Page 1

Abril/2009 Nº 014

Cultura na rede Gerência de Tecnologias Educacionais e Infra-estrutura

Criação: Luiz Napoleão Vieira CONFIRA NESTE INFORMATIVO

Revisão: Carlos Holbein

Os 10 mandamentos do aluno de educação on-line:

Ensinando e aprendendo com as TIC

Ensinando e aprendendo com as TIC

Múltiplos papéis do professor de EAD: uma abordagem centrada na aprendizagem

A EAD e o novo caminhar da Educação

O poder da linguagem

NTE colaborando com o projeto conhecendo a AMPLASC

O Núcleo de Tecnologias Educacionais da Secretaria de Desenvolvimento Regional de Brusque, iniciou seu 1º encontro presencial da Formação Continuada no último dia 25/03, a qual teve como abertura uma palestra com o Profº Rogério dos Santos Pedroso ( Professor da Unifebe e também Diretor de Tecnologias Educacionais da Prefeitura de Brusque ), durante uma hora e trinta minutos o Professor falou sobre a “importância do novo papel do professor em relação a geração NET”. Sua fala veio de encontro à primeira Unidade da proposta do curso frisando de forma clara e objetiva que, hoje frente às novas tecnologias de informação e comunicação, o professor precisa estar continuamente se reciclando a fim de atender as exigências atuais preparando o aluno para estar inserindo na sociedade em que vive. Após a palestra as Multiplicadoras do NTE expuseram a metodologia do curso que será desenvolvido na plataforma E-Proinfo, sendo que apenas 32 horas serão presenciais e 68 horas totalmente à distância. Por ser uma formação basicamente a distância, uma forma totalmente nova para muitos professores cursistas, o NTE expôs por meio de uma apresentação de slides em que implica uma formação em EAD e quais os principais requisitos. Segue abaixo os 10 mandamentos da Educação a Distância:

1. Acesso à Internet: ter endereço eletrônico, um provedor e um equipamento adequado são prérequisitos para a participação nos cursos à distância. 2. Habilidade e disposição para operar programas: ter conhecimentos básicos de Informática é necessário para poder executar as tarefas. 3. Vontade para aprender colaborativamente: interagir, ser participativo no ensino a distância conta muitos pontos, pois irá colaborar para o processo ensinoaprendizagem pessoal, dos colegas e dos professores. 4. Comportamentos compatíveis com a etiqueta: mostrar-se interessado em conhecer seus colegas de turma respeitando-os e fazendo ser respeitado pelo mesmo. 5. Organização pessoal: O planejamento e a organização são fundamentais para facilitar a revisão e a recuperação de materiais. 6. Vontade para realizar as atividades no tempo correto: anotar todas as suas obrigações e realizálas em tempo real. 7. Curiosidade e abertura para inovações: aceitar novas idéias e inovar sempre. 8. Flexibilidade e adaptação: requisito necessário à mudança tecnológica, aprendizagens e descobertas. 9. Objetividade em sua comunicação: comunicar-se de forma clara, breve e transparente é ponto chave na comunicação pela Inter-


Ensinando e aprendendo com as TIC

net. 10. Responsabilidade: ser responsável por seu próprio aprendizado. O ambiente virtual não controla a sua dedicação, mas reflete os resultados do seu esforço e da sua colaboração.

do Salto para o Futuro, TV Escola Rod. Antônio Heil, Km 28, nº 2000. CEP: 88352-501 Fone: (47) 3252-1137 ramal: 33

Página 2

busca de informações para a construção do conhecimento. Alunos e Professores interagem na sala informatizada da escola na busca de informações para a construção do conhecimento.

Fonte: http://comunidade.cdtc.org.br/mod/ book/view.php?id=23835&chapterid= 10123 Acesso em 23/03/09 Após a explanação a mesma foi complementada por meio de um vídeo capturado no You Tube numa entrevista com o filósofo Pierre Levy fazendo suas considerações sobre a importância desta modalidade de Formação na época em que estamos vivendo por meio de seu livro “Cibercultura”. You tube:

http://ntebrusque.blogspot.com

Depoimentos Alunos: “A Sala de informática é importante porque saímos dos conteúdos de sala de aula e podemos nos informar além dos livros e das au-

http://www.youtube.com/watch?v=I ttySRqwELs

las teóricas e um universo bem mais amplo”.

A Imprensa da SDR Brusque publicou evento através da sua página e também no site da Rádio Cidade de Brusque. Site SDR: http://www.bqe.sdr.sc.gov.br/ ( clicar em Notícias) Site Rádio Cidade: http://www.radiocidadeam.com.br/ web/noticia.php?cod_noticia=6282 &Tecnologias_da_Educacao_e_te ma_de_curso_na_SDR_Brusque

(ELIADE FREITAS – 7ª SÉRIE) SALA INFORMATIZADA A MOTIVAÇÃO DOS ALUNOS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

Desde que o NTE iniciou com os professores da EEB Alexandre Ternes Filho em Tijucas o Curso de 40 horas do Programa Proinfo Integrado MEC “Introdução à Edu-

Lúcia de Oliveira Fernanda Bizzarri Multiplicadoras NTE Brusque NTE - Núcleo de Tecnologias Educacionais - Brusque GERED/SDR Brusque Programas: PROINFO Integra-

cação Digital”, professores se motivaram a utilizar a sala informatizada da escola. Alunos e Professores interagem na sala informatizada da escola na

“Adoro vir na sala de informática, pois, aqui podemos pesquisar coisas novas e mexer no computador”. (VITÓRIA MAFRA ARAÚJO – 3ª ª 02)

“Antes o que era um sonho agora se tornou realidade. A sala de informática em nossa escola funcio-


Cultura nae aprendendo rede Ensinando com as TIC

na com vários computadores com programas educacionais e internet. Temos acesso a eles através de nossos professores e da professora Denise que está sempre aqui para nos receber. Adoro estudar nessa escola”. (CARLA LOPES – 6ª02) Depoimentos Pais e Professores: “Tenho um filho que estuda nessa escola e penso que a sala de informática é muito importante para a aprendizagem dele e dos outros colegas também. além de servir para ele, está servindo para mim também pois, estou fazendo o supletivo e hoje estou aqui fazendo uma pesquisa sobre o relevo brasileiro.” (Lindamir Czaczak – mãe de um aluno desta escola). “É de extrema importância a sala informatizada num estabelecimento de ensino pois, propicia o acesso dos alunos, principalmente os de baixa renda a este novo universo que é a tecnologia. o mundo hoje está direcionado neste sentido e não podemos nos esquivar disso. nós professores, principalmente os mais velhos na carreira como eu, devemos estar sempre nos reciclando e procurando estar por dentro dessa informatização que leva muito mais rapidamente ao conhecimento.” (joacir dos santos – professor de inglês desta escola).

“Trabalho com uma aluna d.m. da 4ª 02 desta escola e penso que a sala informatizada tem sido de extrema valia na aprendizagem dela pois ela demonstra interessa nas aulas e procura fazer sempre as atividades propostas. durante o uso da sala de informática. com a ajuda da professora Denise, procuramos buscar atividades que atraiam a atenção dela , o que corresponde muito bem. penso que todas as escolas deveriam utilizar a sala informatizada da forma que usamos a nossa, pois torna-se um excelente complemento do processo ensino-aprendizagem.” (APARECIDA SPERANDIO – PROFESSORA AUXILIAR DA 4ª 02 DESTA ESCOLA) A Sala Informatizada vem sendo coordenada pela Professora Denise (20 h readaptada) e com certeza agora com a contratação do ACT que auxiliará os professores diariamente no uso da Sala Informatizada o trabalho será ainda mais eficaz, sendo que a escola dispões de 10 Equipamentos do Proinfo MEC e 12 das Bancadas da SED. NTE - Núcleo de Tecnologias Educacionais – Brusque GERED/SDR Brusque Programas: PROINFO Integrado, Salto para o Futuro, TV Escola Rod. Antônio Heil, Km 28, nº 2000. CEP: 88352-501 Fone: (47) 3252-1137 ramal: 33 Endereço do Blog: http://ntebrusque.blogspot.com

Página Página 33

Lúcia de Oliveira Fernanda Bizzarri Multiplicadoras NTE Brusque NTE - Núcleo de Tecnologias Educacionais - Brusque


Múltiplos papéis do professor de ensino a distância: uma abordagem centrada na aprendizagem

Página 4

Múltiplos papéis do professor de ensino a distância: uma abordagem centrada na aprendizagem Se Maomé não vai à montanha, a montanha vem até Maomé, brincando com as palavras podemos traçar um paralelo a respeito da Educação a Distância: - se o aluno não vai até a faculdade – a faculdade vem até o aluno – A cada dia, mais e mais, opções de cursos de graduação e pós-graduação têm sido oferecidos na modalidade de EaD – Ensino a Distância, mas quais são os parâmetros dessa nova forma de ensino? A Educação a distância pode ser definida como um processo de ensino-aprendizagem, mediado por novas tecnologias, onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente. Aparentemente seu conceito é simples, já sua composição bem mais complexa. No Brasil ela está presente desde 1997, onde oferecia inicialmente apenas cursos de pósgraduação, já em 2002, foram introduzidos os primeiros cursos de graduação à distância. Essa prática relativamente nova trás consigo diversos questionamentos: Como desenvolvê-la e qual é o papel do professor de EaD? Como avaliar sua didática e seus meios utilizados? De que modo podemos mensurar sua qualidade? Dessa forma o perfil do professor tem se modificado a cada dia, com a introdução das TICs – Tecnologia de Informação e Comunicação. Essa tecnologia inserida no modelo de educação a distância tem provocado uma revolução no conceito, ensino x aprendizagem, e sua qualidade. A quebra do paradigma a respeito do professor que antes era visto

unicamente como o Mestre detentor do saber e transmissor do conhecimento, ilustra-se hoje como a do educador multifuncional que deve interagir com o aluno, através das mídias disponíveis, se tornando também um recurso de aprendizagem do aluno. É indispensável a sua capacidade multidisciplinar, hoje é necessário reunir todo esse perfil além da função de transmitir o conhecimento. O papel do professor nesse cenário ressalta a importância da utilização dos recursos tecnológicos e o acompanhamento de seus avanços. Dá luzes ao foco multidisciplinar, á necessidade dos diálogos dinâmicos por chats, e-mails, telefone, das didáticas para teleconferências, capacidade de gestão administrativa de projetos, coordenação de pesquisas entre outras inovações. “São produtores quando elaboram suas propostas de cursos; conselheiros quando acompanham os alunos, parceiros quando constroem com os especialistas em tecnologia abordagens inovadoras de aprendizagem” na visão de *Authier. E esse grande desafio não pode ser lançado ao profissional sem respaldo e sim por meio de treinamento adequado que tenha como base, questões pisicopedagógicas e não meramente técnicas. A formulação de orientações e o treinamento pessoal especializado são fundamentais para subsidiar o educador em questão. A comunicação nesse caso se torna um dos elementos centrais na EaD, tendo em vista principal

mente essa nova relação que se define entre professor x aluno, não mais face a face, mas veiculados por meio das tecnologias da informação e da comunicação. “O professor deve assumir-se como um recurso do estudante, sendo produtor de mensagens inscritas em meios tecnológicos, destinadas a estudantes à distância, criando um intercâmbio entre a aprendizagem e a sociedade onde estamos inseridos; assumindo o papel de facilitador incentivador ou motivador da aprendizagem e usuário ativo e crítico, mediador entre os meios tecnológicos e os alunos, buscando utilizar-se de diferentes recursos para que a comunicação seja estabelecida” afirma *Belloni. Por fim, cabe lembrar que nesse novo contexto educacional o aluno também possui uma carga elevada de responsabilidade no processo de aprendizagem, em que não basta, contentar-se com o lado bom do ditado de que a Montanha veio até Maomé. Pois para garantir o seu êxito não bastam professores capacitados e a alta tecnologia dos recursos utilizados, mas também algumas características primordiais como: o empenho e o esforço do aluno, para a escalada ao outro topo da montanha. Sobre trecho esse acho que Maomé não falou... *AUTHIER, Michel. Le bel avenir du parent pauvre. In Apprendre à distance. Le Monde *BELLONI, M.L. Educação a Distância, Campinas: Autores Associados, 2003 Fonte: Daniela Valadares Figueiró Jornalista http://danielafigueiroevariasideias.blogspot.com/


Cultura rede caminhar da Educação A EAD ena o novo

Página Página 55

A EAD e o novo caminhar da Educação A educação está trilhando por caminhos “nunca d’antes navegados” e isso é muito bom tanto para os alunos quanto para a escola. As mudanças na educação sempre foram muito lentas, e hoje enxergo a luz no final do túnel muito próxima, principalmente porque a educação, por estar em parceria com a tecnologia e esta caminhar numa velocidade estonteante, está incentivando que mudanças aconteçam num processo mais rápido. A EAD está promovendo um novo estilo de pedagogia que tem o foco tanto na aprendizagem individual quanto na coletiva. Quando um aluno opta por um curso em EAD tem que ter a consciência de que será o protagonista da sua aprendizagem. Ele irá desenvolver uma nova metodologia de aprendizagem onde terá que aflorar a iniciativa e a autonomia de estudo. Quem frequenta os cursos semipresenciais, normalmente com uma aula por semana, diferentemente dos presenciais, tem que se apropriar do conteúdo antes de assistir a aula. Deverá ler o material indicado durante a semana anterior à aula, para que, ao assisti-la ministrada ao vivo através de telões, possa sanar as dúvidas, por ventura, existentes. Caso o conteúdo exposto pelo professor não consiga responder aos seus questionamentos, poderá o aluno interagir através do 0800 perguntando diretamente ao professor, ao vivo e em abrangência nacional. O aluno que assim age tem muito mais chance de adquirir conhecimento através das informações transmitidas do que aquele que

restringe sua participação somente ao assistir as aulas e só estudar em época de prova. Este é um comportamento típico da metodologia tradicional em que o aluno frequenta a aula sem saber qual o assunto a ser tratado. Este comportamento não tem mais o porquê existir. Hoje as informações estão ao alcance de todos. Basta digitar o tema no Google e lhe será apresentado uma gama de sites com conteúdos riquíssimos. Porém, a informação sem significação de nada adianta. O que promove a aprendizagem e consequente conhecimento é a informação significativa. Por esta razão que o interesse e o comprometimento tem fazer parte do perfil do estudante do século XXI. O curso ministrado totalmente em EAD exige o mesmo perfil do estudante, e o professor tem que ser completamente presente embora assíncrono. Tanto o aluno quanto o professor podem fazer o seu horário de estudo e de interação, porém têm que ser constantes e cotidianos. O professor deve responder a cada manifestação do aluno promovendo uma interação frequente, motivando-o a se manifestar. Deverá acompanhar a sua frequencia na sala onde o curso está sendo ministrado, e caso o aluno fique mais de dois dias sem acessar, deverá o professor chama-lo a participar através de emails. Este comportamento não é arcaico, muito pelo contrário, ele supre a falta do contato físico existente no sistema presencial. O aluno, no momento em que acessa a sala da plataforma onde o curso está acontecendo, o faz na expectativa de ler qual foi o comentário registrado pelo professor. Quando

o professor comenta a interação de um e não a de outro gera uma frustração que pode ocasionar na evasão. O curso em EAD tem ainda um diferencial muito importante sobre o presencial, pois valoriza e propiciar a participação de todos os alunos. Numa sala de aula convencional somente os alunos “falantes” é que opinam e participam ativamente. Nas salas de EAD todos os alunos podem ser “ouvidos” através de seus comentários. Claro que também na EAD há aqueles que escrevem demais, mas estes não “abafam” e nem inibem os demais de participar como é o caso do ensino presencial. Dessa forma a EAD promove a aprendizagem colaborativa resultando na inteligência coletiva.

Cybele Meyer – professora, psicopedagoga, advogada, artista plástica, editora dos blogs: Educar Já e Cybele Meyer falando sobre...

O poder da linguagem


O poder da linguagem

Página 6

O poder da linguagem O PODER DA LINGUAGEM foi um resumo das atividades de pesquisa durante o curso de extensão sobre TV na Escola e os Desafios de Hoje. Percebemos que a revolução tecnológica vem dia a dia ocupando espaço em nossa sociedade. Vivemos numa era em que estamos cada dia mais voltado aos avanços da ciência e da tecnologia, com isso, é comum que na maioria das vezes nos defrontamos com as mais variadas situações de resistência, principalmente quando se tratam da utilização destes instrumentos como recursos no processo de ensino e aprendizagem. A educação sendo um processo contínuo de fatores determinantes à formação integral do indivíduo não pode deixar de ficar alheia a essa nova sociedade tecnológica em que estamos inseridos. Uma nova abordagem pedagógica e repensar nossa prática certamente são ingredientes indispensáveis para uma nova forma de aprender a aprender. Analisando sobre as implicações de KERCKHOVE, onde ele aponta que a Televisão, como tecnologia, sendo fatores de mudanças que há muito tempo abandonou suas características de mero suporte e criou sua própria linguagem. Penso que a TV por si só, não oferece condições de responder pela educação no seu contexto, Entretanto, possui grande potencial desde que se faça uma boa leitura e condições que permitam o espectador elaborar seus próprios conceitos interpretativos. Assim sendo terá papel significativo na formação do indivíduo. O papel do educador como mediador ao trabalhar TV e vídeo em sala de aula é dar condições para

que os alunos possam processar informações e reelaborar conceito que possibilite sua aprendizagem. Importante neste processo dinâmico de aprender é utilizar todos os recursos, todas as técnicas possíveis integrando as linguagens disponíveis. Desafios para educar

No que diz MORAN, O grande desafio do educador com as possibilidades de integrar várias tecnologias e procedimentos metodológicos. Importante verificar que, nesta nova sociedade que as pessoas tenham habilidades como ser capaz de pensar, de criar, aprender a aprender, buscar informação, saber processar informação e transformá-la em conhecimentos. A televisão, por exemplo, apresenta uma forma diferenciada, onde as possibilidades oferecidas tornamse um processo não linear, conforme as questões levantadas na atividade nº 5 desta unidade. Os desafios propostos despertaram muitas curiosidades, principalmente nas relações da imagem x som x palavra, situações bastante significativas, percebi que podemos estar trabalhando vários temas dependendo do que se está sendo explorado. Quanto à experimentação em utilizar somente a imagem e desligar o som da televisão certamente teremos uma leitura apenas da linguagem visual. Para que possamos registrar com mais propriedade, teremos que entender quais os aspectos relevantes de pessoas portadoras de necessidades especiais, sendo assim sua aprendizagem também requer estratégias especiais.

Democratização do acesso

Muitas são as matérias, publicações, livros que retratam os efeitos que ela pode ser capaz de produzir resultados benéficos. Isto certamente é verdade. Há literatura substancial demonstrando esses efeitos. De fato, o programa Vila Sésamo é o mais extensivamente pesquisado na história. Seu produtor, Children's Television Workshop (Oficina de Televisão Infantil), coletou centenas de estudos, mostrando seus benefícios educacionais. Em contra partida existem programas, cujo objetivo é de gerar lucros. Portanto, a televisão tem propósitos de captar a atenção do público e mantê-las por tempo suficiente para que os anunciantes vendam seus produtos. Com isso as qualidades destes programas ficam comprometidas. Então fica claro que é grande o desafio dos educadores em busca de mecanismos que filtram essas informações, de modo a compreendê-las, criticá-las e utiliza-las de forma condizente. É lógico que quando as crianças chegam à escola, os processos fundamentais de aprendizagem já estão desenvolvidos de forma significativa. Portanto, O papel da escola é de abrir perspectivas de discussões e desencadear no sentido de gerar novos conceitos. Televisão e modo de aprender

Diversos estudos já demonstraram que, quanto mais tempo se passa vendo televisão ou diante do computador, mais chances têm de se tornar obeso. “O tempo que é gasto com essas atividades, poderia


Cultura nada rede O poder linguagem ser usado em atividades físicas”. Temas abrangentes enfocam questões bastante significativas na forma como a televisão vem sendo trabalhada em salas de aulas. Questionamentos como Quanto tempo passamos vendo TV? Qual é a emissora preferida? Quais os programas preferidos? Somos influenciados por ela? Essas e outras questões foram à base de um dos projetos de pesquisa que os alunos 4ª Série do Colégio Cassiano Ricardo, fizeram como parte das atividades de Português e Matemática. Esses e outros são formas de refletir a questão da qualidade dos programas e como os telespectadores eles organizam sua vida em função dela. ... “Deixar o aparelho na sala, por exemplo, democratiza seu uso e é uma maneira mais fácil de você controlar o que seu filho assiste”. ...“Se a única forma de lazer dos pais e toda relação familiar ocorre diante de uma televisão ligada, os filhos terão mesmo poucas escolhas.”

Utilização dos recursos

Como todo instrumento pedagógico, deve ser assimilado à prática educativa. Importante que os alunos compreendam os recursos tecnológicos como alternativas possíveis para a realização de determinadas tarefas. Utilizar recursos tecnológicos não significa utilizar técnicas simplesmente, e não é condição suficiente para garantir a aprendizagem dos conteúdos escolares nas diversas disciplinas. Por isso, é fundamental criar um ambiente de aprendizagem em que os alunos possam ter iniciativas, problemas a resolver, possibilidades para corrigir erros e criar soluções.

Página Página 77

Conhecimento e informação

“Quando o homem não tem oportunidade de desenvolver e enriquecer a linguagem torna-se incapaz não só de compreender o mundo que o cerca, mas também de agir sobre ele”. Agostina Akemi Sasaoka Basta compreender a importância do poder da linguagem para que tenhamos condições de interagir e desencadear processos de leitura em sintonia com as transformações que vem acontecendo em nosso dia a dia. Neste caso, permitirá a realização de uma prática que proporcione a formação e possibilitando o desenvolvimento de habilidades que serão fundamentais na sociedade do conhecimento.

das novas tecnologias a satisfazer a própria existência. A mediação deste instrumento requer um complemento dos instrumentais necessários para a proposta do referido tema. Como o dinossauro 06.002(02) Título original The Way of the Dinosaur. Este vídeo é uma pequena introdução as conquistas do homem, das armas primitivas à descoberta do petróleo. Como o dinossauro, o homem não estará dependendo demais de uma única fonte de energia? Referência bibliográfica 

Formação continuada

Quando o assunto é formação continuada, é importante registrar que desde a década de sessenta vem sendo destacada em face aos avanços da ciência e tecnologia. Percebe-se que hoje em função da expansão das novas tecnologias, há muito que avançar quanto à (re) elaboração de novos conceitos quanto à utilização em processos de ensino aprendizagem. A necessidade contínua de buscar novas formas de aprender. A escolha para a realização da atividade trinta e dois surgiu da necessidade de trabalhar em grupos de professores da rede pública estadual, onde a proposta inicial é de que todos tenham uma leitura visual e interpretativa de modo que possam estar discutindo, contextualizando a história do desenvolvimento do homem enquanto a sua necessidade de adaptação diante

Madalena, Silene Pereira. A Criança Surda e a Construção do Conceito de Número – Brasília: CORDE, 1997. MORAN, José Manuel, MASETO, Marcos e BEHRENS, Marilda. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. São Paulo, Papirus Editora, 2000. COMO OS DINOSSAUROS. Fundação Roberto Marinho 06.002/02. Titulo original The Way of the Dinosaur. Produção e distribuição Organização das Nações Unidas. COMO FAZER REFERÊNCIAS Maria Bernadete Martins Alves e Susana Margareth Arruda.Disponível em:< http://www.bu.ufsc.br/home982.html> A Televisão e a violência: impacto sobre a criança e o adolescente. Disponível em http://www.ufrgs.br/psiq/livro.html

Luiz Napoleão Vieira Especialista em Tecnologias Educacionais UFSC


Página 8

NTE colaborando no projeto: Conhecendo a AMPLASC

NTE colaborando no projeto: Conhecendo a AMPLASC

O Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) do município de Campos Novos desenvolveu no mês de março com seus professores, alunos e funcionários o projeto: CONHECENDO A AMPLASC Associação

dos

Municípios

do

Planalto Sul de Santa Catarina, que tem como objetivo principal o desenvolvimento integrado e sustentável dos Municípios, com sede própria em Campos Novos, que é centro da microrregião dos 07 dos municípios

associados:

Abdon

Batista, Brunopólis, Campos Novos, Celso Ramos, Monte Carlos, Vargem e Zórtea. O projeto foi lançado no mês de março, em comemoração aos 128 anos de emancipação política do município de Campos Novos, e a AMPLASC ser um órgão de grande importância regional para o mesmo, também pela falta de informações que a sociedade camponovense possui sobre a mesma, seus objetivos de trabalho e a equipe de

colaboradores. Por esta defasa-

neficiada ainda no ano de 2009.

gem de conhecimento e no intuito

No desenvolver do trabalho a pro-

de acrescentar mais informações

fessora

ao projeto a professora Evelize na

para mostrar a seus alunos todas

disciplina de Língua Portuguesa e

as Gerências que fazem parte da

Literatura do Ensino Médio realizou

Secretaria

com seus alunos um trabalho de

Regional e seus objetivos princi-

pesquisa, com objetivos direciona-

pais para com a comunidade de

dos na coleta de dados suficientes

Campos Novos e municípios asso-

para esclarecimentos e dúvidas da

ciados, pois, graças a este órgão

comunidade, tais como: localiza-

foi possível realizaram a pesquisa,

ção, municípios associados, histó-

visto que o NTE faz parte da Ge-

ricos dos municípios, departamen-

rência de Educação. O NTE contri-

tos, portais, diretoria, equipe técni-

buiu de maneira intensa na reali-

ca e objetivos da AMPLASC.

zação de todo este trabalho, o

Este trabalho de pesquisa foi reali-

grupo dedicou espaço especial em

zado com apoio do NTE-Núcleo

agradecimento pela disposição e

de Tecnologia Educacional da

colaboração do núcleo, por ser um

Gerência de Educação, com muita

espaço agradável e voltado à Edu-

satisfação disponibilizou a sala

cação tecnológica.

informatizada, que possui como

Os resultados finais foram expos-

objetivo maior promover ações em

tos na Unidade Escolar através de

busca da inclusão digital, dinami-

murais, redações e apresentações

zando e qualificando os processos

durante a semana de comemora-

de ensino e aprendizagem. Esta

ções do município de Campos

oportunidade de utilizar o espaço e

Novos.

aproveitou

de

o

momento

Desenvolvimento

equipamento do núcleo para a navegação na rede proporcionou

Cristiane Borré de Souza

aos alunos momentos de aprendizagem e troca de experiências, visto que muitos não têm contato com o computador e a Unidade escolar não dispõe de computadores para uso do aluno, sendo a única escola no momento que não tem sala informatizada e será be-

Integradora de Tecnologia Educacional Visite o Blog: http://ntecamposnovos.blogspot.com


Cultura na rede

Página Página 99

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Diretoria de Organização, Controle e Avaliação GERÊNCIA DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS E INFRA-ESTRUTURA

RUA ANTÔNIO LUZ, 111 – CENTRO – FLORIANÓPOLIS/SC. TELEFONE: (048) 3221-6315 CAIXA POSTAL 159 CEP: 88.010-410

http://www.sed.sc.gov.br

NTE DIVULGUE AS AÇÕES EM DESTAQUE DE SUAS REGIÕES Nosso e-mail:

culturanarede@sed.sc.gov.br

PROJETO CULTURA NA REDE Visite-nos em:

http://www.sed.sc.gov.br PROGRAMAS E PROJETOS

Cultura na Rede_Abril de 2009  

Trata-se de um informativo que disponibiliza ações desenvolvidas nos NTEs de SC e também artigos e publicações do uso das tecnologias educac...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you