasileiros (UNICAMP, UFBA, UFF, USP), e estrangeiros (Univ.CoimbraPortugal e New Hampshire Univ. e CUNY-EUA) das áreas de antropologia, sociologia, ciências políticas, letras e artes. Atualmente o grupo integra o Projeto Resgates da Memória Cultural: acervos, imagens, identidades, sediado no Instituto de Letras da UFBA, que tem o apoio do CNPq. A interlocução entre diferenciados - mas confluentes - objetos de investigação que integram o Grupo põe em relevo questões como diversidade étnica e hibridismo cultural, identidade nacional e transnacionalidade, história colonial e crítica pós-colonial, tradição literária e cultura popular ou massiva. Essa articulação de vocações e interesses de investigação vem tendo repercussão direta ou imediata, no plano institucional, no Programa de PósGraduação em Letras e Lingüística da UFBA - na sua produção acadêmica, nos cursos/disciplinas oferecidos, nas dissertações ou teses derivadas, nos subprojetos desenvolvidos com a participação de estudantes de Graduação; de indireta, na participação de integrantes do grupo em instâncias nacionais do debate acadêmico na área, como a atual participação na diretoria da ABECAN ou a anterior participação na Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Letras e Lingüística-ANPOLL e na diretoria da ABRALIC.

78


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Rede cooperativa de pesquisa e intervenção em (in)formação, currículo e trabalho ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Bahia – UFBA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0291607ORDYBYQ Site do grupo http://www.redpect.ufba.br

A REDPECT, originada do NEPEC/FACED/UFBA tem como objeto a (in)formação do cidadão-trabalhador e as relações de processos informacionais com o mundo do trabalho, na sociedade "do conhecimento". Vem construindo referenciais teóricometodológicos para (re)significar a "sociedade da aprendizagem" e o papel da InfoEducação. Contribui para a consolidação da epistemologia multirreferencial, vinculando o paradigma da complexidade e a abordagem transdiciplinar, em articulação com pesquisadores da U. de Paris VIII e GRIME. Constitui-se num espaço de formação de pesquisadores (IC e PG), onde teses, dissertações, artigos, capítulos de livros e livros são construídos e disseminados/socializados, com públicos diversos: organizações governamentais, centros de formação profissional, ONGs, sindicatos e comunidades. Tem realizado pesquisa/intervenção nas áreas de Gestão do Conhecimento (apoio CNPq), Difusão / Compartilhamento do Conhecimento (FAPESB), empresas de informação (Projeto PIMES), avaliação de currículo em Ciência da Informação (CADCT-BA) e formação do trabalhador em diferentes áreas e níveis (CNPq), inclusive de professores (Magistério Indígena na BA - MEC/SEF/CEI e FUNAI), gestores do conhecimento (CNPq e FAPESB) e técnicos (PROEP/CEFETBA). Coordenou, na Bahia, projeto sobre violência, aids e drogas nas escolas (UNESCO) e a AT-Gestão Ambiental, Educação Ambiental e Trabalho / Programa Xingó. É membro da REDFORD, que articula grupos de 10 países e do convênio com a U. de Aveiro (Portugal)/UFBA. Tem desenvolvido estudos, eventos e participado de bancas com a U. de Paris VIII, PUC-RS, UFAL, UFMG, UFPE, UFRJ, UFRGS, UNEB, UNIMESB, CEFET/AL-BA, e consultoria técnico-científica ao Department for International Development (DfID - Reino Unido), Prefeitura de Salvador/Fundação Cidade-Mãe (UNICEF), CEFET-BA, e Escola de Dança (FUNCEB-BA) através de convênios e contratos de serviços. Contribui em comitês científicos e de consultores com CNPq, CAPES, FINEP e FAPESB.

79


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Resiliência e Educação ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB Link CNPq, http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=74907083EV51BI

Estuda resiliência, gestão em educação, práticas sócio-educativas, meio ambiente, saúde e desenvolvimento humano, percebendo a importância da intervenção no processo ensino-aprendizagem e nas formas de relação sujeito-ambiente, sujeito-saúde, a condução do desenvolvimento humano pelos indivíduos-sujeitos nas escolas que trabalham com a educação básica. Observa que a promoção de ações inter/transdisciplinares e interculturais quando objetiva uma educação e ensino como processo de humanização, socialização e singularização do indivíduo, contribui na construção de sua identidade pessoal e coletiva, no acolhimento à diversidade e pluralidade cultural, à diferença nos espaços sócio-culturais e de (con)vivência humana e escolar; permite a percepção da identidade entre educação ambiental e educação em saúde,além de constituir-se numa ação possível de promover o desenvolvimento da subjetividade dos aprendizes.Estuda os significados e sentidos da resiliência como aspecto de provimento de mediações culturais para o desenvolvimento da razão crítica - do conhecimento teórico-prático e científico, das capacidades cognitivas e modos de ação que devem ser valorizadas e avaliadas pela escola básica, em especial, quando localizada em espaços que são notados pelas políticas públicas em educação e saúde, educação ambiental e saúde como ambientes prejudiciais à saúde humana e animal, na qual, a poluição é visível na água e no solo que utilizam como recursos necessários para a sobrevivência humana.Objetiva ações de desenvolvimento sustentável e educação.

80


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. CEARÁ

GELP – COLIN COGNIÇÃO E LINGUÍSTICA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará – UFC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089801CJDFZQQ Site do grupo www.gelp-colin.ufc.br

Fruto de parceria entre as pesquisadoras Ana Cristina Pelosi de Macedo, lider do GELP-COLIN, docente de Letras da Universidade Federal do Ceará e Paula Lenz Costa Lima, também de Letras, da Universidade Estadual do Ceará e líder do Grupo COMETA, o GELP-COLIN, sob os aportes teóricos da psicolingüística e lingüística cognitiva, desenvolve pesquisas sobre cognição e linguagem, como fenômenos interdependentes, sócio-culturalmente situados. Assim, é de interesse do grupo investigar questões pertinentes à ciência cognitiva tais como a relação entre linguagem e cognição,mais pontualmente, compreender a natureza da categorização semântica em crianças e adultos e portadores de disfunções cognitivas. Atualmente, expandimos nossos interesses de pesquisa para questionamentos pertinentes à cognição, cultura e lingüística, na linha proposta por cientistas cognitivos tais como, George Lakoff, Joseph Grady, Lynne Cameron, Mark Johnson, Raymond Gibbs, Zóltan Kövecses, e outros, cuja ênfase é a visão corporificada de cognição, segundo a qual não podemos desvincular a atuação cognitiva da fenomenologia, na interação entre cérebro/mente/corpo/mundo físico. Vinculados ao grupo há um projeto maior intitulado Projeto interdisciplinar sobrerepresentações sócio-cognitivas na conceitualização de violência em centros urbanos brasileiros e vários subprojetos entre os quais destacamos, Metáfora, empatia e a constante ameaça de violência urbana no Brasil (projeto desenvolvido em parceria com a Open University da Inglaterra, Metáfora, cognição e cultura: um estudo exploratório de influências culturais na constituição de metáforas não correlacionais, Categorias radiais: um modelo para representação digital multidimensional, Tackling down and building up: metáforas conceptuais e modelos de ensino para verbos de duas ou mais palavras, A figuratividade e o ensino de Línguas, entre outros.

81


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

HIPERGED HIPERTEXTOS, GÊNERO DIGITAIS E EAD. ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará – UFC Centro de Humanidades - Departamento de Letras Vernáculas Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089801EPZ6GS1

Ao promover a pesquisa continuada sobre hipertexto, gêneros digitais e EaD, o grupo colabora com o fortalecimento de duas linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Lingüística da UFC: Práticas Discursivas e Estratégias de Textualização; Lingüística Aplicada. Naquilo que concerne à primeira linha de pesquisa do Programa, o HIPERGED desenvolve estudos relativos ao hipertexto e às peças genéricas que se constroem na hipertextualidade e a partir dela. No que diz respeito à segunda linha, o grupo investe em pesquisas que buscam compreender melhor a natureza pedagógica do ensino a distância, analisando os gêneros utilizados e a importância do letramento digital para gerir os desafios da docência e da aprendizagem em ambiente virtual. Investindo em pesquisas nessas duas linhas, o HIPERGED contribui na construção do conhecimento relativo aos impactos das novas tecnologias na linguagem e nas práticas de letramentos digitais,necessárias ao homem e à mulher desse século.

82


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

LIEGS LABORATORIO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS EM GESTÃO SOCIAL ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará – UFC Campus Avançado do Cariri Link CNPq http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089602JSY6FR1 Site do grupo http://liegs.cariri.ufc.br

O Laboratório Interdisciplinar de Estudos em Gestão Social (LIEGS) pretende ser um ambiente de apreensão, prospecção, formação, articulação e difusão de conhecimentos teóricos e práticos em gestão social, contribuindo para a consolidação deste conhecimento numa perspectiva interdisciplinar. Para França Filho (2003), a emergência da gestão social na agenda do debate público e mediático indica duas tendências: a primeira, o termo tem se prestado as mais variadas interpretações e carece de maior precisão conceitual; a segunda, mais do que uma tendência, reflete uma constatação: a maior visibilidade do termo esta associado a própria ascensão da discussão sobre o terceiro setor que chama atenção para o papel de organizações privadas atuando com objetivos públicos. Desta forma, a constituição o LIEGS na região do Cariri é relevante enquanto uma fonte de promoção de estudos, pesquisas e projetos que contribuam para edificar um conceito mais preciso à gestão social. Além disso, o LIEGS terá importância na difusão com rigor científico de conhecimentos e práticas relativas as organizações que atuam no campo social. Finalmente, a perspectiva interdisciplinar do LIEGS permitirá entender a gestão social não sob o olhar único da ciência Administração, mas a partir do diálogo com outras ciências (Antropologia, Direito, Economia, Engenharia, Psicologia, Sociologia e Filosofia). Isto permitirá enxergar a gestão social como uma dimensão das organizações e práticas sociais que articula outras dimensões como: capital social (interações e relações de confiança), capital intelectual (aprendizagem e conhecimento), capital humano (pessoas), cultura e comportamento organizacional, e mecanismos de regulação (cooperação, domesticidade e redistribuição).

83


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Linguagem, práticas culturais e cidadania GRUPO DE PESQUISA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará - UFC Centro de Humanidades - Departamento de Psicologia Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089707W8XBINK

Este grupo tem possibilitado espaço de discussão dos pesquisadores acerca de seus estudos, tendo contribuído para a produção de artigos científicos das pesquisas concluídas, elaboração e organização de livros e capítulos. As publicações encontram-se nos currículos lattes de cada pesquisadora

84


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

LUDICE LUDICIDADE, IDENTIDADES E DISCURSO NAS PRÁTICAS EDUCATIVAS ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará – UFC Faculdade de Educação Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089708AIRKU1B Site do Grupo www.ludice.ufc.br Participam do grupo professores dos Programas de Pós-Graduação em Educação, Lingüística e Psicologia da UFC, bem como da UFPE (PE), UERN (RN), UVA (CE) e 10 estudantes vinculados à linha de pesquisa do grupo. Além de apresentar pesquisas em eventos locais, nacionais e internacionais, o grupo lançou o livro Diversidade Cultural e Desigualdades: Dinâmicas Identitárias em Jogo (2004), que reuniu trabalhos de tese em educação. Realizou o I Encontro Sobre Cultura Lúdica, Discursos E Identidades Na Sociedade De Consumo (2005), do qual resultou o livro “Cultura Lúdica Discurso e Identidades na Sociedade de Consumo” (2005). Participou do Edital de apoio à Extensão Universitária voltado às Políticas Públicas (PROEXT 2004 SESU/MEC) integrando o programa Universidade e Compromisso Social: Em busca da Inclusão Social e do Combate à Discriminação. Concluiu, em 2006, a pesquisa “Cultura Lúdica, Identidades e Educação da Criança” com apoio financeiro do CNPq e já publicada no livro MODOS DE BRINCAR, LEMBRAR E DIZER: Discursividade E Subjetivação, editado pelo grupo em 2007. A líder do grupo coordenou um dos projetos do Programa Nacional Conexões De Saberes; Diálogos Entre a Universidade E As Comunidades Populares, da SECAD-MEC-UFC (2005/2006), que envolveu 15 bolsistas de diferentes cursos de graduação da UFC e integrantes do LUDICE em ações de formação acadêmica e ação comunitária, além da edição de dois livros. Assessorou a administração superior da UFC como membro do GT de Políticas de Ações Afirmativas da UFC na elaboração da proposta de políticas de ações afirmativas da UFC. Em 2008, deu início ao projeto de extensão Ciclo de Debates Sobre Imagens da Alteridade, que, após a exibição de algumas obras cinematográficas que tematizam as relações alteritárias, promove debates com a comunidade visando a formação intercultural. Presta assessoria a instituições educacionais em atividades de formação docente, em particular no que concerne às práticas lúdicas, e inclusão sócio-educacional.

85


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Negritude e Cearensidade IDENTIDADES ÉTNICAS E RELAÇÕES RACIAIS NO CEARÁ ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará – UFC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089703OW5HQY7 O grupo desenvolve um estudo histórico e antropológico da construção da identidade cearense e das formas como esta repercute nas relações étnicas e raciais hoje. Linhas de pesquisa  

A negritude e o debate sobre o sistema de cotas na UFC, História das Relações Étnicas e Raciais no Ceará.

86


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo Brasileiro, Latino-americano e Caribenho de estudos: RELAÇÕES RACIAIS, GÊNERO E MOVIMENTOS SOCIAIS ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará – UFC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089702BNW4DPZ

O grupo de propõe a realizar projetos de pesquisas centrando suas reflexões em torno de quatro linhas principais e correlacionadas: I)Relações raciais voltadas para os aspectos sócio-culturais e históricos dos afrodescendentes ; II) As diversidades regionais nas construções de gênero e raça; III)Teoria e práxis dos movimentos sociais que abordem os recortes de gênero e raça, na região e suas fronteiras; VI)Os estados-nação e suas correlações analíticas sobre as identidades plurais. Deste modo, o objetivo do grupo, ao abarcar estas linhas volta-se para promover e estimular estudos e produções acadêmicas ampliadas sobre a população afrodescendente, sua participação social, política e cultural, bem como suas realizações no âmbito do gênero e dos movimentos socais, desenhando novos contornos marcados por intertextualidades diversas, no Brasil, na América Latina e no Caribe. Neste sentido, nosso olhar é sobre o "Atlântico Negro", numa perspectiva comparada, transdisciplinar e transnacional. Nos anos de 2006 e 2007 tivemos um total de nove (9) apresentações de trabalhos em congressos, nacionais e internacionais. Promovemos em 2006 o Curso de Extensão Iniciativas Negras Trocando Experiências, nas cidades de Juazeiro do Norte e Barbalha, num período de dez dias, perfazendo um total de oitenta horas e com a participação de cerca de duzentas pessoas distribuídas nos dez turnos, além da presença de representantes de dezoito estados, em âmbito nacional.

87


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Tecnologias da Informação e Comunicação, Narratividade, Sociedade e Identidades Plurais. GRUPO DE PESQUISA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará - UFC Unidade Avançada do Cariri Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089607GQX7ISZ

O grupo de pesquisa: Tecnologias da Informação e Comunicação, Narratividade, Sociedade e Identidades Plurais, visa promover a transdisciplinaridade do conhecimento, buscando intercruzar e refletir as diversas competências e áreas de abrangência no traduzir as diversas nuances onde a sociedade atua e é refletida.

88


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

TRADICE TRADIÇÕES DISCURSIVAS DO CEARÁ ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Ceará – UFC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0089801QGMILX5 O grupo de pesquisa TRADICE, fundado em 2004, atua na linha de pesquisa de Práticas Discursivas e Estratégias de Textualização do Programa de Pós-Graduação em Lingüística, da Universidade Federal do Ceará e se propõe desenvolver estudos sobre as práticas sociais de linguagem, especialmente no Ceará, numa perspectiva diacrônica. O objetivo geral do grupo é investigar como os textos se constituem nos diferentes gêneros textuais, desde o século XVIII até o presente, analisando os seus aspectos sócio-históricos e lingüísticos. O pressuposto teórico de base é a concepção de que os textos/discursos se constroem nas atividades de enunciação, resultantes, portanto, de práticas intersubjetivas, interacionais e sócio-cognitivas. Por isso o texto/discurso não é tomado como um produto acabado e estável, mas como uma unidade de sentido, contextualmente situada, para a qual confluem diversos processos de construção. A noção de "tradições discursivas", nascida no âmbito da filologia românica e elaborada por romanistas alemães, dá suporte para investigar como se constituíram os textos que circulavam e circulam através dos tempos, em diferentes esferas sociais, revelando práticas sócio-históricas de uso da linguagem ou linguagens. Os corpora (em construção) são constituídos de textos escritos, distribuídos entre gêneros epistolares e gêneros praticados nas áreas jornalística, publicitária, literária, jurídica e acadêmica.

89


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. MARANHÃO

Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas Públicas de Informação, Leitura e Cidadania ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Maranhão – UFMA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0001607PZAKR1D

O Grupo de Pesquisa começou a funcionar em 2000 quando do início da pesquisa Políticas Públicas de Informação: estudo das políticas culturais voltadas para as bibliotecas públicas desenvolvida no Departamento de Biblioteconomia. A proposta do estudo era estudar as políticas públicas de informação desenvolvidas no Estado do Maranhão nas décadas de setenta e oitenta voltadas para as biblioteca públicas. Concluído parcialmente em 2001 em virtude do afastamento da coordenadora para cursar doutorado. Retomado em 2006 com a INFORMAÇÃO E DESIGUALDADE SOCIAL NO MARANHÃO: As bibliotecas, os arquivos e o profissional da informação? Desafios para pensar o Estado Democrático. O projeto tem como Estudar as políticas de informação implementadas pelo Estado com vista à socialização do conhecimento. Tais políticas serão estudadas a partir das ações articuladas pelas bibliotecas públicas e arquivos públicos haja vista a função social dessas instituições criadas com a finalidade de democratizar o acesso à informação, sem perder de vista a prática profissional e as relações de gêneros que interferem no exercício profissional. A repercussão desse estudo é possível mensurar a partir dos trabalhos acadêmicos apresentados em Encontros, Mostras, Seminários e eventos importantes como SBPC, CBBD, Semana de Ciência Sociais, Humanísticas entre outros. Além disso, estão em andamento a elaboração de 5 monografias diretamente ligada a temática e elaboração do relatório final da pesquisa. Vale a pena mencionar como repercussão a participação da coordenadora e bolsistas da pesquisa nos Fóruns Meso Regionais e Micro Regionais de Cultura nos Municípios de Caxias, Curururupu. São Bento, João Lisboa, Vitória do Mearim e o Fórum Estadual de Cultura onde foram apresentados os dados parciais da pesquisa que demonstram a situação de abandono em que se encontram as biblitecas publ muicipais e a quase que completa ausência de espaços de cultura nos municípios maranhenses.

90


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Ritmos da Identidade GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Maranhão – UFMA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00017031DMT3FO

OBJETIVOS GERAIS Dinamizar estudos e pesquisas sobre segmentos da população afro-brasileira, através do desenvolvimento de projetos de pesquisa, cursos, seminários, oficinas temáticas e outros, que contribuam para o conhecimento das formas de organização social e das expressões culturais dos descendentes de africanos escravizados no maranhão. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Viabilizar a dotação de recursos para o desenvolvimento estudos e pesquisas que, promovam a revitalização da memória histórica e da identidade cultural dos afrodescendentes rurais e urbanos do Maranhão; Promover a participação de profissionais e estudantes em congressos, cursos e seminários, priorizando as temáticas sobre relações étnicas e raciais; Articular a inserção dos alunos do Grupo junto aos cursos de línguas estrangeiras, visando sua melhor qualificação; Promover a integração entre alunos de diversos cursos da UFMA com alunos de outras universidades públicas nacionais e estrangeiras; Coordenar a assessorar atividades de ensino, pesquisa e extensão da UFMA, relacionadas aos segmentos afros maranhenses.

91


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. PARAÍBA

Ação Cultural Camponesa GRUPO DE ESTUDOS RURAIS

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual da Paraíba – UEPB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=43196101DMU3FP

O grupo atuará na micro região da Borborema, junto aos grupos de agricultores e agricultoras familiares, procurando Desenvolver pesquisas que tenham como foco o desenvolvimento rural,as relações raciais e a educação, considerando as relações entre campo e cidade. Atualmente o grupo está desenvolvendo a pesquisa: A participação da mulher na agropecuária no município de Queimadas - PB, financiada pelo CNPq. PIC e o projeto de extensão Consciência Cidadã financiada pelo PROBEX - UEPB, cujo objetivo é a levar aos agricultores (as) filiados ao Sindicato Rural de Lagoa Seca informações quanto os seus direitos através de palestras, seminários e minicursos.

92


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Cotidiano, Cidadania e Educação GRUPO DE PESQUISA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual da Paraíba – UEPB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4319708EZJW55R

O principal propósito é discutir as questões culturais e educacionais no aspecto formal e informal, atentando para os aspectos teóricos e sua relação com a vivência dos sujeitos envolvidos, ou seja, as diversas práticas culturais e educativas relacionadas as classes populares, uma vez que elas são denotativas do exercício da cidadania.

93


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Cidadania e Direitos Humanos ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Paraíba – UFPB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00837096GNXR18 Site do grupo www.ufpb.br/ncdh

O Grupo de Pesquisa Cidadania e Direitos Humanos tem como meta articular ensino, pesquisa e extensão através das atividades desenvolvidas pelos seus membros engajados nas respectivas linhas de pesquisa. Na linha de pesquisa Segurança Pública estão previstas atividades de formação com os profissionais de segurança pública, em parceria com o Centro de Ensino da Polícia Militar e o apoio do Ministério da Justiça: Curso de Especialização em Segurança Pública e Direitos Humanos para 50 profissionais da área de segurança. Ainda nesta línea estão em andamento dois projetos de doutorado. Na linha de pesquisa Educação e Cultura em Direitos Humanos está previsto a realização de um Curso de Especialização em Educação e Direitos Humanos para os professores das Escolas Públicas da Rede Municipal e Estadual que participam do Projeto Escola Aberta sob o patrocínio UNESCO/MEC. Nesta linha está em fase de conclusão um projeto de mestrado e dois de doutorado. Na linha de pesquisa Exclusão Social, Políticas Públicas e Direitos Humanos está em curso dois projetos de mestrado. Na linha de pesquisa História e Teoria (jurídica e política) dos Direitos Humanos está em andamento um projeto de doutorado. No que diz respeito a publicações está previsto para 2008 a publicação de um livro intitulado Democracia, Educação em Direitos Humanos numa Época de Segurança. O grupo mantém, através do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos, convênio com a Universidade de Florença, Departamento de Teoria e História do Direito.

94


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPHiS20 GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DO SÉCULO XX. ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Paraíba – UFPB Programa de Pós-Graduação em História Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0083705Y7FO0AH Site do grupo www.cchla.ufpb.br/ppgh Estudos sobre o século XX. Economias e complexos regionais. Culturas políticas, regimes políticos e ideologias. Matrizes culturais e cultura histórica no século XX. História e historiografia das indústrias culturais. Culturas nacionais e representações artísticas. Estruturas políticas regionais e dinâmicas culturais. Correntes políticas e movimentos sociais no século XX. História e historiografia das correntes políticas contemporâneas.

95


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

História e Cultura Afro-Brasileira ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual da Paraíba – UEPB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4319705W8IPZAK Site do grupo www.uepb.edu.br/neabi

Concentrar estudos voltados para a história e cultura dos afro-brasileiros, delineando em seus eixos teóricos pesquisas que abordem as seguintes temáticas: multiculturalismo, diversidade cultural afro-brasileira, memórias, representação, identidade, práticas culturais e educativas dos afrobrasileiros, análises de relações de poder que perpassam as comunidades afro-brasileiras.

96


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

História, cultura e ensino ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual da Paraíba – UEPB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4319705Y72BJS4

EDUCAÇÃO, ENSINO DE HISTÓRIA E NOVAS LINGUAGENS Esta linha comporta pesquisas que têm por objetivo a realização de estudos no campo da educação e ensino de história relativos, a currículo, representação, formação inicial e continuada, história local ou do lugar, visibilizando o cotidiano escolar em seus múltiplos olhares. A diversidade cultural, identidade étnico-racial, de gênero e religiosa são campos de saberes privilegiados; Além disso, investiga uma multiplicidade de novas linguagens: cartuns, charges, tiras, cordel, cinema, fotografia, pinturas, jornal, televisão, internet, que se caracterizem como texto propiciando a leitura e apropriação dos mesmos na cultura escolar e que viabilizem o ensino-aprendizagem. CIDADE, CULTURA, MEMÓRIA, PATRIMÔNIO E ESTUDOS DO IMAGINÁRIO Esta linha contempla um amplo campo de pesquisas, relativas a memória, individual e social, e suas formas de apropriação, articulando as investigações entre memória e história, possibilita através da memória individual e coletiva, reelaborar e reinventar culturas e práticas significativas e as sensibilidades dos sujeitos sociais. Esta linha propõe também elaborar estudos que privilegiem discussões sobre o patrimônio imaterial e material, culturas populares e locais, pesquisas a partir do enfoque da história regional e do lugar, além de estudos relativos à cidade.Tematiza também eixos discursivos concernentes às práticas culturais e literárias dos sujeitos sociais e suas produções construídas no cotidiano. Mapeia também produções sobre os estudos do imaginário a partir de um enfoque interdisciplinar

97


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Informação, Cidadania e Memória ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal da Paraíba – UFPB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00836076GNX8IP

Busca produzir pesquisas, artigos, livros, dissertações e teses abordando os temas: Informação e Práticas Sociais, Análise do Discurso, Memória Social, Representação de Identidades, Preservação do Patrimônio Cultural, Etnia, Patrimônio e Informação e Sistemas de Informações Culturais. Desenvolve projetos de pesquisa sobre: Informação e Diversidade: A Imagem do Afrodescendente no Discurso da Inclusão Social" - Edital 32/2004 - CHSSA ; A natureza e prática da informação museográfica - acervo informacional sobre suporte de objetos; Referenciamento de identidades culturais no projeto "Arqueologia do Cariri" - Edital 19/2004 - Universal, aprovado pelo IPHAN e com bolsista do PIBIC; Consultoria a empresas públicas e privadas sobre gestão e preservação da memória e da identidade cultural através do projeto "Programa de Informação e Patrimônio arqueológico - preservação e conservação através do registro e disseminação". Conta com dois bolsistas de Produtividade de Pesquisa Nível 2 - Projetos: "Informação para Educação: construindo dispositivos de inclusão a partir do uso de objetos multimídia na sociedade da aprendizagem" e "Programa Arqueológico do Cariri Paraibano: princípios e produção de conhecimento" . Estabelece vínculos institucionais com diferentes Departamentos, Programas de Pós-Graduação e Centros da Universidade Federal da Paraíba e demais demandas dos órgãos da instituição, por meio da participação em bancas de avaliação, ministrar cursos, orientação de alunos e estagiários. Estabelece contato interinstitucional entre o PPGCI/NDIHR com o Museu de Astronomia e Ciências Afins -MAST e com o Laboratório Virtus da UFPE, através da participação de seus pesquisadores e com outras instituições de ensino e pesquisa, pela participação em bancas,orientação de alunos e estagiários. Ministrando aulas em cursos de pós-graduação nas áreas de Ciência da Informação, Educação, Patrimônio Cultural.

98


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo de pesquisa e extensão comunitária infanto-juvenil ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual da Paraíba – UEPB Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4319610HPYAKR0

Realizar estudos e pesquisas que venha subsidiar políticas de enfrentamento a violência contra crianças e adolescentes no município de Campina Grande e no Estado da Paraíba. Contribuir para a produção de conhecimentos e tecnologias sociais de enfrentamento a problemáticas da infância e juventude. Prestar apoio e assessoria técnica e pedagógica a entidades governamentais e não governamentais de atendimento a crianças e adolescentes. Contribuir com a rede pública de ensino na prevenção e enfrentamento a violência visando a revisão de suas práticas no cotidiano escolar.

99


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Políticas Públicas, Esfera Pública e Poder Local ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual da Paraíba – UEPB Link CNPq, http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4319702W6IRY82 O trabalho de pesquisa que vem sendo realizado por este grupo dedica-se a estudar o papel da esfera pública na contemporaneidade. O Estado Mínimo, preconizado pela ideologia neoliberal, vem reduzindo as políticas públicas, transformando-as em ações setorizadas e focalistas. Ao mesmo tempo em que as organizações da esfera local reivindicam cada vez mais políticas descentralizadas e participativas. É dentro deste balizamento que este grupo de pesquisa vem desenvolvendo suas investigações.

100


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. PIAUÍ

IFARADÁ NÚCLEO DE PESQUISA SOBRE AFRICANIDADES E AFRODESCENDÊNCIA DA UFPI ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Piauí – UFPI Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0323708Y8KT1AM

Em 20 de novembro de 1995, o ÍFARADÁ foi aprovado por Resolução do Conselho Universitário da UFPI. A sede do núcleo é na Sala nº. 386, localizada no Centro de Ciências Humanas e Letras da UFPI. Ao longo de quatorze anos o ÌFARADÁ vem desenvolvendo pesquisas e várias atividades sócio-políticas, educativas e culturais procurando discutir com a sociedade piauiense e brasileira problemas relacionados à população afrodescendente e promovendo o fortalecimento da auto-estima dos afrodescendentes através da divulgação da história, da educação e da cultura africana e afrodescendente, produzindo através de seus membros, várias pesquisas de Iniciação Científica, monografias de Conclusão de Curso, Dissertações e Teses na área da afrodescendência, além de palestras, cursos de extensão e 1 (um) curso de especialização em Cultura Afrodescendente e Educação Brasileira. Desenvolveu projetos de extensão, participando de programas como Políticas da Cor na Educação Brasileira (Laboratório de Políticas Públicas da UERJ) em 2002 e UNIAFRO (MEC) em 2006 e 2008.

101


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEPA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS AFRO / UESPI

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual do Piauí – UESPI Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4288802HY7JT09 O NEPA - NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS AFRO da Universidade Estadual do Piauí, criado em novembro de 2005, é um grupo de estudos e pesquisas na área de literaturas africanas e afro-brasileiras, com finalidade acadêmica e institucional; vinculado ao Curso de Licenciatura Plena em Letras Português da Universidade Estadual do Piauí, em primeira instância; e à Pró-Reitoria de Pesquisa e PósGraduação, em instância superior. O NEPA desenvolve estudos, realiza pesquisas no campo da cultura africana e afro-brasileira com finalidade acadêmica, profissional e institucional; organiza e realiza eventos científicos com vista à publicação e divulgação das pesquisas; no respeito às diferenças étnico-raciais combatendo o racismo e a discriminação. No que concerne à metodologia, privilegia a análise literária e suas interfaces com outros campos do conhecimento, integrando as áreas de investigação social e humana, as ciências da linguagem e as artes.

102


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

História e Memória do Trabalho ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Piauí – UFPI Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=03237054DPZ6R1

Linhas de pesquisa   

Formação do mercado de trabalho; Mercado de trabalho e precarização das relações de trabalho; Trabalho escravo no Brasil.

103


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. PERNAMBUCO

Grupo de Estudo da Cultura Afrobrasileira ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=03387033AKW5DM

O Grupo de Estudos da Cultura Afrobrasileira (GECAB) está vinculado ao Núcleo de Estudos Afrobrasileiros (NEAB) da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atualmente desenvolve pesquisas e atividades de extensão universitária com a juventude afro-recifense que integra os grupos de afoxés do Recife e de sua Região Metropolitana. O projeto "Juventude Afrodescendente: Memória como estratégia para a valorização e presevação da cultura" em sua primeira fase buscou caracterizar os jovens (de 18 a 25) que participam das atividades desenvolvidas nos afoxés. A segunda fase do projeto foi financiada pelo PROEXT MEC/CULTURA no período de 2008/2009 e visou proporcionar aos jovens, que participaram da primeira fase do projeto, a integração e interação nos espaços universidade-terreiros através de oficinas para a vivência, a prática e a continuidade de ações que estimulem a construção de novos saberes dentro e fora dos terreiros e/ou afoxés.

104


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Movimentos Sociais, Educação e Democracia ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Pernambuco – UFPE Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0021708GQX7ISZ

Este Grupo se constitui num espaço de pesquisa e extensão inter e transdisciplinar sobre educação escolar e não-escolar, que tem por temáticas de investigação: a) Educação e Movimentos Sociais Populares; b) Educação, Direitos Humanos e Participação Popular; c) Educação do campo e trajetórias formativas; d) Educação e relações étnico-raciais, de gênero e homoafetivas; e) Educação e produção de conhecimentos pós-coloniais. O grupo tem um caráter de estudo permanente sobre os temas/conteúdos de lutas dos movimentos sociais populares, com ênfase na dimensão educativa e sua contribuição para a democratização da sociedade. Seu eixo de extensão alimenta a pesquisa renovando continuamente o conhecimento produzido sobre as experiências das organizações estudadas, contribuindo para fortalecimento da interação Universidade-Sociedade, de modo a promover a produção de conhecimentos dialogada com esses atores sociais. Justifica-se ainda pelo conjunto de experiências de professores/as do Centro Acadêmico do Agreste e pesquisadores/as interessados/as no diálogo entre grupos de pesquisa. Em seu modo organizativo, tem como objetivo produzir, reunir e sistematizar estudos sobre as lutas por justiça social, especialmente dentro do campo da educação.

105


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEHTE NÚCLEO DE ESTUDOS SOBRE HIPERTEXTO E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Pernambuco – UFPE Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0021802AHRNX4E Site do grupo www.ufpe.br/nehte

O principal objetivo do NÚCLEO DE ESTUDOS SOBRE HIPERTEXTO E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO é pesquisar as aplicações das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TICs) na aprendizagem; Está filiado ao Departamento de Letras e ao Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPE com projeto de pesquisa em andamento e pesquisas de mestrado na linha Linguagem, Tecnologia e Ensino; O Nehte já realizou o I ENCONTRO NACIONAL SOBRE HIPERTEXTO: DESAFIOS LINGUÍSTICOS, LITERÁRIOS E PEDAGÓGICOS entre os dias 26 e 27 de outubro de 2005 na UFPE, do qual participaram mais de 500 inscritos entre pesquisadores, professores e alunos de vários estados do Brasil; Está organizando o I SIMPÓSIO HIPERTEXTO E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO entre os dias 26 e 26 de outubro de 2006 que contou com a participação de mais de 250 inscritos; Em outubro de 2007 apoio a realização do II ENCONTRO NACIONAL SOBRE HIPERTEXTO: AMPLIANADO LINKS COM A LINGUÍSTICA, LITERATURA E EDUCAÇÃO que foi realizado na Universidade Federal do Ceará, em Fortaleza. Este evento recebeu quase 700 inscrições; Em 2008, organizou o II SIMPÓSIO HIPERTEXTO E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO entre os dias 17 e 19 de setembro; na ocasião estavam escritos mais 350 participantes de todo o Brasil.

106


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. RIO GRANDE DO NORTE

Grupo de Estudos sobre Culturas Populares ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=03377039S7U8JJ

A proposta do Grupo de Estudos sobre Cultura Popular tem por objetivo articular diferentes áreas de pesquisa em torno das temáticas da antropologia urbana e da cultura contemporânea, enfocando as práticas, interações e representações sociais presentes no cotidiano dos centros urbanos. Tomando a perspectiva das formas de vida dos grupos populares e sua diversidade de manifestações culturais, objetiva-se através da análise destes elementos possibilitar uma maior compreensão dos mecanismos de constituição e consolidação da cultura popular produzida e consumida em sociedades modernas. Pretende-se, que no decorrer do processo de realização destes objetivos, atender alunos dos cursos de graduação e pósgraduação, fornecendo elementos teóricos que contribuam para a reflexão de suas problemáticas de pesquisa e ampliação de seu universo intelectual.

107


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. SERGIPE

Culturas, Identidades e Religiosidades ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Sergipe – UFS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0070705NX4E8IP Site do grupo http://grupocir.sites.uol.com.br

1) Durante o ano de 2008 o grupo promoveu vários eventos, lançou livros, orientou monografias, elaborou projetos e agregou mais pesquisadores, empreendendo uma maior repercussão do grupo na UFS. 2) Em agosto de 2006 com a realização do Simpósio Anônimos na História de Sergipe" a imprensa local registrou os recentes trabalhos organizados pelo grupo de pesquisa "História das Religiões, Religiosidade e Identidades" (antigo nome deste grupo) e fez menção que faremos em Junho de 2007, 10 anos de existência.

108


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPIADDE GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS IDENTIDADES E ALTERIDADES: DESIGUALDADES E DIFERENÇAS NA EDUCAÇÃO ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Sergipe - UFS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0070708LS2Z8F1

O grupo tem como foco de estudos a investigação sobre identidades, alteridades e educação a partir de diversas áreas de saberes, campos teóricos e abordagens em suas múltiplas expressões, espaços e interrelações na sociedade. Sediado no Núcleo de Educação do Campus Universitário Professor Alberto Carvalho/UFS, os estudos se dão a partir de múltiplas perspectivas, entre elas da educação, da sociologia, da psicologia, da literatura. Os estudos envolvem problemáticas sobre etnia, gênero, sexualidade, formação e prática docente, territorialidade e cultura. Atualmente o grupo é composto por professores/as, pequisadores/as e alunos/as dos cursos de pedagogia, letras, química e biologia.

109


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GERTS GRUPO DE ESTUDOS CULTURAIS, IDENTIDADES E RELAÇÕES INTERÉTNICAS ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Sergipe – UFS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0070703DOY5F8I

O grupo é interdisciplinar e está ligado ao Centro de Educação e Ciências Humanas, da UFS, bem como ao Núcleo de Estudos Afro Brasileiros, e as linhas de pesquisa do Departamento de Ciências Sociais, do Núcleo de PósGraduação em Sociologia (Mestrado) e do Núcleo de Pós-Graduação em Antropologia (Mestrado) da UFS. Envolve professores, pequisadores e alunos destas áreas. O foco de nossos estudos é a reflexão sobre as manifestações identidade e diferença em múltiplas expressões e espaços, concentrando-se em expressões artísticas (arte pública, literatura, música, cinema); relações interétnicas de conflito ou de estratégias de solidariedade manifestas através de formas de associativismo, parentesco, religiosidade e territorialidade; questões relativas aos estudos sobre cultura, história e populações africanas e na diáspora; bem como, estudos sobre políticas públicas e a relação entre educação e relações étnico-raciais.

110


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Grupo de Estudos e Pesquisas Educação e Contemporaneidade ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Sergipe - UFS Centro de Educação de Ciências Humanas Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00707082BNW4DP

O Grupo de Pesquisa Educação e Contemporaneidade se articula em torno da abordagem multidisciplinar de questões teóricas e empíricas relacionadas à sociedade contemporânea, em especial a Educação entendida como direito fundamental. Através de suas duas linhas de pesquisa, tem como objetivo aprofundar o conhecimento científico a respeito das relações entre processos educacionais e processos de mudança social focando as seguintes temáticas: diferenças sócio-culturais; saberes e subjetividades extrapolando os saberes estritamente disciplinares; organização, relações de trabalho e educação nas sociedades contemporâneas; sociedade, trabalho e educação; juventude, educação, trabalho e cultura; educação e ações afirmativas; educação e linguagens.

111


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

REGIÃO SUDESTE

112


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. ESPIRITO SANTO

Educação Especial: abordagens e tendências ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Espírito Santo – UFES Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0392708PX6IRZ8

O debate sobre a inclusão tem estado presente no panorama educacional brasileiro. Uma das premissas fundamentais desse debate é o direito de qualquer pessoa estar matriculada em uma escola comum, em quaisquer níveis de ensino e frequentando uma sala de aula regular, inclusive de alunos que apresentam necessidades educacionais especiais. Tendo como foco as escolas e a inclusão desses alunos, vemos que a tendÊncia é refletirmos sobre as práticas pedagógicas que irão viabilizar a proposta em questão. Nesse sentido, o grupo vem promovendo ações, sobretudo aquelas direcionadas à formação de profissionais, visando contribuir para oportunizar aos professores capixabas o diálogo com professores e pesquisadores de diferentes instituições de ensino superior sobre as tensões, possibilidades e desafios que os diferentes contextos educacionais estão vivenciando em decorrencia da proposta de inclusão desses alunos na educação, bem como o poder público e outros profissionais

113


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. MINAS GERAIS

Afro-descendências na Literatura Brasileira ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=03338027EOZ9GQ Site do grupo www.letras.ufmg.br/literafro

Na primeira etapa do projeto (2001-2003)consideram-se repercussões significativas a publicação dos livros: POÉTICAS DA DIVERSIDADE, 2002; GÊNERO E REPRESENTAÇÃO: TEORIA, HISTÓRIA E CRÍTICA,2002; GÊNERO E REPRESENTAÇÃO NA LITERATURA BRASILEIRA,2002; POÉTICAS AFROBRASILEIRAS, 2003 e a organização e participação nos seguintes eventos: "IX Seminário nacional Mulher & Literatura", 2001; "Colóquio NEIA "Alteridades em Questão", 2001; Simpósio ABRALIC "Alteridades em Questão",2002. E, na etapa atual do projeto(2003 a 2006), participação no "II Simpósio Internacional de Estudos Africanos", 2003; "X Seminário Nacional Mulher & Literatura",2003; "II Encontro Internacional de Professores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa", 2003; BRASA 2004; IILI 2004; AMERICANISTAS 2004, ABRALIC 2005 e 2006, entre outros, além de cursos ministrados na graduação e pós-graduação, orientação de alunos de IC, Mestrado e Doutorado e publicação de artigos em periódicos nacionais e internacionais e capítulos de livro. Além disso, prosseguiu a elaboração da AFRO-DESCENDÊNCIAS: ANTOLOGIA CRÍTICA DA PRESENÇA AFRO NA LITERATURA BRASILEIRA, 3 vol., no prelo. E entrou no ar o site LITERAFRO ainda em sua versão inicial, que disponibiliza na Internet informações biobibliográficas, críticas e excertos de 110 escritores brasileiros afrodescendentes. Outras publicações: ÚRSULA, de Maria Firmina dos Reis, MACHADO DE ASSIS AFRO-DESCENDENTE: ESCRITOS DE CARAMUJO, ambos organizados por Eduardo de Assis Duarte e também LITERATURA, POLÍTICA, IDENTIDADES, do mesmo autor. Em 2007, foram editados, com apoio da Fundação Palmares, a SELETA LITERAFRO, em CD-Rom, e o CATÁLOGO DE ESCRITORES DA SELETA LITERAFRO. Também, foi reeditado o volume MACHADO DE ASSIS AFRO-DESCENDENTE, pelas editoras Pallas e Crisálida.

114


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Análise de Discurso Crítica e Lingüística Sistêmico-Funcional GRUPO DE PESQUISAS E ESTUDOS

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Uberlândia – UFU Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0015801093CJT5

A criação de um grupo de pesquisas e estudos em Análise de Discurso Crítica e Lingüística Sistêmico-Funcional na UFU contribuirá para a divulgação e fortalecimento das duas abordagens, do diálogo entre elas, do diálogo com outras áreas, bem como contribuirá para a reunião de pesquisadores/as que trabalham com essas duas perspectivas teóricas tanto dentro da UFU quanto fora. Na UFU, especificamente, percebe-se um número crescente de pesquisas realizadas com base na Análise do Discurso de linha francesa (ADF), mas poucas com base na ADC e LSF. Nesse sentido, o Grupo de Pesquisas e Estudos em Análise de Discurso Crítica e Lingüística SistêmicoFuncional vem para ampliar o leque de possibilidades de pesquisa não só por parte dos que trabalham com a Lingüística, mas também por parte de docentes e discentes de outras diferentes áreas. A implantação do Grupo possibilitará a promoção de seminários, palestras, mesas-redondas, produção de material didático, cursos de extensão e fóruns de debate, o que gerará um enriquecimento e aumento da produção acadêmica de docentes e discentes da graduação e da pós-graduação. O Grupo reunirá investigadores/as de diferentes instituições de ensino superior que estarão em constante inter-relação, o que contribuirá, sobremaneira, para a produção do conhecimento em ADC e LSF.

115


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Conhecimento, Subjetividade e Práticas Sociais ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de São João Del-Rei – UFSJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4089707BLZ5HK4 O objetivo do grupo é desenvolver o conhecimento que articule a dimensão psicossocial da realidade humana. A criação deste grupo representou um momento crucial para a consolidação da prática de pesquisa no Departamento de Psicologia da UFSJ (transformada em Universidade Federal em abril de 2002), a partir do retorno à instituição de professores recém-doutores e mestres com experiência de pesquisa nas áreas de psicologia educacional, clínica, social, do trabalho e outras áreas afins. Todos os professores do grupo vinculam-se, como pesquisadores, ao Laboratório de Pesquisa e Intervenção Psicossocial (LAPIP), criado em 2000 no referido departamento. A produção de pesquisas pelo grupo visa fornecer subsídios teóricos e técnicos para o ensino de graduação e de pós-graduação em Psicologia da Universidade. A graduação em Psicologia concentra a maior demanda de ingresso de alunos na instituição, por ocasião do vestibular, e abrange uma região composta por dezoito municípios. Atualmente, sete dos professores doutores do grupo estão trabalhando no Programa de Mestrado em Psicologia da UFSJ,implantado em 2008. A produção do grupo tem contribuído para a ampliação da publicação dos professores em periódicos nacionais e internacionais, tanto em termos de pesquisa, quanto de extensão universitária. O grupo mantém intercâmbio com outros grupos de pesquisa (UFMG, UERJ, FIOCRUZ, PUC-Rio, PUC/SP, UFF e CIRFIP/França), realiza atividades de divulgação científica e incentiva a participação dos alunos, bolsistas e estagiários, em eventos científicos. Atualmente trabalha na criação de um periódico intitulado Pesquisas e práticas psicossociais, que representa um desdobramento do Boletim anual produzido pelo LAPIP. Participa ativamente em eventos de associações nacionais de pós-graduação como a ANPEPP e a ANPED e da organização de eventos técnico-científicos articulados com associações nacionais como a ABRAPSO.

116


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Cultura, Processos Sociais e Sertão GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=82907031AIR3CK Site do grupo www.unimontes.br/ppgds

A principal repercussão da criação do grupo foi o estabelecimento de processo de pesquisa envolvendo professores e estudantes, tanto da graduação quanto da pós-graduação. Desde a criação do Grupo em 2003 iniciou-se um processo de constituição de uma "comunidade de comunicação e argumentação" em que se objetivou e se objetiva, permanentemente, construir entre os membros do grupo compreensões sobre as três temáticas articuladoras dos estudos e pesquisas que se desenvolvem pelos membros do grupo. Fruto da instituição do grupo, alunos de graduação têm realizado a passagem da graduação para a pós-graduação em centros de excelência, com conceito 7 pela CAPES, e a titulação como mestres de alunos de pós-graduação.

117


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação e Culturas Populares GRUPO DE PESQUISA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Uberlândia – UFU Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=001570809HQ2CJ Iniciou-se, na UFU, no ano de 2001, um projeto de extensão e pesquisa, envolvendo docentes, educadores(as) populares e discentes de cursos de graduação e pósgraduação de diferentes áreas do conhecimento.Esses docentes identificaram e analisaram experiências de educação popular em diferentes municípios brasileiros; realizaram três encontros nacionais sobre educação, saúde e cultura populares; criaram e publicaram uma revista sobre temas ligados à educação, saúde e cultura populares;e,com base nestas experiências, optaram por sugerir a criação do Grupo de Pesquisa em Educação e Culturas Populares, ligado ao Programa de PósGraduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia.O Grupo tem como propósitos investigar processos de educação e culturas populares;criar comunidades de comunicação,debate e formação de educadores(as) na perspectiva da educação popular; elaborar inventários,documentos,banco de dados e estudos sobre narrativas referentes à experiência de pessoas ou de grupos com foco na educação e nas culturas populares e seus impactos nos processos de inclusão escolar e social e investigar instituições e atividades de cooperação e de solidariedade. Projetos em desenvolvimento: 1.Rede de educação popular é constituído de subprojetos acerca de aspectos que se entrecruzam na produção e compreensão da educação e das culturas populares.2. Projeto de pesquisa e intervenção na escola pública:rede de escola pública de educação popular, contempla duas dimensões da pesquisa em educação, a produção de saberes e a formação contínua de professores(as).3.Tecendo rede de investigação e intervenção: formação de educadores(as) para a educação de jovens e adultos, que será desenvolvido em 2010 e 2011. 4.ART`CON-Incubação, fabricação de velas religiosas e artesanais,sob a coordenação do Dr.Flander A.Calixto,envolvendo formação e produção de um protótipo para produção de velas numa bitola especial da vela "palito".

118


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Formação de professores e relações étnicoraciais ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0334708U1BMW3D

A perspectiva de trabalho do grupo de pesquisa Formação de professores e relações étnico-raciais está direcionada para investigações que potencializem reflexões e mudanças no contexto da escola. Temas como racismo e currículo, intolerância religiosa, cultura afro-brasileira na escola e outros correlatos constituem o foco investigativo do grupo.

119


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPLEL GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM LEITURA, ESCRITA E LITERATURA: HISTÓRIA, POLÍTICAS E ENSINO ______________________________________________________________________________________________

Instituição: Universidade Federal de Uberlândia – UFU Link CNPq, http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0015708X7EO09H Site do grupo http://groups.google.com.br/group/geplel

O Grupo de caráter inter-institucional foi criado em 2006 vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Maria (PPGE/UFSM), instituição à qual pertencia a líder. Tem por objetivo integrar pesquisadores e alunos da graduação e da pós-graduação, bem como de diferentes instituições de ensino superior e profissionais da educação básica. Os estudos e as pesquisas multidisciplinares estão voltados para a relação entre a história, as políticas educacionais e o ensino da leitura, da escrita e da literatura em contextos escolares e não-escolares, utilizando como principais categorias de análise: gênero, geração, etnia e classe social. Na FACIP-UFU o Grupo mantém o mesmo perfil e atualmente desenvolve o projeto integrado MULHERES ASSENTADAS E SUAS LEITURAS COMO EXPERIÊNCIA POLÍTICA (Financiado pelo CNPq, Processo n. 402791/08-8) DEMAIS PROJETOS CONCLUÍDOS: 1)Entrando na cultura escrita: percursos de teutos e ítalos-riograndenses e as políticas de alfabetização,1930-1950 (Projeto Integrado UFMG, UFPE, UFSM, EHESS. Financiamento: CNPq - Auxílio financeiro e Bolsa. Bolsa FIPE-UFSM) 2) Políticas de EJA nos pequenos municípios do centro do RS (Bolsa PROLICENUFSM) 3) Práticas de Leitura e Escrita de Jovens e Adultos: resignificando a vida Bolsa PROLICEN-UFSM).

120


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Letras de Minas GRUPO DE PESQUISA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG Link CNNP. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0333802LU6GNW8

O Grupo de Pesquisa Letras de Minas tem como objetivo reunir pesquisadores interessados no estudo da obra de escritores(as) mineiros(as). Formado por mestres, doutoras, e estudantes da pós-graduação da UFMG e da PUC - Minas, o grupo se reúne regularmente na FALE para discutir artigos científicos, textos acadêmicos e planejar eventos e pesquisas em conjunto. O grupo participa também sistematicamente de seminários e colóquios de literatura, e publica com regularidade seus trabalhos em livros e periódicos especializados. Publicações: 1. "Mulheres de Letras: antologia de escritoras mineiras" (Florianópolis: Editora Mulheres, 2008, 390p.), contendo estudos desenvolvidos por integrantes do grupo. 2. Anais do I Colóquio Escritoras Mineiras: poesia, ficção e memória", que foi realizado em 13 e 14 de maio de 2009. (Belo Horizonte: VivaVoz/FALE, 2010, 120p.) 3. "Dicionário biobibliográfico de escritores mineiros" (Belo Horizonte: Editora Autentica, 2010, 380p.), resultado de um trabalho realizado com estudantes da graduação em Letras da UFMG. Trabalhos acadêmicos: 1. Nos últimos anos orientei dissertações sobre a obra de Fernando Sabino, Henriqueta Lisboa, Carlos Drummond de Andrade, Beatriz Brandão, Conceição Evaristo e Benito Barreto, entre outros. E orientei uma tese sobre vida e obra de Beatriz Brandao, que foi defendida em dezembro de 2008. 2. Em andamento, oriento as seguintes teses: uma sobre a correspondência de Henriqueta Lisboa; uma sobre a obra de Maria Helena Cardoso; e outra sobre a correspondência trocada entre escritores mineiros e Mario de Andrade. As defesas estão previstas para março de 2012 e 2013. 3. Tenho também orientado monografias de Bacharelado sobre escritores e escritoras nascidos em Minas. Eventos realizados: 1. I Colóquio Escritoras Mineiras: poesia, ficção e memória. FALE/UFMG, 13 e 14 de maio de 2009. 2. II Colóquio Mulheres em Letras: poesia, ficção e critica. FALE/ UFMG, 10 e 11 de junho de 2010.

121


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEP NÚCLEO DE ESTUDOS EM POLÍTICA, SOCIOLOGIA E DIREITO _______________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Uberlândia – UFU Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0015709I1JFVO8

O Núcleo de Pesquisa e Extensão em Ciências Sociais - NUPECS - tem como meta implementar, abrigar e consolidar linhas e/ou grupos de pesquisa sobre organizações formais ou informais, saberes instituídos, saberes localizados, e outros temas pertinentes ao desenvolvimento das Ciências Sociais, em sua relação com outros saberes disciplinares. Tem como finalidade principal viabilizar os meios institucionais, matreriais e humanos para a realização de Pesquisa, Extensão e Eventos na área de Ciências Sociais (Antropologia, Ciência Política e Sociologia), de interesse acadêmico e/ou da comunidade de atuação da Universidade Federal de Uberlândia.

122


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NERA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E AÇÕES AFIRMATIVAS ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0333708PISZ8KU O Núcleo foi criado a partir do envolvimento dos docentes com as atividades do Programa Ações Afirmativas na UFMG. Este Programa tem realizado atividades diversas no interior da UFMG desde o ano de 2002. De 2002 a 2004 foram realizados dois seminários nacionais, vários cursos e debates com apoio do PAIE e PROEX, pesquisas (com apoio do PIBIC, PROBIC e MEC/SESU/SECAD), publicações (5 livros), cursos, seminários, produção de vídeos, formação de docentes da educação básica e o estabelecimento de parcerias com diversas instituições. A experiência do Programa tem sido registrada em artigos, livros, congressos e seminários nacionais e internacionais através dos bolsistas de extensão, ensino e pesquisa e da equipe de professores(as). Dentre as publicações realizadas citamos os livros: Afirmando Direitos: acesso e permanência de jovens negros na universidade, Belo Horizonte, Autêntica, 2004; Tempos de lutas: as ações afirmativas no contexto brasileiro, Brasília, MEC/SECAD; 2006; Identidades e Corporeidades Negras: reflexões sobre uma experiência de formação de professores para a diversidade, Belo Horizonte, Autêntica, 2006; Memórias e percursos de estudantes negros e negras na UFMG, Belo Horizonte, Autêntica, 2006 e Literaturas africanas e afro-brasileiras na prática pedagógica, Belo Horizonte, Autêntica, 2008. Estes três últimos contaram com o recurso recebido pela aprovação no edital UNIAFRO I e II, MEC/SESSU/SECAD. No ano de 2006 foram produzidos dois vídeos: a) Se eles soubessem, em parceria com o Observatório Jovem da UFF, e EIHÁ - Memória e infância no reino do Congo do Aglomerado Santa Lúcia(apoio UNIAFRO/MEC/SESU/SECAD).Além da temática étnico-racial e Ações afirmativas o grupo passou a incorporar outro temas de pesquisa: gênero, juventude e etnia, abordagem racial do Ensino Crítico da Língua Inglesa, discursos e representações sobre a África e os negros nos manuais escolares de países de Língua Portuguesa, História do negro no Brasil e História Oral.

123


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Psicologia social, trabalho, política e processos psicossociais ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC Minas Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1178707DMU3FOW

Este grupo de pesquisa tem como objeto de estudo os processos psicossociais e suas implicações nas comunidades, nas instituições, nas políticas públicas e nos grupos, e está vinculado ao Laboratório de Psicologia Social da Puc Minas. Nossos estudos e intervenções contemplam temáticas como relações de gênero, afetividade e sexualidade, adolescência, psicologia comunitária, políticas públicas, saúde coletiva, uso abusivo de drogas, saúde do trabalhador, organização do trabalho, condições de trabalho, saúde mental e trabalho e educação. Partindo das realidades locais, procuramos desenvolver pesquisas com metodologias quantitativas e qualitativas, supervisões de projetos de intervenção, capacitações, relatórios e artigos, além de apresentações em encontros e congressos da área. Alguns projetos: Fatores psicossociais que influenciam na gravidez na adolescência, Violência doméstica contra mulheres, violência no trabalho nas UBS, o Observatório dos Direitos da Infância e adolescência, dentre outros. Nossos trabalhos e estudos são orientados pela psicologia social, psicologia política, sóciohistórica e algumas referencias teórico-metodológico da pesquisa-ação e intervenção psicossocial, oficinas de grupos, diagnósticos institucionais, história de vida, identidade e trabalho.

124


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Raça, cor e etnia na cultura/literatura ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC Minas Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1178802CMT2EOV

Configura-se como uma proposta interdisciplinar que se propõe mapear as representações imaginárias de negros e mestiços presentes nas culturas/literaturas brasileira e africanas de língua portuguesa, procurando evidenciar as relações de exclusão/inclusão, os processos de produção material e cultural, as redes de mercado, as migrações de pessoas, culturas e idéias, e as formas de resistência que se agenciam nos espaços subalternos, urbanos e rurais, que demarcam os lugares de circulação dos negros e da diáspora negra no mundo atlântico. Tem, como parceiros internos, a Diretoria de Arte e Cultura, a PROPPG e a PROEX; e parceiros internos a parceria da Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte, da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizontre e da Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Propõe a realização de eventos de cunho científico e extensionista para um amplo público da comunidade, envolvido por professores da educação básica, agentes culturais, bibliotecários, segmentos sociais interessados nos temas da exclusão étnica e social, para debater questões relacionadas à exclusão social e étnica. O projeto tem como objetivo fomentar o debate e a formação de massa crítica a respeito das questões étnicas e raciais no Município e dar cumprimento ao disposto na Lei nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003, que prevê a inserção de conteúdos de história e cultura africana e afro-brasileira na educação básica. Realizou 8 símpósios com 32 comunicações, na sede da Câmara Municipal; 12 mini-cursos direcionados a professores da educação básica, no Centro de Aperfeiçoamento do Pessoal do Ensino da Sec. Municipal de Educação; 49 oficinas nos centros culturais de Belo Horizonte; 49 sessões de cinema comentado também nos centros culturais.

125


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Racismo e Educação DESAFIOS PARA A FORMAÇÃO DOCENTE

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Uberlândia – UFU Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0015708ENZ9GQ1

O grupo de pesquisa encontra-se em fase de consolidação, porem, já se destaca pelo ineditismo e pela inserção institucional tanto dentro como fora da universidade. Possui intercambio permanente com Pesquisadores do Núcleo de Estudos Afro Brasileiros (NEAB)da Universidade Federal de São Carlos coordenado pela Professora Petronilha S. Gonçalves, e com o Núcleo de Pesquisa e Extensão da UNESP sobre o Negro (NUPE). O grupo também mantém um conjunto de atividades permanentes vinculadas, das quais se destaca um programa de formação permanente de docentes da educação básica na área de competência do projeto; um grupo de estudos interinstitucional; e realiza anualmente o Seminário Racismo e Educação: Desafios para a formação docente

126


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. RIO DE JANEIRO

Afro-brasileiros, Discurso, Estudos Literários e Culturais ___________________________________________________________________________________

Instituição Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca - CEFET/RJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=3507802R3CKT5E

Este grupo de pesquisa nasce dos trabalhos desenvolvidos durante o mestrado e o doutorado dos professores que dele participam como líderes. Pretendemos refletir sobre a participação do povo negro na sociedade, na cultura e na literatura brasileira, pelo viés, especial, mas não exclusivamente, das áreas de discussão em que se inserem os Estudos da Linguagem (Língua Portuguesa, Análise do Discurso e Lingüística) e os Estudos de Literatura. Em maio de 2008, tivemos como ação o evento "O ano de 2008 e as relações étnico-raciais no Brasil". Reunimos, então, 15 pesquisadores de diferentes Universidades brasileiras para compartilhar conosco o resultado de suas pesquisas e reflexões. Neste mesmo ano, como ação do grupo, promovemos o lançamento do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros do CEFET/RJ. No início de 2009, criamos a primeira turma do curso de pós-graduação Lato Sensu “Relações Etnicorraciais e Educação: Uma Proposta de (Re)Construção do Imaginário Social”. Projeto este que foi contemplado, em 2009, com o edital UNIAFRO IV. Deste Lato Sensu, fazem parte cinco docentes de nosso grupo com o objetivo de compartilharmos os resultados de nossas pesquisas com os discentes nele matriculados.

127


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

AFROSIN AFRO-PERSPECTIVAS, SABERES E INTERSEÇÕES

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=02117086DNZ8GP

AFROSIN (Afro-Perspectivas, Saberes e Interseções) é um grupo de pesquisas que defende o pluralismo racial, a afirmação das diferenças, o combate do racismo através de múltiplas formas e em várias esferas, buscando contribuir para que os fenótipos de todas as populações que compõem a sociedade brasileira estejam no mesmo patamar social, político, ético-moral, estético e afetivo. AFROSIN pretende através de suas cinco linhas de pesquisa incentivar, promover, desenvolver, divulgar e implementar investigações e parcerias com outros setores da sociedade com o objetivo geral de favorecer o desmantelamento das desigualdades políticas, socioeconômicas historicamente herdadas dos processos de colonização e escravização do passado através de múltiplas abordagens em favor da equidade sociorracial. AFROSIN integra o Laboratório de Estudos Afrobrasileiros da UFRRJ, reúne um grupo de pessoas de várias instituições interessadas em desenvolver pesquisas nas áreas de Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas com foco na promoção positiva da diversidade etnicorracial na sociedade brasileira.

128


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

CECULT CENTRO DE PESQUISA EM HISTÓRIA SOCIAL DA CULTURA

___________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0079705OOEUZFU Site do grupo http://www.unicamp.br/cecult O Centro de Pesquisa em História Social da Cultura (IFCH/UNICAMP) desenvolve pesquisas sobre a história dos trabalhadores escravos e livres no Brasil, focalizando seus costumes e tradições, as variantes étnicas, nacionais e regionais na conformação de suas diferenças internas, os processos de construção de identidades e solidariedades, as formas de sociabilidade e diálogo entre grupos de diferentes origens, ofícios ou atividades profissionais, gêneros, religiões, etc. Examina também o modo como a experiência dos trabalhadores nacionais (escravos ou operários) foi tematizada pela produção literária, científica e política brasileiras, para investigar tanto seus significados históricos quanto sua apropriação pela historiografia. Com recursos obtidos em diversas agências de fomento à pesquisa nacionais e estrangeiras, o Cecult elabora instrumentos de pesquisa de interesse coletivo, como bancos de dados, bancos de referências bibliográficas relacionados aos temas e sub-temas das pesquisas em andamento; coordena a aquisição ou reprodução de fontes documentais de interesse para esta área de estudos; além de oferecer condições para o desenvolvimento de trabalhos de pesquisa individuais e coletivos, contribuindo para o aprimoramento da formação de recursos humanos, da iniciação científica até o pós-doutorado, na área da História Social da Cultura. Sua produção intelectual e acadêmica é divulgada por meio de monografias, dissertações de mestrado, teses de doutorado, artigos e livros de autoria individual; da organização de coletâneas, da realização de seminários e encontros científicos, bem como da manutenção de uma página na internet (www.unicamp.br/cecult) e da coordenação de duas coleções de livros ("Várias Histórias", editada pela Editora da Unicamp, e "Letras em Série", pela Mercado de Letras).

129


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

CEO CENTRO DE ESTUDOS DO OITOCENTOS

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Fluminense – UFF Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0005705QT2AJV4 Site do grupo www.ceo.historia.uff.br

O CEO é um espaço interinstitucional direcionado para o estudo da história do que convencionamos denominar de longo século XIX (rise do sistema colonial, em fins do século XVIII, até o final da chamada República Velha). Reúne núcleos, laboratórios, linhas de pesquisa, professores e alunos de graduação e de pós-graduação de diferentes instituições e possui os seguintes objetivos: 1. Elaborar sínteses historiográficas a partir dos novos trabalhos de pesquisas realizados, sem perder de vista o contexto global; 2. Estimular a difusão de bancos de dados alimentados por pesquisas individuais e/ou coletivas, incrementado sua circulação entre os estudiosos do século XIX, abrindo a possibilidade de instituir um sistema de informação sobre o século XIX atualizado com a colaboração de todos; 3). Formar novos bancos de dados, por fundo documental ou temático, de autoria individual ou coletiva; 4) Circular a experiências de montagem de banco de dados; 5). Promover discussões e intercâmbios sobre os temas de interesse dos pesquisadores e sobre os resultados alcançados em investigações desenvolvidas; 6). Divulgar os resultados das pesquisas feitas pelos associados em futuro site do CEO, facilitando o intercâmbio acadêmico; 7). Divulgar artigos e livros escritos pelos associados; 8) Divulgar entre os professores de 1 e 2 º graus os resultados das pesquisas desenvolvidas, preparando inclusive material didático para esses níveis de ensino; 9) Convocar seminários regionais e nacionais (no âmbito da ANPUH), para incrementar a troca de experiências e o diálogo; 10) Realizar, entre os membros pertencentes às universidades sediadas no Rio de Janeiro, atividades periódicas de troca acadêmica, de tal modo a constituir uma linha permanente de pesquisa; 11) Divulgar notícias de interesse geral dos associados. Em dezembro de 2003, o grupo transformou-se em um PRONEX /CNPq - FAPERJ, com projeto intitulado "Nação e cidadania no século XIX: novos horizontes".

130


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Configurações da identidade do migrante na literatura contemporânea ____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Grande Rio – UNIGRANRIO Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1177802DPY6F9I O processo de interdependência entre as nações, em conseqüência da internacionalização da economia e das novas tecnologias da comunicação, tornouse responsável pela intensificação dos processos migratórios, iniciados pelas diásporas, que geram, ampliam e multiplica a experiência da transculturação, uma complexa teia de relações sociais que reflete a tensão gerada a partir da vivência, pelos migrantes, de identidades múltiplas e fluidas fundamentadas ao mesmo tempo nas sociedades de origem e nas "adotivas". As pesquisas do grupo visam à investigação da configuração das identidades surgidas a partir desse intenso fluxo migratório, bem como a sua representação literária. A repercussão dos trabalhos do grupo pode ser verificada por meio de participações em eventos nacionais e internacionais, pela publicação de artigos e ensaios em periódicos nacionais e estrangeiros, capítulos de livros, bem como na Revista Eletrônica do Instituto de Humanidades da UNIGRANRIO. O grupo também tem por objetivo promover a criação de um banco de dados sobre a representação da identidade nas obras de escritores migrantes, a ser disponibilizado online para consulta pública. O grupo fez parte da Coordenação do 1o. Seminário de Pesquisa do CNPq realizado na UFSJ. A Professora Shirley de Souza Gomes Carreira obteve a aprovação de projeto submetido à FAPERJ no Edital de Apoio a projetos de pesquisa na área de Humanidades.

131


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Cotidiano, Educação e Cultura(s) ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC - Rio Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0111708HFAW3P4 Site do grupo www.gecec.pro.com

A problemática das relações entre diversidade cultural e educação tem se tornado de especial relevância para a construção de uma sociedade democrática. É neste horizonte de preocupações que o GECEC - Grupo de Estudos sobre Cotidiano, Educação e Culturas - vem desenvolvendo suas atividades, desde 1996, sob a coordenação da Profª Vera Maria Candau. Desde 2007 conta também com as pesquisas desenvolvidas pelo Profº Marcelo Andrade. Sua principal finalidade é realizar estudos e pesquisas de caráter interdisciplinar, privilegiando como temática central as relações entre educação e cultura(s) em diferentes âmbitos educativos. O GECEC tem realizado várias pesquisas com o apoio do CNPq e da FAPERJ. No período de 1996 até o presente momento realizou quatro projetos de pesquisa: "Cotidiano Escolar e cultura(s): desvelando o dia a dia" (1996-1998), "Educação Intercultural e Cotidiano Escolar: construindo caminhos" (19982000), "Universidade, Diversidade Cultural e Formação de Professores" (2000-20003) e "Ressignificando a Didática na perspectiva multi/intercultural". Atualmente, estão em curso dois projetos de pesquisa: "Multiculturalismo, Direitos Humanos e Educação: a tensão entre igualdade e diferença" (2006-2009), coordenado pela Profª Vera Candau e "Diversidade Cultural, Prática Pedagógica e Mínimos Éticos" (2008-2010), coordenado pelo Profº Marcelo Andrade. O GECEC já publicou seis livros nos quais buscamos socializar as pesquisas realizadas. São eles: "Sociedade, Educação e Cultura(s): questões e propostas" (Vozes, 2002); "Educação e Cultura(s): entre o crítico e o pós-crítico" (DP&A, 2005); "Educação Intercultural e Cotidiano Escolar" (7 Letras, 2006); "Didática: questões contemporâneas" (Forma&Ação, 2009); "A Diferença que Desafia a Escola" (Quartet/Faperj, 2009) e "Tolerar é pouco?" (DP&Alli, 2009).

132


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Currículos, redes educativas e imagens ___________________________________________________________________ Instituição Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0326708EQZ6GS1 Site do grupo http://www.lab-eduimagem.pro.br

Com a criação do Laboratório Educação e Imagem, em 2000, foi possível o desenvolvimento de uma série de pesquisas financiadas pelo CNPq e FAPERJ, em torno de artefatos culturais vários (televisão, vídeo, fotografia etc.) o que tornou necessário a formação deste grupo, saído do grupo anterior (cotidiano escolar e currículo) pelo desenvolvimento que questões relativas às imagens e narrativas, nas redes educativas cotidianas. Assim, mantendo a preocupação com a dimensão cotidiana do viver em múltiplas redes de conhecimentos e significações, a este Grupo interessou o desenvolvimento de pesquisas que envolvessem questões ligadas à produção imagética nos/dos/com os processos curriculares e pedagógicos. Uma série de publicações, atividades e projetos de pesquisa e extensão passaram a existir (ver, por exemplo, em www.lab-eduimagem.pro.br: a) os dois jornais eletrônicos - Educação e Imagem;Redes Educativas e Currículos locais; b) o Banco de Imagens; c) a produção de livros e artigos, dos grupos de pesquisa associados. O surgimento deste grupo vai permitir, melhor, o desenvolvimento das discussões em torno do 'uso' das imagens e das narrativas em pesquisas em Educação, possibilitando a acumulação teóricoepistemológica e teórico-metodológica de questões ligadas a esses temas, para além do que já foi desenvolvido até o presente. Os sub-grupos envolvidos, relacionados a diversas instituições universitárias (UERJ, UFES,UFRRJ, UFF) buscam, de maneira solidária, compreender os processos cotidianos de produção de conhecimentos e de significações fazendo 'uso'de imagens e narrativas, entendendo-as como "personagens conceituais" (Deleuze).

133


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Desafios Contextuais e Subjetividade ___________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0211707NU4FPW6

O município de Nova Iguaçu, situado na Baixada Fluminense, faz parte da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, possui 829.999 habitantes, conforme o censo do IBGE de 2005, sendo cerca de 122 mil da faixa etária entre 18 e 24 anos, e mais de 200 mil com menos de 18 anos. Estas pessoas estão inseridas em um contexto de características sociais relevantes, que revelam o cotidiano da Baixada Fluminense.O efeito das práticas do cotidiano tem gerado situações objetivas a serem enfrentadas pelas própria comunidade e a sociedade, levando-se em conta a construção de saberes pessoais, que se traduzem em subjetividades diversas.No intuito de obter indicações objetivas sobre a execução do princípio da sustentabilidade e a manifestação do efeito multiplicador entre pessoas que pertencem a um contexto social, o grupo de pesquisa pretende evidenciar processos de construção subjetiva do jovem em relação à busca de estratégias para resolver situações-problema traduzidas em sua inserção social e no reconhecimento de suas possibilidades produtivas e criativas.

134


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Desigualdades Sócio-Econômicas e Políticas no Brasil Contemporâneo ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC - Rio Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0111702OY5FR08 Site do grupo http://www.puc-rio.br/sociologia

As repercussões do trabalho do grupo vem sendo sentidas em várias dimensões, a saber: participação em Seminários, Palestras e Congressos (ANPOCS, ABCP, ANPUH entre outros); na produção e publicação de artigos e livros; em trabalhos orientados e cursos oferecidos não só na graduação como na pós-graduação lato sensu; consultorias, pesquisas e treinamento envolvendo alunos bolsistas, e subsídios para a formulação de políticas públicas.

135


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Direito e Saúde ________________________________________________________________________________________

Instituição Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00396015CMGPX6 Site do grupo http://www.ensp.fiocruz.br/dihs

O grupo se organizou a partir da discussão entre Ciências da Saúde e Jurídicas buscando a construção de um saber integrado que dê conta das questões entre Direito e Saúde. Reflete sobre a demarcação de um novo campo de construção do conhecimento de interpenetração de suas matrizes epistemológicas na construção de objetos interdisciplinares comuns. Pensar essas áreas do saber humano implica em debruçar nosso olhar para a intersecção que existe entre direito e saúde. A estruturação do grupo que privilegia essas áreas é de extrema importância e absoluta necessidade acadêmica. É preciso que a Saúde se aproprie dos instrumentos da Ciência Jurídica e que esta seja proprietária de conhecimentos da Saúde. É necessário criar uma cultura acadêmica da nova e nominada área Direito e Saúde, integrando diversas disciplinas destas ciências, objetivando contribuir para a melhoria das condições de saúde, tendo como ponto privilegiado a construção da cidadania, que extrapole o âmbito do individual, conformando espaço de conquista de direitos humanos no bojo da Saúde Pública.

136


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Discurso e Estudos de Tradução ____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0326801DFZ6XWS

O presente Grupo tem tido atuação e impacto no Instituto de Letras-UERJ e fora dele. Constituído como GT em 1998, organizou expectativa dispersa há anos dentro do Instituto e vem atendendo a demanda constante da Universidade e da sociedade. Sob a liderança da Professora Doutora Maria Aparecida Andrade Salgueiro (Pesquisadora do CNPq e Cientista do Nosso Estado-FAPERJ), tal grupo, constituído por representantes de cinco Línguas Estrangeiras Modernas estudadas no Instituto (Inglês, Alemão, Francês, Espanhol e Italiano), propôs uma estratégia acadêmica conjunta; ganhou o Prêmio de Incentivo à Graduação da SESU/MEC em 1999; inaugurou espaço planejado para treinamento discente e prestação de serviços, construído pela Sub-Reitoria de Graduação; presta serviços à comunidade interna e externa; ganhou por duas vezes fomento FAPERJ, através do "Programa de Apoio às Entidades Estaduais"; concluiu planejamento de novas Habilitações de Graduação: Tradução - Espanhol e Tradução - Inglês; objetiva incluir no ano de 2009, o Japonês e o Grego Moderno; planeja discutir a criação de curso de Pós-Graduação Stricto Sensu. Conta no momento com dois espaços: o 'Centro de Produção', com atendimento a demandas internas e externas de tradução e versão, onde atuam Professores, Bolsistas e Bolsista PROATEC e o 'Centro de Planejamento e Pesquisa', prestes a se transformar em 'Centro de Estudos Interculturais'. Mantém Convênios Internacionais ativos com Universidades Estrangeiras: Varsóvia-Polônia; 'Protocolo de Intenções' com Casa de las Américas ? Havana-Cuba; convênio prestes a se concretizar com 'Centre for Translation and Intercultural Studies' - University of Manchester-Inglaterra, a maior referência internacional nesse campo de estudos, após visita e conferência, em abril 2008, da Líder do presente Grupo, por ocasião de seu Pós-Doutorado na University of London (2007/2008), com bolsa do CNPq.

137


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Diversidades Culturais ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC - Rio Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=01117031195H53

As repercussões das atividades deste grupo de pesquisa podem ser listadas nas seguintes atividades: - Realização de encontros quinzenais para apresentação e discussão de trabalhos de membros do grupo de pesquisa e de convidados. - Participação em Seminários, Palestras e Congressos (ANPOCS, ABA, ABRALIC e ANPUH) - Publicação de livros e artigos (periódicos nacionais e estrangeiros) - Orientação e treinamento de alunos em pesquisas - Orientação de monografias e dissertações - Cursos na graduação e na pósgraduação

138


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação Superior e Diversidade Étnico-Racial ______________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0211708DM3FOW5 Site do grupo http://leafro.blogspot.com

Este grupo realiza pesquisas que se localizam na interface das áreas educacional e de relações étnico-raciais, conferindo-se ênfase ao papel que a educação desempenha nos processos de construção da cidadania plena. As discussões em relação ao trinômio educação, cidadania e relações raciais brasileiras não se constituem como novidade entre nós, posto que elas vêm sendo colocadas há mais de um século pela sociedade civil. A partir do final dos anos setenta do século passado, porém, no interior da academia vêm se multiplicando os debates, as análises e a produção teórica em torno do significado e da importância das relações estabelecidas entre educação, processos de construção de cidadania e o respeito aos diferentes grupos sociais e raciais, denominados como minorias políticas. Esse debate constitui-se como importante e necessário, principalmente por tornar visível as formas pelas quais os diferentes grupos sociais constroem sua história. A assimetria de poder que rege as relações entre os diferentes grupos que integram a sociedade brasileira não permite caracterizá-los apenas como plurais mas, principalmente como desiguais: ?No plano antropológico elas são realmente apenas diferentes, mas no plano sociológico elas são também desiguais?. Busca-se aqui, precisamente, elaborar conhecimentos potentes para intervir nessa realidade, buscando transformar positivamente essas relações assimétricas de poder, democratizando, portanto, a própria sociedade brasileira.

139


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação, sociedade do conhecimento e conexões culturais ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0211708V4GPX6I Site do grupo http://pesccc.ning.com/

Este grupo ainda não pode avaliar suas repercussões. De todas as maneiras, temos percebido, junto aos alunos, técnicos outros pesquisadores, enorme interesse naquilo que estamos nos propondo, como contribuição para a UFRRJ, para a região e para a educação como um todo.

140


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educação, Trabalho e Cultura ____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Grande Rio – UNIGRANRIO Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1177708JU4BLEO

O Grupo de Pesquisa em Educação desenvolve, atualmente, Projetos de Pesquisa sobre Educação Inclusiva; Trabalho e Formação Humana; Cultura, Identidade e Cidadania; Aprendizagem Significativa no Ensino das Ciências; Formação e Prática para o Ensino das Ciências; Gênero, Etnia e Identidade; Educação, Linguagem e Cultura; Representação da Historicidade, Memória e Discurso, coadunando pesquisadores e alunos de Graduação e dos Programas de Mestrado da Escola de Educação, Ciências, Letras, Artes e Humanidades. Promove-se a inserção de pesquisadores e estudantes universitários em âmbito regional, por meio de investigação nas áreas urbanas e rurais, principalmente no Município de Duque de Caxias - Rio de Janeiro, a fim de que se possa adquirir subsídios para o entendimento da situação apresentada nestes universos. As Pesquisas realizadas pretendem contribuir como referencial teórico para iniciativas governamentais e empresariais voltados para a formação profissional e educacional. Prova disto é, dentre outros, os Projetos contemplados de três Editais da FAPERJ, que compõem nosso grupo. OBS: Originalmente, o Grupo de Pesquisa foi denominado "Núcleo de Pesquisa em Educação", tendo sido certificado pela UNIGRANRIO e reconhecido através de cadastro no CNPq desde 27/06/2002. Manteve-se em atuação até 07/08/2006; ocasião em que, por orientação da PROPEP - UNIGRANRIO passou a ser Grupo de Pesquisa "Educação, Trabalho e Cultura", seguindo decisão da reunião do colegiado, que determinou a reformulação também das linhas de pesquisa, conforme consignado em ata lavrada desde 28/09/2006.

141


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Ensino de Histórias e Culturas Africanas e Afro-Brasileira ____________________________________________________________________ Instituição Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro – IFRJ Link CNPq, http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=4103708HRY72BJ

O grupo está relacionado ao Curso de Especialização Lato Sensu em Ensino de Histórias e Culturas Africanas e afro-brasileira do IFRJ Campus São Gonçalo, e tem como proposta contribuir para a formação continuada dos professores e profissionais ligados à educação capazes de atuar no ensino e na pesquisa com vistas à implementação de uma política educacional que reconhece a diversidade étnico-racial do país, seguindo as determinações da lei 10.639/03 que torna obrigatório o ensino das histórias e culturas africanas e afro-brasileira em todos os níveis e modalidades da educação básica. No tocante ao objeto da Lei 10.639/03, as questões que envolvem o estudo do legado cultural africano encontram-se em permanente revista. Diversos segmentos do conhecimento acadêmico e dos movimentos sociais acerca da herança da cultura africana no Brasil devem ser abordados nesse projeto, contribuindo para uma leitura cada vez mais ampliada e profunda dos eventos sócio-históricos revelados pela influência cultural africana. Em constante contato com a produção acadêmica em voga, atento ao percurso dos movimentos sociais, imposto pela complexidade e diversidade de aproximações político-pedagógicas do tema, o grupo de pesquisa incorpora diversos campos do saber, com diferentes abordagens, ainda assim consoante a uma univocidade conceitual e ideológica do grupo de professores/pesquisadores/estudantes dentro os campos de conhecimento abarcados no curso.

142


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Estudos históricos e sociais da ciência e da tecnologia ____________________________________________________________________ Instituição Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ/RJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0039702EUCF8U5 O grupo vem desenvolvendo investigações no campo da história e da sociologia da ciência, com o objetivo geral de refletir sobre a dimensão sócio-cultural dos processos de produção e institucionalização dos conhecimentos e práticas das ciências no Brasil, em particular dos campos biomédico e biológico. As atividades de pesquisa realizadas têm gerado diferentes resultados e produtos: participação sistemática dos membros do grupo em eventos científicos nacionais e internacionais da área de história da ciência; publicação de livros, capítulos de livro e artigos em periódicos indexados no Brasil e no exterior; organização de coletâneas e de números especiais de periódicos; atividades e produtos de divulgação científica (como exposições e bibliotecas virtuais); participação dos membros da equipe no Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (COC/Fiocruz); treinamento e orientação de estudantes em nível de graduação e pós-graduação.

143


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Estudos Lingüísticos e Literários ____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Grande Rio – UNIGRANRIO Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=11778023PIY6BJ

O Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Estudos Lingüísticos e Literários objetiva as ações de produção científica e crítica desenvolvidas por pesquisadores que se vinculam a quatro linhas de pesquisa, a saber: Análise do discurso; Descrição de fatos lingüísticos; identidade, alteridade e imaginários culturais e Leitura e Literatura: teoria e crítica. Os projetos buscam articular as relações entre a produção literária, a expressão lingüística e os imaginários culturais. Para tanto, partimos do pressuposto que o universo da pesquisa contemporânea sobre a literatura e a linguagem é plural, permitindo o surgimento de teorias que apresentam visões parcelares, sendo, portanto, passível de exame contínuo. A criação de uma cultura de pesquisa tem se efetivado a partir de seminários, grupos de estudos, palestras e publicações, que incluem uma revista eletrônica de periodicidade trimestral, que se encontra no vigésimo sexto número, uma revista impressa, bem como a publicação de anais dos eventos realizados anualmente na UNIGRANRIO. A repercussão do trabalho do grupo pode ser verificada por meio do número expressivo de participações em eventos no Brasil e no exterior, de publicações em revistas especializadas nacionais e internacionais e da produção discente. No ano de 2008, o grupo realizou os seguintes eventos: II Café Literário, II Jornada de Estudos Anglo-Americanos, II Jornada de Leitura Miguel de Cervantes, IV Semana de Letras e Encontro com o bruxo. Dois graduandos com bolsa de IC concluiram suas pesquisas. A consolidação do trabalho do grupo gerou o Programa de Mestrado em Letras e Ciências Humanas da UNIGRANRIO, recomendado pela CAPES e em funcionamento.

144


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Infância, Juventude e Educação ____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0326708ZYFP8WI

O interesse da linha é agregar pesquisadores de diferentes campos do saber em torno da constituição de um corpo sólido e organizado de conhecimento sobre as temáticas da infância, adolescência e juventude em suas várias facetas. Trata-se, com isso, de viabilizar pesquisas acadêmicas que, aglutinadas em torno de modelos interpretativos que permitam reconhecer crianças e jovens em suas especificidades históricas, sociais e culturais, contribuam não só para conferir a esses sujeitos o papel social de protagonistas, mas também para orientar a concepção e a implementação de políticas implicadas com a garantia da sua cidadania. Essa orientação da linha pressupõe o compromisso de que se analise criticamente os temas da infância, adolescência e juventude, buscando formas de interpretar as experiências concretas de crianças, adolescentes e jovens que favoreçam que sejam identificados como atores sociais dotados de capacidade de integração, comunicação e participação relativamente à sociedade e à cultura em que vivem.

145


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Instituições, Práticas Educativas e História _______________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0326708NWEV0V2

Trata-se de um grupo em processo de constituição, organizado a partir de relações previamente estabelecidas, o que pode ser evidenciado no conjunto das investigações desenvolvidas por seus integrantes, cuja ênfase recai na análise das instituições e práticas educativas, com base na pesquisa histórica. A difusão dos trabalhos realizados tem se dado, de modo privilegiado, na organização de congressos, encontros, seminários, cursos, exposições, livros e coletâneas, além de publicação de capítulos de livros, artigos em periódicos e produção de vídeos. Produção acadêmica que, resultante de preocupações assemelhadas, também vem sendo veiculada, de modo regular, em fóruns nacionais e internacionais.

146


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Laboratório de Antropologia e História __________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0202703Z9KU1BN Site do grupo http://lah.ppgasmuseu.etc.br/LAH.html

Através da organização de seminários, palestras e encontros abertos, bem como atividades de pesquisa e formação, o lab. se propõe a criar possibilidades de experimentação, instigando novas formas de interlocução, debate e produção intelectual. Trata-se de um espaço que estimula debates sobre os desafios de ordem teórica e metodológica decorrentes de experiências de pesquisa situadas na tênue fronteira entre a antropologia e a história. Uma vez que os significados conferidos a noção de campo têm sido repensados ao longo da experiência etnográfica e o caráter e natureza das fontes tradicionalmente utilizadas pelos historiadores submetidos a uma contínua reflexão, um dos propósitos do Laboratório é refletir acerca dos dilemas que envolvem a pesquisa - em história e antropologia - a partir de uma dupla perspectiva. Nosso interesse é o de reunir pesquisadores que venham empregando métodos afins às duas disciplinas em suas pesquisas de campo e em arquivos - e interessados em questionar acerca das implicações de sua utilização na produção de narrativas históricas e antropológicas. A partir da discussão de experiências de pesquisa que envolva o uso de fontes diversificadas no tratamento de temas também distintos, pretende-se provocar o debate sobre o fazer da antropologia e da história com ênfase na reflexão crítica em torno da necessidade de diálogo entre as duas disciplinas.

147


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Laboratório de História Oral e Imagem ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Fluminense – UFF Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0005705LXBW9W2 Site do grupo www.historia.uff.br/labhoi

O LABHOI foi criado em 1982 e desde veio se consolidando como um centro de referência na produção e análise de fontes orais e identificação e análise de fontes visuais privilegiando, de forma efetiva, a integração das atividades de ensino e pesquisa dentro da universidade e socializando os resultados de seu trabalho. Atualmente o LABHOI desenvolve projetos de pesquisa em várias frentes, orientados segundo as suas linhas de pesquisa: África e Mundo Atlântico; Memória, Arte e Política; Memória, Escravidão e Cidadania; Memória, Política e Mídias. Paralelamente, o LABHOI mantem suas diretrizes básicas de funcionamento junto ao curso de Graduação de História da UFF, ao PPGH e à comunidade acadêmica, dentre os quais destacam-se: 1. Investimento sistemático na ampliação de uma discussão teórico-metodológica sobre a produção e uso de fontes orais e visuais, através da oferta sistemática de curso na graduação e na pós-graduação 2. Desenvolver uma reflexão de caráter conceitual e metodológico para a elaboração, de modo independente ou combinado, de trabalhos envolvendo as relações memória, história e os usos de fontes orais e visuais(entrevistas, fotos, filmes, etc) 3. Dar continuidade à constituiçào de um acervo de fontes orais, a partir das pesquisas realizadas por professores ( com destaque para aquelas encaminhadas através dos cursos e pesquisas) e alunos de pósgraduação e da graduação, o que demarca o trabalho de orientação articulado pelo Laboratório 4. Constituir instrumentos de pesquisa de natureza diversa para ser divulgado para a comunidade acadêmica, bem como para o público interessado, através da sua home-page www.historia.uff.br/labhoi . 5. Consolidar a noção de escrita videográfica associada a uma nova escrita da história resultante do cruzamento de palavras, imagens e sons da rememoração.

148


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

LABTeC LABORATÓRIO TERRITÓRIO E COMUNICAÇÃO

______________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=02026053FPW6HR

Os professores e pesquisadores do LABTeC trabalham com temáticas relacionadas às transformações do mundo contemporâneo, em particular as mudanças estruturais que ocorrem nas esferas do trabalho e da produção. Trata-se da passagem do regime de acumulação fordista, baseado na produção fabril em grande escala de bens materiais direcionados ao consumo massivo, para novas formas de produção, na qual os elementos dinâmicos do sistema deslocam-se para as esferas da circulação e do consumo, com a participação crescente de fatores produtivos com alto componente de serviços e/ou de atividades imateriais. No horizonte da economia pós-fordista, as novas tecnologias de comunicação e informação ocupam um lugar privilegiado de reflexão, estudo e pesquisa. A temática central do LABTeC desdobra-se em quatro eixos, com foco particular de interesse na avaliação e formulação de políticas públicas. São eles: i) a problematização das tendências à "desmaterialização" dos produtos e dos processos na perspectiva da socialização do trabalho no novo regime de acumulação; ii) a crescente integração econômica de fatores produtivos territorializados e articulados na forma de redes, com ênfase no desenvolvimento de pequenas e médias empresas; e iii) a cidade como ator estratégico da nova economia mundial globalizada, isto é, a metrópole como âmbito privilegiado da transformação paradigmática em curso, à medida que dispõe dos recursos materiais e imateriais para a integração produtiva nas diferentes escalas de atuação (local, regional, mundial). iv) a economia do conhecimento e da informação, a comunicação e a cultura como elementos estruturantes de novos modos de produção. O LABTeC constitui um elo ativo da Rede Universidade Nômade - uma rede de iniciativas políticas e acadêmicas de caráter público que vem sendo desenvolvida em diferentes planos e em várias cidades do Brasil. Articula seminários e colóquios nacionais e internacionais, bem como as revistas Lugar Comum, e Global Am Latin

149


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

LApF LABORATÓRIO DE ANTROPOLOGIA DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO

____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0111708L2BNX4E

O LApF foi constituído em 2008, como ambiente de de quatro projetos de pesquisa: 1) 'Situação das comunidades negras do Baixo Sul da Bahia: organização, políticas públicas e educação', apoiado por Koinonia, sob coordenação de José Maurício Arruti (PUC-Rio); 2) 'O Caminho das coisas estética e cultura em uma comunidade quilombola', apoiado pela FAPERJ sob coordenação de Carla Dias (PUC-Rio); 3) 'Panorama das comunidades quilombolas no Rio de Janeiro: Educação, Terra e Cultura', também apoiado pela FAPERJ sob coordenação de Arruti; 4) 'Políticas de reconhecimento e Processos de Formação: agentes práticas e dilemas da educação diferenciada', sobre universitários (SP) e professoras (PE) da etnia Pankararu, sob a coordenação de Arruti e financiado pelo CNPq. Para a realização destes projetos, o LApF estabelece parcerias interdisciplinares e interinstitucionais. O primeiro projeto é realizado em parceria com a ONG Koinonia. O segundo, por meio de uma parceria entre os departamentos de Artes e Design e de Educação da PUC. No terceiro, a estes dois departamentos soma-se a parceria com a Faculdade de Direito da UCAM e com o IUPERJ, contando também com apoio de Koinonia. No quarto projeto as parcerias se dão com o CEBRAP e com o CEM (Centro de Estudos da Metrópole). Além destas pesquisas em curso, o LApF passa a ser parceiro na elaboração da publicação bimestral 'Informativo Territórios Negros' e pelo site 'Observatório Quilombola' (ambos de Koinonia), em funcionamento desde 2001 e 2005 respectivamente. As primeiras publicações relativas a tais projetos estão previstas para 2009.

150


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Leitura de Imagens do Negro no Livro Didático da Educação Básica ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Fluminense – UFF Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/diretorioc/fontes/detalhegrupo.jsp?grupo=0005708QX7JSZ9

Apresentações permanentes de trabalhos parciais da pesquisa desenvolvida em Congressos, periódicos e livros. Formação continuada de professores com vista a ampla utilização do livro didático e seu entendimento como um dos componentes da cultura material escolar. Entender a imagem no livro didático como linguagem e, portanto, importante para a compreensão temática e crítica da História do Negro no Brasil.

151


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Memória, História e Produção do Conhecimento em Educação ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Fluminense – UFF Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00057080T3AKV5

O Grupo de Pesquisa Memória, História e Produção do Conhecimento em Educação está vinculado à Linha de Pesquisa História Social da Educação, construída no âmbito do Campo de Confluência "Diversidade, desigualdades sociais e educação", do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal Fluminense. As categorias memória, história e historiografia organizam um conjunto de pesquisas voltadas para compreender os processos históricos de construção da educacção escolar no Brasil. O grupo abriga estudos e debates a respeito da forma como a produção de conhecimento, expressa em proposições que permeiam as políticas educacionais, emerge da memória permanentemente re-elaborada no campo intelectual brasileiro. Essa preocupação abrangente desdobra-se em questões particulares que dizem respeito à construção histórica da educação escolar no Brasil. A experiência do grupo resulta de duas frentes de pesquisa que se interpenetram, embora guardem especificidades: a) a memória do campo historiográfico da educação brasileira como base para uma reflexão a respeito dos caminhos da pesquisa em história da educação; b) a relação entre intelectuais e Estado na construção de propostas para a educação escolar no Brasil, com foco privilegiado, embora não exclusivo, sobre o papel da intelectualidade militar. A tríade ensino-pesquisa-extensão faz-se presente nas atividades que envolvem: a) formação de novos educadores/pesquisadores; b) busca e auxílio à preservação de acervos para a pesquisa histórica; c) produção de textos e materiais visuais para divulgação dos resultados de pesquisa; d) participação e organização de eventos de intercâmbio acadêmico; e) elaboração de materiais de ensino.

152


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEPHEB NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=16977084DLU6FN

A identidade do Núcleo veio se constituindo ao longo dos últimos anos. No âmbito da UNIRIO seus pesquisadores vêm, desde 2000, desenvolvendo pesquisas no campo da História da Educação Brasileira, inicialmente no interior do Grupo de Pesquisa Logos. Em 2002 é criado o Núcleo de Estudos em Educação Brasileira - NEB, que se articula com o HISTEDBR da UNICAMP. Em 2004, é criado o Programa de Pós-Graduação em Educação-Mestrado, do qual o NEB passa a fazer parte abrigado na linha de pesquisa Subjetividade, Cultura e História da Educação, vindo a orientar mestrandos com projetos de pesquisa na área de História da Educação, em suas várias matrizes teóricometodológicas; monografias de graduação e bolsistas de iniciação científica também são orientados. A maior parte dos pesquisadores já havia desenvolvido suas pesquisas de mestrado e doutorado na área. Em 2006 é criado o Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação Brasileira GEPHEB no âmbito do NEB/PPGEd./UNIRIO. Ao longo desse tempo seus pesquisadores apresentaram os resultados de suas pesquisas em diversos eventos, a saber: Congressos Brasileiros de História da Educação - CBHE; nas Jornadas e Seminários Nacional do HISTEDBR-Unicamp; no GT de História da Educação da ANPED, na ANPUH, nos Congressos Luso-brasileiro de História da Educação, entre outros; e estabeleceram vínculos externos através da organização de eventos interinstitucional. A produção bibliográfica é constituída por livros, capítulos de livros, artigos em periódicos, em anais de eventos, teses, dissertações, relatórios de pesquisa. Em 2007 o GEPHEB e o NEB se uniram alterando o nome do Grupo para Núcleo de Estudos e Pesquisas em História da Educação Brasileira - NEPHEB na perspectiva do desenvolvimento de trabalhos de pesquisa e extensão no campo da história da educação brasileira.

153


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo de Avaliação de Políticas ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Fluminense – UFF Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0005702E84W18X O grupo visa a contribuir para a consolidação da temática da avaliação de políticas na área social. Do ponto de vista metodológico, concilia a reflexão teórica à postura propositiva no que toca às diversas formas de manifestação das desigualdades sociais no Brasil hoje. Nesse sentido, tem como objetivo a criação de um espaço de conhecimento voltado para a identificação e compreensão das diversas formas de manifestação das desigualdades e da exclusão com vistas à proposição de alternativas através da formulação e acompanhamento de políticas, programas e projetos sociais. A dimensão da avaliação da política aqui proposta incorpora a política social como campo de expressão das contradições referentes à distribuição da riqueza social, e assim reconhece sua manifestação através de conflitos cujos resultados nunca são prévios e onde reside, portanto a possibilidade potencial de geração de igualdades. À dimensão da avaliação se funde a concepção inovadora de Gestão Social, aqui entendida como campo aglutinador de conhecimentos e práticas que visam a redução das desigualdades sociais e a maximização da cidadania. Para tanto, supõe a análise crítica e a produção de instrumentos e técnicas que permitam tanto localizar e conhecer as distintas manifestações da desigualdade social e seus condicionantes, quanto propor alternativas e estratégias para seu enfrentamento através de políticas, programas e projetos sociais. Assim, ela se utiliza da dimensão da avaliação no que toca ao necessário aprofundamento crítico da área social, e as incorpora para a proposição de linhas de ação. Da mesma forma, retro alimenta a avaliação de ações sociais já empreendidas ou em implementação.

154


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo Interdisciplinar de Estudos do Espaço da Baixada Fluminense ____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0326706EQZ7GS1

Buscamos a consolidação do grupo de pesquisadores; participação dos alunos em projetos de pesquisas com possibilidade de bolsas de iniciação científica; criação de periódico eletrônico com produção científica acerca da temática em questão; possibilitar aos discentes envolvidos nas linhas de pesquisa do núcleo a participação em debates acadêmico-científicos através de seminários internos, grupos de leitura e produção de artigos para apresentação em periódicos ou em eventos científicos. Temos como objetivos: investigar como os agentes que produzem o espaço urbano da metrópole carioca e da Baixada Fluminense o fazem a partir de deslocações, desativações e redistribuições de firmas e residências a partir de relações construídas em escalas local-local e local-global; investigar como as estratégias de proteção ambiental constituem-se na região; avaliar como os cidadãos que residem na região da Baixada Fluminense têm seu cotidiano ligado à metrópole do Rio de Janeiro; investigar e analisar as diversas formas de mobilizações sociais reivindicatórias.

155


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Política Social e População Negra ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Fluminense – UFF Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00056109GQ1BIS Linhas de pesquisa  

Desigualdades no ensino superior; Políticas Sociais e População Negra.

156


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Políticas Públicas e Práticas Sociais ___________________________________________________________________ Instituição Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ Link CNPq, http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0326708CJEOWCL Site do grupo www.infanciabrasil.zip.net

Pode-se afirmar que esse Grupo de Pesquisa atavés de suas ações lança repercussões na sociedade geradas principalmente pela qualidade de sua produção e na dinâmica de seus trabalhos. Repercussões sobre PPGE -UERJ em particular, e conseqüentemente sobre a sociedade. Entre outros resultados pode-se destacar: adesão dos discentes e docentes aos trabalhos de investigação; relevância dos trabalhos desenvolvidos e, especialmente a conquista de uma sólida formação.

157


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Programa de Educação Sobre Negro na Sociedade Brasileira ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Fluminense – UFF Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0005708LS2DNU4 Site do grupo www.uff.br/penesb O grupo tem realizado pesquisas sobre a população negra em Educação desde Agosto de 1995, quando foi criado na estrutura da Faculdade de Educação da UFF, o Programa de Educação Sobre Negro na Sociedade Brasileira ( PENESB), o qual tem realizado diferentes pesquisas sobre tema previlegiado pelo Programa. Ao longo desses anos houve repercussões dos resultados das diferentes investigações tanto no interior da UFF quanto externamente, no Brasil e também no exterior. Internamente, a realização do Censo Etnico Racial em 2003 e a pesquisa realizada sobre o grupo política de ação afirmativa na UFF (Grupo de estudantes graduandos de diferentes cursos que receberam uma bolsa de permanência e acompanhamento acadêmico) contribuiram para a tomada de medidas políticas que possibilitaram ao mesmo tempo a discussão no interior da Instituição e apontaram elementos para novas investigações que estão em curso. Externamente, no Brasil as pesquisas realizadas têm contribuido para fundamentar a determinação contida no artigo 26a da Lei Diretrizes Bases da Educação Nacional, tendo como conseqüência repercussões extremamente positivas junto a escola básica contribuindo para a sua democratização. No exterior, particularmente nos EUA, Universidade de Texas, Austin e na Universidade Estadual de Michigan, o reconhecimento das contribuições das pesquisas realizadas pelo PENESB, concretizou-se através do convite para nossa participação em dois eventos realizados pelas respectivas Universidades nos quais o PENESB teve significativa participação. Tais repercussões se confirmaram também por meio da participação da aluna do curso de mestrado da Universidade do Texas, Nora Deviy, em 2006, em atividades de pesquisa no Penesb, sob a nossa supervisão, por recomendação do Coordenador do Centro de Estudos Afro-americano e Afro-latino da Universidade do Texas. Ao longo da sua existência o Penesb publicou 8 "Cadernos Penesb" e um livro "A Cor & Magistério" e realizou varios seminários.

158


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Tecnologia de Informação e Sociedade ____________________________________________________________________ Instituição Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – IBICT Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00266075EQ07HS O grupo de pesquisa focaliza características e problemas relacionados à introdução e ao desenvolvimento da área de tecnologia de informação e comunicação (TIC) no país, assim como da ciência e tecnologia em geral. Aborda especificamente questões relativas à situação atual e perspectivas do trabalho e das ocupações nestas áreas visando a geração de indicadores e outras informações, através de análises de dados do IBGE, dados do CNPq e outros levantamentos. Aborda também aspectos do uso e do aprendizado das TICs, assim como da atividade de pesquisa em TIC. As diferenças de gênero e de raça na área de TIC e na ciência e tecnologia em geral são também consideradas, buscando-se conhecer os padrões atuais e os mecanismos que explicam essas diferenças. Através das discussões teóricas e dados gerados, este grupo contribui para formulação de políticas de recursos humanos e políticas de emprego na ciência e na tecnologia em geral, e especificamente na área de tecnologia de informação e comunicação, inclusive aquelas que visem à promoção da igualdade de gênero e raça nesta área e no mercado de trabalho de um modo geral.

159


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. SÃO PAULO

A escrita no Brasil Colonial e suas relações ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0330802O82DZVF

Os trabalhos do grupo têm como principal repercussão a preparação dos estudantes de Letras para a atuação na área dos estudos filológicos, que possuem pouco espaço nos currículos dos cursos de Letras. As pesquisas realizadas pelo grupo auxiliam-nos na preparação para as análises lingüística ou literária, fazendo-os criar o hábito da busca às fontes. Ao mesmo tempo, prepara para enfrentar os problemas relativos aos originais ou versões mais antigas e oferece opções em relação aos enfoques para desenvolver outras pesquisas, tanto em português como em língua latina, referencial de erudição na época. Do ponto de vista da difusão dos textos, a preocupação maior tem sido resgatar informações a respeito de um período em que os estudos histórico-lingüístico-literários mostram uma lacuna, pois a tendência a discutir a produção a partir de um "estado consistente" da produção escrita no Brasil exclui a abordagem, discussão e entendimento deste "estado inicial da expressão escrita oficial no Brasil". Nesse aspecto, a preocupação principal do grupo tem sido a de abrir espaços na forma de atuação, permitindo uma retomada dos estudos filológicos como opção tão importante quanto a literária ou a lingüística para a abordagem dos textos do Brasil Colonial. Em virtude desse tipo de procedimento, os trabalhos se estenderam para o nível de pós-graduação, podendo o grupo contar, hoje, com três projetos de mestrado e um projeto de doutorado, nos quais o centro das preocupações é a ampliação do "corpus" que trata do assunto. Enfim, tem sido objetivo do grupo a ampliação dos estudos relativos ao Brasil Colonial, cuja responsabilidade é trazer à luz uma maior quantidade de textos que se relacionam ao tema, tanto no que diz respeito às formas de escrita, como naquilo que diz respeito às associações que foram criadas para incentivar ou incrementar a expressão escrita no Brasil de então.

160


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

EdGES ESTUDOS DE GÊNERO, EDUCAÇÃO E CULTURA SEXUAL

____________________________________________________________________ Instituição Universidade de São Paulo – USP Link CNPq . http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0067708ZMC5V0Y

A ação do grupo tem fomentado investigações conjuntas e a participação em congressos nacionais e internacionais, com a apresentação de trabalhos, além de conferências e seminários. Tem gerado parcerias, assessorias e consultorias junto a organizações governamentais e não governamentais. Tem propiciado, ainda, intercâmbios com pesquisadoras e pesquisadores brasileiros e estrangeiros; tem produzido publicações em revistas científicas e em coletâneas. Deve-se ressaltar a formação multidisciplinar dos integrantes do grupo, com ênfase em sociologia da educação, o que permite a intersecção de diversas áreas do conhecimento na produção científica e na ampliação do debate acadêmico bem como na intervenção junto a diversos segmentos da sociedade.

161


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Enfoques Antropológicos ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0330703R18IU3A

Este grupo de estudos tem como objetivo consolidar e ampliar o ensino e a pesquisa em Antropologia, com especial ênfase em questões, autores e temas vinculados tanto à Teoria Antropológica quanto aos Estudos AfroDiaspóricos. O intuito que norteia a formação do grupo é buscar fomentar e realizar investigações vinculadas às áreas temáticas das linhas de pesquisa por meio do desenvolvimento de projetos de Mestrado, Iniciação Científica bem como TCCs e orientações de outra natureza, de modo que seja possível reunir informações, trabalhos e conhecimentos que permitam alargar o campo investigativo em Teoria Antropológica e Antropologia Afro-Brasileira bem como ampliar o material disponível na área de conhecimento.

162


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Estudo sobre as vulnerabilidades de negros e não negros ao HIV/Aids ___________________________________________________________________________________

Instituição Centro Brasileiro de Análise e Planejamento – CEBRAP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1882406DMY8FO0 Site do grupo www.cebrap.org.br Pelo fato da introdução do quesito cor nas fichas de notificação de aids ter se dado apenas no ano 2000 e pela dificuldade, ainda presente na atualidade, em trabalhar com informações consistentes, as estatísticas nacionais passaram a apresentar os dados desagregados por raça/cor a partir de 2004 (MS, 2004). Em função da ausência de números oficiais, a maioria das informações sobre hiv/aids e população negra é oriunda de pesquisas acadêmicas. Ao selecionar faixas etárias e desagregar os microdados do Sistema Nacional de Mortalidade (SIM) por sexo e raça/cor Paixão e col (2004) observaram que no triênio 1998-2000, 1,5% dos óbitos ocorridos entre os homens brancos e 0,8% daqueles ocorridos entre as mulheres brancas foi atribuído ao HIV/Aids, para as mulheres e homens pretos o percentual foi de 1,5 e 2,0, respectivamente, e para as mulheres e homens pardos 1,0 e 1,3. Embora neste período a mortalidade proporcional não seja das maiores, chamou atenção o fato de que, para as mulheres pretas de 26 a 39 anos a morte por hiv/aids apresentou-se maior em 1,6 pontos percentuais em relação às mulheres brancas e 3,6 em relação às pardas.Partindo da mesma fonte de dados, mas agora calculando as taxas para o ano 2000, Batista e col (2004) constataram que a taxa de mortalidade por hiv/aids foi de 10,61/100mil para as mulheres brancas, 21,49/100mil para as pretas; 22,77/100mil para os homens brancos e 41,75/100mil para os pretos. Ainda que o Ministério da Saúde tenha introduzido esta discussão sobre raça, racismo e vulnerabilidades no ano 2004, as primeiras informações oficiais sobre raça/cor e aids foram divulgadas no Estado de São Paulo em 2001. A análise de uma série histórica traçada para pacientes atendidos de 1980-2000, no Centro de Referência e Treinamento em DST-Aids, da Secretaria de Estado da Saúde, deixou evidente o aumento do número de negros (pretos e pardos) inscritos no serviço, bem como do percentual de óbitos entre os mesmos (CE- DST/AIDS, 2001).

163


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Estudos sobre a criança, a infância e a educação infantil POLÍTICAS E PRÁTICAS DA DIFERENÇA.

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0335708AWD9ITQ O grupo firmou uma parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura de São Carlos objetivando a formulação de políticas públicas para a formação continuada de professores de educação infantil, a elaboração de propostas alternativas de gestão dos equipamentos de ensino, e propostas de avaliação de desempenho do trabalho desenvolvido com as crianças da rede municipal de educação infantil. O grupo realizou o primeiro encontro de educação infantil (1º Congresso de Educação Infantil) da região, o qual congregou professores da rede pública e particular de ensino, alunos de pós-graduação com pesquisa nesta área. Repercussão do trabalho do grupo junto à comunidade científica. Desenvolvimento de um projeto de pesquisa em políticas públicas com o objetivo de elaborar um diagnóstico da rede que foi selecionado pela FAPESP na linha de financiamento de políticas públicas, com financiamento durante 2 (dois) anos e meio, até outubro de 2003. O grupo fez parte do Edital/Universal de 019/2004, com o projeto de pesquisa Imagens de Crianças e Infância, financiamento do CNPq no valor de R$18.500,00 (2005 a 2007). O livro mais recente do grupo: Afirmando Diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade da escola, Editora Papirus, 2005 teve uma edição completa adquirida pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. O livro: trabalhando a diferença na Educação infantil, Ed. moderna, 2006, vem sendo adotado por algumas prefeituras do estado de São paulo. O grupo ganhou uma licitação realizada pelo governo do Estado de São Paulo para a formação continuada de professores da rede pública na temática étnico-racial. O valor do financiamento foi de R$1.600.000 para a formação de 15.000 professores. O grupo organizou o encarte sociologia da criança e da infância publicado pela Revista Sociologia, Ciência & Vida em Junho de 2008. Editora Escala, Ano 2 número 17.

164


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Estudos Sobre Jovens, Educação e Violência ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0330708LV2BNX4

Este grupo desenvolveu os projetos de pesquisa: - "Analisis De La Violência De Jovenes En Grupo En Rio Claro A Partir De La Investigación Realizada En Espana, em conjunto com docentes da Universidad Complutense de Madrid – Prof.ª Dra Concepción Fernandez Villanueva e Prof. Dr. Juan Carlos Revilla e da Universidad San Pablo de Madrid - Prof. Dr. Roberto Domingueez Bilbao. Projeto financiado da AECI-Asociación Espanola de Cooperación Internacionale. - Projeto de Pesquisa e de Formação de Profissionais para atuar com a Problematica da Violência de Jovem. Projeto financiado pela FAPESP- Linha de pesquisa : Programa Especial - Ensino Publico. Atualmente desenvolve o projeto de pesquisa intitulado Violência na escola: influência do clima familiar e das relações familiares. Financiamento FAPESP, Capes/GDU Os integrantes do grupo tem participado de vários eventos nacionais e internacionais e publicados artigos sobre a temática objeto de investigação Este grupo é integrado tambem pelos professores doutores Concepción Fernandez Villanueva da Universidad Complutense de Madrid e Roberto Domínguez Bilbao da Universidad Juan Carlos de Madrid.

165


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Estudos Transdisciplinares da Herança Africana ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Paulista – UNIP Vice-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=3062707Q07HT2A

Atuando em conformidade com duas Linhas de Pesquisa - (1) Herança Africana em Instituições Educacionais e na Formação do Indivíduo e (2) Africanidades, Cultura Midiática e Grupos Sociais - os componentes deste GP trazem para o diálogo transdisciplinar suas experiências e sua produção, priorizando os seguintes temas: herança africana na constituição dos indivíduos; formação da consciência; modos de subjetivação; determinações ideológicas e memória institucional; grupos sociais em sua relação com os meios, linguagens e processos da comunicação e da cultura midiática, particularmente no que tange à veiculação de informações relativas às africanidades. Constituem objeto de estudo desses GP fenômenos psicosócio-antropológicos considerados a partir de seus determinantes históricos e socioculturais, com particular ênfase nos fenômenos culturais e religiosos de matriz africana, em seu continente de origem ou fora dele. A expressiva repercussão dos trabalhos desses pesquisadores é atestada pelos currículos vitae de seus integrantes, cuja ação acadêmica vem contribuindo para o avanço dos debates relativos às relações étnico-raciais e à presença africana no Brasil e no mundo. A partir da promulgação da Lei 10639/03, que torna obrigatório o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira no Ensino Fundamental e Médio em Escolas Oficiais e Particulares, mais que nunca evidenciou-se a necessidade de produzir conhecimentos sobre a Herança Africana no Brasil e sobre as peculiaridades das relações étnico-raciais nesse país. A produção do GP ETHA nesses poucos anos de sua existência vem contribuindo para gerar subsídios úteis à implementação adequada da referida Lei.

166


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Família, Gênero e Demografia ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0079606CJDSD2K

Os temas da família e das relações de gênero têm crescido em importância nos estudos sob uma perspectiva demográfica. É difícil entender os processos demográficos sem inseri-los na teia de relações sociais em que se acham envolvidos e das quais são parte. Estes processos expressam necessidades, estratégias e projetos de indivíduos e grupos, e tomam forma a partir das relações sociais em que se acham envolvidos, dentre as quais as relações familiares ou domésticas. As transformações em curso na condição feminina, estimuladas entre outros fatores pelo movimento social de emancipação da mulher, trouxeram para a agenda contemporânea as questões de gênero. Os conteúdos de gênero das relações familiares permitem compreender aspectos até então pouco considerados, especialmente relativos à desigualdade entre homens e mulheres, às especificidades dos roteiros sociais masculinos e femininos, aos conteúdos das relações parentais e conjugais, entre outros. Alguns dos estudos conduzidos pelo Grupo de Pesquisa, como o projeto sobre a incidência do trabalho infantil no Brasil e seus condicionantes familiares, foram objeto de demanda por parte de organismos governamentais, tendo por base a qualificação e experiência de seus pesquisadores. Outros como o estudo sobre os homens e as representações da paternidade e da reprodução, de iniciativa dos pesquisadores, tem permitido lançar luz sobre questões pouco estudadas, apesar da relevância sócio-cultural. Vale dizer que os pesquisadores do Grupo tem podido subsidiar o debate social sobre os vários temas de que se ocupam em suas linhas de pesquisa, sendo requisitados para opinar sobre questões em pauta por parte da imprensa falada e escrita.

167


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEDUSP GRUPO DE ESTUDOS DO DISCURSO DA USP

____________________________________________________________________ Instituição Universidade de São Paulo – USP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0067801Q1BIS4D Site do grupo http://gedusp.org

O Grupo de Estudos do Discurso da FFLCH-USP reúne professores e estudantes de todos os níveis (da Iniciação Científica ao Doutorado) que comungam o interesse pelo discurso ou texto, entendidos, em termos amplos, como a unidade de análise que considera a linguagem em uso. Nosso objetivo central é a compreensão da produção de sentido pelos textos em condições determinadas. Articulado em torno de um objeto de estudo, o GED não se filia a uma abordagem teórica única, mas tem por princípio e finalidade o debate e a discussão entre diferentes correntes teóricas sobre o discurso ou texto. O grupo funciona por meio de reuniões periódicas de estudos, cursos de pós-graduação, simpósios, ciclos de palestras e publicações dos resultados de pesquisa. As linhas de pesquisa têm promovido conferências com importantes pesquisadores estrangeiros da área de discurso. Em 2009, as linhas de pesquisa "Linguística Textual e Tradições Discursivas" e "Teorias da Argumentação" promoveram o I Seminário Internacional de Tradições Discursivas da USP, com a presença dos professores Wulf Oesterreicher(Universität München), Dante Alberto de Jesus Peralta (Universidad Nacional de General de Sarmiento)e Susana Maria Gallardo (Universidad de Buenos Aires). A linha de pesquisa "Teoria dialógica dos gêneros discursivos" trouxe os professores Anthony Wall (University of Ontário) e Patrick Sériot (Université de Lausanne). A linha de pesquisa "Análise do Léxico no Discurso Literário" recebeu a professora Maria Antónia Coutinho (Universidade Nova de Lisboa). Esses encontros permitem o desenvolvimento de projetos em parceria e a discussão das últimas tendências em teorias do discurso.

168


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Gênero e Cidadania ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0330702TNETFTN Este grupo tem como objetivo promover a discussão interdisciplinar de estudos e pesquisas de gênero e suas intersecções com raça/etnia, sexualidade e classes. Ele vem desenvolvendo há quase duas décadas pesquisas sobre as questões contemporâneas de gênero com ênfase na saúde, no trabalho, na política e na cultura. Entre as principais pesquisas, que envolveram e envolvem participantes do grupo nos últimos 5 anos destacamos: Saberes Institucionais, saberes profanos: doenças profissionais, amianto e gênero (1999-2003/FAPESP/INSERM e CNPq); Tecnologias Reprodutivas:maternidade e paternidade em transição (2004atual/CNPq); Relações de Gênero nas praticas da esterilização e da reprodução assistida (2006-atual/ERG/CNPq); Estudos de Gênero e Feministas relações norte e sul (2006-atualCERSES/CNRS/PARISV/FAPESP/CNPq). Destaque para eventos realizados pelo Grupo nos últimos anos: O Legado de Foucault (2004); Leituras da Modernidade com U.Ottawa (2006); Ética como objeto e enfoque da Sociologia com CERSES/CNRS(2007). Publicações: SCAVONE L.; ALVAREZ M. C; MISKOLCI R. O Legado de Foucault, EDUNESP, 2006; SCAVONE L. Dar a vida e cuidar da vida, EDUNESP, 2004; SCAVONE L., BATISTA L.E. Pesquisas de gênero: entre o público e o privado, Cultura Acadêmica/UNESP, 2000, 239 p.; SCAVONE, L; SCAVONE, L., CÔRTES, G. Do subjetivo ao social: implicações sociológicas do aborto, 2000. SCAVONE, L. Gênero y Salud Reproductiva en América Latina. Cartago, LUR/EULAC/UNESP/GTZ, 1999. v. 1. 368 p.; SCAVONE L. Tecnologias Reprodutivas. Edunesp, 1996. Este Grupo manteve vínculo no último triênio com o GT Gênero na Contemporaneidade da ANPOCS; com o grupo de pesquisa do CERSES/CNRS, França.

169


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPEDISC GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM EDUCAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO SÓCIO-CULTURAL

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0079708I2CM7UU Site do grupo http://www.fe.unicamp.br/gepedisc

O GEPEDISC trabalha na interseção das Ciências Sociais e Educação atingindo um amplo grupo de estudantes e pesquisadores de ambas as áreas. Desenvolve pesquisa básica ligada às diferenças sócio-culturais considerando relações sociais de classe, de gênero, etnia e geracional nos processos educacionais. Desenvolvimento de temáticas sociológicas e antropológicas relativas à infância e pequena infância, juventude, mulheres, negros, índios, migrações; assim como mudanças no mercado de trabalho na sociedade moderna e contemporânea, em diferentes setores da economia.

170


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPEm GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM ETNOMATEMÁTICA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade de São Paulo – USP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00677081WCKZR2

A linha de pesquisa em Etnomatemática campo de estudos voltado para cultura educação, educação matemática/diversidade cultural/sociedade, entre outros - tem-se mostrado especialmente relevante entre os pesquisadores da Área de Educação Matemática, nacionais e internacionais, pelo menos por três motivos inter-relacionados: 1) é momento, hoje, de fortalecer a discussão em torno dos trabalhos que procuram analisar as relações quantitativas/espaciais presentes no saber-fazer assim como de uma história da matemática não documentada, divulgando-os e aproveitando-os em termos educativos. Temos hoje, 32 dissertações e teses brasileiras numa perspectiva etnomatemática, um Primeiro Congresso Brasileiro de Etnomatemática-CBEm1 organizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisa em Etnomatemática-GEPEm, em questão, da FE/USP, o II Congresso Internacional de Etnomatemática-IICIEm, Agosto/2002, em Ouro Preto-MG, entre outras realizações; 2) os desafios que hoje são colocados na área de etnomatemática foram tratados, inicialmente/consistentemente no Brasil e no mundo, a partir de preocupações do professor/pesquisador brasileiro Ubiratan D'Ambrósio, hoje membro efetivo do Grupo de Estudos e Pesquisa em Etnomatemática-GEPEm e, 3) a área de educação matemática da FE/USP tem uma atuação relevante na área de pesquisa e ensino, destacando-se em iniciativas relacionadas à pesquisa em História da Matemática, Psicologia da Educação Matemática, Prática Pedagógica em Matemática, entre outros. Tais características têm sido reveladas tanto em trabalhos educacionais acadêmicos de docência e pesquisa como na extensão à comunidade. Desse modo, acreditamos que as atividades de PósGraduação em educação matemática da FE-USP devem colocar-se mais uma vez em destaque, realizando trabalhos de pesquisa e prática profissional orientados pela linha de pesquisa que inclui estudos voltados para a educação e cultura, em especial, para a etnomatemática.

171


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEVAC GRUPO DE ESTUDOS EM VIOLÊNCIA E ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0335702KT5FMV7

O objetivo do GEVAC é o debate e a produção do conhecimento sobre os temas da violência, suas manifestações em contextos específicos; a compreensão dos fenômenos no contexto global de transformações sociais; as formas estatais de controle e gestão da violência; políticas públicas de segurança e justiça; políticas penais; formas violentas e não-violentas de administração de conflitos sejam elas institucionalizadas ou informais; a institucionalização estatal do controle da violência, a judicialização de conflitos violentos e as formas de administração desses conflitos. Os temas da violência e da administração de conflitos serão trabalhados na perspectiva de uma sociologia política dos conflitos e de suas formas de administração, mantendo constante interface com áreas afins como a antropologia, a ciência política, as ciências criminais e os conhecimentos profissionais criados nesse campo, como saberes jurídicos, policiais, dos trabalhadores sociais e educadores.

172


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Grupo de Pesquisa Social ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP Faculdade de Filosofia e Ciências - Campus de Marília Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=03307035GCMNDM

Contribuir com a discussão nacional sobre os curriculos dos cursos de ciências sociais, tanto pragmaticamente quanto teoricamente, voltando-os mais especificamente para as realidades regionais em que estão inseridos, contextualizadas pela situação social, política e econômica nacional. Assim, formaremos cientistas sociais direcionados tanto para a pós-graduação quanto o mercado de trabalho, ocupando um espaço que não vem sendo satisfatoriamente ocupado e, consequentemente suprindo as necessidades no campo da pesquisa social, fundamental no mundo contemporâneo. É necessário, portanto, conhecer detalhadamente este campo profissional do cientista social no país para que possamos intervir na formação de nossos alunos e propor mudanças significativas em nossa Grade Curricular, contribuindo substancialmente no ensino da antropologia, sociologia e ciência política, formando cidadãos atuantes e profissionais críticos.

173


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Informação e Memória ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0335607CJG5ZQK Site do grupo http://www.dci.ufscar.br/neim O Grupo é integrado por pesquisadores das áreas de Ciência da Informação, Ciências Sociais e Educação do Centro de Educação e Ciências Humanas da UFSCar, unidos por afinidades temáticas. As atividades desenvolvidas são: a) estabelecimento de metodologias para a recuperação, acesso e disseminação de informações em redes de informação e comunicação; b) construção de fontes de informação e pesquisa histórica, visando o resgate e disseminação da cultura e memória social; c) fomento de ações no âmbito do resgate da informação e memória, de forma a garantir o exercício da cidadania e a democratização do acesso à informação; d) atendimento das demandas informacionais de diferentes públicos. Os impactos sociais e acadêmicos das pesquisas desenvolvidas podem ser verificados através da: a) contribuição para o avanço do conhecimento nas áreas de Ciência Sociais Aplicadas e Ciências Humanas; b) qualidade da formação de recursos humanos na utilização das metodologias desenvolvidas e para a pesquisa com documentos do patrimônio histórico-social; c) construção de fontes de informação e instrumentos de pesquisa de pesquisa para pesquisadores e comunidade em geral; d) fomento de ações no âmbito da educação patrimonial.

174


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Instituições de ensino: políticas e práticas pedagógicas ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Católica de Santos – UNISANTOS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=7663708FMWHOYA

Os participantes desenvolvem pesquisas que analisam as políticas e os processos de gestão de instituições educacionais, com base na análise da formulação e implementação de diretrizes legais, documentos oficiais, programas e projetos de governo, de um lado. De outro, considera o processo de (re) significação, de releitura e de (re) interpretação encetada por profissionais de educação frente ao arcabouço normativo. Nesse sentido, são relevantes as questões que afetam a constituição da identidade, do desenvolvimento profissional e da subjetividade de docentes, diretores e coordenadores pedagógicos. A produção tem sido divulgada nos principais eventos da área (nacionais e internacionais) e em artigos de livros e de periódicos classificados no Qualis.

175


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Laboratório de Estudos e Pesquisas para a Educação das Relações Étnico Raciais ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=36317081AIRLV2 Investigar as condições da população negra baiana matriculadas nas escolas de educação infantil, ensino Fundamental, Médio e Superior. Desenvolver projetos de pesquisa e formação de professores para o combate a todas as formas de discriminação. Pesquisar e publicar informações sobre sítios históricos localizados no sul da Bahia. Pesquisar as condições das Comunidades Remanescentes de Quilombos do entorno da UESC

176


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Linguagem e identidade: abordagens pragmáticas ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00798013FGZ0SH Site do grupo http://groups.yahoo.com/group/identidade_rajan O grupo iniciou o ano de 2010, permanecendo na temática macro: exclusão e identidade sob perspectivas pragmáticas, em que vários sub-tópicos são desenvolvidos: gênero e corpo; deficiência; diferença social; minorias; processos de representação; políticas de representação; territorialização e corporificarão; entre outros. Alia-se a essa questões estudos sobre Lingüística Crítica. Em novembro de 2008 realizou-se evento -I Encontro Linguagem e Identidade -, IEL, Unicamp, organizado pelos membros do grupo de pesquisa, evento com convidados e organização de mesas-redonda. Os pesquisadores do grupo são compostos por docentes que estão em pós-doutoramento, os que já terminaram pósdoutoramento e aqueles que fizeram doutoramento, todos sob minha supervisão. As discussões teórico-analíticas continuam a se processar via site http://groups.yahoo.com/group/identidade_rajan, além de encontros em presença no IEL, UNICAMP. No segundo semestre de 2009, houve debates durante a disciplina Seminários Avançados de Pragmática, em que membros do grupo em processo de pós-doutoramento e doutorandos compuseram parte das discussões. Congressos com participação do grupo continuam a serem freqüentados para divulgação das pesquisas.

177


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Memória e cultura na Língua Portuguesa escrita no Brasil ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00718021VGWUUK

O grupo, com base na Historiografia Lingüística, busca fazer uma aliança entre a lingüística e a História. Para tal, propõe a refletir sobre a história do Português no Brasil, estendendo as considerações sobre a questão da identidade nacional. A língua, nessa perspectiva, assume um lugar de relevo no processo de consolidação da nacionalidade. O resultado desse projeto repercute nas teses e orientações já defendidas ou em andamento e nas publicações e participação em eventos culturais. A aproximação da Lingüística com a História traz novos elementos para a compreensão da questão da identidade nacional. Desde o descobrimento do Brasil, a língua transplantada para cá vai sofrendo adaptações, em função do espaço geográfico e de outras condições aqui encontradas. Embora o projeto esteja unificado, tendo como referência a produção lingüística, gramatical e literária nacional, ele visa a estudar o português desde o seu primeiro momento em território nacional até hoje, Trata-se, por conseguinte, de um projeto que investiga não somente a dimensão interna da língua, isto é, sua dimensão cognitiva, seu funcionamento, mas também sua dimensão externa, sua dimensão social, que leva em consideração o contexto sociocultural em que a língua se insere

178


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEINB NÚCLEO DE APÓIO À PESQUISA EM ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE O NEGRO BRASILEIRO ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade de São Paulo – USP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0067708BX28Q36 Site do grupo http://www.usp.br/neinb

O NEINB é um dos NAP´s (Núcleos de Apoio à Pesquisa) da Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo. Tem por objetivos criar uma forma permanente de diálogo entre estudiosos, pesquisadores, docentes da Universidade de São Paulo e de outras instituições interessadas nas questões relacionadas ao segmento negro da sociedade brasileira e realizar pesquisas e atividades de extensão sobre temas que se entrelacem com a questão do negro no Brasil e no exterior; incorporando diferentes aspectos da diáspora africana. Nesse sentido, o NEINB também tem por foco promover cursos, palestras, seminários nacionais e internacionais, promover intercâmbio técnico-científico e cultural com pesquisadores brasileiros e estrangeiros, bem como com entidades equivalentes ao Núcleo em outros países e promover contatos e/ou convênios com instituições de ensino fundamental, médio e superior para prestar colaboração científica, divulgar resultados de seus trabalhos mediante publicações e prestar assessorias aos poderes públicos.

179


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEPHEB NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0067708DODBHZU A identidade do Núcleo veio se constituindo ao longo dos últimos anos. No âmbito da UNIRIO seus pesquisadores vêm, desde 2000, desenvolvendo pesquisas no campo da História da Educação Brasileira, inicialmente no interior do Grupo de Pesquisa Logos. Em 2002 é criado o Núcleo de Estudos em Educação Brasileira NEB, que se articula com o HISTEDBR da UNICAMP. Em 2004, é criado o Programa de Pós-Graduação em Educação-Mestrado, do qual o NEB passa a fazer parte abrigado na linha de pesquisa Subjetividade, Cultura e História da Educação, vindo a orientar mestrandos com projetos de pesquisa na área de História da Educação, em suas várias matrizes teórico-metodológicas; monografias de graduação e bolsistas de iniciação científica também são orientados. A maior parte dos pesquisadores já havia desenvolvido suas pesquisas de mestrado e doutorado na área. Em 2006 é criado o Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação Brasileira - GEPHEB no âmbito do NEB/PPGEd./UNIRIO. Ao longo desse tempo seus pesquisadores apresentaram os resultados de suas pesquisas em diversos eventos, a saber: Congressos Brasileiros de História da Educação - CBHE; nas Jornadas e Seminários Nacional do HISTEDBR-Unicamp; no GT de História da Educação da ANPED, na ANPUH, nos Congressos Luso-brasileiro de História da Educação, entre outros; e estabeleceram vínculos externos através da organização de eventos interinstitucional. A produção bibliográfica é constituída por livros, capítulos de livros, artigos em periódicos, em anais de eventos, teses, dissertações, relatórios de pesquisa. Em 2007 o GEPHEB e o NEB se uniram alterando o nome do Grupo para Núcleo de Estudos e Pesquisas em História da Educação Brasileira - NEPHEB na perspectiva do desenvolvimento de trabalhos de pesquisa e extensão no campo da história da educação brasileira.

180


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NIEL NÚCLEO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS DA LINGUAGEM

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0338801IRY8KT1 Site do grupo www.encontrosdevista.com.br

O NIEL congregará pesquisadores dos/nos níveis de iniciação científica, mestrado e doutorado, distribuídos em Grupos de Trabalhos (GTs) que contemplarão as linhas temáticas: Linguagem, Identidade e Memória; Linguagem & Historiografia; Linguagem & Hermenêutica; Linguagem & Sociedade; e Linguagem & Tradições/Gêneros Discursivos/-as. Nele promoveremos encontros regulares, virtuais ou presenciais dos integrantes desses GTs, em seminários e intercâmbios com outras universidades e centros de pesquisa, para exposição e discussão de projetos, de estratégias metodológicas, de textos teóricos, de resultados de pesquisas documentais ou de campo, conforme os movimentos investigativos postos em andamento. Sua estrutura interna flexível permitirá tanto a adequação de seus membros ao ritmo de trabalho sugerido pela coordenação dos GTs quanto a acolhida de graduandos e pós-graduandos, cuja movimentação obedece a um ordenamento cíclico, com mudanças inevitáveis na configuração dos grupos. A consolidação do NIEL como espaço de estudos interdisciplinares em linguagem e suas interfaces sugere a ordenação de atividades e/ou de procedimentos que se efetivará mediante políticas de cooperação; publicações; promoção de Simpósios e Workshops; e oferta de atividades de ensino e de extensão, nos quais se buscará aprofundar o aporte dos estudos e das pesquisas desenvolvidas nos GTs.

181


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NPH-TC NÚCLEO DE PESQUISAS EM HISTÓRIA: TEMAS SOBRE A CONTEMPORANEIDADE

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Camilo Castelo Branco – UNICASTELO Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=80267054EQZ7GS

O NPH-TC da UNICASTELO tem como ponto de partida a realização de atividades e pesquisas na área de História que contribuam para a reflexão sobre o mundo contemporâneo e os seus diversos nexos constituintes. As suas linhas de pesquisa se estabelecem de acordo com as necessidades do binômio ensino e pesquisa. Nesse sentido, intenciona-se a produção do conhecimento histórico de modo que contemple as especificidades em conjunção com aquelas que se compõe em um campo de maior abrangência. Para tanto, se faz necessário a utilização de abordagens interdisciplinares que são favorecidas com linhas de pesquisa que agem de forma se intersseccionam. Os pesquisadores e estudantes do NPH-TC possuem vínculos com grupos de pesquisa em outras Universidades. Nos últimos 3 anos, o grupo de pesquisadores realizaram uma série de eventos, participações em congressos e pesquisas em âmbito regional, nacional e internacional.

182


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo de Psicologia Política e Movimentos Sociais ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0071707APTPAOH O Núcleo de Psicologia Política e Movimentos Sociais iniciou em 1986 com apenas os alunos pós-graduandos em psicologia social liderado pelo professor Salvador Sandoval. Desde aquele tempo egressos do doutorado em psicologia política criaram em outras universidades do pais 10 núcleos de pesquisa que se dedicam a promover pesquisa em comportamento político. O Núcleo na sua trajetória já produziu 28 teses de doutorado e 52 dissertações de mestrado sobre os seguintes temas de pesquisa: a Psicologia dos Movimentos Sociais, Valores e Crenças Políticas, Relações Raciais, Comportamento Político Institucional, A Psicologia Social da Violência, e Comportamento Eleitoral. Como repercussão principal das atividades academicas-cientifica do Núcleo foi a criação no ano 2000 da Sociedade Brasileira de Psicologia Política e no seguinte ano, 2001, o lançamento do primeiro numero da Revista Psicologia Política. A Sociedade foi fundada numa assembléia que reuniu representantes dos 10 grupos de pesquisa em psicologia política de diversas universidades no país, grupos criados por egressos doutores do Núcleo e que por sua vez hoje participam ativamente da vida cientifica da área e representa no contexto nacional um volume de produção cientifica suficientemente ampla e de uma qualidade muito boa para sustentar uma revista que hoje é classificada como nacional. Como contribuição à área da psicologia política, membros do Núcleo têm desenvolvido pesquisas que no contexto nacional são pioneiras e passam a integrar a literatura sobre esses temas. Atualmente o grupo desenvolve pesquisa nas áreas da participação política de jovens, metodologias de fortalecimento de comunidades, participação popular em conselhos municipais.

183


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NUPE FACULDADE DE CIÊNCIAS E LETRAS - CAMPUS DE ARARAQUARA-CLADIN-LEAD

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0330703CT3EOV5

O grupo de trabalho do Núcleo Negro da UNESP para Pesquisa e Extensão (NUPE) da Faculdade de Ciências e Letras do Campus de Araraquara tem como objetivo estudar os temas atinentes a população afro-brasileira e africana. Os temas são ligados à área de antropologia e educação. O GTNUPE/FCL-Car vem se caracterizando por ser um grupo que tem se baseado em pesquisas que estudam as festas negro-populares, os territórios e espaços negros nas cidades do interior paulista, as comunidades de quilombos, juventude, movimento hip hop, mídia e etnia, as relações sociais e étnico-raciais no Brasil, o contexto sociocultural nos países africanos, tendo como área de abrangência das Ciências Sociais, da História, da Economia, Ciências da Educação e da Saúde. O GT-NUPE/FCL-Car desde maio de 2007 possibilitou a constituição de dois espaços institucionais e acadêmicos no interior da Faculdade de Ciências e Letras, o Centro de Estudos das Culturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (CLADIN) e o Laboratório de Estudos Africanos, Afro-Brasileiros e da Diversidade (LEAD), ambos são interligados e interdependentes ao NUPE. Tanto o CLADIN como o LEAD são frutos acadêmicos dentro da dinâmica própria constituída pelo GT-NUPE-FCL/AR e que no momento, ainda, estão situados institucionalmente no interior do mesmo espaço na Faculdade de Ciências e Letras. Esse GT no ano de 2007 e 2008 desempenhou inúmeras atividades de pesquisa, de ensino e de extensão com vários órgãos públicos e estabeleceu muitas relações com universidades brasileiras e estrangeiras, sendo atualmente reconhecido dentro e fora do país como uma referência importante no cenário dos estudos afro-brasileiros e buscando se constituir em referência nos estudos sobre as populações africanas no país.

184


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NUPE FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS - CAMPUS DE MARÍLIA

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=03307031A3E6PB O NUPE Núcleo Negro da UNESP para Pesquisa e Extensão iniciou suas atividades em 2001 tendo por objetivos: 1) promover pesquisas e projetos visando alcançar uma melhor compreensão dos processos que contribuem para a produção e reprodução da desigualdade racial no Brasil; 2) contribuir para uma discussão de políticas compensatórias; 3) promover estudos e pesquisas multidisciplinares referentes à Antropologia, História, Cultura, Religiões dos afro-descendentes brasileiros assim como dos povos negros da África. O NUPE participou de março 2006 a março de 2007 do Programa Uniafro mediante convênio firmado com o MEC. Os nº 6 e 7 da revista Ethnos estão em preparação. Em maio de 2007 foi realizado no campus de Araraquara da UNESP o 1º Concladin. Os trabalhos apresentados nesse Congresso serão publicados nos anais doevento (no prelo). Está em fase de elaboração a realização do 2º Concladin para 2009. Um grupo de docentes está preparando a participação do Nupe no X Congresso Luso-AfroBrasileiro, Portugal, fevereiro de 2009.

185


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Políticas Públicas e Gestão Educacional ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=3631708XQ07GS2

Investigar a ação das políticas públicas na multiplicidade de esferas sociais em que a educação incide. Privilegiando dinâmicas educativas voltadas para: financiamento e avaliação das políticas públicas; relação entre educação e sociedade; organização e gestão da educação básica e superior e as formas de participação na gestão do sistema e unidades de ensino; política de formação de professores e relação de poder e educação.

186


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Práticas Sociais e Processos Educativos ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0335708CJGDYBE

Este Grupo dedica-se ao estudo de práticas sociais situadas em ambientes não escolares e escolares e os processos educativos por elas desencadeados, conformados, consolidados, referentes a informações, valores, competências, atitudes, posturas, geradores de significados, a partir das perspectivas dos "desqualificados" e "marginalizados" pela sociedade, com eles pesquisando, lançando mão de metodologias dialógicas. Trabalha com aportes teóricos advindos da Filosofia, Sociologia, Antropologia, Política, Educação, Educação Popular, Artes, Saúde para compreensão de práticas sociais na América Latina, multicultural, dialógica, humanizante e libertadora.Lida, entre outros, com conceitos tais como: raça, trabalho sexual, ação comunitária, encarceramento.Temática:educação, direitos humanos e formação dos cidadãos;movimentos e ações sociais;formação de educadores sociais;formação de professores;combate a preconceitos,discriminações,racismo;ações e comprometimento social em educação musical;saúde e fortalecimento de comunidades;direitos sexuais e reprodutivos;educação de homens e mulheres aprisionados/as.É formado por pesquisadores e estudantes de Pós-Graduação em Educação e de graduação em Pedagogia,Enfermagem,Ciências Sociais.Os resultados vêm sendo aplicados no ensino de graduação e pós graduação em Educação e Saúde, na formação continuada de educadores em parceria com Secret.de Educação, Saúde e Ass. Social da região na formação de educadores comunitários, além de contribuir na formulação de políticas na área da justiça e saúde.Vem trabalhando em conjunto com a Rede de Ed.Popular e Saúde e com o Núcleo Ed.para a Integração da AUGM.Tem mantido colaboração com pesquisadores de outras instituições: Prof.ª.Nara M.G. Bernardes-PUC/RS; Prof.Luiz A.O.Gonçalves-UFMG;Prof.Eduardo StotzFIOCRUZ; Profa.Joyce E. King-New York University, em Atlanta, USA; Profa.Sonia Stela O.Araujo-Universidad Autonoma del Estado de Morales, México; Dra.Zola Vakalissa da University of South Africa.

187


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Programa de Pesquisa, Ensino e Extensão em Relações Étnicas e Raciais ____________________________________________________________________ Instituição Universidade de São Paulo – USP Departamento de Sociologia. Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0067702JCCSRH7 Site do grupo http://www.fflch.usp.br/sociologia/asag

A Comissão de Políticas Públicas para a População Negra da Universidade de São Paulo, assim como a Pró-Reitoria de Graduação da USP utilizaram alguns resultados alcançados pelo Grupo para consolidar o seu programa de inclusão social. Foram publicados, entre 2003 e 2008, quatro livros divulgando os resultados da pesquisa do grupo, além de artigos em revistas científicas e capítulos de livro: Racismo e Anti-Racismo no Brasil, São Paulo, Editora 34, 1999. Segunda edição em 2005. Discriminação e Preconceito, Salvador, A Cor da Bahia, 1998. Segunda edição em 2004 Editora 34, São Paulo. Classes, Raças e Democracia, São Paulo, Editora 34, 2003 e 2007. Preconceito racial: modos, temas e tempos, ed. Cortez, 2008.

188


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Relações Étnicas e Raciais no Brasil Contemporâneo ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0335702LVCASQ8 O grupo discute os processos das relações étnicas e raciais, focalizando os desdobramentos dessas na dinâmica das diferentes dimensões da vida social no Brasil. Tem como objetivo sistematizar os recentes desenvolvimentos teóricos na área e suas inter-relações com outras áreas de conhecimento no país e em países pluri ou multiculturais, pluri ou multirraciais, etc.. Busca-se, ainda, identificar propostas de políticas públicas voltadas para populações discriminadas a partir de traços ou características fenotípicas, identificando suas repercussões na sociedade. Pretende-se que os trabalhos do grupo sejam divulgados na comunidade acadêmica nacional e internacional, por meio da apresentação de ensaios, comunicações, palestras, visitas institucionais e intercâmbios e, também, por meio de publicação de artigos em periódicos com avaliação dos pares e em capítulos de livros e livros. O grupo de pesquisa criado, no final de 1999, se expandirá a medida que novas matrículas na graduação e na pós-graduação (mestrado e doutorado) sejam realizadas. A aceitação e a repercussão dos trabalhos deste grupo junto à comunidade científica têm sido positivas. Desde sua implantação os pesquisadores e seus alunos têm participado, com apresentação de trabalhos, dos principais encontros e congressos científicos, dentro e fora do país, como pode ser observado pela intensa produção em pesquisa e a publicação de artigos e livros.

189


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Relações Raciais: Memória, Identidade e Imaginário ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP Link CNPq, http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00717032127V3L

O grupo de pesquisa reúne-se semanalmente. Ganhamos um projeto de Políticas da Cor da Fundação Ford e a pesquisa temática FAPESP juntamente com o CEERT. O nosso Diretório de Pesquisa então foi ampliado com 10 bolsas de I.C. Em novembro/2006 o grupo organizou o dia nacional da Consciência Negra. Em 2007 foi realizada uma oficina sobre racismo junto a UEL.Os membros do grupo escreveram textos, participaram de seminários nacionais e internacionais. Memória em branco e negro: olhares sobre São Paulo está, em 2007, na sua segunda edição.Em maio/2008, celebramos os "120 da Abolição" com a Produção Negra da PUC-SP, já em novembro realizamos o encontro dos doutores negros da PUC-SP. Estivemos presentes na ANPOCS 2008/2009, no GT: Ações Afirmativas, sob a coordenação de Angela Figueredo e Teresinha Bernardo. o Grupo recebeu da Assembléia Legislativa, no dia 26 de novembro o premio Zumbi dos Palmares. Em 2009 o grupo foi visitado pelo presidente da Fundação Cultural Palmares Zulu Araújo. Em maio, o grupo realizou o evento "Negros e negras na PUC-SP: 30 anos de itinerários intelectuais" com a partipação de Eunice Prudente, Eliane Borges e Márcia Micussi. Em novembro, realizamos o evento "Pré-Simpósio 30 anos de itinerários negros na PUC-SP: Estatuto da Igualdade Racial" com a presença de Hédio Silva Junior, Edna Roland e Frei Davi. Nesse ano o grupo participou da Semana Acadêmica da PUC-SP, coordenando o GT: A presença do negro na PUC. Ainda nesse ano, participamos do Seminário Procad PUCSP/UEL integrando o GT Cultura, Religião e Racismo. Nesse evento participaram os seguintes membros do grupo: Antonio Leandro da Silva, Marcia Micussi Oliveira,Rute Reis, Juliana Balduino (UEL/PUC); Rosângela Paulino de Oliveira, Regimeire Oliveira Maciel, Reinaldo José de Oliveira, Ivete Previtali (PUCSP). Além disso, o grupo elaborou o projeto do Simpósio: 30 anos de itinerários negros na PUCSP, que foi enviado à Fundação Cultural Palmares e está até esta data esperando a resposta.

190


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Saúde da Mulher e da Criança ____________________________________________________________________ Instituição Secretaria de Estado da Saúde-SP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=8922406IND6FJM Site do grupo http://www.isaude.sp.gov.br

Este grupo de investigação em saúde da mulher e da criança tem apresentado um desenvolvimento tanto na produção acadêmica como para os planejamentos das ações de saúde pública, frente às políticas estatais. Estando diretamente ligados a Secretaria de Estado, de maneira geral, todos os projetos desenvolvidos procuram ser reflexo da demanda institucional do SUS e apontar analises e modificações de ações e programas da área de saúde da mulher e da criança. A repercussão nacional e internacional do grupo é conhecida, tanto por suas publicações como por participação em eventos, convites para parcerias, etc. Parcerias com a Faculdade de Saúde Publica da USP, através do NUPENS, com a UNICAMP através do NEPO e do Departamento de Medicina Preventiva e Social, com o CRTAIDS/SES SP, com o Ministério da Saúde, áreas de Saúde da Criança, Saúde da Mulher e AIDS, com ONGs como a IBFAN, a WABA, a Rede Feminista de Sexualidade e Saúde, GIV, Fala Preta, entre outras, estão em andamento. Alguns dos doutores do grupo fizeram parte programa de Pós-Graduação da SES, tendo orientado alunos. A líder (MFR) do grupo orienta ou co-orienta alunos na USP e na UNICAMP, como colaboradora voluntaria, e tem produtividade em pesquisa pelo CNPq ha mais de 10 anos.

191


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Saúde da População Negra e Indígena ____________________________________________________________________ Instituição Secretaria de Estado da Saúde – SP.

Instituto de Saúde – IS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=8922406TIQZDE0 Site do grupo http://www.isaude.sp.gov.br

Os trabalhos subsidiaram políticas públicas de saúde para a população negra e indígena no Brasil. A - Gestores nacionais do SUS - 1) inclusão de propostas específicas para saúde da população negra no Plano Nacional de Saúde 2004-2007; 2)inclusão da variável cor nos bancos e dados e nas tabulações rotineiras dos indicadores do DATASUS. B - Gestores do SUS - 1)desencadeou a realização de Seminários Estaduais, Regionais e Municipais de Saúde da População Negra; 2) estimularam criação do Comitê Técnico Saúde da População Negra do Estado de São Paulo (Resolução SS 4, de 13/01/2006) e do Grupo de Trabalho Aids e População Negra (SS-155, de 1/12/2005) na Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo e no Programa de DST/HIV/Aids do Maranhão. 3) Coordena Área Técnica Saúde da População Negra do Estado de São Paulo (Resolução SS - 282 de 3/08/2007). 4) Representante do CONASS na Comissão Nacional de Atenção Integral à Saúde da População Negra do Conselho Nacional de Saúde. C - Gestores municipais do SUS Coordena Área Técnica de Saúde da População Negra de Salvador/BA; atende demandas de gestores municipais de saúde para a sensibilização e informação sobre saúde da população negra. D - Controle Social - participa da Comissão Nacional de Política de Atenção à Saúde da População Negra do Conselho Nacional de Saúde. Subsidia a ação com Comunidades Indígenas no Maranhão. E - Produção de conhecimento - coordenação de cursos e do Programa de Mestrado em Meio Ambiente e Saúde da UFMA; produção de teses de doutorado; artigos em periódicos, capítulos de livros, manuais, boletins e participação em congressos sempre com enfoque - O SUS e a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da População Negra e a Saúde Indígena. F - Produção de material intrucional- coordena e organiza a elaboração de DVDs, Boletins, Livros e Revistas sobre o tema saúde da população negra.

192


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Segurança Urbana, Juventude e Prevenção de Delitos ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0330702NZ8GPJT

O grupo se origina por motivação da política científica da Unesp, através da Pró-Reitoria de Pesquisa, consolidando projetos já em desenvolvimento,associados a instituições de pesquisa internacionais, como o Foro Latinoamericano para la Seguridad Urbana y la Democracia - Flasud sediado no México e o Instituto Latino-americano para la Seguridad y la Democracia - Ilsed - sediado em Buenos Aires, Argentina. O grupo desenvolve pesquisa, desde o ano de 2006 sobre o tema da desassistência pública de grupos de crianças, adolescentes e jovens, em cidades brasileiras, considerada uma das bases da produção da insegurança urbana. Publica, em associação com o Centro Brasileiro da Infância e Juventude - Cebrij pesquisas temáticas realizadas por seus membros, com participação de pesquisadores de outras universidades, que constituem a pauta de pesquisa do Grupo Temático Segurança Urbana e Juventude, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Faculdade de Ciências e Letras, Unesp, Araraquara. Os docentes, líder e vice-líder pesquisam, escrevem e publicam sobre temas inquietantes que envolvem jovens, desde da década de 1990,dentre eles a drogadição, a prostituição infantil e juvenil e participam de congressos das áreas de Sociologia, Ciências Sociais e Educação, além de editarem periódico voltado à formação cultural de jovens, como a revista eletrônica Segurança Urbana e Juventude. Os discentes que o integram, acompanham essa trajetória acadêmica e de pesquisa. Alguns já tiveram dissertações publicadas, sob a forma de livro e preparam sínteses de suas dissertações para serem publicadas em periódicos voltados ao tema, como por exemplo, os Cadernos de Formação Cultural, do Centro Brasileiro da Infância e Juventude.

193


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Trabalho, Organização Social e Comunitária ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=03357074UJ0ZGK

Na sociedade contemporânea, o trabalho tem sido ampla e estruturalmente afetado pelas profundas transformações econômicas e políticas. De um lado, verifica-se a exclusão de muitos trabalhadores do sistema produtivo e a precarização das relações e condições de trabalho dos que permanecem inseridos, o que tem provocado impactos sócio-ambientais negativos. De outro lado, emergem novos movimentos sociais e com eles inúmeras formas e instrumentos da sociedade civil, organizada ou não, para o enfrentamento dos seus problemas, especialmente os de ordem econômica, social e ambiental. Considerando a complexidade da temática, o grupo procura associar pesquisadores de diferentes áreas e visa contribuir para a produção e socialização do conhecimento a respeito das transformações que ora se processam no trabalho, nas organizações de trabalhadores e as novas formas de sociabilidade geradas, construindo um espaço de interlocução e intercâmbio com a comunidade científica e os movimentos sociais organizados. O foco das investigações são as transformações no trabalho, nas organizações de trabalho e de trabalhadores, considerando o contexto sócio-econômico, político e cultural e os impactos psicossociais, culturais e ambientais decorrentes das transformações. Uma linha de pesquisa se dedica ao estudo das temáticas do trabalho em organizações heterogeridas e a outra em organizações autogeridas. O referencial teórico-metodológico procura evidenciar a formação dos sujeitos, a importância do trabalho como espaço de socialização e de construção de identidade, de subjetividade e de valores culturais coletivistas. Desde a sua criação em 2000, o grupo ampliou o número de pesquisadores, estudantes e técnicos e avançou na produção de conhecimento, especialmente a participação em eventos e a publicação de livro e artigos em revistas especializadas.

194


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

REGIÃO SUL

195


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. RIO GRANDE DO SUL

Africanidades, Ideologias e Cotidiano. ___________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00067055EMV7GO Linhas de pesquisa 

Sociedade, Urbanização e Imigração.

196


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Comunicação, mídia e cultura ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Luterana do Brasil – ULBRA Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=5016609EOV5Y8P

O Grupo se propõe a refletir sobre a importância da "Comunicação , mídia e cultura" para a formação de profissionais inseridos no contexto social, acadêmico e de mercado. Para tal, os enfoques serão abordados de modo específico, identificando três diferentes correntes do pensamento científico contemporâneo: a) "Comunicação e indústrias culturais" insere-se numa visão crítica da comunicação, onde os autores centrais para esta reflexão são os fundadores da Escola de Frankfurt e seus teóricos atuais; b) "Comunicação e mercado" busca refletir a dinâmica da comunicação de modo funcionalista, ou seja, visando resultados para a inserção no mercado; c) "Comunicação e cultura" irá repercutir a investigação sobre o papel dos meios de comunicação na formação cultural brasileira e latino-americana atual.O Grupo de Pesquisa se propõe a investigar um conjunto de conhecimentos no intuito de consolidar um espaço de reflexão e produção de material teórico com repercussão na sociedade, no universo científico e em sala de aula. Desse modo, o Grupo entende estar contribuindo para a reflexão do tema "Comunicação, mídia e cultura" no processo de construção do conhecimento em comunicação.

197


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Educomunicação e Produção Cultural Afrobrasileira ___________________________________________________________________________________

Instituição Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/diretorioc/fontes/detalhegrupo.jsp?grupo=0006708PYAJ0CM Site do grupo www.pucrs.br/faced/educomafro PESQUISA 1 A pesquisa "Produção Afro-Cultural para a Criança ?PACC ? Lei 10.630/03", enfatiza a cultura negra, uma das formadoras da identidade do brasileiro, considerando-se que a etnia negra faz parte da cultura nacional e, por extensão, tem expressão na produção cultural destinada às crianças do país. Esta investigação foi realizada sob orientação da professora Drª Leunice Martins de Oliveira, juntamente com a pesquisadora parceira, jornalista Ms Sátira Pereira Machado e iniciou com a bolsista BPA/PUCRS Maura Cristiane Santana Carneiro, do Curso de Pedagogia doa PUCRS, no Campus Viamão. PESQUISA 2 A pesquisa "Produção Cultural Afro-brasileira para as Crianças: identidades infantis forjadas pela tevê" busca refletir sobre a construção das identidades infantis na recepção da produção cultural afro-brasileira oferecida às crianças através da televisão. A implantação e implementação da Lei Federal 10.639/2003, que inclui o ensino da Historia e Cultura Afro-Brasileira no currículo das escolas de todo o país, motivou varias ações afirmativas na mídia, que se traduzem na maior exibição dos AfroBrasileiros na telinha. Tem como bolsista BPA/PUCRS, a aluna Amanda Breunig. PESQUISA 3 A pesquisa intitulada "Rede Social da Negritude: um projeto interdisciplinar", orientada pela Prof. Dr. Leunice Martins de Oliveira, em parceria com a Empresa UNIQUE IT -, gerenciada pelo Diretor Executivo Carlos A. K. Hoffmann, busca a inclusão do grupo étnico-racial negro, através de uma rede de relações - sociabilidade contemporânea - mediada por computador, instituída pela intersecção entre os aspectos humanos e tecnológicos. Uma pesquisa de opinião e com o levantamento de temas, assuntos, conteúdos de relevância para os negros do RGS que possuem, em qualquer grau, contato com a internet e buscar-se-á transpô-los para o ambiente virtual. Tem como Bolsistas BPA/PUCRS, Adélcio Biazi e Eduarda dos Anjos Leal.

198


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Imigração, Cultura e Região ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade de Caxias do Sul – UCS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0811705BWJ2UNP

A imigração e a colonização constituem fenômenos gerais no Brasil no período de 1816 até a atualidade. O projeto procura congregar estudos sobre o tema com recortes interdisciplinares. Os estudos sobre imigração realizados desde 1973 são reconhecidos internacionalmente.

199


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo de Pesquisas sobre Culturas Contemporâneas ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0192703JDC2R0Y Site do grupo http://www.ufrgs.br/ifch/ppgas/

Divulgação de pesquisa científica em artigos, livros, relatórios e organização de revistas. Orientação de dissertações e teses. Publicação cientifica Participação em eventos nacionais e internacionais. Ensino, palestras e cursos. Revista específica: Revista Horizontes Antropológicos, diversos números Prêmios científicos

200


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Relações de Gênero ____________________________________________________________________ Instituição Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0006707P467327

O grupo de Relações de Gênero substitui o Grupo de Trabalho, Subjetividade e Gênero. São realizados estudos sobre as relações de gênero no âmbito do trabalho, violência de gênero e outras questões contemporâneas. Já foram editados alguns livros, frutos dos estudos e pesquisas realizadas no grupo. Em 2004 foi lançada a Coleção Gênero & Contemporaneidade, com a edição de três livros ("Gênero e Cultura. Questões Contemporâneas"; "Violência, Gênero e Políticas Públicas" e "Corpos e Subjetividades em Exercício Interdisciplinar"). Encontra-se no prelo o quarto livro da Coleção ("Família e Gênero") e o quinto livro está em processo de elaboração. O grupo de pesquisa, que conta com a colaboração de alunas(os) de graduação (bolsistas de Iniciação Científica) e do pós-graduação (Mestrado e Doutorado) tem produzido inúmeros trabalhos de pesquisa, além de intervenção na comunidade, que se apresentam na forma de artigos, comunicações e palestras em congressos e eventos científicos, livros e capítulos de livros, assim como contatos e colaborações com outros grupos de pesquisa nacionais e internacionais. No momento está sendo conduzida uma pesquisa em colaboração com a Universitat de Barcelona (Espanha), outra com professoras doutoras de outra faculdade da Pucrs. Em Seminário Internacional recém realizado a coordenadora do grupo coordenou simpósio de violência de gênero em parceria com professoras de outras universidades (Ulbra e Ufrgs).

201


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Sociedade e conhecimento ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0192702JDDEVW8

O trabalho do grupo tem repercussão principalmente em termos de: a) produção de novos conhecimentos e de sua divulgação na forma de publicações e apresentação de trabalhos em encontros científicos, na área de estudos de metodologias de pesquisa, em pesquisas abrangendo análises sobre Estrutura e Ação, e em trabalhos sobre organizações sociais; b) orientação de dissertações de mestrado e teses de doutorado; c) treinamento de alunos de graduação; d) participação como consultores adhoc em orgãos de fomento à pesquisa em âmbito estadual e federal; e) participação de alguns membros da equipe em comitês de seleção de bolsistas, organização e avaliação de salões de Iniciação Científica em diferentes universidades brasileiras. Merece destaque a publicação da revista 'Sociologias', que, há mais de 10 anos, tem divulgado trabalhos de pesquisadores nacionais e do exterior. Também é relevante a colaboração como voluntária de uma pesquisadora do grupo com uma instituição de memória da cultura judaica em Porto Alegre, que lançou em 2009 uma revista eletrônica de caráter acadêmico na área de estudos judaicos (WebMosaica). Destacam-se ainda as relações nacionais e internacionais de membros do grupo, com destaque para o pesquisador José Carlos dos Anjos, que tem uma atuação significativa nas relações do Brasil com Cabo Verde e também no desenvolvimento educacional em nível universitário daquele país. e, nas internacionais, um pesquisador realiza pesquisas e participa da criação de novos cursos universitários, em Cabo Verde.

202


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Trabalho na Sociedade Contemporânea ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0192702OVC1JON Site do grupo http://www.ufrgs.br/ppgsocio

O Grupo de Pesquisa realiza estudos sobre as transformações no mundo do trabalho e as implicações sociais na chamada economia do conhecimento, abordando questões como: condições de trabalho, relações de emprego, mercado de trabalho, papel dos sindicatos, qualidade do emprego, inovações tecnológicas e empreendedorismo. A Dra. Sônia Guimarães foi Visiting Scholar na Sloan School, do MIT,Cambridge,EUA, setembro 20012002. O Grupo realizou intercâmbio (ICCTI-Capes), com a Universidade Técnica de Lisboa.Tal convênio propiciou à prof. Cínara Rosenfield realizar estágio pós-doutoral no ISEG, Univ. Técnica de Lisboa, em 2005. Resultados desse intercâmbio foram publicados na Revista Sociologias, n.12,2004, e no livro O Mosaico do Trabalho na Sociedade Contemporânea, Porto Alegre: ed.UFRGS, 2006. Em 2007, Sandro Ruduit Garcia foi vencedor do Prêmio Capes de Teses- Melhor Tese de Doutorado em Sociologia, (orientadora Dra.Sônia Guimarães). Sua tese foi publicada em 2009, sob o título Global e Local. O pólo automobilístico de Gravataí, Ed Annablume, RJ. Em 2009 também foi publicado o livro organizado pela Dra,. Sonia K Guimaraes, intitulado Trabalho, Emprego e Relações Laborais em Setores Intensivos em Conhecimento: Brasil, México e Canadá, Ed.UFRGS. Inúmeros artigos foram publicados pelos integrantes do Grupo em diferentes periódicos indexados pelo Qualis/CAPES. A mais nova doutora do Grupo é Luciana Mello que defendeu sua tese, A luta do rochedo contra o mar: integração e racialização no mercado de trabalho brasileiro e francês, em janeiro 2010. Quatro bolsistas IC, membros do Grupo, concluíram com sucesso suas monografias de conclusão do Curso e dois deles iniciarão o Mestrado no Programa de Pós-Graduação de Sociologia, UFRGS.

203


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. SANTA CATARINA

Alteritas GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DIFERENÇA, ARTE E EDUCAÇÃO

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0043708JCBZ3JM Site do grupo www.ced.ufsc.br/alteritas

Potlach Experiências Estéticas: Processos Criativos envolvendo dançarinos com e sem cegueira. Com apresentação de espetáculos abertos ao público e a comunidade imoversitária. Jornadas em dança: um convite para a criação da dança como jornada existencial. Realização dos Seminários-Olhares sobre a Pesquisa em Educação tendo como objetivo proporcionar o intercâmbio sobre as perspectivas contemporâneas de pesquisa na área educacional, e organizar uma edição da Revista Ponto de Vista com os trabalhos apresentados no evento. Participação na V Colóquio sobre ensino da arte (Julho 2009) no qual foram apresentadas as lições sul-africanas acerca da noção de alteridade. O Alteritas busca contribuir para discussão sobre a relação Dança e Formação de Professores com vistas à diminuir a distância entre os corpos.

204


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Didática e Formação Docente ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1193708NW4D8HO Site do grupo www.portalfaed.udesc.br

Produção e socialização de estudos e pesquisas na área da Didática considerando as relações entre infância, docência, currículo, alfabetização, práticas pedagógicas e a formação docente para o trabalho educativo com crianças, adolescentes, jovens e adultos em instituições educativas, espaços não escolares,movimentos sociais, em situações de vulnerabilidades e nas instituições de ensino superior. O grupo contribui com o Departamento de Pedagogia da UDESC no ensino,no estágio supervisionado em educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, na extensão e nos processos de formação inicial e continuada de profissionais da Educação Básica e Educação Superior; sendo também responsável por dois grupos de estudos permanentes: GEDIN: Grupo de Estudos em Educação Infantil e GEAL: Grupo de Estudos em Alfabetização e Letramento

205


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Ensino de História, memória e cultura ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC Departamento de História Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1193705KU1BMW3

Este grupo reúne docentes e estudantes que se propõem pesquisar, debater e refletir sobre o amplo conjunto de temas relacionados ao ensino de história, a didática da história e a formação de professores/as para o ensino de História. Em seus trabalhos o grupo põe em perspectiva também questões relacionadas a emergência de uma cultura e de uma política de memória no século XX, e de como estas questões se articulam e atravessam o ensino da História nos diferentes níveis.

206


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Escolarização, Práticas Docentes e Conhecimentos Pedagógicos ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0043708XYGELAY

Ampliação e fortalecimento da interrelação/integração entre a UFSC e as demais instituições educativas locais e regionais no âmbito da produção e divulgação de conhecimentos pela pesquisa educacional. Aperfeiçoamento dos processos de elaboração e desenvolvimento de investigações/atuações sobre/na formação docente inicial e continuada. Inserção no debate das questões relativas à dimensão das relações raciais na sociedade brasileira e em particular na educação. Qualificação acadêmica nos planos teórico e metodológico para a formulação de projetos de formação inicial e continuada de professores (as) e de processos de escolarização de crianças, jovens e adultos. Fomento do campo de estudos sobre docência em processos de escolarização por meio da interação entre Grupos de Pesquisa afins no Brasil. Instrumentalização de instâncias institucionais e do movimento docente com dados e análise da pesquisa disponibilizando resultados e participando de discussões relacionadas. Promoção do debate acadêmico na UFSC sobre a natureza profissional e necessidades do exercício da docência. Fortalecimento da produção científica da UFSC sobre processos de escolarização de crianças, jovens e adultos.

207


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

GEPEPPS GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA SOBRE ESTADO, POLÍTICAS E PRÁTICAS SOCIAIS

____________________________________________________________________ Instituição Universidade do Oeste de Santa Catarina – UNOESC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=62716107BLKXTV

A integração da pesquisa com as atividades de ensino e extensão são estratégias nos Cursos de Serviço Social e de Direito a partir das diretrizes emanadas pelo MEC e contempladas nos Projetos Pedagógicos dos respectivos Cursos da UNOESC/SMO. A questão fundamental a ser considerada ao trabalhar-se a indissiociabilidade entre o ensino, a pesquisa e a extensão apresenta-se como primordial na produção do conhecimento nas áreas social e jurídica frente aos grandes desafios da contemporaneidade e da dinâmica nas relações da sociedade. Sustenta-se como premissa a necessidade de formar em cursos de graduação e pós-graduação, profissionais habilitados para a pesquisa, compreensão, formulação e intervenção em temáticas relativas as problemáticas sociais e jurídicas que se apresentam em nossa região. Problemáticas que diferem em grau e gravidade, mas que exigem estudos e intervenções urgentes e comprometidas, com vistas a contribuir para a consolidação de bases mais igualitárias e democráticas nas relações sociais e propondo estratégias de expansão de direitos fundamentais e cidadania. São Objetivos do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Estado, Políticas e Práticas Sociais: Objetivo Geral: Pesquisar, analisar e propor alternativas de políticas de intervenção diante das expressões da questão social, cujo enfoque principal baseia-se nas relações Estado e Sociedade. Objetivos Específicos: Construir conhecimentos através de estudos, investigação, reflexão e intervenção na área das demandas e políticas públicas visando fornecer subsídios para a implantação e implementação de programas e projetos para as áreas social e jurídica; Qualificar estudantes de graduação e pós-graduação para vivenciar uma atitude crítica-investigativa que lhes permita realizar construções e reflexões teóricas partindo da realidade social/regional pesquisada para retornar a ela com propostas de intervenção; Propiciar a interlocução com outras profissões e demais áreas do saber; Divulgar os conhecimentos.

208


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Multiculturalismo: História, Educação e Populações de Origem Africana. ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=1193705IMFRT1Q Site do grupo www.udesc.br/multiculturalismo

As ações deste Grupo de Pesquisa visam contribuir para dar visibilidade às experiências históricas das populações de origem africana em Santa Catarina; colaborar no resgate da memória, formas de associação e manifestações culturais dos afro-descendentes no Estado e investigar e discutir acerca das praticas de discriminação no quotidiano escolar, assim como, mapear experiências de diversidade cultural na educação. Nestes dez anos de atuação o Multiculturalismo estimulou a realização quatro dezenas de pesquisas e que resultaram na elaboração de dissertações de mestrado, monografias de especialização e trabalhos de conclusão de curso. Esta produção tem sido divulgada através do site do GP , assim como, por meio de exposições como Kizomba na FAED e outras atividades culturais. No ensino de graduação, o GP contribui para a presença na grade curricular do Curso de História do Centro de Ciências da Educação da UDESC, das disciplinas História da África I e II (obrigatórias) e História e populações de Origem Africana em Santa Catarina (tópico especial). No curso de Pedagogia - Modalidade a Distância, oferecemos a disciplina Antropologia e Multiculturalismo. Ainda, entre os anos de 1996 e 1998, organizamos o curso de pós-graduação Latu Sensu Educação, Relações Raciais e Multiculturalismo. Atualmente, possuímos no Curso de Pós-Graduação Latu Sensu em História Social no Ensino Médio e Fundamental, a disciplina História e Populações de Origem Africana no Brasil. Na proposta de Mestrado em História, em avaliação pela CAPES, apresentamos duas disciplinas, Multiculturalismo e História, e História, Cultura e Experiências Africanas no Brasil.

209


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Núcleo de Estudos Benjaminianos ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC Departamento de Língua e Literatura Vernáculas Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00438021O15K6P

O trabalho do grupo do Núcleo de Estudos Benjaminianos repercutiu com os resultados listados a seguir: 1. Tradução do livro de Susan BuckMorss,(Mass/Boston: MIT Press,1989): Dialética do Olhar: Walter Benjamin e o Projeto das Passagens, Editora da UFMG e Editora da UNOESC/Chapecó,Florianópolis,2002. 2. O curso "Leituras Benjaminianas", Semestre 1,2000. 3. O resultado deste curso se apresenta na publicação dos trabalhos finais de grupo em torno do pensamento de Walter Benjamin no Dossiê Walter Benjamin org. Ana Luiza Andrade, in Revista Grifos, Argos/Unoesc, Chapecó, Santa Catarina, 2001. 4. Publicação do livro Transportes pelo Olhar de Machado de Assis passagens entre o livro e o jornal, UNOESC/Chapecó, Santa Catarina, 1999. 5. Seminário de Pesquisa I e II, Programa de`Pós-Graduação em História da UFSC, sob título "Açúcar; poeira, pólvora, poesia (leituras benjaminianas)”, abril de 2002, convite da Profa. Dra. Bernardete Ramos Flores. 6. Simpósio na Associação Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC) coordenado pelas professoras Ana Luiza Andrade (UFSC) e Sandra Nitrini (USP)com participantes do presente grupo, julho de 2002,UFMG, Belo Horizonte.7. Curso disciplina graduação com o Prof. Dr.Raul Antelo sobre Benjamin (Semestre 1, 2002).8. Forte atuação no Curso de Pós-Graduação. 8. Convite à Profa. Dra. Jeanne Marie Gagnebin com a palestra "Memória a contrapelo da História”,UFSC,5 de junho de 2003. 9. Curso na pósgraduação: "A crônica como fragmento do olhar" baseado na leitura de "Dialética do Olhar" de Susan Buck-Morss, Semestre 1, 2004.10.Evento organizado: Osman Lins Oitenta Anos. Publicação de revista Outra Travessia com anais do evento, 2005.11. Publicação do livro Outros Perfis de Gilberto Freyre: voltas duras/dóceis ao cotidiano dos brasileiros, uma leitura benjaminiana da produção de Freyre, destacando o perfil ecológico. São Paulo: Nankin Editorial, 2007.

210


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Religiões e Sociedade ______________________________________________________________ Instituição Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0009702CJCZOOF

Para subsidiar, capacitar e assessorar estudiosos das religiões e agentes religiosos, o grupo desenvolve pesquisas sobre o campo das religiões e trabalha na constituição de acervo de documentos e dados relacionados ao tema. Este Grupo tem diversas repercussões a nível interno e externo da Universidade, devido, sobretudo ao Banco de Dados que está sendo constituído sobre os "locais de culto religioso e templos na Região Metropolitana de Porto Alegre". As pesquisas em geral incidem diretamente nas linhas de pesquisa "Religiões e Sociedade" e "Identidades e Sociabilidades", esta última do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. O grupo é ainda protagonista do Programa "Gestando o Diálogo Inter-Religioso e Ecumenismo" da UNISINOS, e é mensalmente alimentado pelo "Grupo Inter-Religioso de Diálogo", congregando um fórum de treze diferentes religiões em diálogo. Além das reuniões deste grupo acontecem também mensalmente, desde 2003, seminários mensais denominados "estudando as religiões", abertos à comunidade e semestralmente é organizada uma jornada ou um painel envolvendo temáticas relativas ao campo religioso. Em 2005 o grupo realizou também uma "auto-pesquisa" sobre o uso das imagens, produzindo um texto denominado: "Imagens, símbolos e identidades no espelho de um grupo inter-religioso de diálogo". A partir do primeiro semestre de 2008 o Grupo Inter-Religioso de Diálogo vem desenvolvendo reflexões com vistas a ampliar os focos de aproximação empírica dentro da pesquisa "A Água na Simbólica das Religiões".

211


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas. PARANÁ

CEIDICE CENTRO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE DIFERENÇAS CULTURAIS E EDUCAÇÃO

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO Departamento de Pedagogia - DEPED Guarapuava – PR. Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=3428708GPKT0AM

O CEIDICE tem como foco as pesquisas interdisciplinares sobre as diferenças culturais presentes no ensino superior, primordialmente. Por meio de uma leitura de práticas socioculturais, tendo como pano de fundo a discussão pós-colonial, a aprendizagem é entendida na interface etnográfica e cognitiva. Tem como meta norteadora: investigar a aprendizagem em diferentes culturas e procurando novas práticas pedagógicas que auxiliem a inserção, permanência e sucesso universitário de comunidades: --africanas, afro-descendentes e quilombolas; --de surdos e cegos; --e indivíduos oriundos de Instituições Especiais.

212


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Cognição, Aprendizagem e Desenvolvimento Humano ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Paraná – UFPR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0103708XR545I6

Este grupo, originário do grupo Cognição e Aprendizagem Escolar, vem se consolidando na produção de conhecimentos na área do desenvolvimento humano, cognição e aprendizagem escolar, visando a articulação constante da teoria e da prática, contemplando estudos sobre: - desenvolvimento psicológico e suas implicações educacionais; - aprendizagem de alunos e formação de professores em diferentes contextos educativos; - relação professor-aluno-conteúdo/saber no campo específico lecto/escrita; necessidades especiais e inclusão escolar; - desenvolvimento e aprendizagem da criança pequena tanto na educação infantil quanto na educação especial; educação preventiva integral; práticas educativas familiares; entre outros. As investigações do Grupo têm gerado produções docentes e discentes, que vêm sendo divulgadas em veículos nacionais e internacionais, possibilitando um maior intercâmbio com grupos de pesquisa já consolidados. Essas produções também vêm sendo divulgadas em simpósios e mesas-redondas dos principais congressos e eventos científicos brasileiros e internacionais. O Grupo também tem atuado intensivamente na formação de pesquisadores, professores e profissionais realizada no âmbito da graduação, da pós-graduação e da extensão. As pesquisas realizadas têm possibilitado uma atuação junto a professores e técnicos da educação infantil, ensino fundamental, médio e superior, incluindo o ensino especial, no sentido de subsidiar práticas educativas.

213


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Discurso e Memória ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Estadual de Londrina – UEL Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0080702CJD8AO9

Analisa o discurso, o encontro da língua, da história e da ideologia. O discurso e a memória política; a memória coletiva e o patrimônio, este na sua dimensão cultural e aquela como lembranças individuais relacionadas a grupos e instituições. Pesquisas concluídas: Outras palavras... Sobre as formas de dizer e silenciar; Os sentidos da Marcha da Produção. Desenvolve o projeto Patrimônio Cultural e memória coletiva: discursos sobre a cidade. Resultados: 37 orientações de IC; 12 Dissertações de Mestrado. Mantém disciplina no Mestrado de Ciências Sociais da UEL. Linhas de pesquisa Cultura, poder e sociedade ( Mestrado de Ciências Sociais). Orientação de 28 TCCs; 9 Monografias de especialização; participação em Encontros Científicos, com publicações:Grupo de Estudos Lingüísticos do Estado de São Paulo, 2000 e 2001, Associação Nacional de História,1999, 2001, 2004 e 2005, Grupo de Estudos Lingüísticos do Sul, 2000 e 2004, Sociedade Brasileira de Sociologia, 2001; 2005 e 2007; Congresso Nacional de Sociólogos - 2002, Congressos Internacionais de Americanística (Perugia e Xalapa , 2003), Reunião do CERU 2006, Fórum Nacional de Conselhos do Patrimônio Cultural 2006 e 2007; Encontro Nacional da ANPOCS 2008; I Jornada Internacional de Estudos do discurso 2008; Seminário Internacional Fazendo Gênero 2008; 92 publicações de trabalhos completos em anais ( ANPUH , SBS, Fórum Nacional de Conselhos do Patrimônio Cultural, JIED, ANPOCS, Fazendo Gênero); 29 artigos em periódicos científicos. 7 capítulos de livros. 12 livros publicados. Edição de 2 vídeos. Obtenção do 22º. Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia. Vídeo documentário premiado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná.

214


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Estudos afro-brasileiros e relações raciais ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual de Londrina – UEL Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00807023W5A85U

O grupo de pesquisa "Estudos afro-brasileiros e relações raciais" tem por objetivo a realização de pesquisas sobre as relações raciais na perspectiva sociológica e histórica. Outro objetivo é a contribuição com a formação de estudiosos da problemática étnico-racial e afro-brasileira, em especial aqueles voltados ao trabalho no Ensino Fundamental e Médio. Atividades: 1)Desenvolvimento do Projeto TERRITÓRIO E SEGREGAÇÃO URBANA: O lugar no negro na cidade de Londrina. 2)Coordenação e desenvolvimento do Programa UNIAFRO/MEC/SECAD a partir de agosto de 2005 até 09/06/2006.3) Curso de capacitação para professores. 4)Reuniões quinzenais para estudos e debates sobre relações raciais. 5)Apresentação de trabalhos: As estudantes Rafaela Maria Duarte Angeloni e Mariana Albuquerque Laiola da Silva, bolsistas de I.C. UEL Afroatitude, apresentaram os resultados preliminares das pesquisas desenvolvidas, no âmbito do Projeto TERRITÓRIO E SEGREGAÇÃO URBANA: O lugar no negro na cidade de Londrina, no II Seminário do Projeto UEL Afroatitude realizado no CCH/UEL no dia 23 de junho de 2006.Durante o ano de 2007 (até o mês de outubro) participaram do Projeto os estudantes: Mariana Aparecida dos Santos Panta, Ana Paula de Oliveira Fabiano, Mariana Laiola da Silva, Rafaella Maria Duarte Angeloni e Sirlene Julio de Souza Oliveira Ferreira.A partir de outubro de 2007.Ingressou ainda no grupo a estudante Silvia Elaine Santos de Castro.Foram oferecidas disciplinas para o curso de graduação e mestrado em Ciências Sociais (2007/02 e 2008/01).Durante o ano de 2008 participaram do Grupo de Pesquisa os estudantes de Iniciação Científica: Alecsandro Eleotério P de Souza,Larissa Mattos Diniz,Mariana Aparecida dos Santos Panta, Luciana Brauna,os estudantes de graduação Mariana Laiola da Silva e Sidney Marcelino dos Santos e o mestrando Pedro Henrique Andrade.Os estudantes participaram de vários eventos.Foram ofertadas disciplinas na graduação e no mestrado sobre a temática do projeto de pesquisa.

215


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

História da Educação: Instituições, Intelectuais e Culturas Escolares no Paraná (século XX) ____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Paraná – UFPR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0103708WZD6II6

O presente grupo de pesquisa visa contribuir para a produção do conhecimento histórico sobre a educação no Estado do Paraná no século XX. Trata-se do esforço da Área Temática de Pesquisa de História e Historiografia da Educação, do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná. O grupo abrange investigações históricas sobre a educação, respeitadas as várias possibilidades teórico-metodológicas. Instituições escolares, idéias pedagógicas, intelectuais da educação e a cultura escolar são as temáticas de investigação privilegiadas nessa linha de pesquisa, consideradas nas suas especificidades, bem como nas suas possíveis articulações. No âmbito dos recentes debates em torno da História da Educação essas três temáticas têm se afirmado como temáticas investigativas que potencializam parte significativa da produção nessa área de conhecimento.

216


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

História e Políticas de Educação e a Formação de Professores ___________________________________________________________________________________

Instituição Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUC-PR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0207708FTBJDKU Site do grupo http://www.pucpr.br/ppge

O GT é interinstitucional (UNICAMP, UFPR, UNESP) e em função de reformulações no Programa de Pós-Graduação em Educação, e pela união de duas linhas: "História das Idéias e Práticas de Educação no Brasil" e "Políticas e Gestão da educação", o Grupo de Pesquisa passou a denominarse "HISTÓRIA E POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES". Acolhe o Grupo “Educação brasileira e paranaense”, organizado anteriormente como "GT: Levantamento, catalogação de tratamento de fontes primárias da educação brasileira" e vincula-se ao HISTEDBR. Produziu o trabalho: Legislação Educacional Paranaense, no período de 1853 a 1889 (INEP, SBHE e Editora Autores Associados, 2000), sob o título" COLETÂNEA DA DOCUMENTAÇÃO EDUCACIONAL PARANAENSE NO PERÍODO DE 1854 A 1889". Em 2ª edição como parte integrante da Coleção Documentos da Educação Brasileira, pela SBHE, MEC e INEP, em 2005. O Grupo desenvolve ainda pesquisas sobre as políticas internacionais e nacionais da educação, incluindo a influência da Igreja Católica, bem como o estudo de conhecimentos e saberes na formação de professores. Os resultados parciais das pesquisas têm sido apresentados e publicados em Congressos da área. Tem repercussão internacional com trabalhos apresentados na Universidade do Minho para o Curso de Doutorado e acolhe pesquisa vinculada ao Projeto da UNESCO sobre violência escolar.

217


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

NEPIE NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM INFÂNCIA E EDUCAÇÃO INFANTIL

____________________________________________________________________ Instituição Universidade Federal do Paraná – UFPR Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0103708HOX9JQ0 O Núcleo é composto por pesquisadores, alunos e demais profissionais da área de infância, escola e educação infantil e congrega vários temas e pesquisas individuais e coletivas. Um dos objetivos do Núcleo é articular-se a outros núcleos de pesquisa nacionais e internacionais sobre infância, escola e educação infantil. Realizou-se em março de 2010 os primeiros contatos com universidades e centros de pesquisas sobre infância na Itália. Também neste ano, o NEPIE participará do II Seminário de Grupos de Pesquisa sobre Crianças e Infâncias-GRUPECI, o qual se realizará em setembro no Rio de Janeiro, na UERJ, numa organização interinstitucional que congrega UERJ, UFF, UNIRIO, UFRJ, UFRRJ e PUC - Rio.

218


I CATÁLOGO: diretórios de grupos de estudos e pesquisas.

Teoria e Metodologia sobre Cultura Brasileira, Identidade Nacional e Diversidade ___________________________________________________________________________________

Instituição Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG Link CNPq. http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=00597056DN Z8GP Linhas de pesquisa  

Cultura Brasileira e Diversidade: história e perspectivas de sujeitos e grupos na contemporaneidade, Cultura Brasileira e Identidade Nacional: história e questões contemporâneas do pensamento social e artístico brasileiro.

219

Profile for edu mar

I CATÁLOGO Diretórios de grupos de estudos e pesquisas -ABPN  

Catálogo de diretórios de grupos de estudos e pesquisas no Brasil com recorte sobre a temática étnico-racial certificados pelo CNPq

I CATÁLOGO Diretórios de grupos de estudos e pesquisas -ABPN  

Catálogo de diretórios de grupos de estudos e pesquisas no Brasil com recorte sobre a temática étnico-racial certificados pelo CNPq

Profile for maedutim
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded