Page 1

Ano 11, Edição 127 - setembro de 2013 Rua 19 nº 768, Bairro São Judas Tadeu, Jales-SP

INFORMATIVO

GRUPO ESPÍRITA BENEFICENTE MARIA DOLORES 1.999 - 2013

FAmília

A

pesar da extrema variabilidade, no espaço e no tempo, quanto às suas formas de organização, a família é sempre o espaço privilegiado de acolhimento, proteção e fortalecimento e nela formamos vínculos de pertencimento indispensáveis à nossa segurança emocional. A Doutrina Espírita acrescenta uma informação relevante para o estudo da família que é a sua dimensão espiritual, esclarecendo que no lar de hoje encontram-se habitualmente pessoas que já se conheceram no passado, não raro, igualmente vinculadas pela consanguinidade, e que voltam a reunir-se para a continuidade do progresso. Considerando os múltiplos fatores que influenciam a vida

familiar e a conduta individual, entendemos a observação do orientador espiritual Emmanuel, no capítulo 67 do livro “Religião dos Espíritos”, psicografado por Chico Xavier, quando, ao comentar o materialismo, destaca a impropriedade de se estabelecerem parâmetros para o ser humano “tomando por alicerce o comportamento de drosófilas e de ratos nas atividades reprodutivas.” A família terrena não é, habitualmente, a reunião de espíritos afins e equilibrados que nela desfrutam de convivência harmoniosa e feliz; longe disso, pois, dada a nossa situação espiritual, nos grupamentos familiares defrontamos, não raro, aversões e conflitos que

provêm de nosso passado e para cuja superação voltamos a nos aproximar, beneficiados, agora, pelo esquecimento temporários dos deslizes que deram causa às dificuldades atuais. E, na orientação religiosa em geral, e parti-cularcularmente na espiritista, encontraremos sempre os recursos hábeis para o enfrentamento e superação de tais desafios que, além do mais, nunca estarão acima de nossas possibilidades para solucioná-los à luz do bem.

* SEI Serviços Espírita de Informações n° 2227


Página 02

A GÊNESE Origem do bem e do mal

K

ardec afirma em “ A GÊNESE”: ORIGEM DO BEM E DO MAL. 1 – Sendo Deus o princípio de todas as coisas, e sendo tal princípio todo sabedoria, todo bondade, todo justiça, tudo que dele provém deve participar de seus atributos, pois que aquilo que é infinitamente sábio, justo e bom, não pode produzir nada que seja desrazoável, mau e injusto. Portanto, o mal que observamos não pode ter sua origem nele. 2 – Se o mal fosse atribuição de um ente especial, chamado Ahrimau ou Satanás, de duas coisas uma: ou tal entidade

seria igual a Deus, e, por conseguinte tão poderosa quanto ele, teria existido por toda a eternidade como ele, ou lhe seria inferior. No primeiro caso, haveria duas potências rivais, lutando sem cessar, cada uma procurando desfazer o que a outra houvesse feito, contrariando-se mutuamente. Esta hipótese é inconciliável com a unidade de visão que se revela na disposição do Universo. No segundo caso, sendo esta entidade inferior a Deus, ser-lhe-ia subordinada; não podendo ter existido, como ele, por toda a eternidade, sem ser seu igual, teria tido um começo; se ele foi criado, não o pode ter sido, se não por Deus; Deus teria assim criado o Espírito do mal, o que seria a negação da infinita bondade. (Vide “Céu e Inferno Segundo o Espiritismo”, capítulo X, “Os Demônios”.) 3 – Entretanto, o mal existe e tem uma causa. Os males de toda a espécie, físicos ou morais,

que afligem a humanidade, apresentam duas categorias que é necessário distinguir: tais são os males que o homem pode evitar, e os que são independentes de sua vontade. Entre estes últimos, colocam-se os flagelos naturais. O homem, cujas faculdades são limitadas, não pode penetrar nem abarcar o conjunto das finalidades do Criador; julga as coisas do ponto de vista de sua personalidade, dos interesses de grupos e das convenções que para si criaram, as quais não existem na ordem da Natureza; é por isso que ele frequentemente encontra coisas más e injustas, as quais consideraria justas e admiráveis, se percebesse suas causas, sua finalidade e o resultado final. Procurando a razão de ser e a utilidade de cada coisa, reconhecerá que tudo traz o sinal da sabedoria infinita, e ele se inclinará diante de tal sabedoria, mesmo em relação às coisas que não compreende. (...)

Capítulo III – Origem do Bem e do Mal O Instinto e a Inteligência – Destruição dos seres vivos uns pelos outros.

SEGUE-ME TU.

H

á nas considerações do servo, na maioria das vezes, um olhar negativo sobre a forma como os outros realizam as suas tarefas. Disse Jesus: “Segueme tu”. Que nos importa se os outros estão realizando devidamente ou não seus afazeres, nós, por nossa vez, é que devemos fazê-lo com todo zelo e comprometimento possível, para que possamos crescer espiritualmente, modificando os painéis da alma, viciados pelo orgulho e vaidade que faz com que nos achemos melhores do que os nossos irmãos, apenas porque já conseguimos fazer alguma coisa. O fato de servirmos com disciplina não significa que já o fazemos com todo amor. Pensemos nisto, assim trocaremos a crítica pela ajuda e o azedume por um sorriso. Adelvair David


Página 03

Evangelho Vós sois a luz do mundo (Jesus)

E

ntraste na hora do desalento, como se te avizinhasses de um pesadelo. Indefinível suplício moral te impele ao abatimento, mágoas antigas surgem à tona. Sentes-te à feição do viajor, para cuja sede se esgotaram as derradeiras fontes do caminho. Experimentas o coração no peito, qual pássaro fatigado, ao sacudir, em vão, as grades do cárcere. Ainda assim, não permitas que a ansiedade te lance à tristeza inútil. Se a incompreensão alheia te azedou o pensamento, recorda os companheiros enfermos ou mutilados, quando não conhecem a própria situação, qual seria de desejar, e prossegue servindo, a esperar pelo tempo que lhes dará reajuste. Se amigos te abandonaram em árduas tarefas, à caça de considerações que lhes incensem a personalidade, medita nas crianças afoitas, empenhadas a jogos e distrações, nos momentos do estudo, e prossegue servindo, a esperar pelo tempo, que a todos renovará na escola da experiência. Se deixaste entes queridos ante a cinza do túmulo, convence-te de que todos

eles continuam redivivos, no plano espiritual, dependendo, quase sempre, de tua conformação para que se refaçam, e prossegue servindo, a esperar pelo tempo, que te propiciará, mais além, o intraduzível consolo do reencontro. Se o fardo das próprias aflições te parece excessivamente pesado, reflete nos irmãos desfalecentes da retaguarda, para quem uma simples frase reconfortante de tua boca é comparável a facho estelar, nas trevas em que jornadeiam, e prossegue servindo, a esperar pelo tempo, que, no instante oportuno, a cada problema descortinará solução. Lembra-te de que podes ser, ainda hoje, o raciocínio para os que se dementaram na invigilância, o apoio dos que tropeçam na sombra, o socorro aos peregrinos da estrada que a penúria recolhe nas pedreiras do sofrimento, o amparo dos que choram em desespero e a voz que se levante para a defesa de injustiçados e desvalidos. Não te detenhas para relacionar dissabores... Segue adiante, e se lágrimas te encharcam a ponto de sentires a noite dentro dos olhos, entrega as próprias mãos nas mãos de Jesus e prossegue servindo, na certeza de que a vida faz ressurgir o pão da terra lavrada e de que o sol de Deus, amanhã, nos trará novo dia. EMMANUEL

A Arte de Educar

mos, prestando mais atenção em desenvolver as faculdades brilhantes da criança, não, porém, suas virtudes. “Na escola, como ducar é uma tarefa na família, negligenciamuito solitária, por- se muito em esclarecêque não têm uma la sobre seus deveres e fórmula sobre seu destino. [...] nem algo que funcione Uma boa educação moda mesma forma com ral raramente é obra de várias pessoas, mas é um mestre. Para desimportante. Se os pais pertar na criança as prinão se ocuparem dessa meiras aspirações pelo tarefa, mais tarde a soci- bem, para corrigir um edade o fará, e isso será caráter difícil, é preciso bem mais custoso. ter, ao mesmo tempo, * perseverança, firmeza, Em seu livro “Depois da uma ternura das quais morte” (ed. Celd), Léon só o coração de um pai Denis, no capítulo 54, ou de uma mãe é susaborda o tema “A educa- cetível. Se os pais não ção”, cujas observações conseguem corrigir valem aqui ser relembra- seus filhos, como aquedas: le que conduz um gran“É através da educação de número poderia fazê que as gerações se trans- -lo? [...] É preciso lemformam e se aperfeiçobrar-se sempre de uma am. Para se ter uma soci- coisa, é que esses espíedade nova, é preciso ritos vieram até nós pahomens novos. Por isso, ra que os ajudemos a a educação desde a invencer seus defeitos e fância é de uma imporos preparemos para os tância capital. Não basta deveres da vida.” ensinar à criança os elementos da ciência. Tão * essencial quanto ler, es- “Não nos esqueçamos de crever, calcular, é ensique para anular a sombra nar a governar-se, a con- noturna não basta arreme-ter duzir-se como ser racio- os punhos cerrados contra o nal e consciente; é entrar domínio da noite. É preciso na vida, armado não ape- acender uma luz.” Emmanunas para a luta material, el. mas, sobretudo, para a luta moral” – diz Denis, * frisando que isso é com SEI - Serviços Espírita de Inforo que menos nos ocupa- mações - n° 2227.

E


Página 04

servir

A MISSÃO DE JESUS.

A

missão de Jesus, desempenhada junto aos homens, foi e é de paz e amor, servindo sempre como enviado de Deus. Seus ensinos e exemplos edificantes, em um mundo atrasado, pela ignorância de seus habitantes da época, não foram entendidos nem aceitos senão por um pequeno

número dos que o ouviram. Ainda hoje, decorridos vinte séculos de sua presença na Terra, apesar da divulgação de seu Evangelho pelas religiões cristãs, suas lições não foram absorvidas e vivenciadas como seria de desejar. É que o nosso mundo, que progrediu bastante, no que se refere a conhecimentos e interesses de ordem material, não evoluiu moralmente no mesmo nível.

Mas o Cristo continua servindo sempre, como paradigma e modelo, para seus irmãos da retaguarda. A evangelização da alma coletiva da Humanidade, que representa o entendimento e a vivência dos ensinos e das exemplificações de Jesus, o Mestre, o Governador espiritual e o modelo a ser seguido, será o único caminho para a conquista da fraternidade, do amor e da concórdia entre os habitantes deste mundo, para que ele possa aspirar a tão esperada Era de Regeneração.

AGENDE-SE Setembro de 2013 Palestras domingo 19h30min 1–MIGUEL SARDANO (Sto André)

8–MARILENE LISBOA (Paranapuã)

15–DAVID (Jales) 22-IRENE GASPARINO (Jales) 29-BERNADETE- (Auriflama)

CURSOS: Quinta-Feira: O livro dos Espíritos-20 h Sexta-Feira: Obras de André Luiz - 20h Sábado-Joanna de Angelis: Autodescobrimento-9h PLANTÃO DE PASSE -2ª, 3ª, das 18h30min as 19h15min . -5ª as 17h30min -6º das 19h as 19h30min Veja no mural as atividades da casa e participe conosco!

Reformador nº 2160

JANTAR ITALINO no grupo Madô

Nova Sede

O

Grupo espírita Maria Dolores irá inaugurar o salão novo onde será a sede principal da casa. O salão hoje utilizado não será demolido, será preservado como o marco inicial das atividades do grupo, onde os corações se fixaram com o propósito de servir Jesus por esses 14 anos. As atividades de inauguração serão simples, com a singeleza que sempre marcou a vida do grupo. Teremos entre outras apresentações a presença para uma noite de autógrafos o nosso que-

rido irmão Wilson Granella da cidade de Fernandópolis, trabalhador do Grupo Espírita Missionários da Luz. Aqueles que tiverem obras do autor ou adquirilas no momento, se desejarem o autor autografará com todo carinho. A pedido do grupo, a palestra será ministrada pelo orador e trabalhador da Casa de Madô, Adelvair David. PARTICIPE CONOSCO dessa casa afetuosa que, com sorriso singelo recebe a todos com Carinho.

ATENÇÃO.

Vem aí o esperado Jantar Italiano da Casa de Madô. Será no dia 21 de setembro a partir das 20h, aqui na sede do grupo. Rua 19, nº 768, Bairro São Judas Tadeu, Jales -SP. Os ingressos são limitados e estão a venda com os trabalhadores da casa, reserve o seu. Não serão vendidos ingressos na hora do jantar, adquiria já o seu. Deliciosas massas, carnes e doces caseiros, tudo para confraternizarmos na inauguração do nosso novo salão multi uso. SEJA BEM VINDO, venha alegrar-se conosco!.

Se você deseja realizar o “Evangelho no Lar”, procure-nos, teremos imenso prazer em ir a sua casa para apresentarmos as diretrizes para este momento tão especial.

Fale conosco! Visite:

www.madoespirita.org.br agora com vídeos diversos (palestras, cursos, seminários) em breve transmissão ao vivo de eventos. http://www.facebook.com/ GEBMariaDolores www.addavid.blogspot.com

Informativo nº 127 do Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores  
Informativo nº 127 do Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores  

Informativo nº 127 do Grupo Espírita Beneficente Maria Dolores