Page 1

Revista SJCO

1


105

2

Revista SJCO


SJCO em foco

22

SAIBA MAIS dicas e curiosidades

04 12

CONHEÇA OS CRIADORES e associados da SJCO

06 10 18 20 22 24 26 28 30

SJCO EM FOCO campeonatos, reuniões, exposições

08

ENTREVISTAS com criadores

14

No ano de 2015, a edição do 36º Campeonato Regional de Canários de Cor e Porte, foi realizada na cidade de Massaranduba/SC, com apoio irrestrito da Prefeitura Municipal. Nesta ocasião a SJCO passou a editar a revista do evento. Nela ficam estampados os registros dos patrocinadores e criadores, os quais divulgam seus nomes, telefones, endereços onde habitualmente desenvolvem seus hobbies e das empresas que de alguma forma produzem alimentos, materiais e acessórios, formando assim uma oportunidade de interação entre criadores e fornecedores. Em função do sucesso alcançado, a SJCO manteve as edições da Revista do Campeonato Regional. Graças ao empenho do associado Claudinei Galczynski e sua equipe, a SJCO cumpriu a promessa com a 2ª edição em 2016 no 37º Campeonato Regional e a 3ª edição em 2017 no 38º Campeonato Regional, ambos realizados na cidade sede em Jaraguá do Sul/SC. Neste ano de 2018, apresentamos a 4ª edição para divulgação do 39º Campeonato Regional de Canários de Cor e Porte, Periquitos, Agapornis, Psitacídeos e Exóticos, no Pavilhão de eventos da cidade de Guaramirim/SC. A SJCO, está vivendo um momento novo, de muita alegria e confiança na diretoria recém empossada para gerir os destinos do clube para o biênio 2018/2019. A constatação ocorreu já no primeiro chamado do presidente Nelson Fleisch Jr. Os associados devidamente uniformizados, compareceram maciçamente, para figurar na foto frente a sede do clube, na comemoração da conclusão da repintura e manutenção da sede. A demonstração de união assistida nesta primeira ação certamente será a marca de sucesso deste grupo gestor.

A Diretoria

Editoração: Luiza Loth Impressão Gráfica: Impressul Tiragem: 3.000

Revista SJCO

3


SAIBA MAIS

A máscara dos mosaicos

pois tem várias características que devem

o objetivo de fazer bons machos para con-

Dentro da nomenclatura dos canários de

ser observadas.

cursos das linhagens para fazer fêmeas. As

cor e especificamente no que chamamos de

Amplitude

fêmeas usadas nas linhagens para produzir

“categoria” existem os “mosaicos” que pelas

A máscara dos machos mosaicos deve ser o

bons machos embora com características

suas características tem encantado os cria-

mais ampla possível desde que respeite as ca-

dimôrficas (máscara muito menor), devem

dores de todo o Mundo. Eles são sem dúvi-

racterísticas de desenho próprias da cor.

apresentar um bom desenho lembrando as

das unanimidade quanto a beleza.

Desenho Frontal

características que acima descritas que valo-

O “mosaiquismo” é decorrência de uma dis-

Olhando o canário por cima, deve se eviden-

rizarão os seus filhos.

ciar uma “banda” o mais larga possível, de cor

Obs.: a imagem apresentada neste artigo

intensa e cuja linha divisória entre o lipocromo

apresenta apenas o macho vermelho mosai-

e o branco deve ser reta e bem nítida.

co por ser a cor que pessoalmente criamos,

damente nas chamadas “regiões de eleição”

Babador

mas as características apresentadas se apli-

que por sua vez são tão diferentes entre as

Por baixo do bico, devemos ver uma “ban-

cam a todas as outras manifestações de lipo-

fêmeas e os machos que os mesmos são jul-

da” também o mais larga possível de cor

cromos, ou seja, amarelos, amarelos marfins,

gados por separado tal o dimorfismo decor-

intensa e com linha divisória nítida entre o

vermelhos e vermelhos marfins.

rente dessa manifestação.

lipocromo e o branco.

tribuição particular do lipocromo na plumagem. Se manifesta de forma diferente nas penas e assim, a cor de fundo aparece niti-

Desenho lateral Olhando de lado, os mosaicos devem apresentar a máscara em forma de triângulo, com perfeita terminação em vértice, sem extensões para a parte traseira da cabeça. As linhas desse “triângulo” devem ser retas, sem qualquer curvatura em direção a bochecha.

Nitidez do desenho É fundamental que todo o desenho da máscara dos mosaicos seja o mais nítido possível Nos machos, o “cartão de visitas” é uma

delimitando perfeitamente as regiões de pig-

máscara lipocrômica ampla, bem definida,

mentação lipocrômica com o branco do resto

delimitada e desenhada. Já nas fêmeas se

da plumagem.

deseja que apresentem apenas uma listra

As características acima tem certa indepen-

lipocrômica por detrás dos olhos.

dência quanto a sua manifestação, de forma

Existem características gerais importantís-

que podemos ver as mais diversas combina-

simas para uma boa qualificação tais como

tórias das mesmas. Alguns canários tem exce-

a qualidade do branco e do lipocromo que

lente expressão frontal mas pouco babador,

implicarão num bom contraste, desenho de

outros tem máscara muito bem desenhada

ombros, uropígio e peito, etc.

mas excessivamente estendida lateralmente

A máscara dos machos mosaicos, embora

em direção a nuca, etc.

muito bem descrita no Manual de Julgamen-

Para efeitos da reprodução, separamos com-

to, requer muita atenção na sua avaliação,

pletamente as linhagens de mosaicos com

4

Revista SJCO

Autor: Álvaro Blasina - FOB/FC


O Sicoob Cejascred oferece as melhores opções em produtos e serviços para crescermos juntos!

Crédito

Cartões

Sipag

Mobile

Poupança

Seguros

Previ

Investimentos

Cobrança Bancária

E muito mais!

Produtos e Serviços Centro – Rua Coronel Procópio Gomes de Oliveira, nº 430, sala 4, Jaraguá do Sul – SC. Tel (47) 3274-7800 Barra do Rio Cerro – Rua Ângelo Rubini, nº 520, sala 1, Jaraguá do Sul – SC. Tel (47) 3274-0300

cejascred Cooperativa de Crédito

Ouvidoria: 0800 725 0996 | Atendimento de segunda a sexta - das 8h às 20h | www.ouvidoriasicoob.com.br Deficientes auditivos ou de fala: 0800 940 0458 | Demais serviços de atendimento: www.sicoob.com.br/fale-conosco

Revista SJCO

5


CRIADORES

6

Revista SJCO


Revista SJCO

7


SJCO EM FOCO

FLASHES 2017 PARTICIPAÇÃO EM EXPOSIÇÕES E CONFRATERNIZAÇÕES Nestes eventos, a Sociedade e o Criador tem a oportunidade de mostrar ao público presente, toda a paixão e dedicação de um amante da Ornitologia, dar seus depoimentos de como funciona a criação de aves domésticas. O que mais gratifica o criador, são as expressões de admiração ao ver o colorido de uma Rosela Lutina, de um Periquito padrão Inglês ou a delicadeza de um Bavete cauda longa. Desperta a curiosidade e abre um diálogo para que o criador passe a incentivar aos que se interessem em iniciar neste maravilhoso hobby.

8

Revista SJCO


38° REGIONAL 2017 ENTREGA DE PRÊMIOS O ano de criação termina com a apresentação dos pássaros para julgamento nos Campeonatos oficiais. Um juiz credenciado pela OBJO avalia cada pássaro e atribui uma pontuação que vai somando para cada criador. Os pontos alcançados servirão de parâmetros para avaliar o desempenho de seu plantel. Premiar os criadores é um momento mágico que o clube proporciona aos seus associados no final. Cada ponto alcançado, cada medalha, cada troféu recebido é uma verdadeira massagem no ego dos criadores. Uma oportunidade de mostrar aos familiares e amigos as honrarias conquistadas.

Revista SJCO

9


CRIADORES

10

Revista SJCO


Revista SJCO

11


SAIBA MAIS

Forpus Coelestis

pois podem causar problemas intestinais. Em

uma vez que os progenitores vão dar inicio a

Este pequeno psitacídeo divide-se em 7 es-

época de criação, muda da pena, ou como es-

outra postura e se tornam bastantes agressi-

pécies: Forpus Passerinus, Conspicillatus,

timulo à criação, dê suplementos e alimentos

vos mesmo com os filhos. Esta agressividade

Xanthops, Cyanopygius, Xanthoptergygius,

à base de ovos e papa de criação. Pedra de

é tão grande que os poderá levar até a morte,

Sclatery e o mais conhecido de todos e de que

cálcio e areia também são importantes para

portanto cuidado.

vamos falar aqui, é o Forpus Coelestis.

obter os minerais necessários.

Um casal em boas condições poderá ter vá-

O tamanho varia de 12 a 13 cm e a média de

Quanto à água, tanto a de beber como do ba-

rias criações por ano, até atingirem uma idade

vida é de 15 a 20 anos. A distinção entre os

nho, deve ser sempre fresca e limpa.

de 15 anos, mas não é aconselhável permitir

sexos é que a fêmea não tem as marcas azuis,

Conselho: adquira a alimentação das suas aves

mais de 3 criações por ano, para isso retire

sendo esta toda verde. Pode acontecer de

sempre em lojas especializadas, além da varie-

as fêmeas terem também as riscas azuis

dade e qualidade, também é mais barata. Veri-

na cabeça (próximo ao olho), mas não

fique sempre se no fundo do saco ou pacote

possuem azul nas remiges primárias (asa).

de sementes contêm pó, se tiver, não compre

No caso dos Lutinos, o macho tem coloração

pois podem causar doenças.

branca nas asas e uropígio (no lugar do azul),

o ninho da gaiola ou viveiro, se isso não for o suficiente e a fêmea continuar a colocar ovos e chocá-los no chão, vire a gaiola de posição. Estas aves atingem a maturidade sexual por volta de um ano, só a partir dai é aconselhável dar inicio à criação.

já a fêmea é toda amarela.

Acasalamentos

Nos albinos, alguns criadores conseguem ver

Procure orientação de criadores mais expe-

o tom azul nas asas e uropígio, já as fêmeas

rientes e comece com poucos casais. O cor-

são todas brancas, mas a sexagem é a manei-

reto é manter as cores mais puras possíveis

ra mais concreta de se saber.

para manter a qualidade de cor. A grande

Alojamento

maioria dos forpus são recessivos com exceção dos dominantes, e dos Sexos ligados.

Podem permanecer em viveiros pequenos,

Criação

sempre tendo o cuidado de separar machos

Os casais podem demorar para iniciar a re-

Mutações

de fêmeas. Por se tornarem muito agressivas,

produção, pois necessitam se habituar ao

Algumas das mutações conhecidas são:

principalmente na época de criação, devem

novo ambiente. Coloque sempre primeiro

Alequim, Faded (Isabel), Edged (Pastel),

ser separas também de outras aves, man-

o macho para evitar que a fêmea o ataque.

Lutino, Albinos, Fulvo, Pálido (Americanos)

tendo só um casal por gaiola (tamanho apro-

Como estas aves não fazem ninhos, colo-

Cinza, Canela, Fatores Escuros (Jade e Oli-

que no fundo da gaiola (15x15x20 cm), um

va, Cobalto e Malva).

pouco de maravalha de madeira. Depois

Toda esta mutação já se tem nas duas linhas,

de formado o casal, inicia-se a reprodu-

fundo amarelo (verde) e fundo branco (azul).

ximado 65x30x40 cm, nunca inferiores), visto que estas aves podem engordar com facilidade se o espaço for muito reduzido. Poderão ser colocadas em viveiros ao ar livre,

ção, a fêmea coloca 3 a 6 ovos em média,

sempre as protegendo do vento, frio e da geada.

podendo chegar até 10 ovos. Estes são in-

Alimentação

cubados por ambos os progenitores mas

Misturas de sementes, alpiste, painço, trigo sarraceno, cártamo, girassol, aveia, comple-

sempre mais pela fêmea. Os filhotes nascem após 18 dias em média e após 21 dias

Para finalizar, procure ler sobre o assunto, hoje temos inúmeras revistas sobre aves, manual de julgamento FOB, estude sobre o assunto, assim você atingirá seu objetivo mais rápido, não misture as mutações, isto lhe cau-

mentado com milho verde, pepino, melão,

estarão quase todos cobertas de penas.

espinafre, cenoura, sempre frescos, bem la-

Com 1 mês abandonam o ninho, passado

tação o mais pura possível.

vados e sem sementes, algumas delas são

uma semana, verifique se já se alimentam so-

venenosas. Nunca dê alface, abacate e cebola

zinhos, podendo retirá-los para outro viveiro,

Autor: Ademar Tallmann - Criador Anel - FOB-EF- 0223

12

Revista SJCO

sará problemas futuros. Mantenha cada mu-


Genética simples para criadores iniciantes

Exemplo 2: Macho cinza (visual ) + (portador

Para muitos criadores iniciantes, a gené-

- 25% macho cinza.

tica é uma parte difícil. Ela complica um pouco, mas com o tempo o criador vai entendendo como ela funciona. Para não complicar muito, vou falar um pouco nas três transmissões mais simples e exemplificar na espécie do diamante mandarim. São elas: Dominante, Sexo-Ligado e Recessiva.

Dominante Nessa cor não existem pássaros portadores, ou ele é ou não é. As cores dominantes são face negra, topete, pastel dominante, bocheche cinza). Para obter filhotes em uma dessas cores, basta um pássaro do casal ser da cor. Exemplo: Face negra cinza × cinza. - 50% face negra cinza. - 50% cinza.

Sexo-ligado Fêmeas nunca podem portar essas cores, ou demonstram visualmente a cor ou não são. Já os machos, podem portar sem mostrar essa

de mascarado) × Fêmea cinza (visual) - 25% macho cinza portador de mascarado. - 25% fêmea cinza. - 25% fêmea mascarada.

Recessivo Onde machos e fêmeas podem ser portadores. É necessário que, tanto macho como fêmea sejam pelo menos portadores da mutação para obter a mesma visualmente. Ou então, um portadores e outro na cor. As cores recessivas são branco, ágata, arlequim, peito branco, isabel, bico amarelo, peito negro, peito laranja, bochecha negra, pastel recessivo). Exemplo 1: Macho bochecha negra (visual) x fêmea cinza (visual) + (portadora de bochecha negra) - 50% bochecha negra cinza. - 50% cinza ( portador de bochecha negra). Exemplo 2: Macho cinza (portador de bochecha negra) x fêmea cinza (portadora de bochecha negra)

cor visualmente.

- 25% bochecha negra.

As cores sexo-ligadas são canela, dorso

- 50% cinza (portador de bochecha negra).

pálido e mascarado. Basta o macho ser ao

- 25% cinza.

menos portador de uma dessas cores para

Espero ter esclarecido um pouco desse que é

obter filhotes na cor, sendo que, somente filhotes fêmeas terão visivelmente a mesma, enquanto que filhotes machos somente serão portadores. Exemplo 1: Macho cinza mascarado (visual) × fêmea cinza (visual)

para muitos iniciantes um mistério na criação. A todos, sucesso e muitas conquistas. Abraços e até uma próxima! Autor: Ademir München - Criadouro Pássaro Feliz | Anel - FOB-EF- 0223 | Juiz Exóticos OBJO

- 50% macho cinza portadores de mascarado. - 50% fêmeas cinza mascaradas.

Revista SJCO

13


ENTREVISTA

Criador CLAUDEMAR HANSEN EF-350 De onde veio esse gosto pelas aves? R. O gosto pelas aves vem desde criança, na infância tive várias espécies de pássaros, mas faltava conhecimento para evoluir na criação, então parei por um longo período, por falta de espaço e estrutura adequada. Quando iniciou a criação das aves? Qual foi sua maior dificuldade? R. Iniciei a criação de Ring Neck em 2013, sendo que sempre tive uma grande paixão por psitacídeos. Para obter bons resultados na criação de Ring Neck é preciso conhecer um pouco da genética dos pássaros, para planejar maior variedade de cores nos filhotes e pássaros portadores. Quanto tempo gasta por dia no seu aviário? R. Em média uma hora e meia durante a semana e em torno de três a quatro horas por dia nos finais de semana, em época de manutenção. Em época de reprodução, esse tempo aumenta de acordo com a quantidade de filhotes.

14

Revista SJCO

Qual é o pássaro que você gostaria que tivesse mais destaque no clube? R. Temos hoje uma grande dificuldade com os psitacídeos, muitas pessoas criando, mas não temos noção da qualidade genética dos pássaros, porque muitos criadores não estão trazendo pássaros para os campeonatos regionais, sendo que é nos campeonatos regionais que os criadores tem abertura de trocar informações com os juízes sobre os critérios de avaliação e julgamento. O que considera o mais importante na sua criação? R. Uma boa criação, independente do tamanho e quantidade de pássaros, depende de alguns fatores como limpeza, espaço adequado para os pássaros voarem, alimentação balanceada, exames de sanidade e matrizes com boa qualidade genética, e isso requer aportes financeiros. Como é o seu relacionamento com os outros criadores? R. A SJCO é uma grande família, é difícil agradar a todos, mas o relacionamento é muito bom. Esse é o terceiro ano que mantemos a prática de fazer reuniões

mensais na casa dos associados. Isso tem nos aproximado e facilitado a interação entre criadores antigos e novos. De quantos campeonatos já participou? R. Participei de três campeonatos regionais, principalmente pelo fato de que o Ring Neck muitas vezes atinge sua maturidade entre o terceiro e quarto ano, quando os machos fecham o seu colar em torno do pescoço. Qual seu conselho para quem tem interesse em começar uma criação de aves? R. É preciso planejar, pesquisar muito, conversar com os criadores mais experientes, pois como comentei anteriormente, uma criação de pássaros precisa de investimento, disponibilidade de tempo, um pássaro não é um objeto que hoje você compra e amanhã você descarta. É preciso pensar antes de adquiri-los, os psitacídeos que criamos são exóticos e não pertencem a fauna brasileira, dessa forma não podem simplesmente serem soltos na natureza.


Criador NELSON FLEISH JUNIOR De onde veio esse gosto pelas aves? R. Veio da minha infância, meu Pai (Nelson Fleish – In memoriam) e meu Padrinho (Sergio Piccinelli) criavam canários de cor, acredito que seja ascendência. Quando iniciou a criação das aves? Qual foi sua maior dificuldade?

resse em começar uma criação de aves? R. No meu ponto de vista, a pessoa que deseja iniciar deverá ter tempo disponível, local adequado, dedicação e paixão pelas aves. E nunca desistir, sempre surgirá dificuldades, mas a persistência e busca de conhecimento são essenciais para superação e sucesso.

R. Em 2016 comecei criar canários de cor e logo em seguida algumas raças de porte. A falta de conhecimento na área, infelizmente meu pai partiu muito cedo e não tive a oportunidade de adquirir seus conhecimentos. Quanto tempo gasta por dia no seu aviário? R. Em torno de 2 a 3 horas, mas se pudesse passaria o dia todo no canaril, para mim é uma satisfação cuidar das aves. Qual é o pássaro que você gostaria que tivesse mais destaque no clube? R. Todas as aves merecem seu destaque, indiferente de segmento. Todas possuem sua beleza própria. O que considera o mais importante na sua criação? R. Primeiramente ter paixão pelas aves, local limpo, arejado, organizado. Boa alimentação e manter a boa saúde dos canários. Como é o seu relacionamento com os outros criadores? R. O melhor possível. Sou uma pessoa ativa no clube e gosto de estar sempre em contato com demais criadores para compartilhar experiências. De quantos campeonatos já participou? R. Sou sócio apenas dois anos, 2018 será minha quarta participação. Tento estar presente em todos os campeonatos em que a SJCO participa. Qual seu conselho para quem tem inte-

Revista SJCO

15


ENTREVISTA

Criador JULIANO GRABOWSKI De onde veio esse gosto pelas aves? R. É de sangue, pois minha mãe sempre foi amante de pássaros, com meus 7 ou 8 anos comprei um casal de Periquitos Australianos e de lá para cá não parei mais, criava de tudo, inclusive pássaros silvestres. Mais ou menos 10 anos atrás, decidi começar a criar Canários Belgas, comecei com os Canários comuns, e dois anos depois comprei meu primeiro casal de Belga puro, amarelo, cor que crio até hoje. Quando iniciou a criação das aves? Qual foi sua maior dificuldade? R. Em 2008 comprei quatro casais de canários comuns. Eles criaram mais de 60 filhotes no ano, foi o que me animou mesmo a criar canários belgas. Dois anos depois comecei a criar canários de cor, mas a maior dificuldade foi encontrar canários com uma boa genética. Em 2012 comecei a levar canários para exposição em Mafra/SC e a comprar canários de melhor genética. Em 2014 mudei para o clube de Curitiba/PR,

16

Revista SJCO

onde classifiquei vários canários. Fiquei um ano sem levar canários em exposição, e me associei junto com mais quatro criadores em Jaraguá do Sul/SC, sendo eles Edson, Gerson, Mauro e Trento, juntos somos o Canaril União da Vitória.

R. A prioridade é o bem-estar dos pássaros, amor e dedicação, depois a genética, e a natureza se encarrega de fazer o restante, os filhotes.

A nossa maior dificuldade é a distância, pois a cidade de União da Vitória/PR fica em torno de 250 km, 4 horas de viagem até o clube SJCO.

R. Como falei anteriormente, a distância dificulta muito, mas dos clubes que já participei, o que melhor fui recebido foi o SJCO, os sócios são muito sérios e éticos, sempre que preciso me ajudam e esclarecem minhas dúvidas.

Quanto tempo gasta por dia no seu aviário? R. 3 a 4 horas por dia durante a semana e finais de semana, até 6 horas. Qual é o pássaro que você gostaria que tivesse mais destaque no clube? R. Atualmente crio somente canários belgas, porém, já criei diversas espécies, então acho que todas os pássaros merecem seu destaque, cada um possui sua beleza e cada criador seu gosto por determinada espécie. O que considera o mais importante na sua criação?

Como é o seu relacionamento com os outros criadores?

De quantos campeonatos já participou? R. Participo desde o ano de 2012, até hoje deixei de participar nos regionais somente no ano de 2016, e ano passado participei do meu primeiro estadual. Qual seu conselho para quem tem interesse em começar uma criação de aves? R. Começar a criar por amor, escolher a ave que mais lhe agrada, começar com poucos casais, estudar sobre a espécie, aprimorando sua genética e alimentação.


Criador MARCELO KUEHL De onde veio esse gosto pelas aves? R. Quando ganhei de meu pai o presente que tanto queria, um viveiro, no qual mantia alguns casais de periquitos australianos, nem sonhava que um dia podia ter outras espécies exóticas. Quando iniciou a criação das aves? Qual foi sua maior dificuldade? R. Em 1987 e a maior dificuldade foi financeira. Vim de um outro segmento de aves, quando comecei com calopsitas adquiri matrizes de qualidade e troca de informação com outros criadores, revistas e pesquisas online. Assim incluindo cada vez mais espécies. Quanto tempo gasta por dia no seu aviário? R. Gasto em média duas horas diárias, muitas vezes com uma ajudinha. Qual é o pássaro que você gostaria que tivesse mais destaque no clube?

R. Desde criança as aves sempre me chamaram atenção, cada uma com sua coloração, canto, particularidades. Não tenho uma ave que considero destaque, mas sou apaixonado por psitacídeos. O que considera o mais importante na sua criação? R. O que considero de extrema importância é gostar do que está fazendo. Temos que estar atentos às doenças, higiene, alimentação. Hoje temos rações, sementes e farinhadas de boa qualidade. Também acho importante a participação em campeonatos para ver a qualidade de seu plantel. Como é o seu relacionamento com os outros criadores?

R. Participava anteriormente com aves de outro segmento. Voltei a participar de campeonatos em 2016/2017, classificando algumas aves. Em 2018, participei do Campeonato Estadual em Chapecó/SC e fui Campeão Estadual no segmento Calopsita. Qual seu conselho para quem tem interesse em começar uma criação de aves? R. Primeiramente gostar de pássaros, saber que precisa de cuidados diários, escolher uma espécie, adquirir conhecimento sobre ela, alimentação, reprodução, espaço de gaiolas. E o fundamental é nunca desanimar, quando as coisas não vingam como gostaríamos.

R. Posso contar nos dedos os finais de semana que não fiz visita a um passarinheiro (criador) e sempre sou muito bem recebido, com excelente relacionamento, com troca de experiência. De quantos campeonatos já participou?

Revista SJCO

17


CRIADORES

18

Revista SJCO


Revista SJCO

19


CRIADORES

20

Revista SJCO


Revista SJCO

21


CRIADORES

Luciana

Criadora - Sรณcio nยบ752

Calopsitas e Agapornis Mansas e Ariscas

(47) 98413-9105 (47) 3370-8246

22

Revista SJCO

Jaraguรก do Sul -SC


Revista SJCO

23


CRIADORES

24

Revista SJCO


Revista SJCO

25


CRIADORES

26

Revista SJCO


Revista SJCO

27


CRIADORES

28

Revista SJCO


Fred Colombi

Criação própria de curiós de repetição, fibra e mutações. Agora com canto Praia Clássico

Ley Hamilton da Silva Filho Reg. Ibama: 35.182

Revista SJCO

29


CRIADORES

30

Revista SJCO


Revista SJCO

31


Revista passaros sjco 2018 R2 site  
Revista passaros sjco 2018 R2 site  
Advertisement