Page 1

Grupo: Bárbara Martins - 3 Giovanna Castro – 16 Luísa Lima – 30 Maria Theresa Lima - 33 Mariana Belisário - 34


 Gustave Courbet nasceu em Ornans, Doubs na França, no dia 10 de junho de

1819, em uma família família de proprietários de terras de Besançon, na França.  Foi um pintor anarquista francês pertencente à escola Realista.  Em 1839 iniciou seus estudos de direito em Paris, mas desinteressado dos mesmos, decidiu estudar desenho e pintura por conta própria, copiando os grandes mestres no Louvre, principalmente Hals e Velásquez. Suas primeiras obras foram uma série de auto-retratos.  Em 1844 expos pela primeira vez no Salão de Paris e anos mais tarde apresentou os quadros, Enterro em Ornans (1850) e O Ateliê do Artista (1855), que lhe custaram críticas severas e a recusa do Salão de Paris devido aos seus temas demasiadamente vulgares.

Enterro em Orneans (1850)


 Após ser recusado a expor no Salão de Paris, o pintor construiu uma

galeria particular para exposições, que na verdade era um barracão, chamado “Pavilhão do Realismo”, onde expôs quarenta e quatro de suas obras, fundando assim o movimento Realista.

 O público não viu com satisfação essa nova estética das classes

trabalhadoras, as quais eram fortemente defendidas por Courbet.

 Sua influência atingiu a Bélgica e a Alemanha, onde estivera em 1858-59.

Em 1870 foi eleito presidente da comissão de museus. Com grande escândalo, recusou a Legião de Honra, alegando não querer ser condecorado por Napoleão III.

 Participando da Comuna de Paris, decretou o desmonte da coluna

Vendôme. Restabelecida a ordem, foi responsabilizado pela depredação e condenado a seis meses de prisão.


 Em 1873, obrigado a pagar a reconstrução da coluna, refugiou-se

na Suíça, onde recomeçou a pintar retratos e paisagens.

 Sua saúde abalada agravou-se com a notícia da venda em hasta

pública de seus bens, inclusive os quadros, vindo a morrer de cirrose em 1877.

Le Château de Chillon (1874)


 Desafiou o estilo convencional por pinturas com temas históricos,

religiosos e mitológicos insistindo que a pintura é uma arte concreta e deve ser aplicada às coisas reais e existentes.  Rompeu com os padrões estéticos acadêmicos da época com o objetivo de “chocar” a burguesia.  Suas obras eram precisam e chegavam a ser vistas como protestos sociais.  Pintou muitas obras com tema cotidiano, paisagens, auto-retratos e nus.

Femme avec un Parrot (1866)


Gustave Courbet  

trabalho de historia da arte

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you