Page 1

P áPgái gn ian|a1| 1

Agosto/2012 - Semana 2 | 4 a 10 de agosto

Condicionantes de Longo Prazo AMÉRICAS População envelhece e ameaça economia de Cuba A população ativa de Cuba vai começar a encolher em breve. Projeta-se, por exemplo, que o número de idosos duplicará para 3,6 milhões, ou um terço da população, até 2035. Nesse mesmo período o contingente de cubanos em idade ativa deverá diminuir de 65% para 52% da população. Essa tendência ocorre no exato momento em que o governo do presidente Raúl Castro encontra dificuldades para implementar reformas destinadas a ressuscitar uma economia intensivamente voltada para a preservação da vida. Fonte: Valor Econômico, 09/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

ÁSIA Indústria na Índia A Índia ainda não demonstra um ritmo de industrialização desejável para uma nação que queira se tornar protagonista da manufatura no mundo. O país possui um grande contingente de jovens a serem inseridos no mercado de trabalho nos próximos anos e precisará de atividades econômicas que sejam capazes de criar os empregos correspondentes. Apesar da movimentação de alguns setores e de certos exemplos de sucesso, ainda é muito cedo para apontar a Índia como capaz de realizar o esforço necessário para alcançar um patamar industrial mais alto. Fonte: The Economist, 11/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

EUROPA Alemanha aposta na revolução energética A Alemanha está perseguindo um cenário energético sem usinas nucleares e com mais energias renováveis. Na primeira metade deste ano, vento, sol, água e até lixo responderam por 25% da matriz elétrica alemã. Neste caminho de muitos desafios há dois bem grandes: como eliminar a energia nuclear sem emitir mais CO2 e como produzir energia no inverno, quando não há sol, o frio é intenso, os dias são curtos e escuros e o consumo energético é muito maior. O país tem como uma de suas metas ter 35% de participação das energias renováveis na produção de eletricidade em oito anos e de 80% em 2050. Nesse cenário, o maior dilema futuro será como conseguir estocar energia. Fonte: Valor Econômico, 09/08/12  ACESSE A FONTE AQUI


P áPgái gn ian|a2| 2

Desaceleração econômica alemã coloca em risco recuperação da União Europeia A economia alemã, que até então demonstrava um forte vigor econômico ante a maioria dos países da União Europeia, está começando a apresentar sinais de desaquecimento. A redução nas exportações do país e da produção industrial entre junho e maio de 2012, queda de 1,5% e 0,9%, respectivamente, estão gerando temores na União Europeia de que a situação econômica alemã está sendo afetada de forma consciente pelo restante do bloco. Como maior e mais dinâmica economia do bloco, uma deterioração da situação do país poderia dificultar ainda mais a recuperação das demais nações e prolongar a crise na região. Fonte: El Pais, 09/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

Condicionantes de Longo Prazo MERCADO DE TRABALHO Alto desemprego em 32 cidades No mesmo país que reúne 1.133 cidades em condições de pleno emprego, há outras 32 com taxas de desocupação acima de 20%, apontam os dados do Censo 2010. É fato que elas são uma minoria, representando menos de 1% dos 5.565 municípios brasileiros. Mas, sem dúvida, são um retrato das desigualdades regionais que, mais uma vez, persistem, a despeito do crescimento econômico dos últimos anos. Fonte: O Globo, 06/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

ECONOMIA DO SETOR PÚBLICO Petrobrás tem prejuízo de R$ 1,3 bi, o 1º em treze anos No mesmo período no ano passado houve lucro líquido de R$ 10,9 bilhões. Resultado vem bem abaixo das expectativas do mercado, que apontavam para lucro de R$ 3,2 bi. O câmbio e manutenção do preço da gasolina no mercado interno devem ser os maiores responsáveis por este resultado. Fonte: O Estado de São Paulo, 04/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

INDÚSTRIA Indústria do Rio tem o pior resultado A produção industrial do Rio encolheu 8,6% em junho, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Foi o pior desempenho entre os 14 locais acompanhados pela Pesquisa Industrial Regional do IBGE, divulgada ontem (07/08/2012). O estado também segura a lanterna no acumulado semestral, com variação negativa de 7,1%, queda bem maior que a da média brasileira, de 3,8%. Fonte: O Globo, 08/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI


P áPgái gn ian|a3| 3

MERCADO E SETORIAL Turismo, importante vetor da economia brasileira Os recentes investimentos técnicos e financeiros do governo federal e da iniciativa privada no turismo colocaram o setor em uma posição estratégica na economia nacional. Foram registrados sucessivos recordes em desembarques domésticos, internacionais e entrada de divisas. A atividade tem se consolidado como importante alavanca para o desenvolvimento social, geração de empregos, estímulo à sustentabilidade ambiental. Hoje, exibe credenciais indiscutíveis como alternativa para o país dar uma resposta rápida e eficiente à desaceleração da economia mundial. Pelas projeções da Organização Mundial do Turismo, o setor deve crescer, em média, 3,3% por ano até 2030. O objetivo é que o Brasil acelere sua trajetória e ocupe um lugar entre as três maiores economias do turismo mundial em 2022. Fonte: Valor Econômico, 06/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

INFRAESTRUTURA E INVESTIMENTOS Má qualidade da infraestrutura As necessidades de investimento em infraestrutura no Brasil são enormes. Nas comparações internacionais o país ocupa as últimas posições nesse quesito. Segundo informações do World Economic Forum o país ocupa a 104ª posição entre 142 pesquisados. Entre as dificuldades que se apresentam as principais são a dificuldade de financiamento de longo prazo e o processo de licenciamento de obras. Fonte: The Economist, 11/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

Telecomunicações no Brasil, o próximo apagão? A crise recente nos serviços de telefonia móvel no Brasil levou a ANATEL a suspender temporariamente o direito de comercialização de três das quatro maiores operadoras do país. As empresas de telefonia operam com uma rede de baixa qualidade. O processo de privatização do fim dos anos 1990 desencadeou um processo de investimento e expansão na cobertura, mas esses não foram suficientes para aproximar o crescimento da oferta de serviços da demanda no país. Atualmente o governo estima que as operadoras devam fazer investimentos muito mais volumosos que os planejados para conseguirem melhora significativa no atendimento. Se a evolução no setor prosseguir no ritmo atual o país pode passar por um transtorno equiparável ao ocorrido em 2001 com o racionamento de energia. Fonte: The Economist, 11/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

EDUCAÇÃO Alunos da rede pública terão 50% das vagas em universidades federais O Senado aprovou no dia 7 de agosto, projeto de lei que prevê que 50% das vagas em universidades e escolas técnicas federais sejam reservadas a quem cursou o ensino médio integralmente em escolas públicas. O projeto já havia sido aprovado pela Câmara mas ainda tem que passar pela aprovação da presidente. Dentro desse universo de vagas destinadas a alunos oriundos da rede pública serão aplicados também critérios raciais. Fonte: O Estado de S. Paulo, 08/08/12  ACESSE A FONTE AQUI


P รกPgรกi gn ian|a4| 4

REDE DE MONITORAMENTO ALEXANDRE RINALDI | CAROLINA DOUEK | EDMAR BONFIM | GUSTAVO RIBEIRO | HELENA ASLAN | KARLA MONTEIRO | LAURA TEIXEIRA | LEO DE PAULA | MARIA CLARA BOTTINO | PEDRO LUCENA


Clipping Semanal de Monitoramento - Agosto/Sem2  

Em meio ao volume de informação com que nos deparamos, nem sempre é possível identificar os fatos e as tendências que podem impactar os cená...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you