__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Ano

8

|

Edição 049

|

Setembro / Outubro

2016

O mundo como mercado

Empresas catarinenses apostam na exportação como forma de driblar o cenário interno, colhem resultados e planejam novos projetos. Setembro / Outubro - 2016

|

1


2

|

Setembro / Outubro - 2016


Setembro / Outubro - 2016

|

3


4

|

Setembro / Outubro - 2016


Setembro / Outubro - 2016

|

5


Foto: Terezinha Bonfanti

EDITORIAL

Caro leitor,

O

Expediente

DIREÇÃO Andreia Thives Borges EDIT O R A- C H E F E TO Carla Pessotto - MTb 21692 - SP carlapessotto@gmail.com TEXT OS TO Carla Pessotto - MTb 21692 - SP Luciane Zuê - - MTb 00354 - SC DESIGN GRÁFICO Luciane Zuê PLANEJAMENT O PLANEJAMENTO

Andreia Thives Borges

EXECUTIV O EXECUTIVO

Andreia Borges Publicidade Ltda COMERCIALIZAÇÃO Andreia Borges Publicidade Ltda contato@revistaoempresario.com.br andreia.revista@gmail.com Paulo Della Pasqua paulo@virtualbrazil.com.br FONES (48) 9194 5350 TIRAGEM 8.000 exemplares

mês de setembro marca um novo momento no cenário brasileiro. Com o fim do processo de impeachment e a posse do presidente Michel Temer a expectativa é a de que a economia interna deixe o “ponto morto” e volte a acelerar, mesmo que não seja na velocidade que esperamos. Mas já é um início e realmente estou confiante que o pior ficou para trás e que a retomada de crescimento depende, sim, da atitude de todos, avaliando profundamente seus negócios e percebendo possibilidades de expansão. Esse novo olhar é o tema de nossa reportagem especial de capa: perceber o mercado externo como uma alternativa viável para novos negócios, mesmo para os micro e pequenos. Exportar pode ser mais simples do que parece, mas exige uma série de cuidados técnicos. Nessa matéria, trazemos exemplos de companhias de estudaram e planejaram esse caminho e estão colhendo resultados animadores. Outra boa notícia vem da construção civil, tradicional setor na geração de negócios e empregos. Os últimos tempos não têm sido fáceis, mas há um movimento para que o segmento retome a posição de destaque. Um exemplo são as novas regras para financiamentos de imóveis, editadas pela Caixa Econômica e que devem trazer novo fôlego para construtoras, incorporadoras e clientes. Ainda no assunto crédito, a Quantum e a Unicred Florianópolis se uniram para oferecer dinheiro mais barato para os empreendedores interessados em investir em energia fotovoltaica, gerada a partir da luz do sol, iniciativa que também atende a questão de sustentabilidade. Esses são apenas alguns exemplos de que diferentes companhias, de diferentes setores e portes estão fazendo um esforço para deixar para trás os momentos de incerteza e apostando, assim como eu, que a partir de agora, bons ventos irão soprar. Boa leitura!

6

|

Setembro / Outubro - 2016


índice

capa

08 construção civil 12 O mundo como mercado

Mais crédito para movimentar o mercado de moradias Residencial Fortalezas da Ilha, da Zita, reúne todos os atributos do bem morar Alumínio oferece características que garantem presença maciça em empreendimentos

28 urbanismo arquitetura & interiores 30 cases de negócios 32

Projeto prevê a criação de Parque e Marina na Beira-Mar Norte, na Capital

Da planta baixa à fachada, o importante é alinhar estética e funcionalidade.

Marcenaria Catarinense inaugura showroom com proposta diferenciada Brasil Shower aposta em conforto, qualidade e eficiência para conquistar clientes Espaço Quintal da Casa segue tendência mundial e une diferentes segmentos de negócio Cactus assume limpeza no Passeio Pedra Branca e o índice de aprovação cresce Restaurante Divina Salsa conquista público com receitas e atendimento Schneider oferece sistema para organizar todo o processo de gestão fiscal de empresas

50 coluna mercado 54 marketing tecnologia 56 60 energia Negócios & tendências

Koerich faz campanha milionária e reforça raízes com Santa Catarina

RD Summit 2016 terá como temas empreendedorismo, tendências e boas práticas

Unicred e Quantum oferecem linha especial para investimento em sistema fotovoltaico

Setembro / Outubro - 2016

|

7


CAPA

O mundo S

Exportar pode ser mais fácil do que se pensa, mas exige conhecimento técnico e planejamento

ó de ouvir falar em crise, o mercado

O mercado têxtil é uma prova dis-

já respira fundo: estamos, de fato,

so. Em 2015, números da Associação Bra-

todos enjoados de histórias tristes e

sileira da Indústria Têxtil (Abit) mostram

empresas passando por dificuldades.

que Santa Catarina foi o Estado que mais

Não existe passe de mágica que dê con-

exportou peças de vestuário. Respondeu

ta de tirar a lente do pessimismo do olhar

por 33,4% dos itens enviados ao exterior,

do empresariado brasileiro para o futuro.

à frente até de São Paulo, estado que his-

Mas existe, sim, uma forma de começar

toricamente detém a marca.

a enxergar oportunidades onde só se via

Há também empresas que utilizam a

descrédito: encarar o fato de que o mun-

exportação para uma estratégia chamada de

do é o seu mercado, o território onde você

hedge natural. “Funciona assim: a indústria

pode atuar.

importa insumos. Para minimizar os impac-

Essa mudança de olhar, de acordo

tos da variação cambial nos negócios, ela

com a especialista em Comércio Exterior

também exporta. Isso significa que, se hou-

e fundadora da UP Comex, de Blumenau,

ver um aumento súbito no dólar, ela gastará

Erica Debossan Reinert, é o que pode abrir

mais para comprar, mas também receberá

um novo horizonte para os negócios.

mais ao vender”, reforça Erica.

“Muitas empresas pensam no mercado

Ela destaca que o Brasil conquis-

internacional com um pouco de precon-

tou um espaço de credibilidade enquan-

ceito, achando que as ope-

to a economia esteve aquecida. “Muitas

rações são complexas. E

empresas de outros continentes que nun-

não são. Basta

ca tinham analisado o potencial do nosso

contar

com

mercado e acabaram o fazendo durante

conhecimento

os últimos anos. As indústrias nacionais

técnico e tratar

reagiram e passaram a apostar mais for-

os

8

|

como mercado

Setembro / Outubro - 2016

processos

temente no exterior, para onde levaram a

de maneira orga-

seriedade, a qualidade e as inovações

nizada”, diz.

das indústrias brasileiras para o mundo”.


É desta maneira, por exemplo, que

maior rentabilidade”, explica.

enxerga a Farbe. A indústria especializa-

Entre os produtos exportados

da em tecidos e malhas para moda fit-

para Argentina, Paraguai, Uruguai,

ness e íntima exporta 6% do faturamen-

Equador, Colômbia e Bolívia estão os

to. A produção total da marca é de 550

itens com tecnologia de proteção

toneladas ao mês nas unidades Indaial,

contra os raios UVA e UVB. “Este é

Atalanta e Blumenau.

um exemplo de item com alto índi-

Foto: Divulgação

Farbe aposta em valor agregado

Segundo o diretor de Mercado, Pau-

ce de procura nestes locais. É um

lo Cardim, o destaque nas vendas para

tecido com diferenciais agregadores,

fora do país são os tecidos tecnológicos.

que traz benefícios à saúde, já que o cân-

“Entendemos que, no mercado de tecidos

cer de pele cresce em incidência em todo

e malhas tradicionais, a competição por

o mundo”, explica Cardim. O Affix, produ-

preço acaba inviabilizando a exportação

to com aplicação de um emborrachado

para alguns países. Já quando tratamos

que aumenta a aderência quando a ativi-

de produtos com alta tecnologia e valor

dade exige que o praticante não escorre-

agregado, saímos na frente e conseguimos

gue, é outro destaque.

Paulo Cardim Diretor de Mercado da Farbe

Combate à pirataria é nicho da Ecotag A Ecotag, startup do setor de pro-

nos resultados: companhias da Colôm-

teção de autenticidade, tem menos de

bia já figuram entre as compradoras de

dois anos e já enxerga as possibilidades

lacres da Ecotag.

do mercado exterior. A empresa de

Junior Souza, fundador da startup,

Blumenau que produz lacres que garan-

diz que a pirataria atinge marcas de di-

tem a originalidade de produtos. A pro-

versos segmentos e em todos os países.

dução atual é de 3,5 milhões de unida-

“Dispositivos que ajudem à indústria a

des ao mês e esse número deve crescer

identificar os possíveis criminosos e os

em breve, com investimentos em

consumidores a garantirem a legalidade

maquinários já realizados.

do que estão pagando serão cada vez mais comuns, e nós saímos na frente com

são atendidas no Brasil – entre elas gran-

a produção escalonada, o atendimento di-

des exportadoras. Mas o mercado inter-

ferenciado e várias opções de lacres, que

nacional também impacta diretamente

vão desde o mais simples até opções Fotos: Blink Studios/Divulgação

Atualmente, mais de 100 marcas

resinadas”. A Ecotag já trabalha

também

numa

tecnologia inédita para identificação de produtos originais, que deve chegar ao mercado em 2017. Junior Souza Fundador da Ecotag Setembro / Outubro - 2016

|

9


CAPA

Fotos: Divulgação

Feiras

dão visibilidade e novos negócios para Elaiá

Bruno Hansen Fundador da Elaiá

No primeiro semestre, 60% da receita do estúdio

pas no próprio Brasil, com o ganho de

de estampas foram gerados com exportação

mando em receita: no primeiro semestre

Q

uando iniciou o projeto do Elaiá, Bruno Hansen acompanhava de longe os lançamentos da Première Vision, mai-

or circuito de tendências do mundo. Nunca passou pela cabeça do empreendedor que, menos de um ano depois do início da operação do estúdio brasileiro de design de estampas, ele estaria nas edições de Nova Iorque e Paris do evento. Muito menos que desenhos desenvolvidos pela sua equipe fossem selecionados pela curadoria da Première Vision como destaques para as coleções seguintes. O que poderia ser apenas um impulso para a comercialização das estam-

imagem do estúdio, acabou se transforde 2016, 60% do faturamento do negócio veio do mercado internacional. Entre as marcas atendidas por desenhos do Elaiá estão Ralph Lauren, Calvin Klein, Nicole Miller, PacSun, Tommy Bahamas e Robert Graham. No histórico da empresa, já há vendas registradas para Estados Unidos, França, Itália, Portugal, Inglaterra, Espanha, Índia, China e Peru. Bruno diz que as oportunidades geradas pelas seis edições da Première Vision onde o estúdio esteve foram ainda maiores do que aparentam os números. “Com contatos que fizemos lá, fechamos uma rede de representantes que atua conosco o ano inteiro em várias partes do mundo e conquistamos o respeito do mercado nacional. Além disso, entendemos que contribuímos para a autoestima do criador de moda local, que, ao ver uma estampa desenvolvida aqui no hall das inspirações para as coleções de todo o mundo, entende que o nosso potencial criativo pode, deve e vai alcançar novos patamares no mundo”, afirma. O Elaiá produz desenhos para estamparia voltados para a indústria de moda. Além dos tecidos propriamente ditos, as estampas criadas pelo estúdio já são utilizadas também em outros mercados ligados ao design, como papelaria e cerâmica.

10

|

Setembro / Outubro - 2016


CAPA

Aprendizado e estratégias

geram resultados Fakini, de Blumenau, muda foco no

exterior e prevê crescimento nas vendas

F

undada em 1994, a Fakini viu, aos

neira mais cautelosa e olhasse para o

poucos, o negócio se transforman-

mercado exterior como mais uma oportu-

do num lucrativo private label (pro-

nidade e não a única saída. “Nosso pri-

dução de marcas de terceiros) de peças

meiro ponto foi: não exportamos mais

exportadas. O dólar em estável alta levou

private label. As peças que a Fakini man-

a companhia a direcionar investimentos

da para países como Uruguai, Paraguai,

para este mercado. Até agosto de 2004,

Bolívia, Costa Rica e Chile têm a nossa

quando, em três meses, o preço da mo-

marca. Assim, conseguimos trabalhar

eda deixou a companhia em maus len-

melhor a nossa margem e tornar esse um

çóis: o que tinha sido negociado com o

negócio viável”.

dólar acima dos R$ 3,00 era recebido em

Outra estratégia utilizada para

dezembro com a cotação bem abaixo

rentabilizar as vendas no comércio exteri-

desse valor e, diariamente, variava nega-

or é uma análise profunda de mercado e

tivamente ainda mais.

uma equipe comercial atenta e acompa-

Mas a companhia de Pomerode

nhando constantemente as ações. “Hoje,

arregaçou as mangas e foi à luta. Com

somos mais certeiros: apostamos em

estratégias bem desenhadas – como a

países que tenham espaço para as nos-

utilização de licenciados, por exemplo,

sas marcas e em clientes que confiem

que segue até hoje – retomou o caminho

na tríade que sempre guiou os nossos

do mercado nacional e hoje conta com

passos: qualidade de produto, design

mais de 6,5 mil pontos de venda que

diferenciado e preço justo”, diz o executi-

absorvem a capacidade produtiva de 1

vo.

milhão de peças ao mês gerada pela Fakini.

Francis Giorgio F achini Fachini Diretor Comercial

A Fakini atua nos mercados infantil, juvenil e adulto. A exportação repre-

Em 2013, quase 10 anos depois da

sentou 1,55% do faturamento no primei-

situação complexa causada pela expor-

ro semestre de 2016 e o plano da com-

tação, a empresa voltou a olhar para os

panhia é de que esse índice fique próxi-

negócios internacionais com atenção. De

mo a 5% no médio prazo. Países como

acordo com Francis Giorgio Fachini, dire-

Equador, Panamá, México e nações do

tor comercial, os aprendizados vividos

Oriente Médio, estão sendo observados

pela companhia fizeram com que ela tra-

e analisados para o início de projetos de

balhasse a venda para fora de uma ma-

comercialização. Setembro / Outubro - 2016

|

11


CONSTRUÇÃO CIVIL

Mais crédito para movimentar o

mercado de moradias

S

CEF anuncia novas regras, que incluem imóveis de alto padrão e usados

12

|

uperar dificuldades econômicas com

chos e a medida da Caixa aponta para

certeza requer um conjunto de ações

uma retomada no setor. “O atual cenário

definidas pelos órgãos federais, pela

ainda é de dificuldades para o mercado

sociedade civil organizada e, claro, por

interno devido às restrições ao crédito (as-

uma população confiante e com crédito.

sociado às altas taxas de juros, tanto ao

Ao governo, gestor das políticas econô-

consumidor, quanto para o empresário)”,

micas, cabe, também, implementar me-

diz. “A queda da renda e o aumento do

didas de incentivo, como acontece agora

desemprego fizeram com que as vendas

com o mercado de imóveis.

desacelerassem, gerando menos receita

Em julho deste ano, a Caixa Econô-

em uma estrutura de custos já elevados.

mica Federal (CEF) anunciou novas regras

Apesar desse cenário, vimos com bons

para as empresas que fizeram lançamen-

olhos as manifestações do governo, ain-

tos e enfrentam dificuldades. E o objetivo

da que tímidas, o que sinaliza um hori-

é claro: fomentar o mercado de moradias.

zonte com perspectivas de retomada fu-

Entre as medidas, destaque para

tura”.

a duplicação do valor máximo dos imó-

Outras mudanças nas regras

veis passíveis de crédito, que passou de

implementadas pelo governo dizem res-

R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões, o que

peito a quem podem financiar. As empre-

evidentemente deve beneficiar o segmen-

sas que já venderam pelo menos 20% das

to de alto padrão. Na avaliação de Marco

unidades de um condomínio, apontando

Alberton, vice-presidente de Tecnologia,

assim a viabilidade do empreendimento,

Qualidade e Habitação e presidente em

podem obter o financiamento. O mesmo

exercício do Sinduscon da Grande

acontece com as empresas que já execu-

Florianópolis, este é um mercado de ni-

taram pelo menos 80% das obras de um

Setembro / Outubro - 2016


CONSTRUÇÃO CIVIL

empreendimento e que necessitam garantir crédito aos compradores finais. De acordo com Alberton, outras

Ambiente favorável para comprador

medidas em conjunto estão sendo toma-

As mudanças nas regras

das, como o aumento da parcela de fi-

de financiamento divulgadas pela

Entretanto, esta mudança,

nanciamento dos imóveis por meio do

Caixa Economia Federal são inte-

promovida pela CEF poderá incen-

Sistema de Financiamento Imobiliário

ressantes, mas, por si só, insufi-

tivar outros agentes financeiros a

(SFI), que regula a participação de insti-

cientes para restaurar o cresci-

mudar a sua política de crédito,

tuições financeiras ou não nas operações

mento da construção civil, no cur-

além de trazer notícias com sinal

de financiamento de imóveis. “Para imó-

to prazo. “As medidas foram anun-

positivo para o setor. “Consideran-

veis usados, a cota de financiamento su-

ciadas de maneira isolada, e o seg-

do-se que a Caixa é a maior

biu de 60% para 70% do valor total. Para

mento esperava ansioso por me-

financiadora do mercado imobiliá-

a compra de um imóvel novo, construção

didas acessórias medidas relevan-

rio, avaliamos que esse pode ser

em terreno próprio, aquisição de terrenos

tes, como maior facilidade do pú-

um primeiro e importante passo

e reforma ou ampliação, a cota passou

blico para acessar o financiamen-

para uma futura retomada”, ressal-

de 70% para 80%: Essa mudança é tam-

to, menos burocracia e taxas de

ta Alberton, destacando que nes-

bém positiva, pois cria um melhor ambi-

financiamento mais atrativas” opi-

te momento existe um ambiente

ente de negociação entre as partes, faci-

na Marco Alberton, presidente em

de negociação favorável ao com-

litando a negociação e reduzindo o inves-

exercício

prador, com ótimas oportunidades

do Sinduscon.

de compra e com preços atra-

timento próprio inicial dos compradores”,

tivos”. A tendência é que

ressalta. A CEF, que é o maior agente do fi-

com a entrada de novos

nanciamento imobiliário, também assegu-

produtos no mercado te-

rou a abertura de linhas de crédito de até

nhamos valores e a reto-

R$ 10 bilhões para o financiamento de

mada

dos

preços

obras de construtoras e incorporadoras.

normalizados”, finaliza.

A questão é como o mercado vai se comportar a partir dessas novas regras.

Reflexos no varejo de material de construção

do que o varejo de material de construção encerre o ano com um crescimento de 3 a 5% sobre o faturamento de R$ 115 bilhões registrado em 2015.

As mudanças implementadas pelo governo fede-

Cerca de 54% lojistas que participaram da pes-

ral nas regras e limites do financiamento para a constru-

quisa demonstraram otimismo com as ações do Gover-

ção civil devem gerar reflexos positivos não apenas para

no nos próximos 12 meses e 64% acreditam que recu-

as construtoras, mas também nos segmentos que tra-

perarão parte das vendas já no mês de setembro.

balham com insumos para a área.

E ponto positivo para a região Sul - a pesquisa

Uma pesquisa mensal da Associação Nacional dos

da Anamaco indicou que, juntos, os estados de Paraná,

Comerciantes de Material de Construção (Anamaco) re-

Santa Catarina e Rio Grande do Sul registraram cresci-

velou que o varejo de material de construção teve um

mento de 8% nas vendas de materiais de construção.

crescimento nos meses de maio a agosto deste ano 8%

Na região Centro-Oeste o desempenho foi estável, e

superior ao registrado no mesmo período de 2015. E as

Norte e Nordeste tiveram queda de 6% e 9%, respecti-

perspectivas para a Anamaco são promissoras, preven-

vamente.

Setembro / Outubro - 2016

|

13


CONSTRUÇÃO CIVIL

Um luxo só

Residencial Fortalezas da Ilha, lançamento da Zita, reúne todos os atributos do bem morar

P

restes a entregar um empreendimento diferenciado, que trouxe à região central da Capital o que há

de mais completo no conceito dos home clubs - o

Residencial Dungenheim - a Zita Empreendimentos Imobiliários surpreende novamente, lançando projeto que reúne o privilégio de um endereço exclusivo, a elegância da arquitetura contemporânea e o cuidado apurado com todas as etapas de um projeto - características que a construtora imprime em todos os seus lançamentos: o Residencial Fortalezas da Ilha, empreendimento composto por duas torres independentes - Forte de Santa Cruz e Forte de Sant’Ana - que combinam a deslumbrante paisagem da Beira-mar e o charme da Rua

14

|

Setembro / Outubro - 2016


CONSTRUÇÃO CIVIL

Bocaiúva, e têm previsão de entrega para junho e novembro de 2019, respectivamente. O conceito é diferenciado e inspirado na força e tradição das fortalezas históricas que no passado protegeram a Ilha de Santa Catarina e ainda hoje chamam atenção pela engenharia e detalhes construtivos. Erguido com frente para a Beira-mar Norte, o Forte de Santa Cruz foi concebido para realizar sonhos, seja nas áreas de uso comum - que disponibilizarão a seus moradores itens que combinam luxo e

atualidade

-

ou

nas

unidades

residenciais, que exploram ao máximo a amplitude de espaço nas áreas sociais, e a privacidade e o conforto nas áreas íntimas. Além dos tradicionais ambientes de uso comum já incorporados aos empreendimentos da Zita - espaço gourmet, playground, academia e piscina - o empreendimento agrega, ainda, outros benefícios, que podem ser apontados como mimos, projetados para garantir o bem viver aos moradores: espaço kids´baby care, sala de jogos, bicicletário com acesso independente, espaço office e ecopoint para recarga de carros e bicicleta elétricos. Sintonizado com o endereço, o projeto do Forte de Santa Cruz reúne uma Setembro / Outubro - 2016

|

15


CONSTRUÇÃO CIVIL

16

|

serie de equipamentos que estimulam o

íntimas, o aconchego é garantido pelo

conceito da vida com saúde e ao ar livre:

laminado de madeira, de qualidade dife-

as piscinas (adulto - com borda infinita e

renciada. Além dos 15 pavimentos com

prainha - e infantil) são interligadas ao zen

duas unidades, o Forte de Santa Cruz

spa, reforçando a proposta de pool club.

possui ainda uma cobertura, com mais

Espaço saúde (ambiente externo com

de 500m² de área privativa, amplo terra-

equipamentos para a prática de exercíci-

ço e piscina.

os) e mirante complementam a proposta

Com entrada pela tradicional rua

e encantam os clientes já nas primeiras

Bocaiúva, o Forte de Sant’Ana segue o mes-

análises do projeto.

mo conceito de sua torre-irmã, a partir do

Os apartamentos merecem uma

qual conforto, sofisticação e modernidade

descrição especial: são duas unidades

se unem, para garantir comodidade, lazer e

por andar (com 249,54 e 250,7 m² de

bem viver para toda a família.

área privativa), nos quais as amplas sa-

Com apartamentos de aproximada-

las e sacadas e as três suítes com vista

mente 140 m² de área privativa, ambien-

para o mar chamam atenção. Nas áreas

tes sociais integrados, amplas sacadas

sociais, o porcelanato garante a sofisti-

com churrasqueira e lavabo, o Forte de

cação que a planta requer, e nas áreas

Sant’Ana foi pensado para quem gosta

Setembro / Outubro - 2016


de conviver com espaço, sem abrir mão

empreendimento a qualidade que

da privacidade reservada aos ambientes

sempre imprimimos aos nossos

íntimos. As soluções apresentadas pelas

projetos, buscando unir conforto,

plantas são primorosas, assim como os

estética, funcionalidade, moder-

detalhes de acabamento.

nidade e eficiência. com

Aqui, a ideia é que, dos lu-

385,66m² de área privativa, um confortá-

xuosos halls de entrada com pé

vel terraço e piscina com prainha comple-

direito duplo que apresentam as

tam a torre com refinamento e elegância.

duas torres, ao conforto e privaci-

Nas áreas de uso comum, exceto

dade de qualquer uma das suítes

pelo mirante, uma versão própria dos

e recantos dos apartamentos, nos-

mesmos equipamentos disponibilizados

so cliente sinta, em todas as etapas e

aos moradores do Forte de Santa Cruz:

momentos, o prazer de viver bem”, con-

bicicletário, ecopoint, espaço office, pis-

clui Orlando Koerich Neto, da Zita Empre-

cina adulto e infantil, salão gourmet, baby

endimentos Imobiliários.

Uma

ampla

cobertura,

care, espaço kids, playground, sala de jogos, academia e espaço saúde. “A assinatura da Zita garante a este

ONDE ENCONTRAR www.zita.com.br

SAIBA MAIS Forte de Santa Cruz Endereço: Beira Mar Norte Características das unidades: 249,54 m² e 250,7 m² de área privativa; Três suítes com vista para o mar; Até quatro vagas de garagem, com hobby box. Cobertura com 506,78 m² de área privativa / terraço com 143,45m²/ deck com 51.10m² Forte de Sant’Ana Endereço: Rua Bocaiúva Características das unidades: 136,78 m², 138,44 m² e 139,11 m² de área privativa; Três suítes; Duas ou três vagas de garagem, com hobby box. Cobertura com 385,66 m² de área privativa / terraço com 127,51m², com deck. Previsão de entrega: Forte de Santa Cruz: Junho de 2019 Forte de Sant’Ana: Novembro de 2019.

Setembro / Outubro - 2016

|

17


OPINIÃO

Sinduscon 35 anos: uma trajetória é a palavra do setor da construção civil deConfiança lutas e vitóriBrasil seja planejado e conSabemos que o setor as cretizado com auxílio do seformal da construção civil passa por uma situação de reestruturação, onde é preciso competência, qualidade e criatividade para manter o ritmo das obras e aquecer a economia brasileira. O segmento é um dos termômetros dessa economia, sendo um dos primeiros setores a ser afetado pela crise, mas também dando sinais de melhora e recuperação rapidamente. A pesquisa da sondagem da indústria realizada pela Federação da Indústria do Estado de Santa Catarina (FIESC) em relação à confiança dos empresários do setor ao crescimento e retorno de investimentos, mudou seu eixo de queda para rota de subida, sinalizando uma melhora futura e crescente, com a possível retomada dos investimentos. Um importante passo para o setor formal foi dado na manhã do dia 11 de agosto, oportunidade em que junto com o vice-presidente de comunicação e associativismo, Aliator Silveira, e o empresário Roberto Deschamps, representamos o Sinduscon da Grande Florianópolis junto à FIESC, participando de uma cerimônia com o presidente Michel Temer. O encontro, organizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e governo federal, foi marcado pela participação de centenas de representantes de Sinduscon’s e empresários do setor formal da construção civil de todo o Brasil, além de trabalhadores e centrais sindicais. Um evento bem organizado, onde apresentamos uma pauta de reivindicações com os principais temas relativos ao setor, como: redução dos juros, tornando-os mais atrativos para o segmento; posicionamento contrário a qualquer aumento de impostos; desburocratização das instituições que atendem o setor; medidas de controle com redução dos gastos públicos; dentre outras. Essa pauta foi entregue ao presidente Temer, por meio do presidente da CBIC, José Carlos Martins. O presidente ficou sensibilizado com as necessidades do segmento e propôs que o futuro do

18

|

Setembro / Outubro - 2016

tor formal da construção civil. Inclusive, ele formalizou uma proposta para criação de um fórum permanente, que se reunirá a cada 45 dias, com a presença dos representantes do setor da construção civil, ministros e o próprio presidente, construindo e acompanhando uma agenda positiva à indústria da construção civil. A bancada federal catarinense esteve representada pelo deputado federal Edinho Bez, que recepcionou empresários e representantes de entidades catarinenses no evento, reforçando a relevância do setor para a economia nacional. Participaram ainda da cerimônia o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, ministro das Cidades, Bruno Araújo, ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Ochi, além de deputados, senadores e outras autoridades. O deputado Edinho Bez também participou conosco da reunião-almoço, que ocorreu após o evento no Palácio do Planalto, e também contou com a presença dos ministros. Posso afirmar que essa viagem a Brasília foi de extrema importância para que pudéssemos sentir mais confiança no atual cenário político-econômico do Brasil, pois durante o almoço, o ministro Eliseu Padilha apresentou uma visão atual da econômica do país e as dificuldades enfrentadas, fazendo algumas proposições de melhoria e encaminhamentos positivos para o futuro. Nós, representantes do setor da construção civil, reiteramos nosso total apoio ao presidente Michel Temer, quanto às medidas necessárias a serem realizadas, acreditando sempre na recuperação da economia, na retomada dos níveis de emprego, nos estímulos aos investimentos do país e na força que representa a indústria formal da construção civil. Marco Aurélio Alberton Presidente em exercício do Sinduscon da Grande Florianópolis


Setembro / Outubro - 2016

|

19


CONSTRUÇÃO CIVIL

Espaços corporativos Beco Castelo faz campanha para negociar últimas unidades em empreendimentos comerciais

R

econhecida no mercado imobiliário pelos seus empreendimentos residenciais, que con-

quistam o público devido a projetos bem desenvolvidos, com cuidado apurado na distribuição dos ambientes, utilização de itens de sustentabilidade e moderna tecnologia construtiva, desde 2012 a Beco Castelo vem aplicando seu knowhow construtivo também em empreendimentos comerciais, disponibilizando ao público a mesma qualidade, senso estético e infraestrutura já consolidados

em

seus

produtos

residenciais. A aceitação superou as expectativas da empresa, e a Beco chega ao segundo semestre de 2016 com poucas unidades - entre salas comerciais, lojas e andares corporativos - ainda disponíveis para comercialização em seus três empreendimentos comerciais, todos localizados na região do Estreito e já entregues.

20

|

também investidores, e agora entramos

"Felizmente, apesar de quaisquer

em uma campanha para comercializar as

dificuldades impostas pela retração eco-

últimas unidades disponíveis em cada um

nômica que o país experimentou, tivemos

deles", explicou Elídia Franke, gerente de

uma taxa de concretização de negócios

vendas da Beco.

bastante positiva em nossos empreendi-

Considerado um ícone empresarial

mentos voltados para o segmento comer-

do bairro Estreito, na região continental de

cial. Conseguimos conquistar clientes e

Florianópolis, o Centro Executivo Impera-

Setembro / Outubro - 2016


CONSTRUÇÃO CIVIL

respeito a recursos tecnológicos e itens de conforto, como sistema de nobreak central, CPD com sistema de refrigeração, alarme de segurança e controle de acesso em todas as salas, que são 100% mobiliadas e climatizadas. Localizado no coração comercial do bairro, o A&A Philippi Business Center conjuga beleza, inovação e infraestrutura diferenciada. Inspirado - tanto tecnologicamente quanto visualmente - nos prédios mais inovadores do mundo, o empreendimento da Beco Castelo reúne o que há de mais atual em tecnologia da construção de centros de negócios da atualidade. triz é destacado pela gerente como uma

O empreendimento disponibiliza 3

excelente oportunidade para investimen-

andares corporativos, com área privativa

tos. São 11 salas disponíveis (todas com

de 1.094,96 m² e área total de 1.526,96

garagem) em um edifício que oferece uma

m², com 18 garagens .O empreendimen-

infraestrutura diferenciada. Além do mo-

to conta itens de modernidade, seguran-

derno sistema de acesso controlado, que

ça, sustentabilidade e conforto, que inclu-

agrega segurança ao imóvel, o Centro Exe-

em gerador próprio, infraestrutura para con-

cutivo possui sala de conferências, quatro

trole de acesso por cartão magnético sa-

elevadores, e sistema de cabeamento em

las de diretoria e salas de reuniões , cozi-

todas as salas. Os clientes podem contar

nha e espaço para descanso dos funcio-

com o estacionamento rotativo do super-

nários, além das mais diversas salas para

mercado - o que facilita a questão do aces-

instalação de uma empresa.

so -, e têm acesso a um amplo espaço

"O que a Beco quis oferecer aos cli-

com lojas de serviço e praça de alimenta-

entes foi a possibilidade de adquirir imó-

ção. "São benefícios que agregam muito

veis comerciais planejados com o mes-

valor ao imóvel, seja ele adquirido para

mo cuidado que sempre imprimimos aos

utilização ou investimento", explica Elídia.

nossos imóveis residenciais, com bene-

No caso do edifício comercial Osni

fícios que vão ao encontro das necessi-

Régis, a construtora ainda tem disponí-

dades e desejos das pessoas, e a res-

veis salas no primeiro andar e as lojas do

posta foi positiva. Reforçamos o conceito

térreo. São ao todo 15 salas mobiliadas,

de que investir em um empreendimento

incluindo recepção, área de T.I., sala de

da Beco Castelo corresponde a aplicar o

reuniões e cozinha. Com excelente locali-

seu capital em um imóvel com valoriza-

zação e facilidade de acesso, o edifício

ção garantida", finaliza ElídiaFranke.

fica próximo à beira mar Continental, e foi pensado para oferecer aos proprietários

ONDE ENCONTRAR

o que há de mais moderno no que diz

www.becocastelo.com.br Setembro / Outubro - 2016

|

21


CONSTRUÇÃO CIVIL

Liderança

na preferência Alumínio oferece características que garantem presença maciça em empreendimentos

B

asta uma conferida rápida nos mais recentes empreendimentos da construção civil e temos acesso a uma serie

de novidades, seja em design, tecnologia construtiva ou materiais de acabamento. Mas enquanto as novidades ganham cada vez mais espaço, um material continua sendo merecedor da preferência de boa parte das construtoras e clientes finais, consolidado em sua posição de destaque tanto pela qualidade e características, quanto pela funcionalidade e facilidade de manutenção: o alumínio. Não é por acaso: com vida útil bastante superior a boa parte dos demais materiais utilizados, o alumínio pode ser considerado um dos materiais mais du-

22

|

Setembro / Outubro - 2016


CONSTRUÇÃO CIVIL

ráveis da construção civil. Além disso, é

alumínio, a Alcoa atua no Brasil há mais

imune a fungos, cupins e não sofre corro-

50 anos.

são se submetido à presença de

Material de grande versatilidade o

poluentes, e mantém suas características

alumínio se adapta perfeita e facilmente

de acabamento inalteradas com a expo-

a empreendimentos com variados tipos

sição às intempéries do tempo. E, para

de acabamento, estilo arquitetônico ou

completar: corresponde a uma serie de

recursos construtivos, seja para uso em

exigências que se busca quando a pala-

esquadrias ou desenvolvimento de facha-

vra-chave é a sustentabilidade do materi-

das, e são adaptáveis a quaisquer dimen-

al e das construções: é reciclável, pro-

sões de vãos. “Os perfis de alumínio pos-

porciona economia já na fase de instala-

suem uma configuração elegante, e por

ção devido à sua leveza, permite isola-

isso integram-se de forma harmoniosa à

mento acústico e térmico e aceita materi-

construção, e de acordo com os acessó-

ais e sistemas de acabamento que vão

rios e modelos as esquadrias possuem

ao encontro desta exigência cada vez

regulagem

mais comum atualmente.

exaus-tão e controle de luminosidade dos

precisa

de

ventilação,

“São características que permitem

ambientes, agregando valor financeiro e

que o alumínio se encaixe perfeitamente

conforto aos empreendimentos. Permi-

nas necessidades e exigências de proje-

tem, inclusive, adequação à decoração

tos que têm como objetivo a obtenção da

interna das unidades, e com isso, obtém-

certificação LEED, um sistema utilizado

se a valorização dos imóveis em que ele

em 143 países e que tem como intuito

é empregado” afirma a arquiteta Mariana

incentivar o desenvolvimento de projetos,

Coelho.

obras e modalidades de operação de

Segundo ela, como o alumínio tem

empreendimentos e edificações, sempre

fácil manipulação e graças à qualida-de

com foco na sustentabilidade”, explica

dos materiais disponíveis atualmente é

Cíntia Figueiredo – Coordenadora de Pro-

possível produzir esquadrias mesmo de

jetos da Alcoa. Uma das três maiores em-

formas não usuais, o que acaba abrindo

presas no mundo que trabalham com o

novas perspectivas de design de fachaFotos: Divulgação

Setembro / Outubro - 2016

|

23


CONSTRUÇÃO CIVIL

sejam alcançados na utilização dos produtos, a Stylo disponibiliza um serviço de consultoria técnica, por meio do qual seus clientes podem contar com amparo não apenas para o desenvolvimento dos projetos e processo de instalação, mas também ter acesso às especificações diferenciadas para o uso dos diferentes modelos de esquadria e tipologia de recursos para das e adequação à decoração de interiores.

“Questões de ventos, temperatura Esta característica também é uma

e variações climáticas e de luminosidade

das responsáveis pela ampliação das pos-

diferenciada como as que temos em nos-

sibilidades de utilização do alumínio na

so Estado demandam escolhas na hora

construção civil. Dados da Associação

de se optar por um ou outro modelo. E

Nacional de fabricantes de Esquadrias de

essas escolhas precisam ser bem orien-

Alumínio (Afeal) dão conta que entre os

tadas para que as esquadrias alcancem

quatro materiais utilizados neste segmen-

todo o seu potencial quando forem insta-

to - aço, alumínio, PVC e madeira - são

ladas”, complementa Steinmetz.

de alumínio os caixilhos que apresentam

A apresentação de novos recursos

os melhores índices de crescimento em

e inovações para que as esquadrias de

sua utilização.

alumínio tenham sua performance ampli-

Se questões relacionadas à isola-

ada são uma constante no mercado. Um

mento térmico, acústico e estanqueidade

exemplo é o sistema Contact. Desenvol-

podem gerar dúvidas junto aos clientes,

vido pela Alcoa e utilizado tanto em por-

a qualidade na fabricação e observância

tas quanto janelas, o sistema permite um

das normas técnicas na instalação e uso

melhor isolamento acústico. Para uma

de materiais e processos são garantia de

esquadria ser classificada como desem-

bons resultados. “Quando bem projeta-

penho A (superior) segundo a norma NBR

das, fabricadas e instaladas de forma

15.575 ela precisa atingir um índice de

adequada e com respeito às determina-

redução sonora maior ou igual a 30

ções da Associação Brasileira de Normas

decibéis.

Técnicas (ABNT), nossas esquadrias e

Comparativamente, uma janela de

caixilhos apresentam elevadíssimo de-

correr 2 folhas com persiana integrada

sempenho, inclusive no que diz respeito

da Nova Gold – com sistema Contact e

à pressão dos ventos”, garante Gilberto

vidro laminado de 6 milímetros isola,

Steinmetz, da Stylo Alumínio, empresa

aproximadamente, 39 decibéis, enquan-

sediada em Palhoça com mais de trinta

to uma janela do mesmo padrão da

anos de experiência na fabricação de

tipologia de correr tradicional barra 22

esquadrias de alumínio.

decibéis. Ou seja: conforto - e qualida-

E para garantir que tais resultados

24

|

cada diferente utilização.

Setembro / Outubro - 2016

de - ampliados.


CONSTRUÇÃO CIVIL

Alcoa disponibiliza linhas diferentes para usos específicos Empresa atuante em toda a cadeia produtiva do alumínio, a Alcoa amplia a qualidade das esquadrias de alumínio desenvolvendo linhas variadas para diferentes tipos de construções. A aplicação pode variar não apenas de acordo com padrão e projeto arquitetônico, mas também levando em consideração localização e objetivo da construção. Destacam-se: LINHA EXTREMA Solução para projetos de envidraçamento estrutural em esquadrias de portas e janelas. Inovadora no seu segmento, a linha extrema permite que o projeto tenha esquadrias com maior área envidraçada em sua parte externa, proporcionando um visual livre de marcações e mais liberdade na criação de projetos arquitetônicos. Além disso, os perfis aparentes na parte interna possuem formas mais arredondadas e ergonômicas. LINHA INOVA Sistema destinado ao segmento residencial de médio e alto padrão, foi desenvolvida a partir de formas geométricas diferenciadas. Os perfis principais de manuseio têm linhas curvas, proporcionando conforto em sua utilização. Apresenta como principais características a enorme variedade de tipologias e opções construtivas. LINHA GOLD IV Oferece diferentes tipologias, proporcionando eficiência, leveza e modernidade ao sistema projetado. Des-

taca-se pelo excelente desempenho estrutural, e pela absoluta estanqueidade ao ar e água. A Linha Gold IV é perfeita para grandes vãos, comporta vidros de até 20 mm de espessura ou vidros duplos, que oferecem melhor desempenho térmico e acústico, possui perfis com cantos arredondados, com aspecto moderno e harmonioso. NOVA LINHA GOLD Voltada para o segmento residencial de bitola 30 mm, a Nova Gold foi desenvolvida para disponibilizar tecnologia e inovação, com possibilidades de configurações diferenciadas. São três versões distintas para as principais tipologias, que podem ser fabricadas com os mesmos perfis, com design único e desempenho superior.As versões são: Nova Gold T radicional - Oferece para todas as Tradicional tipologias tradicionais design arrojado e componentes que aliam desempenho e praticidade de montagem. Nova Gold Contact - Exclusiva para tipologias de correr, utiliza os mesmos perfis da Nova Gold Tradicional, porém com componentes especiais que oferecem um altíssimo desempenho acústico à esquadria. Nova Gold+ - Desenvolvida também para tipologias de correr, traz uma série de vantagens para o fabricante e para o consumidor, como por exemplo o exclusivo fecho no marco, menos alumínio aparente, custo competitivo e leveza.

SAIBA MAIS A NOV ACT SUPERA ESSE VAL OR EM TTOD OD AS AS SUAS NOVA CONTACT ALOR ODAS A GOLD CONT TIPOLOGIAS TIPOLOGIAS

DIMENSÃO (MM)

ESPESSURA DO VIDRO

Rw

(MM)

Janela de correr 2 folhas

1400 x 1400

6

33db

Janela de correr

1400 x 1400

10

34 db

1400 x 1400

6

39 db

1400 x 1400

6

39 db

Janela de correr 2 folhas com persiana integrada

QUANTO ÀS TIPOLOGIAS - Durante muitos anos o mercado deu preferência pelas esquadrias de correr de dois ou três planos, especialmente para os dormitórios. Hoje, já se observa o crescimento das integradas em edifícios residenciais de médio e alto padrão; - Outra opção interessante são as oscilo-batente – abrir para dentro e tombar na parte superior -, tipologia ainda recente no país, muito ao gosto dos arquitetos e adotadas em obras de alto padrão. - Para as áreas de serviço, cozinha e banheiro as tipologias mais adequadas são a maxim-ar (reversíveis ou não) e a pivotante.

Janela de correr 2 folhas c/ persiana int. c/ motor

QUANTO ÀS INOVAÇÕES Entre as mais recentes inovações tecnológicas, estão:

Janela de correr 2 folhas com persiana integrada com motor (pers. aberta)

1400 x 1400

6

32 db

- Motorização dos caixilhos, com operação por botoeira ou controle remoto;

Porta de correr 2 folhas

2000 x 2300

10

33 db

- Isolamento termoacústico através de perfis com thermobreak (dois perfis de alumínio que agregam, internamente, um perfil de poliamida, garantindo ao conjunto melhor desempenho termoacústico);

2000 x 2300

10

37 db

- Anodização com aspecto de aço inoxidável, alternativa interessante por seu custo muito menor do que o do próprio inox.

Porta de correr 2 folhas com persiana integrada

Fonte: Alcoa

Setembro / Outubro - 2016

|

25


26

|

Setembro / Outubro - 2016


Setembro / Outubro - 2016

|

27


Vocação marítima

U

m novo projeto para implantar uma

tura, que selecionou a proposta

marina em Florianópolis está em an-

desenvolvida pelas equipes dos

damento: tramita na Câmara de Ve-

escritórios de arquitetura ARK7

readores projeto do Executivo para a cri-

Projeto prevê a criação de Parque e Marina na Beira-Mar Norte, na Capital

28

|

Imagens computadorizadas mostram como deve ficar área após a implantação do projeto, que tem custo estimado de R$ 88 milhões e ainda depende do lançamento do edital de licitação

Fotos: Divulgação

URBANISMO

e JA8.

ação do Parque Urbano e Marina Beira-

“É um projeto conectado

Mar Norte. Depois de aprovado, deverá

com a cidade e a análise que o

ser lançado o edital licitação, sendo que

fundamentou envolveu outras

a obra tem um custo estimado de R$

áreas de lazer e espaços públi-

88 milhões e o vencedor terá o direito

cos de Florianópolis”, explica o

de explorar a área por 30 anos. Não há

arquiteto Giovani Bonetti, sócio

previsão de prazos para início e entrega

da ARK7, com os também ar-

das obras.

quitetos Marcos Jobim e Silvana

O projeto prevê a ocupação de 320

Calevaro. “O parque vai irradiar soluções

mil m² na Baía Norte, sendo 850 metros

para toda a orla da Baía Norte e seu en-

paralelos à avenida e cerca de 400 metros

torno”, acrescenta Jobim. “A cidade res-

mar adentro, divididos em quatro gran-

sente-se de espaços públicos, em espe-

des áreas: Praça da Água, Praça Central,

cial de áreas interativas com o mar”, ob-

Praça do Mar e uma marina com vagas

serva Silvana Calevaro. Para Juliana Cas-

públicas e privadas. O local de implanta-

tro, da JA8, o parque é acessível, diversi-

ção, seus equipamentos e outras deman-

ficado e abrangente – o que proporciona-

das foram definidos em edital da Prefei-

rá o uso da população em larga escala.

Setembro / Outubro - 2016


SAIBA MAIS Praça da Água  Trapiche para a saída e chegada de escunas de turismo / translado de turistas náuticos e transporte marítimo (área de espera com cobertura);

tennis, pista de skate, ringue de patinação, um grande e diversificado playground;  Lâmina d’água com jato d’água;  Lojas e salas para startups e empreendimentos relacionados com o setor náutico;

 Rampa pública para baixar ou subir barcos e outros equipamentos náuticos;

 Quatro pontos de circulação, promovendo a conexão com as outras áreas do Parque;

 Palco flutuante;

 Estacionamento subterrâneo para 500 carros;

 Quiosques de informações turísticas;  Posto médico e posto policial;

Escola de Vela e garagem de barcos (irão envelopar a Estação de Tratamento da Casan);

 Lanchonete;

 Estacionamento para os ônibus de turismo;

 Banheiros;

 Central de resíduos limpos;

Espaço para a Feirinha de Artesanato;  Playground;

Praça do Mar

 Quiosques de café, sorvetes, de sucos e produtos naturais etc;

Espaço para eventos (o piso é plano e adaptável e a vegetação é dispersa);

 Espelho d’água: possível uso para lazer (pedalinhos, stand up, caiaque etc.) e apropriado para descanso e contemplação;

Píer flutuante para uso exclusivo em eventos;

Praça Central  Restaurante panorâmico;  Edifício de apoio da Marina, com aproximadamente 800 m², com subsolo, térreo e 1º andar. Terá loja de conveniências, café e lounge. A estrutura de serviços no subsolo contempla banheiros e vestiários, para o público e marinheiros, além de contêineres para as lojas e cafés e similares;  Quadras de esporte – vôlei de praia, beach

 Mesinhas para xadrez e piqueniques;  Pet place. Marina  Três quebra-mares asseguram o mar calmo em seu interior; Todos os píeres são ‘flutuantes’ (sustentáveis); 60 vagas de uso público; Outras cerca de 600 vagas para uso privado;  Posto de combustíveis; Píer central para carga e descarga e/ou embarque/desembarque.

2016 Setembro / Outubro - 2015

|

29


ARQUITETURA & INTERIORES

Da planta baixa à A

O importante é alinhar estética e funcionalidade.

Ernando Zatariano e Carina Beduschi Arquitetos

decisão de projetar e construir uma

vido respeitando o dia-a-dia dos morado-

nova casa é uma escolha que passa

res e as suas necessidades específicas.

por diversas etapas, que irão influen-

Esta análise da funcionalidade é realiza-

ciar diretamente na nova rotina da famí-

da com a definição da planta baixa dos

lia. Tudo começa pela escolha do terre-

pavimentos onde deve aparecer, além da

no, que deve passar por uma análise crí-

compartimentação dos ambientes, a dis-

tica quanto à localização, topografia, via-

tribuição de todo o mobiliário.

bilidade e até em relação às característi-

A relação dos volumes em planta

cas físicas do solo – acredite, este último

baixa e as suas respectivas alturas vão

item pode se transformar em uma gran-

desenhando a fachada da edificação. É

de dor de cabeça e até duplicar o valor

neste momento que o arquiteto dá vida

final da sua obra.

ao projeto, alinhando todas as necessi-

Após a aquisição do terreno, com

dades funcionais com uma composição

a segurança de estar acompanhado por

estética dos elementos de fachada. Hoje,

um corretor de imóveis habilitado e um

com os recursos de maquete eletrônica,

engenheiro ou arquiteto, começa a fase

é possível simular este resultado com

de planejamento. É hora de colocar tudo na ponta do

Na residência projetada pelos arqui-

lápis, como o investimento

tetos da IVVA Arquitetura, a planta baixa

previsto, a relação dos am-

apresenta uma clara setorização: toda a

bientes, a descrição dos

área social e de serviços encontra-se no

mobiliários e equipamentos

pavimento térreo, reservando o pavimen-

e qualquer informação re-

to superior para a área íntima. A disposi-

levante para concepção do

ção do layout de mobiliário permite um

projeto.

claro entendimento da funcionalidade e

É importante que o novo projeto seja desenvol-

30

|

Setembro / Outubro - 2016

perfeição.

do uso do espaço. Já na fachada, a proposta contem-


ARQUITETURA & INTERIORES

fachada

Fotos: Divulgação

pla linhas retas e telhado escondido, re-

que algumas janelas sejam executadas

metendo a uma arquitetura contemporâ-

até o limite da laje, trazendo leveza à pro-

nea. As platibandas e os volumes foram

posta.

marcados com um cinza grafite, compondo com os revestimentos amadeirados do portão da garagem e beiral. Com o uso de vigas invertidas, foi possível fazer com

Carina Beduschi e Ernando Zatariano são os arquitetos sócios da IVVA, que atua com elaboração de projetos arquitetônicos de edificações e interiores. contato@ivva.com.br ou (48) 3240 0646.

Setembro / Outubro - 2016

|

31


CASE DE NEGÓCIOS

Projetos

sob medida Marcenaria Catarinense inaugura showroom com proposta diferenciada

P

roduzir "móveis sob medida com economia e qualidade", é assim que Analy da Silva Motta define a

filosofia de trabalho da Marcenaria Catarinense, empresa que atua há oito anos no mercado do mobiliário, e que em outubro apresenta ao público o seu novo espaço de atendimento comercial. "Estamos em um momento especial da empresa, e este espaço comercial representa, ao mesmo tempo, a disponibilização de um completo show room para nossos clientes, que, na definição dos projetos, visualizam e têm acesso aos recursos oferecidos, como modelos de ferragens, acabamento dos móveis, padrões de MDF, modelos de portas com perfis diferenciados, etc", conta Analy, que ao lado do irmão, Jean Ricardo da Silva dirige a empresa. É uma proposta diferenciada. Assim, reunindo parceiros tradicionais no fornecimento de matéria prima e materiais de acabamento, e trazendo para o grupo novos fornecedores que ampliam a gama de produtos disponibilizados aos clientes, a Marcenaria Catarinense aperfeiçoa a apresentação de elementos complementares ao projeto do mobiliário. Projeto este, que tanto pode ser fornecido pelo cliente como desenvolvido pela equipe da empresa, sem que isso correspon-

32

|

Setembro / Outubro - 2016


Fotos: Divulgação

da a um custo a mais para o interessado.

possível estruturar, independen-

O modelo de gestão adotado - que

te de dimensões, ambientes

prevê a manutenção de um estoque dife-

bem acabados e funcionais.

renciado - possibilita uma boa margem

Esta característica repe-

de negociação junto a fornecedores, e

te uma prática diferenciada que

com isso a Marcenaria Catarinense pode

a

ofertar preços diferenciado no nicho de

adota,que tem como objetivo

móveis sob medida. Além disso, a em-

inserir o cliente na realidade do

presa visa atender ao público que costu-

projeto. Sempre que desenvol-

ma adquirir móveis em lojas de planeja-

ve uma proposta, a equipe pri-

dos/modulados, que assim têm acesso

meiramente monta os móveis

a móveis sob medida, seguindo um pro-

na fábrica, seguindo as medidas reais do

jeto desenvolvido especialmente para

ambiente em que serão inseridos. "Assim,

atender suas necessidades e ideais, com

a pessoa consegue não apenas visualizar

o selo de uma empresa que alia experi-

o projeto, mas sentir-se dentro dele, per-

ência, bom gosto e qualidade em sua pro-

cebendo dimensões, espaços disponíveis

dução. "Sabemos que as escolhas no mo-

e apresentação final. Só depois disso é

mento de definir mobiliário e decoração

que os móveis serão montados na casa

de uma casa correspondem a uma for-

do cliente", explica Analy.

Marcenaria

Catarinense

ma de externar um sonho. E graças ao

De acordo com Jean, esse cuidado

nosso trabalho e as parcerias que esta-

reflete uma preocupação da empresa em

belecemos, conseguimos fazer com que,

relação à satisfação dos clientes, que se

no que diz respeito aos móveis sob me-

estende ao período do pós-venda. "Damos

dida em MDF, estes sonhos encontrem

muita atenção a todas as etapas do nos-

limite apenas na vontade e possibilidade

so negócio: queremos encantar o cliente

de cada um", explica Jean.

que entra em nossa empresa, atender às

A proposta do espaço comercial

expectativas de quem escolhe nossos pro-

configurado como um verdadeiro mostru-

dutos e deixá-lo plenamente satisfeito com

ário ambientado, coloca puxadores, cor-

o resultado da aquisição", finaliza.

Analy da Silva Motta e Jean Ricardo da Silva Diretores

rediças, dobradiças e recursos técnicos e de projeto ao alcance dos olhos e das

ONDE ENCONTRAR

mãos dos interessados e mostra que é

www.marcenariacatarinense.com.br Setembro / Outubro - 2016

|

33


34

|

Setembro / Outubro - 2016


Setembro / Outubro - 2016

|

35


OPINIÃO

Sinduscon 35 anos: uma trajetória e visão conduzem uma boa gestão deAtitude lutas e vitórias Alguns gestores se acostucom os desafios que surgem evenmam à tranquilidade e à segurança de uma posição consolidada no mercado, acreditando que a experiência de anos, ou mesmo uma visão particular a respeito dos temas são suficientes para fazer com que tudo caminhe nos trilhos, sem surpresas. Mas não devemos - e não podemos nos enganar com estas ideias, porque o mercado é muito dinâmico, e este fato, por si só, já se configura como um enorme desafio para o gestor. Uso sempre este espaço para fazer provocações e estimular a busca de alternativas para as empresas de nosso segmento. Queremos formar um segmento com cada vez mais e mais empresas fortes, responsáveis e competentes, que destaquem positivamente o setor perante as avaliações do público. Insisto na questão de que, sem estratégia, sem planejamento, sem atenção ao nível operacional e às competências da equipe de trabalho é muito difícil fazer com que uma empresa navegue tranquila por quaisquer mares, mesmo os mais turbulentos. Precisamos nos tornar cada vez mais competitivos, porque é este comportamento que garante a dinamicidade do mercado, e é isso que queremos: um mercado dinâmico e cada vez mais ampliado. Sejamos realistas: competitividade e concorrência não decretam o fim de empresas. Rivalidade, sim, é uma coisa negativa. E como planejar ações e ser competitivo para dar fôlego ao mercado – e, como consequência, nós mesmos? Não existem fórmulas rápidas de sucesso e nem modelos milagrosos de gestão, mas acredito que a partir dos recursos internos da empresa e utilizando nossas próprias experiências e conhecimentos, poderemos encontrar caminhos sólidos e lidar

36

|

Setembro / Outubro - 2016

tual e normalmente. Vale considerar algumas linhas de ação. Sempre estimule a qualificação de sua equipe comercial. Afinal, nada como o conhecimento amplo a respeito dos processos e produtos da empresa para garantir uma boa argumentação comercial. E preste atenção: a qualificação precisa compreender não apenas a venda, mas também o pós-venda, que se apresenta como um dos grandes problemas no quesito insatisfação dos clientes. Otimize os recursos que dispõe. Saiba identificar e incrementar a atuação e o uso de seus recursos humanos e materiais. Horários de trabalho, manutenção e modernização de equipamentos entram nessa avaliação. Pratique uma gestão objetiva. Estimule, sempre, a diversidade de opiniões e a participação de seus colaboradores na definição de processos, mas não permita que isso comprometa a agilidade na tomada de decisões. Agilidade e equilíbrio. Esteja sempre atento a problemas e oportunidades. É normal que vez por outra uma etapa de nosso processo produtivo ou administrativo apresente problemas. Não encare isso como uma “cultura enraizada” na empresa. Aja pontualmente, fale, ouça, comunique-se de forma eficaz. Admitir problemas e promover mudanças quando necessário, é sinal de sabedoria e maturidade empresarial. Nada de conformismo gerencial. Que estas dicas nos ajudem a ser cada vez mais competentes e competitivos! Orlíndio da Silva - Presidente do Sindicato das Indústrias do Mobiliário (SIM Grande Florianópolis)


Setembro / Outubro - 2016

|

37


Novo sentido ao banho CASE DE NEGÓCIOS

Brasil Shower aposta em conforto, qualidade, eficiência e sustentabilidade para conquistar clientes

A

primeira sensação de quem visita o showroom da Brasil Shower - empresa pioneira na comercialização de

chuveiros verticais em Florianópolis - é o encantamento. Localizado no Shopping

38 38

|

Casa e Design, na Rodovia SC 401 - o

racterísticas dos jatos são variados. Aço

espaço foi cuidadosamente projetado

inox, bambu, alumínio e PVC criam diver-

para expor as peças de bom gosto e qua-

sas possibilidades de adequação à de-

lidade, com design sofisticado e tecnolo-

coração do ambiente, e as direções e

gia diferenciada que a importadora apre-

potência

senta ao mercado.

“massageiam” o corpo durante o banho,

dos

nanojatos,

que

“Foram dois anos de pesquisa, vi-

provocam diferentes efeitos nas pesso-

agens, contatos, visitas a fábricas e de-

as, tanto sob o ponto de vista do bem

senvolvimento do projeto de comercia-

estar físico quanto do emocional. “As sen-

lização de um produto que, embora já

sações de prazer e assepsia que um chu-

esteja consolidado no mercado europeu,

veiro da Brasil Shower proporciona são

ainda é pouco conhecido e difundido no

especiais, e quem experimentar não vai

Brasil”, explica o empresário Felipe An-

querer outra coisa. É um novo sentido

netta, proprietário da Brasil Shower. Para

para o momento do banho”. garante.

colocar o projeto em prática, ele adquiriu

Embora ainda nova, a loja tem ob-

peças produzidas na Ásia (empresas de

tido resultados bastante expressivos, re-

origem alemã e chinesa), onde são tam-

gistrando cerca de 70% de negócios con-

bém montados os 16 modelos que che-

cluídos, evidenciando uma característica

gam ao Brasil com o selo “Brasil Shower”

que para o empresário significou uma

e certificações de garantem eficiência,

surpresa: a maior parte das decisões de

sustentabilidade e qualidade.

compra foram tomadas pelos homens.

Annetta escolheu pessoalmente os

E, enquanto que no atual cenário

16 modelos que comercializa. Todos têm

econômico brasileiro, muitas empresas

basicamente as mesmas funções, mas

preferem colocar o “pé no freio”, a Brasil

o design, materiais de acabamento e ca-

Shower desenvolve um intenso trabalho

| Setembro / Outubro Setembro / Outubro - 2016- 2016


CASE DE NEGÓCIOS

Vendas online no projeto de expansão Para Felipe Annetta, em uma escala de valores para equipar e decorar uma casa, os chuveiros não ocupam lugar de destaque, uma vez que os clientes normalmente pensam primeiro em papel de parede, móveis e até objetos de decoração. “Mas posso assegurar que quando os clientes vêm ao showroom, esses conceitos começam a ser questionados”, afirma. “A Brasil Shower é, sim, uma empresa muito competitiva. É importante destacar que, no nosso caso, somos o único intermediário que existe entre a construtora e o fornecedor primário”, completa. Com isso, o produto apresenta um excelente custo-benefício. Comparativamente, chega a custar pelo menos três vezes menos que os produzidos pelos concorrentes, destacando-se em relação à qualidade e design. “E são peças que agregam muito valor ao imóvel”, argumenta. Além disso, um dos diferenciais da importadora em relação aos seus concorrentes diretos é a forma de trabalho, uma vez que a aquisição inclui a instalação do produto, o que, de acordo com Annetta, nenhuma outra empresa consegue fazer. Para a instalação dos chuveiros em residências é necessário que o local tenha um sistema de aquecimento (gás, boiler ou energia solar) e a instalação de um pressurizador, ainda não fornecido, mas também instalado pela Brasil Shower. E para quem se preocupa com o consumo de água, ele esclarece que, proporcionalmente, os chuveiros que comercializa utilizam cerca de 30% do volume consumido por um chuveiro comum. Felipe Annetta Proprietário

Além de atuar em Santa Catarina, a Brasil Shower comercializa seus produtos também no Paraná, São Paulo, Rio

para consolidar seu espaço no segmento

de Janeiro, Mato Grosso e Rondônia, mas as perspectivas são

da construção civil (especialmente junto

ampliar ainda mais o mercado, abrindo negócios com lojas

a construtoras), onde qualidade fala alto,

multimarcas interessadas, e para isso, Annetta já está desen-

mas considerar custos é fundamental. Se-

volvendo um projeto para vendas online, o que deve tornar o

gundo Felipe Annetta, a empresa tem

produto mais acessível. “O showroom foi fundamental para

demonstrado fôlego para se posicionar

mostrar aos clientes que somos uma empresa bem estruturada,

bem.

com confiabilidade e responsabilidade, mas as vendas online são um caminho natural e uma opção para levar a Brasil Shower

ONDE ENCONTRAR

a um número maior de pessoas”, conclui.

www.brasilshower.com.br Setembro // Outubro Outubro -- 2016 2015 Setembro

||

39 39


CASE DE NEGÓCIOS

Tudo junto

Fotos: Luis Felipe/Divulgação

e misturado

Espaço Quintal da Casa segue tendência mundial de unir diferentes segmentos de negócio em cafeterias

D

e acordo com o Relatório Interna-

de permanência do consumidor no local,

cional de Tendências do Café, ela-

contabiliza o empresário Jean Alphonse.

borado pelo Bureau de Inteligên-

Ele fechou suas duas lojas no formato tra-

cia Competitiva do Café, a hibridação de

dicional e passou a utilizar o café como

negócios é uma forte tendência entre as

vitrine para os móveis da marca. A em-

cafeterias no mundo. Com operações di-

presa é a primeira loja de móveis de San-

versas, o Quintal da Casa importou esta

ta Catarina situada dentro de um café,

novidade para Florianópolis. O espaço,

onde o consumidor pode experimentar as

instalado em um casarão construído nos

mesas, cadeiras, chaise e outros itens e

anos 1950 em Santo Antônio de Lisboa,

encomendá-los. Esse formato já apare-

concentra a doceria retrô Dona Ciclana, a

ceu no mercado paulista e do Rio de Ja-

linha de cafés especiais O Ciclano, a loja

neiro, mas no Estado ainda é novidade.

Amazonia Móveis e ainda pode ser locado para eventos privados. No alto, Chef confeiteiro Thiago Ribeiro e Jean Alphonse. Abaixo, ambiente interno: multiespaço para reduzir custos e potencializar vendas

“Com o cenário de crise econômica no país, a rentabilidade vinha apresentan-

A ideia de implantar múltiplas ope-

do queda e, com a unificação de múlti-

rações em um só espaço é uma alternati-

plas operações no Quintal da Casa, na

va para vencer o mercado competitivo,

Amazonia Móveis o volume de venda se

combinando conceitos. Além disso, a

estabilizou, com a vantagem de ter diluí-

decisão de investir em um multiespaço

do os custos fixos com outras ações de

ajudou a reduzir em 50% os custos da

negócio”, afirma Alphonse. “Esperamos re-

loja Amazonia, ampliando ainda o tempo

tomar o crescimento até o início de 2017”. O empreendedor formatou o conceito do Quintal da Casa com o sócio e chef confeiteiro Thiago Ribeiro. É ele que dá sabor aos pratos e proporciona bemestar no ambiente do café, com cadeiras, mesas, espreguiçadeiras e outros itens conhecidos por aliar sustentabilidade e comodidade, graças ao design diferenciado da marca Amazonia. ONDE ENCONTRAR www.facebook.com/quintaldacasa eventos

40

|

Setembro / Outubro - 2016


Setembro / Outubro - 2016

|

41


CASE DE NEGÓCIOS

A

cada mês, a administração do Passeio Pedra Branca - situado na Cidade Criativa Pedra Branca - reali-

za uma pesquisa de opinião junto aos 39 lojistas que atuam na área, levantando índices de aprovação e avaliação - com notas de zero a dez - sobre questões relacionadas aos serviços e ao suporte disponibilizados para o funcionamento dos estabelecimentos. Desde que a prática foi instituída, há cerca de dois anos, o item “limpeza e conservação” recebia dos usuários uma avaliação mediana, estacionada na nota sete, mas esta realidade começou a ser modificada em março, quando a Cactos Limpeza e Conservação assumiu o serviço.

Padrão

na limpeza

Cactos assume o trabalho no Passeio Pedra Branca e o índice de aprovação cresce Fotos: Divulgação

Já no primeiro mês a satisfação dos lojistas ficou evidente e a nota subiu para nove. Mas, para os sócios Rafael Rodrigues e André Stevanato, responsáveis pela Cactos, antes ainda de ser considerado motivo de comemoração, este fato corresponde a um compromisso ainda maior. “Claro que ficamos felizes com o resultado, mas o que nos move é fazer cada vez melhor, e estamos trabalhando para merecer e receber o dez”, conta Rodrigues. Empresa com larga experiência em serviços de limpeza - inclusive pesada e pós-obra - e conhecida pela utilização de produtos biodegradáveis e pelo emprego de um sistema que proporciona economia de água em todos os seus serviços, a Cactos passou a integrar o quadro de lojistas do Passeio Pedra Branca há pouco mais de um ano, quando instalou no local uma lavação de carros. A oportunidade de ampliar a oferta de serviços e, ao mesmo tempo, estabelecer um padrão de limpeza que resultasse em maior satisfação aos lojistas e usuários do espaço chegou quando a administração do Passeio buscava um novo

42

|

Setembro / Outubro - 2016


parceiro para o serviço. Segundo a coordenadora do Passeio Pedra Branca, Clarice Mendonça, era um momento de transição de parceiros e a ocasião foi satisfatória para a mudança. “Elaboramos uma proposta amparada no conceito ecológico que adotamos em nossos serviços, e com base naquilo que imaginávamos ir ao encontro das necessidades e desejos dos lojistas”, explica Stevanato. E deu certo. “A Cactos veio até nós com uma proposta muito interessante, e a expertise da empresa em conservação de ambientes já era reconhecida. Conseguimos coordenar as ideias dos dois lados, estabelecer um olhar global e alcançar uma maior aproximação com o que os lojistas esperam dos serviços que oferecemos”, acrescenta Clarice. ONDE ENCONTRAR www.ecocatos.com.br

Campanhas para conscientizar usuários Num primeiro momento, a equipe da Cactos decidiu atender a demanda normal dos serviços e, simultaneamente, partir para a resolução de problemas pon-

André Stevanato e Rafael Rodrigues Sócios

tuais, apontados nos questionários de avaliação. Com

o que possibilita resultados imediatos em caso de algu-

uma equipe de quatro funcionárias, dividida em dois tur-

ma necessidade especial. E nossa filosofia de trabalho é

nos, a Cactos promove a limpeza no Passeio no horário

totalmente sintonizada com o conceito preconizado pela

das 9 às 18h, de segunda a segunda, e obteve um

proposta da Cidade Pedra Branca. Toda a água utilizada

feedback positivo já em seu primeiro mês de avaliação.

na limpeza é de reúso de chuva, numa prática totalmente

Pesaram na avaliação não apenas a melhora na aparên-

sustentável “, diz.

cia geral do ambiente, mas sobretudo a assepsia

Em busca da nota dez - que tem na verdade o sig-

alcançada, indispensável em um local que tem grande

nificado de ampla aprovação dos serviços - os sócios con-

circulação de crianças e animais de estimação. Segun-

sideram que sempre há o que melhorar, e a proposta ago-

do Rodrigues, os dois pontos a mais na nota alcançada

ra é trabalhar para melhorar a conscientização dos mora-

mostraram que o caminho escolhido estava certo.

dores e usuários do Passeio Pedra Branca em relação à

“Além de estarmos capacitados para realizar ser-

responsabilidade de cada um no processo de manuten-

viços de limpeza e conservação com qualidade e efici-

ção da limpeza. “Vamos fazer campanhas com temas es-

ência, deixando os ambientes bem conservados e agra-

pecíficos e encarar os desafios que surgem sempre com

dáveis de se viver, o fato de estarmos instalados no Pas-

propostas executáveis e sustentáveis. Temos certeza que

seio faz com que a comunicação seja extremamente ágil,

as surpresas serão sempre positivas”, finaliza Rafael.

Setembro / Outubro - 2016

|

43


CASE DE NEGÓCIOS

Sucesso no prato Divina Salsa, na Pedra Branca, conquista público com receitas e atendimento

A Saly e Adilson Proprietários

44

|

Antes de abrir efetivamente o Divina Salsa - restaurante especializado em frutos do mar que desde março funciona no Passeio Pedra Branca - Saly e o marido, Adilson José Pereira, decidiram assumir o estabelecimento e avisar os cli-

paixão pela culinária e o dom de

entes que a casa iria fechar para reforma

cozinhar bem a acompanham des-

, reabrindo em alguns dias, com uma pro-

de a infância, mas até bem pouco

posta totalmente diferenciada.

tempo, apenas a família e os amigos po-

Esta primeira experiência à frente de

diam desfrutar dos pratos que Saly

uma cozinha apresentou a Saly as surpre-

Goedert Pereira preparava. Habituada a

sas e dificuldades que o negócio poderia

cozinhar para um grande número de pes-

ter. No lugar do número de almoços diári-

soas nas festas e reuniões familiares – e

os que o estabelecimento servia, o salão

elogiada por todos pelos pratos e pelo

recebeu o dobro de clientes, ‘quebrando’

tempero “caseiro e especial”-, guardava

completamente o planejamento inicial. “O

para si aquela vontade de “quem sabe

coração bateu rápido. O desafio havia sido

um dia” ter um negócio próprio relaciona-

lançado e os desafios vencidos. Senti que

do à culinária.

era realmente isso que queria fazer”.

A oportunidade surgiu há pouco

A despeito de todas as dificulda-

mais de cinco meses quando, estimula-

des iniciais – formar uma nova equipe,

da pelo marido e por um

elaborar o cardápio completo e estabele-

amigo que tinha acabado

cer um sistema de trabalho que combi-

de provar um delicioso ca-

nasse dinamicidade e harmonia no am-

marão na moranga prepa-

biente – já são quase seis meses de ple-

rado para um “trivial” almo-

no funcionamento, conquistando novos

ço de sábado, Sally deci-

clientes a cada dia e formando um públi-

diu largar um emprego es-

co fiel e cativo. “Recebemos clientes que

tável e concretizar o proje-

almoçam aqui diariamente desde a inau-

to. “Passei um mês ama-

guração, que moram na Ilha e nos visi-

durecendo a ideia e crian-

tam todas as semanas”, explica a chef.

Setembro / Outubro - 2016

do coragem para realizar

O segredo? Para ela, além dos pra-

uma mudança tão grande.

tos oferecidos e do tempero pessoal que

E, como se fosse um sinal,

coloca na comida - “carinho também é

surgiu a oportunidade de

tempero”, faz questão de frisar -, o ambi-

assumir um restaurante

ente familiar e aconchegante que se es-

bem pertinho de casa”,

tabeleceu naturalmente, agradam a todos

conta.

que conhecem o Divina Salsa. “Tive mui-


CASE DE NEGÓCIOS

Fotos: Divulgação

ta sorte ao formar a equipe, tanto da cozinha quanto do salão, porque todos abraçaram o nosso estilo de trabalho e de atendimento. O trabalho flui e o resultado é maravilhoso”, comemora. Tanto assim, que nos finais de semana há lista de espera para provar o cardápio oferecido, composto por 55 pratos entre frios e quentes, que além de frutos do mar inclui carnes, massas, risoto e batatas. A porção é generosa, capaz de satisfazer tranquilamente duas pessoas. ONDE ENCONTRAR divinasalsa@gmail.com

Estratégias para conquistar clientes A integração entre os clientes e a

O “Cliente Chef” nasceu de uma

casa já gerou duas iniciativas que con-

ocasião em que um amigo do casal

quistaram quem frequenta a casa: o “Cli-

que foi convidado para fazer paçoca de

ente Chef “ e o “Clube do Whisky”.

pinhão para um grupo de amigos e cli-

“O Clube foi uma ideia do Adilson

entes no restaurante. “Ele gosta de co-

e de um cliente, a partir da frequência

zinhar e, por isso, pedimos que ele mes-

com que alguns clientes vinham aqui para

mo preparasse o prato para ter a sen-

beber um whisky e bater um papo com

sação de comandar a cozinha. A expe-

amigos Já temos uma fila de espera para

riência deu tão certo que decidimos

novos sócios”, conta Saly. Cada ‘sócio’

abrir também esta opção para os ou-

tem uma credencial, sua própria garrafa

tros convidados. A nossa proposta é

e um copo personalizado, e controla pes-

que os clientes se sintam em casa”,

soalmente o consumo das doses.

finaliza a chef.

Setembro / Outubro - 2016

|

45


CASE DE NEGÓCIOS

De olho

nos tributos

H

46

|

EstoqMan Professional, da Schneider, realiza todo o processo de gestão fiscal de empresas

á uma dor de cabeça a mais se

esta prática não tem o suporte técnico que

anunciando para uma significativa

muitas vezes se faz necessário para o

parcela dos empresários brasileiros

usuário”, explica Gleycon Schneider, dire-

no ano de 2017. A causa é a emissão da

tor Schneider Sistemas de Informação,

Nota Fiscal Eletrônica (NFe), uma exigên-

São José (SC), empresa que desenvolve

cia que, a partir do próximo ano, deman-

sistemas de gerenciamento e automação

dará dos administradores a utilização de

comercial. Segundo ele, a mudança a ser

um sistema próprio, o que, basicamen-

implementada em 2017 corresponde à

te, corresponde à ampliação de gastos

ampliação de uma demanda na área da

ou investimentos por parte da empresa.

gestão automatizada.

Boa parte dos empresários brasi-

Documento fiscal eletrônico que

leiros que emitem as NFes hoje fazem

substitui o seu correspondente em papel

uso do sistema fornecido gratuitamente

referente às operações com mercadorias

pela Receita estadual de São Paulo, reali-

entre empresas, a NFe tem a vantagem

dade que vai mudar em breve. “Mesmo

de reduzir custos, simplificando as obri-

sendo gratuito, o sistema paulista não é

gações acessórias dos contribuintes e

unificado e isso dificulta o trabalho, pois

permitindo, ao mesmo tempo, o acom-

exige do gestor a inclusão de dados em

panhamento em tempo real das opera-

diversas plataformas para emissão da

ções comerciais pelo Fisco - detalhe que,

nota, boleto bancário, extrato de controle,

aliás, é o objetivo central da Receita para

entre outros. Além de requerer tempo,

exigir sua utilização.

Setembro / Outubro - 2016


CASE DE NEGÓCIOS

Vendas online no projeto de expansão

Desenvolvedora de um sistema

facilidades apresentadas aos clientes, que

amplo, que permite não apenas a emis-

não precisariam adquirir o sistema, mas

são da NFe, mas a gestão de todo o pro-

apenas pagar uma pequena taxa sobre

cesso da empresa - o EstoqMan

cada nota emitida. Desta forma, ambos,

Professional - a Schneider Sistemas de

cliente final e contador, podem usufruir

Informação alia a seus conceitos moder-

dos benefícios do EstoqMan Professional,

nos e soluções de conectividade, alter-

e contar com o nosso suporte e toda a

nativas que atendam às necessidades

nossa assessoria no caso de alguma de-

dos clientes em cada nova alteração ou

manda emergencial ou problema verifica-

novidade implementada na legislação fis-

do”, explica.

cal. E no caso da aquisição do sistema para a NFe, uma proposta diferenciada

ONDE ENCONTRAR

prevê a efetivação de uma parceria com

www.schsistemas.com.br

os contadores que lidam com diversas

Fotos: Divulgação

empresas. “Pretendemos disponibilizar o software para o contador sem custo, que poderá acrescentar este serviço ao rol de

Administrar um pequeno ou médio negócio é um ato de responsabilidade e muito jogo de cintura para equilibrar contas e receitas, sobretudo num país como o Brasil, no qual a burocracia ainda é sobremaneira presente, e as mudanças na legislação são frequentes. Segundo Gleycon Schneider, ao impor a todas as empresas a emissão

Gleycon Schneider Diretor

da NFe por meio de sistema próprio, o Ministério da Fazenda gerou um custo muito alto para os empresários, e é nes-

Atualmente, o foco da empresa -

sa situação que a solução apresentada

formada por um grupo de jovens

pela Schneider Sistemas de Informação

desenvolvedores - é Santa Catarina, mas

se configura como uma alternativa legal,

vendas do software para outros estados

ampla e viável.

também já foram realizadas. "Nós busca-

Além da emissão de NFe, boletos

mos prestar um serviço realmente dife-

bancários, cupom fiscal, e outros docu-

renciado. Ao restringir a área de atendi-

mentos com baixo investimento,

o

mento, tornamos possível atender bem o

software permite ao empresário obter

cliente, com respeito, qualidade e agili-

qualidade na gestão por meio de contro-

dade", define. Desta forma, a solução é

les de informações e processos, o que

encontrada tão logo a dúvida surja, gra-

garante o melhor aproveitamento possí-

ças à gestão eficiente das informações,

vel dos recursos humanos, financeiros e

que podem ser disponibilizadas em tem-

materiais.

po real.

Setembro / Outubro - 2016

|

47


ARTIGO

A arte de empreender

Definitivamente, empreender é uma arte, um efeito de decisões que nunca é igual para ninguém, sempre há nuances, detalhes e emoções que são únicas e individuais. No entanto, quando acompanhamos as biografias e observamos de perto, podemos perceber que existem, sim, traços, ações e pequenos padrões que auxiliam no conhecimento e estudo desse tema. Como, por exemplo, a capacidade dos empreendedores de enxergarem um resultado no futuro e transformarem isso em uma visão que guia suas ações no presente. Não estou falando de futurologia ou bola de cristal, mas, sim, da capacidade que os empreendedores têm de enxergar um problema e apresentar soluções de forma que muitos ainda não viram. Com sua energia, ele consegue contar a sua visão para as pessoas chaves, e empresta sua lente de aumento para aqueles que não enxergavam, mas que entram no barco e agora respiram a mesma brisa e dividem a mesma jornada. Os que vencem constroem os seus pergaminhos com alguns passos e têm a certeza que, na verdade mesmo, nele faltam muitas páginas. No entanto, vão em frente cientes de que elas serão preenchidas ao longo da estrada. Eles sabem que o que fará a diferença é o compromisso com a visão inicial, a essência, afinal fazer acontecer requer um dosa diária de “vamos em frente”. Empreendedor entende a rima do risco e dosa para que o risco seja um fertilizante, afinal, não há ação sem que adrenalina corra no corpo e, muitas vezes, o frio que chega na barriga é inevitável. Aprendi com eles, os realizadores, que plural é

48

|

Setembro / Outubro - 2016

mandatório e que sonhar sozinho é como ficar só numa ilha deserta. (Um saco!) Quem empreende aprende que conhecimento é fundamental, bem como gerenciar, mensurar, uma série de verbos que invadem a agenda, mas que não podem naufragar as ações estratégicas. Afinal, nessa escalada o resultado é a bomba de oxigênio necessário para qualquer pessoa jurídica. Empreendedor não vai na maré, ele observa o que ela está querendo dizer, interpreta, afinal, como diziam nos tempos do colégio: “interpretação faz parte da prova” – que prova! Alguns falam que empreender é uma guerra diária, porém, concordo com a visão de Peter Thiel, em seu livro “Zero to One”, onde ele defende que competição/guerra gera mercados competitivos e por conseguinte menos lucrativos. Assim, empreender vem sendo um constante desafio de criar o seu próprio mercado, o seu próprio estilo, e evidenciar os adjetivos que são únicos e verdadeiros do seu negócio, e que permitem os mesmos serem diferenciados nessa imensidão de possibilidades. Enfim, uma grande jornada. Quem entra nela deve estar preparado, aberto para crescer ao longo da estrada, e nunca deve esquecer de tomar sua dose diária de motivação, afinal, sem ela, as pernas ficarão pesadas, e os passos importantes ficarão cada vez mais distantes.

Renato Ramos da Silva Neto, vice-presidente do Instituto de Apoio à Inovação e Tecnologia (Inaitec), e gerente de Negócios da Pedra Branca Empreendimentos Imobiliários S/A


Setembro / Outubro - 2016

|

49


Mercado Fotos: Pixabay

Negócios inovadores Em um momento de economia desaquecida, conseguir apoio para iniciar um negócio ou alavancar a empresa é muito bem vindo. Para aqueles que têm ideias inovadoras, há duas boas ofertas de recursos financeiros e apoio para capacitação. Estão abertas as inscrições para a segunda edição do Inove Senior, programa de aceleração que tem como objetivo impulsionar startups de alto potencial nas áreas de manufatura, agronegócio, varejo e logística. O projeto é promovido pela Senior, empresa catarinense referência nacional em softwares para gestão, e oferece mentorias, espaço de coworking e até R$ 500 mil em investimentos. Até 10

Empresas de Tecnologia (Acate) e mantida pelo Sebrae/

startups serão selecionadas para o processo de

SC. São oferecidas mentorias e capacitações visando a

aceleração e as finalistas podem se tornar unidades

maturação de negócios inovadores. O MIDI é responsá-

de negócio da empresa. Inscrições até 30 de setem-

vel pela formação de cerca de 13% das empresas do

bro, no site www.inovesenior.com.br. Também há o

Polo Tecnológico de Florianópolis, o que representa mais

processo seletivo contínuo da incubadora Midi

de

Tecnológico, gerida pela Associação Catarinense de

www.miditecnologico.com.br

Coisas de Boteco Completando três anos no mercado, o site catarinense Coisas de Boteco não para de crescer mesmo no cenário de desaquecimento da economia. A loja virtual é pioneira no nicho de produtos de decoração para casa com a temática de bar e pub. Com mais de 2 mil produtos em estoque, a empresa precisou ampliar e se mudou para um novo centro de operações em Palhoça. Antes, toda a operação era feita no Centro de

empreendimentos.

Em

Mercado de beleza A marca holandesa de produtos de beleza de alto padrão tem agora o primeiro showroom na Ilha de Santa Catarina, com a inauguração do Soul’s Beauty, em agosto, na rua Bocaíuva. O investimento de cerca de R$ 600 mil é da empresária Amélia Bellé (foto), que já comanda na região continental o maior centro de treinamento da marca no país. Inspirado no conceito de spa e com serviço express, o salão atende tanto mulheres que buscam conforto e relaxamento como aquelas que têm uma rotina diária corrida e pouco tempo para cuidar da beleza. A promessa é a de que é possível ficar pronta para uma reunião de negócios ou um evento social em menos de 30 minutos, incluindo serviços de manicure e cabelo. São oferecidas mais de 20 opções de serviços capilares,

Florianópolis. O investimento foi de apro-

manicure, pedicure, maquiagem, estética (facial e corporal), mas-

ximadamente R$ 250 mil com a mudan-

sagens, espaço da noiva, design de sobrancelhas, depilação, e

ça. Um dos diferenciais da loja é que

muito mais. Já o showroom disponibiliza cerca de 200 itens para

todos os itens à venda no site estão dis-

todos os tipos de cabe-

poníveis em estoque, possibilitando uma

lo, procedimentos e tra-

entrega mais rápida. Até o fim de 2016,

tamentos.

o centro de distribuição deve receber

www.facebook.com/

mais de 900 novos produtos. Em

souls.beauty

www.coisasdeboteco.com.br.

50

100

|

Setembro / Outubro - 2016

Em

Foto: Darline Santos/Divulgação


MERCADO

Campanha milionária O Beiramar Shoppping, de Florianópolis antecipou

meira etapa superou R$ 1 milhão e o grande sorteio será

o lançamento da campanha de prêmios de 2016, que

no dia 30 de dezembro, às 14h. “Ainda estamos estu-

este ano começou em agosto e termina em dezembro e

dando, dentro do cronograma promocional deste segun-

que terá, como destaque, o sorteio de um Porsche

do semestre a inserção de novas ações. Tradicionalmente

Cayenne. A cada R$ 300,00 em compras de produtos ou

teremos datas como o Dia das Crianças e Black Friday,

serviços adquiridos no período da promoção, o cliente

trazendo novidades a mais para nossos clientes”, afirma

pode trocar cupons. Nos domingos, os cupons valem

Carlos Pamplona Jr, gerente de marketing do shopping.

em dobro. Para toda a campanha, o investimento na pri-

Em www.shoppingbeiramar.com.br.

Segurança Foto: Kenn Robert/Divulgação

A

startup

catarinense

capacidade de armazenar até três mil

Catamoeda, de Florianópolis, está in-

cédulas e auxilia na prevenção de per-

vestido em novas linhas de produtos

das financeiras do estabelecimento.

voltadas ao varejo. Um deles é o

A tecnologia permite identificar essas

CataCash,

e

cédulas e contabilizá-las. Automati-

tecnológico inédito para o setor de pe-

camente, o dinheiro é armazenado no

quenos e médios comerciantes, de-

malote interno e depois, coletado pela

senvolvido em parceria com Prosegur,

Prosegur. Todo o acompanhamento

maior empresa de segurança privada

pode ser feito em tempo real, por meio

do país. “Todo o projeto foi desenvol-

de um painel de controle online. Este

vido em apenas seis meses e já nas-

ano, a Catamoeda prevê um incre-

ce com duas patentes depositadas e

mento de 340% no faturamento em

uma série de inovações”, comenta

relação a 2015 e deve fechar com re-

Victor Levy (foto), CEO e fundador da

ceita superior a R$ 12 milhões. Em

Catamoeda. O cofre é pequeno, tem

www.catamoedas.com.br.

cofre

compacto

Showroom como posicionamento de marca Um showroom é mais do que um espaço de ex-

taforma de conceito e temos exclusividade

manter diálogo da marca com o cliente final e de onde

Rodrigues pela LinBrasil”, diz.

surgem novas abordagens possíveis absorvidas pela

“Apresentamos os produtos em

indústria. Esse é o entendimento do stylist da Icon In-

perspectiva, materiais e acaba-

teriores, Miller Andrade (foto), à frente do showroom

mentos encontrados somente aqui

que representa com exclusividade na região da Grande

e a direção criativa é do próprio

Florianópolis os produtos do designer catarinense Jader

Jader Almeida, uma decisão de

Almeida. Com apenas três anos de operação, a Icon

apostar na mesma linguagem de

está entre os cinco maiores mercados da Sollos no

posicionamento da marca”, explica. O showroom, que

Brasil, que conta com 85 revendedores o país. “A loja é

também teve crescimento aproximado de 60% nas ven-

a ponta da cadeia que alimenta esse longo processo

das em relação ao primeiro semestre de 2015, apresenta

que começa na indústria. Trabalhamos como uma pla-

nova coleção em outubro. Em www.iconinteriores.com.br.

Foto: Blink Studios/Divulgação

posição dos produtos. É um canal para entender e

ainda

com Sergio

Setembro / Outubro - 2016

|

51


ARTIGO

Benefícios do outsourcing contábil para as empresas O outsourcing vem ganhan-

ticipando e oferecendo soluções.

do força no mercado empresari-

Uma contabilidade bem feita repre-

al. Ele consiste em transferir o tra-

senta importante fonte de informa-

balho interno para outra entidade,

ção para o processo de tomada de

visando assim diminuir o custo da

decisões.

mão-de-obra e o ganho da quali-

Na

contabilidade,

o

dade de serviço, e permitindo que

outsourcing é uma alternativa para

os recursos internos se voltem

muitas empresas, as recentes

totalmente para as tarefas relaci-

mudanças na legislação contábil e

onadas ao negócio.

fiscal estão exigindo profissionais

Com as inúmeras mudan-

qualificados e com amplo conhe-

ças que a contabilidade vem so-

cimento técnico, além de disporem

frendo, a implantação de novas

das ferramentas e sistemas própri-

obrigações tributárias e mais o cli-

os para a produção do trabalho.

ma econômico do Brasil, é im-

A contratação de uma con-

prescindível ter pessoas capacitadas para a execução

tabilidade englobará profissionais qualificados, com

dos serviços contábeis, e ainda evitar gastos excessi-

RG 1 experiência nos mais diversos setores e em constan-

vos.

te atualização. As atividades serão executadas mais Quando os empresários trazem a empresa de

rapidamente e com um custo mais barato. Com uma

contabilidade para dentro de suas dependências, eles

equipe própria seria necessário à contratação de fun-

estão ganhando desempenho e acesso imediato à in-

cionários, pagamentos de encargos trabalhistas, be-

formação. Além de profissionais que estarão inseri-

nefícios, treinamentos, além dos investimentos que

dos na cultura, missão e realidade dos negócios, par-

teriam que ser feitos para que tornassem a atividade possível. O outsourcing, na verdade, é um investimento que pode trazer retornos significativos, eliminação de riscos e tranquilidade aos gestores. Mas, é preciso cuidado, apesar de todas essas vantagens é necessário atenção na contratação dos prestadores de serviço, é preciso verificar se trabalham atentos à legislação e se estão enquadrados nas necessidades do contratante. Maria Karolini Steinbach Bacharel em Ciências Contábeis.

52

|

Setembro / Outubro - 2016


ARTIGO

Auditoria trabalhista - uma aliada ao eSocial e ao empresário Está em fase de implantação o eSocial, projeto

legislação;

do governo federal para unificar as informações trans-

· Folhas de

mitidas pelos empregadores para os diversos órgãos

pagamento men-

(Ministério do Trabalho, Caixa Econômica Federal, Re-

sais;

ceita Federal, INSS, entre outros) das movimentações

· Compro-

trabalhistas, previdenciárias e fiscais, incluindo-se

vantes de paga-

dados de admissão, férias, cálculos das folhas men-

mentos dos salá-

sais, rescisões, etc. O objetivo é ter a maior quantida-

rios, férias, resci-

de de informações pelos órgãos em relação aos vín-

sões em dia;

culos trabalhistas, e, com isso, aumentar a formalização, padronização, controle e consequentemente, a fiscalização. Não terá alteração da legislação traba-

· Análise e recolhimentos dos encargos trabalhistas / fiscais; · Atestados

de

saúde

ocupacionais

lhista, apenas será mais rigoroso o cumprimento da

admissional, periódicos, retorno ao trabalho, mudan-

que está vigente.

ça de função e demissional;

Com isso, é importante a realização de uma

· Programas de saúde e segurança ocupacionais;

auditoria periódica nos procedimentos da área de pes-

· Recibos de EPI;

soal para verificar se a empresa está cumprindo a le-

· Contratos de prestadores de serviço sem vín-

gislação vigente e também se há alguma fraude nos

culo empregatício (MEI, autônomos, PJ...),

controles internos.

terceirização;

A auditoria deve ser independente, para assim,

· Contratos de estágio;

garantir a confiabilidade nas análises das informações

· Documentos de férias;

coletadas.

· Documentos de rescisão;

Abaixo, em síntese, alguns dos principais pontos a serem analisados, a título exemplificativo: · Registro e documentação dos empregados; · Controle de jornada (ponto) e se condiz com a

· Política de benefícios; · Cumprimentos de cotas (aprendizes, deficientes, etc); · Controles internos; ·

Obrigações acessórias;

entre outros O principal objetivo de uma auditoria trabalhista é verificar se a empresa está cumprindo a legislação vigente e, em quais pontos existem riscos de autuação ou ação judicial, bem como saber se não há fraudes nos seus controles internos da área, para com isso, dar maior segurança ao empresário. Liviano Baggio Bacharel em Ciências Contábeis, gerente de Recursos Humanos

Setembro / Outubro - 2016

|

53


MARKETING

Investimento S

Koerich investe R$ 1 milhão em nova campanha e reforça raízes com Santa Catarina

ão mais de 60 anos investindo e acre-

faz a diferença. Um povo formado por

ditando em Santa Catarina. O Koerich

gente boa, gente nossa”, comenta Anto-

hoje posiciona-se como o maior varejo

nio Koerich, presidente do Koerich. Com

catarinense. Em um momento em que to-

este propósito, a empresa reafirma cada

dos falam de crise, a empresa investe e

vez mais o ser catarinense, o conhecer o

se reinventa para continuar crescendo. Em

povo e cada uma das localidades do es-

um ano difícil, seja política ou economica-

tado.

mente, a empresa mantém previsões de

”Nos acostumamos a olhar a his-

crescimento na ordem de 10%, e lança

tória e valorizar o passado, fato que ao

nova campanha para reafirmar seu

longo dos mais de 60 anos, nos esforça-

posicionamento, reforçando suas raízes

mos para conseguir a lembrança e a pre-

com Santa Catarina, agregando ao seu

ferência do consumidor catarinense. En-

slogan a expressão “Gente boa” e passan-

tretanto, é fundamental olhar para o fu-

do a assinar “Gente boa, gente nossa”.

turo e perceber as movimentações do

” Temos orgulho de fazer parte da

mercado. E é o que a empresa está bus-

história do povo catarinense, povo que luta,

cando com sua nova campanha de

que acorda cedo, arregaça as mangas e

reafirmação de marca”, completa. Fotos: Divulgação

Novo Centro de Distribuição: R$ 30 milhões em recursos

54 54

||

Setembro Setembro // Outubro Outubro -- 2016 2016


MARKETING

milionário Foto: Valdonir Correa/ Divulgação

Meta é chegar a 100 lojas até o final do ano Com um investimento superior a R$ 1milhão, a campanha traz uma reafirmação histórica de posicionamento: mais do que vender produtos, o Koerich quer realizar sonhos, mais do que estar aqui, o Koerich é daqui e conhece cada rua, viela, cada canto do Estado. "Está no nosso DNA inovar, ir além do tradicional, buscar e reinventar a cada novo dia. E se tem uma coisa que aprendemos nestes 60 Antonio Koerich Presidente

anos é que as crises passam e que acreditar nos catarinenses e seguir seu exemplo de trabalho é a única forma

Novo centro de distribuição Além disso, a Koerich está construindo seu novo Centro de Distribuição que será inaugurado no primeiro semestre de 2017. Localizado em Biguaçu, na Grande Florianópolis, em um terreno com aproximadamente 60 mil m², destes 25 mil de área serão construídos, num investimento de R$ 30 milhões.

de superar as adversidades. Por isso, nesse momento em que todos falam de crise, o Koerich vem falar de coisas boas. Nossa meta é chegar a 100 lojas até final deste ano, hoje estamos com 91 em operação, mas destas 8 já estão contratadas e em implantação, e dessa forma, abriremos, nos próximos meses, de forma imediata, mais 90 postos de trabalho", explica

Loja em Joinville: novos postos de trabalho

o presidente.

Além disso, a estrutura já está preparada para uma ampliação, já planejada, de 10 mil m². O projeto do novo CD é totalmente automatizado, o que permite armazenar mais e melhor, com maior agilidade e segurança. Estão sendo gerados 600 empregos diretos na fase de construção e depois, na operação, mais 250 empregos diretos.

Setembro / Outubro - 2016

|

55


TECNOLOGIA

no Imersão marketing digital

R

RD Summit 2016, em novembro, terá como temas empreendedorismo, tendências e boas práticas econhecida como uma das capi-

com uma programação de mais de 100

tais mais inovadoras do país e com

palestras com especialistas internacionais

grande potencial para a geração

e profissionais renomados do mercado

de negócios de alto impacto, Florianópolis

nacional. Tido como um dos influencia-

recebe pelo quarto ano consecutivo o RD

dores mais importantes no momento em

Summit. Com foco em empreendedo-

empreendedorismo digital, Neil Patel (co-

rismo, inovação e tendências do merca-

fundador da CrazyEgg, Hello Bar e

do digital, o evento é promovido pela Re-

KISSmetrics) é um dos destaques do

sultados Digitais e, nos dias 3 e 4 de no-

evento e apresentará uma palestra inédi-

vembro, vai reunir 5 mil pessoas e mais

ta no Brasil sobre aumento de perfor-

de 100 palestrantes para dois dias de

mance na web e aquisição de tráfego.

imersão em marketing digital.

Nomes como Oli Gardner (Unbounce),

“O objetivo do RD Summit é levar ao

April Dunford (Sprintly), Will Reynolds

público a possibilidade de aprender com

(SEER Interactive) e Martha Gabriel (es-

os líderes do setor, além de promover a tro-

pecialista em Inovação), entre outros tam-

ca de experiências e networking entre os 5

bém estão confirmados.

mil participantes esperados para esse ano”, explicou o CEO da RD, Eric Santos.

Eric Santos CEO da Resultados Digitais

Neste ano, o RD Summit terá 10 salas com sessões paralelas, para aten-

Considerado como o evento mais

der simultaneamente diferentes temas e

completo em marketing digital e vendas

níveis de conhecimento. Nas trilhas de

da América Latina, o RD Summit conta

conteúdo serão abordados temas como gestão e estratégia, marketing digital:

Foto: Cassiano Ferraz Fotografia/Divulgação

conceitos e fundamentos, marketing digital: técnicas avançadas, vendas e sucesso do cliente, tecnologia e software, agências, e-commerce e educação. Os participantes do evento ainda terão a oportunidade de conferir a feira de negócios, com mais de 40 expositores, feira gastronômica e muito entretenimento dentro do pavilhão e fora, nas festas oficiais. A inscrição deve ser feita pelo site. ONDE ENCONTRAR www.rdsummit.com.br

56

|

Setembro / Outubro - 2016


Setembro / Outubro - 2016

|

57


OPINIÃO

Da visão à atitude

Assumir uma função como presidente do Conselho Regional de Contabilidade, que representa quase 22 mil profissionais registrados, é um desafio aceito com responsabilidade e comprometimento. Junto com o Conselho Diretor, estamos cumprindo um planejamento para a gestão 2016/2017 com ideias que nos fazem trilhar um caminho certo e justo. Com o slogan “Transformando Visão em Atitude” estamos trabalhando em prol da classe contábil com ações transformadoras. Para isso contamos com as ideias e sugestões vindas de todo o Estado em cada reunião realizada, além da colaboração dos delegados do CRCSC e dos conselheiros de todas as regiões. Sabemos da turbulência que o cenário econômico e político vem promovendo, por isso mesmo precisamos ser otimistas com o movimento das instituições em prol da transparência e do controle da gestão pública. A chamada crise é oportunidade. Oportunidade para mostrarmos a importância da Contabilidade nesse contexto e oportunidade para revelar as nossas habilidades como profissionais. Nesse sentido, temos realizado e apoiado várias iniciativas em prol do controle social, como os eventos realizados no Conselho - 8º Seminário Catarinense de Transparência e Controle Social e o 4º Seminário de Práticas de Contabilidade Aplicada ao Setor Público – e a representação em instrumentos como a Rede de Controle da Gestão Pública de Santa Catarina e o Fórum Simplifica SC.

58

|

Setembro / Outubro - 2016

O papel do Conselho é promover a qualificação e o aperfeiçoamento contínuo. Já estamos atuando com algumas inovações e tivemos o lançamento de projetos como o “Contabilizando para o Cidadão” que traduz os balanços dos órgãos públicos para que todos entendam como são aplicados os recursos arrecadados com impostos. A capacitação é nosso elo mais forte para nos adaptarmos a esses momentos. Quem estiver qualificado abrirá oportunidades. E, gostemos ou não, o ritmo dessas mudanças continuará acelerado. A Contabilidade é a linguagem universal dos negócios e sabemos que por isso merecemos reconhecimento contínuo. Mas se nós mesmos não conseguirmos parar, olhar ao redor e construir uma profissão mais forte e unida, não iremos receber esse reconhecimento. Sabemos que a principal função do CRC é proteger a sociedade, com fiscalização, registro e educação continuada dos profissionais. A excelência no exercício profissional é nossa meta permanente nestes quase 70 anos de existência que serão completados no mês de dezembro. Por esta razão, nosso papel é tão importante no cenário atual do Brasil, pois onde existe Contabilidade deve existir os valores da transparência, ética e honestidade. Não há espaço para meio certo. E nesse sentido é, que posso afirmar, que o bom profissional da Contabilidade combate a sonegação e a corrupção, mantendo sua responsabilidade pelo bom andamento e clareza das contas das empresas e organizações. Marcello Seemann, presidente do Conselho Regional de Contabilidade (CRCSC)


Setembro / Outubro - 2016

|

59


Crédito para economizar ENERGIA

M

Unicred Florianópolis e Quantum oferecem linha especial para investimento em sistema fotovoltaico

anter uma empresa lucrativa é um

Solar, um financiamento especial para

desafio aos empresários. São inú-

quem deseja um sistema fotovoltaico.

meros os compromissos assumi-

“Tínhamos duas grandes preocupações:

dos: folha de pagamento, impostos e des-

além da economia na fatura, também a

pesas de manutenção do espaço de tra-

questão da sustentabilidade, no caso con-

balho consomem o orçamento e requerem

creto da minha instalação que produz

habilidades administrativas. Na estratégia

12,4KWh, se deixará de emitir 8,4 tonela-

de redução de gastos, o investimento em

das de dióxido de carbono por ano”, ex-

energia solar tem atraído cada vez mais

plica.

adeptos. Uma fonte limpa e renovável e

O crédito é uma parceria entre

que, em Santa Catarina, ainda conta com

Unicred SC/PR e Quantum Engenharia.

uma linha de crédito especial.

Com ele, é possível adquirir equipamen-

Diego Gil Matos, proprietário da

tos e tecnologia para começar a utilizar a

Formus, academia de musculação em

energia solar tanto em empresas como

São José, decidiu aliar o desejo de eco-

em residências, além de quitar o valor fi-

nomizar e incorporar práticas sustentá-

nanciado em até 84 meses. “A aprovação

veis. O empresário foi o primeiro

do crédito na Unicred foi bastante sim-

catarinense a contratar o Crédito Energia

ples, e a Quantum foi muito ágil no estu-

Foto: Divulgação

do da viabilidade e na realização do projeto. A instalação durou apenas três dias e a Quantum se encarregou de toda a burocracia com a Celesc”, conta Matos. A academia, que dispões de 20 funcionários e atende quase mil clientes, prevê uma economia mensal na conta de luz de até 35%, valor que já tem destino certo, garante o proprietário. “A redução na fatura vai possibilitar quase o pagamento integral do financiamento e, como o sistema tem Sistema instalado na Academia Formus: conta mensal de luz deve ficar cerca de 35% menor

60

|

Setembro / Outubro - 2016


ENERGIA

vida útil de quase 30 anos, a economia

sistema adquirido para a academia é de

será muito grande”, diz. “Pretendemos

12,48 kWp, com geração de energia esti-

realizar uma ampliação das nossas ins-

mada em 14.135 kWh/ano, e fará com que

talações e investir em novos equipamen-

o empresário deixe de desembolsar qua-

tos e na qualidade dos nossos serviços

se R$ 10 mil anualmente.

para aumentar a carteira de clientes e a competitividade no mercado fitness”. O investimento realizado por Matos tem retorno previsto para sete anos. O

ONDE ENCONTRAR www.quantumengenharia.net.br www.unicred.com.br/centralscpr/

Foto: Adriel Douglas/Divulgação

Gilberto Vieira Filho Presidente da Quantum

Potencial de sobra Para o diretor de Negócios da

produção de energia leva em torno de 90 dias. Para o presidente da Quantum Engenharia, Gil-

SC/PR,

berto Vieira Filho, cada vez mais pessoas devem

Rodrigo Machado,

aderir a esse tipo de tecnologia. “Até 2050, o Plano

o Crédito Energia

Nacional de Energia prevê que 18% dos lares brasi-

Solar torna mais

leiros tenham sistemas para geração de energia so-

fácil a concreti-

lar”, afirma. O Brasil é um dos países com maior

zação de planejamentos de sistemas fotovoltaicos.

incidência de sol, mas ainda está longe de aprovei-

“Com taxa de CDI + 0,15% a.m., ou seja, hoje, em

tar todo o potencial. Na Alemanha, uma das princi-

torno de 1,25% a.m., não visa lucro para a cooperati-

pais produtoras de energia fotovoltaica, a região mais

va, apenas a remuneração do dinheiro e custos ad-

ensolarada recebe até 40% menos radiação do que

ministrativos. Pode ser pago em até 84 parcelas, tem-

as áreas brasileiras com menos sol.

Unicred

po este de retorno do investimento dos equipamen-

Esse quadro, no entanto, está mudando no

tos. Em resumo, o cooperado troca a conta de luz

nosso país. De acordo com a Agência Nacional de

pelo financiamento. Após esse prazo, possui no mí-

Energia Elétrica (Aneel), o número de ligações com

nimo mais 18 anos de geração de energia, já que os

geração distribuída cresceu 308% no Brasil em 2016.

equipamentos são fabricados para duração de 25

“É fundamental termos em mente que a energia

anos”, pontua.

fotovoltaica, além de não ser agressiva ao meio am-

Por enquanto, o crédito está disponível apenas

biente, representa também uma excelente opção de

para os cooperados da Unicred em Florianópolis. O

economia. As pessoas estão cada vez mais buscan-

cooperado necessita apenas entregar ao gerente de

do essa combinação inteligente e sustentável. O nú-

Relacionamento, em uma das agências, a conta de

mero de usinas instaladas dentro desse sistema de

luz. Em 10 dias, a Unicred, com a Quantum, realiza o

geração distribuída, em que o consumidor gera a

orçamento e apresenta ao cooperado. No aceite do

própria energia, bateu recorde”, explica Gilberto. O

cooperado, o crédito é analisado e, sendo aprovado,

incremento é consequência do barateamento e de

os materiais são comprados para a instalação. Todo

iniciativas como o Crédito Energia Solar que facilitam

esse processo, desde o orçamento até a primeira

o acesso a essa tecnologia.

Setembro / Outubro - 2016

|

61


ARTIGO

A imposição de regime de casamento ao idoso

“E se eu comprar esse carro? Hum... Com certeza terei uma sensação de liberdade indescritível, muitas mulheres atrás de mim, já que mulheres são atraídas por dinheiro. Terei um grupo de amigos top! Afinal, amigos adoram bens materiais. Eu serei considerado pela sociedade. Aonde chegar, serei bem quisto. Meus amigos serão jovens, ao menos conservarão o vigor físico. As mulheres, então, serão lindas, modelos, com todos os atributos físicos que valorizo. O valor está nos bens materiais, na quantidade. Eles trazem a tal felicidade, tão procurada por mim. Vejo as pessoas como mercadorias, como algo que posso possuir, comprando-as com meu dinheiro.” O pensamento exposto acima representa o escancarar de uma cultura baseada no consumo como fonte de felicidade e alegria. Uma suposta felicidade implantada em nossa memória por meio do bombardeio constante da mídia, baseada em imagem relacionada a consumo e realização pessoal. O paradigma que rege uma sociedade reverbera em diversas vertentes, formando uma cadeia de conseqüências inevitáveis, já que tudo parte de uma visão máster. No contexto apresentado, o idoso é constantemente qualificado como um “fardo”, e desconsiderado por muitos. Seu corpo velho e com maior tendência a doenças não traz atrativos. Ao contrário, começa a gerar um peso para as famílias, que se revezam em cuidados, gerando trabalho e custo. Mas, em tudo somos capazes de buscar lucro financeiro. Então, o valor do idoso começa a aparecer na tão estimada e aguardada herança. Seus bens passam a fazer parte do imaginário daqueles que o cercam, normalmente, a própria família. Essa triste forma de ver o mundo traz conseqüências também no direito, que sempre traduz o conteúdo mais

62

|

Setembro / Outubro - 2016

íntimo da sociedade, deixando à mostra nossa fragilidade, camuflada de diversas maneiras, principalmente em forma de “proteção” aos menos “capacitados”. Sob o argumento de proteção, a sociedade e o Estado discriminam diversos grupos humanos. Um dos exemplos clássicos é o impedimento da escolha do Regime de Casamento aos maiores de 70 anos, estabelecido no Código Civil vigente. Assim menciona: “.Art. 1641. É obrigatório o regime da separação de bens no casamento: II – da pessoa maior de 70 (setenta) anos.” O idoso é tratado como incapaz pelo artigo exposto acima. Nenhuma perícia médica é exigida, nenhum estudo individualizado. Simplesmente o direito ao livre arbítrio é retirado pela imposição da lei. Pessoas com experiência de vida passam a ser tratadas como presas fáceis propensas ao famoso golpe do baú. De fato a intervenção do Estado em uma esfera íntima e pessoal de tal natureza agride e viola o espaço individual da liberdade privada. Então, passamos a questionar: quem realmente está sendo tutelado com essa restrição? Talvez os herdeiros a fim de preservar a futura herança, que não existe antes do falecimento. Aí então, as máscaras caem e percebemos que valorizamos os bens materiais em detrimento à pessoa humana. Retiramos a felicidade do direito de escolha como um reconhecimento à maturidade adquirida em longos anos e protegemos o dinheiro, a fim de perpetuar a doença de nossa sociedade. Renata F eltrin, advogada, pós-graduanda em Direito Feltrin, de Família e Sucessões e sócia proprietária do Grupo Feltrin


Setembro / Outubro - 2016

|

63


OPINIÃO

Tim Burton e suas histórias impossíveis

Alguma pretensão só faz sentido aos artistas quando acompanhada de significados e não justificativas. E significados são as principais fontes de sustentação em Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas (2003), de Tim Burton. Apesar da falsa impressão que Alice no País das Maravilhas (2010) tenha provocado, é com Peixe Grande que o criador chega ao seu Ponto-de-NãoRetorno. Eis seu suspiro criativo final, trazendo elementos presentes em seus trabalhos anteriores que vão além de algumas boas intenções. Temos, então, as opções políticas de O Planeta dos Macacos (2001); o humor suburbano de Os Fantasmas se Divertem (1988) e Marte Ataca! (1996); a descoberta da paixão de Edward Mãos de Tesoura (1990); a sobriedade dramática de Batman (1989) e Batman - O Retorno (1992); a realidade exagerada de Ed Wood (1994); e o tom histórico-fabular de A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça (1999). Ainda assim, com tantas referências dentro

64

|

Setembro / Outubro - 2016

de sua própria identidade autoral, Burton não se deixa levar pela paródia fácil. A última questão que Tim Burton parece instigar com Peixe Grande tem a ver com a possibilidade de contar grandes histórias sem a necessidade de se expor para além da sua própria arte. Sob certo aspecto, após este filme, o artista parece ter sentido demasiadamente a responsabilidade da criação, quando seu melhor cinema está intrínseco à liberdade da diversão. Por este viés, saliente-se, apontamos a diversão como característica indissociável da arte, muito diferente do que se convencionou chamar de entretenimento. Logo, o contador de histórias (interpretado por Ewan McGregor e Albert Finney na película) escolhe o mundo das ideias e não dos sonhos. Antes de escolher quais significados realmente interessam, Peixe Grande trata daquele juízo individual, feito uma história contada de pai para filho, decodificada de maneiras diferentes ao longo do tempo, mas sempre sólida quando se está disposto a aceitar o impossível. Evandro Duarte Quase um Rick Blaine www.quaseumrickblaine.blogspot.com


Setembro / Outubro - 2016

|

65


66

|

Setembro / Outubro - 2016


Setembro / Outubro - 2016

|

67


68

|

Setembro / Outubro - 2016

Profile for Lu Zuê

Oe 49 revista  

Revista O Empresário, edição nº 49, referente aos meses Setembro/Outubro de 2016

Oe 49 revista  

Revista O Empresário, edição nº 49, referente aos meses Setembro/Outubro de 2016

Profile for luzue
Advertisement