Page 1

16 SERVIÇO

Brizolismo tende a acabar no litoral Robson do Walle

Não existem grandes perspectivas para que o Brizolismo volte a nascer em Pontal do Paraná. A comissão provisória do partido no município foi dissolvida e nem mesmo a Executiva Nacional tem conhecimento. O presidente do PDT do Paraná, Osmar Dias, não se pronuncia sobre o tema. Pior do que isto. O vice-presidente Augustinho Zucchi (PDT), reeleito para o cargo de deputado estadual, também se cala. “Eu sou vice-presidente, mas não gostaria de comentar sobre isso. Não

houve reunião do partido depois da eleição de governador e acho que quem tem que falar é o presidente Osmar Dias”, disse ele. Zucchi nem mesmo se arrisca a falar sobre o Brizolismo, marca pela qual o PDT nasceu e deveria ainda hoje galgar. “Brizola é outra concepção, mas eu não quero falar. Respeito sempre a hierarquia partidária”, ponderou. Brizolista desde 1989 quando se filiou ao partido, Luciana Pombo lamenta o desaparecimento

da sigla. “Acredito que seria fundamental uma liderança verdadeira de oposição em Pontal do Paraná. Mas uma oposição consciente e que se preocupe com os problemas da população como a saúde, a educação, a segurança. O PDT precisa se levantar das cinzas e mostrar que tem força também no litoral do Paraná”, bradou. Lideranças do município buscam agora uma forma de reativar o partido, que foi desestruturado com a reeleição de Rudisney Gimenes.

JORNALISTA É CENSURADA POR ESCREVER SOBRE O PREFEITO

Luciana Pombo teve que deixar imóvel de Praia de Leste por mostrar os problemas de Pontal do Paraná em blog na Internet. Leia mais na pág. 3

ANIMAIS SOFREM 6COM ABANDONO

Cuidando da sua imagem e da sua empresa no litoral paranaense ou em qualquer parte do Brasil. Entre em contato conosco: (41) 9143.7999 ou no email luciana@venturacomunicacao.com.br.

ANUNCIE AQUI. Entre em contato com o telefone (41) 9143.7999 ou com o email lucianapombo@hotmail.com

Cidade tem mais cães de rua do que tinha há um ano. Autoridades nada fazem para reduzir o problema - que é antigo. Saiba mais na

pág. 8

PONTAL SOFRE COM ALAGAMENTOS Qualquer chuva no município deixa as ruas e casas embaixo d´água. Leia mais na

pág. 6

Veja também:

* CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL: FALTA TÉCNICA

* PRESOS NÃO TEM O QUE COMER NAS DELEGACIAS DO LITORAL


02 OPINIÃO

15 SERVIÇO

Caos

Transporte na temporada é vergonha municipal

EDITORIAL N ão compactuamos com a falta de informação no litoral paranaense.

Apaixonados pela verdade e pela democrática informação popular, estamos chegando até os moradores das praias do Paraná com a proposta de investigar os problemas dos balneários, promover a mudança social e a formação de conceitos, discutir com os eleitores formas de se fazer a reestruturação de Pontal do Paraná, Matinhos, Guaratuba, Antonina, Paranaguá e Morretes. Neste jornal, o leitor terá vez e voz. Não queremos parar. Queremos continuar a mostrar, em cada edição deste periódico, A VERDADE. Somente a verdade é capaz de nos libertar das fofocas que nos chegam como se fossem verdades. O litoral é maravilhoso e precisa ser respeitado não apenas na Temporada, mas durante todos os dias que se seguem... A partir de hoje, ligue, mande email, cartas e denuncie os erros administrativos que você encontrar aqui no litoral. Juntos, vamos construir um litoral mais justo, mais humano, mais forte, mais verdadeiro, mais bonito ainda e com mais qualidade de vida para nossos filhos, nossos netos e nossos amigos.

Luciana Pombo

Cartas Li seu email, fiquei indignada com a notícia, gostaria de saber como podemos ajudar? Além de divulgar a matéria, o que mais podemos fazer? Angela Donha – Diretora da Mulher no PPS Paraná.

TELEFONES ÚTEIS: Polícia Militar - 190 Polícia Rodoviária Federal - 191 SAMU - 192 Corpo de Bombeiros - 193 Polícia Rodoviária estadual - 198 Defesa Civil - 199 Narcodenúncia - 181 Procon - 151

Envie sua contribuição para os emails dos editores deste jornal: lucianapombo@hotmail.com (Luciana Pombo) e tonicasagrande@ hotmail.com (Toni Casagrande). Ou telefone para os celulares dos jornalistas que trabalharão nas edições destes jornais: (41) 9143.7999 e (41) 9181.1497. Direção do Jornal A Verdade

Expediente: Redatores e Editores: Luciana Pombo (lucianapombo@hotmail.com) e Toni Casagrande (tonicasagrande@hotmail.com) Criação e Diagramação: Margareth Souza (Ventura Comunicação & Marketing – CNPJ:

09.719.718/0001-43). Email: luciana@ venturacomunicacao.com.br Jornalista Responsável: Luciana Pombo (DRT: 2989/11/114 Revisão: Luciana Pombo

Na temporada, os ônibus que fazem o trajeto Matinhos – Pontal do Paraná amanhecem lotados. Não há espaço ou lugar para pessoas da terceira idade se sentarem e os usuários normalmente ficam sem troco depois de passarem na roleta. Apenas no trajeto Ipanema- Pontal

Fotografias: Luciana Pombo Impressão: Editora Folha de Londrina Ltda Publicação: Mensal Distribuição: Gratuita Exemplares: 1,5 mil

do Paraná, a reportagem flagrou a cobradora número 216 deixando de dar R$1,20 de troco para os passageiros. Um deles foi o tosador Robson Stegues, do Pet Pombos Ipanema. Ele passou pela roleta acompanhado e deu quatro reais. A cobradora deixou de dar a ele 0,20 dizendo que não tinha troco. “De centavo em centavo, quanto fica para ela?”, questionou o tosador indignado. O ônibus da Oceânica Sul era o de número 027 e o motorista era registrado sob o número 006. “Isso é uma vergonha. Além de esperarmos mais de duas horas no domingo, ainda ocorre este tipo de coisa”, relatou. O vereador Valdevino Simões Périco (PR), presidente da Câmara Municipal de Pontal do Paraná, disse que as reclamações são pontuais

e ocorrem normalmente em dias de pico. “Os ônibus andam vazios quando não está no período de aulas. Não tem viabilidade econômica. A demanda é muito pequena, exceto nos horários de pico”, defendeu o parlamentar.

Prefeito Gimenes é investigado pelo MP

Num processo em andamento, ele é indiciado por ato lesivo ao Patrimônio Público Luciana Pombo O prefeito Rudisney Gimenes (PMDB) é réu numa ação civil pública interposta pelo Ministério Público (MP) do Paraná e que pede a anulação do que chama de ato lesivo ao Patrimônio Público com responsabilidade por ato de improbidade administrativa. O processo foi aberto após a finalização de um inquérito civil que investigou irregularidades na realização de um concurso público para seleção e contratação de servidores públicos. Novecentos e setenta e cinco inscritos foram aprovados no certame e 28 foram chamados. No entanto, o critério de desempate estabeleceu que os vencedores seriam prioritariamente pessoas que trabalhavam dentro do serviço público o que, segundo o MP, feriu os princípios de isonomia, legalidade, moralidade e impessoalidade. A ação pede a demissão dos servidores nomeados irregularmente e ressarcimento dos prejuízos ao erário (cofres públicos). O próprio MP já havia alertado o prefeito de Pontal

sobre a irregularidade observada. No entanto, Gimenes preferiu descumprir a recomendação da promotoria. A promotora Carolina Dias Aidar de Oliveira pede na ação que seja declarada nulo o critério de desempate do concurso público; impõe ao município a obrigação de excluir o critério de desempate por maior tempo de serviço público e a obrigação de refazer as médias finais das provas; estipula multa diária de R$ 5 mil em caso de desobediência, caso a ação civil seja concluída como procedente; e condenação de Gimenes por ato de improbidade administrativa por ter lesado o erário de Pontal do Paraná. Entre o que chama de condenação passível ao prefeito, a promotora enumera a perda de função pública (se ainda estiver exercendo no final da ação), suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de multa de duas vezes o valor do dano, proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios e incentivos fiscais por cinco anos, ressarcimento do dano total com correções.

O Ministério Público do Paraná informou que a promotoria tem várias investigações contra o prefeito em andamento. No entanto, apenas o processo sobre os concursos públicos já foi finalizado e aguarda análise do pedido de liminar. Compra de votos - ”Desde 2008, quando foi reeleito para o cargo de prefeito de Pontal do Paraná, Rudisney Gimenez é investigado por suposta compra de votos. Um recurso contra expedição do diploma do prefeito foi interposto no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). No entanto, até hoje não houve qualquer decisão. Os autos de número 9458-13.2008.616.0194 aguardam um parecer do relator Auracyr Azevedo de Moura Cordeiro. Em 2008, foi uma ordem do mesmo desembargador Cordeiro que conseguiu que a Polícia Federal fizesse a apreensão de cestas básicas que estavam sendo distribuídas irregularmente, para suposta compra de votos em Pontal do Paraná. (LP)


14 HUMOR

Classificados

Hora de Sorrir Uma mulher leva um bebê ao consultório do pediatra. Depois da apresentação o médico começa a examinar o bebê vê que o seu peso está abaixo do normal e pergunta: - O bebê bebe leite materno ou em pó ou líquido? - Leite materno - diz a senhora. - Então, por favor, mostre-me os seus seios. A mulher obedece e o médico toca, apalpa, aperta ambos os seios; gira os dedos nos mamilos. Primeiro suavemente, depois com mais força, coloca as mãos em baixo e os levanta; uma vez, duas vezes; três vezes, num exame detalhado. Inconformado chupa os mamilos diversas vezes. Sacode a cabeça para ambos os lados e diz: - Pode vestir a blusa. Depois da senhora estar novamente composta o médico diz: - É claro que o bebê tem peso a menos. A senhora não tem leite nenhum. - Eu sei, doutor. Eu sou a avó. Mas adorei ter vindo...

- Vendo filhotes de lhasa apso com pedigree, vacinadas e desverminadas. Liberação em março. Informações com Toni no telefone 9181.1497. - Procuro chácara no litoral paranaense com estrutura para casa e canil para animais. Valor não pode ser alto. Tratar com Luciana, no telefone 9143.7999. - Tenho uma cadelinha preta, vai ficar de médio porte, com primeira vacina, para doação. Além de um gato amarelo lindo, já desverminado. Interessados ligar para o 3457.1341. - Vendo um Escort GL, gasolina, importado, 16 válvulas, prata, quitado. Ano 1997. R$ 10 mil. Tratar com Luciana, telefone 9143.7999. - Vendo um Celta três portas, preto, gasolina, quitado. Ano 2003. R$ 13 mil. Informações com Toni, telefone 9181.1497. Para anunciar aqui, mande um email para lucianapombo@hotmail.com

03 POLÍTICA Censura: Repercussão!

Jornalista é expulsa de comércio por escrever sobre prefeito Robson do Walle Moradora em Ipanema e com Pet Shop em Praia de Leste, em Pontal do Paraná, a jornalista Luciana Pombo, consagrada nacionalmente pela atuação ética na condução de reportagens feitas ao longo de sua caminhada jornalística, terá que deixar o local onde atuava profissionalmente. Censurada pelo prefeito Rudisney Gimenez (PMDB) por escrever em seu blog contra alguns atos da administração municipal, Luciana foi expulsa de um imóvel que pertence a ele, na rua Baronesa do Cerro Azul, 123.

PALAVRAS CRUZADAS Rumilson Evangelista Castro

1- Prenome da Miss Brasil em 2003, ora modelo e jornalista. 2- Cidade natal de Ary Barroso, compositor da música “Aquarela do Brasil”. 3- (?) Girrulat, artista plástica, pioneira da heliogravura no Brasil. 4- “Circuito (?)”, tipo de autódromo dedicado a corridas, cujo traçado contém curvas apenas em uma direção. 5- (?) Bassinger, prêmio “Golden Globe Award” de melhor atriz coadjuvante em cinema com o filme Los Angeles Confidencial. 6- “In Plenty and In Time of (?)”, título do hino nacional de Barbados. 7- (?) Edson, narrador de Fórmula 1, atualmente na Rádio Bandeirantes. 8- Porção de potrancas. 9- Escritor alemão, autor do livro “Top Spies Os Traidores na Guerra Secreta”. 10- Irajá Baran, repórter policial com reduto em Curitiba. 11- Município da província e comunidade autônoma do Principado de Astúrias. 12- Capital da Califórnia. 13- Ogamar Alvim Linhares, presidente da ACEP em 2006/08. 14- Van (?) Sar, goleiro da Holanda na Copa de 2006. / - Município no estado do Rio Grande do Norte, localizado na microrregião do Litoral Nordeste e Mesorregião do Leste Potiguar e no Polo Costa das Dunas. 15- Elemento arquitetônico, decorativo em pedra difundido em edifícios da Idade Média, do estilo gótico. 16- Dona (?), telenovela brasileira produzida pela Rede Globo em 2007. 17- Força Aérea da Índia (Sigla inglesa). 18- “Potências do (?)”, aliança liderada pela Alemanha nazista em conjunto com Itália, e o Império do Japão na Segunda Guerra Mundial. / - “Quem despreza o conselho (?) fica com o inútil.” 19- Símbolo do elemento químico descoberto por Karl Klaus em 1844. 20- Natalia Lavrova, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Sydney. / - (?) Ben Younes um ex-futebolista profissional tunisiano. 21- Jan de (?) Group, empresa belga de construção e manutenção de infra-estruturas marítimas a nível internacional. 22- Rei dos visigodos (depois de assassinar o seu irmão Teodorico II), entre 466 e 484. / - Mergulhador japonês, coletor de produtos marinhos, em especial pérolas. 23- “(?) o Extraterrestre”, filme estadunidense, dirigido por Steven Spielberg. 24- “Agora vou mudar, Minha conduta, Eu

“Eu não fiz nada que achasse realmente ofensivo. Apenas citei em meu blog (WWW.lucianapombo.com.br) problemas que existem dentro da administração municipal, como lixo nos rios da cidade, falta de credibilidade do prefeito junto aos organismos estaduais e despreocupação com o número de animais abandonados vou pra luta, Pois eu quero me (?)”, estrofe da música “Com que Roupa”, gravada por Zeca Pagodinho. / - Unidade Federal, sede do aeroporto internacional “Governador Jorge Teixeira”. 25- “Meu (?)”, composição musical de Toquinho e Mutinho. 26Esquadrão de Demonstração Aérea (Sigla). 27- (?) Pellegrini - personagem da telenovela Corpo a Corpo, interpretada por Débora Duarte. 28- País conhecido na Antiguidade como Núbia, incorporado ao mundo árabe na expansão islâmica do século VII.

Solução das palavras cruzadas de janeiro de 2011: 1- Crosta; 2- América; 3- Ragg; 4- AS; 5- Sol; 6- Alain; 7Livramento; 8- Ceará; 9- Sala, Ponteio; 10- Maspoli, Lar; 11- OAS; 12- Oleg; 13- Olavo; 14- Sargan; 15- Ira, Elação; 16- Tri; 17- Atenas, Ornar; 18- Mans; 19- Lang; 20- SOAS; 21- Marciales, FIA; 22- Fã; 23- CT; 24- Ocano, Só; 25- Incas; 26- Anta; 27- Astrólogos.

“É melhor ter um jornalista independente a ter um escriba subalterno!” (Elias Glaucio - fotógrafo)

“Blogs e sites de jornalistas independentes que cumprem o dever de informar ao público sem o crivo de um patrão, incomoda muita gente!” (Maurício Grabowski – radialista e jornalista) no município. Acho que ele não gostou e resolveu me fazer a proposta indecorosa de permanência no imóvel desde que não entrássemos em atrito. Em outras palavras, ele queria mesmo era me silenciar, me censurar, me dizer o que eu tinha ou não que fazer. Jamais permitiria isso. Minha liberdade de imprensa nada tem a ver com minha vida comercial. Preferi procurar um outro lugar para ficar”, afirmou a jornalista, em entrevista exclusiva ao Jornal A Verdade.

“Censura a jornalistas, nunca! Agora, quem parir Matheus vai ter que embalar. Como em tudo na vida.” (Emilio Sounis - atleticano)

“É inadmissível que haja qualquer tipo de repressão ao trabalho jornalístico, pois como sabemos, os jornalistas tem a missão principal de informar, e é através destes dignos profissionais que a sociedade pode exercer a sua cidadania”. (João Carlos Daleffe – advogado) “Tudo que é censura, sou contra!” Odilon Cunha - empresário)

“Quer dizer que só porque a pessoa não é conhecida não se pode aceitar o que ela fala sobre você? Informação é fundamental hoje em dia!” (Erickson José – comerciante)


04 Currículo da jornalista Luciana Pombo é jornalista formada desde janeiro de 1995. Passou pela direção do Clube Atlético Paranaense, da Rádio Educativa do Paraná (no governo Roberto Requião), da Rádio Transamérica Light, da Rádio Exclusiva do Paraná. Foi repórter da TV Iguaçu (filiada ao SBT), da Rádio CBN, do Canal Futura, da Rádio Band News (onde foi coordenadora de Jornalismo), da Folha de Londrina, do Jornal do Estado. Por onde passou, sempre se pautou pela investigação de fatos policiais e políticos, tendo colaborado pela elucidação de crimes ocorridos no Paraná. “Uma vez me chamaram na Educativa para discutir como eu deveria conduzir o jornalismo da Rádio. Era pleno governo Requião. Eu disse que eu não discutia editorial e fui enfática, lembrando que minha profissão de jornalista era para a vida inteira e o cargo de governador de Requião era por apenas quatro anos ou no máximo oito anos. Esse prefeito não deveria jamais pensar que com ele seria diferente”, apontou a jornalista. A censura imposta à jornalista não foi levada pessoalmente pelo prefeito. O filho Rudisney foi o intermediário da proposta. Desde que decidiu trabalhar com Pet Shop em Praia de Leste, Luciana Pombo foi sincera e contou que era repórter, não tendo sofrido qualquer interpelação antes da inauguração da loja. “O investimento feito foi absurdo. Não recuperamos nada. Ao contrário, só investimos”, disse ela. A denúncia de censura em Pontal do Paraná já foi encaminhada oficialmente para a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e para o Sindicato dos Jornalistas do Paraná (SINDIJOR). Procurada pela reportagem do jornal A Verdade, a Prefeitura de Pontal do Paraná não quis se pronunciar.

“Censura é uma intervenção infernal de quem está no poder para calar qualquer oposição”. (Josiliano de Mello Murbach – jornalista)

13 ESPORTE Campeonato Paranaense: fórmula nova, velhos problemas

Coluna

Toni Casagrande

O poder e sua sedução A teoria do poder tem seus conceitos elaborados e desenvolvidos por inúmeros pensadores, de Montesquieau a Max Weber e Norberto Bobbio, mas tenho a sensação de que a representação sobre o poder mais próxima da realidade que experimentamos e de mais fácil compreensão atualmente está na fábula – se é que podemos chamar uma história em quadrinhos assim – do Homem-Aranha. Venom Um dos inimigos do personagem é o simbionte extra-terrestre que se chama Venom. Para entender: a simbiose é uma relação vantajosa entre dois ou mais organismos. O simbionte é o membro menor de uma relação entre organismos diferentes. O maior, no caso, o Homem-Aranha, é chamado de hospedeiro. Na história, o herói aracnídeo experimenta um aumento de sua força ao usar um de seus uniformes que, estranhamente, tornou-se negro. A cor surge depois que Venom se incorpora ao tecido. Em troca da força extra que oferece, Venon ganha vida e um coração para minar com ódio, muito ódio. Mais poder, mais maldade Quanto mais poder o Aranha ganha, mais poderoso ele quer ser, mais destrutivo se torna, mais maldade há em seu espírito. Com ficar sem? Existe alegoria mais viva e rica do poder exercido por nossos políticos do que esta simbiose malévola. Antonio Carlos Magalhães, o infinito coronel baiano, afirmou certa vez que era difícil

se imaginar longe do poder, que ele era muito sedutor. Ficção e Realidade Aqui em Pontal é fácil associar o conceito os personagens locais. Aliás, qualquer um, em qualquer lugar do Brasil, pode fazer o mesmo. Em todos os cantos deste país há exemplos de gente que era uma coisa antes de experimentar o poder e depois de assumir um cargo se transforma, como em outra ficção, a história de O médico e o Monstro. O poder consome Na história em quadrinhos, o Homem-Aranha decide romper a simbiose que o prende ao ciclo diabólico. O herói percebe que Venom está consumindo sua força vital, tornando-se cada vez mais forte e ameaçando dominá-lo a ponto de torná-lo definitivamente mal. Como exemplo de herói, ele prefere dizer não aos novos poderes a colocar em risco sua luta. Roupa Negra Infelizmente, na vida real são poucos os que se tornam heróis. A esmagadora maioria não se importa com o desprezo aos conceitos básicos de uma administração pública: respeito e honestidade. Vestem a roupa negra e se perpetuam no poder. Não sei por que, isso tudo me lembra o bordão de um candidato nunca eleito, mas muito presente nas eleições majoritárias do Paraná nos últimos ano, Jamil Nakad, que bradava na TV: Chega dos mesmos! Chega dos mesmos!

Terra de Ninguém

Jornalista é alvo de atentado de bomba entre 2001 e 2005. A casa de Orley Antunes, de 60 anos, diretor do jornal “Morretes Notícia” e autor de um blog que trata dos problemas da cidade, foi alvo de um atentado a bomba. Antunes relatou que a porta da casa onde mora foi arrombada e uma bomba caseira foi lançada na escada que leva ao segundo andar. Vidros, vasos e telhas foram quebrados. Ninguém ficou ferido.

Esta não foi a primeira vez que Antunes foi vítima de violência no município. Em outras duas oportunidades, bombas foram lançadas em frente a casa onde mora. “Devo estar incomodando os políticos de Morretes”, disse o blogueiro, que já foi secretário de Turismo de Morretes entre os anos de 1989 e 1992 e entre 2001 e 2005. (RW)

Toni Casagrande O Campeonato Paranaense segue sua sina de marginal. Com dois clubes na primeira divisão do País, portanto com a mesma representatividade de Rio Grande do Sul e Minas Gerais, o Estado não consegue dar a seu regional uma fórmula que ao mesmo tempo atraia público, dinheiro e apresente grandes jogadores e bom futebol. Depois de dois anos com o esdrúxulo supermando em vigor, agora encontrou-se uma fórmula menos absurda – doze equipes e dois turnos distintos, disputados em pontos corridos, com os campões de cada um disputando a final. Não há final se o campeão for o mesmo nas duas fases, mas que pode deixar o campeonato sem uma final de verdade. Além disso, imagine que o Paraná Clube consiga se recuperar e chegar ao título do segundo turno. O regulamento não diz nada sobre o risco de uma equipe conquistar o campeonato, mas terminar em último na somatória dos pontos dos dois turnos: ou o campeão pode ser rebaixado ao final da competição? Mas a fórmula de disputa não é o único gargalo da competição. Inegavelmente, futebol é uma das formas de marketing mais exploradas atualmente. Tudo em torno dos clubes e campeonatos tem que gerar dinheiro, ao menos é assim, nos principais torneios do mundo. Para que isso seja possível, o torcedor é o principal alvo, recebendo tratamento de primeira. Entram nesta conta o conforto e a qualidade dos produtos e serviços oferecidos, incluindo-se aí o espetáculo dentro de campo. No mundo inteiro, as ligas, federações e clubes tentam mais e mais transformar uma partida de futebol em um

espetáculo único, inesquecível. A transposição destes conceitos para o futebol paranaense é cruel. Nossos estádios, por mais que a cada começo de temporada recebam novas verbas para atender as exigências da federação, tudo o que se consegue é dar uma maquiada no quase completo abandono a que a maioria deles é relegada no restante do ano. O primeiro item da lista, o conforto, só pode ser encontrado em um ou outro estádio, mesmo assim com ressalvas. A geração de recursos é limitadíssima, a maior parte dos clubes tem patrocinadores que pouco desembolsam em dinheiro. Alguns estampam suas marcas nos uniformes e oferecem produtos e serviços em troca. É a conhecida permuta. A verba da televisão também é curta e o próprio grupo empresarial que encampa a transmissão e posa como parceiro da Federação Paranaense de Futebol na organização do campeonato critica – por meio do jornal de maior circulação do Estado – a competição pela falta de qualidade e atrativos. Uma passeadinha pela internet é suficiente para perceber que o marketing realmente não é prioridade nos clubes do estado. Fora da capital, o único com um site moderno é – por incrível que pareça – o Arapongas, recém chegado à primeira divisão. Nos demais, o site parece ser uma obrigação. Há até quem não tenha site, caso do Cascavel, que tem apenas um blog sem muita informação. Pior é o caso de quem tem e abandonou o site criado. O Iraty não publica uma notícia nova em seu espaço na internet desde o dia 03 de setembro do ano passado.

Clubes menores não são privilegiados em fórmula atual Para os clubes menores do interior, a fórmula de pontos corridos ajuda na atração de público e na conseqüente geração de renda na bilheteria. Quando os adversários são os grandes da capital, os preços sobem, como manda a lei da oferta e procura. Mas para quem usa o Paranaense como fila de sparrings para se preparar à disputa da Copa do Brasil e do Brasileirão, a renda

aferida com a disputa é insignificante e muitas vezes não paga as despesas de manter o estádio funcionando durante os jogos. Em campo, o espetáculo, com raras exceções, é medíocre. Com poucos jogadores de qualidade, times sem uma preparação física e tática adequada, além de gramados sem o mínimo de qualidade e castigados frequentemente pela chuva da estação mais quente e úmida do ano, é difícil presenciar uma espetáculo de qualidade. Não se pode desprezar o empenho, a dedicação, a vontade de mostrar talento e ganhar notoriedade de muitos jogadores, sejam eles jovens ou já rodados. Mas isso não é suficiente para seduzir o torcedor. A presença de público é motivada muito mais pela rivalidade que pelo prazer de assistir um bom futebol. Quando o adversário é da cidade ao lado, a diversão é zoar com os vizinhos. Quando o inimigo vem da capital, todos se unem contra o poder os grandes. Diversão passageira - Sem uma identidade cultural própria, é um exagero esperar que o paranaense se una em torno de seu futebol pobre e sem encanto. A paixão pelo clube de sua cidade, por hora, é apenas uma diversão passageira, enquanto não estão em campo o Corinthians – de São Paulo, é claro – ou o Palmeiras, o Grêmio ou o Inter, o Flamengo ou o Botafogo. Há também aqui as exceções, clubes como o Rio Branco de Paranaguá e o Operário de Ponta Grossa têm sua tradição e uma longa história de paixão com sua torcida. Mas que dizer de clubes que só existem para atender a interesses de empresários, clubes que, dependendo das vantagens oferecidas pela prefeitura ou empresários deste ou daquele município, não pensam duas vezes antes de mudar de lar. São uma praga, mas infelizmente este mal não é uma invenção e muito menos uma exclusividade do nosso futebol. Esta conseqüência da busca desenfreada por dinheiro está em toda parte, em todos os níveis do futebol no mundo inteiro. (T.C.)


12 Segurança

Cadeias do litoral estão superlotadas

05 POLÍTICA

Por Luciana Pombo (www.lucianapombo.com.br)

Delegacias não recebem dinheiro para a comida dos presos há dois meses Já me perguntaram porque resolvi vir para o Litoral Paranaense. Posso dar mil e uma desculpas, mas a verdade é só uma: cansei da política estadual, das mesmas mentiras já conhecidas da falta de comprometimento da população com mudanças necessárias para o Brasil. Resolvi buscar um local pacato, onde pudesse começar do zero, onde seria uma ilustre desconhecida e não mais Luciana Pombo. Não deu certo. Com quatro meses de casa pude ver tanta injustiça, tantos absurdos, tanta hipocrisia que não havia mais como me calar. Então resolvi aqui me erradicar e ajudar, no que for preciso, o povo do nosso litoral. Ouvi de um veterinário que era melhor me calar. Se em Curitiba eu era ameaçada de morte, aqui eu encontraria o contrário: aqui as pessoas não ameaçam, mandam matar! Verdade ou mentira, cá estou, para fazer a minha parte! Conto com cada um dos leitores do Jornal A Verdade!

Toni Casagrande As delegacias do litoral do Paraná estão superlotadas. Somadas todas as carceragens das praias há vagas para cerca de apenas 100 presos, mas são cerca de 500 detidos atualmente. Os dados são da comissão de direitos humanos da OAB Paraná que fez uma visita às principais delegacias do litoral nas ultimas semanas. De acordo com a vicepresidente da comissão, Isabel Mendes, o problema afeta todas as carceragens, mas o caso mais grave é o de Paranaguá. A cadeia pública da cidade chegou a ser interditada no ano passado, quando estava com 240 presos. Agora, está com 270. Em Matinhos, também há superlotação, mas a situação é mais tranqüila. A delegacia foi projetada para abrigar 16 presos e tem atualmente 47, mas como forma de amenizar a situação, um pátio usado para que os presos tomassem sol foi fechado, o que proporciona mais espaço para abrigar o excesso de detentos. Mas o banho de sol acabou suprimido da rotina diária. No balneário de Ipanema, em Pontal do Paraná, a capacidade máxima deveria ser de apenas 12 pessoas, mas há 49 presos na carceragem. A superlotação das carceragens no litoral tem se potencializado por causa da operação-verão. Com o aumento do policiamento nas praias, cresce o número de prisões. O problema é tão grave que, em alguns casos, quando o delito é considerado leve, os delegados estariam optando por liberar o preso. A denúncia foi feita por policiais que preferem não se identificar. Sem comida – Outro problema grave registrado nas delegacias do litoral do Paraná é a falta

de dinheiro para a compra de alimentos para os presos. Isabel Mendes, conta que as duas delegacias não recebem a verba para a compra dos alimentos há dois meses. O valor destinado às delegacias já é reduzido. São apenas dois reais por preso ao dia, ou seja, se o dinheiro for usado para o preparo de três refeições diárias, cada uma terá que custar menos de um real. Em uma das delegacias, o delegado tem se servido do crédito que tem na praça para poder comprar os alimentos. Ele tem comprado fiado com a promessa de que tão logo receba o dinheiro irá reembolsar os fornecedores. Isabel não quis revelar em qual das cidades,

o delegado tem pendurado a conta das refeições dos presos, mas diz que a situação não é muito diferente no outro distrito visitado. De acordo com ela, um policial teria contado que trabalha integralmente pedindo ajuda da comunidade para alimentar os detentos. “Ele chegou pra mim e disse: a senhora esta vendo este carro velho ali. É com ele que eu saio pela comunidade pedindo ajuda para alimentar os presos”, relatou a advogada. “Gasto meus dias integralmente nesta tarefa.” Mesmo mantendo contato repetidas vezes com a Secretaria de Segurança Pública, para obter informações sobre a denúncia, nossa reportagem não obteve resposta.

Curitiba traz para o litoral paranaense cães de raças variadas, selecionados e com garantia de saúde e de alimentação adequada. Há 13 anos Trabalhamos com as seguintes raças: Cairn Terrier, Lhasa Apso, Yorkshire Terrier, Shih Tzu, Maltês, Schnauzzer Miniatura, Cocker Spaniel Inglês, Retriever de Labrador, Chow Chow, entre outros.

Informações:

fazendo famílias felizes.

3457.1341 / 9181.1497 / 9143.7999

Pedofilia - Um delegado aposentado da policia civil do Paraná foi preso acusado de pedofilia no litoral paranaense. O sobrenome do sujeito? Abilhôa. A Secretaria de Segurança Pública confirmou a prisão de Haroldo Hélio Abilhoa, porém, informou que o caso corre em segredo de justiça e, por isso, ninguém está autorizado a falar. Catástrofes - Dois pedestres foram atropelados na calçada, em Guaratuba, Litoral do Paraná. Francisco Natalício Cândido, de 51 anos, morreu no local. A outra vítima, Lourival Teodoro da Silva, 63 anos, sofreu ferimentos graves e foi encaminhado ao Pronto Socorro Médico (PSM) de Guaratuba. Lourival recebeu atendimento médico, mas não resistiu ao ferimentos e morreu no hospital. O acidente ocorreu na PR-412, no perímetro urbano de Guaratuba, próximo ao Hotel Santa Paula. Segundo testemunhas, o condutor aparentava sinais de embriaguez e fugiu a pé em direção ao mar logo depois do acidente. Sem conselho – O Conselho Tutelar no Litoral não funciona. Os alunos da rede pública de Pontal do Paraná faltam livremente sem qualquer tipo de fiscalização ou preparo municipal para cobrar os pais sobre a ausência dos filhos. O reflexo imediato é crianças despreparadas,

semi-analfabetas e já na quarta ou quinta série. Ninguém vê e a educação no município vai de mal a pior. Principal – A Avenida Atlântica, famosa no litoral do Paraná, mudou de nome. Agora tem sido chamada de Avenida Anibal Khury. Um completo absurdo. Quem foi este homem na história do Paraná? O que ele fez para o verdadeiro progresso de nosso Estado? Aliás, a avenida está completamente esburacada na altura do balneário Guarapari – uma vergonha para a administração municipal, que não investiu antes da chegada da temporada e agora tem que conviver com gigantescas filas em toda a extensão da praia! É não morro e vejo cada coisa!... Abandono – Em vez de ser potencialmente usado no turismo histórico, o trem de Antonina, que fica próximo à antiga estação, sofre com a falta de manutenção e com a ação de vândalos. Nos vagões, o que se vê é sujeira, pichações, vidros quebrados e descaso. Reportagem recente do jornal O Estado do Paraná mostrou que a Prefeitura não se preocupa e o descaso é mais do que governamental (município e Estado). Rio de Valadares – Bicho ruim deveria morrer no Rio Valadares. Os verdadeiros bichos, que se dizem humanos. Acredita que centenas de gatinhos e cãezinhos são encontrados diariamente mortos dentro de sacos de lixo no Rio que separa a Ilha de Valadares de Paranaguá? Não, não é brincadeira, não. A vergonha pública agora faz parte das novelinhas dos arredores. Sempre tem um que diz que sabe quem jogou, mas ninguém paga pelo crime. Sacrifício de vidas não deveria ser crime? Para colaborar com essa coluna, mande informes para o lucianapombo@hotmail.com. Shalom. O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis”. (Fernando Pessoa - poeta)

Virose faz mais de 200 vítimas em Pontal do Paraná O litoral do Paraná tradicionalmente é acometido por surtos periódicos de águas vivas. Este ano, além elas, um surto de virose foi registrado no início deste ano. Mais de mil pessoas foram atendidas com os mesmos sintomas nos municípios de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná. Somente em Pontal, foram 250 casos. O causador da doença seria o Norovírus em Guaratuba. Já nos demais municípios ainda não há uma comprovação. “Estamos estudando os casos de Matinhos e Pontal do Paraná. Ainda não sabemos o que causou as viroses nesses dois municípios”, afirmou Miriam Woiski, chefe do departamento de Vigilância e Controle de Agravos Estratégicos da Secretaria de Estado da Saúde. Neste mês de janeiro, houve ainda aumento do número de casos de diarreia e vômito nas praias do Paraná e no litoral paulista. Em ambos os casos o causador foi o Norovírus, que não é letal, porém tem alta transmissibilidade. Como a pessoa contaminada apresenta diarreia e vômito, corre o risco de sofrer uma desidratação - o que pode levar a morte. A principal forma de contaminação é a ingestão de alimentos e água contaminados com o vírus. Para evitar a disseminação do Norovírus é fundamental reforçar os cuidados com a higiene, já que o vírus está presente nas fezes, vômito e outras secreções. A virose dura, em média, até três dias. Outros sintomas são dores abdominais, náuseas e em alguns casos febre e tremores de frio. Quem tiver sintomas deve procurar uma unidade de saúde.


06 MEIO AMBIENTE

11 ECONOMIA

Empresas dos portos são autuadas por irregularidades

Alagamentos

Praias do Paraná vivem inferno nos dias de chuva

Da redação

Sete empresas foram chamadas em audiência para explicar a ausência de vigias em navios e a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA) foi notificada por sinalização precária na movimentação de veículos no cais. Dos dez navios visitados pela equipe do Ministério Público do Trabalho seis estavam sem o vigia a bordo no momento da inspeção. As empresas que atuam como Operador Portuário e respondem pela fiscalização desses funcionários foram convocadas a dar explicações. Além disso, a Appa também foi notificada pela precariedade na sinalização do trânsito de veículos do cais do Porto de Paranaguá. Outra irregularidade, de responsabilidade da Appa, foi a presença de uma pessoa estranha na área de segurança nacional do Porto de Paranaguá. “Nossa equipe flagrou uma pessoa pegando carona em uma

Luciana Pombo Os meses de janeiro e fevereiro são tradicionalmente de terror para os veranistas e moradores das praias do Paraná. As ruas ficam todas alagadas, as casas são invadidas pela água que volta das bocas de lobo e a responsabilidade pelo problema, que é antigo, nunca é de ninguém. “É difícil conter a chuva e as ruas tem menos de 2% de caimento. Quando chove, os canais se enchem e não tem o que fazer. A gravidade aqui é zero para caimento. A culpa é dos órgãos de meio ambiente que impede a prefeitura de Pontal do Paraná de fazer a limpeza dos canais”, defendeu o vereador Valdevino Simões Périco (PR), atual presidente da Câmara Municipal e aliado do prefeito Rudisney Gimenes. Não são raros os carros que perdem suas placas por causa da chuva. O jornalista

Toni Casagrande perdeu a placa e ainda foi multado pela Polícia Militar (PM). “É um problema do município e que o cidadão tem que responder. Acho isso um absurdo!”, disse ele. Já o agricultor Roberto Masocato, morador do Balneário de Praia de Leste, não suporta calado o problema. Ao contrário da maioria dos moradores que temem falar, Masocato decidiu na chuva resolver o problema sozinho. Com uma enxada na mão, ele abriu uma manilha fechada pela Prefeitura de Pontal do Paraná há um mês. “Faz um mês que a Paviserv, a pedido da prefeitura, foi fechar a manilha. Uma vergonha. Isso trouxe a água do rio que passa aqui e as ruas ficaram alagadas. Quiseram mudar o caminho natural dos rios. Eu canso de pedir para agirem aqui de forma definitiva e ninguém faz nada!”, disse o morador indignado.

Prefeitura tem que fazer microdrenagem das redes Desde o início do governo Roberto Requião (PMDB), em janeiro de 2003, a Sanepar investiu R$ 180 milhões em tratamento de esgoto nas praias paranaenses. O ParanaSan - projeto desenvolvido pelo governo Jaime Lerner (DEM) e executado na administração anterior - trabalhou com a ligação de ramais de esgoto em Guaratuba, Matinhos, Pontal do Paraná, Morretes e Guaraqueçaba. Outros R$ 70 milhões foram investidos em produção e distribuição de água. Existem falhas de projeto e de microdrenagem nas obras de esgotamento sanitário o que acaba gerando o chamado ‘’refluxo’’ no período de chuvas. Isso significa que, quando chove, a água acaba entrando nos canais e voltam para superfície em vez de serem drenados para um local adequado. “Quando chove tudo o que existe nas fossas e na rede de esgoto vai para a praia por conta do sistema de drenagem. É como se não existisse rede de esgoto. É necessária uma ação pontual com as prefeituras para aperfeiçoar a microdrenagem (de responsabilidade municipal) ou de nada vai adiantar o trabalho de ligação de esgoto na rede’’, admitiu Maria Arlete Rosa, ex-diretora de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar. (LP)

empilhadeira sem pertencer aos quadros”, informou um dos procuradores do Ministério Público, Rodrigo Lestrade Pedroso. Em nota, a Appa garantiu que vai fazer novas solicitações para que os operadores portuários cumpram suas obrigações. Quanto ao Porto de Paranaguá, foi determinada a intensificação da fiscalização.

APPA faz plano para 30 anos A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) apresentou em Curitiba o plano estratégico para os próximos 30 anos. A intenção é conquistar paulatinamente o mercado nacional de exportação de grãos e produtos. “O porto tem que estar pronto para atender as demandas da sociedade. Estamos há anos sem grandes projetos de ampliação e melhorias na estrutura logística e agora apresentamos o que precisa ser feito de mais urgente a curto, médio e longo prazo”, disse o superintendente Airton Vidal Maron. Para curto prazo, as ações principais são

as campanhas de dragagem – dos berços, manutenção e aprofundamento –, além do já anunciado projeto de ampliação do cais comercial do Porto de Paranaguá que, nos próximos anos, passaria dos atuais 20 para 32 berços de atracação. Para médio e longo prazo, a intenção é de que a Appa aproveite o uso da área do porto organizado para ampliar seus terminais. O projeto é instalar um porto em Pontal do Paraná, outro na região do Embocuí/Emboguaçu e, nos próximos 30 anos, um terminal na Ilha Rasa da Cotinga.

Em Antonina, foram identificadas situações nas quais trabalhadores atuavam sem equipamentos de proteção individual (EPIs) e não tinham acesso à água potável. O procurador lembrou que todas as empresas devem cumprir a Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho Portuário (NR 29) do Ministério do Trabalho.

Pontal terá o primeiro Centro da Pesca Artesanal do PR Uma equipe da Superintendência Federal da Pesca e Aquicultura do Paraná esteve em Pontal do Paraná para visitar onde será instalado o primeiro Centro Integrado da Pesca Artesanal (Cipar) do Paraná. A visita teve a presença de técnicos escolhidos pelo Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA). Eles irão elaborar um diagnóstico da produção, consumo, comercialização do pescado em todo o litoral do Paraná antes de definir os detalhes do projeto. A obra tem valor estimado em R$ 2 milhões e deve ser concluída até o final do ano. O Cipar é uma unidade que proporcionará aos pescadores infraestrutura mínima de produção e comercialização do pescado. Ele será construído no balneário de Pontal do Sul. “Tudo o que for construído é para a melhoria do pescador, é para o seu benefício“, disse superintendente federal da Pesca do Paraná, José Wigineski. “Podemos construir fábrica de gelo, local para embarque e desembarque, uma estrutura para beneficiamento e conservação do pescado, além de locais para cursos de aperfeiçoamento para o pescador e sua família, economia solidária, planejamento, informática, entre outros”, afirmou ele.


10 COLUNA SOCIAl

07 MEIO AMBIENTE

IAP diz que balneabilidade é boa

Na boca do povo, por Norma Carcará

Luciana Pombo

A imagem do abandono na PR-412 revela que ainda falta vontade para que os projetos saiam do papel. A obra sai ou não sai? A menina Luciene Hellem Pombo Gross já tem ar de vitoriosa. Apesar de ter apenas oito anos, ela já conquistou a fama em Curitiba e agora veio alegrar os ares da Escola Municipal Anita Miró Vernalha. Luciene conseguiu ganhar o terceiro lugar geral de um Torneio de Matemática feito com todas as escolas municipais de Curitiba. Era muita gente e a menina foi uma das premiadas. Orgulho para a mãe e para a professora Flávia.

Não dá agüentar o mau cheiro de Pontal do Paraná quando os rios estão sujos. Será que ninguém vai tomar providências?

Os boletins de balneabilidade, divulgados pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) tem mantido o mesmo número de pontos próprios para banho de mar, mesmo com as chuvas. Dos 49 locais monitorados semanalmente no Litoral, 42 pontos estão próprios para banho e apenas sete locais foram considerados impróprios e serão sinalizados com bandeiras vermelhas. “Os resultados têm sido positivos mesmo com as chuvas de verão. Isso demonstra a redução da emissão de esgoto em nossas praias”, declarou o presidente do IAP, Tarcísio Mossato Pinto. Ao todo, 23 pontos serão sinalizados com bandeiras azuis e 19 pontos serão sinalizados com bandeiras amarelas. Estes, em condições climáticas normais são adequados para banho, mas durante e após

chuvas intensas devem ser evitados. Os resultados das análises estão sendo divulgados semanalmente até o final do mês de março, no endereço eletrônico www. iap.pr.gov.br. Os veranistas também podem obter informações em três centrais do IAP instaladas na orla de Guaratuba, no Morro do Cristo; em Matinhos, na rotatória central; e em Pontal do Paraná, no balneário de Ipanema. O monitoramento da balneabilidade é realizado pela Diretoria de Estudos e Padrões Ambientais (Depam) desde a temporada 1989/1990. A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Pontal do Paraná, mas ninguém quis falar sobre o tema oficialmente. Na Sanepar, novos projetos estão em andamento e serão alvo de matérias na próxima edição. (L.P.)

PRESTE ATENÇÃO: Tosador de longa data, Robson Stegues do Walle completa 22 anos no dia 28 de fevereiro. Ele já tem larga experiência na profissão, apesar da pouca idade.

A criatividade na hora de se colocar um cartaz por vezes assusta. Na foto ao lado, fica claro o que quis dizer o pintor. Mas sinceramente? Eu queria ser poupada do anúncio...

Se protegendo da chuva, policial militar ouvia o reclame dos turistas numa vaga que parecia destinada para a viatura, em frente a um estabelecimento comercial. Dias depois, a chuva derrubou o que parecia firme...

Na foto acima, cenas de uma batida policial e da Vigilância Sanitária na Pizzaria 277. Momentos de tensão para o dono de estabelecimento e para os turistas, que esperavam para comer e ouvir uma boa música.

 Redobre os cuidados básicos de higiene. Isso pode evitar diversas doenças.  Lave as mãos várias vezes ao dia, principalmente quando chegar da rua e antes das refeições. A higienização deve ser feita com água e sabão.  Tenha atenção à higiene e à conservação dos alimentos, principalmente, se estiverem crus.  Não tome remédios para interromper a diarreia. O caso pode evoluir para uma infecção grave. Vá ao médico, que lhe indicará o melhor tratamento.  Redobre a atenção com relação às crianças, pois é comum levarem as mãos à boca com frequência. E se não estiverem limpas, pode haver risco de contaminação.  Evite contato com a água proveniente de alagamentos.

As águas vivas voltaram a maltratar as praias do Paraná. Em apenas uma semana, foram registrados 185 casos de queimaduras por águas-vivas. Segundo o Corpo de Bombeiros, as vítimas apresentam sintomas leves como vermelhidão, inchaço e ardência no local da queimadura. A orientação para os banhistas é que saiam da água na mesma hora e lavem a região queimada com água do mar. Se houver casos de febre, vômito e dificuldades respiratórias, os banhistas devem procurar um hospital imediatamente. Desde dezembro do ano passado já foram registrados 396 casos de queimaduras. Os locais de maior incidência de águas vivas foram os balneários de Ipanema, Praia de Leste, Santa Terezinha e Shangrilá.

?

?

Enquete: ?

? O que falta para o ? litoral paranaense

?

?

“Falta infraestrura básica como área de conveniência com banheiros asseados, rodovias duplicadas, ponte Guarutuba/ Caiobá”. Sociedade Amigos da Cidade de Santo Antônio da Platina-Paraná “Melhorou muito. Tem que melhorar mais ainda nos quesitos estrutura e saneamento. Mas é um complexo de praias, rios e montanhas em que a cada ano se descobre algo novo, inusitado e diferente. O interior das baías e suas margens são impagáveis. Magia pura. Sou apaixonado.” (Flavio Jacobsen – cartunista e músico)

Nascidos recentemente, quatro Cairn Terrier farão felizes algumas famílias brasileiras. Inteligentes e alegres, os cairns ficaram conhecidos no Brasil após o lançamento do musical Mágico de Oz: o Totó, da Dorothy. Os cães são do Canil Pombos Curitiba. Para mandar fotos para este espaço, escreva para o normacarcara@hotmail.com.

Queimaduras por águas vivas em Pontal

“A falta de investimento em divulgar essas praias é o que não deixa-as desenvolver!” (João Ricardo Zabel Machado – estudante)

O IAP alerta que tomar banho em água contaminada pode causar doenças de pele, gastrenterite e infecções nos olhos, ouvidos e garganta. Doenças mais graves também podem ser transmitidas pela água, como hepatite A, cólera e febre tifóide.

“Penso que ele nao existe, falta tudo inclusive vergonha na cara de quem administra, porque a grande maioria prefere as praias catarinenses?” (Laerte Lopes dos Reis – empresário)


08 ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

Projeto de lei pode minimizar o crescimento da população canina de rua Robson do Walle Todo final de temporada é a mesma coisa: a população canina de rua aumenta no litoral paranaense. Não é de hoje que os moradores se preocupam com a situação - que já é caótica. Os animais ficam perambulando pelas ruas e não é raro que sofram maus tratos, sejam vetores de doenças e morram atropelados na principal rodovia das praias do Paraná: a PR412. No início de fevereiro, a aposentada Maria Carmem Fernanda assistiu a uma situação constrangedora: um cão da raça maltês foi atropelado por um automóvel que vinha em alta velocidade e “podava” os outros carros em local proibido. “Quando eu vi tive vontade de apedrejar o carro. O motorista não parou, não ajudou. Peguei o cãozinho, levei ao veterinário e estou cuidando dele”, contou a aposentada, que mora no Balneário de Gaivotas, em Matinhos. O cãozinho não teve muita sorte:

01

ficou sem locomover os membros inferiores e terá que usar uma cadeira adaptada para cães deficientes.

Em Pontal do Paraná a situação não é diferente. Em cada quadra, uma história triste para contar. Em Praia de Leste, cães são abandonados amarrados no lado de fora das casas. Outros são deixados como guarda em comércio, com sofrimento estampado na cara. Poucos se preocupam e o governo municipal não tem programas ou projetos para melhoria da qualidade de vida destes animais. “Não sabemos muito bem o que fazer, mas a ideia é somar forças e pedir que as Câmaras de Vereadores de Matinhos e de Pontal do Paraná pensem num projeto de lei para dar uma vida digna a estes cães. Precisamos de conscientização e de programas municipais de castração e vacinação destes animais. Todos juntos podemos promover mudanças”, disse o empresário Toni Casagrande, que tem Pet

Shop em Pontal do Paraná. O vereador Valdevino Simões Périco (PR) admite que o problema de abandono de cães em Pontal do Paraná é crônico, mas não vê possibilidades de mudança. “Já discutimos muito essa situação, mas teria que se ter um canil municipal com veterinário de acordo com as exigências legais e isso é complicado. A gente sempre esbarra na questão financeira”, justificou ele. A justificativa municipal não parece plausível para a jornalista e criadora de cães Luciana Pombo. De acordo com ela, um programa municipal eficiente poderia evitar que doenças comuns no litoral como a cinomose, a parvovirose e a leptospirose proliferassem tão facilmente. Isso sem falar nos carrapatos e pulgas. “O investimento inicial parece alto, mas os benefícios são imensos para a população canina, para a imagem do litoral e para a população como um todo. Os cães tratados, vacinados e castrados podem ser doados. Além do que existe a necessidade de se investir em parcerias com a Prefeitura de Curitiba, por exemplo, para estimular a posse responsável. Multas severas para quem abandona cães e gatos deveriam ser regra e não exceção”, avaliou Luciana. Em Curitiba, a prefeitura tem um Centro de Zoonoses eficiente e adotou na campanha de conscientização a chipagem (identidicação) dos animais. Com o chip, o dono que abandona o animal pode ser intimado para prestar contas para o município.

09 ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO Crônicas & Crônicas

Social Pet Mya é mamãe pela primeira vez. Os filhotes dela nasceram no dia 28 de janeiro e serão liberados para venda no dia 20 de março. Ela é um belo exemplar de Cairn Terrier.

Estes são alguns dos clientes do Pet Pombos Ipanema que levaram um gatinho para casa...

... tem ainda os que preferiram lindos cãezinhos...

Dez Mandamentos da Posse Responsável

Antes de adquirir um animal, considere que seu tempo médio de vida é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados. 02 Adote animais de abrigos públicos e privados (vacinados e castrados). Evite comprar por impulso. 03 Informe-se sobre as características e necessidades da espécie escolhida – tamanho, peculiaridades, espaço físico para não se arrepender depois. 04 Mantenha o seu animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua. Para os cães passeios são fundamentais, mas apenas com coleira ou guia e conduzido por quem possa contê-lo. 05 Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas

e leve-o regularmente ao veterinário. Dê banho, escove e exercite-o regularmente. Algumas raças precisam de mais exercício do que outras. Procure orientações. 06 Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção, carinho e ambiente adequado a ele. 07 Eduque o animal, se necessário, por meio de adestramento, mas respeite suas características naturais. 08 Recolha e jogue os dejetos (cocô) em local apropriado. Lembre-se que você precisa respeitar os outros para ser respeitado. 09 Identifique o animal com plaqueta. Também é recomendável uma identificação permanente (microchip ou tatuagem). 10 Evite as crias indesejadas de cães e gatos. Castre os machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contra-indicações.

... e coelhinhos...

Mande sua foto para ser publicada aqui: lucianapombo@hotmail.com.

* Este espaço é patrocinado pelo Pet Pombos Ipanema.

Ipanema

Telefone: (41) 3457.1341

Ela era solteira, morava sozinha. Para sentir-se menos solitária, decidiu trazer um amigo para casa. Escolheu um gato... Simplesmente Lindo! Persa, pelo denso, altivo, sereno, e independente, mas manhoso e companheiro. Quando ela ia viajar, o banco de trás do carro era todo dele, iam conversando o trajeto inteiro. E ela entendia cada ronronar, cada miado, cada lambida de bigode. Dormiam quase sempre na mesma cama. Pareciam feitos um para o outro... Mas... O tempo passou, ela começou a namorar um advogado. Moço bonito, bem-sucedido e carinhoso. A relação ficou séria e o casal decidiu se casar. Quando o gato soube, desesperou-se! Sua fiel companheira, agora, só tinha carinhos, afagos e mimos para um desconhecido. Já não o ouvia, não abraçava nem coçava, não sentia sua falta... Nem sua presença. O pior dos desamores: a indiferença! Ensandecido e certo de que tudo já estava perdido, ele entregou-se à vingança. E daquele dia em diante estabeleceu que destruiria aquele estranho que lhe roubara a companheira de jornada. Tornou-se um problema: roia, arranhava, comia, destruía tudo que trazia como marca o cheiro do invasor. Ela ficou consternada, mas preferiu o marido. O gato foi para a casa de uma prima, em outra cidade, outro estado... Anos depois, o casamento perfeito ruiu: muitas brigas, muitas dúvidas, algumas mentiras e o encanto desfez-se. Novamente sozinha, sentiu falta do velho companheiro: onde andaria? Resolveu visitá-lo. Encontrou-o relegado a uma garagem nos fundos da casa espaçosa. Dormia serenamente, como nos velhos tempos. Ela se aproximou com uma vontade louca de apertálo, mas conteve o ímpeto num doce afago macio. Ele arrepiou-se todo, conhecia aquele toque, aquele perfume... Ronronou como nos velhos tempos, como se dissesse: - Ah! Quanta saudade! Desde aquele dia, o banco de trás voltou a ser somente dele... E ela voltou a ser feliz! * Crônica produzida por Toni Casagrande, através de relato de cliente do Pet Pombos Curitiba, no Shopping Novo Batel


Jornal A Verdade  

Primeira edição - ano 2011 - mês Março

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you