Page 1

IGREJA METODISTA, Capelania Ecumênica, Jundiaí, 1º. de maio de 2011

Ilustração: São Tomé (© Marcos Brescovici)

LITURGIA DA PALAVRA ♫ Prelúdio Intróito: 1 Pedro 2.1-2 [“Quasimodogeniti”] ♫ Responso: [Texto: Sl 150; Mel.: Abrahan Maraira (Nigarikudwa Zuva, África); Versão: Simei Monteiro e Tércio Junker;]

Portanto, abandonem tudo o que é mau, toda mentira, fingimento, inveja e críticas injustas. Sejam como criancinhas recém-nascidas, desejando sempre o puro leite espiritual, para que, bebendo dele, vocês possam crescer e ser salvos. Louvai a Deus no Templo, Louvai a Deus nos Céus. Aleluia! Louvai-o por seus feitos porque ele é grande. Aleluia! Louvai-o com trombetas, saltério e harpa. Aleluia! Louvai-o com tambores com gritos e danças. Aleluia! Com instrumentos de cordas também com flautas. Aleluia! Com címbalos sonoros ou retumbantes. Aleluia! Todo ser que respira também louve ao Senhor. Aleluia!

Acolhida:

Primeira leitura: Atos 2.22-28 (NTLH)

[Saudação aos presentes e apresentação dos visitantes; apresentação do carisma da Capela da Serra (TEOS); referência ao Domingo Quasimodogeniti e ao Dia do Trabalho] Pedro continuou: — Homens de Israel, escutem o que eu vou dizer. Deus mostrou a vocês que Jesus de Nazaré era um homem aprovado por ele. Pois, por meio de Jesus, Deus fez milagres, maravilhas e coisas extraordinárias no meio de vocês, como vocês sabem muito bem. Deus, por sua própria vontade e sabedoria, já havia resolvido que Jesus seria entregue nas mãos de vocês. E vocês mesmos o mataram por mãos de homens maus, que o crucificaram. Mas Deus ressuscitou Jesus, livrando-o do poder da morte, porque não era possível que a morte o dominasse. Pois Davi disse a respeito de Jesus o seguinte: “[...] Por isso o meu coração está feliz, e as minhas palavras são palavras de alegria; e eu, um ser mortal, vou descansar cheio de esperança, pois tu, Senhor, não me abandonarás no mundo dos mortos. Eu tenho te servido fielmente, e por isso não deixarás que eu apodreça na sepultura. Tu me tens ensinado os caminhos que levam à vida, e a tua presença me encherá de alegria.”


♫ Per crucem: [Jean Berthier (Comunidade de Taizé)]

Salmódia: Salmo 16 (NTLH)

Per crucem et pacionem tuam, Libera nos Domine, Domine.

[Por tua cruz e paixão] [Liberta-nos, Senhor]

Per sanctam resurrectionem tuam, Libera nos Domine, Domine.

[Por tua santa ressurreição] [Liberta-nos, Senhor]

[Hino de Davi.] Guarda-me, ó Deus, pois em ti eu tenho segurança! Eu disse a Deus, o SENHOR: “Tu és o meu Senhor; tudo o que tenho de bom vem de ti.” Como são admiráveis as pessoas que se dedicam a Deus! O meu maior prazer é estar na companhia delas. [...] Tu, ó SENHOR Deus, és tudo o que tenho. O meu futuro está nas tuas mãos; tu diriges a minha vida. Como são boas as bênçãos que me dás! Como são maravilhosas! Eu louvo a Deus, o SENHOR, pois ele é o meu conselheiro, e durante a noite a minha consciência me avisa. Estou certo de que o SENHOR está sempre comigo; ele está ao meu lado direito, e nada pode me abalar. Por isso o meu coração está feliz e alegre, e eu, um ser mortal, me sinto bem seguro, porque tu, ó Deus, me proteges do poder da morte. Eu tenho te servido fielmente, e por isso não deixarás que eu desça ao mundo dos mortos. Tu me mostras o caminho que leva à vida. A tua presença me enche de alegria e me traz felicidade para sempre. ♫ Aleluia! [Taizé, França]

Leitura da epístola: 1 Pedro 1.3-9 (NTLH)

Louvemos ao Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo! Por causa da sua grande misericórdia, ele nos deu uma nova vida pela ressurreição de Jesus Cristo. Por isso o nosso coração está cheio de uma esperança viva. Assim esperamos possuir as ricas bênçãos que Deus guarda para o seu povo. Ele as guarda no céu, onde elas não perdem o valor e não podem se estragar, nem ser destruídas. Essas bênçãos são para vocês que, por meio da fé, são guardados pelo poder de Deus para a salvação que está pronta para ser revelada no fim dos tempos. Alegrem-se por isso, se bem que agora é possível que vocês fiquem tristes por algum tempo, por causa dos muitos tipos de provações que vocês estão sofrendo. Essas provações são para mostrar que a fé que vocês têm é verdadeira. Pois até o ouro, que pode ser destruído, é provado pelo fogo. Da mesma maneira, a fé que vocês têm, que vale muito mais do que o ouro, precisa ser provada para que continue firme. E assim vocês receberão aprovação, glória e honra, no dia em que Jesus Cristo for revelado. Vocês o amam, mesmo sem o terem visto, e crêem nele, mesmo que não o estejam vendo agora. Assim vocês se alegram com uma alegria tão grande e gloriosa, que as palavras não podem descrever. Vocês têm essa alegria porque estão recebendo a sua salvação, que é o resultado da fé que possuem.

Leitura do Evangelho: João 20.19-31 (NTLH)

Naquele mesmo domingo, à tarde, os discípulos de Jesus estavam reunidos de portas trancadas, com medo dos líderes judeus. Então Jesus chegou, ficou no meio deles e disse: — Que a paz esteja com vocês! Em seguida lhes mostrou as suas mãos e o seu lado. E eles ficaram muito alegres ao verem o Senhor. [...] Acontece que Tomé, um dos discípulos, que era chamado de “o Gêmeo”, não estava com eles quando Jesus chegou. Então os outros discípulos disseram a Tomé: — Nós vimos o Senhor! Ele respondeu: — Se eu não vir o sinal dos pregos nas mãos dele, e não tocar ali com o meu dedo, e também se não puser a minha mão no lado dele, não vou crer! Uma semana depois, os discípulos de Jesus estavam outra vez reunidos ali com as portas trancadas, e Tomé estava com eles. Jesus chegou, ficou no meio deles e disse: — Que a paz esteja com vocês! Em seguida disse a Tomé: — Veja as minhas mãos e ponha o seu dedo nelas. Estenda a mão e ponha no meu lado. Pare de duvidar e creia! Então Tomé exclamou: — Meu Senhor e meu Deus! — Você creu porque me viu? — disse Jesus. — Felizes são os que não viram, mas assim mesmo creram! Jesus fez diante dos discípulos muitos outros milagres que não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos para que vocês creiam que Jesus é o Messias, o Filho de Deus. E para que, crendo, tenham vida por meio dele.”

Partilha da Palavra:

“Crer com os dedos” [Luiz Carlos Ramos]


♫ Aleluia Cristo é Vivo: [Gordon Young; Adap: Hora Diniz Lopes]

Aleluia! Cristo é vivo! Aleluia! Jesus Cristo ressuscitou! Aleluia!

Afirmação de fé: Credo Ecumênico [Carlos Alberto R. Alves]

Cremos num Deus, Pai e Mãe, ecumênico, criador de todas as raças. E em Jesus Cristo, seu amor feito corpo, que foi concebido pelo Espírito da vida, nasceu do povo, padeceu sob o império das verdades-sem-bondade, foi crucificado, morto e sepultado em nossas desavenças religiosas, ressuscitou ao terceiro dia e está presente na saudade, na luta e na esperança dos homens e mulheres de boa vontade. Cremos no Espírito da unidade, na religião da solidariedade, na ressurreição dos corpos oprimidos, na comunhão universal de todos os povos, no eterno reino da paz e da justiça e na vida eterna. Amém!

LITURGIA DA MESA Ofertório:

Cantai, bendizei, o Senhor e Deus. Aleluia! Cantai, bendizei, aleluia!, o Senhor e Deus. Aleluia! [República de Camarões; Versão: Fábio H. da Silva]

Sursum corda:

O Senhor seja com vocês. E com você também. Elevemos os nossos corações. Ao Senhor os elevamos. Rendamos graças ao Senhor. Sim, é digno e justo render graças a Deus. Nós te rendemos graças, ó Deus, pela Vida abundante e eterna que nos ofereces por teu Filho. Por essa razão, exaltamos-te e louvamos-te, cantando:

♫ Sanctus: [Texto litúrgico tradicional, Música: Liséte Espíndola]

Santo, Santo, Santo, Senhor Deus onipotente, Terra e céus estão cheios da tua glória, Glória a ti Senhor!

Memorial (sacramento da saudade): [Rubem Alves]

Quando as coisas despertam saudades e fazem brotar, no coração, a memória do amor e o desejo da volta, dizemos que são sacramentos. [...] Sacramento é isto: sinal visível de uma ausência, símbolo que nos faz pensar em retorno. Como aconteceu com Jesus que, logo antes da partida, realizou um memorial de saudade e espera. Juntou seus amigos, seguidores, partiu o pão e lhes deu de comer, tomou o vinho e com eles bebeu dizendo que, depois daquilo, viria a separação e a saudade. [...] E, por onde quer que fossem encontrariam os sinais de uma Ausência imensa… E o coração ficaria inquieto, sem descanso… E cada palavra sua se transformaria numa oração, porque oração é a palavra balbuciada com desejo…

♫ Mysterium fidei: [Texto litúrgico tradicional, Música: Liséte Espíndola]

Cristo morreu

Partilha eucarística: [Rubem Alves]

♫ Agnus Dei [Texto litúrgico trad.; Música: John Bell (Iona, Escócia)]

e ressuscitou, breve voltará! Este é o nosso sacramento: pão e vinho. Sentimos saudades juntos. Isto nos torna irmãos e irmãs. Agnus Dei Qui tollis peccata, peccata mundi, Miserere nobis, Domine.

[Cordeiro de Deus] [Que tira o pecado, o pecado do mundo,] [Tem piedade de nós, Senhor.]


Preces: Oração final: [Luiz Carlos Ramos]

“Oração é a palavra balbuciada com desejo…” (Rubem Alves) Ó Deus, nosso materno Pai, nossos corações estão cheios de gratidão e louvor, porque tu nos reuniste novamente para podermos contemplar-te no rosto dos nossos queridos irmãos e irmãs, e sentirmos novamente o teu amor como antes. Recebe em teus braços as nossas súplicas e conforta-nos com o teu amor, que é mais forte do que a morte. Recebe em teu colo a nossa lágrima e a nossa alegria, e reparte conosco a vida da tua vida, para sempre. Amém.

♫ Bênção: [Letra: Luiz Carlos Ramos; Música: Déa Kerr Affini]

Que a tua aurora rompa as trevas; Que o teu sopro remova as pedras da morte; Que a tua voz nos deseje a paz. Em nome do Pai da Vida, do Filho da Ressurreição e do Espírito Santo da Paz. Amém.

♫ Poslúdio [Liséte Espíndola]

Abraço da paz

IGREJA METODISTA Capelania Ecumênica

Creative Commons, Non Commercial License

Liturgia preparada pelo Rev. Luiz Carlos Ramos Regente: Elenise Ramos ● Pianista: Liséte Espíndola

Para ter acesso a outras liturgias da Capela da Serra e para ver fotos das celebrações, acesse: http://www.luizcarlosramos.net

Profile for Luiz Carlos Ramos

Capela da Serra (Quasimodogeniti)  

Celebração do Segundo Domingo da Páscoa (2011)

Capela da Serra (Quasimodogeniti)  

Celebração do Segundo Domingo da Páscoa (2011)