Page 1

CLUBE DO AMBIENTE Trabalhos dos alunos

ANO LETIVO 2011/2012


ÍNDICE  Fruta característica da Época Natalícia  Plantas Aromáticas  Receitas  Plantas semeadas na horta da escola  Árvores  Reciclagem


Introdução

A cultura portuguesa tem as suas raízes na cultura celta, ibéra, germanica e romana.

A Agricultura é o conjunto de técnicas utilizadas para cultivar

plantas com o objetivo de obter alimentos, fibras, energia, matéria prima para roupas, construções, medicamentos, ferramentas, ou apenas para contemplação estética. A agricultura

de subsistência é aquela que produz alimento

suficiente para as necessidades do proprietário da terra, com baixo índice de produtividade. A agricultura comercial utiliza o sistema intensivo com utilização de máquinas, fertilizantes e pesticidas com grandes índices de produtividade. A agricultura biológica é um sistema agrícola que procura fornecer ao consumidor, alimentos frescos ,saborosos e autênticos e ao mesmo tempo respeitar os ciclos de vida naturais. Não utiliza produtos químicos , tais como fertilizantes e pesticidas, nem de organismos geneticamente modificados.


Fruta caraterística da época do Natal Frutas secas Os frutos secos têm uma ligação muito forte e particular com o solstício do Inverno. A grande variedade de frutos secos representa mais do que uma questão de gastronomia, ou um simples alimento, era um antigo costume romano que significava a ausência de fome e pobreza. Na antiga Roma, eram um presente habitual durante as festas. Para os romanos, cada tipo de frutos secos tinha um significado especial. As avelãs evitavam a fome, as nozes estavam relacionadas com a abundância, as amêndoas protegiam as pessoas dos efeitos da bebida.

Avelãs Amêndoa

Nozes

Ameixas


Passas

Tâmaras Romã A romã é uma infrutescência da romãzeira (Punica granatum). O seu interior é subdividido por finas películas, que formam pequenas sementes possuidoras de uma polpa comestível.A importância da romã é milenar, aparece nos está

associada

às

paixões

e

à

textos biblícos e

fecundidade. Os

gregos

consideravam–na como símbolo do amor e da fecundidade. Em Roma, a romã era considerada nas cerimónias e nos cultos como símbolo de ordem, riqueza e fecundidade. A romã pode ajudar a diminuir a pressão arterial e a prevenir alguns problemas cardiovasculares.


Plantas Aromáticas Introdução As ervas aromáticas enriquecem o sabor dos alimentos e algumas combinações parecem ter nascido para ser mesmo utilizadas, como o manjericão com tomate, estragão com frango, o tomilho e o alecrim com borrego, e os orégãos com queijo e ovos. Contudo, as combinações não são obrigatórias. As ervas aromáticas deverão ser utilizadas frescas, sempre que possível, sendo os oregãos a única exceção, visto que, por qualquer motivo, têm um aroma ainda melhor depois de seco, nada se compara à fragrância das ervas frescas em saladas ou espalhadas sobre legumes cozidos e as que têm folhas de belos formatos são excelentes para enfeitar um prato ou decorá-lo. Havendo ervas frescas em casa, não existe a preocupação de o prato ter um aspeto menos atraente. Desde os melhores

estufados,

guisados

ou

sopas

tornam-se

mais

apetitosos se espalharem sobre eles ervas picadas, no último momento. As ervas aromáticas são folhas de plantas frescas ou secas, enquanto que as especiarias são as partes aromáticas: rebentos, frutos, bagas, raízes ou cascas normalmente secas, provenientes de plantas oriundas das regiões tropicais. Desde tempos remotos que as plantas aromáticas são conhecidas pelo homem e largamente utilizadas para fins diversos.


Introdução (continuação) Mas foi durante a idade média e dos descobrimentos que o mundo do conhecimento ocidental se alargou, quanto ao tipo e utilização destas plantas. O seu uso estende-se desde a área alimentar até à farmacêutica, sendo estas ervas utilizadas, quer no fabrico de infusões e conservação de alimentos, quer em medicamentos ou produtos de estética. As plantas aromáticas, como o próprio nome indica, são plantas que emanam fragrâncias das suas folhas, caules, sementes, raízes, vagens ou flores, que podem ser mais ou menos intensas. As plantas aromáticas, utilizadas como condimentos, transformam

o

sabor

dos alimentos

de

forma

positiva,

enriquecendo-os, intensificando-os e são capazes de tornar múltiplos pratos em verdadeiras iguarias culinárias.

Descrição e utilização em culinária A salsa, O cultivo da salsa faz-se há mais de trezentos anos, sendo uma das plantas aromáticas mais populares da gastronomia mundial. A planta é originária da Europa. À salsa também se atribuem propriedades medicinais, como antioxidante e as folhas de todos os tipos de salsa são ricas em vitaminas A, B1, B2, C e D, isto se consumidas cruas e frescas. As folhas frescas e tenras da salsa, simplesmente cortadas, são ideais para temperar pratos.


Culinária

Pasteis de bacalhau

Ingredientes       

500 g bacalhau cozido (sem espinhas) 300 g batata(s) 3 dl leite 4 ovos salsa picada q.b. pimenta branca moída q.b. sal

Preparação 1. Esmaga-se o bacalhau depois de cozido; . 2. Deita-se numa tigela; 3. Mistura-se o bacalhau com as batatas cozidas passadas por um passador. Junta-se o leite e as gemas e a pimenta até tudo ficar numa massa homogénea; 4. Juntam-se quatro claras batidas em castelo e a salsa picada. 5. Depois de tudo misturado retificam-se os temperos de sal e pimenta. 6. E com a ajuda de duas colheres, de sopa, vão fazendo-se bolas ovais. 7. Fritam-se em azeite fino muito quente, deixando escorrer depois de fritos sobre uma folha de papel para retirar o excesso de gordura.


Os coentros, O coentro é uma planta muito aromática, de folhas superiores finalmente recortadas e flores pequenas de cor branca ou rosa. Embora de origem incerta, sabe-se que os antigos egípcios já a utilizavam para embalsamar os corpos. É provavelmente originária da bacia do Mediterrâneo onde os gregos e os romanos a utilizavam em pratos e bebidas. Entre nós é mais comum utilizarem-se as folhas na confeção de vários pratos. Os coentros são ricos em sais minerais, vitamina C e ferro. Alivia dores de estômago em caso de digestões difíceis, vómitos e flatulência, estimulando o apetite e ajudando a secreção gástrica e intestinal.


Culinária

Sopa de coentros

Ingredientes      

150 g de fatias de pão de trigo 50 g de folhas de coentros 6 ovos 0,5 dl de azeite 1,5 l de caldo de carne ou peixe Sal q. b.

Preparação 1. Numa terrina deite as fatias de pão, os coentros cortados muito miúdos, os ovos escalfados e o azeite. 2. À parte, ponha a ferver o caldo ou, na falta deste, água com sal. Vaze o caldo na terrina, tape, espere 5 minutos, verifique o tempero de sal e sirva bem quente. 3. Há quem junte aos coentros um dente de alho picado, escalfe os ovos no próprio caldo e deite nele o pão.


O alecrim, É um arbusto comum na região do Mediterrâneo , preferencialmente em solos de origem calcária. Devido ao seu aroma caraterístico. Os romanos designavam-no como rosmarinus, que em latim significa orvalho do mar. Arbusto muito ramificado, sempre verde, com hastes lenhosas, folhas pequenas e finas, opostas, lanceoladas. A parte inferior das folhas é de cor verde-acinzentada, enquanto a superior é verde brilhante. Toda a planta exala um aroma forte e agradável.É utilizada com fins culinários, medicinais e religiosos, a sua essência também é utilizada em perfumaria, como por exemplo, na produção da águade-colônia. ALECRIM A sua flor é muito apreciada pelas abelhas produzindo assim um mel de extrema qualidade. Há quem plante alecrim perto de apiários, para influenciar o sabor do mel.

O alecrim deve ser inserido na alimentação. Um frango temperado com alecrim e limão é uma dádiva dos deuses. O alecrim pode ser usado em qualquer molho e em

massas e

lasanhas. O alecrim fresco, misturado em pequenas quantidades nas massas caseiras de pão, dá um gosto saboroso e exótico. massa, e deixa o pão digestivo e energético. Pode também misturar alecrim nas manteigas e patês.


Culinária

Frango com alecrim e laranja

Ingredientes       

350 ml de sumo de laranja; 4 colheres (sopa) de azeite; 1 punhado de cebolinha fresca picada; 1 punhado de alecrim fresco picado; 1 colher (chá) de sal; 1 colher (chá) de pimenta do reino moída na hora; 1 frango inteiro, cortado em 8 pedaços.

Preparação 1. Numa tigela média, faça um molho misturando o sumo de laranja, o azeite, a cebolinha, o alecrim, o sal e a pimenta. Coloque o frango neste molho. Tape a tigela e deixe-a no frigorifico por 4 horas, no mínimo. 2. Pré aqueça o forno em temperatura média (180 C). 3. Disponha o frango numa assadeira. Leve-o ao forno, na grade do

meio, por 30 minutos.

Vire o

frango

e regue-o

frequentemente com a marinada, até que ele esteja corado e sem largar água.


O manjericão, Originário da Índia, o manjericão foi introduzido na Europa na Antiguidade. Planta sagrada na Índia e no Egito, era o emblema do amor em Roma e o símbolo do luto na Grécia. Dizia-se reservado aos soberanos que, somente eles, poderiam colher o manjericão com uma foice de ouro, de onde vem o significado de seu nome: "planta do rei". A medicina natural utiliza o manjericão nas dietas sem sal, como tempero.

Na culinária, As folhas frescas de manjericão, cortadas finamente com tesoura, picadas com a faca ou, ainda, esmagadas pelo pilão, perfumam e acrescentam personalidade a saladas de tomate ou de alface e também às massas e sopas. O manjericão combina muito bem com azeite e sumo de limão. O manjericão deve ser utilizado no momento de servir . Para conservar manjericão fresco, podem picá-lo e misturá-lo com um pouco de azeite.


Culinária

Salada de manjericão

Ingredientes      

3 tomates cortados em fatias grossas Mozarela cortada em rodelas e azeitonas Folhas de manjericão roxo fresco 1 ½ colheres de sopa de azeite 1 ½ colheres de sopa de sumo de limão Sal e pimenta

Preparação 1. Colocar as rodelas de tomate, manjericão roxo e mozarela alternadamente numa travessa. Temperar na hora de servir.


O tomilho, Possui folhas pequenas, lineares ou lanceoladas, e flores róseas ou esbranquiçadas. Tem poder antisético, muito utilizado contra as infeções pulmonares e como estimulante digestivo. Em infusão, é usado no combate a infeções de garganta e pulmonares, na asma e febre dos fenos e na eliminação de parasitas. O tomilho, a sálvia, a segurelha e o alecrim, juntamente com o louro e

a salsa

aromatizam carnes e peixes. Salienta o sabor em molhos caldos, sopas e marinados.


Culinária

Filet Mignon

Ingredientes  500 gramas de filet mignon (limpo e inteiro)  1/2molho de tomilho (só as folhas, picadinhas)  pimenta a gosto  2 dentes de alho  1 uma cebola roxa (cortada em meia lua)  2 colheres de sopa de manteiga (sem sal)  2 colheres de sopa de sal grosso

Preparação 1. Role o filet mignon no sal grosso, pimenta, tomilho misturados. 2. Coloque numa panela aquecida com um fio de azeite. 3. Grelhar 2 minutos de cada lado, os 4 lados. 4. Juntar o alho picado e a cebola cortada, mais a manteiga sem sal. 5. Vire a carne. 6. Leve ao forno por 15 minutos. 7. Quando tirar do forno, deixe a carne descansar por 5 minutos, para que os sucos voltem para o interior da peça e fique suculenta.


A hortelã, É sem dúvida, a planta mais usada no mundo, sendo encontrada em uma ampla variedade de diferentes confecções. O chá de menta após o jantar evoluído provavelmente de um costume antigo de encerrar os banquetes com um ramo de menta para auxiliar a digestão, e prevenir contra a indigestão. O chá de hortelã é consumido em muitas culturas para auxiliar a digestão. Acredita-se que é originária da Ásia, chegando ao Brasil trazida pelos colonizadores. A hortelã plantada junto a alfaces e outras ervas aromáticas intensifica o sabor e perfume destas .Tem também o poder de ser uma planta repelente de insetos de hortaliças como pulgões e besourinhos. Na culinária, É usada em receitas culinárias de muitos países pelo mundo todo, em chás, em adorno de pratos e composição de saladas. Na cosmética entra nas fórmulas de dentifrícos, sabonetes, cremes de massagem.


Culinária

Frango com hortelã

Ingredientes      

2 coxas e sobrecoxas de frango 1 dente de alho amassado 2 colheres (sopa) de hortelã 1 chávena (chá) de sumo de laranja 1 laranja em rodelas Sal e folhas de hortelã a gosto.

Preparação 1. Retire a pele e a gordura do frango. 2. Tempere com o alho, o sal e a hortelã. Deixe marinar por duas horas. 3. Num recipiente untado, ponha o frango e regue com o sumo de laranja. 4. Pré aqueça o forno. 5. Asse em forno médio por 45 minutos aproximadamente. A cada 10 minutos regue o frango com o caldo que se forma durante o cozimento. 6. Retire do forno e decore com as rodelas de laranja e as folhas de hortelã.


A erva cidreira, A erva-cidreira revela-se como um arbusto amplo com ERVA CIDREIRA folhas esverdeadas e emana um delicioso aroma a limão. No Verão ostenta pequenas flores brancas. Contém

fibras

com

elevado

valor

nutricional

e

propriedades anti-sépticas. A erva-cidreira é mais saborosa quando colhida fresca e é amplamente usada em chã, refrescos e sobremesas.

O louro, É uma espécie originária do Mediterrâneo. Na Grécia Antiga as coroas eram feitas com ramos de louro e eram o símbolo da vitória para os atletas e heróis nacionais. A medicina popular indica o chá das suas folhas em caso de poblemas com a digestão.


Culinária

Massada de Vitela

Ingredientes            

Vitela (não muito seca... acém, por exemplo) Carne de porco (não muito seca) Chouriço Presunto (opcional) Massa cotovelinhos 1 Cebola 2 colheres de azeite Vinho branco ,q Polpa de tomate Sal q.b. 2 folhas de louro Água

Preparação 1. Fazer um refogado com a cebola, o azeite, a polpa de tomate, o louro e o vinho branco (colocados separadamente e devagar, de maneira a que possa marinar algum tempo). 2. Acrescentar a carne partida aos bocados pequenos. 3. Acrescentar o chouriço partido às rodelas. 4. Deixar estufar ir acrescentando água, pouca, a pouco de maneira a que fique sempre com molho espesso. 5. Quando a carne estiver quase estufada, junta-se a massa e deixa-se cozer.


O Funcho, É uma planta herbácea de caules ertos atinge 80 cm de altura e possui folhas bem finas e muito aromáticas. O funcho também é conhecido como erva-doce. É frequentemente utilizado em pequenas quantidades na cozinha mediterrânica em saladas e como aromatizante no fabrico de bebidas espirituosas.

História Os egípcios conheciam o funcho mas não o cultivavam. Os gregos por sua vez consideraram uma planta, pois certa vez o exército conseguiu bater os invasores persas perto de um enorme campo de funcho. Devido a este episódio a planta virou símbolo de conquista e de sucesso passando a ser usada em coroa ao redor da cabeça.


Plantas semeadas no talhão ajardinado TULIPAS.

As tulipas são originárias da Turquia e não dos Países Baixos, como o senso comum leva a imaginar. Foram levadas para os Países Baixos em 1560 pelo botânico Conrad Von Gesner. Algumas das referências defendem, que as tulipas teriam origem em países asiáticos, como a China.

Cultivo Os bolbos das tulipas devem ser plantados no Outono. Elas têm uma enorme variedade de cores, vermelho, amarelo, rosa, preto, roxo, branco, laranja, e multicoloridas. As tulipas podem florescer no início, no meio ou no fim da Primavera. Elas podem ter (menos de 20 cm), médias (20 – 45 cm), ou altas (acima de 45 cm).


MALMEQUER

O malmequer é a designação dada a várias espécies da família das compostas, algumas das quais são também conhecidas por bem –me-quer. Planta herbácea, perene, vivaz, com caules ramificados, longos, de cor verde. Formam plantas arbustivas com folhagem de cor verde médio a acinzentado ou ligeiramente prataeado.

ROSEIRAS

As primeiras rosas cultivadas na Europa, aparecem na Idade Média, trazidas pelos cruzados que voltavam do Oriente. Foram os Franceses, que, no séc. XVIII as começaram a cruzar para obter novas espécies, mantendo-se ainda hoje no topo da lista dos criadores de rosas. No Hemisfério Norte, a história das rosas perde-se na noite dos tempos. Intitulada, merecidamente, Rainha dos Jardins,

é

uma

jóia

que

os

jardineiros

pacientemente,de geração em geração.

têm

talhado,


ROSEIRAS (continuação) Existem rosas rosas

de diferentes formas e cores. Algumas

tem um perfume

que vai variando ao longo do dia, à

medida que o sol aquece. A rosa é uma das flores mais populares no mundo.

ALOENDROS

É um arbusto grande, podendo ter por volta de 3 a 5 m de altura. As suas flores podem ser brancas, róseas ou vermelhas. É uma planta pouco exigente no que diz respeito à temperatura e humidade. Esta planta é originária do norte da África, do leste do Mediterrâneo e do sul da Ásia. É muito comum em Portugal , quer espontânea quer cultivada.


PELARGONIAS

As pelargonias (sardinheiras) são plantas perenes mas não resistem ao frio e à geada, pelo que em regiões de temperatura extrema devem ser recolhidas para um local protegido no Inverno. Ao contrário de muitas outras plantas, a Pelargonia não necessita de descanso anual, por isso dá flor desde que seja possível providenciar-lhe luz, água e calor adequados. Em geral dá-se melhor com Verões quentes e secos e noites frescas, mas em Portugal encontra-se uma grande variedade em quase todas as regiões. É originária da África do Sul, embora atualmente existam vários híbridos em todo o mundo.


JARROS

É uma flor que floresce no Inverno Jarros, Zantedeschia ou Copo de Leite São originários da África do Sul. Gostam de solo bastante húmido, por isso, é comum vê-los nas margens de rios ou de lagos. Têm folhas verdes brilhantes e as flores são grandes e normalmente brancas. Tanto as folhas como as flores são bastantes ornamentais, para utilização em arranjos e duram bastante. É uma planta muito fácil de cultivar, tanto podem ser plantados em canteiros como em vasos. Em climas quentes plantam-se à semi-sombra, em climas temperados dão-se bem em

de Pr

pleno sol.

ao forno e vire-o de vez em quando para dourar por igual. Quando pronto, retire com outras espécies foram do forno.Após Coe o seleção molho em e quecruzamento foi assado e apr

conseguidos jarros de outras cores (amarelos, vermelhos, roxos, laranjas e pretos) até de formas diferentes.


Árvores

A canela, É uma árvore tropical que mede, em adulta, entre 10 a 15 metros de altura. À semelhança de inúmeras árvores de cultivo, a caneleira, plantada em “jardim de canela”, é reduzida a um quarto do seu tamanho normal, a fim de permitir uma exploração mais fácil. Passada a estação das chuvas, a madeira fica impregnada de água e de sucos. A canela perfuma preparados com açúcar e bebidas quentes mas

também

preparados

salgados:

carnes

guisadas.

Os

cozinheiros classificam-na na categoria das especiarias ditas doces. A canela tem enormes propriedades e benefícios para nossa saúde e ajuda no tratamento das mais diversas doenças. Também tem propriedades contra as doenças respiratórias pela sua riqueza em propriedades antibacterianas, expetorantes e anti-inflamatórias, sendo especialmente indicados contra a bronquite, constipações e a tosse .Outras propriedades são o tratamento da má circulação periférica nos dedos das mãos e dos pés, já que melhora a circulação e aumenta a temperatura corporal, por isso melhora as condições dos pacientes que sofrem dos dedos quando faz muito frio.


A figueira, Também conhecida como planta, geralmente árvore, do gênero Ficus, da família Moraceae. Há cerca de 755 espécies de figueiras no mundo, especialmente em regiões de clima tropical e subtropical e onde haja presença de água. O gênero Ficus é um dos maiores do Reino Vegetal. As figueiras podem crescer de forma enérgica e por isso não é indicado que se cultivem figueiras de grande porte perto de casas, pois o crescimento das raízes tem a capacidade de deformar as paredes das residências. Por fornecerem alimentos a aves, símios, morcegos e outros animais

dispersores

de

sementes,

têm

importância

na

preservação das vegetações nativas tropicais e subtropicais. Os figos caídos no solo e na água servem também de alimentos a vários outros animais, incluindo peixes e insetos. Cultivo As figueiras podem ser cultivadas de duas formas principais: por semeadura e por estaca. O cultivo por semeadura pode ser feito no caso de se obter sementes viáveis de figos. Isto ocorre quase sempre nos locais onde a figueira é nativa. O cultivo por estaca é empregado no cultivo de figueiras da espécia Ficus carica no Brasil e também quando não se dispõe de sementes da espécie.


Características da planta - Árvore de crescimento amplo que pode atingir até 8 metros de altura. O caule tortuoso e a casca cinzenta

e

lisa,

ramos

frágeis.

Flores

muito

pequenas,

desenvolvem-se no interior da chamada fruta do figo, quando ainda verdes.

Fruto - A estrutura carnosa e suculenta de formato periforme, comestível, de coloração branco amarelada até roxa, conhecida como "figo", encerra em seu interior os inúmeros frutos desta espécie, que são frequentemente confundidos com sementes. O fruto da figueira é geralmente identificado como o figo, propriamente dito. No entanto, este não passa de um receptáculo carnoso, de casca fina e macia, em cujo interior encontram-se os verdadeiros frutinhos, as sementinhas e os restos das flores da figueira sendo todo conjunto completamente comestível. Por dentro, a massa rosada ou esbranquiçada é refrescante , podendo variar o seu sabor entre o insípido e o muito doce. Assim, de acordo com sua destinação futura, os frutos das figueiras devem ser colhidos em diferentes estágios de maturação:

os

figos

verdes

destinam-se

basicamente

à

industrialização de doces em compotas; os inchados são usados para a produção do figo-rami, espécie de passa de figo; os maduros são para produção de doces em pasta , ou ainda para consumo in natura.


O castanheiro, É uma árvore de grandes dimensões que atinge 20 a 30 metros de altura (por vezes mais) e de folha caduca. O porte é geralmente imponente com um tronco espesso e uma copa semiesférica, mais ou menos alongada. O tronco é liso nos primeiros dez-quinze anos. Existindo desde acerca de 40 milhões de anos, o Castanheiro tem sido uma planta de extrema utilidade da qual o Homem se alimenta com os seus saborosos frutos, cura-se com os seus chás ou realiza conforto e arte com a sua madeira nobre.


O pinheiro manso, É uma árvore que frequentemente ultrapassa os trinta metros de altura de folha persistente. A copa é arredondada semelhante a um guarda-chuva. O tronco é direito cilíndrico de casca muito grossa e coloração acinzentada, muito gretada que com o tempo vai soltando pedaços de casca no lugar das quais começa a aparecer uma cor castanho avermelhado. O pinheiro manso (Pinus pinea)é uma espécie de pinheiro originária do Velho Mundo, mais precisamente da região do Mediterrâneo. Desde a pré-história, esta árvore é aproveitada como fonte de alimento, devido aos pinhões que produz, sendo uma espécie bastante disseminada, pinheiro-manso pode exceder os 78 metros de altura, embora normalmente seja de menor dimensão - entre 12 e 20 metros. Possui uma forma de sombrinha bastante característica, com o tronco curto e largo, culminando numa copa bastante plana. Pouco utilizada como essência florestal, o interesse económico dos extensos pinhais mansos reside no aproveitamento do pinhão comestível. As sementes são ricas em nutrientes e utilizadas na doçaria e confeção de alguns pratos gastronómicos ou como aperitivos.


O sobreiro, O tronco tem uma casca espessa e suberosa, vulgarmente designada por cortiça, que ajuda a árvore a sobreviver aos incêndios pelo isolamento que proporciona. As folhas são persistentes,

de

cor

verde-escura,

brilhantes

nas

faces

superiores e acinzentadas nas inferiores devido ao indumento (pêlos). Têm uma forma oval, com margem inteira ou ligeiramente serrada ou dentada.

Distribuição Geográfica Global Sul da Europa e Norte de África. Na Península Ibérica existe em Portugal bastante maior quantidade do que em Espanha, devido ao clima muito desfavorável das zonas interiores de Espanha.

Preferências Ambientais É chamada uma "árvore de sombra", é muito resistente, crescendo melhor debaixo de árvores adultas. Prefere climas com amplitudes térmicas suaves, humidade atmosférica e insolações elevadas. Suporta bem todos os tipos de solos excepto os calcários.


Propagação Propaga-se por semente. As sementes perdem rapidamente a capacidade de germinar.

Utilizações A sua principal utilização é a produção de cortiça, produto no qual Portugal é o primeiro produtor mundial. Os frutos também servem de alimento para a produção de porcos de montanheira, embora de menor qualidade que os de azinheira. As folhas servem também como complemento para a alimentação do gado. A madeira é muito dura e compacta, difícil de trabalhar, tendo pouco valor para carpintaria e marcenaria. É, no entanto, um óptimo combustível para lareiras. Um melhor conhecimento das carateristicas da cortiça , permitiu a sua utilização em moda no fabrico de carteiras, malas , roupa, calçado, guarda chuvas e acessórios.


Reciclagem

Compostagem A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas, papel e restos de comida, num material semelhante ao solo a que se chama composto.A compostagem é um processo biológico sendo por isso necessário criar as condições corretas para o seu crescimento, em particular, satisfazer os seus requisitos nutricionais. É importante misturar diferentes resíduos de forma o obter uma relação carbono/azoto adequada. A compostagem é um processo aeróbio e por isso a manutenção de níveis adequados de oxigénio no interior dos materiais a compostar é uma condição essencial para o sucesso do processo.O oxigénio é fundamental para o metabolismo dos microrganismos aeróbios e para a oxidação das moléculas orgânicas que constituem os resíduos.


Compostagem (continuação) Se o nível de oxigénio não for suficiente, a comunidade anaeróbia vai dominar o processo com consequente atraso na decomposição e produção de gases voláteis que são responsáveis pelos maus odores usualmente associados a estes sistemas. A maior parte do oxigénio é necessário no início da decomposição, quando as moléculas mais simples estão a ser decompostas rapidamente e o crescimento da população microbiana segue um modelo exponencial. A compostagem é um processo biológico em que os microrganismos transformam a matéria orgânica, como estrume, folhas, papel e restos de comida, num material semelhante ao solo a que se chama composto. A compostagem da fracção orgânica dos resíduos constitui uma forma de valorização de grande importância nas políticas de gestão de resíduos sólidos, sendo uma das principais linhas de orientação, referidas pelo PERSU – Plano Estratégico de Resíduos Sólidos Urbanos e na estratégia nacional para a redução de RUB destinados aos aterros. Em Portugal, os recipientes de resíduos para reciclagem dividem-se em:   

Azul (papelão): papel e cartão; Verde (vidrão): frascos, boiões e garrafas de vidro; Amarelo: embalagens de metal e de plástico (e de cartão, para bebidas); Vermelho: pilhas e baterias.


Porque se devem separar os resíduos recicláveis? Reciclar materiais permite reutilizá-los como matéria-prima no fabrico de novos produtos, diminuindo o uso de recursos naturais (muitos dos quais não renováveis). Além disso, fabricar novos produtos a partir de materiais usados consome menos energia do que a partir de matérias virgens.

O símbolo internacional da reciclagem. Reciclagem do vidro É o processo pelo qual o vidro é reaproveitado para criar novos materiais, o processo dá-se basicamente derretendo o vidro para sua reutilização. Dependendo da finalidade do seu uso, pode ser necessário separá-lo em cores diferentes. As três cores principais são: Vidro incolor, vidro verde, vidro morrom/âmbar. O vidro é um dos produtos mais utilizados nas tarefas do dia-a-dia. Ao ser descartado por pessoas e empresas, pode passar por um processo de reciclagem que garante o seu reaproveitamento na produção do vidro reciclado que tem praticamente todas as características do vidro comum. Ele pode ser reciclado muitas vezes sem perder suas características e qualidade.


Importância A reciclagem do vidro é de extrema importância para o meio ambiente. Como sabemos, o vidro é produzido através da celulose de determinados tipos de árvores. Quando reciclamos o vidro ou compramos vidro reciclado estamos a contribuir om o meio ambiente, pois este material deixa de ir para os aterros sanitários ou para a natureza (rios, lagos, solo, matas). Não podemos esquecer também, que a reciclagem de vidro gera renda para milhares de pessoas no Brasil que actuam, principalmente, em cooperativas de catadores e recicladores de vidro e outros materiais reciclados.

Tipos de vidro recicláveis - Garrafas de sucos, refrigerantes, cervejas e outros tipos de bebidas; - Potes de alimentos; - Cacos de vidros; - Frascos de remédios; - Frascos de perfumes; - Vidros planos e lisos; - Pára-brisas; - Vidros de janelas.


Reciclagem de papel: O primeiro passo para a reciclagem deste resíduo consiste na separação correcta dos produtos de papel, de modo a evitar a contaminação por agrafos, clips, elásticos, tintas, entre outros. Após a recolha, o papel é triado, de forma a serem retiradas matérias perigosas para o equipamento ou processo fabril (metais, cordéis, vidros) e matérias impróprias (por exemplo, papéis sulfurizados, encerados ou parafinados). A eficiência desta operação será determinante para a futura formação dos lotes. As plantações de árvores para pasta de papel são, no Distrito de Aveiro, um pouco por todo o Litoral Norte e Centro de Portugal e mais recentemente, e com consequências mais graves, também no interior, a principal causa de desaparecimento do coberto vegetal natural, e com ele, de animais de todas as espécies.


Trabalho realizado pelos seguintes alunos:

Mariana Esteves Duarte Santos Thaís Medeiros Ricardo Remoaldo

Coordenadoras

Profª Ana Charais Profª Celestina Guerra Profª Branca Pato


trabalhos_clube_do_ambiente  

trabalhos_clube_do_ambiente

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you