Page 1

FJ5L7


A94P2

Promovendo e divulgando o turismo do território, a identidade gráfica assenta num princípio de economia expressiva capaz de sintetizar elementos fundamentais e caraterísticos do concelho de Vila Nova de Gaia e evocar, simultaneamente, o carácter da região, a sua nobreza e singularidade, bem como a inovação territorial, económica, social, patrimonial e turística. A proposta apresenta-nos uma imagem moderna e dinâmica, com linhas simples e formas estilizadas possibilitando uma fácil leitura e identificação dos elementos caraterísticos do conselho graficamente representados.

Mosteiro da Serra do Pilar

Vinho do Porto

Pontes/ Rio Douro

Capela do Sr. da Pedra

Barco Rabelo

A monocromia confere à imagem maior singularidade e torna os custos de produção de materiais mais baixos. No entanto desenvolvi uma outra proposta tentando reduzir ainda mais esses custos e oferecendo ao cliente uma segunda hipótese de escolha ao adquirir o(s) produto(s) de “mershandising”.

O tipo de letra usado é simples, de leitura fácil e imediata.

Em conclusão, apresenta-se uma nova identidade gráfica, mais atual, com capacidade de reprodução gráfica, de fácil ajuste e adaptação aos vários suportes e nos mais diversos formatos e que, com certeza, conferirá à Divisão Municipal de Turismo e ao conselho de Vila Nova de Gaia um toque de modernidade, um outro rosto e uma nova personalidade.


RWY36

MEMÓRIA DESCRITIVA Objectivos e Finalidades da Proposta A divisão de Turismo da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia criou o “Concurso de Ideias” com o objectivo de promover e divulgar o turismo do território gaiense. Respondi a este projecto no âmbito da disciplina de Oficina Multimédia B porque, além de se direccionar aos jovens; é uma actividade que implica um esforço de inovação, de forma a não fazer representações que já existem. Segundo o regulamento, só podia escolher, de todos os pontos turísticos da cidade, cinco deles: a Ponte de D. Luís, a Serra do Pilar, a capela do Sr. da Pedra, as Caves do vinho do Porto, e/ou o barco rabelo. Inicialmente, optei pela Ponte, mas como corria o risco de ser um elemento repetitivo, depois de fazer alguns esboços, abandonei a ideia. Decidi então desenvolver a proposta em redor das Caves do vinho do Porto, visto que são um elemento pouco divulgado, mas que tem uma interessante história – Para ser considerado “um Porto”, o vinho tem que ser cultivado e colhido na Região Demarcada pelo Marquês do Pombal em 1756 e envelhecido nas caves de Vila Nova de Gaia (daí a importância da cidade da margem esquerda do Douro). Em Gaia, existem quinze caves, verdadeiros templos da báquica religião (báquica em homenagem ao deus do vinho – Baco). Para completar, existe ainda a presença dos barcos rabelos que até 1965, pela Primavera, transportavam o vinho desde as quintas até aos armazéns. Estão agora estacionados na margem, já sem outro préstimo que não seja o de prestar testemunho quieto e histórico

Página

1

dessa outra época.


Descrição e Justificação da Proposta O primeiro objecto que representei foi o cálice de vinho por ser conciso e limpo, graficamente. Na copa coloquei duas linhas curvas para conseguir ondulação/movimento na representação visual. Todavia, por ser susceptível a más interpretações (linhas podiam confundir-se com montes) eliminei as linhas e tentei substituí-las por outras formas. Como o projecto proposto abrangia cinco pontos turísticos, aproveitei a possibilidade de inserir mais alguns, mostrar a versatilidade da proposta e ainda que a cidade tem vários e bons marcos a visitar: tendo em conta o que referi no primeiro ponto, à copa (no interior) aliei mais três elementos, a Ponte, a Serra do Pilar e o barco rabelo, expondo assim a vista de Gaia – Cais de Gaia – para quem observar do lado do Porto e criando uma elipse visual (o reviver a chegada do vinho ao seu local de envelhecimento). Mas não era suficiente. Então, como pretexto de introduzir a modernidade e vontade de avançar da Cidade, representei o novo teleférico, meio de desenvolvimento tecnológico. Por outro lado, de modo a divulgar a Cidade em questão, substituí uma das pernas do cálice de vinho pela palavra “Gaia”, representando o nome da terra para a qual ser quer fazer propaganda e sendo um meio de sustentação do cálice (esta palavra encontra-se com o tipo de letra Eras Demi ITC, porque tem uma expressão convidativa e, julgo eu, chamará mais atenção ao público; também está com o corpo de texto na vertical sendo a última letra do vocábulo a ligação do pé/base à copa). Toda esta representação for realizada a preto e branco funcionando, comparativamente com a cor, de uma forma mais coerente e coesa; o preto funcionará em todos os possíveis artigos de “merchandising”

Página

2

que possam ser escolhidos, seja estes a cores ou a branco.


Conclusão da Proposta Em suma, toda esta proposta visa a versatilidade, a coesão e a beleza da Cidade, esperando que seja uma representação visual fidedigna à identidade da cidade de Vila Nova de Gaia. Espero que a minha proposta ao ser aplicada em artigos de “merchandising”, não seja reconhecida como uma identidade comum e repetitiva, mas sim como uma inovadora e fresca imagem, que leve o público a comprar os mesmos artigos. Desta forma, a Cidade de Gaia será reconhecida pela sua

Página

3

originalidade, pois deu oportunidade aos jovens para voarem.


aia

aia

C154Q


Memória Descritiva

No âmbito da disciplina de Oficina Multimédia, foi-nos proposto, a partir da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, através da Divisão Municipal de Turismo, a participação em um concurso com o objectivo de se criar uma identificação gráfica deste. Como base estrutural, para a criação desta identificação gráfica, teríamos obrigatoriamente de nos basear, na Ponte D.Luiz I, no Mosteiro da Serra do Pilar, no Barco Rabelo, na Capela do Sr. da Pedra ou nas Caves do Vinho do Porto, tendo em conta que a identificação gráfica poderia ser aplicada em objectos de merchandising, como camisolas, bonés, lenços, copos, entre outros.

Pessoalmente este trabalho interessou-me desde inicio, pois abrange uma área que aprecio bastante do nosso património nortenho. Desde logo, resolvi trabalhar no Barco Rabelo, devido à sua história, à sua estrutura e a sua importância na nossa região. O Barco Rabelo é uma embarcação típica do Rio Douro, construída com o propósito de transportar as pipas de vinho para os armazéns em Vila Nova de Gaia – Porto, provindas das colheitas realizadas nas serras do Alto Douro. Hoje em dia os barcos Rabelos são transportes turísticos no Rio Douro ou usados para carácter lúdico e recreativo.

Após vários estudos, eis que surge o resultado final, um exemplar de um Barco Rabelo original, de estrutura bastante simples, sendo representado na base do barco por uma linha recta ligeiramente empinada na proa (assim como o original) com um detalhe encaracolado, transportando três pipas e com uma vela a representar a cidade de Gaia. Como forma de enriquecimento e de valorização do Barco Rabelo, tendo como fundo a estrutura da ponte D.Luiz I a branco, marcado pelo azul celeste do céu e um mais escuro para as águas do Rio Douro.

ELEMENTO DE DESTAQUE


Memória Descritiva

No decorrer da execução da identidade gráfica, a escolha das cores deteve-se num critério bastante minucioso, devido ao custo e no próprio interesse gráfico. O que inicialmente seria uma representação a preto e branco, devendo a ideia original evidenciar o Barco Rabelo, a opção tomada recaiu sobre o acrescente de uma cor, designadamente o azul, na definição do céu e das águas do Rio, criando o contraste entre o barco e os restantes elementos. CÉU

Como já havia referido, a RIO finalidade para esta identificação gráfica é o de representar o Turismo de uma região (Vila Nova de Gaia), e este ser ainda apresentado em vários objectos de merchandising, representando o que de melhor a nossa região tem. A conclusão final deste projecto, é a representatividade de toda uma região a nível turístico e social, relembrando o que de bom existe e a define.

RESULTADO FINAL


JHG54


Esta proposta surgiu no âmbito da disciplina de Oficina de Multimédia, com o intuito de participar no concurso proposto pela Divisão de Turismo da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. O objectivo era criar uma identidade gráfica que simboliza-se o turismo da cidade. Tínhamos como base de inspiração 5 temas, sendo a Serra do Pilar, a Ponte Luíz I, o Barco Rabelo, a Capela do Sr. Da Pedra e as Caves de Vinho do Porto.

Dos cinco temas propostos optei por trabalhar o Barco Rabelo, pois penso que simboliza a cidade de Vila Nova de Gaia e toda a sua cultura vinícola. Após vários estudos este foi o resultado final, sendo uma imagem de fácil interpretação que tem como objetivo ser impressa em vários produtos de merchandising.


Tourists Y U no come to Gaia?

a

ai

G o

de

m

ris

Tu

Tourists Y U no come to Gaia?

a

ai

o

de

G

m

is

r Tu

SX1O1


Memória Descritiva A proposta foi feita numa aula da disciplina de Oficina de Multimédia e o concurso tem como objectivo criar uma identidade gráfica para promover e desenvolver o turismo de Vila Nova de Gaia. Visto ser obrigatório ter como base um dos seguintes temas: Mosteiro da Serra do Pilar, Barco Rabelo, Ponte Luís I, Capela do Sr. da Pedra e Caves do Vinho do Porto eu escolhi o tema Sr. Da Pedra. Foi erguida sobre um rochedo junto ao mar em 1686. Apresenta planta hexagonal. A romaria ao Senhor da Pedra é uma das mais tradicionais tanto de Vila Nova de Gaia como da freguesia de Gulpilhares. Realiza-se anualmente nas praias do Senhor da Pedra, no domingo da Santíssima Trindade, e prolonga-se até à terça-feira seguinte. O resultado final surgiu após vários estudos, no entanto não provém de uma série de ideias e experiências. Resolvi usar um desenho chamado “meme” que foi criado para transmitir os sentimentos ou expressões que várias pessoas usam no seu dia-a-dia, basicamente, um cliché da sociedade em que estamos inseridos. Essa expressão transmite a ideia de um ser zangado pelo facto de os turistas não se dignarem a visitar Gaia usando a expressão: “Tourists, Y U NO come to Gaia?” que em linguagem corrente significa “Turistas, porque não vêm a Gaia?”. A identidade gráfica, por mim criada, poderá ser usada em t-shirts, lenços, bonés, copos, folhetos, agendas e outros mais variados meios de comunicação, incluindo a Internet.

SX1O1


( (-

TURISM

O DE

GAIA

l

((

l

ll

SMO

DE G

AIA

l

l

ooo oooo

TURI

)

(

l

ll

)

(

l

ooo oooo

S1O7L


((

-

ll

SMO

DE G

AIA

l

l

ooo oooo

TURI

)

(

l

S1O7L


((

-

ll

SMO

DE G

AIA

l

l

ooo oooo

TURI

)

(

l

S1O7L


M789R Com o intuito de promover o turismo de Gaia, a identidade gráfica requer expressividade e a capacidade de resumir as características essenciais de Vila Nova de Gaia, para que represente a “Alma” da região como a inovação e a modernidade da região. Foram apresentados 5 marcos históricos ( Serra do Pilar, Caves vinho do Porto, Barco rabelo, Ponte D. Luíz I e capela do Senhor da Pedra ), inicialmente escolhi a Ponte D. Luíz I, mas devido a ao uso frequente na mesma optei pela Capela do Senhor da Pedra, um grande marco histórico único em todo o Portugal e que se situa na beira litoral norte mais propriamente em Vila Nova de Gaia, na freguesia de Gulpilhares.

Primeiros estudos:

Gaia

Turismo Gaia

Depois de vários estudos optei por uma imagem mais simples onde inseri as palavras “Turismo e Gaia” o tipo de letra usado e «STENCIL STD», monocromática e que traduz o dinamismo de Gaia e de fácil interpretação para o possível comprador, pensando também nos custos que irá trazer a departamento de Turismo de Gaia, e também nos produtos de “mershandising” que poderá reproduzir esta identidade gráfica.

Propostas Finais:

“proposta inicial”

“proposta a negativo”

“Aplicação num produto de «mershandising»”

Concluo a apresentação de uma nova identidade gráfic a, que dá um toque de modernidade ao conselho Vila Nova de Gaia, com a possibilidade de escolha entre duas identidades, para abranger mais pessoas de diferentes gostos.


VS1GI

urismo

urismo


VS1GI

Com a realização da minha identidade gráfica, pretendo corresponder aos objectivos deste concurso, promovendo e divulgando o turismo no território de Vila Nova de Gaia, em produtos “merchandising” e material promocional de apoio a esta actividade. Baseei-me no barco Rabelo, e depois de vários estudos, a imagem final é essencialmente um conjunto de caracteres e linhas curvas. O objectivo é que, com a fusão de dois T’s maiúsculos, haja uma visualização do barco e consequentemente, da ondulação da água. O “T” invertido que introduz a palavra Gaia, e o “T” de “Turismo” unem-se por pequenos prolongamentos, e assim forma-se a base do barco. O tipo de letra escolhido para este carácter é absolutamente pensado e propositado, pelo facto de haver, na extremidade, uma saliência ondulatória que tanto se adequa ao “G", como à frente desse mesmo meio de transporte turístico. Por cima da junção desses dois elementos escritos, há a habitual bandeira que caracteriza um barco de pequenas dimensões, formado por duas linhas curvas, que transmite a sensação de movimento pela força do vento, e de leveza devido à sustentação das águas do rio D’ouro. Um pouco à direita, junto à linha do T que advém da palavra “Turismo”, tem um conjunto de 7 círculos perfeitos, com a associação às pipas que são transportadas a bordo. A opção pelo preto e branco também não é por acaso. Com as dificuldades económicas que o país, e não só, atravessa, a impressão da imagem ficaria a um preço mais acessível do que se fosse a cores.

1


PROCESSO ANALÓGICO Neste primeiro contacto com a imagem, apenas desenhei as linhas estruturais do barco, para definir o seu contorno e elementos essenciais.

Simplificação da primeira forma. Neste esboço acrescentei a palavra "Turismo" para ver a relação entre palavras e imagens.

Último desenho. - Aqui apenas constam algumas linhas de orientação, contudo a forma do barco está presente. A palavra "Gaia" é introduzida na vertical.

2


PROCESSO DIGITAL Com o tipo de letra "Curlz MT", no Corel, a serifa é retirada e os dois "T's" juntam-se. A base do "T" invertido também é retirada.

Assim, unem-se as estremidades e acrescenta-se sete circulos perfeitos. A base do "T" de "Turismo" (que é identificada pelo cirsulo vermelho) será, então, no final prolongada para dar inicio à palavra.

O aspecto da imagem concluida está, como deveria, numa folha à parte.

3


M1C1M


Memória Descritiva

Introdução Foi-me apresentada, no âmbito da disciplina de Oficina Multimédia B, uma proposta da Divisão de Turismo da Câmara Municipal de Gaia que tem como objetivo criar uma identidade gráfica que promova e divulgue o turismo da região.

Objectivos e motivações Principais objectivos do logótipo:  Promover e divulgar o turismo do território  Fazer referência a alguns dos pontos históricos e importantes de Gaia

Contexto do projeto Conforme o regulamento apenas podia usar como tema 5 pontos turísticos: Ponte D. Luís I, Serra do Pilar, Capela do Sr. Da Pedra, Caves dos Vinho do Porto, Barco Rabelo. Após vários estudos decidi então desenvolver o projeto em redor de três dos temas propostos (Ponte D. Luís I, Serra do Pilar e Barco Rabelo), sendo estes elementos pouco divulgados.


Descrição do projeto O primeiro elemento que inseri, logo desde início, foi a Ponte D. Luís I por ter traços finos e limpos. Em baixo usei duas linhas

onduladas para conseguir o efeito de ondulação das águas do Rio Douro e com elas alinhei um segundo elemento gráfico, o Barco Rabelo com um traço bastante simples e estilizado do original. No seguimento das linhas superiores da Ponte juntei a fachada do muro da Serra do Pilar (não me limitei a usar a fachada do Mosteiro para não ser um elemento repetitivo), e das inferiores optei por aliar a vasta linha que descreve o Cais de Gaia. Para dar um toque de modernidade e inovação dos modos de transporte do nosso território gaiense inseri o metro.


Contudo, para divulgar a Nossa Cidade, decidi usar as palavras Gaia e Turismo (com tipo de letra Balkeno por ser uma fonte um pouco trabalhada mas ao mesmo tempo de fácil e rápida leitura).

O uso da monocromia torna os custos de produção mais reduzido atribuindo à imagem um valor mais forte e ao mesmo tempo simples.

Conclusão Espero que a minha proposta confira à Divisão de Turismo da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia uma identidade gráfica fresca e moderna com capacidade de ser reproduzida e adaptada aos mais diversos suportes de “mershandising “ e que venha refrescar e modernizar o rosto do nosso território.


Turismo

Turismo

09DAZ


Este concurso tem como objectivo seleccionar uma proposta de uma identidade gráfica no âmbito da promoção e divulgação turística do território, a qual será representada no variado ”merchandising” e material promocional de apoio á actividade da Divisão de Turismo da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

Escolhi realizar a representação vectorial da silhueta do edifício do mosteiro da Serra do Pilar juntamente com uma árvore, representadora de como podem adivinhar, da Natureza e flora de Gaia. Uma vez representada a silhueta, inseri pequenos rectângulos pretos para criar contraste e alternação de cor entre branco e preto.

Após uns ajustes à imagem, juntei também dois rectângulos verdes como representação dos espaços verdes que tanto admiro em Gaia. A fonte utilizada é de fácil legibilidade mas os contrastes das cores oferece um pequeno desafio aos clientes para perceber o que tem escrito.


GAIA

GAIA

8oo8s


MEMÓRIA DESCRITIVA

Tendo como objetivo de divulgar e promover o turismo de Gaia, a divisão de Turismo da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia criou o “Concurso de Ideias” ao qual tinhamos á disposição cinco pontos turísticos a escolha, sendo eles a Ponte D. Luís, a Serra do Pilar, a Capela do Sr. da Pedra, as Caves do vinho do Porto, e o barco rabelo. Na minha proposta optei por usar as Caves do vinho do Porto, desenvolvendo assim uma identidade gráfica simples para poder ser usada em t-shirts, lenços, folhetos, etc.

Outras propostas:


Gaia

Turismo

Gaia

Turismo

19nm9


19NM9

Foi promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, através da Divisão Municipal de turismo, um pedido para a criação de uma identidade gráfica no âmbito de promover e divulgar o turismo no território. A proposta é apresentada por uma silhueta da Capela do Sr. Da Pedra com linhas simples, possibilitando uma leitua fácil do elemento representado graficamente.

A monocromia manifesta uma maior simplicidade ao produto,causando custos menos elevados na sua reprodução em diversos produtos de “merchandising”. Também é possivel apresnetar uma impressão a cor, no qual se aplica a cor de verde. Esta cor é usada neste produto como simbolismo dos espaços verdes existentes no território. Esta opção terá um custo mais elevado, por causa do seu modo de impressão e pelo tempo desperdiçado. Optando assim pela monocromia.

Gaia

Turismo

Gaia

Turismo

O tipo de letra selecionado é acessível visualmente, com uma leitura fácil e rápida. Esta letra cujo o nome é “Bauhaus 93”, não contém serifas o que facilita a sua visualização e simplicidade de forma.

Gaia Gaia Turismo

Turismo


Turismo Gaia

Turismo Gaia

GHA24


GHA24

Memoria Descritiva Este projecto surgiu através de um concurso de ideias que foi apresentado as escolas do conselho de Gaia, o que faz com que este concurso tenha como objectivo a criação de uma identidade gráfica, no âmbito da divulgação do turismo do território. Fazendo com que os trabalhos tenham de se basear num dos seguintes temas Mosteiro da Serra do Pilar, Barco Rabelo, Ponte Luís I, Capela do Sr. Da Pedra e Caves do Vinho do Porto. Depois de várias pesquisas sobre os diversos edifícios decidi escolher o Mosteiro da Serra do Pilar, pois é um local que os turistas e pessoas do nosso pais gostam de visitar, a partir dele conseguem ter uma perspectiva da nossa cidade que se calhar dos outros locais que eram tema para o projecto não conseguem ter essa perspectiva, pois o Mosteiro da Serra do Pilar é um local cheio de história, atraindo assim muitos visitantes, sendo um mosteiro muito bonito e com muita importância para o nosso pais, conto assim um pouco da sua história, a origem do mosteiro está intimamente associado a um outro mosteiro em Vila Nova de Gaia, que é o Mosteiro de São Salvador de Grijó. O Mosteiro de Grijó ficava na época numa zona de campo, afastado das estradas. Fazendo com que se considere o Mosteiro da Serra do Pilar património da humanidade, sendo que começou a ser edificado em 1538, sob a direcção de Diogo de Castilho e João de Ruão, as obras só terminam por volta de 1670, concluindo assim a igreja de Nossa Senhora do Pilar. Durante as invasões francesas o mosteiro ficou muito danificado, ficando assim a constituição da Real Irmandade de Nossa Senhora da Glória do Pilar, no reinado de D.Maria II, permitindo assim a sua reparação (monumental). Temos uma igreja de planta circular, que tem uma abóbada rodeada por um varandim, o claustro também circular, e com 36 colunas da ordem jónica.

Mosteiro de Grijó

Mosteiro da Serra do Pilar

Este trabalho é feito no programa Corel Draw (x4). Depois de ver várias perspectivas do mosteiro decidi escolher a que esta no trabalho pois apanha a estrutura do mosteiro em si e um pouco das muralhas que nele estão presentes, este projecto consiste na utilização de um espécie de linhas de contorno que fazem o formato do mosteiro são linhas com alguma espessura em alguns sítios e outros com muito pouca


GHA24 espessura sendo uma linha fina, as linhas com espessura estão principalmente visíveis na base do trabalho e no telhado de algumas casas. O trabalho tem apenas três cores preto nas linhas, cinzento na mancha e para dar um pouco de cor ao trabalho coloquei um pouco de azul nas partes que seriam brancas, o azul esta principalmente nas zonas interiores do trabalho e só é visível nesses locais, já a mancha de cor cinzenta foi colocada para que o trabalho não ficasse apenas com o preto e o azul pois teria de ter algo que destaca-se o mosteiro, pois se ficasse apenas com as linhas de contorno e o azul no sei interior ficaria mal assim o cinzento ocupa a maior parte do trabalho criando assim contraste com o azul pois azul e cinzento são duas cores que ficam meramente bem conjugadas, no projecto podemos ainda identificar um pouco de sombra, como a base do projecto é o cinzento a sombra é pouco visível, fazendo com que só se verifique em certos locais do trabalho criando uma diferença entre o cinzento da mancha e a sombra. O texto (Turismo Gaia) está localizado na base do trabalho estando com o tipo de letra Microsoft Gighurt, com o tamanho 46,101, estando assim pouco visível no trabalho, atraindo assim pouco o olhar das pessoas, pois olharam mais rápido para a imagem e menos para o texto. Para concluir, este trabalho pode atrair mais turistas a nossa cidade trazendo assim mais visitantes ao nosso património não só o tema em que consiste o meu projecto mas também outros monumentos que estavam envolvidos neste projecto (concurso de ideias), pois a nossa cidade deve de ser conhecida por o que lhe pode apresentar de melhor.


Criação de uma identidade gráfica que promova turisticamente Gaia  

ESDJGFA | Oficina Multimédia B | 12ºD | Trabalhos realizados do concurso de Ideias para a criação de uma identidade gráfica que promova turi...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you