Page 1

Corpo Nacional de Escutas Agrupamento 617 - Coucieiro Vigília de Oração 7 de Março 2014


Legenda: A/N: aspirante/noviço P: Presidente da celebração (Assistente) C: Chefe E: Escuteiro T: Todos

INTRODUÇÃO (Chefe de Ãgrupamento) Nos tempos medievais, os cavaleiros preparavam-se para a sua investidura fazendo uma velada de armas. Retiravam-se das suas famílias e amigos, passando a noite em oração e reflexão, suplicando a Deus o dom da força e da fidelidade, para poderem servir na expansão do reino de Deus, em defesa dos mais fracos e desprotegidos. Mas hoje, és tu que estás aqui, a pedir força ao Senhor para seres fiel ao compromisso da tua promessa que vais fazer amanhã. Amanha vais dizer o SIM, e este é um SIM com maiúsculas. Sabes o que significa? Significa que vais pertencer à grande família dos escuteiros ou que vais renovar o teu SIM. Este SIM é uma ponte para o mundo de todas as Utopias, é o Sim da verdade, um SIM de compromisso e que aceitamos da “Melhor Vontade” ou “ Sempre Alerta para Servir”.

2


Presidente: Em nome do (+) Pai, do Filho, e do Espírito Santo Todos: Amén

P: A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, que por nós se fez homem, que por nós morreu e ressuscitou, esteja convosco T: Bendito seja Deus, que nos reuniu no amor de Cristo

P: Oremos: Senhor Jesus, que sois o Caminho, a Verdade e a Vida, lançai a ponte entre o céu e a terra para que convosco possamos celebrar a Páscoa, Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. T: Amén

3


I PARTE CELEBRAÇÃO DA PALAVRA

Aclamação do Evangelho: Glória a Vós, Cristo Senhor, sois a Palavra de Deus Evangelho segundo São Lucas (Lc 5, 27-32) “Naquele tempo, Jesus viu um cobrador de impostos, chamado Levi, sentado na coletoria. Jesus lhe disse: “Segue-me”. Levi deixou tudo, levantou-se e o seguiu. Depois, Levi preparou em casa um grande banquete para Jesus. Estava aí grande número de cobradores de impostos e outras pessoas sentadas à mesa com eles. Os fariseus e seus mestres da Lei murmuravam e diziam aos discípulos de Jesus: “Por que vós comeis e bebeis com os cobradores de impostos e com os pecadores?” Jesus respondeu: “Os que são sadios não precisam de médico, mas sim os que estão doentes. Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores para a conversão”.

— Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor.

4


MOMENTO DE RECONCILIAÇÃO

Na Quaresma, e na véspera das nossas Promessas, lavemos o sujo das nossas vidas passadas, e reconciliemo-nos com Deus, que nos ama e tudo perdoa aos de coração puro.

5


II PARTE OS SINAIS C1: São a simbologia e a mística escutista vistas e interpretadas à luz da Palavra e do Amor Cristãos. Um sinal forte desta vontade de viver segundo o Evangelho é a construção de laços na nossa comunidade. “Um mundo, muitas pontes” é o lema do nosso agrupamento para este ano escutista, neste que é também o Ano da Eucaristia. É dever de todos nós contribuir para que nasçam pontes onde antes só havia muros. Seja entre nós e os outros, seja entre os mais necessitados e os mais abastados, seja entre Deus e os Homens.

MÁXIMAS DO LOBITO C2: As sementes mais delicadas terão mais probabilidades de produzir bons frutos. Assim sendo, é preciso que cada Lobito sinta que fará a sua Promessa “da melhor vontade", para toda a vida. As Máximas dos Lobitos formam, juntamente com a Lei, o seu código de vida, dando sentido à orientação educativa do Lobitismo e à sua formação escutista.

A/N: 1.° - O Lobito pensa primeiro no seu semelhante E - Porque é leal e está sempre pronto a ajudar os outros; A/N: 2.° - Lobito sabe ver e ouvir E - Porque sabe ver à sua volta tudo o que o rodeia; A/N: 3.° - O Lobito é asseado E - Porque a saúde é um dever para consigo próprio;

6


A/N: 4.°- O Lobito é alegre E - Porque a sua religião é toda feita de alegria, confiança e dedicação; A/N: 5.° - O Lobito diz sempre a verdade E - Porque é sempre verdadeiro, isto é, não mente;

LEI DO LOBITO C3: Como Máugli foi levado à Rocha do Conselho para ser admitido na alcateia, também o futuro Lobito é levado à frente da Alcateia, familiares, amigos e comunidade, antes de se tomar um verdadeiro membro desta Alcateia. Todos serão testemunhas da sua vontade de aderir à sua Lei.

A/N: 1.° - O Lobito escuta Àquela E - Porque é ouvindo os seus conselhos que adquire a sua experiência;

A/N: 2.° - O Lobito não se escuta a si próprio E - Porque, tal como Máugli, escuta os velhos lobos;

7


PRINCÍPIOS DO ESCUTISMO C4: Os princípios são pontes para o nosso passado. O passado é a base e a razão de ser do nosso presente, e os Princípios lembram-nos que só respeitando valores basilares é que conseguimos construir um futuro em que queiramos viver.

A/N: 1.º – O Escuta orgulha-se da sua Fé e por ela orienta toda a sua vida E: Ter Fé, é ter encontrado para a vida um rumo certo e definitivo. Orientar por ela a própria vida é o sinal da coerência de uma personalidade Sê fiel à tua Fé, • mesmo que outros não o sejam; • quando outros não o forem; • precisamente porque outros não o são. A/N: 2.° – O Escuta é filho de Portugal e bom cidadão E: Ser filho de Portugal é reconhecer na Pátria: • um lar a respeitar; • uma terra a trabalhar; • uma história a continuar; • um dever a honrar. A/N: 3.° – O dever do Escuta começa em casa E: A casa é o meu mundo mais próximo. 

Não envergonhar, mas amar e honrar sempre aqueles através de quem recebi de Deus o dom da vida;

De pouco me vale ser bom para com os outros, se sou mau com os meus. O nosso dever começa naqueles que nos rodeiam.

8


LEI DO ESCUTEIRO C5: Os artigos da Lei do Escuteiro são a nossa ponte para os outros. Nestes artigos simples, encontramos a forma de nos relacionarmos com os que nos rodeiam. São pontes sólidas, “o Escuta É” - os artigos estão no presente do indicativo, e não noutro tempo verbal de propósito “O Escuta devia ser…”. A Lei do Escuteiro é a ponte que queremos atravessar para chegar aos outros. A/N: 1.º – A honra do Escuta inspira confiança E: O primeiro artigo da Lei é a base de todos os outros – só com honra podemos prometer algo, só com a verdade podemos cumprir algo. O Escuteiro é verdadeiro consigo próprio, verdadeiro com Deus, verdadeiro com os outros. Queremos fazer uma ponte sobre a mentira, queremos uma ponte de verdade, de honra

9


A/N: 2.° – O Escuta é leal E: O segundo artigo da Lei proclama a nossa adesão àquilo que nos entregamos. A lealdade implica responsabilidade – quem é leal, não abandona mas também não idolatra. Queremos fazer uma ponte sobre o bairrismo e sobre a indiferença, uma ponte de lealdade e responsabilidade. A/N: 3.° – O Escuta é útil e pratica diariamente uma Boa Acção E: O terceiro artigo da Lei manda que sejamos membros úteis das nossas comunidades locais, nacionais e mundiais. Ser útil é ter valor, servir é liderar. O Escuteiro não pode perder um dia que seja sem ser útil aos outros e a si próprio. Queremos fazer uma ponte sobre a indiferença e a inutilidade, uma ponte de boas acções e de serviço. A/N: 4.° – O Escuta é amigo de todos e irmão de todos os outros Escutas E: O quarto artigo da Lei manda-nos ser cristão, manda-nos ser amigo de todas as pessoas, e manda-nos ser irmãos de todos os Escuteiros. Indiferente a raça, lugar ou credo, o Escutismo é uma fraternidade mundial, que a todos é útil e com todos tenta ser amigo. Queremos fazer uma ponte sobre a soberba e a exclusão, uma ponte de amizade e fraternidade.

A/N: 5.° – O Escuta é delicado e respeitador E: O quinto artigo da Lei lembra-nos o valor da boa educação. Ser delicado, ser bem educado, ser cavalheiresco é mostrar força. O Escuteiro mostra ao mundo que a força não é desculpa para a rudeza ou o desrespeito. Queremos fazer uma ponte sobre a falta de educação e a rudeza, uma ponte de delicadeza e respeito.

10


A/N: 6.° – O Escuta protege as plantas e os animais E: O sexto artigo da Lei recorda o nosso dever para com a Criação de Deus. A conservação do meio ambiente e de toda a Vida é uma obrigação, não uma escolha. O Escutismo está na vanguarda do ambientalismo, agindo localmente e pensando globalmente. Queremos fazer uma ponte sobre o desrespeito à natureza, uma ponte de protecção e acção. A/N: 7.° – O Escuta é obediente E: O sétimo artigo da Lei lembra os nossos deveres de obediência. Obediência à Lei de Deus, obediência à Lei dos Homens, obediência aos legítimos superiores, obedecer é estar disponível para ajudar nos Escuteiros e fora deles. O Escuteiro diz não ao individualismo e segue as instruções dos seus chefes, dos seus pais, do seu Deus. Queremos fazer uma ponte sobre a desobediência, uma ponte de dedicação. A/N: 8.° – O Escuta tem sempre boa disposição de espírito E: O oitavo artigo da Lei lembra-nos a atitude com que devemos encarar a vida. Desde a alegria dos bons momentos, à calma esperança dos piores, o Escuteiro sabe que Deus está consigo e nunca o abandona. A certeza na graça de Deus anima-nos nos maus momentos, e alegra-nos nos bons. Queremos fazer uma ponte sobre o desespero, uma ponte de Fé e boa disposição.

11


A/N: 9.° – O Escuta é sóbrio, económico e respeitador do bem alheio E: O nono artigo da Lei chama-nos aos cuidados com os bens terrenos. Não desperdiçar, porque o nosso excesso de hoje pode ser o que nos falta amanhã, ou o que falta já a Proteger o que é dos outros ou de todos é dever ainda maior do que cuidar do que é nosso. Queremos fazer uma ponte sobre o vandalismo, a avareza e a prodigalidade, uma ponte de civismo e partilha. A/N: 10.º – O Escuta é puro nos pensamentos, nas palavras e nas acções E: O décimo artigo da Lei proclama a virtude da limpeza em todos as partes da nossa vida. A boa árvore só pode dar bom fruto. O Escuteiro traduz em palavras, gestos e atitudes a limpeza e correcção da sua alma e da sua mente. Queremos fazer uma ponte sobre o desleixo e o pecado, uma ponte de pureza e dignidade.

12


III PARTE

ORAÇÃO E BÊNÇÃO DAS INSÍGNIAS

PATRONOS C6: Os nossos Santos são modelos e heróis, que ousaram pôr-se de joelhos diante de Deus, e de pé diante dos Homens. São exemplos da vida que queremos seguir. Os nossos patronos são para nós pontes para Deus Invoquemos a sua protecção para que sejam medianeiros e intercessores dos candidatos a Escuteiros, junto de Deus.

Ladainha dos Santos P: Mãe do Salvador, Mãe da Igreja e Mãe dos Escutas, intercedei por nós e pelas nossas famílias junto de Jesus, e fazei das nossas vidas um exemplo de dedicação aos outros. Possam os nossos familiares continuarem a ser os nossos exemplos. Nossa Senhora… T: Rogai por nós. P: S. Francisco de Assis, orienta os nossos Lobitos para que continuem a ser o sol do Escutismo e da sociedade, vivendo a alegria da sua infância. São Francisco… T: Rogai por nós.

13


P: S. Tiago Maior, mostra aos nossos Exploradores que não devem temer o mal, para que continuem a ser a esperança e a constância do Escutismo e da sociedade, vivendo o entusiasmo da sua idade. São Tiago Maior… T: Rogai por nós. P: S. Pedro, dá aos nossos Pioneiros a dedicação e a constância nos seus objectivos, para que continuem a ser a renovação do Escutismo e da sociedade, vivendo a coragem da sua idade. São Pedro… T: Rogai por nós. P: S. Paulo, apóstolo da Palavra, incansável e dedicado aconselha os nossos Caminheiros na Fé inabalável e no serviço, para que continuem a ser a renovação e a irreverência do Escutismo e da sociedade, vivendo o ardor da sua idade. São Paulo…. T: Rogai por nós. P: S. Nuno, apóstolo do Serviço, ajuda os nossos Dirigentes na certeza do seu dever para com Deus, a Pátria e os seus semelhantes, para que continuem a ser o serviço e a dedicação do Escutismo e da sociedade, vivendo a sua missão T: Rogai por nós.

P: Todos os Santos e Santas de Deus. T: Rogai por nós.

14


P: Graças e louvores se dêem a todo o momento… T: ...ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento P: Bendito e louvado seja o Santíssimo Sacramento da Eucaristia... T: ...fruto do ventre sagrado da Virgem Puríssima Santa Maria

Oração da Vigília P: Senhor Jesus, nosso supremo Chefe, aqui estamos diante de vós e afirmamos que somos vossos e queremos ser inteiramente vossos. Ouvi as súplicas que Vós fazemos, por Maria, nossa Mãe Todos: Senhor Jesus, nós somos vossos. E: E vossos queremos ser em todos os dias da nossa vida, na juventude: e na velhice, na alegria e na dor, na felicidade e no infortúnio, na saúde e na enfermidade; e se algum dia, alguém ou alguma coisa pretender afastar-nos de Vós, estendei-nos a vossa mão omnipotente e salvadora. T.: Senhor Jesus, nós queremos ser sempre vossos.

15


E: Senhor Jesus, nesta Vigília de Oração a preparar as novas Promessas, queremos pedir-Vos uma fé viva e esclarecida, que faça de nós verdadeiros cristãos. T,: Senhor Jesus, nós cremos em Vós, mas aumentai a nossa fé.

E: Nesta Vigília, ó Chefe Supremo, queremos dirigir-Vos uma prece pelo Corpo Nacional de Escutas e pêlos Escuteiros de todo o mundo, pelos nossos Dirigentes e pelos nossos irmãos Escuteiros, especialmente aqueles que amanhã farão a sua Promessa, para que a vossa bênção desça sobre nós e sejamos vidas oferecidas ao serviço de um mundo melhor. T.: Senhor Jesus, protegei e abençoai os Escuteiros de todo o mundo.

E: Uma prece também pêlos nossos irmãos Escuteiros que já partiram para a eternidade. Conduzi-os a todos à felicidade do eterno acampamento, na tenda do Pai do Céu. T.: Senhor Jesus, ouvi-nos.

E: Uma prece ainda pela Vossa Igreja, pelo Santo Padre, pelos nossos Bispos, sacerdotes, vocações consagradas e Missões, para que o vosso Reino se dilate cada vez mais e que a Boa Nova chegue a um número cada vez maior de homens de boa vontade. T.: Senhor Jesus, ouvi-nos.

P.: Ao terminar esta Vigília de Oração, ó Chefe Supremo, nós prometemos seguir, passo a passo, os Vossos exemplos para que se erga na terra cada vez mais alto o monumento da virtude que engrandece as nossas vidas e glorifica o Vosso nome, pêlos séculos sem fim. T.: Senhor Jesus, ouvi-nos. Todos: Pai nosso

16


BÊNÇÃO DÃS INSIGNIÃS

17


P: Ó Deus, fonte de toda a santidade, que no Vosso Filho nos oferecestes um modelo de todo o verdadeiro serviço, como entrega livre e amorosa ao Vosso projecto de salvação, no cumprimento da lei nova do Amor, escutai a oração que Vos apresentamos: sobre estas insígnias derramai a Vossa benção (+) para que aqueles que as vão usar, como sinal de adesão ao ideal escutista, sejam, cada vez mais, homens novos em Jesus Cristo, cumprindo com fidelidade e perseverança a sua Promessa e testemunhando o Vosso Reino entre os homens. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Todos: Ámen.

Cerimonial de Compromisso

Bênção final e despedida:

Que a bênção de Deus Todo Poderoso (+) Pai, Filho e Espírito Santo desça sobre vós e permaneça para sempre Todos: Ámen P: Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. T.: Graças a Deus.

18

Vigília