Issuu on Google+


Disp. e Tradução: Rachael Revisora Inicial: Tina Revisora Final: Rachael Formatação: Rachael Logo/Arte: Dyllan

A última coisa que Jenna Riley precisava é de mais esportes em sua vida. Enquanto seus irmãos estão fora sendo super estrelas em esportes, ela está presa comandando o bar de esportes da família, gostando ou não. Então, encontra o garanhão do hóquei Tyler Anderson. Tanto quanto Jenna gostaria de ir para os finalmentes com ele, ela jurou que nunca se apaixonaria por um atleta, mesmo tão quente como Ty. Ty, fica intrigado com a bela dona do bar, e torna-se um frequentador regular. Ele sente que Jenna quer fazer algo mais com sua vida. E quando ganha a confiança dela, a paixão entre eles cresce, assim como a insistência de Ty para Jenna começar a viver por si mesma. Com seu encorajamento, Jenna começa a acreditar nisto, também...

2


Mas, primeiro, Jenna tem que descobrir o que ela quer, o que precisa, o que ama, se ela tem a paixão e o orgulho para continuar a lutar contra ter isso tudo — inclusive Ty...

Este livro é dedicado a todos os leitores incríveis que já então abraçando a minha série Jogo por jogo. Obrigado por amar caras quentes dos esportes tanto quanto eu.

Revisoras Comentam...

Tina: Essa série continua me deixando excitada cada vez mais, o Ty é tudo de bom, o homem que ‚todos‛ pediram a Deus, pois com certeza alguns homens vão querer ele também. Sexy, carinhoso, compreensivo, bonito e um esportista. Mas a nossa Jenna não fica atrás, juro que fiquei com inveja do corpo que ela tem, aquela tatuagem e como ela se doa a Ty no sexo, sem nenhuma inibição. Pronto a temperatura já subiu só de pensar numa mesa de bilhar. Meninas alguém teria o endereço do Bar Rilley preciso correr para buscar meu jogador.

Rachael: Realmente a série continua incrível. O livro foi maravilhoso e achei parar de ler a história. Logo nos primeiros livros já tinha simpatizado e muito com a Jenna, achei ela muito divertida, franca e resolvida, mas sempre achei que tinha algo profundamente enterrado nela. Já o Ty nem tenho palavras, ele é sexy, carinhoso, apaixonado e determinado a ter a Jenna para ele. Ele não vê nenhum problema na regra dela em não sair com jogadores, porque ele vai quebrar a regra

3


kkkk Os dois juntos são fogo puro! Mas a frase que mais mexeu comigo foi quando o James (o pai) diz para ela: ‚Nunca viva o sonho de outra pessoa‛. E é verdade! Venham ver como a Jenna e o Ty correm atrás do sonho deles!!!

Capítulo Um JENNA RILEY NÃO QUERIA NADA COM O ESPORTE. O que era irônico considerando que ela possuía é trabalhava no bar da sua família de esportes. Duplamente irônico considerando que um irmão era um quarterback da NFL e o outro irmão era um jogador de beisebol da liga principal. E triplamente irônico, considerando que toda a sua família adorava esportes de todos os tipos. Pessoalmente, estava farta de beisebol, hóquei, futebol, NASCAR, basquete, tênis, ou qualquer coisa que tenha a ver com uma bola ou um carro rápido — a menos que ela fosse à pessoa atrás do volante conduzindo. Sua aversão por esportes e qualquer coisa relacionada provavelmente se deve por ter os esportes de todos os tipos empurrados para baixo de sua garganta por toda a sua vida. E agora ela vivia com isso as vinte e quatro horas por dia, ao ouvir sobre isso toda maldita noite no trabalho. O bar era constantemente preenchido com o esporte. Ela estava na linha errada de trabalho. Devia largar o emprego e ser uma roadie 1 de uma banda de rock. Agora isso é algo que ela poderia ficar atrás em uma maneira principal. Ela riu com o pensamento. Como se ela pudesse ser livre das cadeias da responsabilidade familiar. Desde que seu pai era um semi-aposentado do bar, Riley havia se tornado sua responsabilidade, o que significava que, gostando ou não, os esportes se tornaram a sua vida. Grandes televisores de tela

4


transmitiam todos os eventos, soando as vozes dos locutores detestáveis narrando os jogos atrás dela, na frente dela e ao lado dela. Fãs excitados enchiam o bar depois de cada jogo, por isso ela não só tinha que ouvir os jogos na televisão, também tinha que dar testemunho e recapitulações das jogadas aos clientes depois. E se isso não fosse ruim o bastante, havia as redes esportivas refazendo as jogadas, estatísticas e comportamento dos jogadores e todas as reprises dos jogos com comentários do analista. Para alguém que odiava esportes, ela tinha uma cabeça cheia de estatísticas sobre cada jogador que já jogou qualquer esporte. O que significava que todos no Riley a amavam. ‚Ei, Jenna.‛ Ela olhou para cima enquanto enxugava o bar. Steve Mahoney, um dos seus frequentadores, fez um sinal para outra cerveja. Ela pegou uma garrafa, bateu em cima, deslizou-a sobre o bar, e acrescentou em sua conta. ‚Você vai ver o jogo desta noite?‛ Ela sorriu e acenou com a cabeça. ‚Claro.‛ Como se tivesse escolha. ‚Dois gols de Anderson. O ICE foi um vencedor por contratá-lo no ano passado, não é?‛ ‚Sim, ele é ótimo.‛ Dick Mayhew entrou em ação, deslizando sobre uma disponível banqueta do bar que alguém havia acabado de desocupar. Levantou um dedo e Jenna pegou uma cerveja para ele. ‚Ele e Eddie fazem um inferno de uma equipe‛, disse Dick. ‚Acho que eles são imbatíveis.‛

1

Ajudante de músicos que estão sempre na estrada em turnê.

5


Steve acenou com a cabeça. ‚Acho que temos uma chance séria na Copa deste ano. O que você acha, Jenna?‛ Jenna pensava que gostaria de se libertar dessa conversa e encher algumas das bebidas dos seus clientes abaixo na outra extremidade do bar. Em vez disso, fez o que sempre fazia quando a palavra esporte surgia. Ela sorriu e se inclinou nos cotovelos contra o bar e fez o seu melhor RP2. ‚Acho que você est{ certo. Anderson é r{pido em seus patins e é m{gico com seus tiros. É como se soubesse exatamente onde colocá-los. Nunca vi alguém que pudesse disparar um disco como ele pode. Não tem medo de ir para cima do adversário. Ele é tão duro como eles vêm. E já sabemos que Eddie é um vencedor na ala direita. É por isso que o ICE o segurou com ele, enquanto conseguia Anderson. Juntos, eles fazem um inferno de uma dupla. Com Victor na ala esquerda, é um trio imbatível. Suas estatísticas combinadas sobre as metas estão fora dos quadros.‛ ‚Sem mencionar o poder das jogadas. Quando alguém está para baixo, os outros dois preenche o espaço‛, disse Steve, e ele e Dick se lançaram em sua própria conversa, que liberou Jenna para pegar algumas bebidas para seus outros clientes e ver os pedidos do bar das garçonetes que serviam os clientes em todo o Riley. Riley estava sempre cheio de pessoas como sardinhas depois de um jogo, o que significava que Jenna perdia a noção do tempo. Ela estava aqui desde antes do meio dia e já era meia-noite. Seus pés doíam, cheirava a comida e álcool, e estava pronta para ir para casa, cair na cama e dormir por vinte e quatro horas. Pena que tinha que estar aqui amanhã e começar tudo de novo. Era meio da semana. Talvez as pessoas fossem embora logo. Afinal, era uma noite de trabalho.

6


Mas o som de gritos estridente a fez estremecer. Ela deu um rápido olhar para a porta e seus piores temores se concretizaram quando viu meia dúzia de jogadores de hóquei do ICE de St. Louis passar pela porta da frente. Malditos. Agora, ninguém saia até o momento de fechar, o que significava quase três horas a mais para ela e sua equipe. E os jogadores estavam provavelmente com fome. Ela se dirigiu para a cozinha. ‚Os jogadores simplesmente chegaram‛, disse ela para Malcolm, seu cozinheiro-chefe. Malcolm, que tinha a paciência de um santo e sempre levava as coisas com calma, apenas balançou a cabeça. ‚Eu vou soltar os bifes.‛ Ela riu, balançou a cabeça, e voltou para o bar. Recarregou algumas bebidas e decidiu deixar as garçonetes lidarem com os jogadores. Ela ia lá e dizer Olá quando tivesse um minuto livre. Agora ela estava ocupada enchendo os pedidos de bebidas. Algo sobre os jogadores entrando saltaram os níveis de emoção de seus clientes e faziam todo mundo sedento. Era bom para os negócios, no entanto. Ela adorava ter os jogadores frequentes no Riley. Ela teve a Mick e Gavin — e Elizabeth — para agradecer por isso. ‚Você est{ ocupada.‛ Ela levantou a cabeça e olhou nos olhos de aço cinza de Tyler Anderson. Usava o cabelo escuro um pouco comprido e suave, do jeito que ela gostava... Não. Ela não gostava desse cara. Ele era um atleta, um jogador de hóquei, e definitivamente não gostava de jogadores de esportes. Especialmente de Ty. ‚Sim, Ty. Estou um pouco ocupada aqui. O que posso fazer por você?‛ ‚Pensei que você poderia usar de alguma ajuda. Por que não tem dois atendentes de bar?‛ ‚Porque posso lidar com isso sozinha. Lydia est{ cuidando de sua mesa?‛ 2

Relações Públicas.

7


‚Ela est{. Nós estamos bem. Bifes foram pedidos.‛ Ela plantou as palmas das mãos contra o lado do bar, sugando uma respiração rápida. ‚Então o que você precisa?‛ Ele veio em torno da extremidade aberta do bar. ‚Nada. Vim aqui para ajud{-la.‛ Seus olhos arregalaram. ‚O quê? Saia daqui. Você não pode estar aqui.‛ ‚Claro que posso. Você precisa de ajuda.‛ ‚Não, eu não preciso.‛ Ela o empurrou, mas poderia muito bem estar movendo um carro. ‚V{ embora.‛ A multidão se comprimiu em torno do bar, logo que Ty ficou atrás do bar. Encheu as bebidas enquanto Jenna olhava estupefata. Ele abriu as tampas das garrafas de cerveja como um profissional, derramou bebida sem derramar, fez várias bebidas mistas, e trabalhou como se soubesse o que inferno estava fazendo atrás de um bar. Pegava o dinheiro do cliente ou cartão de crédito, além de cuidar da caixa registradora, também. O que. Inferno. Ele deslizou um olhar em seu caminho. ‚Você tem clientes na outra extremidade do bar.‛ Ela finalmente desistiu e foi cuidar de seus fregueses, enquanto Ty trabalhava em seu espaço. ‚Ei, Ty, o bife est{ pronto‛, disse Malcolm meia hora depois. ‚Basta deixá-lo atrás do bar. Vou comê-lo aqui.‛ ‚É isso aí.‛ Jenna revirou os olhos e viu enquato Ty comia seu bife em pé, enquanto ele conversava com os sujeitos no bar, depois voltou para servir bebidas. As duas e meia ela determinou que fosse a última rodada de bebidas e todos começaram a fazer o seu caminho para fora da porta. Jenna começou a limpeza enquanto restavam os últimos

8


de seus fregueses. Chamou os táxis para quem precisava deles, ajudou as garçonetes a limpar as mesas, limpou o bar. Ela deixou as garçonetes irem, trancou a porta da frente, e se dirigiu para a cozinha. A cozinha tinha sido limpa, os outros cozinheiros e os graçons haviam partido, e apenas Malcolm permaneceu — com Ty — os dois conversando sobre futebol. ‚O que você ainda est{ fazendo aqui?‛ Ela perguntou, olhando para Ty. ‚Desculpe. Envolvi-me conversando com Malcolm sobre a pós-temporada.‛ ‚Que est{ saíndo agora‛, Malcolm disse com um bocejo. ‚Quer que eu a espere, Jenna?‛ ‚Não, obrigado. Tenho algumas coisas para fazer.‛ Malcolm estreitou os olhos castanhos escuros sobre ela. ‚V{ para casa. Não fique aqui a noite toda fazendo a papelada.‛ Ela riu. ‚Eu não pretendo.‛ Ela trancou a porta atrás dele, então se virou para dizer a Tyler para ir, mas ele não estava na cozinha. Encontrou-o no bar vertendo um uísque. ‚Ei. Última rodada foi uma hora atr{s.‛ Ele sorriu para ela, virou o copo aos lábios e bebeu a bebida de um gole só, em seguida, colocou o dinheiro no topo do bar. Ela pegou o dinheiro e colocou-o no bolso. ‚Embolsando os lucros, estou vendo.‛ ‚Não, espertinho. Já fechei o caixa. Vou adicioná-lo no de amanhã.‛ Ele balançou a cabeça e encostou-se ao bar. ‚Assim é como você conversa com seus clientes?‛ ‚Você deixou de ser um cliente quando veio atr{s do meu bar e serviu as bebidas.‛ ‚Você precisava de ajuda.‛ ‚Não, eu não precisava.‛

9


Ele cruzou os braços. ‚Você é sempre assim irritadinha, ou apenas é comigo?‛ ‚Só com você. Agora tire o seu rabo daqui para que eu possa terminar de fechar.‛ Ele não parecia insultado, apenas esboçou um sorriso ao invés, mostrando perfeitamente dentes retos brancos. Não eram os jogadores de hóquei que deviam ter falta de dentes por causa de todas as suas brigas no gelo? Por que ele tinha que ser tão lindo? Maldição, o homem a deixavacom a calcinha molhada e tinha o hábito de aparecer aqui com bastante regularidade, o que a fazia irritada, porque ele apertava todos os seus botões quentes e ela não tinha feito sexo em um tempo muito longo. Ela precisava transar logo. Em breve. Com alguém que não praticava esportes. Apertou o interruptor de luz geral, banhando o bar na escuridão. ‚Medo do escuro?‛ Ela pulou, não percebendo que ele estava bem atrás dela até a sua respiração varrer na parte de trás do seu pescoço. Ela virou o calor sumindo e agora estava congelando, mas seu corpo estava quente. Resistiu ao impulso de mover-se perto dele. Ela se abaixou para pegar sua bolsa e seu suéter, escovando sua bunda contra sua virilha. Sentiu sólido. Duro. Gostoso. Porra. Ela se endireitou, seus olhos se ajustando | falta de luz. ‚Não.‛ ‚Não, o quê?‛ Perguntou ele. ‚Não tenho medo do escuro.‛ Ele virou para encará-la. A luz da lua cheia lançou uma sombra acinzentada. Ela podia ver seu rosto, quando ele armou um sorriso. ‚É uma pena.‛ ‚Por quê?‛ ‚Então você podia ter que confiar em mim para protegê-la.‛ Ela deu um passo para tr{s. ‚Por que est{ extremamente dedicado em me pressionar aqui, Ty?‛

10


‚Vamos, Jenna. Você não é uma criança. Sabe por quê. Tenho vindo para o bar muito, rondando. Eu gosto de você.‛ ‚Eu não gosto de você.‛ Ele riu. ‚Mentirosa. Vejo o jeito que você me olha.‛ ‚Você é tão cheio de si mesmo, Anderson. Vá pegar outra menina. Não estou nem um pouco interessada em você.‛ Ela passou por ele e se dirigiu para a porta, esperando por ele para trancá-la e pudesse colocar o alarme. Ele fez, o casaco na mão. Ela tinha os dedos no teclado pronto para ligar o alarme. ‚Espere um segundo‛, disse ele. ‚Você esqueceu alguma coisa?‛ ‚Sim.‛ Ele puxou-a em seus braços antes que ela pudesse dar uma próxima respiração, e sua boca desceu sobre a dela. Por uma fração de segundo ela pensou em contestar e empurrá-lo, mas inferno, tinha sido um bom tempo desde que tinha sido beijada. Era fevereiro, frio com a calota de gelo polar fora, e os lábios de Tyler estavam quentes. Seu corpo estava quente e enquanto se dobrava contra ele, sentiu que escoava calor dentro dela. Ela deixou cair sua bolsa e o casaco foi com isto, deixando os lábios dela o reclamar. Era exatamente como ela imaginou que seria, e bem, tinha pensado muito sobre isso. Sua boca era firme e exigente, uma dica de uísque em seus lábios. Ele não beijava como uma mocinha, graças a Deus. Ele não hesitou em tudo. Somente teve o beijo, deslizando sua língua dentro da boca para envolver em torno da dela. Ela se arrepiou toda, os dedos dos pés enrolados, sua calcinha molhada, e seu sexo pulsando com uma necessidade que rugia. Se ele colocasse as mãos dentro da calça dela, em dois ou três golpes poderia gozar. O beijo era tão bom.

11


Ele estendeu a mão e segurou o seio, e ela gemeu contra os lábios, pressionando seu seio em sua mão. Ela queria mais, queria tudo, e queria agora. Sua mente estava cheia de imagens dele baixando-a para o chão na parte de trás do bar, ou dobrando-a sobre a mesa de bilhar. Mas isso seria ir contra tudo o que ela queria. E não queria. Ela não ia deixar que ele tivesse isso. Não esse homem. Nunca esse homem. Ela apertou as mãos contra o peito e quebrou o beijo. ‚Pare. Nós não podemos fazer isso.‛ Ele se afastou, seus olhos escuros com paixão. ‚Por que não?‛ Ela lutou para respirar, por seu equilibrio e um pouco de sanidade. ‚Porque eu não quero.‛ Lambeu os l{bios, inclinou-se e pegou o casaco e a bolsa. Ela se afastou dele e com as mãos trêmulas colocou o alarme, andou fora e trancou a porta da frente, Ty bem atrás dela. Ela começou a se afastar, mas ele agarrou seu pulso, queimando-a com um olhar que a derreteu para a calçada de cimento frio. Então ele sorriu para ela. ‚Boa noite, Jenna.‛ Ela girou e caminhou até seu carro, consciente dele ali olhando para ela. Ele esperou, com as mãos nos bolsos do casaco, enquanto ela entrava e ia embora. Bastardo. Seu corpo estava em chamas de seu beijo e ia ter que cuidar de si mesma quando chegasse a casa hoje à noite. Ela nunca ia deixar que ele a beijasse novamente.

TY ESPEROU ATÉ JENNA SAIR DO ESTACIONAMENTO e ir para a rua antes que entrasse em seu carro para voltar ao seu lugar.

12


Ele havia conhecido Jenna por quase um ano agora, a tinha conhecido através de sua agente, Elizabeth, Jenna era irmão de Gavin. Jenna não era o tipo dele. Oh, ela era linda, tudo bem, mas era magra com seios pequenos. Ele gostava que sua mulher plena e exuberante com grandes seios. Gostava de suas mulheres com cabelos longos, que poderia correr os dedos por eles. Jenna os tinha curtos, cabelo preto espetado e tinha estranhas pontas roxas no final, que era uma espécie de selvagem e vibrantes. Jenna tinha vários piercings na orelha esquerda e um diamante minúsculo no nariz. Ele sempre quis saber se outras partes do corpo dela eam perfurados. E aquelas tatuagens que ele tinha apenas começado a vislumbrar o intrigava. Queria ter tempo para explorá-los, estudá-los, para puxara para baixo e ver outros locais onde ela foi tatuada. Mas seus olhos eram o que realmente o levava a querê-la. Eram de uma safira azul incrível tão expressivo e tão vulnerável, mesmo que ela gostava de jogar de durona. Ok, talvez ela fosse um pouco diferente. E talvez ele estivesse atraído pelo quão diferente ela era. Então ele jogou com ela, a irritava, e cutucava, porque ele sabia que podia conseguir um aumento dela. Não está interessado? Besteira. Aquele beijo tinha dito a ele a quão interessada ela realmente estava. Ele apostou que se tivesse colocado suas mãos, a calcinha que ela dela teria estado molhada. Apenas o pensamento de ficar em sua calcinha fez o seu pau pulsar. Ele ainda podia sentir o gosto de sua boca-de hortelã e algum tipo de gloss com sabor de cereja. Lambeu os lábios, queria mais. Sim, ele queria muito mais de Jenna.

13


E, assim como no hĂłquei, quando a meta estava Ă  vista, ele nunca desistiu.

14


Capítulo Dois TY VOOU PELO GELO, PATINANDO, PASSANDO O DEFENSOR. Victor Putinov deslizou o disco através dele e ele tomou uma batida. Sentiu a falta. Ele contornou em torno da rede do gol e lutou contra o defensor para o disco preto, batendo contra as bordas, os seus tacos combatendo para o prêmio. Os gritos da torcida eram ensurdecedores, estimulando-o na corrida. Ele perdeu a luta e patinou seu traseiro para fora do disco preto. Quando estava no gelo era a única coisa que importava para ele. Eddie Wolkowski foi atrás disso, derrapando em uma parada contra o central de Toronto. Ty queria bater nesses sujeitos mal. Gostava de todos os caras da sua ex-equipe, mas, negócio era negócio e estava na hora de começar isso. Parker deu um lançamento contra Roger ‚Ice Man‛ Rantzen, o goleiro do ICE. Roger bloqueou e Wolkowski pegou e mandou atirando em direção ao centro. Ala esquerda partiu e Ty partiu do outro lado da linha, patinando em conjunto com o central de Toronto. Foi uma corrida para ver quem conseguia chegar lá mais rápido. Ty era um patinador muito bom e tinha resistência para derrotar o seu adversário. Quando o ala esquerda passou o disco para Ty, ele pegou e passou para Victor, que lutou contra o defensor de Toronto, dando tempo para Ty entrar em posição. Victor inclinou lançando o disco para Ty. Ele viu a abertura e deu um tiro duro.

15


Ty amava quando a lâmpada acendia. A multidão estava de pé e o barulho dentro da arena nunca deixava de dar-lhe calafrios. Ele levantou seu taco no ar e bombeou para o alto, então foi até seus companheiros para comemorar. Eles ganharam o jogo 3-1. Tinha sido próximo. Toronto era um adversário difícil. Após o jogo, tomou banho e se vestiu. ‚Que tal um bife no Riley para celebrar?‛ Eddie perguntou. Ty sabia que Eddie tinha uma queda importante por Renee, uma das garçonetes do Riley, e é por isso que ele sugeriu que eles fossem ao bar. E desde que ele gostava de irritar o inferno fora de Jenna,concordou com isso. ‚Claro.‛ Eddie sorriu. Aos vinte e oito anos, Eddie era o menino de ouro do ICE, com seu cabelo louro-escuro e as características nórdicas. Era enorme com um e noventa de altura, quase imponente, mas tinha o rosto sardento e sorriso largo de um adolescente. Ele era tão bemhumorado como qualquer um que Ty já havia conhecido. Um assassino feroz sobre o gelo, Eddie era tão suave quanto um gatinho fora dele. Era uma mistura de contradições, o que tornava difícil para ele conseguir as mulheres. Exceto para Renee. Ela tinha aceitado Eddie imediatamente, e Ty tinha a sensação de que a paixão de Eddie era recíproca — grande tempo. Eles foram para o bar com os outros que disseram que queriam descontrair com algum jogo de bilhar. Assim que entrou pela porta, chamou a atenção de Jenna. Ela franziu a testa. Ele sorriu. Tempo de jogar. Só que este era um tipo diferente de jogo do que aquele que havia jogado anteriormente no gelo.

16


SEGUNDO TEMPO, IGUAL AO PRIMEIRO. TODAS AS NOITES funcionavam iguais, até que Jenna não sabia que dia era. Com a temporada de hóquei acontecendo havia muitos fãs raivosos presentes no bar, então Jenna correu para fora servindo as bebidas, as garçonetes estavam apenas anotando e levando os pedidos, ficando muito ocupadas. A parte lógica dela sabia que o negócio era bom, e nesta economia isso era uma coisa impressionante. O bar estava lotado, seus clientes estavam felizes, e Riley estava fazendo dinheiro. Ela não tinha nada que estar insatisfeita com sua vida. Se este não era o que ela queria fazer, muito ruim. Estava ajudando a família, tinham um negócio bem sucedido, e mantinha o stress fora de seu pai, que tinha sofrido um ataque cardíaco e posterior cirurgia no ano passado. Em raras ocasiões que ele vinha ao bar, estava feliz e sorridente, e tudo o que tinha a fazer era desfrutar de seus amigos. Ela ficou aliviada que ele ainda estava por perto após o susto do ano passado. Nada de queixas, certo? Riley ainda era principalmente sua responsabilidade e a família contava com ela para mantê-lo funcionando. Poderia ser muito pior. ‚Se o ICE continuar vencendo, vou perder dez quilos‛, uma das freguesas disse. ‚Eles mantêm isso lotado quando tem jogo. E fica ainda mais lotado quando aparecem após os jogos em casa.‛ Com certeza, eles estavam aqui novamente. Mais importante Ty estava com eles. Havia um monte de bares perto da arena, muitos que atendiam aos fãs de hóquei. Por que tinham que escolher o dela? Renee, uma de suas garçonetes, se encostou ao bar e deu-lhe um pedido de bebida. Jenna estaria perdido sem ela. Renee era alegre, bonita — o tipo de boneca Barbie com suas curvas, loira e delicada e todos os rapazes a amava. Ela tinha o riso contagiante, mas nunca incentivou qualquer um deles, embora Jenna estivesse certa que Renee tinha uma coisa para um

17


dos jogadores do ICE. Ela não tinha agido sobre ele, mas havia algo sobre o olhar que ela e Wolkowski trocavam. Era bonito. Ela tinha que descobrir o que estava acontecendo com os dois. Jenna pegou o pedido e começou a fazer bebidas. ‚O seu namorado est{ aqui.‛ Renee deu um r{pido olhar. ‚Eu sei. Tomei o seu pedido de bebida. E Eddie não é meu namorado.‛ As bochechas de Renee ficaram rosa. E não conseguia esconder o sorriso. ‚Está vendo-o?‛ Ela balançou a cabeça, balançando seus cachos. ‚Ele não me pediu.‛ ‚Os homens são estúpidos. Ele est{ olhando para você.‛ Renee levantou a cabeça para encontrar o olhar de Jenna. ‚Ele est{?‛ ‚Sim.‛ Ela carregou os drinques na bandeja de Renee. ‚Assim, o convide para sair.‛ ‚Não. Se ele me quiser, pode fazer a pergunta.‛ ‚Você é uma garota tradicional.‛ ‚Não sou?‛ Renee piscou e caminhou. Depois que Renee partiu, Jenna teve alguns momentos para respirar. Ela simplesmente não conseguia uma pausa maldita. O olhar de Ty encontrou o dela quando tirou o casaco e dirigiu-se a uma mesa de bilhar. Cada grama de estrógeno no corpo dela aumentou com alegria como a sua magra, musculosa estrutura assentada sobre uma das mesas, taco de sinuca na mão. Seu estrogênio maldito só poderia acalmar o inferno para baixo. Ele poderia tê-la beijado, e poderia ter se amassado por horas com ele, mas isso era até onde iria ir. Ele era do esporte e isso significava que não. Ele inclinou um quadril contra a mesa de bilhar e aceitou a cerveja que Renee lhe deu, o seu corpo relaxou quando ele riu com seus amigos.

18


Apenas o som de sua voz fez os mamilos endurecem. Você ouviu isso, corpo? Não. Não, não, não. Decidindo ignorá-lo, ela foi até a cozinha e disse a Malcolm para iniciar os pedidos dos bifes, então se ocupou com seus clientes. Ela não estava interessada em Tyler, mesmo que sua libido estivesse. Mas vê-lo jogar bilhar era mais do que poderia aguentar. Não ficou ocupada quase o suficiente. Era tarde, a multidão havia se diluído, e era principalmente ele e seus amigos jogadores, e se ela tivesse que limpar mais um copo até que brilhasse para evitar olhar para sua bunda ia atirar o vidro contra a parede mais próxima. Fugir não era uma opção desde que ainda estava no comando do bar e a mesa de sinuca era à esquerda — em sua linha de visão sempre que tinha de pegar uma cerveja. Tentou não cobiçar, mas Ty tinha uma bunda grande. Ele era bom no bilhar também. Claro. Jogadores eram bons em tudo, razão pela qual seus egos muitas vezes não eram controlados, algo que encontrou absolutamente intolerável sobre as personalidades do esporte. Razão pela qual nunca teve a intenção de ter encontros, fazer sexo, ou se envolver com um. Ela fez um esforço enorme para não vê-lo, em vez de olhar para o relógio e os minutos passando até a hora de fechar. Decidiu fazer o inventário de bebida alcoolica para manter sua mente engajada em outra coisa que Ty. ‚Posso ter uma cerveja, Jenna?‛ Ela não tinha percebido que o tempo tinha passado até Ty puxar um banquinho no bar. Ela olhou para a mesa de sinuca. Seus amigos estavam longe de ser encontrados. Na verdade, o bar estava quase deserto e era hora de fechar. Renee acenou para ela em seu caminho para fora da porta com Malcolm sobre os calcanhares.

19


Ela estava sozinha no bar novamente. Com Ty. Como ela deixou isso acontecer? ‚O bar est{ fechado.‛ Ele contornou o bar e serviu-se. Ela cruzou os braços e olhou para ele. ‚Você não é dono deste lugar, você sabe.‛ Ele bateu em cima e tomou um longo gole, depois soltou um suspiro de gratidão. ‚Bilhar faz-me ter sede, obrigado. E não, não possuo este lugar, mas seus pais fazem e eles gostam de mim.‛ ‚Termine a sua cerveja para que eu possa sair daqui.‛ Ele voltou e sentou no banco novamente. ‚O que é sobre mim que você não gosta?‛ Ela limpou a parte superior do bar, ignorando a pergunta. ‚A minha aparência?‛ Deus não. Até deixando entreaver a cueca ele era bom de olhar. Não que jamais iria admitir isso para ele. ‚Minha personalidade.‛ Totalmente irritante. E encantador. ‚Meus bons modos.‛ Perfeito. Ele sempre segurava a porta para as mulheres e os idosos. Era muito respeitoso, não falava muito alto, e nunca bebia demais. Para cada cerveja ou uísque que bebia, seguia com um grande copo de água gelada. Alguns atletas queriam toda a atenção centrada em si. Ty gostava de se misturar com o fundo, preferindo se misturar com sua clientela, não sendo uma vitrine, porque era uma estrela no ICE. ‚Então me diga, Jenna. O que é sobre mim que incomoda você?‛ Ela jogou o pano para o lado e espalmou a borda do bar. ‚Não saio com jogadores de esportes.‛

20


Ele torceu uma sobrancelha. ‚Sim? Por que isso?‛ Ela estendeu os braços para os lados. ‚Olhe para tudo isso, Ty. Estou cercada por eles durante todo o dia, quase todos os dias. E depois há Mick e Gavin e todos os seus amigos que passaram pela casa. Tive esportes passando por toda a minha vida.‛ Ele inclinou a garrafa aos lábios e bebeu, em seguida, entregou vazia para ela. Ela jogou fora. ‚Eu vejo. Você j{ teve o seu preenchimento de caras como eu.‛ ‚Agora você est{ começando a ver a luz.‛ ‚Então, estou condenado por causa da minha profissão. Fora da corrida antes que tenha uma chance.‛ Ela assentiu com a cabeça. ‚Sim. Você est{ perdendo seu tempo comigo. Poderia muito bem ir encontrar outra garota para encantar.‛ Ele veio por tr{s do bar. ‚E se não quero outra garota? E se eu te quero?‛ Uh-oh. Seu corpo estava alfinetando como um contador Geiger3, Ty era radioativo. Quanto mais perto chegava, ela se tornava mais quente. Ela deu um passo para tr{s. ‚Eu não quero você.‛ Ele parou seus l{bios curvando em um sorriso. ‚Você continua dizendo isso, mas não acho que acredito em você.‛ ‚Os homens arrogantes não são atraentes.‛ ‚Não estou sendo arrogante. Sou apenas bom em ler os sinais.‛ ‚Est{ tão cheio de merda.‛ Ela se abaixou, pegou sua bolsa, e segurou-a na frente dela como um salva-vidas. ‚O que sinaliza?‛

3

Serve para medir certas radiações ionizantes (partículas alfa, beta ou radiação gama e raios-X, mas não os neutrons).

21


‚Você está respirando rápido. Suas bochechas estão rosadas. Suas pupilas estão dilatadas.‛ ‚Estou exausta e sem fôlego de correr ao redor tentando fechar este lugar. E está quente aqui.‛ Ele riu. ‚Não est{ quente aqui. E você não ficou muito de pé.‛ Ele a tinha l{. ‚V{ embora, Ty. Preciso fechar.‛ Ela remexeu em sua bolsa pelas chaves. ‚Saia comigo.‛ Ela virou a cabeça para cima. ‚O quê? Não. Claro que não.‛ ‚Não seria tão ruim. Eu prometo.‛ ‚Prefiro ter uma dor de dente.‛ Ele não parecia ofendido. O que seria necessário para fazê-lo irritado, ferir seus sentimentos? Para obter-lhe o inferno fora deste bar? ‚Prometo a você que sair comigo é divertido muito mais do que uma cirurgia dent{ria.‛ ‚Eu estou... saindo com alguém.‛ Uma sobrancelha perfeitamente levantou. ‚Você est{ vendo alguém.‛ ‚Sim.‛ ‚Quem?‛ ‚Você não o conhece.‛ ‚Como você sabe que eu não o conheço se não me diz quem ele é?‛ ‚Ele não est{ envolvido no esporte.‛ ‚Conheço muita gente que não é dos esportes, Jenna.‛ Ela estava cavando um buraco cada vez mais fundo. ‚Ele não é daqui. E tenho que ir.‛ ‚Tenho um encontro?‛

22


‚Sim.‛ Ela empurrou-o até que ele finalmente se mexeu e se dirigiu para a porta. Ela apertou o código e se apressou a sair, jogando em sua jaqueta para afastar o tempo frio. Claro que ele só tinha que levá-la até o carro dela. Maldito por ser um cavalheiro. Seria muito mais fácil não pensar se ele fosse um esnobe. ‚Um pouco tarde para um encontro, não é?‛ Ele perguntou quando ela chegou para seu carro. ‚Nenhum de seus negócios, Ty.‛ ‚Então, é um ligue sexo.‛ Ela engasgou. ‚Não é um ligue sexo. É um encontro.‛ ‚Ele vai levá-la para jantar |s três horas?‛ Ela segurou os lábios bem juntos. ‚Cinema, talvez?‛ ‚Você é um babaca.‛ Ela girou e entrou no carro. ‚Boa noite, Jenna.‛ Ele deu um passo para trás quando ela partiu do estacionamento, e, assim como da última vez, ficou olhando até que ela foi embora. Maldito por fazê-la pensar nele, para fazer o que ele queria. Ela iria mostrar-lhe. Ela iria conseguir um homem. Talvez se encontrasse alguém para sair — e, finalmente, tivesse relações sexuais — Ty não seria o centro das atenções em sua mente.

23


Capítulo Três TY NÃO TINHA INTENÇÃO DE APARECER NA CASA DOS RILEY, mas Gavin havia o convidado. O jantar de domingo era aparentemente um grande negócio para os Riley. Ty não tinha família aqui, mas ele e Gavin haviam se tornados amigos ao longo dos últimos meses, jogando basquete, sempre que ambos tinham tempo livre. Isso não era muitas vezes, porém, desde Gavin estava se preparando para o início da temporada de beisebol e Ty estava na estrada jogando hóquei. Mas de vez em quando conseguiam sair juntos, como hoje, embora a família tivesse realizado o jantar esperando por Gavin e Elizabeth para aparecer. Ele tinha realmente chegado a conhecer Gavin através de sua agente, Elizabeth Darnell, que já estava noiva de Gavin. Gavin não tinha gostado de Ty quando o encontrou pela primeira vez, porque Ty tinha flertado com Liz tentando Gavin ter ciúmes. Aparentemente, ele trabalhou bem, desde que os dois estavam noivos e planejando se casar. Mas primeiro tinha o casamento do irmão mais velho de Gavin, Mick chegando em algumas semanas se ele se lembrava direito. E a julgar pela conversa frenética acontecendo entre Liz e Tara, noiva de Mick, junto com a mãe de Gavin e Mick parecia que o planejamento do casamento estava em pleno vigor. Ty estava feliz por ele não estar tomando parte nisso. Casamento não era de seus negócios. Ele saiu da sala, bebendo cerveja e conversando com Gavin, Mick, e seu pai, junto com Nathan, filho adolescente de Tara.

24


Esta era uma boa família. Havia calor e proximidade nesta família e ele não sentia isso com a sua própria. Mick disse a Ty que ele e Tara tinham decidido fazer a mudança definitiva para St. Louis, incluindo relocação dos negócios de Tara para que Nathan pudesse ir para a escola aqui. A família era importante para eles, e apesar de Mick ainda jogar pelo San Francisco, era mais fácil para ele viajar, e o mais importante, Tara e Nathan ficariam perto da família de Mick, desde que todos haviam se tornado tão próximos. Ele entendia isso. Uma família unida era uma família que ficava junta. Ele desejou que houvesse trabalhado para fora com seus pais, mas era uma situação diferente. ‚Você est{ parecendo bom no gelo, Ty.‛ ‚Obrigado, senhor.‛ Ty sorriu para o pai de Gavin, Jimmy Riley. Jimmy teve uma cirurgia cardíaca há vários meses atrás, e desde então tinha sido robusto e saudável, tinha perdido peso, e ria mais do que alguém Ty conhecia. Era como ter uma segunda chance e lhe mostrando como a vida era grande. ‚Não me chame de senhor. Faz-me sentir velho.‛ ‚Você é um homem velho, muito velho.‛ Mick, se sentou no sof{ ao lado de seu pai, cutucando nas costelas. Tyler se perguntou se a cirurgia do pai de Mick era um fator de motivação na coisa toda de se moverem para lá. Quase perder alguém que ama pode fazer você alterar uma série de decisões da vida. ‚Você acha que sou velho, menino? Ha. Não muito velho que não possa chutar o seu traseiro em um jogo de xadrez.‛ Tara entrou na sala, cruzando os braços, e revirou os olhos. ‚Aqui vamos nós.‛ ‚Sou jovem o suficiente para levar os dois com uma mão amarrada nas minhas costas‛, falou Nathan.

25


Jimmy inclinou a cabeça para tr{s e riu. ‚Você est{ ensinando ao menino bem, eu vejo‛, disse ele para Mick. Mick sorriu. ‚Fazendo o meu melhor para fazer um esperto-asno dele.‛ ‚Mick. A linguagem‛, advertiu Tara. ‚Uma moeda para o jarro, por maldizer, pai‛ disse Nathan. Tyler sentou-se e olhou em volta. O calor, o óbvio amor que todos sentiam um pelo outro. Assim era como as pessoas realmente cuidavam uns dos outros. Sem tensão, não pisando em ovos, não fingindo que as coisas estavam bem e todos estavam felizes quando não estavam. Porque todo mundo nessa casa era feliz. ‚O jantar ser{ servido logo que Jenna chegue aqui‛, Kathleen disse quando entrou na sala. ‚Ela só est{ esperando diminuir um pouco no bar.‛ Tyler tinha se perguntado se Jenna ia estar aqui. Agora sabia. Ela chegou cerca de vinte minutos depois, jogando a bolsa sobre a mesa na entrada, e atirando-se no sofá ao lado de sua mãe. Sua mãe beijou a bochecha dela. ‚Dia difícil?‛ Jenna encolheu os ombros e os pés foram apoiados sobre a mesa. ‚Não. Casey estava atrasado, como sempre, mas não foi um dia agitado, então não é grande coisa.‛ Jenna cumprimentou a todos, e seu olhar pousou em Tyler. Ela arqueou uma sobrancelha. ‚O que você est{ fazendo aqui?‛ ‚Esperando para comer o grande jantar que sua mãe preparou. E Gavin convidou-me.‛ Jenna atirou a Gavin um olhar. Ty sorriu. ‚Nós jogamos basquete mais cedo hoje, por isso convidei Ty para jantar. Você tem um problema com isso?‛

26


‚Por que me importaria com quem vem para jantar?‛ Ela deu de ombros e empurrou para fora do sof{. ‚Vou pegar uma bebida. Alguém quer uma?‛ Ela saiu da sala e sua mãe levantou-se, também. ‚Vou verificar o assado e colocar as batatas agora que Jenna est{ aqui.‛ ‚Vou ajudar você, mamãe‛, disse Tara. ‚Eu também.‛ Liz levantou-se e as seguiu, Ty percebeu que era um sinal para as garotas falarem, sobre ele ou sobre o casamento. Ou talvez ambos. ‚O que está acontecendo com você e Jenna?‛ Gavin perguntou. ‚Nada. Tentei levá-la para sair comigo. Ela disse que não.‛ Mick bufou. ‚Ela odeia esportes e qualquer cara que pratica. Exceto seus irmãos, é claro.‛ ‚Duvido. Ela mal consegue tolerar nós dois e somos uma família.‛ Mick assentiu com a cabeça a Gavin. ‚Verdade.‛ Ty inclinou a garrafa de cerveja aos lábios e tomou um longo gole, depois assentiu. ‚Sim. Ela deixou bem claro que eu não tinha a menor chance.‛ ‚Você gosta dela?‛ Ty desviou o olhar para Nathan. ‚Sim, eu gosto dela.‛ ‚Então v{ para cima.‛ ‚Assim como bater minha cabeça contra uma parede de tijolos, garoto.‛ Nathan arrastou seu olhar longe do jogo de futebol e concentrou sua atenção sobre Ty. ‚Então? Meu pai sempre me diz para não desistir de algo que quero.‛ Ty não pretendia desistir, mas não ia ter essa conversa com um adolescente e os irmãos de Jenna. ‚Vou dar-lhe algum pensamento. Obrigado pela conversa de vitalidade.‛ ‚Sempre.‛

27


Mick sorriu por cima da cabeça de Nathan em Ty. ‚Ele est{ certo. Ela é teimosa, mas nós meio que gostamos de você.‛ ‚Nós, embora não sabemos porquê‛, acrescentou Gavin com uma piscadela. ‚E Deus sabe que ela nunca desiste. Dê-lhe um tiro.‛ ‚Ela disse que estava saindo com alguém.‛ ‚Est{ mentindo‛, disse Mick. ‚Tara disse que não vai trazer ninguém para o casamento. Se ela tinha um cara, teria um encontro. Tanto quanto sei ela est{ sozinha.‛ Interessante.

JENNA SE ESCONDEU NA COZINHA COM SUA MÃE até o último prato ser levado para a sala de jantar. Então não teve escolha senão se juntar à família e — Tyestava lá. Parecia que toda vez que ela se virava, lá estava ele. No bar, e agora na casa de seus pais. O que teria de fazer para se livrar deste cara? Já era ruim o suficiente, ele assombrar as suas fantasias. Será que ele tinha que perseguir a realidade, também? Claro que, como todo mundo estava emparelhado, e Nathan tinha o caso feroz de adoração de herói em Mick, ele tinha que se sentar ao lado dele, Tyler acabou sendo sentado ao lado dela. A atração física que sentia por ele era intensa. Tentou se concentrar em sua comida, mas tinha muito boa visão periférica, o que significava mesmo olhando para o prato dela significava que poderia ver suas mãos — fortes e grandes, com pelos escuros que penetrava até os pulsos. Ele empurrou as mangas de sua Henley4, para que ela não pudesse de deixar de notar seus musculosos antebraços. Então, ao invés, se concentrou em seu colo, o que significava que ocasionalmente roubava um olhar para suas coxas, e depois o seu olhar viajou para dentro em direção a—

28


Pare. Ela não olharia para seu colo, não imaginaria que ele empurrou sua cadeira para trás para que ela pudesse subir e balançar contra ele. Pelo amor de Deus. Ela estava na sala de jantar dos pais. Ela não teria fantasias sexuais com Ty. Suas bochechas queimaram com o visual e a cabeça deu um tiro para cima, à espera de encontrar sua família inteira olhando para ela. Eles não estavam. Estavam envolvidos na conversa, todos a ignorando. Todos, exceto Ty, é claro, que olhou o seu caminho com uma peculiaridade de sabedoria nos seus lábios. Bastardo. Talvez ela só devesse ter relações sexuais com ele, tirá-lo do seu sistema, e então nunca teria que pensar sobre ele novamente. ‚Jenna.‛ Grata pela distração, ela olhou para Tara. ‚Sim?‛ ‚Temos provas de vestidos na noite de terça-feira às sete. Pode fazê-lo?‛ Relaxou e sorriu brevemente para sua cunhada. ‚Não perderia isso por nada. J{ tenho cobertura no bar nessa noite, então estou livre para a noite.‛ Tara mexeu em seu assento. ‚Eu sei que não deveria ser tão boba, mas com o casamento em menos de duas semanas de dist}ncia, não posso ajudar.‛ ‚Estamos todos animados‛, disse a mãe de Jenna. ‚Chegar{ antes que você perceba.‛ Em seguida, Tara fez o impens{vel. ‚Tyler, você vai estar disponível para vir para o casamento?‛ Não. Por favor, diga não. Talvez ele tivesse um jogo. 4

Uma marca de camisa masculina.

29


‚Qual é a data?‛ Ela disse a ele e ele fez uma pausa, mentalmente calculando a data. ‚Isso é uma sextafeira. Não h{ jogo naquela noite, então sim, estou livre.‛ Os olhos de Tara brilhavam. ‚Nós adoraríamos tê-lo vindo para o casamento. Sei que é de última hora, mas se você est{ disponível, por favor, diga que você estar{ l{.‛ ‚Eu não quero me intrometer.‛ Jenna mordeu o lábio. ‚Não seja bobo. Não é uma intrusão. Você é amigo de Gavin e Mick, e Gavin diz que você não tem família aqui. Mick e eu adoraríamos ter você no nosso casamento.‛ Mick lançou um sorriso em Jenna antes de voltar seu olhar de volta para Tyler. ‚Claro. Venha para o casamento. Vai ser uma grande festa.‛ ‚Obrigado. Eu adoraria vir.‛ Jenna tinha uma sensação de que isso tinha acabado de ser criado. Por toda sua família.

30


Capítulo Quatro NA TERÇA-FEIRA ELA FOI COM TARA E ELIZABETH na loja de noivas, junto com Maggie, uma das melhores amigas de Tara em seu negócio de planejamento de eventos, que tinha voado para passar a última semana e meia com Tara antes do casamento. Maggie tinha ficado comandando o negócio de planejamento de eventos de Tara em San Francisco. Maggie era a dama de honra de Tara. Liz e Jenna também eram damas de honra, e todas estavam aproveitando para fazer a prova final do vestido antes do grande dia. ‚Tenho que dizer que você est{ muito bem sobre tudo isso‛, Elizabeth disse, enquanto observava Tara provando o vestido. ‚Vou ser um maldito naufr{gio quando for a minha vez.‛ Tara sorriu enquanto as costureiras da loja de noivas davam os retoques finais no que Jenna pensava que era um vestido deslumbrante. ‚Eu amo Mick, e estou começando meu feliz para sempre. Tudo o resto é apenas a cereja do bolo. Além disso, sou uma planejadora de eventos. É da minha natureza manter a calma sob pressão.‛ Maggie bufou. ‚O quê?‛ ‚Espere até que seja o dia. Nós fizemos casamentos. Você sabe mesmo a mais calma das noivas enloquece. Vou estar preparada para qualquer coisa, apenas no caso, mas acho que você é um vulcão latente | espera de entrar em erupção.‛ Tara levantou o queixo. ‚Não vou entrar em erupção. Minhas emoções estão sob controle.‛

31


Liz olhou para Jenna, que encolheu os ombros. ‚Nenhum indício. Nunca me casei.‛ ‚Bem, vou te dizer. Tenho vários meses antes do meu casamento e já preciso de um Valium.‛ Liz olhou para Tara e Maggie. ‚Não olhe para mim para ajudar a acalmar seus nervos. Eu pretendo ter uma garrafa de Patrón5 na minha bolsa nesse dia.‛ Jenna riu. ‚Ainda bem que é você e não eu.‛ ‚Você não ria‛, disse Tara. ‚Seu dia chegar{.‛ ‚Você est{ brincando? Não estou nem mesmo namorando ninguém.‛ ‚Isso não é o que Ty disse.‛ Seu olhar se voltou para Liz. ‚O que ele disse?‛ ‚Ele me disse que a convidou, você recusou a sair com ele, e então disse que estava saindo com alguém.‛ Todos os olhos fixaram-se nela. Felizmente, era a sua vez de experimentar o vestido, então ela foi para o vestiário com pressa para que não tivesse que admitir que não estava, de fato, saindo com alguém. Mas quando saiu com seu vestido, Tara, Liz, e Maggie estavam todas esperando por ela. ‚Então, quem é o cara?‛ Tara perguntou. Deu para perceber que elas não iam deixar barato esse assunto. Jenna suspirou. ‚Ninguém que vocês conhecem.‛ ‚Então, por que não diz quem você est{ vendo?‛ Liz perguntou. ‚Porque não é sério. Não digo a todas vocês toda vez que saio em um encontro.‛ Tara inclinou a cabeça. ‚Você est{ trazendo ele para o casamento?‛ ‚Não.‛ ‚Por que não?‛ Liz perguntou.

32


‚Nós só saimos algumas vezes. Definitivamente não é o suficiente para conhecer a família.‛ ‚Ser{ que ele tem irmãos?‛ Maggie perguntou. ‚Porque estou aqui sozinha. Um encontro seria bom.‛ Jenna riu. ‚Nenhuma ideia.‛ ‚Eu poderia encontrar alguém‛, Liz disse a Maggie. ‚Conheço um monte de personalidades do esporte.‛ Maggie bateu os cílios em Liz. ‚Sério?‛ ‚Serio.‛ ‚Você tornaria meu casamento em um festival de Relações Públicas para um de seus clientes?‛ Tara disse com um suspiro de simulação. ‚Num piscar de olhos, irmã.‛ Jenna riu. ‚Ei, faça o que quiser, mas encontre-me um bonitão para o encontro‛, disse Maggie. ‚Estou dentro‛ ‚Feito‛, Liz disse. ‚E por falar em encontros‛, disse Tara, ‚o que acontece com Jenna?‛ Maldição. Ela podia jurar que tinham saído do tópico e isso seria esquecido. ‚Você não conhece nada sobre sua família?‛ Tara perguntou. ‚Mamãe não vai gostar disso. Nem o Mick e Gavin.‛ Teria de mentir. Isto é o que aconteceu quando inventava os namorados. ‚Não sei se vamos estar nos vendo outra vez. Então, mamãe e papai não tem nada para se preocupar.‛ ‚Não h{ química?‛ Maggie ofereceu. 5

Patrón é uma marca de luxo da tequila produzida no México

33


‚Sim. Não h{ química.‛ Ela estava feliz com a desculpa. Ela poderia beijar Maggie agora. ‚Bem, querida, você é linda. Sexy. Tenho certeza que se este não der certo, há prováveis dez caras esperando na fila para sair com você.‛ Ela conhecia a expressão confiante de Tara e sorriu para ela. Ia ter que desenterrar uma pessoa real para o encontro. E por Deus, o levaria para o maldito casamento. Um, para ter sua família fora do pé dela, e dois, para se fazer parar de pensar em Ty. Por tudo o que ela sabia, Ty poderia trazer sua própria companhia. Ela esperava que fizesse isso. Isso acabaria com qualquer atração residual que ela sentia por ele. Após os ajustes, elas saíram para jantar, felizmente, não no bar de sua família. Era bom ter uma noite de folga e realmente sair. Normalmente em suas noites de folga, ficava em casa, pegava no sono, ou assistia televisão. E sempre tocava música e trabalhava em escrever músicas. Essa noite foi boa para fugir. Acabou se isolando demais. Sabia disso, percebeu que deveria sair mais, mas preferia muito mais o seu apartamento e sua música. Ela realmente não gostava de pessoas tanto assim, de qualquer maneira. Sim, ela precisava de um namorado, tudo bem. ‚Que tal esse cara?‛ Liz perguntou quando se estabeleceram em uma mesa e ordenou uma rodada de bebidas. Demorou a Jenna alguns segundos para perceber que Liz estava falando com ela. ‚Huh? O que você est{ falando?‛ ‚Que cara. O do bar que est{ olhando para você.‛

34


Ela seguiu o movimento da cabeça de Liz para um tipo de terno encostado no bar com uma bebida na mão. Excelente para olhar, com cabelos loiros cor areia, dentes retos, e um sorriso que parecia que tinha sido alvejado no consultório do dentista. ‚Provavelmente namora vinte meninas de uma só vez e não pode lembrar seus nomes. Não, obrigado.‛ ‚E como você sabe disso?‛ Liz perguntou. ‚Uisque, em linha reta.‛ Tara fez uma careta. ‚O que significa isso?‛ ‚Posso dizer muito sobre um cara por aquilo que ele bebe.‛ ‚Risco profissional?‛ Liz perguntou. ‚Ou mais, dependendo de como você olha para ele. O modo como observam o salão, como se vestem, e o que eles bebem, tenho-os descobertos antes mesmo de dizer uma palavra.‛ Liz deslizou sua cadeira mais perto de Jenna. ‚Oh, isto poderia ser divertido. Material quente, de jeans e camiseta preta, lado esquerdo do bar.‛ Jenna deu uma olhada. ‚Traindo a sua esposa.‛ ‚Nuh-uh‛, disse Maggie. ‚Como você sabe?‛ ‚Demasiado fácil. Marca do anel de casamento na mão esquerda. E muito fresco. Você ainda pode ver os sulcos em seu dedo.‛ ‚O que um idiota.‛ Tara tomou um gole de bebida, depois olhou para Jenna. ‚Você é boa nisso. Nunca teria notado isso.‛ ‚A maioria das mulheres não o fazem, não inicialmente, de qualquer maneira. Eles não são todos idiotas. Mas muitos deles não valem a pena uma segunda olhada, especialmente em um bar.‛ ‚Porque vão l{ para pegar as mulheres?‛ Liz perguntou.

35


‚E para transar.‛ Tara balançou a cabeça. ‚Tão cínico. Não admira que você não namore muito.‛ ‚Se não estou no clima para o sexo, realmente não vejo o ponto. Nenhum desses sujeitos são meu tipo. E um bar não é um lugar para conhecer homens.‛ ‚Oh, vamos l{.‛ Liz examinou o bar. ‚H{ alguns materiais quentes aqui.‛ O olhar treinado de preicsão em ponto de laser, ela apontou para o tráfego do sexo masculino. ‚Desempregado. Gay. Filhinho da mamãe. Valentão. Covarde.‛ Ela se virou para elas. ‚Devo ir em frente?‛ Tara balançou a cabeça. ‚Acho que você est{ sendo um pouquinho exigente. Você tem certeza que seu sistema é tão perfeito como gostaria de acreditar?‛ ‚Vou provar para você.‛ Ela sorriu para o tipo societ{rio que tinham apontado para ela no início. Ele enfeitou com seu sorriso mil watts, empurrando para fora do bar, e se dirigiu a elas, puxando uma cadeira. ‚Olá, meninas. Desfrutando de sua noite?‛ Jenna assumiu a liderança. ‚Até agora.‛ ‚Posso comprar a todas uma bebida?‛ ‚Claro.‛ Jenna disse o que estavam bebendo. Sem sequer se virar, ele levantou a mão e estalou os dedos para a garçonete. Jenna rangeu os dentes. Todas se apresentaram. Seu nome era Craig. Trabalhava com vendas de tecnologia de hardware. ‚Você viaja?‛ Perguntou ela. Seus l{bios curvaram. ‚Um pouco, por uma questão de trabalho. Estou na estrada muito.‛ ‚Você deve apreciar.‛ ‚É uma aventura. E quanto a você, Jenna?‛

36


‚Eu sou uma barman.‛ Ele ergueu a bebida e bateu na ela. ‚Bom. Eu gosto de bebidas.‛ Ela tinha acabado de apostar que ele fazia. ‚E o resto de vocês mulheres lindas? O que fazem?‛ Numere um pecado. Quando você está paquerando uma mulher, você também não liga para suas amigas. Você as ignora. Craig não estava restringindo a sua aposta, apenas no caso de Jenna não ser a que ele decidiu ir para casa com esta noite. ‚Comprometida‛, disse Liz. ‚Casarei em uma semana‛, disse Tara. ‚Namoro alguém‛, Maggie mentiu. Inteligente essa Maggie. Craig deslizou sua cadeira mais perto de Jenna. Ugh. ‚Então você é uma barman, hein?‛ ‚Sou.‛ Essa foi a última coisa que ele tinha mencionado sobre ela. Depois ela sofreu uma dissertação de meia hora tudo sobre ele, sua carreira, suas aspirações, e como tinha subido ao topo da cadeia alimentar da sua empresa em três curtos anos, incluindo o grande bônus trimestral que lhe permitiu comprar seu novo apartamento e estava certo de que ela gostaria de ir hoje à noite e ver. Ela tentou evitar o bocejo. Ela jogou alguns sinais ‚Ajuda‛ em Tara, Liz, e Maggie, que estavam de pé. ‚Bem, Craig, isso tem sido divertido‛, Liz disse, ‚mas é a noite das menina e nós precisamos ir.‛ Levantou-se, também, voltando-se para Jenna. ‚Espere. Você est{ indo embora? Com elas?‛

37


Ela não iria rir do choque no rosto. Realmente, não faria. Craig não devia ser rejeitado com muita frequência. ‚Com certeza. Prazer em conhecê-lo. Boa sorte com o trabalho.‛ O tapa de ar gelado que a golpeou quando pisaram fora nunca se sentiu melhor. ‚Uau. Você estava tão certa‛, disse Tara. ‚Não admira que eu nunca namorei muito.‛ Liz estremeceu. ‚Todos os homens solteiros são como esse?‛ ‚Nem todos eles. Mas muitos dos que conheço são.‛ O que significava que ela ia ter um tempo difícil para encontrar uma companhia para o casamento.

38


Capítulo Cinco ENCONTRAR UM HOMEM NÃO PODIA SER TÃO DIFÍCIL. JENNA trabalhava em torno de um mar deles. Os homens vinham através das portas do bar com frequência suficiente, era como fazer compras de catálogo. Tudo o que tinha que fazer era escolher um. Fácil, não? Ótima aparência, homens apareciam no bar todas as noites. Homens com sorrisos encantadores que tinham uma boa conversa. Tudo o que tinha que fazer era conversar com alguns deles, e depois pediam um encontro e esperavam que falasse que sim. Ela foi convidada em todos os tempos, mas geralmente dava-lhes um sorriso e um não delicado. Desta vez, ela não tinha a intenção de dizer não. Tinha estado ocupada após o happy hour e ficou assim. Não havia esta noite jogo de hóquei, mas havia um jogo de basquete. Qualquer coisa traria as pessoas para assistir a um jogo era bom para os negócios. E significava que os homens viriam. Ela riu. Nunca antes tinha estado interessada em homens que entravam. Preocupava-se com os clientes que entravam, não pelo sexo que tinham. Esta noite teria olhos de águia em cada indivíduo que atravessaria as portas, medindo-os como possíveis companhias. Quando um homem lindo com um corpo de morrer puxou uma cadeira no bar, seu radar começou a apitar. Ele usava jeans escuros e uma camisa de botão por baixo, que foi coberta por uma jaqueta escura.

39


Cabelo castanho médio, cortado curto, e olhos verdes de assassino, com um sorriso cativante para aperfeiçoar o olhar. Ela respirou profundo, uma rápida olhada no espelho do bar para ter certeza que parecia bem, e foi pegar o seu pedido. ‚O que posso trazer para você?‛ ‚Vou tomar um copo de Chardonnay.‛ Maldição. ‚Claro.‛ Um bebedor de vinho. Agitado como tivesse uma retenção anal. Como podia não ter notado que o jeans tinha o centro abaixo da prega? Ele provavelmente os limpava a seco. Isso não podia funcionar. Um já foi, muito mais iriam, então se ocupou de servir alguns de seus frequentadores e deixou fora do escopo mais alguns potenciais candidatos, quando outro cara novo entrou. Cabelo loiro escuro, jaqueta de couro, jeans e botas bem usadas, capacete de moto na mão. Devia ser duro estar montado em fevereiro, porque estava malditamente frio lá fora. Seu cavanhaque e sorriso preguiçoso eram sexys como o inferno. Ele a viu imediatamente e se dirigiu em sua direção. Ela gostou disso. ‚O que posso trazer para você?‛ Ele encostou-se no bar. ‚Eu vou ter um Chivas6 com gelo.‛ Aldição. ‚Claro.‛ Ela tinha esperado tanto que ele fosse um cara de cerveja. Em vez disso, tinha um menino rico jogando de motociclista. E ele tinha tanto potencial. Provavelmente andava numa moto Ducati.

6

Marca de Uísque.

40


Ela se recusava a desistir de ter esperança e voltou a servir seus clientes e pegar alguns pedidos. ‚Noite cheia.‛ Calafrios deslizaram para baixo em sua coluna com o tom sensual da voz do homem. Ela fechou os olhos por um segundo e deixou o som da voz de Ty preencher seus sentidos. Ela realmente não precisava disso hoje à noite. Não quando estava tentando conseguir um homem. Ela se virou. ‚Por que você est{ aqui?‛ ‚Uh, para jogar sinuca?‛ Ela olhou para esquerda, e com certeza, dois dos outros membros da equipe de hóquei do ICE já estavam em uma das mesas de sinuca. Então, talvez ele não estivesse aqui para vê-la depois de tudo. Talvez Tyler e seus amigos gostavam da atmosfera e das mesas de sinuca do Riley. E agora ela se sentia como uma idiota. Uma egoísta. ‚O que posso pegar para você?‛ ‚Três cervejas. Uma ligth, duas normais. Garrafas.‛ Ela pegou as garrafas e deslizou ao longo do bar. ‚Quer que leve a sua mesa?‛ ‚Isso seria ótimo, Jenna. Obrigado.‛ Envergonhada, ela pediria para levar na mesa e decidiu que iria ignorar Ty o restante da noite. Sinalizou a Amber para trabalhar na mesa e mantê-lo e a seus amigos com bebidas para que ele não sentisse a necessidade de andar até o bar. Então, talvez ela pudesse voltar a procurar um encontro. A corrida diminuiu para as duas horas seguintes, de modo que ela teve tempo para inspecionar a multidão.

41


Talvez ela estivesse sendo muito exigente. Maldita sua teoria para os pedidos de bebidas. Foi por isso que ela não saia muito. Era uma teoria e precisava eliminar os perdedores. ‚Posso ter uma cerveja?‛ Ela olhou para cima e viu seu salvador na frente dela. Bom de olhar, cabelo escuro, um pouco longo, do jeito que ela gostava. Ele estava com uma camisa apertada e jeans desgastados, uma barba de um dia no queixo, e tinha olhos espetacularmente sensuais castanhos. Yum. ‚Garrafa ou m{quina?‛ ‚M{quina. Normal.‛ Bingo. Um bebedor de cerveja. Ela derramou a sua cerveja em uma caneca e ele pagou em dinheiro. Nenhum cartão de crédito de fantasia. Tão longe, tão bom. Ele saiu e ela ficou observando para ver se ia se encontrar com uma namorada. Ele não fez. Também não estava assistindo esportes. Sentou na outra ponta do bar com um grupo de amigos — todos homens — conversando. Certo, esse cara trabalhou para ela. O que não significava nada. Ele ainda podia ter uma namorada ou até mesmo uma esposa, e esta poderia ser a noite dos homens fora. Ela deu-lhe espaço, serviu seus clientes, lavou os copos, e quando era o momento certo, saiu do bar e foi para eles. ‚Prontos para outra rodada?‛ Ele enfeitou-a com um sorriso de mil watts, que mostrava interesse. ‚Claro.‛ Ele olhou para seus amigos. ‚Vocês estão prontos?‛ ‚Tenho que acordar cedo amanhã, então estou indo embora‛, disse um deles. ‚Eu também. Você est{ por conta, Joe.‛ ‚Vejo vocês, rapazes.‛

42


Seus amigos pegaram seus casacos e sairam. Ele se levantou e a seguiu para o bar. ‚Ainda quer a cerveja?‛ Ela perguntou imaginando que ele iria embora agora que seus amigos tinham ido. Em vez disso, ele concordou. ‚Sim. Vou tomar mais uma antes de ir embora. Tem sido um longo dia.‛ ‚Est{ saindo.‛ Ela encheu sua caneca e entregou a ele. Pagou e deu uma gorjeta. Ela gostou dessa parte também. ‚Obrigado.‛ ‚De nada.‛ Ele tomou um longo gole, mas manteve seu olhar. ‚Esta é minha primeira vez aqui. Agrad{vel bar.‛ ‚Obrigado.‛ Suas sobrancelhas levantaram. ‚Seu?‛ ‚Minha família, mas agora estou administrando.‛ ‚Grande operação para alguém tão jovem.‛ Ela se inclinou sobre o bar, fazendo seu melhor para se lembrar de como flertar. ‚Consigo.‛ Ele estendeu a mão. ‚Joe O'Brien.‛ Ela apertou sua mão. ‚Jenna Riley.‛ ‚Prazer em conhecê-la, Jenna.‛ ‚Então o que você faz, Joe?‛ ‚Sou médico. Residente, na verdade, e novo na cidade. Acabei de me mudar para cá de Massachusetts, por isso estou tentando encontrar novos lugares para passar um pouco do tempo livre que tenho. Meus amigos e eu decidimos aparecer por aqui já que é perto do hospital.‛

43


Ela sorriu. ‚Bem-vindo a St. Louis. Acho que você vai amar aqui. Você é um nativo de Massachusetts?‛ ‚Não. Originalmente de Pittsburgh. Mas ouvi coisas boas sobre a Universidade de Washington, por isso estou ansioso para fazer minha residência l{.‛ ‚É um hospital maravilhoso.‛ Eles conversaram por algum tempo. Ela gostava desse cara, podia avistar Ty em sua visão periférica. Estava jogando sinuca. Ele olhou para cima e, ocasionalmente, olhava para ela falando com Joe. Ela se perguntou se era ciumento. Não que se importava. Não seria surpresa para ela em tudo, se ele se aproximasse e ficasse no meio da sua conversa. Só que não fez. Nem mesmo quando ela e Joe começaram a rir. Era óbvio que Joe estava flertando com ela. Muito, muito óbvio. Assim como era óbvio que Ty os observava. Mas continuou a jogar, comendo, e pedindo mais bebidas. De Amber. Ele não veio mais uma vez para o bar. Nem mesmo conversou com ela. ‚Então, Jenna. Desde que preciso de um guia turístico para a sua grande cidade, e já que você é uma nativa, estaria disponível para um encontro? Eu poderia pagar o jantar, e você poderia me mostrar ao redor.‛ Ela tinha se concentrado em Ty e tinha quase esquecido Joe. Sua pergunta a surpreendeu. ‚Oh. O quê?‛ Ele franziu a testa. ‚Sinto muito. Você tem namorado?‛

44


‚Eu? Não. Não por isso. Sinto muito. Risco ocupacional aqui. Estava de olho em meus clientes.‛ Mentirosa. Você estava observando Ty. Que ia ter que parar. Agora. ‚Eu adoraria sair com você, Joe.‛ Talvez tivesse dito isso um pouco alto. Baixando a voz, tentou novamente. ‚Sim, adoraria sair.‛ Marcaram uma data em que os dois tinham livre, que era sexta à noite. Perfeito. Ela tinha um encontro real, com um médico de boa aparência. E ainda melhor, com alguém que não praticava esportes. Depois de Joe sair, ela se ocupou com as funções do bar e gerente. Andava para conversar com seus clientes e garantir que todos estavam felizes, que também exigia que se misturasse com os jogadores do ICE que tinha, aparentemente, feito do Riley a sua casa. Manter a eles felizes era bom para os negócios. Ela precisava ter certeza de que continuavam voltando. ‚Como vai, pessoal?‛ Eddie Wolkowski assistiu a Ty se alinhar para a próxima tacada, em seguida, sorriu para ela. ‚Estamos indo muito bem, Jenna. Como você est{?‛ ‚Perfeito. Vocês estão ganhando recentemente. Fazendo a todos orgulhosos.‛ ‚Fazemos o nosso melhor. Obrigado pelos hambúrgueres, a propósito.‛ ‚Você é bem-vindo. A próposito, Victor, você tem um bando de fãs em todo o salão morrendo por um autógrafo.‛ Ela fez sinal com a cabeça em direção a mesa sete, onde cerca de uma dúzia de mulheres em seus vinte e poucos anos tinham fixado em Victor quando entrou e não tinham parado de olhar para ele desde então.

45


Victor Putinov era o atacante de esquerda do ICE. Seu cabelo loiro e sua beleza aristrocracia de boa aparência sempre enviavam as mulheres ao desmaio. Victor ergueu o queixo. ‚Eu irei vê-las. Autografarei seus papéis.‛ ‚Aposto que você vai assinar os papéis‛ disse Ty sem tirar os olhos da mesa de sinuca. Victor arqueou uma sobrancelha. ‚É meu dever para manter os fãs do sexo feminino feliz.‛ Eddie riu. ‚Sim, com seu pau gigante.‛ Jenna sacudiu a cabeça. ‚Vejo que você tem mesmo um novo namorado.‛ Ela parou e virou-se para Ty, que tinha tomado a sua pausa e encostou-se ao final da mesa de sinuca. ‚Não é um namorado. Um encontro.‛ ‚Cara novo?‛ ‚Nenhum de seus negócios.‛ ‚Ele não é seu tipo.‛ Irritação deslizou ao longo de suas terminações nervosas. Ela colocou as mãos nos quadris. ‚Realmente. E por que você acha isso?‛ Ele encolheu os ombros. ‚Não havia química entre vocês.‛ ‚Não h{ muita química entre nós.‛ Ele estendeu a mão e agarrou uma mecha de seu cabelo, deu-lhe um puxão suave. Sua respiração acalmou, e um arrepio estremeceu sua espinha. Tudo o que ela não sentiu entre ela e Joe chiou entre ela e Ty. ‚Entre você e eu? Sim. Não h{ química.‛

46


Ela ergueu o olhar para o seu. Ele estava certo. Uma explosão bombardeou seus sentidos. Seus seios formigavam, os lábios entreabriram. Ela estava úmida e isso era tudo, mas deu-lhe um roteiro invisível para a terra prometida. O que quer que haja entre eles era combustível, e muito perigoso. Mas ele não estava em sua lista de homens aceitáveis para um encontro. Ou para fazer qualquer coisa no que diz respeito a esse assunto. ‚Não h{ nada entre você e eu‛, disse ela. ‚Não h{?‛ Ela gostava de Joe. Ela ia sair com Joe. ‚Tenho um encontro na sexta-feira.‛ Ele deixou o cabelo fluir entre os dedos e deu um passo para trás, mas ainda à sombra de um sorriso permaneceu em seus lábios. ‚Tenha um bom tempo.‛ ‚Eu vou.‛ Ela girou e se afastou, pensando que teve uma sensação de triunfo. Tudo o que ela sentia era vazio.

UM ENCONTRO? ELA ESTAVA SAINDO COM AQUELE PERDEDOR? Por quê? Ty ficou para trás e viu Eddie fazer sua jogada, mas sua mente não estava no jogo mais. Não que tinha sido cem por cento sobre o jogo desde que avistou Jenna falando com — como ela disse que seu nome era? Joe? Ele deu uma olhada rápida no bar. Ela estava limpando com um pano e rindo com um de seus clientes. Gostava do riso. Era profundo e grosso, o tipo de som que tremia em cada uma das suas terminações nervosas. Queria fazê-la rir assim. Na verdade, queria ela nua e rindo.

47


Inferno, ele só queria ela nua. Queria mais do que isso. Ele só não sabia por quê. Não estava procurando por um relacionamento, então por que diabos se importava com quem Jenna saia? Só que Joe não era homem para ela. Poderia dizer imediatamente que era o tipo errado de jogo, mas se ela queria sair com o cara, não era como se tivesse qualquer queixa sobre ela. Eles não tinham nem mesmo saido. Se ela continuasse saindo com os homens errados, Ty nunca teria uma chance. Não que planejava desistir. Ele tinha acabado de deixá-la jogar seus jogos com perdedores como Joe, e quando chegasse o momento adequado, investiria dentro. Sentindo-se melhor, pegou o taco de sinuca, pronto para assumir sua tacada.

48


Capítulo Seis DOIS DIAS DEPOIS, JENNA ESTAVA EM FRENTE AO ESPELHO, inspecionando até os joelhos, seu vestido de mangas compridas preto e sapatos pretos peep-toe7. Ela escolheu brincos de prata e uma corrente de prata longa para complementar o vestuário. Simples, mas sexy. Joe disse-lhe para escolher um restaurante — um sofisticado para que pudesse ter uma refeição agradável, uma vez que ela ia ser seu guia. Ele disse que tinha ouvido falar que a comida italiana era boa nesta cidade. Tinha ouvido direito. Ela escolheu Tony na Market Street, embora a melhor comida italiana estava no Hill, em sua opinião. Suas reservas eram às oito horas. Era quase sete horas. Joe disse que iria buscá-la as sete e tomariam cocktails no bar antes do jantar. Passou o dia ajeitando a casa, ou pelo menos a sala de estar e cozinha, que tinha estado uma zona de guerra. Ela tinha aspirado e tirado o pó, arrumou a desordem de modo que não parecia que uma louca ou um acumulador morava lá. Seu estômago agitou. Ela estava nervosa. O quão louco era isso? Relaxe, Jenna. Ela realmente tinha que começar a sair mais.

7

Sapato de salto alto com abertura na frente.

49


A campainha tocou e correu para fora do quarto, parando no espelho para uma última olhada rápida para garantir que não tinha batom nos dentes. Tudo em ordem ajeitou os cabelos e foi até a porta, respirando rápido e calmante antes de abrir. Joe estava lá com flores na mão. Bom gesto. ‚Oi. Entre.‛ Ele sorriu para ela e entregou as flores. Rosas. Totalmente... não original. Mas ainda assim, doce. ‚Estas são para você. Obrigado mais uma vez por se oferecer para me mostrar ao redor.‛ ‚De nada. E obrigada pelas flores. Deixe-me colocar isso na {gua.‛ Ele tirou o casaco. Usava calças escuras, uma camisa branca, sem gravata, mas uma jaqueta. Tipo relaxado, mas ainda vistoso. Ele parecia incrível. Era um cara de boa aparência. Um cara muito bonito. Então, por que não estava formigando? Provavelmente porque estava morrendo de fome. Ela teve um dia agitado, correu para o bar para ver algumas coisas, fazer alguma contabilidade, certificar-se que tudo estava pronto para esta noite com o seu gerente assistente antes de correr para casa para limpar a casa e prepare-se para seu encontro. E ela podia ter esquecido de almoçar. Então, estava estressada. E realmente com fome. Colocou as flores em um vaso de água, em seguida saiu. Joe estava em sua sala, olhando ao redor. Graças a Deus limpou a bagunça, vagou para ele. Ele estava examinando a arte na parede. ‚Isso é bom.‛

50


‚Obrigado. É uma das minhas peças favoritas.‛ ‚Original?‛ ‚Você poderia dizer isso. Vamos?‛ ‚Claro.‛ Ele pegou o casaco e ajudou-a a colocar. O centro da cidade não demorou muito. Eles tinham uma camada de neve no início do dia, por isso estava frio. Felizmente ele usou o estacionamento com manobrista disponível do restaurante desde que, ela não precisa se preocupar com as manobras na neve de seus calcanhares. Eles correram para dentro, onde era quente e aconchegante. Ele a levou até o bar e pediram drinks. Por uma vez era bom estar do outro lado do bar, recebendo ao invés de servir. Ela bebeu um Martini e tentou ter uma noite de diversão. Era hora de relaxar e desfrutar de seu lindo encontro, que teve suas calcinhas derretendo com aqueles olhos castanhos. ‚Então me diga o que h{ para fazer em sua bela cidade.‛ ‚Tudo. Há arte, música e teatro, se você gosta dessas coisas. Há também esporte como deve ter notado a partir do Riley. Temos um time de futebol e beisebol, bem como um time de hóquei.‛ ‚Não gosto muito de esportes, mas podia ir aos museus de arte.‛ Nada de esportes e tinha boa aparência? Ela devia estar desmaiando por agora. ‚Você gosta de música?‛ Ele encolheu os ombros. ‚Não tenho muito tempo para ouvir música, então não sou um grande fã.‛ Seu coração desintegrou. Ainda assim, decidiu manter a mente aberta. ‚Então o que você faz para se divertir?‛

51


Ele riu. ‚Estive na escola de medicina nos últimos doze anos. Não tive nenhuma diversão. Quando não estão trabalhando ou estudando, eu dormia.‛ ‚Você est{ certo. Você não teve nenhum divertimento. Qual é a sua especialidade?‛ ‚Cardiologia.‛ ‚Grande responsabilidade.‛ ‚Sim, mas estou entusiasmado com isso. É tudo que sempre quis fazer. Ser um médico tem sido meu sonho desde que era uma criança.‛ ‚Uma coisa dinastia da família?‛ Ele riu. ‚Nem um pouco. Meu pai trabalhou na construção por toda a sua vida. Minha mãe trabalhou como secret{ria.‛ Ele era tão interessante, tão culto, tão inteligente. Ele era dedicado, motivado, amigável, e definitivamente não de todo ruim para olhar. Eles se mudaram para o restaurante para jantar, e a cativou com sua conversa, fazia rir com suas histórias sobre a escola médica e os horrores da vida como um estagiário. Ele não apenas falava de si mesmo, embora, mas a envolvia e perguntava sobre a sua família e seus objetivos e sonhos para o seu próprio futuro. Ele era quase o homem perfeito. Depois do jantar, o levou ao redor e disse a ele sobre seus lugares favoritos. Parecia fascinado com a história da cidade, então disse a ela que no que estava interessado em fazer. ‚Você vai morar aqui?‛ ‚Vou estar aqui por alguns anos. Não sei onde eu quero chegar.‛ ‚Provavelmente em algum lugar perto de sua família, você não acha?‛ Ele parou em frente de seu apartamento, desligou o motor. ‚Sou um menino grande. Não preciso viver tão perto de casa mais.‛

52


Ela riu. ‚Acho que para mim a família é tão importante. Não consigo imaginar estar longe deles.‛ ‚Isso é o que torna as pessoas tão diferentes, Jenna. Eu gosto da liberdade de viver minha própria vida. Você gosta de estar perto de quem você ama.‛ ‚Acho que você est{ certo.‛ Em seguida, a conversa acabou, e ele se inclinou. Ela esperou a onda de calor, a explosão de sensações. Seus lábios roçaram os dela e ele envolveu-a nos braços. Ela foi voluntariamente para o beijo, enroscou os dedos em seus cabelos. Sua língua varreu a dela. Foi... agradável. Maldição. Foi bom. Agradável. Sem fogos de artifício. Nada em seu corpo ia como um foguete. Esse cara era lindo, bem sucedido, engraçado, e ela tinha acabado de ter uma grande noite com ele. E não havia um único hormônio em seu corpo que quisesse pular seus ossos. Como decepcionante. Ele quebrou o beijo e sorriu para ela. ‚Quem é o cara?‛ Ela piscou. ‚O quê?‛ ‚Quem é o cara que você estava pensando enquanto me beijava?‛ ‚Não h{ outro cara.‛ Deu-lhe um olhar que lhe disse que não estava comprando. ‚Eu sou um médico, Jenna. Eu não posso saber tudo, mas o que eu sei é biologia e química básica. Você e eu nos dávamos grande.‛

53


‚Nós fizemos.‛ ‚Mas quando te beijei agora, você não sentiu.‛ Ela olhou para suas mãos. ‚Sinto muito.‛ Ele levantou o queixo com os dedos. ‚Não se desculpe por algo que você simplesmente não sente. Está lá ou não, e você não pode fabricar a química. Tive um grande momento nesta noite. Obrigado por me mostrar ao redor.‛ Ele abriu a porta do carro e deu a volta para abrir a dela, em seguida, levou-a até a porta da frente. Ela se virou para ele. ‚Eu realmente gostaria que tivesse sentido algo, Joe.‛ ‚Eu também.‛ Ele beijou sua bochecha. ‚Eu vou te ver no bar.‛ Ela o viu se afastar e sabia que Joe nunca iria pisar no Riley novamente. Ainda pior, ela ainda não tinha um maldito acompanhante para o casamento. Ela se virou e entrou.

54


Capítulo Sete A CERIMÔNIA DE CASAMENTO FOI BONITA. A igreja estava decorada com lírios brancos e rosas rubis e variada vegetação que Jenna não conhecia. Estava lindo. Vendo Tara caminhar pelo corredor acarpetado de branco no seu vestido tinha feito sua respiração pausar. Ela estava deslumbrante. Mick tinha lágrimas em seus olhos. Seu grande irmão resistente-como-prego havia derramado uma lágrima. Seu irmão Mick era um homem casado agora. Jenna ainda acgava difícil de acreditar. Seu irmão mais velho, que tinha a provocado e olhado por ela quando eram crianças, tinha encontrado a mulher dos seus sonhos e se casou com ela. E tinha um filho adolescente que ia adotar oficialmente. Nathan estava indo para se tornar um Riley. Às vezes, o mundo mudava em um ritmo tão rápido que fazia sua cabeça girar. Jenna tinha ficado no altar e ouviu o padre realizar a cerimônia, realmente ouviu as palavras quando Padre Abrams disse-lhes sobre o amor e a fé ao descobrir a pessoa que você deveria estar. Enquanto ela observava seu irmão e Tara se olharem, sabia do fato que duas pessoas não poderiam se amar mais. Surpreendentemente, ela chorou. Nunca pensou que isso iria acontecer. Durona e sabia era o seu forte. Mas ela estava no altar com lágrimas escorrendo pelo seu rosto enquanto Mick e Tara recitavam seus votos. Ela teria que trabalhar mais em sua fortaleza sentimental antes do casamento de Gavin e Liz.

55


Após a cerimônia da festa de casamento foram atrás da igreja para tirar fotos em várias poses. Jenna teve que admitir que tinha sido divertido. Às vezes, a família podia ser esmagadora. Hoje, ela não poderia conseguir o suficiente deles. Quando houve um momento livre entre os disparos do fotógrafo, ela abraçou o irmão. ‚Estou tão feliz por você.‛ Mick sorriu e colocou o braço em torno dela. ‚Obrigado. Sou um cara de sorte.‛ ‚É. Cuide bem dela. Ela é especial.‛ Ele apertou o braço de Jenna. ‚Eu sei.‛ O dia acabou glorioso. Frio, mas brilhante e ensolarado. Um dia perfeito, sem um pingo de chuva ou de nuvens no céu. A noiva e o noivo estavam felizes, os pais de Jenna estavam radiantes de alegria, e isso era tudo o que ela poderia pedir. E os vestidos das damas de honra estavam lindos — obrigado, Tara e Jenna iria sobreviver o dia. Ela tinha desistido de encontrar um acompanhante para o casamento depois desse episódio desastroso com Joe. Pobre rapaz. Ela se sentiu mal por isso. Não haveira mais encontros para ela. Não até que encontrasse alguém que mexesse com seus nervos. Correção. Alguém que não praticasse esportes e mexesse com seus nervos. Isso podia ser uma tarefa difícil, mas sabia que ele estava lá fora em algum lugar. E agora simplesmente não se importava. Tinha o suficiente para lidar hoje, e um homem não estava sequer em seu radar. Certo, tinha um homem. Tyler.

56


Ela o viu sentado em um dos bancos na igreja quando caminhava pelo corredor, não poderia deixar de avistar o cabelo escuro quando ele se levantou e olhou para ela, seu olhar fascinado para o dela. Borboletas. Borboletas gigantes em seu estômago voaram quando olhou para ele. Ela rapidamente desviou o olhar, concentrando-se sobre o altar em seu lugar. Hoje era sobre Mick e Tara, não sobre seus sentimentos conflitantes sobre Tyler Anderson. O casamento havia sido tranquilo e bonito e tinha saído sem problemas, aliviando de última hora o nervosismo de Tara. Agora, se ela podia ter alguma comida e bebida, neste dia seria perfeito. Eles se amontoaram nas limusines e fizeram seu caminho para o salão de recepção. Os convidados já estavam ali reunidos, por isso a festa de casamento começou com a chegada da noiva e do noivo sobre aplausos. Sr. e Sra. Michael Riley. Jenna ainda não podia se acostumar com isso, mas já amava Tara como uma irmã, e o filho de Tara, Nathan como um sobrinho de sangue. Não importava que Mick não fosse o verdadeiro pai de Nathan. Ele era da família, um Riley e sempre será, a partir de agora até para sempre. Nathan estava tão bonito em seu smoking. Quase dezessete anos, ele ia arrassar os corações de todas as mulheres. Ele definitivamente se encaixa com todos os homens Riley. Ambos os seus irmãos eram lindos como era seu pai. Jenna não podia deixar de sorrir. Ela ia ter que pedir um monte de fotos do fotógrafo. Enquanto a noiva e o noivo faziam sua primeira dança, as lágrimas começaram a cair novamente. Bom Senhor, ela era uma cascata hoje ou o quê? ‚Vejo que você est{ cheia de l{grimas, hoje, também.‛

57


Sua mãe envolveu o braço em torno dela. Jenna inclinou-se contra ela e riu. ‚Não consigo parar. Eles são tão felizes, mãe.‛ ‚Eu sei. E merecem. Nunca vi duas pessoas se amar tanto.‛ Jenna poderia apenas acenar com a cabeça enquanto Mick liderava Tara em torno do assoalho. Tara estava deslumbrante em seu vestido de baile creme e rosa pálido sem alças, uma verdadeira visão com seu cabelo loiro puxado para cima, o diamante caindo dos ouvidos e na garganta, um presente de casamento de Mick. ‚Ela se parece com a Cinderela.‛ Sua mãe riu. ‚Ela est{ impressionante. E você também.‛ ‚Obrigada mãe. Mas não h{ comparação. Este é o dia de Tara.‛ ‚Você está linda, Jenna. O vermelho rubi dos vestidos que Tara escolheu aumentam o brilho do azul em seus olhos e fazem seu cabelo se destarem. E o mesmo que fazem para Maggie e Elizabeth estou lhe dizendo, ela escolheu o melhor vestido para todas vocês.‛ ‚Ela fez.‛ Era a vez da festa de casamento para dançar, Gavin dançou com Maggie, padrinho e dama de honra, Liz dançou com o primo de Mick, Cole, e Jenna começou a dançar com Nathan. ‚Você parece que cresceu.‛ Nathan sorriu. ‚Eu meio que me sinto assim. E |s vezes ainda me sinto como uma criança.‛ Ela riu. ‚Aproveite os momentos de sensação-como-uma-criança. Irão embora antes que você perceba.‛ ‚Eu sei. Irei para a faculdade em breve. Apenas um ano mais de escola, depois disso.‛ ‚Não tenho certeza que vamos deixá-lo partir de nós ainda.‛ ‚Não tenho certeza que vou estar pronto para ir.‛

58


‚Oh, confia em mim. Você estará pronto. Demasiados de Riley pode ser sufocante. Você vai ter as malas e esgueirando-se pela porta, no escuro da noite, então não podemos amarrá-lo para nós.‛ Ele apertou a mão dela. ‚Eu gosto de ter todos vocês como família, Jenna.‛ ‚Nós todos gostamos de você, também, Nathan. Um montão.‛ Ele virou a que eles estavam enfrentando Mick e Tara. ‚Minha mãe e meu pai parecem felizes.‛ ‚Eles são. E serão. Para sempre.‛ Ela sentiu-o a relaxar. A noite fluia sem problemas. Ela comeu, finalmente, de modo que estava contente. Todo mundo dançou, e andava cumprimentando os convidados. ‚Ol{, linda.‛ Ela foi levantada e virada. Quando foi colocada para baixo, se virou com um olhar. Ela revirou os olhos quando viu o sorriso maroto de seu primo. ‚Cole. Você não sabe que é falta de educação incomodar uma senhora?‛ ‚Primeiro, você não é uma dama, você é minha prima. E segundo, irritar uma mulher é o melhor que eu faço.‛ Seu primo Cole foi e sempre tinha sido uma grande dor na bunda dela, perdendo apenas para os irmãos nesse departamento. Um atleta como Mick e Gavin, Cole jogava na NFL e era um dos melhores receptores atualmente jogando para Green Bay. E tinha o ego gigante para ir com seu talento gigantesco. Mas ela amava Cole quase tanto quanto amava seus irmãos, apesar de todos os anos ele passava atormentando quando era criança. Seu tio e seu pai deviam ter sido um inferno de uma dupla quando eram crianças, porque com certeza passaram para seus filhos.

59


‚Você não deveria estar fora paquerando as mulheres?‛ ‚Prometi nesta noite o meu melhor comportamento. Prometi | minha mãe e tia Kathleen.‛ ‚E quando você j{ manteve uma promessa?‛ ‚Nunca. Mas desde que ambas estão aqui com seus olhos de águia, não tenho muita escolha.‛ ‚Você não é apenas um escoteiro?‛ ‚Sim, até meia-noite quando eu abandonar este baile e cair de cabeça para um clube. Tenho algumas garotas esperando por mim.‛ ‚E a mídia vai estar atrás de você, esperando por você para entrar em uma briga ou algum novo escândalo que vai fazer manchetes. O novo Bad Boy do futebol.‛ Cole deu de ombros e sorriu, as covinhas nas bochechas fazendo nada para diminuir seu visual robusto. Não admirava que a mídia o amava. ‚Ei, não é minha culpa que sou fotogênico.‛ ‚Sim, sua foto é encantador. Tenho certeza que o tio Jack e a tia Cara estão emocionados com isso.‛ ‚Isso é besteira. Tenho grandes advogados, e fui expulso do tribunal.‛ Ela balançou a cabeça. ‚Vale a pena ganhar dinheiro, acho, mas você est{ nos trinta agora, festeiro. Não é hora de crescer?‛ Ele riu. ‚Apenas me chame de Peter Pan. Nunca vai ser a hora de crescer.‛ Ela acenou-lhe com um aceno de cabeça. Cole era um grande problema, mas era um grande jogador de futebol, e gostava de sua vida social. Talvez um pouco demais. Ela pegou um copo de champanhe e estava assistindo Gavin e Liz e Mick e Tara dançando quando sentiu uma presença calorosa atrás dela. ‚Você não est{ dançando.‛

60


Tyler. Ela conseguiu evitar por duas horas. Ela se virou para ele. Ah, ele nunca pareceu tão agradável. Vestido com um terno preto e gravata que combinava com ele como se tivesse sido feita sob medida, seu cabelo escuro caindo sobre o colarinho, fazendo com que ela quisesse peneirar os dedos por ele para ver se era tão suave como parecia. ‚Não, não danço.‛ ‚Quem era o cara que estava conversando? Seu acompanhante?‛ Ela franziu a testa, então percebeu que ele estava se referindo a Cole. Ela riu. ‚Não, esse era Cole Riley, meu primo. Você pode reconhecê-lo da equipe de Green Bay. Ele joga com receptor.‛ Tyler acenou com a cabeça. ‚Pensei que ele parecia familiar. Vocês Riley são uma raça de jogadores de esportes, não é?‛ ‚Você não tem ideia.‛ ‚Então, onde est{ seu acompanhante?‛ Recusando-se a morder a isca, ela disse, ‚Não trouxe um esta noite.‛ Ele levantou uma sobrancelha. ‚Oh, você tem mais de um?‛ Ela não respondeu. ‚Que tal uma dança?‛ Perguntou ele. ‚Onde est{ a sua?‛ ‚Não trouxe esta noite.‛ Seus lábios curvaram. A música era quente e ela queria dançar. Tinha bebido um pouco de champanhe, e se sentia bem. Tão bem, na verdade, que vibrou todo o caminho até aos dedos dos pés. Hoje era tudo sobre magia e romance. Não que houvesse qualquer romance entre ela e

61


Ty. Mas havia química e ele era o cara mais gostoso aqui, então poderia muito bem dançar com o diabo que ela conhecia. ‚Claro. Vamos fazê-lo.‛ Ty não esperava que Jenna falasse sim. Achava que o cara que ela estava falando era seu acompanhante. Ficou aliviado ao descobrir que era seu primo Cole. Quando descobriu que ela não tinha trazido um acompanhante hoje à noite, colocou seu plano de jogo, a fim de levá-la a pista de dança, ou a conseguindo sozinha. De uma forma ou de outra, ele estava determinado a tê-la em seus braços esta noite, imaginando que teria que fazer algumas manobras de fantasia. Para que ele seria tão fácil? Inferno sim. Ele pegou a mão dela e levou-a para pista lotada, então a viu se mexer em alguma música de dança seriamente quente. Jenna olhava esta noite tão bonita em um vestido vermelho que agarrava em cada curva do seu corpo — corpo que ela sabia como mover. Queria colocar as mãos sobre ela, para sentir o seu movimento sem a roupa. Ela balançava os quadris e articulava em torno, e seu pau estremeceu quando ela balançou a bunda. Entrou na música, levantou as mãos no ar, ondulou o corpo no ritmo da batida. Ele avançou até mais perto dela, colando seu corpo contra o dela, passou o braço em volta da cintura, e foi no ritmo com ela para a música, esperando que ela o empurasse. Em vez disso, ela colocou o braço em volta dele e deixou a cabeça cair contra o peito. Ele inalou o cheiro dela e tentou acompanhá-la desde que não era um grande dançarino, mas inferno, ele estava feliz em deixá-la assumir a liderança já que ela obviamente sabia o que estava fazendo. Quando ela se virou, pendurou seu braço em volta do pescoço e pressionou seu corpo contra o dele, balançando os quadris contra ele. Ela tinha que perceber que ele estava ficando duro. Mas se aproximou mais contra ele.

62


Para torturá-lo, sem dúvida, para vingar que ele aparecia no bar dando em cima dela o tempo todo. Mas o seu olhar encontrou o seu, seus claros olhos azuis não estavam cheios de raiva. E quando a música caiu para algo sexy, ela não empurrou e foi embora, então ele pegou a mão dela na sua, deslizou o braço em torno dela para trás, e puxou-a para perto. Provavelmente devia dizer algo a ela, mas não queria quebrar o feitiço. Se falasse, ela podia realmente se lembrar com quem estava dançando, por isso ficou calado, respirando o aroma de baunilha que parecia ser sempre parte dela. Ele acariciou a mão na parte superior das costas. Sua pele era macia. Ela inclinou a cabeça para tr{s e olhou para ele. ‚Você est{ quieto.‛ ‚Estava com medo, se eu disse alguma coisa você iria embora.‛ Ela arqueou uma sobrancelha. ‚Por que faria isso?‛ ‚Você não gosta de mim.‛ Seus l{bios curvaram em um sorriso. ‚Nunca disse que não gostava de você.‛ Ele arqueou uma sobrancelha. ‚Certo, eu poderia ter dado essa impressão. Mas a música é agradável, e você se sente bem.‛ ‚Você se sente muito bem, também. Se importa se ficarmos na pista de dança a noite toda?‛ Ela riu e deitou a cabeça sobre o peito. ‚Tudo bem por mim, mas estes sapatos tem que ir. Estão matando meus pés.‛ Ele parou. ‚Tire-os.‛ Ela assentiu com a cabeça. ‚Boa ideia.‛ Ela deslizou seus sapatos um por um, e entregoulhe. Ele os segurou pelas tiras, decidindo que qualquer mulher que usasse salto alto tinha que ter algum tipo de desejo de morte.

63


‚Como as mulheres andam nestas coisas?‛ ‚Está na nossa genética. É por isso que as mulheres são as espécies principais. Damos nascimento e podemos andar de salto.‛ Ele riu. ‚Não admira que seus pés doam.‛ Ela escorregou em seus braços novamente e continuaram a dançar. O DJ era bom o suficiente para tocar outra música lenta. Ele tinha que lembrar de agradecer esse cara. ‚O casamento foi bom.‛ Ela sorriu. ‚Foi. Meu irmão e Tara estão felizes. Eles passaram pelo inferno para chegar até aqui, então merecem.‛ Ele não acreditava muito em felizes para sempre, mas para algumas pessoas, deveria funcionar. Ele realmente esperava que trabalhasse sempre para Mick e Tara, especialmente porque havia uma criança já envolvida. Tyler sabia melhor do que ninguém que poderia acontecer a um adolescente quando o que você pensava que era uma família feliz dissolvia na frente de você. ‚Sim, eu espero que dure para eles.‛ ‚Vai. Eles j{ passaram por todo o material bruto. O resto sempre ser{ f{cil.‛ Ele manteve seus pensamentos para si mesmo. Não havia sentido em sua bolha estourar. Ela provavelmente acreditava em cavaleiros de armadura brilhante, resgatando princesas e finais de contos de fadas. E ser suficiente para resolver qualquer problema. Tudo um bando de besteira. Ele não compraria qualquer uma delas. Agora era o que contava, e pegar o que você poderia ao mesmo tempo em que tinha. Porque nada durava. Incluindo a música, e segurar Jenna em seus braços. O DJ colocou algo rápido depois disso. ‚Obrigado pela dança‛, disse Jenna. ‚Estou pronta para tomar uma bebida.‛

64


‚Eu também.‛ Em vez de fugir, ela tomou sua mão. ‚Conheço um atalho para o bar.‛ Ela não pediu para seus sapatos, então ele segurou e a deixou levá-lo ao bar. Ele encontrou dois lugares e pediu duas bebidas. Ele pediu soda, enquanto Jenna pedia outra taça de champanhe. Ela cruzou as pernas e a fenda ao longo do lado de seu vestido se separaram, revelando um surpreendente comprimento da coxa. Acostumado a vê-la de jeans e camiseta, Tyler parecia surpreso, em seguida, encostou-se ao bar para tomar uma bebida. ‚Sem champanhe para você?‛ Perguntou ela. ‚Não é meu tipo de bebida.‛ Ela sorriu. ‚O quê?‛ ‚Nada. Acabei de me lembrar algo que eu disse para as meninas uma noite sobre garotos e suas escolhas de bebidas.‛ ‚Sim? O que é isso?‛ Ela balançou a cabeça. ‚Não é possível dizer-lhe. Segredo comercial de Bartender.‛ Ele poderia imaginar. ‚Aposto que você pode dizer tudo sobre um cara do que ele bebe.‛ Ela franziu o cenho e colocou o copo sobre o balcão. ‚Você acha?‛ ‚Bartenders tem uma visão aguçada. Então o que você diria sobre mim?‛ ‚Você gosta de uísque, puro. Embora às vezes beba cerveja. Isso significa que você é independente, não é fácil de definir. Você gosta da sua liberdade, mas não é pretensioso. Não champanhe caro para você. Você não gosta de se mostrar, mas é exigente, não, espere. Essa não é a palavra certa. Particular. Assim é melhor. Você é especial. Você não vai pegar apenas uma garota qualquer. Ela tem que ser a garota certa.‛

65


‚Você sabe tudo apenas a partir das bebidas que eu peço?‛ Ela tomou um gole de champanhe. ‚Sim. E você também não pega as mulheres no meu bar.‛ ‚Talvez porque estou esperando por você.‛ Ela inclinou a cabeça para tr{s e riu, aquele som que adorava ouvir. ‚Você é tão cheio de merda, Ty. Eu gosto disso sobre você.‛ Ele gostava de ouvir sua conversa. Ela tinha uma mente afiada, e vendo as engrenagens do trabalho que o levou tão difícil como vê-la jogada na pista de dança. ‚Você acha que me conhece, não é?‛ ‚Na verdade, não acho que sei tudo de você. As maiorias dos homens são fáceis de ler. Você não descobriu ainda.‛ Ele tomou um gole de soda. ‚Estou contente. Odiaria ser previsível.‛ ‚Você é tudo, menos previsível. Você me irrita. Você gosta de mim, e obviamente você me quer, e não faz nenhum segredo disso. Gosto disso, porque não me importo muito para os jogos. Por outro lado, não quero você gostando de mim. Quero que você vá embora e me deixe em paz para que eu possa parar de pensar em você.‛ Ele sorriu. Ela estava apenas um pouco bêbada, o que significava que estava relaxada suficiente para derramar mais de seus pensamentos mais íntimos do que estava ciente. O que significava que esta era sua oportunidade de levar as coisas um passo adiante com ela, se ele jogasse o jogo direito. ‚Eu não consigo parar de pensar em você, também, Jenna.‛ Ela inclinou os cotovelos contra o bar. ‚Sério?‛ ‚Sim.‛ ‚O que você pensa quando pensa em mim?‛

66


Isto era um teste. Ela o estava colocando no local para ver se ele estava apenas de conversa fiada com ela. Na verdade, ele não estava. ‚Penso em sua boca.‛ Ele traçou o l{bio inferior com o polegar. ‚Gosto do que vem de fora, quando você fala para mim. É atrevida e inteligente. E com certeza gosto de beijá-la. É macia e molhada e você cede debaixo de mim como quer.‛ Seu peito subia e descia. ‚Eu gosto do jeito que você fala. Confiante, mas é um pouco mais de uma espertalhona. Gosto disso sobre você, também. Isso significa que não é uma tarefa simples. Não quero uma mulher que eu possa andar por toda parte. Quero uma mulher que possa se defender.‛ Ela lambeu o lábio inferior. Maldição o distraiu e ele precisava se concentrar no que queria dizer a ela. ‚Você tem os olhos mais bonitos que já vi. E vê um monte com eles. Você chama as pessoas na sua mentira, e, obviamente, você conhece os homens.‛ ‚Sim? De que maneira?‛ ‚Você sabe o que é verdade e o que é cheio de merda. Você não vai se apaixonar por uma mentira.‛ Ela soltou uma risada suave. ‚Gosto deles.‛ Ele varreu os dedos sobre os brincos em sua orelha esquerda, depois se inclinou para perto. ‚Você est{ perfurada em qualquer outro lugar, Jenna? Passo noites pensando sobre isso.‛ Seus olhos ficaram escuros. Interesse ou desejo? Ele não tinha certeza.

67


‚E suas tatuagens. Aquilo me excita.‛ Ele segurou o pulso dela e acariciou a tatuagem da terra, a lua e as estrelas. ‚Ela me faz querer lev{-la nua e explorar o seu corpo. Então, sim, eu penso muito sobre você, Jenna.‛ ‚Não quero sair com você, Ty. Eu já lhe disse antes, você é o tipo errado de cara para mim.‛ ‚Então, você disse.‛ Ela inalou, deixando fora. ‚O problema é que h{ essa coisa.‛ ‚Uma coisa.‛ ‚Sim. Essa coisa de química, entre mim e você. E isso está interferindo quando eu saio com outros homens.‛ Oh, isso estava ficando bom. ‚Uma coisa de química.‛ ‚Sexo.‛ ‚Sexo.‛ Ele balançou a cabeça. ‚Sim, isso é um problema.‛ Ele roçou o ombro contra o dela. Entendia a coisa química. Só de estar perto dela fez seu pau ter vida. Ela se virou na cadeira para encará-lo. ‚É. O que devemos fazer sobre isso?‛ ‚Não acho que sexo é um problema para mim, Jenna. Você já sabe como me sinto. A questão é: o que você quer fazer sobre isso?‛ Ela deslizou a ponta dos dedos para baixo da lapela do paletó, o olhar que ela lhe deu o queimou de dentro para fora. Sim, química definirivamente. Ele estava surpreendido que não saia faíscas entre eles. Sua respiração acelerou e se ela não tomasse uma decisão logo ele ia ter que fazer uma saída rápida, porque esta mulher o estava deixando louco. ‚Acho que você deveria voltar para casa comigo esta noite e nós podemos falar sobre isso‛, disse ela.

68


‚Pronto, quando você quiser.‛

69


Capítulo Oito JENNA TINHA CONSUMIDO CHAMPANHE SUFICIENTE PARA SABER que estava embriagada, mas não tanto que estava morta bêbada e sem saber o que estava fazendo. Em outras palavras, quando isto tudo acabasse, ela não seria capaz de culpar o álcool. Havia algo no ar hoje à noite. Talvez fosse todo o amor que sentiu entre Mick e Tara, e lembrou de sua existência muito solitária ultimamente. Ela estava cansada de voltar para casa sozinha, e por que? Ela era um adulto, e se queria levar para casa um cara e bater os miolos, ela tinha o direito. Ty não parecia ser a um-apaixonado-após-uma-noite-de-sexo. Não achava que ele queria casar com ela ou ser seu namorado, o que era perfeito. Ele queria chegar em sua calcinha, e ela realmente precisava de uma cara para chegar em sua calcinha. Os dois tiveram uma química abundante, então não tinha ideia de por que ficava empurrando-o. Era apenas nevoeiro suficiente para que todas as razões válidas para que ela não quisesse sair com ele havia fracassado fora com um copo de champanhe. Além disso, eles não estavam saindo. Estavam indo para ter relações sexuais. Desde que seus pais tinham a tinha pegado esta tarde e a levado para o casamento, não estava com seu carro. Ty conduziu ao seu apartamento depois que ela disse suas despedidas. O casamento tinha diminuindo e apenas os festeiros obstinados ficaram. ‚Chaves?‛ Ela ergueu o olhar. Ela e Tyler estavam no degrau da frente de seu condomínio. ‚O quê?‛ ‚Suas chaves.‛

70


‚Oh. Certo.‛ Ela cavou em sua bolsa e pescou suas chaves. Tyler pegou e destrancou a porta, empurrou-a, e esperou ela entrar. Ela acendeu o interruptor de luz. Ele fechou a porta atrás deles. ‚Isso é bom.‛ ‚É mentira. É um desastre.‛ ‚Você est{ certa. Estou chocado. Você mantém o bar sempre limpo e arrumado.‛ Ela se virou para ele, apenas para encontrá-lo sorrindo para ela. E tudo bem, estava envergonhada. Largou a bolsa na mesa do café. ‚Sim, bem, eu tive que sair daqui com pressa hoje, porque meu pai estava irritado, e eu estava atrasada.‛ Ela correu pela sala para pegar suas calças de ioga e meias e tênis. Ele agarrou seu pulso. ‚Estava brincando. Largue essa coisa.‛ Ela ergueu o olhar para o seu. ‚Eu não sou uma boa dona de casa.‛ ‚Não dou a mínima. Se você viesse para minha casa agora encontraria a caixa de ontem à noite da pizza sobre a mesa, cervejas vazias e latas de refrigerante, e sobre o valor de uma semana de roupa jogada ao redor.‛ ‚Sério?‛ ‚Realmente. Eu não me importo como o seu lugar parece. Não é por isso que estou aqui.‛ Ela exalou. ‚Gostaria de algo para beber? Podíamos sentar e conversar.‛ Ele esfregou-lhe o pulso com o polegar. Seu pulso acelerou. ‚É por isso que você me convidou aqui? Você quer ter algumas bebidas e conversar?‛ Ela engoliu em seco, sabendo que não era nada do que queria. Não dele. ‚Não. Eu não quero falar.‛

71


‚Ok, então.‛ Ele olhou para ela. ‚Você está vestida demais para o que tenho em mente para fazer para você.‛ Seu coração batia forte, os seios inchados contra a parte superior de seu vestido. Ela não conseguia respirar. Estava preparada e pronta há meses. Sentiu como se tivesse estado dançando com ele por um longo tempo, e não queria esperar só porque estava em um vestido extravagante. ‚Eu não me importo.‛ Ela colocou o braço em volta do pescoço e puxou sua cabeça para baixo. Quando seus lábios tocaram os dela, um raio de sensação explodiu dentro dela. Isto era o que faltava de seu encontro com Joe. Esta onda de calor, esta reação química que seu corpo tinha ao ser tocado e beijado. Quando Ty colocou sua boca sobre ela, sentiu que todo o caminho até os dedos dos pés, um arrepio de consciência, uma promessa do que ele ia dar a ela. Ty passou o braço em volta da cintura e puxou com força contra seu corpo, e ela pegou fogo. Ela varreu as mãos sobre os braços, sentindo a força de aço. Deslizou as palmas das mãos sobre os ombros e os dedos emaranhados nos cabelos, algo que pensou em fazer por um longo tempo. Era exatamente como ela imaginou grosso e macio, uma delícia sensual para os dedos. E quando ele aprofundou o beijo, sua língua deslizando dentro, explorando dentro dela, ela pegou um punhado de seu cabelo e puxou, seu corpo todo tremer em resposta. Nunca ela tinha sido beijada assim. Oh, tinha sido beijada antes. Duro, macio, e em algum lugar no meio, mas isto era demais. Ty usava mais do que seus lábios no beijo. Suas mãos percorriam todo o seu corpo, pressionando suavemente a parte de baixo das costas com uma mão e na nuca com a outra, enquanto na frente — duro, oh-graças-a-Deus-que-era-um-homem e a empurrou contra a parede.

72


‚Tenho vontade de fazer isso por tanto tempo, desde que te conheço‛, ele sussurrou, sua voz áspera com esforço, enquanto os dedos flexionaram contra seu quadril. Ele se inclinou e beijou seu queixo, pescoço, em seguida, movendo-se a sua orelha esquerda. Ela estremeceu quando sua língua varreu sua orelha, batendo em seus brincos. ‚Eu gosto destes brincos, Jenna. Eles são sexys.‛ ‚Obrigado.‛ Ele varreu a sua língua em sua garganta, depois virou em torno dela e beijou a nuca. Jenna estremeceu, joelhos enfraqueceram quando ela o sentiu puxar o zíper. ‚Preciso de você fora do vestido.‛ Ela não podia concordar mais. Quando ele abriu o zíper, ela começou a se virar, mas as mãos nos quadris a acalmaram. ‚Jesus.‛ ‚O quê?‛ ‚Esta tatuagem em suas costas.‛ ‚O meu dragão.‛ ‚Sim. É incrível. E quando não estiver tão duro a ponto de explodir, vou lambê-lo todo. Mas agora h{ outras partes de você que quero lamber.‛ Ela respirou profundamente e já podia imaginar a sua língua sobre isso, sobre as partes dela que doía e latejava. Ele empurrou o seu vestido, colocou-o sobre as costas do sofá. Quando voltou para ela, ajoelhou-se, desta vez escavando seus tornozelos para varrer as mãos para cima de suas pernas. ‚Suas pernas são tão sexy.‛ Ele apertou um beijo para a parte de tr{s dos joelhos. ‚E suas coxas. Eu não posso esperar para senti-las ao meu redor.‛ Ele beijou-a lá, também, antes de girar em torno dela para enfrentá-la novamente.

73


Vestida apenas de calcinha e salto alto, ela se sentiu nua para ele, ainda totalmente sexy e excitada. Tyler era tão gentil, e não esperava por isso. Era um cara tão grande. Esperava desajeitado, tateando, carinhos desastrosos, poucos minutos de preliminares e depois direto para a ação, não esses movimentos dolorosamente doce que a fez querer desabar no chão. Estava úmida e latejante de desejo e, os mamilos eram pontos apertados de necessidade pedindo o toque de suas mãos e boca. Ele acariciava as pernas de novo, os cabelos sedosos macios de sua cabeça acariciando sua pele. Estava pronta para a penetração, enquanto ele estava tomando uma lenta caminhada para o sul ao longo de seu corpo. Quando chegou para a calcinha, inclinou a cabeça para trás para olhar para ela. O desejo obscuro em seu olhar fez seu pulso correr. Ela não tinha ideia de como ainda estava de pé. Colocou as palmas das mãos contra a parede quando ele arrastou a calcinha para baixo dos quadris, em seguida, deixou-as em suas coxas enquanto admirava seu sexo. ‚Você est{ perfurada aqui.‛ Ele inclinou-se e jogou o anel pequeno ligado a seu clitóris com a língua. Formigamento choques de prazer vibraram através dela. Ele olhou para ela. ‚Você é tão sexy, Jenna.‛ Ele apertou a boca para sua boceta, e ela derreteu. Sua língua era quente, molhada, e quando começou a movê-la contra ela, manteve o equilibrio, porque tinha certeza que iria morrer desde o doce prazer. Espirais quentes de sensação enrolaram dentro dela, e perdeu-se na sensação de suas mãos e flexionar em seus quadris quando ele rodou sua língua tão intimamente em toda a sua carne sensível, sua língua rolando sobre o clitóris para apertar e brincar com o piercing. Ela era tão sensível ali, e tinha sido por algum tempo. Com calcinha descansando em suas coxas, nua, exceto os sapatos e ele ainda usava seu terno, ajoelhando diante dela e adorando-a

74


com a boca, um visual simples que a fez querer gozar. Mas oh, era tão bom que precisava que durasse. Ela amava sua boca, adorava a maneira como brincava com ela com sua língua, então pegou seu clitóris em sua boca e chupou, primeiro leve e fácil, em seguida, mais duro. E a maneira como se movia para baixo e deslizava sua língua dentro da boceta dela, a esfaqueando dentro e fora como se estivesse transando com ela, era extremamente requintado. Ela enroscou os dedos em seus cabelos e arqueou contra ele, alimentando o seu sexo para ele, precisando dele para levá-la e fazê-la voar sobre a borda. Precisava desse orgasmo tão mal. Ty tinha sido o único em suas fantasias por tanto tempo agora. Ninguém mais tinha estado lá por um tempo. E estava indo para exorcizá-lo fora de lá a partir de hoje à noite, uma e outra vez. ‚Sim, Ty. Bem ali. Chupe meu clitóris.‛ Ele tomou o clitóris em sua boca e sua língua enrolou sobre o botão, ao mesmo tempo, deslizando o dedo dentro de sua boceta. Os tremores construíram quando ele começou a bombear, a boceta dela apertando os dedos quando o clímax rolou em direção a ela com uma força que não seria negado. Ela bateu a cabeça contra a parede, quando a primeira onda dura do seu orgasmo atravessou através dela. ‚Oh, Deus, estou chegando.‛ Ela arqueou contra seu rosto, implorando-lhe para continuar quando gozou em uma torrente de gritos selvagens. Ele a agarrou, transando com ela com os dedos e rolando a língua sobre seu sexo até que a última contração diminuiu. Sem fôlego e totalmente incapaz de manter-se ereta, afundou contra ele. Tyler se levantou, colocou seu braço ao redor dela, e segurou-a enquanto ela prendia a respiração. Ele empurrou a calcinha no chão e enfiou dois dedos dentro dela.

75


‚Gosto de sentir você gozando, de sentir o seu corpo respondendo. Poderia fazer você gozar uma e outra vez, Jenna.‛ A promessa escura em suas palavras a mantinha no alto sensual. Ela sabia que mal tinha começado, e estava bem com isso. Estava em uma seca por um longo tempo, e desde que ia só fazer isso uma vez — planejava começar a fazer em abundância com Ty esta noite. ‚Preciso de você nu‛, disse ela, passando as mãos sobre os ombros. ‚Posso consertar isso.‛ Ele recuou e deu de ombros para fora do paletó, em seguida, desfez o nó da gravata e puxou. Ela saiu de seus sapatos. Olhando para ele fez sua libido subir. Seu pelo escuro derramando sobre a gola de sua camisa branca. Ele trabalhou os botões da camisa com pressa, então tirou, revelando um amplo pacote bem desenvolvido no peito com um punhado de cabelo escuro que a fez querer afunilar os dedos em cima dele, especialmente a linha de pelo que desaparecia no cós da calça. Ele tirou os sapatos, soltou o cinto e puxou o zíper para baixo, e sua garganta ficou seca quando ele baixou as calças para o chão, seguido por suas meias e cueca. Nu e duro, ele era tudo o que poderia ter imaginado. Ombros largos, bem musculosos, mas magro em todos os lugares, musculosos abdomên e uma cintura estreita, ele era forte e absolutamente lindo. Ela queria tocá-lo, então provar, e, definitivamente, olhá-lo enquanto deixasse. Mas ele deu um passo adiante e varreu seu braço em torno dela, arrastando-a contra ele e beijando-a com uma paixão que pensou que fosse reservada para os filmes. Sua boca na dela — do jeito que comandou o beijo-lhe roubou o fôlego — fez seus músculos transformar em gelatina. Ele colocou a mão em seu pescoço e a curvou sobre o braço, aprofundando o beijo, varrendo sua língua contra a dela.

76


Era realmente como nos filmes, porque estava certa de que ia desmaiar. Quando ele ajeitou, olhou em seus olhos. ‚Você tem gosto bom.‛ Seu corpo ardia, mas não de constrangimento. Ela adorava sexo. Nada sobre isso a envergonhava. Ela sorriu para ele. ‚Se você me deixar te provar, poderia dar-lhe um relatório, também.‛ Ele riu. ‚Sim, nós vamos chegar a isso com certeza, mas h{ tanta coisa sobre o seu corpo que não provei ainda.‛ Ele passou a mão sobre os seios. ‚Como estes.‛ Seus seios eram pequenos e muitas vezes ignorados pelos homens. Ela gostou que percebesse. Tyler olhou para seus seios como se fosse um banquete. ‚Não os perfurou como no seu clitóris.‛ ‚Ainda não.‛ Ela deu-lhe um sorriso. Ele arqueou uma sobrancelha, em seguida, segurou um dos seios com a mão, passando o polegar sobre seu mamilo. Seus seios podiam ser pequenos, mas eram oh tão sensível, e ela engasgou. ‚Sim, é isso o que pensei‛, ele sussurrou, então se inclinou e tomou-lhe o mamilo na boca. Ela não tinha ideia do que pensava, porque assim que colocou sua boca sobre eles, sua mente focou apenas no que ele estava fazendo. Tiro de sensação de seu mamilo fluiu direto para o sul. Seu clitóris vibrou e seu sexo disparou a vida novamente. Ele sugou o mamilo na boca, lambendo em volta da flor e sacudindo-o com sua língua, enquanto brincava com o outro com a mão e dedos, puxando e puxando-a até que ela gritou de prazer. Então ele pegou o outro na boca, alternando entre os seios, esbanjando atenção sobre eles, até que ela teve que segurar o braço para apoiar, porque estava morrendo de pura alegria disso.

77


O sexo dela doía com necessidade para ele. Estendeu a mão para seu pau e acariciou, amando a sensação do seu calor pulsante em sua mão. Ele gemia e tomou sua boca em um beijo escaldante que a fez sentir fraca. Quando ele entrou em seus braços, ela estava grata, porque não tinha certeza se podia se equilibrar mais. Ele moveu-os para o quarto e deitou em cima de sua cama, em seguida, arrastou atrás dela, puxando-a em seus braços para rolar ela em cima dele. Ele agarrou a bunda dela e levantou, arqueando-a contra sua ereção. Ela apoiou as mãos no peito e montou nele, levantandose para olhar para baixo sobre ele. ‚Agora que é uma visão‛, disse ele, segurando os seios em suas mãos para brincar com seus mamilos. Ela balançou contra ele e seu olhar bloqueou com o dela. Ele deu uma mordida para os mamilos e ela engasgou. ‚Eu gosto disso. Coloque sua boca sobre eles.‛ Ela levantou-se para colocar um mamilo entre os lábios. Ele achatou contra a língua e o céu da boca, dando-lhe apenas a quantidade certa de pressão, em seguida, aumentou a sensação de chupando duro. Ela pegou um punhado de seus cabelos e empurrou-lhe o mamilo mais profundo em sua boca. ‚Ty, eu realmente gosto disso.‛ Em um instante ele rolou sobre ela em suas costas, passou a mão sob seu arco para sua pélvis contra a dele. Ela deslizou contra o seu pau, seus sucos o revestindo. Ela poderia vir de esfregar contra ele, mas não era isso que queria. ‚Se você não estiver dentro de mim em dois segundos, vou morder você.‛ Ele levantou a cabeça para olhar para ela. ‚Eu posso até gostar disso.‛

78


Ela empurrou contra ele. ‚Sério. Existem preservativos na gaveta l{.‛ Ela fez sinal com a cabeça. Ele arqueou uma sobrancelha. ‚Preparada, não é?‛ ‚Sempre. Agora coloque e me foda.‛ ‚Eu trouxe a minha.‛ ‚Agora, quem est{ preparado?‛ ‚Eu tento estar.‛ Ele desceu da cama e foi para o outro quarto, voltando poucos segundos depois com um pacote de três preservativos. Ela ergueu-se sobre o cotovelo. ‚Três?‛ ‚Sim. Três. Espero que você não esteja pensando em dormir esta noite. ‚ Ele colocou o preservativo e cutucou as coxas afastadas, em seguida, puxou-a contra ele, para beijá-la novamente. Oh, homem, ela realmente gostava do jeito que ele beijava, a forma perfeita dos seus lábios se encaixarem. Havia um rigor de seus beijos que a deixava tonta, e não tinha nada a ver com o champanhe que tomou esta noite. Ele tinha os lábios bonitos que faziam com que ela quisesse permanecer beijando-o por horas. Enquanto a beijava e cutucava as pernas abertas, ela foi de boa vontade, abrindo-lhe para que pudesse deslizar seu pau contra a entrada de sua boceta. Ele penetrou lentamente, deixando-a sentir cada centímetro dele. Ela pulsava quando ele engrossou dentro dela, seu corpo ajustando a ele, tudo sobre ela descobrindo tudo sobre ele. Foi dolorosamente doce, um poderoso afrodisíaco que a fez cerrar em torno de seu pênis.

79


Ela ouviu o som de sua respiração, profundo e pesado como o dela. Ele cheirava tão bem, como o inverno fresco e masculino almiscarado sexy. Seu corpo era como um plano de músculos de rochas duras, mas sua pele era macia. E quando passou as mãos sobre ele, ela sentiu as ocasionais cicatrizes de colisão, talvez? Ela tinha que descobrir tudo aquilo mais tarde, após este ímpeto início emocionante da primeira rodada de sexo. Porque agora tudo o que interessava era o modo como seu corpo se movia contra o dela, do jeito que saia, então deslizava dentro dela novamente. Ele foi fácil com ela no início, e apreciava porque ele tinha ajustado por algum tempo. Mas uma vez que seu corpo ajustou para ele, ela precisava de mais, e o deixou saber, arqueando-se para encontrá-lo, acelerando o ritmo. E estava obviamente feliz em dar-lhe exatamente o que queria, porque puxou parcialmente para fora, em seguida, empurrou, mais desta vez. ‚Sim. Assim mesmo. Mais duro de novo.‛ Ele pegou a mão dela na sua e emaranhou os dedos com os dela, e deu a ela o que pediu, mergulhando dentro dela, em seguida, rangendo os quadris contra os dela até que ela viu estrelas. Gemeu, apertando seu corpo em torno dele, apertando-o, levando-a tão perto, ela teve que lutar para não gozar. ‚Jenna.‛ Ela conhecia seu olhar e levantou contra, em seguida, golpeou, balançando contra ela com um ritmo forte que aprofundou até a raiz, só para puxar para trás e levá-la novamente. E a cada vez, ele balançou contra seu clitóris, consciente de seu prazer, suas necessidades. Este homem era mágico. Ela estendeu a mão e passou os dedos pelos cabelos. Ele passou a mão em sua bunda e abraçou-a. Linhas de tensão apertaram seus nervos quando ele acelerou o ritmo de suas estocadas.

80


Ela sabia que não ia ser capaz de aguentar quando ele começasse a bater contra ela, um após o outro. ‚Tyler. Isso vai me fazer gozar.‛ ‚Então vamos, querida.‛ Ele curvou o joelho, tirou sua perna para cima, e bateu forte, mais e mais rápido contra ela. E então a beijou, sua língua lambendo contra a dela. A sensação rolou e as ondas do orgasmo apressaram sobre ela. Ela gemeu contra os lábios, quando seu clímax bateu duro. Ela cravou as unhas em sua pele, resistindo contra ele quando o mais doce prazer de todos abalou nela. E quando ele gemeu e gozou com uma rajada de golpes, ela segurou nele, amando a sensação de lhe apertar e estremecer ao seu redor. Ele passou os braços em volta dela e segurou-a enquanto ambos respiravam. Uau. Que tinha sido... incrível. Não era como se nunca tivesse tido um ótimo sexo antes, mas tinha sido... Uau. Sim, eles tinham uma química boa. Quando ele se retirou deixou por apenas um segundo, mas voltou e puxou-a em seus braços novamente. Ela tinha uma ideia de que talvez ele gostasse de sair imediatamente. Alguns caras faziam, estavam desconfortáveis com a parte depois do sexo. Ty não, só continuou a acariciar seu corpo, desenhando círculos preguiçosos sobre sua pele com a ponta do seu dedo. Ela não sabia o que fazer agora. Ela não conseguia se lembrar da última vez que tinha um cara na casa dela. Ela era exigente. E ocupada. E talvez preferisse sua própria companhia em apenas trazer para casa caras aleatórios. Ela tinha feito muito isso quando se mudou e obteve o seu próprio lugar aos dezenove. Sua fase rebelde, independente, quando primeiro experimentou a liberdade, sem os pais e irmãos

81


mais velhos olhando por cima do ombro. Que tinha sido divertido, mas tinha crescido rápido. Ela tinha sido jovem, mas mais madura do que a maioria dos homens que trouxe para casa. Os homens eram muitas vezes meninos disfarçados, e ela tinha muito pouca paciência para os jogos que jogavam. Não mudou muito nos oito anos que esteve namorando. Os homens eram quase todos iguais, muitos a seu desapontamento. Então, novamente, ela não saia muito para atender diferentes tipos de caras. Ela estava normalmente presa no bar, e já sabia que esses tipos de homens não eram o tipo dela em tudo. Então, por que estava um desses tipos de homens deitados na cama dela? Porque ele era alto, alto, lindo, e ela queria tocar-lhe o cabelo. Sim, bem, tocou-lhe o cabelo todo. Entre outras coisas. ‚Você est{ quieta em cima de mim, Jenna. Você est{ cansada?‛ Ergueu o olhar para o seu. Ele estava estudando-a. ‚Não cansada. Reflexiva.‛ Ele apoiou a cabeça na mão. ‚Reflexiva sobre o sexo ou reflexiva sobre o casamento?‛ Ela riu. ‚Nenhum dos dois. Ou eu não sei. Talvez um pouco de ambos.‛ Ela esperou o pânico, após o sexo, olhar de veados-em-faróis um monte de homens os tinha. Nada. Ele parecia interessado. ‚Diga-me o que está em sua mente.‛ ‚Estava pensando sobre o casamento de Mick e Tara e o quanto minha vida mudou nos últimos anos.‛ ‚Sim? Como assim?‛ Ela procurou seu rosto. ‚Você realmente quer ouvir isso?‛ Ele desenhou círculos imaginários por cima do ombro e parecia não ter pressa para fugir.

82


‚Eu realmente quero ouvir isso.‛ ‚Eu me mudei da casa dos meus pais quando tinha dezenove. Foi uma experiência tão libertadora para mim, porque antes disso havia os meus pais e Mick e Gavin.‛ Seus l{bios torceram. ‚Um monte de supervisão, hein?‛ Sentou-se e fugiu de volta contra os travesseiros. ‚Como você não iria acreditar. Eu estava tendo aulas da faculdade, então passei o primeiro semestre nos dormitórios. Odiava isso. As meninas eram todas cadelas, em seus mundos sociais e clubes e festas o tempo todo. Não demorou muito tempo para descobrir que a vida universitária não era para mim. A festa estava muito pesada e muito alta e o tempo todo maldito. Eu era um daqueles raros calouros que estava interessado em obter uma educação real. Não conseguia estudar, então mudei de volta para casa. Grande erro.‛ ‚Porque quando você est{ fora, você não pode voltar?‛ Ela riu. ‚Sim. Foi isso exatamente. Eu não poderia viver com regras e as pessoas respirando mais no meu pescoço. Não que eu fosse lá fora, sendo selvagem ou louca ou coisa parecida. Não, então, de qualquer maneira. Eu só precisava do meu próprio espaço. Então, comprei um apartamento e morei sozinha pela primeira vez na minha vida.‛ ‚Isso deve ter sido divertido.‛ ‚Foi.‛ ‚E então você fez festa?‛ Ela riu de novo. ‚Dificil. Nada como aquele gostinho de liberdade sem restrições. Eu fui tão hipócrita quando acabei fazendo a mesma coisa, logo que tive o meu próprio lugar.‛ ‚Sim. Já estive lá. Mas, eventualmente, você tem que crescer e ser responsável.‛ ‚Verdade. E não demorou muito para as minhas notas cairem e para eu perceber que a vida universit{ria não era para mim.‛

83


‚É assim acabou no bar?‛ ‚Mais ou menos. Abandonei a faculdade depois do meu segundo ano, tive um ano de folga para viajar e limpar a minha cabeça.‛ ‚Onde você foi?‛ ‚Fui para o Canadá com alguns amigos, depois para Paris, Alemanha, e depois Londres. Férias mais loucas e divertidas.‛ Ele esfregou-lhe o pulso e, em seguida arrastou seu dedo para cima do braço para onde sua tatuagem tribal de faixas circulava seus bíceps. ‚É de l{ que todas as tatuagens vieram?‛ Ela estremeceu ao seu toque. ‚Aqui e ali.‛ Sentou-se e levou o dedo indicador por cima do ombro, através de seu pescoço e atrás da orelha, tocando os piercings na orelha dela. ‚E o que dizer destas coisas?‛ ‚Foi um capricho.‛ ‚Eu gosto deles. São sexys.‛ Ela gostava dele tocando seu ouvido. Gostava dele tocando-a em qualquer lugar. ‚E as tatuagens? Foram caprichos, também?‛ ‚Todos elas significam algo para mim.‛ Ela estendeu o braço. ‚O sol, a lua e as estrelas me lembrar que não importa onde estou, minha família está sempre olhando para o mesmo sol, a mesma lua, e as mesmas estrelas. Isso me confortou quando parti sozinha e quando viajei por todos esses anos. Apesar de querer a minha liberdade e ter um grande senso de aventura, tinha saudades de casa. Isto foi quando consegui a tatuagem.‛ Ele circulou o braço superior. ‚Este aqui?‛ ‚A faixa tribal no meu braço foi uma experiência de união com os amigos na Inglaterra.‛ ‚Agora me diga sobre o dragão.‛

84


Ela sorriu. ‚Ele é meu protetor. Eu tinha um bom amigo que era tatuador. Conheço-o desde o colegial, e amei sua arte. Ele desenhou para mim e me apaixonei por Edgar naquele momento, sabia que eu teria que tê-lo em mim.‛ Tyler arqueou uma sobrancelha. ‚Edgar?‛ Seus l{bios levantaram. ‚Esse é o nome dele.‛ ‚Você nomeou seu dragão de Edgar?‛ ‚Cale a boca.‛ ‚Role em seu estômago e deixe-me olhar para ele.‛ Ela franziu a testa. ‚Você não vai tirar sarro de mim, não é? Edgar é especial para mim.‛ Ele segurou seu queixo e a beijou. ‚Jenna, eu nunca zombaria de algo que significa muito para você.‛ Seu estômago apertou novamente. Maldito o homem conseguiu chegar até ela. Ela ainda estaria chutando-o para a calçada depois desta noite. Ele não era o homem certo para ela. ‚Agora, vire em seu estômago para que eu possa ver isso. Ele.‛ Ela sorriu. ‚Certo.‛

TYLER ENGOLIU. COM CURTO CABELO DE JENNA, A tatuagem sempre arreliou com ele. Sem poder ficar perto dela, só podia vislumbrar a cor e partes de uma forma aqui e ali, mas nunca soube o que era, só que era verde e envolto parcialmente em torno do pescoço. Era como uma provocação, porque muitas vezes ela usava jóias que escondia a tatuagem, que só o fez querer ver mais. E agora ele podia, agora que a tinha nua...

85


Claro que agora que a tinha nua, poderia pensar de uma centena de outras coisas que queria fazer ao seu corpo, mas ainda queria ver a tatuagem. A cauda enrolava na nuca de seu pescoço, a ponta final ao lado da sua garganta. Crescia um pouco mais grosso abaixo do pescoço e tecia em torno das ondulações de sua coluna vertebral. Quem fez a arte era muito bom, porque parecia que estava se movendo. Ele traçou com os dedos, a cor e o desenho tão realista que esperava sentir as escamas do dragão. Havia até mesmo garras e asas. A maldita coisa era bonita. Claro que deveria ser, uma vez que enfeitou a volta de uma mulher tão linda. Ele passou a mão sobre suas costas, tocando o dragão, mas principalmente amando o sentimento de flexionar seus músculos e relaxar debaixo da sua mão. Fazer amor com ela tinha sido nada menos do que tudo o que tinha imaginado que seria... e muito mais. Jenna amava o sexo, não tinha vergonha de seu corpo, e ele queria fazer sexo com ela uma e outra vez. Era magra e bonita e sensível, e seu pau ficou duro só de pensar em estar dentro dela novamente, saboreando-a, tocando-a assim. Mas sabia que ele ia ter que colocar os freios, porque para Jenna, este era um negócio de uma única vez. Ele queria mais do que uma vez com essa mulher. As garras do dragão cavavam em seu quadril esquerdo. Era quase tridimensional. ‚Esta tatuagem é incrível.‛ ‚Obrigado.‛ ‚Quanto tempo demorou do começo ao fim?‛ ‚Três meses.‛

86


‚Uau. Isso é dedicação, da sua parte e do artista.‛ Ele massageava suas costas, mantendo o seu toque leve e tendo certeza que ele varreu as mãos por todo o caminho até a parte inferior das costas, deixando as pontas dos dedos permanecerem no topo de sua bunda. Apertou um beijo em seu ombro e a virou para encará-lo. Seus seios eram pequenos pêssegos maduros, os mamilos redondos e apertados. Sensíveis como o inferno, realmente gostava. Massageou-os com as mãos, em seguida, rodou sua língua sobre um mamilo, observando-o apertar. Sua respiração ficou presa quando ele arrastou a língua sobre o botão, então apertou os seios juntos para que pudesse rolar a língua sobre um, então o outro, provocando e puxando seus mamilos com os lábios e dentes. Sua cintura era esbelta, seus quadris iguais, e suas pernas eram um nocaute, claramente a sua melhor característica. Ele tocou-lhe em tudo, mantendo a sua massagem leve e fácil, aumentando a sensação para ela minuto a minuto, até que se contorcia sob suas mãos. Suavizando as mãos para baixo nas costelas e na barriga fez sua respiração capturar e seus quadris levantarem. Ela queria mais, e ele queria dar a ela. Poderia jogar com o seu corpo durante toda a noite. E quando alisou a mão por cima de seu sexo, provocando os dedos logo acima do clitóris, os olhos escureceram. ‚Toque-me.‛ Suas palavras sussurradas fizeram seu pau pulsar. Ele deslizou a mão para baixo sobre seu sexo, explorando. Ela estava quente, molhada, e quando levantou contra ele, seus dedos foram revestidos com sua umidade e esfregou-os sobre o clitóris, concentrando seus movimentos ao redor do piercing. Seus lábios se separaram e ela engasgou quando a tocou lá. Ele acariciou e acariciou seu clitóris, em seguida, mergulhou e enfiou os dedos dentro dela enquanto esfregava o

87


centro de seu universo com a palma da sua mão, certificando-se de dar-lhe prazer em ambos os pontos. Ela agarrou seu pulso e bombeou seus dedos dentro dela, depois levantou as pernas, plantando seus pés apoiados na cama para que pudesse levantar seus quadris e dirigir sua boceta contra sua mão. Oh, sim. Ele se inclinou para beijá-la, e ela agarrou seu cabelo, obviamente da profunda paixão agora enquanto ele a comia com os dedos e a levava ao longo da borda. Seus gritos e gemidos desfez, e ele tirou os dedos para fora, capotou sobre ela em seu estômago, e pegou um preservativo. Ele passou o braço em torno de seu meio e ergueu sobre os joelhos dela, subiu entre as pernas, e enfiou dentro dela. A boceta estava apertada, ainda em espasmos de seu orgasmo. Ele fez uma pausa para dar a Jenna um minuto para recuperar o fôlego. Mas não é isso que ela queria, porque empurrou de volta contra ele, enchendo sua boceta com seu pau. Ah, sim, isso era bom. Ele agarrou os quadris e empurrou para frente, enterrando-se profundamente. ‚Sim‛, disse ela, deixando cair a cabeça para baixo e empurrando contra ele novamente. Ela tinha uma bunda doce, e vê-la nesta posição mostrava-lhe tudo. A forma como a sua vagina apoderou-se dele e puxou-o dentro, do jeito que ela rolou contra ele, quando empurrou para frente, dando-lhe tudo o que tinha, e a forma como ela se levantou e jogou a cabeça para trás quando golpeou contra ela. Ela agarrou os travesseiros na mão e segurou quando ele enfiou o bastante, até suas bolas golpeando contra ela, um bom brilho de suor umedecendo sua pele.

88


Sim, foi quente aqui, um fogo ardente acendeu dentro dele enquanto suas bolas apertavam com cada golpe. Ele se inclinou para frente para que pudesse tocá-la, provocá-la clitóris enquanto ele a fodia. ‚Isso vai me fazer gozar‛, ela disse, sua voz firme com a estirpe. ‚Foda-me mais duro.‛ Ele fez, pressionando seus quadris contra ela e esfregando seu clitóris. Sua boceta contraiando em torno do pênis e sabia que ia gozar, mas queria que ela viesse primeiro. ‚Ty.‛ O jeito que ela disse seu nome, o tom baixo de sua voz rouca, o despindo-o de tudo, querendo fode-la e deixar-se ir. Quando ela arqueou as costas e estremeceu, agarrando-lhe o clímax com uma força que balançou, e ele deixou então o seu próprio orgasmo rasgar livre, levantando e agarrando os quadris e empurrando duro uma última vez, então segurou, apenas sentindo as sensações quando gozou com um gemido rígido. Ela desabou sobre a cama e ele tirou o preservativo, em seguida, rolou sobre seu lado para que pudesse puxar ela contra ele. Ela alcançou por trás dela em seu pescoço, meio virando para que pudesse beijá-lo. Ele encontrou os lábios em um beijo. Gostava de sua boca, queria sentir isso em torno de seu pau, mas seus olhos eram meias fendas e sabia que ela estava terminada. Ele varreu as mãos sobre o braço e quadril, esperando para ouvir o som de sua respiração até que seus olhos fecharam. Ela estava dormindo em minutos. Ele a seguiu um minuto depois.

89


90


Capítulo Nove JENNA PISCOU OS OLHOS, ABRIU-OS E SENTIU UMA sensação de peso alfinetando-a ao colchão. Ela puxou contra a sensação de calor. Em seguida, ouviu um gemido. Oh. Ty. É isso mesmo. Um sorriso puxou os lábios. Ontem à noite tinha sido... incrível. Mais do que surpreendente. Ela rolou de costas e olhou para ele. Estava em seu lado voltado para ela, ainda dormindo. A luz nebulosa da madrugada infiltrou-se não quarto, o suficiente para que ela pudesse vê-lo. Fiel à sua palavra sobre fazer três vezes, ele acordou-a no meio da noite, seu pau duro e deslizando entre as coxas. Colocou uma camisinha e deslizou por trás dela, transando com ela com golpes lentos e lânguidos enquanto acariciava seus seios. Ela não tinha certeza se já estava totalmente desperta, só que gostou do prazer nebuloso, enquanto ele a mantinha no lugar por seus quadris e penetrava dentro dela com facilidade, golpes de lazer até que ela sentiu o prazer intensificar. E quando gozou, ele a fez tremer toda, seu corpo tenso com o mais doce prazer. Ele empurrou seu pênis dentro dela com um golpe profundo, duro, então gemeu e gozou. Eles caíram num sono logo em seguida. Tinha sido de tirar o fôlego. Sentiu nenhum pesar quando acordou ao lado dele. Como poderia, após o melhor sexo de sua vida na noite passada?

91


Um dia de crescimento de barba sombreava a mandíbula, seu cabelo bagunçado do sono e sexo confuso, e tudo o que ela queria fazer era subir em cima dele e ter mais dele. Sua barriga caiu com o desejo renovado. Até que viu o relógio. Seis e meia. Merda. Ela era esperada por seus pais as oito para tomar café com Mick e Tara antes de partirem para sua lua de mel. Deslizou para fora da cama e entrou no chuveiro, esfregando a maquiagem da noite passada e os restos do doce sexo fora de seu corpo. Quando saiu, se secou, penteou os cabelos e colocou a maquiagem de novo, então na ponta dos pés foi para fora do quarto. Ty não se mexeu. Dorminhoco, obviamente. Ela balançou a cabeça e entrou no armário pegando um par de jeans e um suéter, então pegou a roupa interior, as meias e botas, e os vestiu na cozinha, enquanto preparava um bule de café. Ela tomou uma xícara de café — obrigado, cafeína — antes que tivesse que voltar para o quarto. Ainda dormindo. Homem de sorte. Ela gostaria nada mais do que subir com ele e dormir mais algumas horas. E talvez um pouco mais de sexo. Pena que não ia conseguir nenhum dos dois. Ela se sentou na cama ao lado dele e agarrou seu ombro. ‚Ei.‛ ‚Hmmm.‛ ‚Ty. Tyler.‛ Suas p{lpebras parcialmente abriram. ‚Sim. Ei, você est{ vestida.‛ ‚Preciso estar com os meus pais, esta manhã. Uma coisa de família.‛ Empurrou as cobertas até a metade e se sentou. ‚Sim, claro. Vou sair daqui.‛

92


‚Não se apresse. A porta da frente trava sozinha quando você a fecha. Tenho que ir.‛ Ele arrastou os dedos pelos cabelos e olhou para o relógio. ‚Sim, eu também. Tenho um jogo esta noite.‛ ‚Okay. Eu tive um bom tempo.‛ ‚Eu também.‛ Ela começou a se levantar, mas ele a puxou contra ele e beijou-a profundamente. Seu corpo estava quente, o seu beijo a lembrou o que eles tinham compartilhado ontem à noite. Quando quebrou o beijo, ela realmente desejava que não tivesse que ir, esta manhã, especialmente vendo a ereção que ele tinha sob as cobertas. Ela queria tocá-lo, saboreá-lo, jogar com ele mais um pouco. Mas não ia jogar com Tyler Anderson novamente. ‚Tenha um bom dia, Jenna.‛ Arrependimento a fez suspirar. ‚Você também.‛ Ela se levantou e fez uma saída apressada antes que fizesse algo estúpido, como pedir para vê-lo novamente.

TY VIU O OLHAR DE ARREPENDIMENTO E HESITAÇÃO nos olhos de Jenna. Ele sabia o placar. Um único jogo. Mas também viu o clarão de calor em seus olhos após o beijo. Ela podia ser determinada, mas ele também era. E nunca desistia. Ele jogou as cobertas e entrou no banheiro, então pegou suas roupas. Não havia sentido em tomar banho no banheiro de Jenna, quando tinha de colocar a mesma roupa de novo. Esperaria até que chegasse em casa. Vestiu-se e seguiu o cheiro de café.

93


Jenna tinha colocado uma xícara para ele então encheu e bebeu, grato pela cafeína que o levaria para casa. Tinha sido uma noite longa. Uma boa noite. Sorriu lembrando-se disso. Queria mais uma noite com ela. Estava em seu caminho para fora quando viu o violão encostado no quarto aberto. Ele parou, olhou no quarto, e viu a partitura. Era privado, sabia, e não devia bisbilhotar, mas ela o deixou sozinho aqui. Entrou na sala e se agachou no chão. Havia algumas partituras de outros cantores, mas também páginas em branco, onde ela estava escrevendo a sua própria. Huh. Não tinha ideia de que ela era uma compositora. Não sabia absolutamente nada sobre música, mas, obviamente, Jenna sim. Havia páginas e páginas de música manuscrita aqui. Interessante.

JENNA JOGOU SEU CASACO E CORREU PARA A COZINHA, enquanto esfregava as mãos frias. Todo mundo já estava aqui e o cheiro da comida fez rosnar o estômago. Bacon e algum tipo de assado. Estava morrendo de fome. ‚Bom dia. Estou atrasada?‛ ‚Bem na hora‛, disse sua mãe. ‚Todo mundo j{ est{ na sala de jantar. Você pode levar este prato de bolinhos l{.‛ Ela beijou a mãe no rosto e pegou os muffins. ‚J{ era tempo de você aparecer‛, disse Gavin. ‚Estamos prestes a perder as forças esperando por você.‛

94


Ela revirou os olhos enquanto se sentava. ‚É oito e cinco. Não acho que você vai morrer.‛ Abraçou Tara, que absolutamente brilhava de felicidade. ‚Bom dia, Sra. Riley.‛ Tara sorriu. ‚Vai levar algum tempo para me acostumar com isso. Tara Riley. Eu não posso acreditar que realmente aconteceu. Ele é meu.‛ Mick veio e colocou o braço em torno de Tara. ‚Aconteceu. Você é minha esposa. Sem recuar agora.‛ Tara inclinou a cabeça para tr{s e lançou um olhar de adoração para Mick. ‚Não irei recuar. Nunca vou deixar você ir.‛ ‚Vocês dois estão fazendo mal ao meu estômago. Ou talvez seja só a fome.‛ Mick e sua mãe sentaram e todos elogiaram a mãe na maravilhosa refeição que tinha feito. Obviamente, todo mundo estava com fome, e virou-se para falar sobre o casamento. Jenna gostou da conversa e ouviu as histórias de todos sobre a noite anterior. Mick estava nervoso, com medo que ia esquecer seus votos. Tara estava em êxtase, e Nathan tinha estado feliz em passar por isso sem tropeçar em seus sapatos extravagantes. Gavin e Liz estavam deslumbrados com pensamentos de seu próprio casamento próximo, e seus pais olhavam todos com tanta alegria que fez lágrimas nos olhos de Jenna. Esta era sua família, e amava tanto. Derramou uma xícara de café da garrafa sobre a mesa, e então acrescentou creme e levantou a xícara aos lábios, fechando os olhos e respirando quando tomou um gole. ‚Noite difícil?‛ Ela abriu os olhos e olhou para Liz. ‚Tarde da noite, mesmo que o resto de vocês.‛ ‚Eu não sei‛, disse Tara, dando a Jenna uma profunda olhada uma vez mais. ‚Você tem olheiras sob seus olhos, mas suas bochechas estão cor de rosa.‛

95


Os homens tinham ido para a sala de estar para assistir algo na televisão, e minha mãe estava na cozinha, deixando Jenna sozinha na sala de jantar com Liz e Tara. Liz inclinou a cabeça. ‚Os círculos escuros e bochechas coradas? Isso só pode significar uma coisa. Você teve relações sexuais.‛ Os olhos de Jenna arregalaram. ‚Eu não fiz.‛ ‚Você fez também‛, disse Tara. ‚Você acha que nunca tivemos relações sexuais antes? Sabemos como olha.‛ Jenna olhou em volta para ter certeza de que ninguém ouvia. A TV estava aos berros e, obviamente, se sua mãe ouvisse qualquer coisa não ia vir correndo para a sala por mais detalhes. Felizmente. ‚Então, quem era o cara?‛ Tara perguntou. ‚Não quero falar sobre isso.‛ Liz olhou para Tara. ‚Ela não quer falar sobre isso. Não negou, o que significa que definitivamente teve sexo na noite passada.‛ Ergueu o queixo. ‚Eu pleteio a quinta8.‛ Tara acenou para Liz. ‚Estive obviamente ocupada toda a noite. Quem era ele?‛ Liz bateu uma unha tão bem cuidada sobre a mesa. ‚Vamos ver. Ela não trouxe um acompanhante, e, tanto quanto sei ela não est{ vendo ninguém.‛ ‚Ninguém que eu conheço. Eu poderia perguntar a Mick.‛ ‚Eu poderia perguntar a Gavin.‛ ‚Parem com isso, vocês duas. Não h{ ninguém. Apenas uma transa aleatória.‛

8

Refere-se à quinta alteração da Constituição dos EUA, que afirma que nenhum cidadão “será obrigado em qualquer processo criminal a ser testemunha contra si mesmo...” Recusar a dar informações auto-incriminatórias.

96


‚Transa aleatória meu — oohh‛, Liz disse. ‚Era Ty.‛ Merda. ‚Ty Anderson? O jogador de hóquei?‛ Tara perguntou. Ela se virou para Jenna. ‚Oh, ele é lindo. E tão quente, Jenna.‛ ‚E um jogador de hóquei, e você sabe como me sinto sobre esportes e os homens que os jogam.‛ ‚Isso não importa, se você gosta dele‛, disse Tara. ‚E se você teve sexo com ele suponho que gosta dele.‛ Liz olhou de Tara para Jenna. ‚O que os esportes têm a ver com você ficar a noite toda fazendo sexo até explodir os miolos?‛ ‚Ela não sai com ninguém envolvido no esporte‛, explicou Tara. Liz franziu a testa. ‚Por que não?‛ Jenna encolheu os ombros, percebendo que parecia estúpido. ‚Porque vivo isso no meu trabalho e estou cercada por isso com a minha família. Gostaria apenas de uma pausa maldita quando namorar um cara, sabe?‛ ‚Mas o esporte est{ no seu sangue, Jenna.‛ ‚Esportes estão nos seus sangues.‛ Ela apontou para Gavin e Mick. ‚Não no meu.‛ Tara se inclinou para tr{s e tomou um gole de suco. ‚Certo, bem, entendo, realmente. E como alguém que era a rainha da negação, entendo sobre o seu motivo para não querer estar com Ty —‛ ‛Como estúpido isto é‛, Liz interrompeu. Tara prendeu Liz com um olhar. ‚Mas é a sua razão, no entanto.‛ Liz acenou com a mão. ‚Seja qual for.‛ ‚Então, de qualquer maneira‛, continuou Tara. ‚Foi bom?‛

97


Isso chamou a atenção de Liz. ‚Sim. Diga-nos. Foi?‛ Jenna sacudiu a cabeça. ‚Você é tão ruim quanto os homens.‛ ‚Os homens não fazem fofoca sobre os detalhes sexuais‛, disse Tara. ‚Eles não o fazem?‛ Tara balançou a cabeça. ‚Não. Mick me disse tudo o que dizem para os seus amigos é: Eu fodi ela a noite passada tão bem, que não podia andar hoje‛, ou alguma bobagem. Mas não há detalhes. Queremos mais detalhes.‛ ‚Huh. Bem, dei a ele tão bem na noite passada, que não podia andar hoje.‛ Liz bufou. Tara inclinou a cabeça para trás e riu alto. ‚O que vocês estão rindo aí?‛ Mick perguntou. ‚Conversa de garotas‛, Tara gritou com ele antes de voltar para Jenna. ‚E?‛ ‚E o quê?‛ ‚Vamos, Jen, precisamos de mais do que isso‛, Liz disse. ‚Assim ele é bom, não é? Esse homem é o sexo em uma vara de hóquei. Eu o vi jogar. Inferno, ele é meu cliente e sua resistência no gelo é épica.‛ Jenna se recostou na cadeira. ‚E você quer saber se a resistência é levada para o quarto.‛ ‚O inferno, sim.‛ Seus lábios torceram, lembrando-se de ontem | noite, e seu corpo aqueceu. ‚Então... o inferno sim.‛ Liz bateu a mão sobre a mesa. ‚Eu sabia. Não que eu tenha alguma reclamação. Gavin—‛ Jenna ergueu a mão. ‚É meu irmão e não quero ouvir sobre seus desempenhos com ele.‛ ‚Você não é divertida.‛ Ela se levantou e pegou a jarra. ‚Vou encher o café. Você pode compartilhar as histórias de sexo com Tara. Eu j{ volto.‛

98


Ela foi até a cozinha. Sua mãe tinha acabado de terminar um telefonema. ‚Sinto muito, querida. Era Diandra, não pode ir ao casamento na noite passada porque Bill teve uma cirurgia da vesícula biliar de emergência.‛ Jenna encheu a jarra da panela cheio de café no balcão. Ela sabia que Diandra era uma das mais antigas amigas de sua mãe. Ela e Bill tinham estado na casa tantas vezes ao longo dos anos, eram como família para Jenna. ‚Oh, não. É Bill est{ bem?‛ ‚Ele está bem. Ainda no hospital, porque estão tratando dele com antibióticos devido a uma infecção, mas deve ir para casa amanhã. Ela ficou tão chateada de perder o casamento.‛ Jenna se encostou ao balcão. ‚É compreensível, considerando as circunst}ncias. Estou feliz por Bill estar bem.‛ ‚Eu também. Agora o que você estava falando com as meninas l{?‛ ‚Nada de mais. Coisas do casamento.‛ ‚Foi um grande casamento, não foi?‛ ‚A melhor, mãe. A melhor absolutamente.‛ E isso era tudo o que iria contar à mãe. Era ruim o suficiente Liz e Tara saberem sobre Ty. Como não tinha a intenção de vê-lo novamente, não havia ponto de mencioná-lo a seus pais.

APESAR DA FALTA DE SONO, TY estava energizado no jogo. Eles estavam ganhando 3-2, com quatro minutos restantes no terceiro período. Ele estava na caixa de penalidade depois de receber uma pena. Quinze segundos e estava fora de lá. Segundos que pareciam horas, quando estava na caixa e o jogo estava em andamento. Ele viu o tempo de contagem ir para zero, então saltou da caixa e no gelo, tendo sua posição de volta. Wolkowski passou-lhe o disco e atirou através do defensor do outro time de volta para Eddie, colocando-se na posição em frente do gol. Eddie atirou para Victor, que enviou deslizando

99


de volta para ele. Ele bateu o tiro na rede, mas o goleiro defendeu, em seguida, o enviou circulando por trás da rede. Porra. Adrenalina, deslizando para trás quando o central de Montreal patinou em direção a ele. Ele não iria deixá-lo passar e enfiou o taco contra o central, em seguida, tomou o disco dele, cavando seus patins no gelo parou, virou e foi em direção ao objetivo oposto novamente. Seu adversário bateu no ombro dele e impediu o seu movimento para frente, e eles lutaram pelo disco. O disco deslizou livre e Ty foi atrás disso, determinado a não desistir. Cada fração de segundo era uma batalha a ser vencida. Ele não ia deixar o central levar o prêmio dele. Eles chegaram ao disco, ao mesmo tempo e Ty virou, virando as costas para o central. Ele levantou o taco , jogando o disco para longe do oponente. Ele passou para Victor, que atirou para Eddie. Tyler patinou para a rede. Eddie lutou para defender o disco e bateu-a a Ty. Ele levou o disco ao redor do fundo da rede e atirou para Victor, que estava na posição perfeita para o gol e colocou-a na rede. As luzes atrás do gol acenderam, sinalizando o sucesso. Eles marcaram, e a multidão pulou para seus pés. Tyler patinou para Eddie e Victor, celebrando, depois que terminou o jogo maldito. Depois, que Tyler foi bombeado estava pronto para comemorar. ‚Estão prontos para sair para uma festa hoje à noite?‛ Perguntou ele. Eddie estava sempre pronto para uma festa pós-jogo. ‚Você sabe disso. Se você est{ pagando.‛ Ty balançou a cabeça. ‚Você é um filho da puta barato, Eddie.‛

100


‚Sim, mas um dia eu vou ser um filho da puta rico barato, especialmente se eu continuo recebendo caras como você pagando o meu jantar e cervejas.‛ ‚Vou pagar o jantar nesta noite e o jantar de Victor também esse é o objetivo. Mas você pode comprar a sua própria cerveja maldita.‛ ‚Estou excitado‛, disse Victor. ‚As mulheres bonitas vão me querer depois desta noite, este é o objetivo.‛ Ty deu um tapinha nas costas de Victor. ‚Acho que as mulheres bonitas querem você mesmo quando não marca um gol.‛ Victor apertou os l{bios e balançou a cabeça. ‚Isso é verdade.‛ Eles foram até o Riley. Não porque esperava que Jenna estivesse lá. Foi sugestão de Eddie, porque ele gostava de seus bifes e também por causa de Renee, a garçonete bonita que ele ainda estava tentando reunir coragem de pedir para sair. Além disso, Victor tinha visto uma loira lá na outra noite que ainda não havia conseguido levar para a cama, então queria ver se ela estaria lá. E se Ty estava pagando o jantar, ele tinha que ir, não é? Aconteceu de Jenna estar trabalhando hoje à noite. Então não era culpa dele. Não parecia surpresa ao vê-lo caminhar dentro. Não parecia feliz em vê-lo, tampouco, mas não parecia infeliz. Parecia cansada. Renee estava trabalhando hoje à noite e trouxe suas bebidas. Ela olhou para Eddie, e Eddie olhou para ela. Ty deu uma cotovelada nas costelas de Eddie. ‚É óbvio que ela gosta de você. Peça-lhe para sair.‛ Eddie corou carmesim. ‚Talvez eu faça.‛ ‚Quero dizer, este ano, idiota.‛

101


‚Parabéns pelo jogo desta noite, arrasaram caras‛, Renee disse. ‚As bebidas são por conta da Jenna pela vitória.‛ ‚Excelente!‛ Victor levantou a dose de vodca. ‚Para o ICE.‛ ‚Para o ICE‛, disse Ty, embora olhasse para Jenna, quando virou a sua dose de uísque. Ele podia ter visto uma dica de um sorriso em seu rosto. Ou talvez estivesse apenas imaginando, porque ela tinha ido embora assim que o viu. Mas não estava aqui hoje à noite para Jenna. Veio para comemorar uma vitória do jogo com seus amigos. Eles pediram bifes, algumas cervejas, e Victor encontrou sua loira, que estava tão ansioso para vê-la novamente. Logo estavam cercados por fãs ansiosos felizes para falar sobre o jogo desta noite. Tinha sido um grande jogo. Ty queria compartilhar sua exuberância com Jenna, mas era sábado à noite e o local estava lotado. Ela estava ocupada com a lotação do bar, mas depois de ontem à noite, ele seria um idiota se não, pelo menos, fosse lá e falar com ela. Ele esperou até que ela enchesse as bebidas, em seguida, encostou-se ao canto do bar. ‚Ei.‛ Ela estava lavando copos. ‚Ei, você mesmo. Bom jogo hoje | noite.‛ ‚Obrigado.‛ Ela não tinha feito contato com os olhos ainda, então esperou até que ela terminasse o que estava fazendo. Quando terminou, ela caminhou até a outra extremidade do bar e anotou o pedido de bebida de um cliente. Certo, ela tinha que atender seus clientes. Entendia isso. Ele podia ser paciente. Mas quando ela chegou até a final do bar e continuou a ignorá-lo, percebeu que algo estava acontecendo.

102


‚Você parece cansada.‛ Ela lhe deu um meio sorriso. ‚Estou cansada.‛ ‚Noite difícil, ontem a noite?‛ ‚Não. Boa noite a noite passada. Mas você sabe que foi tudo para nós.‛ Não ofendeu, ele encostou-se no bar. ‚Deixando para baixo f{cil?‛ Ela deu-lhe o tipo de olhar que ele tinha dado a inúmeras mulheres antes. O ‚Tem sido ótimo, mas‛ olhar. ‚Tyler...‛ Ele riu. ‚Envie Renee para encher nossas bebidas. E tenha algum sono hoje à noite, Jenna.‛ Seu jogo acabou, pelo menos, de acordo com Jenna. Se ele fosse um tipo de cara sensível, seus sentimentos podiam estar feridos. Boa coisa ele não ser sensível, e levava um inferno de um lote inteiro para machucá-lo. E o jogo estava longe de terminar. Ela pensou que queria um cara que não praticava esportes? Ele encontraria um. Ou talvez mais de um.

103


Capítulo Dez HAVIA ALGO DE MUITO ESTRANHO NO AR. Ou Jenna estava dando fora de algum novo tipo de feromônios, porque estava sendo atingida do lado esquerdo e direito recentemente. Na semana passada havia sido cercada por um fluxo constante de potenciais encontros. Era como se alguém tivesse anunciando a sua disponibilidade em algum lugar. Mas isso não poderia ser, então simplesmente culpou aos feromônios. Tudo começou no dia seguinte que disse adeus a Tyler. Primeiro conheceu o contador quente a oeste do condado que viria para o bar e se concentrou exclusivamente nela, como se fosse a única mulher lá. Ela tinha ficado lisonjeada quando ele a convidou para sair, mas ele não era seu tipo. Na noite seguinte, foi o cara que era dono da concessionária de carros. Qual era o seu nome? Oh, sim. Stan. Era grande, uma espécie de nerd, sexy e, com óculos de aro preto e um corpo musculoso, que mostrava o quanto trabalhava fora. Além disso, era inteligente, e ela amava rapazes inteligentes. Mas, novamente, simplesmente não havia química entre eles o suficiente, então ela rejeitou seu pedido de um encontro. Em seguida, conheceu o modelo. Oh, meu Deus do céu ele era bom de se olhar. Ele chegou com várias pessoas, homens e mulheres que eram bons de se olhar como ele era. Cada pessoa no local havia parado para dar uma segunda olhada no grupo, que parecia que tinha acabado de sair de uma sessão de fotos. E quando Robert — que era o seu nome — tinha se

104


encostado ao bar e mostrado seu sorriso de mil watt para ela, quase deixou cair a garrafa de cerveja das mãos. Eles conversaram por quase uma hora. Bebeu cerveja, que mostrou que ele não era exigente, e disse-lhe que era modelo desde adolescente. Disse que ser modelo não era o que queria fazer para o resto de sua vida, mas agora estava guardando dinheiro e a carreira pagava muito bem. Ele queria juntar o dinheiro e abrir um estúdio de arte. Ele mostrou-lhe algumas de suas fotos em seu telefone. Ele era maldito de um fotogênico, com um corpo que era tão bonito como o seu rosto. Ela ainda não conseguiu descobrir o que diabos ele estava fazendo paquerando ela, mas parecia agradável e amigável e genuíno. Todos os seus amigos eram pessoas simpáticas, também, que apenas provava que você nunca poderia julgar um livro pela capa. E quando Robert a convidou para sair, ela estava determinada a ampliar seus horizontes, por isso disse que sim. Ele a levou para o museu de arte, e ele surpreendeu por ter mais do que um pouco de conhecimento sobre arte. Ele disse que ela deveria ir para Nova York, e lhe disse que tinha visto o Louvre, o que conversaram sobre a arte durante o jantar. Ele disse que gostava de pintar, que era um dos motivos que queria ter seu estúdio de arte. Queria mostrar seu trabalho ao lado de outros artistas. Era um cara interessante. Então, muito bom olhar, talentoso, motivado e divertido estar. Mas quando ele de um beijo de boa noite — e era um grande beijador — meh9. Nada. Nem mesmo uma pontada de um pouco de interesse. Nada havia formigado, atingido o pico, ou explodido. Nem mesmo um pequeno estalar.

9

“Meh” é uma interjeição , muitas vezes usado como uma expressão de indiferença ou tédio.

105


Robert sorriu para ela e disse que ligaria para ela no dia seguinte, mas já sabia que não ia vê-lo novamente, porque não havia aquela explosão de química que tinha tido com Ty. Ela queria química, caramba. Certamente havia outro cara lá fora, poderia ter fogos de artifício. Agora que ela tinha pensado sobre isso, tinha sido uma semana e meia desde que tinha visto Ty. Não que tivesse notado ou nada. Ela tinha estado ocupada no bar, tinha estado dormindo, e tinha estado ocupada lidando com todas os caras novos que tinha de repente, entrado em sua vida. Desde que era a noite de folga esta noite estava indo ver seus pais para ver Mick e Tara, que estavam de volta de sua lua de mel. Liz ia encontrá-los lá, apesar de Gavin estar indo para a Flórida para se preparar para o treinamento de primavera. Jenna estava além de pronta para a primavera, embora no final de fevereiro não era nada primaveril, em St. Louis. Ela desejava que estivesse na Flórida agora. Mas o clima frio e a temporada de hóquei trouxeram as pessoas para o bar, que era bom para o Riley. Quando Mick e Tara entraram pela porta, Jenna ficou verde de inveja. ‚Você est{ tão bronzeada‛, disse ela enquanto abraçava Tara, em seguida, beijava o irmão mais velho. ‚Eu te odeio tanto.‛ Tara sorriu. ‚Nós nos divertimos muito. Nós deitamo na praia e absorvemos o sol, mergulhamos, nadamos com golfinhos e, até mesmo fizemos um cruzeiro navegando ao por do sol que Mick reservou apenas para nós dois. Foi tão rom}ntico.‛ Tara inclinou a cabeça para Mick, que a beijou. ‚Vocês dois são tão doentiamente rom}ntico.‛

106


‚Nós somos recém-casados. Tenho certeza que é assim que é suposto ser‛, disse Mick, agarrando-a em um abraço e dando um beijo na bochecha. ‚Mas você sempre ser{ minha segunda menina favorita.‛ Ela empurrou-o. ‚Oh, pare. Você est{ sendo piegas e não é como você.‛ Ele riu uma risada grande, crescendo. ‚Ei, estou feliz e estou apaixonado. Tenho o direito de ser piegas.‛ ‚Est{. É nojento. Quando isso vai acabar?‛ Ele puxou Tara na frente dele. ‚Não tão cedo.‛ Ela revirou os olhos e foi para a cozinha ajudar a mãe no jantar. ‚Esses dois são nauseantes.‛ Sua mãe riu. ‚Eles estão apaixonados.‛ ‚Sim, não é todo mundo‛, ela murmurou baixo quanto foi buscar os tomates para a salada. ‚Talvez seja o seu próximo turno. Gavin e Mick encontraram os amores de suas vidas.‛ Ela tentou um sorriso, mas sabia que mais parecia uma expressão de dor. ‚Não, obrigado, mãe. Não estou pronta ainda.‛ Sua mãe se ocupou de arrumar a carne e queijo na bandeja, arqueando uma sobrancelha. Jenna conhecia todas as expressões faciais da mãe, então sabia o que significava um. ‚Não me parece que você est{ tentando muito duro.‛ ‚Na verdade, tenho tentado. Confie em mim.‛ ‚Você apenas não encontrou o homem certo ainda.‛ Ela abriu a boca, a ponto de dizer que não tinha tempo para encontrar o homem certo, porque estava sempre trabalhando no bar. Mas isso prejudicaria seus pais, e não faria isso.

107


‚Sim, é isso.‛ A mãe dela fez uma pausa, levantou a cabeça. ‚Alguma coisa a est{ incomodando.‛ ‚Não.‛ ‚Sim, h{. O que é isso?‛ ‚Mãe, não é nada. Realmente. Eu só estou um pouco cansada. Tive uma noite ruim ontem.‛ Sua mãe limpou as mãos em uma toalha e se aproximou, varrendo a mão sobre a testa de Jenna. ‚Você est{ bem?‛ Jenna riu. Às vezes, em torno de seus pais, ela ainda se sentia como se tivesse seis anos. ‚Estou bem. Apenas ocupada.‛ ‚Você est{ se sentindo sobrecarregada no bar?‛ ‚Não.‛ Sua mãe deu-lhe um olhar incrédulo. ‚Você não toma muito tempo fora. Você sabe que seu pai ou eu podemos ajudar.‛ ‚Não preciso de ajuda. Tenho um gerente assistente, e tiro uma folga.‛ Ela colocou as mãos sobre sua mãe. ‚Tudo est{ bem no bar, e minha vida amorosa est{ bem.‛ ‚Realmente. Como est{ bem?‛ Liz tinha que entrar em seguida, não é? ‚Oi, querida‛, disse sua mãe, radiante quando Elizabeth a beijou na bochecha. ‚Nós estávamos falando sobre quão cansada Jenna parece.‛ ‚Não‛, disse Jenna. ‚Mamãe estava falando sobre quão cansada eu pareço. Estava assegurando-lhe que estou bem.‛ ‚Então é sobre o trabalho, ou é sobre um cara?‛

108


‚Ambos‛, disse a mãe dela. ‚Acho que ela est{ gastando muito tempo no trabalho, e não est{ namorando ninguém.‛ Liz estudou-a. Liz, é claro, estava perfeita, seu cabelo puxado para cima, como de costume, maquiagem, gloss e ela vestia roupas de um designer — um suéter pálido branco grande, calças justas com botas assassinas, que custava mais provável do que Jenna fazia em um mês. E Deus, Jenna amava. Elas tiveram um começo difícil, uma vez que ela e Gavin tinham começado a namorar, mas Liz tinha sido da família antes dela e Gavin haverem se apaixonado, e era como uma irmã para Jenna agora. ‚Bem, longe de eu poder criticar alguém por trabalhar demais. Sou a rainha de todo o trabalho e nenhum jogo.‛ Liz tamborilava os dedos sobre o balcão. ‚Mas minha mãe est{ certa, Jen. Você precisa sair.‛ ‚Tive um encontro esta semana.‛ ‚Você fez? Com quem?‛ Perguntou a mãe. Jenna encolheu os ombros. ‚Um modelo.‛ Liz e sua mãe se entreolharam. ‚Ooh, um modelo‛, disse sua mãe. ‚Diga.‛ Liz tinha um brilho nos olhos. ‚Não deu certo.‛ ‚Por que não?‛ Sua mãe pareceu desapontada, e Jenna quis que eles não estivessem tendo esta conversa. ‚Não havia química.‛ ‚Isso é muito ruim. Mas pelo menos você est{ saindo.‛ A mãe dela pegou a faca e voltou para cortar o tomate. Bom. Talvez elas pudessem abandonar o assunto de sua vida amorosa.

109


‚Não significa que você tem que desistir só por causa de um encontro ruim‛, disse sua mãe, enquanto cortava. Então, novamente, talvez não deixassem o assunto morrer. ‚É claro que você precisa de alguma ajuda.‛ Jenna atirou um olhar em Liz. ‚Não, eu não.‛ ‚Conheço um monte de caras.‛ ‚Sim, caras do esporte. Você sabe a minha regra.‛ ‚Que regra é essa?‛ Perguntou a mãe. ‚Jenna não sai com caras que praticam esportes.‛ Ela nivelou um olhar para Liz, que lhe deu um olhar inocente. ‚O quê? Isso é um segredo?‛ ‚Você não namora homens que praticam esportes?‛ A mãe dela parecia confusa. ‚Por que diabos não?‛ Ela acenou com a mão. ‚Não h{ razão especial, mamãe. Só que estou cercada por esportes o tempo todo, então só não quero sair com eles. Você sabe?‛ ‚Acho que sim. Isso me preocupa, no entanto.‛ Ela colocou a faca para baixo novamente. A única coisa que nunca queria era chamar atenção de sua mãe. Isso significava que ela estava voltada para ela, o que geralmente significava problema. ‚O que h{ para se preocupar?‛ ‚Você odeia esportes.‛ Jenna revirou os olhos. ‚Eu não odeio esportes. Cresci em torno deles. Amo. Eu só não quero namorar ou casar com um.‛ ‚Hmmm.‛ Isso foi ainda pior. O exame de sua mãe quando ela refletiu sobre o que disse.

110


Ela precisava escapar. ‚Acho que vou ver o que o papai está fazendo. Você tem as coisas cobertas por aqui?‛ ‚Claro. V{ em frente.‛ Ela fez uma saída rápida e correu para a sala de estar. O pai dela estava lá com Tara, Mick, e Nathan, assistindo, todas as coisas, de hóquei. E pior ainda, era um jogo do ICE. Era isso ou enfrentar mais conversa com a mãe sobre seu trabalho e sua vida amorosa. O menor de dois males, ela deveria, e isso não era diferente do que estar no trabalho e ter o jogo no bar. Ela caiu no sofá ao lado de seu pai. ‚Que é isso, abobora?‛ Perguntou ele, pendurando o braço em torno dela. ‚Mãe e Liz estão tentando me arrumar.‛ O pai franziu a testa e olhou para ela de novo. ‚Você est{ quebrada?‛ ‚Não.‛ Ele balançou a cabeça. ‚Ok, então. Vamos assistir ao jogo.‛ Graças a Deus por seu pai. Tudo com ele era simples preto-e-branco. Se você disse que estava tudo bem, então estava. Ele acreditava em você. Ou isso ou ele só queria assistir ao jogo e não queria ser incomodados com coisas de menina. O mais provável era o último, pois era um cara, que lhe caía muito bem. Enquanto ela não tinha de explicar sua falta de um namorado e por que não queria namorar ninguém afiliado com o esporte, ele estava bem por ela. Ela aconchegou, encostada no ombro de seu pai. O jogo ainda estava no primeiro período. Normalmente, estaria tão ocupada no bar que só lançava olhares superficiais em quaisquer jogos. E com certeza não assistia esportes em seus dias de folga.

111


Esta era a primeira vez que realmente tinha assistido Ty em ação, sem distrações, de qualquer maneira. ‚Seus meninos estão com bem, Elizabeth‛, seu pai disse a Liz quando ela e sua mãe entraram na sala. ‚Sim, Tyler e Eddie são grandes jogadores. Tenho muita sorte por representá-los.‛ Liz arqueou uma sobrancelha a Jenna, que lhe lançou um olhar de advertência. A última coisa que queria era que alguém soubesse sobre aquela noite que passou com Ty. Especialmente depois de dizer a sua mãe que não saía com jogadores de esportes. ‚Anderson foi um bom complemento para a equipe‛, disse Mick. ‚Tenho que te agradecer por isso, Mick. Se você não tivesse me demitido, eu provavelmente não teria estado lutando para pegar novos talentos e nunca teria pegado.‛ ‚Vê? Todos os tipos de coisas boas que saiu da confusão. Mamãe e papai acabaram juntos. Liz e Gavin se apaixonaram, e Liz tem um monte de novos clientes. E o pai e Liz são amigos de novo e agora ninguém é louco um com o outro mais. Então, às vezes as coisas ruins acontecem por todas as razões certas.‛ Todos olharam para Nathan. ‚Teve um monte de pensamento, bebê‛ disse sua mãe com um sorriso, quando entrou na sala. ‚Você est{ certo, Nathan‛, Mick disse, bagunçando o cabelo do adolescente. Nathan abaixou. ‚Homens. Levei muito tempo para fazê-lo parecido com isso.‛ ‚E aqui eu pensei que você pulou da cama e não fez nada para obter esse estilo‛, brincou Mick. ‚Idiota. Você simplesmente não sabe.‛

112


‚O que eu sei é que se você me chamar de 'idiota' de novo, estará de plantão esfregando banheiro por uma semana.‛ Nathan olhou para Mick com uma expressão de horror em seu rosto. Tara sufocou uma risada. ‚Uh, sim, senhor.‛ Mick revirou os olhos. ‚Eu não acho que temos que ir tão longe.‛ Jenna riu, então todos voltaram para o jogo. Ela tentou ver o ICE como uma equipe inteira, mas não conseguia, apenas focou sua atenção em Tyler. Ele tinha um comando magnífico do gelo e parecia sempre gravitar em torno do disco. Parte do que era a sua posição como um central, mas era rápido em seus patins e não evitava a ação difícil, que muitas vezes batia nas muretas de tábuas do campo. Ele recebeu um monte de cotoveladas e bateu duro, terminando de bunda um monte de vezes. Ele não parecia se importar. Na verdade, ele era tão agressivo quanto os outros jogadores, empurrando um cotovelo ou um corpo batendo alguém, mesmo que isso lhe custasse uma penalização. Ele faria o que fosse preciso para obter o disco e patinar longe ou passá-la para um companheiro. E muitas vezes, resultou em um gol, então, obviamente, seus métodos funcionavam. Mas a linha de fundo era emocionante de assistir, e ele conseguiu resultados. Até o final do primeiro período ganhavam por um gol. ‚O jantar deve estar pronto. Devemos ir para a sala de jantar?‛ Todo mundo se levantou e dirigiu-se para lá. Jenna demorou, observando Ty patinar no gelo. ‚Você est{ aficcionada tão ruim por esse cara‛, Liz sussurrou para ela, a trazendo de volta.

113


‚Eu não. Estava apenas apreciando o jogo.‛ Liz bufou. ‚Oh, sim. Você sendo tão grande fã de esportes e tudo.‛ Ela ergueu o queixo. ‚Ei, é parte do meu trabalho saber o que est{ acontecendo com todos os jogos para que possa falar com os meus clientes sobre eles.‛ ‚Uh-huh. É mais como você quiser obter as mãos em torno de seu pênis novamente.‛ Apenas o pensamento a teve o rosto em chamas. ‚Você est{ tão errada quanto a isso.‛ Liz dirigiu um olha de besteira em seu caminho. ‚Sou eu?‛ ‚Totalmente. Vou começar a namorar para que você saia das minhas costas.‛ ‚Você? Grande. Vou ter a certeza de encontrar alguns homens incríveis que não estão no esporte.‛ ‚Você faz isso.‛ ‚Considere feito.‛ ‚Considere o que feito?‛ Perguntou a mãe. ‚Vou fazer de cupido para Jenna‛, Liz disse com um brilho triunfante em seus olhos. ‚Conheço um monte de homens.‛ ‚Oh, isso é maravilhoso. Você não é doce, Elizabeth?‛ ‚Sim, ela é um pêssego‛ Jenna disse quando tomou seu lugar | mesa. Tara lançou-lhe uma dica de um sorriso, enquanto Liz francamente sorria durante todo o jantar. Ela tinha que se lembrar de diminuir na próxima vez que a família tivesse uma refeição junto.

114


115


Capítulo Onze NÃO MAIS DE DOIS DIAS DEPOIS, LIZ PASSOU UM TEXTO a ela e disse que estava enviando-lhe uma cara. Jenna sentiu que ela estava recebendo alguma compra paga, mas Liz insistiu que o cara era um amigo dela, e que ele não era de alguma forma envolvido no esporte. Ela tinha que trabalhar, mas Liz disse que ia trazê-lo depois de terminar com uma reunião com o cliente, por isso podia ser em torno das oito ou mais, que estava bem com ela desde que estava presa no bar de qualquer maneira. Com Ty, teve um dia de folga. Ela realmente desejava que ele e seus amigos encontrassem outro bar para se reunir. Mas desde que seria ruim para o seu negócio dizer a ele e seus amigos para tomar uma caminhada, ela teria que aguentá-lo. Figuras esportivas eram um grande negócio no Riley. Eles faziam seus clientes felizes, e tudo o que fazia seus clientes felizes era bom para Riley. Parecia que Victor tinha se ajeitado com Lisa, a loira do bar que também era uma cliente regular. Eddie finalmente tinha tomado coragem de pedir a Renee para sair, então agora os dois estavam namorando. E desde que Ty, Victor, e Eddie eram praticamente os melhores amigos, então fazia sentido para Ty sair com seus amigos. Ainda assim, ela não podia ajudar, mas achava que ele frequentava seu bar por causa dela e seu interesse por ela. Embora não tivesse agido exatamente interessado nas últimas vezes que tinha estado aqui, não desde o dia após o casamento quando ela efetivamente o despachou.

116


Deus, ela tinha sido uma puta sobre isso também. Rude e desprezivel, como se o que eles tinham compartilhado na noite anterior não tivesse significado nada, quando tinha sido a melhor noite que tinha tido em pelo menos um ano, possivelmente mais. Que era por isso que nunca poderia acontecer novamente. Ao vê-lo novamente lembrou de quão bom foi, o que fez com que ela e queira que isso acontecesse novamente, e isso só tornava tudo pior, e a fez mal-intencionada e mal-humorada. Talvez se Ty a visse saindo com um novo cara, ele seguiria em frente, também, e ambos poderiam passar o que tinha acontecido na noite do casamento. Ela esperava que Liz fosse grande para homens que escolhia. Isso tinha que trabalhar. Liz apareceu um pouco depois das dez, depois do que ela achou que ia ser. Mas Dylan, o cara que Liz trouxe com ela, valia a pena esperar. Ele estava de terno, mas quente como o inferno em um terno. Cabelo castanho claro, lindos olhos azuis, e do tipo de sorriso que iluminava um quarto. Muito alto e bem constituído, e toda mulher parou e olhou quando ele entrou, tinha uma presença descontraída e comandou a atenção. Ele olhava robusto e cheio de masculinidade, mas era amigável. Ela gostava disso. Ele saiu do bar com ela e Liz, mas ele estava focado nela. Ela fez uma pausa, colocando Renee atrás do bar desde que o movimento estava leve. Isso significava que Eddie foi em direção ao bar e fazia companhia a Renee, enquanto ela fizesse seu trabalho, Jenna não se importava. Dylan bebia uísque com soda. Bebida de um homem. Ela gostava disso nele. Ele era um advogado. Auto-depreciativo, engraçado, charmoso. ‚Eu viajo muito, o que não me deixa muito tempo para namorar‛, disse ele. ‚Estou sempre trabalhando, então o mesmo.‛

117


Ele se inclinou na direção dela. ‚Pensaria que você tinha que bater o tempo todo, considerando sua ocupação.‛ ‚Não é verdade. Tenho regulares. Eles são muito protetores. E não saio com frequência. Eu sou exigente.‛ Ele olhou para ela de novo. ‚Então é como eu.‛ Ela não parecia ser o tipo dele. Ele devia estar saindo com alguma modelo ou alguém no mundo corporativo, e não uma menina com tatuagens, piercings, e listras roxas em seu cabelo. Ela perguntou o que ele viu nela. ‛O que você gosta de fazer no seu tempo livre, Dylan?‛ ‚Saio de barco no verão. Gosto do ar livre. Caminhadas, acampar, esqui aquático, andar de bicicleta. Eu não sou muito de sentar sem fazer nada.‛ ‚Você deve odiar o inverno, então.‛ Ele riu. ‚Passo muito tempo na academia. H{ uma parede de pedra no meu gin{sio e escalo sempre que posso. Felizmente, tenho alguns clientes no Colorado, então faço algumas snowboard e esqui.‛ Não exatamente esportes, mas era um atleta definido. E quando Ty veio falar com Eddie, o radar Dylan saiu. ‚Ei, não é que Tyler Anderson e Eddie Wolkowski do ICE?‛ ‚É.‛ ‚Você os conhece?‛ Ele deu-lhe um olhar esperançoso. ‚Sim. Estou surpreso que Liz não mencionou que ambos eram seus clientes.‛ Ele voltou sua atenção para Elizabeth. ‚Você nunca me disse que você os conhecia.‛ Liz encolheu os ombros. ‚O assunto nunca veio | tona.‛ ‚Cara, eu sou um fã enorme de hóquei. Posso obter um autografo?‛

118


‚Claro. Venha comigo.‛ Jenna tomou sua mão, enquanto Liz se irritou silenciosamente. Isso seria cômico se não fosse tão irônico. ‚Ei, Tyler, Eddie, este é Dylan Manchester. Ele é um grande fã seu.‛ Olhar de Tyler vagou sobre o dela antes de ir para Dylan. Ele apertou sua mão. ‚Sempre bom encontrar um fã. Oi, Dylan.‛ Eddie apertou sua mão, e antes que Dylan a percebesse tinha abandonado as estrelas esportivas. Bom para ela. Tinha que voltar atrás do bar de qualquer maneira. Renee decolou para ver seus clientes nas mesas, e Liz derrotou-a com um olhar desconfiado. ‚É como você planejou isso.‛ Jenna revirou os olhos enquanto enchia alguns pedidos de bebidas. ‚Agora, como poderia possivelmente ter sabido que ele era um fã de hóquei? Você é a única que o trouxe para mim, lembra?‛ Liz estudou seu copo de vinho. ‚Obviamente, vou ter que fazer um trabalho melhor de vetar possíveis encontros para você no futuro.‛ ‚Obviamente. Talvez um question{rio?‛ ‚Você é tão engraçada.‛ Ela sorriu. ‚Eu tento ser.‛ ‚Mas, falando sério, Jenna. Não que deveria irritar tendo ele falando com Ty e Eddie?‛ ‚Não. Deveria?‛ ‚Você odeia esportes.‛ ‚Eu disse a você. Eu não odeio isso. Só não quero namorar alguém que ama ou joga. Recebo muitos aqui, como você pode ver.‛ Liz suspirou. ‚Eu estava tão esperançosa com Dylan. Ele é doce e olha incrível.‛

119


Jenna deixou seu olhar vagar até o bar, mas não se contentou com Dylan. Ela não podia deixar de gravitar em torno de Ty. Mesmo que Dylan fosse um morto, no meio de uma matilha de homens bonitos, era Ty que capturou sua atenção. Ele inclinou a garrafa de cerveja aos lábios, e tudo o que podia pensar era em sua boca na dela, a maneira como a beijou. Ela observava as pontas dos dedos distraidamente passando na umidade do lado de fora da garrafa quando ele riu com os homens, e se lembrou de seu toque, a forma como os dedos jogavam ao longo de sua pele. Ela estremeceu. ‚Desculpe, não deu certo com você e com Dylan.‛ Ela virou a sua atenção de volta para Liz. ‚Não é grande coisa.‛ Liz analisou a extremidade do bar. ‚Ou talvez não seja Dylan que você estivesse olhando.‛ ‚Claro que era. Ele é quente.‛ ‚Então é Ty.‛ ‚Não estava olhando para Ty. Isso acabou.‛ Liz cruzou os braços e colocou-os no bar. ‚É? Por que você luta contra a atração quando é est{ tão óbvio?‛ ‚Não est{ óbvio. Ele mudou e eu também.‛ Liz riu. ‚Você não. Você est{ o vendo o tempo todo que eu estive aqui.‛ ‚Eu não estava olhando, o inferno. Eu estava.‛ Era inútil negar, quando a verdade era tão óbvia. ‚Não posso me ajudar. Ele é como um vírus que não pode se livrar.‛ ‚É tão ruim, hein?‛ ‚Ele está sempre aqui.‛ ‚Não acho que ele está sempre aqui. É temporada de hóquei. Ele joga um monte de jogos e é frequentemente est{ na estrada. Talvez você só perceba quando ele est{ aqui.‛

120


‚Eu acho. Não sei. É difícil esquecer alguém que você dormiu quando continua a aparecer onde você trabalha.‛ ‚Então ele est{ incomodando.‛ ‚Nem um pouco. Ele me ignora.‛ ‚Ele te despachou.‛ ‚Não. Eu larguei dele.‛ Liz jogou as mãos no ar. ‚Então qual é o problema?‛ ‚Eu não sei. Ele está simplesmente... ali. Lembrando-me.‛ ‚É?‛ Ela estreitou seu olhar para Liz. ‚Tem certeza de que não é uma advogada?‛ Liz riu. ‚Estou certa. Mas sei que ele ficou com você, então o que é sobre ele?‛ ‚Tivemos uma noite incrível junto.‛ ‚Então, vá ter um pouco mais. Ninguém diz que você tem que casar com o cara, mas se divertir com ele, quem se importa se pratica esportes? Eu sei de um fato Ty não é o tipo de acomodar-se.‛ ‚Ele não é?‛ ‚Não.‛ Então, talvez ela tivesse entendido tudo errado. Talvez ela só devia estragar os miolos e tirá-lo do seu sistema, e então eles poderiam seguir caminhos separados. ‚Você poderia estar certa. Eu só não tive o suficiente dele, e está em minha mente um monte. Não é como se me importasse com ele.‛ ‚Certo. Você só quer mais do material quente que ele est{ oferecendo.‛ Ela soltou um suspiro. ‚Algo parecido com isso.‛ ‚Então v{ para ele.‛

121


‚Se ele está interessado. Lembre-se, eu larguei dele.‛ ‚Querida, ele tem um pênis. Ele está interessado. E os homens são diferentes do que as mulheres, caso você não tenha notado. Se ele foi ferido por ter sido despejado, você acha que ele ainda estaria vindo para c{?‛ ‚Bom ponto.‛ Ty não agiu mal. Ele ainda sorria e acenava para ela, ainda era amig{vel. Ele tinha acabado de manter sua distância. Era, afinal, o que ela pediu. Ela lhe disse que tinha acabado. Mas agora não queria que tivesse terminado. Ugh. Quando ela se tornou aquela mulher? ‚Eu não sei, Liz. Ele pode pensar que estou louca.‛ ‚Nós somos todas loucas. Isso é o que torna as mulheres tão interessantes. Suba e fale com ele.‛ ‚Na frente do meu encontro para esta noite?‛ ‚Pfft. Eu vou cuidar de Dylan. Tenho alguns assuntos legais para conversar a mais com ele de qualquer maneira. E se Dylan tinha tesão por você, nenhuma equipe de hóquei do mundo teria sido capaz de puxá-lo para longe.‛ ‚Huh. Então você est{ dizendo que não sou exatamente o seu tipo?‛ ‚Ele gosta de peitos grandes.‛ Ela olhou em seus peitos menos generosos, em seguida, a Liz. ‚Por que diabos você o trouxe para mim?‛ Liz encolheu os ombros. ‚Para ver se você iria com isso.‛ ‚Você é louca.‛

122


‚Vê? Eu disse a você.‛ Liz deslizou para fora do banco do bar e se dirigiu até Dylan, puxou-o para longe de sua adoração dos jogadores do ICE, e levou-o a uma das mesas. Sempre um cavalheiro, ele foi onde Liz dirigiu. Não que Jenna esperava que ele fizesse o contrário. Liz tinha uma presença dominante e rapazes tendiam a fazer o que eram convidados a fazer quando ela era a única a estar no comando. Na verdade, demorou menos de dez minutos para Liz retornar ao bar com Dylan e pegar sua bolsa. ‚Há alguns papéis no meu escritório e preciso passar por cima com Dylan, então nós estamos indo embora.‛ Dylan apertou a mão dela. ‚Muito bom conhecer você, Jenna. Você tem um grande bar aqui.‛ ‚Prazer em conhecê-lo, também, Dylan. Volte quando quiser.‛ Ela deu a volta para beijar e abraçar Liz. ‚Obrigado.‛ Os olhos de Liz brilhavam de malícia. ‚De nada. Agora faça bom uso do seu tempo.‛ Não era exatamente seu campo de experiência convidar um cara que ela tinha despejado recentemente. Mas, a fim de exorcizar Ty de sua vida, ia ter que se encher dele, isso significava comer corvo estava em ordem. Uma vez que Dylan tinha deixado e Renee estava fora atendendo seus clientes, os homens se mudaram de volta para as mesas de sinuca. Jenna não gostou da ideia de chafurdar em um mar de jogadores do ICE para conversar com Ty, e fazê-lo sozinho podia ser problemático. Ela ponderou sobre a situação, mesmo considerando dar a Renee uma nota para dar a ele, então pensou melhor. E se ele compartilhasse com seus amigos? Eles todos ririam. E isso não é escola, sua idiota. Onde estão suas bolas?

123


Sugando a sua coragem, ela chamou uma das garçonetes para cobrir o bar e se dirigiu ao grupo. ‚Como est{ indo hoje | noite?‛ ‚Nós estamos bem. Os bifes estavam bons‛, disse Victor com um sorriso. ‚Ei, Jenna.‛ Ty sorriu para ela, parecia amigável. ‚Ei.‛ ‚Desculpe por monopolizar seu encontro hoje | noite.‛ ‚Ele não era meu encontro. Estava com Liz.‛ ‚Sim, mas ela o trouxe aqui para você. Acho que as coisas não deram certas?‛ Ela mordeu a boca para não dizer algo que fosse se arrepender mais tarde. ‚Não acho.‛ ‚É uma pena.‛ Ele encostou-se | mesa de bilhar. ‚Talvez na próxima vez.‛ ‚Talvez.‛ Isso não estava acontecendo, como ela tinha planejado. Girou a cabeça para trás para o bar. ‚Jenna.‛ ‚Sim.‛ ‚H{ alguma razão para você vir aqui?‛ Bolas, Jenna, lembre-se? Você o abandonou. É está pedindo de volta. Ela respirou fundo e virou-se, com um sorriso. ‚Oh. Sim. Estava pensando quando você teria um dia de folga.‛ ‚Quarta-feira. Por quê?‛ ‚Você gostaria de vir para c{? Talvez ter pizza ou algo assim?‛ Ela viu sua testa franzir, esperou por ele para fazer algum comentário. 124


‚Pensei que você não queria ter nada a ver comigo depois daquela noite.‛ Lá estava. Ela merecia. ‚Mudei de ideia.‛ Ele não disse nada por um bom tempo. Era isso. Ele ia dizer não e ela ia ser humilhada. Idiota. Você deveria ter pensado melhor. ‚Eu gosto de pizza.‛ Ela exalou. Obrigado, Ty. ‚Ótimo. Cerca das sete?‛ ‚Claro. Vejo você, então.‛ Ela engoliu em seco, aquelas borboletas batendo em torno de seu estômago. Malditas. Logo ela enviaria as borboletas a voar fora. Ela só tinha que tirar Ty fora de seu sistema. E quando o fizesse, as borboletas iriam embora.

125


Capítulo Doze TY SABIA EXATAMENTE O QUE JENNA ESTAVA FAZENDO. Ele tinha visto o desfile de caras que ela tinha tentado sair, ele enviou alguns deles em seu caminho. Também notou que nenhum deles ficou preso ao redor. Não estava muito infeliz com isso. Apostou na educação de alguns desses sujeitos. Nenhum deles tinha sido perdedores. Mas ele também conhecia o seu tipo. Ele tinha acabado de tomar um tempo para descobrir isso. Talvez não era exatamente o homem dos seus sonhos, mas ali estava ele, dirigindo-se ao seu lugar de novo. Ao seu convite. Ela não tinha exatamente perdido o jogo, mas estava obviamente tentando exorcizar alguns demônios com ele no papel de protagonista de Belzebu. Sorriu quando pegou uma garrafa de vinho do banco do passageiro e dirigiu-se à porta da frente. Isso devia ser interessante. Ela abriu a porta e bebeu diante de sua pele vestida de jeans apertados e um top folgado que caiu sobre um ombro, revelando aonde ele queria afundar seus dentes. Ela estava descalça, as unhas dos pés, pintadas de preto e branco. Bonito. ‚Ei‛, disse ela, sorrindo quando o deixou entrar. ‚Ei, você. Est{ bonita.‛ ‚Obrigado. Estou morrendo de fome, então que tipo de pizza você gosta?‛ ‚Qualquer coisa com carne sobre isso.‛

126


‚Ótimo. Esse é o tipo que gosto, também. Vou encomendá-lo.‛ Ela olhou para a garrafa de Cabernet em sua mão. ‚Vinho?‛ ‚Eu gosto de vinho. Vai bem com pizza.‛ ‚Ele faz, na verdade. Saca-rolha está na gaveta do lado direito superior ao lado da pia. Vá em frente e abra enquanto chamo para a pizza. As taças estão no armário acima da máquina de lavar louça.‛ Ele foi até a cozinha, abriu o vinho, e encontrou duas taças. Encostou-se ao balcão, deixando o vinho respirar por alguns minutos. Jenna entrou. ‚Você conhece vinho.‛ Ele cruzou os braços. ‚Não sou apenas um idiota de hóquei. Tenho algumas habilidades. Como conhecer o vinho certo para acompanhar a comida.‛ ‚Pepperoni e pizza de salsicha.‛ Ele levantou a garrafa. ‚Um suave Jacob Creek Cabernet.‛ ‚Oh. Australiano. Estou impressionada.‛ Ele derramou o vinho vermelho em suas taças e entregou-lhe uma. Ela inalou o vinho, em seguida, tomou um gole. ‚Boa escolha. E você está certo. Perfeito para pizza. Mas você ainda não me parece um cara de vinho.‛ ‚Agora seria divertido se eu fosse previsível?‛ Ela saiu para a sala e ele a seguiu. ‚Talvez tenha que repensar minha rotulagem sobre você.‛ ‚Isso significa que tem me tudo planejado agora?‛ Ela riu. ‚Não é um acaso.‛

127


Ela se sentou no sof{, e ele se sentou ao lado dela. ‚Ótimo. Esperemos que vou manter você adivinhando.‛ ‚Você seria o primeiro.‛ ‚Como sobre o cara na outra noite? O cara de uísque? Você o descobriu?‛ ‚Pensei que tinha feito, mas então ele os viu e se tornou um menino fã, e foi o fim dele.‛ ‚Tudo porque ele gosta de hóquei?‛ ‚Não. Não havia faísca entre nós.‛ Ele se inclinou e tocou uma mecha de seu cabelo. ‚Essa faísca é importante para você, não é?‛ ‚Química é importante. Não há nenhum ponto em passar tempo com alguém se você não tem.‛ ‚Verdade. É por isso que estou aqui? A química ineg{vel que você tem comigo?‛ Ela ergueu o olhar para o seu. ‚Algo parecido com isso.‛ Ele se inclinou e roçou os lábios aos dela. Ela se mudou para frente, equilibrando o seu copo de vinho na mão, e colocou a outra mão no peito dele. Seu batimento cardíaco acelerou quando ela o beijou de volta. Sim, a química entre eles era um inferno de uma coisa. Ele nunca havia estado em uma seca, onde as mulheres estavam em causa, mas ultimamente não estava interessado o suficiente em qualquer outra pessoa até mesmo dar uma segunda olhada. Não, desde Jenna. Havia algo sobre ela que era seu foco principal. Talvez tivesse alguns de seus próprios demônios para demolir. Ele colocou a mão na parte de trás do pescoço e aprofundou o beijo, deslizando sua língua para prová-la.

128


Vinho e menta, uma combinação inebriante que fez seu pau apertar. Seu corpo aqueceu. Ele queria puxá-la em cima dele e tirar a roupa. Ele se afastou apenas o tempo suficiente para levar a taça de sua mão e colocá-la sobre a mesa. Ela varreu a língua em seu lábio inferior e puxou as pernas no sofá. ‚Não deveríamos esperar o cara da pizza?‛ Ele arqueou uma sobrancelha. ‚Por quê? Você tem alguma fantasia pornô de três envolvendo o cara da pizza? É por isso que estou realmente aqui esta noite?‛ Ela inclinou a cabeça para tr{s e riu duro. ‚Não é isso a fantasia de um homem? A coisa toda de ménage?‛ Deu-lhe um olhar duro. ‚Eu não compartilho.‛ ‚É bom saber. Eu não sou muito em compartilhar, também.‛ ‚Ótimo. Agora que nós temos isso resolvido... ‚ Estendeu a mão para ela, mas a campainha tocou. Muito ruim. Jenna escorregou para fora do sofá, mas ele a seguiu até a porta e pagou ao garoto entregador de pizza, que, obviamente, o reconheceu. ‚Você é Tyler Anderson. Eu amo hóquei. Eu sou um grande fã.‛ ‚Muito obrigado.‛ Ele piscou para ela, inclinou dez dólares, o que fez seus olhos se arregalam, em seguida, colocou a pizza na cozinha. ‚Oh, cheira bom.‛ Jenna pegou os pratos e colocou partes da pizza. ‚Tenho alguns filmes que poderíamos assistir.‛ ‚Oh, sim? Que tipo de filmes?‛ ‚Fantasia, ação, romance, terror.‛ ‚Gosto de todos eles.‛

129


Ela inclinou a cabeça para o lado. ‚Você ve uma comédia rom}ntica.‛ Gosto de ser entretido. Qualquer um que você escolher vai estar bom, contanto que não suga.‛ Ela pegou o prato e a garrafa de vinho e se dirigiu para a sala. ‚A pressão é agora.‛ ‚Que pressão?‛ ‚Para escolher um filme que não suga.‛ Ele pegou uma fatia de pizza, em seguida, colocou os pés em cima da mesa. ‚Eu sou muito f{cil de agradar, Jenna. Basta colocar um filme e vou gostar.‛ ‚Certo.‛ Ela se levantou, deslizou um DVD, e pressionou o início. Era um filme de terror. Ele adorava filmes de terror. Um monte de mulheres, não. Um ponto a favor de Jenna. Eles terminaram de comer, e Jenna apagou as luzes. ‚Agora isto é como os filmes de terror devem ser vistos.‛ ‚Sempre pensei assim.‛ Ela acabou com sua taça de vinho, e depois passou ao lado dele. Ele ergueu o braço e ela se aconchegou contra ele. Ty saia com muitas mulheres, que normalmente significava que eles saíram para um clube, um bar, ou num restaurante, e então tinha sexo. Isto era diferente. Ficar em casa, comer pizza, e assistir a um filme? Ele não tinha feito isso há muito tempo. No auge da sua temporada, ele estava em movimento o tempo todo. O tempo livre que tinha, costumava passar no bar jogando sinuca com seus companheiros. Que o relaxava e isso o deixava relaxado depois de um jogo cansativo. Mas isso? Era bom. Estar com uma mulher e não fazer nada, apenas sentir seu corpo junto ao seu e afundar no enredo de um filme de terror horrível? Sim, este era um tipo totalmente diferente de relaxamento.

130


Jenna ficou tensa durante as cenas de matança, quando o assassino pulou das sombras com a faca. Ela não escondeu seus olhos, no entanto. Mas, no finalzinho do filme as pernas estavam cobertas sobre a sua e ela estava praticamente sentada no seu colo. ‚Você tem certeza que gosta de filmes de terror?‛ Ele perguntou quando o filme acabou. Ela pegou a taça de vinho e segurou-o enquanto ele servia mais. ‚Oh, eles assustam o inferno fora de mim. Eu os amo. Provavelmente vou ter pesadelos esta noite.‛ Ele riu e balançou a cabeça. ‚Então você gosta de estar com medo.‛ ‚Com o cinema, sim. Qualquer outra coisa, não. Portanto, não tenha ideias sobre espreitar nas esquinas ou pulando em mim. Você vai me dar um ataque cardíaco e vou jogá-lo fora da minha casa.‛ ‚Observado.‛ Eles beberam vinho e colocaram uma comédia de ação a seguir. ‚Preciso relaxar depois do primeiro filme. Preciso de algo para me fazer rir.‛ O filme era divertido e cheio de ação, com muitas explosões e perseguições de carros e grandes efeitos especiais. Jenna fez um bom trabalho de escolher filmes. Mas tinha que admitir que gostou do primeiro, melhor, principalmente porque ela tinha ficado tão perto dele por todo o filme. Não que ela tinha se mexido longe durante este filme. Ele não foi tão investido em um presente, então a sua atenção vagou para as pernas de Jenna, a forma como o jeans se encaixava como se estivessem colados à sua pele, descrevendo cada uma de suas curvas. Ele brincava com seu cabelo, deixando os dedos peneirar a suavidade disso. ‚Você sempre usou o cabelo curto?‛ Ela arrastou seu olhar longe da televisão. ‚Na escola eu usava perto da minha cintura. Era uma dor enorme na bunda cuidar, então quando viajei para fora do país, cortei tudo fora.‛ Ele puxou uma das extremidades. ‚Isso combina com você.‛

131


‚Sim? Como assim?‛ ‚Seu rosto é pequeno, cabelo tão excessivo iria oprimi-lo. Além disso, faz seus olhos se destacarem, e posso ver seus brincos. E vocês têm orelhas realmente bonitas. O pacote todo é sexy.‛ Ela virou a cabeça um pouco para o lado. ‚Uh, wow. Obrigado.‛ ‚De nada.‛ Ela entregou-lhe o copo e ele colocou na mesa. Então ela subiu para o seu colo e ele colocou as mãos nos quadris, sentindo o calor do seu corpo através de seus jeans. ‚Eu estaria mentindo se não dizesse que estive pensando sobre isso a noite toda.‛ Ela espalmou seu peito. ‚Pensando sobre o quê?‛ ‚Você nesta posição.‛ ‚Você gosta de uma mulher em cima?‛ ‚Gosto de você em meu colo.‛ Ele flexionou os dedos, testando jogar com sua carne. ‚Eu gosto de ser capaz de sentir você movendo contra mim.‛ Ela deslizou até seu colo até a virilha da calça jeans alinhar com o bojo rapidamente apertando em suas calças. ‚Assim?‛ Ele ergueu o olhar para o dela. ‚Exatamente como isto.‛ ‚Isso seria muito mais divertido se estivessemos nus.‛ ‚Não se apresse.‛ Ele sabia que ela estava pronta para começar a banir os demônios, mas ele só queria sentir seu corpo no dele. Eles chegariam à parte de nus mais tarde. Ele varreu as mãos ao lado de suas costelas e ao longo de suas costas, em seguida, puxou-a contra ele. Seus seios colados contra o peito, o nariz apenas alguns centímetros do seu.

132


Ele espalmou na nuca e a puxou para um beijo. Desta vez, não haveria ninguém para interrompê-los. O mais suave suspiro escapou de seus lábios enquanto suas bocas se encontraram, os seus lábios deslizando juntos. Manteve-o lento e fácil no começo, seus dedos dançando no cabelo dela, segurando-a no lugar enquanto se movia sobre sua boca. Ele passou a mão sobre suas costas e virou para suas pernas estarem no sofá e a teve embalada em seus braços. Em seguida, ele se aprofundou no beijo, exigindo mais, deslizando sua língua dentro da boca dela para varrer contra a dela. Ela gemeu e empurrou seu corpo mais perto dele. Ele aqueceu, duro, e serpenteava a mão pelas costas para apertar seu bumbum. Seria tão fácil dar-lhe exatamente o que ela queria e deixá-la nua e transar com ela para levá-los a liberar a tensão que os dois tinham. Mas isso seria demasiado fácil, e não queria nada sobre isso ser fácil. Ele queria que isto muito complicado, por isso ela não iria fugir e achar outro cara amanhã. Por que ele se importava, ele não sabia. Não estava procurando um relacionamento ou a permanência de qualquer tipo. Mas ainda não queria Jenna se encontrando com mais ninguém. Se isso fazia dele um idiota, ele teria que viver com isso. Ele colocou a cabeça na dobra do braço e a virou mais para que ele pudesse colocar a sua mão sobre os seios. Ela não usava um sutiã esta noite, e ele tinha visto os mamilos endurecerem cada vez que tinha um calafrio. Tinha sido difícil não estender a mão e tocá-los, para colher um punhado deles e provocar as cristas enrugadas cada vez que apertou contra. Agora, ele esfregou um polegar no seio, depois o outro, observando os picos em seu toque. Ele enfiou a mão sob a blusa, seu estômago tremeu quando ele espalmou. Ele sorriu para ela, então caminhou com seus dedos ao longo de seu torax e colocou a mão sobre o peito.

133


Ele adorava tocá-la, adorava ver a centelha de paixão em seus olhos quando rolou seu polegar sobre o mamilo. ‚Levante, bebê.‛ Sentou-se e ele levantou a camisa sobre a cabeça. Ela estava imediatamente, com os seios à mostra. Agora, ele poderia jogar, poderia levantar e agitar sua língua sobre o mamilo, podia lamber e chupa-los até que ouvisse os suspiros doces e gemidos que ela fazia. Ah, sim, ele gostava de ouvi-la, gostava de senti-la contorcer-se contra ele quando se virava em sua direção para ter um peito em sua boca. Ele mordiscou seu peito, jogou com sua língua sobre o mamilo, e chupou-o entre seus lábios, usando os dentes para morder levemente até que ela não poderia ficar quieta, até que gemeu e agarrou seu braço, cavando as unhas em sua pele. E quando ele alisou a mão sobre sua barriga e começou a se mover para o sul, ele ouviu o gemido de prazer e sorriu. Sim, era exatamente para onde estava indo. Direito ao botão da calça jeans. Ele desfez o botão, puxou o zíper para baixo, e deslizou a mão em suas calças. ‚Ty.‛ Ele não tinha certeza se seu nome foi uma declaração, um sussurro, ou um fundamento. Tudo o que ele sabia era que sua pele parecia como fogo sob a calcinha de seda frágil. Molhou os dedos abaixo de seu sexo e tocou o piercing. Seu corpo zumbia, e seu cheiro doce encheu o ar em torno deles. Ele passou os dedos mais abaixo e ela estava úmida. ‚Vamos ter este fora.‛ Ela puxou os quadris da calça jeans e deslizou para fora deles, chutando-os até o fim do sofá.

134


Calcinha tinha listras brancas e rosa e era fio dental, as bordas mal raspando os ossos do quadril. Ela estendeu a mão para eles, mas ele a impediu. ‚Deixe este. São sexys. Deixe-me tocar em você.‛ Ele espalmou a calcinha, sentiu o calor e umidade através dela. E quando rodou os dedos sobre seu sexo, ela arqueou contra ele. Ele estendeu a calcinha de lado, arrastando os dedos sobre os lábios da boceta. Ela era como veludo aqui, lisa e sedosa. Ele queria lambe-la, sentir seu derramamento de creme doce sobre a sua língua até que ela gozasse. Ele sentou-a e colocou de volta contra o sofá, então caiu de joelhos, tirando as pernas para a borda. Ele pegou sua bunda em suas mãos e inclinou-a para sua boca, então encontrou o seu olhar enquanto a lambia. ‚Oh‛, era tudo o que ela disse quando ele balançou sua língua ao longo do piercing no clitóris, em seguida, levou-a na boca e chupou, deixando o resto do nó contra sua língua. Seu sabor fez seu pau duro. Queria ouvi-la gritar, queria que ela gozasse em sua boca. Ele rodou a língua pelos lábios, em seguida, deslizou dentro dela. Ela levantou contra ele, deslizando sua boceta contra seu rosto. Sua resposta o deixava maluco. Seria tão fácil tirar o pau para fora e bater dentro dela, os dois gozariam. Mas este era um doce prazer para ela, e seu prazer era mais importante. Sua hora viria mais tarde. Tudo sobre ela o excitou, do jeito que ela levantou a bunda, o modo como seus músculos apertaram quando ela estava perto do orgasmo. Ele achatou a sua língua contra o clitóris dela e contorceu ao redor do piercing. Ela gritou com um gemido baixo, culminando enquanto estremecia e sussurrava gemidos que quase quebrava o seu controle. Ele beijou suas coxas e sua barriga, subindo para os seios, os observando subir e descer com sua respiração pesada.

135


Ela levantou a cabeça e sorriu para ele, então chegou para ele dar um beijo em sua boca, lambendo os lábios e tendo um gosto de si mesma. ‚Mmm‛, disse ela, em seguida, agarrou sua camisa e levantou-a fora dele, jogando de lado. Ela plantou suas mãos em seus ombros, deixando as mãos deslizar para baixo nos braços. Ele gostou do jeito que ela o tocou, gostou da forma como seu olhar vagueou sobre seu corpo com uma apreciação pura feminina que o fez maldito feliz em ser um homem. ‚Agora eu quero você no sof{‛, disse ela. Ele ficou feliz em obedecer. ‚Mas, primeiro, tire essas calças.‛ Ele sorriu, chutou suas botas e meias fora, em seguida, viu quando ela deslizou de joelhos no chão. Oh, sim. Ele viu onde ela estava indo com isso, e suas bolas apertaram. O pensamento de sua boca sobre ele fez o seu pau endurecer na antecipação. Ele queria isso, tinha pensado nisso várias vezes em suas fantasias sobre Jenna. E tinha um monte de fantasias sobre ela quando não estava com ela. Mesmo quando estava com ela. Então ele pensou muito nela. Não significa nada. Só significava que ela era quente e não tinha tido o seu esgotar dela ainda. Podi levar algum tempo para se fartar de Jenna. Ela levantou-se contra ele, arrastando os seios contra o peito. A provocação de seus mamilos fez a sua dor no pau aumentar por ela. Ele afastou os pés, mas ela recuou. ‚Ainda não. Tenho planos para você.‛ Ela passou o dedo contra o lábio inferior, em seguida, rodou o lábio com a língua antes de mergulhar para tomar o gosto, duro e quente dele. Ele passou os braços em volta dela e puxou, próxima a pele macia de suas costas antes de serpentear até pegar um punhado dos globos doces de sua bunda. Ele a puxou contra seu pau,

136


precisando sentir essa conexão. Seu pau latejava. Havia provado a ela, esperou por ela, e queria estar dentro dela agora. Mas Jenna tinha outros planos, porque se afastou, plantou beijos em seu pescoço quando ela acabou o seu caminho até o peito, usando as mãos e boca para deixá-lo louco. Ela arrasou seus mamilos com as pontas dos dedos, arrastando sua língua a um, depois o outro. Ele respirou fundo, quando um raio de sensação baleou ao seu pênis. Ela riu, levantou a cabeça para sorrir para ele. ‚Estou chegando l{. Seja paciente.‛ Ele não se sentia paciente agora. Estava com fome dela. Ela tinha um corpo que ele não se cansava, e do jeito que lhe tocou o estava deixando maluco. Estava torturando com as unhas, no seu corpo, depois com sua boca, após o toque. Ela lambeu-o, arrastou os dentes sobre sua pele até que ele levantou os quadris para fora do sofá. Não tinha certeza se queria mais, ou se aguentaria. Só sabia que se sentia tão bom e queria suas mãos e sua boca perto de seu pênis. E quando ela colocou as mãos sobre as coxas e levantou a cabeça para encontrar o olhar dele, estava pronto para mendigar. Mas não precisou, porque ela segurou seu pau na base e acariciou-o, enrolando as duas mãos sobre o eixo. Ele colocou a cabeça para trás e viu quando ela enrolou o dedo sobre a crista. Suas bolas apertaram e empurrou seu pau quando ela apertou seu pênis em um aperto. Deus, ele poderia disparar sua carga agora apenas observando as mãos sobre ele. E quando ela se curvou e colocou seus lábios sobre a cabeça, cerrou os dentes, pois sua boca estava quente e molhada e era um inferno doce de uma mulher bonita. Ela revirou a língua sobre a cabeça do pau, então para baixo ao longo da parte inferior do seu eixo, provocando o saco dele com a ponta da língua antes de mordiscar suas bolas. ‚Cristo, Jenna. Isso é bom.‛

137


Ela pegou suas bolas na boca e rolou a língua sobre eles, então lambeu de volta até seu pau novamente, sacudindo a língua sobre cada parte dela antes de engolir com a boca. Ela desceu sobre ele como uma deusa, como o sonho de todo homem. Ele inclinou-se e enroscou os dedos em seus cabelos, ajudando a marcar o ritmo. Não podia deixar de empurrá-la para baixo em seu pênis para tomar tudo dele, perguntando se iria se recusar. Ela fazia sons de aprovação, envolvendo a mão em torno da base de seu eixo para apertar e acariciá-lo. Suas bolas tremeram. Ele não aguentava mais isso. Rangeu os dentes, seu corpo esticado com a necessidade de liberação. ‚Oh, sim, eu vou gozar.‛ Ele queria dar-lhe tempo para caso quisesse sair, mas ela apertou os lábios firmemente ao redor de seu pênis. Ele começou a suar quando seu orgasmo rasgou o seu corpo, fazendo-o tremer e balançar tanto que suas pernas tremiam. Assistindo Jenna levar tudo, sua garganta trabalhando quando ela engoliu, aumentando a intensidade de seu orgasmo. Quando acabou, Jenna saiu, pressionando um beijo para seu pau. Ela lambeu os lábios e subiu seu corpo para beijá-lo. Ele colocou a parte de trás do pescoço e enfiou a língua na boca dela, abalado pela intimidade que ela tinha lhe mostrado. Ela deitou a cabeça sobre o peito e acariciou-o, deixando-o recuperar. ‚Você sente o gosto bom‛, disse ela. Ele sorriu. ‚Como você. Obrigado. Gostei disso.‛ ‚Eu também queria fazer isso há um tempo, mas você está sempre fazendo coisas para mim.‛ Ele esfregou as costas dela, amando a maneira como se arqueou contra sua mão, como se quisesse mais. ‚Gosto de beijar e tocar em você. Gosto de saber que você saiba que posso fazer por você.‛

138


Ela levantou a cabeça para olhar para ele. ‚Tudo que você faz para mim me deixa excitada. Mas você provavelmente j{ percebeu isso.‛ ‚Você tem um corpo sensível.‛ ‚Não com todos. Mas com você? Definitivamente sim.‛ ‚H{ outros?‛ Ela riu. ‚Não. Eu acho que você também sabe disso. E quanto a você, material quente jogador de hóquei? Com Liz como seu agente? Ela tem que estar jogando mulheres em você o tempo todo.‛ ‚Ela está reformada após a confusão com Mick. Disse que vai ficar fora do amor de seus clientes para sempre.‛ ‚Acredito nisso. Não que você teria qualquer dificuldade em atrair muitas mulheres em seu próprio lugar.‛ Interessante que ela quisesse saber se ele estava vendo outras mulheres. E aqui ele pensou que ela não se importava. Talvez ele estivesse errado. Ele passou as mãos para baixo do seu peito, em seguida, puxou-a em seu colo, as mãos em seus seios. ‚Estou muito ocupado para perseguir mulheres.‛ ‚Você tem feito um trabalho muito decente me perseguindo.‛ ‚Ah, mas você é especial.‛ ‚Sim? Como assim?‛ ‚Eu gosto da maneira como você olha, da maneira que saboreia, do jeito que você se desmancha em minhas mãos e minha boca.‛ Ele roçou os polegares sobre os mamilos. Ela respirou profundamente. ‚Oh, se sente bem. Belisque-os.‛ Ele segurou os mamilos entre o polegar e o dedo médio, dando-lhes um aperto. ‚Gosto que posso tocar em você como isto e você me diz o que quer.‛

139


‚Deus, sim, gosto disso. Faça isso mais difícil.‛ Ele gostava que ela pudesse gostar de um pouco de dor, que ele não teria que tratá-la como uma flor frágil. Seu pau parecia aço latejante quando apertou em seus mamilos. Ele puxou até que ela engasgou. Jenna agarrou seus seios e puxou o lábio inferior com os dentes. Ela balançou a boceta dela contra seu pau. ‚Você pode conseguir vir desta maneira?‛ Perguntou ele. ‚Provavelmente.‛ ‚Faz. Eu quero ver.‛ Ela avançou, em seguida, de volta, deslizando sua boceta molhada contra o seu eixo. Ele vislumbrou provocando sua perfuração pequena, sentindo como ela oscilava para trás e para frente sobre a fúria do seu pau duro. Os músculos das coxas trabalhavam enquanto ela ia para frente, então se inclinou para trás, usando o pênis dando prazer a si mesma. E quando se abaixou para esfregar seu clitóris, ele não aguentou mais. Ele a agarrou e se inclinou para frente, agarrando o preservativo de suas calças. Ele rasgou o invólucro, e Jenna deslizou para trás, enquanto ele colocava em tempo recorde. Ela levantou, então empalou em seu pau, gritando quando ele estava totalmente enterrado dentro dela. Seu pênis estremeceu enquanto o rodeava, apertando-o com minúsculas pulsações. ‚Estou pronta para vir‛, disse ela, ofegante. Ela se inclinou para tr{s, apoiando as mãos nas coxas. ‚Puxe fora então me foda duro.‛ Ele umedeceu os dedos com seus sucos e esfregou os dedos sobre o clitóris.

140


‚Oh, bem ali.‛ Ela encontrou seu olhar cheio enquanto bombeava dentro dela e massageava a gema dura. ‚Sim, isso vai me fazer gozar, Ty.‛ Ele sentiu as contrações do aperto do orgasmo em um torno, apertado. Ela gemeu, em seguida, montou-o com força enquanto golpeava, atirando-se para frente, levantando e batendo para baixo em seu pênis. Observa-la era mágico. Ela continuou com força total, passando de um pico para o outro. Ele empurrou profundo com tudo o que tinha até que não poderia segurar por mais tempo. Passou os braços em volta dela e levou um de seus mamilos em sua boca, sugando-o profundamente quando ele chegou ao clímax com um gemido rígido. Jenna enfiou os dedos em seus cabelos e segurou firme enquanto ele gozava com arrepio e gemido. Ele lambeu seu mamilo, sacudindo-a com sua língua, amando a vibração de seu prazer quando se aconchegaram. Ele caiu de costas contra o sofá e ela escovou o cabelo longe de sua testa. Suas bochechas estavam vermelhas, os mamilos inchados. O rescaldo do sexo com ela era sempre divertido. Ela não era tímida sobre seu corpo ou sobre sexo, provavelmente por que ele gostava de estar com ela. ‚Estou com fome novamente‛, disse ela. ‚H{ sobras de pizza.‛ Ela assentiu com a cabeça. ‚Eu amo pizza fria.‛ Ele deu um tapa na bunda. ‚Eu também.‛ Ela saiu de cima dele. ‚Ótimo. Você vai precisar de proteína, porque vou estar pronta para outra rodada em breve.‛ ‚Insaciavel, é você?‛ Ela pegou suas roupas e se dirigiu ao banheiro. ‚Você não tem ideia.‛

141


142


Capítulo Treze JENNA NORMALMENTE NÃO SE CONSIDERAVA SEDENTA DE SEXO. Oh, ela adorava sexo, ansiava por um bom orgasmo, mas era raro encontrar um cara que era igual a ela na cama. Sabia que ia ter um problema com Ty. Não somente era divertido estar ao redor, ele era um dínamo sexual. Ele deu tudo que ela queria, e então mais. Ele não era necessitado, covarde, metrosexual, ou submisso. Surpreendentemente, um monte de homens era. Ela não queria assumir na cama. Ela não se importava de vez em quando, mas queria um homem que sabia o que estava fazendo com seu pênis. Ty definitivamente sabia o que fazer com ele. Ela teve ondas de calor só de pensar o que ele fez com o seu pau. E suas mãos. E sua boca. Porra. Ele também não pescava elogios sobre sua aptidão sexual, sem surpresa, um monte de homens fazia isso também. Ele parecia contente em fazer sexo com ela e, obviamente, gostava o inferno fora dela, como ela fazia. E nenhuma vez lhe perguntou se tinha sido bom para ela, ou se ele foi bom o suficiente. Ele tinha acabado de assumir que ele abalou o mundo dela, e tinha. Ela claramente lhe dava provas disso. Eles faziam um bom par, e não apenas sugar, porque sua intenção era torcer tanto prazer quanto podia para fora dele, então quando ela se cansasse do jogo, iria despejá-lo. Isso soava horrível, mas inferno, os homens faziam isso o tempo todo. Por que não podia? Só que ele estava estatelado no chão na frente de seu sofá. Eles tinham comido pizza, feito sexo novamente, e agora estavam assistindo a um outro filme. Ty parecia contente em beber

143


refrigerante e passar a noite sem sair com ela. Ele não fazia exigências que não em seu corpo, que foi tocada em todos os lugares. Ela teve uma grande noite, e ela não tinha terminado com ele por um longo tiro. O filme terminou e ele inclinou a cabeça para tr{s. ‚Você gostou desse?‛ Ela tinha. E assim como ele tinha. Ele tinha dado uma grande gargalhada e até chegou-se para agarrar a mão dela durante a parte emocional, chorosa quando a ouviu fungando. E de bônus — ele não tinha feito pouco caso dela. Havia muito a ser dito por um homem que apoiava uma mulher que chorava nas partes tristes dos filmes. ‚Foi um romance bom.‛ Ele se virou para encará-la. ‚Foi. Ambos cometeram erros e fizeram merda que precisavam compensar, então não havia um equilíbrio em ambos os lados. Ambos estavam errados.‛ ‚Isso é verdade. Cada um deles tinha de crescer e aprender sobre si mesmo antes de eles acabarem juntos no final.‛ Ele sorriu. ‚Sim. Era uma boa história. E gostei do fato de que ele trouxe o filhote de cachorro de um abrigo de animais.‛ ‚Awww. Um ot{rio para os animais, não é?‚ ‚Toda vez. Mas não conte meu segredo. Poderia arruinar a minha imagem de assassino macho sobre o gelo.‛ ‚Seu segredo est{ seguro comigo.‛ ‚É bom saber. Agora me diga sobre o seu segredo.‛ Ela arqueou uma sobrancelha. ‚Segredo?‛ Ele se levantou e estendeu a mão. Curiosa, ela deslizou sua mão na dele e a puxou para seus pés e caminhou pelo corredor.

144


‚Eu vi isso no outro dia quando você me deixou em sua casa.‛ Ele parou em frente à sala de música. Ela franziu a testa, e então percebeu ao que ele estava se referindo. ‚Oh, o violão?‛ ‚Sim. E a música. Você escreve.‛ Ela encolheu os ombros, determinada a minimizar a coisa da música. ‚Algumas.‛ Ele se encostou a porta. ‚Parece um monte mais do que alguns. E você, obviamente, toca.‛ ‚Mais vez. Algumas.‛ Ela ficou surpresa que ele percebeu. ‚Você canta também?‛ ‚Um pouco.‛ ‚Ótimo. Toque uma música e cante para mim.‛ Ela balançou a cabeça. ‚Oh, não. Eu só faço isso por mim mesma.‛ ‚Por quê?‛ ‚Porque me relaxa e é algo que gosto de fazer no meu tempo livre.‛ ‚Quero dizer, por que você só canta e toca para si mesmo? Você faz mal?‛ Ela ergueu o queixo. ‚Não, eu não sou mau.‛ ‚Então, toque para mim.‛ ‚Eu não penso assim.‛ Ele levou as mãos nas suas. ‚Quero ouvir você, Jenna. Por favor, toque alguma coisa para mim.‛ A sinceridade em sua voz, em sua expressão, tirou alguma coisa dentro dela. Ela nunca tocou para outras pessoas. Desde a Europa. E isso tinha sido há muito tempo. ‚Eu não sei.‛ ‚Apenas uma canção. Você tem toda essa música aqui. Deixe-me ouvir uma canção.‛

145


‚Ótimo.‛ Ela se sentou no chão e pegou o violão. Ele sorriu e entrou no quarto, caindo para o sofá, olhando tão ansioso como se tivesse acabado de sentar na primeira fila de assentos para ver Nickelback ou Beyoncé ou alguém famoso. ‚Espero que você não esteja esperando qualquer mudança de vida aqui.‛ ‚Não estou esperando nada, Jenna. Eu só quero te ouvir.‛ Ela aqueceu os dedos sobre as cordas, em seguida, começou a tocar. Apenas música em primeiro lugar, se acostumando com a ideia de realmente tocar na frente de alguém novamente. Mas, quando a música encheu a sua cabeça, esqueceu que Ty estava lá, e fez o que era natural para ela, cantou, as palavras fluindo enquanto dedilhava as cordas do violão. Era uma das músicas que havia escrito recentemente sobre a necessidade de liberdade, de se sentir preso e estar preso. Ela trabalhava em uma ponte sobre seus sonhos, de todos os lugares que iria se estivesse livre. Era uma música lenta e melancólica, mas cheio de esperança. Quando terminou, olhou para cima, e Ty estava inclinado para frente, os cotovelos apoiados sobre os joelhos. ‚Uau, Jenna. Você é incrível.‛ Ela sentiu o calor do pescoço ir para suas bochechas. ‚Você acha?‛ ‚Sim. Quero dizer, muito mais surpreendente do que pensava que estaria.‛ Seus l{bios se curvaram. ‚Então, você esperava que eu fosse ruim.‛ ‚Esperava que fosse apenas algo que você estivesse interessada. Não esperava que você fosse tão boa. Você tem uma voz incrível. E essa canção. Você escreveu isso?‛ Ela assentiu com a cabeça. ‚Quanto tempo você tem escrito músicas?‛ Ela encolheu os ombros.

146


‚Jenna.‛ ‚H{ muito tempo.‛ Ele arrastou os dedos pelos cabelos e levantou-se, então, sentou no chão em frente a ela. ‚Não sou nenhum expert em música, mas isso foi bom. Muito bom.‛ ‚Obrigado.‛ ‚H{ quanto tempo você toca?‛ ‚Mais uma vez. Um longo tempo.‛ ‚Diga-me sobre isso.‛ ‚Não é realmente um grande negócio.‛ Ele olhou ao redor, partituras empilhadas e espalhadas por todo o quarto. ‚É, obviamente, um grande negócio para você. Você escreve, você toca. Diga-me.‛ Ela respirou profundamente. ‚Eu levei tive alguns cursos de música na faculdade antes de cair fora. Realmente gostei muito.‛ ‚E?‛ Perguntou depois que ela fez uma pausa. ‚Nada. Eu só gostei dos cursos e senti falta de toda música depois de ter saído da faculdade. Então comecei a escrever músicas.‛ ‚Cante outra coisa.‛ Ela não poderia ajudar a emoção fluindo através dela. ‚Certo.‛ Desta vez, ela escolheu uma canção mais otimista, uma canção popular familiar para quem já ouviu no rádio. Era uma das suas favoritas, e estava ao seu alcance. Ela cantou o tempo todo e sempre a fazia se sentir bem. Quando ela terminou, Tyler bateu palmas e ela riu. ‚Obrigado‛, disse ela. ‚Então porque você não est{ fazendo isso... em algum lugar?‛ ‚Em algum lugar?‛

147


‚Sim. Como em um est{gio em algum lugar. Em público.‛ Ela soltou um suspiro, então colocou o violão no pedestal, empurrando para fora do tapete, e se levantou. ‚Por favor. Sou uma amadora.‛ Ele levantou-se também. ‚Minha bunda, amadores.‛ Quando ela tentou sair, segurou-a para trás, agarrando a mão dela. ‚Você é uma cantora incrível, Jenna. As pessoas deveriam ouvi-la.‛ Ela franziu a testa. ‚Não.‛ ‚Por que não?‛ ‚Porque não quero.‛ Ela saiu do quarto e voltou para a sala de estar, as palavras de Ty serpenteando em torno de sua cabeça. ‚Você est{ com medo de cantar em público?‛ ‚Não é isso.‛ ‚Então o que é?‛ Ela pegou a caixa de pizza vazia e começou a limpar. ‚Deixe-me sozinha, Ty.‛ Mas ele a seguiu até a cozinha. ‚Você tem um talento que est{ escondendo.‛ Ela ignorou-o e levantou o lixo para fora da lata. Ele tomou dela e amarrou, em seguida, levou-o fora, dando-lhe um minuto para respirar em uma respiração frustrada. Ela mordeu o lábio para conter as lágrimas. Nunca cantou na frente de ninguém. Não mais. Ninguém sabia do seu hobby. Sempre tinha sido apenas para ela, uma maneira de deixar para fora suas frustrações, derramar os seus sentimentos sobre o que estava em sua mente. Por que ela havia cantado na frente dele? Isso não fazia sentido. Devia ter ficado para si mesma. Em vez disso, tocou para ele. Não cantou apenas uma canção popular, mas uma que tinha escrito. Ele gostou, fez parecer que ela era realmente boa.

148


Ele tocou em um nervo, tinha batido em seus sonhos e fantasias, fazendo-a querer coisas que sabia que nunca poderia ter. ‚Onde est{ os sacos de sua lata de lixo?‛ ‚O quê?‛ Ela não tinha ouvido ele voltar para e dentro. ‚Sacos de lixo, para a lata de sua cozinha?‛ ‚Oh. Certo. Sob a pia.‛ Obrigando-se a concentrar, ela se virou. ‚Eu posso fazer isso.‛ ‚J{ est{ feito.‛ ‚Bem, obrigado.‛ ‚De nada.‛ Ela se virou, mas ele colocou seus braços em volta dela e puxou-a de volta contra o seu peito. ‚Você é uma grande cantora, Jenna. Só quis dizer para cumprimentá-la, não te chatear.‛ Ela suspirou. Estava sendo excessivamente sensível. ‚Aprecio isso. E não estou chateada.‛ Ele inclinou a cabeça para o lado. ‚De alguma forma acho que h{ mais nessa história.‛ ‚Não é verdade.‛ Ele virou para encará-la. ‚Seja o que for, você pode falar comigo sobre isso.‛ ‚Toquei quando estava na Alemanha. Há um berço musical incrível lá e me juntei com algumas bandas. Estava vivendo o meu sonho e dando um tempo na minha vida, escrevi e cantei.‛ Ele cruzou os braços e encostou-se ao balcão. ‚Sim? Isso é ótimo.‛ ‚Foi. Tivemos um convite para fazer este grande show. Só que eles só queriam a banda. Não eu. Eles odiavam a minha voz, disse que eu estava segurando a banda.‛ ‚Ai.‛

149


‚A banda me chutou para fora e era o fim do meu canto.‛ ‚Jenna, a rejeição é parte do negócio, não é?‛ Ela encolheu os ombros. ‚Talvez. Não sei. Simplesmente não era boa suficiente.‛ Ele empurrou para fora do balcão e veio até ela, colocou as mãos em seus ombros. ‚É boa suficiente. Você tem uma voz incrível. Talvez apenas não era a voz certa para aquela determinada banda. Isso não significa que sua voz não era boa suficiente. É boa suficiente. Acho que tem uma voz incrível.‛ Ela ergueu o olhar para o seu. ‚Est{ tudo bem. Cantar na privacidade do meu quarto.‛ ‚Besteira. É incrível.‛ Seus l{bios se curvaram. ‚Você não é exatamente um caçador de talentos. Mas aprecio pensar assim.‛ ‚Então o que aconteceu depois disso?‛ ‚Nada.‛ ‚Você quer dizer, você parou de cantar?‛ ‚Não, claro que não. Como pode ver a bagunça no quarto, ainda estou escrevendo canções e cantando.‛ ‚Mas não publicamente.‛ ‚Uh, não. Não até hoje à noite. Para você. Que acho que não pode ser considerado canto ao público.‛ Suas sobrancelhas se levantaram. Sabia que ele queria dizer mais, mas talvez viu o olhar suplicante em seus olhos, porque ele sorriu e disse: ‚Então, estou honrado. Obrigado.‛ ‚De nada.‛ Ele se inclinou e roçou os l{bios contra os dela. ‚Você é uma mulher de muitos talentos.‛ Ficou feliz que a tensão tinha dissolvido, ela riu. ‚Sim, sou um baita barman.‛

150


‚Bem, sim, que, também, mas esses não são os talentos que tenho em minha mente agora.‛ ‚É mesmo? E o que est{ em sua mente agora?‛ ‚Algo mais como um quarto.‛ Ele pegou-a nos braços e seguiu pelo corredor em direção ao seu quarto. Ela olhou para a intenção óbvia amorosa em seu rosto e sorriu. ‚Falando de alguém com muitos talentos...‛

151


Capítulo Quatorze TY PERGUNTOU A JENNA SE QUERIA SAIR. POUCOS DIAS depois ficou surpreso quando ela concordou. Depois daquela noite, ela tinha ficado chateada, se tivesse sido uma boa esportista sobre querer estar com ele rápido. Ela não era uma daquelas mulheres que ficava louca e ficou assim. Uma coisa boa, também, porque ele tinha planos especiais para ela hoje à noite, e poderia acabar irritada com ele mais uma vez. Felizmente, manobrou tudo corretamente para ela nunca saber como tinha acontecido tudo. Ele a pegou as oito. Usava jeans e uma camisa muito sexy, que cobriu com uma jaqueta de couro e arrematou com botas de salto alto. Ela parecia tão quente que ele queria esquecer tudo e levá-la para cima e esquecer o negócio puxando o jeans fora e tendo-a nua. Mas isso não era o objetivo desta noite. Ou pelo menos não era o objetivo inicial desta noite. Esperava acabar lá mais tarde. Ele não podia ajudar a si mesmo. É onde sua mente vagava sempre que estava com ela. Ela entrou em seu carro e fez-se confortável esticando suas longas pernas para fora e cruzando os pés em seus tornozelos. Ela se virou para ele, seus longos brincos de prata pendurados no seu pescoço. ‚Você olha hoje | noite bonita.‛ Ele se inclinou e apertou um leve beijo nos l{bios, que veio com um gosto de algo saboroso. Ele lambeu os lábios. ‚Cereja‛, ela deu-lhe em resposta. ‚E graças a você. Você parece muito quente também.‛

152


Ele estava mal vestido. Tinha colocado jeans, uma camisa de abotoar e sua jaqueta de couro para afastar o frio e havia muito frio no ar. ‚Obrigado.‛ Ele decolou e dirigiu pela estrada. ‚Então, onde estamos indo?‛ ‚O clube que algumas das esposas dos rapazes e namoradas estão falando. Deveria ser um ponto quente popular. Muita música boa, pelo que ouvi, e alguns jogos fant{sticos.‛ ‚Não é um bar esportivo, não é?‛ Ele riu. ‚Não h{ uma tela de televisão em todo o lugar.‛ ‚Então tenho certeza que vou adorar.‛ O passeio não demorou muito uma vez que o local era perto na cidade, que não era o lugar que você esperaria encontrar algum clube assassino, mas o estacionamento estava cheio. Eles tiveram que estacionar no meio da rua. Ty ajudou a Jenna sair do carro, então pegou a mão dela enquanto caminhavam em direção ao clube. ‚Eu sei sobre esse lugar‛, Jenna disse quando se aproximaram da porta da frente. ‚Um casal de amigos mencionou que vieram aqui. Disse que era difícil até mesmo chegar na porta. Eu não podia acreditar considerando a localização, mas agora entendo o que eles estavam falando.‛ Havia uma enorme fila. ‚Restrições de código de fogo, eu acho‛, disse ele, em seguida, olhando para Jenna. ‚Talvez devêssemos ter chegado aqui antes.‛ ‚Vamos entrar.‛ Ela riu e esquadrinhou a fila. ‚Sim, pela meia-noite.‛ Ele caminhou até a porta da frente e sorriu para o cara musculoso que guardava a porta. ‚Ei, Tyler.‛ ‚Como vai, Greg?‛

153


‚Bom.‛ Greg abriu a porta para eles. ‚Vocês dois se divirtam hoje.‛ ‚Obrigado.‛ Ty inclinou, em seguida, escoltou Jenna através da porta sobre as queixas daqueles esperando lá fora no frio. Tão logo entraram no clube, ela se virou para ele. ‚Então você é famoso, ou esteve aqui antes?‛ Ele torceu um sorriso. ‚Esta é minha primeira vez aqui. Greg faz a segurança nos jogos do ICE. Eu o vi quando nós chegamos, imaginei que ele poderia deixar-nos ultrapassar a fila.‛ ‚Golpe de sorte.‛ ‚Não foi?‛ Ele colocou a mão na parte de baixo das costas e a levou dentro do clube. Não era um clube de dança de balanço com música alta. Havia um bar em um lado e do outro lado, mesas espalhadas. Agora uma banda estava no palco tocando algo legal. ‚Oh, isso é divertido‛, disse Jenna, voltando-se para ele enquanto contornava a sua maneira as multidões para localizar uma mesa disponível. Eles encontraram uma perto do outro lado do clube e se sentaram. ‚Não é o que eu esperava.‛ ‚Sim? O que você esperava?‛ ‚Desde a fila lá fora? Algo mais forte, pesado sobre as luzes. Achei que era um daqueles quentes clubes de dança novos.‛ Ele riu. ‚Sim, você não vai encontrar isso aqui.‛ A garçonete veio e eles pediram as bebidas. ‚Meus amigos me disseram que era um grande clube, mas não me dizeram que tipo. Esta banda é boa.‛ ‚Eles são.‛

154


Sentaram-se para trás e ouviramquanto eles tomavam as bebidas e viu todo mundo dançando. Tyler esperou por Jenna perceber o livro, assim como os lápis e cartões sobre a mesa. Até agora, ela estava preocupada com a banda e observando o clube, bem como a sua inclinação natural, sem dúvida, para olhar o bar e os bartenders. Verificar para fora a competição e tudo isso. Mas quando a banda finalizou seu turno, baixou seus instrumentos, e deixou o palco sob aplausos estrondosos, Jenna franziu a testa. ‚Só isso?‛ ‚Huh. Acho que sim.‛ ‚Isso foi curto.‛ Até que um cantor subiu ao palco, uma menina vestida de jeans e camiseta. Ela tinha em néon laranja no tênis e seu cabelo estava em tranças. Ela era bonita. O locutor pediu a todos para dar boas vindas para Marie, e todos aplaudiram e gritaram. Música começou a tocar, e Marie começou a cantar. Ela era muito boa. Então Jenna franziu a testa novamente, notando o livro em cima da mesa. ‚Oh. É karaoke ou algo assim.‛ ‚É? A banda fez karaoke?‛ ‚Eu não sei.‛ Ela pegou o livro e folheou. ‚Não, é hoje | noite a noite do Open Mic 10. Você pode trazer sua banda ou cantar sua própria música ou eles tocam canções que você pode cantar.‛ ‚Huh. Isso é bem legal.‛ Ela inclinou um olhar em seu caminho. ‚Você não sabia sobre isso?‛

10

Normal ter o microfome aberto para quem quiser cantar. Muito normal hoje em dia nos bares.

155


‚Como diabos eu ia saber sobre isso? Nunca estive aqui antes. Como disse, algumas das mulheres mencionaram que vieram aqui e disse que era incrível, então pensei que iria dar-lhe uma tentativa. Você sabe, uma vez que h{ um bar e tudo.‛ Ela deu-lhe um olhar como se não acreditasse nele, mas voltou sua atenção para Marie e deixou cair o assunto. Tão longe, tão bom. Ele estava indo para conseguir Jenna no palco esta noite. E não teria que fazer ou dizer qualquer coisa para consegui-la lá em cima.

JENNA VIU UM DESFILE DE SUBIDA DE TALENTOS NO PALCO por algumas horas, ficou paralisada, intimidada e assustada. Por alguma razão, as pessoas não eram tímidas sobre mostrando o que sabiam, sendo boa ou ruim. E algumas pessoas eram realmente horríveis ou muito bêbadas, pensou que parecia grande, que a multidão não parecia se importar. Eram educadas, às vezes incomodadas ou vaiadas, dependendo de quem estava lá em cima, e muitas vezes batiam palmas alto, que era de se esperar considerando várias das pessoas que tinham estado ali eram malditos de talentosos. Isso ainda cheirava a uma armação, mas Ty não havia encorajado ela ou perguntou se ela queria ir para cima e cantar. Então, talvez estivesse sendo honesto e não tinha conhecido que tipo de lugar de talento local, poderia mostrar o que faziam. Tudo o que ele fez foi sentar, beber, e fazer comentários com ela sobre o que pensava que era grande e o que achava horrível. Ela concordou cem por cento, com as suas avaliações, também. Ainda assim, estava nervosa, determinada que a qualquer momento ele iria sugerir que ela desse uma tentativa de cantar esta noite. Que ela não faria. Não era possível. Não tinha feito

156


desde a experiência terrível na Alemanha, quando havia sido informada de que não era boa suficiente. Ela nunca passaria por isso novamente. Duas horas, ele ainda não tinha dito uma palavra maldita. Ainda assim, ela era melhor do que a metade das pessoas que iam bêbadas até lá para cantar a mais recente de Katy Perry ou Miranda Lambert ou música Adele. Maldição. Eu poderia iluminar um fogo sob as bundas destas pessoas e levá-los a seus pés. ‚Tenho certeza que você poderia, se é isso que você queria fazer.‛ ‚O quê?‛ ‚Acender um fogo sob suas bundas e trazê-los aos seus pés.‛ Oh, Deus, ela tinha realmente dito isso em voz alta? Ela esperou por Ty dizer mais, empurrar ou incentivá-la ou de alguma forma intimida-la para o palco. Ele não o fez. Em vez disso, fez sinal para a garçonete para pedir outra bebida. Esta era a sua escolha. Se quisesse ir lá e cantar, seria a sua decisão e de mais ninguém. Ty, obviamente, não estava indo para solicitar ou persuadi-la a fazer isso. Ela mordia o lábio inferior, enquanto uma banda começava a tocar e um monte de clientes subia na pista de dança. ‚Quer dançar?‛ Perguntou ele. ‚Claro.‛ Qualquer coisa para evitar ficar sentada e pensar. A banda era boa, tocava música de rock leve, com um vocalista do sexo feminino que teve uma grande voz, olhou ao seu redor. Ela gostava da voz desta cantora, e quando abrandou a melodia, Ty puxou Jenna fechando e colocando os braços em torno dela. Ela logo se esqueceu de

157


tudo sobre a música e em sintonia com o corpo dele balançou. Sua coxa deslizou entre suas pernas enquanto se moviam no ritmo em torno da pista de dança lotada. Ela deitou a cabeça no peito dele e inalou a masculinidade de seu cheiro, deixando os dedos percorrer os cumes rígidos de seus ombros. Ela tinha estado tão envolvida em torno de suas próprias inseguranças que não havia permitido ter prazer da companhia deste homem incrível. Foi só agora que viu os olhares invejosos de outras mulheres por perto, percebeu como ela era muito sortuda de estar nos braços de Ty. Havia cerca de dez mulheres olhando-a que adoraria trocar de lugar com ela. Que idiota ela era. Não era sempre sobre ela. ‚O que você acha?‛ Perguntou ele. Ela inclinou a cabeça para tr{s para olhar para ele. ‚Sobre o quê?‛ ‚Esta banda?‛ ‚Oh. Eles são muito bons.‛ ‚Sim, eles são. Eu gosto da cantora. Gostaria de ouvi-la sem todo o ruído do violão, no entanto. Ela é boa nesta canção.‛ ‚Sim, ela é.‛ Ele estava certo sobre a voz da cantora. A banda a dominou. Tinha uma voz cristalina, mas muito baixa e o violão a anulou. ‚Ela seria melhor como um ato de solo.‛ ‚Acho que você est{ certo. Algumas vozes são melhores sem uma banda por tr{s deles.‛ A banda teve uma boa resposta, mas não tão grande como a cantora teria obtido se tivesse exibido sua voz incrível como um ato de solo. E isso é Jenna soube que tinha de chegar lá e cantar. Não que isso significaria algo para alguém, mas ela mesma, mas tinha que fazer isso.

158


Por si mesma. Só para ver que tipo de reação ia ter. Só para provar a si mesma que talvez não era uma perdedora total. Fazia muitos anos desde a Alemanha. Por todos esses anos, tinha escondido a sua voz em sua casa, quando tudo o que realmente queria fazer era cantar, para que as pessoas a ouvissem. Para ser julgada, só mais uma vez. E se fosse vaiada fora do palco, então saberia. Quando a música acabou, ela e Ty voltaram para sua mesa e Jenna mandou um tiro. Ty arqueou uma sobrancelha. ‚Pronta para uma bebida?‛ Ela temperou seus nervos e dirigiu seu olhar para ele. ‚Vou cantar.‛ ‚Realmente.‛ Ele se recostou na cadeira. ‚Que música você escolheria?‛ ‚Não tenho ideia.‛ Ela pegou o livro e folheou, procurando canções que reconhecia suficiente, estaria em pé confortável na frente de uma multidão cantando. Ela encontrou algumas que amava que estivesse em seu alcance vocal, em seguida, pegou um cartão e lápis e anotou. Antes de perder a coragem, levou-a até o DJ e entregou. É quando o pânico veio. Voltou para sua cadeira e caiu direto sobre isso. Seu coração batia forte e as palmas das mãos começaram a suar quando náuseas incharam na boca do estômago. ‚Você vai viver?‛ Ela virou a cabeça para cima. ‚Eu não tenho certeza ainda. Por quê?‛ ‚Você est{ p{lida. Não tem que fazer isso.‛ ‚Quero. Vai ser divertido.‛ ‚Sim, parece que est{ preste a passar ao vivo na televisão nacional.‛ Ela inclinou a cabeça contra a mão dela. ‚Cale a boca.‛ ‚No caso de você vomitar no palco, vou deixar um balde l{ em cima.‛ Ela olhou para ele. ‚Você é tão engraçado.‛

159


Ela teve que esperar por mais três cantores, e depois seu nome foi chamado. O temor em seu estômago se transformou em ondas de calor e frio. Seus pés estavam paralisados enquanto ela empurrava a cadeira para trás. Ty se levantou e segurou a mão dela, forçando-lhe a atenção sobre ele. ‚Divirta-se, Jenna. Você realmente sabe cantar.‛ Ela balançou a cabeça e caminhou para o palco, não percebendo quantas pessoas estavam amontoadas em um clube até que olhou para o mar de rostos expectantes. O DJ entregou-lhe o microfone, introduziu a música dela e estava preste a cantar, depois recuou, deixando-a sozinha no centro das atenções. E se ela falhasse esta noite, as pessoas iriam rir, ou pior ainda, vaia-la? Tyler disse que ela era boa, mas estava tendo relações sexuais com ele, assim seu voto não contava. Este teste era real, e a música começou, sabia que não havia como mudar sua mente agora. Levantou o microfone e começou a cantar, a música tão familiar para ela como seu próprio nome. Tinha cantado centenas de vezes antes. Era uma canção de vinte anos, mas uma de suas favoritas. Uma canção pop doce sobre o amor e romance e o homem dos seus sonhos. Suas pernas tremiam. Inferno, tudo tremia, mas sua voz não, graças a Deus. Ela deu tudo o que tinha na música, servindo-se nas letras, cantando para a multidão, forçando-se a olhar diretamente para eles. Ela encontrou Ty lá, viu-o sorrindo para ela. Ela se agarrou no rosto e ficou concentrada em seu olhar, relaxou seu corpo e se fundiu com a música, até a última nota. Quando ouviu os aplausos e gritos, não conseguia acreditar que era real. Pensou que talvez tivesse sonhado esta noite inteira. Ela tinha certeza que ia acordar a qualquer momento em sua cama. Ela finalmente forçou seus pés para se mover quando se afastou.

160


‚Você tem uma voz assassina‛, o DJ disse quando ela devolveu o microfone a ele. ‚Espero que essa não seja a única música que vai cantar para nós.‛ Ela sorriu e abraçou-o, em seguida, deixou o palco, a imersão em felicitações em seu caminho de volta para a mesa, onde Ty pegou-a em seus braços. Ela beijou-o, derramando o seu alívio e gratidão para o modo como seus lábios se moviam contra o dele. ‚Whoa‛, ele disse quando se separaram. ‚Quem sabia que cantar iria excitar você tanto?‛ Ela finalmente relaxou o suficiente para sorrir. ‚Estou feliz que tenho você.‛ ‚Você foi incrível. Você ouviu a multidão? Estavam cem por cento com você.‛ Sentaram-se e ela tomou um longo gole de {gua. ‚Foi inacredit{vel. Nunca teria pensado... Você sabe, eu amei estar de volta na Europa. A multidão parecia amar-me. Mas sempre cantei com bandas. Nunca sozinha. Nunca soube que poderia ser assim. E então, quando eles me cortaram e me dizeram que eu não era boa suficiente... ‚ ‚Bem, agora você sabe que você é boa suficiente. Você é incrível, assim como eu lhe disse.‛ Adrenalina a chutou, e de repente não podia ficar parada. Contorceu na cadeira e estava pronta para pular de volta ao palco e lutar pelo microfone tirando longe do cara que tinha acabado de cantar. ‚Eu poderia querer fazer isso novamente.‛ Ele se inclinou para tr{s na cadeira. ‚Eu imagino que você faria. Quem não gosta de uma platéia? Sei que eu faço. Faz-me patinar mais r{pido.‛ Ela riu. ‚É por isso que estou tremendo todo e quero chutar todo mundo para fora do palco e assumir para o resto da noite?‛ Um dos lados da boca levantaram em um sorriso sabendo. ‚Exatamente.‛ ‚É um sentimento poderoso.‛

161


Era, e ela rapidamente anotou a canção seguinte, queria fazer, e esperou impacientemente por sua vez, mal ouvindo os cantores e bandas que cantaram diante dela. Ela não podia conter sua emoção quando seu nome foi chamado. Foi muito mais fácil chegar até lá, pela segunda vez, e foi recebida por aplausos quando estava no palco. Desta vez, fez uma música pop contemporânea otimista, muito feliz quando pessoas se levantaram para dançar enquanto cantava. Ela estava tão confortável no palco. Uma banda ao vivo trabalharia melhor, ela usaria isso, mas tomaria o que podia ter. No final, todos aplaudiram e assobiaram para ela. Ela não poderia ter tido qualquer vertigem como se estivesse bêbada, que não estava. Ela voltou ao seu lugar e tomou um copo inteiro de água. ‚Eu diria que você teve uma noite de sucesso.‛ Ela sorriu. ‚Um monte dos cantores teve também.‛ ‚Acho que você teve os maiores aplausos.‛ ‚Você é o meu encontro. Tem que dizer isso.‛ Ele tomou um gole de refrigerante, em seguida, estudou-a. ‚Não, eu não.‛ Certo, então ele não fez. Poderia ter sido educado e não a ter encorajado. Ele não a tinha empurrado, mas disse que era uma boa cantora. ‚Obrigado. Aprecio sua crença em mim.‛ ‚Ei, não sou um magnata da música, mas conheço uma voz especial quando ouço isso. Então o que você vai fazer com isso?‛ Ela bufou. ‚Nada.‛ ‚Nada?‛ ‚Sim. Quer dizer, o que mais eu faria?‛ ‚Eu não sei. Faça algo com seu talento.‛ ‚Como o quê? Ir a um desses concursos de canto e me mostrar? Isso não é comigo.‛

162


‚Não é o que eu quis dizer. Mas há muita coisa que pode fazer com uma voz como a sua. Você poderia ter uma carreira como cantora.‛ ‚J{ tenho uma carreira.‛ ‚Você tem um emprego. Não é a mesma coisa.‛ Ela encolheu os ombros. ‚Estou indo bem. Levantei-me e cantei em público pela primeira vez em anos. Isso foi monumental. Foi o suficiente.‛ ‚Você está se assentando, e não é a mesma coisa em tudo. Você nunca pensou em fazer algo que você ama?‛ Tinha pensado muito sobre isso. Tinha esse sonho desde que era criança. Um sonho que tinha sido deixado de lado novamente e novamente. Ela se recusou a deixar-se perguntar sobre coisas que nunca iriam acontecer. Até esta noite, quando finalmente lançou seus sonhos esmagados na caixa bloqueado que mantinha prisioneira durante tantos anos. Agora que tinha saído, sua mente girava com as possibilidades. Tempo para trancar seus sonhos novamente, porque não estava para acontecer. ‚Você pode—‛ ‚Não, eu não podia. Não quero falar sobre isso. Está ficando tarde, estou cansada e quero ir para casa.‛ Ela se levantou e se dirigiu para a porta, sem saber se Ty a seguia ou não. Quando caminhava para fora, ele estava ali ao seu lado, segurando sua mão, apesar de sua recusa inicial de manter a sua enquanto atravessaram a rua. Ela estava sendo pequena, fazendo beicinho, apesar da grande noite que tinha tido. Seu humor havia azedado e não tinha ideia do porquê. Não havia nenhuma razão para culpar Ty. Nada disso era culpa dele.

163


Deus, estava congelando fora, o frio gelado mordendo direto através de suas roupas. Suas orelhas picavam e ela desejava que tivesse pensado em trazer seu chapéu. Eles caminharam até o carro e ele segurou a porta para ela, então subiu e ligou o motor. Ela embrulhou o casaco apertado em torno dela para espantar o frio. O calor encheu o veículo depois de alguns minutos e ela finalmente parou de tremer. Enquanto Tyler dirigia, ela se concentrou na estrada à frente, embora às vezes olhava para Ty. Ele deve estar bravo com ela. Ela agio como uma criança no clube, correndo de lá porque não queria ouvir o que ele tinha a dizer. ‚Sinto muito‛, ela disse, finalmente. ‚Sobre o quê?‛ ‚Fui brusca no clube e sai em fuga de lá sem ao menos perguntar o que você queria. Você poderia ter querido ficar mais tempo.‛ ‚Estava bem em partir.‛ Que não lhe disse nada sobre como se sentia sobre seu comportamento. Ela deitou a cabeça contra o encosto de cabeça. ‚Essa coisa toda fica tocando para mim.‛ ‚Obviamente. Mas por quê?‚ ‚Tem sido nada mais do que um hobby por tanto tempo. Apenas uma fantasia para mim. Ninguém sabe sobre isso, exceto você. E então hoje | noite...‛ ‚Tornou-se real.‛ Ela estudou o anel de prata em seu polegar. ‚Algo parecido com isso.‛ ‚Você se divertiu?‛ Ela virou a cabeça e olhou para ele. ‚Eu fiz.‛ ‚Então isso foi bom o suficiente para esta noite, não é?‛

164


‚Você est{ certo. Foi.‛ Mas não era bom o bastante, porque agora ela se sentia inquieta, como se estivesse à beira de um penhasco e esta noite teve um vislumbre do céu, e tudo o que tinha que fazer para chegar lá era pular. Ela havia estado preparada na beira daquele penhasco, pronta para dar um salto de fé. O problema era, havia uma boa chance de que também podia cair como uma pedra diretamente para o fundo. Não estava confiante sobre suas asas. Inferno, ela não sabia se ainda tinha asas. E no seu caminho havia uma parede de rocha pura. Imóvel. Impenetrável. Ela não queria pensar sobre isso, não queria sonhar com o que ela nunca iria ter. Foi um sonho estúpido, de qualquer maneira. Ela nunca ia ser famosa, e nunca ia ser uma cantora. Ela comandava o bar de sua família. Isso é tudo o que ela estava indo sempre a fazer. Ty puxou para dentro do estacionamento em frente ao seu apartamento e desligou o motor. Ela colocou a mão sobre a dele. ‚Nenhuma razão para desligar isso. Seu carro vai ficar frio.‛ ‚Em outras palavras, você não me quer entrando.‛ ‚É tarde. E você tem um jogo amanhã.‛ Ele arqueou uma sobrancelha. ‚Sou um menino grande. Posso ficar até tarde. Se você quiser se livrar de mim, Jenna, use linguagem clara e me diga que não quer que eu entre.‛ Ela engoliu em seco. ‚Eu não quero que você entre.‛ Ele abriu a porta e deu a volta para o lado dela para deixá-la sair. ‚Ainda vou levá-la até a porta da frente.‛ Ela não sabia que tipo de humor estava, mas não era uma boa. Estava descontando em Ty, e odiava, pois ele não tinha feito nada disso.

165


Pescou as chaves da bolsa e se virou para ele. ‚Estou apenas cansada. Tem sido um longo dia.‛ Ele sorriu para ela e pegou as chaves de sua mão. ‚Você não me deve explicações.‛ Ele abriu a porta e entregou as chaves de volta para ela, depois puxou-a para ele e roçou os lábios contra os dela. Um incêndio queimou baixo em sua barriga e começou a chama como o beijo que significava para ser breve, se transformou em algo mais quente. Apesar do frio fora, ela manteve seus braços e não queria deixa-lo ir. Pergunte a ele, idiota. Mas algo a deteve. Ele não merecia o seu humor. Em outro momento. Ela se afastou e lambeu os l{bios. ‚Obrigado por esta noite.‛ Seu olhar escuro acendeu uma chama proibida dentro dela rugindo para a vida. ‚De nada. Noite, Jenna.‛ Ela pairou na porta enquanto ele caminhava até seu carro, e tudo o que queria era chamálo e pedir-lhe para voltar. Mas se conteve, e quando ele subiu de volta em seu carro, ela entrou, fechou a porta e encostou-se nela. Sim, outra coisa que queria e não se permitia ter.

166


167


Capítulo Quinze TY ATACOU O DISCO COM VINGANÇA, EMPURRANDO o defensor com o seu ombro enquanto avançava pelo gelo. Este era um jogo difícil contra o Vancouver, e estava suando dentro de sua engrenagem. A equipe iria chutar sua bunda e eles perdiam por dois gols, mas a única coisa que ele nunca faria era desistir. Nem seus companheiros de equipe. Era o início do terceiro período, o que significava que havia um monte de tempo para jogar. Todos eles tinham que fazer era manter o foco, empatar o jogo, então ir para a vitória. Um objetivo de cada vez. Mexeu o disco no centro, driblou em volta do defensor, e passou para Victor. Ty pressionou, patinando em direção à rede, apressando a frente e para trás com o seu adversário enquanto Eddie lutava contra o defensor para chegar à posição. Vamos lá, homem. Trabalhe com Victor e Jerry. O zagueiro escorregou o disco atrás do gol e ele gritou ao redor e se dirigiu para o lado do gelo do Vancouver. Maldição. Bufando, ele inverteu, na defensiva agora, usando o seu taco para ir ao seu centro de ataque. Mas era dois contra um e eles rodearam nele. Jerry e Steve estavam lá, o goleiro em posição. Eles levaram um tiro. Defendido. O defensor empurrou o disco de volta no gelo e Jerry trouxe para ele, deslizando-a em sua direção.

168


Ty tomou-a, teve Victor a tempo para se juntar a ele com o voleio frente e para trás, mantendo os adversários lutando. Victor passou para Eddie, e Ty entrou em posição com Victor próximo ao gol. O disco se chocou contra, mas segurou o disco dentro do seu taco, recusando-se a desistir do prêmio, lutando para segurá-lo enquanto patinava em direção à meta. Ele atirou para Victor, que mergulhou em direção à rede. O goleiro empurrou-o para fora, mas Eddie estava lá e bateu-o para dentro. Um objetivo feito. Sim! Agora, eles tinham que segurá-los. Ty e seu grupo tomaram o banco, enquanto o outro estava dentro. Era difícil se sentar no banco quando sempre quis estar lá fora jogando. Eles estavam tomando mais tiros a gol do que Vancouver. Eles deviam chutar suas bundas, mas tinham sido lento no primeiro período e Vancouver havia se atirado sobre eles. Estúpido. Agora eles estavam pagando por isso. Precisavam de mais dois golos ou estavam indo para perder um jogo que precisavam vencer. Ele olhou para o relógio restando oito minutos. ‚Czenzcho est{ lento hoje | noite‛, disse ele a Eddie e Victor, enquanto esperavam no banco pela sua vez. Tyler tinha lido sobre o defensor estrela do Vancouver se recuperando de um ataque de gripe. Ele percebeu que estava retardando-o. ‚Se caíssemos em cima dele, em dupla, podemos obter um tiro por ele e marcar esses dois gols.‛ Eddie balançou a cabeça. ‚Nós vamos fazer isso‛, disse Victor, como se as metas que precisem j{ eram previstas. ‚Ótimo. Passe adiante e vamos fazer o trabalho.‛ Depois de Vancouver incorrer numa pena para a verificação de Cruz, que tinha o poder do jogo, agora era a sua chance de atacar. Victor foi atrás de Czenzcho com uma fúria, Eddie

169


direito com ele. Tyler circulou de volta, indo ao objetivo, batendo musculatura com o outro defensor, apenas esperando pela oportunidade de deslizar o disco na rede. Victor pegou o disco e atirou o seu caminho, mas foi desviado pelo zagueiro. Eddie estava sobre ele, batendo Czenzcho e pegando o disco e atirando ao gol. Ele foi desviado pelo goleiro, mas o rebote bateu no ar e caiu. Ty estava lá e atirou na rede para a pontuação. Eles atingiram parte do objetivo, e a adrenalina atingiu um passo de febre. Dois minutos depois, Eddie deslizou uma entre as pernas do goleiro em uma dissidência de dois homens, e isso era tudo que precisava. Maldição, retorno satisfatório. Eles trabalharam suas bundas para esta vitória, e realmente precisavam. Eles perderam três das quatro nesta viagem, o que sugou eles fora. Tyler estava drenado e pronto para voltar para casa no ICE novamente. Talvez isso iria melhor sua irritação. Ele ligou os chuveiros, empurrando a cabeça sob a água quente cozinhando para sintonizar o som de celebração de seus companheiros. Não que não quisesse participar, o faria. Mais tarde. Agora precisava estar em sua cabeça, pensando o que diabos havia de errado com seu jogo nos últimos jogos. Ele tinha feito tudo certo. Inferno, todos eles tinham. Mas algo não estava clicando. Ele só não sabia o que não estava funcionando. Seus chutes a gol foram acima da média, mas estavam sendo superados e chateando ele. Ele não poderia culpar a defesa ou o goleiro, porque ganhava ou perdia como um time. Ele ia ter que estudar os filmes do jogo para descobrir isso. Nesse meio tempo, pegava a vitória de hoje à noite como um retorno, maldito de feliz que estavam pegando um voo para casa, e que tinha alguns dias de folga para se reagrupar antes de um trecho de jogos em casa. Ele pegou o sabonete e limpou, seus pensamentos se mudar para Jenna.

170


Não a tinha visto desde o não-tão-sutil-dispensa que ela lhe dera naquela noite depois de terem ido para o clube. Algo sobre o canto a tinha incomodado. Ele não sabia que tipo de demônios ela lutava, mas sabia sobre a necessidade de distância e tempo sozinha para pensar, para que não tivesse a pressionando. Mas sentia falta dela, que tipo de surpresa. Ele gostava de estar com ela, mas acho u que era apenas uma coisa divertida de fazer, que ela era uma coisa divertida para estar, para passar o tempo enquanto estava rondando no bar. Ela não era como um monte de mulheres que geralmente saia. Era complexa e interessante, e se perguntava sobre além da parte de sexo, de sua relação com o que ela pensava e como se sentia sobre as coisas. Ele desligou o chuveiro e arrastou os dedos pelos cabelos. Sim, ele não podia esperar para voltar para casa. Mas desta vez, estava indo jogar um tipo diferente de jogo.

‚DUAS MARGARITAS, UMA COM SAL EXTRA. UM BLOODY MARY, UM Dewar11, um Martini, e três Budweiser regular.‛ Jenna balançou a cabeça e empurrou para encher o pedido da garçonete, enquanto ao mesmo tempo de correr duas garrafas de cerveja no bar para seus frequentadores e recebia de um cliente que estava indo para casa. Tinha sido assim desde que o happy hour começou. O trabalho estava um inferno. O hoquei tinha estado em cada maldita noite, e o ICE estava viajando, o que significava que as televisões do bar haviam sido ligadas para os jogos. Ela tinha sido forçada a suportar o rosto de Ty e o corpo em múltiplas telas.

171


Pior ainda, ela se sentiu miserável quando eles perderam os três primeiros jogos. Mais que tentasse ignorar os jogos enquanto cuidava de seus clientes, seus gemidos e maldições a faziam olhar para cima e ver o quão mal o ICE tinha jogado. E porque a mídia gostava de se concentrar em desespero, ela tinha visto close do rosto abatido de Tyler, juntamente com os outros jogadores. Ao final dos três jogos, a frustração e a raiva tinha sido mostrada em seu rosto, e seu estômago havia estado em nós. Ela queria que tivesse tido um jogo em casa para que ele e os outros caras pudessem ter chegado ao bar depois para algum consolo. Tudo o que podia pensar era como tinha sentido falta dele e correria como o inferno naquela noite ajudava. Ele tinha sido tão bom para ela, tão animador sobre seu canto, e ela só pensou em si mesma. E quando ele precisava dela, ainda não tinha tido a coragem de pegar o telefone e oferecer apoio verbal. Graças a Deus que tinham ganhado o quarto jogo, em uma surpreendente virada indo para a vitória, também. Todo o terceiro período havia roído a unha exuberante. Ela esperava que fosse uma incrível reviravolta e eles começassem uma série de vitórias com o início de seus jogos em casa. Sim, e o que se eles não tivessem vencido? E se perdessem na viagem inteira? O que ela teria feito, então? Nada. Que amiga ela era. Embora fosse mais que uma amiga, não é? E esse era o problema que ela tinha estado lutando, e por que continuou a manter-se para trás, por que não tinha pegado o celular e ligado ou mandado uma mensagem para dele. O relacionamento deles estava em uma espécie de limbo. Ela não era sua namorada, mas era mais do que apenas uma amiga para ele. Ela não tinha ideia do que fazer. 11

É um objeto projetado para fornecer uma isolação térmica.

172


Sim, certo, Jenna. Você está com tanto medo de se envolver com ele que freou a si mesmo, recusando-se a mostrar a Ty que você pode realmente se preocupar com ele. Era tão covarde. Em mais de uma maneira. Desgostosa com ela, jogou o pano de limpar debaixo do lixo e se recusou a enfrentar seus próprios fracassos. Felizmente, o bar estava cheio e perdeu-se no trabalho, mas os pensamentos mantinham em Ty, rastejando apesar de seus melhores esforços para empurrá-los de lado. Ela ia ter que enfrentá-lo. Não haveria mais se esconder. Era uma noite de folga, de modo que esperava que ele e os outros caras aparecessem aqui. Todos eles recebiam apoio moral dos clientes em seu bar, e talvez ela tivesse um minuto livre para puxá-lo de lado e falar com ele. Eram amigos, ela lhe diria. Tiveram um pouco de diversão, mas era tempo para puxar para trás e lembrar-lhe que é tudo o que ia ser entre eles. Já havia chegado perto demais e permitiu se emocionar com ele, sentir-se mal quando ele perdeu. Pelo amor de Deus, ela estava assistindo a hoquei, eram investidos no resultado dos jogos. Isso não poderia acontecer. Sua vida, seu futuro estava aqui no bar. Ela não poderia ter qualquer controle sobre isso, mas podia controlar quem se apaixonava, e não seria por alguém que praticava esportes. Os gritos altos alertaram para a porta da frente, onde Eddie, Victor, e alguns jogadores do ICE haviam caminhado dentro. Estava tão cheio que ela não podia ver toda a gente, e estava tão sobrecarregada que não podia ficar longe para saudá-los até uma hora mais tarde, quando puxou Renee atrás do bar e fez uma pausa. Ela não tinha visto Ty, mas, novamente Riley era parede a parede, de pessoas e os caras estavam jogando sinuca em uma das mesas no canto mais distante do bar, fora de sua linha de visão. Agora, ela circulou o bar, conversando com seus clientes, parando em todas as mesas e

173


perguntando a todos como a noite estava indo. Ficou um pouco mais com os frequentadores, porque os conhecia, e muitos conheciam a mãe e o pai e eles lhe perguntaram como o pai dela estava indo depois de sua cirurgia no ano passado. Levou quase uma hora para fazer o seu caminho até as mesas de bilhar, onde teve que aturar paquera de alguns de seus caras normais. Era sempre uma diversão inofensiva, porque todos eles a tinham em consideração e a tratavam como se fosse uma irmã. Mas seu olhar contornou para os jogadores do ICE na outra extremidade da sala de bilhar. Ela não viu Ty. Talvez estivesse fora conversando com alguém em outra área do bar. Finalmente livrou-se do grupo de rapazes e fez seu caminho para os jogadores do ICE, deslizando entre Eddie e Victor. ‚Vejo que vocês finalmente ganharam um jogo.‛ Eddie revirou os olhos. ‚Oh, cara. Foi um grande jogo, também. Você assistiu, Jenna?‛ Ela deu um tapinha nas costas dele. ‚Não faço sempre? Você realmente puxou bem depois do banco. Não estava bom antes disso.‛ ‚Eu sei. Nós estávamos em um mergulho de nariz, mas vamos chutar a bunda agora que estamos de volta na casa do ICE.‛ Os sons dos aplausos subiram ao redor deles, e os jogadores levantaram suas cervejas para saudar os fãs. Jenna girou em torno e conversou com eles por algum tempo, mas Ty não fazia uma aparição. Finalmente, não teve escolha senão perguntar. ‚Então, onde está o seu melhor jogador da outra noite?‛ ‚Ty? Ele não veio. Disse que tinha outras coisas para fazer.‛ ‚Oh.‛ ‚Ou alguém para fazer‛, disse Victor com um sorriso de sabendo, e os caras riram.

174


‚Aproveite a sua noite. Próxima rodada e por minha conta.‛ Ela saiu ao som de aplausos de novo e balançou a cabeça, acenando para os caras, mas seu estômago apertou. Ele não veio hoje à noite. Outras coisas a fazer. Que tipo de coisas? Ela dispensou Renee e voltou atrás do balcão, agarrando garrafas de cerveja vazias e batendo-as para a lixeira, com satisfação, decidiu. Então, o que se tivesse um encontro hoje à noite? Ela deixou claro que não tinham futuro junto. Eles tinham tido sexo somente algumas vezes, e ela totalmente o soprou fora na noite que estiveram juntos. O que esperava, que ele viesse correndo de volta para ela e implorasse por mais do mesmo tratamento? Sim, certo. Os homens adoravam isso. Só que é exatamente o que ela esperava. Tinha sido tão presunçosa e tão segura de si, certa de que ele estaria de volta, não importando como ela o tratasse. Só que ele não estava de volta, e agora ele não estava, ela sentia falta dele. Sentia como ele cheirava, sentia falta de como se sentia, e sentiu falta de seu sorriso sexy. Sentia falta de conversar com ele. Então o que você vai fazer sobre isso, Jenna? Normalmente não faria nada. Ela nunca corria atrás de uma cara. Mas não estava terminada com Ty ainda.

175


Capítulo Dezesseis TY TINHA OS PÉS NO SOFÁ, JOGANDO COM O CONTROLADOR pousado em seu estômago, ele perseguiu o inimigo. ‚Sim, seu desgraçado. Você pode correr, mas não pode se esconder, porque sei exatamente onde você est{.‛ Ele estava tão tranquilo como uma nuvem de tempestade evolutiva enquanto se esgueirava por trás de seu alvo, não hesitando mesmo quando sacou a faca e cortou a garganta do inimigo. O sangue jorrou da garganta de sua vítima e ele caiu no chão. Ele riu enquanto matava, os pontos acumulados contra o seu adversário on-line. ‚Chute no traseiro, Warlord.‛ Quem era Warlord. Provavelmente alguém de doze anos que não deveria jogar este jogo violento, mas hey, ele não era pai do garoto. Jogou o controlador de lado no sofá e ficou de pé, passando os dedos pelos cabelos. Esse jogo era tão nojento. No entanto, estranhamente viciante. Se tivesse filhos, não ia deixá-los em qualquer lugar perto de videogame. Estava indo arrastar sua bunda para fora de casa, logo que pudessem andar e fazê-los praticar esportes. Sim, certo. Ele provavelmente se sentaria lado a lado com eles no sofá e jogaria os mesmos jogos de guerra violentos com eles. Ou, Deus me livre, teria meninas e ele acabaria jogando alguns jogos que tinham a ver com pôneis e arco-íris. Ou Barbie. Ou algo relacionado a Disney.

176


Caramba. Embora o pensamento de uma menina com um longo rabo de cavalo chutando uma bola de futebol ou se tornando uma patinadora como ele era demais, embora-não ficou-tãohorrorizado tanto quanto teria poucos anos atrás. Que diabos havia de errado com ele? Ele não ia se casar, e com certeza não ia ter filhos. Não tão cedo. Não, nunca. O pensamento de estragar a vida de alguma criança a maneira como seus pais haviam feito com ele? Não. Ele não seria responsável por isso. Seu celular tocou e franziu a testa. Não tinha ideia de que horas eram, mas sabia que estava atrasado. Pegou o telefone, surpreso ao ver o número de Jenna aparecer. ‚Ei‛, disse ele depois de perfurar o botão. ‚Ei, você mesmo. Sei, que é muito tarde. Você estava dormindo?‛ Ele riu. ‚Uh, não.‛ ‚Você tem um encontro?‛ Gostava de Jenna sendo direta. ‚Não. Você?‛ ‚Claro que não. Tive que trabalhar esta noite.‛ Ele olhou para o telefone. Era apenas meia-noite. ‚Você não deveria ainda estar no trabalho?‛ ‚Sim. Mas eu quero ver você. Você est{ em casa?‛ Ele sorriu. ‚Claro. Venha.‛ ‚Estarei ai.‛ Interessante. E uma porcaria, o seu lugar era um ciclone. Bagunçada estavam sua sala de estar, latas em todos os lugares, e tinha certeza de que o local cheirava a meias de ginásio. Ele fez um levantamento rápido e limpou, pulverizando todo esse material que levava o odor a casa. Espero que ele tenha removido esse cheiro natural ruim de homens.

177


Até o momento que Jenna tocou a campainha, havia saltado no chuveiro e conseguido puxar um par de cuecas e uma camiseta limpa. Ela parecia grande e ele não podia ajudar, mas sentiu um soco no estômago ao vê-la em sua porta da frente. ‚Ei. Entre.‛ Ela entrou. Cheirava bem, como se tivesse apenas pulverizado sobre algo que cheirava selvagem e almíscar. Ele queria se aproximar e enterrar o nariz em seu pescoço para investigar aquele cheiro um pouco mais, mas resistiu ao impulso desde que não tinha ideia do que ela estava fazendo aqui. Ele tirou o casaco. ‚Quer algo para beber?‛ ‚Não, estou bem, obrigado.‛ ‚Certo. Sente-se. Peguei o apocalipse de uma bagunça, mas não est{ bonito por aqui.‛ Ela riu. ‚E você j{ viu o meu lugar, então nunca teria percebido.‛ ‚Sim, mas um cara vive aqui. Confie em mim, você teria notado. Especialmente o cheiro das meias sujas.‛ ‚É duvidoso. Tenho dois irmãos, lembra?‛ ‚Oh, sim. Você ganhou a rodada.‛ Ele se sentou no sof{ ao lado dela. Ela pegou o controlador. ‚Joga videogame?‛ ‚Sim.‛ ‚Teria pensado que você estivesse assistindo filmes dos jogos para descobrir por que tudo foi uma merda na estrada.‛ ‚Assisto muitos filmes de jogos com a equipe. E nós jogamos uma merda porque estávamos tentando demasiado duro. Hoquei é um jogo mental, bem como físico. Você começa a ficar em sua própria cabeça demais, acaba com seu jogo.‛

178


‚Você realmente acha que é o problema?‛ ‚Eu sei qual é o problema. Nós temos o melhor time do campeonato. Podemos ganhar a divisão e ir para as finais com o talento que temos. Por alguma razão nós batemos uma queda, porque todo mundo começou a se preocupar com esta viagem e surtando sobre o calibre das equipes que iriam jogar. Pelo menos nós salvamos o último jogo da viagem.‛ ‚Então você fez.‛ Tão divertido quanto era interrogar seus jogos, era hora de pôr fim a isso e chegar ao motivo real de Jenna estar aqui. ‚É por isso que você veio hoje | noite? Para analisar o meu jogo?‛ Ela respirou profundamente. ‚Uau. Estamos entrando nisso j{, não é?‛ ‚Você chamou essa reunião. Poderia muito bem.‛ ‚Você est{ certo.‛ Ela meio que se virou para ele, puxando o joelho no sof{. Ela parecia bastante bonita está noite. Usava uma malha comprida que se agarrava as suas curvas, e acrescentou calças escuras e botas assassinas. Seu cabelo espetado e seus brincos brilhavam sobre a luz da lâmpada da mesa ao lado do sofá. Ela parecia suave e feminina, e ele quis aconchegar contra ele e beijar cada parte do que podia ver... seguido por todas as partes de sua pele, que não podia ver. Ela estava quieta, obviamente lutando com o que queria dizer. Mas desta vez, a bola estava indo para o seu campo. Ele não ia assumir a liderança, não importando o quanto queria. Ela inclinou-se o cotovelo contra o encosto do sofá, então colocou a cabeça na palma da sua mão e olhou em torno da sala de estar, embora não houvesse nada para olhar. Algumas fotos de baixa qualidade, alguma arte que ele tinha comprado porque Liz tinha recomendado, e algumas coisas que pegou para se decorar nas mesas, porque gostava da forma como pareciam. Mas não achava que Jenna estava admirando sua arte.

179


Havia algo que precisava dizer, mas não saía. Ela estudou o anel em seu dedo polegar, em seguida, circulou ao redor com os dedos. Foi doloroso assistir sua luta. Ele se levantou, caminhou até a porta da frente, e agarrou sua jaqueta e casaco. ‚Vamos.‛ ‚Aonde vamos?‛ ‚Sair.‛ Quando Ty disse que eles estavam saindo, Jenna imaginou que ia dar um passeio, um pouco de ar fresco para que ela pudesse passar esse nó na garganta e encontrar sua voz. Ela não tinha ideia que ia acabar pairando na arena de hóquei do ICE a uma da manhã. E agora estava sendo amarrada em patins e equipamentos de proteção e arrastada para fora no gelo, as luzes acesas, enquanto Tyler patinava em sua direção com dois tacos de hóquei em suas mãos. Deus, ela não tinha ideia de como devastadoramente sexy ele estava em seu equipamento de hóquei. Na televisão, ele estava a uma distância, e nunca olhava para os jogos. Não, desde que era uma criança, de qualquer maneira. Mas, vendo-o vir em sua direção, inclinou-se em forma do jogo, deslizando aquele taco de um lado para o outro — maldução chocou todo o caminho para permanecer em seus patins. ‚Você tem algo em sua mente‛, disse ele, patinando em torno dela, deslizando entre os malditos e perseguindo atr{s dela. ‚Penso muito quando estou no gelo. Me ajuda a limpar a minha cabeça. Então vamos jogar um pouco um-a-um, e talvez você descubra o que precisa dizer.‛ Ela podia patinar, bem como um dos seus irmãos, tinha ido para a pista de gelo a cada inverno desde que era uma menina, então não teve nenhum problema de ir igual para igual com

180


ele, mas não era jogadora de hóquei profissional. ‚Poderíamos ter simplesmente sentado no sof{ e falar.‛ Ele levantou a m{scara e sorriu para ela. ‚Meu caminho é mais divertido.‛ Ele deslizou o disco para ela e começou a patinar para tr{s. ‚Finja que sou o defensor do seu objetivo. Agora tente pegar o disco de mim.‛ Ele estava indo para destruí-la. Ela já sabia disso, mas era competitiva suficiente para experimentar. Avançando em patins, sentindo-se voltosa e prejudicada com o equipamento e meio cega pelo capacete. Ainda assim, ela patinou, tentando manter o disco se movendo com a seu taco enquanto ela avançava em direção a Tyler, que estava no círculo a esquerda, em frente de onde o objetivo seria. Então ele mexeu-se para frente, patinando em sua direção como um trem de alta velocidade. Ela deslocou para direita, mas ele estava nela em segundos, varrendo o disco longe dela e forçando-a a virar ou patinar para trás. Ela não era tão rápida para trás, como era para frente, então teve que se virar o que a retardou. Ele já estava do outro lado no momento em que ela se virou. Ele trouxe o disco ao redor sobre o centro do gelo e varreu de volta para ela. ‚Você é lenta. Tente levantar neste momento.‛ ‚Se eu acertar alto este taco me suas bolas, você vai desacelerar‛, disse ela, despertando em irritação. Ele riu e se afastou. ‚Isso iria custar-lhe uma penalidade.‛ Ela olhou para ele. ‚Quem é que vai jogar se estou na caixa de penalidade?‛ ‚Não era o tipo de penalidade que eu estava falando.‛ ‚Sim? E que tipo de penalidade era?‛ Ele colocou seu taco em torno de suas costas e puxou-a contra ele.

181


‚Um tempo fora.‛ ‚Falsidade, Anderson.‛ Ela empurrou para fora e pegou o disco, correndo para a meta imaginária desde que não havia a rede no lugar. Ela sabia que não era páreo para a velocidade de Ty no gelo, mas tinha a intenção de dar-lhe tudo. Ela o viu em seu lado direito e cavando nela, dando-lhe tudo o que tinha, então, recuou quando o taco deu um tiro em frente, batendo o ponto do objetivo e levantando o taco no ar em triunfo. Ela deslizou para uma parada, Tyler poucos metros de distância. Ela colocou as mãos nos joelhos, porque estava sugando o vento tão forte que o peito doia, mas estava sorrindo como uma louca. Sentiu-se grande. Ele parou ao lado dela. Ela virou a cabeça para ele. ‚Marquei um gol.‛ ‚Então você fez. Sente-se bem sobre isso?‛ ‚Faço, mas eu tenho um sentimento que você deixou-me ganhar.‛ Ele levantou a máscara e deu-lhe um olhar feroz. ‚Mulher, você sabe como sou competitivo. Você realmente acha que eu deixaria você marcar em mim?‛ Ela apertou os olhos, estudando-o. ‚Hmmm, provavelmente não. Você provavelmente tentaria chutar minha bunda.‛ ‚Você est{ certo sobre isso.‛ Ele se moveu para mais perto, apoiando-a para as beiradas até que foi encurralada. Ele tirou seu capacete e bateu no gelo. ‚Você deveria cuidar melhor do seu equipamento. Precisa proteger a sua cabeça.‛ ‚Isso é equipamento de treino. Nós tratamos o equipamento de jogo como ouro.‛ Ele tirou as luvas e pressionou sua mão contra o pescoço dela. Seus dedos estavam frios. Sentiam-se bem contra sua pele aquecida. Quem sabia que poderia suar como isto sobre o gelo? Ela sabia que os caras trabalhavam duramente quando jogavam o jogo, ela viu a rapidez com que patinou e se

182


perguntou como eles não se esgotavam. Corpo musculoso de Ty contou-lhe o quão duro eles trabalharam para isso. Quando varreu seu polegar sobre o ponto de pulsação em seu pescoço, ela cresceu ainda mais quente, especialmente com seu corpo coberto empurrando para as beiradas. Ele puxou para mais perto, perto o suficiente para sentir seu hálito quente fluindo sobre seu cabelo. Seus mamilos apertaram. ‚Então‛, disse ele. ‚Descobriu o que você queria falar comigo?‛ Ela tirou as luvas e deixou-as cair, então colocou as palmas das mãos sobre o peito, desejando que não fosse tudo isso... coisas... entre eles para que pudesse tocar a sua pele. ‚Não é verdade. Estou confusa.‛ ‚Sobre?‛ ‚Você e eu.‛ ‚O que sobre você me confundindo?‛ Ele acariciou o polegar atrás da orelha, deslizou sua mão em seu cabelo. Como ela deveria falar com ele quando estava tocando-a assim? ‚Ty.‛ ‚Sim.‛ Seu olhar entediado no dela, e não achava que ele estava todo interessado no que tinha a dizer, que era uma coisa boa, porque não tinha muito vontade de falar de qualquer maneira. Ele inclinou a cabeça para trás e os lábios entreabertos para ele para cobrir a boca dela. Seu beijo era de fome, fazendo com que seus músculos apertassem quando ele moveu os lábios nos dela de uma maneira que exigia mais. Esta ofegou não era um beijo fácil, foi difícil e apaixonado, sua língua deslizando entre os dentes para lamber contra a dela. Ela suspirou e segurou a ele enquanto a empurrava na beirada e exigia tudo, desde aquele beijo, roubando a

183


respiração quando passou o braço em torno dela e pressionou seu corpo contra o dela intimamente. Fixada contra as tábuas, ela só conseguia segurá-lo. O gelo era liso e cavou a borda de um patim no gelo para equilíbrio, segurando em Ty enquanto a beijava sem sentido. Ela estava em chamas, seu corpo precisava de seu toque, sua pele contra a dela. Ela tinha sentido falta dele, havia sentido falta... isso. Esta conexão com ele num nível íntimo. Ela não queria falar, não queria colocar para fora a asneira que estava em sua cabeça, ou todas as razões que não queria estar com ele, porque agora nada disso importava. Ela queria estar com ele. Aqui e agora, com quente e frio rodando em torno dela, deixando-a em um frenesi de necessidade e desejo. Quando ele puxou para trás, seus olhos estavam meio fechados, o desejo escurecendo-os para um cinza tempestuoso. Isso é o que ela precisava ver, o que focalizou. O resto era apenas algo estranho que ela não queria fazer sentido agora. Não quando lhe dava um olhar assim. Ela engoliu em seco, a garganta estava seca. Ela lambeu os lábios e ele se concentrou em sua boca e beijou-a novamente, puxando seu lábio inferior entre os dentes até que ela jogou a cabeça para trás contra o vidro e gemeu de puro prazer. Ele pressionou beijos para o queixo, o pescoço, usando seus dentes pastar em sua garganta. ‚Ty, por favor.‛ ‚Adoro quando você diz meu nome. Você tem alguma ideia do que faz para mim?‛ ‚Não. Diga-me.‛ ‚Acho que eu vou lhe mostrar no lugar.‛

184


A próxima coisa que ela sabia que ele tinha desatado as almofadas que ela usava, tirando suas próprias almofadas e jogou-as sobre o gelo. Era nitidamente mais fresco sem todo aquele preenchimento. Sua malha comprida e calças justas não eram quentes o suficiente. ‚Estou com frio. Podemos ir agora?‛ ‚Vou aquecê-la.‛ Ele segurou o rosto com as mãos e beijou-a, desta vez escovando suavemente seus lábios, e então ele fez uma pausa. Ela prendeu a respiração, esperando por ele para continuar. Ele se afastou e ela viu os lábios enrolar em um sorriso que virou a balança fora do mundo. Ela chegou até esfregar os dedos sobre os lábios, em seguida, arqueou sobre seus patins para chegar a sua boca. Ele passou os braços em torno dela e beijou-a profundamente, e esqueceu tudo sobre estar frio. Suas mãos e corpo eram como um forno enquanto ele se movia sobre ela, puxando-a dentro de seu calor. Seus lábios eram duros e exigentes, fazendo-a fusão de dentro para fora. Ela ficou surpresa que o gelo não estava descongelamento abaixo deles, afundando-os em um mar de líquido. A mão encontrou seu peito, moldando, e propagando o fogo através dela. Ela arqueou contra a palma da mão e ele manuseou o mamilo através do material. Oh, ela queria ficar nua, mas havia algo tão primal por estar aqui no gelo, completamente vestido, com ele tocando-a assim. Ele mudou sua coxa entre as pernas e segurou-a lá, sua boca fazendo coisas deliciosas para seus lábios, enquanto tocava seus seios. Ela estava em chamas. Isso, juntamente com pé sobre o gelo frio, era um estado de contrastes que inflamou seus sentidos e mandou-a em espiral em excitação. Ela queria mais do que isso acariciando totalmente vestida. Ela deslizou a mão sob a camisa para tocar sua pele nua, sentindo o calor de suas costas.

185


Ele puxou sua boca longe dela e olhou-a, tocou sua mão ao rosto. Sua respiração ficou presa e manteve enquanto ele movia a mão em seu pescoço e nos seios. Ele mapeou uma caminhada para baixo de seu corpo, fazendo-a arfar enquanto seu toque serpenteava ao sul, brincando com ela por não tocá-la onde ela queria, onde pulsava com a necessidade. Ele agarrou a bainha de sua malha e levantou-a, em seguida, deslizou sua mão sobre seu sexo através do material fino de suas calças. Ela ofegou quando ele esfregou a palma da mão para trás e para frente sobre a dor que ali estava instalado. Arqueou contra ele, tentando se equilibrar em seus patins. Ele segurou-a firmemente em seu aperto, mais confortável sobre o gelo do que ela. ‚Aqui?‛ Perguntou ela. ‚Sim. Bem aqui.‛ ‚Como?‛ ‚Nós vamos fazer isso funcionar. Eu quero você, Jenna.‛ Seus olhares fundiram e ela viu a necessidade feroz nos olhos, no conjunto apertado de sua mandíbula, os músculos tensos sob suas mãos. Ele catapultou seu desejo a níveis assustadores. A ideia de fazer amor com ele aqui no gelo, de repente parecia perfeito. Ele enfiou a mão dentro da cintura de suas calças, encontrando o calor de seu centro. Sua respiração acelerou quando o frio gelado dos dedos encontraram a umidade quente do seu sexo. Ela agarrou os ombros e se equilibrou quando ele tocou sua boceta, jogando com o anel em torno de seu clitóris e acariciando lá. ‚Seus dedos estão frios.‛ ‚Desculpe.‛ ‚Não por isso. Deus, isso é bom. Coloque-os dentro de mim.‛

186


Ele deslizou dois dedos dentro dela, bombeando-os dentro e fora até que ela pensou que ia morrer de puro prazer. Ela derreteu em torno dele, convulsionado enquanto ele esfregava a palma da sua mão contra seu sexo. Arqueou, precisando de mais, querendo tocá-lo, também. Sua ereção estava delineada através de suas calças e ela segurou, acariciando seu eixo, tocandoe levando-o a reagir, deslizando os dedos mais profundamente dentro dela. ‚Eu preciso de você, Ty. Sem mais preliminares.‛ Ele lhe deu um sorriso malicioso, então se inclinou e pegou as calças, puxando-os até os tornozelos. Ele tirou uma camisinha do bolso e puxou sua roupa para baixo, revelando seu pau inchado. Ela lambeu os lábios e engoliu, impaciente enquanto ele colocava o preservativo e apertava-a contra as tábuas de madeira. Ele levantou sua malha e segurou-a na bunda, abrindo as pernas tão grandes como podiam ir considerando o problema das calças e patins. Quando ele deslizou dentro dela foi o paraíso. Frio e quente, ela se sentiu como o gelo estivesse derretendo em torno deles. Ela gritou e segurou, quando Ty mergulhou nela, escovando seu clitóris a cada estocada. Com as pernas praticamente fechadas, ela sentia cada parte de seu pênis dentro dela, cada parte dele tocando-a, espalhando-a, deixando-a louca. ‚Oh, isso é bom. Sim, gosto disso.‛ Seus dedos marcando na carne de seu traseiro enquanto a segurava, levando golpes fáceis no início, mas ela queria muito mais. ‚Duro. Torne-o duro e me faça gozar.‛ Ele se curvou e penetrou de novo, então empurrou contra ela, enviando fagulhas de prazer para seu núcleo. Ela mordeu o lábio quando ele empurrou profundo para dentro dela, senti-o inchar dentro dela. Seu pênis estremeceu e tremeu e ela estava perto. Oh tão perto. Ela

187


cravou os dedos em seus ombros e bateu contra ele, fazendo-o gemer e dar-lhe mais do que ela queria. ‚Eu vou chegar com você, Jenna.‛ Suas palavras a dispararam fora de controle, fez estremecer enquanto o orgasmo se aproximava. ‚Sim. Foda-me mais duro. Estou indo gozar.‛ Ele bateu-a contra as tábuas com um golpe de punição. Ela lutou para cavar os patins no gelo, mas Ty segurou-a com sua força, mantê-la ereta enquanto Ty a golpeava dentro dela, alfinetando seu pau na sua vagina. Ele bateu nela com uma explosão. Ela gozou com um grito selvagem que a quebrou. Ty beijou, gemendo em sua boca quando esvaziou, tremendo e segurando-a. Ela ofegou contra ele, suando, com as pernas tremendo, e se Tyler a deixasse ir, ela ia cair bem no gelo. Mas ele segurou-a firmemente em suas mãos, e, finalmente, retirou-se, puxou para cima a sua calça, e caiu para o gelo para puxar para cima as calças dela. Ele se levantou, passou o braço em volta da cintura, e pressionou um beijo quente e doce aos lábios que a fez tremer. Ela deitou a cabeça contra o vidro e olhou para ele, tão abalada que por um momento não podia falar. Então ela sorriu para ele. ‚Você pega todas as meninas no gelo para um pouco de ação de sexo?‛ Ele franziu a testa. ‚Eu nunca tive sexo com qualquer mulher na arena, ou sobre o gelo antes. Só você.‛ Ele empurrou para fora e começou a recolher o equipamento. Bem. Porra. Ela se sentia especial. E agora estava de volta onde começou, sem saber o que diabos dizer.

188


189


Capítulo Dezessete LIZ DEITOU A CABEÇA EM SUAS MÃOS. ‚Estou entediada.‛ Jenna sorriu e recarregou o copo de vinho de Elizabeth da garrafa que estava em sua mesa. ‚Você só est{ chateada. Você tem um trabalho impressionante que a mantém funcionando o tempo todo. O problema é que você sente falta de Gavin.‛ ‚Claro que sim, embora eu nunca iria admitir isso a ninguém, além de você.‛ Ela pegou o copo e tomou um gole. ‚Treinamento de Primavera é uma merda. Baseball é uma merda.‛ Jenna lutou numa risada. ‚Você concordou em casar com ele. Você sabe o que ele faz para viver. Inferno, era seu cliente até que vocês dois ficaram noivos e você teve que desistir dele por causa de conflito de interesses.‛ ‚Sim, essa parte irritou, mas o que poderia fazer? Não posso negociar em nome de alguém que estou apaixonada. Não posso ser objetiva quando ele está preocupado. Mas tenho-lhe um grande agente. Não tão grande como eu, é claro.‛ ‚Naturalmente.‛ Liz tinha chamado esta manhã e convidado para um almoço, e uma vez que Jenna tinha um dia de folga, estava perfeito. Após seu último encontro com Ty, ela precisava de alguma perspectiva e conversa de garotas, e Liz era direta. Jenna não confiava em muitas pessoas, mas Liz era uma dessas pessoas que confiava. ‚Você pode voar até a Flórida e visitá-lo.‛ ‚Sou uma distração e ele precisa se concentrar no trabalho.‛

190


Jenna pegou o pão sobre a mesa e tirou um pedaço, agitando a Liz para dar ênfase. ‚E tenho certeza que ele sente falta de você tanto quanto você sente falta dele. Ele provavelmente jogara melhor se você estiver l{.‛ Liz encolheu os ombros. ‚Talvez. Talvez não.‛ ‚São suas amigas Haley e Shawnelle l{ embaixo?‛ ‚Shawnelle é. Haley não poderia fazer isso, porque ela tem aulas neste semestre.‛ ‚Então Shawnelle provavelmente poderia usar uma amiga, também. Você deve ir.‛ Liz se recostou na cadeira e pegou um pedaço de pão. ‚Eu deveria.‛ Ela olhou para cima e encontrou o olhar de Jenna. ‚Deus, estou uma bagunça, Jen. Quem diria que eu ia cair tão feio no amor com um cara? Ele me fez uma romântica desleixada. Tudo o que faço é pensar nele. Quando ele está na estrada, nos mandamos mensagens, sexo—‛ Jenna ergueu a mão. ‚Informação demais. Gavin é o meu irmão, lembra?‛ Liz sorriu. ‚Claro. Você é minha amiga então tem que ouvir as partes de sexo, também. Basta fingir que é outra pessoa. Não me canso dele. Pensei que eu era velha o suficiente para passar por uma paixão, que iria facilitar depois que estivessemos juntos por um tempo, mas não tem. Se alguma coisa aconteceu, é que está mais forte agora do que jamais foi. Não apenas o sexo quente, apesar de que ainda é espetacular. Mas o romance, o que sinto quando ele me olha ou segura minha mão. É como um conto de fadas maldito.‛ O coração de Jenna deu um salto. ‚É amor, amor. Isso é suposto ser assim.‛ ‚Eu acho. Nunca soube.‛ Liz chegou sobre a mesa e apertou a mão dela. ‚Estou indo ser toda piegas aqui e dizer-lhe que quando isso bater em você, vai ser como um relâmpago para o seu coração e você nunca, nunca vai ser a mesma. Você mudar{.‛ Jenna riu. ‚Não acho que todo mundo se apaixona da mesma maneira.‛

191


Liz pegou o copo e tomou um gole, depois passou a manteiga em seu pão. ‚Não acha? Olhe para Tara e Mick. Seu casamento foi como assistir a um filme maldito da Disney. Eu nunca vi duas pessoas mais apaixonadas uma pela outra. Gavin e eu somos assim. Você não pode me dizer que um raio não cai duas vezes.‛ Liz deu-lhe um olhar direto. ‚Ou três vezes.‛ Jenna encolheu os ombros. ‚Eu não estou apaixonada.‛ ‚Talvez não ainda, mas vai acontecer com você, e quando isso acontecer, vai senti-lo direto para baixo em seus dedos do pé. E isso é quando você sabe que nenhum outro homem no universo vai fazer isso por você, como um homem faz.‛ ‚Você faz isso parecer tão f{cil.‛ Liz riu. ‚F{cil? Claro que não, não é f{cil, porque ele é o único que vai ter a capacidade de te machucar. E oh, maldito, quando dói, dói tão ruim. Mas ele também é o único que você vai amar com todo seu coração.‛ ‚Bom Deus, mulher, você tem isso tão mal.‛ ‚Eu sei, certo? Eu disse que era ruim no amor.‛ Jenna riu. E enquanto ela e Liz comeram seu almoço, Liz conversou sobre ela e Gavin e os planos de casamento, Jenna pensou em toda essa coisa de amor. Isso era coisa de contos de fadas, e Liz tinha estrelas nos olhos, porque estava no amor com o irmão de Jenna. Jenna não poderia estar mais feliz sobre isso, mas não tinha certeza que ela comprou a fantasia de encontrar uma alma gêmea, aquela pessoa que você deveria estar, e quando você encontrasse essa pessoa saberia que foi feita para você, que era ele, e você nunca olharia para ninguém nunca mais. Era bom na teoria, mas ela não acreditava na realidade.

192


Simplesmente não acontecia assim para todos. Tinha sido para Liz e Gavin e para Tara e Mick, e ela estava feliz por eles, mas até agora, ninguém tinha virado seu mundo de cabeça para baixo e fez seu coração cantar canções de amor. Mas ela tinha cantado para Tyler. Ela ainda não tinha cantado na frente de sua própria família, as pessoas que ela confiava mais. No entanto, havia cantado duas vezes para Tyler. O que não significava que era louca no amor com ele ou algo assim. E talvez seu estômago vibrou quando ela o viu, mas era apenas uma atração sexual, e que iria diminuir depois que ela explodisse os miolos mais algumas vezes, porque nunca teve um relacionamento com um cara que durou mais do que algumas semanas. Ela e Tyler estavam lá em cima na marca de algumas semanas. Inferno, ela o conhecera por meses, mesmo que eles não tinham dormido juntos por muito tempo. Ela foi obrigada a se cansar em breve. ‚Talvez precisemos encontrar um cara incrível.‛ Jenna ergueu os olhos do prato. ‚O quê? Não. Nós tentamos isso j{. Não, obrigado.‛ ‚Ei, eu não posso parar. Quero que você seja tão feliz como eu sou. Você não achou um cara que toca o sino ainda, certo?‛ Ela se recusou a responder a essa pergunta. Liz arqueou uma sobrancelha. ‚Vocês est{ vendo alguém?‛ ‚Não é verdade. Bem, mais ou menos.‛ ‚O que significa isso?‛ ‚Tyler Anderson e eu estamos num tipo de namoro.‛ ‚Sério?‛ Os olhos de Liz se arregalaram. ‚Tyler? Eu pensei que o sexo por toda a noite do do casamento de Mick e Tara era uma coisa de uma vez.‛ Ela empurrou o prato para o lado, o apetite sumindo. ‚Eu também‛

193


‚O que aconteceu? Eu sei que você estava olhando para ele no bar naquela noite. Ele está balançando o seu mundo?‛ ‚Não tenho ideia. Ele apenas continua aparecendo, então continuo a ter sexo com ele.‛ ‚Interessante.‛ Liz tomou outro gole de vinho. ‚Deve o sexo ser realmente bom.‛ ‚É.‛ ‚Mas você est{ incomodada, então tem que ser mais do que isso.‛ Jenna encolheu os ombros. ‚Não é mais do que isso. É apenas físico. Você sabe como me sinto sobre atletas. Nunca haver{ mais do que apenas o sexo.‛ ‚Hmmm.‛ Liz deu uma olhada de soslaio para Jenna, então cavou em sua salada. ‚O que 'hmmm' significa?‛ ‚Só que você está protestando muito. Se você não se importasse, iria rir fora e dizer que tudo isso j{ dissipou, então você o despacharia. Acho que ele chegou até você.‛ ‚O que ele consegue é estar em minha calcinha, que é exatamente onde o quero.‛ Liz mexeu. ‚Oh, as cenas mentais que rodam em torno na minha cabeça agora.‛ ‚Pare com isso. Você não consegue visualizar Ty e eu fazendo sexo.‛ ‚Por que não? Só porque você está fora com o pensamento de seu irmão e eu fazendo sexo sujo não significa que eu não posso imaginar Ty nu.‛ ‚Ele é seu cliente, Elizabeth.‛ ‚Então?‛ ‚E mal.‛ Liz sorriu e ergueu a taça de vinho em brinde. ‚Obrigado pelo elogio. E por falar em Tyler, tenho que encontrar com ele depois do seu jogo hoje à noite para passar por cima alguns detalhes para uma nova campanha promocional. Venha comigo.‛ ‚Para o jogo de hóquei? Uh...‛ 194


‚O quê? Com medo de realmente participar de um evento esportivo?‛ Liz se inclinou para sussurrar. ‚Oh, meu Deus, você pode apreci{-lo. Isso não seria terrível?‛ Ela olhou para Liz. ‚Você é uma vadia.‛ ‚Lá vai você, elogiando-me outra vez.‛ Liz ofereceu um sorriso de satisfação, sabendo que Jenna aceitaria o desafio. Ela estava certa. ‚Ótimo. Eu vou com você.‛ ‚Claro que você vai. Vou buscá-la |s seis e meia.‛

JENNA ACHOU QUE LIZ CONSEGUIRIA SEUS LUGARES NAS CADEIRAS DO PROPRIETÁRIO ou de um dos camarotes do clube para que ela pudesse esconder-se em relativa obscuridade, sem uma chance no inferno de Ty sequer saber que ela estava lá. Então, quando Liz tivesse que encontrar com ele depois do jogo, ela permaneceria no camarote até que Liz terminasse seu negócio. Mas quando elas se dirigiam para baixo em vez de para cima, quando Liz levou todo o caminho para a linha da frente e tomaram seus assentos logo atrás do vidro, Jenna murmurou uma maldição, especialmente quando percebeu que estavam sentadas ao lado dos bancos dos jogadores. Isso significava que ela ia ver Ty indo e vindo do vestiário e, pior ainda, ele seria capaz de vê-la. Ele estava, provavelmente, concentrado no jogo e nunca prestaria atenção ao público que ouvia os seus gritos quando o ICE marcasse. Ela não tinha nada para se preocupar. ‚Por que esses lugares?‛ Ela perguntou quando se sentou, feliz que usava meia-calça embaixo do jeans. Era maldito frio sentar perto do gelo. ‚Não há nada melhor do que estar bem perto da ação. Imaginei que você gostaria de ver Ty bater alguém contra o vidro.‛

195


‚Uh-huh. Você sabe disso.‛ ‚Tente agir um pouco mais entusiasmada.‛ Ela se aconchegou mais em seu casaco, decidindo que precisava encontrar um pouco de café antes do jogo começar. ‚Você sabe como eu amo os esportes.‛ ‚Cínica.‛ ‚Só chamando como é. Eu só estou aqui por você.‛ Liz inclinou-se e cutucou Jenna para dirigir sua atenção sobre seu ombro direito. ‚E estou chamando besteira sobre esse último comentário, porque há um espetáculo preste a subir ao palco.‛ Ela estava preste a bater Liz com outra réplica mordaz, mas os jogadores rebentaram pelas portas duplas do vestiário e Jenna prendeu a respiração. Ela não tinha certeza se queria Tyler a notando ou não, mas quando os jogadores saíram para o tapete de borracha e sobre o banco, ela não podia negar que estava olhando para um homem só. E quando o viu chegar, sua cabeça estava voltada em outra direção, com foco em dizer algo para Eddie. Ele passou direto por ela sem vê-la. Ela ficou aliviada quando ele levantou do banco e colocou seu equipamento, em seguida, patinou no gelo. Ele nunca saberia que ela estivera aqui. Sentou-se e observou os jogadores fazerem voltas ao redor da arena para aquecer, sorriu quando os jogadores de San Jose entraram e todo mundo começou a vaiar. Ela estava tão concentrada em ver os jogadores que não percebeu até que ele bateu o taco no vidro direito na frente dela, quase a assustando fora de seu assento. Ela puxou a atenção para o vidro. Ty lhe deu uma piscada e um sorriso, depois patinou a distância. Acho que não havia como se esconder agora.

196


Ela não conseguia se lembrar da última vez que tinha visto um jogo de hóquei ao vivo. Seu pai e seus irmãos tinham vindo para os jogos muito, e ela foi arrastada para alguns deles quando a mãe queria vir, mas não tinha estado desde quando era uma criança. Claro que os jogadores estavam sempre na televisão e ela tinha visto muitos deles. Na casa Riley, crescia sabendo sobre os esportes e sua equipe. Não havia como escapar. Mas ela nunca tinha estado na frente, os dedos dos pés gelados de estar tão perto do gelo, os dedos capazes de tocar o vidro. E quando os jogadores tomaram suas posições no local, viu-se inclinada para frente, mãos cruzadas e seu corpo ficando tenso quando o árbitro segurou o disco na mão, provocando a queda. O disco caiu e o jogo começou. A tensão diminuiu quando eles se moveram para o gol do San Jose rápidos. Jenna e Liz ficaram de pé, aplaudindo o ICE enquanto lutavam para conseguir o disco, depois gritaram quando o zagueiro do San Jose atirou de volta, ameaçando sua equipe para marcar com um gol. O ICE defendeu, mandando de volta para o território de San Jose. Tyler agarrou-o e Eddie foi direito com ele, indo de novo em direção à meta. Ele ia e voltava, por todo o período do primeiro tempo, as equipes eram bastante iguais. O primeiro período terminou sem pontuação. Jenna sentou em sua cadeira e observou os jogadores sairem. Tyler parecia tão frustrado quanto ela se sentia e não fez contato visual com ela. Entendia que ele precisava manter a cabeça no jogo, não flertando com ela. Ela se virou para Liz. ‚Isso foi intenso.‛ ‚Menina, você não vai aos jogos?‛ ‚Uh, não.‛ ‚Nunca?‛ ‚Desde que eu era uma criança.‛

197


Liz revirou os olhos. ‚Você est{ perdendo. Não h{ nada tão empolgante como em um jogo de hóquei.‛ Ela segurou as mãos em direção ao gelo como prova. ‚Sem ponto — no primeiro tempo. Acho que não respirei o tempo todo.‛ ‚Foi interessante.‛ ‚Minha bunda interessante. Você estava focada. Aposto vinte dólares que você estará gritando e saltando para cima e para baixo durante enquanto o ICE estar{ marcando est{ noite.‛ Jenna virou-se para ela, certa que não faria isso. ‚Você est{ ligada.‛ O segundo período começou com San Jose na defesa do seu lado da arena, o que significava que o ICE ameaçou a pontuação, Jenna podia ver Ty perto. E quando ele e um dos defensores de San Jose lutaram pelo disco ao longo das bordas, eles se bateram contra diretamente ao vidro onde ela e Liz sentaram. O instinto fez com que ela quisesse chegar para ele, e deixá-lo saber que ela estava ali, mas resistiu ao impulso. Mas caramba este era um jogo difícil, e quando San Jose marcou o primeiro gol, seu estômago caiu. ‚Droga.‛ Eles lutaram tanto, tiveram mais tiros a gol do que o San Jose. Eles só não estavam recebendo o disco dentro da rede. Liz afagou-lhe a mão. ‚Não desista deles. Eles são ferozes.‛ Ela não estava preste a desistir deles. Ela não podia vir aos jogos, mas tinha visto muitos deles no bar. Conhecia esse time. Eles trabalhavam a magia quando estavam para baixo. Fiel à forma, armaram a meta do jogo de poder no final do segundo período, uma varredura do lateral esquerdo Meyers para Lincoln, o outro central do ICE. Ficou assim no terceiro período, e Jenna estava preste a sair de sua pele. A ação foi intensa, e o jogo tinha sido brutal. Ty tinha começado a sangrar em uma luta nos vidros que resultou em uma briga com o

198


jogador adversário. Ele tinha terminado com os punhos sobre o gelo. Jenna colocou as mãos no vidro, desejando que pudesse estar lá para ajudá-lo. Seu coração saltou em sua garganta enquanto eles batiam uns nos outros e os juízes só ficou lá assistindo. Ela sabia que era parte do jogo que os fãs adoraram, mas era o seu homem envolvido e a luta estava acontecendo do outro lado da arena. Os árbitros finalmente entraram em cena e acabou a luta. Jenna exalou quando Ty levantou-se, aparentemente ileso, exceto pelo sangue em seu uniforme e de novo tentaram começar a briga. O árbitro intercedeu e mandou ele e o jogador do San Jose para a caixa de penalidade. Ela estava furiosa. Ty não tinha começado essa luta. Por que diabos tinha sido penalizado? Ela cruzou os braços, bateu os pés, e contou os dois minutos mais longos da noite, até que ficou suspensa. Quando Ty pulou fora da caixa e voltou para o gelo faltava três minutos para o fim. Eles tinham que vencer. Estavam indo para vencer. A ação foi intensa, passando pelo San Jose de volta a posse para o ICE, mudando a cada poucos segundos. Ambas as equipas queriam isto muito mal. Ty levou o disco em uma passagem arrebatadora de Victor e atirou em direção à rede, o goleiro rebateu, espirrando o disco em sua direção. Ele escorregou para Eddie, que atirou de volta para Victor. Jenna estava de pé quando Ty colocou-se em posição na frente da rede, lutou contra o defensor, e quando Victor enviou o disco, Ty empurrou na frente do zagueiro e disparou o disco contra a rede de pontuação. ‚Sim! Sim, sim, oh, o inferno sim!‛ Ela gritou, pulou e jogou os punhos no ar, juntando-se ao rugido da multidão.

199


Ela observou os jogadores do San José tentar avançar, mas o ICE os seguraram e ganharam o jogo. Jenna estava rouca de seus gritos. Quando se virou, Liz estendeu a mão. ‚Vou querer os meus vinte dólares.‛ Jenna revirou os olhos e enfiou a mão na bolsa para a carteira. ‚Vadia.‛ ‚Eu também te amo. Agora vamos esperar pelo seu namorado.‛ Ela seguiu Liz subindo as escadas. ‚Ele não é meu namorado.‛ ‚Você sabe o que Shakespeare disse sobre a senhora protestar em demasia.‛ Seria infantil enfiar a língua para fora de volta em Liz, mas Jenna queria. Ela seguiu Liz nas escadas para o vestiário. Elas esperaram fora no corredor, enquanto a mídia fazia a sua coisa, com entrevistas e os jogadores começaram a surgir. Quando Ty saiu, ele sorriu e se aproximou de Jenna, passando os braços em volta dela, e a levantou fora de seus pés, em seguida, deu um beijo quente nos lábios que a fez vibrar no estômago. Ele a colocou no chão, depois sorriu para Liz. ‚Obrigado por ter vindo para o jogo.‛ ‚Foi um grande jogo‛, Liz disse quando fizeram o seu caminho no andar de cima. ‚Demorou até o ultimo minuto para marcar.‛ Ele colocou um braço em volta do ombro de Liz. ‚Ei, os fãs, gostam de um pouco de suspense.‛ ‚Os fãs gostam de um estouro.‛ ‚Eles gostam de se divertir. Um jogo de perto os mantém na ponta da cadeira.‛ ‚Besteira. Vocês querem três ou quatro gols no primeiro período, também, para que possam executar a defesa no resto do caminho. Não sopre fumaça na minha bunda, Anderson.‛

200


Os lábios de Jenna torceram cquando Ty e Liz discutiram todo o caminho para um dos bares privados, onde Liz puxou alguns papéis fora da bolsa. Jenna serviu-se de um refrigerante, enquanto eles conversavam negócios de relações públicas. Recém saído do banho, o cabelo de Ty ainda estava molhado, enrolando as pontas contra seu pescoço. Ela tomou um gole do refrigerante e viu quando ele se inclinou sobre a mesa, o Henley que vestia esticava contra os músculos de suas costas. Vê-lo jogar exibiu seu incrível poder, a incrível força e resistência que o levava para jogar este jogo. Ela viu-o em seu corpo finamente esculpido e as cicatrizes que levava. O jogo foi difícil e não era isento de perigos físicos. Estava contente que ele estava em boa forma, mas, oh, o homem, tinha tido um jogo difícil e bateu contra o vidro várias vezes. Ver pela televisão era uma coisa, de perto era algo completamente diferente. Ela coçava por ir lá e colocar as mãos sobre os ombros, para lembrar de sua força e assegurar-se que ele estava bem. Queria sentir o calor que sabia que iria derramar dele em ondas. Mesmo no gelo na outra noite sua pele tinha estado quente, seu corpo era todo músculo. Depois de um banho cheirava fresco e crocante, como o gelo. Ela queria colocar o rosto em seu pescoço e respirar o cheiro dele. Seus mamilos apertaram e seu sexo tremeu. Ela suspirou e tomou um gole de seu refrigerante. Certo, então com certeza ela não tinha tido o bastante dele ainda. Ia ter que trabalhar em dobro para tirá-lo do seu sistema. Finalmente, Liz terminou. ‚Certo, é isso. Jenna, você vem comigo?‛ Jenna olhou para Ty. ‚Ela est{ vindo comigo.‛ Os l{bios de Liz torceram em um sorriso. ‚Ótimo. Estou indo daqui, então. Vocês dois tenham uma noite divertida.‛

201


Ela sacudiu os dedos para Jenna e saiu pela porta. Sozinha novamente. Com Ty.

202


Capítulo Dezoito O SALÃO FICOU SILENCIOSO QUANDO TY VEIO PARA ONDE ela estava sentada. Ele a enjaulou entre seu corpo e a banqueta do bar. ‚O que você achou do jogo?‛ Ela encolheu os ombros. ‚Foi tudo bem. Muito chato.‛ Ele inclinou-se e apertou os l{bios para o lado do pescoço. ‚É mesmo?‛ ‚Sim. Liz teve que me cutucar algumas vezes para ficar acordada.‛ ‚Então você não viu o gol que marquei?‛ Sua respiração acelerou quando ele lambeu o lóbulo da orelha. ‚Não. Perdi essa parte. Sinto muito.‛ ‚Isso é bom. Como você disse, foi um jogo muito chato.‛ Ela se afastou e emoldurou o rosto com as mãos. ‚Foi um grande jogo. Eu gostei muito.‛ ‚Para alguém que não gosta de esportes.‛ Ela permitiu um pequeno sorriso. ‚Sim. Jogo bruto, no entanto. Você foi muito machucado?‛ Ele riu. ‚Sempre fico machucado. Sou durão. Eu posso aguentar.‛ Ela varreu o cabelo longe de sua testa e notou o corte acima da sobrancelha direita. Tinha um curativo sobre isso, mas estava inchado. Capacetes tinham voado quando ele e o outro rapaz tinham chegado em uma briga. ‚Briga, hein?‛ ‚J{ tive piores, e nem sempre sobre o gelo.‛ ‚Realmente. Eu gostaria de ouvir sobre isso.‛

203


Ele agarrou os quadris e puxou-a para a borda do assento almofadado, puxando-a entre suas pernas. ‚Talvez eu te conte sobre minha inf}ncia em algum momento.‛ ‚Você viveu ruas, lutando por sua sobrevivência?‛ Ele bufou uma risada. ‚Uh, não. Mas me metia em muitas brigas.‛ Ela se inclinou para tr{s, colocando os braços sobre a cadeira. ‚Deve ser da sua natureza.‛ ‚Talvez. Meus pais me colocaram nos esportes para tirar um pouco dessa atitude fora de mim. Eu gostava de hóquei, porque era agressivo. Joguei a partir do momento que pude permanecer de pé sobre os patins. E às vezes usamos os tacos para mais do que apenas mover o disco ao redor.‛ Ela estudou-o, perguntando que tipo de criança ele tinha sido, que jogo devia ter brincado. ‚Espadas?‛ Seus l{bios se curvaram. ‚Algo assim. Você pode ter muita ação numa série de batalhas com um taco de hóquei.‛ ‚Eu posso imaginar.‛ ‚Você pode? Quão dura você é?‛ Ela passou as unhas para baixo dos braços. ‚Assim tão dura como você é. Eu joguei futebol e beisebol e basquete e hóquei com os meus irmãos e seus amigos e fui tão bem quanto podia.‛ Ele apertou as pernas e o salão ficou mais quente. ‚Assim você pode ficar durona com os caras, hein?‛ ‚Pode apostar.‛ ‚Você não é uma daquelas garotas mariquinhas que não podem tomar um pouco de calor.‛ ‚Claro que não.‛

204


‚Quanto você pode tomar?‛ Seus seios doíam e sua boceta tremeu com o conhecimento do que queria e sabia exatamente onde isso estava levando. ‚Quanto você tem?‛ Ele a puxou para fora da cadeira e em seus braços, sua boca descendo sobre a dela num beijo, duro e quente que engoliu seu suspiro. Ela enroscou os dedos em seus cabelos e puxou os fios enquanto ele agarrava a bunda dela. Ela enrolou as pernas em torno de seus quadris, apertando, enquanto ele caminhava a curta distância até uma mesa e colocava-a em cima dele. Ela estava ofegante quando ele a deixou l{. ‚Não vai ter pessoas entrando aqui?‛ Deixou apenas o tempo suficiente para virar e travar a segurança na porta, então pegou o controle remoto, clicou em um botão, e fechou as cortinas com vista para o gelo sombreado, estavam em completa privacidade. Ele se voltou para ela. ‚Tire suas calças.‛ Tirou os sapatos e deslizou para fora a calça jeans e meias, deixando-a apenas com a calcinha e camiseta. Ele pairava sobre ela, então inclinou para beijá-la no joelho. Ela passou os dedos pelos cabelos, amando a sua maciez, tão incongruente com a sua tenacidade em geral. Ele beijou o seu caminho até as coxas, quando arrastou sua bunda para a borda da mesa, ela se inclinou para trás em suas mãos, desesperada por ele tocá-la, prová-la, fazê-la gozar. Boceta dela tremia na expectativa do que sabia que ele ia fazer. Isto era tão proibido, o pensamento de alguém vendo-a além porta a excitava. ‚Penso em você quando não estou com você‛, ele disse enquanto pressionava um beijo na parte interna da coxa. ‚Acho que é sobre o seu sorriso, sua risada, e como você é linda.‛ Ele passou a mão em sua calcinha e ela soltou um suspiro.

205


‚Acho que é sobre sua boceta tão doce e saborosa, e como você olha quando goza.‛ Ele enfiou a mão sob a bunda para levantá-la, separando o material de sua calcinha de lado, em seguida, colocou sua boca sobre ela. ‚Oh, sim, é o que eu quero‛, ela sussurrou, pousando a mão em sua cabeça enquanto ele varria a língua em seu clitóris. Calor explodiu dentro dela enquanto acariciava o seu sexo com os lábios, em seguida, arrastou a língua pelos lábios de sua boceta, fodendo com a língua até que ela tinha certeza que iria morrer na onda de sensações. Arqueou contra ele, querendo mais e mais, mas não ia durar, porque ele encontrou o seu piercing e puxou-a com os dentes, apertou com sua língua, e a vibração enviou direito sobre a borda. Ele chupou seu clitóris e ela gozou, choramingando, tentando segurar, porque não estavam em um lugar onde ela poderia soltar o grito, então ela mordeu de volta. Ele segurou firme nela, a sua língua contra o clitóris quando seu clímax rolou em pulsos doces que a faziam estremecer. Ele a puxou para fora da mesa e beijou-a, deixando seu gosto de doçura salgada. Suas pernas tremiam e segurou nele por apoio, sua coxa escovando sua ereção, o que só aumentou sua excitação renovada. Ela estendeu a mão para esfregar o pênis através de suas calças e foi recompensada com um gemido. Ele se afastou e arrastou a calcinha fora e abaixou sobre a mesa, em seguida, abriu o zíper de suas calças e puxou seu pênis. ‚Vamos ver como {spero você realmente gosta disso.‛ A boceta dela tremeu quando ele rasgou a camisinha e se posicionou atrás dela. Ele abriu as pernas afastadas, acariciando sua bunda, espalhando as bochechas da bunda dela, acariciando-a e varrendo os dedos entre as pernas dela para esfregar sua boceta. Ela não aguentava mais. Olhou para ele por cima do ombro. ‚Ty. Depressa.‛

206


Ela sentiu seu pênis na entrada da boceta, brincando com ela enquanto acariciava seu pau com a cabeça. Ela levantou a bunda, para provocá-lo para trás até que ele empurrou e enterrou-se dentro dela. Ty calou, seu pau contraindo quando encheu dentro da boceta de Jenna, doce quente. O deixava louco, o desafiou a dar-lhe o que tanto queria. Ela arqueou sua bunda contra ele, torturando com água quente, gemendo e choramingando o que abalou suas bolas. E quando ele recuou e meteu mais fundo, ela soltou alguns gemidos baixos o que o fez perder totalmente o controle que ele estava segurando. Seus dedos apertaram a bunda quando ele recuou e caiu mais duro outra vez, recompensado quando ela jogou a cabeça para trás e disse: ‚Sim. Oh, Deus, sim.‛ ‚Você tem uma bunda doce, Jenna.‛ Ele deu a sua bunda um leve tapa com a mão, e sua boceta apertou em volta dele enquanto ela gemia em resposta. Ela deitou a cabeça sobre as mãos, os dedos segurando a borda da mesa. Ele bateu a outra bochecha de sua bunda e fodeu seu pênis dentro dela. Ela apertou sua boceta de volta contra ele, pedindo mais. Estava indo para fazê-lo gozar duro hoje à noite. Seu pau inchou, suas bolas apertaram que estava pronto para explodir. Ele deu-lhe outro golpe, desta vez mais duro, e ela gemeu mais alto, derramando a umidade da sua boceta sobre suas bolas. Ele esfregou seu clitóris com uma mão, e bateu na bunda com a outra. ‚Oh, Deus, eu vou gozar. Foda-me mais duro, que vai me fazer vir.‛ Ele descobriu o cerne duro, enfiou seu pau em profundidade, em seguida, golpeou sua bunda, sentindo a boceta contrair em torno de seu pau.

207


Ela dirigiu sua boceta contra seu pênis e inclinou a cabeça para trás, gritando quando gozou. Sentindo seus músculos apertarem em torno dele, olhando para ela quando chegou ao clímax, era a coisa mais quente que já tinha visto. Ele se perdeu, agarrando seus quadris e dirigindo profundamente quando ele gozou, deixando se soltar com um grito de batalha de sua autoria. Ele colocou seus braços ao redor dela e colocou a cabeça em cima de suas costas para recolher sua respiração, então virou para encará-lo. Ele beijou-a e alisou as mãos sobre suas bochechas do bumbum. ‚Eu te machuquei?‛ Ela levantou uma sobrancelha. ‚Claro que não. Eu disse que era durona.‛ Ele riu. ‚Sim, você é.‛ ‚Eu apreciei isso, Tyler.‛ Ele estremeceu em um fôlego. ‚Eu também.‛ Eles se vestiram e sairam. Levou-a para casa e o convidou entrar. Ambos estavam com fome, então ela fez alguns ovos e bacon. Depois, cantou para ele novamente, enquanto sentavam na sala de estar tomando suco. Ficou surpreso que ela não se opôs quando lhe pediu para cantar. Talvez ela estivesse ficando mais acostumada com a ideia. Quando ela terminou uma canção, ele sorriu para ela. ‚Isso foi bonito.‛ Ela, obviamente, ainda não estava acostumada a ouvir alguém elogios a sua voz. ‚Obrigado.‛ ‚Por que você não canta para sua família?‛ Ela encolheu os ombros. ‚Eu não sei.‛ ‚Você sabe como tocar violão. Isso tem que ser algo que sua família sabe.‛

208


Ela colocou o violão contra o sof{. ‚Na verdade, eles não sabem. Eu não tomei aulas de violão até que me mudei para longe de casa. Aprendi a tocar quando estava fora do país.‛ ‚E eles nunca ouviram você cantar. Nem mesmo quando era criança?‛ ‚Oh, com certeza. Eu estava no coro da igreja quando era criança. Mas sozinha? Não.‛ Havia mais. Ele sabia que havia mais. ‚Seus pais não notaram a sua voz incrível, mesmo quando você era criança?‛ Seus l{bios levantaram em uma dica de sorriso. ‚Você se mistura com o coro.‛ Ele estudou-a. ‚H{ algo que você não est{ me dizendo. O que é?‛ ‚Não é nada. Nada de importante.‛ ‚Tudo sobre você é importante. J{ disse antes que pode me dizer tudo.‛ ‚É insignificante.‛ ‚Então?‛ ‚Eu queria fazer aulas de canto quando era criança. Pedi aos meus pais sobre isso, mas minha mãe era uma professora de dança e, claro, eu ser a única garota significava que era a única presa a ter aulas de dança. Balé, sapateado, jazz, a coisa toda.‛ ‚Certo. Mas o que sobre aulas de canto.‛ ‚Você tem que entender. Havia Mick e Gavin e todos os seus esportes. Todas as noites da semana. Então minhas aulas de dança. E mamãe e papai tinham que trabalhar. Simplesmente não havia tempo. Então não havia dinheiro. Todas essas atividades eram caras. As lições de canto eram caras. As aulas de dança eram livres porque a mãe era a professora.‛ Agora ele entendeu. ‚Oh. Eu vejo. As necessidades de todos e desejos eram uma prioridade, e o que você queria ficava para o final da fila.‛ ‚Não era assim.‛

209


‚Não dê desculpas para isso, Jenna. Você não começou a viver o seu sonho, enquanto os seus irmãos fizeram.‛ ‚Eles jogaram esportes na escola. Era muito mais barato.‛ ‚Isso é tudo besteira. Você queria cantar. Ser{ que você disse que queria cantar?‛ Ela olhou para suas mãos. ‚Eu falei. Uma vez.‛ ‚E?‛ ‚Minha mãe explicou que com a dança e os meninos no esporte, não havia tempo. Ou dinheiro. Eles disseram que talvez algum outro momento, uma vez que não havia mais dinheiro para aulas de canto, mas nunca perguntei de novo.‛ ‚E o seu sonho sumiu em uma nuvem de fumaça.‛ Ela não disse nada, mas Ty poderia imaginar o que deve ter sido para ela. Se ele não tivesse sido autorizado a jogar hóquei, isso teria esmagado ele. Ele escovou os cabelos longe do rosto. ‚Sinto muito.‛ ‚Não é grande coisa. Nem sempre podemos ter tudo o que queremos.‛ ‚É um grande negócio. É o que você ama.‛ ‚Eu gostava de dançar, também.‛ ‚Sim, eu gostava de jogar basquete, mas não era o que amava. Tenho que fazer o que eu amo.‛ Ela ergueu o olhar para o seu. ‚Assim como eu, quando fui para a Europa.‛ Então alguém esmagou o seu sonho novamente. Ele ansiava por ela. ‚Agora você tem outra chance.‛ ‚Oh, eu não penso assim. Tenho uma carreira agora.‛ ‚Você tem um emprego. Você tem um grande talento, Jenna. Por que não está lá fora, mostrando-o?‛

210


‚Porque eu estou feliz em apenas cantar. Não preciso de ninguém para ouvi-lo.‛ ‚Você está realmente contente com isso? Você escreve todas essas músicas e se esconde em seu quarto para cantá-los. E est{ feliz sendo a única em ouvir.‛ Ela não respondeu, mas a viu piscar e dar um olhar sobre o violão. ‚Você est{ com medo.‛ Ela tirou seu olhar de volta para o seu. ‚Não, eu não estou.‛ ‚Sim, você está. Tem medo que não vai ser boa o suficiente. Você ainda está deixando a rejeição retê-la.‛ ‚Isso é besteira.‛ Estreitou o olhar. ‚E por que isso é tão importante para você, afinal?‛ ‚Porque eu estive l{.‛ Ela se inclinou para frente. ‚O que você quer dizer?‛ ‚Jogar hóquei profissional é muito diferente do que fazê-lo por diversão ou até mesmo na faculdade. Estar fazendo isso por dinheiro, fazer uma carreira disso. Você acha que eu não tinha medo de falhar? Não sou grande em falhar.‛ ‚Então, você pensava em não fazê-lo?‛ ‚Sim. Eu era bom e sabia que era bom. Tive um pressentimento que poderia fazer isso, mas não estava sendo marcado como uma superstar futuro com uma garantia de sucesso. Se eu não fizesse isso, não sabia se poderia lidar com a rejeição.‛ Ela pegou sua mão, apertou-a entre os dela. ‚É difícil colocar-se lá fora. O potencial para a falha é difícil para um monte de gente lidar com isso. Não culpo você por ser cauteloso.‛ Ele riu. ‚Querida, eu não era apenas cauteloso. Quase fui embora de tudo isso numa possibilidade remota de não me tornar um sucesso. Foi a coisa mais estúpida que quase fiz.‛ ‚Então o que mudou sua mente?‛

211


‚Minha mãe. Ela disse que tudo sempre foi fácil para mim, e eu tinha um talento real. Sempre fui um vencedor e que eu era grande em tudo, mas até que falhasse em algo eu nunca iria apreciar o que o sucesso realmente significa.‛ Jenna assentiu. ‚Sua mãe soa como uma mulher muito s{bia.‛ ‚Não sei nada sobre isso. Ela tem as suas próprias falhas e fracassos. Mas sabendo que ela falhou e se levantou me fez acreditar que eu poderia fazer a mesma coisa.‛ ‚Então parece que ela sabe o que est{ falando. A voz da experiência e tudo isso.‛ ‚Sim, eu ouvia seus conselhos e dei um salto.‛ ‚Foi assustador?‛ ‚Assustador como o inferno. E falhei algumas vezes. Tive minha bunda chutada para baixo pelos clubes do interior, tive que trabalhar o meu caminho de volta. Aprendendo ao longo do caminho que tem que trabalhar duro para ter sucesso neste esporte, a atitude errada vai te enviar mais r{pido do que você pode cuspir, e a nata sobe ao topo.‛ ‚Você, obviamente, tinha uma carreira de sucesso, de modo que tenha feito algumas coisas direito.‛ Ele balançou a cabeça. ‚Algumas coisas, sim. Mas | espreita ao virar da esquina é o fracasso. Você não pode supervalorizar tudo. Como essas perdas que tivemos recentemente. Passar tempo habitando neles não ajuda. Se tudo que você focar são os fracassos, você não pode manter seus olhos em caso de sucesso. Não acho que qualquer atleta ou qualquer artista sempre se esquece disso. Se eles não esquecê-lo, são susceptíveis de falha.‛ ‚Então o que você está me dizendo é que não sou a única que tem medo.‛ Ele esfregou o polegar sobre o topo de sua mão. ‚Não, querida. Você não é a única.‛ ‚Vou dar-lhe algum pensamento.‛ ‚Talvez você possa começar a cantar na frente de sua família.‛

212


Seus olhos arregalaram. ‚Não. Eu não posso.‛ Ele revirou os olhos. ‚Não acho que você est{ dando a sua família crédito suficiente. Eles parecem apoiar muito.‛ ‚Sim. Eles são incrivelmente favor{veis. Esse é o problema.‛ Ele franziu a testa. ‚Eu não entendo.‛ Ela esfregou a testa. ‚Eu sei que você não faz.‛ ‚Então explique-me. Seus pais parecem amar todos os seus filhos. Não acho que importa o que eles fizeram. De qualquer maneira, você tem que começar em algum lugar. De que outra forma você vai alcançar seus sonhos? O que você quer fazer?‛ ‚Eu já lhe disse antes. Eu já estou fazendo—‛ Ele colocou os dedos nos l{bios. ‚Não, realmente. Quais são seus sonhos? Seja direta comigo. O que você realmente gosta de fazer com sua vida?‛ Jenna estava prestes a jogar Ty fora com outra desculpa esfarrapada, mas estavam realmente começado uma conversa profunda e pesada, e ele se abriu com ela sobre alguns de seus próprios medos. Só deveria ser tão aberta e honesta como ele tinha sido. ‚Honestamente, uma das coisas que muitas vezes pensei era abrir um segundo Riley, somente para cantar. Como o clube de karaokê que fomos aquela noite. Mas este seria diferente. Em vez de uma noite de microfone aberto ocasional como eles tinham, seria sempre noite de microfone aberto. E nós trariamos bandas ao vivo ao invés de usar uma máquina de karaoke. Apenas um bar de música. Sem telas de televisão.‛ Ele riu. ‚Obviamente que você deu a isto muito pensamento.‛ Ela encolheu os ombros. ‚De vez em quando.‛ ‚Acho que essa é uma ótima ideia. Você teria o Bar Riley Sports e o Bar Riley Music.‛ ‚Sim. É um sonho, no entanto.‛

213


‚Por quê?‛ ‚Quem iria comandar? Eu corro o bar esportivo. Minha mãe e meu pai se aposentaram agora. Eles quase nunca aparecem no Riley, e eles nunca trabalharam no bar mais. Eu comando sozinha. Sou responsável pelo bar.‛ ‚Tem que ser um membro da família a comandar o bar de esportes? Você tem alguns gerentes assistentes, não é?‛ ‚É uma espécie de tradição familiar que o bar é de propriedade e operado pela família, então sim. Isso é sempre a forma como tem sido. E tenho gerentes assistentes, mas não somos uma família. Nunca pensaria em perguntar a mãe e o pai para transformar a operação para eles. Eles não são membros da família.‛ ‚Acho que você está muito envolvida nessa coisa toda de família. O foco principal está no bar e como ele é operado. Se você tem pessoas que a dirigem de forma eficiente, quem se importa se o seu último nome é Riley ou não? Seus assistentes operam o bar em suas noites de folga.‛ Ela ergueu o queixo. ‚Isso é diferente. Não é de forma permanente e nossos assíduos sabem que um Riley gerencia o bar. Isso é o que eles esperam. Isso é o que meus pais esperam. O que meu pai espera. Depois de seu ataque cardíaco no ano passado, não quero que ele pense que precisa voltar a trabalhar apenas para que eu possa abrir outro bar.‛ Ah. L{ estava ele. ‚Então, novamente, os seus sonhos estão em espera.‛ ‚Não em espera. Tenho o meu caminho e estou vivendo isso.‛ ‚Você coloca pressão demais em si mesmo para ser o que todo mundo precisa que você seja, ao invés do que você quer ser. Porque não pode ter o que quer?‛ ‚Porque não posso, e isso é apenas a maneira que é.‛ Parecia mais para ele como se estivesse com medo de pedir o que ela queria, com medo de dar esse passo a frente para pegar o seu sonho.

214


E não havia muito o que Tyler poderia fazer para empurrá-la. Jenna ia ter que tomar essas decisões sozinha.

MALDIÇÃO TYLER COLOCAR A IDEIA DE UM SEGUNDO BAR em sua cabeça. Era tudo que conseguia pensar agora. Uma ideia maluca, que nunca, nunca aconteceria, mas agora que havia sido dragada dos recessos sombrios de seus sonhos da pasta de fantasias, ela não poderia empurrá-la novamente para baixo. Ela começou a elaborar planos para um novo bar há uma semana. Ty estava fora em uma viagem de estrada de novo, então quando não estava trabalhando, teve tempo ocioso em suas mãos. Sua mente não deixava a ideia ir. Conversando com ele, realmente se abrir com ele sobre sua infância e o que tinha acontecido, e cantando para ele estava fazendo coisas estranhas para ela. Ela nunca disse a ninguém sobre sua infância. Nunca disse a ninguém sobre a Europa. Por que havia usado Tyler como seu confessionário pessoal? Porque sabia todas as perguntas certas para perguntar, ou porque ele tinha feito isso tão fácil de dizer a ele? Ela não tinha ideia. É certo que era muito bom. Mas ela sabia melhor do que apostar qualquer tipo de permanência em seu relacionamento. Era bom por agora. Engraçado como as coisas tinham mudado tão rapidamente agora que ela tinha uma espécie diferente de visão em Tyler, não estava realmente namorando, mas deixou de estar apenas dormindo juntos no meio do caminho. Quando ele estava na estrada, mandava mensagem e ligava para ela todos os dias. Ela se acostumou a ouvir dele e sentia falta dele quando viajava. Ele lhe disse ao telefone que a próxima vez que o ICE jogasse em Chicago, ela ia ter que ir com ele para que pudesse conhecer seus pais.

215


Ela disse a ele que estava horrorizada que sua relação tinha evoluído para ‘encontrar os pais’, de nenhuma maneira no inferno. Ele riu e disse-lhe que ia sequestrá-la na calada da noite e jogá-la em um avião, mas ela estava indo para Chicago com ele. Na verdade, estava curiosa sobre a sua família e já estava antecipando seu próximo jogo com Chicago para ver se ele estava falando sério ou não. Hoje, ela ia encontrar Tara e Liz para o almoço, algo que tentou fazer pelo menos uma vez por semana. Elas estavam comendo em um restaurante no centro da cidade desde que Liz tinha uma reunião com o cliente daqui algumas horas e Tara tinha um evento naquela noite ela teve que correr para se preparar para depois do almoço. Jenna tinha algumas horas antes dela ter que estar no bar, de modo que este ia ser um almoço relaxante para ela. ‚Agora que você é casada, é uma maravilha Mick permitir você fora de sua visão‛, Liz disse a Tara depois de fazer o pedido. ‚Não vou vê-lo quando o treinamento começar no verão. Vou ser uma viúva como você é agora‛, disse Tara. Liz acenou com a cabeça. ‚Eu sei. Isto é miser{vel. A semana na Flórida foi incrível, apesar de tudo.‛ ‚Você est{ bonita e bronzeada‛, disse Jenna. ‚Eu estou com ciúmes.‛ ‚Tão bronzeada quanto alguém com a minha pele clara poderia ficar depois que passei um protetor solar 50-plus.‛ ‚E como meu irmão est{ fazendo?‛ Liz suspirou. ‚Seu irmão é espetacular.‛ Tara riu. ‚Amordace sua boca.‛ Jenna fez uma careta. ‚Não é a informação que eu estava procurando. Eu quis dizer no treinamento de primavera.‛

216


‚Oh, as suas estatísticas são grandes. Dentro e fora do quarto.‛ Tara bufou. ‚Será que isso é tudo que você pensa?‛ Jenna perguntou. ‚Quando você não está recebendo regularmente, sim. É tudo que posso pensar. Se não fosse tão maldita ocupada com meu próprio trabalho estaria indo para a casa de praia na Flórida, nua e de braços abertos, pronta para ele depois de cada jogo.‛ Jenna colocou a cabeça entre as mãos. ‚Eu desisto. Deveria parar de vir para o almoço.‛ ‚Falando de pessoas recebendo regularmente, como est{ indo com Ty?‛ Sua cabeça subiu e ela viu o olhar de surpresa no rosto de Tara, seguido pelo sorriso. ‚Oh, você ainda est{ vendo Ty? Detalhes, por favor.‛ ‚Mais uma vez‛, Liz disse a ela. ‚Não era um grande segredo, certo?‛ ‚Não agora que você j{ contou, sua fofoqueira.‛ Liz encolheu os ombros, mas não olhou para todas arrependida, assim Jenna virou para Tara. ‚Sim, eu ainda estou vendo Ty.‛ ‚E?‛ Tara perguntou. Ela suspirou. ‚É bom. Agrad{vel. Nós estamos nos divertindo. Isso é tudo.‛ Tara tomou um gole de {gua. ‚Hmmmm.‛ Liz acenou com o garfo em Tara. ‚Isso é exatamente o que eu disse. Mas deixe-me dizerlhe, as faíscas que acendeu entre os dois após o jogo de hóquei passado levou a quase atear fogo em mim. Então acho que há muito mais do que ‘agradável’ acontecendo entre vocês dois.‛ Ela engoliu um pedaço de comida e depositou o garfo. ‚Ele me pediu para ir para Chicago com ele para conhecer seus pais.‛ ‚Ele fez? Oh, meu, isso é grande.‛ Tara olhou para Liz, depois de volta para Jenna. ‚Isso soa sério.‛

217


Ela encolheu os ombros. ‚Eu não sei. Nós não somos sérios. É realmente apenas uma aventura.‛ ‚Sim, é isso que pensei que era entre Gavin e eu‛, disse Liz. ‚Pensei a mesma coisa sobre Mick e eu‛, disse Tara, piscando em seu anel de casamento. ‚E olha o que aconteceu.‛ Jenna riu. ‚Nós não vamos casar. Nós não estamos no amor. É apenas sexo.‛ ‚Querida‛, disse Liz. ‚Se um cara est{ casualmente te comendo, ele não te leva para casa para conhecer seus pais. Ele est{ sério sobre você.‛ ‚Você acha?‛ ‚Definitivamente‛, disse Tara. ‚A questão é, você est{ sério sobre ele?‛ ‚Eu não sei. Não, eu não estou. Ele não é meu tipo.‛ Liz bufou. ‚Sim, h{ tantas coisas erradas com ele.‛ ‚Então é verdade.‛ Tara levantou os dedos e passou a contar eles. ‚Ele é feio. Pobre. Trabalho ruim. Zero personalidade.‛ ‚Cabelo horrível. E que corpo... ugh‛, Liz continuou. ‚Aquele sorriso é miserável. Sem sentido de humor. Ele é tão hostil que as crianças e os cães correm gritando...‛ ‚Oh, cale a boca, vocês duas. Vocês sabem o que quero dizer. Ele não é o tipo de cara que teria escolhido para mim.‛ Tara soltou uma risada suave. ‚Eles raramente são. Mas eles se movem furtivamente acima em você e surpreende o inferno fora de você e, de repente, está de ponta-cabeça no amor e não h{ uma coisa maldita que você possa fazer sobre isso.‛ Ela estava se apaixonando por Ty? Deus, ela não esperava. Isso não estava em seu plano.

218


219


Capítulo Dezenove JENNA ESTAVA EM UM MALDITO AVIÃO COM DESTINO A CHICAGO. Como diabos tinha acontecido? Ela culpou Liz e Tara por isso. De alguma forma, naquele dia no almoço, elas haviam convencido que ela poderia estar se apaixonando por Ty. Ou se não fosse amor, algo que pelo menos exigia que ela verificasse esta relação por mais algum tempo. Então, quando Ty realmente fez uma oferta de ir para Chicago e conhecer seus pais, ela não tinha correndo na outra direção. Ty tinha arranjado tudo, incluindo uma passagem de primeira classe no voo. Ela decidiu que ia olhar para isto como uma mini-férias longe de suas responsabilidades no bar, e nada mais. O avião pousou e ela foi abordada na esteira de bagagens por um cavalheiro que segurava um cartaz com o nome dela. Ele acompanhou-a ao carro particular para um inferno de um hotel de luxo. Ela tinha assentos especiais no clube para o jogo desta noite, onde estaria sentada com algumas das esposas e namoradas dos jogadores do ICE que também viajaram para o jogo. Ela teve apenas o tempo suficiente para tomar banho e vestir-se para o jogo quando á era hora de ir encontrar as mulheres no andar de baixo onde um carro as levaria até o centro de eventos onde o ICE estaria jogando contra o Chicago esta noite. Na verdade, ela estava animada. Falou com Crista e Leslie no voo, então ela se sentou ao lado delas quando chegaram ao centro. Leslie era casada com Jeff Lincoln, o outro central do ICE, e Crista era comprometida com Ruddy Meyers, um do laterais. Leslie era como uma pistola, tão cheia de fogo como Jeff era frio e reservado. Ela era alta, escultural, e tinha um corpo incrível, com cabelos negros que caiam para baixo de volta. Ela

220


parecia uma modelo de roupa interior da Victoria Secrets, quando na verdade era uma professora de matemática e de ciências do ensino médio. Jenna poderia muito bem imaginar os meninos púberes fantasiando sobre a Sra. Lincoln. Crista era uma loira de olhos azuis lindos. Jenna descobriu que Crista era uma bibliotecária, e tão inteligente que Jenna sentia-se inadequada. Mas o nível de conhecimento de Crista era tão condenado de incrível, Jenna não podia deixar de fazer um milhão de perguntas desde que ela sabia tudo, cresceu em bibliotecas quando criança, e elas compartilharam sua paixão pelos livros e falava sem parar no avião. ‚Ainda me choca que vocês duas estão no amor com os jogadores de esportes‛, Jenna disse quando tomaram seus assentos. ‚Por quê?‛ Crista perguntou. ‚Não sei. Acho que tenho essa ilusão idiota que os caras de esportes atraem—‛ ‚Burras?‛ Leslie terminou por ela. ‚Não quis dizer isso como um insulto a todos nós.‛ Crista riu. ‚Eu conheci Ruddy na faculdade. Nós compartilhamos uma aula de história da arte. Ele é tão inteligente. Eu caí no amor pelo seu cérebro em primeiro lugar, mas Deus, eu amo o esporte.‛ ‚Eu também‛, disse Leslie. ‚H{ apenas matem{tica e ciência que posso lidar. E quando a escola está fora, os esportes são a minha saída. Eu jogava basquete no colégio e amo o tênis, mas há algo sobre o hóquei que é tão... primitivo.‛ ‚Ele tem o meu motor em funcionamento‛, disse Crista. ‚Vendo a minha cara l{ fora, se está tentando marcar ou lutando pelo disco contra um defensor. É só quente. Huh. Talvez eu seja uma loura burra.‛ Jenna começou a rir. ‚Se você for, todos nós somos.‛

221


Ouvindo essas duas mulheres incrivelmente inteligentes falar sobre hóquei e os seus homens foi uma revelação para ela. Então, novamente, elas não tinham a sua vida ou seu passado ou seu trabalho. Era diferente para ela. Ainda assim, quando o jogo começou, ela foi arrebatada por seu entusiasmo e ela teve mais do que torcer apenas para Ty. Ela encontrou-se mantendo um olho nos homens de Crista e de Leslie, também. Observando as reações aos seus homens era um estudo da dinâmica de relacionamento. Essas mulheres profissionais frias tornavam-se maníacas loucas de hóquei, gritando com o time adversário e torcendo para o ICE com bombas em punho. Jenna entrou nessa diretamente, incapaz de ajudar a si mesma. Era contagioso uma vez que a ação iniciava. O ICE fez dois gols após o primeiro período, e ela queria ter certeza de que de alguma forma Ty podia ouvi-la quando teve o disco, que pudesse de alguma forma sentir o seu apoio quando lutou contra um defensor ou bateu contra o vidro. Ela queria que ele soubesse que estava lá, e se ela perdesse a voz gritando, em seguida, ela o faria. Chicago voltou e marcou, mas o ICE acabou vencendo o jogo por um gol. Foi um triunfo e ela, Crista, e Leslie estavam em êxtase. Após o jogo, elas foram levadas de volta para o hotel. ‚Quem precisa de uma bebida? Eu certamente‛, disse Leslie, levando-os para o bar do hotel. ‚Estou seca após esse jogo.‛ Jenna seguiu e encontrou uma mesa. Leslie pediu uma garrafa de vinho e logo elas estavam bebendo e rindo como se tivessem conhecido uma a outra sempre. Algumas das outras mulheres vieram e se juntaram a elas, e de repente outra garrafa de vinho foi encomendado. Jenna despejou. Todas beberam. Como um bartender, ela sabia como controlar o seu consumo próprio, assegurando ao mesmo tempo que todo mundo tivesse um grande momento. E

222


por que não? Elas não estavam dirigindo esta noite, então queria que todas as mulheres tivessem um grande momento. Os caras estariam aparecendo em breve. ‚Você não est{ bebendo.‛ Leslie estreitou seu olhar. Jenna ergueu a taça de vinho. ‚Sim, eu estou.‛ ‚Não tanto quanto o resto de nós.‛ Crista pegou a garrafa de vinho e encheu o copo de Jenna. ‚Não sou muito de beber vinho, na verdade.‛ ‚Oh? E o que você bebe?‛ ‚Uísque.‛ Leslie estalou os dedos e a garçonete, sentiu uma grande dica, estava lá. ‚Como você quer?‛ Jenna riu e balançou a cabeça. ‚Com gelo é bom.‛ ‚Traga a esta senhora o que ela quer. Prateleira superior.‛ Três uísques mais tarde, Jenna virou-se para Crista e Leslie. ‚Acho que vocês duas estão tentando me embebedar.‛ ‚Claro que estamos‛, disse Crista. ‚Você não pode ficar sóbria enquanto o resto de nós est{ ficando bebada.‛ ‚Tenho uma toler}ncia muito alta para o {lcool. Eu comando um bar, você sabe.‛ Leslie apontou o dedo para ela e teceu para frente e para tr{s em sua cadeira. ‚Que não tem nada a ver com a sua capacidade de resistir aos efeitos do {lcool.‛ ‚É verdade isso. Mas ainda tenho uma alta tolerância, enquanto vocês duas estão brindando.‛ Crista olhou para Leslie. ‚Ela est{ tão certa. Estamos bêbadas. Estou com tanta vergonha.‛

223


Leslie começou a rir. O lugar estava ficando cheio e Jenna não se lembrava quando ela tinha se divertido. Ficou ainda mais divertido quando todos os jogadores aparecessem. Ty sorriu quando a viu. Ele veio até ela e puxou uma cadeira. ‚Divertindo-se?‛ ‚Elas estão tentando me embebedar, alimentando-me de doses de uísque.‛ Ele pegou a bebida na frente dela e tomou em um gole só. ‚Est{ funcionando?‛ ‚Não é verdade.‛ Um canto da boca levantou. ‚Você é durona.‛ ‚Disse a você.‛ Sentaram-se e conversou com os jogadores e mulheres por um tempo, relembrando o jogo. Alguns dos jogadores e suas esposas e namoradas decidiram ir para o jantar. ‚Você quer ir?‛ Ty perguntou. Jenna sacudiu a cabeça. ‚Eu quero ficar sozinha com você. Podemos pedir serviço de quarto.‛ ‚Parece bom para mim.‛ Ele se levantou e estendeu a mão para ela. Eles seguiram para o elevador. Uma vez que as portas se fecharam, Jenna pressionou Ty contra a parede e levantou-se na ponta dos pés. ‚Tem certeza que não est{ bêbada?‛ ‚Talvez um pouco.‛ Ela colocou as mãos sobre o peito, então foi para baixo de seu estômago. ‚Mmmm, duro aqui.‛ ‚Est{ preste a ficar mais duro.‛ ‚É?‛ Ela apalpou sua ereção, deslizando a mão para tr{s e para frente. ‚Você vai me fazer andar para o nosso quarto com um pau duro.‛

224


Ela inclinou a cabeça para tr{s e sorriu para ele. ‚Sim.‛ ‚Você é uma mulher vingativa, Jenna Riley.‛ As portas do elevador se abriram e Ty colocou Jenna na frente dele, apenas no caso de que alguém estar fora esperando para entrar no apartamento. Ela sentiu o cume de sua ereção roçando sua bunda. Ela deu uma risadinha. ‚Vou fazer você pagar por isso.‛ Ele deu-lhe um pequeno empurrão para fora do elevador e andaram a curta distância para o quarto. Uma vez dentro, fechou e trancou a porta, em seguida, pressionou-a contra a parede, batendo o interruptor ao lado dela, banhando a sala com pouca luz. ‚Agora é minha vez.‛ Ele deslizou seu casaco pelos ombros, deixando cair ao chão, depois levantou os braços acima da cabeça, prendendo os pulsos juntos. Ele vagou para baixo os braços e nos seios, demorando-se lá por apenas um segundo, sabendo que ela adorava ter os mamilos tocado. Ela arqueou contra a mão dele, mas ele varreu através de seu estômago, provocando, mergulhando os dedos dentro do cós de sua calça para apenas alguns segundos depois tirar os dedos de distância. ‚Ty.‛ O quarto girava. Ela lambeu os lábios, esperando por ele para tocá-la novamente. Ele olhou para ela, com o rosto cortado com linhas duras de determinação, seus olhos eram piscinas tempestuosas de desejo. Ela viu uma fome lá que nunca deixou de fazê-la molhada e necessitada. Ela lutou contra ele, querendo tocá-lo, mas ele não quis deixá-la ir. Em vez disso, ele se inclinou e apertou os lábios contra o pescoço dela, arrastando sua língua em sua garganta até que descobriu aquele ponto sensível perto de sua orelha e lambeu lá.

225


Ele abriu as pernas, balançando seu pau duro contra seu quadril. Ela montou sua coxa, o clitóris tão sensível que deixou cair a cabeça contra seu peito e esfregou contra ele. Ele subiu o queixo com os dedos. ‚Olhe para mim.‛ Ela engoliu em seco, e ele segurou seu pescoço, em seguida, tomou sua boca em um beijo quente e duro, usando sua língua para reclama-la e deixá-la fraca e indefesa, até que tudo o que ela conhecia eram os desejos furiosos de seu próprio corpo. Ele soltou as mãos e enrolou-as ao seu redor, as unhas cavando em seus ombros, a paixão construindo dentro dela até que ela segurou-o com os dedos, puxando sua camisa até que ele levantou os braços e ela puxou isso fora. Ela arrastou as unhas nas costas e mordeu seu lábio inferior. Ele resmungou e puxou a blusa, mexendo nos botões até que se cansou e rasgou, o som de cada botão dispersando por todo o chão de mármore ecoando na sala espaçosa. Seu sutiã foi o próximo, também rasgando quando ele perdeu a paciência com qualquer coisa que não ia sair fácil. Ele arrastou suas calças enquanto ela tirava os sapatos e calça, deslizando a calcinha fora no mesmo momento que ele ficava nu. Ele puxou-a em seus braços e eles chegaram até o tapete sala antes que ele se deitasse e fosse em cima dela, abrindo a embalagem do preservativo em uma fração de segundo. Então ele estava dentro dela e ela gritando quando a encheu, necessitando esta junção que até as lágrimas picaram em seus olhos. Ela piscou de volta assim como ele levantou para olhá-la enquanto mergulhava dentro dela novamente, dobrando os joelhos para ampliar e que ele pudesse empurrar mais profundo, para que pudesse moer contra ela tão intimamente que pensou que poderia explodir.

226


Ela teve as unhas no peito e ele rangeu os dentes, então se inclinou e pegou um de seus mamilos em sua boca, sugando e mordendo até que ela veio mais e mais, até que achava que ia morrer de prazer insuportável. Mas ele não terminou, em vez disso segurou e esperou até que os pulsos facilitaram. Então começou a se mover dentro dela de novo, levando-a lento e fácil, construindo a pressão novamente até que ela estava ali com ele. E quando ele envolveu suas pernas sobre os ombros e penetrou-a profundamente, ela se arqueou contra ele, dando-lhe tudo o que pediu e mais. Ela chegou entre as pernas e esfregou seu clitóris, necessitando passar por cima daquele penhasco novamente com ele desta vez. ‚Foda-se. Sim‛, ele disse, bombeando profundo e duro, enquanto ela se fez vir. Desta vez, quando chegou ao clímax, ele foi com ela, soltando as pernas para baixo para que pudesse colocar seus lábios nos dela e absorver seus gritos, misturando-os com seu gemido. Tinha sido intenso. Excitante. E cada vez mais cimentou uma ligação entre eles que ela tinha medo de reconhecer, mas sabia que estava se tornando mais forte a cada dia.

TY NÃO SABIA POR QUE HAVIA CONVIDADO JENNA PARA VIR A CHICAGO. Nunca trouxe mulheres para casa para conhecer seus pais. Sua família era... quebrada. Falha. As últimas pessoas na terra que ele iria querer que uma mulher que ele se importava em conhecer. A mulher que ele se importava. Sim, e é onde ele se dirigia com Jenna. Ele se preocupava com ela. Além disso, ele não tinha ideia do que diabos estava acontecendo. E agora convidou-a para casa para conhecer sua família.

227


Que piada. Ele devia ter sido louco para fazer isso, mas agora ela estava aqui por isso não havia como voltar atrás. Tinha tanta coisa para explicar a ela, para avisá-la sobre. Ele nunca deveria tê-la trazido aqui. Mas seus pais — quem eles eram — porque eram ou o que eles foram — dizia muito sobre quem ele era. E se eles estavam indo para ir mais longe nesse relacionamento, era importante para ele que ela soubesse de onde viera. Eles visitaram a cidade e viram todos os pontos turisticos. Foi divertido mostrar sua Chicago. Pena que não era verão, ou ia levá-la em caminhadas à beira do lago. Mas ainda havia coisas para fazer, então tinham ido ao museu e visto alguns dos locais históricos. Ela gostava disso. E, claro, levou-a para alguns que ele considerava os melhores restaurantes de Chicago e bares. Você não sai de Chicago sem ter comido a pizza gigante, de modo que tinha feito isso. É claro que ela o desafiou e eles entraram numa longa discussão sobre a pizza italiana de St. Louis contra a pizza de Chicago. Uma das coisas que ele mais gostava nela era que não era um chá de cadeira, o tipo de mulher que iria concordar com tudo o que ele falasse apenas para mantê-lo ao redor. Ela gostava de discutir com ele. Gostava de estar certa. E ele gostava de argumentar de volta com ela, mas não havia maldade em seus argumentos. Nem queriam machucar um ao outro, eles só gostavam da brincadeira e ambos estavam dispostos a lutar por aquilo em que acreditavam. Essa diferença de seu relacionamento com ela, versus a relação entre seus pais. E por falar em seus pais, agora que ele e Jenna tinham visto os pontos turísticos e comido e forma aos clubes, ele não podia evitar que estavam indo para a casa de sua mãe para jantar. Ele devia isso a Jenna, pelo menos, prepará-la com antecedência.

228


Ela se vestia de modo que ele se dirigiu para o banheiro. Entrou e encostou-se à porta, olhando para ela pelo olhar no espelho. Ela havia colocado um atípico vestido tão de Jenna. Era preto e muito bonito, com botas extravagantes e meia calças escuras que a faziam parecer tão sexy que ele queria despi-la no local. Estava ocupada agitada com a corrente de prata longa que usava no pescoço. Ela o viu e se virou. ‚Eu pareço bem?‛ Ele empurrou para fora da porta e entrou no banheiro. ‚Você parece mais do que bem.‛ Beijou o lado do pescoço. ‚Você est{ linda.‛ ‚Obrigado.‛ ‚Venha aqui. Preciso falar com você.‛ Ele pegou a mão dela e a levou para o quarto e sentou-a na cama. ‚Uh-oh. Isso não soa bem.‛ Ele se sentou na cadeira em frente à cama, adiando o inevitável olhando pela janela para a cidade. Era um dia nublado hoje. Poderia nevar. Ele sentiu um toque no joelho e virou-se para Jenna. ‚Ty. O que há de errado?‛ ‚Seus pais têm esse casamento surpreendente. Você é parte de uma família muito feliz.‛ Ela não disse nada. Ele era grato por isso. ‚Pensei que eu era parte de uma família feliz. Eu, minha mãe, pai. Foi tudo muito bem até que eu tive dez anos. Em seguida, começaram os combates. Eles tentaram mantê-lo lá em baixo, ou esperar até depois que eu fosse para a cama à noite, mas o som viaja, e você não pode esconder a merda das crianças. As crianças são inteligentes. Eles sabem quando o equilíbrio é perturbado em seu universo. De qualquer forma, os ouvi lutar. No começo pensei que era apenas uma coisa de uma hora, mas depois foi na noite seguinte, e na próxima. E, então, espalhou-se pelo dia. Eles

229


não iriam lutar na frente de mim ou qualquer coisa, mas pararam de falar um com o outro. A tensão cresceu na casa até que foi sufocando a vida fora de mim. Comecei a sair nas ponta dos pés de em torno deles, com certeza se eu estivesse no meu melhor comportamento parariam de lutar e tudo voltaria a ser como era antes. Isso afetou toda a parte da minha vida. Meus amigos pararam de vir mais. Minhas notas começaram a cair e eu não queria ficar perto deles mais. Eles se odiavam tanto.‛ Ele viu as lágrimas rolar em seus olhos e odiava que ele colocou lá. ‚Não posso imaginar o que deve ter sido para você, para uma criança ter que passar. Você percebe o que aconteceu com eles não era culpa sua.‛ ‚Faço agora. Naquela época bão fazia. Tinha certeza que se eu acabasse falando mais suave ou agindo de forma melhor, poderia influenciar o seu comportamento. E depois de algum tempo, não me importava mais, porque eles não pareciam se importar mais. Foi quando meu comportamento foi piorando.‛ ‚Você tem alguma tia ou tio que pudesse conversar ou ir sobre isso?‛ ‚Sim, mas não havia nada que pudesse fazer sobre isso. Eles não conseguiam pará-los mais do que eu podia. E tomaram partido, também, por isso não era melhor ir para eles.‛ ‚Quando eles finalmente se divorciaram?‛ ‚Quando eu tinha quatorze anos.‛ ‚Isso é um monte de anos de infelicidade.‛ ‚Sim. De qualquer forma, vamos jantar com minha mãe hoje. Ela ainda vive na casa que eu cresci. Meu pai se casou novamente e vive em um condomínio perto do lago. Vamos encontralo e a minha madrasta depois para bebidas.‛ ‚Certo.‛

230


‚A coisa é, eu amo meus pais, mas minha mãe ainda está em negação sobre um monte de coisas, então você precisa se preparar. Ela é amarga sobre isso, mas é uma espécie de Stepford sobre a coisa toda, se você sabe o que quero dizer.‛ Jenna perguntou se a mãe de Tyler era a única amargurada com isso. Ela queria perguntar o que quebrou o casamento de seus pais, mas a questão era muito particular, e talvez ele nem soubesse. Ela ainda viu a dor em seu rosto, a tensão rígida em sua mandíbula. Isto não foi fácil para ele. Ela não poderia imaginar seus pais não estarem juntos. A ideia machucou, o que a fez machucar por ele. Mas a realidade era, um monte de pais divorciavam, e o impacto atingia as crianças de maneiras que duravam anos. Ela se levantou e colocou os braços em torno dele. ‚Sinto muito.‛ ‚Por quê?‛ ‚Por que você teve que passar. Pelo fim do casamento de seus pais.‛ Ele deitou sua cabeça contra a dela. ‚Foi h{ muito tempo.‛ ‚Tenho certeza de que ainda dói.‛ Ele deu de ombros e passou os dedos pelos cabelos. ‚A coisa é, eles simplesmente não estavam bem um com o outro. Minha mãe é muito silenciosa e discreta, gosta de ficar em casa e estar com a família. Meu pai é violento e gosta de entreter, sempre gostava de sair. Foi um choque de personalidade. Eu posso ver isso agora. Não sei o que os uniu em primeiro lugar.‛ Ela enfiou a mão na sua. ‚Às vezes os opostos se atraem no início. Não é até mais tarde, que percebem que não podem fazer o trabalho, que essas qualidades opostas que encontraram tão atraente um no outro no início do relacionamento começa a irritar um ao outro mais tarde.‛

231


Ele balançou a cabeça. ‚Acho que isso é o que aconteceu com os dois. Não houve nenhum caso escandaloso que terminasse o casamento. Eles só perceberam que não estavam bem um para o outro mais.‛ Jenna doía pela perda de casamento dos pais de Ty, e o fim da estabilidade que ele conheceu. O divórcio nunca foi fácil para uma criança. Ela tinha visto vários de seus amigos passarem por isso, e os estragos que causou em suas vidas. ‚Infelizmente, não há nenhum teste de compatibilidade para ver como os casais vão sobreviver juntos, apesar do que dizem nesses sites de namoro on-line. Há sempre um risco que você toma quando concorda em passar o resto de sua vida com alguém. Infelizmente, às vezes as crianças são as mais afetadas.‛ Ela inclinou-se para ele e ele usou seu dedo para derrubar o queixo para cima, pressionando seus l{bios nos dela. ‚Estou bem, bebê. Foi h{ muito tempo. Mas obrigado pela compreensão. Você est{ pronta para isso?‛ Ela conseguiu dar um sorriso brilhante. ‚Claro. Estou ansiosa para conhecer seus pais.‛ Ele soltou uma risada curta que a fez pensar com que ia ter que lidar com esta noite. Entraram no carro que Ty tinha alugado e dirigiu a este bairro maravilhoso cheio de pequenas casas geminadas. Ele estacionou na frente de uma estreita casa de dois andares azul pálido com venezianas brancas em cada janela. Jenna imediatamente caiu no amor com isso. Ela queria tirar fotos disso. Queria viver nisso. O clima era quente e aconchegante e ela já podia imaginar crianças correndo para cima e para baixo nesta rua. Maravilha a mãe de Ty quere ficar na casa, neste bairro. ‚O que você est{ fazendo?‛ Ele perguntou quando estavam na calçada em frente da casa. Ela inclinou a cabeça para trás e olhou para ele. ‚Vendo-o aqui como uma criança.‛ ‚Sim?‛

232


‚Sim. Encaixa.‛ Tyler deslizou sua mão na dela. Uma janela pequena aberta do lado direito da varanda. Perguntou-se que quarto seria. Se fosse a sala de estar, ela poderia imaginar a árvore de Natal iluminada, brilhando em saudação quando as pessoas andavam na rua. Todas as casas ficavam perto, por isso devia ser uma comunidade forte. Então, novamente este poderia ser nada mais do que fantasia que ela conjurou em sua própria mente. Subiram os degraus pintados de azul para a varanda pequena. ‚Eu amo esta casa‛, ela sussurrou para ele, e ele apertou a mão dela. Ela podia vê-lo saltar da varanda para o pátio lateral estreito ou para o mato. Os meninos faziam isso. Abriu a porta e entrou. Os cômodos eram confortáveis e acolhedores, nos limites máximos de altura. Havia uma sensação de vintage para a casa apesar de um tamanho grande, televisão de tela plana colocada sala de estar. E sim, a janela da sacada pertencia à sala de estar. Uma mulher pequena veio correndo, enxugando as mãos no avental que usava. ‚Ty‛, disse ela em uma voz calma, mas animada. Jenna ficou para trás e viu quando Ty pegou sua mãe em um abraço, beijou a bochecha dela, em seguida, a colocou no chão. Sua mãe era nada menos que impressionante. Características de bonecas chinesas, ela tinha o cabelo escuro que usava puxado para trás em um rabo de cavalo. Usava um vestido bege que tinha de ser caro, e botas. Jenna estava feliz o que tinha vestido. ‚Estou tão feliz por você estar aqui.‛ Sua mãe sorriu para ele, e Jenna viu o orgulho no rosto de sua mãe que era evidente. ‚Agora me apresente a sua amiga.‛

233


Jenna também observou a palavra ‚amiga‛. Não namorada, mas amiga. Sua mãe queria a distância entre Ty e Jenna. Devidamente anotado. ‚Mãe, esta é Jenna Riley. Jenna, esta é minha mãe, Louise Davis.‛ Não Anderson? Tyler não tinha mencionado que sua mãe voltou a casar, mas tudo bem. ‚Prazer em conhecê-la, a senhora—‛ ‚Você pode me chamar de Louise. Então, prazer em conhecê-la, Jenna.‛ ‚Prazer em conhecê-la, também, Louise. Sua casa é bonita.‛ ‚Obrigado. Por favor, venha para dentro. Tire seu casaco e fique confortável. Gostaria de um coquetel?‛ ‚Não, obrigado. Eu adoraria ver a casa.‛ ‚Claro. Tyler, leve-a em uma turnê. Vou verificar o jantar. Espero que você goste de carne Wellington12, Jenna.‛ Uau. ‚Eu adoro isso. Obrigado.‛ Tyler pegou a mão dela. ‚Vamos a turnê. Vamos começar l{ em cima.‛ Ela o seguiu até a escadaria. Ele parou no topo. ‚Não h{ realmente nada aqui.‛ Ela empurrou o peito. ‚Cale-se. Eu quero ver a sua casa.‛ Ele revirou os olhos e levou-a ao fundo do corredor. ‚Este é o quarto da minha mãe.‛ Era perfeito. Aconchegante e feminino, com uma colcha cor de malva, sobre a cama, almofadas em tons terra, uma cômoda antiga, e uma banheira do lado de fora do banheiro. O quarto era pintado num bege claro, lembrando a casca de ovo.

234


‚Eu poderia viver aqui nesse quarto. Ser{ que sua mãe o decorou?‛ ‚Isso é coisa sua. Parece-me uma cor diferente a cada vez que venho para casa.‛ Ela riu. ‚Você sabe o que eles dizem sobre a prerrogativa de uma mulher a mudar de ideia.‛ ‚Sim, bem, minha mãe gosta de fazer isso em abund}ncia.‛ Foram pelo corredor até o outro quarto. ‚Quarto de costura. Este é o lugar onde ela faz essas coisas na m{quina de costura.‛ A sala estava cheia de tecido. Exuberantes cores beges e jóias discretas. Havia uma área de estar e uma área de trabalho, livros sobre design e tecido. Mesmo que não fosse a área de Jenna de especialização, a fêmea dentro dela gritou com deleite. ‚Oh, é ador{vel.‛ ‚Coisas de meninas.‛ Ela revirou os olhos para Ty e andaram pelo corredor. ‚Este é meu quarto. Prepare-se.‛ Ele abriu a porta e foi como se o tempo tivesse parado. Era precioso. Uma cama de casal estava debaixo da janela do quarto de casal e era pintado de um azul brilhante. Troféus de todos os tipos enchiam as prateleiras nas paredes. Uma pequena mesa encurralada em uma extremidade do quarto. Fotos de Ty em diferentes idades enchiam várias prateleiras nas paredes. Ela entrou no quarto e observou as fotografias de Tyler faltando um dente da frente, um dele com o cabelo caindo sobre os olhos como ainda fazia hoje, e um dele como um bebê. Ela colocou a mão sobre o coração e olhou para ele. ‚Isto é tão doce.‛

O bife wellington deve ser sempre servido com o interior da carne ligeiramente rosado (meio mal passado). Com uma massa tipo folhada cobrindo-a. 12

235


‚Tentei fazer com que ela deixasse-me arrumar todo esse material e colocá-lo no sótão, mas não vai me deixar. É assustador.‛ ‚Não é. Ela, obviamente, te ama.‛ ‚Ela poderia transformar isso em um quarto de hóspedes.‛ Jenna se sentou na cama. ‚Por que faria?‛ ‚Porque as pessoas precisam seguir em frente. Eu não sou mais uma criança.‛ ‚Talvez ela ama essas lembranças de você. Olhe para todos esses troféus e certificados.‛ Ela levantou-se e verificou os certificados emoldurados listando as realizações de Ty no quadro de honra, a lista do reitor, mesmo suas cartas de bolsas acadêmicas. Ela se virou para ele. ‚Não foi você um sabichão?‛ Ele cruzou os braços. ‚Não apenas um atleta idiota, você sabe.‛ Estava aprendendo mais sobre ele todos os dias, e gostou do que viu. ‚Sua mãe est{ muito orgulhosa de você.‛ ‚Ela poderia ser orgulhosa de mim colocando meu lixo no sotão.‛ Ela riu. ‚Meus pais têm a sala de troféus em nossa casa. Coisas de Mick e Gavin e da minha infância, tudo através da escola e faculdade. Lembre-me de mostrá-la algum dia.‛ ‚Sim?‛ ‚Sim. A sala dedicada só para nós crianças e nossas realizações. Então acredite em mim, não é apenas sua mãe. E tão embaraçoso para nós como é para você. Alguns pais gostam de mostrar seus filhos. Sua mãe não é assustadora.‛ Ele encolheu os ombros. ‚Talvez não. Mas eu seria mais feliz se este quarto tivesse um futon e talvez um elíptico nele. Algo para minha mãe. É como se eu morri ou algo assim e ela tem medo de tocar em nada aqui. Isto est{ entessourado para ela.‛ Jenna bufou. ‚É uma coisa de pais. Supere isso.‛

236


Eles voltaram para o andar de baixo através da sala de jantar, que tinha uma mesa retangular de cerejeira com gabinete em porcelana. Os móveis tinham de ser antigo. Ty a levou através da porta para a cozinha, que obviamente tinha sido remodelada. Havia escuros balcões de granito cinza, armários de cerejeira e aparelhos de aço inoxidável, bem como muito espaço na janela aberta. ‚Oh, eu amo a sua cozinha, Louise.‛ Ela se virou e sorriu. ‚Obrigada. Quando não estou costurando Estou tentando uma receita nova, então gasto muito tempo aqui. Remodelei há alguns anos atrás, me livrou dos aparelhos antigos e balcões brega. Fora com o velho, entre com o novo é o que eu digo.‛ ‚Exceto pelo meu quarto‛, Ty resmungou. ‚Ei, eu gosto do seu quarto‛, disse Jenna, pegando o copo de vinho que Louise passava para ela. ‚Assim como eu. Algumas de minhas melhores lembranças são da infância de Tyler. E quero que ele se sinta em casa quando me visita, que não é frequentemente suficiente.‛ ‚Porque sou alto demais para dormir naquela cama de solteiro‛, Tyler disse, revirando os olhos para Jenna quando voltou para sua mãe. Jenna sorriu para ele. A mãe de Ty os levou para a sala, onde se sentaram e beberam. ‚Você não é alto demais para a cama. É extra longa‛, sua mãe disse quando tomou um gole do vinho. ‚Minhas lembranças são muito boas, para você deixar o meu quarto da mesma forma que foi quando eu tinha seis anos de idade.‛

237


Louise virou para ela. ‚É um constante ponto de discórdia entre nós. Ele não gosta que não vou arrumar suas coisas e enfiá-los no sótão. Mas amo essas memórias de sua inf}ncia.‛ Ela tomou um gole de vinho. ‚A vida era mais simples naquela época.‛ Jenna deslizou a Ty uma olhada. Ele encolheu os ombros. ‚Eu vi a sua sala de costura, Louise. E o seu quarto é incrível. Você fez a colcha e as cortinas da janela?‛ Ela sorriu num sorriso sincero. ‚Eu fiz. Minha mãe me ensinou a costurar. Não é algo que eu tinha tempo para fazer até que me aposentei h{ alguns anos atr{s.‛ ‚Ah, que bom para você. O que você fez antes de se aposentar?‛ ‚Era assistente executiva do presidente de um dos bancos. Anos atrás comecei um trabalho de escritório, em seguida, como secretária. Trabalhei minha maneira ao longo dos anos em trabalho executivo. Estava sempre ocupada, e estou feliz por estar fora.‛ ‚Parece muito excitante.‛ ‚Oh, era‛, disse ela, inspirando e soltando um suspiro. ‚Mas a minha verdadeira alegria sempre veio da costura. Agora que tenho tempo para fazer isso, adoro fazer coisas para a casa. Até tenho amigos me pedindo para refazer alguns dos seus quartos.‛ Jenna viu a emoção no rosto de Louise quando falou sobre o projeto para seus amigos. ‚Você tem seu próprio negócio?‛ Ela riu. ‚Não. É apenas algo que faço por diversão.‛ ‚Você é muito boa nisso. Poderia entrar no negócio de design.‛ Ela parecia refletir sobre a ideia. ‚Eu podia, não podia? Não tinha pensado nisso. Era apenas um passatempo.‛ Então ela acenou com a mão no ar. ‚Mas é tarde demais para fazer algo assim.‛

238


‚Não, não é. Nunca é tarde demais para começar seu próprio negócio. Você ainda é jovem e obviamente tem o talento e a ambição.‛ ‚Você acha?‛ Seus olhos iluminaram. ‚Não sei nada sobre começar meu próprio negócio.‛ ‚Minha família é dona de seu próprio negócio. Poderia lhe dar algumas indicações sobre o que precisa fazer.‛ Jenna e sua mãe passaram as próximas horas, inclusive do jantar discutindo a abertura de pequenas empresas. Ty esperava o pior. Sua mãe nunca gostou de qualquer garota que ele já tivesse levado para casa. Ela tinha sido rude e desagradável e tinha encontrado algo sobre a menina para escolher estar distante. Então, novamente, a última garota que ele trouxe para casa tinha sido quando estava nos seus vinte e poucos anos e ainda na faculdade. Ela queria que ele se concentrasse na escola, não em mulheres. E ela ainda amargava sobre o divórcio. Ele tinha acabado por assumir que sua mãe seria sempre amarga. Ela estava diferente agora. Mais madura. Ou talvez fosse Jenna, que trouxe um lado diferente para ela. Jenna não caiu sobre ele ou colocou um selo possessivo em seu relacionamento com ele. Ela pareceu genuinamente interessada em conhecer sua mãe, não tentando fazer sua mãe como ela, ou tentando fazer a sua mãe ver que ela e Ty eram um casal. Mas isso era a Jenna. Ela era boa com as pessoas, sabia o que era necessário para fazê-los à vontade. Era o que fazia Riley tão bem sucedido. Ela fazia seus clientes felizes, e não apenas servia-lhes bebidas. Após o jantar eles tiveram a sobremesa, e Jenna disse à sua mãe tudo sobre sua família. ‚Então você tem irmãos que praticam esportes, também?‛ ‚Sim. Mick joga futebol e Gavin joga beisebol.‛ ‚Alguma vez você praticou esportes?‛

239


‚Jogava basquete e vôlei no colégio. Nestes dias eu só jogo quando a família obriga-me em um jogo de basquete em casa.‛ Sua mãe riu. ‚Eu posso imaginar que foi difícil crescer com esses meninos.‛ ‚Foi um desafio. Mas consegui me sair bem.‛ ‚Tenho certeza que você fez. Aposto que você pode lidar com meu filho também.‛ Jenna olhou para Ty e sorriu. ‚Nada para lidar. Você levantou um filho bem, Louise.‛ Sua mãe piscou rapidamente algumas vezes. ‚Obrigado. Estou muito orgulhosa dele.‛ Uh-oh. Ele precisava tirá-los de lá antes que o sistema hidráulico começasse a vazar. ‚Bem, nós precisamos ir.‛ ‚Tão cedo?‛ ‚Desculpe, sim.‛ Elas ficaram e Tyler foi buscar os seus casacos. Jenna abraçou sua mãe. ‚Foi um prazer conhecê-la, Louise. Espero ter a oportunidade novamente. Mas você tem meu número. Se você é séria sobre a obtenção de começar um negócio, me ligue.‛ Sua mãe abraçou Jenna apertado. ‚Definitivamente estarei ligando para você.‛ Ela manteve os braços em Jenna. ‚Não costumo dizer isso, de fato, não recordo j{ ter dito isso sobre qualquer mulher que meu filho namorou, mas estou muito contente por ele ter encontrado você, Jenna Riley. Espero que eu chegue a ver você novamente.‛ ‚Igualmente.‛ Jenna falou e foi para fora da porta. Sua mãe o puxou em um abraço apertado. Ele curvou assim ela poderia beijar sua bochecha. ‚Eu não sei onde você achou essa menina, filho, mas não a deixe ir.‛

240


241


Capítulo Vinte ESTAVAM INDO PARA O CENTRO DA CIDADE onde o pai e a madrasta tinham um condomínio. ‚Eu não tenho ideia porque você estava com tanto medo que eu me encontrasse com sua mãe.‛ Ele olhou para Jenna. ‚Nunca disse que estava com medo.‛ ‚Você insinuou que ela era uma versão materna da Medusa.‛ ‚Eu não fiz.‛ ‚Ficou perto.‛ Ele encolheu os ombros. ‚Ela mudou. Costumava ser mais tensa.‛ ‚Ela é uma mulher maravilhosa, quente e amig{vel. Tive um grande momento com ela.‛ ‚Obviamente ela está superando sua amargura sobre o divórcio, porque acredita em mim, eu esperava algo completamente diferente.‛ Jenna riu e deu um tapinha na mão. ‚Você se preocupa demais.‛ ‚Provavelmente.‛ ‚Certo, agora me fale sobre seu pai.‛ ‚Ele é um urso grande, amigável como um homem, que usa a sua — eu nem sei como explicar isso — sua natureza excessivamente sociável para mascarar qualquer sensação de desconforto ou difundir uma situação desconfortável. É assim que sempre tinha sido. Se houvesse estresse, Sean Anderson faria uma piada para aliviar isso. Sempre rindo no caminho para sair de um problema. Ele também vai te insultar com um sorriso e uma gargalhada fácil. Sua maneira de

242


pensar é, se está sorrindo enquanto está te chamando de cadela ou idiota inútil, então está tudo bem. Claro que não funcionou tão bem quando a minha mãe e meu pai vinham lutando. Minha mãe não que meu pai varria-para-debaixo-do-tapete-dando-uma-risada como uma maneira de lidar com seus problemas eram uma boa solução.‛ ‚Hmmm, eu não imaginei‛, disse Jenna. ‚Mas acho que ele aprendeu uma coisa ou duas ao longo dos anos, porque a minha madrasta, Gloria, é grande. Eles estão casados por dez anos.‛ ‚Você gosta dela?‛ ‚Sim, eu faço. Um monte. Ela nunca tentou ser minha mãe, só minha amiga. Ela sabia quais eram as fronteiras, mas sempre esteve lá para mim se precisasse dela. E não tolerava as besteiras do meu pai, que eu admiro.‛ ‚Parece que eles fazem um bom jogo.‛ ‚Eles fazem. Mas tenho que avisá-la, você simplesmente não pode se preparar para o meu pai porque não tem ideia do que vai voar para fora de sua boca.‛ ‚Uh, tudo bem.‛ Ela não tinha ideia do que isso significava. Eles tomaram o elevador até o décimo sexto andar do condomínio. Tyler pôs a mão na parte de baixo das costas de Jenna quando tocou a campainha. A mandíbula de Jenna caiu quando a porta foi aberta por uma versão mais velha de Ty. Enquanto sua mãe era baixa, este homem era alto, com cabelos escuros ondulados, que tinha riscos brancos no cabelo e nas costeletas. ‚Ei, garoto, venha dentro.‛ Ele puxou Tyler em um abraço, e Jenna observou que eram quase do mesmo tamanho, embora Tyler fosse talvez uns três centímetros ou algo assim mais alto que seu pai. Sean era mais amplo, não tão magro e musculoso como Ty. Quando ela entrou, não conseguia entender como

243


eles pareciam semelhantes. Sean Anderson era surpreendentemente bonito, ainda em grande forma, e sua esposa, Gloria, era um nocaute de uma ruiva com uma figura curvilínea e sorriso borbulhante. Gloria correu para dar a Tyler um beijo e um abraço e entusiasmada apertar a mão de Jenna. ‚Estamos tão animada por conhecê-la, Jenna‛, Gloria disse. ‚Por favor, venha dentro.‛ O apartamento era moderno, com o branco e preto dos móveis e um piano que ficava acima da sala de estar rebaixado. As janelas do chão ao teto, oferecia uma vista deslumbrante da cidade e do lago. Eles se sentaram em uma mesa perto das janelas. ‚Pensei que já que você não é uma nativa da nossa cidade, poderia desfrutar da visão noturna‛, disse Gloria. ‚Especialmente porque estamos com sorte de ter uma noite de noite clara.‛ ‚É lindo‛, disse Jenna. ‚Você deve amar aqui.‛ ‚Nós fazemos. Nós passeamos pelo lago no verão. Há uma ginásio no andar de baixo que usamos no inverno. Temos que permanecer ativos, não é mesmo, menino?‛ Seu pai disse. ‚Pode apostar‛, disse Ty. Seu pai deu um tapinha nas costas dele. ‚É claro que este permanece ativo no gelo. Não poderia estar mais orgulhoso de você, mesmo que você bateu na minha equipe na outra noite.‛ ‚Sean‛, disse Gloria, balançando a cabeça antes de girar para Jenna. ‚Eu não sei como ele pode torcer para outro time quando seu próprio filho joga no ICE.‛ ‚Ei, eu sempre torci para os garotos locais. Além disso, Tyler é muito comercializado. Como diabos eu deveria manter-se com o time que ele está jogando por este ano? Eu tenho a minha lealdade. Tyler entende isso, não é?‛ ‚Claro que sim, pai. Mas eu não apostaria contra mim.‛

244


Jenna riu. ‚É isso que eu continuo dizendo a ele‛, disse Gloria. ‚Meu dinheiro est{ em você, querido.‛ Tyler se inclinou e beijou a bochecha dela. ‚Obrigado, Gloria.‛ ‚Ei, o garoto é durão. Ele pode levar um pouco de competição. E sabe que estou sempre torcendo por ele.‛ Ele se virou para Jenna. ‚Então, Jenna. Diga-me sobre você.‛ Whoa. Que rápida mudança de assuntos. Ela achou difícil manter-se, mas conseguiu se segurar. Ela disse a Sean e Gloria sobre o bar da família e de sua parte nela. Eles compartilharam alguns coqueteis, e Sean os manteve entretidos com piadas e histórias engraçadas sobre a infância de Ty, mas Jenna podia ver que Ty estava inquieto e desconfortável. ‚Então, Sean, o que você faz para viver?‛ ‚Tenho várias concessionárias de veículos na cidade. Ainda no mundo dos negócios depois de quarenta anos.‛ Ela podia vê-lo assim nas vendas. ‚Que interessante.‛ ‚Ele ainda tem os comerciais na TV‛, disse Gloria, orgulho evidente em seu sorriso radiante. ‚Oh, isso é excitante.‛ Sean sorriu. ‚Sim, nós compramos um monte de tempo da TV. Tem que manter seu nome na frente das pessoas ou esquecer tudo sobre você.‛ Ele bateu Ty nas costas. ‚Não é filho, certo?‛ ‚Pode apostar que sim, papai.‛ ‚É por isso que você tem aquela agente que gosta de dar-lhe aqueles comerciais de desodorante e xampu. Mantem os fãs interessados. Levá-os vir aos jogos. Faz os homens quererem ser como você e as mulheres querem levá-lo na cama.‛ Ele deslocou o olhar para Jenna. ���O que for preciso para manter o meu menino no centro das atenções, certo, querida?‛

245


Jenna pestanejou. ‚Claro.‛ O pai de Ty era cansativo. Ela não tinha certeza de que era tudo o que interessava na carreira de Tyler, só que ele ficou ‚em cima.‛ Ty estava desconfortável. Eles ficaram mais algumas horas, então Ty falou que tinham de ir. ‚Temos um voo cedo amanhã, então é melhor ir para embora.‛ Eles disseram suas despedidas. ‚Um grande prazer conhecê-la, Jenna‛, Gloria disse. ‚Espero que tenhamos a chance de vê-la novamente.‛ ‚Espero que sim, também.‛ Sean apertou a mão dela. ‚Você é uma menina doce. Tyler tem ótimo gosto para mulheres. Sempre teva. Assim como o velho.‛ Ele colocou o braço em torno de Gloria. Tyler levou Jenna até a porta. ‚Vejo você depois, papai.‛ Eles desceram no elevador, em silêncio, e era a mesma coisa sobre a curta viagem de volta ao seu hotel. Quando chegaram de volta para o quarto, Jenna veio até Tyler e colocou os braços em torno dele. ‚O que é isso?‛ ‚Nenhuma razão.‛ Talvez ela precisava mais do que ele fazia, mas achou que ele precisava dela, também. ‚Meu pai pode ser um imbecil.‛ Ela se inclinou para tr{s. ‚Não, ele não é.‛ ‚Sim, ele é.‛ ‚Seus pais são dia e noite, diferentes. Sua mãe é do tipo quieta e reservada. Seu pai é muito violento. Posso ver por que eles não combinam bem.‛ Seus l{bios levantaram. ‚Isso é ser gentil.‛

246


‚Eu gosto de Glória.‛ ‚Faço, mas meu pai gosta de impressionar as pessoas. Ele só não sabe como fazê-lo, então aparece como uma picada. Suas habilidades sociais precisam serem trabalhadas. Minha mãe trabalhou durante a maior parte de sua vida. E quando ela não estava trabalhando, estava atendendo a mim e meu pai. Não sabia o que fazer com ela mesma depois do divórcio, por isso que ela permaneceu na casa e manteve suas lembranças de mim, vivas como algum santuário maldito. Ela costura e coze e tem um pequeno círculo de amigos que sempre teve, mas nunca se casou novamente. Ela voltou para seu nome de solteira porque odeia o meu pai muito. Ela nunca descobriu como seguir em frente e conquistar uma nova vida para si. Está congelada naquela casa. Acho que você conseguiu ajudá-la com isso esta noite. Obrigado.‛ ‚De nada, mas acho que sua mãe fez bem em não partir. Ela não poderia tê-lo feito de imediato, mas todo mundo faz as coisas no seu próprio ritmo.‛ ‚Acho que você est{ certa.‛ Jenna varreu seu cabelo longe da testa. ‚Você não tem que pedir desculpas por seus pais. Eles são quem são e não têm nada a ver com quem você é.‛ Ele olhou para ela. ‚Eles têm tudo a ver com quem eu sou.‛ ‚Você acha? Não acredito nisso. Acho que nós forjarmos nossas próprias identidades. Não estamos ligados a nossos pais, seus passados, ou seus erros. Nós não temos de ser como eles, o bom ou o ruim.‛ Ele arrastou o dedo sobre o l{bio inferior. ‚Talvez.‛ ‚Não talvez nisso. Você se torna quem você quer ser, não o que seus pais são ou foram. É tudo sobre você.‛ Ele olhou para ela e ela se perdeu na beleza do seu rosto, a intensidade de seus olhos quando a estudava.

247


‚Você é boa para mim‛, disse ele. ‚Eu sou? Todo esse tempo achei que você foi o único que tem sido bom para mim.‛ Jenna empurrou Ty para o sofá na sala de estar da suíte. Ela foi até a porta e diminuiu as luzes. Voltou para ficar na frente dele e tirou as botas e as meias calças, junto com a calcinha, em seguida, chegou dentro do vestido e tirou o sutiã, deixando-a só usando o vestido preto quente. Ela se ajoelhou no tapete em frente ao sofá e penetrou entre os joelhos, os dedos serpenteando ao longe suas coxas. Ty prendeu a respiração quando os ombros de Jenna foram entre suas pernas. Ele devia estar dando prazer a ela, não o contrário, mas maldição, se pudesse encontrar uma razão boa o suficiente para se opor a isso. Seu pau estava duro e pressionando contra o zíper das calças, suas mãos estavam avançando em seu caminho para a terra prometida. De jeito nenhum iria impedi-la. Seu cabelo parecia prateado a noite sob a meia luz fraca da sala, os olhos esfumaçados e escuros quando ela levantou as pestanas apenas o tempo suficiente para lhe dar um vislumbre de provocação antes de mergulhar a cabeça e morder o joelho. Ele riu. ‚Você quer algo para morder? Eu vou dizer-lhe onde morder.‛ ‚Acho que estou bastante familiarizada com a sua anatomia para mapeá-lo por mim mesma. Seja paciente.‛ Ela raspou as unhas para baixo de suas coxas, depois pegou a fivela do cinto, tomando seu doce tempo maldito para desfazer do fecho antes de agarrar o zíper. Cada movimento do zíper o levou a cerrar os dentes. Ela estava sendo deliberadamente lenta quando tudo o que ele queria fazer colocar essa coisa idiota a maldita para baixo e soltar seu pênis inchado. Uma vez que o zíper foi desfeito, ela se curvou e tirou os sapatos e as meias, provocando, deslizando as mãos para cima em suas calças.

248


‚Para um cara, você tem grandes tornozelos.‛ Ele não conseguia sequer falar. Sua garganta tinha ficado seca. Queria suas mãos e sua boca no seu pau, não sendo poética sobre outras partes do corpo. Mas esta era a sua sedução e ele ia ter que ficar sentado e lidar com isso. Ela puxou as calças e cuecas para baixo sobre os quadris, arrastando-os fora, e os atirou na cadeira. Seu pênis projetava para cima, pronto para ser tomado, mas ela o ignorou, em vez levantou-se para desfazer o botão inferior de sua camisa... lentamente. Porra. ‚Deixe-me fazer isso.‛ Ele chegou para os botões, mas ela agarrou as mãos e colocou sobre o sofá. ‚Não. Este é o meu trabalho.‛ Merda. Ela desfez o segundo botão, e o terceiro, o quarto, e ele começou a suar. Quem sabia que o ato de desfazer os botões da camisa poderia torná-lo ainda mais duro? Quando ela tinha desfeito o último botão tirou a camisa para além dos ombros e colocou as palmas das mãos sobre o peito. ‚Eu amo o seu corpo, Tyler, a suavidade do seu peito.‛ Ela mapeou seu caminho para baixo em suas costelas e sobre o seu estômago. ‚A maneira como os músculos se movem sob minhas mãos.‛ Seu abdomên empurrou quando ela caminhou indo ao inferior, construindo a antecipação quando ela varreu as mãos abaixo do umbigo. Inclinou e beijou-o lá, seus seios escovando o seu pau.

249


E aonde estava indo sua imaginação? Ele adoraria esfregar a cabeça do pau sobre seus mamilos sensíveis. Como reagiria a isso? Eterrou esse pensamento longe para mais tarde. Agora se concentraria em suas mãos, do jeito que ela plantou em suas coxas. Seu toque era leve, as unhas uma tortura enquanto ela levemente raspava-as através de suas coxas. Suas bolas apertaram e ele rangeu os dentes, recusando-se a pedir-lhe que o tocasse, mesmo que realmente queria que fizesse. Ela se levantou e se colocou entre as pernas, levemente descansando seu corpo contra o dele, e apertou os lábios aos seus. Ele começou a envolver seus braços em torno dela, mas ela agarrou-lhe as mãos e colocou-as sobre o sofá. ‚Não. Não me toque. Deixe-me tocar em você.‛ ‚Isso vai ser difícil, Jenna.‛ Ela sorriu contra seus l{bios. ‚Essa é a ideia.‛ Ela o beijou, sua língua explorando seu lábio inferior antes de pressionar a boca contra a dele. Saboreava a vinho e algo doce, canela, talvez. Aprofundou o beijo, segurando sua cabeça entre as mãos e movendo seu corpo contra o dele, em uma provocação sedutora. Ele queria tocá-la, levantar seu vestido e sentir sua bunda. Mas este era o seu jogo e ele iria jogar pelas regras dela... por agora. Assim, manteve as mãos para si mesmo enquanto ela ondulava contra ele e o deixava maluco até que todo o sangue e cada pensamento, correu para seu pau. Ela moveu os lábios em seu queixo, levemente beliscando-o lá. Ele rosnou para ela, e ela lhe deu uma risada baixa e rouca que fez suas bolas latejarem em resposta. ‚Jenna‛, alertou. Ela ignorou-o, arrastando sua língua ao longo de sua garganta e em direção ao seu ombro. Ela mordeu-o novamente, desta vez mais duro. Ele sibilou, cavando seus dedos no material do

250


sofá. Se ele tivesse no comando, iria agarrá-la, enfia-la para o seu pau, e fodê-la até que ambos viessem. Ele estava mais do que pronto, e seu perfume enchia a sala. Este jogo poderia virar, também. Poderia dar-lhes o que tanto queriam. Mas ele não ia ir por esse caminho. Ela beijou o peito, deslizando suavemente a língua em seus mamilos. Seu mamilo endureceu e colocou os dentes em torno de um e puxou, sacudindo-o com sua língua, ao mesmo tempo. Ele assobiou num fôlego, cavando seus calcanhares no tapete. Ela mordeu com mais força, em seguida, lançou seu mamilo e enfeitou-o com um sorriso diabólico. ‚Venha até aqui‛, disse ele. Ela balançou a cabeça e afundou mais baixo, mostrou a língua para fora, e deslizou em seu estômago. O tecido de seda do vestido dela flutuava sobre o seu pau, arrastando seu corpo sobre ele. ‚Você est{ tentando me matar.‛ ‚Estou tentando agradá-lo.‛ ‚Me agradaria se você subisse no meu pau e me fodesse.‛ Ela riu. ‚Mais tarde.‛ Ela caiu no tapete e beijou cada coxa, cada vez fazendo seu caminho mais perto de seu pau e bolas. Ele prendeu a respiração quando chegou perto, em seguida, expulsou um suspiro desapontado quando ela se afastou. A mulher era boa em tortura. Mas quando ela lambeu suas bolas, ele soltou um gemido baixo, certo de que tinha morrido e ido para o céu. E quando sua língua abriu caminho pelo lado de baixo do seu pênis até

251


a cabeça do pau, estava certo de que teria que fazer alguma matemática séria para não explodir sua carga naquele momento, porque estava preparado e pronto para gozar. Ela passou a língua sobre a ponta de seu pênis, em seguida, o engoliu todo e levou todo o caminho até o fundo da garganta. Ele gemeu, observando seu pau desaparecer em sua boca, enquanto ao mesmo tempo, sentia a aspiração, o calor úmido da boca que o rodeava. Ela embalou as bolas em suas mãos e deu-lhes um aperto suave enquanto prendia seu pau entre a língua e o céu da boca, então deixou ir, passando sua língua sobre ele e estalando seu pênis para fora da boca lambendo a cabeça como um pirulito. Assistindo a cabeça do pau molhado em sua boca fez suas bolas apertarem duro como nós. E quando o levou de novo profundo e apertou-o com a garganta, ele sabia que não ia durar. ‚Jenna, eu vou chegar em sua boca.‛ Ela agarrou a base de seu pênis e começou a bombear enquanto subia e descia em seu pau e friccionava sua língua sobre ele. Sentiu sua aproximação do orgasmo como um trem de carga descontrolado e cavou em seus calcanhares, empurrando seu pau fundo em sua boca. E quando bateu, parecia que o topo de sua cabeça saiu. ‚Oh, sim.‛ Ele explodiu, enchendo a boca com o vazamento de {gua quente chegando, todo o seu corpo tremendo com o esforço que ele derramou tudo o que tinha. Ela chupou-lhe com força e apertou suas bolas até que estava vazias. Ele estava despedaçado. Então, perdido, ele mal conseguia obter uma respiração. Não podia fazer absolutamente nada por alguns minutos, mas estava ali, a cabeça apoiada no encosto do sofá, sentindo o coração batendo com Jenna contra a sua coxa. Quando conseguiu finalmente levantar a cabeça, alisou a mão em seus cabelos. Ela parecia contente em estar lá, esperando por ele, mas sabia que havia mais que ela precisava, mais que ele precisava.

252


Ele finalmente puxou-a para o seu colo e enterrou os dedos na maciez dos cabelos. Colocou seus lábios nos dela, levando o beijo que queria dar quando ela lhe negou. Ela o beijou de volta com um gemido suave e ele deslizou sua língua em sua boca, lambendo ao longo de sua suavidade aveludada. Ele levantou seu vestido e encheu as mãos com sua bunda doce, correndo os dedos sobre a maciez de sua pele, balançando-a contra seu pau rápido endurecido. ‚Toque-me‛, disse ela, arqueando as costas. Ele encheu as mãos com seus seios, querendo-a nua para que pudesse lamber e chupar os mamilos, amando a sensualidade dela usando este vestido. Ele queria estar dentro dela, enquanto usava o vestido. A seda drapeado nas pernas, provocando-o com o que não podia ver. Provocava os mamilos através da seda, e então cobriu um dos seios com a boca, sugando o mamilo através do material. Ela suspirou e segurou sua cabeça, segurando-o lá enquanto ele usava os dentes para seu prazer. ‚Adoro quando você me toca assim‛, ela sussurrou, e ele agarrou o outro mamilo entre os dedos e apertou. Ela apertou o cerco sobre ele com suas coxas, dizendo-lhe como era bom. Ele inclinou-a para trás a fim de alcançar suas calças e encontrou o preservativo no bolso. ‚Deixe-me‛, disse ela, desfazendo o invólucro. Ela colocou o preservativo, as mãos quente e suave enquanto deslizava para baixo centímetro por centímetro tortuoso até que estava totalmente revestido. Mas primeiro ele queria fazê-la gozar, queria que ela despedaçada e agitada antes de ele deslizar seu pênis dentro dela. Ele levantou o vestido e colocou a mão no seu sexo. Ela estava molhada, seu doce aroma inebriante mais do que qualquer bebida alcoólica que jamais conheceu. Passou a mão sobre ela,

253


provocando o nó com a ponta do dedo até ela inclinou a cabeça para trás e arqueou sua boceta contra sua mão. Ele mergulhou um dedo dentro dela, sentiu o tremor e apertou ao redor dele. Esfregou o polegar sobre seu clitóris e ela choramingou. Ele adorava ver seu corpo responder ao seu toque, vendo seu rosto apertar enquanto lutava para o seu orgasmo. Moveu seu dedo dentro dela e rolou o polegar sobre o piercing. ‚Eu vou gozar, Tyler.‛ Ele acelerou o movimento dos dedos e usou o calcanhar de sua mão em seu clitóris. Ela se desfez, deixando cair a cabeça sobre o ombro enquanto cavalgava as ondas de seu orgasmo. Ele segurou seu dedo dentro dela, enquanto os tremores diminuíam, em seguida, puxou-a para o seu colo e para o seu pau. Ele ainda podia sentir as contrações de seu corpo quando a encheu. ‚Mmm‛, disse ela, enquanto caia sobre ele. ‚Isso é tão bom.‛ O vestido drapeado estava em torno deles e ele não podia ver, só podia sentir seus corpos unidos. Fechou os olhos e deixou Jenna se ajustar dentro, deixando-a recuperar-se de seu orgasmo. Quando ela começou a balançar para trás e para frente, ele abriu os olhos, pegando seu vestido em uma mão agarrou a cintura com a outra, levantando-a fora seu pênis. Sentiu-se grosso e inchado dentro dela, sentiu o aperto de seu corpo quando bombeou para dentro dela. Seu rosto estava corado, os lábios entreabertos quando ela olhou para ele. Ela agarrou em seus ombros, as unhas cavando quando se levantou. Começou fácil, mas agora a intensidade construída acelerou seus movimentos.

254


Seus corpos lisos deslizavam juntos em uníssono. Ele conhecia seu corpo como conhecia o seu próprio, sentiu quando ela começou a apertar e convulsionar em torno dele. Ele agarrou a bunda, arrastou para frente e para trás, e ela separou-se, seus olhos arregalados quando sua boceta apertou-lhe em torno, ordenhando a vir com ele. Seu olhar encontrou o seu lugar e quando ambos atingiram o clímax. Ele viu a tempestade montar para fora nos olhos dela e deu-lhe de volta o mesmo, o nome dela derramando de seus lábios em um gemido selvagem quando ele empurrou profundamente dentro dela e estremeceu através de um intenso orgasmo que o deixou tremendo. Caiu contra ele, os dois presos juntos, enquanto ele esfregava suas costas e seu cabelo. ‛Eu preciso de um banho‛, ela disse, finalmente.

JENNA SE ENCOSTOU NA PAREDE DO CHUVEIRO, certa de que estava cansada demais para fazer qualquer coisa, além de se limpar e cair na cama. Mas Tyler colocou a boca em seus mamilos e seu sexo disparou novamente à vida, pulsando na exigência, como se não já tivesse tido dois orgasmos incríveis. Ele enfiou a mão entre as pernas dela, acariciando-a enquanto chupava seus mamilos. Ela pegou um punhado de seu cabelo e segurou com o prazer afiado viajando em seus seios para entre as pernas. Ela não era nada, além da sensação estúpida, a água quente correndo sobre ela, enquanto a pulsação esmagadora chiava em seu núcleo. E quando Ty caiu de joelhos lambendo sua boceta, ela se afogou na neblina pura erótica de ser adorada por sua língua e lábios. Ela olhou para baixo para vê-lo a lamber sua boceta, estremecendo quando sua língua desapareceu dentro dela. Suas pernas tremiam com a pressão construída dentro dela. E quando ele colocou a boca sobre ela e chupou, estourou.

255


‚Ty‛, gritou ela, resistindo contra o seu rosto com a força do orgasmo batendo de costas contra a parede. Ele segurou os quadris enquanto ela cavalgava-o, a água derramando sobre seu cabelo e despejando pelo corpo. Ele se levantou e tomou sua boca, então entrou nela. Ela ofegou, encontrando o seu olhar. ‚Merda. De-me um preservativo.‛ Ela segurou-o firme. ‚Fique.‛ ‚Estou seguro. Tenho exames de sangue o tempo todo. Exames médicos da equipe. Eu nunca—‛ Ela coloca os dedos em seus l{bios. ‚Eu tomo a pílula. Nós estamos bem.‛ ‚Jenna.‛ ‚Faça amor comigo, Tyler.‛ Ele empurrou para ela e beijou-a, engolindo seus gritos de prazer com a sua boca e sua língua. Ele inchou tão grosso dentro dela, seu corpo contra o dela moendo e levando-a tão perto do orgasmo novamente que ficou chocada. Mas queria senti-lo assim, tão nu, tão íntimo, por mais alguns instantes. Ele levantou a perna e envolveu-a em volta do seu quadril, segurou-a lá enquanto empurrava dentro dela tão dolorosamente doce, golpes lentos que a fizeram derreter de dentro para fora. Ele varreu o cabelo longe de seu rosto, seu olhar tão intenso, tão cheio de expressão silenciosa que levou seu fôlego. Sua mandíbula apertou e ficou mais excitado dentro dela mais duro desta vez. Quando ele a beijou, ela partiu-se e sentiu o calor e poder dele como seu golpe de clímax. Esperou por ele quando mergulhou dentro pela última vez, então estremeceu contra ela, sua boca enterrada contra seu pescoço.

256


Tinha sido tão perfeito, senti-lo tão cru e desembainhado dentro dela. De alguma forma se sentiu mais perto dele. Mas agora esta ela estava feita, exausta, e totalmente saciada. Ty deslocou-a sob a água para lavá-la ternamente, em seguida, puxou-a para fora do chuveiro. Ela lhe deu um sorriso preguiçoso quando a enxugou com a toalha sobre o cabelo. ‚Vou penteá-lo amanhã‛, disse ela, e ele pegou-a nos braços e levou-a para a cama enorme, onde se deitou e subiu atrás dela. Ela estava dormindo antes que ele apagasse a luz.

Capítulo Vinte e Um JENNA ESTAVA COM PROBLEMAS, PROFUNDOS Ela sentou-se no quarto de seus pais no domingo, ao perceber que provavelmente fizera a maior burrada de sua vida. Ela convidou Ty para jantar. Isso havia acontecido em um momento de fraqueza. Totalmente satisfeita de tanto sexo alucinante, ela convidou-o, enquanto eles estavam no avião voando de volta a partir de Chicago, imaginando que ele iria provavelmente dizer que não porque tinha um jogo ou estaria fora da cidade. Afinal, ela não mantinha o controle de sua agenda de jogos. Não tinha um jogo esse dia desde que ele estaria deixando a cidade na manhã seguinte para uma viagem. Então, disse que sim. Para a família, trazer um cara para jantar era nada menos do que uma declaração de amor. O que certamente não era.

257


Era? Como ela se sentia sobre Ty? Essa foi uma pergunta que ela não estava preparada a responder, ou mergulhar no momento, porque Ty era esperado aqui em cerca de dez minutos e ela estava tão nervosa como uma noiva no dia de seu casamento. Oh, analogia, muito mau. ‚O que você est{ irritada afinal?‛ Jenna olhou para cima para ver a mãe olhando para ela. ‚Eu? Não estou preocupada.‛ ‚Você está mastigando seu lábio inferior. Você sempre faz isso quando está preocupada com alguma coisa.‛ Ela tirou os dentes de seu l{bio e sorriu para sua mãe. ‚Não estou preocupada com nenhuma coisa, mãe.‛ ‚Ela mente. Está trazendo um cara para jantar e está em pânico, acredita que todos nós vamos dar-lhe o terceiro grau.‛ Mick pressionou um beijo para o topo da sua cabeça, passou por ela, e tirou uma cenoura do prato na ilha central. Mãe acenou com a faca para ele. ‚Faça isso novamente e vou fazer você fazer os pratos.‛ Mick deu de ombros. ‚Você vai me obrigar a fazer pratos de qualquer maneira. Você não me assusta.‛ Ele pegou um pedaço de aipo, piscou para Jenna, e voltou para a sala. ‚É um dia triste quando não posso assustar meus filhos com pensamentos de dever de preparar os pratos.‛

258


Jenna riu, agarrou um dos banquinhos na ilha, e começou a misturar mergulhando no serviço. ‚Ele é um homem casado agora. Tenho certeza que Tara est{ fazendo ele lavar os pratos regularmente.‛ ‚É verdade‛, Tara disse quando entrou e pegou o banquinho ao lado de Jenna, tendo uma faca para cortar o aipo e as cenouras. ‚Grandes mãos fortes fazem um ótimo trabalho em panelas gordurosas.‛ ‚Jenna est{ nervosa porque seu namorado est{ vindo para jantar hoje.‛ Jenna olhou para sua mãe. ‚Ty est{ chegando para o jantar?‛ Tara se virou para ela e sorriu. ‚Como é maravilhoso. Então, as coisas devem estar ficando sérias entre vocês dois.‛ Ela sabia que devia ter cancelado isso com dele, lhe dizendo que estava resfriada ou gripada. Ou lepra. ‚Nós não estamos sérios. Nós apenas estamos vendo um ao outro. E isso é apenas o jantar.‛ ‚Mas é um jantar com a família‛, disse Tara. ‚Isso é um grande negócio.‛ ‚Você nunca convidou alguém antes‛, lembrou a mãe dela. Não, ela não tinha, e precisamente por este motivo. A inquisição. ‚Olha, não é um grande negócio. Nós somos apenas amigos. E Ty tem estado aqui já, portanto, não é como ele esteja com todo mundo em reunião pela primeira vez.‛ Liz bufou quando ela entrou, ‚Você e Ty são mais que amigos. Mãe, você deve ver as faíscas saindo dos dois quando estão na mesma sala. Você vai precisar de óculos de proteção quando Jenna e Ty estão em torno, porque estarão pegando fogo.‛ ‚Você é tão sem graça.‛ Onde estava sua irmã, seu sistema de apoio, quando realmente precisava delas?

259


Liz abraçou, em seguida, a Tara. ‚O que posso fazer para ajudar?‛ ‚Faça um ch{?‛ A mãe pediu. ‚Claro.‛ O tema passou para Gavin e como ele estava indo na Flórida. Jenna estava feliz por não ser o foco da atenção. Até que a campainha tocou. ‚Eu vou atender‛, ela gritou, balançando fora do banquinho e limpando as mãos sobre a toalha. Mas pelo tempo que ela correu pelo corredor, Nathan já abriu para Tyler e levou-o para a sala. Seu pai já estava envolvendo-o em conversa de hóquei. ‚Ei‛, disse ela, enfiando as mãos nos bolsos traseiros da calça jeans. Ele olhava delicioso esta tarde, em seus jeans desbotados e suéter. Ele tinha um buquê de flores nas mãos. ‚Ei, você.‛ ‚São essas para mim?‛ ‚Não, são para a sua mãe.‛ Seu pai lançou um grande sorriso em sua direção. Seu coração caiu mais e mais. ‚Oh. Bem, vou lev{-lo para a cozinha.‛ ‚Não o mantenha l{, com as mulheres, muito tempo‛, disse o pai dela. ‚Eu não vou.‛ Eles caminharam pelo corredor e Ty parou no meio do caminho, puxou-a em seus braços, e beijou-a até que ela estava sem fôlego. Quando se afastou, ele disse, ‚Imaginei que poderia ser minha única chance hoje.‛

260


Seu corpo abriu para ele, aquecido pelo beijo e de ficar perto dele. ‚Obrigado. Você fez o meu dia.‛ Ele pegou a mão dela e entrou na cozinha, mas ela lançou mão, logo que três pares de olhos muito curiosos pousaram sobre eles. ‚Tyler. Que bom te ver de novo‛, disse sua mãe. ‚Sra. Riley. Trouxe isto para você.‛ ‚Chupe-isso‛, Liz sussurrou. Tyler virou-se para ela e piscou. ‚Oh, elas são bonitas. Obrigado. E me chame de Kathleen.‛ Ela foi até Ty e colocou as mãos no rosto, depois beijou sua bochecha. ‚Por que você não pega l{ em cima dos arm{rios aquele vaso para mim.‛ ‚Sim, senhora.‛ Ele pegou o vaso e sua mãe encheu de água. ‚Vou organizá-las para você, mamãe‛, disse Tara, tomando por ela. ‚Tyler, por que você não vai para a sala com os caras. Nós vamos estar comendo em pouco tempo.‛ Ele olhou para Jenna, que assentiu. Depois, ele chocou o inferno fora dela inclinando-se sobre os lábios e escovando através dela. ‚Vemo-nos num pouco‛, ele sussurrou contra os l{bios antes de desaparecer. ‚Bem.‛ Sua mãe cruzou os braços, colher de pau na mão. ‚Basta ver um ao outro, hein? Não é grande coisa, hein?‛ ‚Não sei sobre o resto de vocês, mas ficou um pouco mais quente aqui‛, disse Tara. ‚Disse muito a você.‛ Liz plantou um sorriso de satisfação no rosto.

261


Jenna olhou para todos eles e deu de ombros. ‚Ok, talvez seja um pouco mais do que isso.‛ ‚Oh, é muito mais do que isso‛, disse sua mãe. ‚Eu vou dizer. Você quase desmaiou logo depois quando ele beijou você‛, disse Tara, abanando-se com um guardanapo. ‚E o resto de nós estava desmaiando junto com você.‛ Liz estreitou seu olhar a Jenna. ‚Você est{ apaixonada por ele.‛ ‚Não, eu não estou.‛ ‚Por que a negação, Jenna? Do que você est{ fugindo?‛ A mãe dela veio ao redor da ilha e virou Jenna em volta para encará-la. ‚Existe algum problema com o relacionamento? Com Ty?‛ Ela não queria ter essa conversa. Não agora, e não especialmente com sua mãe. ‚Não h{ nada de errado com o relacionamento, ou com Ty. Nós só não estamos apaixonados.‛ ‚Ge-ni-al‛, Liz disse, pronunciando cada sílaba lentamente. ‚Ty com certeza age como se estivesse apaixonado.‛ ‚Ele faz? Como você pode saber?‛ ‚Um homem não beija uma mulher na frente da mãe da mulher, a menos que tenha sentimentos genuínos, sérios para a mulher‛, disse Tara. Liz acenou com a cabeça. ‚Totalmente.‛ O olhar de Jenna deslocou-se para sua mãe, que estava balançando a cabeça junto com eles. ‚Tenho que concordar com as meninas. Esse rapaz tem isso ruim para você.‛ Ela não poderia ajudar na emoção que serpenteava o seu caminho através das terminações nervosas. Ty, apaixonado por ela? Não. Isso era apenas alguma coisa da minha mãe, Tara, e Liz que viu a partir do beijo. Não era verdade. Ele nunca disse uma palavra sobre amor.

262


Então, novamente, ela também não tinha, porque não ia estar no amor com um jogador de hóquei. Quando eles tinham aprontado os lanches, Jenna levou para a sala de estar. Os caras estavam assistindo corrida. Tyler estava sentado no sofá, seus antebraços sobre os joelhos, assim como a intenção de ação na tela como seu pai, Mick, e Nathan. ‚Número trinta e seis parece estar bom este ano‛, disse o pai dela. ‚De jeito nenhum‛, disse Ty. ‚H{ rumores de que ele e seu chefe de equipe não se dão bem e que o proprietário está procurando para fazer uma mudança aí. Ele vai ter a sorte de fazer a temporada no seu carro.‛ Seu pai olhou para Ty. ‚Só porque você é um daqueles marcados com o número quarenta e sete na bunda não quer dizer que você sabe tudo, meu filho.‛ Tyler riu dele. ‚Guarde minhas palavras. Ele não vai nem até a metade da temporada.‛ ‚Vocês dois estão errados‛, disse Mick. ‚O número quinze é o carro para vencer este ano.‛ Jenna revirou os olhos. ‚Agora, rapazes. Não lutem. Eu trouxe lanches.‛ Ela colocou sobre a mesa do café. Ty agarrou a mão dela e puxou-a ao lado dele no sofá. Nem um dos caras, incluindo seu pai, fez menção ao fato de ela e Ty estarem aconchegados juntos. Ninguém sequer olhou para eles desde que estavam muito absorvido na corrida. Duzentos quilômetros por hora, obviamente, era mais emocionante do que o braço de Ty ao seu redor. Além disso, eles eram caras. Não se importavam. Ela estava fazendo completamente um negócio muito grande disso. Precisava relaxar. Era a noite do espaguete e almôndegas, um de seus favoritos. Mamãe tinha feito pão caseiro e quando cozido o cheiro impregnou a casa. Quando o jantar estava pronto, o estômago de Jenna estava rosnando de fome.

263


Eles se reuniram ao redor da mesa e cavaram na comida, toda a conversa foi em uma parada enquanto todo mundo enchia os seus pratos e suas bocas. ‚Então, Ty, a última vez que esteve aqui foi quando Gavin trouxe você‛, seu pai disse. ‚E Liz é o seu agente. Agora você est{ aqui hoje como namorado de Jenna.‛ Oh, merda. Jenna fez uma pausa, a meio caminho do garfo à boca, e virou o seu olhar sobre Ty. Maneira de colocar isso, pai. Onde ele estava indo com isso? Em nenhum lugar, obviamente, já que não continuou a sua linha de pensamento, deixando Ty de alguma forma, formular uma resposta à questão de seu pai. ‚Sim. Estou realmente contente por estar de volta. Senti falta da comida excelente de Kathleen.‛ Seu pai sorriu um sorriso largo. ‚A minha esposa cozinha, ou o quê? Ela é incrível. Alguns dos alimentos que você come no Riley são receitas de Kathleen.‛ ‚Oh, Jimmy. Você vai me fazer corar.‛ ‚Ei, é a verdade.‛ ‚Adoro os bifes abafados do Riley, Kathleen‛, disse Ty. ‚Como que cada vez que estou l{.‛ Ela exalou um suspiro de alívio. Ty não parecia nem um pouco incomodado com o comentário de namorado. Talvez não. Talvez sendo chamado de namorado nem sequer registrou para ele, ou ele soprou como se não significasse nada. ‚Você é tão doce, Ty‛, disse sua mãe. ‚Obrigado.‛ ‚Não, obrigado. Eu não tenho refeições feitas em casa, muitas vezes, então isso é ótimo.‛ ‚Jenna não cozinha para você?‛

264


‚Ela está no trabalho e eu geralmente estou jogando até tarde. Mas ela cozinhou para mim antes.‛ ‚Eu não cozinho‛, disse Jenna. ‚Eu venho para c{.‛ ‚Bem, se você dois vão se casar ou algo assim, você vai ter que aprender.‛ Ela encolheu-se no comentário de seu pai. ‚Nós não vamos nos casar, papai. Nós só estamos namorando.‛ Ty agarrou a mão dela, apertou-a. ‚Ei, eu sou muito bom atr{s do fogão, então não acho que nós vamos morrer de fome.‛ Seu pai concordou. ‚É bom saber. Essa menina fica muito ocupada. Você acha que ela teria aprendido a cozinhar por agora.‛ Jenna rangeu os dentes. Tantas coisas que queria deixar escapar, mas segurou a língua. Seu pai era um cara tradicional, de muitas formas, mas ele não se importava com ela executar o bar da família quase sete loucos dias por semana. Se ele se preocupasse em voltar e assumir o comando, talvez ela encontrasse algum tempo maldito para aprender a cozinhar, ou fazer qualquer uma das centenas de outras coisas que nunca teve tempo para fazer. Como começar uma vida própria. Ela inclinou a cabeça, a culpa caindo sobre ela. No ano passado, seu pai quase morreu de um ataque cardíaco. Ela não tinha nada que apontar o dedo imaginários para ele por sua falta de dever para com o bar. Ele poderia fazer o que quisesse com sua vida. Ela era apenas maldita de feliz que ele ainda estava vivo. Ty afagou-lhe a coxa por debaixo da mesa. ‚Você est{ bem?‛ Ela lhe deu um aceno r{pido. ‚Tudo bem.‛ ‚Como est{ o bar, Jenna?‛ Perguntou a mãe.

265


Ela levantou a cabeça, o sorriso estampado novamente. ‚Faz grande. Realmente ocupado quase todas as noites da semana.‛ ‚Noites de segunda a sexta, também?‛ O pai perguntou. ‚De segunda a sexta, também. Com basquete e hóquei, eles mantêm o local lotado. Também não faz mal que vários dos jogadores do ICE fizeram do Riley sua casa longe de casa.‛ A mãe dela lançou a sua maneira a Ty um sorriso caloroso. ‚Agradecemos a você ter vindo para o bar. Nossos clientes adoram quando personalidades do esporte aparecem por l{.‛ ‚Jenna faz um ótimo trabalho com Riley. É uma atmosfera divertida, a comida é maravilhosa, e as pessoas são amig{veis. Os caras e eu o consideramos como casa.‛ ‚Bom‛, seu pai disse. ‚Nós esperamos que você sempre se sinta assim. Sempre foi a casa de Kathleen e minha.‛ ‚Você deve ir lá algum dia, pai‛, disse Jenna. ‚Seus frequentadores sentem a sua falta.‛ Ele encolheu os ombros. ‚Não é tão divertido quanto costumava ser.‛ ‚Porque você não pode mais beber cerveja‛, brincou a mãe. ‚O que não significa que você não possa ainda se divertir com seus velhos amigos.‛ ‚E você pode beber a cerveja sem {lcool‛, Jenna lembrou. ‚Tem gosto da coisa real. Adoraria tê-lo l{. Então, faria todos os outros.‛ ‚Talvez eu apareça em uma dessas noites, certificando-me que minha garota aqui está fazendo um trabalho tão bom como eu fiz.‛ Necessitaria de tratamento odontológico antes do final da noite. Sua mandíbula doía de apertar. Depois do jantar e lavar os pratos todos foram para a sala. Sua mãe pegou o tricô, e Tara e Liz se amontoaram trabalhando em algo para o casamento de Liz, enquanto os caras assistiam o resto da corrida.

266


Ela e Ty estavam colocando o resto dos potes e panelas na cozinha. ‚Este seria um bom momento para você falar de expansão‛, disse Ty. Ela entregou um pote para ele. Estava agachado no chão, deslizando-as para dentro do gabinete. ‚O que expansão?‛ ‚Abrir um bar novo.‛ ‚Não. Não é uma boa hora para isso.‛ Nunca seria um bom momento. Ele levou o último pote, empilhando com os outros, então se levantou e encostou no balcão. ‚Por que não?‛ ‚Você ouviu o meu pai. Não tenho certeza que ele ainda tem confiança que estou correndo o Riley do jeito que ele gosta.‛ Tyler riu. ‚Isso soa mais como bem-humorada provocação para mim.‛ Ela puxou um banquinho e sentou sobre a metade. ‚Você não conhece meu pai. Ele pode soar bem-humorado, mas é ferozmente protetor do bar. E é tradicional. Nunca iria para uma ideia de expansão.‛ ‚E você nunca saber{, se não discutir com ele. Como est{ a situação de capital?‛ ‚Abundante.‛ ‚Então, ponha um plano de negócios em conjunto e apresente a ele. É uma boa ideia, Jenna, e uma onde você pode aproveitar o seu talento natural.‛ ‚Você está realmente empurrando-me sobre este assunto. Por quê?‛ ‚Um, porque acho que seu talento está sendo desperdiçado em ser uma bartender. Dois, porque acho que se você abrir um segundo bar, poderá cantar lá, o que faria você mais feliz, porque realmente está fazendo algo que ama fazer. Três, porque é um investimento de negócio de som. Você já sabe como comandar um bar de sucesso. Acho que você poderia fazer este trabalho.‛

267


Tudo o que ele disse fazia sentido. Era lógico. Mas ela não iria fazê-lo. Balançou a cabeça e deslizou para fora do banco. ‚Muito arriscado. Papai nunca iria para isso.‛ Mais importante, ela nunca iria para isso. Ela começou a sair da sala, mas ele tomou as mãos. ‚Em seguida, faz ele ir para isso. Você é a mulher mais argumentativa que já conheci. Está me dizendo que não pode levantar-se para o seu pai? Vá até ele armada com um bom plano de negócios e o faça ouvir. Cante para seus pais. Leve-os para o clube que fomos e lhes mostre como isso poderia funcionar.‛ Puxou as mãos dela. ‚Não. Não vou fazer isso. Só porque você acha que é uma ótima ideia, não significa é algo que eu quero fazer.‛ ‚Você está com medo de dar este passo, assim como tem medo de cantar na frente de sua família.‛ Ela olhou no corredor para se certificar de que ninguém tinha ouvido falar. ‚Estou cansada de ter as mesmas conversas com você. Não quero mais falar sobre isso.‛ Mas Ty, obviamente, não ia deixar isso passar. ‚No começo pensei que era o medo do fracasso. Agora acho que você tem medo de ter sucesso.‛ ‚Isso é ridículo. Só não acho que um segundo bar é uma boa ideia.‛ ‚Que não tem nada a ver com cantar na frente de sua família. Você tem medo que vai ser tão bom que eles vão querer ouvi-la novamente. Ou talvez vão ter a ideia que você deve fazer algo com a voz espetacular que tem. Então vai ser forçada a sair de sua zona de conforto — deste casulo que você tão cuidadosamente embrulhou em si mesmo — e fazer algo sobre ser tão infeliz.‛ ‚O quê? De onde é que isto veio? Eu não sou infeliz.‛ Ele deu um passo mais perto. ‚Sim, você é.‛

268


Ela se mexeu de volta. ‚Não, eu não sou, e você tem um inferno de muita coragem presumindo saber como me sinto. Estou perfeitamente satisfeita com a maneira como as coisas estão. Estava contente antes de você chegar nisso e estarei satisfeita depois que você se for.‛ Ele arqueou uma sobrancelha. ‚Você est{ tentando se livrar de mim, Jenna?‛ ‚Não. Eu não sei. Pare de me empurrar. Não gosto disso.‛ ‚Estou tentando ajudá-la.‛ ‚Você não está me ajudando. Isto não é o que eu quero. E se você pensa que é, então não tem ouvido todas as vezes que lhe disse.‛ Ele deu um passo para tr{s e ergueu as mãos. ‚Se é isso que você pensa, então vou recuar.‛ Ela assentiu, mas sentiu-se miserável, como uma parede invisível tivesse acabado de ser criado entre eles. ‚Vou para a sala para que eles não perguntem o que estamos falando aqui.‛ ‚Tudo bem.‛ Ela saiu, deixando Ty sozinho na cozinha. Bem, que correu bem.

TYLER PEGOU UM REFRIGERANTE DA GELADEIRA, precisando de alguns minutos para esfriar e recolher os seus pensamentos. Ele deu um passo fora no quintal. Estava frio lá fora. Deveria ter pegado seu casaco. Ah, foda-se. Ele sobreviveria. Vivia no gelo, de qualquer maneira. O frio podia limpar suas células cerebrais, dar-lhe alguma clareza onde Jenna estava em causa. ‚Você est{ treinamento para um concurso de resistência homem de ferro?‛

269


Ele olhou para cima para encontrar Mick em pé nos degraus. Mick fechou a porta atrás dele. ‚Uh, não. Você?‛ Mick riu. ‚Claro que não. É ruim o suficiente que tenho de jogar futebol no frio. Não sou um grande fã disso.‛ ‚E aqui eu pensei que você fosse o zagueiro, duro macho.‛ ‚Ei, eu gosto de estádios de cúpula. Confortáveis vinte e dois graus. Não estrague a minha reputação vazando isso aos meios de comunicação, apesar de tudo.‛ ‚Agora tenho munição para usar contra você. M{ jogada da sua parte.‛ ‚Vamos.‛ Mick afastou-se das escadas e levou Tyler para a garagem. Eles entraram pela porta lateral. Não estava aquecida, mas era uma visão maldita mais quente do que do lado de fora com o vento cortante mordendo através de suas roupas. Mick encostou-se num dos dois carros que estava coberto na garagem. ‚Então, o que est{ acontecendo com você e minha irmã?‛ Tyler arqueou uma sobrancelha. ‚De que maneira?‛ ‚Eu ouvi argumentando na cozinha.‛ ‚Nenhum de seus negócios.‛ Os l{bios de Mick levantaram e ele arranhou a lateral do nariz. ‚Provavelmente o que eu teria dito a alguém que tentou interferir no meu relacionamento com Tara.‛ ‚Não há nada acontecendo. Eu me preocupo com Jenna. Nós apenas não vemos sempre da mesma maneira as coisas.‛ ‚Meus pais gostam de você, e assim faz Jenna. Eu posso dizer.‛ ‚Então, deve ser bom o suficiente para você.‛ ‚Deve ser.‛

270


‚Mas?‛ ‚Você sabe, como o mais velho e, especialmente, ter uma irmã pequena, sempre vai ser meu trabalho de olhar por ela.‛ ‚Claro.‛ ‚Mas também sei que ela é teimosa como o inferno. Não torna mais f{cil para os caras.‛ Ty decidiu ouvir e ver onde Mick estava indo com isso. ‚Ela pode ser... difícil.‛ ‚Entendo‛, disse Ty. Mick riu. ‚Ela é independente, forte como qualquer homem, e vai cavar em seus calcanhares se você tentar mudá-la.‛ ‚Eu não gostaria de mudá-la. Gosto de quem ela é.‛ ‚Mas ela é também ferozmente leal às pessoas que ama. E nunca trouxe um cara em torno antes, então acho que você é algo especial.‛ Ty olhou para o chão, então Mick deu uma olhada de soslaio. ‚Bem, obrigado por isso. Acho que ela é muito especial também. Só não sei como dar a ela o que acho que ela realmente quer.‛ ‚O que você acha que ela realmente quer?‛ ‚Isso não é para mim dizer.‛ Mick cruzou os braços. ‚Certo, agora eu estou confuso.‛ ‚Desculpe, cara. Não h{ muita coisa que posso dizer sem trair a confiança.‛ Mick empurrou para fora do carro e bateu Ty no ombro. ‚Isso é bom. Ela confia em você com seus segredos, para mantê-los. Isso é bom. E não sei como falar sobre algo que não tenho todos os fatos, mas se você acha que há alguma coisa que ela quer e não vai atrás dele, empurrea.‛

271


‚Você acha?‛ ‚Sim.‛ ‚Ela vai odiar isso.‛ Mick riu e acenou com a cabeça. ‚Sim, ela vai. Mas acha que ela vai ser muito feliz se conseguir o que quer?‛

272


Capítulo Vinte e Dois JENNA ESPEROU UM POUCO, MASTIGANDO UM pedaço de pele da unha enquanto Ty limpava seus sapatos na cozinha. Mick entrou atrás, então ela achou que estava filmando a brisa com seu irmão. Ele finalmente apareceu e saiu com a família por um tempo, mas era óbvio que a dinâmica mudou entre eles. Ty se sentou ao lado de seu pai e se concentrou sua atenção sobre a corrida. Jenna estava sentada com Liz e Tara, ouvindo o planejamento do casamento, mas não deu a conversa seu foco total. Manteve os olhares contornando toda a sala em Ty, que não tinha olhado para ela em tudo. Ele estava louco. Ou magoado. Ou algo Não podia fazer nada. Sabia o que queria, e o que não queria. Outro bar seria bom, aquele em que haveria música e canto em vez de esportes, mas era uma fantasia que nunca se tornaria realidade. Ty a empurrar sobre isso não ia fazer isso acontecer. Ela nunca deveria ter cantado para ele, nunca deveria ter se permitido sequer pensar que era uma possibilidade. Então, nunca saberia, e eles não estariam tendo essa luta ridícula. ‚Jenna, você poderia me ajudar na cozinha por um minuto?‛ Ela puxou-se para fora de seus pensamentos e se levantou. ‚Claro, mãe.‛ Sua mãe tinha feito duas tortas — uma de cereja e uma de creme de coco. Ela adorava torta caseira e sua mãe fez o melhor da cidade na medida em que Jenna estava em causa. ‚Pegue os pratos e o chantilly do frigorífico. Vou pegar os garfos.‛ ‚Certo.‛

273


Jenna se ocupou em levar os pratos e utensílios para a sala de jantar. Quando voltou para a cozinha, sua mãe estava cortando a torta em pedaços e servindo. ‚Você e Ty tiveram uma briga?‛ Sua mãe tinha uma ouvido de superpotência. ‚Não. Nós estamos bem.‛ O olhar que ela deu a Jenna disse que não estava comprando isso. ‚Quer tentar novamente?‛ ‚Realmente, mãe. Não é uma grande coisa. Nós apenas não vemos a coisa sob o mesmo olhar em algumas questões.‛ ‚Deixe-me lhe fazer uma pergunta.‛ ‚Tudo bem.‛ ‚Ele é bom para você?‛ ‚Ele é o quê?‛ ‚Ser{ que ele a trata bem?‛ ‚Claro que ele faz. Não estaria com ele se não fizesse.‛ ‚Ele é respeitador com você?‛ ‚Sim.‛ ‚Como você se sente quando est{ com ele?‛ ‚Mãe, realmente.‛ ‚Basta responder a pergunta.‛ Ela afundou-se no tamborete e rodou seu dedo através do chantilly. ‚Toda torcida por dentro. Gosmenta, como o interior de sua torta de cereja.‛ A mãe concordou, levantando seus lábios em um sorriso. ‚Eu vejo. E como você se sente quando não est{ com ele?‛ Jenna suspirou. ‚Mais uma vez, toda torcida por dentro. Sinto falta dele.‛

274


‚J{ lhe disse que você est{ apaixonada por ele?‛ Deus, sua mãe era como um interrogadora mestre. ‚Não estou apaixonada por ele.‛ ‚Você est{ tão certa disso?‛ ‚Eu não sei, mãe. Não sei como me sinto. Nunca estive apaixonada antes.‛ ‚Você sempre foi a melhor em esconder suas emoções, permitindo-se a nunca chegar perto de alguém. O amor é uma coisa assustadora, minha filha querida. Mas você é uma mulher forte e espero que você enfrente os temores sobre sua cabeça, como enfrentou todas as aventuras que tomou em sua vida. Os Riley nunca recuam de algo que tem medo.‛ Bem, o inferno. Ela não estava preparada para isso, não esperava essa conversa para chegar tão fundo tão rápido. Mas agora que tinha, as comportas se abriram e estava bem ali, derramando-se. ‚Eu não gosto de falhar.‛ ‚Eu sei que você não faz. Mas se quer algo que vale muito a pena, tem que estar disposta a assumir o risco.‛ E lá estava ela, abrindo o que ela precisava. ‚Mãe, h{ algo que eu preciso falar com você.‛ ‚Vocês dois estão indo para servir a torta, ou vou ter que vir aqui e roubar?‛ Maldição. O foco de sua mãe virou-se para o pai dela, que foi seguido por Nathan, em seguida, Mick. ‚Sim, onde est{ a torta?‛ Nathan perguntou, olhando ansioso enquanto olhava por cima do ombro de seu pai. O momento acabou. ‚Falaremos sobre isso mais tarde‛, sua mãe disse-lhe com um olhar aguçado.

275


Mas nunca aconteceu mais tarde, porque depois que eles comeram a torta Tyler disse que tinha que sair, e Jenna sabia que tinha de falar com ele antes que partisse em sua viagem, por isso decidiu que queria ir com ele. Eles disseram suas despedidas. Tyler, sempre cavalheiro perfeito agradeceu a sua mãe pelo jantar e apertou a mão do pai, prometeu voltar em breve para assistir alguns jogos e brincar de basquete no quintal uma vez que o clima esquentasse. Ela se pergunto se eles ainda seriam um casal na primavera. Será que ela queria isso? Ele já tinha passado o seu prazo de validade, e Deus, ele abriu caminho fora de sua zona de conforto. Sua vida seria muito mais simples sem ele nela. No entanto, aqui estava ela, dirigindo para casa com Tyler seguindo-a. Se fosse inteligente ia chutá-lo para a calçada antes de machucá-la. Ou ela ia machucá-lo. Ela puxou em sua garagem e saiu, fechou a porta da garagem, e entrou para deixar Tyler entrar. A mordida da neve iminentes soprava um vento áspero, uivos vindos do norte. Ele correu para fechar a porta, esfregando as mãos quando entrou. ‚Vi alguns flocos l{ fora enquanto nós est{vamos dirigindo. Neve est{ por vir mais cedo esta noite.‛ ‚Eu vi isso, também. Estava ouvindo o tempo a caminho de casa. Estão esperando que isso seja uma grande tempestade. Espero que não inviabilize o seu voo pela manhã.‛ Ele olhou pela janela, viu os galhos da árvore no jardim da frente curvando do vento, então se virou e olhou para lareira. ‚Você tem madeira?‛ ‚Fora, l{ tr{s.‛ ‚Que tal uma fogueira?‛ ‚Isso soa como uma grande ideia. Vou fazer-nos algo para beber. O que você gostaria?‛ ‚Uísque.‛ Começou a ir em direção | cozinha.

276


‚Você vai ficar esta noite?‛ Ele parou, virou-se e olhou para ela, e leu a pergunta em seu rosto. ‚Você quer que fique?‛ ‚Sim.‛ ‚Certo, então. Uísque.‛ Ela pegou as bebida, enquanto ele saia e reunia um punhado de lenha, trouxe, e colocou para baixo perto da lareira. Ele acendeu o fogo e ela sentou-se com ele perto da lareira, ouvindo o crepitar da madeira envelhecida e o estalo quando o fogo aumentava. ‚Pena que não tenho nenhum marshmallows‛, disse ela enquanto tomava um gole de sua bebida. Tyler tomou em um gole, em seguida, colocou o copo sobre a mesa na frente dele. ‚Marshmallows não vai com uísque.‛ Ela franziu o nariz para a combinação. ‚Você est{ certo.‛ Eles não tinham falado sobre seu argumento anterior, mas ele não parecia mais com raiva. Ela estava feliz por ele não ser o tipo de cara para segurar sua raiva ou guardar rancor. Odiava caras que amuava. Era muito melhor para dizer o que estava em sua mente, tirá-lo em campo aberto, e passar por isso. Embora eles não havia passado isso, eles tinham? Isso ainda pairava no ar entre eles, não resolvido, e foi tanto culpa dela como de alguém. ‚Sinto muito sobre mais cedo nos meus pais.‛ ‚Não é grande coisa. Eu empurrei. Você tem o direito de empurrar para tr{s.‛ Ele sempre fez isso tão fácil para ela. ‚Tenho vindo a fazer algumas notas sobre um novo bar‛, ela admitiu.

277


‚Você?‛ Ele se levantou e pegou a garrafa de uísque, serviu-se de mais uma dose. ‚Digame sobre isso.‛ ‚São apenas algumas estimativas preliminares sobre o custo e a viabilidade potencial. Listei o que quero, na medida do inventário e espaço desejável, as necessidades de pessoal, e coisas assim.‛ ‚Gostaria de ouvir sobre isso, se você desejar compartilhar.‛ Surpreendentemente, ela queria compartilhar com ele. ‚Eu vou pegar meu caderno.‛ Foi para seu escritório para pegar suas notas. Quando voltou, parou por alguns segundos na porta, impressionada com quão sexy Ty olhava encostado no sofá perto do fogo. As chamas delineando a escuridão de seu cabelo, a masculinidade de seus traços faciais, as longas linhas magra do seu corpo enquanto ele estava ali sentado com o braço equilibrado em um joelho dobrado e girava em torno do copo o uísque. Ela inalou, deixando sair, entrou na sala e sentou-se. Ty sorriu para ela. ‚Deixe-me ver.‛ Ela abriu o caderno onde começou a fazer suas anotações. ‚Algumas delas estão rabiscada, por isso provavelmente não far{ muito sentido.‛ Ele ergueu o olhar para o dela. ‚Sou capaz de ler rabiscos muito bem já que é como escrevo. Deixe-me ver.‛ Sem desculpas, ela deu-lhe o caderno, então bebeu o conteúdo de seu uísque, esperando que encontrasse coragem na poção âmbar. Ele folheou as páginas, murmurando-lhe enquanto fazia. ‚Os números parecem razoáveis. Gosto da sua linha de pensamento de requisitos de espaço. Você deu a ideia de necessidades elétricas para a música?‛

278


‚Sim, é isso aqui.‛ Ela folheou algumas p{ginas | frente para mostrar-lhe as notas que tinha feito. ‚Estes são preliminares. Acho que perguntaria a um eletricista e alguém no negócio se viesse para baixo a necessidade de números mais exatos para tomadas e amperagem.‛ Ele olhou-a. ‚Boa ideia, suas estimativas de olharem o som. E quanto ao pessoal, para tanto, além do seguro e de bebidas? Gostaria de servir comida no outro, ou apenas bebidas?‛ Ela derramou o uísque. ‚Você pensa em tudo, não é?‛ ‚Você tem pensado, aparentemente. Você tem uma lista boa acontecendo aqui.‛ ‚Disse que estava apenas tomando notas. Isso não significa nada.‛ ‚Por que você faz isso?‛ ‚Fazer o quê?‛ ‚Fazer tudo o que me parece... sem importância. Não desvalorize você dessa forma. Este poderia ser um grande negócio para você e para sua família, Jenna. Riley é um enorme sucesso. Se você expandir poderia dobrar a renda da sua família.‛ Colocando dessa forma fez um bom negócio. ‚Mas não faria sentido apenas abrir um outro bar esportivo, em outra parte da cidade?‛ ‚Talvez. É uma opção. Mas isso é o que você realmente quer fazer?‛ Não. Assim como a palavra se formou em sua cabeça, ela percebeu outro bar esportivo não era nada daquilo que ela queria. O que realmente queria era que secretamente pensava que nunca poderia ter. Até que conheceu Ty. Agora queria as coisas que nunca quis antes. E estava cansada de pensar sobre isso, pelo menos por esta noite. Essas possibilidades lhe deram uma enorme dor de cabeça.

279


Ela colocou o copo de uísque para baixo, colocando-o sobre a mesa atrás dela, em seguida, subiu em seu colo. ‚Conversar sobre?‛ Perguntou ele. ‚Sim. Você está deixando a cidade por alguns dias e não quero passar a nossa última noite juntos, conversando sobre os planos de chão e elétricos.‛ ‚O quê? Isso não é preliminares para você?‛ Ela riu e afastou o cabelo do rosto. ‚Nem um pouco. Prefiro a minha preliminar um pouco mais suja.‛ Ele apertou os quadris, as mãos viajando para baixo na bunda dela. ‚As plantas do assoalho e elétricos pode ficar muito sujo.‛ ‚Você pode ficar muito sujo. É por isso que eu gosto de você.‛ Antes que ela percebesse estava de costas sobre o tapete, Tyler pairando sobre ela. ‚Sim? Como sujo você quer que eu fique?‛ ‚Muito.‛ Ele levantou a blusa e pressionou um beijo na barriga dela, rolando a blusa para cima, quando moveu os lábios através de seu estômago e costelas. Quando chegou ao seu sutiã, beijou o vale de seus seios e desfez o fecho frontal do sutiã, expondo-a ao seu olhar. ‚A luz do fogo faz coisas incríveis para sua pele. Isso faz você parecer ouro‛, disse ele, levantando o suéter sobre sua cabeça e escorregando as tiras do sutiã para baixo dos braços. Curvou-se, pressionando beijos suaves para cada um de seus mamilos antes de tomar um na boca por chupar e beliscar com os dentes. Ela arqueou para alimentar o peito para ele, precisando que tomasse mais. Ele enfiou o braço em volta dela para trás e puxou-lhe o mamilo na boca para chupar mais profundamente.

280


‚Sim. Isso é o que preciso‛, disse enquanto ele trabalhava nos dois mamilos e ela estava num frenesi. Se inclinou com necessidade enquanto ele se alimentava com seus seios, até que apareceu molhado e brilhante, em sua boca. Então começou a trabalhar em suas calças, soltando-as e puxando fora, seguido da calcinha, deixando-a nua. O fogo banhava em seu calor quando estava deitada nua diante dele. Ele colocou sua mão sobre a barriga e traçou um caminho para o sul, tomando seu tempo para provocar e atormentá-la antes que encontrasse seu sexo e acariciou-a levemente, fazendo subir os quadris fora do tapete para atender seus dedos. Mas ele caiu entre suas pernas, colocando sua bunda em suas mãos. Ela inclinou-se nos cotovelos para ver enquanto ele colocava a boca sobre ela. Todo o calor úmido em torno dela a fez tremer. Sintonizava só a ele, no caminho lambeu torno de seu clitoris antes de tomá-lo em sua boca para rolar o piercing em torno de sua língua até que queria morrer do doce prazer. Vendo-o marcou o frenesi de seu desejo. Vendo a sua língua deslizar sobre seu sexo era tão incrivelmente íntimo, e da maneira como olhava capturou a sua respiração. Ela sentiu os arrepios de seu orgasmo se aproximando, quase envergonhada de que ele poderia fazer com que ela viesse tão facilmente, mas conhecia tão bem o seu corpo e suas reações que sabia exatamente onde tocá-la, onde saboreá-la, para levá-la a borda. Ela levantou contra a sua boca, pedindo-lhe para lamber mais rápido. Ele estava, deslizando seus dedos dentro dela porque isso iria intensificar o seu orgasmo. E quando bateu, ela gritou sem pudor, deixando-a rolar durante toda a duração o que a lançou selvagem abandonando completamente até que caiu para trás. Tyler se levantou e começou a despir. Jenna rolou para o lado, assistindo. ‚Você pode fazer isso como um strip-tease e seria uma maneira mais divertida.‛ ‚Ha-ha. Não é o caso. Eu não tenho qualquer ritmo.‛

281


‚Mentiroso. Dancei com você antes e tem ritmo.‛ ‚Não para um stripper, eu não faço.‛ ‚Realmente. Então você tentou e dançou em um poste. Quem sabia que você tinha um plano de fundo como um stripper?‚ ‚Agora você sabe o meu segredo profundo, escuro.‛ Quando ele baixou a cueca, imaginou que ele poderia ficar ali nu e as mulheres ficariam ali de bom grado jogando o dinheiro no seu caminho. Mesmo com as cicatrizes dos ferimentos de batalha sobre o gelo, ele era beleza pura masculina. Ela pegou o tornozelo e puxou a mão para cima em direção a sua bunda, amando o músculo que falava de sua força. Ele caiu para o tapete e puxou-a contra ele, beijando-a até que se esqueceu de tudo sobre adorar o seu corpo e concentrou-se em adorar a sua boca. Sentiria falta dele quando se fosse esta semana. Tinha se acostumado a tê-lo com ela, tocando-a e beijando-a. Amava especialmente o beijo, do jeito que preguiçosamente roçava os lábios nos dela antes de rolar sobre as costas e aprofundar no beijo até que o calor queimou por todo o seu corpo. Seu coração batia forte contra ele, sua pulsação acelerou até que ela se sentiu tonta e quente. O mundo derreteu até tudo o que sabia era seus lábios, sua língua, sua mão varrendo para baixo sobre os seios para arrancar e provocar até se arquear contra ele. Ela estendeu a mão para seu pau, envolvendo-o na mão. Ela circulou seu dedo sobre a crista, usando o líquido que reunira ali para cobrir a cabeça do pau. Os gemidos que ele fez quando tocou-lhe apenas aumentou sua necessidade de senti-lo enterrado dentro dela, e quando ele rolou sobre sua barriga, ela estava pronta para ele. ‚De joelhos‛, disse ele, pegando uma camisinha enquanto ela ficava na posição.

282


Ele colocou as mãos em sua bunda e abriu as pernas com os joelhos. Ela tremia em antecipação quando a cabeça do pau avançou dentro dela, e quando alisou uma mão sobre suas costas, ela se arqueou para atender o seu toque. Não havia nada mais sexy que uma mulher de joelhos. Tyler deslizou seu pau, entrando em Jenna com um golpe rápido. Ela sibilou e empurrou para trás contra ele, sua boceta apertando em volta dele, recusando-se a deixar ir quando ele puxou para fora, então penetrou de volta novamente. ‚Eu amo te comer nesta posição‛, disse ele, alisando a mão sobre suas costas, traçando as linhas de seu dragão. ‚Eu amo essa tatuagem.‛ Ela estava selvagem, mulher indomável, e perfeita para ele. Rebolava de volta contra ele e deu a ela o que queria, deslizando seu pau em profundidade, mas não muito duro. Ainda não. Ele precisava esperar até o final ou ia acabar mais cedo. Ela era quente e úmida e ordenhava com seus músculos, o corpo brilhando à luz do fogo enquanto se movia contra ele. Ele se inclinou para trás para ver seu pau desaparecer dentro dela, para ver como sua boceta o agarrava. Ele espalhou as bochechas da bunda dela, o pequeno buraco enrugado seduzindo-o. Molhou o dedo e brincou com ela lá, esfregando o dedo para trás e para frente sobre o seu ânus quando enfiou dentro e fora dela. Seus gemidos de prazer lhe disseram que gostava do que estava fazendo. Quando inseriu a ponta do seu dedo, ela soltou um grito de prazer, sua boceta apertou em volta dele em resposta. ‚Onde est{ o seu lubrificante, Jenna?‛ ‚Gaveta do quarto a direita.‛ ‚Fique assim. Eu j{ volto.‛

283


Ele retirou-se, entrou em seu quarto, e pegou o lubrificante, depois voltou, revestindo o dedo com isso. Entrou em sua boceta novamente, e brincou com o pequeno buraco, certificando-se de que estava bem lubrificado. Desta vez, deslizou o dedo mais profundo. ‚Oh, Deus‛, disse ela, baixando a cabeça para o tapete e levantando sua bunda contra ele. ‚Eu gosto disso.‛ Ele passou o dedo dentro e fora no mesmo ritmo que fodia sua boceta. Sua bunda apertou em torno de seu dedo, sua boceta convulsionou em torno de seu pênis enquanto penetrava-a com ambos. Suas bolas tremeram com o pensamento de foder seu buraco apertado, de levá-la lá agora. ‚Você quer isso?‛ Perguntou ele, empurrando o dedo mais para dentro de seu }nus. ‚Sim‛, ela disse, sua voz ofegante. ‚Vamos para o quarto. Tenho um vibrador l{ que vai me tirar, enquanto você est{ fodendo minha bunda.‛ Ele balançou a cabeça. ‚Você nunca deixa de me surpreender, Jenna.‛ Ela lhe deu um sorriso em resposta. ‚Espero que não.‛ Ele se retirou e foi para o quarto. Lavou-se, em seguida, se juntou a ela. Jenna estava na cama, um pênis de silicone grosso em suas mãos. Ela entregou-lhe o lubrificante. Ele sorriu para ela. ‚Eu vou te foder na bunda e fazer você gozar. Vou fazer-nos gozar. Forte.‛ Ela estava em suas mãos e joelhos, lubrificando o vibrador foi enfiando em sua boceta. ‚Eu vou aproveitar isso.‛ Inferno, só de vê-la foder-se com aquele dildo poderia vir. A visão dela de joelhos com aquele vibrador o poderia fazer gozar agora. ‚Porra, Jenna‛, disse ele. ‚Você gosta de me ver.‛

284


‚Sim.‛ ‚Lembre-me para ligar para você algum dia.‛ Ele pegou o pau na mão, acariciou-o. ‚Sempre que você quiser, bebê, vou ser um voyeur feliz.‛ ‚Ponha o seu pau na minha bunda. Estou pronta para gozar.‛ Ele colocou o preservativo e revestiu com muito lubrificante, em seguida, derramou mais em seu ânus. Espalhou as bochechas da bunda dela, suas bolas apertaram com antecipação de têla aqui, sentindo-se fora dela ficando com aquele vibrador enquanto fodia sua bunda. Empurrou a cabeça do pau passando a barreira do músculo tenso. Ela assobiou. ‚Diga-me se machucar.‛ ‚Basta ter o seu pênis dentro de mim‛, disse ela, puxando o dildo para fora da sua boceta quando ele empurrou seu pau mais profundo em sua bunda. Ele fez isso lento e fácil, centímetro por centímetro, rangendo os dentes quando o corpo dela apertou em torno dele, apertando o seu pau em um estrangulamento que fez suas bolas apertar e ameaçar entrar em erupção. Ainda não. Nem mesmo experimente. Ele segurou de volta, então deslizou em todo o caminho de casa. ‚Oh, sim‛, disse Jenna, então deslizou o dildo dentro. Ele sentiu deslizar pela fina barreira entre sua boceta e sua bunda. Quando ela puxou-o para fora e caiu de volta dentro de sua boceta, ele começou a se mover dentro de seu traseiro. ‚Ah, foda-se‛, disse ela. ‚Sim. Sim.‛

285


Isso foi exatamente o que sentiu. Estava apertado, quente e perfeito. Ele puxou para fora parcialmente, em seguida, empurrou para ela novamente, entrando em ritmo com o vibrador que ela usava, tendo seus sinais sobre quando sair, e quando empurrar para dentro dela novamente. Ela apertou-o perfeitamente, e ele teve que segurar até que ela saisse. A verdade era, ele poderia vir a qualquer momento. Suas bolas tremeram e estava pronto para atirar. A cada mergulho do vibrador, ela torturou, fez prontas para sair. E quando foi mais rápido, assim o fez, dando-lhe exatamente o que ela pediu. O suor escorria pelo seu corpo, enquanto ele esperava, empurrando nela, assistindo-lhe dar prazer a si mesma. A intimidade e confiança que ela lhe deu o desfez. Queria que isso fosse bom para ela. ‚Oh, Deus, oh, Deus, Tyler, eu vou gozar. Foda-me mais duro.‛ Ela tinha seu pau em punho de ferro em sua bunda, e ele ia explodir. Ele recuou e alimentou dentro dela, uma e outra vez, e quando ela gritou, seu corpo convulsionou em torno dele, soltou, gritando quando seu clímax foi arrancado dele. Ele passou um braço em volta da cintura e segurou enquanto estremecia e esvaziava até que não tinha mais nada. Ele retirou-se, puxando Jenna com ele para o chuveiro. Ela estava contra a parede como uma boneca de pano. Lavou-a, tomando cuidado e sendo tenro com ela, em seguida, desligou o chuveiro e deu-lhe uma toalha. ‚Estou pronta para sair‛, disse ela, dando-lhe um olhar de sono, enquanto secava o cabelo. ‚Eu também.‛ Ele olhou pela janela. Neve tinha caído de forma constante, tinha coberto a grama e calçadas e ainda estava descendo. Ele se perguntou se seu voo iria decolar, como previsto amanhã.

286


Ele colocou o alarme em seu telefone. Eles subiram na cama e puxou Jenna contra si, percebendo o quanto ia sentir falta dela quando deixasse a cidade para a sua viagem amanhã. Ele não gostava de ficar separado dela. É isso que era o amor? Sentindo-se vazio quando não estava com essa pessoa, como se algo de essencial estava faltando em sua vida? Estava se apaixonando por Jenna? Ele não tinha a intenção. Nunca quis amar ninguém. Nunca. Momentos de diversão, sim, mas amor? Tinha visto o que o amor poderia fazer as pessoas que se afirmaram certa vez de se preocupar com o outro. Tinha certeza que nunca quis fazer isso para Jenna. Rasgando alguém que se preocupava? Sim, não era isso que o amor deveria ser.

Capítulo Vinte e Três JENNA NÃO SABIA O QUE TINHA POSSUIDO ELA para chamar Elizabeth e Tara e convidá-las para o clube de música. Talvez estivesse cansada de ter medo. Ou talvez precisava de uma segunda opinião. Ty, afinal, estava dormindo com ela. Ter relações sexuais com alguém poderia distorcer as suas opiniões, fazer algo que as outras pessoas pensavam era terrível. A única maneira que ia ser capaz de descobrir isso seria em obter a opinião de duas pessoas que confiava demais. Tara e Liz diriam a ela se não tinha talento. Certo, Tara seria educada e doce. Liz iria ser franca e dizer que ela odiou. Em seguida, ela teria Tara docemente segurando sua mão enquanto ela chorava.

287


Ela trouxe seu violão, mas tinha deixado no porta-malas do carro, pois ainda havia uma chance de noventa e oito por cento que iria mudar de ideia e não ter a coragem de chegar lá e cantar. ‚Oh, eu ouvi sobre esse lugar‛, Liz disse quando atravessavam sobre a fila e encontravam uma mesa. ‚É um novo lugar quente. Música ao vivo.‛ ‚Eu li sobre isso na seção do jornal de entretenimento‛, disse Tara, olhando em torno por uma garçonete. Ela deslizou para fora de seu casaco e pendurou sobre a cadeira. ‚Est{ tendo ótimas críticas.‛ ‚Ty me trouxe aqui h{ algumas semanas.‛ ‚Ele veio? Foi bom?‚ Tara perguntou. ‚Foi incrível.‛ Uma das melhores noites da sua vida. Agora, se ela só pudesse tocar e ter a coragem de cantar novamente. A música começou com um cara mal vestido de aparência barbuda que veio e cantou alguns números de blues que abalou diretamente para baixo em seus dedões do pé pintados de preto-e-branco. ‚Uau‛, disse Liz. ‚Você definitivamente não pode julgar o livro pela capa. Esse cara parece um sem-teto. Mas oh, sua voz.‛ ‚Eu sei, certo?‛ Jenna disse. ‚Ele foi fant{stico.‛ A banda depois disso tocou algumas músicas de rock pesado. Eles tocaram duas músicas. Um pouco alto, mas ela amava o ritmo. Eles não tocaram quaisquer sucessos tampas, toda a música era original, e tinham pessoas na pista de dança pulando para a música. Havia muito talento surgindo esta noite. Não idiotas como havia sido a primeira noite que Tyler tinha a levado. Jenna sentia-se inadequada. Talvez hoje à noite não fosse a melhor noite para se levantar e tentar de novo.

288


‚Desejo que eu pudesse cantar‛, disse Tara como outra banda subiu e começou a cantar. ‚É um talento que não tenho.‛ ‚Não posso cantar nem uma nota mínima.‛ Liz levantou o copo de vinho aos l{bios e tomou um gole. ‚Não que isso sempre me impediu de cantar as músicas de Beyoncé no chuveiro.‛ Tara riu. ‚Oh, eu também não. Quer dizer, eu não sou ruim, mas não acho que nenhum agente de talentos vai bater na minha porta a qualquer momento.‛ ‚E você, Jenna?‛ Tara perguntou. ‚Você gosta de cantar?‛ Liz olhou para ela também, e Jenna percebeu que era agora ou nunca. ‚Bem, aqui est{ a coisa. Eu canto.‛ ‚Querida, todos nós cantamos:‛ Liz disse. ‚Você é boa nisso?‛ Seu coração bateu contra suas costelas, sua pele ficou fria e úmida, enquanto o rosto inflamava com o calor. ‚Meu violão est{ no porta-malas do carro.‛ Os olhos de Tara arregalaram. ‚O quê? Você tem um violão? Eu não sabia disso.‛ ‚Feche a porta da frente.‛ Liz afastou da mesa. ‚Você vai cantar hoje | noite, não é?‛ ‚Eu tenho pensado sobre isso.‛ ‚Bem, pare de pensar nisso e v{ buscar o seu violão.‛ ‚Eu não sei.‛ Tara empurrou. ‚Dê a nos isso. V{ buscar o seu violão. Eu quero ouvi-la.‛ ‚Certo.‛ Trepidação foi substituída por excitação nervosa. Ela teve sua mão carimbada para que pudesse voltar, em seguida, correu para o estacionamento e pegou seu violão. Ela viu Tara e Liz falando sem parar uma com a outra enquanto ela fazia seu caminho de volta para a mesa.

289


Os olhos de Liz foram para o violão, então de volta para ela. ‚Eu te conheço h{ quantos anos, e não sabia que você cantava.‛ Jenna encolheu os ombros. ‚Nunca disse a ninguém antes.‛ ‚Por quê?‛ ‚Porque eu poderia não ser boa.‛ Liz se recostou na cadeira e cruzou os braços. ‚Nós vamos ser as juízas disso. Obtenha seu rabo lá em cima e cante para nós.‛ Jenna riu. ‚Tenho que esperar minha vez. O que me lembrou, tenho que entregar o meu cartão para o DJ.‛ Ela escreveu o que queria cantar e correu até o palco, depois voltou, com a garganta tão seca, de repente teve de acenar para a garçonete e pedir uma água engarrafada. ‚É por isso que você nos trouxe aqui esta noite, não é?‛ Liz perguntou. ‚Talvez. Queria que vocês me ouvissem. Se eu pudesse chegar até coragem suficiente para fazer isso. Achei que seriam honestas e me diriam se eu era ruim.‛ ‚Você não vai se sair ruim‛, disse Tara. ‚Ser{ que você cantou quando você e Ty vieram aqui?‛ Liz perguntou. Ela olhou para suas mãos. ‚Sim. Uma ou duas vezes.‛ ‚Oh. Meu. Deus. Nossa menina vem mantendo segredos de nós, Tara.‛ Tara balançou a cabeça. ‚Estou chocada e consternada.‛ ‚Pare com isso, vocês duas. Mamãe e papai nem sabem que eu canto.‛ ‚Feche a porta da frente de novo‛, disse Liz. ‚Você est{ falando sério?‛ ‚Estou. Nunca tinha cantado na frente de ninguém. Bem, isso não é verdade. Cantei na Europa. Mas não tinha cantado novamente. Até Ty.‛ Liz inclinou um olhar para Tara antes de voltar a Jenna. ‚Realmente.‛

290


‚Sim, e não veja nada nisso. Ele descobriu o violão e as canções que escrevi.‛ ‚Oh, meu Deus, você escreve canções, também?‛ Tara perguntou. ‚O que mais não sabemos sobre você, Senhorita Riley?‛ Liz perguntou. ‚Você coloca uma fantasia de super-herói e combate o crime | noite na metrópole?‛ ‚Sim, mas apenas entre as três e cinco horas.‛ ‚Oooh, você não é uma espertalhona.‛ Liz inclinou a cabeça para o lado e estudou-a. ‚H{ novas faces em você que estou apenas começando a descobrir.‛ ‚Acho que vai realmente se desapontar quando perceber que sou apenas uma cantora média que não usa uma capa e calças justas.‛ ‚É uma pena. Isso teria sido um grande ângulo para promovê-la.‛ Liz espalhou a sua mão na frente dela, imitando um arco de arco-íris. ‚Cantora. Super-herói. Tem um belo apelo para isso, não é?‛ Jenna revirou os olhos. ‚E você est{ no negócio para promover os seus jogadores? Pobres rapazes.‛ Tara riu. ‚Mick vai ficar com ciúmes, ele não obteve um nome de super-herói.‛ Jenna colocou a mão sobre Tara. ‚Eu não quero que Mick ou Gavin saibam nada sobre isso. Eu só quero as duas para me escutar e dizer o que pensam.‛ Tara fez uma careta. ‚Mas—‛ ‚Por favor.‛ ‚Certo.‛ Alguns cantores surgiram após a banda, então o DJ chamou o nome dela. Jenna olhou para Tara e Liz. ‚Sou eu.‛ ‚Chute alguns traseiros l{ em cima, querida‛, disse Liz. Náuseas incharam seu estômago, mas pegou seu violão e subiu no palco.

291


‚Ei, Jenna‛, o DJ disse. ‚É bom ver você de novo.‛ Surpresa que ele se lembrava dela de tanto tempo atrás, ela balançou a cabeça e sorriu para ele. ‚Obrigado.‛ ‚Vai cantar sua própria canção esta noite, eu vejo.‛ ‚Sim. Indo para experimentá-lo.‛ ‚Quebre uma perna, irmã.‛ Engoliu em seco e saiu com o microfone, pegou o banquinho de metal, e pousou na borda. Ela fez o possível para não olhar pois poderia vomitar ou desmaiar a qualquer momento. Ela examinou a multidão e encontrou Liz e Tara, sorrindo e batendo alto para ela. Respirando fundo, ela se instalou e começou a dedilhar o violão, caindo na música que tinha escrito. Era uma canção de amor triste sobre uma separação, sobre sofrimento e da dor e o que acontece quando pensou que estava apaixonado, mas não deu certo, e como você encontrou a força para continuar a partir daí. Ela esperava que algumas pessoas na platéia pudesse se conectar com isso. Ela sempre pode se perder na música, então deixou fluir através de seus dedos e através de sua voz, deixando as palavras e o significado derramar através de sua alma a todos que já tiveram o amor e o perderam. Quando terminou, ela olhou para cima, e ninguém se mexeu, falou, ou disse uma palavra. Oh, merda. Ela foi mal. Mas todo mundo saltou aos seus pés, aplausos e palmas e pisadas de pé pulando com lágrimas aos olhos. Ela deslizou para fora do banquinho e inclinou a cabeça, sorriu, e deixou o palco. O DJ parou. ‚Oh, não, querida. Eles querem mais.‛ ‚Sério?‛

292


‚Inferno, sim. Dê-lhes um outro.‛ Ela se virou e voltou, surpresa ao ouvir os assobios e gritos e bater palmas quando tomou seu lugar no banco mais uma vez. Desta vez, deu-lhes uma canção mais feliz e otimista, sobre encontrar seu primeiro amor no meio do verão, quando tudo é doce e inocente, o tipo de amor que nunca poderia ser esquecido. Era uma música divertida, algo que poderiam ficar de pé e bater palmas. No final, eles torceram por ela tão alto e ela não conseguia tirar o sorriso do rosto. ‚Eles te amam‛, disse o DJ. ‚Não nos deixe. Tenho certeza que você vai querer tocar mais esta noite.‛ ‚Certo, certo‛, ela disse com uma risada. Ela ficou parada ao longo do caminho de volta para sua mesa recebendo parabéns e tapinhas nas costas. Quando voltou para a mesa, Tara jogou os braços em volta dela e gritou. ‚Puta merda você é boa‛, disse Tara. ‚Eu não tinha ideia de que você poderia cantar assim.‛ ‚Obrigado.‛ Liz, porém, sentou-se com os braços cruzados e olhou para ela. Uh-oh. O verdadeiro teste. ‚Você não gostou disso.‛ ‚Você está brincando comigo? O que eu quero saber é por que está desperdiçando seu tempo como garçom quando devia ter um contrato de gravação?‛ Jenna tomou um longo gole de sua garrafa de água, em seguida, colocou a garrafa para baixo. ‚Oh, vamos l{.‛ ‚Você não me dê oh, vamos lá. Certamente você tem que ter alguma ideia de como é talentosa.‛

293


Jenna encolheu os ombros. ‚Gosto de cantar e escrever música.‛ ‚E sou um agente de talento e sei quando vejo um.‛ ‚Sim, talento esportivo.‛ ‚Talento, querida. Você é talentosa. Surpreendentemente, foda-meu-cérebro-fora de talentosa.‛ Jenna sacudiu a cabeça. ‚Não.‛ ‚Sim. Você precisa obter um agente e um contrato de gravação, pronto.‛ ‚Eu não penso assim.‛ ‚Ser{ que Ty ouviu você cantar?‛ Tara perguntou. ‚O que ele disse?‛ Jenna não respondeu imediatamente. ‚Jenna‛, disse Liz. ‚O que ele disse?‛ ‚Igual ao que você disse.‛ Liz jogou as mãos no ar. ‚E você, o quê? Ignorou?‛ ‚Imaginei que ele estava dizendo coisas bonitas, porque nós est{vamos fazendo sexo.‛ Liz sacudiu a cabeça. ‚Você é uma idiota.‛ Jenna olhou para Tara, que disse: ‚Vou ter que concordar com Liz aqui. Você é uma idiota.‛ ‚Vocês duas são boas para o meu ego. Eu aprecio isso.‛ ‚E você está me frustrando a cada segundo que passa. Por que não acredita em si mesma?‛ Liz perguntou. ‚Eu não sei.‛ ‚Você ouviu a multidão l{ fora esta noite?‛ Tara perguntou. ‚Eles te amam. Quero dizer eles aplaudiram os outros, mas você eles amaram. Eles ficaram de pé e pediram mais um.‛ Foi tudo demais para tomar em uma respiração. ‚Foi bom.‛

294


‚Tara, fale com ela‛, disse Liz. ‚Ela est{ me matando.‛ ‚Não, eu entendo, realmente faço‛, disse Jenna. ‚Simplesmente não estou pronta para... tudo isso.‛ ‚Você quer dizer a chance de ser famosa?‛ ‚Eu não sou tão boa.‛ Tara colocou a mão sobre a de Jenna. ‚Querida, acho que você é. Liz acha que você é. Obviamente, a multidão aqui pensa que você é.‛ Liz estudou-a. ‚Quem lhe disse que você não era boa o suficiente?‛ Será que Liz era capaz de lê-la. Ela suspirou e relatou a história do que aconteceu na Alemanha. ‚Então, algum idiota a expulsou de uma banda a um milhão de anos atrás, quando você era criança e deixou isso mudar todo o curso da sua vida?‛ Liz revirou os olhos. ‚Vamos l{. Pensei que você tivesse bolas maiores do que isso.‛ Ela encolheu os ombros. ‚Eu era sensível.‛ ‚Oh, merda. Você é demais. E qual é o nome da banda?‛ Disse-lhes. Liz olhou para Tara. ‚Nunca ouvi falar deles.‛ Tara balançou a cabeça. ‚Nem eu. Então, obviamente, teria sido melhor mantê-la. Querida, você tem a voz de um anjo. Você precisa ser ouvida.‛ Seu incentivo era tudo para ela, mas ainda havia obstáculos. Muitos deles. ‚Não quero fama. Só quero abrir o meu próprio clube, tocar um pouco de minhas próprias músicas.‛ ‚Ohhhh‛, disse Liz. Merda. Agora ela disse. Ela deu voz a seus sonhos com alguém além de Ty.

295


‚Então, por que você não faz isso?‛ Tara perguntou. ‚Porque eu comando o Riley.‛ ‚E você não pode abrir um bar, segundo, porque...‛ Liz fez parecer tão simples, quando não era. ‚É complicado.‛ ‚Porque você está fazendo isso complicado. Se é isso que quer fazer com sua vida, então não deixe que nada te impeça.‛ ‚Vou pensar sobre isso. Enquanto isso, por favor, não diga nada para o resto da família sobre essa coisa de cantar.‛ ‚Por que diabos não?‛ Tara perguntou. ‚Você tem um talento incrível, Jenna.‛ ‚Obrigado, mas apenas não estou pronta para compartilhá-lo ainda.‛ E se ela continuar recebendo este tipo de reação, ela nunca poderia estar.

TY FICOU SURPRESO AO OUVIR LIZ, MAS DESDE que ela estava em Los Angeles para o negócio e ele estava lá como parte de sua viagem, ela sugeriu que se encontrassem para almoçar. Ele não tinha nada a fazer na arena até as quatro, então havia tempo de sobra para comer e se exercitar. Desde que estava, em Anaheim, ela o pegou em seu hotel. Como de costume, ela estava em um terno preto, com saltos mortais, com o cabelo puxado para cima em algum tipo de coisa sinuosa que desafiava a lógica. O motorista do seu carro particular levou-os para algum restaurante da moda que demorou um pouco para chegar. Ele adivinhou que Liz não estava em restaurantes favoráveis à família, uma vez que estavam no coração da Disneyland. ‚Então o que est{ acontecendo?‛ Ele perguntou depois que pediu o almoço. ‚Jenna tomou Tara e eu ao clube para ouvi-la cantar na outra noite.‛ ‚Ela fez? Bom.‛ Talvez ela estava finalmente saindo de sua concha.

296


‚Ela é uma cantora incrível.‛ Ele tomou um gole de {gua. ‚Sim, ela é.‛ ‚Não, quero dizer, a voz dela é assassina. Ela devia ter um agente e gravar um disco.‚ ‛É isso o que ela quer?‛ ‚Ela disse que quer abrir um clube e cantar lá, além de trazer outros músicos, tipo semelhante ao clube que fomos.‛ ‚Certo. Então, qual é o problema?‛ Liz esperou enquanto o garçom colocava suas saladas na frente deles, então se inclinou para frente. ‚Você j{ ouviu ela cantar, certo? Tem talento demais para desperdiçar.‛ Ele pegou o garfo e cavou em sua salada. ‚E você foi na estrada da interferência, não é?‛ Franziu a testa para ele e fez beicinho em seus l{bios. ‚Ooh, touché, Ty. Recebo o seu ponto. Mas ela é minha amiga, praticamente minha irmã. Só quero o que é melhor para ela.‛ ‚Provavelmente melhor ser{ ela decidir por si mesma o que é melhor para ela.‛ ‚Você está certo. Estava encantada com seu canto, e meu primeiro pensamento foi que alguém precisava fazê-la famosa.‛ ‚Não acho que isso é o que ela quer. O que realmente quer é um lugar seu próprio — um bar onde a música é tocada. Ela não est{ olhando para se tornar famosa. Ela só quer cantar.‛ ‚Você percebe que não pode ser o que ela quer. Digamos que ela abra um segundo bar de clube de música. E está lá cantando. Ela é tão boa, que a palavra vai viajar de boca em boca. Alguns executivos da música passarão lá uma noite e ouvirão ela, e seu desejo de obscuridade não sera longo.‛ Ele mastigou, engoliu e acenou com a cabeça. ‚Isso pode ser. Se e quando esse tempo chegar, ela vai decidir se é esse tipo de vida que ela quer. Entretanto, tem sido duro o suficiente para levá-la a ir para o sonho que ela tem.‛

297


‚Por quê?‛ ‚Eu não sei, Liz. Tentei descobrir, para falar com ela sobre isso. Ela não vai ceder. Meu melhor palpite é que ela tem tanto medo de falhar, ou medo do sucesso.‛ ‚Conceitos bastante amplos.‛ ‚Sim. De qualquer forma, tentei incentivá-la, mas estou pisando de volta.‛ ‚Não faça isso. Ela precisa de você. Confia em você e sua opinião. Você é o primeiro que ela cantou. Isso significa alguma coisa. Se você deixá-la ir agora nunca podera fazer nada com este dom que tem.‛ Ele tomou um longo gole de {gua e colocou de volta o copo. ‚Eu não sei nada sobre isso. Ela está fazendo progresso. Olha, levou você e Tara para o clube e cantou para vocês. Isso é um grande passo na direção certa.‛ ‚Exatamente. E se você recuar agora, ela pode esquecer a coisa toda. Precisa de encorajamento, um grande impulso.‛ ‚Não estou muito para empurrar as pessoas que não querem ser pressionadas. Ela deixou claro que quer que eu recue.‛ Liz suspirou. ‚Ótimo. Vou deixar você fazer suas próprias decisões l{. Eu amo aquela garota e quero o que é melhor para ela, mas aprendi a não mexer no negócio de alguém novamente.‛ Tyler sorriu e afagou-lhe a mão. ‚Tudo deu certo no final para você.‛ ‚Sim, fez, mas causou muita dor para muitas pessoas ao longo do caminho. E aqui vou eu de novo me intrometer. Não consigo ajudar a mim mesmo.‛ ‚Você não está interferindo. Você está tentando ajudar a Jenna.‛ ‚Quero que ela tenha o que realmente quer.‛ ‚Eu também‛ Ele só não sabia como fazer com que isso acontecesse para ela.

298


Talvez Liz estivesse certa. Talvez para Jenna era preciso um pequeno empurrão na direção certa. Ele teve uma ideia que pensou que poderia ajudar, mas após a sua última explosão ele descartou, decidiu se afastar de tudo e deixá-la sozinha a cerca de cantar. Agora que Liz havia dito que Jenna levara Tara e ela para o clube para ouvi-la cantar, as coisas eram diferentes. Estava se abrindo sobre cantar para outras pessoas. Então talvez fosse a hora de dar o próximo passo, abrir a porta para Jenna e ver se ela estava disposta a atravessá-la.

Capítulo Vinte e Quatro 299


DEMOROU ALGUMAS SEMANAS PARA TY colocar seu plano em prática. Primeiro, ele tinha sua viagem infernal, mas pelo menos jogaram bem e pegaram quatro vitórias na estrada. A equipe estava em posição de chegar as finais e precisava começar a se concentrar no jogo, não em uma mulher que o fazia louco. Mas a mulher que o fazia louco nunca estava longe de sua mente, então não importava o quão duro tentou empurrá-la em uma ‚esquecê-la por enquanto‛ lugar em sua cabeça, estava sempre lá, à espreita. Ele fez alguns telefonemas para algumas pessoas que conhecia e que poderia ser capaz de ajudá-lo. Liz tinha sido o instrumento principal lá, desde que tinha contatos mais do que ele. No momento em que voltou para casa, tinha sido capaz de fazer a bola rolar. Levou alguns dias e passeios ao redor da cidade para olhar ao redor, mas gostou do que viu. Agora tudo o que tinha a fazer era apresentar o plano de Jenna, que pretendia fazer amanhã. Primeiro tinha que colocar todo o foco dele no jogo desta noite. Estavam enfrentando Nashville, um oponente formidável, e uma das outras equipes em sua luta pelo título da divisão. Tyler necessitava estar no topo de seu jogo, porque este era um jogo que tinha de ganhar. Havia apenas três jogos que restavam no calendário da temporada regular e estavam cabeça a cabeça com Nashville. Ia descer a estes últimos jogos. O ICE necessitava vencer mais dois jogos, e Nashville precisava perder dois deles para o ICE para ganhar a divisão, e isso só aconteceria se abatessem Nashville esta noite. Eles tinham treinos extenuante durante todo o dia de hoje, o treinador colocou-os através de seus ritmos. Ele não ia aceitar quaisquer erros esta noite. Nenhum deles aceitava erros estúpidos. Eles foram longe demais para a temporada e o objetivo final estava à vista. Tinham que vencer.

300


No tempo do jogo, ele limpou a cabeça e concentrou no ICE, seus companheiros de equipe bombeando como ele estava. Ele olhou para a esquerda, onde os assentos estavam perto da caixa do banco, desejando que Jenna estivesse aqui esta noite. Mas era uma noite de trabalho para ela e seu gerente assistente estava doente, por isso, apesar dele pedir a ela para vir ao jogo, ela não conseguiu fugir. Provavelmente melhor assim. Ele conseguiria se concentrar no jogo e não na Jenna sentada na primeira fila olhando para ele. Isso era muito importante num jogo para deixar nada distraí-lo. Ele patinou no gelo, o coração batendo. Ele nunca tinha jogado em uma equipe vencedora, antes, nunca tinha feito as finas. Estava tão perto que podia sentir o gosto da vitória.

‚TY NÃO TEM IDEIA SOBRE ESTA FESTA DE ANIVERSÁRIO, não é?‛ Tara perguntou enquanto dava os últimos retoques nas mesas. ‚Nenhum indício. Ele está tão nervoso com o jogo desta noite que não tenho certeza que ainda se lembra de que é seu anivers{rio hoje.‛ Mick riu quando ajudou a espalhar com Tara uma toalha de mesa. ‚Nada importava quando o jogo est{ na linha. Ele tem sorte se consegue lembrar seu nome agora.‛ Jenna examinou a sala privada que Tara havia tão generosamente oferecido para decorar. Eles não podiam fechar o bar à noite com o ICE tão perto de fazer as finais, seus frequentadores estariam desapontados por não poder assistir o jogo com todos os seus amigos, e seria ruim para os negócios. Mas ela deixou a sala privada desocupada para que pudessem fazer o aniversário de Ty. Ele prometeu a ela que viria para o bar logo após o jogo. E apenas no caso de eles perderam e Ty sentir-se uma merda sobre ele, com a intenção de afogar as mágoas sozinha, ela

301


tinha dado um toque para Eddie e Victor que hoje era o aniversário de Ty, e estava fazendo uma festa surpresa. Os caras disseram-lhe que tinha certeza que Ty chegaria à festa, mesmo concordando em adiar a sua chegada para permitir que seus companheiros de equipe chegassem lá antes que ele fizesse. Tudo estava pronto. Tara tinha feito um trabalho incrível arrumando a sala com balões nas cores da equipe do ICE azul e branco combinando com decorações de mesa para refletir o tema de hóquei que ela tinha escolhido. Havia discos em miniatura e agitadores da bebida eram os tacos de hoquei, muito o que beber, e um monte de comida, porque sabia que os jogadores passariam fome. Tara tinha trabalhado com um decorador de bolo e tinha um bolo de taco de hóquei. Estava incrível. Seus pais e irmãos estariam chegando, juntamente com todos os amigos de Ty. Ela ainda tinha uma escultura de gelo de um jogador de hóquei fresca no congelador. Ela pediu a Deus que a equipe vencesse esta noite ou seria um inferno de uma festa de aniversário sombrio. Ela saiu correndo para atender a seus clientes, enquanto Tara arrumava as decorações. Desde que a temporada de beisebol começou, Gavin estava em casa novamente e na cidade, mas ele não tinha um jogo hoje então apareceu com Liz e os pais de Jenna. Jenna mal teve tempo de acenar para eles quando chegaram porque o bar estava lotado de fãs que estavam colados às telas, assistindo o jogo e ordenando cervejas como se não tivesse bebido nada em uma semana. Felizmente seu pai parecia ansioso para ficar atrás do bar e ajudar a servir bebidas, algo que estava feliz por tê-lo fazendo. Ela precisava de tantas mãos extras como poderia conseguir. Sua mãe desapareceu na cozinha e ajudou com os pedidos de alimentos, para alívio de Malcolm, então tinham um funcionamento suave indo. Pai serviu os clientes do bar quando Jenna atendia os pedidos das garçonetes. Eles iam fazer um inferno de um monte de negócios esta noite a julgar pelo número de vezes que suas garçonetes vinham correndo de volta para ela com pedidos de

302


mais bebidas. E se o ICE ganhasse, ela poderia estar chamando muitos táxis para alguns de seus clientes. A boa coisa sobre estar ocupado era que mal teve tempo de olhar para cima nas telas de televisão para assistir ao jogo. Mesmo que quisesse assistir, seu estômago era uma massa de nó e de nervos. Ela sabia o quanto cada um desses últimos jogos significava para a equipe de Ty. Ganhar a divisão e indo para as finais era crítico. Ela teve que contar com os gritos ou gemidos de seus clientes para que soubesse o que estava acontecendo com o jogo, porque era muito alto no bar para ouvir os locutores. Quando ela ouviu um elogio, parava e olhava para cima, sabendo que algo de bom tinha acontecido para a equipe. O ICE havia marcado duas vezes no primeiro período, uma vez que num passe de Ty para Eddie, e uma vez em um tiro furtivo por trás do gol de Meyers. Nashville marcava num jogo de poder, de modo que o ICE estava ganhando de dois indo para o segundo período. Seu estômago atou ainda mais apertado. Ainda era muito perto e estava difícil de marcar. Ela se ocupou com seus clientes, nem mesmo olhando para cima quando ouviu um coro de gemidos e maldições. Nashville tinha marcado um no segundo período. Maldição. Permaneceu assim durante todo o segundo período. A tensão no bar era tão espessa que ela mal podia percorrer, e o nível de ruído era ensurdecedor, porque os chutes a gol por ambas as equipas tinham sido insanas, ainda havia penalidades mais tinha sido marcado pelo momento em que caminhava para o terceiro período. O jogo tinha sido difícil, com mais dois jogadores protagonizando por ambas as equipes.

303


‚O menino olha bem esta noite, querida‛, o pai disse quando colocou as mãos nos ombros dela que lavava alguns copos. ‚Est{? Eu mal tive tempo de assistir.‛ ‚Dedique alguns minutos para assistir. Eu tenho isso.‛ Ela colocou a mão no ombro de seu pai. ‚Eu não sei se posso. Estou pronta para rastejar para fora da minha pele.‛ O pai dela riu. ‚Sim, é bastante tenso e estes são jogos importantes. Mas Ty vai querer saber que você o viu jogar.‛ Ele estava certo. E queria assistir. Fez uma pausa e saiu de trás do bar para passear e ficar com seus clientes, mas ninguém queria conversar. Seus rostos estavam colados nos telões, de modo que se inclinou contra uma viga de madeira e viu Victor prendeu o disco e patinar como um relâmpago, passando-a para Eddie, que foi bater contra o vidro quando lutou contra o defensor. Eddie escavava dentro e passou o disco através do gelo para Ty, que o levou e patinou em direção à rede, em seguida, levou um tiro, perdeu. Ela soltou a respiração que estava segurando, percebendo que seu coração estava batendo e as palmas das mãos estavam suadas. Ela enxugou abaixo em seu jeans. Vamos, rapazes. Tempo para marcar. O zagueiro bateu o disco para o ala, que passou para o central de Nashville, que levou um tiro, mas o goleiro do Ice pegou em sua luva. Jenna ia desmaiar se continuasse segurando a respiração. Deixou ir para fora, e decidiu que poderia ser melhor não ver o jogo. Mas, então, Ty e Eddie saíram em corrida e passou o disco para trás. Eddie defendeu, Tyler levou o tiro e ela deslizou para dentro da rede no canto esquerdo. A lâmpada iluminou e todo o bar entrou em erupção, todo mundo vindo para os pés, batendo nas mesas com as mãos e batendo palmas.

304


Jenna gritou e atirou um punho no ar. Ela correu para trás do bar e abraçou o pai dela, que sorriu um sorriso. ‚Ele fez bem.‛ Ela percebeu que tinha l{grimas nos olhos. ‚Ele fez, não foi?‛ ‚Agora têm que mantê-los, e talvez marcar outro.‛ ‚Oh, espero que sim, papai.‛ Sua mãe saiu e viu os últimos seis minutos de jogo com eles. Era mais assustador agora que estavam à frente, na esperança de Nashville não marcar e empatar novamente. Nashville teve vários tiros a gol, mas a defesa estava bem. E quando Meyers colocou outro no gol com dois gols a frente e com um minuto e meio para terminar o jogo, os pés bateram e gritos no bar parecia um terremoto. Seu pai pegou a mãe e beijou-a, e Jenna gritou de alegria quando os últimos segundos assinalou a zero. Ela nunca tinha sido mais feliz por Ty. Que grande aniversário ia ser para ele. E talvez agora o nó na boca do estômago fosse embora. Duas horas depois já tinha se retirado do bar, embora a maioria das pessoas havia deixado após o jogo acabar, e ela disse aos retardatários que estavam fechando cedo por causa de uma festa privada. Ela e seu pai tinham tratado os murmuradores e bêbados com bastante facilidade. Você não queria chatear um Riley, porque se você se tornasse beligerante, você não ia ser convidado a voltar. Alguns dos jogadores começaram a chegar, e ela os levou para o salão de festas, onde as bebidas e alimentos estavam colocados. Eddie mandou uma mensagem a ela que ele e Victor estariam chegando com Ty em cerca de quarenta e cinco minutos. Entrevistas os cercaram, e Victor ia vadiar se demorando para se ajeitar. Jenna riu porque era tão verossímil.

305


Ela mastigava um pedaço de cenoura enquanto observava. Foi muito ruim os pais de Ty não poderem estar aqui, mas não havia nada que pudesse fazer sobre isso. Pelo menos a sua família estava aqui, e amigos de Ty e companheiros de equipe. Eddie finalmente mandou uma mensagem que estavam a cinco minutos de distância. ‚Ele est{ quase aqui, todo mundo‛, disse ela, então foi até a porta da frente para desbloqueá-la e esperou lá. Quando eles entraram, Eddie e Victor dirigiram-se para a sala enquanto ela mergulhava em Tyler em um beijo grande, quente. ‚Parabéns pelo jogo‛, disse ela. ‚Obrigado.‛ Ele olhou em volta. ‚Onde estão todos?‛ Ela encolheu os ombros. ‚É uma noite de trabalho. Est{vamos cheios antes, mas acho que todo mundo tinha que chegar em casa. Era uma espécie de mortos após o jogo. Tenho um pouco de comida na sala de bilhar, no entanto.‛ ‚Oh. Okay.‛ Ela pegou sua mão e levou-o para a sala, depois recuou. Seus olhos se arregalaram quando ele entrou e todo mundo gritou surpresa e feliz aniversário. Ele se virou para ela e ela sorriu. ‚Você sabia que era meu anivers{rio.‛ ‚Claro.‛ Então ele foi engolido pelo bons desejos, abraços e tapinhas nas costas, e ela não o viu novamente por um tempo. Mas era a sua celebração, e ela o deixou se divertir. Ela teve o cuidado de seus amigos e sua família, fazendo com que todos fossem bem alimentados e bebessem enquanto Tyler era cercada durante toda a noite por pessoas que se importavam com ele.

306


Ela tinha a estação do esporte de entretenimento em que os membros da equipe poderiam ver replays do jogo e, claro, todos lances dos acontecimentos da noite. O pai dela, Gavin, e Mick sentaram-se com a equipe e falaram de hóquei, enquanto a mãe de Jenna, Liz, Tara, e Jenna sairam com as esposas e namoradas dos jogadores. Ty finalmente se separou e colocou seu braço ao redor dela. ‚Eu nem sabia que você percebeu que era meu anivers{rio.‛ ‚Você nem sabe que era seu anivers{rio?‛ Perguntou ela. Ele riu. ‚Não estava no topo da minha lista de coisas para lidar hoje, mas sim, eu sabia. Eu só não ia fazer uma grande coisa sobre isso.‛ ‚Bem, eu estava.‛ Ele escovou os l{bios através dela. ‚Obrigado por isso.‛ Ela sorriu para ele. ‚De nada.‛ Foi depois das duas que todo mundo começou a sair. Tara e Mick e Liz e Gavin ficaram para ajudar com a limpeza, mas ela empurrou-os todos para fora da porta depois que, lhes dizia que ela ia travar. Seus pais tinham ido para casa mais cedo, e os jogadores teriam ficado a noite toda para a festa, mas tudo parecia eliminado e tinha outro jogo depois de amanhã, assim era necessário ir, pelo menos, descansar um pouco. Ela trancou as portas, puxou as cortinas, e virou-se para Ty. ‚Bom anivers{rio?‛ ‚Quase um anivers{rio perfeito.‛ Ela levantou uma sobrancelha. ‚Quase?‛ ‚Sim.‛ Ele pegou a mão dela na sua e puxou-a para a sala de jogo. ‚Eu não recebi meu presente ainda.‛ Seus l{bios curvaram. ‚Oh, sim? E o que você tem em mente?‛ Ele pegou uma das toalhas e estendeu-a sobre a mesa de bilhar. ‚Eu tenho essa fantasia...‛

307


Sua barriga caiu. ‚Oh, realmente.‛ Ele correu os dedos sobre a borda da mesa. ‚J{ fez isso aqui?‛ ‚Não.‛ ‚Bom.‛ ‚E eu não te dei seu presente ainda.‛ Ela tirou os sapatos, em seguida, desabotoou seus jeans, facilitando o zíper para baixo. Ty moveu em direção a ela, a fome em seus olhos. ‚Você não deveria estar em casa na cama, descansando para o próximo jogo?‛ ‚Prefiro ter inspiração para o próximo jogo.‛ Ele a pegou e colocou sobre a mesa, em seguida, tirou sua calça, deixando-a de top e calcinha. Seus olhos arregalaram no tecido minúsculo preto de seda que ela usava. ‚Estes são novos.‛ ‚Eu os comprei apenas para o seu anivers{rio.‛ Alisou as mãos por suas pernas, em seguida, abriu as pernas e se colocou entre elas, deslizando as mãos em sua bunda e puxando-a perto o suficiente, ela podia sentir o cume de sua ereção. ‚Eu gosto delas. Obrigado. Elas são muito inspiradoras.‛ Ela estendeu entre eles e esfregou seu eixo. Seus lábios se separaram e ela ouviu a sua captura de respiração enquanto continuava a acariciá-lo. ‚Eu gosto de você me tocando. Faz-me rígido, faz meu pau inchar.‛ ‚Gosto da maneira como você fala comigo. Faz minha boceta molhada.‛ Ele tirou sua camisa, arqueando a sobrancelha para o sutiã que combinava com a calcinha. Preto, que empurrava os seios juntos e fez inchar ao longo dos copos do sutiã.

308


‚Muito inspirador. Vou sonhar com isto esta noite.‛ Ele passou a mão em seus seios, sua barriga para baixo, então se inclinou para pressionar um beijo para cada montículo. Ele desfez o fecho do sutiã, puxando para baixo os braços e o deixou em uma cadeira próxima. Esfregou os dedos sobre os mamilos, observando-os endurecer. ‚Eu não preciso de um monte de preliminares hoje à noite, Tyler. Eu só preciso de você dentro de mim. Agora.‛ Ele tirou sua camisa, em seguida, desfez as calças, soltando-as no chão, juntamente com suas cuecas boxer. Seu pênis apareceu e ela lambeu os lábios, já imaginando ele transando com ela na mesa de sinuca. ‚Depressa‛, disse ela. Ele pegou a camisinha e jogou-a sobre a mesa de sinuca, em seguida, subiu e colocou em cima dela, esfregando seu corpo contra o dela. Ela adorava a sensação de sua pele contra a dela, seu corpo quente cobrindo-a. Ela enrolou as pernas em torno dele, prendendo seu pau contra a boceta dela para que pudesse deslizar contra ele. Ele rolou sobre ela de modo que estava em cima dele, e ela sentou-se, sacudiu a boceta contra o seu comprimento. ‚Deus, você est{ molhada, bebê‛, disse ele, fazendo-a estremecer. Ele puxou-a para frente e tomou um de seus mamilos em sua boca, sacudindo-a com sua língua antes de capturá-lo com os dentes. Ela sibilou para a dor prazerosa que sempre disparava prazer direito de seu núcleo. Ela cravou as unhas em seus ombros e empurrou o peito mais profundo em sua boca no desejo, mais. Ele agarrou os quadris e se mexeu de volta e para trás através de seu pênis, o envio de fragmentos de sensação em suas terminações nervosas sensíveis. Ah, ela queria vir. Plantou os pés

309


contra a borda da mesa de sinuca e montou seu eixo com seu clitóris, tão perto da borda, ela mordeu o lábio, levantando para que pudesse ver seu rosto enquanto catapultava sobre a borda. Ele colocou a parte de trás do pescoço dela e beijou-a quando ela gozou, absorvendo seus gritos com os seus lábios e língua, enquanto ondas de prazer abalavam seu sentido. Ouviu-o rasgar a embalagem do preservativo e ela afastou-se apenas o tempo suficiente para vê-lo embainhar a si mesmo, então ela subiu para o seu pau e enterrou dentro dela, ainda convulsionando das sequelas de seu orgasmo. Ela apertou ainda mais, sentindo-o engrossar, enquanto brincava com seus mamilos. Era sempre assim quando entrava nela, como o primeiro tempo da descoberta tão incrível o quão bom eles estavam juntos. Ele segurou-a enquanto se levantava, então para baixo outra vez, rolando o corpo dela sobre o seu em uma provocação, lenta e cuidadosa que fez sua mandíbula apertar. Nesta posição, ela tinha todo o controle, e ele a deixou ter isso e disse tanto sobre que tipo de homem ele era. Ela varreu a mão na sua mandíbula, seu lábio inferior. Ele agarrou seu dedo e tomou-a em sua boca, sugando-o, e ela caiu sobre seu pênis, rangendo contra suas bolas até que ele gemeu. ‚Você est{ me matando, Jenna.‛ ‚Eu sei.‛ Ele levantou-a, então empurrou para dentro dela, facilitando para baixo antes de golpear novamente. E quando ele rolou sobre suas costas, pairando sobre ela para tomar posse, ela acolheu-o, precisando que fizesse exatamente o que seria necessário para fazê-la voar. Ele abriu as pernas e alavancou seus quadris contra os dela, os seus corpos como um só. Enterrou seu pau tão profundo que ela gritou, vindo em uma única explosão que sentiu todo o caminho até os dedos dos pés. Ela ficou rígida, então estremeceu.

310


‚Foda‛, disse ele, escavando seus dedos dentro dela. Ele gemeu quando veio com ela, puxando-a para colocar seus lábios nos dela em um beijo tão cheio de paixão que a deixou sem fôlego. Eles caíram juntos e Ty rolou para o lado dele, levando-a com ele, acariciando suas costas e seu cabelo. Suas pálpebras se sentiam pesadas e se eles não estivessem na mesa de sinuca em seu bar, ela poderia dormir assim. ‚Droga‛, disse ele. ‚Esta é uma cama desconfort{vel.‛ Ela riu, e saiu de cima, vestiu-se e dirigiu para a sua casa, onde tirou a roupa novamente e foi para a cama. Jenna amava o jeito possessivo que Ty sempre puxava contra ele, envolvendo os braços em volta dela enquanto dormiam. ‚Obrigado pelo melhor anivers{rio que j{ tive‛, disse enquanto a beijava. Ela sorriu e se retorceu contra ele. ‚De nada.‛ As palavras pairaram sobre a ponta da língua, as palavras que ela nunca disse a um homem antes. Mas não podia dizê-las, porque ele não tinha dito isso e não sabia como se sentia. Covarde. Sim, com certeza ela era. Mas ainda não tinha certeza se o que sentia era real, ou apenas um momento de paixão. Então o deixou ir sem dizer, e adormeceu.

311


Capítulo Vinte e Cinco TY TINHA O PLANO PARA DAR TUDO CERTO. Após o jogo, de hoje à tarde que tinha ganhado, felizmente, ele disse a Jenna que tinha uma surpresa para ela. Ele amava a emoção que ouvira em sua voz. Esperava que ela estivesse tão animado quanto ele estava sobre isso. Seria um novo início para ambos. Estava nervoso como o inferno, nunca tinha contemplado fazer algo assim com qualquer mulher, mas Jenna não era uma mulher qualquer. Ela era a mulher. Sabia, sentia, e nunca tinha tido mais certeza de algo em sua vida. Ela valeu a pena o risco. Ela virá ao seu jogo, e sabendo que estava lá, era tudo para ele. Afinal, esta era a mulher que odiava esportes e jurara nunca se envolver com um cara que jogasse. Se ela pudesse assumir o risco e mudar sua maneira de pensar, então ele podia também. Engoliu o caroço nervoso na garganta e pediu a Deus que não estragasse tudo. Ele lhe deu o endereço do lugar. Estava estacionado em frente, esperando por ela quando ela chegou. Saiu, com um vestido, meias e as botas pretas sensuais com os saltos pontiagudos que nunca deixou de fazer o seu pau duro. Ela abotoou o casaco e correu em direção a ele para dar-lhe um beijo. ‚Qual é a surpresa?‛ Ela perguntou, olhando para o edifício.

312


‚Você vai ver.‛ Ele tinha conseguido o código do gerenciador de imóveis para que pudesse mostrá-la a Jenna sem ter que escutar o cara enquanto falava com ela. Ele abriu o teclado e abriu a porta, acendeu as luzes e deixou-a entrar. ‚Era usado para ser uma combinação bar/restaurante‛, explicou quando ela entrou, ‚Fechou cerca de seis meses atr{s. Ele se encaixa em seus par}metros de espaço e localização.‛ Ela deu-lhe um olhar zombeteiro. ‚Eu não entendo.‛ ‚Você poderia colocar o bar atual aqui‛, disse ele, levando-a para dentro. ‚Coloque a fase que você falou no centro aqui. J{ existe uma grande cozinha. Venha, eu vou lhe mostrar.‛ Ela agarrou seu pulso. ‚Espere. O que você est{ falando?‛ ‚O seu clube de música.‛ ‚O clube de música?‛ ‚Aquele que deseja abrir. O segundo Riley. Se você não gosta desse, tenho dois outros fazendo fila para te mostrar.‛ ‚Você tem... Você foi | procura de locações para um clube?‛ Ele sorriu e enfiou as mãos no bolso do casaco. ‚Sim. Não é este grande espaço? Tenho que admitir que este é o meu favorito, mas os outros não são ruins. Espere até você ver a cozinha. E h{ uma abund}ncia de energia eléctrica.‛ O sorriso dela morreu. ‚Não.‛ ‚O quê?‛ ‚Não.‛ ‚Você não gosta deste lugar? Isso é bom. Nós podemos ir olhar os outros.‛ ‚Quero dizer não. Para tudo isso.‛ Seu estômago apertou. ‚Por quê?‛

313


‛Eu não quero nada disso, Ty. Se eu quisesse um clube, ia procurar localizações por conta própria.‛ Irritação disparou. ‚Certo, não quer a minha ajuda.‛ ‚Não quero fazer isso em tudo. Pare de me empurrar.‛ ‚Certo. Porque Deus não permite que você deve seguir em frente com sua vida.‛ Ela ergueu o queixo. ‚Que diabos é que isso quer dizer?‛ ‚Exatamente o que eu disse. Estava tentando ajudar, para mostrar-lhe alguns bons lugares para que possa dar esse passo em frente, tomar um tiro para ter o que você realmente quer.‛ ‚Isso é um monte de presunção de sua parte.‛ ‚É? Nós já conversamos sobre isso durante meses. Você sabe que isso é o que você realmente quer.‛ ‚Se é o que eu realmente quero, e isso é grande, vou fazer isso sozinha. Não preciso de você para me ajudar. Não preciso de você para nada disso.‛ Ele estava errado. Sobre ela, sobre tudo. Todo esse tempo que passou a tentar ajudar Jenna, tentando persuadi-la a encontrar sua própria felicidade, e ela estava jogando de volta na cara dele. Todos os planos que tinha feito, assumindo... Isso é o que ele ganhou por assumir que ela se sentia da mesma maneira que ele fazia. ‚Você sabe o que, Jenna? Você está certa. Não precisa de mim. Não precisa de ninguém. Você nunca fez.‛ Ela ergueu o queixo. ‚Você est{ certo. Não preciso de você ou alguém tentando empurrarme em algo que não estou pronta. Estou cansada de todos me cutucando, tentando me forçar a isso. Parem com isso. Gosto da minha vida do jeito que est{, para deixar ir.‛ Lágrimas brilhavam em seus olhos e o medo era tão evidente que ele queria abraçá-la, mas estava mais irritado com ela que estava triste por ela.

314


‚Isso é uma treta total. Você odeia a sua vida do jeito que está, você odeia ficar presa atrás do bar, mas está muito danada com medo de fazer algo para mudar isso. Você tinha medo de sair comigo, com medo de se apaixonar por mim. Bem, você sabe o quê? Eu estava com medo, também. Você conheceu meus pais. Você conhece a história e sabe como o seu casamento fracassou. A última coisa maldita que sempre quis era cair no amor. Mas você sabe o quê? Eu fiz de qualquer maneira. Eu caí no amor com você.‛ Seus olhos arregalaram, mas ele se recusou a reconhecer. ‚E você sabe o que acontece quando se apaixona por alguém? Você quer ajudar aquela pessoa. Quer que a pessoa a cresça. Quer o que é melhor para eles.‛ ‚Tudo o que você fez é me manter à distância o tempo todo nós nos conhecemos um ao outro porque tem medo. Bem, estou cansado dessa merda de andar na ponta dos pés em torno de seu medo. Assim você ganha. Estou terminado.‛ Ele se virou e caminhou em direção à porta e abriu-a. ‚A porta ir{ trancar-se quando você sair.‛ Ele fechou a porta e foi embora.

JENNA ESTAVA NA CONSTRUÇÃO E OLHOU PARA OS FIOS pendurados, a poeira e os detritos do que já foi um próspero negócio, mas agora não era mais que uma concha vazia. É como se sentia por dentro quando ouviu o carro de Ty ligar e ir embora. Uma concha vazia. Destruída como este edifício. Ele a amava. Tinha feito tudo isso para ela, toda essa pesquisa e trabalho braçal e ela causticamente jogou de volta em seu rosto como se não significasse nada para ela. Ele estava tão animado. Esta tinha sido a sua surpresa.

315


Então ela o deixou ir embora, porque tinha medo. Com medo de levar um tiro por ter a carreira que queria, e com medo de chegar e pegar o tipo de amor que sempre sonhou. Ela tinha perdido sua chance. Mordeu as lágrimas. Ela não merecia cair. Esta miséria de dor que sentia era tudo culpa dela. Em vez disso, ela se virou e saiu pela porta.

TY BATEU COM O TACO NA GRANDE ÁREA. Choque possível o seu asno, porra. O zagueiro havia chegado em seu caminho e ele lutou pelo disco, bateu-o contra o vidro. Eles lutaram, apenas como uma luta normal em um jogo. Socos havia sido lançados e seu adversário caiu como um pino de boliche em queda, apesar de Ty jurar que não tinha batido nele duro. O cara foi para o gelo como tinha sido ordenado. Esta penalização de cinco minutos era besteira. A raiva alimentada e jurou que iria jogar mais duro nos próximos dois períodos. Ele foi para o vestiário no final do primeiro período, e após a conversa de vitalidade típica, o treinador chamou-o de lado. ‚Você tem alguns problemas que precisamos falar, Anderson?‛ ‚Não. Só estou tentando ganhar o jogo.‛ ‚Você não ganha o jogo batendo para fora um dos jogadores adversários e tomando cinco minutos. Dois pênaltis e é apenas o primeiro período?‛ ‚Dei tudo de mim para a equipe, treinador.‛ ‚Tudo para a equipe? Você está jogando um homem-vingador lá fora. Você tem algum pau no seu rabo. Retire-o e jogue como sei que você pode jogar, ou vou por você no banco. E se

316


tiver que fazer isso no jogo mais importante da temporada, você não vai gostar das consequências.‛ O treinador foi embora. Ty caiu o queixo ao peito e respirou fundo. Merda. Sua cabeça não estava no jogo. Estava chateado e estava afetando o seu jogo. Tinha que ter isso sob controle. Eddie entrou e se sentou ao lado dele. ‚Olha, cara, sei que você est{ sob muita pressão. Nós todos estamos. Mas o que está acontecendo na sua cabeça agora, se é o jogo ou outra coisa, est{ afetando o seu jogo em um momento que é meio crítico para a equipe.‛ Ty não disse nada. Não havia nada a dizer. Eddie estava certo. Estava deixando a equipe para baixo. Victor colocou a mão no ombro de Tyler. ‚Nós somos seus amigos. Você tem um problema, estamos aqui para ouvir.‛ ‚É verdade‛, disse Eddie. ‚Mas se isso é pessoal, deixe-o no vestiário e jogue hóquei no ICE. Você não pode tirá-lo do outro time, porque nós precisamos de você para nos ajudar a vencer a divisão. Mais um jogo e nós estamos dentro.‛ Ty concordou. ‚Eu tenho isso.‛ ‚Então vamos chutar seus traseiros‛, disse Victor. ‚Apenas, não chute suas bundas muito próxima, sim?‛ Tyler riu. ‚Sim. Compreendido.‛ Eddie estava. ‚Tudo bem então. Vamos ganhar este jogo, e depois vamos sair e ficar de porre depois de vencer a divisão.‛ Ty se levantou e acenou para seus amigos. ‚Soa como um plano.‛

317


JENNA ATENDIA NO BAR E VIU O ICE GANHAR o campeonato da divisão, estremecendo quando Tyler teve seus cinco minutos de penalidade, sabendo que ele estava tirando a sua raiva e frustração por ela para fora em outro jogador. Mas após esse primeiro período ele voltou e jogou limpo e arrebentou, marcando três gols e conquistando a divisão. O bar tinha estado lotado e eles serviram uma tonelada de bebidas e alimentos. A comemoração após a vitória do jogo tinha sido selvagem e louca. Jenna tinha trazido champanhe para todos no bar, para deleite de seus clientes. Estar ocupada manteve sua mente ocupada, para que não tivesse que pensar sobre o que uma cadela completa ela tinha sido ontem. Depois de Ty ter a deixado tinha ido para casa e chorado até seu nariz estar entupido e seus olhos estavam inchados, depois que lavou o rosto e deitou na cama, mas não tinha sido capaz de dormir. Acabou ficando acordada a noite toda, lutando contra o desejo de ir para o escritório e escrever algumas músicas-rasgar-coração, música sobre a perda de alguém que você amava. No final, ela tinha ido e anotado as palavras porque estavam em sua cabeça em sua alma, morrendo de vontade de deixar de fora. Sabia que não iria descansar até que escrevesse, até que pegasse o violão e cantasse algumas das músicas que havia escrito sobre coração partido. Músicas que havia escrito antes que já tinha estado realmente no amor, antes que ela já tivesse perdido alguém que realmente importava. Quando as lágrimas escorreram pelo seu rosto, ela percebeu que mentiroso ela estava em sua música, como sua alma nunca tinha estado em seu trabalho antes, porque agora podia sentir as palavras rasgar através dela, podia sentir a agonia da perda como nunca antes. Naquele momento, honestamente sentiu o que era machucar e ter ferido alguém. Agora tudo o que queria fazer era cantar e escrever, entrar no buraco em seu quarto e não fazer nada, além de colocar em palavras a melodia no papel, essas palavras. Mas estava presa neste bar maldito, uma prisioneira de sua própria criação.

318


Uma prisioneira de seu medo. E solitária como o inferno. Ela puxou o telefone do bolso, fazendo uma careta enquanto olhava para o quão tarde era, mas saber se o sapato estava no outro pé, ela largaria tudo para estar lá por ela, não importando que horas eram. Ela discou o celular de Tara. Tara respondeu no segundo toque. ‚Jenna? O que h{ de errado?‛ ‚Nada. Será que eu te acordei?‛ ‚Sim. Mas est{ tudo bem. É o papai?‛ ‚Não, ele está bem. Estou no trabalho, mas preciso falar com você. Posso ir até aí? Eu sei que é muito tarde, então sinta-se livre para me dizer não.‛ ‚Claro. Venha. Vou fazer um pouco de café.‛ ‚Obrigado.‛ Ela contou ao seu gerente assistente, que estava saindo e ele poderia fechar hoje à noite. Ele garantiu que poderia lidar com isso sem nenhum problema, desde que fechava nas noites que ela estava fora. Ela saiu e foi para a casa de Tara e Mick. Eles compraram um novo lugar na cidade, por isso levou cerca de vinte minutos para chegar lá. Era um condomínio fechado com casas enormes em lotes de grandes dimensões. Jenna puxou para dentro da garagem e Tara estava na porta, esperando por ela. Ela tinha colocado calças de ioga e uma camiseta. ‚O café est{ pronto‛, disse ela, levando Jenna para a cozinha. Elas se sentaram à mesa no canto da cozinha. Jenna olhou para seu café. ‚O que h{ de errado?‛ Ela disse a Tara o que aconteceu com Ty, o que ele disse a ela antes que a abandonasse.

319


Tara tomou um gole de café e acenou com a cabeça. ‚Entendo tudo sobre fugir do amor. Ninguém sabe disso melhor do que eu. Fiz o meu melhor para tentar fugir disso com Mick, e quase o perdi.‛ ‚Não é a mesma coisa. Ty e eu simplesmente não conseguimos ver o mesmo ponto. Acho que nós só queremos coisas diferentes.‛ Tara riu. ‚Querida, eu te amo como uma irmã, mas esse é o maior monte de porcaria que j{ ouvi.‛ Jenna estremeceu com a honestidade brutal de Tara. Mas isso é o que tinha vindo aqui. ‚Nunca vi duas pessoas mais apaixonadas um pelo outro, ou mais teimosas. E odeio ver os dois se acabando por causa do medo.‛ ‚Você quer dizer o meu medo.‛ ‚Sim.‛ Seus ombros caíram. ‚Sou a rainha do medo. Tenho medo de amar alguém, com medo de dar um passo para mudar a minha vida, medo de fracassar.‛ ‚Deixe-me lhe fazer uma pergunta.‛ Tara derramou uma xícara de café da garrafa sobre a mesa, adicionado um pouco de creme e um bocado de açúcar. ‚A carreira de Ty é um fator tão importante hoje como era quando você começou a vê-lo? Se bem me lembro, você era inflexível em não se envolver com ninguém no esporte.‛ ‚Oh, sim. Isso. Nem um pouco.‛ Tara se recostou na cadeira, copo na mão. ‚Por que você acha que é?‛ Ela pensou por alguns segundos antes de responder. ‚Provavelmente porque nunca foi um fator em primeiro lugar. Era um mecanismo de defesa para manter os homens longe, uma boa desculpa. Afinal, que tipo de mulheres que eu conheço que não quer homens envolvidos com o esporte ou que amam esportes? Se eu fiz isso um fator, eu não teria de me apaixonar.‛

320


‚Mas Tyler assumiu o fator da equação, não foi?‛ ‚Sim. Não importava o que ele fazia para viver, porque viu além dele.‛ ‚E você gosta de esportes.‛ Jenna riu. ‚Eu faço. Você cadela, você sabia disso.‛ Tara deu-lhe um sorriso. ‚Claro que eu sei disso.‛ ‚É parte de quem eu sou, quem eu sempre fui. Oh, claro, tive aulas de dança, mas era para acalmar a mãe. Eu sempre adorei esportes. Amava jogar basquete com o papai e Mick e Gavin no quintal. Adoro assistir futebol e beisebol e hóquei.‛ ‚Então, qual é o problema real?‛ ‚O verdadeiro problema é e sempre foi estar amarrada ao bar. Essa é a barreira que venho tentando superar. E Tyler foi o único que soube, que viu a minha frustração logo depois e foi tentando me ajudar a encontrar uma maneira de ter tudo. Era eu que estava com muito medo de levar um tiro por ter tudo que eu sempre quis.‛ Tara não disse nada. Ela deitou a cabeça em suas mãos. ‚Deus, eu fiz um erro tão grande. Disse essas coisas de merda para ele quando tudo o que ele fez foi tentar me ajudar. Ofereceu-me a lua e joguei de volta na cara dele e chutei-lhe fora da minha vida. O que eu vou fazer?‛ ‚Bem‛, disse Tara. ‚Posso falar por experiência própria e dizer-lhe que nunca é tarde demais para voltar a quem você ama. Mas vai ter que estar disposta a assumir alguns riscos, Jenna, se colocar l{ fora e estar disposto a falhar.‛ Ela tentou tomar um gole de café, mas suas mãos tremiam tanto que colocou o copo sobre a mesa. ‚Eu o amo. E você está certa. É hora de parar de se esconder atrás da segurança familiar. É hora de parar de ter medo.‛

321


Ela se levantou e puxou Tara em um abraço. ‚Obrigado por estar aqui para mim, por ser minha amiga e minha irmã. Não poderia fazer isso sem você.‛ Tara se afastou. ‚Sim, você poderia. Isso é o que precisava para perceber. Você pode fazer isso sozinha. Tudo que você tem a fazer é ir em frente e estar disposta a falhar.‛ Ela deixou a casa de Tara, armada com o conhecimento de tudo o que sabia sobre sua vida que estava prestes a mudar.

Capítulo Vinte e Seis O PRIMEIRO PASSO NA ESTRADA DE JENNA A mudança era para enfrentar seus pais. Ela pediu a Gavin e Mick para irem, também, junto com Tara e Liz de apoio. ‚Você não vai nos dizer que est{ gr{vida, não é? Gavin perguntou. ‚Porque realmente gosto de Ty e não quero ter que chutar sua bunda.‛ Jenna riu. ‚Eu não estou gr{vida. E eu arrebentei Tyler suficiente. Não acho que ele precisa de quaisquer outros membros da família fazendo isso.‛ Seu pai franziu a testa. ‚O que significa isso?‛ ‚Nada. Vou lhe contar tudo sobre isso mais tarde. Agora há algo que preciso que vocês saibam, tudo sobre mim.‛ ‚Ser{ que ela é lésbica?‛ Mick perguntou a Tara. ‚É este um daqueles que saem coisas onde vai contar para a família toda de uma vez?‛

322


Tara deu uma cotovelada nas costelas de Mick. ‚Quer calar a boca?‛ ‚Jenna não é lésbica‛, disse sua mãe. ‚Teria sabido sobre isso anos atr{s, se fosse esse o caso.‛ Jenna revirou os olhos e esperou que a sua família terminasse de falar sobre ela. ‚E todos vocês perguntam por que eu nunca disse nada.‛ ‚V{ em frente, querida‛, disse sua mãe. ‚Estamos atr{s de você cem por cento.‛ Ela respirou fundo e deixou sair. ‚Certo. Eu j{ volto.‛ Gavin gemeu. ‚Eu tenho um jogo em seis horas, Jenna.‛ Ela correu para fora e pegou seu violão e, em seguida veio dentro. ‚Um violão?‛ Mick perguntou. ‚O que é isso?‛ ‚Cale a boca.‛ Tara revirou os olhos para Mick. Jenna tirou sua fora do estojo, então se sentou na sala e começou a tocar, pensando que seria melhor do que uma explicação. Ela cantou uma das músicas novas que escreveu no outro dia, derramando seu coração em uma música sobre a perda de alguém, porque você cometeu um erro, porque não foi honesto com seus sentimentos. Ela deixou sua alma e suas emoções irem, dando ampla liberdade para a sua voz, indiferente do que alguém pensasse naquele momento, porque cantou essa música por tudo que ela tinha perdido, pois a dor que ela tinha alguém que importava e preocupava. Quando terminou, olhou para os rostos estupefatos de sua família, e sorriu, piscando as lágrimas. ‚Filho da puta‛, Mick finalmente disse. ‚Onde diabos essa voz veio?‛ A mãe dela se levantou e correu para ela, apertou as mãos em torno do rosto de Jenna. ‚Minha querida menina. Você tem um dom surpreendente.‛ Ela beijou sua bochecha. ‚E você pediu essas aulas de canto quando era uma garotinha. Apenas pensei que era uma moda passageira. Eu não tinha ideia.‛

323


Ela viu as lágrimas nos olhos da mãe. ‚Eu sinto muito, Jenna. Eu não sabia. Por que você não nos disse?‛ Jenna enxugou as l{grimas do rosto de sua mãe. ‚Est{ tudo bem, mãe.‛ ‚Não, não est{. Nunca vou me perdoar por não lhe dar o que você precisava.‛ ‚Oh, mamãe. Est{ realmente bem.‛ Ela abraçou sua mãe. Gavin veio, pegou, e a abraçou. ‚Você é um superstar, Jen. Sempre soube que você seria um dia.‛ Seu pai apenas ficou lá, com lágrimas escorrendo por seu rosto. ‚Que música é essa?‛ Perguntou a mãe. ‚Escrevi isso.‛ ‚Ela escreve um monte de música‛, disse Liz. Ela olhou para o pai, que balançou a cabeça. ‚Pai?‛ ‚Meu bebê. Eu não tinha ideia.‛ Ele quebrou e soluçou. Jenna lançou o violão e foi até ele e o abraçou. ‚Não chore, papai.‛ ‚Você canta como um anjo. Estou tão orgulhoso de você. Mas sua mãe está certa. Deveríamos ter prestado mais atenção a você e do que você precisava. Nós não lhe demos essas aulas de canto.‛ ‚Ela queria aulas de canto?‛ Gavin perguntou com um olhar severo. ‚Sim.‛ Sua mãe enxugou as l{grimas. ‚Quando era mais jovem.‛ ‚Então você j{ tinha isso dentro de você por todos estes anos e nunca disse a ninguém?‛ Mick perguntou. Jenna sacudiu a cabeça.

324


‚Você é tão idiota‛, disse Gavin. ‚A única maneira de obter o que deseja é manter pedindo por isso e continuar pressionando. Você sabe como é essa família. As mais altas vitórias.‛ Jenna riu. ‚Sim, eu percebo isso agora.‛ ‚Então o que podemos fazer para garantir que sua voz seja ouvida?‛ Perguntou a mãe Ela inalou, e olhou para seus pais. ‚Quero abrir outro bar Riley. Um clube de música onde as pessoas possam entrar e cantar. E quero cantar l{.‛ Seu pai inclinou a cabeça para o lado. ‚Outro bar?‛ ‚Sim. Tenho feito o estudo de viabilidade e podemos fazê-lo. Mas isso significa que eu não iria comandar o original Riley mais. Gostaria de gerenciar o bar novo.‛ ‚Faça isso‛, disse sua mãe. ‚Você pertence a um lugar onde possa usar o talento que Deus lhe deu.‛ ‚H{ quanto tempo você est{ querendo fazer isso?‛ Seu pai perguntou-lhe. ‚Só... a minha vida inteira.‛ ‚Por que você nunca disse nada antes?‛ ‚Porque Riley era o seu sonho. E depois de seu ataque cardíaco tive que fazer o seu sonho permanecer vivo.‛ ‚Ahhh, minha menina.‛ Ele abriu espaço em sua cadeira para ela sentar ao lado dele, em seguida, levantou o queixo com os dedos como costumava fazer quando era pequena. ‚Nunca viva o sonho de outra pessoa para eles. Não é o seu trabalho para perseguir o meu sonho. Eu posso fazer isso. Admito que fiquei um pouco preguiçoso e complacente, sair aqui com sua mãe. E sabendo que estavam segurando as coisas no Riley tornou mais fácil para mim. Estou com raiva de você por não ter vindo para nós e nos dito o que queria fazer, por desperdiçar este talento incrível por tanto tempo.‛

325


‚Não é culpa sua. É minha, por não falar mais cedo. Estava com medo de fracassar, medo de que eu não era boa suficiente.‛ Sua mãe bufou. ‚É definitivamente boa o suficiente.‛ ‚Ela é boa o suficiente para um contrato de gravação, se você me perguntar‛, Liz disse. ‚Talvez‛, disse Jenna. ‚Talvez não. Tudo que quero agora é ter um clube onde músicos e cantores possam entrar e experimentar as suas coisas. Quero cumprir o meu sonho. Mais do que isso... vamos ver.‛ A mãe a puxou da cadeira e pegou suas mãos. ‚Tudo o que sempre quis para qualquer dos nossos filhos é seguir seus sonhos e ser feliz. Estaríamos encantados que você possa abrir outro Riley. Vamos fazê-lo funcionar.‛ Era como se o mundo tivesse aberto para ela, e tudo que podia ver era infinitas possibilidades. Ela o abraçou e beijou todos eles. ‚Obrigado. Você não tem ideia do que seu apoio significa para mim. Mas primeiro tenho que ir encontrar o homem que amo e ver se consigo reparar o dano que causei. Estou receosa que eu poderia te-lo perdido para sempre.

JENNA OBTEVE COM LIZ O SEU INGRESSO para o primeiro jogo das finais hoje à noite. Ela poderia ter obtido assentos do clube, mas queria estar na primeira fila, à direita, onde estava a ação. Queria que Tyler soubesse que ela estava lá para apoiá-lo. ‚Estes lugares são malditos de frios, você sabe‛, Liz disse. ‚Nós poderíamos estar em um camarote do clube aquecidas, com toda a comida e bebida que quiser de graça.‛ ‚Puta, puta, cadela‛, disse Jenna. ‚Você é a única que me trouxe nos bancos aqui antes, se você se lembra.‛

326


‚Sim, sim. Havia uma coisa de loucura para esse jogo. Mas agora? É só a merda de frio aqui em baixo.‛ ‚Você é uma manutenção tão alta. É uma maravilha, meu irmão ficar com você.‛ ‚As coisas que eu faço por amor. E seu irmão adora-me das pontas das minhas unhas pintadas habilmente para o topo do meu cabelo natural, lindo vermelho.‛ ‚Não me faça vomitar.‛ Liz riu. ‚Nunca gostei muito da ideia de ter que lidar com a família. Afinal, fiz o meu melhor para conseguir o inferno fora da minha própria. Mas vocês Riley? Est{ tudo bem.‛ ‚Você me ama e você sabe disso.‛ ‚Eu faço. Estou absolutamente fazendo.‛ A porta se abriu e os jogadores começaram a se apresentar fora. Jenna congelou, não tendo certeza se virar e olhar para Ty ou não. Na verdade, o pensamento de esgueirar para baixo na cadeira parecia atraente. Liz deu uma cotovelada nela. ‚Seus dias de ervilha covardes, terminaram. Hora da mulher sair e deixar seu homem saber que você est{ aqui por ele.‛ Estava certa. Virou-se para os jogadores, e quando Ty saiu, viu o seu lado direito. E franziu a testa, em seguida, virou-se e subiu as escadas em direção ao banco. O que ela tinha esperado, um sorriso deslumbrante e dois polegares para cima? Ela estava aqui para apoiá-lo, não o contrário, então bateu palmas e gritou para a equipe quando eles tomaram o gelo para a ação. No confronto, Jenna ficou tensa e não deixou ir o tempo todo. O jogo era intenso, um jogador do ICE estava com o disco e Denver foi para ele como se fosse a última jogada para cada equipe jogar. Havia uma abundância de sanções, apenas Ty desta vez não estava envolvido. Ele ficou limpo, embora tenha abundância de machucados. Quando bateu-se contra a direita no vidro

327


na frente dela, ela queria saltar e bater o cara que havia o jogado ali. Mas Ty concentrou-se em avançar o disco, e quando marcou, ela gritou até que estava rouca. O ICE tinha dois gols até o final do segundo período, e a mandíbula de Jenna estava ferida de apertar. Defesa havia arrebentado até agora, mantendo Denver sem gols e seus chutes a gol normal. Ty não havia dado nenhuma atenção a ela, não tinha uma vez olhado em seu caminho através de todo o jogo. Não que ela esperava isso. Queria que ele se concentrasse no jogo e não pensasse nela. Queria que o ICE ganhasse. E quando fizeram, fechando Denver, ela e Liz se abraçaram e comemoraram junto com todos os outros na arena lotada. Elas esperaram até que as multidões saissem, depois foi para esperar Ty fora do vestiário. ‚Ele est{ tão bravo comigo‛, disse Jenna, mastigando uma unha. ‚Eu não sei se vai falar comigo.‛ ‚Você tem que abrir a porta do di{logo em algum lugar. Isto é onde você começa.‛ Os meios de comunicação os manteve por algum tempo, então Jenna andou para trás e para frente, distraindo-se, conversando com algumas das esposas e namoradas dos jogadores. Renee tinha mandado uma mensagem a ela e pediu-lhe para dar a Eddie um grande abraço de felicitações, desde que estava trabalhando no bar hoje à noite e não poderia estar no jogo. Os dois haviam recentemente se tornados exclusivos, e Jenna estava feliz por ambos. Eles faziam um casal bonito. Então, quando Eddie saiu do vestiário, ela parabenizou e lhe deu o abraço de Renee. ‚Estou indo até o bar agora‛, disse Eddie com um largo sorriso. ‚Espero que Malcolm tenha aqueles bifes prontos.‛ Ela riu. ‚Você sabe que ele vai. E a primeira rodada para vocês é por minha conta. J{ deixei minha gerente assistente saber.‛

328


Eddie beijou a bochecha dela. ‚Você é demais, Jenna.‛ Eddie tirou uma vez que Victor saia, e a trilha de jogadores provenientes através da porta só a deixou mais nervosa, especialmente quando não viu Ty. ‚Ele escapou de outra maneira. Ele est{ me evitando.‛ Liz revirou os olhos. ‚Não h{ outra maneira. Ele não fugiu. Veja? Aqui est{ ele agora.‛ Oh, merda. Ele saiu pela porta e de repente ela não tinha ideia do que ia dizer. Felizmente, Liz estava com ele primeiro, jogando os braços em torno dele e abraçando-o. ‚É uma coisa muito boa que você ganhou hoje | noite‛, Liz disse ele. ‚Tenho ofertas de produtos potenciais para endossar uma linha, então quanto mais você for para as finais, mais negócios e mais dinheiro posso fazer por você.‛ ‚Sim, é a única coisa em minha mente quando saio do gelo‛, disse ele. ‚Tenho certeza de que é.‛ Ela piscou, depois disse: ‚Bem, tenho que falar com o chefão por alguns minutos, então vocês dois vão me desculpar.‛ Liz fez uma saída discreta, deixando-a sozinha com Ty, que nivelou um olhar inexpressivo em seu caminho. Era o seu jogo. ‚Grande jogo esta noite.‛ ‚Obrigado. Fiquei surpreso ao ver voc�� aqui.‛ ‚Sério? Eu não sei por quê. Queria apoiar você e equipe.‛ ‚Uh-huh.‛ ‚E... Queria alguns minutos a sós com você para que pudéssemos conversar.‛ ‚Acho que disse tudo na outra noite, Jenna. Não há muito o que falar. Estou cansado após o jogo desta noite.‛

329


‚Entendo. Nós ambos dissemos um monte de coisas na outra noite, mas nós precisamos conversar. Preciso te dizer algumas coisas.‛ Ele riu, o sarcasmo era claro. ‚H{ mais do que aquilo que j{ disse?‛ ‚Eu merecia isso. Mas não é o que você pensa.‛ ‚Certo. Derrame isso.‛ ‚Não aqui. Venha comigo.‛ ‚Não acho que isso é uma boa ideia.‛ Ela colocou a mão em seu braço. ‚Ty, por favor. Sei que você não me deve nada. Não depois da maneira como agi na outra noite. Mas se me der apenas uma hora...‛ Ela esperou e rezou ele não iria julgá-la sobre as últimas palavras que tinha dito a ele na outra noite, que daria a ela uma chance. ‚Ótimo. Você tem uma hora. Tenho que pegar meu equipamento no vestiário e me encontrar com o meu treinador por alguns minutos. Vou encontrá-lo no seu lugar quando eu terminar.‛ ‚Certo. Obrigado.‛ Ela saiu e encontrou Liz, que estava conversando com o proprietário do ICE, portanto ela ficou em segundo plano até que terminou. ‚Como foi?‛ Liz perguntou enquanto faziam o seu caminho para o estacionamento. ‚Ele ainda est{ com raiva de mim. Posso dizer. Mas concordou em me dar uma hora.‛ ‚Isso é porque ele te ama.‛ Seu coração apertou. ‚Ser{ que faz? Sua voz era tão plana. Nenhuma emoção nisso em tudo.‛ Elas entraram no carro e afivelaram o cinto de segurança e Liz partiu em sua forma habitual louca, mas deu uma r{pida olhada em Jenna. ‚Querida, você o machucou e os homens

330


não levam isso bem. Eles enfiam suas emoções profundamente dentro onde você não possa prejudicá-los novamente. Em muitos aspectos são muito parecidos com as mulheres, embora neguem isso.‛ Os l{bios de Jenna curvaram. ‚Talvez você esteja certa.‛ ‚Estou certa. Eles gostam de fingir que são resistentes e impermeáveis à dor. Fisicamente isso pode ser verdade, mas emocionalmente eles podem se machucar assim como nós podemos. Especialmente por alguém que se preocupam.‛ ‚Eu o feri. Sei disso. Tenho que corrigi-lo.‛ Liz apertou a mão dela. ‚Então vá fazer isso e ganhe de volta o seu homem. Preciso dele em forma para as finais.‛ Liz deixou-a e ela correu para ficar pronta, nervosa como o inferno sobre o que ia acontecer. Quando Ty parou em frente do condomínio, ela correu para fora. Ele saiu do carro, mas ela já tinha as chaves na mão. Ele franziu a testa. ‚O que h{?‛ ‚Precisamos fazer uma parada.‛ ‚Por quê?‛ ‚Porque preciso te mostrar uma coisa.‛ ‚Jenna, eu não tenho tempo para isso.‛ O que ele queria dizer era que não queria ir. Ela teve que convencê-lo. ‚Faça o tempo. Por favor. Não vai demorar muito.‛ Ele encolheu os ombros. ‚Tudo bem.‛ Entraram no carro e partiram. O silêncio era enervante, mas ela sabia que conversa ociosa seria inútil, então usou o tempo para preparar o que ia dizer a ele quando chegasse lá. Ela jogou

331


repetidamente na cabeça e quando ela parou em frente do edifício, pensava que tinha tudo pronto. ‚Que porra é essa?‛ O que ela não poderia planejar foi a resposta de Ty. Ela saiu do carro e digitou o código que tinha obtido a partir do gestor de imóveis, que ela ligou ontem. Assim como Ty tinha feito, ela tinha pedido privacidade para olhar por cima do prédio, dizendo que era parceira de negócios de Ty, e ela queria dar uma outra olhada para o lugar. Certo, ela mentiu, mas funcionou. Entrou, supondo que ele seria curioso o suficiente para segui-la. Se ele não era, ficaria no carro, e o plano dela para fazer isso tudo estaria arruinada. E ela não tinha um plano B. Provavelmente devia ter vindo acima com um plano B. Entrou no espaço e ficou no centro, sorrindo quando os planos começaram a formular. Ela fez anotações, começou a criar planos de chão, mas nada disso faria sentido sem Ty. ‚Por que você me trouxe aqui?‛ Ela se virou para ele, seu coração batia tão forte que tudo o que ela podia ouvir era o seu próprio sangue correndo em suas orelhas. Ela respirou fundo para se acalmar, e preparar para enfrentar a música. Ela deu um passo em direção a ele, e parou. ‚Você estava certo. Eu gosto deste lugar. É uma localização ideal, a metragem quadrada é perfeita, e o preço está na faixa do que eu posso pagar. Você tem um bom olho para o setor imobiliário. Gosto da sua visão do que o clube pode parecer.‛ Ele não respondeu. Não ia fazer isto mais fácil para ela. Ela não merecia que fosse fácil. Não depois das coisas terríveis que disse a ele, como havia jogado de sua surpresa de volta em seu rosto.

332


‚Gostaria de colocar o palco deste lado, no entanto. Com as janelas do outro lado, vai deixar entrar mais luz no verão, e abrir essas paredes para colocar um p{tio exterior.‛ Ainda sem resposta. Suas mãos estavam fechadas nos bolsos do casaco que estava surpreso que ele não tinha rasgado um buraco nelas. ‚Mas eu não quero fazer isso sozinha.‛ Ela estremeceu em sua próxima respiração, apertando as lágrimas que ameaçavam cair. ‚Sempre pensei que era durona e independente, que poderia fazer tudo sozinha. Acontece que não sou tão forte como gostaria de pensar que sou, e desde que te conheci, estar sozinha é uma merda.‛ Ela esperou, com as pernas tremendo tanto que estava com medo que fosse desabar no chão. ‚Você não tem que fazer isso sozinha‛, ele disse finalmente. ‚Você não tem que fazer isso sozinha. Você nunca esteve sozinha e não tem estado desde que nos conhecemos. Nem uma vez.‛ As lágrimas escaparam e correram pelo seu rosto. Ela assentiu, dando mais um passo na direção dele. ‚Eu sei. Eu sei agora. Mas estava com medo.‛ ‚Sim, eu sei.‛ ‚Cantei na frente dos meus pais e meus irmãos.‛ Ele deu um passo em direção a ela, um único passo que a fez ter esperança dentro dela. ‚Como foi isso?‛ ‚Eles adoraram a minha voz. Eu lhes disse que queria abrir outro Riley — clube de música e que não queria comandar o bar esportivo mais.‛ ‚O que eles disseram?‛ ‚Eles disseram que eu deveria ter dito a eles sobre meus sonhos anos atrás. Você estava certo. Tudo o que tinha que fazer era reunir um pouco de coragem.‛ ‚Não h{ nada que não possa fazer se tiver um pouco de fé em si mesma.‛

333


‚Estou com medo, Ty. Você estava certo. Tenho medo de falhar.‛ Ele parou na frente dela. ‚Não há problema em ter medo de falhar. Todo mundo está, e se dizem que não estão eles estão cheios de merda. Mas só porque você está com medo não significa que não deve tentar.‛ Ela colocou as mãos sobre o peito, e a batida de seu coração tranquilizador lhe deu a coragem que ela precisava. ‚Eu nunca quis um jogador de hóquei, mas por Deus, eu me apaixonei por um, e não estou a ponto de deixá-lo ir, não importa o quanto estou com medo do amor.‛ Ele usou o polegar para tirar as l{grimas em seu rosto. ‚Eu tenho medo também, bebê, e não muitas coisas me assusta. Bem, uma coisa me assusta.‛ Ela fungou. ‚Sim? O que é?‛ ‚O pensamento de viver sem você.‛ Ela chorou e caiu em seus braços. Ele puxou-a contra ele e segurou-a, beijou seu cabelo e esfregou as costas dela enquanto chorava. ‚Eu amo você, Jenna.‛ Isso só a fez chorar mais. ‚Eu também te amo. Sinto muito.‛ Ela se afastou para que ele pudesse ver seu rosto. ‚Eu sinto muito por tudo o que disse. Quero que você me empurre quando precisar disso. Quero você do meu lado, e não, não quero nunca mais fazer isso sozinha. Eu preciso de você na minha vida, cada passo do caminho. Sem você nunca teria chegado tão longe, nunca teria tido a coragem de ir para esse clube e cantar. Devo cada passo que tenho tido com você porque me empurrou para superar o medo. Deus, eu te amo por isso. E espero que você me perdoe.‛ Ele beijou as l{grimas em seu rosto, depois escovou os l{bios através dela. ‚Isso é tudo o que o amor é, bebê. Perdão. Eu vi os meus pais fazerem um monte de erros em seu casamento, e estou limitado e determinado a nunca mais cometer os mesmos erros no meu.‛

334


Seus olhos arregalaram. ‚O quê?‛ ‚Quando eu a trouxe aqui a primeira noite, a minha intenção era mostrar-lhe o espaço, e se você gostasse do que eu ia dizer que tinha colocado uma proposta sobre isso. Eu estava indo comprá-lo.‛ ‚O quê?‛ Ela perguntou de novo. ‚Quero casar com você, Jenna. E o casamento significa uma parceria. A parceria significa tomarmos o bom e o mau. Vou empurrá-la para ser a melhor cantora que pode ser, para perseguir seus sonhos. E você vai me empurrar para ser o melhor jogador de hóquei que posso ser. Às vezes, vamos lutar, mas nós nunca vamos desistir um do outro.‛ Ela coloca os dedos nos l{bios. ‚Você est{ propondo para mim.‛ ‚Sim. Não te comprei um anel, porque em uma parceria isso deve ser o que você quer e eu não sou presunçoso assim. Vamos escolher um juntos.‛ Porque ele a conhecia. Ele realmente a conhecia. ‚Apenas uma faixa seria bom. Um desses bonitos, os finos com os diamantes.‛ ‚O que você quiser. Mas isso significa que você disser sim?‛ Ela assentiu, incapaz de parar o fluxo de l{grimas. ‚Sim. Oh, o inferno sim. Eu te amo. Claro que vou casar com você. Mas você tem certeza que quer casar comigo?‛ Ele riu. ‚Até que a morte nos separe. E acredite em mim quando digo isso, Jenna. Quando saí antes, estava magoado e com raiva e precisava de algum espaço, mas nunca tive qualquer intenção de deixar você ir. Não sou os meus pais e não ia desistir tão facilmente. Estou nessa para sempre.‛ Ela assentiu com a cabeça. ‚Então sou eu que vou lutar por você, por nós, não importa o quê. Nós Rileys nunca desistimos.‛

335


Tyler não tinha ideia que o amor poderia se sentir assim, esse desejo avassalador de proteger, de querer alguém tão mal que poderia machucá-lo. Mas ele também sabia que nunca teve qualquer intenção de se afastar de Jenna. Se ela não tivesse vindo para ele, teria ido para ela em alguns dias e disse-lhe que não estava dando em cima dela. Ele nunca daria em cima dela. Agora tudo o que queria fazer era mostrar o quanto a amava. ‚Você tem alguns lenços na bolsa?‛ Ele perguntou quando a segurou enquanto ela terminava de chorar. Ela os cavou, assoando o nariz, e riu. ‚Eu não faço a mais bela imagem de uma mulher que foi pedida em casamento, faço? Meu nariz está vermelho e escorrendo e os olhos provavelmente parecem como algo saído de um filme de terror.‛ Ele olhou para seu rosto. Ela estava linda. ‚Você est{ certo. Eu deveria reconsiderar.‛ Ela apertou o braço dele. ‚Idiota esperto. Você vai ser acordar com este rosto para o resto de sua vida.‛ ‚Isso não estava no acordo de confidencialidade.‛ ‚E você não é engraçado.‛ ‚Sim, eu sou.‛ Puxou-a contra ele e beijou-a. ‚Essa é uma das razões que me ama.‛ Ela enfiou os braços em volta dentro de seu casaco e se aconchegou contra ele. ‚Você est{ certo. Você me faz rir.‛ ‚Isso é tudo que posso fazer por você?‛ ‚Não. Você faz um monte de coisas para mim.‛ Ele olhou para o espaço, já prevendo o futuro, como seria este lugar quando tivesse arrumado. ‚Você sabe, agora que já decidiu este é o lugar para você, deveríamos batizá-lo oficialmente.‛

336


Ela inclinou a cabeça para tr{s para olhar para ele. ‚De que maneira?‛ ‚Você sabe o caminho.‛ Ele encolheu os ombros tirando o casaco e colocou-o em cima do bar. ‚Eu sempre quis ter você em cima do bar.‛ ‚Um dia desses nós vamos ter que fazê-lo na cama.‛ Ele se virou para ela e estendeu a mão. ‚Que divertido isso seria?‛ Ela o seguiu até o bar. ‚Você est{ certo. Vamos fazê-lo na cama quando estivermos velhos e os nossos ossos chiarem.‛ Ele riu. ‚Eu duvido disso.‛ ‚O quê? Que nós vamos ser velhos e decrépitos?‛ Ele tirou o casaco e deslizou as mãos para baixo dos braços. ‚Não, nós vamos estar fazendo isso na cama, então, qualquer lugar.‛ Quando ele a beijou, ela suspirou contra os lábios. Sim, ele conhecia esse sentimento. Foi uma foda perfeita novamente, porque ela estava de volta em seus braços. Ele moveu suas mãos sobre seu corpo, percorrendo todo o caminho como se não a sentisse contra ele, em anos em vez de dias. Ele tinha sentido falta dela. Estar sem ela deixou um vazio em sua vida, um vazio que nunca queria sentir novamente. Dividido entre o desejo de permanecer e querer estar dentro dela, apertou os lábios para seu pescoço e respirou o cheiro dela, em seguida, arrastou a língua na garganta, amando sua resposta no estremecimento. Ela agarrou os ombros e caiu contra ele, mole quando puxou sua blusa solta e pressionou beijos para a clavícula e os seios inchados. Ele pegou-a nos braços e sentou-a em cima do antigo bar.

337


‚Quando chegamos neste lugar fixo‛, ele disse que ele tirou os sapatos e as meias, ‚Eu vou colocar você no bar novinho em folha e fazer amor com você novamente. E no palco, também.‛ Ela sorriu para ele, colocou o cabelo longe de seus olhos. Ele desfez o fecho de sua calça e puxou-as fora de seus quadris, puxou para baixo das pernas, em seguida, varreu as mãos para cima, amando a maciez de sua pele. Suas mãos tinham cicatrizes e eram áspera, tão diferente de seu corpo suave amanteigado. Mas ela não parecia se importar com as mãos, especialmente quando espalmou seu sexo através da calcinha. Ela ofegou e arqueou contra ele, segurando o casaco em seus dedos quando ele esfregou sua boceta para trás, usando a barreira da seda para provocá-la. Ela estava molhada, seu cheiro almiscarado doce fazendo seu pau pulsar. Ele puxou as pernas para a borda do bar e pressionou o nariz contra a calcinha, se afogando em sua fragrância. Ele puxou a calcinha de lado e lambeu-a, e ela gemeu, inclinando-se as palmas das mãos para baixo no bar em apoio, quando ela empurrou sua boceta contra seu rosto. Uma das coisas que mais amava sobre Jenna era a sua alegria pura no amor. Ela não tinha inibições, e gostava de vir. E ele adorava dar-lhe um orgasmo, adorava ver seu rosto quando deixar ir. Ele rodou sua língua sobre o clitóris, brincando com o piercing antes de envolver a gema entre os lábios e chupar. Ele pegou seu pênis, massageando-o e dando-lhe um aperto quando deslizou a língua entre os lábios rechonchudos da boceta de Jenna. Seu sabor salgado doce fez seu pau apertar. Apenas o pensamento de deslizar entre os lábios macios dela e fazer com que abrisse a calça e enfiasse dentro dela.

338


Ele lambia sua boceta e clitóris para cima e para baixo enquanto ela se contorcia contra ele, até que soube que ela estava pronta para vir. Em seguida, aplicou pressão para seu clitóris e ela deixou ir, clamando com abandono selvagem e empurrando sua boceta contra seu rosto. Ele a trouxe para baixo fácil, beijando suas coxas e barriga antes de subir para uma das cadeiras velhas e tirar suas calças. Ele deslizou suas calcinhas para baixo com as pernas e empurrou-as no bolso, então foi para um preservativo. Ela acalmou a mão. ‚Não. Sem preservativos mais. É só você e eu, agora e para sempre.‛ ‚Você tem certeza?‛ ‚Sim. Eu quero sentir você dentro de mim.‛ Seu pênis estremeceu com a ideia de sentir sua umidade sedosa. Aquela noite era o céu. ‚Eu quero isso. Quero você, só você, enrolada no meu pau.‛ ‚Faça amor comigo.‛ Ele a puxou para fora do bar e para o seu colo. Ela montou-o e ele viu seu pau desaparecer em sua boceta. Ela plantou os pés em cada lado da cadeira e levantou-se, em seguida, em cima dele. ‚Oh, querida, você se sente tão bem.‛ Ele enroscou os dedos em seus cabelos e trouxe sua boca para um beijo profundo e penetrante. Ele deslizou sua língua dentro e fodeu sua boca com da mesma forma que fodeu sua boceta, com cursos longos, deliberados. Ela gemeu contra sua boca, segurando em seus ombros, e levantou, deslizou para baixo, rangendo contra seu pau de uma maneira que o fez gemer. Suas bolas eram fogo, tremendo na expectativa de erupção dentro dela.

339


Enterrando como isto, ele se afastou, olhou para as profundezas azuis lindas de seus olhos, viu as pálpebras parcialmente perto quando sua boceta apertando em torno de seu pênis, todo aquele calor úmido que o cercava. E quando ela acelerou o ritmo, balançando para frente e para trás moendo contra ele, ele ia gozar. ‚Venha para mim, Jenna‛, ele sussurrou, lambendo sua orelha enquanto segurava a bunda dela e puxou-a com mais força contra ele, moendo ao longo de seu clitóris. ‚Oh, Deus, sim, vai me fazer gozar tão duro‛, disse ela. Quando ela cravou as unhas em seus ombros, ele sabia que estava pronta, e empurrou profundamente, segurando-a ali, enquanto ela se desfazia. Ele sentiu, sentiu suas paredes convulsionar em torno dele quando ela veio. Ela rebolava contra ele em um frenesi selvagem quando seu clímax rasgou. Ele não conseguia segurar para trás como o trem de carga bramindo do seu orgasmo se chocou contra ele. Ele gozou ao entrar dentro dela, esvaziando tudo o que tinha e segurando-a com força enquanto derramava mais e mais até que houvesse nada a dar. Cristo, isso tinha sido intenso. Sempre tinha sido assim com Jenna, e agora que a segurou novamente, era como se o mundo tivesse virado de cabeça para cima novamente, e tudo o que estava errado tinha sido corrigido. Algo não estava certo desde a noite que saiu com ela. Ele empurrou tudo para o fundo da sua mente, porque tinha que se concentrar em jogar hóquei, mas seu primeiro pensamento foi sempre Jenna. Trabalho sempre seria trabalho, mas sua primeira prioridade seria sempre a mulher que amava, a mulher tinha a intenção de fazer uma vida com ele. E agora que segurou-a novamente, agora podia respirar aquele cheiro único que fez quem ela era, percebeu que nunca seria tudo sem

340


ela. Isso é o que era o amor. Ele passou sua vida adulta se perguntando o que era o amor, e agora sabia. Ele nunca perseguiu isso, nunca quis isso, mas tinha encontrado de qualquer maneira. Ele levantou-a e colocou-a no bar. ‚Seu casaco‛, disse ela. ‚É bom. Eu quero olhar para você. Seu corpo é belo e todo rosa.‛ Ele traçou sua língua entre seu sexo e do quadril. Ela deu uma risadinha. ‚O que você est{ fazendo?‛ ‚Acho que aqui seria um local perfeito.‛ ‚Para quê?‛ ‚Sua próxima tatuagem. Posso imaginar um padrão de script.‛ ‚É?‛ ‚Meu nome, é claro. Perto do meu lugar favorito de seu corpo.‛ Ela ficou em silêncio por alguns segundos, então disse, ‚Feito.‛ Ele levantou a cabeça. ‚Sim?‛ ‚Claro, desde que você coloque Jenna tatuado em seu braço.‛ ‚É isso aí. Faça uma consulta com seu tatuador na próxima semana. Quero o seu nome em mim.‛ ‚Sério? Você faria isso?‛ Ele se levantou. ‚Vou me casar com você, Jenna. Não estava brincando sobre a parte do para sempre.‛ Ela se inclinou para frente, jogando os braços ao redor dele, e beijou-o, em seguida, em seu rosto. ‚Mas a tinta realmente é para sempre.‛ ‚E assim também eu sou.‛ Jenna suspirou quando ela olhou para Ty, lendo a verdade em seu rosto.

341


Isso tudo era real. Ele, o novo clube, sua nova vida. Enfrentar seus medos lhe dera alguns dos maiores presentes, o mais importante, este homem incrível. Ela colocou todos os seus sonhos em espera por tanto tempo. Mas agora, graças a Ty, seu amor, e muita coragem, todos os seus sonhos estavam se tornando realidade.

342


Tendo uma Jogada vol. 3 (revisado) - Jaci Burton