Issuu on Google+

P áPgái gn ian|a1| 1

Agosto/2012 - Semana 5 | 25 a 31 de agosto

Condicionantes de Longo Prazo Alemanha e China: relação especial Chineses e alemães têm uma forte crença na necessidade de consolidação orçamentária; querem crescer com equilíbrio socioeconômico, duvidam da primazia da economia financeira, e confiam na indústria como vital para o crescimento econômico. Ambos os países sabem que têm seus próprios problemas e inconveniente, mas eles também sabem que, em vez de deixar os problemas em efervescência, eles estão constantemente trabalhando para remediá-los. As lideranças dos dois países compartilham uma preocupação genuína uma vez que a situação política nos EUA está tão desarticulada que existem dúvidas reais sobre a manutenção da capacidade americana como gestora das questões mundiais. Fonte: Valor Econômico, 31/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

CONDICIONANTES DE LONGO PRAZO - AMÉRICAS Ampliação do Canal do Panamá apresenta atrasos e poderá gerar crise internacional A obra de ampliação do Canal do Panamá sofre importantes atrasos e já ganha feições de crise internacional, segundo declarações do governo panamenho. As obras, iniciadas em 2007 com prazo de conclusão em outubro de 2014, estão com seu cronograma atrasado em 6 meses com perspectivas de piora no andamento da obra segundo o Panamá. A ampliação do canal, por onde passa 5% do trafego marítimo mundial e que se encontra subdimensionado para as atuais necessidades de tráfego marítimo na região, está orçada em 5,25 bilhões de dólares. Fonte: El Pais, 28/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

ÁSIA Economia chinesa desaquece Esse ano pode ser o primeiro do século 21 em que a China registra um crescimento abaixo de 8%. A diminuição no ritmo de crescimento é esperada no processo de desenvolvimento de um país como a China, no entanto, o que surpreende é a postura dos formadores de políticas do país em permitir que esse movimento ocorra sem grandes interferências. Caso essa relutância em agir diretamente sobre a economia seja complementada por uma vontade de fazer reformas estruturais, o país poderá superar as expectativas do mundo e emergir da crise atual melhor do que entrou. Fonte: The Economist 01/09/2012  ACESSE A FONTE AQUI


P áPgái gn ian|a2| 2

ÁFRICA E ORIENTE MÉDIO Petróleo na África Uma nova onda de descobertas de petróleo está ocorrendo no continente africano. Atualmente apenas 5 dos 55 países da região não produzem nem exploram essa atividade. Ainda falta transparência nessas relações e a população em geral sente que não está recebendo os benefícios adequados e questiona as práticas de repasse do dinheiro público. Fonte: The Economist 01/09/2012  ACESSE A FONTE AQUI

FATOS PORTADORES DE FUTURO Um novo modelo para a pesquisa em saúde global A 65ª Assembleia Mundial da Saúde (AMS) - órgão máximo de deliberação da Organização Mundial da Saúde (OMS) – aprovou em 2011 uma histórica resolução sobre o financiamento global da pesquisa para a geração de novos medicamentos e vacinas de interesse da população brasileira e de outros países em desenvolvimento. O documento se apoia em um amplo e longo processo de entendimento sobre as fronteiras e correlações entre a saúde pública, a inovação tecnológica e as políticas de propriedade intelectual. Dois eixos centrais a serem enfrentados pela Estratégia são o crônico subfinanciamento à pesquisa e ao desenvolvimento (P&D) e as falhas na coordenação das atividades de investigação sobre doenças que atingem as populações de países menos favorecidos. Fonte: Valor Econômico: 31/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

Condicionantes de Longo Prazo O envelhecimento populacional e o crescimento do país Opinião de Antonio Delfim Netto Hoje, temos 130 milhões de pessoas entre 15 e 64 anos e em 2030 teremos 150 milhões. O maior problema é como vamos organizar a sociedade brasileira para propiciar empregos, de boa qualidade e salários adequados, a 150 milhões de pessoas que constituirão a população em idade ativa em 2030. Se quisermos ter em 2030 algo parecido com o nível de renda per capita em paridade de poder de compra de Portugal de hoje, temos de crescer em torno de 5% ao ano (mais ou menos 4% do PIB per capita), em média, nos próximos 18 anos e sustentar um investimento bruto anual, até 2030, da ordem de 25% do PIB. Fonte: Valor Econômico, 28/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

ATIVIDADE ECONÔMICA O fim de um ciclo especial de redução da taxa de juro O Banco Central, após nove reduções consecutivas da taxa básica de juros, resolveu acenar com o fim do ciclo de baixa. O comunicado do Comitê de Política Monetária aponta para no máximo mais um corte, de 0,25 ponto percentual. Para o BC, a economia entrou em rota de recuperação e ainda é preciso esperar pelos efeitos "cumulativos e defasados" das reduções realizadas. O cenário para a inflação, por outro lado, começou a indicar riscos que não existiam antes, aconselhando mais cautela daqui para a frente, ainda que não se vislumbre no curto prazo qualquer movimento altista relevante nos preços. Fonte: Valor Econômico, 31/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI


P áPgái gn ian|a3| 3

Crescimento depende de aumento de eficiência das empresas, diz Kupfer Opinião de David Kupfer O processo de crescimento do Brasil, baseado no consumo, será abortado caso as empresas não consigam se expandir reduzindo custos de produção e se o governo não mantiver baixa a inflação no país. Em conferência que discutia a competitividade da indústria brasileira, David Kupfer recomendou aos empresários atenção às etapas de pré-produção e pós-produção, com aumento de eficiência no relacionamento com os clientes e no planejamento. Ele enumerou os instrumentos de apoio do BNDES e admitiu que o suporte à inovação pode merecer um esforço adicional do governo. Fonte: Valor Econômico, 28/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

Medidas somam estímulos ao consumo e ao investimento No âmbito de uma nova rodada de medidas de estímulo ao investimento e ao consumo, o BNDES passará a cobrar juros reais negativos no Programa de Sustentação do Investimento, voltado para aquisição de bens de capital. A taxa de juros fixa para compra de máquinas e equipamentos caiu de 5,5% para 2,5% ao ano, anunciou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Essa taxa especial vale apenas até dezembro. Levando em consideração uma inflação de 4,5%, temos um juro real negativo. Fonte: Valor Econômico, 30/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS Caos urbano instiga candidatos às prefeituras brasileiras Melhorar a locomoção diária transformou-se numa das principais bandeiras nas próximas eleições municipais. A necessidade de mudar conceitos em mobilidade urbana, revendo as políticas que até agora privilegiaram o transporte individual, é uma discussão mundial, mas a mudança de paradigma exige que os futuros prefeitos percebam que programas dessa natureza não se esgotam em um único mandato. O Ministério das Cidades estima de 10 a 20 anos o tempo de construção da mobilidade funcional. Fonte: Valor Econômico, 28/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

INDÚSTRIA Indústria pede socorro ao Brasil urbano Para a CNI, mobilidade caótica afeta o desenvolvimento do país, ao restringir fluxo de pessoas, bens e ideias e reduzir a produtividade, inovação e qualidade de vida. O setor está preocupado com o tempo que seus funcionários perdem para chegar nas fábricas e escritórios, os atrasos nas entregas nas mercadorias e o prejuízos à atividade intelectual, quase sempre concentrada nos centros urbanos. O trabalho que a CNI quer levar aos debates políticos enfatiza a necessidade de privilegiar projetos voltados ao transporte público, em redes de ligação de vários modais. Fonte: Valor Econômico, 30/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

SETOR EXTERNO A crise europeia e o Brasil A crise financeira nos Estados Unidos e na zona do euro levou à ampla reflexão acerca das mudanças no sistema internacional. A UE permanece como a maior fonte de investimentos externos no Brasil e um dos principais parceiros comerciais, mas, apesar da parceria estratégica, o sucesso das relações nesta área não


P áPgái gn ian|a4| 4 se repetiu no ambiente político. É, portanto, preocupante que o motor desta relação comece a dar sinais negativos. Em 2012, os maus resultados da exportação europeia e a queda brusca dos investimentos, aliados às dificuldades para a assinatura do Acordo de Livre Comércio Mercosul-UE, apontam para um futuro pouco promissor para o diálogo entre Brasil e Europa. Enquanto a UE perde relevância na agenda política e comercial do Brasil, outros países passam à frente. Este é o caso da China, que dentro de poucos anos deve ser tornar o principal destino das exportações brasileiras, e da Índia, com a qual o Brasil quadruplicou o comércio. Fonte: Valor Econômico, 30/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

MERCADO E SETORIAL Soja avança sobre pastagens no Tocantins Ocorre atualmente uma rápida e intensa transformação da produção rural do Estado de Tocantins. Com uma área plantada com grãos de 743,1 mil hectares na safra 2011/12, Tocantins é apenas um exemplo de uma tendência que atinge as principais regiões de pecuária do Brasil, como as porções norte e leste de Mato Grosso, os Estados de Goiás, Mato Grosso do Sul e algumas regiões do Pará. A área plantada com grãos, cana-de-açúcar e reflorestamento no Brasil deverá aumentar 15,3 milhões de hectares nos próximos dez anos, conforme estimativa da Agroconsult e da Bigma e a maior parte desse avanço virá da conversão de áreas de pasto. Fonte: Valor Econômico, 28/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

Aportes em fertilizantes deverão somar US$ 18,9 bi até 2017 Empresas de fertilizantes que atuam no Brasil deverão investir US$ 18,9 bilhões até 2017, segundo levantamento da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda). O montante previsto é 45,4% superior aos US$ 13 bilhões estimados em 2011 para o mesmo período e são significativos diante dos aportes mundiais previstos pela Associação Internacional da Indústria de Fertilizantes - US$ 88 bilhões nos próximos cinco anos, em 254 projetos. Apesar da previsão de mais investimentos, a entidade acredita que eles não serão suficientes para reduzir de forma significativa a dependência de importações, que hoje representam cerca de 70% da demanda nacional. A nanotecnologia é apontada como um das "promessas" para reduzir perdas na produção de fertilizantes. Fonte: Valor Econômico, 28/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

Setores elogiam extensão dos benefícios e pedem mais Os setores beneficiados pelas medidas de redução de impostos - fabricantes de automóveis, linha branca, móveis e materiais de construção - passaram pelo Ministério da Fazenda levando dados que mostravam ao governo o aumento das vendas e do emprego em seus setores. Os setores festejaram a extensão do prazo dos benefícios. Fonte: Valor Econômico, 30/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

Santa Catarina ganha peso na industrialização de leite Santa Catarina liderou o crescimento da industrialização de leite no país nos últimos cinco anos, conforme recente levantamento da Leite Brasil, associação que representa os produtores brasileiros. Entre 2007 e 2011, o Estado registrou um avanço de 13%, à frente de outros importantes produtores do país, como Paraná (11,6%), Rio Grande do Sul (7,2%), São Paulo (3,8%), Minas Gerais (3,6%) e Goiás (1,4%). A média do Brasil foi de 5,5% no período. Fonte: Valor Econômico: 31/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI


P áPgái gn ian|a5| 5

INFRAESTRUTURA E INVESTIMENTOS Investimentos fora do lugar na infraestrutura de transportes Auditoria do Tribunal de Contas da União aponta que existe um importante descompasso entre as ações previstas pelo governo para o setor de transportes e aquelas que as entidades do setor agrário julgam necessárias e urgentes. A conclusão surgiu da averiguação de 265 ações de infraestrutura sobre gargalos logísticos para a agropecuária, planejadas pelas estatais do Ministério dos Transportes e do seu cotejo com entrevistas com organizações que representam o agronegócio. Um dos resultados é que 40% das obras que o setor agrícola almeja simplesmente não constam dos planos do governo. Fonte: Valor Econômico, 29/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Preço limita a expansão do mercado de orgânicos O mercado mundial de produtos orgânicos já movimenta anualmente mais de US$ 60 bilhões e cresce em média de 30% ao ano. No Brasil, segundo a Apex-Brasil, os negócios ligados à alimentação orgânica devem crescer 46% até 2014, capitaneados pelas bebidas, que registram aumento anual médio de 38%. Um dos principais desafios de quem está entrando no segmento é a logística dos produtos. O preço ainda é o grande limitador da expansão do consumo de produtos orgânicos no Brasil, segundo os especialistas no assunto. Fonte: Valor Econômico: 31/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

GESTÃO IBM: a desenvolvedora de líderes em P&D Em 2011, a Fortune elegeu a IBM a melhor companhia do mundo em desenvolvimento de líderes, pelo segundo ano consecutivo. Responsável pelo registro de 6.180 patentes, em 2011, a nova geração de cientistas não se limita às tarefas tradicionais: também elabora planos de negócios, participa de reuniões executivas e realiza apresentações para diretores e clientes. Segundo Bernard Meyerson, vice-presidente de inovação da IBM, desenvolver talentos em equipes de pesquisa requer compreender a complexa personalidade de seus membros, e o melhor gestor para isso “não diz como fazer o projeto, mas desafia sua equipe, pondo-a à prova e confiando nela”. Fonte: HSM Management, Julho-Agosto/2012.  ACESSE A FONTE AQUI


P รกPgรกi gn ian|a6| 6

REDE DE MONITORAMENTO ALEXANDRE RINALDI | CAROLINA DOUEK | EDMAR BONFIM | GUSTAVO RIBEIRO | HELENA ASLAN | KARLA MONTEIRO | LAURA TEIXEIRA | LEO DE PAULA | MARIA CLARA BOTTINO | PEDRO LUCENA


Clipping Semanal de Monitoramento - Ago/Semana5