Issuu on Google+

FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE - FEPECS Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências para a Saúde - Mestrado Profissional Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde - PET – Saúde/MS Edital nº 1 de 07/03/2012

Artigo: Publicações digitais em saúde: Como e porque fazer uma revista digital? Professor Dr. Luiz Augusto Casulari Roxo da Motta Mestrando Luciano Pina Gois FEPECS/SES/DF

lucianogois@gmail.com cel: +55(061) 9981 9081

Área: Ciências da Saúde Área de Concentração: Qualidade na Assistência à Saúde Linha de Pesquisa: Qualidade na Assistência à Saúde da Mulher Tema: Educação Permanente em Saúde da Mulher

Novembro de 2012 Brasília, DF

Página  |  1      


Publicações digitais em saúde: Como e porque fazer uma revista digital Introdução Este artigo, apresentado no I Mestrado Profissional em Ciências para Saúde da FEPECS, tem como objetivo promover uma revisão bibliográfica sobre o tema: “Publicações Digitais em Saúde”, focando os estudos para justificar e auxiliar no planejamento, na escolha do software e na montagem da Revista Digital do Mestrado Profissional da FEPECS. Os periódicos científicos surgiram na Europa no ano de 1665. A primeira revista foi o Journal des Sçavants, o qual publicava resultados de pesquisas, principalmente nas áreas de Química, Física, Anatomia e Metereologia. As publicações periódicas são essenciais para os pesquisadores, que necessitam divulgar e obter informações rápidas e precisas sobre sua área de atuação. Assim, o periódico é visto como um formato de comunicação científica que tem como principal objetivo, possibilitar a disseminação e o intercâmbio de experiências ou pesquisas com outros pesquisadores em uma determinada área do conhecimento, ou seja, a comunicação científica é essencial para qualquer profissional que deseja manter-se atualizado acerca de sua área de atuação (Silva, VM - 2011). As revistas científicas representam a forma mais visível de publicação eletrônica, embora o modelo possa ser aplicado a todo tipo de documento bibliográfico. Na base LILACS, 30% dos documentos publicados nos últimos 10 anos estão disponíveis na Internet. A primeira revista científica eletrônica foi a Online Journal of Current Clinical Trials, publicada em 1992 pela OCLC - Online Computer Library Center, em Ohio, Estados Unidos, com textos completos e gráficos. Em março de 2006, o Directory of Open Access Journals (DOAJ), coordenado pela rede de bibliotecas da Lund University, na Suécia, registrava 2.160 revistas eletrônicas publicadas em acesso aberto, das quais 312 são da área da saúde e dentre estas 77 de saúde pública (Castro, RCF - 2006).

Atualmente, observamos uma campanha de convencimento e estímulo à publicação digital feita pelo movimento Open Access, que reúne uma rede internacional de acadêmicos, bibliotecários, publishers, organizações científicas e universidades. Por “acesso aberto” à literatura, deve-se entender a disposição livre e pública na Internet, de forma a permitir a qualquer usuário: a leitura, download, cópia, impressão, distribuição, busca ou o link com o conteúdo completo de artigos, bem como a indexação ou o uso para qualquer outro propósito legal. No entendimento das organizações que apoiam o acesso aberto, não deve haver barreiras financeiras, legais e técnicas outras que não aquelas necessárias para a conexão da Internet. O único constrangimento para a reprodução, distribuição deve ser o controle do autor sobre a integridade de seu trabalho e o direito de sua propriedade intelectual e devida citação (Machado, JAS - 2007).   No editorial da revista eletrônica Biblionline “Publicando com alunos de graduação e construindo o futuro com novos pesquisadores-aprendizes” os editores, Profa. Ms. Patrícia Silva Prof. Dr. Wagner Junqueira de Araújo, afirmam que:

Página  |  2      


Escrever   um   artigo   não   é   o   mesmo   que   “Tweetar”,   ou   escrever   um   post   para   um   blog,   muito   menos   fazer   um   comentário   no   Facebook.   O   processo   para   construção   de   um   artigo  científico  é  cheio  de  regras,  na  elaboração  do  seu  conteúdo,  para  o  formato  do   texto,  para  citações,  para  tabelas,  para  figuras,  para  as  referências,  para  o  resumo,  ou   seja,  regras  para  tudo  (Silva,P.-­‐W.  2012).  

A revista Biblionline tem como objetivo a publicação de artigos produzidos por alunos de graduação na área de Ciência da Informação, criando assim, a oportunidade para que estes desenvolvam seu senso crítico e exercitem sua capacidade analítica ao expor seus trabalhos e suas ideias. A Biblionline também é uma base de dados, desenvolvida e mantida pela UFPb.   As informações sobre saúde podem influenciar o estado físico e emocional do sujeito que a consome ou que a usa em uma determinada política ou programa público. Dados imprecisos ou falsos, alarmes infundados sobre uma epidemia ou situação de alerta conferem uma situação de risco de difícil reversão. Por outro lado, o uso da informação como instrumento de prevenção e promoção da saúde reduzem as incertezas do sujeito, da sociedade e conferem maior grau de confiança às ações governamentais (Santos, EP - 2009).   A Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde (BVS MS), cujo projeto é desenvolvido desde 2001, tem por objetivo atuar na coleta, na organização e na disseminação de informações institucionais da esfera federal do SUS e utiliza as tecnologias e metodologias do Modelo BVS para a América-Latina e Caribe (AL&C), desenvolvidas em 1998, pelo Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (BIREME). A BIREME é um centro especializado da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) que realiza as ações de fomento à inovação de metodologias e do uso de tecnologias para a gestão da informação na América do Sul e Caribe (disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/php/index.php ) Na pesquisa sobre as revistas digitais voltadas para saúde, destacamos os seguintes links: • Editora Abril, Saúde e Bem Estar <http://www.assine.abril.com.br/portal/revista!initRevista.action?codProjeto=950&orig em=google11_Pesquisa_Web_Marca_ Saude_e_Bem_Estar_Saude!&campanha=BTMC&gclid=CIO7zIHk8rMCFRRbnAodkg YAQw> acesso em 23/11/2012.

figura 1

Página  |  3      


Esse link direciona o leitor para a revista digital Saúde e Bem Estar, da editora Abril – paga com assinatura;

figura 2

Esse link direciona o leitor para o site da Revista Saúde digital, da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte <http://www.pbh.gov.br/smsa/biblioteca/saudedigital/default.php> acesso em 23/11/2012.   No link <http://www.unibh.br/pesquisa/revistas-­‐digitais>, acesso em 24/11/2012, encontramos o portal de Revistas Eletrônicas do UniBH:  

figura 3

Página  |  4      


Em relação as publicações direcionadas para a saúde do idoso, destacamos o link do site da Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia da Universidade Aberta da Terceira Idade <http://revista.unati.uerj.br/scielo.php?script=sci_serial&pid=1809-­‐ 9823&lng=pt&nrm=iso> acesso em 27/11/2102.   Centro de Referência e Documentação sobre Envelhecimento, da Universidade Aberta da Terceira Idade - UnATI, versão impressa ISSN 1809-9823. Missão - Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia é continuação do título revista Textos sobre Envelhecimento, fundada em 1998. É uma publicação do Centro de Referência e Documentação sobre Envelhecimento, UnATI-Universidade Aberta da Terceira Idade, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Tem por objetivos publicar e disseminar produção científica no âmbito da geronto-geriatria e contribuir para o aprofundamento das questões pertinentes ao envelhecimento humano.  

figura 4

Ao pesquisar “Revistas para terceira idade” encontramos o link <http://www.revistamaioridade.com.br/index.php?option=com_content&view=article&i d=49:amor-na-terceira-idade&catid=30:comportamento&Itemid=55> acesso em 27/11/2012:

Página  |  5      


figura 5

   

Métodos  

Para a composição do referencial teórico desse artigo utilizou-se como fontes de pesquisa, a Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) do Ministério da Saúde, a Biblioteca Eletrônica de Artigos (Scientific Electronic Library Online – SciELO/BIREME), as bases de dados do Portal da CAPES/MEC, as bases de dados da rede Biblionline e para textos complementares, o Google Acadêmico. Foram visitados 27 sites e referenciados cinco; observadas seis ferramentas para edição online e referenciadas três, pesquisados 17 artigos e referenciados seis, referenciado um documento do Ministério da Saúde.    

Resultados e Discussão  

Para aprender como se desenvolve e publica uma revista eletrônica, visitamos alguns sites de revistas online e pesquisamos alguns vídeos de acesso livre no Youtube, que ensinam os primeiros passos em direção às publicações eletrônicas. Nessa pesquisa utilizamos o marcador: “como fazer uma revista eletrônica” e acessamos o tutorial: <  http://www.youtube.com/watch?v=Duxvh8YjU7k> Nesse tutorial é ensinado como publicar online na ferramenta Issuu. Como podemos observar pelos links apresentados, existem vários formatos de revistas e periódicos digitais, direcionados ao público leigo (figuras 1 e 5), institucional (figura 2) e também à pesquisa científica (figuras 3 e 4). A preocupação de oferecer espaços virtuais de aprendizagem e ao mesmo tempo de desenvolver um repositório de informações é apontada nos modelos educacionais como justificativa para utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para mediar a produção e a gestão do conhecimento (Santos, EP - 2009). Enquanto o modelo de publicação tradicional está voltado para a publicação impressa, o novo modelo propõe a publicação eletrônica e o acesso livre e irrestrito ao material publicado. “Os desafios consistem na utilização de todas as potencialidades dos meios de comunicação eletrônicos para aprimorar aspectos positivos do fluxo de comunicação científica tradicional e na definição de políticas que sustentem a nova estrutura do fluxo de comunicação científica, garantindo a qualidade, preservação e disseminação da informação como bem público” (Castro, RCF - 2006).   A Política Nacional de Informação e Informática em Saúde (PNIIS) é resultado das recomendações da 12 a. Conferência Nacional de Saúde, realizada em dezembro de 2003 em Brasília/DF, quando pela primeira vez, contou-se com um grupo de trabalho Página  |  6      


específico para discutir assuntos relacionados à informação e Comunicação em Saúde. O propósito da PNIIS é:    

promover o uso inovador, criativo e transformador da tecnologia da informação, para melhorar os processos de trabalho em saúde, resultando em um Sistema Nacional de Informação em Saúde articulado, que produza informações para os cidadãos, a gestão, a prática profissional, a geração de conhecimento e o controle social, garantindo ganhos de eficiência e qualidade mensuráveis através da ampliação de acesso, eqüidade, integralidade e humanização dos serviços e, assim, contribuindo para a melhoria da situação de saúde da população. Para alcançarmos este propósito é preciso que a informação e a informática em saúde sejam tratadas como funções estratégicas de gestão do SUS. Desta maneira, será possível romper a visão meramente instrumental deste campo, o que é essencial para o contínuo aperfeiçoamento da política de saúde no país (Brasil, 2004).  

 

A publicação eletrônica de revistas científicas permite que os artigos estejam disponíveis imediatamente após aprovação pelos editores. Essa modalidade de publicação contribui para aumentar a visibilidade dos resultados de pesquisa e diminuir o tempo entre a aprovação dos trabalhos e sua publicação em formato impresso. O artigo científico passa a ser uma unidade informacional independente e a construção de um artigo auxilia o aluno, um futuro pesquisador, a organizar e expor ideias, cumprir prazos, trabalhar e descrever métodos de pesquisa, coletar e tabular dados, além de relatar e refletir sobre os resultados obtidos. Permite o trabalho disciplinado de ações que resultam em um produto informacional, este, por sua vez, imputa responsabilidade e compromisso ao autor sobre o conteúdo apresentado.   A partir dos resultados encontrados sugerimos o desenvolvimento e a publicação de uma revista ou periódico em formato digital para publicar as pesquisas e artigos desenvolvidos no Mestrado Profissional da FEPECS. Referências Castro, RCF. Impacto  da  Internet  no Fluxo da Comunicação Científica em Saúde. Rev Saúde Pública 2006; 40 (N Esp) :57-63 0,2006; 40 (N ESP) :57-63;    

Machado, JAS - 2007. Acessoaberto.org Difusão do Conhecimento e Inovação - o Acesso Aberto a Publicações Científicas http://www.acessoaberto.org/acesso_aberto_carta_de_sao_paulo.pdf (acessado em 27 de novembro de 2012); Ministério da Saúde, 2004. Politica Nacional de Informação e Informática em Saúde . http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/PoliticaInformacaoSaude29_03_2004.p df (acessado em 27 de novembro de 2012).

Santos, EP - 2009. Estudo sobre a Demanda e Oferta de Informações em Saúde http://bdtd.bce.unb.br/tedesimplificado/tde_arquivos/1/TDE-2009-09-17T101325Z4357/Publico/2009_ElianePereiradosSantos.pdf (Acessado em 27 de novembro de 2012).   Silva, P. - Araújo, W. 2012. Publicando com Alunos de graduação e Construindo o Futuro com Novos pesquisadores- aprendizes. <http://scholar.google.com.br/scholar?q=Publicando+com+alunos+de+gradua%C3%A7 %C3%A3o+e+construindo+o+futuro+com+novos+pesquisadores-

Página  |  7      


aprendizes&btnG=&hl=pt-BR&as_sdt=0&as_ylo=2011> (Acessado em 27 de novembro de 2012). Siveira, DT et al - 2012. Objetos Educacionais Digitais para Saúde da Mulher. RECIIS R. Eletr. de Com.. Inf. Inov. Saude. Rio de Janeiro, 0,2012; 6 (2) :1-7 Silva, VM - 2011 INDEXAÇÃO DA REVISTA A Terceira Idade DA BIBLIOTECA RACHEL DE QUEIROZ SESC - CE . <http://rabci.org/rabci/sites/default/files/INDEXA%C3%87%C3%83O%20DA%20RE VISTA%20A%20TERCEIRA%20IDADE%20DA%20BIBLIOTECA%20RACHEL%20D E%20QUEIROZ%20SESC%20-%20CE.pdf> (Acessado em 27 de novembro de 2012).

Página  |  8      


Publicações digitais em saúde: Como e porque fazer uma revista digital?