Page 1

LUSI’NEWS

LUSI’NEWS Nº 12

Nº 13 ABR/MAI/JUNHO Publicação Trimestral

EDITORIAL Todas as empresas procuram ganhar com-

petitividade e melhorar a sua produtividade. O Grupo Lusiaves não é excepção; mas entendemos que esse objectivo só é viável, quando e se, aliado ao bem-estar dos nossos colaboradores e a melhores condições de trabalho. Por isso, vemos a formação profissional como um instrumento determinante nesta busca de soluções para o aumento de produtividade e de competitividade. Não, pela qualificação dos recursos humanos só por si, mas pela capacidade de melhoria do desempenho profissional na realização de tarefas. Além da formação de base ou actualizações contínuas de conhecimentos, a formação pode, e deve ser, um treino de competências práticas dos trabalhadores.

CAMPOAVES APOIA A SELECÇÃO PROMOÇÃO OFERECE T-SHIRTS AOS CLIENTES

Porque consideramos primordial a aposta na formação contínua dos colaboradores, 1400 trabalhadores do Grupo Lusiaves estão, neste momento, a realizar acções de formação em diferentes áreas, tendo em conta as suas necessidades de qualificações, competências, funções atribuídas e desenvolvimento pessoal. Agrada-nos ter empresas eficientes, produtivas e lucrativas. Mas mais nos agrada se tudo isso for, também, fruto da competência e do profissionalismo dos nossos colaboradores, empenhados na melhoria contínua da empresa e na produtividade da mesma. A formação técnica específica e/ou profissional, não é condição única para esta aspiração, mas é, sem sombra de dúvida, a mais importante. Nestes últimos anos, tem-se registado uma grande mudança de mentalidades no que à formação diz respeito. Finalmente, começa a assumir-se a importância da formação na produtividade e, por arrasto, na competitividade das empresas. A formação é importante em todos os aspectos. Tirar melhor rendimento de uma máquina, conhecer novas técnicas e tecnologias de produção, identificar outros métodos de trabalho e de execução de tarefas. Enfim, manter os colaboradores em dia com as novidades na sua área de intervenção diária. E no mundo em que vivemos, as mudanças são tantas e tão rápidas que, se o não fizermos, corremos o risco de ficar obsoletos e sermos ultrapassados em pouco tempo. Para nós, é essencial que a cada colaborador sejam fornecidos todos os dados e informações necessários ao bom desempenho das suas tarefas. Depois sim, poderemos obter como retorno, a tão esperada produtividade. A formação é, então, uma mais-valia, se for enquadrada numa política séria e estruturada e se todos os colaboradores estiverem cientes das responsabilidades acrescidas e da melhoria que esta lhes trás no dia-a-dia. Desta forma, podemos aliar à presença que o Grupo Lusiaves tem junto dos seus clientes, fornecedores e consumidores, não só a sua competitividade, mas também uma imagem empresarial de rigor, competência e profissionalismo. Avelino Gaspar Presidente do Conselho de Administração

A Campoaves associou-se ao Mundial de Futebol 2010 através da promoção “Vamos Apoiar a Nossa Selecção”. Com esta acção promocional, a marca ofereceu aos seus clientes a possibilidade de ganharem t-shirts de apoio à selecção portuguesa, bastando, para tal, adquirirem um frango Campoaves. A associação da Campoaves aos eventos desportivos visa atingir um público mais jovem e moderno, reforçando a sua visibilidade e notoriedade junto deste target. A Campoaves, líder de mercado no segmento de criação especial de aves, é pioneira na produção do frango do campo em Portugal. Apostando fortemente na qualidade e no seu controlo, a Campoaves cria os frangos como antigamente, no campo e em liberdade, na região de Lafões. O seu crescimento é lento e natural e a alimentação é à base de cereais. São, por isso, frangos caseiros, com carne de qualidade superior e certificada e de sabor inconfundível. Esta aposta tem sido recompensada pelo consumidor esclarecido, que prefere adquirir o frango Campoaves pela sua qualidade e segurança. ABR/MAI/JUNHO 2010

_1


LUSI’NEWS Nº 13

NOTÍCIA

Formação Programa POPH Dr.ª Sónia Matias, Lusiaves

Distribuidores Santarém

Curso: Tempos de Condução, Repouso e Utilização de Tacógrafos

O Grupo Lusiaves obteve a aprovação do seu projecto de formação através do Programa Operacional Potencial Humano (POPH), que constitui um dos maiores programas operacionais de sempre. Foram aprovados 82 cursos com um total de volume de formação de 26.182 horas e o primeiro curso deste vasto plano de formação, foi efectuado no passado dia 14 de Junho.

ao mesmo tempo que concorre para a promoção da igualdade de oportunidades, tanto na vertente da igualdade de género, como na da luta contra a exclusão social.

A prioridade do POPH é em primeira linha a de contribuir para superar o défice de qualificações da população portuguesa, vencendo aquela que é uma das maiores debilidades do nosso capital humano. Em simultâneo o Programa visa apoiar a promoção do conhecimento científico e da inovação, como motores de transformação do nosso modelo produtivo. Por outro lado, procura estimular a criação e a qualidade do emprego, apoiando os empreendedores e a transição dos jovens para a vida activa, Colaboradores Fabris, Sede

Curso: Segurança na Condução de Empilhadores

2_

ABR/MAI/JUNHO 2010


LUSI’NEWS Nº 13

NOTÍCIA

Cursos:

Tempos de Condução, Repouso e Utilização de Tacógrafos Segurança na Condução de Empilhadores Segurança e Higiene no Trabalho

A formação é uma mais valia, se for enquadrada numa política séria e estruturada, e se todos os colaboradores estiverem perfeitamente cientes das responsabilidades acrescidas e da melhoria que esta lhes trás no dia a dia. Não interessa fazer formação só por fazer, a chamada formação cega. As necessidades de formação devem ser estudadas e a formação adequada ás necessidades da empresa, devendo ser planeada, adequando-a às necessidades, aos ritmos e aos níveis da empresa. Deve ser executada dentro daquilo que foi previsto e nos moldes em que foi planeada.

A formação é importante em todos os aspectos: tirar melhor rendimento de uma máquina, conhecer novas técnicas e tecnologias de produção, identificar outros métodos de trabalho e de execução de tarefas, manter os colaboradores em dia com as novidades na sua área de intervenção diária, etc. No mundo em que vivemos, as mudanças são tantas e tão rápidas, que, se o não fizermos, corremos o risco de ficar obsoletos em pouco tempo; por isso a formação é importante e não o modo como se faz, se em sala ou no local de trabalho. A formação técnica específica e/ou profissional não é condição única para este desiderato, mas é, sem sombra de dúvida, a mais importante. Nestes últimos anos, tem havido uma grande mudança de mentalidades no que à formação diz respeito. Finalmente, começa a ver-se a importância da formação na produtividade e, por arrasto, na competitividade das empresas.

Equipa de Apanha

Curso: Segurança e Higiene no Trabalho

Através do Programa do POPH, pretendemos reforçar a relevância do investimento a realizar no domínio da formação contínua, tendo presente a necessidade de estimular o desenvolvimento de uma cultura de procura de formação por parte dos trabalhadores.

ABR/MAI/JUNHO 2010

_3


LUSI’NEWS Nº 13

management

exploração avícola quinta da cruz

Eng.º Luís Gaspar - Responsável

A exploração avícola da Quinta da Cruz, localiza-se em Simões, no concelho de Soure. Esta unidade de produção tem uma área superior a 200 hectares, e é dividida por vários sectores, contendo cada sector vários pavilhões de galinhas reprodutoras. Da esquerda para a direita: Eng. Bruno Curado; Eng. António Tomás; Dr. Fernando; Eng.ª Conceição, Eng. Luís Gaspar, Eng. André Conde.

As aves chegam à exploração no inicio da vida produtiva, já adultas e com 20 semanas de idade, com um peso médio de 2,200 kg. Até às 20 semanas, as galinhas e galos reprodutores são recriados em explorações com características específicas para a recria deste tipo de aves, situadas em várias zonas do país. Na Quinta da Cruz, na altura da recepção e alojamento destas aves, efectuam-se os acasalamentos, que consistem em juntar os galos com as galinhas numa proporção de 10%, isto é, um galo para cada 10 galinhas. As galinhas são alojadas em pavilhões de ambiente controlado, onde se monitorizam e regulam as temperaturas, a humidade e a ventilação. Os sistemas de alimentação e de bebedouros existentes, são específicos para reprodutoras, permitindo a alimentação separada de galos e galinhas e um controlo preciso da quantidade de alimento e água consumida por ave. A quantidade de alimento consumido por ave é definida semanalmente, em função da idade, do peso corporal dos animais e da produção de ovos. O peso das aves é controlado semanalmente e de uma forma rigorosa pelos técnicos avícolas, com o objectivo de verificar se o aumento de peso ocorre de acordo com a curva de pesos definida para a estirpe.

do interior do pavilhão para a sala de armazenamento do pavilhão. Nesta zona, o operador recolhe os ovos das passadeiras para os tabuleiros de incubação e coloca-os nos carrinhos de transporte de ovos. Os carrinhos são devidamente identificados com a origem dos ovos, de modo a permitir e garantir a rastreabilidade do produto. Nem todos os ovos produzidos são bons para incubação. Neste sentido, procede-se à selecção e classificação dos ovos, tendo em conta os seguintes parâmetros: tamanho/peso, qualidade da casca, duas gemas e sujidade. Os ovos são classificados em ovos incubáveis e ovos não incubáveis. Os ovos não incubáveis têm como destino a indústria alimentar. No final de cada dia, os ovos que estão nos pavilhões são recolhidos através de um carro interno da exploração e transportados para o armazém geral de ovos da Quinta, onde permanecem devidamente acondicionados (temperatura e humidade controlada) até à expedição para o centro de incubação. A fertilidade, também é um parâmetro controlado, uma vez que está directamente relacionada com a percentagem de nascimentos verificada no centro de incubação. O controlo e monitorização rigorosa de todos os dados produtivos são a chave para atingir os objectivos de produção.

Da esquerda para a direita- José Mendes; Ilda; Isabel; Esmeralda; Deolinda; Vítor; Sérgio; Vítor Cardoso;Eng.ª Conceição; Isabel Baptista; Tiago; Eng.Luís; Eng André; Elisa;Tomás; Fernanda; Celso; Jorge.

A produção de ovos ocorre em média, perto das 24 semanas, 4 semanas após o alojamento das aves no pavilhão e prolonga-se até às 64 semanas. Durante o período de produção, a percentagem de ovos varia de acordo com a curva standard de produção de cada estirpe (raça). O pico de postura ocorre entre as 30 e as 32 semanas de idade, com uma percentagem de produção média de 86% (variando de acordo com a estirpe utilizada).

Em termos de Biossegurança, a exploração funciona com um elevado nível de controlo, tendo em atenção a prevenção e a propagação de doenças, assegurando o bom estado sanitário das aves. As regras de biossegurança da empresa para esta unidade são rigorosamente cumpridas, destacando-se de entre estas, a toma obrigatória de banhos à entrada e saída de cada sector e a desinfecção de veículos e equipamentos, entre muitas outras

No interior do pavilhão existem ninhos dispostos longitudinalmente ao longo dele, onde as galinhas põem os ovos. Os ninhos estão equipados na parte central, com uma passadeira rolante que permite a recolha automática dos ovos

A exploração avícola da Quinta da Cruz com os seus cerca de 100 postos de trabalho criados, contribui assim, para o bem-estar social do concelho e é uma mais-valia socioeconómica para a Vila de Soure que assim vê dinamizado o seu tecido económico.

4_

ABR/MAI/JUNHO 2010


LUSI’NEWS Nº 13

management

HISTÓRIA DA TRIPERU A Triperu – Sociedade de Produção e Comercialização de Aves, S.A. tem a sua sede à Estrada de São Miguel, Ribeira de Palheiros, concelho da Lourinhã, distrito de Lisboa, e como actividade principal a produção, abate, transformação e comercialização de aves, mormente o peru. Em 1980, três amigos, o Sr. Humberto Jorge, Sr. José Augusto e o Sr. Luciano Henriques, contrariando a ideia enraizada até então nas famílias Portuguesas de que o consumo de perú era para ser consumido nas festividades do Natal, iniciaram a produção de perús em larga escala, utilizando pavilhões localizados na região do Oeste. Inicialmente, vendiam perus vivos nas praças e mercados do distrito de Lisboa. Com o tempo, começaram a abatê-los em centros de abate de aves disponíveis na região começando assim a vender as respectivas carcaças por vários talhos de Lisboa. É de referir, dado o pequeno consumo de carne de peru na alimentação da população nacional, que as primeiras carcaças de peru eram vendidas à consignação não sendo raro as vezes em que eram devolvidas. A primeira sala de desmancha foi instalada em Ribeira de Palheiros, por volta de 1982, em instalação de aluguer. Assim, além do peru inteiro começaram a distribuir partes do mesmo de forma a incentivarem mais o consumo. Com a utilização de viaturas frigoríficas começaram a comercializar o produto por outros distritos. Dada a dimensão cada vez mais significativa do volume de negócios, os três sócios resolveram constituir uma sociedade a que deram a razão social de Triperu, tendo esta iniciada a sua actividade no dia 01 de Janeiro de 1986. Dado o volume já significativo na produção, e de modo a complementar os existentes, tomaram de aluguer outros pavilhões avícolas além de recorrerem à integração.

Por volta de 1990, e dando azo a um sonho, adquiriram um terreno sito à Estrada de São Miguel em Ribeira de Palheiros onde instalaram uma sala de desmancha e câmaras frigoríficas. Tendo ainda de recorrer a centros de abate externos para a realização do abate das aves, foi com satisfação que, em 1997, contiguamente à sala de desmancha, construíram o centro de abate com uma capacidade de 5.000 aves por semana. Por volta do ano 2000, os três sócios da Triperu, verificaram que tinham que dar um salto qualitativo na área do negócio, tendo então admitido técnicos nas várias áreas da produção e da gestão. Com pessoal mais qualificado, começaram a incrementar a produção de aves, tendo esta, mais do que triplicado, deixando assim de recorrer tanto à produção de outros agentes avícolas. De modo a puder responder de forma mais consistente ao mercado do norte do país, adquiriu-se, em 2005, um armazém frigorífico em Vila Nova de Famalicão. Dado as vicissitudes do mercado, e a globalização eminente do mesmo, e de modo a ganhar sinergias e massa crítica, deliberaram os sócios da Triperu efectuar uma parceria com o grupo Lusiaves SGPS em Outubro de 2006, com a cedência de 50% do capital social.

de desmancha e câmaras frigorificas através do aumento das respectivas áreas e novos equipamentos. Tem sido preocupação da Triperu o aumento da qualidade e segurança dos seus produtos de modo a corresponder às exigências dos mercados. Actualmente, a Triperu, onde laboram cerca de 150 colaboradores, é uma referência nacional na produção da carne de peru, tendo um parque de cerca de 1.000.000 aves/ano e uma capacidade de abate de 20.000 perus/semana.

Assim, e de modo a dar consistência ao aumento da procura e das necessidades da nova parceria, em 2009, deliberaram os actuais Accionistas aumentar as capacidades do centro de abate, sala

ABR/MAI/JUNHO 2010

_5


LUSI’NEWS Nº 13

management

ENTREPOSTO ESTREMOZ Dick Costa, Resp. Entreposto

A partir de agora, a Lusiaves está mais próxima dos seus clientes do Alentejo, com a abertura do seu entreposto de distribuição em Estremoz. A Lusiaves abriu este ano um novo entreposto de distribuição em Estremoz, alargando assim a sua rede de entrepostos no país. Este novo entreposto vai permitir o reforço da posição da empresa no Alentejo e uma maior proximidade aos seus clientes. A localização geográfica deste entreposto é de grande importância, pois vai permitir à Lusiaves, para além do mercado Alentejano, explorar e trabalhar o mercado de retalho na zona da Estremadura espanhola. O Entreposto de Estremoz tem uma área de 1000 metros quadrados e obedece a todas a normas de Segurança e Qualidade Alimentar. Está equipado com câmaras de frio positivo e negativo, para armazenamento de produtos congelados, refrigerados e transformados.

Álvaro, Sérgio Silva, Fábio Franco, João Toureiro

Diariamente é assegurado um controle rigoroso de stocks, e uma adequada rotação de produtos, assegurando-se assim a frescura e qualidade dos mesmos. No seu arranque, este entreposto conta nos seus recursos humanos, com 10 funcionários especializados e qualificados, de forma a garantir um serviço de qualidade, tendo em vista a fidelização e a satisfação dos clientes.

Luís Pereira, Julião Lopes, Rafael Carola, Francisco Correia, Francisco Catela, António Martins, Carlos Rato

Este novo entreposto de distribuição veio permitir-nos eliminar uma lacuna que ainda tínhamos, na distribuição dos nossos produtos na zona do Alentejo. Esperamos com este investimento, vir a contribuir, para que os consumidores alentejanos tenham à sua disposição produtos de qualidade e a preços acessíveis. António Martins

ENTREGA DE PRÉMIOS Assinatura do Protocolo de Cooperação entre a Lusiaves e a Escola Superior de Gestão e Tecnologia de Leiria Após a cerimónia de entrega dos prémios, atribuídos aos alunos do 3º ano do curso de Gestão e de Marketing da Escola Superior de Gestão e Tecnologia de Leiria, relativos a projectos elaborados para várias unidades de negócio do Grupo Lusiaves, (onde estes foram distinguidos com estágios em diversas áreas), promoveu-se um jantar de encerramento, no passado dia 25 de Junho, no Your Hotel & Spa. Ao qual se seguiu a assinatura formal do protocolo de cooperação, entre as duas instituições, que contou com a presença do Professor Dr. Luis Távora, Presidente da ESTG, com a Senhora D. Susana Gaspar, Administradora do Grupo Lusiaves assim como do Presidente do Conselho de Administração da Lusiaves, Senhor Avelino Gaspar.

6_

ABR/MAI/JUNHO 2010


LUSI’NEWS

Foto: victor Gonçalves

Nº 13

LUSIAVES patrocina

etapa do campeonato nacional de motocross elite e prova do nacional de juniores Mais de 3000 pessoas vibraram com o MotoCross da Marinha das Ondas, onde o espectáculo foi uma constante durante toda a tarde de corridas. A Lusiaves patrocinou a antepenúltima etapa do Campeonato Nacional de MotoCross Elite, com a participação de 32 pilotos, e a segunda prova do Nacional de juniores, que decorreu no passado dia 25 de Abril, no Crossódromo Sul do Mondego, na Marinha das Ondas, com a participação de 31 pilotos.

Recolha de Sangue na Lusiaves

O Instituto Português do Sangue esteve mais uma vez na Lusiaves a fazer uma recolha de sangue. Os colaboradores da Lusiaves, aderiram em grande número, a esta iniciativa de cariz voluntário.

Dar sangue é dar vida!

SEGREDOS DE COZINHA LUSIAVES Receita da equipa “Mais Sabor”

Frango com Banana ( Refeição para 4 pessoas) Tempo de duração: 45 min.

INGREDIENTES:

4 Peitos de Frango Sal e Pimenta 1 colher sopa de colorau 6 colheres sopa de mostarda ½ limão (sumo) 12 fatias de bacon 4 bananas 200g de queijo mozarela ralado 80g de manteiga 1 ramo de salsa

PREPARAÇÃO:

Abra os peitos de frango em três na horizontal sem separar e tempere com o sal, pimenta, o colorau, a mostarda e o sumo do limão. Disponha sobre cada pedaço de carne uma fatia de bacon. Descasque as bananas e corte-as às fatias no sentido do comprimento. Coloque os peitos de frango às camadas alternadas com as fatias de banana e espalhe o queijo por cima. Junte a manteiga e leve ao forno a 200ºC, por 30 minutos. Sirva de seguida decorado com salsa. ABR/MAI/JUNHO 2010

_7


LUSI’NEWS

01/08 Isabel Sónia da Silva Pereira Sopas Ana Cristina de Almeida Silva 02/08 Ricardo Manuel Henriques da Silva 04/08 Fábio Emanuel Pombeiro Franco

16/09 José Carlos Pedrosa Meneses

01/08 Carina Rosa Domingues Pedrosa

03/08 Mário Manuel Graveto

17/09 Vitor José Ferreira Lopes

18/08 Diogo Miguel Carreira Antunes

08/08 Pedro Jorge Pinheiro Cardoso

19/09 Filipe de Matos Teixeira Ribeiro

26/08 Mike Mendes Catarino

10/08 José António de Jesus Martins

30/08 Sónia Teresa Mota Ferreira

11/08 José Carvalheiro Fernandes

11/09 Armando Botas Ribeiro

12/08 José Custódio Matias Lourenço

17/09 Luís Miguel Domingues Jordão

18/08 Manuela Ferreira Bregieiro

21/09 Ana Bela Rosa Faúlha

06/10 Micael dos Santos Estrada

23/08 Carlos Manuel de Oliveira

24/09 Hugo Miguel Pedrosa Andrade

16/10 Eduíno Miguel da Silva Coelho Antunes

31/08 José Manuel Marques Leal Pinto

Lucilia Maria da Silva Cardoso Costa

22/10 Inês Raquel Pereira de Lavos

01/09 José Manuel Costa Vedor

Sandra Maria Borges Ferreira

28/10 Magda Isabel Pereira Otero

02/09 Carlos Manuel Ludovico Rato

Célia Maria Rodrigues dos Santos 20/09 Vitor Miguel Marques Nunes

Mario Jorge Alves Graca Hugo Alexandre Cruz Marques Lemos 06/08 Paula Alexandra de Abreu Romero Diogo José Rodrigues Borges Adélia Pereira da Silva 07/08 Nídia Maria Carreira Gomes Maria de Fátima Lourenco Videira Branco

Sandra Susana Ferreira Vieira

03/09 José Carlos Ferreira

25/09 Herminia Gomes Ferreira

Jorge Emanuel Casalinho Miguel

Olinda dos Santos Lopes Domingues

Luís Miguel Ferreira Gaspar 08/08 Rui Alexandre Cardoso de Sousa Dias 09/08 Carla de Jesus Jorge

12/09 José Rainho João

26/09 Eugénio dos Santos Ferreira

14/09 Francisco José Margalho Catela

Maria da Conceição Silva Rolo 27/09 Ana Maria Faria da Silva

10/08 Fernanda Do Rosário Norte Ramos

Nuno Filipe Ribeiro dos Santos 15/09 Luís Manuel Marques Duarte

30/09 Lúcia Maria Esteves Nunes Gomes

Nelson Luís Fernandes Peguicha

Maria Do Rosario dos Santos Paiva Ascenso

Gracinda Soares

01/10 Hélio Rodrigo Lourenço Ferreira

11/08 Leonid Vernyhora

04/08 Hermínio Manuel Duarte Alves

16/09 Dino Miguel da Silva Jordão

06/08 Maria Cândida Carreira da Costa

21/09 António José Granada da Costa Mendes

Pedro Miguel Germano Serra

Iryna Trokhanovska

10/08 Artur Jorge Fonseca Sequeira da Silva

Patricia Alexandra Silva Mosquito

Pedro José Galhardo Rato

14/08 Nuno Miguel Marques Almeida

03/10 Ivo Nuno Alves da Costa Pereira

12/08 Joana Capitão dos Santos Luciana Quintino Nascimento da Gama 13/08 Pedro Miguel Neto da Costa

Adelino de Jesus de Oliveira

04/10 Daniel de Sousa Pinto

18/08 José Marques Alexandre 24/08 Grigore Craciun

Ana Lúcia Gaspar Alexandre

Serhiy Karpinskyy 15/08 João Manuel Oliveira Calhau 16/08 Rúben Alexandre Rodrigues Vassalo 17/08 Maria Madalena da Silva Coelho

Lucilio Norte Gomes António Rolo da Silva

29/08 Cristiano Brites Domingues

25/09 Rui Manuel da Silva Freire

08/10 Ricardo Mota Marques

04/09 Tiago Tavares Ferreira Matos

26/09 Célio Fernandes Salema

06/09 Fernando Manuel Nunes Pires

29/09 Manuel António Morgado Gomes

11/09 João Carlos Duarte de Abreu Carreira

07/10 António Luís Ribeiro

Luís Filipe Dias Silva Mónica Alexandra Duarte Pedrosa 10/10 Maria de Lurdes Ferreira Carvalho Campinzes

Luís Jorge Nogueira Póvoa

Pedro Luís Carvalheiro Brandão Marques 23/09 José António Pedro Grilo Brites

06/10 Cristina Maria Vale Duarte

09/10 Cinthya Marie France Hunter Cacace

Viorel Cazacu

Gilberto Manuel Silva Rolo

13/09 Rodrigo Neves Anastácio José Manuel Lino Nobre

José Fernandes da Silva 09/10 Artur da Costa Almeida

18/08 Vitaliy Slobodyan

11/10 Olga Maria Pereira Costeira

15/09 Alexandre Miguel Leal Carvalho

15/10 Manuel Ferreira Pereira

19/08 Leonor Augusta Mateus dos Santos

12/10 Rodolfo António Alves da Rocha

21/09 António Ferreira Simões

16/10 Vitor Manuel Nata Santos

Cláudio Rodrigo Amêndola

22/09 João Manuel de Oliveira Pinto

17/10 José Fernando Martins Pinto

José Pedro Marques Ribeiro

24/09 Luís Miguel Sequeira Antunes

18/10 Jorge Manuel da Silva Rodrigues

13/10 Ermelinda Maria Pereira Borges dos Santos

01/10 Carlos Jorge Teixeira Mendes

19/10 José Carlos dos Santos Vale Quaresma

15/10 Carla Sofia Dionísio Esteves

08/10 Andrea Sofia Bento Figueiredo

20/10 Edmundo Silvério Ribeiro dos Santos Pedroso

09/10 Sara Alexandra Mendonça Antunes

25/10 Paulo Jorge Carreira da Silva

13/10 Luís Miguel Pereira Carreira

26/10 José Ferreira Duarte

17/10 Fernando Manuel Pereira Fernandes

31/10 Marco Filipe Carreira Antunes

21/08 Maria Cecilia Santos Baptista Vítor Manuel da Silva Rosado Irene Norte Gomes Rodrigues 22/08 Sonia Maria Matos Breda 23/08 Natella Byerodze

Norberto Pereira dos Reis

25/08 Maria de Fátima O.Marques Cordeiro 26/08 Mabilia Maria Leal Santos Farelo

16/10 Silvia Maria Carraco Jordão Joaquim Paulo de Carvalho Teixeira

Mariya Tunyk 27/08 José Manuel dos Santos de Oliveira Nunes 28/08 Rosa Fernandes Moreira

17/10 Sérgio Manuel Mota Gaspar

22/10 Bruno Miguel Ferreira da Costa

18/10 Micael Santo Cação

23/10 Bebiana Carvalho Pedrosa 25/10 Jorge Manuel Esteves

Ana Rute Pedrosa Da Silva 19/10 Susana Cristina Jordão Santos

29/08 Maria Lucília da Silva Cordeiro 30/08 André Dionisio Domingues Matias da Costa

Fernando Maria Nunes 27/10 Sandra Sofia Estevão Leal

Jorge Manuel Antunes Silva

Monica Alexandra Gomes Rodrigues

20/10 Luís Manuel Dias Oliveira

Guida Manuela Coutinho Ferreira

21/10 Diana Margarida da Silva Azenha Santiago

31/08 Manuel Fernando Carrasqueira Duarte 13/09 José António Costa Oliveira

Isabel Maria Ruivo Cordeiro Lino

Hugo Renato Leal Neves

20/09 António Manuel da Cruz Ribeiro Tomás

23/10 Albertina Maria Grilo Francisco

31/08 Olena Komarovska Carlos Rodrigues Alberto

Elisabete da Silva Neves Alexandre

Cláudia Adélia Silva Lima

Vitor Hugo Silva Pereira

02/09 Ana Catarina Monteiro Cabete

24/10 Alexandre Miguel Santos Borges

04/09 Celso dos Santos Gonçalves

18/08 Francisco Correia dos Santos

José Gonçalves Castanheira

05/09 Carlos Manuel Vila Balsa Rosa Maria de Jesus Nunes

22/08 Igor Mafteuta

Lidia Maria Almeida Gonçalves

06/09 Carlos Alberto de Almeida Pinheiro

Cidália Silva Ferreira Relvas

15/09 Manoel Messias Soares dos Santos

28/10 Artur João Borges Monteiro

Silvia Maria Marques Fernandes 06/09 Tiago José Silva Mosquito Maria Isabel Rodrigues Carvalho Batista 13/09 Irina Miscenco

02/10 Ana Paula Almeida Aguiar Ribeiro

Donzilia Simões Gandarez Matias

07/10 Lina Maria B. Fernandes Branco

João José Goncalves Silva 31/10 Anabela Gomes Rodrigues Dias

Sofia Marlene Santos Pereira

28/09 José Luís de Paiva Sousa

Carla Sofia dos Santos Gaspar 30/10 Joaquim António Ribeiro Moura

10/09 Oleksandr Bobyr

27/09 André Manuel Marques Conde

14/08 Igor José Domingues Mateus

26/10 Maria Edite Rodrigues Ferreira

Rasulov Nabijon

26/09 Alda Cristina Dias dos Rios

06/08 Paula Alexandra Henriques dos Santos

Joana Patricia Morais Gonçalves

André Filipe Reis Jordão

17/08 Maria da Conceição de Sousa Teodósio

17/10 Cláudio Rafael de Jesus Mendes 24/10 Carlos Ferreira

17/10 Rosa Maria Gomes de Sousa 30/10 Maria de Lurdes da Costa Oliveira

PAPÁS E MAMÃS Lusiaves (Sede) Lusiaves (Sede) Lusiaves (Sede) Lusiaves (Sede) Lusiaves (Sede) Hiperfrango Hiperfrango Lusiaves (Estremoz) Lusifrota (Racentro)

Andreia Gomes Rodrigues Cláudio Rodrigo Amendola Luís Abad Vidal Paulo Cristina Mendes C. Amendola Pedro Alexandre Gaspar Ferreira Ezequiel Ribeiro Henriques Manoel Messias Soares Santos João Nuno Avenca Toureiro José Manuel Marques Leal Pinto

14/09 Tânia Isabel Soares Do Amaral Batista Paulo Jorge da Silva Costa

8_

ABR/MAI/JUNHO 2010

Sede: Marinha das Ondas – Figueira da Foz Serviços Administrativos: Zona Industrial da Zicofa - lote 4 | Cova das Faias 2415-314 Marrazes - Leiria | Tel. 244 843 250 | Fax. 244 825 262

Coordenação Editorial: Eng. Ruben Claro da Fonseca | Produção: Media Consulting | Design e impressão: Publiconsult | Tiragem: 1.000 exemplares | Distribuição gratuita

ANIVERSÁRIOS

Nº 13

LusiNews n. 13  

LusiNews n. 13