Issuu on Google+

Editoria: Comportamento Pesquisa revela as tendências globais de consumo para 2014 Especialistas em comunicação discutem a aplicabilidade dos resultados no Brasil LUIZA GIL Especial para o RROnline* Um estudo realizado pela consultoria norte-americana Euromonitor, especializada em pesquisas de mercado, listou as 10 tendências de consumo em âmbito global para este ano. Os resultados foram: gastos por impulso, alimentação saudável, consciência social e ambiental, importância do ambiente comunitário, frustrações com o trabalho e a rotina, gosto pelo luxo, democratização do consumo, consumo pós-crise, gastos com aplicativos e o apego visual. A metodologia da pesquisa não utilizou como critério a ordem de incidência dos tópicos, limitando-se apenas a classificá-los. Para o professor de Gestão Estratégica da Comunicação da Universidade Metodista, Fábio Eloi, não é possível aplicar no Brasil todas as tendências apontadas por uma consultoria dos Estados Unidos. “Se analisarmos cada um dos itens frente à realidade brasileira, a pesquisa perde força. Consumo pós-crise, por exemplo, é um fenômeno euro americano, pois o Brasil ainda enfrentará uma situação crise”, afirma. Eloi enumera quais tendências podem ser adotadas no nosso país. “A principal é o gasto por impulso, relacionada ao modo de vida da sociedade moderna e também à disponibilidade de crédito oferecida. Além dessa, são muito presentes as tendências de apego visual, concretizada pelos ‘rolezinhos’ e a alimentação saudável, que se tornou parte até do currículo escolar das crianças brasileiras”, conclui. Em contrapartida, o sócio da empresa Omelete Inteligência, especializada em comunicação com o mercado, João Riva, acredita que a maioria dos tópicos não pode ser classificada como comportamentos que tendem a acontecer em 2014, mas sim se desenvolver cada vez mais, visto que estes já são realidade. “Gasto por impulso, frustração com o trabalho e a rotina, consumo pós-crise, democratização do consumo, entre outros, são hábitos consumistas existentes há muito tempo. Esse estudo demonstra um cenário em que qualquer país capitalista se encaixa”, declara. De acordo com Riva, podem-se destacar os resultados em ascensão no Brasil. “A importância do ambiente comunitário se tornará mais forte no nosso país. As passeatas de junho e julho são exemplos disso, onde todos brigavam por um objetivo em comum. A consciência social e ambiental também se encaixa, pois as pessoas estão mais preocupadas com a origem e o impacto no ambiente dos produtos que consomem. Por último o gosto pelo luxo, devido ao aumento do poder aquisito da classe C brasileira, basta prestar atenção no fenômeno dos ‘rolezinhos’”, finaliza. *Esta reportagem foi produzida por alunos do curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo


Reportagem - Tendências de consumo