Issuu on Google+

Missão Itália 2010, um retorno às origens A Associação dos Diários do Interior de Santa Catarina (ADI/SC), em parceria com a Associação Catarinense de Imprensa (ACI) e a Câmara de Comércio Italiana em Santa Catarina, promoveu, de 6 a 15 de novembro, uma Missão à Itália com o objetivo de estreitar laços editoriais e comerciais com os veículos de comunicação regional daquele país. Participaram da Missão dez diretores

de jornais regionais de Santa Catarina, liderados pelo presidente da ADI/ SC, Amer Felix Ribeiro, assim como o presidente da ACI, Ademir Arnon e a presidente da ADI Brasil, Margareth Cedraz Freire. Também compuseram o grupo, representando a Câmara de Comércio Italiana no Estado, seu vice-presidente, Mauro Beal, e seu secretário executivo, Antônio Muratore. A Missão contou ainda com a participação de Adriano Kalil e Alberto Rosa Neto, da Central de Comunicação, Osmar

Schlindwein, da Central de Notícias Regionais e Venceslao Soligo, da Associação de Imprensa Italiana no Brasil. A incursão do grupo pelo país começou por Roma, na segunda-feira (8) com um encontro na Uniocamere, entidade que congrega Câmaras de Comércio italianas de todo o mundo. Na ocasião foi promovido um workshop como temas ligados ao jornalismo regional no Brasil e as políticas de promoção da Itália no Exterior. Participaram deste evento

representantes de entidades como a União de Imprensa Italiana, a Agência Nacional de Imprensa e a Ordem Nacional dos Jornalistas da Itália. No mesmo dia foi realizada uma visita a sede da Ordem dos Jornalistas da Itália e ainda ao ‘Il Messagero’, quarto maior jornal do país. No dia seguinte a Missão seguiu para Vicenza, no Nordeste italiano. Ali visitou o ‘Il Giornale di Vicenza’, maior diário regional daquele município. Na quarta-feira (10)

pela manhã o grupo rumou para Veneza, onde participou de um workshop que abordou a evolução do jornalismo regional no Brasil, realizado na sede da Ordem dos Jornalistas do Veneto. Vários presidentes de entidades ligadas à imprensa italiana participaram desta atividade. À tarde representantes da Missão foram recebidos pelo presidente da Assembléia Legislativa do Veneto, Clodovaldo Ruffato. A quinta-feira (11) a Missão seguiu para

Verona, onde visitou o jornal ‘L´Arena Verona’, como também a rede de TV ‘Tele Arena’. Na sexta-feira (12), o grupo seguiu para Milão, onde se encontrou no consulado do Brasil com o embaixador Luiz Henrique Pereira da Fonseca. Em seguida visitou a revista Panorama Travel, a maior publicação editorial voltada para o turismo da Itália, e uma das maiores da Europa. No sábado (13) a Missão foi até Bergamo, onde visitou o jornal ‘Eco de Bergamo’.


Integrantes da Missão Associação dos Diários do Interior/SC Amer Felix Ribeiro Jornal da Manhã Criciúma/SC Presidente da ADI/SC Carlos Wagner Amorim Jornal Amorim Sombrio/SC Deolir de Souza Machado O Atlântico de Itapema Itapema/SC Carlos Henrique Agustini O Comércio Porto União/SC César Celeski A Gazeta São Bento do Sul/SC Cláudio José Schlindwein Município Dia a Dia Brusque/SC Isabel Baggio Correio Lageano Lages/SC João Paulo Ferreira O Perfil Rio Negrinho/SC Quirino Loeser O Tempo Araranguá/SC Rolando Christian Coelho Correio do Sul Sombrio/SC

Missão vai até a Unioncamere

O

primeiro compromisso da Missão Itália 2010 foi a participação em um workshop, realizado na Unioncamere, em Roma. A atividade teve como foco de discussão a atual realidade da imprensa brasileira e italiana. Além dos integrantes do grupo, que foram representados à Mesa pelo presidente da ACI, Ademir Arnon, e pelo presidente da ADI/SC, Amer Felix Ribeiro, participaram da atividade, dentre outros, o vice secretário da Unioncamere, Sandro Pettinato, e o diretor geral do Instituto Nacional de Turismo da Itália, Giovanni Antônio Cocco. O workshop contou ainda com a presença do deputado Fábio Porta, que

representa no Congresso de seu país todos os italianos e descendentes que moram na América do Sul. Curiosamente Fábio, que tem 44 anos e é sociólogo, reside em São Paulo com a família. Na ocasião Ademir Arnon

fez uma explanação concisa sobre a evolução da imprensa brasileira ao longo dos últimos anos. Ressaltou o emergente potencial econômico do país no setor de comunicação e projetou um cenário promissor

para um futuro próximo. “Estamos crescendo muito acima da média mundial. Se dizíamos ser o país do futuro, parece que o futuro finalmente chegou, e a imprensa está inserida neste contexto”, disse o presidente da ACI.

Il Mensagero:

O jornal que dobrou a quarta força italiana Silvio Berlusconi

Associação dos Diários do Interior do Brasil Margareth Cedraz Freire Presidente Folha do Estado Feira de Santana/BA Associação Catarinense de Imprensa Ademir Arnon Presidente Câmara de Comércio Italiana em SC Mauro Beal Vice-presidente Antônio Muratore Secretário Executivo Associação de Imprensa Italiana no Brasil Venceslao Soligo Presidente Central de Comunicação Adriano Kalil Diretor Presidente Alberto Rosa Neto Diretor Brasília Central de Notícias Regionais Osmar Schlindwein Diretor Expediente Informativo Missão Itália 2010 Jornalista Responsável: Rolando Christian Coelho - RP 1242/SC Tiragem: 5.000 exemplares

Q

uarto maior jornal da Itália, com uma circulação média diária de 350 mil exemplares, o ‘Il Mensagero’ foi o primeiro veículo de comunicação imprensa visitado pela Missão. Sediado em Roma, o diário mantém postura editorial independente, mas com tendência de oposição ao governo central. Em toda a Europa é comum jornais tomarem partido a favor ou contra governos. Embora tenha abrangência nacional, o ‘Il Mensagero’ tem a maioria absoluta de sua circulação restrita a região metropolitana de Roma, o que endossa, ainda que em grande escala, a idéia do jornalismo regionalizado.

No mesmo dia da visita ao jornal, a Missão foi recebida por Ennio Bartolotta, membro da Ordem dos Jornalistas da Itália, na sede da entidade. No país os jornalistas precisam passar por um exame da Ordem para se credenciar a exercer a profissão, como acontece com os advogados do Brasil em relação a OAB. Um grupo de integrantes da Missão, ligados especialmente às questões comerciais dos diários regionais, visitou ainda a agência ‘9Colonne’. Ali foram recebidos por Isabella Liberatori, que fez uma exposição detalhada sobre como se dá a relação entre as agências de publicidade e os jornais italianos.

E

m Vicenza a Missão visitou o ‘Il Giornale di Vicenza’, tendo sido recebida por um de seus diretores, Gionmaria Pitton. O veículo é um dos mais importantes da região do Veneto e vivia naquele momento um de seus instantes de glória editorial. Depois de uma série de reportagens sobre as enchentes que assolavam a região, a publicação conseguiu com que o primeiro ministro Silvio Berlusconi fosse até Vicenza verificar de perto a situação. A imprensa nacional, até então, simplesmente ignorava o fato. “Esta é uma prova do quanto os jornais regionais são importantes na Itália”, comentou Gionmaria.

Por coincidência, enquanto a Missão estava reunida com a diretoria do periódico, Berlusconi despachava com seus assessores no centro de Vicenza, já tomando providências que culminariam no dia seguinte com a liberação de 300 milhões de euros para a recuperação dos estragos causados pelas chuvas. Com uma tiragem média de 40 mil exemplares, o ‘Il Giornale di Vicenza’ impacta cerca de 250 mil leitores diretamente, em uma região que possui 800 mil habitantes. O índice de leitores é muito alto em toda a Itália, fruto de uma cultura de investimento constante nos sistemas de educação do país.


A opinião dos líderes da missão Amer Felix Ribeiro Presidente da ADI/SC

Margareth Cedraz Presidente ADI/Brasil

“Esta Missão me convenceu de que estamos no caminho certo. Observei que há uma tendência mundial na comunicação que converge para o jornalismo regional. Assim como no Brasil, na Itália vimos também que os grandes jornais estão perdendo cada vez mais espaço para a imprensa regional. Em seu conjunto, os jornais regionais italianos superam em muito a força que os grandes jornais do país tem. O Brasil também caminha para isto, pois os grandes veículos não conseguem mais atender as demandas locais, sejam elas editoriais ou comerciais. Acredito que a Missão foi uma catalisadora de convicções. Se havia alguma dúvida de que estamos agindo corretamente, de minha parte elas foram dirimidas. O jornalismo regional é o futuro da sociedade que quer estar bem informada e nós somos parte deste contexto”.

“Viemos atrás de experiência e fiquei com a nítida impressão de que estamos no caminho certo no Brasil. A exemplo dos veículos de comunicação regionais da Itália, nós também trabalhamos muito forte a questão da informação local, valorizando nossas comunidades e referenciando aquilo que nos é mais peculiar. Talvez nos falte ainda o aparato tecnológico que eles possuem, mas editorialmente, dentro de cada uma de nossas realidades, vi muitas similaridades. No entanto, não há nada que não possa ser aperfeiçoado. Penso que diante desta convicção italiana pelo jornalismo regional, devemos cada vez mais defender também este pensamento. A imprensa regional é a verdadeira defensora os anseios da comunidade. Eles já acreditam nisto há muito tempo. Talvez falte a nós acreditarmos um pouco mais”.

Mauro Beal Câmara de Comércio Italiana de Santa Catarina

Adriano Kalil Central de Comunicação

“Eu acredito que a Missão foi extremamente proveitosa em todos os sentidos. Conseguimos abrir as portas da imprensa regional italiana para a imprensa regional brasileira, e em especial à catarinense. Também ampliamos os horizontes no que diz respeito a intercâmbios que poderão ser formados entre a Itália e Santa Catarina em vários setores. Sentimos do presidente da Assembléia Legislativa do Veneto, Clodovaldo Ruffato, uma vontade muito grande de que haja um estreitamento destas relações, sejam elas institucionais ou comerciais. Santa Catarina começou um trabalho de aproximação com a região do Veneto em 1995, mas nos últimos anos ele deixou de ser fortificado. Eu acredito que a partir de agora haja uma reoxigenação nos esforços que possam nos manter mais unidos”.

“Esta Missão serviu prioritariamente para que tivéssemos noção real do que é o jornalismo regional na Itália, e por consequência na Europa. O que vimos foi uma imprensa regional forte, profissionalizada e estruturada, o que reafirma os princípios tanto da Associação dos Diários do Interior de Santa Catarina e do Brasil, quanto da Central de Notícias Regionais e da Central de Comunicação. Engajados, temos trabalhado no sentido de prover justamente o aumento de qualidade editorial e comercial nos jornais diários regionais que representamos. A partir de agora se abre também uma porta de entrada no continente europeu e, através de uma via de mão dupla, esperamos colher bons frutos desta relação que se inicia. As parcerias editoriais e comerciais são uma possibilidade real. O que precisamos agora é trabalhar neste sentido”.

Ademir Arnon Presidente da ACI “Eu percebo que a Missão abriu horizontes para os proprietários de jornais regionais de Santa Catarina, que encontraram na Itália tanto similaridades com os veículos de comunicação do país, quanto diferenças que poderão ser agregadas para a qualificação do jornalismo catarinense. Nota-se no jornalismo italiano um esmero muito grande no que diz respeito a qualidade gráfica de seu produto e isto sem dúvida chama a atenção de quem se depara com esta realidade. Os mecanismos de comercialização dos jornais italianos também tem uma lógica diferente da nossa e é outro ponto que acredito tenha se ressaltado aos olhos os integrantes da Missão. Foi também uma Missão de relações internacionais com resultados muitos positivos, tanto pela maturidade do grupo, quanto pelo alcance dos objetivos”.

Osmar Schlindwein Central de Notícias Regionais “Observei muitas similaridades entre a forma como fazemos jornalismo regional e a forma como os italianos fazem. Notei, no entanto, que eles parecem mais esmerados no que diz respeito à cobertura local e em especial no que diz respeito às questões esportivas. O esporte local e regional é muito valorizado na Itália, diferentemente do Brasil, onde valorizamos mais as questões esportivas estaduais e nacionais. Talvez, diante desta experiência, nós possamos refletir mais sobre como poderemos aperfeiçoar nossos jornais regionais, fazendo com que eles tenham cada vez mais empatia com o público leitor. Mas, de um modo geral, observei que o jornalismo regional é uma realidade cada vez mais premente no mundo. A população pode até estar preocupada com o que acontece na capital, mas quer saber mesmo é o que impactará sua rua”.


Veneza e Santa Catarina: relações mais próximas

C

om exposições de vários integrantes da Missão Itália 2010, foi realizado na sede da Ordem dos Jornalistas do Veneto, em Veneza, o workshop: “Evolução do jornalismo regional no Brasil”. Participaram do evento jornais regionais italianos como o ‘Gazzettino’, o ‘Il Messagero Veneto’ e o ‘La Nuova Venezia’. Várias instituições ligadas a imprensa e ao comércio do Veneto também estiveram presentes através de representantes. O presidente da ADI/ SC, Amer Felix Ribeiro, ressaltou a qualidade do jornalismo regional brasileiro, e em especial do catarinense, enfatizando que ele se confunde em seus objetivos com o jornalismo regional italiano, que é o de, essencialmente, ser o porta-voz dos anseios

da comunidade local. Para o diretor da Central de Comunicação, Adriano Kalil, o estreitamento de relações entre o Brasil e a Itália pode ir além da questão editorial, quando o assunto é mídia impressa. “O Veneto e Santa Catarina são pólos turísticos de reconhecimento mundial e uma parceira visando a divulgação mútua destes potenciais é algo que merece ser estudado”, comentou. Depois do workshop, representantes da Missão

Verona: comunicação regional integrada

estiveram na Assembléia Legislativa do Veneto, onde foram recebidos pelo presidente da Casa, Clodovaldo Ruffato. Na ocasião lhe foi entregue uma carta de intenções enviada pelo presidente da Assembléia Legislativa de Santa Catarina, deputado Gelson Merísio. Em sua correspondência, Merísio propôs um maior vínculo institucional e comercial, especialmente turístico, entre os dois Estados, iniciativa recebida com entusiasmo por Ruffato.

E

da edição do dia. “Nossa idéia é fazer com que as questões que envolvem o cotidiano de nossa cidade e região sejam sempre o assunto principal em todas as nossas mídias. Nós moramos na Itália, mas um bairro da minha cidade é muito mais importante para mim do que um bairro de Roma”, sintetizou o jornalista. A Missão visitou também a Rede de TV ‘Tele Arena’, onde se inteirou dos avanços tecnológicos pelos quais vem passando a Itália e a Europa como um todo, no que diz respeito a mudança de seu sistema de transmissão. Em poucos meses todas as Redes de TV italianas deverão estar transmitindo em sinal digital, caminho que também vem sendo seguido pelo Brasil.

Para o presidente da Assembléia Legislativa do Veneto, Clodovaldo Ruffato, o estabelecimento de uma maior ligação entre sua região e Santa Catarina é, antes de mais nada, uma questão de resgate histórico. “A grande maioria dos italianos catarinenses é oriunda do Veneto, e da região Nordeste e Norte da Itália como um todo. Temos que resgatar estes laços”, comentou. Ele também é um entusiasta das parcerias que podem ser formadas nos mais diversos níveis entre o Veneto e Santa Catarina. “Somos dois pólos turísticos, que podem trabalhar em harmonia, vendendo um a imagem do outro, sem prejuízo de ninguém. Quando aqui é verão, no Brasil é inverno, e

vice-versa. Precisamos amadurecer esta e

outras idéias”, enfatizou Ruffato.

Casinò di Venezia, uma honraria a parte A Missão Itália 2010 teve uma honraria que cabe a poucos grupos que visitam Veneza: ser recebida com um jantar pelos diretores do Casinò di Venezia, um dos mais famosos do mundo por sua tradição. Inaugurado em 1638, o Cassino está localizado em um palácio que remota a idade média, com artes e objetos datados do ano de 1500. Intermediada pela Câmara de Comércio Italiana em Santa Catarina, a visita ao Cassino oportunizou a Missão ter uma ampla visão de como é tratado o turismo na região do Veneto.

Milão, a cidade das Bergamo, a terra de oportunidades muitos catarinenses

E m Verona a Missão Itália 2010 pode constatar que o regionalismo na comunicação italiana vai muito além do jornalismo impresso. No município a Missão foi recebida no jornal ‘L’Arena Verona’ pelo diretor de redação Gabrielle Colleoni, que fez uma exposição sobre o modo integrado como trabalham as mais diversas mídias de seu grupo. O ‘L’Arena’ possui também uma TV e uma rádio, além de um portal na Internet, que agem integrados editorialmente, aumentando com isto seu peso informativo junto a sociedade. Na TV, por exemplo, são discutidos ao vivo os principais assuntos que foram notícia no jornal, em especial aqueles que fizeram parte da capa

Assembleias unidas em um futuro próximo

m seu penúltimo dia no país, a Missão Itália 2010 foi até Milão, capital da Lombardia, Estado vizinho ao Veneto. Ali visitou o Consulado do Brasil, sendo recebida pelo embaixador Luiz Henrique Pereira da Fonseca. O presidente da ADI/SC, Amer Felix Ribeiro, e o diretor da Central Notícias Regionais, Osmar Schlindwein, fizeram uma exposição de motivos em nome do grupo, que também se interou das atividades do Consulado através das colocações do diplomata. Luiz Henrique mantém o status de embaixador, ainda que responda hoje

como Cônsul, por já ter representado o Brasil nesta condição em outros países. Ainda em Milão, considerada uma das cidades que mais gera oportunidades a brasileiros na Itália, a Missão visitou a revista Panorama Travel, publicação voltada para o turismo, que demonstrou interesse em se aproximar editorialmente de Santa Catarina, “pelas belezas naturais e diversidade cultural que possui o Estado”, de acordo com o diretor da publicação, Giorgio Murè. Jornalistas da revista fizeram menção especial a Florianópolis, ressaltando os encantos da Ilha de Santa Catarina.

A

Missão à Itália 2010 encerrou sua incursão pelo país em Bergamo. Ali foi visitado o jornal ‘L’Eco di Bergamo’, um dos diários mais respeitados de toda Lombardia, pelo afinco como trata os temas ligados a sua região. O veículo tem como principal acionista a Igreja Católica, que, no entanto, de acordo com sua diretoria, não interfere na linha editorial do diário. A exemplo do ‘L’Eco di Bermago’, em toda a Itália os jornais regionais costumam pertencer a vários proprietários, podendo ou não haver um grupo majoritário. Bergamo, que é capital da província homônima, é berço de centenas de famílias catarinenses que emigraram, especialmente para o Sul do Estado, no século XIX. O ‘L’Eco di Bergamo’ tem uma tiragem diária de 54 mil exemplares, a maior dentre os jornais regionais visitados pela Missão. Sediado em um município com cerca

de 120 mil habitantes, ele atinge uma região de quase 1 milhão de pessoas. Para o diretor da Central de Notícias Regionais, Osmar Schlindwein, o afinco com que os jornais regionais da Itália tratam seus temas locais é uma das maiores lições que se pode tirar da Missão. “Nossos diários regionais também trilham este caminho, mas precisamos aprimorálo. Precisamos nos aproximar ainda mais de nossas comunidades, sendo sua voz em todos os momentos, como os jornais italianos são”, comenta.


Missao_Italia_ROLANDO