Page 1

PATRIMÔNIO público é depredado na CAPITAL.

casa HIGH-TECH

Sua casa na sua MÃO.

Sustentabilidade Definições, Tecnologias e Materiais. CENTRO DE EVENTOS DO CEARÁ

Conhecendo o projeto que abriu as portas do Ceará para o mundo.

N°1 - ANO 01 - NOVEMBRO 2012

ARQtudo


Enquanto uns depredam..

Valéria Albuquerque aproveitou a manhã de passeio para visitar a Praça dos Mártires (Passeio Público) com a família. Depois de 25 anos em Porto Velho, ela voltou à cidade natal como turista e encontrou o local bem diferente do que lembrava. “Está muito bom, é mais uma opção de lazer tranqüilo”. Na visita, porém, faltou mostrar as estátuas ao filho. “Algumas estão faltando ou quebradas”. A última escultura a ser retirada foi o busto do oftalmologista cearense Moura Brasil. No pilar onde ela ficava só a placa da homenagem ao centenário do médico. Segundo Gerson Linhares, coordenador do projeto Fortaleza a Pé há 17 anos, a estátua já não estava lá desde o dia 26 de maio. “Domingo (dia 27) eu estava fazendo o passeio cultural e notei que estava faltando. Fiquei surpreso”. De acordo com Clélia Monastério, coordenadora de Patrimônio Histórico da Secretaria da Cultura de Fortaleza (Secultfor), a queda de uma árvore derrubou a escultura de Moura Brasil no último dia 25.

01

“Ela não foi danificada na queda, não precisa ser restaurada. Vamos providenciar a higienização dela o mais rápido possível”, afirma a coordenadora. A reinstalação da estátua, segundo ela, ficará a cargo da Secretaria Executiva Regional do Centro (Sercefor) em, no mínimo, um mês. “No ano passado, tiraram a estátua do deus grego Prometeu e até agora não voltou. Desde a revitalização, três monumentos foram retirados”, reclama Gerson. Segundo Ramiro teles, chefe da Divisão Técnica do Iphan no Ceará, foi elaborado um plano de ação de recursos para a restauração da estátua do deus Prometeu, mas ainda não há data para o retorno do monumento. Manutenção “Os turistas e os cidadãos ficam tristes com a situação do patrimônio da cidade”, diz Gerson. Segundo ele, a preocupação é muito grande com o que mostrar de Fortaleza para quem vem de fora. “O cearense não se preocupa tanto, porque não tem a prática do patrimônio, mas quem vem de fora sente muito a diferença”. Apesar de tombado pelo Iphan, o Passeio Público é mantido pela Sercefor. A última reforma, segundo Luiza Perdigão, titular da secretaria, foi feita em 2010. No dia 5 de junho, será aberta uma licitação para a restauração de patrimônios históricos do Centro. Na praça, será feito o conserto de grades, limpeza das estátuas, pintura de muros e implantação de acessibilidade. A reforma, de acordo com ela, deve ser concluída ainda esse ano. Serviço É possível fazer reclamações sobre depredação do patrimônio público através da ouvidoria da Sercefor Telefone: 3226 5059


..outros preservam! Em meados do séculos XIX, quando a Praça dos Leões foi inaugurada, com o intuito de urbanizar a área conhecida como Largo do Palácio, em frente ao Palácio da Luz, possuía visitantes assíduos e zelosos com a mesma. Por sua importância histórica e beleza estética a praça foi tombada pelo Patrimônio Estadual em 25 de abril de 1991. Com o passar dos anos a praça ficou abandonada e mal cuidada, caracterizada por pichações e depravação da área. Em agosto de 2011, a empresa Coral Tintas lançou o projeto «Tudo de Cor para Fortaleza» com a intenção de revitalizar várias áreas históricas da cidade, incluindo a Praça dos Leões. Durante esse processo vândalos picharam novamente a praça destruindo assim o trabalho conquistado pelo projeto.

Depois desse ocorrido, uma mobilização em prol da Praça dos Leões, organizada por Luiz Antonio Lima, cidadão que desde 1991 vem organizando mobilizações parecidas, protestou contra os atos de vandalismo. No Sábado passado, 27 de Outubro de 2012, um grupo de voluntários autônomos se juntou para pintar os locais pichados e sujos na praça, desta vez, participaram cerca de 30 pessoas. O sonho dos líderes do movimento é uma praça lotada de fortalezenses desfrutando suas horas de lazer de forma consciente e respeitosa. Um dos focos da iniciativa é chamar a atenção das famílias, principalmente das crianças que construirão o futuro da praça. A participação foi livre e gratuita e espera contar com novas iniciativas vindas da população de Fortaleza. Amanda Aires, Thais Rebouças, Isabelle Mendonça, Natasha Banat

02


Centro de Eventos do Ceará

O Centro de Eventos do Ceará será o espaço mais moderno para realização de feiras e eventos do Brasil, constitui uma área de 152.694m², construído em um terreno de 17 hectares, possuindo um pé direito de 14 metros. Localiza-se em área nobre da cidade de Fortaleza, ao lado do Parque Ecológico do Cocó, a 8Km do centro da cidade e do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Detalhes do Projeto

O segundo maior espaço de eventos da América Latina, além de contar com dois pavilhões, o leste e o oeste, divididos por uma área climatizada, possui projeto arquitetônico inspirado em aspectos típicos da paisagem e do artesanato cearense, contendo sua estrutura inspirada no bordado das rendeiras e suas cores de fachada em formas de nossas falésias. Projeto de arquitetura de Joaquim Cartaxo, construído pela construtora Consórcio Galvão Andrade Mendonça.

Possui 21.000m² de jardins, 27.540m² de exposição,capacidade para 30 mil pessoas em um único evento. Sua área de convivência é bastante ampla, apresentando 5.928m². Há mais de 3.200 vagas de estacionamento, sendo 1.760 delas, vagas cobertas. 3


Curiosidades sobre o projeto

Vantagens do projeto

Possui acessibilidade para os portadores de necessidades especiais, heliponto integrado ao projeto, um espaço dimensionável que proporciona a multiplicidade de exposições e eventos temáticos. Possui salas de apoio modulares com divisórias retráteis que se adaptam aos diversos tipos de eventos que possam haver, isolamento acústico para maior conforto, cúpula de vidro que permite a passagem da iluminação natural. Também há lojas, bancos, restaurantes e entre outros locais para consumo, reunindo flexibilidade e otimização dos espaços.

Construído com intuito de ser um grande empreendimento de negócios e entretenimento, irá abrir as portas do estado do Ceará, podendo trazer o futuro e o desenvolvimento para o estado, pois possui moderna infra-estrutura, é preparado para receber feiras, eventos, congressos e exposições, como também eventos paralelos: Seminários, Workshops, rodadas de negócios e entre outros. O Centro de Eventos do Ceará (CEC) tem números grandiosos previstos para o primeiro ano de funcionamento. O novo equipamento vai mudar a curva de sazonalidade do fluxo turístico e responder por 1% do Produto Interno Bruto (PIB) cearense, além de acrescentar R$ 318,3 milhões aos valores de salários pagos no Estado.Segundo o Governo do Estado, este incremento na massa salarial será acrescentado à geração de 87,6 mil empregos diretos e indiretos na cadeia produtiva de turismo e eventos; sem contar com a geração de R$ 186,1 milhões a mais na arrecadação tributária. Com custo de aproximadamente R$ 600 milhões, o Centro de Eventos do Ceará movimentará a economia local em três vértices: massa salarial, arrecadação de tributos e geração de empregos.Foram construídos túneis para acesso direto ao Centro de Eventos e eliminados dois semáforos, havendo uma melhoria do tráfego. Anny Militão, Camila Timbó e Déborah Ramos

4


1. Você sabe o que é sustentabilidade? Esclareça suas dúvidas sobre o universo sustentável.

S

ustentabilidade é uma das palavras mais citadas em temáticas diversas há décadas. Foi utilizada pela primeira vez na década de 80, pela então ministra da Noruega Gro Brundtland. Esta, atribuia à sustentabilidade o conceito: “Desenvolvimento sustentável, ou sustentabilidade, significa suprir as necessidades de presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprirem suas próprias necessidades”. O u s e j a , sustentabilidade é o progresso alcançado sem comprometer o meio ambiente. Imagem 01: Foto de Gro Brundtland em visita ao Brasil. Fonte:http://www.revistafator.com.br

Agora focando no universo da construção sustentável, seu objetivo é minimizar os impactos ambientais da construção civil por meio do uso de técnicas, materiais e tecnologias menos agressivas e poluidoras do meio ambiente, garantindo a sustentabilidade do empreendimento por meio do uso de materiais duráveis, reuso de água e outras fontes alternativas de energia. Ocorre o surgimento de edifícios econômicos, confortáveis e não degradantes do meio.

em constante renovação por meio do surgimento de novas tecnologias. Seus projetos buscam novas formas de usufruir do espaço, de fontes de energia renováveis (como a solar, muito utilizada), materiais de procedência natural (grande maioria). Neste contexto, é importante verificar a procedência dos fabricantes de materiais, averiguando se os mesmos respeitam os padrões técnicos de produção destes tipos de materiais, bem como apresentam políticas de preservação ambiental. A arquitetura sustentável também valoriza o uso de materiais locais, evitando o transporte do material reduzindo assim a Imagem 04: Selo de identificação poluição de gás carbônico.

de materiais sustentáveis. Fonte: http://revistasustentabilidade.c om.br

Alguns exemplos de materiais ecologicamente corretos, bem como técnicas construtivas sustentáveis serão analisados a seguir. Ana Paula Oliveira.

2. Telhado Verde.

O

telhado verde vem ganhando uma crucial importância nos centros urbanos devido aos vários benefícios que trazem, além de ser uma opção estética inovadora e ecologicamente correta. Veja alguns dos benefícios que esta técnica apresenta: SAumento da biodiversidade; SRedução da velocidade de escoamento da água da chuva na fonte - telhado; S Aumento da retenção de água da chuva na fonte ( drenagem urbana);

Imagens 02 e 03: Fotos do edifício sustentável EDDIT (Ecological Design in the Tropics) Tower de Cingapura. Ele será construído comrecursos sustentáveis. Fonte: http://4.bp.blogspot.com

A arquitetura sustentável, ganhou força na década de 70, visando evitar o choque ambiental que pode ser provocado por uma edificação, modificando o ambiente em que está inserida, de forma mínima. Este modelo de arquitetura está

07

SLimpeza da água pluvial, contribuindo para a redução da poluição; SDiminuição da temperatura do micro e macro ambiente externo; SConforto térmico e acústico para ambientes; SContribui para a maior durabilidade dos prédios, pois diminui a amplitude térmica;


SContribui para a maior durabilidade dos prédios, pois diminui a amplitude térmica;

mais adequado não pode conter materiais orgânicos e devem ser bem peneirados na fabricação.

SInclusão social, com a oportunidade de convívio com a natureza em diferentes locais;

SConcreto reciclado

SReduz aproximadamente 30% nos gastos de energia, pois mantém a temperatura sempre agradável. Os revestimentos verdes não são caros e possibilitam fácil manutenção. O custo do ecotelhado é equivalente ao preço de Imagem 05: Exemplo de telhado verde. Fonte: http://wp.zap.com.br/imoveis um telhado comum. Qualquer região pode implantar um ecotelhado. Este tipo de coberta pode ser implantado também em edificações já existentes. Quem quer colocar a idéia em prática precisa contar com mão-de-obra especializada e infra-estrutura adequada para ter problemas de vazamentos, infiltrações, perda de plantas e de terra pela erosão ocasionada pela chuva.

Imagem 06: Telhado verde interagindo como entorno. Fonte: http://jornaldobem.com.br

Emmanuelle Moreira.

3. Eco-materiais. Ecoprodutos são todos artigos de origem artesanal ou industrializada, que sejam não poluentes, atóxicos, benéficos ao meio ambiente e á saúde dos seres vivos. SSolo Cimento Muito útil em meios rurais pela disponibilidade da matéria-prima, pois sua mistura vem do chão. É um tipo de cimento para argamassa ou estrutura, ideal para uso em revestimentos de pisos e paredes devido à elasticidade, usado para pavimentação, em muros de arrimo, confecção de tijolos e telhas sem queima. O solo cimento é um material ideal para construções de pequeno porte. O solo usado é composto por uma parte maior de areia e outra menor de argila, e nessa mistura é misturado o cimento. É importante lembrar que o solo cimento

O concreto reciclável possui inúmeras fórmulas e combinações possíveis. Alguns encontrados no mercado são feitos com escória de alto forno, outros utilizam sobras de minérios e asfalto de reuso. O uso do concreto reciclado tem despertado uma consciência de reaproveitamento dos materiais que eram descartados, como restos de tijolos e telhas, abrindo espaço para empresas que separam e comercializam materiais que sobram nos canteiros de Imagem 07: Hotel em cimento reciclado. obras e nas Fonte: http://jornaldobem.com.br demolições. SMadeiras Alternativas A madeira é um excelente material encontrada em inúmeras cores, cheiros e durabilidades, muito utilizada na construção civil. Muitas espécies de árvores e suas florestas foram dizimadas para abastecer o consumo humano em toda a história. Por isso, a preocupação de se utilizar madeiras alternativas é de extrema importância. São aquelas madeiras que na hora da compra podem comprovar a origem de onde foram retiradas como a madeira de reflorestamento. Esta advém de lugares que mantém uma área de floresta original ou replantada, através de manejos sustentáveis de produção. A atividade prevê a preservação dessas matas ao mesmo tempo em que sustenta o ritmo da extração. Imagem 08: Deck em madeira de reciclagem. Fonte: http://jornaldobem.com.br

Jamile Castro.

4. Referências Bibliográficas. SArquitetura Sustentável. Disponível em: <http://www.infoescola.com/ecologia/arquiteturasustentavel/>. Acesso: 07 de novembro de 2012; SAfinal, o que é Sustentabilidade? Disponível em: <http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenv olvimento/conteudo_474382.shtml>. Acesso: 06 de novembro de 2012.

08


Clássico

V S

A foto da capa procurou dá ênfase a discussão que ocorre até os dias de hoje sobre a pirâmide de vidro do museu do Louvre, que para muitos está descontextualizada do local onde foi implantada. Nosso intuito foi deixar a reflexão; «É possível unir a arquitetura velha com a nova de forma harmônica ?»

Antonio Leonardo,David Mota, Lucila Norões, Matheus Palmeira.

U l t r a m o d e r n o

A construção da pirâmide do Museu do Louvre provocou uma considerável controvérsia, porque muitas pessoas sentiram que o edifício futurista, parecia completamente fora de lugar em frente ao Museu do Louvre, com sua arquitetura clássica. Alguns detratores atribuíram-lhe como um complexo "faraônico" de Mitterrand. Outros, vieram para apreciar a justaposição de estilos e contrastantes de arquitetura, como uma fusão bem sucedida do velho com o novo, do clássico com o ultramoderno. A Pirâmide principal é na verdade, apenas a maior das várias pirâmides de vidro que foram construídas perto do museu, incluindo, a pirâmide que aponta para baixo, La Pyramide Inversée que tem como função de uma clarabóia/janela, em um centro comercial subterrâneo, em frente ao museu. Durante a fase de projecto, houve uma proposta que o projecto incluía uma torre sobre a pirâmide, para simplificar a lavagem da janela. Esta proposta foi eliminada por causa de oposições de I. M. Pei.

Arqtudo  

Arqtudo é uma revista sobre arquitetura feita pelos alunos de Comunicação Visual, do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unifor 2012.2.