Issuu on Google+

AGOSTO / 2012

Informativo

C I PA

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Gestão 2012-2013

Presidente: Graziele Souza Pereira Vice-Presidente: Manoel Evandro Secretária: Juliana de Lourdes Titulares: Alisson J. Silva - Apolinario S. Silva - Suplentes: André Luiz - Camila de Paula - Cleunice Aparecida.

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA ATRIBUIÇÕES DA CIPA:

Manoel, Nathalia (Contrei), Juliana, Graziele, Camila e Alisson

O QUE É CIPA?

A CIPA é um instrumento que os trabalhadores dispõem para tratar da prevenção de acidentes e das condições do ambiente do trabalho e de todos os aspectos que afetam sua saúde e segurança. A CIPA é regulamentada pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) nos artigos 162 a 165 e pela Norma Regulamentadora 5 (NR-5), contida na portaria 3.214 de 08.06.78 baixada pelo Ministério do Trabalho. OBJETIVOS DA CIPA

O objetivo básico da CIPA é fazer com que empregadores e empregados trabalhem conjuntamente na tarefa de prevenir acidentes e melhorar a qualidade do ambiente de trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. ORGANIZAÇÃO DA CIPA

A CIPA é composta por representantes do empregador (indicados) e dos empregados (eleitos), em igual número, sendo composta de Presidente, Vice-Presidente, Secretário(a), Titulares e Suplentes.

• Identificar os riscos do processo de trabalho; • Elaborar plano de trabalho; • Realizar periodicamente verificação nos ambientes e condições de trabalho; • Realizar após cada reunião, a verificação do cumprimento das metas fixadas; • Divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho; • Divulgar e promover o cumprimento das Normas Regulamentadoras, bem como cláusulas de acordos e convenções coletivas de trabalho e normas internas de segurança relativas à segurança no trabalho; • Participar em conjunto com o SESMT da análise das causas das doenças e acidentes do trabalho e propor medidas de solução para os problemas identificados; • Promover, anualmente, em conjunto com o SESMT, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho - SIPAT; • Participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção à AIDS e outros programas de saúde; • Elaborar o Mapa de Riscos Ambientais por setor; • Participar das investigações e análises de acidentes; • Discutir nas Atas de Reuniões Ordinárias e colaborar no desenvolvimento e implementação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) e Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA). Fonte: http://www.cipa.uem.br/O_que_e_CIPA.php


Acidentes de trabalho e ACIDENTE DE TRABALHO É considerado acidente de trabalho aquele ocorrido no exercício de atividades profissionais a serviço da empresa (típico) ou no percurso “casa-trabalho-casa” (de trajeto). • Acidente típico: É aquele que ocorre no local de trabalho durante o exercício da função. Vale ressaltar que também são definidos como exercícios de trabalho os momentos destinados às refeições e a outras necessidades fisiológicas. Assim, qualquer acidente ocorrido nesses períodos será considerado acidente de trabalho. • Acidente de trajeto: Acidente ocorrido no trajeto entre a residência e o local de trabalho e vice-versa. Exemplo: O trabalhador sai de sua casa e dirige-se ao trabalho. Faz o caminho habitual e utiliza os meios usuais de condução, chega ao trabalho, executa suas atividades, almoça no refeitório da empresa, termina seu horário, toma condução e retorna à sua casa.

siona quebra de resistência do organismo do trabalhador e aparecimento de uma doença que não tem no trabalho sua causa única e exclusiva. Doenças do aparelho respiratório, por exemplo, estão entre os males que podem ter diversas origens e não somente o ambiente do trabalho. As tendinites também são difíceis de serem classificadas como doença do trabalho por esta mesma razão.

DOENÇA DO TRABALHO E DOENÇA PROFISSIONAL

• Doença profissional: É aquela que tem no trabalho a sua única causa e não deixa dúvidas sobre como foi contraída. Surge exclusivamente no ambiente de trabalho, em função de insalubridade. São exemplos a silicose, doença adquirida pela aspiração de poeira de pedra, ou o saturnismo, que acomete profissionais que trabalham com chumbo.

• Doença do trabalho: É resultante das condições sob as quais o trabalho é realizado. Oca-

DOENÇAS OCUPACIONAIS MAIS COMUNS Dentre as doenças mais comuns relacionadas ao ­trabalho estão: • Doenças originárias de movimentos repetitivos: LER (Lesão por Esforço Repetitivo), também conhecida por LTC (Lesão por Trauma Cumulativo) e por DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho). Exemplos: tendinite e tenossinovite.


e doenças ocupacionais • Doenças do aparelho respiratório: Podem ser • Depois de concluído o processo de reabilitação profissional, a Previdência Social emitirá ocasionadas por agentes físicos, químicos ou certificado indicando a atividade para a qual biológicos. Exemplos: bronquite e silicose. o trabalhador foi capacitado profissional• Doenças de pele: Podem ser ocasionadas por mente. fatores químicos, físicos e biológicos. Exem• A Previdência Social “Passamos a maior parte poderá fornecer aos plo: dermatite de contato e câncer de pele de nosso tempo no trabalho, por segurados recursos necessários ocupacional. isso é importante aprendermos materiais à reabilitação profiscomo prevenir acidentes de sional, incluindo próPROVIDÊNCIAS EM teses, órteses, taxas CASO DE ACIDENTES trabalho e doenças ocupacionais, de inscrição em cursos OU DOENÇAS preservando, assim, nossa saúde profissionalizantes, OCUPACIONAIS instrumentos de trae qualidade de vida.” A primeira providência balho, implementos profissionais e auxílios burocráti­­ca a ser tomada na ocorrência de acidente de trabalho ou na constransporte e alimentação. • O trabalhador vítima de acidente de trabalho tatação de uma doença ocupacional é a abertura da Comunicação de Acidente de Trabalho – CAT. terá prioridade de atendimento no programa de reabilitação profissional. Não há prazo míO formulário preenchido deverá ser entregue em uma Agência da Previdência Social. A emnimo de contribuição para que o segurado tenha direito à reabilitação profissional. presa é obrigada a informar à Previdência Social qualquer acidente de trabalho ocorrido com • Vale lembrar que o trabalhador que retorna às atividades laborais em posse do Certificado de seus funcionários, mesmo que não haja afastamento das atividades. Reabilitação Profissional poderá ser enquadrado na Lei de Cotas n.º 8.213/91. REABILITAÇÃO ESTABILIDADE PROFISSIONAL É um serviço da Previdência Social que tem o objetivo de oferecer aos segurados incapacitados para o trabalho (por motivo de doença ou acidente) os meios de reeducação ou readaptação profissional para o seu retorno ao mercado de trabalho. • O atendimento é feito por equipe formada por médicos, assistentes sociais, psicólogos, sociólogos, fisioterapeutas e outros profissionais.

Nos primeiros 15 dias de afastamento, o salário do trabalhador é pago pela empresa. Depois, a Previdência Social será responsável pelo pagamento, caso o benefício seja concedido. Enquanto recebe o benefício por acidente de trabalho ou doença ocupacional, o trabalhador é considerado licenciado. Após o retorno às atividades laborais, o mesmo terá estabilidade durante o período de 12 meses.

Fontes: 1. Previdência Social: www.previdenciasocial.gov.br - 2. Manual Prático de Saúde e Segurança do Trabalho Editora Yendis 3. Seg. e Med. do Trabalho - Normas Regulamentadoras - Editora Yendis - 4. Equipe médica Admix

A CIPA QUER OUVIR VOCÊ!

Para que você exponha suas idéias e nos ajude a fazer uma CIPA melhor, estão disponíveis na empresa caixinhas de sugestões. Participe!!!


Treinamento de Primeiros Socorros

Aconteceu no dia 25/06/2012, às 14:30 horas, o Treinamento de Primeiros Socorros da CIPA, ministrado pelo instrutor Alisson da Silva. O treinamento ocorreu no 3º andar do prédio sede do Diário do Comércio. Foram ressaltados os assuntos referentes a pronto socorrismo (prevenção de acidentes), as técnicas de reanimação, providências cabíveis para cada tipo de acidente que poderia ocorrer no DC, além das formas de se utilizar os equipamentos contidos na caixa de primeiros socorros que está sendo providenciada pela CIPA.

O objetivo deste treinamento é orientar e treinar os cipeiros para que os mesmos saibam agir em uma situação de urgência ou emergência, desenvolver competências para prestar auxílio imediato às vítimas de acidentes e mal súbitos, mantendo-a com vida até a chegada de auxílio competente, reduzindo complicações por atendimentos totalmente leigos e intempestivos. O treinamento foi encerrado às 18:00 horas, com os membros da CIPA cientes da importância desses seus conhecimentos para todos os outros colaboradores do DC. * Por Juliana Lourdes

Dicas de Segurança no Trabalho • A distração é um dos maiores fatores de

acidentes. Trabalhe com atenção e dificilmente se acidentará. • A oficina é lugar de trabalho. As brincadeiras devem ser reservadas para as horas de folga. • Seus olhos não se recuperam depois de perdidos. Use óculos protetores sempre que o seu trabalho exigir. • A pressa é companheira inseparável dos acidentes. Faça tudo com tempo para trabalhar bem e com segurança. • As suas mãos levam para casa o alimento para sua família. Evite pô-las em lugares perigosos. • Não deixe tábuas com pregos espalhadas pela oficina, porque podem ser causa de sérios acidentes. • Comunique ao seu chefe toda e qualquer anormalidade ou defeito que notar na máquina ou ferramenta que for utilizar.

• Não improvise ferramentas, procure uma que seja adequada para seu serviço.

• Lembre-se que você não é o único no serviço e

que a vida de seu companheiro é tão preciosa quanto a sua. • Utilize em seus trabalhos ferramentas em bom estado de conservação, para prevenir possíveis acidentes. • Não fume em lugares onde se guardam explosivos e inflamáveis. • Manda a lei que o seu patrão forneça os equipamentos de proteção que você necessita para o trabalho, mas você também está obrigado a usá-los, para prevenir acidentes e evitar as doenças profissionais. • Habitue-se a trabalhar protegido contra os acidentes. Use equipamentos de proteção adequados a seu serviço. Mais Dicas na próxima edição

Matérias pesquisadas e baixadas da internet por: Manoel, Juliana e Graziele. Fotos: Alisson J. Silva e Juliana Lourdes. Layout e diagramação: Manoel. Ilustrações: internet (Manoel). Mascotinho Cipa: Alline Cristina.


cipa-dc-1