Issuu on Google+


J uvenil B arbosa

Descobrindo o verdadeiro poder da adoração


Gerente editorial Roger Conovalov Projeto Gráfico Lura Editorial Revisão Pâmyla Serra Capa Lura Editorial

Todos os direitos desta edição são reservados a Juvenil Barbosa Av. Manoel Salgado, 208 Birigui – SP – CEP 16202-395 Faça seu pedido pelo telefone: (18) 9637-3883 | (18) 9152-1962

Catalogação na Fonte do Departamento Nacional do Livro (Fundação Biblioteca Nacional, Brasil)

Barbosa, Juvenil O Adorador / Juvenil Barbosa ISBN: 978-85-86261-24-4 1. Adoração 2. Vida Cristã I. Título.

Índice para catálogo sistemático: I. Cristianismo e Teologia Cristã 230 Publique seu livro com a Lura Editorial. www.luraeditorial.com.br


AGRADECIMENTOS Ao meu Deus, que muito me amou e me ama, a ELE seja a honra e glória para todo o sempre, pois me deu graça para a escrita deste livro. A minha esposa Guaraciara, que eu tanto amo, e as minhas filhas Sara e Raquel, que me ajudaram a digitar este pequeno livro. Ao meu amigo Pastor Osvanil Paganini, o qual acreditou no meu ministério e na direção de Deus e me chamou para a obra do Senhor. E também à diretoria do Ipiranga e ao amado Pastor presidente Alcides Favaro. Ao meu Pastor José Rodrigues e a todos os companheiros de ministério que estão orando por mim. Sou grato a Deus por tudo.


A igreja de Cristo tem experimentado uma transformação na sua forma de adoração. O assunto merece ser levado a sério nestes últimos dias, uma vez que a sua prática são diversas e não apresentam uma mesma compreensão entre os cristãos.


SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO

11

2. ADORAÇÃO

13

3. LOUVOR

15

4. O ADORADOR

17

5. A BÍBLIA E A ADORAÇÃO

19

6. VIVER EM ADORAÇÃO

23

7. ADORANDO COM A FAMÍLIA

29

8. O ADORADOR E AS FINANÇAS

39

9. ADORADOR SEM ELOGIOS

45

10. ADORADOR SEM CONHECIMENTOS

49

11. ADORAÇÃO REJEITADA

53

12. ADORAÇÃO INTERESSEIRA

59

13. ADORAÇÃO NÃO PERMITIDA

61

14. CONCLUSÃO

63

BIBLIOGRAFIA

65


Introdução

B

aseado e crendo que a Bíblia é a única regra de fé para o cristão e também a autoridade máxima, para qualquer assunto, inclusive a música em seu modelo de adoração, foram elaborados alguns parâmetros para que o sincero adorador leigo e outros que tenham dúvidas sobre o modelo seguro de adoração alcancem, pela exposição desta, a compreensão, mas clara e segura, dos motivos dos quais devem reger o adorador e cujos o levarão a receber os resultados do adorador aprovado por Deus. Deus, quando criou o homem, ou seja, o primeiro homem, colocou dentro dele um espírito de adorador. O homem 11


O Adorador

em si é um ser que necessita de adorar a Deus, pois ele não vive sem adorar, sua alma ou seu espírito procuram adorar a Deus, ou a (deuses). Por esse motivo, ao ler esta exposição de adoração, o leitor saberá qual motivo de adoração está fazendo, se está dentro da vontade de Deus ou está sendo rejeitado por Ele o seu clamor ou a sua adoração. Partindo de algumas adorações bíblicas, trataremos assuntos relacionados à verdadeira adoração ao qual o nosso Deus recebe. Também fundamentado em testemunhos bíblicos, iremos ver a posição do falso adorador ou da falsa adoração pela qual é refutada, expurgada, rejeitada por Deus – visando que não poderá ter uma base de adoração, ou qualquer ritual de adoração, que não seja de profundidade bíblica. Quantas perguntas têm permeado o coração dos adoradores de Deus... Mas as questões que trataremos neste assunto são: o Louvor é uma adoração, sendo ele cantado em voz alta? Existe adorador sem saber a quem ele está adorando? A adoração pode ser rejeitada? Há adoração por interesse? Em todos os lugares podemos adorar a Deus? Depois desta leitura, o leitor será capaz de entender que o louvor é um dos agentes da adoração dentro dos moldes bíblicos, saber quem ele está adorando, nem todo louvor ou adoração levam a Deus, adoração por interesse pode ser rejeitada e que nem todos os lugares Deus quer que O adoramos.

12


Adoração

S

e for um ministério, um chamado, uma vocação ou um dever de todo ser humano; ser um adorador do Deus que fez tudo e todo ser para o Seu nome ser glorificado. O salmista nos convida a louvar a Deus, não somente um, mas tudo o que tem fôlego a glorificar ao seu criador (Salmos 150:1-6). Vemos nos dias atuais o quanto precisamos – quando falamos “precisamos”, estamos todos incluídos – nos prostrar com um coração, mas quebrantado diante Dele, pois se Ele nos fez seres adoradores, é porque Ele quer ver, sentir, aceitar, responder, nossas adorações. 13


O Adorador

Sendo Ele Deus, se humilhou, deixou toda a sua glória, se encarnou, viveu como nós, sentiu o que nós sentimos, dormiu assim como nós dormimos, chorou assim como nós choramos, sentiu sede assim como nós sentimos. Foi humilhado, criticado, maltratado, cuspido, rejeitado por muitos, crucificado, mas ao terceiro dia foi ressuscitado, para que todos saibam que Ele é e sempre foi o dono da vida, o criador do Universo, do homem, e o único que merece ser reverenciado, adorado para todo o sempre.

14


louvor

P

ara ministrar no templo, ou no tabernáculo nos dias de Moisés, Deus chamou a tribo de Levi para todo o tipo de ministério e trabalhos referentes à Sua adoração. A adoração é tão importante que o próprio Deus estabeleceu uma tribo de Israel para que, no momento da adoração, ou no momento no qual o povo oferecesse os seus sacrifícios, não houvesse nenhum impedimento para que o sacrifício ou adoração fosse realizado. Louvor ou adoração? Seria isso o que estamos vendo nestes últimos dias? Pessoas gritam, choram, caem no chão, ou no piso dos grandes templos, rugem como leão, batem palmas, batem os pés, dançam, 15


O Adorador

falam em línguas diferentes, tudo isso não passa de um simples louvor em que a alma está alegre, e o ser humano, em sua maioria, deixa-se atrair pela emoção. O sumo sacerdote ia ao “Santo dos Santos”, ou “no mais íntimo”. A verdadeira adoração está no espírito e não na alma, no Santo dos Santos, onde Deus recebe a nossa adoração. Não podemos ficar com águas somente nos joelhos, nos lombos, temos um rio do Espírito que quer receber a nossa adoração, com um coração, mas quebrantado diante de Deus. Conforme diz Ellen G. White, “Deus deseja que o nosso louvor ascenda a Ele com o cunho de nossa verdadeira (própria) adoração”. Assim como toda adoração requer renúncia, o louvor requer renúncia também. A Bíblia diz que quem está alegre cante e quem está triste ore, pois a alma triste não tem forças para se aproximar de Deus e precisa fazer algo para não perder o contato com o seu Criador. Assim como Deus pode rejeita orações, Ele também tem rejeitado muitos louvores, pois são verdadeiras badernas evangélicas que, ao invés de adorar a Deus, tem afastado muitos da presença Dele. Trataremos de assuntos muito intensos neste livro, assuntos que você, caro leitor, precisa saber sobre adoração.

16


O adorador

U

m assunto que tem sido muito pouco falado em nosso tempo é o tema adorar. Existem várias correntes do pensamento sobre adorar. Uns dizem que adoração não é ministério, mas tem que partir de cada ser humano. Outros dizem que a tribo de Levi foi constituída para realizar o ministério de adoração no meio do deserto, uma tribo convocada por Deus para a concretização de um chamado específico. O adorador é aquele que oferece um sacrifício, ou um holocausto. Sabemos que o holocausto é um culto oferecido a Deus, ele pode ser tanto aceito como pode ser rejeitado por Ele. 17


O Adorador

Vivemos em um mundo pós-moderno, que apresenta grandes perigos para a igreja evangélica brasileira e para todos os cristãos fiéis do mundo. Pois o mundo já está totalmente globalizado com os seus sistemas anticristãos e, para isso, a igreja de Cristo Jesus precisa estar atenta no que diz respeito ao tema adoração. Novas gerações estão passando por grandes desafios, já que muitas igrejas perderam o equilíbrio de sua verdadeira identidade com Cristo, ou seja, perderam o real valor de uma verdadeira adoração para com o seu Deus, e estão vivendo de vento em popa, querendo não adorar a Deus, mas querendo ser adorado, querendo mostrar sua adoração pelas esquinas como os Fariseus faziam para serem vistos pelos homens. A igreja tem, sim, que mostrar o seu papel evangelístico indo para as ruas e aos campos e valados, mas não a fim de se mostrar, tem que ir com o coração, cheio de compaixão pelas almas. A igreja de Cristo tem um referencial histórico e profético que jamais pode ser lançado fora ou perdido em meio à caminhada nesta terra. Este livro, “O adorador”, mostrará que a igreja de Cristo não pode cair nas mazelas da igreja do passado – quer dizer, nem todos caíam, pois Deus sempre tem um remanescente fiel que o adora em espírito e em verdade –, mas que possamos ressurgir como verdadeiros atalaias que anunciam ao povo que se diz povo de Deus, pois seus erros doutrinários, suas heresias, suas falsas adorações a um deus também falso, os seus erros em adorar a Deus, suas práticas, seus rituais, seus gestos, como têm se desviado dos costumes que Deus sempre adotou para o seu povo. 18


O Adorador