Page 1

DECAF 2006/07

1

Nome: luiz miguel martins crespo de carvalho Módulo 2/Actividade 1: acções/resultados e evidências

Meios Critério

Subcritério

Acção / prática

Evidências

1.1

Definir os Princípios Orientadores da acção e actividade da escola. Emitir recomendação sobre os critérios que devem presidir à elaboração do Projecto Educativo de Escola.

Art. 10º B – Princípios orientadores, do Regulamento Interno_versão2003, revisto em 2004. Comunicação de serviço para o Conselho Pedagógico em 2003; Art. 10º D – Projecto Educativo, do Regulamento Interno_versão2003, revisto em 2004. Ponto 5 das Disposições Finais do Regulamento Interno_versão2003, revisto em 2004; Todos os procedimentos da Assembleia de Escola podem servir de exemplo às boas práticas, que não só administrativas, desde 2003, no âmbito de editais, súmulas de actas, ofícios, comunicações de serviço, comunicações internas, informações, deliberações, pareceres e aprovação de documentos finais e respectiva edição.

1.2

Liderança

1.3

Solicitar procedimentos formais de apresentação de documentos à Assembleia de Escola.

1.4

Criar uma Comissão Permanente na Assembleia de Escola, para agilizar tomadas de posição em tempo útil, com força de norma e de lei interna, se bem que algumas decisões devam ser ratificadas em sede de Assembleia de Escola, posteriormente.

Art. 110º C – Comissão Permanente da Assembleia de Escola, do Regulamento Interno_versão2003, revisto em 2004; Competência delegada à Assembleia de escola para proceder à revisão do Regulamento Interno, em 2002 e 20032004.

Discutir e aprovar o Projecto Educativo de Escola_2006-2009, na Assembleia de Escola; Oficiar o Conselho Executivo e o Conselho Pedagógico da escola para procederem ao envio de documentos de análise e enquadramento da proposta de Projecto Educativo.

Aprovado na generalidade na sessão de 11 de Outubro de 2006, em sede de Assembleia de Escola; Comentários e anotações produzidas pelo Presidente da Assembleia de Escola serão constituídos como documentos anexos da acta da referida sessão, para conhecimento futuro; Está agendada uma sessão extraordinária para discutir e aprovar na especialidade o documento final, que será um dos instrumentos de desenvolvimento da autonomia da escola ( até final de Novembro de 2006 ).

2.1

Planeamento e estratégia

2.1

2.3

2.4

Elaborar um documento orientador, a médio e longo prazo, que estabeleça um plano de acção centrado nos instrumentos de desenvolvimento da autonomia da escola, sua concepção, concretização e avaliação. Elaborar o Plano de actividades da Assembleia de Escola para o ano lectivo de 2006-2007. Elaborar um documento de reflexão, dada a proximidade das eleições para este órgão, em MaioJunho de 2007, sobre a viabilidade

Documento em estudo e preparação, para ser debatido e aprovado na Assembleia de Escola, durante o ano lectivo de 2006-2007.

Documento em estudo e a ser submetido a aprovação na próxima reunião ordinária da Assembleia de Escola ( até final de Dezembro de 2006 ). Documento da responsabilidade do Presidente da Assembleia de Escola, enquanto presuntivo cabeça de lista às próximas eleições ( 2006-2007 ).

INA – Instituto Nacional de Administração


DECAF 2006/07

2 Meios Critério

Subcritério

3.1

Pessoas 3.2

de dar seguimento a um projecto protagonizado pela presente equipa. Organizar uma apresentação / painel sobre a Freguesia de Carcavelos de modo a enquadrar a escola no meio em que se insere, nas suas várias vertentes. Sub-delegar de competência, delegada à Assembleia de Escola, numa equipa para formalizar uma proposta de revisão do Regulamento Interno. Processar a revisão Regulamento Interno.

4.1

Solicitar ao representante da Câmara Municipal de Cascais a colaboração instrumental nos propósitos da Assembleia de Escola em desenvolver um processo de auto-avaliação.

4.2

Realizar uma acção de formação sobre Metodologia de Projecto, centrada na definição de pontos fracos e na definição de estratégias e objectivos.

Parcerias e 4.4

4.5

4.6

Processos

Evidências

3.3

4.3

recursos

Acção / prática

5.1

do

Organizar uma apresentação / painel sobre a Freguesia de Carcavelos pelo Dr. Fotocopiar e encadernar um conjunto de documentos sobre Projecto Educativo de Escola, Projecto Curricular de Escola, sobre a avaliação e qualidade nas escolas, instrumentos de avaliação da escola, o modelo EFQM aplicado às escolas, o modelo Caf, constituindo acervo da própria Assembleia de Escola e disponibilizados, para consulta e estudo, na Biblioteca Escolar. Verificar que todos os documentos elaborados em sede de Assembleia de Escola têm tratamento digital, no entanto, ainda é só o primeiro passo para que possamos passar a ter um arquivo 100% digital. Elaborar uma proposta que destine à Assembleia de Escola um espaço condigno ao desempenho da sua missão. Elaborar um documento público orientador do processo de revisão

Apresentação dum trabalho de investigação elaborado pelo Dr. , intitulado “ a Freguesia de Carcavelos – caracterização social, económica e de desenvolvimento “ ( 2002 ). Convite a professores que, pelo seu perfil, evidenciaram adesão positiva à subdelegação de competência da Assembleia de Escola ( 2003 ). Colaboração activa e de responsabilidade de professores que se envolveram voluntariamente no processo, com o grupo responsável ( 2003 ). Entrega de um conjunto de matrizes de orientação sobre Metodologia de Projecto, e indicadores susceptíveis de serem introduzidos no processo de avaliação ( 2004 ). Parceira – Câmara Municipal de Cascais, pela sua Divisão de Educação; Formandos da escola com limite de inscrições, tendo sido convidados professores da Assembleia de Escola, do Conselho Pedagógico e do Conselho Executivo ( 2003 ). Regime de autorização, específica ou informal, do Conselho Executivo conforme as acções a desenvolver ( desde 2000 ); Sem custos para a organização.

Regime de autorização informal do Conselho Executivo para este tipo de empreendimentos; Conjunto catalogado e a enviar à Biblioteca Escolar ( em curso até ao final de Outubro de 2006 ).

Se bem que ainda não estejam gravados em suporte autónomo, tipo CD-rom ou outro, eles estão disponíveis mas reservados na posse do seu Presidente ( em curso desde 2003 ). Proposta a submeter à Assembleia de Escola na próxima reunião ordinária, de modo a que o Conselho Executivo destine um espaço autónomo, ainda que partilhado ( até ao final de Dezembro de 2006 ). “ Revisão do Regulamento Interno_versão2000 Metodologias, Critérios, Planificações e Cronogramas “, documento

INA – Instituto Nacional de Administração


DECAF 2006/07

3 Meios Critério

Subcritério

Acção / prática

5.2

do Regulamento Interno. Elaborar documento de síntese de fontes diversas sobre o tema – Projecto Educativo de Escola, para enquadrar o lançamento do primeiro projecto; Elaborar documento de síntese das propostas provenientes dos vários sectores da escola; Elaborar uma proposta de grupo, de iniciativa individual, com o fim de servir de Projecto Educativo alternativo.

5.3

Passar a afixar em locais visíveis e acessíveis aos vários interessados, todas as informações respeitantes à actividade desenvolvida pela Assembleia de Escola; Divulgar oficialmente nos órgão de gestão e nas estruturas intermédias toda a informação relevante sobre os documentos produzidos pela Assembleia de Escola.

Evidências aprovado a 9 de Abril de 2003.

Manual “ Projecto Educativo “, distribuído pelos várias estruturas da escola e que serviu de base à discussão e elaboração do primeiro projecto ( 1998-1999 ); Proposta de Projecto Educativo de Escola, com base na síntese de propostas parcelares (1999 ); Proposta alternativa de trabalho, para o novo Projecto Educativo ( 1999 ).

Na vitrina de entrada do Pavilhão A, para toda a comunidade educativa, na vitrine do Pavilhão E para os alunos e encarregados de educação, servindo ainda qualquer interessado, num painel da sala de professores, para os mesmos ( em curso desde 2002 ); Em comunicações internas para as várias estruturas conforme a natureza da informação o exija, por exemplo a divulgação da versão final do Regulamento Interno ( em curso desde 2002 ); Em comunicações de serviço para os órgãos de gestão da escola com vista à divulgação final de documentos que pela sua natureza assim o exijam, como por exemplo a da fixação da versão final do projecto educativo ( em curso desde 2002 ); Em ofícios individualizados para entidades que directamente colaborem com a Assembleia de Escola ( em curso desde 2002 );

Resultados Critério

Subcritério

6.1 Resultados orientados para os cidadãos/clientes

6.2

7.1 Resultados relativos às pessoas

7.2

Acção /prática Elaborar um inquérito de satisfação dos clientes/cidadãos sobre o resultado da acção desenvolvida pela Assembleia de Escola. Fazer um estudo destinado a fixar quais os indicadores mais adequados a uma apreciação objectiva de resultados e como se constroem. Elaborar um inquérito de satisfação aos colaboradores da Assembleia de Escola. Elaborar um guião de entrevista com uma lista de verificação relativa ao desempenho dos elementos da Assembleia de Escola.

Evidências Proposta a apresentar em sede de Assembleia de Escola, da responsabilidade do seu presidente, para desenvolver durante este ano lectivo ( 2006-2007 ).

A realizar durante este ano lectivo ( 20062007 ).

Proposta a apresentar em sede de Assembleia de Escola, da responsabilidade do seu presidente, para desenvolver durante este ano lectivo ( 2006-2007 ). Proposta a apresentar em sede de Assembleia de Escola, da responsabilidade do seu presidente, para desenvolver durante este ano lectivo ( 2006-2007 ).

Impacto na sociedade

8.1

Elaborar um inquérito dirigido aos cidadãos/clientes sobre o grau de consecução da execução dos

Proposta a apresentar em sede de Assembleia de Escola, da responsabilidade do seu presidente, para desenvolver durante este ano lectivo ( 2006-2007 ).

INA – Instituto Nacional de Administração


DECAF 2006/07

4 Resultados Critério

Subcritério

8.2

Acção /prática

Evidências

instrumentos de desenvolvimento da autonomia da escola (Regulamento Interno_versão2003, Projecto Educativo de Escola_2003-2006, Planos Anuais de Actividades_2003-2006 e Projecto Curricular de Escola_2003-2006 ) Elaborar um inquérito dirigido aos cidadãos/clientes sobre o grau de consecução dos objectivos traçados no Projecto Educativo de Escola_2003-2006 e de maior ou menor satisfação das expectativas criadas em torno do mesmo.

Proposta a apresentar em sede de Assembleia de Escola, da responsabilidade do seu presidente, para desenvolver durante este ano lectivo e sob responsabilidade do Conselho Executivo e do Conselho Pedagógico, coadjuvado pelo Conselho de Directores de Turma ( 20062007 ).

9.1

A escola tem em vigor 3 dos 4 instrumentos de desenvolvimento da sua autonomia, Regulamento Interno_versão2003, Projecto Educativo de Escola_2006-2009, e Projecto Curricular de Escola_2006-2009; A escola tem uma Direcção Executiva, que toma a forma de Conselho Executivo, eleito em Maio de 2006 e que está em pleno exercício das suas funções e competências, com um mandato de 3 anos.

Versão em uso do Regulamento Interno_versão2003, aprovada a 10 de Setembro de 2004; Projecto Educativo de Escola_2006-2009, aprovado na generalidade a 11 de Outubro de 2006, faltando fixar o seu texto final, aquando da sua aprovação na esoecialidade ( até final de Novembro de 2006 ); Projecto Curricular de Escola-2006-2009, aprovado na generalidade a 11 de Outubro de 2006, faltando fixar o seu texto final, aquando da sua aprovação na esoecialidade ( até final de Novembro de 2006 ); O Plano Anual de Actividades_2006-2007 encontra-se a ser elaborado em sede de Conselho Pedagógico e de Conselho Executivo, para depois ser presente, para discussão e aprovação, na Assembleia de Escola; Art. 10º C – Instrumentos do processo de autonomia da escola, do Regulamento Interno_versão2003. Termo de Tomada de Posse do conselho Executivo registado em livro próprio, na posse e sob responsabilidade do Presidente da Assembleia de Escola

9.2

Em 9 áreas de actuação da Assembleia de Escola, a mesma cumpriu os objectivos implícitos das suas competências em 5 das áreas, estando uma incompleta por motivos de doença prolongada do seu Presidente e porque a área em causa não previa mecanismos para a sua avaliação ( Projecto Educativo de Escola_2003-2006 ) e não cumpriu outros 2 por responsabilidade do Conselho Executivo, que não produziu relatórios intercalares e finais dos Planos Anuais de Actividades e o Relatório de Contas de Gerência, do mandato anterior; As restantes 2 áreas não foram objecto de qualquer intervenção

Art. 111º - Competência, da Secção I – Assembleia, do Capítulo II – Órgãos, da Parte VIII – Administração e Gestão Escolar, do Regulamento interno_versão2003; Actas da Assembleia de Escola, registadas em livro próprio, desde 1999; Editais e súmulas das actas da Assembleia de Escola, difundidas com a informação relevante de cada uma das tomadas de decisão deste órgão ( desde 2002 ); Documentos finais e originais, datados e assinados, em arquivo na Assembleia de Escola ( desde 2002 ).

Resultados chave do desempenho

INA – Instituto Nacional de Administração


DECAF 2006/07

5 Resultados Critério

Subcritério

Acção /prática

Evidências

concertada na escola, por falta de necessidade em as implementar. Notas finais 

Penso que não seria necessário fazer uma referência exaustiva das evidências apontadas para cada um dos subcritérios, do tipo data de emissão, produzida por…, dirigida a…, etc, para além de objectivar a origem factual;

Não registei nenhuma acção ou resultado fictício, mas tive que me orientar por carta de intenções, sob a forma de propostas nos vários subcritérios dos resultados, pois na nossa escola não foi ainda concretizado qualquer processo de auto-avaliação, com princípio meio e fim, apesar de se ter ensaiado um exercício, algo extenso, como reflexo duma acção de formação específica e, também, por ser reduzida a cultura de avaliação na organização;

Tem influência na actividade da Assembleia de Escola o facto de o seu Presidente, neste caso eu, ter estado de atestado médico durante quase dois anos lectivos, nos últimos três anos, apesar de haver uma Vice-presidente e de todos os documentos que necessitavam de discussão e aprovação o terem sido, em devido tempo, mas notou-se que a ausência prolongada teve efeitos em acções que estavam preparadas desde a revisão do Regulamento Interno e estão, de momento, em hibernação e com reflexo na forma de registar algumas acções e evidências e os respectivos tempos;

INA – Instituto Nacional de Administração

luiz carvalho 2007_decaf_acções - resultados e evidências  

1.1 Definir os Princípios Orientadores da acção e actividade da escola. Elaborar um documento de reflexão, dada a proximidade das eleições p...