Issuu on Google+

newsletter n.º11

Outubro | Novembro | Dezembro

Editorial

N

este ano recém-chegado, quero falar-vos de duas palavras: esperança e solidariedade, palavras tão necessárias aos tempos que vivemos. O ano de 2009, ficou marcado em Portugal, como de resto, em todo o Mundo, pelos efeitos da maior crise económica e financeira dos últimos 80 anos. Este foi portanto, um ano de grande exigência para todos: famílias, trabalhadores e empresas. A crise económica mundial persiste, é certo, mas há agora sinais de que estamos a retomar lentamente, um caminho de recuperação. Temos, porém, ainda muito trabalho pela frente. Precisamos de continuar a superar os desafios que se nos apresentam, transformando-os em oportunidades de crescimento e realizações.

Marinha das Ondas com “Mais Sabor”

No Grupo Lusiaves, conto com todos vós, para dar vida a esta esperança que tenho num ano de 2010, com crescimento económico. E a razão de ser desta esperança, é a confiança nas capacidades de todos os nossos colaboradores e funcionários. Esta é a nossa responsabilidade: estar à altura dos desafios dos tempos exigentes que atravessamos.

Abriu ao público, no passado dia 7 de Novembro, no centro da Vila de Marinha das Ondas – Figueira da Foz, mais uma loja alimentar da Lusiaves, com a marca “Mais Sabor”.

Falemos agora de solidariedade. Ser solidário, é apoiar quem mais precisa. E é isso que temos procurado fazer, apoiando os nossos colaboradores e as suas famílias, dentro do possível. No ano de 2009, o Grupo Lusiaves continuou a criar mais postos de trabalho, assumindo assim, a responsabilidade social e solidária, de contribuir para a diminuição do desemprego em Portugal. Todos sabem que podem contar da minha parte, com confiança, energia e determinação, ao comando da Lusiaves. É com este espírito e com esta atitude que encaro o ano de 2010. E sei que é também esta a atitude de todos vós, que todos os dias dão o melhor do seu esforço e do seu talento. Mas temos de perceber que a nossa crise não é apenas económica. É, também, uma crise de valores. Devemos também enaltecer, a prática do valor da ética nos negócios, nos mercados e na vida empresarial. O Grupo Lusiaves, já possui uma longa história da qual nos orgulhamos. E aqui estamos hoje, em 2010, porque acreditamos em nós próprios e num destino chamado futuro. Em nome desse futuro, temos de continuar a trabalhar e lutar com determinação.

Avelino Gaspar

A inauguração deste novo conceito de loja, permite-nos ir ao encontro das necessidades dos consumidores da comunidade envolvente. Esta loja conta com uma área de 230 m2 de atendimento e área técnica de apoio. A loja, encontra-se dividida em duas áreas: o Take Away, com churrasco a carvão e uma variedade de refeições prontas a comer e a levar para casa, e uma área de loja, que conta com vários lineares de livre serviço, segmentados em charcutaria e queijos, produtos alimentares frescos e congelados, produtos de conveniência e um talho com carnes de aves, sempre frescas. Como apoio, a loja dispõe de uma área técnica com cozinha, várias câmaras frigoríficas, sala de higienização de utensílios, balneários para colaboradores e um economato. Imagem, mobilidade, conveniência, preço, ambiente, segurança alimentar e um bom acolhimento, são aspectos que foram tidos em conta, nesta nova loja. Os cerca de 800 colaboradores que trabalham nas empresas do grupo, implantadas nos concelhos da Figueira da Foz, Pombal e Leiria, e a comunidade da vila de Marinha das Ondas, constituem a clientela alvo.

Presidente do Conselho de Administração Outubro | Novembro | Dezembro

1


Reportagem

newsletter n.º 11

Lusiaves

Eng. Luís Antunes - Responsável

Centro de Incubação O Centro de Incubação da Lusiaves está equipado com as mais adequadas e avançadas soluções tecnológicas ao nível da incubação de ovos, possuindo um dos mais modernos sistemas de recuperação de calor, permitindo poupar bastante energia no aquecimento das salas, está também equipado com uma linha de automatismos das mais modernas e práticas a nível mundial.

Recepção dos Ovos Os ovos provenientes das quintas, após a sua recepção, são fumigados durante cerca de 30 minutos. A fumigação dos ovos é muito importante, pois através dela vamos eliminar bactérias, presentes na casca do ovo, prejudiciais à incubação. Uma amostra aleatória de ovos, de cada lote recepcionado, é examinada visualmente. O exame do exterior do ovo, permite identificar anormalidades no seu formato ou tamanho, se há irregularidades na formação da casca e se esta se apresenta intacta. A seguir a este processo, os ovos são transferidos mecanicamente dos carros de transporte de ovos, para os trolleys de incubação. Findo este trabalho, os ovos são armazenados a uma temperatura de 17,5ºC onde permanecem 3-4 dias, antes de irem a incubar.

Incubação dos ovos Os ovos são colocados nas incubadoras onde permanecem 18 dias. Ao longo deste período, os ovos passam por um programa de incubação composto por 12 estágios, a cada estágio, corresponde um determinado período de tempo, temperatura, humidade e ventilação diferentes. A cada hora que passa, os ovos são voltados, evitando-se desta forma que o embrião se cole à casca, favorecendo a circulação sanguínea. 2

Outubro | Novembro | Dezembro


Reportagem

newsletter n.º 11

Nascimento/Contagem/Expedição dos Pintos

Grupo 1

Decorridos os 18 dias de incubação e os 3 dias de eclosão, os pintos são separados da casca. Os trolleys de eclosão, são conduzidos até á máquina de desempilhar. As caixas com os pintos, são automáticamente esvaziadas para uma passadeira de rolos, no final da qual as cascas são aspiradas. Os pintos, são transportados por tapete rolante, para posterior processamento.

Grupo 2

Transferência dos ovos Após os 18 dias de incubação, os ovos são transferidos para as eclosoras. Durante a transferência, os ovos são mirados, uma espécie de radiografia. O princípio de funcionamento da ovoscopia é bastante simples: os ovos passam sobre uma fonte de luz e, nessa passagem, a máquina examina-os através de uma câmara digital a cores e determina se o ovo é fértil ou infértil. Esses dados, são gravados num banco de dados e disponibilizados ao operador. Os ovos inférteis, são retirados dos tabuleiros por ventosas e enviados por vácuo para a cisterna dos subprodutos. Os ovos férteis, são retirados dos tabuleiros de incubação por ventosas e colocados em caixas de eclosão, que por sua vez são empilhadas automaticamente e conduzidas para as eclosoras onde permanecem mais três dias. Durante estes três dias, os ovos passam por um programa de eclosão composto por 7 estágios, a cada estágio, corresponde um determinado período de tempo, temperatura, humidade e ventilação diferentes.

Os pintos, já devidamente separados das cascas e após passarem por uma triagem, onde os inviáveis são excluídos, seguem para as máquinas de contar, onde são contados e colocados em caixas. Após a contagem, os pintos são vacinados através de spray (nebulização).

As caixas com pintos são empilhadas automaticamente, conduzidas até ao camião e expedidas para os criadores.

Outubro | Novembro | Dezembro

3


Management

newsletter n.º 11

Lusiaves

Eng. Gonçalo Ladeiro

Secção de Expedição e Cargas A única forma de estar num mercado, onde a concorrência é constante, assegurando uma posição de destaque, é manter os clientes satisfeitos. Na Lusiaves, incutimos essa mentalidade a todos os colaboradores da nossa equipa. Durante todo o processo, desde a recepção /encomenda, até á entrega, a satisfação do cliente e a melhoria constante é o nosso objectivo primordial.

Análise e Gestão de Encomendas A expedição, inicia-se após a recepção das encomendas. A análise das encomendas, é o primeiro passo, pois é necessário verificar se existe disponibilidade de produto em stock para a satisfação das mesmas, ou se é necessário o cumprimento de algum requisito que acompanha a encomenda. A relação, entre cliente e LUSIAVES, é mantida através do vendedor responsável pela transmissão da encomenda, assim como por todos os requisitos exigidos pelo cliente. A gestão dos produtos necessários para a expedição, é efectuada primariamente pelo Departamento de Compras, tendo como base, o histórico e o acompanhamento das quantidades recepcionadas nas encomendas ao longo do dia, confirmadas pela expedição. O trabalho efectuado pelo departamento de compras, permite responder na hora às encomendas dos clientes, dando uma resposta quase imediata, da satisfação ou não, da encomenda. Caso não seja possível satisfazer o cliente, procuramos sempre uma alternativa, que pode passar por sugerir outro produto semelhante, ou adiar a entrega para algumas horas mais tarde. Todos os intervenientes neste processo, têm que estar sensibilizados para a satisfação das necessidades dos clientes, servindo sempre as suas necessidades.

4

Outubro | Novembro | Dezembro

Satisfação das Encomendas – Expedição e Cargas A expedição, é uma operação extremamente delicada que envolve muitos cuidados, não só na preparação de encomendas, visto que se está a trabalhar com produtos extremamente perecíveis e delicados, mas também na preparação das cargas e das viaturas. A temperatura de armazenamento, definida como a temperatura indicada para manter os produtos nas melhores condições organolépticas, deve ser mantida desde o armazenamento até a entrega ao cliente. Isto só é possível, através de um sistema contínuo de frio, desde as câmaras de armazenamento, passando pela zona de expedição e acabando nos carros de distribuição (equipados com zonas de congelados e frescos independentes), mantendo sempre o frio ligado, desde o inicio das cargas até ao fim da entrega, mantendo as temperaturas de conservação exigidas. Actualmente, evoluímos para uma nova metodologia de expedição e cargas, onde a expedição é feita directamente do armazenamento para as viaturas, conferindo-se todos os pesos e requisitos, antes de os produtos entrarem nas viaturas.


Management

newsletter n.º 11

As viaturas, depois de carregadas, são todas sujeitas a um processo de pesagem e confirmação, onde se verifica se os pesos nas facturas estão correctos, e se não ocorreu nenhuma anomalia durante a pesagem ou durante a facturação, para que os clientes, recebam os produtos correctamente facturados.

Qualidade e Segurança Alimentar Todos os produtos expedidos, devem ter uma boa apresentação e não apresentar nenhuma alteração das suas características organolépticas iniciais. Isto só é possível, através de um rigoroso controlo durante todo o processo, desde a preparação, expedição e carga, até ao cliente.

A expedição/cargas, é feita sequencialmente, seguindo uma ordem pré definida de saída de viaturas. A cada viatura, corresponde uma zona de distribuição diferente e um grupo diferente de clientes, onde a sua ordem de descarga já foi pré definida, de acordo com o horário de entrega ou a sua localização.

A política de FEFO (First Expire First Out) e FIFO (First In First Out), é rigorosamente controlada, pois trabalhamos com produtos extremamente perecíveis, e é nossa política, melhorar continuamente a qualidade e a segurança alimentar dos produtos, colocados no mercado diariamente.

Terminando as cargas, todas as viaturas são pesadas e ligadas, mantendo-se o sistema de frio em funcionamento, assegurando-se assim, as temperaturas legais recomendadas para o produto.

Verificação de cargas Antes de efectuada a carga, é feita uma inspecção ao carro e ligado o sistema de refrigeração do mesmo, sendo feita a medição da temperatura e verificada a higiene da viatura. Só após esta análise, se procede ao inicio da carga. Todo o processo de expedição /cargas, é sujeito a verificações constantes que visam eliminar a probabilidade de ocorrências e não conformidades. Após a satisfação de cada encomenda, estas são pesadas e verificadas, verificando-se se o produto está de acordo com as especificações de cada cliente e se não apresenta nenhuma anormalidade. Desta pesagem, resulta um registo do lote, quantidades líquidas expedidas, taras e colaborador que satisfaz a encomenda. Estes dados, são extremamente importantes para assegurar a rastreabilidade do produto.

Outubro | Novembro | Dezembro

5


Notícia Reportagem

newsletter n.º 11

Dar sangue é dar vida! Recolha de Sangue na Lusiaves No dia 22 de Setembro de 2009, o Instituto Português do Sangue esteve na Lusiaves a fazer uma recolha de sangue. Os colaboradores da Lusiaves, aderiram em grande número, a esta iniciativa de cariz voluntário.

Marinha das Ondas com “Mais Sabor”

Abertura da Loja Alimentar na Marinha das Ondas

6

Outubro | Novembro | Dezembro


Reportagem

newsletter n.º 11

Natal de 2009 Como já vem sendo hábito, celebrou-se mais um almoço de natal do Grupo Lusiaves, num ambiente de perfeita confraternização e descontracção entre os presentes. Durante o almoço, servido com muita qualidade, como já tinha acontecido em anos anteriores, foram distinguidos pelo presidente do grupo, Sr. Avelino Gaspar, com um troféu e o respectivo diploma, os funcionários com 20 anos de serviço nas respectivas empresas.

Outubro | Novembro | Dezembro

7


8


LusiNews n. 11