Issuu on Google+

P áPgái gn ian|a1| 1

Agosto/2012 - Semana 4 | 18 a 25 de agosto

Condicionantes de Longo Prazo AMÉRICAS Inovação na América Latina Quase todos os países latino-americanos estão da metade para baixo na lista mundial de inovação da ONU de 2012, uma pesquisa que mede a capacidade de um país no lançamento de novos produtos e em inovar. O relatório, que conta com 141 países, aponta ainda que a região também está ficando ainda mais retardatária neste quesito, com o restante do mundo evoluindo mais rapidamente. Apenas o Chile aparece entre as 50 primeiras posições e o Brasil é citado como o 59º colocado. O baixo desempenho é creditado a problemas no ambiente político, regulatório, empresarial, a má qualidade do sistema educacional além do pouco volume de crédito voltado para novas iniciativas. Fonte: El País, 19/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

EUROPA Grécia pede mais tempo O governo grego está fazendo pressão junto a União Europeia para aumentar os prazos compactuados em suas medidas de austeridade. A Grécia alega que não necessita de mais recursos do bloco para lidar com a rolagem de sua divida pública, mas a velocidade dos cortes orçamentários estaria dificultando em demasia sua recuperação econômica. Todavia, a recusa do bloco é forte, em especial da Alemanha. A União alega que isto acabaria gerando maiores gastos além de que a necessidade do ajuste seria de caráter urgente. Paralelamente, crescem as opiniões políticas de que a saída da Grécia do euro não seria tão traumática como se imagina e de certa forma desejada por muitos. Fonte: El País, 19/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

ÁFRICA E ORIENTE MÉDIO Inovação na África Ao visitar a capital do Quênia, Nairóbi, o trânsito caótico esconde outro lado do país. Se por um lado essa nação africana ainda apresenta problemas de desenvolvimento similares aos de seus vizinhos por outro um processo de crescimento tecnológico está em curso no país. Com o maior percentual de usuários com 74 aparelhos a cada 100 quenianos, bem acima da média de 65 no continente africano. Um grande número de startups está emergindo no país e várias medidas estão sendo tomadas para fomentar o crescimento desse tipo de empresas. Num país com tantos problemas, alguns enxergam oportunidades. Fonte: The Economist 25/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI


P áPgái gn ian|a2| 2

Condicionantes de Longo Prazo A nova lei da concorrência Esse ano o sistema regulatório brasileiro passou por uma reforma importante. A renovação do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que agora reúne competências que antes eram do Ministério da Justiça e da Fazenda aponta numa nova direção para o ambiente empresarial brasileiro. Além de aumentar sua estrutura, o novo CADE possui mais recursos à sua disposição, como penas mais duras e possibilidades mais amplas de negociação. No passado recente a leniência do governo com empresas muito grandes era justificada pela necessidade de ter competidores em nível internacional, atualmente o ambiente interno ganha importância. Essa pode ser a nova tendência. Fonte: The Economist 25/08/2012  ACESSE A FONTE AQUI

ATIVIDADE ECONÔMICA Atividade Industrial cresce no mês de julho Dados da CNI – Confederação Nacional da Indústria, apontam a evolução da produção para 51,1 pontos em julho deste ano, em contraste aos 45,5 pontos em junho e 50,1 pontos no mesmo período de 2011. O estoque manteve quase o mesmo patamar do mês anterior, com diferença de apenas 0,3 pontos. Fonte: Folha de S. Paulo, 22/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

MERCADO E SETORIAL As novas telecomunicações no Brasil Segundo a Telebrasil – Associação Brasileira de Telecomunicações, do total de acessos via banda larga, 76% são realizados através de dispositivo móvel ante os 43,3% há dois anos. Hoje, são 1,2 novos acessos por segundo no Brasil, representando um crescimento da internet móvel de 590% no mesmo período. Aumento expressivo ocorre em meio a problemas dos usuários com serviços de telecomunicações. Fonte: Folha de S. Paulo, 24/08/12  ACESSE A FONTE AQUI

DESENVOLVIMENTO SOCIAL América Latina é a região mais desigual do mundo Relatório da ONU – Habitat revela que a região segue a mais desigual do mundo, mesmo com a queda na taxa de pobres que passou de 48% em 1990 para 33% em 2009. Avanços foram observados, principalmente após políticas de transferência de recursos e aumento da renda do trabalho. A América Latina representa apenas 7% do PIB global, mesmo com uma parcela de 8,5% da população total. Fonte: Folha de S. Paulo, 22/08/12  ACESSE A FONTE AQUI


P áPgái gn ian|a3| 3

GESTÃO A metamorfose organizacional Muito é discutido sobre a transformação das organizações hierárquicas em modelos em rede, cujo objetivo seria aumentar a cooperação para a gestão do conhecimento e, consequentemente, para a inovação. No entanto, Carmen Migueles, professora da FGV, defende que é preciso buscar um modelo híbrido, capaz de regular a organização por indicadores de qualidade da gestão, redistribuindo poder e autoridade, dando mais voz aos detentores de conhecimento e com novas formas de disciplina organizacional. Tal combinação só é possível com o desenvolvimento da cultura corporativa. Fonte: HSM Management, Julho-Agosto/2012  ACESSE A FONTE AQUI


P รกPgรกi gn ian|a4| 4

REDE DE MONITORAMENTO ALEXANDRE RINALDI | CAROLINA DOUEK | EDMAR BONFIM | GUSTAVO RIBEIRO | HELENA ASLAN | KARLA MONTEIRO | LAURA TEIXEIRA | LEO DE PAULA | MARIA CLARA BOTTINO | PEDRO LUCENA


Clipping Semanal de Monitoramento - Agosto/Sem4